Chicos 35

 

Embed or link this publication

Description

e-zine literária de Cataguases

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

chicos n 35 julho 2012 e-zine de literatura e ideias de cataguases ­ mg capa dedim de prosa esta é a edição número 35 de 31 de julho de 2012 a e-zine abre com a incrível poesia do português fernando aguiar que se apresentou há algum tempo em cataguases numa de suas fantásticas performance depois de falar na edição anterior do seu livro de estreia alberto bresciani nos mostra sua poesia martín araujo é mais um poeta argentino que o ronaldo cagiano nos trás o baiano de itaobim antônio perin fala-nos de suas angústias apresentamos aos nossos leitores a poesia da afro-escocesa de gabriel franco sobre foto de vicente costa jackie kay ronaldo brito roque nos brinda com um conto de ficção editores emerson teixeira cardoso josé antonio pereira cientifica eltânia andré reaparece aqui com um conto de seu novíssimo livro manhãs adiadas colaboradores desta edição alberto bresciani antônio jaime antônio perin eltânia andré fernando aguiar leonardo campos ronaldo cagiano ronaldo brito roque zeca junqueira antônio jaime transita com muita intimidade pela paulicéia dos anos 60 ronaldo cagiano se faz presente com mais um de seus contos premiados transcrevemos do rusia hoy um artigo interessantíssimo de eugenia seménova sobre o prédio onde viveu o poeta maiakóvski fale conosco em cataletras.chicos@gmail.com visite-nos em http chicoscataletras.blogspot.com da esq para a direita emerson t cardoso milton césar pontes belo horizonte josé antonio pereira idalina de carvalho e fernando aguiar lisboa em cataguases mg foto do acervo idalina de carvalho 1

[close]

p. 3

sumário fernando aguiar visual essays alberto bresciani clínica e outros poemas zeca junqueira trovoada e outro poema martÍn araujo cinco poemas traduzidos por ronaldo cagiano antÔnio perin angústias jackie kay alguns poemas emerson teixeira cardoso prateleiras louças livros e música ronaldo brito roque controle remoto eltÂnia andrÉ a solidão de alzira josÉ antonio pereira a farra do malandro antÔnio jaime mocotó nais peirnas leonardo campos o espelho ronaldo cagiano Á maneira de joão antônio e samuel rawet museu mayakovsky a casa do escândalo está em celebração 03 07 14 15 22 24 30 32 36 42 45 47 48 53 2

[close]

p. 4

considerado pela crítica portuguesa como o representante máximo da poesia performática e visual portuguesa em 1972 começou o seu trabalho de ação e poesia experimental realizou ações exposições mail-art participando em festivais e bienais em mais de 40 países diferentes 3

[close]

p. 5

4

[close]

p. 6

5

[close]

p. 7

fernando aguiar lisboa portugal 6

[close]

p. 8

poeta nascido no rio de em 2011 publicou seu primeiro livro ­ incompleto movimento e revistas tem vários trabalhos publicados na internet jornais janeiro graduou-se em direito em juiz de fora mora em brasília onde é juiz desde 1988 clínica à maneira de eltânia andré i sofremos iguais nus e iguais aqui em bali nepal morremos iguais ignorantes e iguais aqui em manaus cadaval 7

[close]

p. 9

uma flor igual em cada cova funda ou rasa ii o relógio desperta abrem-se os sinais os filhos de bicicleta só precisamos de um foco na sorte das cartas dos búzios do ar somos a promessa no horóscopo de hoje 8

[close]

p. 10

mudança abrimos mão dos vulcões montanhas degelos no entre o vale erguemos a casa ao murmúrio branco de um rio em silêncio abraçados soubemos 9

[close]

p. 11

sorte o destino não nos pertence nem a deuses runas ou a leitoras de entranhas À luz inutilmente perseguem a nudez a tardia indisciplina dos corpos como agora arriscar as veias onde se apaga o vazio soube de búfalos que trocam o cansaço pela própria morte 10

[close]

p. 12

aniversário cinquenta anos não vieram com sabedoria não os convidei caminhava quando me acharam com eles se abriu imensa folha de papel em branco encobrindo o céu o cristo no monte as horas e eu só não sei 11

[close]

p. 13

perplexidade i o deus que não conheço não morreu está entre fome e fama em meio ao que explode ou afaga flor e moeda terras que escorrem matam crianças cavalos a última ave mas sim está 12

[close]

p. 14

ii depois do grito do riso restam tarefa farpa ou burla atalho algum que me salve iii no encalço da crença meu céu branco estanca alberto bresciani brasília df albertolbresciani@gmail.com 13

[close]

p. 15

trovoada os temporais antigos onde estão temporal presto-agitato temporal cavalgada temporal sinfonia chuva boa chuva limpa temporal assusta-menino do barquinho de papel singrando o riacho do meio-fio trovoada antiga às quatro da tarde água do céu água de mel água cristalina do barquinho de papel quem me sujou assim anuncie um allegro temporal desabe assuste lave a terra e deixe que chova em mim deixe que chova em mim 14

[close]

Comments

no comments yet