Revista Mineração & Sustentabilidade - Edição 05

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

revistamineracao.com.br julho agosto de 2012 edição 05 ano 1 entrevista cleide pedrosa futuro da mineração em debate cidades minerárias araxá um celeiro de riquezas estratégicas para a mineração cbmina diretora do igam tecnologia pesquisadores projetam mineração em asteroides para 2014 sustentabilidade vale inaugura usina extratora de palma

[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4

clique marcello casal agência brasil luz no fim do túnel a rio+20 maior conferência sobre desenvolvimento sustentável já promovida pela onu dividiu opiniões há aqueles que a consideraram um fiasco pois não foram firmados acordos objetivos nem estabelecidas metas porém para muitos o documento final expressou o possível ante a diversidade de países e atores envolvidos o indígena da foto que participava do evento paralelo cúpula dos povos deve estar se perguntando o que será do meu futuro expediente diretor geral wilian leles diretor@revistamineracao.com.br diretor de relações institucionais francisco stehling neto francisco@revistamineracao.com.br editor geral thobias almeida edicao@revistamineracao.com.br redação bárbara braga eloisa ribeiro jeanette freitas lorena scafutto redacao@revistamineracao.com.br projeto gráfico fox publicidade editoração e design leopoldo vieira distribuição e assinaturas joana damasceno atendimento@revistamineracao.com.br impressão gráfica del rey tiragem 8 mil exemplares circulação esta publicação é dirigida ao setor minerário siderúrgico e ambiental além de governos fornecedores entidades de classe consultorias instituições acadêmicas e assinantes anúncios 3544 0040 editora@revistamineracao.com.br foto da capa 7º congresso brasileiro de mina a céu aberto e mina subterrânea · evandro fiuza on-line www.revistamineracao.com.br revista@revistamineracao.com.br conselho editorial eduardo costa jornalista rádio itatiaia rede record josé mendo mizael de souza engenheiro de minas e metalurgista j mendo consultoria marcelo mendo de souza advogado mendo de souza advogados associados 55 31 rua guaicuí 82 brasiléia betim mg 32.600.456 55 31 3544 0040 3544 0045 não são de responsabilidade da revista os artigos de opinião e conteúdos de informes publicitários 4 revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 @revmineracao

[close]

p. 5

revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 5

[close]

p. 6

sumário www.revistamineracao.com.br julho agosto de 2012 edição 05 ano 1 26 cbmina congresso discute avanços tecnológicos investimentos e práticas sustentáveis 42 cidades minerárias araxá encanta pelos pontos turísticos e é rica em minerais estratégicos 20 construções sustentáveis o brasil se destaca no ranking mundial de empreendimentos verdes 12 entrevista com cleide pedrosa diretora do igam fala sobre os 15 anos do órgão e a situação das águas de minas 22 38 energia verde mineração espacial pesquisadores planejam para 2014 a exploração de asteroides primeira usina extratora de óleo de palma é inaugurada no pará pela vale e grupo msp seções 7 editorial 9 painel 10 panorama 12 entrevista 16 sustentabilidade 6 52 24 26 34 36 42 série especial evento opinião tecnologia cidades minerárias 46 49 50 54 58 memória opinião produto final mercado agenda terras-raras além da china minas gerais é o único produtor no mundo dos elementos 24 brics série especial retrata a relação entre os cinco países emergentes e a mineração revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012

[close]

p. 7

editorial uma edição recheada de informações lançada em outubro do ano passado com oito mil exemplares de tiragem e criteriosamente distribuída a leitores que têm a ver com o seu nome mineração sustentabilidade atinge sua quinta edição totalmente consolidada editorial e empresarialmente neste número a revista amplia sua pauta e traz uma gama altamente variada de informações sobre os vários segmentos do setor como a entrevista nas páginas verdes da presidente do igam cleide pedrosa que fala das dificuldades na preservação das águas de minas mas vê o futuro de forma otimista com base na conscientização de pessoas e empresas cada vez mais convencidas de que o caminho a ser seguido é o da sustentabilidade tratégicos e também por suas fontes termais e uma história rica em que a personagem de destaque é a lendária dona beja ou será beija em outra série que se inicia começamos a mostrar os brics brasil rússia Índia china e África do sul os cinco países emergentes que estão ajudando a minimizar os efeitos da crise econômica mundial e que coincidentemente têm na produção mineral um dos esteios mais fortes de suas economias numa visão bem futurista pesquisadores americanos dão os primeiros passos para o que será a exploração de recursos minerais no espaço exatamente em asteroides conforme apresenta a matéria sobre esta nova tecnologia inclusive com uma empresa já criada nos estados unidos ainda sobre tecnologia a revista dá notícia da aplicação ainda cercada de sigilos do comando remoto de máquinas pela vale em uma de suas unidades de minas gerais a mineradora comandará a quilômetros de distância caminhões carregadeiras e perfuratrizes em seus artigos o engenheiro josé mendo mizael de souza entre outras observações destaca como a exploração do gás xisto impulsiona a economia americana e deixa o país numa situação menos vulnerável em relação ao oriente médio região cada vez mais suscetível a sismos políticos francisco stehling neto diretor de relações institucionais com mais de 45 anos de experiência no jornalismo atuou nas sucursais mineiras dos jornais folha de s paulo e o globo além de 17 anos na editoria política do estado de minas foi também secretário de comunicação da prefeitura de belo horizonte e superintendente de comunicação empresarial da cemig mineração sustentabilidade atinge sua quinta edição totalmente consolidada editorial e empresarialmente desta vez dentro da série de municípios minerários a abordagem foi sobre araxá privilegiado por um subsolo rico em nióbio e terras-raras minerais es se a rio 20 causou decepção em muitos setores que esperavam resultados mais concretos e compromissos e metas claras por parte dos países que mais poluem e detêm as maiores economias o setor da mineração viu muitos avanços principalmente a certeza de que a atividade caminha a passos largos rumo à sustentabilidade como mostra a reportagem do enviado especial o editor-geral da revista thobias almeida na capa desta edição o destaque é para o 7º congresso brasileiro de mina a céu aberto e congresso brasileiro de mina subterrânea promovido pelo ibram cujo presidente fernando coura apontou como compromisso da entidade a promoção da mineração sustentável com ações de responsabilidade social e ambiental aliadas ao desenvolvimento econômico revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 7

[close]

p. 8

8 revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012

[close]

p. 9

painel mineral technology days feira de tecnologias para mineração recebe empresários brasileiros wirtgen group um grupo de 34 empresários brasileiros do setor de mineração seguirá para a alemanha para visitar a wirtgen group mineral technology days ­ rhine in flames evento que ocorrerá entre 9 e 17 de setembro em windhagen onde fica a fábrica da wirtgen promotora da feira o evento trará demonstrações ao vivo de equipamentos de tecnologia de ponta com foco nas mineradoras de superfície e britadores além disso haverá a oportunidade para intercâmbio de ideias entre agentes de peso do setor minerário os participantes que viajam a convite da ciber equipamentos rodoviários conhecerão por dentro as fábricas da wirtgen e kleemann o grupo terá ainda a oportunidade de assistir ao famoso festival de queima de fogos no rio rhine o rhine in flames revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 9

[close]

p. 10

panorama expedição niterói/são thomé das letras sÃo thomé das letras a cidade localizada na serra da mantiqueira está a 337 km de belo horizonte prazo para reparaÇÃo de danos o ministério público estadual de minas gerais estipulou um prazo de 90 dias para que a mineradora carlos cardoso que funcionava na entrada de são thomé das letras no sul do estado apresente um plano de recuperação de Área degradada prad referente a uma mina de extração de quartzito abandonada no centro da cidade de acordo com a promotoria a área oferece riscos ao meio ambiente e também aos moradores o município está proibido de conceder qualquer licença para o exercício de atividade mineradora dentro do perímetro urbano o descumprimento pode gerar multa de r 10 mil ao infrator a região chegou a exportar cerca de r 40 milhões em 2006 e gera cerca de dois mil empregos diretos e indiretos ligados à extração mineral a atividade corresponde ainda por 75 da economia de são thomé das letras combustÍvel feito com algas o estado de pernambuco no nordeste deve receber a partir do último trimestre de 2013 a primeira planta industrial de biocombustível produzido com algas marinhas que promete contribuir na redução das emissões de co2 o projeto é fruto da parceria entre o grupo brasileiro jb produtor de etanol no nordeste e a empresa see algae technology sat da Áustria serão investidos r 19,8 milhões em vitória de santo antão a 53 quilômetros de recife para a construção de uma fazenda vertical de algas geneticamente modificadas e que vão crescer com a ajuda do sol e da absorção de dióxido de carbono segundo a empresa é a primeira vez no mundo que este tipo de combustível será fabricado e comercializado atualmente a tecnologia só é desenvolvida para fins científicos anglo american investe em carvÃo no moÇambique a anglo american acaba de adquirir por 460 milhões de euros o equivalente a 58,9 do projeto revuboé em tete na região central de moçambique as jazidas guardam 1,4 bilhão de toneladas de carvão térmico o grupo talbot era o acionista majoritário do projeto revuboé que resulta de uma parceria entre a japonesa nippon steel corporation que detém 33,3 das ações do depósito e a siderúrgica sul-coreana posco com 7,8 10 revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012

[close]

p. 11

de olho na mineraÇÃo submarina países empresas e empreendedores correm para reivindicar direitos sobre as reservas minerais oceânicas como depósitos ricos em ouro prata e cobre motivados pela diminuição dos recursos encontrados em terra além dos preços recordes do ouro e outros metais os prospectores estão de olho em jazidas avaliadas em trilhões de dólares a china o japão e a coreia do sul fazem trabalhos de prospecção nos oceanos atlântico Índico e pacífico e empresas privadas como a odyssey já reivindicaram o direito de exploração de centenas de áreas nas zonas vulcânicas que cercam fiji tonga vanuatu a nova zelândia as ilhas salomão e papua-nova guiné recorde de produÇÃo a vale bateu recorde de produção de minério de ferro no segundo trimestre de 2012 80,542 milhões de tonelada com o resultado a companhia conseguiu recuperar perdas registradas no início do ano por conta das fortes chuvas que castigaram o país frente ao primeiro trimestre a produção cresceu 15,1 se comparada ao mesmo período de 2011 a expansão é mais modesta de 0,4 votorantim confirma contrataÇÃo de tito martins em 24 de julho o grupo votorantim confirmou a contratação de tito martins ex-diretor financeiro da vale para o cargo de diretor-superintendente da votorantim metais martins iniciará suas atividades em agosto em um programa de transição com joão bosco silva atual ocupante do cargo o executivo assumirá o posto de fato em outubro tito estava desde 1985 na vale e chegou a comandar as operações no canadá o executivo assumiu o cargo de diretor financeiro em novembro do ano passado após reestruturação da direção da mineradora promovida pelo presidente murilo ferreira luciano siani assume o posto de martins acervo vale divulgação vale acelera projeto de potÁssio na argentina com planos de investir us 15 bilhões em fertilizantes até 2020 a vale mantém como prioridade o desenvolvimento do projeto de potássio rio colorado na argentina que passou por uma reavaliação este ano de acordo com o diretor executivo de fertilizantes e carvão da mineradora roger downey a empresa tem recebido apoio do governo argentino no empreendimento orçado em us 5,9 bilhões o início das operações está previsto para 2014 com produção de 2,4 milhões de toneladas a planta terá capacidade de produzir 4,3 milhões de toneladas em 2021 downey afirma que 20 das obras de engenharia do projeto foram concluídas revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 11

[close]

p. 12

entrevista cleide pedrosa há cinco anos no comando do igam cleide pedrosa fala sobre o papel do instituto na gestão da água em minas e o que ainda precisa ser feito para que o bem fique a salvo Água guardiã da 12 revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 w tourinho

[close]

p. 13

em 17 de julho o instituto mineiro de gestão de Águas igam completou 15 anos de existência para falar sobre a atuação do órgão no estado mineração sustentabilidade entrevistou a diretora geral cleide izabel pedrosa de melo em pauta a atuação do instituto a parceria cada vez maior com a sociedade civil e os desafios que ainda precisam ser superados o papel do igam é crucial zelar por um bem ameaçado considerado em situação crítica por alguns especialistas a água responsável pelo planejamento e administração de todas as ações voltadas para a preservação do volume e qualidade das águas de minas gerais o instituto também coordena orienta e estimula a criação dos comitês e agências de bacias hidrográficas o modelo seguido é o de descentralização em que as entidades locais participam e gerenciam o desenvolvimento sustentável da região onde atuam urbanista formada em arquitetura pela universidade federal de minas gerais ufmg e pós-graduada em saneamento e meio ambiente pela mesma instituição cleide pedrosa especializou-se em gestão ambiental e eficiência energética ela dirige o igam desde abril de 2007 mineração sustentabilidade minas gerais é um estado consagrado pelas várias riquezas minerais e a água é um desses bens qual a importância do igam para a gestão desse bem cleide pedrosa o igam tem como missão monitorar a qualidade e a quantidade das águas no estado dentre as diversas atividades o instituto é responsável pela elaboração dos planos de bacia cadastros de usuários sistema de utilização em recursos hídricos fiscalização monitoramento e enquadramento da utilização dos recursos estabelecendo em que classe os rios podem se enquadrar monitoramento dos lançamentos de efluentes nos cursos d água ampliação de redes de esgoto acompanhamento das atividades agrárias movimentos de solos agrotóxicos agroquímicos tudo isso é acompanhado para chegar ao nível de rio que queremos m&s qual a importância dos comitês de bacias para a gestão das águas de minas gerais cp os comitês são de fundamental importância para o igam são nossos principais aliados nos trabalhos de gestão das águas os comitês representam os fóruns de discussão o parlamento das águas m&s em 2012 o instituto comemora 15 anos de existência destaque al guns avanços obtidos no período cp um grande exemplo é o rio das velhas projeto 2014 onde governos e municípios uniram-se e traçaram metas para a recuperação das águas na região a fiscalização no velhas tem cumprido seu objetivo de melhorar a qualidade das águas tanto que em várias regiões onde antes não existiam peixes hoje são encontradas várias espécies isso é um indicador positivo o aumento do oxigênio nas águas indica uma melhora significativa na qualidade na região metropolitana a maioria dos rios está na classe 3 em que a água é destinada a usos menos nobres como indústria irrigação de árvores e navegação o consumo humano só é possível por meio de tratamento e a poluição impede a recreação nos locais quanto mais poluído for o rio pior é a sua classificação nosso objetivo é que grande parte dos rios cheguem à classe 2 que permitem nadar pescar navegar e captar água após tratamento m&s quais as maiores dificuldades enfrentadas pelo órgão cp nosso maior desafio é o tratamento de esgoto acompanhamos os trabalhos realizados pela copasa e a expansão das redes de esgoto mas nossa maior dificuldade é mapear os lançamentos clandestinos nos rios as habi tações construídas irregularmente às margens dos cursos d água são grandes vilões precisamos unir os governos federal estadual e municipal para que possamos vencer esse desafio que é imenso temos esse problema por exemplo em betim as estações de tratamento estão prontas mas até realizarmos todas as captações a fiscalização no rio das velhas tem cumprido seu objetivo tanto que em várias regiões onde antes não existiam peixes hoje são encontradas várias espécies m&s o que tem sido feito para reverter essa situação cp a conscientização vem trazendo bons resultados quanto a isso em locais onde desenvolvemos os projetos já temos resultados positivos a quantidade de oxigênio na água está aumentando revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 13

[close]

p. 14

m&s como é feito o monitoramento da qualidade das águas cp desde 1997 são feitas coletas e analises da qualidade das águas e esses dados são trabalhados pelo igam no mapa de qualidade das Águas É importante destacar que esse trabalho retrata a transparência não maquiamos os resultados sabemos os trechos mais afetados e o que está impactando a coleta é feita semestralmente no rio das velhas é mensal devido ao projeto desenvolvido em parceria com os municípios são elaborados projetos para a criação de aterros e recursos são captados para a expansão do saneamento básico sempre utilizando a conscientização como principal ferramenta ainda temos muito a fazer em todo o estado m&s e como funciona a fiscalização dessa utilização cp a fiscalização é necessária mas a conscientização é mais ainda se o agricultor sabe que a atividade que está desenvolvendo pode matar a nascente e prejudicar seu desempenho ele vai mudar seus hábitos mais que a fiscalização o que importa é a participação dos envolvidos a fiscalização se faz necessária quando existe a degradação ninguém estraga aquilo que sabe que pode fazer falta É importante frisar que mesmo que a água nasça em seu território o produtor não é o seu dono o mineral é para o bem comum e compete ao estado autorizar dar a devida concessão para seu uso m&s a atividade minerária está entre as principais consumidoras de água como é feita a fiscalização do setor muitas mineradoras divulgam processos de reaproveitamento da água a mmx por exemplo na expansão de serra azul anunciou que mais de 90 da água será reutilizada isso realmente acontece cp o processo de licenciamento ambiental para indústrias é mais rigoroso principalmente na mineração que polui as águas com produtos tóxicos desde 1997 a contaminação tem sido decrescente percebemos que de forma geral as mineradoras têm realizado seu dever de casa principalmente na questão do saneamento e hoje se saem melhores que os municípios m&s como conciliar uma atividade como a mineração com a gestão das águas cp a mineração é uma das principais atividades do estado tanto que o mesmo leva o nome de minas gerais dependemos dela para quase tudo mas o cuidado com a água deve ser sempre levado em consideração o uso prioritário é o abastecimento humano e a dessedentação animal em caso de escassez também temos que garantir a água para os usos múltiplos lazer agricultura indústria navegação geração de energia saneamento não podemos priorizar um uso em detrimento dos demais temos de prever a sustentabilidade no uso da água a sustentabilidade funciona em um tripé social econômico e ambiental temos que olhar sempre o âmbito ambiental a mineração é realmente muito impactante mas a sociedade vigia mais isso o maior fiscal é a própria sociedade todo licenciamento ambiental é composto pelo governo pelo setor produtivo e pela sociedade nosso maior desafio é o tratamento de esgoto precisamos unir os governos federal estadual e municipal para que possamos vencer esse desafio que é imenso m&s quem mais usa a água em minas como funciona a cobrança por esse uso cp a agricultura utiliza mais água mas as grandes reservas hídricas estão justamente nas propriedades rurais elas gastam mais mas a produção de água está concentrada aos poucos a cobrança pela utilização dos recursos hídricos está sendo implementada a agricultura paga bem menos que o saneamento e a indústria pois representa uma atividade com menos retorno é menos lucrativa o comitê de bacia é o responsável por decidir o valor a ser pago alguns comitês definem que a agricultura pague 40 vezes menos que as demais atividades 14 revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012

[close]

p. 15

entrevista com cleide pedrosa marcelo andrê rio das velhas projeto 2014 governos e municípios traçaram metas para recuperação das águas na região civil É uma questão de sobrevivência as demandas de água são crescentes se a indústria não se conscientizar não consegue desenvolver sua atividade econômica as empresas não fazem isso apenas por se preocuparem com o meio ambiente É uma estratégia de sobrevivência a água tem valor econômico ecológico e social quanto mais eficiente for o processo de reutilização e o uso consciente melhor será o desempenho do empreendimento o bem está cada vez mais escasso pois as demandas são muito maiores para a mesma quantidade de água que tínhamos antes se o agricultor sabe que a atividade que está desenvolvendo pode matar a nascente e prejudicar seu desempenho ele vai mudar seus hábitos m&s e as águas utilizadas em mineroduto para o transporte da polpa do minério como o igam enxerga essa prática é tecnicamente viável o processo de reaproveitamento cp depende da disponibilidade hídrica na região se não vai afetar os usos múltiplos o pedido de outorga pode ser liberado há de se pensar em outras formas de transporte um uso não pode inviabilizar os demais o mineroduto não pode comprometer outras águas e deve ser analisado caso a caso para a água subterrânea pode ser prejudicial temos que medir a capacidade de águas subterrâneas para ver o quanto podemos utilizar sem que as águas da superfície sejam afetadas temos que conhecer os limites de utilização cada caso é um caso e as licenças são revalidadas a sociedade participa ativamente nas aprovações e decisões desses empreendimentos que geram maiores impactos temos um controle social fundamental m&s no início de 2012 minas gerais virou manchete devido aos estragos causados pelas fortes chuvas o igam possui algum sistema de monitoramento que possa auxiliar as cidades e a defesa civil sobre o comportamento das águas e possibilidades de enchentes cp o estado possui um sistema de meteorologia que emite alertas durante as cheias na bacia do rio doce em parceria com a agência nacional das Águas ana e a companhia de pesquisa de recursos minerais cprm temos também o radar da cemig emitindo alertas e operando 24 horas por dia na re gião metropolitana de belo horizonte na grande bh 324 municípios são cobertos e os relatórios emitidos são de grande precisão percebemos que de forma geral as mineradoras têm realizado seu dever de casa principalmente na questão do saneamento e hoje se saem melhores que os municípios m&s qual a avaliação dos riscos para os próximos anos quais medidas preventivas podem ser tomadas para a próxima temporada de chuva cp no último período das chuvas janeiro de 2012 o radar estava em fase de testes por isso não registrou as cheias nessa época funcionou precariamente mas agora já está rodando 24 horas por dias qualquer evento mais crítico será captado e acionaremos os conselhos municipais de defesa civil comdec s para que se preparem tomem as devidas precauções para se evitar perdas e amenizar os transtornos revista mineração sustentabilidade julho agosto de 2012 15

[close]

Comments

no comments yet