A Organização do Espaço

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

geografia do brasil bloco 1 a organização do espaço meo ­ método de ensino online

[close]

p. 2



[close]

p. 3

capítulo 1 de que é esta terra quem somos nós capítulo 1 em 22 de abril de 2000 enquanto o governo se empenhava em festejar oficialmente os 500 anos de brasil vários grupos indígenas o movimento dos trabalhadores rurais sem terra mst organizações nãogovernamentais ongs ligadas a questões ambientais de direitos humanos infância e adolescência moradia entre outras prostetavam e questionavam de quem é esta terra quem são os brasileiros quando dizemos que o brasil foi descoberto em 22 de abril de 1500 na verdade estamos evocando a data que marca oficialmente a presença européia em terras brasileiras mas e os povos que viviam no atual território brasileiro antes da chegada dos europeus e seus descendentes essa comemoração foi importante porque promoveu vários debates sobre a história a organização social a estrutura política e econômica e a enorme diversicade dos modos de vida no brasil atual será que a história e o significado de brasil são os mesmos para alguém que mora numa grande metrópole um sertanejo ou um descendente de indígenas que conseguiu manter a sua identidade cultural leias os fragmentos de texto a seguir sobre as comemorações dos 500 anos de brasil o primeiro foi escrito por kaka werá jecupé um descendente dos txucarramãe povo indígena que se deslocou do rio araguaia goiás para o norte de minas gerais no início da década de 1960 e o segundo é parte do discurso feito por matalauê um pataxó povo do sul da bahia o que é Índio kaka werá jecupé o Índio não chamava e não chama a si mesmo de Índio o nome Índio vaio trazido pelos ventos dos mares do século xvi mas o espirito Índio habitava o brasil antes mesmo de o tempo existir e se estendeu pelas américas para mais tarde exprimir muitos nomes difusores da tradição do sol da lua e do sonho segundo historiadores os portugueses de 1500 tinham colonizado alguns lugares da África e da Ásia eles chamavam de colonização o ato de se estabelecer em terras estrangeiras como se fosse deles colocar nessas terras feitorias sistemas de encarregados de aquisição de bens para a corte real portuguesa em lugares considerados importantes geralmente próximos ao litoral e a partir de seus feitores realizavam a exploração e o comércio das riquezas do lugar discurso sobre as comemorações dos 500 anos de brasil matalauê hoje é esse dia que podia ser um dia de alegria para todos nós vocês estão dentro da nossa casa estão dentro daquilo que o coração do nosso povo que é a terra onde vocês estão pisando isso é nossa terra.

[close]

p. 4

onde vocês estão pisando vocês têm que ter respeito porque essa terra pertense a nós quando vocês chegaram aqui essa terra já era nossa o que vocês fizeram com a gente nossos povos têm muita história para contar nossos povos nativos e donos da terra que vivem em harmonia com a natureza tupi xavante tapuia caiapó pataxó e tantos outros séculos depois estudos comprovam a teoria contada pelos anciãos de geração em geração dos povos as verdades sábias que vocês não soberam respeitar e que hoje não querem respeitar são mais de 40 mil anos em que germinaram mais de 999 povos com culturas com línguas diferentes mas apenas em 500 anos esses 999 povos foram reduzidos a menos de 220 mais de 6 milhões de índios foram reduzidos a apenas 350 mil quinhentos anos de sofrimento de massacre de exclusão de preconceito de exploração de extermínio de nosso parentes aculturamento estupro de nossas mulheres devastação de nossas terras de nossas matas que nos tornaram com a invasão hoje querem afirmar a qualquer custo a mentira a mentira do descobrimento cravando em nossa terra uma cruz de metal levando nosso monumento que seria a resistência dos povos indígenas símbolo da nossa resistência e do nosso povo impediram a nossa marcha com um pelotão de choque tiros e bomba de gás com o nosso sangue comemoraram mais uma vez o descobrimento com tudo isso não vão conseguir a nossa resistência cada vez somos mais numerosos já somos quase 6000 organizações indígenas em todo o brasil resultado dessa organização a marcha e a conferência indígena 2000 que reuniu mais de 150 povos teremos resultado a médio e longo prazo a terra para nós é sagrada nela está a memória de nossos ancestrais dizendo que clama por justiça por isso exigimos a demarcação de nossos territórios indígenas o respeito às culturas e às nossas diferenças condições para sustentação educação saúde e punição aos responsáveis pelas agressões aos povos indígenas estamos de luto até quando vocês não se envergonham dessa memória que está na nossa alma e no nosso coração e vamos recontá-la por justiça terra e liberdade capítulo 1 em 22 de abril de 2000 vários grupos indígenas tentaram realizar uma marcha até o local das comemorações oficiais organizadas pelo governo federal mas foram impedidos pela polícia militar.

[close]

p. 5

capítulo 1 a sociedade a natureza e o pensamento geográfico capítulo 2 a geografia estuda o espaço constituído pelas formas naturais e pelas que foram criadas pelo trabalho humano em conjunto com as relações que ocorrem na vida em sociedade o espaço geográfico ou simplesmente espaço é analisado levando em conta os lugares as regiões os territórios e as paisagens as relações sociais econômicas e culturais explicam a sua dinâmica o seu constante processo de transformação ao estudar o espaço porém cada um possui o seu enfoque há geógrafos por exemplo que consideram a geografia uma ciência da natureza há outros ainda que vêem nas relações da sociedade com a natureza o seu objeto de análise organização espacial roberto lobato corrêa como a geografia objetiva o estudo da sociedade ou seja qual é a objetivação da geografia que sem deixar de ser uma ciência social distingue-se da história antropologia economia e sociologia todas elas também são ciências sociais o longo processo de organização e reorganização da sociedade deu-se concomitantemente à transformação da natureza primitiva em campos cidades estradas de ferro minas voçorocas parques nacionais shopping centers etc estas obras do homem são as suas marcas apresentando um determinado padrão de localização que é próprio a cada sociedade organizadas espacialmente constituem o espaço do homem a organização espacial da sociedade ou simplesmente o espaço geográfico a objetivação do estudo da sociedade pela geografia faz-se através de sua organização espacial enquanto as outras ciências sociais concretas estudam-na através de outras objetivações resumindo o objeto da geografia é a sociedade e a geografia viabiliza o seu estudo pela sua organização espacial em outras palavras a geografia representa um modo particular de se estudar a sociedade editora Ática sp 2000 outro elemento de análise muito utilizado pela geografia para interpretar a sociedade e suas relações com a natureza é o território podemos falar em território nacional território indígena território de uma gangue de traficantes de drogas território de ação de um grupo de ajuda humanitária etc em cada um deles há relações de poder de posse ou de domínio e vigoram determinadas regras ou leis essas podem ser institucionais ­ criadas pelo estado ­ ou reconhecidas informalmente pela sociedade ­ não estão escritas mas todos as conhecem o território nacional é controlado por um estado dentro dos limites do território de qualquer país administrado pelo estado vigoram leis próprias e várias outras normas que deixam de ter validade for a dos seus

[close]

p. 6

limites físicos delimitados pelas fronteiras político-administrativas ampliando a escala da nossa abordagem constatamos que há territórios sob a influência de instituições organismos e empresas que extrapolam os limites dos territórios nacionais a organização das nações unidas onu o fundo monetário internacional fmi a organização do tratado do atlântico norte otan a organização mundial de comércio omc o mercosul a união européia por exemplo acabam interferindo direta e indiretamente nas decisões dos governos nacionais ou seja têm ação direta e indireta sobre a gestão dos territórios nacionais o território marcelo josé lopes de souza a palavra território normalmente evoca o território nacional e faz pensar no estado ­ gestor por excelência do território nacional em grandes espaços em sentimentos patrióticos ou mesmo chauvinistas em governo em dominação em defesa do território pátrio em guerras a bem da verdade o território pode ser estendido também à escala nacional e em associação com o estado como grande gestor se bem que na era da globalização um gestor cada vez menos privilegiado no entanto ele não precisa e nem deve ser reduzido a essa escala ou à associação com a figura do estado territórios existem e são construídos e desconstruídos nas mais diversas escalas da mais acanhada p ex uma rua à internacional p ex a área formada pelo conjunto dos territórios dos países membros da organização do tratado do atlântico norte ­ otan territórios são construídos e desconstruídos dentro de escalas temporais as mais diferentes séculos décadas anos meses ou dias territórios podem ter um caráter permanente mas também podem ter existência periódica cíclica não obstante essa riqueza de situações não apenas o senso comum mas também a maior parte da literatura científica tradicionalmente restringiu o conceito de território à sua forma mais grandiloquente e carregada de carga ideológica o território nacional bertrand brasil rj 1995 capítulo 1

[close]

p. 7

capítulo 1 petrolina pernambuco em 2001 o lugar embora os lugares sejam percebidos na esfera do cotidiano as relações que se estabelecem em seu interior são cada vez mais influenciadas por ocorrências dos mais variados pontos do planeta assim partindo do lugar podemos ampliar a escala para analisar a organização do espaço da cidade da região do estado do território nacional e mesmo mundial selecionando as ações humanas que quisermos estudar Às vezes só observamos a paisagem e o espaço quando viajamos nesses momentos também percebermos o quanto estamos ligados ao nosso país ao nosso município e principalmente ao nosso lugar turistas em parias frança em 1999

[close]

p. 8

a paisagem quando observamos uma paisagem seja ela de um local cujas condições naturais estão preservadas ou do centro de uma grande cidade podemos assumir uma postura meramente contemplativa considerá-la feia ou bonita tranquila ou agitada a forma como as paisagens se apresentam aos nossos olhos nos permite interpretar heranças do passado tentar entender o presente e propor ações com vistas a melhorar o futuro ao compararmor paisagens de lugares diferentes ­ rios e praias limpos ou poluídos matas preservadas e áreas desmatadas impactos ambientais provocados por diferentes tipos de indústrias e práticas agrícolas etc podemos avaliar e criticar o resultado da ação humana sobre o espaço pois ela está impressa na paisagem paisagem o que é milton santos tudo aquilo que nós vemos o que nossa visão alcança é a paisagem esta pode ser definida como o domínio do visível aquilo que a vista abarca não é formada apenas de volumes mas também de cores movimentos odores sons etc a dimensão da paisagem é a dimensão da percepção o que chega aos sentidos por isso o aparelho cognitivo tem importância crucial nessa apreensão pelo fato de que toda nossa educação formal ou informal é feita de forma seletiva pessoas diferentes apresentam diversas versões do mesmo fato por exemplo coisas que um arquiteto um artista vêem outros não podem ver ou fazem de maneira distinta isso é válido também para profissionais com diferente formação e para o homem comum a percepção é sempre um processo seletivo de apreensão se a realidade á apenas uma cada pessoa a vê de forma diferencidada dessa forma a visão pelo homem das coisas materiais é sempre deformada nossa tarefa é de ultrapassar a paisagem como aspecto para chegar ao seu significado a percepção não é ainda o conhecimento que depende de sua interpretação e será tanto mais válida quanto mais limitarmos o risco de tomar por verdadeiro o que é só aparência a paisagem não se cria de uma vez só mas por acréscimos substituições a lógica pela qual se fez um objeto no passado era a lógica da produção daquele momento uma paisagem é uma escrita sobre a outra é um conjunto de objetos que têm idades diferentes é uma herança de muitos diferentes momentos hucitec sp 1988 capítulo 1

[close]

p. 9

capítulo 1 a divisão regional capítulo 3 existem regiões de vários tipos e tamanhos mas todas são áreas que se destacam em relação ao seu entorno por apresentar uma ou mais características específicas são muitas as acepções com que a palavra é utilizada macrorregiões microrregiões regiões industriais regiões agrícolas regiões metropolitanas regiões polarizadas por uma cidade e muitas outras É interessante notar que algumas se individualizam por um único critério seja ele de ordem econômica canade-açúcar café algodão pecuária tipos de indústria etc ou natural desertos florestas geleiras secas enchentes etc outras mais complexas evoluem vários fatores em sua delimitação É o caso por exemplo das regiões polarizadas por uma cidade média ou grande também chamadas de regiões funcionais em cuja delimitação são considerados vários aspectos como diversas atividades econômicas características da população e da urbanização fluxos de pessoas e capitais entre outros a organização socioeconômica atual de uma região é resultante da forma como ela foi-se estruturando ao longo da história algumas mudaram de função econômica substituição da pecuária pelo cultivo da agricultura voltada para o mercado interno pela de produtos de exportação outras devido ao desmatamento deixaram de ser uma região natural ou ainda foram criadas novas regras industriais turísticas etc ilhéus bahia em 1999 após a segunda guerra mundial sobretudo com o avanço da globalização da economia muitas regiões ampliaram o alcance de suas relações deixaram de ter importância apenas local e se tornaram centros conectados com outras partes do mundo as macrorregiões do ibge no mapa seguinte apresentamos a divisão do território brasileiro em cinco macrorregiões feita pelo instituto brasileiro de geografia e estatística ibge desde sua criação em 1940 essa divisão sofreu várias modificações sendo a última em 1988 com a divisão do estado de goiás e a criação do estado do tocantins incorporado à região norte.

[close]

p. 10

capítulo 1 ibge 2004 editora lago o critério estabelecido pelo ibge foi o de demilitar as regiões respeitando a divisa dos estados isso torna mais didática a divulgação de dados estatísticos sobre população economia geociências e vários outros temas pesquisados por esse instituto veja o exemplo ao lado:

[close]

p. 11

os complexos econômicos regionais no mapa ao lado o brasil está dividido em três grandes complexos econômicos regionais centro-sul em vermelho amazônia em verde e nordeste em amarelo essa divisão do país em regiões criada em 1972 foi remodelada no final dos anos 1990 pelo ibge pois nas últimas décadas ocorreram muitas mudanças na organização do espaço brasileiro o centro-sul é a macrorregião mais dinâmica e sua economia é muito diversificada apresenta a maior concentração de indústrias do país uma rede de cidades mais complexa e interligada a agropecuária mais moderna e a mais densa rede de serviços comunicações e transportes a amazônia tem seus limites estabelecidos pela área original de cobertura da floresta amazônica o que inclui o centro-norte do estado do mato grosso e o oeste do maranhão nas últimas décadas a região vem sendo ocupado de forma desordenada e a floresta sofre impactos ambientais ligados principalmente à expansão das fronteiras agropecuárias à extração de madeira e à mineração os limites da região nordeste são estabelecidos no interior pelo domínio do clima semi-árido que abrange também o norte de minas gerais na zona da mata ela se estende por áreas do território brasileiro das mais exploradas durante o período colonial onde a utilização de mão-de-obras escrava deixou marcas profundas na estrutura social a concentração de terras e o domínio político de elites que se apropiaram do estado ao longo da história do país são os principais fatores responsáveis pelas desigualdades sociais da região capítulo 1 desde a década de 1980 as maiores metrópoles do nordeste salvador recife e fortaleza e algumas outras sub-regiões vêm apresentando elevados índices de crescimento econômico principalmente nos setores da indústria do turismo e da agricultura irrigada nos últimos anos várias áreas do território brasileiro receberam investimentos que melhoraram a infra-estrutura de transportes e comunicações permitindo que áreas economicamente isoladas e estagnadas do nordeste e da amazônia passassem a ganhar dinamismo e prosperidade È o caso do sul de goiás e de parte do mato grosso do sul beneficiados com a construção da hidrovia do tietê-paraná de rondônia e norte do mato grosso favorecidos com a hidrovia do rio madeira do oeste baiano tocantins e parte do maranhão beneficiados com a hodrovia do araguaia-tocantins pela estrada de ferro e pelo projeto carajás das áreas de cultivo irrigado no sertão nordestino principalmente na sub-região de

[close]

p. 12

petrolina da zona franca de manaus etc note no mapa que algumas dessas áreas foram incorporadas ao centro-sul enquanto outras não o que constitui uma limitação desse tipo de regionalização assim à medida que novas áreas do território se integram à economia nacional e mundial os limites dos complexos econômicos regionais portanto não possui limites fixos como o das microrregiões que é demilitada pelas divisas dos estados a divisão em complexos regionais considera os principais aspectos naturais associados à realidade socioeconômica de cada área logo seus contornos são dinâmicos porque acompanham o desenvolvimento das atividades econômicas capítulo 1

[close]

p. 13



[close]

p. 14

meo ­ método de ensino online 2010

[close]

Comments

no comments yet