COISAS QUE TODO PROFESSOR DE PORTUGUÊS PRECISA SABER

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

série estratégias de ensino 17 editora afiliada

[close]

p. 2

série estratégias de ensino 1 2 3 4 5 6 7 8 9 o ensino do espanhol no brasil joão sedycias [org 11 ensino e aprendizagem de língua inglesa conversas com especialistas 12 da redação à produção textual o ensino da escrita paulo coimbra guedes diógenes cândido de lima org 10 língua texto e ensino outra escola possível irandé antunes letramento em eja maria cecilia mollica marisa leal o professor pesquisador introdução à pesquisa qualitativa stella maris bortoni-ricardo semântica para a educação básica celso ferrarezi ensinar o brasileiro respostas a 50 perguntas de professores de língua materna celso ferrarezi muito além da gramática por um ensino de línguas sem pedras no caminho irandé antunes a formação do professor de português que língua vamos ensinar paulo coimbra guedes gêneros catalisadores letramento e formação do professor inês signorini [org português no ensino médio e formação do professor clecio bunzen márcia mendonça [orgs 13 letramentos múltiplos escola e inclusão social roxane rojo 14 libras que língua é essa audrei gesser 15 didática de línguas estrangeiras pierre martinez 17 coisas que todo professor de português precisa saber luciano amaral oliveira

[close]

p. 3

a teoria na prática luciano amaral oliveira

[close]

p. 4

editor marcos marcionilo capa e projeto gráfico andréia custódio foto da capa banco de imagens istockphoto ilustrações contracapa banco de imagens stock.xchng conselho editorial ana stahl zilles [unisinos carlos alberto faraco [ufpr egon de oliveira rangel [puc-sp gilvan müller de oliveira [ufsc ipol henrique monteagudo [universidade de santiago de compostela kanavillil rajagopalan [unicamp marcos bagno [unb maria marta pereira scherre [ufes rachel gazolla de andrade [puc-sp salma tannus muchail [puc-sp stella maris bortoni-ricardo [unb cip-brasil catalogaÇÃo-na-fonte sindicato nacional dos editores de livros rj o45c oliveira luciano amaral 1964coisas que todo professor de português precisa saber a teoria na prática luciano amaral oliveira são paulo parábola editorial 2010 estratégias de ensino 17 inclui bibliografia isbn 978-85-7934-020-8 1 língua portuguesa estudo e ensino 2 aprendizagem 3 prática de ensino 4 professores formação i título ii série 10-1266 cdd 469.07 cdu 811.134.207 direitos reservados à parábola editorial rua sussuarana 216 ipiranga 04281-070 são paulo sp fone [11 5061-9262 fax [11 5061-8075 home page www.parabolaeditorial.com.br e-mail parabola@parabolaeditorial.com.br todos os direitos reservados nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida ou transmitida por qualquer forma e/ou quaisquer meios eletrônico ou mecânico incluindo fotocópia e gravação ou arquivada em qualquer sistema ou banco de dados sem permissão por escrito da parábola editorial ltda isbn 978-85-7934-020-8 © da edição parábola editorial são paulo abril de 2010

[close]

p. 5

para ivone edvaldo em memória dinho luciana

[close]

p. 6

eu estudei só seis meses agora eu fui me valer do livro que não era o livro didático não eu não queria saber de categorias gramaticais não queria saber de outras coisas eu lia era revista era livro era jornais eu queria era satisfazer minha curiosidade não ler gramaticalmente como vocês por aí não neste globo terrestre apresento os versos meus porém eu só tive um mestre e esse mestre é deus patativa do assaré

[close]

p. 7

sumário nota do editor introdução 1 5 coisas que todo professor de português 9 11 23 1.1 o que é ensinar 1.2 o que é método de ensino 1.3 o que é língua 1.4 o que é saber português 1.5 para que ensinar português a brasileiros 2 o ensino pragmático da leitura precisa saber 24 30 32 38 42 59 2.1 tipos de conhecimentos necessários para a leitura 59 2.2 esquemas mentais e processamento da informação 68 2.3 estratégias de leitura 71 2.4 tipos e gêneros textuais nas aulas de leitura 77 2.5 os elementos de textualidade e o ensino da leitura 87 2.6 análise de atividades de livros didáticos 100 2.7 duas controvérsias a leitura em voz alta e o texto como pretexto 104 3.1 fala e escrita parecidas mas diferentes 109 sumário 3 o ensino pragmático da escrita 109 7

[close]

p. 8

3.2 conhecimentos necessários para a escrita 3.3 escrita produto processo planejamento 3.4 os elementos de textualidade no ensino da escrita 3.5 tipos e gêneros textuais nas aulas de escrita 3.6 análise de atividades de livros didáticos 3.7 avaliação da produção escrita dos alunos 113 119 128 142 160 163 4 o ensino pragmático da literatura 171 4.1 o ensino tradicional da literatura 172 4.2 textualidade literária quando um texto é literário 180 4.3 para que serve a literatura 189 5.1 5.2 5.3 5.4 5.5 o que é necessário para conhecer uma palavra fenômenos semânticos no ensino do vocabulário novo acordo ortográfico fazer o quê as palavras têm poder expressivo quem tem medo dos estrangeirismos o que é gramática a natureza tridimensional da gramática cuidado com a nomenclatura gramatical patrulhamento gramatical isso está e-rra-do 195 199 210 214 223 5 o ensino pragmático do vocabulário 195 6 o ensino pragmático da gramática 231 6.1 6.2 6.3 6.4 231 237 249 259 conclusão 265 referências bibliográficas 267 8 coisas que todo professor de português precisa saber luciano amaral oliveira

[close]

p. 9

nota do editor erta vez irandé antunes autora de tanta importância para a parábola editorial reconheceu que às vezes se sente repisando antigas ideias como se ela logo ela não tivesse nada de novo a dizer a seus leitores ela se referia às posições desde muito estabelecidas em linguística mas que não são nem remotamente conhecidas muito menos incorporadas à prática de ensino de língua materna eu lhe disse irandé ainda teremos de repetir muito em todos os lugares onde queiram nos ouvir e ler essas ideias que lhe parecem tão repisadas e elas soarão como novidade absoluta e terão a força inovadora das novas concepções o vigor das novas ideias e farão professores e professoras reconhecerem nosso esforço de publicar livros que os levem a mudar de perspectiva e a transformar sua prática em sala de aula nossa ambição com cada livro novo que incorporamos ao catálogo da parábola editorial é fazer os leitores saírem de onde estão e moverem-se para um lugar incômodo o lugar da mudança a mesma mudança pela qual se batem nossos autores e todos os pesquisadores que vêm repensando o ensino de língua portuguesa no brasil há quase cinquenta anos se a antiga prática de ensino é renitente nós somos insistentes pensei nessa conversa quando decidimos publicar este coisas que todo professor de português precisa saber ­ a teoria na prática de luciano amaral oliveira autor e livro vêm reforçar as fileiras daqueles que insistem em pennota do editor c 9

[close]

p. 10

sar a formação do professor de língua portuguesa como uma tarefa à qual devemos nos aplicar com esforço diariamente renovado especialmente diante do fracasso da escola brasileira em ensinar leitura e produção de textos para ensinar leitura e produção de textos aos estudantes é preciso ensinar leitura e produção de textos antes aos professores com esse objetivo luciano amaral oliveira conversa com professores de português tanto em formação quanto em atividade e assim escreve um livro claro corajoso e coloquial claro porque consegue dizer o que das teorias linguísticas todo professor deve reter para enriquecer sua prática de ensino e desenvolver uma atividade consequente com o que já se estabeleceu como conhecido na academia mas que ainda não entrou pelos portões das escolas e precisa entrar e precisa se estabelecer no cotidiano da sala de aula corajoso porque não escamoteia dificuldades não foge dos problemas e não se alheia do contexto político-econômico ao qual uma reflexão como a dele para ser consequente não pode se furtar coloquial porque assume o tom de uma conversa animada pela intenção de proximidade com o leitor proximidade que supõe respeito por aqueles que insistem em saber qual é a ponte que há para unir teorias e prática docente metodologia de ensino leitura escrita literatura vocabulário e gramática serão os eixos em torno dos quais se desenvolverá este livro que vem se ocupar da tarefa de fazer de professores e de estudantes usuários competentes do português tarefa séria e delicada à qual não se furtarão irandé antunes luciano amaral oliveira e quantos mais queiram se juntar a nós na mudança de rota no ensino de língua materna esperamos conseguir com mais este livro ao menos um pouquinho disso marcos marcionilo 10 coisas que todo professor de português precisa saber luciano amaral oliveira

[close]

p. 11

introdução professor qual a principal característica que um turismólogo deve ter para ser bem-sucedido como consultor na área de turismo respondeu o ex-ministro saber redigir em português a resposta de caio de carvalho além de ter causado surpresa a muitas pessoas na plateia que esperavam ouvir alguma característica profissional mais específica é bastante provocadora ela revela a importância de se dominar a língua portuguesa na produção textual domínio estreitamente vinculado à competência de leitura percebe-se aí a precedência do conhecimento linguístico-textual e da habilidade de se usar esse conhecimento em relação a outras competências na área de consultoria turística indo além pode-se intuitivamente afirmar que o domínio da leitura e principalmente o domínio da escrita são competências essenciais para a maioria das atividades profissionais no mundo contemporâneo a resposta do ministro revela a importância funcional do ensino da língua portuguesa para a sociedade brasileira contemporânea fortemente marcada por eventos de letramento ou seja por introdução e m 2005 ao final de uma palestra realizada em salvador sobre a situação do turismo internacional caio luiz de carvalho ministro do esporte e turismo do governo fernando henrique cardoso ouviu a seguinte pergunta de uma estudante 11

[close]

p. 12

situações que envolvem a leitura e a escrita podemos citar como exemplos a escrita de bilhetes e recados a anotação do fiado no boteco assim como a leitura de outdoors pôsteres panfletos legendas de programas e comerciais de tv e-mails faixas cartazes camisetas jornais revistas e livros não por acaso o ensino de português tem sido o alvo de reflexões debates e críticas ao longo das últimas cinco décadas desde os anos 1960 tem-se discutido a prática docente e o fracasso ou o pouco sucesso dos estudantes brasileiros no que diz respeito à leitura e à produção de textos fatores diferentes já foram apontados como os responsáveis ou corresponsáveis por tal situação o suposto déficit cultural das minorias e das camadas pobres da população a falta de estrutura adequada nas escolas o despreparo teórico dos professores a teoria do déficit cultural é preconceituosa e reducionista de acordo com essa teoria a aprendizagem por parte dos estudantes pode ser dificultada ou até mesmo impossibilitada por sua etnia dialeto ou cultura moody 2008 lembra que a teoria do déficit cultural enfoca a cultura da pobreza e estabelecendo como norma a cultura da classe média branca sustenta que a cultura da pobreza é deficiente quando se trata de prover as atitudes experiências e valores necessários para ser bem-sucedido na escola ora um professor que acredita na teoria do déficit cultural tem grande probabilidade de levar estudantes pobres e estudantes pertencentes a grupos minoritários como os índios por exemplo a terem um desempenho insatisfatório na escola exatamente por acreditarem a priori que eles terão dificuldades de aprendizagem obviamente não há como comparar culturas distintas ou etnias distintas com o objetivo de determinar qual é a superior a não ser que se adote uma postura etnocêntrica o que é preconceituoso e extremamente prejudicial para o processo de ensino e aprendizagem não há como defender seriamente a teoria do déficit cultural como causa do fracasso escolar o segundo fator apontado a falta de estrutura das escolas é muito sério e deve ser levado em consideração na discussão sobre o fracasso dos estudantes na construção de suas competências de leitura e de escrita se pensarmos nas escolas públicas não há como não considerar a estrutura um fator determinante no desempenho dos estudantes afinal como um professor pode ajudar seus alunos no seu processo de aprendizagem se não tem acesso a recursos como 12 coisas que todo professor de português precisa saber luciano amaral oliveira

[close]

p. 13

fotocópias papel retroprojetor computador e principalmente livros há casos não raros de escolas em que não há carteiras suficientes para acomodar os alunos na sala tendo alguns deles de ficar em pé durante as aulas situações desse tipo dificultam o trabalho do professor e o aprendizado dos estudantes a falta de estrutura das escolas públicas angustia professores e alunos e é um fator complicador para o bom andamento das aulas de qualquer disciplina não só de português entretanto quando pensamos nas escolas particulares surge uma questão bastante interessante se elas possuem toda a estrutura necessária como recursos audiovisuais salas climatizadas carteiras confortáveis computadores e bibliotecas por que seus alunos também não atingem níveis significativamente mais elevados de competência de leitura e de escrita É verdade que esses alunos conseguem ser aprovados nos exames vestibulares das grandes universidades públicas pois são mais bem treinados para isso contudo suas competências de leitura e de escrita são motivo de reclamação por parte de muitos professores universitários que lecionam em turmas iniciais independentemente do curso a resposta à pergunta pelo insucesso dos estudantes brasileiros em termos de leitura e de escrita reside na falta de estrutura das escolas no despreparo teórico dos professores resultado da formação inadequada nos cursos de letras e da pouca atenção dispensada à educação pelas autoridades governamentais brasileiras que faz com que os professores sejam mal remunerados e indevidamente preparados para o ensino não abordaremos aqui a questão da falta de estrutura nas escolas embora contribua para gerar uma angústia que tira a energia de muitos professores de português das escolas públicas ela não se insere no escopo deste livro que é exatamente discutir questões teóricas relativas ao ensino de português para que se possam fazer provocações e sugestões que contribuam para reflexão do professor sobre sua prática pedagógica a questão da maneira como os cursos de letras contribuem para a má formação dos professores de português será tocada tangencialmente em alguns momentos o que motivou a elaboração deste livro cujo conteúdo é em grande parte resultado de um projeto de pesquisa realizado na universidade estadual de feira de santana intitulado o ensino pragmático da gramática foi a constatação da existência de uma grande distância entre de um lado as pesquisas introdução 13

[close]

p. 14

realizadas nas universidades e os livros teóricos sobre o ensino de português e de outro os professores de português do ensino fundamental e do ensino médio a pesquisa teve um objetivo bem simples analisar gramáticas normativas e livros teóricos sobre o ensino de português e de gramática para detectar o que ainda precisa ser dito aos professores de português de forma clara e direta a fim de diminuir essa distância inevitavelmente a pesquisa rumou para a leitura e para a escrita pela simples razão de a língua só ter sua existência materializada por meio de textos isso implica que fazer os estudantes estudarem gramática sem levar em consideração o papel que as estruturas gramaticais têm no uso da língua que toma a forma de textos falados e escritos é contraintuitivo um elemento que contribui para aproximar professores de português pesquisadores e teóricos são as oficinas de aperfeiçoamento promovidas pelas secretarias de educação estaduais e municipais essas oficinas podem se constituir em ferramentas importantes para os professores terem acesso a conhecimentos construídos pela linguística aplicada que possam servir de norte para suas aulas afinal a formação de docentes é algo que precisa ser pensado e realizado com cuidado tive a oportunidade de mediar oficinas de aperfeiçoamento promovidas pela secretaria de educação do estado da bahia para professores de português de escolas públicas estaduais o contato que tive com 118 cursistas nessas oficinas me ajudou a perceber com mais clareza as angústias e inquietações que afligem os professores esse contato me ajudou também a perceber que conceitos teóricos fundamentais para o ensino de português ainda não foram incorporados à prática pedagógica da grande maioria dos professores brasileiros de língua materna É aí que entra um segundo elemento que pode contribuir para encurtar a distância mencionada acima um livro escrito para professores de português tanto para os professores em formação ou seja os estudantes de letras quanto para os professores que já estão em sala de aula e um livro escrito para professores de português deve ser objetivo conciso e claro e fazer uma ponte entre teorias linguísticas e a prática docente a experiência que tive durante as oficinas serviu para eu constatar que um princípio fundamental para o ensino é o vínculo entre prática e teoria a falta de conhecimento das teorias subjacentes à prática pedagógica pode tor14 coisas que todo professor de português precisa saber luciano amaral oliveira

[close]

p. 15

nar o professor um mero usuário inconsciente de livros didáticos um simples cumpridor de tarefas com um enfoque conteudista quando isso acontece o professor em vez de usar o livro didático é usado por ele É isso que permite a veiculação de um anúncio publicitário como o seguinte o material didático dom bosco faz o seu professor ainda melhor superinteressante 2008 11 o interessante é que o texto do anúncio continua mesmo após essas palavras afirmando a autonomia do professor o sistema de ensino dom bosco valoriza a autonomia do professor e a criatividade dos alunos mais de 15 mil professores recebem acompanhamento permanente da consultoria educacional superinteressante né há ainda um problema curioso a incapacidade que muitos professores enfrentam na hora de distinguir o que procede e o que não procede nas gramáticas normativas tradicionalmente consultadas essa incapacidade precisa ser transmutada em capacidade de distinguir as incongruências e os equívocos apresentados pelas diversas gramáticas normativas à disposição do professor por isso além de precisar analisar criticamente as gramáticas normativas os professores precisam fazer uma análise criteriosa dos livros didáticos adotados pelas escolas onde trabalham todavia para serem capazes de fazer isso precisam de conceitos teóricos que fundamentem suas análises os professores de português geralmente demonstram pouco interesse por questões teóricas geralmente isso é reflexo da maneira como muitos professores de letras dos quais os professores de português foram alunos abordam teorias linguísticas e literárias sem a menor articulação dessas teorias com a prática pedagógica entretanto todo professor de qualquer disciplina precisa de um mínimo de teoria para sustentar suas ações em sala de aula para tomar decisões pedagógicas conscientes para não serem meros usuários inconscientemente passivos de livros didáticos e de gramáticas normativas introdução 15

[close]

Comments

no comments yet