Publ.Especial RIO+20

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

publicação especial ano 1 ­ no 1 rio de janeiro rj junho 2012

[close]

p. 4

diretoria executiva diretoria tÉcnica comissÃo fiscal antonio mello alvarenga neto almirante ibsen de gusmÃo cÂmara osanÁ sÓcrates de araÚjo almeida joel naegele tito bruno bandeira ryff francisco josÉ vilela santos hÉlio meirelles cardoso josÉ carlos azevedo de menezes luiz marcus suplicy hafers ronaldo de albuquerque sÉrgio gomes malta presidente 1o vice-presidente 2o vice-presidente 3o vice-presidente 4o vice-presidente diretor diretor diretor diretor diretor diretor alberto werneck de figueiredo antonio freitas claudio caiado john richard lewis thompson fernando pimentel jaime rotstein josÉ milton dallari katia aguiar marcio sette fortes de almeida maria helena furtado mauro rezende lopes paulo protÁsio roberto ferreira s pinto rony rodrigues oliveira ruy barreto filho claudine bichara de oliveira maria cecÍlia ladeira de almeida plÁcido marchon leÃo roberto paraÍso rocha rui otavio andrade academia nacional de agricultura f undador cadeira e p atrono o ctavio m ello a lvarenga titular patrono 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 ennes de souza moura brasil c ampos da p az b arÃo de c apanema antonino fialho w enceslÁo b ello s ylvio r angel p acheco l eÃo lauro muller miguel calmon lyra castro augusto ramos simÕes lopes eduardo cotrim pedro osÓrio trajano de medeiros paulino fernandes fernando costa s Érgio de c arvalho g ustavo d utra josÉ augusto trindade ignÁcio tosta josÉ saturnino brito josÉ bonifÁcio luiz de q ueiroz carlos moreira a lberto s ampaio e pa minondasdesouza alberto torres c arlos p ereira de s Á f ortes theodoro peckolt r icardo de c arvalho barbosa rodrigues g onzaga de c ampos a mÉrico bragan avarro de a ndrade mello leitÃo aristides caire vital brasil getÚlio vargas e dgard t eixeira l eite r oberto f erreira da s ilva p into jaime rotstein e duardo e u g Ê niogouv Ê avieira francelino pereira luizm arcus s uplicy h afers ronaldo de albuquerque t ito b runo b andeira r yff f lÁvio m iragaia p erri j oel n aegele m arcus v inÍcius pratini de moraesr oberto p aulo c Ézar de a ndrade r ubens r icupero pierre landolt antonio ermÍrio de moraes i srael k labin s ylvia w achsner a ntonio d elfim n etto r oberto p araÍso r ocha j oÃo carlosf av eretp or to antoniocabreram ano f ilho jÓrio dauster antonio carreira a ntonio m ello a lvarenga n eto i bsen de g usmÃo c Âmara john richard lewis thompson j osÉ c arlos a zevedo de m enezes afonso arinos de mello franco roberto rodrigues j oÃo c arlos de s ouza m eirelles f Ábio de s alles m eirelles l eopoldo g arcia b randÃo a ly ssonpaolinellio sanÁ s Ócrates de a raÚjo a lmeida denise frossard e dmundo b arbosa da s ilva e rling s lorentzen sociedade nacional de agricultura · fundada em 16 de janeiro de 1897 · reconhecida de utilidade pública pela lei nº 3.459 de 16/10/1918 av general justo 171 7º andar · tel 21 3231-6350 · fax 21 2240-4189 · caixa postal 1245 · cep 20021-130 · rio de janeiro brasil e-mail sna@sna.agr.br · http www.sna.agr.br escola wenceslÁo bello fagram · av brasil 9727 penha cep 21030-000 rio de janeiro rj · tel 21 3977-9979 2 sustentabilidade e economia verde

[close]

p. 5

sustentabilidade economia verde e pegada ecológica comissão mundial sobre meio ambiente da onu definiu desenvolvimento sustentável como aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem às suas próprias necessidades ao longo dos anos o conceito de sustentabilidade vem incorporando aspectos sociais e a questão ambiental passou a ser associada ao desenvolvimento econômico ao emprego às igualdades ao combate a pobreza dentre outros aspectos recentemente surgiu o termo pegada ecológica um indicador que avalia a quantidade de recursos naturais necessários para a manutenção do estilo de vida das pessoas assim cada cidadão teria sua pegada ecológica cada comunidade cidade ou país teriam suas respectivas pegadas ecológicas a economia verde permanece com um vago enunciado visa à melhoria do bem-estar e à redução das desigualdades sem o aumento da pegada ecológica todo esse jogo de palavras é útil faz parte do processo de conscientização ecológica que vivenciamos nos últimos anos neste sentido é inegável que estamos evoluindo nacional e globalmente retóricas à parte a agricultura está sempre presente quaisquer que sejam as versões e abrangência dos conceitos relacionados à sustentabilidade economia verde ou pegada ecológica a agricultura ocupa um terço da superfície da terra e é a principal atividade de grande parte da população mundial no brasil de dimensões continentais mantemos mais de 62 do território preservado e possuímos uma das legislações ambientais mais avançadas e restritivas do mundo podemos afirmar sem dúvida que a agricultura brasileira é sustentável e inclusiva socialmente poucos países conseguiram conciliar uma exuberante produção se alimentos com indicadores elevados de sustentabilidade e preservação ambiental como o brasil a o brasil possui a matriz energética mais renovável do mundo industrializado e ainda temos grande potencial de crescimento na produção de etanol e biocombustíveis dispomos de tecnologia avançada e adotamos práticas agrícolas que visam ao uso racional dos recursos naturais tais como controle biológico integração lavoura-pecuária-floresta plantio direto dentre outros caberá ao brasil fornecer grande parte dos alimentos necessários para os dois bilhões de novos habitantes do planeta que nos próximos 40 anos serão incorporados aos atuais sete bilhões além de quantidade temos qualidade e segurança em nossa produção investimos em pesquisa e eficiência nossa produtividade tem crescido de forma extraordinária baseada na inovação no conhecimento e no trabalho incansável de nossos produtores rurais está na hora do brasil quantificar os valores dos serviços ambientais que presta ao planeta fundamentais para o equilíbrio do ecossistema global trata-se de uma constatação irrefutável reconhecida em todo o mundo não é justo que o custo dos serviços de preservação ambiental continuem sendo suportados apenas por nossos produtores rurais que já enfrentam maiores riscos e incertezas que os demais setores da economia a realização da conferência rio 20 e a recente aprovação do novo código florestal abrem oportunidades para ampliar a discussão sobre o assunto nesta publicação especial da sociedade nacional de agricultura reunimos depoimentos e artigos inéditos de ilustres personalidades de diversas origens e especialidades sobre sustentabilidade e economia verde boa leitura antonio mello alvarenga presidente da sociedade nacional de agricultura sustentabilidade e economia verde 3

[close]

p. 6

sustentabilidade e economia verde publicação especial da sociedade nacional de agricultura sna conferência das nações unidas sobre desenvolvimento sustentável rio+20 junho 2012 coordenação geral e revisão final cristina baran capa cristina baran foto embrapa revisão paula guatimosim secretaria sílvia marinho de oliveira editoração e arte paulo américo magalhães pm5propaganda@terra.com.br tel 21 2580-1235 impressão ediouro gráfica e editora ltda tel 21 3882-8400 sacgraf@ediouro.com.br av general justo 171 7º andar 20021-130 rio de janeiro rj tel 21 3231-6350 site www.sna.agr.br 4 sustentabilidade e economia verde

[close]

p. 7

sumÁrio sumÁrio rio+20 e o código florestal antonio delfim netto 6 o exercício diário da sustentabilidade mendes ribeiro filho 9 cna lança política de governança climática da agropecuária na rio+20 kátia abreu 12 o agro brasileiro na rio+20 roberto rodrigues 17 agricultura e sustentabilidade pedro antonio arraes pereira e maurício antônio lopes 20 humanidade em apuros ibsen de gusmão câmara 25 avicultura desenvolvimento com sustentabilidade francisco turra 29 desenvolvimento sustentável um conceito flávio miragaia perri 31 economia verde e sustentabilidade haroldo mattos de lemos e antenor barros leal 39 progresso sustentável maurilio biagi filho 44 a agropecuária nacional na perspectiva da economia verde fábio de salles meirelles 47 o futuro da agropecuária sustentável luís fernando guedes pinto 53 economia verde e agricultura existe pontencial eduardo delgado assad 57 sustentabilidade e economia verde 5

[close]

p. 8

rio+20 ee rio+20 o cÓdigo o cÓdigo florestal florestal antonio delfim netto parentemente o primeiro a sugerir que o aumento da concentração de dióxido de carbono o famoso co2 poderia ser responsável pelo aumento da temperatura terrestre foi o químico sueco svante arrthenius num artigo publicado em 1896 nos últimos 116 anos sua hipótese tem sido discutida e escrutinizada de todas as formas sem que se tenha chegado a uma conclusão definitiva há também sérias dúvidas sobre a origem do aquecimento se produto da evolução natural do sistema físico cíclico que controla a terra ou se a produto da atividade humana efeito antropogênico a discussão escapou da área científica onde tudo se resolve pela procura de evidências controladas que podem ser repetidas para o campo da ideologia estimulada por suas consequências sobre a atividade privada que procura a maximização do lucro da mesma forma que a indústria de cigarros induz a construção de evidências científicas que seu produto não é 6 sustentabilidade e economia verde

[close]

p. 9

um fator e 2010 nos setores altamente geradores últimos 130 anos estimulador do de co 2 energia a carvão câncer no pulmão o aquecimento da ou pelo menos ou petróleo que produzem terra foi de quase que há dúvida externalidade negativa 1 mas é difícil razoável sobre cuja correção exige uma discernir se essa causalidade devido aos intervenção da sociedade setores altamente através de um estado regulador movimentos geradores de co 2 forte tentam criar pelo menos naturais ou do energia a carvão efeito controvérsias ou petróleo que antropogênico se produzem considerarmos o pequeno espaço de externalidade negativa cuja correção tempo decorrido é muito provável que exige uma intervenção da sociedade o grosso do efeito seja mesmo através de um estado regulador forte tentam criar pelo menos derivado do aumento da atividade controvérsias industrial do homem resultados pífios no nível das conversas diplomáticas a onu estimulou a conferência sobre o clima em stockholm em 1972 que tem sido regularmente repetida em cada década 1982 nairobi 1992 rio 2002 johannesburg rio+10 e 2012 rio+20 em 1997 nada menos do que 160 nações aderiram ao protocolo de kyoto rapidamente desmoralizado por críticas de toda natureza compromissos firmes isso impõe uma grande responsabilidade à rio+20 da qual se deve esperar compromissos firmes para a mudança verde na produção de combustíveis e no esforço recobrado em tecnologias que reduzem a quantidade de energia por unidade de pib apenas para dar um exemplo a china que desde 2006 é a maior poluidora internacional é muito rica em carvão consome 2,5 vezes a energia por unidade de pib com os resultados práticos de tais relação à média mundial e 4,5 vezes reuniões têm sido pífios entre 1880 e a consumida pelos países da 2010 a temperatura média da terra organização para a cooperação e revelou grande variação mas a sua desenvolvimento econômico-oecd tendência tem apesar de todo sido a de seu esforço deve-se esperar da rio+20 crescimento antipoluidor compromissos firmes para a aumentou em sendo a maior mudança verde na produção consumidora de torno de 0,0042 oc ao ano entre 1880 de combustíveis e no esforço energia por e 1980 e acelerourecobrado em tecnologias que unidade do pib se para nada sendo o aumento reduzem a quantidade de menos do que de sua energia energia por unidade de pib 0,0135 entre 1980 sustentabilidade e economia verde 7

[close]

p. 10

produzida pelo carvão e tendo a maior taxa de crescimento do pib é pouco provável que mesmo com um esforço gigantesco ela venha a contribuir significativamente para o objetivo de 2050 o mesmo acontece com os eua situação complicada a situação é ainda mais complicada quando consideramos que 16 cientistas publicaram no início deste ano um manifesto sob o título não há necessidade de pânico sobre o aquecimento global the wall street journal 26/01/2012 afirmando que não há evidência incontroversa que esteja havendo um aquecimento global e que não há prova que o co 2 seja um poluente sugerem que podemos esperar mais 50 anos para ver como as coisas ficarão e como se faltasse ruído o ganhador do prêmio nobel de física prof ivar giarver democrata apoiador de obama pediu desligamento em setembro de 2011 da prestigiosa american physical society aps por não concordar com uma resolução onde a entidade afirmou o contrário do que está dito acima isso mostra o nível de paixão despertado por uma questão que deveria ser resolvida com fria objetividade apelando pelo menos para o princípio da precaução diante das terríveis consequências do aumento do aquecimento terrestre se ele vier acontecer mais dramático ainda foi o recente reconhecimento do célebre catastrofista james lovelock o criador da hipótese gaia a terra é um organismo vivo de que o clima contrariou desde 2000 todas as suas previsões e que é necessário mais estudos para entender o futuro do planeta código florestal o mesmo fenômeno num nível diferente explica a enorme disputa que cercou o código florestal aprovado no congresso um discurso de surdos o lado mais vocal supostamente apoiado numa ciência duvidosa defendeu interesses difusos e nem sempre honestos como os patrocinados por algumas ongs o outro com mais poder político no congresso defendeu sem sutilezas seus interesses econômicos concretos o código tem pouco a ver com o aquecimento global e a tentativa de misturá-lo com a rio+20 não ajudará em nada ele tem tudo a ver com o uso inteligente de nossos recursos naturais para continuarmos a construir uma economia sustentável e economicamente eficiente mas não tem nada a ver com a anistia sugerida a quem deliberada e maliciosamente infringiu a lei vigente rio+20 o brasil não fará má figura na rio+20 devido aos seus esforços nela estará representado pela competente e pragmática ministra izabella teixeira mas há sérias dúvidas sobre seus resultados antonio delfim netto é economista formado pela universidade de são paulo e professor de economia ex-ministro da fazenda agricultura e planejamento reeleito cinco vezes deputado federal pelo estado de são paulo 8 sustentabilidade e economia verde

[close]

p. 11

o exercÍcio o exercÍcio diÁrio da diÁrio da sustentabilidade sustentabilidade mendes ribeiro filho o brasil passa por profundas transformações a população está amadurecendo e a expectativa de vida do brasileiro que era de 70 anos em 2000 passou para 73 anos em 2009 em 2020 as classes a b e c representarão mais de 61 das famílias ou seja em menos de uma década teremos uma população mais madura mais rica e mais exigente consumindo mais e melhor a desigualdade social no brasil caiu pelo décimo primeiro ano consecutivo segundo estudos da fundação getúlio vargas-fgv e atingiu o menor índice histórico desde 1960 a pobreza caiu 7,9 no ano passado e em 2014 a classe c representará 60,1 da população brasileira não temos dúvidas alguma de que a educação foi o fator que mais contribuiu para a melhoria desses índices além do aumento do emprego formal da redução da natalidade e fundamentalmente dos programas sociais de inclusão geração e transferência de renda promovidos pelo governo federal não podemos mais debater isoladamente questões tão intrínsecas quando se fala em sustentabilidade tratamos de aspectos econômicos sustentabilidade e economia verde 9

[close]

p. 12

sociais e ambientais o país é a sexta economia mundial e queremos ser protagonistas nas ações efetivas que visam ao equilíbrio entre a demanda à oferta de alimentos e ao alívio à fome a estabilidade econômica também tornou o brasil campo fértil para o brasil possui 851 milhões de investidores internacionais a conjunção hectares de extensão e deste total 61 de fatores ­ como investimentos em são de território tecnologia e preservado e 33 pesquisa ­ destinados à potencial de buscamos um modelo de produção de crescimento e a agricultura que conserve e use de grãos pecuária de adoção de boas modo sustentável a biodiversidade corte e leite práticas de florestas fibras sustentabilidade que proteja a qualidade do solo energia forjaram o país e da água que gere a inclusão hortifrutigranjeiros como um mercado produtiva além de promover a entre outros os seguro para novos erradicação da pobreza imóveis rurais no capitais brasil possuem uma área média de equilíbrio 64 hectares muito inferior a países como austrália argentina e canadá tratar com equilíbrio as áreas econômica social e ambiental tem sido nossa produtividade em grãos o pilar da atual política de governo e cresceu 290 em 50 anos no mesmo neste contexto a agricultura nacional período o rebanho de gado cresceu tem despontado não apenas no acúmulo 250 com o acréscimo em área de de resultados positivos mas também na apenas 39 estamos investindo em perspectiva de geração de riquezas para eficiência e em competitividade na o brasil e para os brasileiros produção de alimentos nosso país se tornou líder em inovação a evolução da produção de alimentos agropecuária no mundo tropical pela em relação à área plantada nos mostra ferramenta da pesquisa houve a a importância da eficiência no campo diversificação dos sistemas de produção de 1991 até 2012 nossa produção de agropecuária o que ajuda o país a grãos aumentou 173 enquanto a área garantir a segurança alimentar e a necessária para suportar essa produção produzir excedentes além de cresceu apenas 52 exportamos para mais de 200 mercados em todo o mundo a agricultura desafio representa 25 do produto interno brutopib do país e é responsável pelo saldo esta é a resposta que o país e os positivo da balança comercial brasileira produtores estão dando para o desafio de aumentar a produção de alimentos a política agrícola brasileira avançou com segurança e qualidade a sobremaneira em direção à sustentabilidade buscamos um modelo de agricultura que conserve e use de modo sustentável a biodiversidade que proteja a qualidade do solo e da água que gere a inclusão produtiva além de promover a erradicação da pobreza 10 sustentabilidade e economia verde

[close]

p. 13

sociedade também espera da agricultura uma contribuição significativa na produção de energia renovável na geração de riqueza para quem vive da terra e na redução da emissão de gases de efeito estufa incentivamos a utilização racional da água a preservação do meio ambiente e a geração de maior renda para os pequenos produtores embrapa para tanto o ministério da agricultura gostaria ainda de destacar o trabalho pecuária e abastecimento ­ -mapa de ponta que vem sendo realizado pela desenvolve ações importantes na empresa brasileira de pesquisa construção de sistemas agroalimentares agropecuária-embrapa estamos e agroindustriais produzindo uma limpos a principal verdadeira delas é o programa revolução no o programa de agricultura de de agricultura de campo da baixa emissão de carbono ­ plano baixa emissão de pesquisa a abc que tem como objetivo carbono ­ plano embrapa tem principal a redução da emissão de gerado soluções abc que tem gases de efeito estufa na próxima tecnológicas que como objetivo principal a redução década da ordem de 125 a 156 viabilizam a da emissão de elevação do milhões de toneladas de co2 gases de efeito desempenho e a equivalentes estufa na próxima inserção econômica década da ordem de 125 a 156 milhões dos pequenos agricultores respeitando de toneladas de co2 equivalentes suas diversidades regionais e culturais a empresa estabeleceu parcerias em uma vertente complementar o internacionais com 56 países e mantém mapa atua por meio do programa de acordos de cooperação científica com agroenergia para fomentar a produção outros sete países de energia renovável a partir de produtos agropecuários e do uso da temos a dimensão que para se biomassa para geração de energia construir uma economia verde torna-se elétrica a agroenergia é responsável essencial incorporar a cultura de por cerca de 30 da energia ofertada sustentabilidade em todas as cadeias no brasil o que coloca o país na produtivas das atividades agropecuária liderança mundial do setor quase 48 e florestal da energia ofertada no país é obtida de fontes renováveis como a biomassa a nossa visão de agricultura nacional energia hidroelétrica e os está intrinsecamente ligada à biocombustíveis preservação do meio ambiente buscamos um modelo que conserve e a redução na emissão de carbono em use de modo sustentável a decorrência da mistura de etanol e biodiversidade e os recursos naturais e biodiesel nos combustíveis fósseis tem que integre a relação campo-cidade demonstrado que é possível caminhar combatendo a pobreza rural em direção ao uso massificado de mendes ribeiro filho é ministro da combustíveis verdes e com o fomento agricultura pecuária e abastecimento ao uso da agricultura irrigada sustentabilidade e economia verde 11

[close]

p. 14

cna lanÇa polÍtica cna lanÇa polÍtica de governanÇa de governanÇa climÁtica da climÁtica da agropecuÁria agropecuÁria na rio+20 na rio+20 kátia abreu agropecuária brasileira se consolidará como modelo mundial de sustentabilidade durante a conferência das nações unidas sobre desenvolvimento sustentável-rio+20 que se realiza em junho no rio de janeiro para alcançarmos esse reconhecimento a confederação da agricultura e pecuária do brasil cna levará para o espaço a 12 agrobrasil instalado no píer mauá uma série de iniciativas que demonstram a liderança brasileira neste novo paradigma de produção e desenvolvimento como a política de governança climática da agropecuária que será lançada durante o evento com esta política estabeleceremos disposições que funcionarão como guia de defesa e preservação do meio sustentabilidade e economia verde

[close]

p. 15

setoriais de mitigação e o setor agropecuário adaptação às é um dos mais vulneráveis mudanças do às alterações do sistema climático clima precursor ocasionadas pelas ações do desses planos homem no planeta dispostos na pnmc o plano de agricultura de baixa emissão de carbono abc do ministério da agricultura pecuária e abastecimento mapa proporciona o setor agropecuário é um dos mais ao produtor rural as necessárias vulneráveis às alterações do sistema condições para que adote as práticas climático ocasionadas pelas ações do de produção de baixo carbono sob o homem no planeta a transição climática ponto de vista técnico e financeiro os imposta pelos altos níveis de emissões recursos disponibilizados para a de gases do efeito estufa gee está implementação das ações causando impactos diretos na recomendadas pelo programa abc disponibilidade dos recursos hídricos totalizam r 3,15 bilhões só para no solo e na produtividade das 2012 espécies além de reduzir áreas propícias à plantação de importantes culturas destinadas à alimentação humana protagonista diante desse cenário de profundas transformações impõem-se ao brasil e ao mundo a criação e a utilização de instrumentos econômico-financeiros que possam colocar em prática ações concretas para a consolidação de uma economia menos intensiva em carbono capaz de limitar a elevação da temperatura média da terra e o aumento da concentração de dióxido de carbono co2 na atmosfera a cna assumiu o compromisso de ser protagonista global das ações em favor do clima e da produção rural de baixo carbono levando em conta os riscos e as oportunidades internas e externas que o aquecimento global traz ao agronegócio brasileiro nossas atividades em busca de uma economia menos emissora de gee começaram com a elaboração de uma política de governança climática da agropecuária pgca cujo primeiro o brasil já adotou metas de redução passo foi a elaboração de um de emissões de gee por meio da diagnóstico completo do setor política nacional agropecuário de mudanças quanto às suas climáticas emissões de a cna assumiu o compromisso pnmc no carbono de ser protagonista global momento o neste estudo das ações em favor do clima governo federal inicial e da produção rural de trabalha no identificamos a desenvolvimento necessidade de baixo carbono dos planos inventários sustentabilidade e economia verde ambiente para a atual e as futuras gerações mostrando que temos todas as condições de evitar ou amenizar os danos e ameaças relativos à mudança do clima 13

[close]

Comments

no comments yet