Catálogo Vebi

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

uso agrícola catalogo 2011 1

[close]

p. 2

alta tecnologia em raticidas

[close]

p. 3

uso agrícola uso veterinário uso doméstico/industrial estações para isco armadilhas ecológicas armadilha eléctrica 12 16 20 30 34 42

[close]

p. 4

a maior e mais diversificada linha de raticidas mpregado dese 4

[close]

p. 5

rattus norvegicus rattus rattus mus musculus domesticus o problema dos roedores infestantes conheça o seu inimigo ratos e ratinhos são portadores de doenças e provocam danos no meio ambiente aos animais domésticos e bens podendo ser considerados o último grande inimigo animal do homem moderno ratinho rato caseiro mus musculus rattus norvegicus ratazana dos esgotos peso mÉdio comprimento corpo cauda olhos pelo formato das orelhas fezes dieta alimentar abrigo duraÇÃo mÉdia de vida maturidade sexual quantidade por ninhada ninhadas por ano 200 500 g 18-25 cm 15-21 cm pequenos Áspero e ralo cinzento escuro por cima e cinzento claro por baixo curtas e peludas semelhantes a cápsulas 20 mm até 30g/dia em poucos sítios escava tocas subterrâneas de 12 a 18 meses máximo 4 anos 3 meses 3/7 máximo 12 indivíduos até 7 rattus rattus ratazana preta 150 250 g 16-20 cm 16-20 cm grandes salientes preto acinzentado no dorso ventre branco grandes quase sem pelo fusiformes entre 12 e 24 mm até 28g/dia em maior número de sítios dentro das paredes em lugares altos tectos celeiros inclusive em árvores de 12 a 18 meses máximo 4 anos 3 meses 3/7 máximo 8 indivíduos até 6 mus musculus domesticus ratinho rato caseiro 12-25 g 6-9 cm 7-10 cm pequenos variável dorso cinzento ventre e flancos mais claros grandes quase transparentes fusiformes até 6 mm come pouco e com frequência até 3g/dia em inúmeros sítios nas casas cavidades dentro de embalagens de comida de 8 a 12 meses máximo 2 anos após as primeiras 5 semanas 5/7 indivíduos até 8 introdução 5

[close]

p. 6

os anticoagulantes os anticoagulantes foram a reviravolta fundamental na luta contra os murídeos a razão do seu sucesso está ligada à demora com que se manifesta a sua acção à ausência de sabores à baixíssima dose de aplicação e à existência de um antídoto específico os anticoagulantes utilizados para a produção de iscos rodenticidas pertencem todos quimicamente a 2 categorias cumarine e indandiones o seu tipo de acção é no entanto similar actuam ao nível do fígado como contrário da vitamina k interferindo com a síntese dos factores de coagulação do sangue dependente da vitamina k a toxicidade diversa das moléculas anticoagulantes está ligada sobretudo à respectiva diferença de capacidade de se degradar metabolicamente e ser expulsa com as fezes e urina a sua acção inicia-se pelo menos passados 3 dias da ingestão provocando hemorragias internas que fragilizam o animal a fraqueza faz com que o animal reduza a sua actividade e permaneça geralmente no seu ninho a vitamina k é o antídoto específico para todos os anticoagulantes n.b a rapidez de acção dos anticoagulantes é muito variável de um mínimo de 2/3 dias a um máximo de 12/15 dias depende muito das condições físicas do sujeito atingido e da toxicidade do princípio activo dose letal por ingestões múltiplas dl50 peso médio ratazana ratinho 250 g 25 g warfarin 0,025 0,44 g dados não disponíveis expressa em gr de isco administrado durante 5 dias consecutivos por sujeito de dimensão média clorophacinone 0,005 0,80 g difenacoum 0,005 0,44 g 0,04 g bromadiolone 0,005 0,35 g brodifacoum 0,005 0,30 g 0,02 g toxicidade crÓnica dos iscos a toxicidade de um princípio activo multiplica-se se a ingestão se prolongar por mais de um dia a diferença de toxicidade entre os diversos anticoagulantes neste caso é muito menos acentuada desde que não se esteja na presença de resistências adquiridas toxicidade aguda dos iscos na tabela vem reportado o valor da toxicidade dos iscos para uma só ingestão os valores vão expressos em dl50 que corresponde à quantidade de isco em gramas que administrado por via oral em uma única ingestão provoca a morte a 50 de um grupo de elementos de peso médio os valores foram calculados partindo de dados experimentais extraídos de princípios activos puros dose letal por ingestão única dl50 peso médio ratazana ratinho 250 g 25 g warfarin 0,025 186 37,4 expressa em gramas de isco por sujeito de dimensão média clorophacinone 0,005 102,5 12,75 difenacoum 0,005 9 0,4 bromadiolone 0,005 5,6 0,875 brodifacoum 0,005 1,3 0,2 difetialone 0,0025 5,6 1,29 flocumafen 0,005 1.3 2,3 0.25-0,4 animais não alvo cão gato coelho porco frango 15 kg 3 kg 3 kg 70 kg 1,5 kg 1200-3000 72-480 9600 280 4800 3000 15000 6000 120 1500 3000 dmt 1500 dmt 60 4200 180-480 45-1000 1500 17,4 700-2800 30-300 600 dmt 1920 90 <2800 <60 22-75 600 42 3000 dados não disponíveis dmt dose máxima tolerada 6

[close]

p. 7

sinais da presença de murídeos dizem onde se encontra a infestação indicam o seu percurso e os pontos de maior concentração se a infestação é recente ou não dão informações sobre a espécie presente e quantos indivíduos compõem a colónia · se são de dimensões diferentes indicam que existem ratos jovens e que a comunidade se está a expandir · · · · pegadas anteriores anteriores pegada ratazana posteriores pegada ratinho comp 25 mm 5 prevenção É de boa norma prevenir a reinfestação crie pontos de envenenamento fixos e protegidos em estações de envenenamento como garantia da detecção de novos infestantes fezes posteriores 9,5 mm rato doméstico pontiaguda 5-7 mm ratazana preta pontiaguda 12-24 mm ratazana dos esgotos arredondada 18-22 mm para combater os ratos com eficácia 1 inspecção e identificação precisa de saber quem são o que encontraram de comer para viverem neste sítio onde se escondem durante o dia 2 limpeza saneamento e arrumação onde possível cortar o acesso às fontes de alimentação assim aumentará a eficácia do isco porque não terão outra coisa que comer 3 aplicação dos meios de luta escolher o tipo correcto de isco ou ratoeira 4 controlo o isco ou a ratoeira devem ser inspecionados com regularidade avaliando assim o consumo de isco e eventualmente se necesário substituir por novo técnicas de aplicação dos iscos · de acordo com o rótulo devem aplicar-se os iscos fora do alcance das crianças animais domésticos e selvagens · colocá-los ao longo dos percursos entre os nossos alimentos e os seus esconderijos · colocá-los junto às paredes · os melhores locais são aqueles onde se vêm mais fezes · o mais indicado é colocar os iscos de forma camuflada em lugares escondidos debaixo de móveis tubagens ou melhor ainda em estações de envenenamento · antes de colocar os iscos se possível eliminar qualquer fonte de alimento alternativo · substituir os iscos degradados contaminados ou rançosos · colocar novos iscos quando se notar o fim do consumo introdução 7

[close]

p. 8

contra a ratazana castanha as ratazanas comem 20-30 g de alimento seco por dia em poucas doses diárias · têm um raio de acção maior do que os ratinhos É preferível poucos postos com iscos mas mais substanciais mais de 100 g por posto mais ratazanas poderão comer naquele local · É bom colocar os iscos espaçados 4-15 m · o uso de estações de envenenamento cria no início desconfiança mas depois os roedores habituam-se quando tem início o consumo não deslocar os iscos ou as estações as ratazanas fazem ninhos interceptar a entrada · introduzir os iscos nos ninhos durante pelo menos 10 dias mas sem os destruir para não provocar o abandono ao ar livre frequentemente não é a apetibilidade do isco o factor mais importante por isso a utilização do vebitox parafinado d ou do vebirat forte pellet podem ser as escolhas certas contra a ratazana preta · É geralmente mais difícil de combater · vive no interior dos edifícios onde se encontram mais fontes de alimento a apetibilidade torna-se um factor crítico é aconselhável o vebirat forte creme · anda por sítios altos o que torna difícil a colocação de iscos aconselhável o vebirat forte creme · o isco deve pois ser colocado nos pontos mais altos · o uso de estações cria uma desconfiança inicial mas depois habituam-se · quando outros iscos não funcionam o vebitox forte pasta pode ser a solução contra o ratinho · os ratinhos comem 1-2 g dia divididos em inúmeras refeições · É melhor criar múltiplos postos com pequenas quantidades de isco que poucos e mais consistentes · o pequeno número de postos é a primeira causa de insucesso · se há disponibilidade de isco movem-se muito pouco menos de 2-3 m · o uso de pequenas estações estimula a sua curiosidade e facilita o consumo entram inclusive nas estações para ratazanas · se são ratinhos e o isco ainda está intacto o posicionamento da estação provoca a curiosidade · os ratinhos movem-se em três dimensões · os iscos mais eficazes em interiores são o vebirat forte creme vebitox facum pasta d e o vebitox forte pasta onde colocar as estações de envenenamento 8

[close]

p. 9

a cultura do isco as primeiras experiências da vebi com iscos raticidas tiveram início no ano de 1964 sob a direcção do dr testa os seus métodos de investigação e anos de estudo agora património da vebi deram à empresa a cultura que lhe permite enfrentar desafios novos no campo da desratização a investigação contínua e o contacto permanente com os profissionais do controlo de infestações que operam em diversos países conduziu à criação de numerosas formulas diferentes de iscos com vista a responder eficazmente a situações diferentes todas as novas formulações são testadas com o objectivo de valorizar a eficácia e conhecer a respectiva atractividade o laboratório de análises e investigação é o coração da inovação e do sistema de controlo de qualidade o pessoal técnico da empresa procura a confirmação dos resultados junto dos profissionais das empresas de desinfestação introdução 9

[close]

p. 10

tipos de formulação creme altamente apetecível e também impregnante o rato ao passar pelo creme impregna o pelo e patas com o produto que será ingerido pelo roedor ao lamber-se para se limpar substituí favoravelmente os velhos iscos em pó tracejante sem o perigo de uma dispersão provocada por correntes de ar em locais onde a disseminação do pó pode ser muito perigosa o creme pode ser aplicado tanto na horizontal como na vertical pasta corresponde à máxima atractividade e facilidade de uso resolvendo quase todos os problemas de desratização a formulação embora rica em gordura apresenta resistência à humidade os iscos estão embalados em papel filtro tornando fácil o posicionamento e permite verificar quando se inicia o consumo pode ser facilmente retirado no fim do tratamento isco de cereais isco composto de cereais e outros componentes alimentares altamente apetecíveis de fácil utilização económico e indicado tanto para uso em interior como em exterior 10

[close]

p. 11

blocos parafinados são a forma de isco mais resistentes à água a sua apresentação peculiar com um furo permite a sua fixação com fio de arame em grelhas e redes de esgotos à superfície das águas podem ser fixados com um prego em paredes ou no solo embora apresentando uma apetência moderada é a formulação com melhor selectividade no confronto com o rattus norvegicus em relação a todos os outros animais a forma em roseta facilita o consumo pellet isco composto de cereais e outros componentes alimentares altamente apetecíveis a tecnologia pellet melhora a eficácia do produto diminuindo o desperdício a forma física comprimida aumenta a estabilidade do produto e satisfaz a necessidade dos murídeos ao roerem minipellet isco composto de cereais e outros componentes alimentares altamente apetecíveis a tecnologia pellet melhora a eficácia do produto diminuindo o desperdício a forma física comprimida aumenta a estabilidade do produto e satisfaz a necessidade dos murídeos ao roerem introdução 11

[close]

p. 12

12

[close]

p. 13

uso agrícola 13

[close]

p. 14

vebiagro pasta composição bromadiolona substâncias inertes 0,005 99,995 vebiagro pasta composição bromadiolona substâncias inertes 0,005 99,995 descrição isco colorido vermelho em pasta embalado em saquetas prontas a utilizar fácil aplicação possui elevado teor de gordura muito apetecível aos ratos embalagem 200 g unidades por caixa 60 caixas por palete 42 registo apv nº 3846 da dgadr descrição isco colorido vermelho em pasta embalado em saquetas prontas a utilizar fácil aplicação possui elevado teor de gordura muito apetecível aos ratos embalagem 1 kg unidades por caixa 18 caixas por palete 36 registo av nº 3846 da dgadr bromadiolona bromadiolona 14

[close]

p. 15

vebiagro pasta composição bromadiolona substâncias inertes 0,005 99,995 descrição isco colorido vermelho em pasta embalado em saquetas prontas a utilizar fácil aplicação possui elevado teor de gordura muito apetecível aos ratos embalagem balde 10 kg unidades por palete 40 registo apv n° 3846 da dgadr bromadiolona uso agrícola 15

[close]

Comments

no comments yet