O Penitenciarista - edição virtual

 

Embed or link this publication

Description

Edição Janeiro/Fevereiro de 2012 do Jornal "O Penitenciarista"

Popular Pages


p. 1

ano 2 n° 01 distribuição interna tiragem bimestral janeiro/fevereiro 2012 em breve nova sede durante o processo de reorganização do museu penitenciário paulista passamos pela classificação de seu acervo pela atualização de sua catalogação e pela contextualização por meio de sua própria história encontrando após isso potenciais explicativos que podem ser atingidos com a análise sob o ponto de vista do museu este ponto de vista ao qual chamamos de olhar vigiado permite entender o museu como construtor de valores uma vez que seu acervo apresenta relações humanas nas mais variadas formas a partir disso tornou-se possível também elaborar procedimentos que promovem a educação visando à participação e à reflexão experimentando e explorando a satisfação das curiosidades nasce dessa curiosidade nosso trabalho de difusão cultural que presentemente se realiza através de palestras redes sociais filmagens sobre memória oral ações que abrem caminho para montagem da grande exposição permanente que ocorrerá em breve em nossa nova sede junto ao parque da juventude avenida zaki narchi nº 1207 museu penitenciário paulista em ação de olho no acervo título da obra sem título autor leomar data 02/11/1998 o museu penitenciário paulista firmou cooperação com a escola técnica estadual etec jornalista roberto marinho com a finalidade de permitir a produção de um filme de curta metragem sobre a memória oral dos servidores do sistema penitenciário a etec jornalista roberto marinho localizada no bairro do brooklin zona sul de são paulo possui um prédio de 2.000 m2 construído pela rede globo em terreno cedido pelo governo estadual através da parceria alcançada será possível continuar desenvolvendo o projeto de memória oral um importante recurso na reconstrução da história do sistema penitenciário.o projeto de produção do curta metragem sobre a memória oral dos servidores do sistema penitenciário prevê trinta entrevistas com o intuito de ampliar o processo de divulgação de dados e informações sobre as histórias dos estabelecimentos prisionais do estado contribuindo assim de maneira efetiva para reconstruir e preservar essa memória memórias estas como as lembranças do cotidiano dentro desse contexto vale lembrar que aqui o que nos interessa são as falas visando ressaltar as memórias individuais construídas ao longo de vidas que hoje se apresentam em forma de relatos que nos remetem a um passado não tão distante e proporcionam uma série de questionamentos pertinentes e extremamente atuais desta forma as entrevistas acerca da trajetória de vida e profissional de diversas pessoas que fizeram ou ainda fazem parte da história penitenciária serão apresentadas em textos a serem cuidadosamente transcritos para que não percam seus ritmos e entonações em vídeos edição de momentos da entrevista ou em vídeos contendo também as transcrições o primeiro servidor filmado foi esmael martins da silva diretor do museu entre os anos de 2000 e 2007 tivemos a oportunidade de filmarmos também luiz camargo wolfmann luizão um dos mais famosos diretores da extinta casa de detenção a próxima filmagem será com suraia carneiro daher antiga diretora da penitenciária feminina da capital e do também extinto centro de observação criminológica coc o material produzido constará do acervo do mpp e estará disponível em sua nova sede o penitenciarista · 1

[close]

p. 2

josÉ ismael pedrosa justa homenagem por guilherme silveira rodrigues justa homenagem a um companheiro que dedicou sua vida em prol do sistema penitenciário nunca esmoreceu mesmo sabedor de que ameaças eram feitas a sua pessoa parecia não acreditar pois não se desviava de sua rotina com aquele peculiar sorriso aberto nos lábios sua elegância era irrepreensível sempre muito bem vestido não faltava a seções do conselho penitenciário onde era membro informante passou por momentos críticos dentre eles o período em que teve a filha seqüestrada por criminosos com certeza em represália a sua maneira enérgica de agir sobre esse episódio lembro que certa tarde quando dava aula a alunos que ingressariam no sistema fui interrompido por um colega que discretamente confidenciou algo que me fez tremer dos pés a cabeça havia sido sequestrada a filha do diretor da então casa dustódia e tratamento psiquiatrico de taubaté o que me levou a interromper a aula não sem antes me desculpar aos alunos resumindo a eles que um fato de extrema gravidade havia ocorrido e que não havia condições psicológicas de dar continuidade enviei a ele via sedex a imagem de santo expedito o santo protetor dos policiais e agentes e quando recebeu a encomenda mostrou o quanto estava preocupado e era perspicaz ligou-me de imediato indagando se eu havia lhe mandado algo e só após minha afirmação é que abriu o pacote e agradeceu a lembrança sua filha foi libertada no dia 19/04 dia de santo expedito felizmente as coisas terminaram bem com a filha resgatada ilesa e os criminosos presos e condenados tive o privilégio de contar com sua amizade e trabalhar com ele na extinta casa de detenção conhecer de perto era um companheiro de verdade um amigo sempre pronto de mãos estendidas era incrível sua simpatia não havia quem não gostasse deste personagem que teve a trajetória pautada por fatos que marcaram sua vida entre eles o episódio que culminou com a morte de 111 presos na casa de detenção e a rebelião da casa de custódia e tratamento de taubaté não esmorecia continuava corajosa mente e incansável luta em prol de um sistema penitenciario melhor e mais justo em 23/10/2005 veio a falecer vítima de atentado contra sua pessoa quando já desfrutava de merecida aposentadoria deixou um legado de amigos e lembranças de uma carreira atuante em favor daquilo que acreditava diretor de estabelecimento penal centro de readaptação penitenciária de presidente bernardes crp unidade de segurança máxima que foi criada para alojar os criminosos de maior periculosidade do sistema penitenciário paulista desde sua inauguração vem satisfatoriamente cumprindo o papel para o qual foi criada com tão grande sucesso que serviu inclusive como parâmetro para a criação das prisões federais a atual gestão penitenciária teve como em outras ocasiões coroada de êxito a medida adotada quando deu a essa tão importante unidade prisional o nome de um dos brilhantes personagens que fizeram e fazem parte de sua história centro de readaptação penitenciária difusão cultural a volta das palestras estabelecimentos penais e ressaltou as características da cultura prisional como tatuagens maricas mocós e objetos de contravenção produzidos por presos além do linguajar característico já no dia 14 de fevereiro de 2012 foi realizado o evento intitulado o bonde a história do sistema penitenciário paulista sob o olhar interdisciplinar na etec jornalista roberto marinho o evento foi dividido em duas palestras a primeira das 16:00 às 18:00 e a segunda das 19:00 às 21:00 sua intenção foi a de introduzir a temática sistema penitenciário aos alunos que participarão das filmagens do projeto de memória oral do mpp estamos agendando eventos nos estabelecimentos penais do estado caso sua unidade tenha interesse entre em contato no telefone 11 3206 4888 centro de readaptação presidente bernardes · capacidade 160 presos · rdd regime disciplinar diferenciado · celas individuais segurança máxima · segurança sistema interno de tv e detectores de metais · equipamento de alarme e bloqueador de celular · cozinha e ambulatório médico dando prosseguimento ao projeto de difusão cultural do sistema penitenciário por meio de palestras ministradas pela equipe do museu após convite do coordenador do curso de direito da faculdade santa rita realizamos no dia 31 de janeiro de 2012 a palestra com o tema direito penitenciário aspectos históricos e sociológicos a palestra abordou o conceito de arquitetura prisional o regime de aplicação da pena e os sistemas penitenciários tratou das características dos diversos tipos de 2 · o penitenciarista

[close]

p. 3

histÓria dos estabelecimentos penais penitenciÁria zwinglio ferreira de presidente venceslÁu soalmente os reacionários em praça pública em resposta contra a instalação do presídio os manifestantes exigiam escolas estradas e hospitais ao invés de uma penitenciária a primeira diretoria da instituição prisional foi exercida pelo jornalista josé ramos no período de 1964 a 1983 assumiu a direção do presídio zwinglio ferreira até então assistente jurídico do estabelecimento penal posteriormente assumiram luiz carlos guimarães brondi tadao nomura carlos augusto panucci reinaldo beraldo de almeida e atualmente osny carlos screpanti é o diretor no decorrer dos últimos 46 anos de existência a penitenciária zwinglio ferreira proporcionou um saldo positivo na vida de presidente venceslau excetuando algumas rebeliões e um sequestro com lamentáveis perdas de vidas humanas é um estabelecimento que em muito contribuiu para a integração presídio-comunidade por muitos anos foi considerado modelo para o continente centro de readaptação e reeducação o que possibilitou a regeneração de muitos presidiários que por alí passaram além de uma disciplina inigualável a penitenciária modelo ofereceu aos chamados reeducandos a melhor oportunidade de se regenerar retornando à vida familiar depois de freqüentar cursos profissionalizantes trabalhos no campo e nos setores de cozinha panificação alfaiataria gráfica farmácia hospital artesanato eletroeletrônica fabricação de móveis marmoraria criação de bovinos suinos e aves hortifrutigranjeiros e até o aprendizado de música a convivência das famílias com os presidiários e a presença de autoridades e convidados para os mais diferentes eventos sociais ou esportivos eram constantes em todas as datas festivas era um sistema que facilitava o cumprimento de sentença num ambiente de disciplina e respeito matéria escrita por altino correia enviada por isabel martinez a penitenciária zwinglio ferreira em presidente venceslau é a pioneira na região e modelo de segurança para todo o continente a penitenciária regional de presidente venceslau que atualmente ostenta o nome de um brilhante causídico dr zwinglio ferreira é pioneira em toda a região e modelo para o brasil sua criação se deve ao ex-governador do estado de são paulo jânio quadros através de decreto assinado em 13 de janeiro de 1956 suas obras foram iniciadas em fevereiro de 1958 e concluídas em 05 de dezembro de 1961 na administração do prof carlos alberto de carvalho pinto sucessor de jânio no governo de são paulo um antigo pavilhão abandonado que serviu como sede a um regimento da cavalaria entre 1925 e 1930 numa área superior a 20 alqueires de terras do próprio estado serviu para edificar o grande complexo prisional a penitenciária zwinglio ferreira foi construída nos moldes determinados pela onu cumprindo todas as exigências relacionadas à garantia individual dos cidadãos mas as divergências políticas criadas à época pelos adversários os adhemaristas geraram protestos e retardaram o início da edificação a obra só foi executada porque o próprio governador da época enfrentou pes museu da penitenciÁria da filadÉlfia criada em 1829 com imponentes paredes de castelo e torres de vigia a penitenciária da filadélfia é uma das prisões mais famosas dos estados unidos na época em que foi construída era a penitenciária mais complexa cara e imponente do mundo conhecida por sua arquitetura grandiosa e disciplina rigorosa foi a primeira penitenciária do mundo verdadeira prisão projetada para inspirar a penitência ou o arrependimento verdadeiro nos corações dos condenados a primeira prisão a ter um regime de isolamento celular onde presos ficavam e comiam sozinhos e se exercitavam individualmente essa penitenciária funcionou como prisão até seu fechamento em 1970 e abrigou criminosos famosos como al capone a partir da desativação passou a receber visitação pública tranformando-se em museu sendo possível conhecer seus corredores escuros em ruínas e suas celas mediante o pagamento de 12 dólares vista aérea da penitenciária da filadelfia visitantes na galeria central entrada principal o penitenciarista · 3

[close]

p. 4

sistemas penitenciÁrios dicas livros e filmes nesse magistral clássico da filosofia penal beccaria denuncia todas as atrocidades cometidas contra os criminosos alvos permanentes de métodos odiosos mas qual é a origem das penas e qual dos delitos e das penas cesarebeccaria o fundamento do direito de punir quais serão as punições aplicáveis aos diferentes crimes será a pena de morte verdadeiramente útil necessária indispensável para a segurança e a boa ordem da sociedade serão justos os tormentos e as torturas conduzirão ao fim que as leis se propõem quais os melhores meios de prevenir os delitos serão as mesmas penas igualmente úteis em todos os tempos beccaria vai em busca de todas as respostas a essas questões o documentário investiga a violência e a natureza humana a partir da história da atriz sophia bisiliat que entre a luz e a sombra luciana burlamaqui dedicoiu anos da sua vida para humanizar o sistema carverário foi ela quem descobriu a dupla de rap 509-e formada por dexter e afro-0x dentro da casa de detenção a produção aborda olhar de um juiz que acredita em um meio de ressocialização mais digno para os encarverados durante sete anos a partir do ano 2000 o documentario aconmpanha a vida desses personagens prisão de rasphuis holanda 1595 penitenciária oriental da philadelfia 1829 a primeira prisão destinada ao recolhimento de criminosos foi construída em londres a house of correction entre 1550 e 1552 servia aos desocupados e desordeiros e tinha finalidade de fazê-los ganhar seu sustento reformá-los pelo trabalho obrigatório e evitar que outros se dedicassem à delinquência esse modelo espalhou-se de modo marcante nos séculos xvi e xvii pela europa com as prisões de nuremberg/1558 amsterdã/1597 bremen/1609 lubek/1613 hamburgo 1622 paris/1656 e roma/1703 no século xviii em virtude do aumento da criminalidade apesar do emprego da pena de morte e em face das tensões sociais exigiam novas formas de punições foi então difundido o uso da pena de prisão a preocupação em se estabelecer uma organização sistêmica das prisões teve origem nos estados unidos que seguiram as linhas fundamentais dos estabelecimentos penais ingleses holandeses e alemães além de parte das ideias de beccaria howard e bentham assim como os conceitos religiosos aplicados pelo direito canônico desde então as prisões e os presos eram confinados a carcereiros ignorantes e brutais já que só pessoas assim aceitavam exercer essa função considerada ignominiosa a denominação sistema penitenciário bem como o conceito de arquitetura prisional desenvolvido principalmente com o panóptico de benthan e os modelos arquitetônicos franceses e italianos contribuíram para que pessoas cultas e de boa posição social como magistrados e oficiais do exército aceitassem ser já não carcereiros mas diretores de penitenciária expressão essa que por sua vez contribuiu para modificar aquele conceito desprezível até então não havia propriamente um sistema penitenciário mas a partir de então os sistemas penitenciários vão se desenvolver com a aplicação de regimes de penas privativas de liberdade sob uma forma de arquitetura prisional nos estados unidos surgiram importantes sistemas o celular pensilvânico ou filadélfico em 1796 e o sistema aurburniano em 1816 já na europa no século xix surgem os primeiros sistemas progressivos o sistema inglês e irlandês nas próximas edições do penitenciarista falaremos mais sobre cada um desses sistemas com a palavra o servidor pela primeira vez recebi o informativo o penitenciarista e gostei muito gostaria de receber os anteriores para guardar como estamos comemorando 10 anos sem a casa de detenção acho que poderia também mostrar um pouco de meu acervo na penitenciária ii de serra azul estamos em cerca de 25 funcionários do extinto presídio saliento que gostaria muito de poder participar dos próximos exemplares de o penitenciarista ronaldo mazzoto agente de segurança penitenciária iv penitenciária ii serra azul participe envie-nos fotos histórias dos estabelecimentos penais do estado para a próxima edição do o penitenciárista mande sua opinião para o informativo museupenitenciário@sap.sp.gov.br secretaria da administração penitenciária equipe sap/mpp sidney soares de oliveira joão carlos gomes da silva gisele ribeiro guimarães colaboradores guilherme silveira rodrigues rosa alice taschetti ricci altino correia isabel cristina martinez acompanhe-nos 4 · o penitenciarista

[close]

Comments

no comments yet