Jornal Empresários

 

Embed or link this publication

Description

Edição Março/2011

Popular Pages


p. 1

primeira via nestes tempos de semana santa a tradicional torta capixaba volta à mesa do consumidor o suplemento mostra as origens dessa iguaria e ensina como prepará-la e ainda as obras do professor américo menezes e uma matéria sobre o fascínio das pedras preciosas que encanta cada vez mais o público feminino administraÇÃo pÁgina 14 vila velha se prepara para receber grandes empresas a adequação do plano diretor municipal pdm é um dos pontos de destaque para facilitar a instalação de novas empresas segundo o secretário de desenvolvimento urbano henrique casamata ano xii nº 135 www.jornalempresarios.com.br marÇo de 2011 bruno de menezes bancários acionistas minoritários e clientes podem relaxar a venda do banestes ganha um obstáculo de peso com o projeto de emenda constitucional pec do deputado estadual gilsinho lopes pr que introduz dois artigos na constituição do estado impedindo a operação pÁgina 11 calma o banestes É nosso polÍtica econÔmica vida leve opiniÃo pÚblica bom programa delfim netto página 2 É mesmo jane mary página 2 do primeira via substituição tributária paula guimarães página 4

[close]

p. 2

2 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos carlos amorim polÍtica econÔmica antonio delfim netto contatodelfimnetto@terra.com.br bom programa s analistas dos mercados financeiros sempre demonstraram aversão ao presidente lula às políticas do seu governo e uma indisfarçável frustração pelos altos índices de aceitação popular que ele mereceu ao final de oito anos na chefia da nação o carisma de lula foi fator decisivo para a eleição da nova presidente dilma rousseff tecnocrata moderna sofisticada pragmática e com sensibilidade social ela tem que lidar 1º com as naturais dificuldades políticas que existem em todo estado de direito republicano e democrático e 2º com os condicionantes físicos e humanos que limitam a continuação de um projeto de longo prazo que parece muito conveniente para o brasil desde a constituição de 1988 quando ­ gostem ou não alguns fundamentalistas ­ a sociedade brasileira revelou suas preferências sobre a forma em que desejava organizar-se o brasil tem feito imenso progresso civilizatório este não se deve apenas a eventuais virtudes pessoais de seus governantes mas também de forma decisiva ao aperfeiçoamento de nossas instituições para avaliar objetivamente a realidade brasileira atual é preciso aceitar de uma vez por todas que fernando henrique cardoso e luiz inácio lula da silva já se foram são apenas parte do passado cada um deles procurou cumprir o seu papel dentro dos limites políticos físicos e humanos em que operaram um bom começo é aceitar um fato simples não importa qual seja nossa orientação ideológica ou nossa pretensão científica sobre a melhor receita para a boa govenança econômica é impossível deixar de reconhecer que quase 90 de aprovação popular num regime de plena liberdade de expressão mídia alerta e felizmente inquisidora o editorial o banestes é do espírito santo crescimento da carteira comercial e a redução de despesas com provisões sobre operações de crédito puxaram o desempenho do banco do estado do espírito santo banestes em 2010 o lucro líquido da instituição alcançou r 167,02 milhões uma elevação de 27,34 em comparação ao exercício de 2009 esse é o maior lucro obtido pelo banco em seus 73 anos de existência esses excelentes resultados nada significam para alguns setores do governo federal que passado o calor das últimas eleições já começam a se movimentar no sentido de apressar a federalização do banestes colocando-o no carrinho de compras do banco do brasil há dois anos a venda do banco estadual esteve próxima de ser concretizada havendo até mesmo anúncio oficial da operação o ministro da fazenda guido mantega defende a transferência do banco para a esfera federal sob o controle do banco do brasil e sempre que pode torna pública sua posição portanto surge em boa hora o projeto de emenda constitucional pec de autoria do deputado estadual o gilsinho lopes que está em tramitação na assembleia legislativa devendo ser votada neste mês de abril o projeto conta com o apoio de pelo menos 19 dos 30 deputados o que garante sua aprovação em plenário a venda do banestes não é tão simples assim pois envolve não apenas a instituição mas todos os municípios do espírito santo desfazer-se desse patrimônio público é vender também o patrimônio dos municípios e dos servidores são os municípios que pagam tarifas para que o banco recolha os impostos e é o banco o órgão centralizador das aplicações financeiras desses municípios isso sem falar no acesso ao crédito por parte da população interiorana há que se considerar que o banestes está presente em todos os 78 municípios do estado possibilitando a realização de operações essenciais para o desenvolvimento regional como mostra o último balanço da instituição existe hoje uma rede formada por 133 agências 26 postos de atendimento bancário pabs 240 postos de atendimento bancário eletrônico e 472 correspondentes não bancários totalizando 869 pontos de atendimento o banco possui agências em todos os municípios do estado e em 19 deles é a única instituição bancária existente seguindo um modelo de gestão moderno e eficiente o banestes tem recursos aplicados da ordem de r 52,90 milhões através dos programas de microcrédito e nossocrédito que beneficiaram em 2010 11.975 clientes já para o agronegócio o banestes aplicou no ano passado r 154,34 milhões beneficiando 6.534 produtores rurais entre janeiro de 2003 a dezembro de 2010 a instituição investiu no campo r 969,43 milhões num total de 54.268 operações o projeto do deputado gilsinho lopes é oportuno e deve merecer o apoio de toda a população pois o que está em jogo não é simplesmente um banco mas um valioso patrimônio do estado e caso o governo federal insista em prosseguir com o processo de federalização do banco sairá desgastado com resultados que certamente virão à tona nas próximas eleições tem pouca probabilidade de ser um acidente o brasil livrou-se rapidamente da crise mundial de 2007/2009 e terminou 2010 em condições econômicas e financeiras razoáveis com progressos sociais visíveis dentre os quais o sentimento de que aumentou a igualdade de oportunidades para todos depois das patifarias financeiras do mundo desenvolvido é difícil deixar de reconhecer também que a despeito de alguns discutíveis pecados veniais nossa situação fiscal não tem a dramaticidade que querem atribuir-lhe analistas engajados temos obviamente problemas que precisam ser enfrentados a desestabilização das expectativas inflacionárias resultado de pressões internas e das altas dos preços internacionais das commodities a teratológica taxa de juro real resultado dos antigos equívocos no financiamento da dívida interna a super-valorização do real consequência da própria desvalorização do dólar que estimula a especulação nos mercados de commodities e do imenso diferencial entre a taxa de juro real interna e externa isso sem falar no longo prazo infra-estrutura previdência gestão acabar com a praga da indexação legal etc o ponto importante e para o qual a presidente tem chamado a atenção é que a melhor contribuição que o governo pode dar para ajudar a resolver essas questões é uma redução imediata das despesas de custeio e melhorar a qualidade da gestão pública.o programa proposto em nome do governo pelos ministros guido mantega e miriam belchior persegue aqueles objetivos todos já o conhecem trata-se de um bom começo antonio delfim netto é professor emérito da fea-usp ex-ministro da fazenda agricultura e planejamento É publicado por nova editora empresa jornalística do espírito santo ltda me insc municipal 1159747 cnpj 09.164.960/0001-61 endereço rua ferreira coelho 330 sala 613 edifício eldorado center praia do suá vitória espírito santo cep 29052-901 diretor e jornalista responsável marcelo luiz rossoni faria rossoni@jornalempresarios.com.br diagramação márcio carreiro fernandes redacao@jornalempresarios.com.br representante df go e to bueno comunicação ltda francisco bueno fbueno@buenocomunicacaodf.com.br srtvs qd 701 bloco o sala 658 asa sul brasília-df cep 70.340-000 telefone 61 3223-6999 colaboradores antonio delfim netto jane mary de abreu primeira via tavares dias e-mail jornal@jornalempresarios.com.br site www.jornalempresarios.com.br telefone 27 3224-5198 impressão gráfica jep 3198-1900 editor roberto junquilho editor@jornalempresarios.com.br repórter fotográfico bruno de menezes brunodemenezes.foto@gmail.com as opiniões em artigos assinados não refletem necessariamente o posicionamento do jornal.

[close]

p. 3

11 anos vitÓria/es marÇo de 2011 3

[close]

p. 4

4 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos opiniÃo pÚblica paula guimarães paula_simao@hotmail.com pós ter sido durante muito tempo arguida em juízo a constitucionalidade e legitimidade do instituto da substituição tributária,sob alegação de falta de previsão constitucional e de lei complementar para sua implementação em 1988 o mesmo foi incorporado a nossa carta magna no seu art 150 § 7 sendo legitimado pela lei complementar 87/96 tal incorporação se deu face a constatação de ser uma ferramenta eficiente para os estados no sentido de diminuir a evasão fiscal ampliar sua base de arrecadação facilitando a fiscalização do cumprimento das obrigações tributarias diminuindo a sonegação de impostos e conseqüentemente gerando receitas que beneficiam a sociedade mas o que seria o instituto da substituição tributária e quais seriam os benefícios para os contribuintes a substituição tributária no icms é a transferência feita com base em expressa previsão normativa da responsabilidade pelo recolhimento do imposto incidente sobre um ou mais fatos geradores passados presentes ou futuros da pessoa ou das pessoas que diretamente promovem tais operações de circulação de mer substituição tributária a cadorias e bens ou prestações de serviço abrangidas pelo regime para um terceiro que embora vinculado a tais eventos não lhes tenham pessoalmente dado causa dentre as três modalidades existentes a substituição tributária progressiva também conhecida por subseqüente ou para frente e a regressiva ou pa ra trás abrangendo respectiva mente fatos geradores futuros e fatos geradores passados são as mais frequentemente encontradas na legislação do icms a título de exemplo e considerando a substituição tributária subseqüente ou para frente quando o imposto devido pela saída de determinado produto do estabelecimento comercial varejista é calculado e pago pelo industrial fornecedor ou ainda por quem a lei atribuir responsabilidade ocorre a substituição tributária o industrial por exemplo ao vender bebidas para o atacadista além de arcar com o icms relativo à sua própria operação recolhe também o icms devido pelas operações a serem realizadas pelo atacadista e pelo varejista como o industrial passou a recolher o imposto por substituição tributária este valor será cobrado do estabelecimen to comercial na nota fiscal de fornecimento considerando a substituição tributária regressiva ou para trás esta ocorrerá quando o recolhimento do imposto devido pelo remetente da mercadoria fica sob a responsabilidade do adquirente no que pese aos benefícios para os contribuintes podemos dizer que com a st não há aumento ou diminuição da carga tributaria na cadeia da comercialização do produto há simplesmente a alteração do responsável pelo recolhimento do valor do imposto devido pelas operações realizadas com a mercadoria destarte é vantajosa para a generalidade dos contribuintes na medida em que estimula a igualdade na tributação impedindo a concorrência desleal imposta por aqueles contribuintes que descumprem sistematicamente seus deveres tributários com o icms/st as operações comerciais ganham agilidade e simplicidade na emissão de documentos fiscais e escrituração de livros além de atenuar distorções e concorrências entre os contribuintes do mesmo ramo de atividade com efeito a base de cálculo da substituição tributária por ser uma aproximação mais ou menos exata do preço pago pelo consumidor final pelas mercadorias e serviços por ele demandados seu valor conseqüentemente emula os ganhos diferenciais agregados e apropriados pelos comerciantes/contribuintes intermediários ao longo da cadeia de comercialização a contar da etapa/operação em que ocorre a substituição tributária de tal modo que a carga tributária daí resultante seja aproximadamente igual a que seria acumulada ao longo daquela não podemos esquecer que o ganho discreto mas real que o regime proporciona aos contribuintes substituídos fica por conta de certa simplificação na sistemática de escrituração das operações por ele abrangidas aspecto que se torna bastante relevante no caso dos produtores primários cuja grande maioria está dispensada de manter quaisquer livros fiscais do icms graças à substituição tributária regressiva substituto É o responsável pela retenção e recolhimento do imposto incidente em operações ou prestações antecedentes concomitantes ou subsequentes inclusive do valor decorrente da diferença entre as alíquotas interna e interestadual nas operações e prestações de destinem mercadorias e serviços a consumidor fi nal em regra geral será o fabricante ou importador no que se refere às operações subsequentes substituído É aquele que tem o imposto devido relativo às operações e prestações de serviços pago pelo contribuinte substituto responsável o contribuinte que receber de dentro ou de fora do estado mercadoria sujeita à substituição tributária sem que tenha sido feita a retenção total na operação anterior fica solidariamente responsável pelo recolhimento do imposto que deveria ter sido retido na hipótese de responsabilidade tributária em relação às operações ou prestações antecedentes o imposto devido pelas referidas operações ou prestações será pago pelo responsável quando 1 da entrada ou recebimento da mercadoria ou serviço 2 da saída subsequente por ele promovida ainda que isenta ou não-tributada 3 ocorrer qualquer saída ou evento que impossibilite a ocorrência do fato determinante do pagamento do imposto paula guimarães é advogada associada da cardoso guimarães advogados associados especialista em direito administrativo.

[close]

p. 5

11 anos transportes o vale transporte gera parte da receita vitÓria/es marÇo de 2011 5 empresas bancam 45 da receita do transcol o sistema transporta mensalmente mais de 15 milhões de passageiros na grande vitória mpresas e trabalhadores bancam parte significativa da receita do sistema transcol gerenciado pela ceturb mais de 45 do faturamento da empresa são gerados na compra do vale transporte que no mês de fevereiro deste ano foi utilizado por 6.668.112 de usuários multiplicando-se esse número por r 2,30 que é quanto custa a passagem do sistema transcol chega-se a r 15.336.657,60 quase a metade do total da receita de fevereiro que atingiu a r 33.449.532 no mesmo mês o sistema transcol registrou uma demanda total de passageiros da ordem de 15.207.443 estão incluídos nesse total os casos de gratuidades previstos em lei que e beneficiam idosos e policiais entre outros usuários e o passe escolar que custa r 1,15 a marca de mis de 15 milhões de passageiros transportados praticamente se repete em todos os meses apenas com pequenas oscilações dados da ceturb referentes ao ano passado informam que o faturamento da empresa se manteve estável durante todo o exercício com uma receita oscilando entre r 31 milhões a r 33 milhões com exceção dos meses de junho que registrou r 28.296.558 e novembro com a marca de r 24.159.782 criada em 1984 a ceturb gerencia o sistema de transporte coletivo na grande vitória a empresa contabiliza vários avanços entre eles a implantação da tarifa com desconto permitindo que os usuários paguem apenas uma tarifa para se deslocarem por toda a região atendida pelo sistema a ceturb desenvolve ações para modernizar o sistema transcol nÚmeros do percentual do vale transporte na receita do transcol mar 2010 abr 2010 mai 2010 jun 2010 jul 2010 ago 2010 set 2010 out 2010 nov 2010 dez 2010 jan 2011 fev 2011 receita em reais r demanda total de passageiros demanda vale transporte receita gerada pelo vale transporte 33.822.079 30.214.246 32.295.818 28.296.558 32.505.286 33.598.903 31.857.046 32.303.058 24.159.782 32.971.595 32.185.242 33.449.532 17.102.487 15.509.560 16.721.904 14.515.129 16.306.263 17.281.293 16.305.344 16.525.677 12.333.986 16.419.576 14.896.660 15.207.443 7.273.879 42,53 6.457.875 41,64 7.018.510 41,97 6.247.734 43,04 7.342.370 45,03 7.438.108 43,04 6.984.326 42,83 7.066.226 42,76 5.382.939 43,64 7.267.330 44,26 6.655.434 44,68 6.668.112 43,85%

[close]

p. 6

6 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos findes o presidente eleito foi proclamado este mÊs bruno de menezes guerra fortalece os sindicatos o empresário marcos guerra toma posse no dia 28 de julho deste ano guerra obteve 21 votos contra oito do seu oponente ortalecimento sindical inovação e indústria criativa meio ambiente tributária e trabalhista são algumas das pastas que vamos criar essas são as principais metas do presidente bruno de menezes f eleito da federação das indústrias do estado do espírito santo findes empresário marcos guerra que toma posse no dia 28 de julho em substituição ao empresário lucas izoton vieira bruno de menezes ele concorreu com o empresário ademar bragatto obtendo 21 votos contra oito do seu oponente em eleição realizada no dia 28 de fevereiro deste ano a diretoria eleita que será formada no mês de abril wagner bresciane É uma vitória de uma pessoa que com toda certeza fortalecerá a questão sindical as grandes vencedoras são as pequenas e médias empresas que sofrem com a atual conjuntura a vitória de marcos guerra é a continuação da mudança que esá ocorrendo a partir da administração do lucas izoton acredito que haverá representatividade e que os interesses da indústria serão legitimados com descentralização de ações em benefício de programas com sustentabilidade no interior egídio malanquini presidente do sindicafé vejo a eleição do empresário marcos guerra como uma vitoria do conjunto de empresários ele é experiente e conhece bem o associativismo e o sistema findes marcos guerra tem tudo para realizar uma gestão ainda mais exitosa marcos guerra tem todas as condições para desenvolver uma administração voltada para a categoria em busca de projetos com sustentabilidade gerando mais emprego e renda e preservando o meio ambiente lucas izoton atual presidente da findes não houve disputa foi um resultado natural de quem está preparado e tem uma grande capacidade para ouvir há muitos anos na luta pelo associativismo tem muito a contribuir para o fortalecimento do sindicalismo no estado dando prosseguimento à atual política nesse sentido um exemplo é o sindifer onde há três anos tinha 150 associados e hoje tem 402 existe uma grande expectativa em torno do marcos guerra manoel pimenta presidente do sindifer administrará a findes até 2014 a primeira modificação vai ser na formação da chapa da nova diretoria vamos ter vários diretores com responsabilidades especificas e estaremos apresentando os novos projetos a partir de nossa posse disse o empre sário marcos guerra ele pretende estabelecer o critério de a diretoria ser composta contemplando todos os setores com representantes no sistema findes o presidente eleito afirmou que vai adotar alguns critérios para a seleção da nova diretoria conselhos e câmaras setoriais disponibilidade de tempo qualificação conhecimento e liderança do dirigente para a pasta que cada um irá ocupar outros pontos a serem observados são a grandeza de cada setor para o sistema e a participação do diretor em prol do associativismo disse sobre as áreas que merecerão prioridade em sua gestão marcos guerra informou todas as áreas irão receber um toque da nova gestão de modo que nada venha a comprometer o bom andamento do sistema findes inclusive temos boas ações que foram implantadas na gestão atual e as quais daremos continuidade na formatação da nova cha pa ele estará delegando responsabilidades específicas a cada diretor pois desse modo acredita que irá melhorar a produtividade e também a comunicação marcos guerra afirmou que sua vitória foi importante porque me xeu muito com todos os sindicatos da indústria no espírito santo principalmente pela importância dos nomes que estavam na disputa o formato eleitoral atual mexeu muito com todos os sindicatos da indústria do espírito santo e a confiança nos projetos do candidato foram muito importantes no processo já que todos os eleitores são lideranças comprovadamente consolidadas nos setores que representam um outro ponto que sempre valorizei muito é o respeito às lideranças sindicais respeito não se impõe se conquista principalmente em um eleitorado tão qualificado como o nosso com a experiência sindical de mais de duas décadas o presidente eleito da findes pretende desenvolver um modelo de gestão de forma equilibrada contemplando todos os setores mas sem afastar-se de suas empresas vou administrar para conciliar meu tempo com a findes minhas empresas e minha família É bom lembrar que já vinha dedicando 25 do meu tempo em prol do associativismo frisa ele o presidente eleito lembra a grande responsabilidade de cada setor em contribuir para um desenvolvimento sustentável do estado do espírito santo o envolvimento de todos é fundamental para a consolidação do fortalecimento das regiões do espírito santo não podemos permitir no futuro que o estado seja comparado a um oceano de pobreza com ilhas de riqueza e na findes vamos fazer a nossa parte .

[close]

p. 7

11 anos vitÓria/es marÇo de 2011 7

[close]

p. 8

8 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos poluiÇÃo o visual das cidades se deteriora energia distribuída à moda antiga a edp escelsa nada faz para modernizar a rede urbana de distribuição de energia elétrica na grande vitória bruno de menezes esde 1992 quando ocorreu a privatização de várias empresas estatais entre elas a escelsa pouca coisa mudou no visual da grande vitória o cenário é cada vez mais caótico com fios elétricos à vista entrelaçando-se com outros equipamentos contribuindo para aumentar a poluição visual cada poste que coloco tenho que pagar afirma kleber frizera secretário de desenvolvimento da cidade ele informa que a a poluição visual não pode ser reduzida porque tudo tem que ser pago à escelsa no mês passado a prefeitura de vitória teve que pagar r 38 mil para a retirada de dois postes de iluminação pública nas imediações da praça costa pereira como parte do projeto de revitalização do centro de vitória a questão envolveu empresários interessados na recuperação do local onde se ergue o imponente prédio do cine teatro glória que passa por uma reforma geral para transformá-lo em centro de artes esse é um entre vários exemplos de atuação da empresa espírito santo centrais elétricas a escelsa quando se trata de modernizar o sistema de iluminação pública da cidade como empresa privada que ganhou a concessão de energia elétrica a escelsa logicamente tem seu foco principal na geração de lucros desse modo as atividades da empresa se restringem à distribuição de energia elétrica e todo o qualquer serviço prestado ao poder público é cobrado para estar de acordo com seu principal que tem uma de suas vertentes em trabalhar com lucratividade e produtividade crescentes de forma a gerar recursos que lhe permitam criar novas oportunidades de negócio segundo informa o site oficial da empresa a empresa cobra mas não paga sequer o uso do solo onde coloca o poste e outros equipamentos geradores de sua renda criada como empresa estatal a escelsa entrou no processo de desestatização em 1992 tendo ocorrido a sua privatização em julho de 1995 a primeira concessionária estatal a ser desestatizada foi arrematada em leilão na bolsa de valores do rio de janeiro em 1999 a edp eletricidade de portugal s.a adquiriu 73,12 do capital acionário da iven s.a uma das controladoras da escelsa procurada para falar sobre in d o emaranhado de fios elétricos provoca um aspecto sujo em toda a cidade vestimentos realizados no espírito santo a empresa informou através de sua assessoria de imprensa que seus diretores estavam impossibilitados de prestar qualquer informação a empresa deixou de responder a questões relacionadas com suas atividades no espírito santo entre elas as seguintes que o tipo de tecnologia é utilizado pela empresa e em que nível se esquadra se comparada com outros sistemas de iluminação mais modernos qual a possibilidade de ocorrer a retirada da iluminação aérea e sua substituição para um sistema subterrâneo que tipo de trabalho a escelsa desenvolve visando modernizar a rede pública da grande vitória e quais as dificuldades encontradas para que se faça a modernização do sistema contribuindo com a redução da poluição visual arquivo je lucro líquido de mais de r 500 milhões em 2010 o lucro líquido da edp energias do brasil controladora da escelsa em 2010 foi de r 583 milhões segundo balanço divulgado este mês que revela uma receita operacional bruta de r 7,7 bilhões e um ativo total de r 12,8 bilhões a empresa possui 2.7 milhões de clientes atendidos com 23.749 gwh de energia distribuída no país a edp energias do brasil está presente em projetos de geração distribuição e comercialização de energia elétrica no espírito santo mato grosso do sul tocantins ceará santa catarina e rio grande do sul e no segmento de distribuição no espírito santo e em são paulo apesar disso a empresa não consegue realizar a ligação das duas principais entradas de energia elétrica de vitória uma localizada na norte da cidade e a outra em viana o que evitaria transtornos como apagões e outros problemas especialistas afirmam que a empresa possui um perfil técnico avançado mas um relacionamento difícil com os municípios resultante das normas estabelecidas pela agência reguladora de energia elétrica anael que disciplina as ações das concessionárias do setor as normas da aneel são alvo de contestação de vários setores da sociedade brasileira um dos mais ferrenhos críticos é o promotor de justiça paulo josé freire teotônio de são paulo ele afirma que a criação de propaladas agências nada mais foi que uma nova roupagem aliás bem sucedida para manutenção do status quo de privilégios às empresas privadas qualificadas como reguladoras de serviço público deveriam ter o fundamental papel de gestoras dos contratos de concessão devendo no exercício dessa função controlar fiscalizar e sobretudo diligenciar no sentido de que os contratos fossem cumpridos o que não ocorre na prática afirma ele uma das poucas mudanças em décadas foi a retirada dos postes do meio da rua

[close]

p. 9

11 anos meio ambiente a medida requer instalaÇÃo de wind fences na arcelor-mittal vitÓria/es marÇo de 2011 9 ação pública contra poluição a promotoria acusa a empresa de praticar racismo ambiental por utilizar equipamentos de controle de baixa qualidade ministério público do estado do espírito santo mpes por meio da promotoria cível de justiça de vitória impetrou ação civil pública acp em face da arcelor-mittal tubarão e do instituto estadual de meio ambiente e recursos hídricos iema se recusarem a um acordo visando reduzir os índices de poluição atmosféricas a acp foi proposta após diversas tentativas de acordo entre o mpes sociedade civil e empresa para a instalação de wind fences que reduziriam o impacto das atividades da indústria ao meio ambiente e à saúde pública segundo a ação a empresa sujeita a população a uma exposição diária a poluição comprometendo a qualidade de vida dos moradores e a todo meio ambiente na acp o mpes destaca a prática de racismo ambiental pela empresa que utiliza tecnologias inadequadas e inferiores às utilizadas em outros países essa questão foi levantada na edição de dezembro de 2010 do jornal empresários sob o título pouco imposto e muito pó a reportagem denuncia vários problemas causados por esse tipo de poluição e o descaso dos órgãos oficiais o mpes requereu em caráter liminar que seja realizada uma auditoria ambiental nas instalações da siderúrgica onde seria avaliado o comportamento da empresa em relação ao meio ambiente além disso requereu que a arcelor-mittal apresente no prazo de quatro meses um projeto básico com o cronograma para a implementação do sistemas de wind fences e com a imediata execução do projeto conforme o cronograma apresentado também pediu a apresentação de projeto e cronograma de sistema complementar de lavagem e o bruno de menezes da praia de camburi cartão postal de vitória pode-se ver a poluição expelida pelas chaminés instaladas no complexo industrial de tubarão limpeza de gases no prazo de 90 dias visando à redução das emissões para padrões da união européia ambos sob pena de multa diária de r 100 mil e o mpes também pediu a condenação da empresa na obrigação de reparar os danos ao meio ambiente e a pagar indenização a título de danos extrapatrimoniais em valor a ser fixado pelo judiciário a ação requer em caráter liminar que o instituto estadual do meio ambiente e recursos hídricos iema revise as licenças ambientais da empresa sob pena de multa diária de r 10 mil a instalação de um posto avançado do órgão ambiental na área da ponta de tubarão além disso pediu ao judiciário que o iema se abstenha de conceder novos licenciamentos ambientais ou prorrogações dos já existentes enquanto a empresa não apresentar cronograma de instalação de wind fences sob pena de multa diária de r 10 mil o mpes também pediu a condenação do iema à disciplinar normativa para a redução da presença da poeira sedimentável no ar da grande vitória com simetria aos padrões internacionais de poluição atmosférica sob pena de multa diária de rs 10 mil reais os riscos na visão de especialistas relatório do vigiar um projeto desenvolvido pela secretaria de estado da saúde em convênio com o ministério da saúde afirma com relação aos aspectos da poluição do ar o gerenciamento da sua qualidade a secretaria de saúde tem se posicionando na defesa da redução dos níveis de poluição presentes no ar da grande vitória entende que gerenciamento de qualidade do ar tem o caráter de política pública e como tal não pode se reduzir a um monitoramento para verificação de padrões nacionais estabelecidos pela legislação a população se debruça esperançosa em resultados positivos de estudos de especialistas e aguarda medidas drásticas como essa ação pública para coibir os abusos enquanto isso não acontece e apesar do quadro cada vez mais sombrio essas empresas gozam de vantagens tributárias e fiscais sob a justificativa de que geram emprego e renda e contribuem para manter a economia num patamar mais alto o quadro tendo a ficar mais negro considerando a ação dos órgãos ambientais que se apresenta tímida e pele visão de desenvolvimento econômico que supera todas as outras enquanto a medição da seama informa não existir nenhuma ameaça à saúde a conclusão de um estudo do programa de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade do ar vigiar que funciona na secretaria de estado da saúde sesa afirma a poluição do ar mesmo em concentrações abaixo dos limites de qualidade do ar apresenta um efeito adverso na saúde da população idosa e em especial sobre doenças respiratórias e cardiovasculares na cidade de vitória os técnicos do projeto ressaltam que a legislação criada em de 1970 está defasada e precisa ser revista com urgência o parecer técnico número 001/2010 da secretaria de estado da saúde informa os principais efeitos conhecidos da poluição atmosférica na saúde humana são produzidos em curto prazo embora efeitos de médio e longo prazos também estejam sendo estudados no mundo podendo ser divididos em efeitos agudos e crônicos em populações sadias e ainda efeitos agudos em crianças e idosos exacerbação de doenças respiratórias preexistentes doenças cardiovasculares doenças respiratórias não especificadas e mortalidade

[close]

p. 10

10 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos calote grupo sediado em paraÍso fiscal age no espÍrito santo prejuízo do infinity pode superar r$1 bilhão no país o fundo de investimento tem o comando da família do ex-presidente dos eua george w bush produção de etanol no brasil levou o conglomerado econômico angloamericano infinity bioenergy a montar um cenário devastador no país que atinge principalmente produtores rurais de cana de açúcar os mais prejudicados e envolve bancos lideranças políticas e econômicas e deixa em seu rastro um prejuízo de mais de r 1 bilhão só no espírito santo o rombo pode chegar a mais de r 100 milhões e ao banestes o maior credor o grupo deve r 57 milhões a chegada do grupo ao espírito santo ocorreu em 2006 e era vista como grande vetor de desenvolvimento para a região norte do estado divisa com os estados da bahia e minas gerais também prejudicados contando com o prestígio do ex-ministro da agricultura roberto rodrigues e tendo entre seus dirigentes o irmão do ex-presidente norte-americano george bush o ex-governador da califórnia jed bush o grupo foi recebido com tapete vermelho no espírito santo o grupo tem sua sede em um dos mais conhecidos paraísos fiscais as ilhas bermudas no caribe segundo dados do próprio grupo as principais dívidas da companhia são divididas entre financiamento bancários e produtores que fornecem matéria-prima para as quatro usinas do grupo no norte do espírito santo e áreas próximas às divisas com minas gerais e bahia a dívida com o banestes chega a r 57.252.727,78 arquivo/je ambiente fértil para o estrago o executivo sérgio thompson-flores presidente do grupo infinity bio-energy destacou na época da assinatura do contrato em 2007 que encontrou no espírito santo um ambiente fértil para a realização de investimentos aqui encontramos vantagens competitivas e um governo local com seriedade e competência que possibilita a concretização desse empreendimento com responsabilidade social e ambiental afirmou sérgio thompson-flores disse ainda que o grupo vai trabalhar para conquistar novos mercados o crescimento sustentável é o que traz desenvolvimento social progresso e qualidade de vida em função disso é extremamente positivo que o brasil seja fornecedor de álcool para o mundo temos que ter segurança de que este setor irá se desenvolver pois o país vive um momento único no setor de açúcar e álcool poucos dias antes do encontro do presidente do infiny com auoridades do espírito santo o então presidente dos estados unidos george w bush em visita ao brasil assinou um acordo com o governo brasileiro visando o desenvolvimento de parcerias para a produção de biocombustíveis a imprensa nacional divulgou na época que o presidente norte-americano desejava que seu irmão caçula jeb e a interamerican ethanol comission fizessem a ponte entre empresários do setor dos dois países a partir daí entra em cena o ministro da agricultura do brasil roberto rodrigues que comandou a chegada do grupo ao país juntamente com sérgio thompson flores que desfrutava de posição destacada na embaixada brasileira em washington capital dos estados unidos foi todo esse aparato que deve ter seduzido os que hoje sentem o peso do prejuízo segundo afirma um dos prejudicados a as plantação de cana do grupo infinity envolvem produtores rurais do espírito santo mato grosso bahia e minas gerais mencionado em 10 passagens de dívidas do plano de recuperação da infinty desse total sete delas são relacionados a financiamentos bancários tomados pelo grupo a relação formal dos prejuízos do infinity inclui o nome dos produtores rurais da região norte do estado segundo um representante dos produtores rurais de pedro canário que prefere manter seu nome em sigilo a dívida do grupo com cerca de 250 produtores rurais cooperados chega a r 12 milhões referente só à safra do ano passado representantes da empresa prometem o pagamento das dívidas desde o mês de abril do ano passado porém nenhum trabalhador chegou a ser pago houve a expectativa de que com a compra do grupo infinity pelo grupo brasileiro bertin do mato grosso do sul ainda no decorrer de 2010 as dívidas seriam pagas porém o tempo passou e nada aconteceu a consequência do prejuízo do infinity no campo é devastadora a região classificada como uma terra arrasada pelo representante da cooperativa sofre em vários aspectos o desemprego cresceu o comércio não tem movimento e a inadimplência ainda é alta nos locais das usinas o esquema do grupo o calote começou quando o espírito santo despontou para o segmento sucroalcooleiro como alternativa para ampliar a produção de etanol no país escoar açúcar e álcool e desafogar o tráfego em santos em são paulo o maior porto da américa latina o infinity bio-energy fundo criado por investidores americanos e britânicos anunciou investimentos de us 240 milhões na construção de novas duas usinas no estado o fundo comprou a usina alcana de nanuque minas e coopernavi de naviraí mato grosso do sul incorporou o evergreen e assumiu 100 do controle da alcana e 51 da cridasa no estado o infinity levantou empréstimos junto ao banestes que aparecem em aberto nos seguintes valores r$6.123.565,05 r$5.533.587.17 r$5.607.782,78 r$5.560.988,67 r$5.397.958,70 r$13.539.228,61 e r$11.941.094,69 ­ na ordem de aparecimento a diretoria do banestes recusa-se a falar sobre o assunto e através de sua assessoria de imprensa informou que a dívida foi repactuada evitando entrar em detalhes sobre prazos avalistas e outras garantias o dinheiro para o empreendimento coincidentemente foi liberado pelo banestes 10 dias depois de uma reunião do presidente do infinity sérgio thompson flores na residência oficial da praia da costa em vila velha os estragos da descoberta dos calotes deixados pelo grupo infinity bio-energy na região norte do espírito santo são cada vez maiores e enquanto a situação se arrasta entre as assessorias jurídicas de bancos e cooperativas produtores rurais arcam com sucessivos prejuízos dívida e desemprego o que era para ser um novo eldorado transformou-se em pesadelo para centenas de pessoas que vivem hoje com dívidas e desmpregados os produtores rurais do dos municípios de conceição da barra são mateus montanha pedro canário e mucuri contraíram empréstimos para investir na produção da cana e estão endividados com os bancos o desastre está nas ruas os produtores rurais estão descapitalizados e sem ter o que fazer thompson-flores é o presidente do infinity bio-energy

[close]

p. 11

11 anos finanÇas a iniciativa tem o apoio de 19 deputados estaduais vitÓria/es marÇo de 2011 11 projeto dificulta venda do banestes a proposta de emenda constitucional pec está em tramitação e poderá ser aprovada em abril deste ano assembleia legislativa está analisando proposta de emenda constitucional do deputado estadual gilsinho lopes pr apresentada no dia 1º fevereiro restabelecendo os artigos da constituição estadual que garante que o banco do estado do espírito santo banestes permaneça público e o tesouro estadual garanta os depósitos realizados na instituição o deputado propõe ainda que a venda do banestes somente pode acontecer se houver autorização popular através de um plebiscito a proposta de emenda constitucional pec assinada por 19 deputados estaduais atende às reivindicações do comitê de defesa do banestes público e estadual coordenada pelo sindicato dos bancários do espírito santo É uma forma de mostrar para o que viemos que estamos sensíveis aos interesses sociais afirma o autor da proposta que deverá ser votado em plenário no mês de abril o banco e a banestes distribuidora de títulos e valores imobiliários geram 2311 empregos a corretora gera mais 32 e a seguradora 86 se levarmos em consideração os empregos indiretos ou seja prestadores de serviços e a fornecedores seguramente concluíram que a instituição gera mais de 10 mil empregos asse gura o deputado o banestes é o único banco que está presente em todos os municípios do estado e possibilita o acesso ae crédito aos pequenos produtores rurais e locais depois de receber um choque de gestão nas duas últimas administrações o banestes passou a dar lucro como confirma o último balanço que apresenta um superávit de r 167 milhões em 2010 não faz sentido vender uma empresa que está em excelentes condições o lucro do banestes é repartido entre os seus acionistas sendo o maior deles o estado que com isso consegue recursos para investir nos projetos públicos diz o deputado gilsinho lopes não são recentes as notícias sobre a venda do banestes a última veio à tona no início deste mês e dava conta de que o banco do brasil estaria novamente interessado na compra do banco há dois anos a venda do banestes ao bb chegou a ser dada como certa mas depois anunciou-se a desistência porque o comprador não concordava com o valor pedido pelo estado r 1,1 bilhão a venda do banestes envolve negociações na esfera federal a federalização do banco é defendida pelo ministro da fazenda guido mantega principalmente por agregar maiores ativos ao banco do brasil o principal pretendente o banestes está em uma posição financeira considerada excelente possuindo uma carteira de crédito que alcança r 2 bilhões a venda do banestes encontra resistência em vários setores e neste mês o governador renato casagrande reafirmou sua posição mantendo o compromisso firmado com o comitê em defesa do banestes público e estadual quando ainda era candidato no entanto setores governo federal já começam a pressionar para que o banco passe ao controle do banco do brasil há dois anos quando as negociações com o banco do brasil estiveram próximas de serem fechadas o sindicato dos bancários realizou um forte movimento incluindo um plebiscito participaram da consulta popular 45.673 votantes 91,38 dos quais disseram não à venda do banestes para o banco do brasil o resultado foi divulgado em uma audiência pública realizada na assembleia legislativa bruno de menezes o deputado gilsinho lopes é o autor da proposta compromisso de campanha registrado em cartório a venda do banestes é tema frequente em época de eleições no ano passado os candidatos ao governo do estado renato casagrande brice bragato e luiz paulo velozo assinaram documento registrado em cartório comprometendo-se a adotar medidas para impedir a federalização do banestes o termo de compromisso foi aprovado no xiii congresso dos funcionários do sistema financeiro banestes em julho de 2010 o banestes sob o controle acionário do estado é uma das mais importantes ferramentas que o governo precisa para potencializar o desenvolvimento regional com justiça social e distribuição de renda afir ma o documento em outro trecho os candidatos ao governo do estado afirmam que uma eventual venda do banestes trará grandes e sérios prejuízos ao conjunto dos capixabas que ficarão sem uma instituição que interiorize e diversifique o crédito como política estadual de desenvolvimento econômico a declaração dos três candidatos faz referência também aos empregados do banco e ao pagamento de contas do governo sempre através do banestes salvo nos casos previstos em lei o governo do estado de acordo com o termo de compromisso terá 51 das ações do banco.

[close]

p. 12

12 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos aeroporto a reforma indica que o projeto de modernizaÇÃo ainda vai demorar muito puxadinho só sai do papel em três meses o início da obra paliativa sofreu duas paralisações e ganhou um novo prazo arece piada de mau gosto mas é verdade a infraero não consegue uma solução para as obras de ampliação do aeroporto de vitória paralisadas desde 2008 e agora nem mesmo a construção de um puxadinho isto é a ampliação do terminal de passageiros segue um ritmo normal a entrega da obra estava prevista para outubro de 2010 passou para 10 de março deste ano e agora tem uma nova data junho próximo os trabalhos foram paralisados no mês passado porque a empresa contratada pela infraero desistiu de tocar a obra foi necessária uma nova licitação ganha pela empresa eurobravin do espírito santo a infraero infirmou que a ordem de serviço deverá ser expedida ainda em março mas isso não é nada confiável se forem considerados os atrasados e erros registrados nesta obra e principalmente na reforma e ampliação do aeroporto que se arrasta desde 2005 em seu relatório anual divulgado neste mês a infraero afirma que as obras de ampliação do aeroporto foram retomadas no ano passado na realidade não é bem assim o que ocorreu em 2010 foi uma ação do exército brasileiro nas pistas enopátio de manobras de aeronaves p fotos bruno de menezes o puxadinho aguarda as decisões oficiais atrasos provocam muitos protestos as críticas aos repetidos atrasos nas obras do aeroporto partem de todo lado e já contribuíram para colocar até o presidente da república em maus lençóis em julho do ano passado o então presidente lula afirmou eu trabalho com a certeza de que em agosto o exército começa as obras na pista do aeroporto de vitória É um atraso absurdo que aconteceu em vitória como também em goiânia mais uma vez o desejo do presidente da república não foi concretizado entraves burocráticos e de ordem técnica que se arrastam desde 2008 quando as obras de ampliação foram paralisadas estão passando agora por um levantamento topográfico para analisar se o material utilizado é adequado além desse fator existem outros decorrentes de ajustes técnicos no projeto de modernização e ampliação que não levaram em conta recentes obras de construção civil no entorno do aeroporto com destaque para conjuntos habitacionais e um shopping center alvo de denúncia por parte do ministério público federal esses problemas precisam ser superados para que se formalize o distrato com o antigo consórcio de empresas que executava as obras suspensas pelo tribunal de contas da união em 2008 ao serem constatadas várias irregularidades entre elas superfaturamento passageiros amontoados disputam espaço enquanto o puxadinho não sai do papel que deverá estar concluída em agosto próximo o projeto de ampliação no valor de r 400 milhões está paralisado por conta de problemas técnicos e jurídicos detectados pelo tribunal de contas da união e ministério público federal enquanto isso o aeroporto continua a oferecer serviços de baixa qualidade para desespero dos usuários cujo volume cresce a cada dia atualmente o terminal de passageiros opera muito acima dos 560 mil passageiros por ano que é a capacidade estabelecida no ano passad o 2,6 milhões de passageiros utilizaram o aeroporto e em janeiro deste ano passaram por lá 269.388 passageiros muito acima do volume indicado pelos órgãos de aviação civil que é de 46,6 mil passageiros por mês a conclusão da reforma e ampliação do aeroporto de vitória era esperada para dezembro de 2007 data estabelecida pelo então presidente lula em visita ao estado depois disso o término das obras foi transferido por várias vezes até a paralisação final em 2008 de lá para cá a situação só tem piorado como pode ser visto nas obras paliativas do puxadinho que já foram adiadas por duas vezes a área do estacionamento do aeroporto também está saturada

[close]

p. 13

11 anos vitÓria/es marÇo de 2011 13

[close]

p. 14

14 marÇo de 2011 vitÓria/es 11 anos administraÇÃo aÇÕes em vÁrias Áreas constroem a base do futuro vila velha espera o boom empresarial mudanças no plano diretor municipal pdm facilitam a instalação de empresas município de vila velha se prepara para ser o mais novo polo de desenvolvimento do espírito santo deixando para trás a marca de cidade dormitório com a maioria de sua população trabalhando em outra cidade É desse modo que o secretário de desenvolvimento urbano henrique casamata olha para o significativo volume de obras em andamento o que irá possibilitar a instalação de grandes empresas no município e ampliar o volume de profissionais liberais que hoje atuam em outros locais da grande vitória uma das medidas adotadas pela prefeitura foi a adequação do plano diretor do município pdm para permitir a construção de imóveis comerciais que irão possibilitar os meios necessários à instalação de novas empresas o secretário henrique casamata explica vila velha tem hoje apenas 25 mil metros quadrados de salas enquanto vitória conta com 280 mil metros quadrados já conseguimos aprovar mais 81 mil metros quadrados e outros 35 mil metros quadrados estão em vias de aprovação segundo ele isso vai permitir que empresas e profissionais liberais como dentistas advogados e outros que residem no município exerçam sua atividade profissional no município sem a necessidade de se deslocarem para outras cidades da região como acontece atualmente com essa medida vamos acabar com o bruno de menezes polos industriais e melhoria no sistema viário vão dinamizar a economia plano de drenagem prevê o fim dos alagamentos um dos graves problemas de vila velha são os frequentes alagamentos que desafiam as administrações públicas há décadas para o secretário henrique casamata o problema começa a ser atacado de forma definitiva por meio de um plano de drenagem que vai dar o rumo certo à questão o projeto representa peça fundamental para a captação de recursos considerando que se trata de um conjunto de obras que o município não pode realizar isoladamente isso porque vila velha está interligada com outros município da grande vitória que passam por problemas idênticos de alagamento em época de chuvas essas parcerias já existem e algumas estão em andamento como a que garantiu recursos de aproximadamente r 200 milhões para obras no rio marinho cariacica e o canal da costa em vila velha e o canal do congo que fica na região da grande terra vermelha o secretário henrique casamata destaca o bom trânsito do prefeito neucimar fraga nas esferas federais e estaduais o que facilita a captação de recursos para o município todos esses projetos vão colocar vila velha na pauta diz o secretário ao informar que a administração está se movimentando para apresentar o potencial do município principalmente sua vocação para a prestação de serviços na área de logística temos a proximidade do porto e estamos criando condições para que grandes empresas se instalem por aqui pensamos no aqui e agora e também em uma cidade para nossos filhos nossos netos olhando para o futuro afirma hen rique casamata henrique casamata é secretário de desenvolvimento urbano de vila velha a herança de cidade dormitório afirma casamata ele destaca o excelente relacionamento do prefeito neucimar fraga com os governos federal e estadual o bom trânsito do prefeito garante a construção de um novo perfil do município principalmente por grandes projetos comerciais e industriais facilitados pelas obras no sistema viário cujos resultados já começam a ser sentidos em toda a região da grande vitória a parceria com os governos federal e estadual permite as obras do canal bigosssi implantação de um polo industrial na divisa com guarapari mesmo local para onde está projetado um terminal de carga aéreo além disso a ampliação da rodovia darly santos a construção da lesteoeste e sua ligação com a br-101 a alça da terceira ponte entre outras destacando-se ainda a implantação de projetos habitacionais e comerciais na região de vale encantado principalmente o orange park o loteamento orange park aprovado pelo condur em 2010 é um dos mais importantes do município possui uma área de oito milhões de metros quadrados na região oeste da cidade que é cortada pela rodovia leste-oeste ali será construído um terminal logístico com armazéns e galpões para viabilizar o desenvolvimento portuário e servirá para a implantação de equipamentos urbanos como hospital unidade de saúde escolas de ensino médio e profissionalizante delegacia de polícia centro poliesportivo corpo de bombeiros alfândega câmara de vereadores e a nova sede da prefeitura algumas ações aprovação da lei nº 4.996/2010 que adapta a lei 4.575/2007 ­ incentivando a atração de novos empreendimentos para o município aumentado a geração de emprego e renda com consequente crescimento econômico construção do corredor rodoviário leste-oeste rodovia que liga cariacica à rodovia darly santos em vila velha criação de sete polos industriais e um polo logístico em 18 milhões de metros quadrados ligados à indústria de transformação.

[close]

p. 15

11 anos plano de saÚde a maior cooperativa do setor elege nova diretoria vitÓria/es marÇo de 2011 15 oposição sem vez na unimed a chapa liderada pelo presidente eleito obteve quase a metade do total de votos derrotando as duas concorrentes o médico obstetra márcio de oliveira almeida é o novo presidente da unimed vitória liderando a chapa evoluir ele obteve 917 dos 1.873 votos de cooperados além do novo presidente a administração da cooperativa contará com márcio de oliveira almeida quer fortalecer o cooperativismo marcus vinícius azevedo tanure diretor econômico-financeiro luiz carlos paier diretor de mercado mário tironi junior diretor administrativo e remegildo gava milanez diretor de provimento de saúde a posse festiva da nova diretoria ocorreu na noite de 23 deste mês no centro de convenções de vitória em santa lúcia o evento foi prestigiado por representantes de empresas contratantes médicos cooperados autoridades e lideranças nacionais da unimed após a solenidade houve o show assunta brasil com o comediante saulo laranjeira a decisão da categoria foi tomada pelos cooperados por meio de votação secreta durante assembleia geral ordinária ago realizada no dia 1º de março no centro de convenções de vitória a apuração dos votos aconteceu imediatamente após o fim da assembleia seguida da posse dos eleitos conforme disposto nos artigos 68 a 72 do estatuto social da cooperativa agradecemos a confiança depositada em nossas propostas seremos os dirigentes dos mais de 2,2 mil cooperados da unimed vitória pois ela pertence a todos nós por isso contamos com a participação de colegas de outras chapas no trabalho de continuar a construir uma cooperativa ainda mais forte sólida e que possa crescer de forma sustentável sempre visando aos melhores resultados para os cooperados sem perder o foco na excelência do atendimento aos nossos clientes ressaltou o novo presidente o presidente eleito pretende elevar a remuneração mensal dos médicos cooperados que hoje gira em torno de r 7 mil para r 8,5 mil em média sem aumentar a mensalidade dos clientes também pretendo aumentar o ganho de nossos prestadores de serviços com o forma de fortalecimento da estrutura da cooperativa disse a construção de um novo hospital está nos planos do presidente eleito bem como desenvolver ações para ampliar o nível de satisfação dos clientes que atualmente está em 75 queremos chegar a 85 de satisfação dos clientes e por isso o crescimento não pode ser feito de qualquer maneira afirma márcio almeida além da diretoria também foram conhecidos os novos membros do conselho vogal e técnico para o quadriênio de 2011-2015 e o conselho fiscal cuja renovação é anual confira quais são os cooperados que fazem parte de cada conselho da unimed vitória corpo consultivo conselho vogal alexandre augusto ruschi filho carlos urbano gonçalves ferreira fernando ronchi jesse rangel tabachi sebastião leonardo da silveira valentim sipolatti conselho tÉcnico anderson de nadai edgar de barros nascimento elvídio dos santos gustavo antônio reis lopes picallo josé aid soares sad luciana galvêas de miranda maria zulete dadalto conselho fiscal ana maria ramos carlos magno pretti dalapicola giancarlo laghi junior luiz fernando soares de barros ronald ribeiro figueira rossini cipriano gama júnior;

[close]

Comments

no comments yet