Turismo Paleontológico no Rio Grande do Sul

 

Embed or link this publication

Description

Turismo Paleontológico no Rio Grande do Sul

Popular Pages


p. 1

turismo paleontológico no rio grande do sul por sergio kaminski em 18/09/2011 e-mail sergiokkaminski@gmail.com este estudo teve inicio por que a manual de geoparque da unesco estabelece como critério à existência de uma unidade gestora que junte a pesquisa turismo e ensino de paleontologia unindo instituições publicas e privadas isso cria um mecanismo de sustentabilidade onde o turismo gera receita através de impostos para cobrir os custos das pesquisas e do ensino a primeira observação empírica que podemos fazer é que não existe um grande atrativo turístico na região central do rio grande do sul este fato é bastante incompreensível pois fazem mais de 110 anos que foram descobertos fósseis na região e desde a década de setenta sabe-se que o estauricossauro é o primeiro dinossauro brasileiro e também um dos mais antigos já encontrados no planeta e sem contarmos as enumeras descobertas já realizadas na região após visitarem a região ouvimos turistas reclamar que esperavam ver muito mais sobre o assunto certamente estamos com varias décadas de atraso no turismo paleontológico vemos isso também quando calculamos a quantidade diária de turistas que deveriam visitar a região usando a seguinte equação q quantidade de habitantes do rio grande do sul 10 milhões v expectativa de vida em dias 36570=25550 caso o gaúcho viva 70 anos terá vivido aproximadamente 25 mil dias dividindo 10 milhões por 25 mil teremos 400 isso quer dizer que se cada gaúcho resolvesse visitar a região uma vez na vida teríamos 400 pessoas visitando a região diariamente o que significa aproximadamente dez ônibus cheios por dia são 146 mil pessoas por ano sabemos que aproximadamente 10 mil pessoas visitam a paleorrota por ano o que é 15 vezes menos do que 146 mil se compararmos aos 3 milhões de pessoas que anualmente visitam gramado esses números ficam medíocres podemos definir que o turismo paleontológico no rio grande do sul esta sendo sub aproveitado o principal foco agora esta na criação de um grande atrativo turístico paleontológico e que chame a atenção e atraia os turistas a cidade de santa maria tem papel fundamental neste jogo devido ao seu porte sendo a única cidade com infraestrutura e grande quantidade de hotéis restaurantes shopping outra cidade que tem papel fundamental é porto alegre embora não esteja na região fossilífera é onde estão os centros de pesquisa e vários museus contendo fosseis a grande porto alegre possui 40 da população do estado e é o principal ponto de chegada dos turistas que visitam gramado e canela.

[close]

p. 2

parque temático uma idéia lançada é a criação de um parque temático na cidade de santa maria com varias reproduções de espécies que viveram na região atualmente existem mais de 60 espécies descobertas mas muitas são descobertas parciais e que impossibilitam a reprodução total do animal mas existem entre 20 e 30 espécies que são passiveis de serem reconstituídas atualmente faltam paleoartistas suficiente para reproduzirem estes animais no estado do rs mas há a possibilidade de serem feitos fora do estado o processo de reprodução ainda é muito artesanal também podemos contar com algumas cópias de fósseis que já são realizadas nas nossas universidades tudo isso deve ser incrementado com venda de suvenir revistas livros e vídeos um projeto deste porte custaria milhões e o dinheiro poderia vir ,a fundos perdidos de algum projeto de incentivo a cultura ou da iniciativa privada para um investidor privado aportar tamanha quantidade de recursos financeiros o retorno seria através a cobrança no ingresso e teria que haver uma grande demanda de turistas para justificar o tempo de retorno do investimento hoje sabemos que a demanda é baixa mas com expectativa de crescimento caso haja a criação de um grande atrativo turístico que poderia ser um parque temático uso da estrutura existente outra idéia explorada foi usar a estrutura já existente atualmente onde uma operadora de turismo usando um guia turístico levaria os turistas de ônibus para percorrer todos os nove museus de paleontologia existentes no estado também haveria visitas aos dois principais sítios paleontológicos da paleorrota que são a sanga da alemoa e chiniquá o roteiro começaria em porto alegre com visita aos museus da ufrgs pucrs e jardim botânico seguiria para são leopoldo até o museu da unisinos depois de percorrer a grande porto alegre iria para o interior visitando o museu da cidade de candelária os museus pallotti e eça de santa maria o museu de são pedro do sul e finalmente os museus de mata e o parque paleobotânica no ônibus durante a viagem seriam exibidos vídeos sobre a paleontologia da região e haveria a possibilidade do turista comprar livros e suvenires o principio básico desta idéia é fazer com que a soma das visitas a todos esses lugares dêem ao turista uma idéia de algo grandioso tornando-se um grande atrativo.

[close]

p. 3

foram encontrados alguns problemas neste modelo 1 a falta de um compromisso formal entre os museus e a operadora de turismo a operadora tem o compromisso de prestar o serviço contratado pelo turista mas os museus não têm este compromisso 2 falta de guias de turismo especializados em turismo paleontológico e que residam em porto alegre 3 falta de estacionamento para ônibus turístico um melhor acesso rodoviário e melhor sinalização nos sítios paleontológicos da sanga da alemoa e chiniquá também é bom lembrar que a falta de uma unidade gestora estadual que fomente a resolução destes problemas tem feito com que estes problemas se perpetuem É necessária a criação da unidade gestora estadual dia da paleorrota de todas as idéias avaliadas até o momento o dia da paleorrota tem se mostrado a mais simples e eficiente a idéia básica consiste em incentivar as pessoas a percorrem de automóvel a paleorrota em um determinado final de semana com suas famílias neste final de semana os museus de paleontologia da grande porto alegre e do interior abrem juntamente suas portas o dia da paleorrota ocorre no primeiro final de semana após o dia 18 de maio este dia também é o dia do museu e toda a semana é a semana nacional do museu o aniversário da cidade de santa maria berço de origem da paleorrota ocorre no dia 17 de maio três meses antes os museus devem informar sua intenção de participar do evento então tem inicio um processo de divulgação dos museus participantes também é necessária a divulgação de um guia turístico com informações e endereços dos locais a serem visitado hotéis e restaurantes somente um evento foi realizado até o momento e com pouquíssima divulgação pode levar alguns anos até que este evento entre para o senso comum mas o evento tem potencial para se tornar um grande evento estadual comentários durante todo este processo foram observados alguns problemas:

[close]

p. 4

primeiro os sítios da sanga da alemoa e chiniquá que são de grande importância histórica não tem recebido uma devida atenção embora estes sítios estejam às margens de rodovias bastante movimentadas não possuem um local para estacionarem ônibus e automóveis para que os turistas apreciem o local faltam placas de sinalização e advertência também devia haver um grande painel contando a história desses locais seria uma boa idéia a criação de um museu em situ principalmente na sanga da alemoa segundo falta de uma industria mais eficiente para a produção de cópias de fosseis e reprodução dos animais que aqui viveram É possível observarmos reproduções de dinossauros que foram colocados próximos às rodovias e que não pertenceram a este período ou a esta região isso ocorre devido à falta de uma industria e paleoartistas que reproduzam os animais encontrados na paleorrota ensino de paleontologia a circulação de dinheiro trazida por turistas é o que gera receita que indiretamente gera impostos para cobrir os custos com ensino e pesquisa como o turismo paleontológico esta deficitário não há motivação para que as pessoas estudem e invistam em pesquisa paleontológica pois não acreditam que esta atividade seja economicamente rentável outro fato decorrente disso é que a população local não se esforça para ajudar na preservação dos fosseis pois não vem a sua sobrevivência economicamente ligada aos fosseis quando a erosão expõe um fóssil em um afloramento geralmente leva pouco tempo para que a própria erosão venha a destrui-lo por isso é necessária a visita freqüente de um paleontólogo a todos os afloramentos como a quantidade de afloramentos na paleorrota é muito grande e não há paleontólogos suficientes para realizar esta tarefa certamente muitos fosseis são destruídos pela erosão a falta de investimento em turismo paleontológico tem desmotivado o ensino de paleontológica que por conseqüência contribui para a destruição dos fosseis a difusão do mito o turista irá destruir o fóssil durante a visitação que tem sido feita por pessoas sem experiência tanto da área de turismo como da paleontologia tem contribuído para agravar esta situação conclusões o turismo paleontológico é o único fator que une os mais de trinta municípios da região central com aproximadamente 8 da população do estado e que necessitam do desenvolvimento deste turismo mas como vimos à falta de uma instituição estadual gestora destes recursos tem dificultado o seu avanço unir estes municípios a pesquisa o turismo a educação a iniciativa privada e as instituições públicas é um grande desafio para todos.

[close]

p. 5

agradecimentos gostaria de agradecer a todas as pessoas que compõe o grupo paleorrota por viverem este sonho de um dia tornar a paleontologia do estado em uma industria muito obrigado para todos grupo paleorrota http paleorrota.blogspot.com cadastre seu e-mail e participe do grupo.

[close]

Comments

no comments yet