Revista Mediação - número 14

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

2

[close]

p. 3

revista de educação editada e produzida pelo colégio medianeira diretor pe rui körbes s.j vice-diretor prof adalberto fávero coordenador administrativo e financeiro gilberto vizini vieira coord comunitário e de esporte prof francisco alexandre faigle coordenação editorial nilton cezar tridapalli luciana nogueira nascimento mtb 2927/82v revisão nilton cezar tridapalli projeto gráfico e diagramação sonia oleskovicz ilustrações jessica candal ulisses candal sonia oleskovicz tratamento e edição colaboraram nesta edição adilson felício feiler sj ana paula ferreira da luz carlos renato moiteiro claudio adriano piechnik elenir almeida santos francisco carlos rehme geraldo vieira de magalhães guilherme dal moro leandro guimarães mábile borsatto marcelo weber maria célia martirani patrícia meyer rita waldrigues e vinícius soares pinto tiragem 3000 exemplares papel reciclato suzano 90g/m2 miolo reciclato suzano 240 g/m2 capa número de páginas 52 issn 1808-2564 crÔnica olhos que sobem ao céu e estrelas que caem francisco carlos rehme 5 o melhor presente geraldo vieira de magalhães 8 É tudo culpa do altair leandro guimarães 10 a experiência transmidiática vinícius soares pinto 13 novas expectativas em tempos de paz ou por um humanismo sempre em xeque carlos renato moiteiro 16 como albert se tornou einstein guilherme dal moro 19 meu lixo teu lixo nosso lixo lixo deles cláudio adriano piechnik 24 a idade do lixo elenir almeida santos 28 o jornal educa patrícia meyer 32 equipe pedagÓgica educação infantil e ensino fundamental de 1ª à 4ª séries coordenadora profª silvana do rocio andretta ribeiro ensino fundamental de 5ª e 6ª séries coordenadora profª eliane dzierwa zaionc ensino fundamental de 7ª e 8ª séries coordenadora profª roberta uceda ensino médio coordenador prof marcelo pastre coordenador de pastoral pe guido valli s.j coordenador de midiaeducação nilton cezar tridapalli assessoria de comunicação e marketing luciana nogueira nascimento os artigos publicados são de inteira responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião dos editores e do colégio nossa senhora medianeira a reprodução parcial ou total dos textos é permitida desde que devidamente citada a fonte e autoria nietzsche e a meditatio generis futuri adilson felicio feiler sj 36 o leite da pedra maria célia martirani 39 educação artística crítica como desconstrução ana paula ferreira da luz 42 É tudo novo de novo a dança do leva e traz mábile borsatto 45 crÔnica almôndegas marcelo weber 48 crÔnica o atraso rita waldrigues 50 linha verde · av josé richa 10546 prado velho · curitiba · paraná fone 41 3218-8000 fax 41 3218-8040 www.colegiomedianeira.g12.br mediacao@colegiomedianeira.g12.br 3

[close]

p. 4

lixo seus léxicos e seus nexos alguns assuntos vêm aparecendo constantemente na pauta das discussões contemporâneas o lixo é um deles e de tanto aparecer às vezes pode nos dar a impressão de que já sabemos tudo mas assim como apenas ler as manchetes do jornal não nos garante a informação e o conhecimento também é importante uma leitura mais detida sobre esse tema que é despejado e reciclado a todo instante nas páginas nas telas nas ondas É que são muitas as nuances do comportamento individual à ação ou inação das grandes corporações ou seja da micro à macropolítica a reflexão acerca dos rastros residuais que deixamos pelo mundo afora se torna uma questão de importância gigantesca dentro da consciência planetária que buscamos ao falar de resíduos ou lixo mesmo podemos pensar em lixo cultural existe em lixo eletrônico em lixo orgânico reciclável pessoas tratadas como lixo resíduo sobra sem serventia etc quando falamos de conhecimento em rede percebemos que também as questões ligadas aos problemas ambientais não são ilhas mas entrecruzamentos de fatos interligados É por isso que o consumo das reluzentes vitrines embora não aparente pode ter relação com a sujeira do rio escondido obscuro mal cheiroso também a tecnologia com sua vertiginosa e vamos e venhamos fascinante corrida de aperfeiçoamentos ininterruptos tornando as pessoas felizes e sorridentes com novos brinquedinhos diários pode ter relação com a intoxicação de crianças nigerianas por tudo isso achamos importante dar destaque ao tema do lixo nesta edição da revista mediação o que podemos fazer individual e coletivamente acreditamos que a discussão exaustiva do assunto seja um começo necessário mas como você já está acostumado a ler aqui mediação sempre fala de assuntos variados as formas como a tecnologia muda o comportamento de crianças e jovens e suas implicações no jeito como a escola se relaciona com isso é um tema que mais uma vez marca presença aqui do campo das artes uma reflexão sobre artes plásticas e dança numa busca de inovações na forma de ensinar e na própria linguagem artística inovações no entanto jamais desvinculadas do diálogo com elaborações teóricas e práticas anteriores é bom que se diga um gênio mesmo gênio ainda é humano na trilha de eventos tão catastróficos quanto grandiosos saiba mais sobre albert einstein esse sujeito que modificou radicalmente a forma de compreendermos o universo três belas crônicas também são destaque desse décimo quarto número da revista temos uma cronista apaixonada por ensinar um cozinheiro que explica solenemente a importância das almôndegas na história da humanidade e um caçador de estrelas cadentes sempre à espreita pronto para surpreendê-las o cinema aparece com dois artigos falando da vida por meio de filmes o leite de pedra apresentando o lírico filme italiano nuovo mondo e novas expectativas em tempos de paz ou por um humanismo sempre em xeque comentando a produção nacional tempos de paz mote para uma reflexão sobre iluminismo civilização e barbárie parece que foi hoje que nietzsche escreveu sobre a educação escolar comprove isso ao ler o artigo de adilson felício feiler sj apenas levar o jornal para a sala de aula garante criticidade ou algum diferencial didático saiba como o jornal pode e deve fazer parte das estratégias metodológicas e o que ele tem a oferecer tanto para ganhos pedagógicos quanto democráticos o jornal educa por fim comportamento familiar nas palavras do psicólogo geraldo vieira de magalhães que fala da presença dos pais como o melhor presente para seus filhos esperamos sempre ansiosos pelo contato de nossos leitores não deixe de escrever e de compartilhar suas impressões sobre nossa revista você pode fazer isso escrevendo para mediacao@colegiomedianeira.g12.br outra opção para trocar ideias conosco é visitando nosso site www.colegiomedianeira.g12.br e nosso blog que diariamente traz reflexões debates sugestões de eventos vídeos etc http midiaeducacao.wordpress.com aliás a revista mediação agora está também online basta acessar nosso blog formas de contato não faltam vamos conversando nilton cezar tridapalli mediacao@colegiomedianeira.g12.br 4

[close]

p. 5

por francisco carlos rehme longe de ser uma desafinação no concerto do céu a passagem de um meteoro é mais um acorde elétrico um allegro de rock n roll em meio aos sons de violinos e cellos ou o absolutamente inusitado algo encontrável quem sabe num disco dos mutantes 5

[close]

p. 6

e eram mais de nove horas e o fuso no campo me parece adiantado em umas duas horas anoitece mais cedo na área rural de rio negro a noite se delonga e ela mesma se desdobra entre um dedo a mais de prosa e uns muitos goles sorvidos de mate escolhemos um descampado para olhar eu e meus filhotes para o céu espirrado de estrelas via láctea esparramada deitada no divã cabeça suavemente descansada sobre travesseiros de nebulosas o natal se aproximava e sempre achei que as plêiades lembram um pequeno pinheirinho com lâmpadas pisca-pisca pois eis que apontava para esse agrupamento de jovens estrelas taurinas dizendo aos pequenos que elas são conhecidas como as sete cabritinhas quando vimos passar uma estrela cadente para as crianças tremenda surpresa uau tem estrela arisca que foge sai correndo para mim foi bem mais que apenas ver outra estrela cadente É que de repente me acenderam as lembranças das imagens de dezenas de meteoros que vi sobretudo entre os dezesseis e os vinte e poucos quando olhava e vivia mais para o céu do que para o chão em que caminhava o céu parecia que brincava de estátua comigo ah quantas vezes ganhei pois quando ele não aguentava mais uma coceirinha pronto extravasava a noite num riso estourado meio disfarçado é verdade ou seja lá vinha escorregando veloz a estrela cadente vitória dos meus olhos que quase não se deixavam piscar para poder surpreender esse deslize do firmamento firmamento firmamento que nada afrouxamento então se armava um curto circuito entre meus olhos o coração e o cérebro descargas de alta voltagem sinapses endoidecidas que me disparavam uma taquicardia e no ritmo acelerado das sístoles e diástoles acho que via até o que não era possível ou quem sabe o que não era permitido aos demais mortais via nada absorvia aquele momento tão íntimo e diga-se de passagem nesse espetáculo da estrela cadente tudo é tão passageiro tão es petacular do meteoroide que é quando ele é incinerado na atmosfera divinos fogos de artifício ou seriam fogos de artifício divinos enquanto meus olhos fotograficamente flagravam o furtivo show um nó me apertava a garganta a gravata apertada não me deixava gritar aos outros olha a estrela cadente o ar subitamente me faltava como se tivessem me golpeado na boca do estômago uma mistura de sensações insegurança fascínio fragilidade uma coisa cuja fusão é apenas a sensação de se viver a passagem da estrela cadente talvez porque no rastro de sua inflamada visita pelos nossos ares está a dolorosa compreensão da finitude de tudo da minha finitude por mais que me achasse imortal naqueles adolescentes idos na finitude da vida na terra que outras estrelas cadentes meio crescidinhas já a andaram regulando na finitude do cosmos pois teve aquela estrela cadente que eu vi quando estava no mar era no mar de fora lá na praia de encantadas na doce ilha do mel ela sobreviveu alguns segundos descendo quase perpendicularmente à linha do horizonte e descia como quem alertasse sai de baixo e aí quando ela parecia que ia mergulhar no veludoso negro e prateado oceano ela se partiu em duas e as duas cada qual foi 6

[close]

p. 7

para um canto entre elas um ângulo de uns sessenta graus deram seu último suspiro que é quando elas subitamente parecem brilhar mais e aí se apagaram isso tudo a poucos milímetros do horizonte ao menos para os meus olhos e de quem mais viu alguém mais viu por pouco não sai aquele vapor do mar que é quando algo incandescente beija a água mas que naquela noite farelos cinzas da estrela cadente pousaram e repousaram em algum lugar ah isso aconteceu pela direção foi sobre a África tem umas estrelas cadentes que passam horizontalmente sobre nós na realidade descrevendo uma curva tangencial superficial ao planeta descrevendo uma parábo basta às favas os geômetras essas não deviam se chamar estrelas cadentes afinal não parecem cair apenas passar são as estrelas viajantes outro dia melhor seria dizer outra noite estava em minha casa que era a dos meus pais e dos quatro irmãos na hugo simas deitado de costas sobre a calçada como tantas outras noites olho para cima mas não fixando um ponto relaxando as pupilas seguindo uma metodologia de autoria própria para caçar estrelas cadentes É como aquele paciente pescador que não precisa pregar a vista na boia para perceber que alguém no caso um peixe está engatado no anzol ele sente o puxão e quase simultaneamente o confirma ao verificar o remexer da boia pois senti que algo me chamava na verdade berrava esbranquiçado e brilhante que era contrastando com a noite de lua nova despontava no horizonte e parecia decolar nossa uma estrela levante devo ter pensado quando virei o rosto para aquele lado e distingui o meteoro era um bólido daqueles que dava para chamar quem estivesse próximo e nem apontar precisaria todos veriam toda a família porém estava dentro de casa enquanto passavam-se quatro cinco seis segundos a estrela cadente ou o que quer que fosse de branco passava a avermelhada cada vez mais vermelha encarnada sangue no carpete negro da noite passou sobre o meu corpo que ao contrário do astro celeste jazia estático como nunca estivera foi aí que ainda hoje duas décadas depois juro ter ouvido o bólido chiar tssssss exatamente o som de algo que passa rasgando o ar ardendo em chamas como as setas incandescentes daqueles filmes sobre as guerras medievais que sempre duravam cem anos as guerras e às vezes os filmes também a tocha depois de lançada pelo arqueiro a oeste cruzou a abóbada celeste que eu podia vislumbrar e afogou-se no horizonte oriental enrubescida mais furiosa do que envergonhada confesso que esperei por um rápido clarão vindo de uma explosão lá do seu sumidouro mas ele não veio pensando bem ainda bem houve outras também fantásticas como aquela que se insinuou por detrás de um fino nevoeiro que vestia o anoitecer curitibano mas muitas das lembranças já me passam escorregadias e não as consigo segurar pensamentos fugazes meteóricos quanto à estrela cadente de ontem com o perdão da redundância ela foi e se foi muito rápida não chegou a um segundo tão logo o céu a cuspiu ele mesmo a tomou de volta saiu por uma janela entrou por outra no instantâneo acender e apagar de uma lâmpada no velho sobrado celeste minha mulher me pediu rápido faça um pedido fiz não tão rápido mas fiz não sei se valeu a estrela já tinha desaparecido no céu da minha memória não comente este artigo em mediacao@colegiomedianeira.g12.br francisco carlos rehme o chicho é geógrafo professor da 6ª série do ensino fundamental e da 3a série do ensino médio no colégio medianeira especialista em geografia física análise ambiental pela ufpr em currículo e pratica educativa puc-rio e mestre em geografia pela ufpr 7 7

[close]

p. 8

o melhor por geraldo vieira de magalhães presente quando o melhor presente é a presença a 8 as necessidades cobranças e pressões dos dias atuais acarretam via de regra encontros mais espaçados e desencontros mais constantes o cadenciado estudo básico e sequencial passa a concorrer com os mais variados tipos de cursos os já tradicionais requerem outros em paralelo suplementares ou complementares a profissão imprescindível necessita da especialização e esta requer aperfeiçoamento constante o trabalho fator de subsistência exige maior conhecimento e tem de recorrer a complementos diversos.

[close]

p. 9

e a concorrência exige tempo que se dilui no daqui pra ali no ali pra lá de lá para acolá e quem sabe de acolá para outra necessidade são as exigências do mercado profissional capacitado possibilidades mais elevadas melhor salário almejado maior o esforço a ser despendido pessoa mais escolarizada melhores chances oportunizadas É a concorrência pela abertura do próprio espaço É a necessidade de novas chances de crescimento profissional e pessoal de novas funções ou cargos É a necessidade de mais conhecimento e melhor aperfeiçoamento e tudo isso ao ser alcançado proporciona mais estabilidade mais segurança e confiança mais satisfação inserida nesse contexto a família moderna se esforça pela manutenção do conquistado ou pelo alcance de determinado padrão e na busca desses objetivos uma subjetividade é esquecida uma subjetividade que não entende muito a ausência a distância É a subjetividade infantil dos filhos que podem ganhar grande variedade de brinquedos roupas calçados e outras utilidades mas que não se equivalem no entanto ao melhor presente a presença dos pais É a creche para alguns a babá para outros são atividades as mais diversas que lhes são proporcionadas com o intuito de preencher o tempo para acelerar a preparação e familiarizá-los com a competitividade e assim tudo pode ser ofertado e acrescido às crianças amenizando-lhes o afastamento porém nada substitui os exemplos a referência os valores legados pelos pais É certo que progresso prosperidade ascensão são aspirações do adulto pensando também nos filhos mas que essas aspirações não impeçam os pais de se lembrar da festinha na escola da brincadeira espontânea da pergunta que não quer ficar sem resposta não podem ainda se esquecer do momento da historinha do tempo de brincar juntos pois a hora dedicada à criança no presente será uma herança inesgotável com a qual os filhos muito se beneficiarão ao longo da vida criança quer e necessita de atenção de ser ouvida e entendida precisa de carinho diálogo e compreensão como também de regras e limites tão necessários ao seu desenvolvimento e a presença tanto materna quanto paterna é fundamental para lhes orientar e proporcionar confiança no porvir já que o melhor futuro é alicerçado e construído com o melhor presente e o melhor presente para as crianças é a tão importante e insubstituível companhia dos pais comente este artigo em mediacao@colegiomedianeira.g12.br geraldo vieira de magalhães é psicólogo crp 08/06392 gvm.vieira@terra.com.br grandes amigos pais e filhos carmen lÚcia campos e nÍlson joaquim da silva orgs editora panda books ao livro grandes amigos pais e filhos organizado por carmen lucia campos e nilson joaquim da silva reúne famosos nomes da literatura brasileira que relembram aqui episódios de suas vidas que mostram como é mágica essa ligação são vinte textos em que jornalistas escritores esportistas e educadores abrem as portas de suas memórias para falar do sentimento maior que os une a quem lhes deu a vida ou àqueles que trouxeram novo sentido às suas existências são histórias de cumplicidade de alegria e de dor que certamente vão mexer com as suas lembranças e emoções mais profundas 9

[close]

p. 10

por leandro guimarães 10 10

[close]

p. 11

s sim é culpa dele o altair ele nasceu em 1974 e seus filhos hoje estão espalhados pelo mundo todo provavelmente um deles deve estar em seu quarto agora ou na sala vemos em quase todos os escritórios também a verdade é que o mundo não roda mais sem os computadores foi graças ao altair que poderia ser chamado de pai do computador pessoal que o planeta dinamiza as relações entre os indivíduos rege o mercado financeiro ajuda nos trabalhos escolares enfim uma gama imensa de atividades está atrelada à computação na realidade o altair nasceu de uma evolução somente possível por causa do desenvolvimento de um microprocessador chamado 8080 da intel nosso colega tinha apenas 256 bytes de memória uma piada menos de 1 kb ah mas vinha com uma placa de expansão para incríveis 4 kb era vendido como um kit pela revista popular electronics em valores atuais equivaleria a cerca de u 4.000,00 mesmo sendo bem caro muitos se interessaram e esse nome por que altair bem um belo dia seu desenvolvedor edward roberts mostrou a geringonça para sua filha e pediu para que sugerisse um nome ela estava assistindo ao famoso seriado jornada nas estrelas e naquele episódio a nave enterprise do lendário capitão kirk estava indo em direção a uma estrela chamada altair altha equilae aliás o parto do altair não foi dos mais fáceis sua procura como já foi dito era grande e o primeiro lote destes computadores foi enviado para nova iorque por meio de um empresa chamada railway express agency rea o detalhe é que durante o transporte a rea entrou em greve pois passava por sérios problemas econômicos acabou falindo e até hoje não se sabe onde foram parar os primeiros altair da história a gente sabe que computador sem software é o mesmo que carro sem roda nosso colega ed roberts sofria para melhorar a performance do altair até que certo dia recebeu uma carta sugerindo o uso de um sistema chamado ba sics essa carta havia sido escrita por dois jovens que trabalhavam juntos paul allen e bill gates hoje dizem que o primeiro trabalha em um empresa chamada apple e o segundo faz uns bicos numa tal de microsoft conhece segundo as más línguas os dois ganham uns belos trocados e até conseguem sustentar suas famílias por causa desse ramo chamado de computação realmente podemos perceber que o desenvolvimento da computação foi galopante hoje muitos acreditam ser impossível a realização de determinadas atividades sem o uso de computadores o resultado disso é uma produção mundial eletrônico-informática gigantesca mas somente há poucos anos tem ocorrido uma preocupação maior com o descarte dos mesmos muitas vezes o lixo resultante acaba sendo enviado para nações em desenvolvimento como china e Índia principalmente para o reaproveitamento de alguns componentes na Índia existem casos em que pessoas derretem a solda dos componentes eletrônicos podendo conter substâncias tóxicas como estanho e chumbo sem nos esquecermos de outras presentes em diversos outros componentes como o arsênio e o mercúrio para posterior venda até aí tudo bem o problema é que a falta de conhecimento sobre os riscos de contaminação pelos vapores maçã não tão verde garota chinesa segura um teclado da apple nas mãos a empresa de steve jobs foi eleita a menos verde no ranking do greenpeace que avalia redução de elementos tóxicos e políticas de reciclagem dos fabricantes fonte idgnow 11

[close]

p. 12

deste derretimento aliada à necessidade econômica levam a população a derreter estas substâncias na mesma panela em que depois irão fazer o preparo de suas refeições isso sem contar impactos de maiores dispersões como a absorção de substâncias tóxicas pelo solo poluição atmosférica de vapores acúmulo do lixo impedindo escoamento de água em ambientes urbanos dentre outros inúmeros impactos que merecem atenção o grande direcionamento que a sociedade mundial precisa envolve uma alteração em relação ao comportamento de consumo e da reciclagem dos descartes e também de como e por quem este processo é realizado quantas pessoas compram produtos eletrônicos hoje apenas por serem meras inovações tecnológicas ou apresentarem um novo design ao invés da necessidade em si É só observarmos o atual estágio de consumo de celulares e aparelhos de tv e mp3 todos somos responsáveis e agentes deste processo comente este artigo em mediacao@colegiomedianeira.g12.br leandro guimarães é professor de geografia das 8ª séries e 1° ano do ensino médio do colégio medianeira É mestre em geografia pela ufpr fogo e fumaça crianças em lagos nigéria se expõem inadvertidamente aos efeitos dos gases liberados na queima do lixo eletrônico enviado por países desenvolvidos fonte idgnow a sociedade da decepÇÃo gilles lipovetsky autores manole este livro trata de uma sociedade que vive de excessos tem mania de consumo e ao mesmo tempo desperdiça tudo o que é possível gilles lipovetsky criador do conceito de hipermodernidade para definir os tempos de hoje explica porque a sociedade vive um momento tão triste com elevados índices de suicídios depressão e dependências diversas monitor quebrado mulher prestes a esmagar tubo de raio catódico de um monitor com martelo para remover cobre o vidro quebrado é jogado em canais de irrigação que deságuam nos lençóis freáticos contaminando a água em guiyu na china fonte idgnow 12

[close]

p. 13

a experiência transmidiÁtica por vinícius soares pinto a escola não precisa necessariamente fazer uma adaptação total àquilo que o ufanismo do mercado profetiza no entanto abrir os olhos para importantes mudanças de comportamento por causa das tecnologias deve ser um horizonte sempre presente 13

[close]

p. 14

p passou o tempo em que a contemplação de uma obra de arte ou de entretenimento resumiase à plataforma para a qual foi produzida no caso das artes as obras que se encontravam exclusivamente em galerias museus e espaços nobres passaram pelo processo de reprodutibilidade fruto da cultura de massa e hoje suas respectivas imagens são exibidas por diversos meios sendo tanto em réplicas fiéis como em estampas de camisetas e canecas como diria o pensador alemão walter benjamin a aura aquele quê de especial contida apenas nas obras originais é perdida progressivamente conforme o aumento do número de cópias empobrecendo assim a experiência estética entre a obra e o espectador quando pensamos na cultura do entretenimento também é possível identificar mudanças na maneira de interagir e lidar com as obras os ícones da cultura pop que antes eram construídos passo a passo de uma plataforma a outra de acordo com a aceitação do público hoje transformaram-se em avalanches de itens de consumo destinados a todos os bolsos e gostos por exemplo um tempo atrás não era raro vermos personagens do universo infanto-juvenil aparecer primeiramente nas revistas em quadrinhos para anos depois virarem desenhos brinquedos filmes etc evoluindo de acordo com a aceitação do público no entanto para que hoje um filme um personagem seja sucesso de aceitação do público torna-se necessário oferecer ao espectador uma continuação extensão da obra original em diversas outras plataformas perceba simultaneamente a um grande lançamento da indústria hollywoodiana nos cinemas uma série de outros produtos relacionados ao filme também é lançada como brinquedos camisetas conteúdo online jogos para videogame ou seja o máximo de informação possível para que a pessoa se torne uma fã e dedique tempo e dinheiro a essa nova franquia acontece então o que pensadores denominam de experiência transmidiática que é o contato do espec tador com a obra/conteúdo por diferentes interfaces acompanhando interagindo e participando das histórias e conteúdos aos quais é submetido a continuação e a extensão das obras em outras plataformas tornou-se praticamente uma obrigação para a aceitação do público principalmente quando falamos de nativos digitais já que não se contentam mais em sentar diante de uma tela e receber de maneira passiva uma história pronta e finalizada sendo assim roteiristas e outros criadores pensam na narrativa hoje em termos de criação de oportunidades para a participação do consumidor ao mesmo tempo os consumidores estão utilizando novas tecnologias midiáticas para se envolver com o conteúdo dos velhos meios de comunicação encarando a internet como um veículo para ações coletivas solução de problemas deliberação pública e criatividade alternativa jenkins 2009 bom a partir desta breve descrição das relações entre obra e espectador deste início do século xxi quero trazer a discussão para o ambiente escolar pensar no desafio que é para a escola também desenvolver estratégias pedagógicas que alimentem e saciem essa necessidade de nativos digitais de participarem de maneira direta e coletiva na construção do saber através da utilização de diferentes linguagens e plataformas de comunicação talvez o primeiro passo a ser dado é a aceitação do professor também conhecidos como imigrantes digitais de que a tecnologia é um grande aliado das salas de aula ainda mais diante de uma massa de alunos enfastiados por uma avalanche de informação recheada de simulacros então o computador a internet as redes sociais o vídeo a imagem quando aliados às discussões e conteúdos trabalhados em sala de aula tornam-se ferramentas tecnológicas importantes para estimular o educando a produzir pesquisar e construir o saber não apenas na sala de aula local onde está sob interferência direta do professor mas também fora do ambiente escolar faz com que o jovem aluno deixe de apenas flutuar no dilúvio de informação que a 14

[close]

p. 15

internet e os meios de comunicação lhe proporcionam e aprenda a usar as ferramentas que estão a sua disposição enciclopédias online ferramentas de busca redes sociais gadjets etc realmente como utensílios de produção e orientação na geração e localização de conteúdo para discussão e pesquisa o filósofo francês pierre lévy defende a ideia de que nesta realidade em que a informação e o conhecimento estão propagados e acessíveis na internet por diversos veículos eficientes o papel do professor não é mais de ser apenas um difusor de conhecimento mas um incentivador e mediador da aprendizagem e do pensamento coletivo entre seus alunos não só na sala de aula mas também nesta nuvem de conhecimento chamada de internet no entanto o papel do professor de ser mediador e incentivador do aprendizado numa interface computador/internet na qual muitas vezes ainda não se sente à vontade pode ser que seja encarado com dificuldade porém a falta de domínio das ferramentas não pode ser vista como um entrave mas uma oportunidade para iniciar a participação dos alunos que geralmente têm mais facilidade com as novas tecnologias na elaboração de atividades em conjunto com o professor desta forma o processo de inteligência coletiva que é característico pela troca de conhecimento entre pessoas para a construção de um saber tem início na própria sala de aula para depois estender-se em ambientes virtuais na rede de computadores portanto para o ambiente escolar saciar e superar expectativas desses alunos super conectados nativos digitais que apesar da facilidade em lidar com a tecnologia encontram-se muitas vezes perdidos e sem saber como utilizar e usufruir de maneira inteligente e construtiva os recursos a que têm acesso torna-se necessário que educadores se aproximem e entendam essa realidade de múltiplos meios e plataformas com que os jovens estão em contato a todo momento com isso além do desafio de escolas buscarem o saber construído e fundamentado na busca da transdisciplinariedade torna-se também necessário pensar de maneira transmidiática ou seja além de buscar o encontro e o diálogo entre as diferentes disciplinas para a formação do indivíduo procurar formas que integrem a difusão desse conhecimento pelas diferentes interfaces que estão à disposição de educadores e educandos comente este artigo em mediacao@colegiomedianeira.g12.br vinícius soares pinto é formado em comunicação social/publicidade e propaganda no medianeira trabalha no laboratório audiovisual cultura da convergÊncia henry jenkins homo zappiens educando na era digital ben vrakking e wim veen editora artmed editora aleph henry jenkins investiga o alvoroço em torno das novas mídias e expõe as importantes transformações culturais que ocorrem à medida que esses meios convergem ele nos introduz aos fãs de harry potter que estão escrevendo suas próprias histórias enquanto os executivos se debatem para controlar a franquia ele nos mostra como o fenômeno matrix levou a narrativa a novos patamares criando um universo que junta partes da história entre filmes quadrinhos games websites e animações 15

[close]

Comments

no comments yet