TRABALHO MULTIDISCIPLINAR

 

Embed or link this publication

Description

INTERVENÇÃO EM UM GRUPO DE AUXILIARES DE ENFERMAGEM

Popular Pages


p. 1

centro universitÁrio de caratinga ­ unec intervenÇÃo no centro de saÚde em ubaporanga mg trabalho interdisciplinar do centro universitário de caratingaunec desenvolvido em função avaliativa para a terceira etapa do 8º período de psicologia por cristian paula da cruz dodÓ orientadores eleonora carvalho walber magda cristina eugÊnio maria vÂnia pereira 8º perÍodo de psicologia caratinga maio -2012

[close]

p. 2

1 introduÇÃo foi solicitado pelos professores do curso de psicologia do unec centro universitário de caratinga um trabalho multidisciplinar com objetivo de trabalhar com um grupo de funcionários de uma instituição de saúde onde devera ser utilizado dinâmicas de grupos ou jogos vivenciais realizando entre um a três encontros com o grupo pesquisado e logo após os dados obtidos devera ser construído um projeto de intervenção coletivoinstitucional o objetivo deste estudo é trabalhar o relacionamento interpessoal de um grupo de auxiliares de enfermagem do centro de saúde neuza alvarenga acredito que boa parte das pessoas convive com dificuldades em relacionamentos na organização onde atua embora tais problemas de relacionamento não sejam visíveis os mesmos apresentam-se mascarados e embutidos intrinsecamente em cada um onde só podemos percebê-los por meio de ações do comportamento e no modo de agir com os outros membros da equipe a necessidade de trocar informações sobre o trabalho e de cooperar com a equipe permite o relacionamento entre os indivíduos o que acaba sendo imprescindível para a organização pois as mesmas valorizam cada vez mais tal capacidade o relacionamento interpessoal é sem sombra de dúvida um dos fatores que influenciam no dia-a-dia e no desempenho de um grupo cujo resultado depende de parcerias internas para obter melhores ganhos no ambiente organizacional é importante saber conviver com as pessoas até mesmo por ser um cenário muito dinâmico e que obriga uma intensa interação com os outros inclusive com as mudanças que ocorrem no entorno seja de processos cultura ou até mesmo diante de troca de lideranças a contribuição dos pares e a forma que eles são tratados ajudam o colaborador atingir suas metas e desenvolver suas atribuições de maneira eficaz para isso é necessário saber lidar com a diversidade existente na empresa respeitando as diferenças e as particularidades de cada um com isso é possível conquistar o apoio dos demais e fazer um bom trabalho afinal ninguém trabalha sozinho o papel do gerente nesse processo é de extrema importância pois é de sua responsabilidade administrar os conflitos existentes entre as pessoas do time e fazer com que

[close]

p. 3

o clima interno seja agradável permitindo um ambiente sinérgico e que prevaleça a união e a cooperação entre todos essa forma de conduta está relacionada ao estilo de gestão que se aplica e suas ações e pode influenciar no desempenho dos liderados este gestor terá que dar o exemplo para os demais saber como falar com seus colaboradores pois a maneira com que irá tratá-los poderá refletir no relacionamento entre a gerência x colaborador e consequentemente nas metas e objetivos da empresa no entanto sabemos que tem gente que não consegue lidar com pessoas adversas e com opiniões diferentes da sua e deixam se levar por uma impressão negativa sem ao menos procurar compreendê-las e conhecê-las mais detalhadamente outro vilão que pode prejudicar o relacionamento entre os membros de uma equipe é o mau humor o que faz com que essas pessoas mal humoradas criem uma espécie de escudo e fiquem isoladas das demais isso impede que seus colegas se aproximem para pedir algum tipo de ajuda ou até mesmo para bater um papo a dificuldade para se relacionar interpessoalmente acaba impactando no desempenho de uma pessoa em relação às tarefas que desenvolve na organização pois ela irá evitar a sua exposição e nem sempre poderá contar com alguém para auxiliá-la e devido a isso acaba fazendo na maioria das vezes seu trabalho de maneira individualizada deixa-se também de ouvir opiniões diferentes e de compartilhar escolhas e alternativas com os demais É necessário identificar as causas para minimizar o efeito que este fator pode gerar a fim que não haja queda na qualidade do atendimento e na produtividade as divergências e as brigas internas podem ser resolvidas com atividades grupais procurando valorizar a integração e focar a importância de se ter um excelente relacionamento com os membros da equipe para que as pessoas deixem de agir de forma individualizada e passem a interagir como uma equipe promovendo relações amigáveis e fazendo com que cada um procure cooperar com o outro mas para isso é preciso que cada um faça a sua parte pois se todos não estiverem dispostos a contribuir não iremos chegar a lugar algum 2 referÊncial teÓrico

[close]

p. 4

2.1 relaÇÕes interpessoais e o ambiente de trabalho no ambiente de trabalho tudo pode acontecer ou seja tudo pode influenciar o comportamento das pessoas e em consequência influenciar nas relações interpessoais e provavelmente nos resultados das empresas sejam em todos os sentidos o ser humano é feito do ambiente em que vive e que é gerado por necessidades básicas as quais motivam ou não para exercer determinadas tarefas sejam as necessidades fisiológicas como alimentação sono atividade física satisfação sexual etc ou as necessidades psicológicas como segurança interna participação autoconfiança e afeição necessidades de auto realização como ímpeto para realizar o próprio potencial estar em contínuo autodesenvolvimento segundo a classificação feita por moscovici 2003 as referidas necessidades não satisfeitas também são causas de comportamento ocasionando a desordem do indivíduo como agressividade reações emocionais alimentação e apatia a falta de vontade para realizar um bom exercício de seu trabalho a perca do desejo de crescer de progredir ficando a imaginação em segundo plano o pensamento se restringe tão somente em seu problema pessoal prejudicando sua auto-realização no trabalho conforme chiavenato 2000 p 128 o homem se caracteriza por um padrão dual de comportamento tanto pode cooperar como pode competir com os outros irá cooperar quando seus objetivos ou metas poderão ser realizados através do esforço com o grupo irá competir quando seus objetivos são disputados e pretendidos por outros logo percebe-se que os relacionamentos interpessoais dependerão das realizações e satisfações das necessidades individuais mas também se percebe que muitas vezes o ser humano se comporta de forma dualista podendo cooperar diante de uma situação ou competir sentindo que seus objetivos estão ameaçados por outros do grupo.não se obtém e nem se pode exigir de uma equipe ou grupo se este não estiver num patamar de comodidade e de condições para realização de suas necessidades essenciais mas todavia acredita-se que quanto melhor e bem atendidas estas necessidades melhor será o desempenho de sua equipe ou grupo o ambiente de trabalho constitui de duas partes distintas a física instalações móveis decoração etc e a social pessoas que o habitam o desempenho da estrutura física é muito importante pois é a possibilidade de se sentir confortável assim sendo resultando bem estar no trabalho quando todos se relacionam num clima de união e laços de amizade o trabalho é mais rentável havendo probabilidade de maior empatia entre os colaboradores e um maior comprometimento aos resultados.não havendo um ambiente físico que proporcione

[close]

p. 5

conforto ou bem estar para os colaboradores da empresa estes se sentem prejudicados ou até mesmo desconfortáveis para realizar suas funções não alcançando de maneira ágil e correta a realização de seu trabalho ou até mesmo quando o ambiente do trabalho é influenciado por vários problemas sociais entre os colaboradores prejudicando o andamento das tarefas a serem realizadas as relações interpessoais tiveram como um de seus primeiros pesquisadores o psicólogo kurt lewin mailhiot 1976 66 ao se referir a uma das pesquisas realizadas por esse psicólogo afirma que ele chegou à constatação de que a produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros mas sobretudo com a solidariedade de suas relações interpessoais schutz outro psicólogo trata de uma teoria das necessidades interpessoais necessidade de ser aceito pelo grupo necessidade de responsabilizar-se pela existência e manutenção do grupo necessidade de ser valorizado pelo grupo tais necessidades formam a tríade de que fala mailhiot 1976 67 quando este faz referência aos estudos de schutz necessidades de inclusão controle e afeição respectivamente ao discorrer acerca da humanização no ambiente de trabalho as relações interpessoais como um dos elementos que contribuem para a formação do relacionamento real na organização É senhor em observar a operação real da organização aqui incluídas as relações interpessoais que constituem a sua seiva vital os elementos formais estrutura administrativa e informais relacionamento humano que emerge das experiências do dia-adia integram-se para produzir o padrão real de relacionamento humano na organização como o trabalho é verdadeiramente executado e quais as regras comportamentais implícitas que governam os contatos entre as pessoas esta é a estrutura de contatos e comunicações humanas a partir da qual os problemas de política de pessoal e de tomada de decisões podem ser compreendidos e tratados pelos administradores os autores são unânimes em reconhecer a grande importância do tema relações interpessoais tanto para os indivíduos quanto para as organizações relativamente à produtividade qualidade de vida no trabalho e efeito sistêmico 2.2 a influÊncia do ambiente de trabalho magalhães 1990 p 51 afirma que o ambiente de trabalho e suas instalações influem no conforto social evidente se tais elementos forem precários ninguém trabalhará com moral elevado conforme a natureza do trabalho exigir se á uma luminosidade uma

[close]

p. 6

temperatura um grau de umidade diferente o que também deverá estar de acordo com a região onde se trabalha e a época do ano muitas são as dificuldades observadas mais relevante é a falta de objetivos pessoais entre os colaboradores dificuldades em priorizar e assistir o outro todo ser humano é individual e único portanto também reage de forma distinta a situações semelhantes É de suma importância antes de responsabilizarmos os outros numa situação de conflito analisar sua causa observando se este provém de nosso temperamento ou de nossa formação É difícil conhecer a si mesmo a tendência é muitas vezes nos convence de que os erros provêm só dos outros conforme o espaço físico e social percebe-se que as pessoas sofrem influência do meio em que vivem seja em suas emoções sentimentos e ações de acordo com o conjunto que as cercam no contexto da valorização do ser humano a preocupação com seus sentimentos e emoções e com a qualidade de vida sabe-se que são fatores relevantes fazendo a diferença nas relações profissionais o trabalho é a forma como o homem age reciprocamente transformando o meio ambiente onde estabelece relações interpessoais que servem para reforçar sua identidade e sua contribuição de acordo com bom sucesso 1998 p 38 o autoconhecimento e o conhecimento do outro são componentes essenciais na compreensão de como a pessoa atua no trabalho dificultando ou facilitando as relações É de grande importância que o ser humano conheça a si mesmo como também conheça as pessoas com quem se relaciona no ambiente de trabalho a partir disso o ser humano tem condições de ter manter e superar as diferenças de seus relacionamentos buscando dessa forma estabelecer meios de facilitar a realização do trabalho desde sempre a convivência humana é difícil e desafiante escritores e poetas através dos tempos têm abordado a problemática do relacionamento humano sartre em sua admirável peça teatral huis clos faz a famosa afirmação o inferno são os outros o ser humano se relaciona frequentemente através de um processo amplo de comunicação seja verbal ou não verbal somos capazes de melhorarmos e de nos fazermos entender pelos outros de nos julgarmos e julgar os outros de nos aceitarmos e aceitar os outros admitindo falhas e encontrando qualidade em nós e nos outros alcançando um grau razoável de ansiedade ajustada ao meio em que vivemos portanto somos responsáveis pelo papel que cada um exerce em suas atividades a autora citada acima afirma que além de constituir responsabilidade da empresa qualidade de vida é uma conquista pessoal o autoconhecimento é a descoberta do papel de

[close]

p. 7

cada um nas organizações da postura facilitadora empreendedora passivas ou ativas transformadoras ou conformistas é responsabilidade de todos É importante ter conhecimento das normas instituídas e as funções de cada um dentro da organização incentivar a liderança estabelecendo estratégia de percepção definição de papéis dentro da organização resolução de conflitos e tomada de decisões desenvolvendo habilidades através de seleção de atividades e proporcionando normas de funcionamento do grupo construídas e compartilhadas com a participação de todos 3 desenvolvimento 3.1 tema escolhido ao levar a proposta para a enfermeira chefe responsável pelo centro de saúde neuza alvarenga ela propôs o tema a ser trabalhado relacionamento interpessoal por relatar haver certa dificuldade entre as auxiliares de enfermagem onde isso acarreta no mau desempenho e entrosamento da equipe o tema escolhido foi indicado pela enfermeira chefe do setor demonstrando certo desconforto com a situação e ansiedade para o trabalho com o grupo indicado por ela o trabalho decorrerá por três encontros para aplicação de dinâmicas onde em cada encontro contara com a participação do grupo e ao final de cada encontro,uma reflexão dos resultados obtidos com cada dinâmica proposta 3.2 caracterÍsticas do grupo o grupo de auxiliares de enfermagem representado por seis funcionárias apresenta pouca interação desmotivação nível de estresse alto e pouca dinâmica para realizar trabalhos em grupos 3.3 dinÂmicas que foram trabalhadas com o grupo 3.3.1 primeiro encontro nome equipe unida.

[close]

p. 8

objetivo estimular o trabalho em equipe material uma bandeja com balas de acordo com o número de participantes desenvolvimento forma-se um circulo e coloca uma bandeja com balas numa mesa no centro diga aos participantes vocês terão que chupar uma bala só que não poderão usar as mãos para desembrulhar a bala e colocar em sua própria boca os participantes ficam sem saber o que fazer esperar um tempo para ver se eles se ajudam onde um pega a bala e desembrulha e coloca na boca do outro depois falar o trabalho em grupo entrosamento da equipe de trabalho e a importância de se manter um bom relacionamento interpessoal texto lição dos gansos quando um ganso bate as asas cria um `vácuo para o pássaro seguinte voando numa formação em v o bando interiro tem o seu desempenho 71 melhor do que se a ave voasse sozinha sempre que um ganso sai da formação sente subitamente a resistência por tentar voar sozinho rapidamente volta para a formação aproveitando a aspiração da ave imediatamente á sua frente quando o ganso líder se cansa muda para trás na formação e imediatamente um outro ganso assume o lugar voando para a posição de ponta os gansos de trás na formação grasnam para incentivar e encorajar os da frente e aumentar a velocidade quando um ganso fica doente ferido ou é abatido dois gansos saem da formação e seguem ­ no para ajuda-lo e protegê-lo ficam com ele até que esteja apto a voar de novo ou morra só assim eles voltam ao procedimento normal com outra formação ou vão atrás de um outro bando 3.3.2 segundo encontro nome importância do trabalho em equipe e dinâmica da comunicação não verbal.

[close]

p. 9

desenvolvimento convidar um dos participantes para ficar do lado de fora da sala e orientalo que quando entrar na sala estimular um diálogo com os demais colegas enquanto dentro da sala os outros participantes foram orientados que somente poderia gesticular sem dizer nenhuma palavra trazendo para o grupo uma enorme ansiedade depois de algum tempo o facilitador ira trabalhar a questão da ansiedade tanto do paciente que vem a procura do atendimento quanto do colega de trabalho que as vezes procura expor suas dificuldades e angustias no seu desempenho e não é ouvido e nem ajudado reflexão com o texto reflexão fácil e difícil falar é completamente fácil quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer o quanto queremos dizer antes que a pessoa se vá fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado fácil é ser colega fazer companhia a alguém dizer o que ele deseja ouvir difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso e com confiança no que diz fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece te respeita e te entende e é assim que perdemos pessoas especiais fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar difícil é mentir para o nosso coração fácil é ver o que queremos enxergar.

[close]

p. 10

difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto admitir que nos deixamos levar mais uma vez isso é difícil fácil é dizer oi ou como vai difícil é dizer adeus principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas fácil é abraçar apertar as mãos beijar de olhos fechados difícil é sentir a energia que é transmitida aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa fácil é querer ser amado difícil é amar completamente só amar de verdade sem ter medo de viver sem ter medo do depois amar e se entregar e aprender a dar valor somente a quem te ama fácil é ouvir a música que toca difícil é ouvir a sua consciência acenando o tempo todo mostrando nossas escolhas erradas fácil é ditar regras difícil é seguí-las ter a noção exata de nossas próprias vidas ao invés de ter noção das vidas dos outros fácil é perguntar o que deseja saber difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta fácil é chorar ou sorrir quando der vontade difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir de alegria fácil é dar um beijo difícil é entregar a alma sinceramente por inteiro fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por

[close]

p. 11

inteiro fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica difícil é ocupar o coração de alguém saber que se é realmente amado fácil é sonhar todas as noites difícil é lutar por um sonho eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força jamais o resgata 3.3.3 terceiro encontro nome levar as cargas uns do outros material papel e caneta desenvolvimento cada um receberá papel e devera escrever uma dificuldade medo e problema etc que sente no relacionamento interpessoal com o grupo e com os usuários do centro de saúde que não gostaria de expor oralmente o papel deverá ser dobrado e colocado numa sacola depois de bem misturados os papeis cada pessoa pega um papel qualquer dentro da sacola e assume as dificuldades os problemas e os medos que está no papel como se fosse o seu esforçando-se por compreendê-lo cada pessoa por sua vez lerá em voz alta o problema que estiver no papel usando a 1ª pessoa eu fazendo as adaptações necessárias dirá sua solução para o problema apresentado após este exercício ainda compartilhar e conversar sobre a importância de levarmos a carga um dos outro de um modo saudável de ajudarmos o nosso próximo e de percebermos que embora conselhos nem sempre sejam bons ouvir as sugestões e visões de outros sobre o nosso problema pode nos ajudar a encontrar outra saída reflexão com o texto colocar se no lugar do outro empatia um ancião que estava para morrer procura um jovem e narra uma história de heroísmo durante a guerra ajudou um homem a fugir.

[close]

p. 12

deu-lhe abrigo alimento e proteção quando já estavam chegando a um lugar seguro este homem decidiu traí-lo e entregá-lo ao inimigo e como você escapou pergunta o jovem não escapei eu sou o outro sou aquele que traiu diz o velho mas ao contar esta historia como se fosse o herói posso compreender tudo que ele fez por mim a sabedoria deste conto nos fala sobre a empatia esta ação de no colocar no lugar do outro de procurar sentir o que o outro sente a empatia nos torna menos orgulhosos e egoístas pois faz com que pensemos não só em nossos pontos de vista ­ em como estamos nos sentindo mas também na vida alheia no que se passa no íntimo de alguém quando nos colocamos no lugar do outro a compreensão torna-se mais fácil de ser alcançada e nossos corações sentem-se mais aptos a perdoar quando nos colocamos no lugar do outro temos a oportunidade de acalmar a raiva e de evitar a vingança quando nos colamos no lugar do outro desenvolvemos a compaixão e procuramos fazer algo para amenizar o sofrimento do próximo quando colocamos no lugar do outro expandimos nossa capacidade de amar e de entender que precisamos viver em família para realizar nosso crescimento quando nos colocamos no lugar do outro preparamos nossa intimidade para receber as sementes da humildade descobrindo a verdade de que somos todos irmãos e que precisamos uns dos outros para colher os bons frutos da felicidade futura colocar no lugar do outro empatia nos torna mais humanos mais próximos da realidade do outro de suas dificuldades e de seu caminho passamos a analisar a vida através de outros pontos de vista de outros ângulos e assim,nos tornamos mais sábios mais maduros.

[close]

p. 13

o hábito de colocar-se no sentimento de alguém é um grande recurso de que dispõe o homem novo para suas conquistas individuais o coração que se isola que vê somente o que seus olhos permitem e não partilha da vida de seu próximo está estacionado nas trilhas do tempo 4 discussÃo dos resultados os encontros foram marcados por dinâmicas de grupo sendo estas excelentes exercícios vivenciais que permitem o conhecimento das pessoas e a melhoria dos relacionamentos interpessoais são excelentes estratégias para coleta de dados discussões com a equipe e a consequente intervenção assistencial promovendo a sensibilização dos participantes essas técnicas permitem a expressão das necessidades dos sujeitos com os quais se trabalha a motivação pessoal o conhecimento de si e do outro e a reorientação de possíveis condutas inadequadas 4.1 primeiro encontro iniciou o primeiro encontro com uma pequena palestra falando da importância de se manter um bom relacionamento interpessoal que esta relacionada ao trabalho em equipe e com bom atendimento aos usuários do sistema de saúde pública a dinâmica proposta para o primeiro encontro é nomeada por nome equipe unida que tem como objetivo levar a equipe analisar a importância de se trabalhar em grupo e que uma equipe fortalecida e empenhada em um fator comum fica muito mais fácil a desempenhar o seu papel em qualquer ambiente durante a dinâmica proposta a equipe teve um bom envolvimento e grande interesse e participação sobre a atividade com grande descontração todos se envolveram onde no decorrer uma das participantes disse que só conseguiria se alguém pudesse fazer por ela passando o tempo proposto para termino da dinâmica abri a seguinte discussão o que vocês sentem ao deparar em uma situação que precise de ajuda no trabalho e ninguém se prontifique para ajuda-lo o grupo apontou como um agravante das condições de trabalho a desunião dentro da equipe de enfermagem eles reclamavam do fato de que muitos não abriam mão de seus

[close]

p. 14

interesses pessoais para facilitar o trabalho do colega no que se refere à carga horária de trabalho e à tarefa do cuidar assim se manifestaram alguns profissionais da enfermagem tem hora que você precisa de ajuda e o outro finge que nem vê ao final do encontro foi feita a leitura do texto lição dos gansos como forma de reflexão sobre as questões ali trabalhadas texto lição dos gansos quando um ganso bate as asas cria um `vácuo para o pássaro seguinte voando numa formação em v o bando interiro tem o seu desempenho 71 melhor do que se a ave voasse sozinha lição pessoas que compartilham uma direção comum e senso de comunidade podem atingir seus objetivos mais rápidos e facilmente sempre que um ganso sai da formação sente subitamente a resistência por tentar voar sozinho rapidamente volta para a formação aproveitando a aspiração da ave imediatamente á sua frente lição se tivermos tanta sensibilidade quanto um ganso permaneceremos em formação com aqueles que se dirigem para onde pretendemos ir e nos disporemos a aceitar a sua ajuda assim como prestar a nossa aos outros quando o ganso líder se cansa muda para trás na formação e imediatamente um outro ganso assume o lugar voando para a posição de ponta lição é preciso acontecer um revezamento das tarefas pesadas e dividir a liderança as pessoas assim como os gansos são dependentes umas das outras os gansos de trás na formação grasnam para incentivar e encorajar os da frente e aumentar a velocidade lição precisamos nos assegurar de que o nosso grasno seja encorajador para que a nossa equipe aumente o seu desempenho quando um ganso fica doente ferido ou é abatido dois gansos saem da formação e seguem ­no para ajuda-lo e protegê-lo ficam com ele até que esteja apto a voar de novo ou morra só assim eles voltam ao procedimento normal com outra formação ou vão atrás de um outro bando

[close]

p. 15

lição se nós tivermos bom sendo tanto quanto os gansos também estaremos ao lado dos outros nos momentos difíceis gostaria que vocês pensassem bem nestas lições dos gansos e com muita atenção reflita sobre cada item trazendo para a realidade de vocês após a leitura do texto alguns funcionários contribuíram com suas opiniões sobre o assunto sendo interessante a fala de uma das funcionarias que às vezes o dia é tão corrido que chegamos e pensamos em somente fazer o que é da minha função e pronto para se trabalhar em equipe devemos agir como os gansos pensar no bem comum do grupo ter um olhar cuidadoso a fim de agir para o bem comum de todos abrir espaços assumir liderança quando for necessário incentivar os membros do grupo e ajudar quando for necessário 4.2 segundo encontro no segundo encontro foi aplicada a dinâmica de comunicação não verbal em que retirávamos uma pessoa da sala e passávamos instruções para que estimulasse o dialogo dos outros participantes ao contrário os integrantes na sala apenas podiam gesticular a dinâmica disponibilizava uma ansiedade tal que alguns funcionários desistiam do contato a dinâmica de grupo acima foi utilizada para melhorar a interação e mostrar que os pacientes aos quais prestamos cuidados também reagem da forma como representamos ou seja resistindo produzindo ansiedades e por vezes desistindo do contato alguns funcionários diante disso expressavam que às vezes se irritam quando não são correspondidos na interação do grupo as interações são processos de representação de um encontro entre duas ou mais pessoas nas quais se deve haver uma reciprocidade e não uma verticalização em que um indivíduo dotado de consciência e personalidade interage com outros indivíduos e no mundo em que se situa para se consolidar como pessoa nesse sentido as reações de irritação dos funcionários a determinados comportamentos dos pacientes são reflexos do uso de mecanismos de defesa que no cotidiano se reproduzem na transferência e contratransferência no caso da enfermagem todos os afetos sentidos pelos funcionários em relação aos pacientes que cuidam irritação impaciência e intolerância às reações dele

[close]

Comments

no comments yet