Educação ambiental, comunicação e gestão participativa no Parque Nacional do Pau Brasil

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

comunicação educação ambiental e gestão participativa implementação de atividades de educomunicação socioambiental junto ao parque nacional do pau brasil

[close]

p. 2

comunicação educação ambiental e gestão participativa publicação-síntese do projeto de implementação de atividades de educomunicação socioambiental junto ao parque nacional do pau brasil consultoria realizada pela educom verde comunicação e educação ambiental no âmbito do projeto corredores ecológicos coordenação e edição débora menezes equipe técnica maiara ribeiro raquel galvão diagramação sandra paes equipe projeto corredores ecológicos alunos das oficinas de educomunicação do parque nacional do pau brasil jailson santos débora menezes maiara ribeiro priscila gomes ribeiro e eliane nascimento fotos da capa realização o projeto corredores ecológicos é uma parceria entre esta publicação eletrônica é uma obra licenciada com uma licença creative commons ­ atribuiçãouso não comercial ­ obras derivadas proibidas 3.0 brasil informações no site http creativecommons.org É permitida a reprodução desde que comunicada a autora e citadas as fontes informações debieco@uol.com.br ­ www.educomverde.blogspot.com

[close]

p. 3

Índice 1 introdução 2 o parque nacional do pau brasil e seu entorno educomunicação comunicação e educação ambiental em ucs 3 4 relembrando a primeira etapa do projeto 5 segunda etapa praticando comunicação 6 conclusões 7 referências bibliográficas

[close]

p. 4

1 introdução foto débora menezes esta publicação é uma síntese do projeto de implementação de atividades de comunicação socioambiental junto ao conselho gestor do parque nacional do pau brasil porto seguro extremo sul da bahia realizado no período de dezembro de 2011 a maio de 2012 junto ao conselho do parque e às comunidades do entorno trata-se de atividades e ferramentas de comunicação que foram planejadas pelo conselho dentro de uma primeira etapa deste trabalho de consultoria denominada mobilização renovação e capacitação do novo conselho consultivo do parque nacional do pau brasil com ênfase no planejamento de comunicação realizado entre abril e junho de 2011 ao todo a consultoria realizou um trabalho que incluiu desde uma formação básica para o conselho do parque atualizando-os sobre o papel das unidades de conservação ucs gestão participativa e planejamento de comunicação até a realização de oficinas de fotografia e de comunicação comunitária produção de um folheto folder e de ferramentas virtuais blog e página da rede social facebook apesar das quebras nesse caminhar o projeto foi desenhado para ter a duração de um ano mas foi dividido em duas fases com uma paralisação de cinco meses entre uma fase e outra tudo o que foi construído coletivamente à medida do possível reflete o objetivo de uma chamada gestão participativa que se utiliza da educação ­ e da comunicação ­ como instrumentos para dialogar com a população no entorno do parque Área do parque nacional do pau brasil e entorno saiba mais sobre o parque em www.parquenacionaldopaubrasil.blogspot.com conselho existe nesta lei e reúne representantes da administração da uc dos poderes públicos locais e da sociedade civil para permitir que a sociedade em geral exerça o controle social sobre a área os conselheiros ajudam a definir a gestão administrativa da uc com o foco de descentralizar e democratizar decisões que podem afetar tanto esta uc quanto o seu entorno saiba mais em www icmbio.gov.br unidades de conservação ucs são áreas instituídas legalmente pelo poder público com objetivos de conservação e lei específica para garantir estes objetivos a lei 9.985/2000 que institui o sistema nacional de unidades de conservação snuc estas áreas podem ser administradas pelos poderes públicos estadual federal e municipal 7

[close]

p. 5

experiências que envolvem educação ambiental e comunicação são pioneiras no extremo sul da bahia a exemplo do que ocorre junto ao parque nacional marinho de abrolhos em caravelas onde a uc incentiva há alguns anos a produção de jornais e vídeos comunitários a partir da experiência do jornal timoneiro apoiado pelo parque de abrolhos surgiram outras iniciativas apoiadas pelo órgão gestor das ucs federais o instituto chico mendes de conservação da biodiversidade icmbio em prado próximo a caravelas pescadores indígenas e outros comunitários criaram o jornal tanara onde abordam sobre a reserva extrativista marinha do corumbau algumas comunidades no entorno do parque nacional do descobrimento também criaram outro jornal o oiti estas experiências inspiraram o trabalho desta consultoria que buscou junto ao projeto corredores ecológicos o apoio financeiro para a realização de um projeto de comunicação junto ao parque nacional do pau brasil em porto seguro como parte do programa-piloto para a proteção das florestas tropicais do brasil o projeto corredores ecológicos atua na amazônia e na mata atlântica especificamente nos estados da bahia e do espírito santo incentivando e promovendo ações que possam garantir a conservação da diversidade biológica das florestas tropicais do brasil por meio da integração de unidades de conservação públicas e privadas que formam verdadeiros corredores ecológicos investir em comunicação e educação ambiental como será relatado nas próximas páginas pode contribuir para a garantia de preservação das florestas a medida em que envolve as populações que vivem próximas a estas áreas ­ estas nem sempre sabem o porquê da existência de ucs e muitas vezes entram em conflito com o órgão gestor entre outros motivos também por desconhecimento conhecer para preservar pode soar lugar comum mas é um dos elementos que devem fazer parte da gestão de uma unidade de conservação esperamos que esta leitura inspire projetos programas e políticas públicas a investirem cada vez mais no acesso a informação e nas estratégias de diálogo que permitam as comunidades a se sentirem parte desse meio ambiente onde estão inseridas boa leitura débora menezes e maiara ribeiro foto eliana nascimento equipe educom verde comunicação e educação ambiental corredores ecológicos são formados por áreas florestais consideradas prioritárias para a conservação e próximas umas das outras estas áreas incluem ucs e ainda territórios indígenas e áreas particulares saiba mais em www.corredoresecologicos.ba.gov.br 8 9

[close]

p. 6

o parque nacional do pau brasil e seu entorno 2 foto jailson santos foto jailson santos foto jailson santos 10 11

[close]

p. 7

o parque nacional do pau brasil foi criado em 1999 pelo decreto s/n de 20 de abril deste ano e ampliado em 11 de junho de 2010 pelo decreto federal s/n desta data e hoje possui uma área de 18.934 hectares situada no município turístico de porto seguro ba entre os vales do rio do buranhém e o vale do rio dos frades o parque é classificado por lei como uma unidade de conservação de proteção integral trata-se de uma grande reserva de mata atlântica e um dos maiores reservatórios da árvore conhecida como pau-brasil além de proteger nascentes de rios importantes da região garantir a proteção dessa área incluindo outras ucs próximas como os parques nacionais de monte pascoal e descobrimento é uma das estratégias de preservação da mata atlântica que restou no extremo sul da bahia que passou nas décadas de 1970 e 1980 por períodos de intensa exploração madeireira em estudos realizados dentro da área foram encontradas 633 espécies de plantas sendo 71 existentas apenas na mata atlântica 5 raras e 19 ameaçadas de extinção quanto à fauna foram registrados um total de 346 animais diferentes em levantamentos recentes puderam ser detectados 202 espécies de aves 53 de mamíferos 20 de répteis 51 de anfíbios e 20 de peixes na lista o parque protege diversas espécies ameaçadas de extinção como o papagaio-chauá e a onça-parda na área também já foram feitos registros visuais do gavião -real conhecida também como harpia uma das maiores aves brasileiras embora tenha potencial o parque ainda não é aberto ao turismo não há trilhas abertas por enquanto e há apenas acessos internos para fiscalização para a abertura ao turismo é necessário a finalização do plano de manejo ainda em andamento o snuc define unidade de conservação de proteção integral como aquela que tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico não se pode usar diretamente os recursos naturais da área as comunidades no entorno e sua relação com o parque no entorno direto do parque 10 km existem grandes e médias propriedades rurais assentamentos áreas de plantio de eucalipto e ainda as comunidades de vera cruz vale verde projeto vale verde bom jesus nossa senhora de aparecida coqueiro alto e sapirara trata-se de um universo variado existem desde as localidades menores na zona rural como nossa senhora de aparecida 120 habitantes até distritos maiores e urbanizados como vera cruz com aproximadamente 16 mil pessoas próximo a algumas destas comunidades estão os distritos de arraial d´ajuda e trancoso e ainda a aldeia indígena pataxó de aldeia velha cuja área faz limite com algumas propriedades no entorno do parque as atividades exercidas pelas comunidades do entorno variam há desde produtores rurais de pequeno a médio porte e muitos dependem de atividades turísticas no município para garantirem empregos fixos ou temporários algumas das propriedades rurais querem implantar ou já realizam o chamado turismo rural com passeios a cavalo visitas a plantações e trilhas entre outras atividades É grande a expectativa das comunidades do entorno sobre a abertura do parque para o turismo ao mesmo tempo existem pressões diretamente ligadas a presença dessas comunidades e empreendimentos no entorno do parque pressão imobiliária crescimento populacional queimadas caça roubo de madeiras e perda de ambientes naturais em função de atividades atividades agrosilviopastoris são alguns dos desafios que o parque enfrenta foto eliana nascimento o quadrado praça central de vale verde plano de manejo é uma ferramenta de planejamento de uma unidade de conservação para construir este plano são feitos levantamentos sobre a fauna a flora e o solo da uc e ainda sobre a economia e questões sociais e culturais das comunidades dentro da uc e do entorno a partir destas informações a uc e seu entorno são divididas em zonas ­ um processo chamado zoneamento ­ e são definidas as atividades que podem ser realizadas dentro desta área fonte publicação visão geral do parque nacional do pau brasil ­ biodiversitas 12 13

[close]

p. 8

educomunicação comunicação e educação ambiental em ucs 3 foto débora menezes foto débora menezes foto débora menezes 14 15

[close]

p. 9

do latim comunicare comunicação significa tornar comum partilhar assim há que pensar estratégias dentro da gestão participativa de unidades de conservação para que se permita entender comunicação não como ferramenta ou estratégia de divulgação e de convencimento dos atores que influenciam a gestão É antes de tudo instrumento necessário para o fortalecimento das relações da representatividade e de mobilização social neste sentido comunicação é muito mais do que organizar contatos com a mídia ou ainda convocar representantes para reuniões de conselho É preciso um intercâmbio de informações constante que permita a comunidade a entender e a dialogar melhor com esta uc e vice-versa por meio de ações que permitam esse fluxo um dos diagnósticos realizados com comunidades no entorno do parque nacional do pau brasil fundaÇÃo biodiversitas 2009 para o plano de manejo aponta que a falta de diálogo e de informação entre o parque e as comunidades pode ser relacionada como a principal fonte de impacto para a unidade de conservação e que a falta de informação das comunidades gera muitas confusões referentes às instituições públicas tanto federais como estaduais em especial sobre o funcionamento e papel das mesmas tudo isso tem a ver com a comunicação sendo a educação entendida teoricamente como uma prática social cujo fim é o aprimoramento humano naquilo que pode ser aprendido e recriado a partir dos diferentes saberes existentes em uma cultura de acordo com as necessidades e exigências de uma sociedade loureiro azaziel franca 2003 podese se considerar que a conexão entre educação e comunicação colaboraram para qualificar a participação social com ações de formação e capacitação com processos de troca de infor mações entre o órgão gestor e as comunidades e instituições relacionadas a unidade de conservação nessa perspectiva a comunicação junto a ucs pode assumir uma vocação verdadeiramente educativa e participativa onde a troca de saberes pode auxiliar inclusive num ponto chave na gestão de unidades de conservação que são os conflitos entre as comunidades do entorno e a área em questão a falta de informações ou a não disposição das mesmas da forma com que as comunidades precisam contribui para sufocar o diálogo e gerar conflitos entre comunidades e a unidade de conservação reduzindo assim sua participação no controle social sem conhecimento por exemplo sobre o papel das instituições socioambientais presentes em uma região indivíduos e coletivos ficam de mãos atadas sobre como agir e são excluídos das tomadas de decisão que influenciam a forma como são usados os recursos naturais entre outros a educação ambiental com foco em ucs contribui para qualificar a participação social com ações de formação e capacitação com processos de troca de informações entre o órgão gestor e as comunidades e instituições relacionadas a unidade de conservação encea o instituto chico mendes de conservação da biodiversidade icmbio lançou em 2011 a estratégia nacional de comunicação e educação ambiental encea no âmbito do sistema nacional de unidades de conservação snuc este documento aponta princípios diretrizes objetivos e propostas de ações necessárias a execução de políticas públicas programas e atividades de educação ambiental e comunicação voltadas ao re conhecimento valorização criação implementação gestão e defesa das unidades de conservação por todos 16 17

[close]

p. 10

e para todos a encea está prevista dentro do plano estratégico nacional de Áreas protegidas pnap que indica como um de seus objetivos o fortalecimento da comunicação da educação e da sensibilização pública para a participação e controle social sobre o snuc lei que regulamenta a gestão das ucs no brasil de acordo com a encea para garantir a participação e o controle social nos processos de criação implantação e gestão de ucs é preciso entre outros incentivar e fortalecer programas e projetos de educação ambiental e comunicação e incentivar a apropriação dos meios de comunicação e produção de informação pelas comunidades e instituições envolvidas e afetadas na criação implementação e gestão de ucs esses princípios são o resumo norteador de como é possível ter uma interface entre comunicação e educação ambiental que contribua para os desafios de uma educação positivamente transformadora e ainda uma gestão realmente participativa a encea traz cinco grandes diretrizes para orientar as ucs e instituições ligadas a gestão ongs e outros atores sociais são elas 1 fortalecimento da ação governamental na formulação e execução de ações de comunicação e educação ambiental no âmbito do snuc 2 consolidação das formas de participação social nos processos de criação implementação e gestão de ucs 3 estímulo à inserção das ucs como temática no ensino formal 4 inserção das ucs como temática nos processos educativos não-formais 5 qualificação e ampliação da abordagem da mídia com relação às ucs e estímulo à práticas de comunicação participativa com foco educativo na gestão ambiental muitas destas diretrizes já são trabalhadas em projetos junto a ucs a apa mantiqueira que se espalha pelos estados de sp rj e mg por exemplo é uma das pioneiras a desenvolver ações que unem comunicação educação e gestão por meio do projeto fortalecimento da gestão participativa da apa serra da mantiqueira aprovado pelo fundo nacional de meio ambiente fnma em 2003 este projeto teve três linhas de ações ­ a realização de oficinas de capacitação para conselheiros a caracterização socioambiental participativa da apa e o desenvolvimento de estratégias de comunicação e difusão de informações sobre a apa e seu conselho entre outros produtos elaborados a partir do olhar de vários participantes deste projeto incluindo conselheiros foi construída até uma cartilha com informações sobre a apa educomunicação a estratégia de ferramentas de comunicação construídas a partir de pessoas comuns e não profissionais da área vem se materializando e se institucionalizando por meio de projetos e exemplos concretos também nas comunidades do entorno de ucs o campo de estudos e de práticas metodológicas denominado educomunicação trata de um olhar onde a a comunicação exerce um papel diferenciado nos processos educativos a encea exemplifica a educomunicação que pressupõe formação de pessoas para utilizarem a comunicação como ferramenta de intervenção da realidade em que vivem produzindo seus próprios canais de comunicação de forma coletiva 2011 neste contexto os participantes de oficinas e outros processos de for saiba mais sobre este projeto no site www.matutu.org apaparticipativa 18 19

[close]

p. 11

mação coletiva são convidados a refletir sobre a mídia e a produzir conteúdo favorecendo a troca de saberes e o protagonismo tão caros à educação ambiental ao escrever fotografar filmar pesquisar temas e entrevistas pessoas para as mais diversas ferramentas midiáticas ­ do livro ao vídeo passando pelo áudio e pelos jornais ­ estes participantes podem ter acesso a um conhecimento que não teriam com tanta facilidade ganham mais propriedade sobre os temas que desejam tratar em suas ferramentas de comunicação e trazem esse debate para instâncias coletivas como o próprio conselho das ucs a interface entre educação e comunicação se institucionaliza por meio de projetos e exemplos concretos ocorrendo em todo o país e é tema também de políticas públicas dentro do programa nacional de educação ambiental pronea que norteia as ações de educação ambiental do ministério do meio ambiente mma e do ministério da educação mec em 2008 foi lançado um subprograma de educomunicação socioambiental pelo mma e pelo mec porém práticas de comunicação comunitária participativa antes mesmo deste campo são utilizadas em unidades de conservação ou por públicos próximos a ucs como foi a experiência do já citado jornal o timoneiro em caravelas no extremo sul da bahia ou ainda os programas de rádio da reserva de desenvoivimento sustentável de mamiraurá na região de tefé am por meio de veículos de comunicação construídos pelos próprios moradores locais se mobilizam pessoas se faz circular conhecimento e se abre canais de diálogo porém o campo da educomunicação avança ao apresentar propostas metodológicas que se conectam com os objetivos de garantir a expressão comunitária no caso de outra experiência do extremo sul da bahia em prado a realização de oficinas de educomunicação que geraram o jornal tanara trouxe debates e leitura crítica sobre a reserva extrativista marinha do corumbau em oficinas os alunos participantes levantaram questões locais que lhes importavam suas dúvidas em relação ao papel de instituições seus problemas embora o jornal ainda esteje no segundo número mesmo passados dois anos alguns participantes até hoje se mobilizam a partir do seu conhecimento local e do aprendizado nas oficinas realizando sessões de cinema ao ar livre exposição de fotografias e leitura dos jornais produzidos com as comunidades que vivem próximas a resex e participam também das reuniões do conselho da unidade mesmo não sendo possível realizar formações de educomunicação junto às comunidades do entorno de uma uc é adequado que a gestão participativa da unidade considere pontos das diretrizes propostas pela encea até mesmo um folder ou folheto sobre um parque por exemplo pode ser construído de forma coletiva porém como foi proposto junto ao parque nacional do pau brasil elaborar um planejamento de ações específicas de comunicação e de avaliação das mesmas permite se trabalhar melhor a interface da comunicação em relação a educação ambiental e à gestão 20 21

[close]

p. 12

relembrando a primeira etapa do projeto 4 foto débora menezes foto débora menezes foto débora menezes 22 23

[close]

p. 13

mosaico de Áreas protegidas é reconhecido pelo snuc como um conjunto de unidades de conservação públicas ou privadas próximas justapostas ou sobrepostas cuja gestão deve ser feita de maneira conjunta e integrada o parque nacional do pau brasil faz parte do mosaico de Áreas protegidas do extremo sul da bahia mapes saiba mais em www.mapesbahia wordpress.com antes de prosseguir é preciso entender o contexto de como este projeto se originou e que tem a ver com a questão da comunicação como ferramenta de diálogo e ainda de rede fortalecendo a gestão das unidades de conservação no extremo sul unidades de conservação vem dialogando nos últimos anos para a formação do mosaico de Áreas protegidas do extremo sul mapes oficializado em 2011 esta rede informal de relacionamento entre as ucs no entanto já existe dentro do icmbio e permite que determinados projetos de consultoria para fortalecimento da gestão participativa de unidades de conservação sejam realizado em mais de uma uc em uma região por exemplo de acordo com a demanda das unidades em 2009 o icmbio em parceria com o programa das nações unidas para o meio ambiente pnud contratou entre outros consultoria para a realização de projeto de educomunicação junto a comunidades do entorno do parque nacional do descobrimento e da reserva extrativista marinha do corumbau na mesma época foi contratada também uma consultoria de agroecologia para comunidades do entorno do descobrimento que deveria ser reaplicada no entorno do parque nacional do pau brasil e teve momentos de oficinas em conjunto com as comunidades do entorno das duas ucs na ocasião houve intercâmbio de informações entre as duas consultorias contratadas e uma intervenção educomunicativa dentro do trabalho de agroecologia ­ oficina de produção de spots de rádio sobre temas ambientais quando os produtos resultantes da consultoria de educomunicação foram finalizados jornais os representantes da comunidade do projeto vale verde que fazem parte do conselho do pau brasil solicitaram à chefe do parque raquel mendes miguel um projeto do gênero em entendimento com o projeto corredo res ecológicos então foi criado um projeto de planejamento de comunicação e ações educomunicativas que acabou incluindo a fase de renovação do conselho consultivo da unidade por se tratar de uma demanda que o próprio parque não estava conseguindo resolver assim sendo a proposta final da consultoria financiada pelo projeto corredores ecológicos teve como objetivo contribuir para a gestão participativa da unidade de conservação uc por meio da formação do conselho para a gestão 2011-2013 e do fortalecimento do conselho consultivo do parque a partir de reflexões sobre participação social acesso a informação papel das instituições e comunicação em média 20 pessoas que fazem parte do conselho do pau brasil participaram das formações além de trabalhar aspectos fundamentais para a gestão participativa este projeto contribui com um diferencial na gestão de ucs ao propôr um planejamento coletivo de comunicação para o parque a partir dos conselheiros cujas estratégias foram e serão discutidas e acompanhadas por um grupo de trabalho dentro do conselho ao todo foram cinco fases iniciais 1 mobilização para o novo conselho e posse 2 atividades de diagnóstico com os conselheiros com entrevistas e oficina após a renovação do conselho 3 oficina de formação para a gestão 4 oficina de planejamento de comunicação 5 18ª reunião do conselho ­ avaliação das oficinas e plano de ação para próximas reuniões desde o início desta fase os conselheiros ficaram cientes de que parte dos produtos de comunicação que fossem sugeridos durante o planejamento de comunicação seriam elaborados na segunda fase do projeto 24 25

[close]

p. 14

mobilização e diagnóstico ­ para as atividades de mobilização para a renovação do conselho que ocupariam as cadeiras pelo período de 2011 a 2013 foram realizados mais de 50 encontros e reuniões em pouco mais de um mês com as então atuais instituições participantes do conselho e outros segmentos que ainda não participavam vários foram os desafios durante a mobilização da falta de entendimento sobre representatividade social a desmotivação interna de algumas instituições além do pouco tempo para a realização de contatos e entrevistas ao todo há 22 conselheiros entre titulares e suplentes sendo 12 os conselheiros novos estão representadas praticamente todas as comunidades do entorno do parque pelo menos as com associações oficializadas incluindo novos representantes de rppns dos proprietários de terra do interior do parque atingidos após a ampliação do mesmo e novas instituições ligadas ao setor de ensino com campus em porto seguro o instituto federal de educação da bahia ifba e em eunápolis a universidade do estado da bahia uneb também há representantes de praticamente todas as ongs ambientais atuantes na região tanto durante o processo de mobilização para a formação do conselho quanto na primeira oficina de diagnóstico realizada logo após sua eleição foram elaboradas atividades como entrevistas e intervenções participativas com a finalidade de conhecer os conselheiros já atuantes e os que ainda não atuam bem como entender um pouco sobre sua percepção acerca do parque nacional do pau brasil a função do conselho e dos próprios conselheiros tanto nas entrevistas individuais antes da posse do conselho quanto durante a oficina de diagnóstico participativo observa-se que existe uma percepção comum de que as reuniões do conselho são momentos de receber informações e não de debate e ação também foram utilizadas dinâmicas como a árvore dos questionamentos houve quem apontasse também que nas reuniões nem todos se manifestam e que há pouca participação das entidades representadas por outro lado foi possível perceber que existe grande demanda por parte da população do entorno para capacitações bem como compreender quais são as restrições existentes por serem vizinhos do parque principalmente em relação ao desenvolvimento de atividades rurais na oficina de diagnóstico os conselheiros apresentaram suas instituições e se localizaram espacialmente em um mapa de satélite do parque e seu entorno apontaram a forma como vêem a unidade de conservação e ainda identificaram como percebem o papel de conselheiro e conselho finalizando com os desafios que o parque possui e que instituições estão relacionadas e esses desafios de modo geral os conselheiros compreendem qual o objetivo do parque nacional pau brasil na região entendendo-o como importante instrumento para a preservação da fauna e flora bem como para a manutenção dos recursos da natureza como ponto negativo foi apontado que o parque ainda tem pouca visibilidade no município e região pouca integração com a comunidade do entorno e que a fiscalização é insuficiente para promover seu objetivo quanto a idéia do que é um conselho identificou-se que de modo geral aquilo que acreditam ser importante para o conselho gestor do parque tem relação com normalmente se atribui a uma gestão participativa tais itens lembrados foram ser um ambiente participativo representativo ter uma comunicação ativa ter motivação ser transparente entre outros os conselheiros ainda levantaram desafios para a gestão do parque nacional do pau brasil e possíveis futuras ações foto débora menezes rppn é a sigla de reserva particular do patrimônio natural uma unidade de conservação particular onde o proprietário se compromete a destinar uma área de sua propriedade como reserva que deve ter plano de manejo para atividades como educação ambiental e ecoturismo esta uc segue a legislação do snuc a árvore dos questionamentos foi uma adaptação de uma dinâmica da educação ambiental denominada árvore dos sonhos durante todo a oficina de diagnóstico e ainda no segundo momento de formação os conselheiros escreveram em papéis verdes representando as folhas de uma árvore sugestões e dúvidas para que não se perdesse nenhuma questão surgida durante as oficinas estes questionamentos foram trabalhados na primeira reunião da nova gestão do conselho no final de junho de 2011 e ajudaram também a pontuar a formação inicial para este novo conselho entre as dúvidas básicas mesmo os conselheiros mais antigos apontaram querer esclarecimentos sobre o que é o snuc o que são rppns entre outros 26 27

[close]

p. 15

envolvendo a gestão do parque oficina de formação para conselheiros ­ realizada em dois dias esta oficina teve como objetivo geral debater o papel do conselho e do conselheiro bem como algumas temáticas conceituais relacionadas à unidade de conservação para a realização dessas oficinas foi entregue um caderno de apoio dos conselheiros com textos diversos ­ da legislação a materiais sobre gestão participativa embora tenha havido momentos de apresentação da chefe do parque sobre a unidade a proposta destes dois dias de oficinas foi a de oferecer estratégias pedagógicas para quem a unidade de conservação e a função de controle social do conselho gestor fizesse sentido aos conselheiros para isso foram intercalados momentos de contextualização da realidade local perante as necessidades de preservação de áreas naturais com apoio de uma linha do tempo e em seguida trabalhando-se os conceitos básicos que os conselheiros precisam ter para dinamizarem sua atuação as principais etapas desta oficina de dois dias foi a seguinte 1 linha do tempo ­ proposta para que os conselheiros refletissem sobre as causas e conseqüências de questões mundiais trazendo-as para o contexto regional para que se perceba a necessidade de políticas para a preservação como a criação de ucs no contexto regional os participantes trouxeram a tona fatos como o incentivo à retirada de madeira que atraiu imigrantes para a região do extremo sul da bahia a partir das décadas de 1960 e 1970 2 unidade de proteção integral e unidade de uso sustentável ­ para iniciar o debate foram exibidos dois filmes a criação de unidades de conservação e o que são unidades de conservação ambos da organização imaflora sp que apresenta diversos conceitos relacionados a unidades de conservação o que são como são criadas quais são as categorias e classificações seguiu-se um debate sobre as diferenças entre as ucs de proteção integral e de desenvolvimento sustentável e o que gera conflitos envolvendo unidades de conservação 3 conselho e gestão participativa leitura e reflexão ­ em grupos os conselheiros leram o decreto 4.340 de 22 de agosto de 2002 e a instrução normativa 11 de 8 de junho de 2010 do icmbio com normas sobre as competências e funcionamento dos conselhos de unidades de conservação em seguida elencaram as principais competências do conselho ­ entre elas as de demandar e propor ações ou políticas públicas de conservação proteção controle educação ambiental monitoramento e manejo da unidade 4 simulação de conselho de um parque fictício ­ a partir da apresentação da situação do parque nacional da cacioba os conselheiros dividiram-se em dois grupos para simular reuniões do conselho deste parque cada grupo teve uma problemática para discutir como se fossem componentes do conselho e foram distribuídos papéis de segmentos variados um observador de cada grupo não participou da discussão mas manteve seu olhar sobre como os participantes se posicionaram durante a atividade a simulação permitiu integrar novos e antigos conselheiros e indicar a possibilidade de fazer parcerias definir normas e diretrizes e fazer negociações para a resolução de conflitos 5 diagrama de instituições ­ esta atividade trouxe uma compreensão maior aos conselheiros sobre a infinidade de instituições presentes na região os conselheiros recordaram as entidades possíveis e atuantes em círculos de o diagrama de instituições é uma adaptação do diagrama de venn que figura entre as dinâmicas de diagnóstico rural participativo a diferença do diagrama de venn para o utilizado na oficina do pau brasil é a de que esta atividade não serve apenas para diagnosticar o grau de conhecimento e de proximidade das instituições mas permite uma troca entre os participantes uma vez que a idéia desta atividade é também a de esclarecer o papel destas instituições a idéia do diagrama foi retomada posteriormente nas oficinas de educomunicação confira o capítulo segunda etapa praticando comunicação foto débora menezes 28 29

[close]

Comments

no comments yet