Newsletter Saúde Ambiental_Apontamentos Verdes_1

 

Embed or link this publication

Description

Apontamentos Verdes pretende ser um momento de partilha e reflexão de informação com interesse para a Saúde Ambiental. Criada inicialmente pela mão de docentes da Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa(ESTeSL),surge agora em

Popular Pages


p. 1

apontamentos verdes porque a saúde ambiental dá que falar nota introdutória apontamentos verdes pretende ser um momento de partilha e reflexão de informação com interesse para a saúde ambiental criada inicialmente pela mão de docentes da saúde ambiental da escola superior de tecnologia da saúde de lisboa estesl surge agora em parceria entre docentes e estudantes aqui podem encontrar diversas temáticas afetas às atividades académicas e profissionais culturais e de lazer pretende-se que este espaço também seja vosso por isso gostaríamos que fossem um elemento ativo para a sua construção para tal só têm que nos dar recados depois passamos palavra prof.ª ana monteiro ana.monteiro@estesl.ipl.pt nesta edição eco-escolas sa em ação em entrevista sugestões de leitura ciência em saúde ambiental sítios e blogues calendário de eventos páginas 1 3 4 6 6 7 8 saudeambiental@estesl.ipl.pt o que é uma eco-escola É um programa de educação para o desenvolvimento sustentável promovido em portugal desde 1996 pela associação bandeira azul da europa abae visa a disseminação de uma metodologia de abordagem das questões ambientais inspirada na agenda 21 uma escola que adere ao eco-escolas compromete-se a desenvolver um conjunto de ações e atividades que deverão envolver os diferentes elementos da comunidade escolar o programa eco-escolas pretende encorajar reconhecer e premiar o trabalho desenvolvido pela escola na melhoria do seu desempenho ambiental e na sensibilização para a necessidade de adoção de comportamentos sustentáveis o programa destina-se preferencialmente às escolas do ensino básico embora possa ser implementado em qualquer grau de ensino para o obtenção do galardão eco-escolas terão de ser implementados 7 passos que vêm definidos no programa 1

[close]

p. 2

7 passos para a obtenção do galardão eco-escola conselho eco-escola deve incluir representantes da comunidade escolar e local com especial ênfase nos alunos auditoria ambiental identificação de situações que necessitem de ser corrigidas e/ou melhoradas plano de ação anualmente deverá ser aprovado um plano de ação pelo conselho eco-escolas baseado na auditoria ambiental com objetivos medidas a implementar metas e prazos para a sua concretização monitorização e avaliação aqui devem-se prever indicadores e formas de avaliação das ações a levar a cabo trabalho curricular informação e envolvimento da escola e comunidade local eco-código as atividades a desenvolver devem estar relacionadas com o currículo escolar comunicar e divulgar as atividades desenvolvidas por forma a chamar a atenção da comunidade o eco-código é uma declaração de objetivos traduzidos em ações concretas que todos os elementos da escola se comprometem a cumprir o que já fizemos 2

[close]

p. 3

e já somos uma eco-escola com orgulho a associação bandeira azul da europa ­ abae distinguiu a escola superior de tecnologia da saúde de lisboa com a atribuição da bandeira verde como resultado do trabalho desenvolvido no ano letivo de 2010/2011 foi no dia 7 de outubro em oliveira de azeméis que a estesl recebeu a sua bandeira mas foi no dia 16 de dezembro que toda a comunidade académica e convidados dra maria joão frias em representação da câmara municipal de lisboa e a coordenadora nacional do programa ecoescolas dra margarida gomes pela associação bandeira azul da europa puderam assistir ao hastear da bandeira verde eco-escolas com este gesto pretende-se mais do que um reconhecimento uma afirmação para a prática de uma política ambiental na estesl pretendese que estudantes docentes e não docentes se envolvam nas questões relacionadas com o desenvolvimento sustentável e da preservação do ambiente após o hastear da bandeira verde eco-escolas teve lugar a primeira reunião do conselho eco-escola estesl do presente ano letivo na rúbrica sa em ação podem encontrar o que andamos a fazer investigação serviços à comunidade projetos e muito mais em destaque título exposição a fungos e partículas em explorações avícolas e suinícolas duração 3 anos com início no segundo semestre de 2010 coordenadora do projeto professora carla viegas phd objetivo conhecer a exposição profissional a fungos micotoxinas e partículas dos trabalhadores destes estabelecimentos linhas de investigação e responsáveis caraterização da contaminação fúngica através dos métodos convencionais raquel sabino phd e de biologia molecular joana vacas phd avaliação da exposição profissional a fungos carla viegas phd avaliação da exposição profissional a partículas e micotoxinas susana viegas phd desenvolvimento e aplicação de métodos elisa para pesquisa de aflotoxina e ochratoxina em amostras biológicas e ambientais luísa veiga phd estudo da função respiratória dos trabalhadores anália clérigo msc pesquisa de ige total ana almeida msc e ige específicos cristina veríssimo msc 3

[close]

p. 4

nome rosa bernardo habilitações académicas parte curricular do mestrado em tecnologia alimentar pela universidade nova de lisboa várias pós-graduações e licenciatura em saúde ambiental frequentou o nosso curso entre 1992/95 enquanto bacharelato concluindo em 2000 a bietápica atividade profissional atual sempre se considerou técnica de saúde ocupacional mas segundo o regulamento é técnica de segurança e saúde nos locais de trabalho saúde ambiental em 5 palavras desafio paixão trabalho árduo amor à camisola e capacidade de improviso como ficou a saber da existência deste curso foi engraçado fiquei a saber do curso por acaso tinha uma amiga que foi colega de escola eu fiquei a repetir o 11.º ano e ela foi para o 12.º ano mas mantivemos a amizade e fomos conversando quando fui para o 12.º já ela estava no 1.º ano de dietética e dizia que estava a gostar muito do curso e que existia uma série de cursos interessantes na escola onde estava a minha primeira opção foi análises clínicas e saúde pública mas fui parar a saúde ambiental no final do 1.º mês do curso houve a possibilidade de permuta para análises clínicas mas eu já não troquei achei o nosso curso muito interessante e que tinha muito a ver comigo pensou em mudar de curso se sim para qual não nunca comecei logo a interessar-me pelo curso qual a área que achava mais interessante no curso enquanto estudante eu sempre gostei muito da área ligada à qualidade da Água via-me a fazer aquilo o que é giro e depois acabei por nunca fazer e também era a parte da segurança alimentar quais foram as lacunas que achou existirem no seu ano de curso conheço um colega que fez o 1.º ano connosco e no 2.º ano foi para coimbra ele dizia que tinha um grande conteúdo em termos analíticos ou seja nós aqui limitávamo-nos por exemplo a fazer a colheita das amostras de água mas eles lá entravam inclusive na marcha laboratorial e foi sempre uma coisa que eu notei que deviam complementar por esse motivo eu no final do 2.º ano nas férias fui estagiar no laboratório da câmara municipal de oeiras quais as componentes laboratoriais que tinha incluídas no curso não tínhamos nenhuma conhece as componentes laboratoriais que temos actualmente no curso o que pensa delas não conheço depois de explicarmos quais são as componentes acho que são suficientes porque existem pessoas especializadas em realizar a marcha laboratorial para nós é interessante para termos ideia de como é feito mas o que realmente interessa é saber se as amostras são representativas e saber interpretar os boletins 4

[close]

p. 5

sentiu necessidade de ter formação complementar É fundamental porque nós saímos daqui o que acho ser comum a todas as licenciaturas a pensar que não sabemos nada nós temos um leque enormíssimo de saídas profissionais e uma formação muito diversificada o que é bom em termos de empregabilidade mas cria-nos alguns constrangimentos porque achamos sempre que não conhecemos nada em profundidade nos primeiros tempos abriga-nos a um esforço adicional mas quando entramos numa área é fácil ou seja a nossa formação de base prepara-nos para muitos cenários diferentes agora a formação até é mais específica do que foi a minha mas a formação complementar é importante porque no caso dos técnicos de segurança e saúde no trabalho um dos grandes empregadores da nossa área eu tenho que ser competente na área da segurança contra incêndios na área dos riscos químicos dos riscos físicos são de facto áreas muito específicas nas quais ser autodidata é pouco comparando o plano de estudos da sua altura com o atual acha que agora o curso está mais completo sim vocês agora têm 3 unidades currículares de física e 3 de química eu tive duas na área do ruído tínhamos várias unidades curriculares não sei precisar quantas em que senti que me faltava muita bagagem na área da física nomeadamente na acústica para conseguir compreender e ler os resultados que o sonómetro me dava e essa foi uma das formações complementares que fiz um curso de avaliação de ruído tive muita dificuldade em acompanhar o curso porque os meus conhecimentos na área da física eram muito poucos eu sinto que nesse aspeto houve um reforço quando terminou o curso demorou muito tempo a encontrar emprego seis meses quando eu entrei ainda era a escola técnica dos serviços de saúde e o que acontece é que o número de vagas de cada curso era criado em função do número de profissionais que eram necessários ao ministério da saúde quando eu saio em 95 tinha havido uma indicação por parte do governo que impediu a entrada dos técnicos para os serviços de saúde já se tentava controlar o número de efetivos na função pública aquela perspetiva de que íamos acabar o curso em setembro e começar a trabalhar em outubro não aconteceu e depois comecei a mandar currículos e consegui qual o emprego que pensava que ia ter quando acabasse o curso trabalhar num centro de saúde qual o seu primeiro trabalho o que achou mais interessante dessa área fui trabalhar para uma empresa de engenheiros consultores na área da segurança que é uma empresa de referência a nível nacional foi a primeira a trabalhar na área da segurança contra incêndios ainda nem havia regulamento eu não conhecia muito bem a indústria fazíamos muitos trabalhos no âmbito da segurança e saúde e também da engenharia nas indústrias portuguesas em que áreas já trabalhou e qual gostou mais trabalhei sempre na área da saúde ocupacional mas agora quero mudar para saúde pública que conselhos daria aos estudantes de sa que entraram agora no curso e aos que estão a terminar agora o curso e que vão entrar no mercado de trabalho 1º se acreditam mesmo nesta área nunca podem desistir e invistam na formação complementar da área em que pretendem trabalhar 2º aproveitar ao máximo o que o curso tem para vos dar 5

[close]

p. 6

sugestões de leitura o desafio global ­ como enfrentar as alterações climáticas criando uma nova era de progresso e prosperidade autor nicholas stern colecção gulbenkian ambiente editora esfera do caos ano 2009 tema ecologia resumo este livro explica o que deve ser feito para que a maior das ameaças seja afinal uma oportunidade graças ao trabalho de nicholas stern as alterações climáticas entraram na agenda dos mais importantes decisores económicos e políticos do planeta É ainda possível transformar esta gigantesca ameaça o aquecimento global e as alterações climáticas numa oportunidade ímpar corrigindo falhas de mercado definindo novas políticas públicas ultrapassando a crise económica e financeira em que estamos mergulhados combatendo a pobreza e abrindo um novo caminho para o desenvolvimento e para a prosperidade fonte http www.wook.pt gestão ambiental autor j f santos oliveira editora lidel ano 2005 tema administração e gestão resumo muitas pessoas perderam de vista a noção fulcral de ambiente nomeadamente como conjunto de fatores que rodeiam e influenciam os seres vivos incluindo o homem a importância do ambiente presente e futuro torna essencial o conceito e a prática da sua gestão no sentido de garantir a sua conservação É por isso indispensável gerir o ambiente de forma adequada tendo em conta as limitações de uso que apresentava quando o recebemos e procurando minimizar as limitações que das nossas ações podem resultar tendo em conta que a gestão do ambiente é uma das formas de intervenção que ainda nos restam surge a presente obra que se constitui como uma proposta de concetualização das intervenções que nos são ainda possíveis os técnicos autárquicos os especialistas em ambiente e os cidadãos que pretendem saber mais para poderem intervir na gestão da realidade comum poderão encontrar aqui algumas ajudas fonte http www.wook.pt ciência em saúde ambiental chlorinated polyciclic aromatic hydrocarbons associated with drinking water chlorination preparation quantification and genotoxicity characterization hidrocarbonetos aromáticos policíclicos pahs estão entre os mais persistentes e micropoluentes orgânicos tóxicos presentes na água e vários deles são mutagénicos e cancerígenos além disso estudos recentes sugerem que pahs e seus metabólitos podem ser desreguladores endócrinos embora tenha sido demonstrado que derivados clorados de pahs cl-pahs são formadas durante o processo de cloração da água pouco se sabe sobre seus potenciais efeitos genotóxicos e carcinogênicos os objetivos deste trabalho foram preparar e caracterizar os principais derivados de clorados de benzoapireno bap para desenvolver metodologias analíticas para sua quantificação em amostras de água e avaliar seus efeitos genotóxicos e potencialmente cancerígenos o efeito genotóxico de 6-cl-bap foi caracterizado em comparação com as concentrações equimolares de bap utilizando o ensaio cometa em uma linha de células humanas derivadas do fígado os dados preliminares mostram que 6-cl-bap é genotóxico e que é capaz de induzir níveis mais elevados de danos no dna do que bap resumo rebola m silva m j louro h antunes a josé s rebelo m h cardoso a 2008 chlorinated polyciclic aromatic hydrocarbons associated with drinking water chlorination preparation quantification and genotoxicity characterization proceedings of ecopole vol 2 no 2 373-379 6

[close]

p. 7

indicadores biológicos de exposição ocupacional vs ambiental os trabalhadores e a população geral podem estar expostos a contaminantes produzidos pela mesma fonte porém há características intrínsecas a cada tipo de exposição normalmente as concentrações às quais os trabalhadores estão expostos são as mais elevadas porém são adultos e ficam expostos apenas durante o tempo de trabalho a avaliação da exposição humana a contaminantes presentes no ambiente externo ou ambiente de trabalho é estimada por meio das medidas periódicas das concentrações dos contaminantes em amostras colhidas no ambiente tais como ar água e solo monitorização ambiental combinadas com as medidas de determinada substância química ou seu metabólito na população exposta biomonitorização humana bh É necessário definir valores limite e valores de referência no brasil para diferentes substâncias tendo em conta as diferenças intrínsecas da população e da exposição esses valores para os trabalhadores e para a população geral apesar de diferentes devem ser definidos de forma articulada para garantir a efetiva proteção da saúde da população resumo kuno r roquetti m h umbuzeiro g 2009 indicadores biológicos de exposição ocupacional vs ambiental interfacehs v.4 n.1 artigo 5 sabias que um duche consome entre 30 a 80 litros enquanto que um banho de imersão gasta 150 a 200 litros da nossa tão preciosa água passa a gastar só um terço da água http saudeambiental.net blogue da Área cientifica e do curso de saúde ambiental da estesl com a mais variada informação desde saúde ambiente saúde pública/saúde ambiental segurança higiene e saúde no trabalho higiene e segurança alimentar ensino emprego fóruns de discussão fontes de informação periódicos http www.saudepublica.web.pt/06-saudeambiental/ambiente_indice.htm portal da saúde pública neste encontram-se conteúdos sobre saúde ambiental Água alimentos arambiente habitação promoção da saúde educação para a saúde saúde escolar e saúde ocupacional prevenção da doença trabalhos de investigação entre outros http www.spsa.pt sítio da sociedade portuguesa de saúde ambiental spsa é um fórum para profissionais de diversas formações e setores de atividade com intervenção no domínio da saúde ambiental http ansa.pt sítio da associação nacional de saúde ambiental ansa divulga noticias eventos bolsas de emprego entre outras informações no âmbito da saúde ambiental 7

[close]

p. 8

xix jornadas pedagógicas de educação ambiental data 8 a 11 de março local madeira as xix jornadas pedagógicas de educação ambiental terão este ano como tema aprender fora de portas percursos de aprendizagens mais informações http www.aspea.org acqualiveexpo e energyliveexpo data 22 a 25 de março local lisboa ­ centro de congressos de lisboa o acqualiveexpo terá lugar pela 1.ª vez no centro de congressos de lisboa em simultâneo com o energyliveexpo e vem preencher o espaço de negócios focalizado nos setores da Água resíduos e ambiente permitindo num só espaço exposição de produtos equipamentos e serviços seminários acões de formação demonstrações e contatos diretos com compradores nacionais e internacionais mais informações http www.acqualiveexpo.fil.pt 20 th international conference on modelling monitoring and management of air pollution data 16 a 18 de maio local corunha espanha o objetivo desta conferência é reunir pesquisadores que estudam contaminantes do ar e promover a troca de conhecimentos através da apresentação e discussão de trabalhos neste âmbito mais informações http www.wessex.ac.uk/12-conferences/airpollution-2012.html ficha técnica direção Área cientifica de saúde ambiental escola superior de tecnologia da saúde de lisboa 1ª edição fevereiro 2012 ifeh 12 th world congress on environmental health data 22 a 27 de maio local vilnius ­ lituânia o congresso mundial de saúde ambiental irá focar-se nas questões mais relevantes que reflitam o tema principal novas tecnologias ser humano saudável e meio ambiente incluindo tópicos habituais e aspetos da saúde ambiental como o impacto da saúde e avaliação de riscos impacto do ruído e de campos electromagnéticos segurança alimentar e educação pública o congresso vai abordar também os novos desafios para a saúde pública como as tecnologias de informação engenharia genética novas epidemias alterações climáticas e outros mais informações http www.ifeh2012.org/welcome coordenação prof.ª ana monteiro grafismo e paginação andreia domingues 4ºano redação andreia pedroso 3ºano ana catarina soares 3ºano catarina dias 3ºano susana parreira 3ºano revisão prof.ª ana monteiro international congress on environmental health 2012 congresso internacional de saúde ambiental 2012 data 29 de maio a 1 de junho local lisboa ­ estesl o iceh/cisa irá apresentar os mais recentes desenvolvimentos tecnológicos e científicos no campo da saúde ambiental enfatizando determinadas áreas específicas tais como poluição do ar toxicologia ambiental segurança alimentar saúde ocupacional entre outras mais informações http iceh2012.com 8

[close]

Comments

no comments yet