Relatório Actividades 2011 - Departamento Internacional, Cruz Vermelha Portuguesa

 

Embed or link this publication

Description

Este Relatório descreve sumariamente as actividades desenvolvidas pelo Departamento Internacional da Cruz Vermelha Portuguesa durante o ano de 2011, e retrata os principais acontecimentos humanitários mundiais e a resposta da Cruz Vermelha.

Popular Pages


p. 1

relatÓrio actividades o nosso mundo a sua acção pela humanidade © ficv jonathan kalan

[close]

p. 2

relatÓrio de actividades 2011 2 a cruz vermelha portuguesa é uma instituição humanitária que tem como missão garantir o respeito pela dignidade da pessoa humana através de actividades de apoio social e de ajuda humanitária a todos os que dela necessitem o movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho é composto pelo comité internacional da cruz vermelha a federação internacional das sociedades da cruz vermelha e as sociedades nacionais da cruz vermelha e do crescente vermelho conteÚdos 3 notas introdutórias o comité internacional da cruz vermelha cicv organização imparcial neutra e independente tem a exclusiva missão humanitária de proteger a vida e dignidade das vítimas de conflitos armados e de outras situações de violência o cicv esforça-se por prevenir o sofrimento promovendo e fortalecendo o direito humanitário e os princípios humanitários universais fundado em 1863 o cicv deu origem às convenções de genebra e ao movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho cujas actividades internacionais em conflitos armados e noutras situações de violência são por si dirigidas e coordenadas a federação internacional das sociedades da cruz vermelha e do crescente vermelho assenta o seu trabalho nos princípios do movimento propiciando facilitando e promovendo as actividades humanitárias levadas a cabo pelas sociedades nacionais para melhorar a situação das pessoas mais vulneráveis fundada em 1919 a federação internacional dirige e coordena a assistência internacional que o movimento presta às vítimas de desastres naturais tecnológicos e sanitários no plano internacional a federação actua na qualidade de representante oficial das sociedades nacionais que a constituem também fomenta a cooperação entre elas e a capacitação das mesmas para levarem a cabo programas de assistência social saúde preparação para desastres as sociedades nacionais da cruz vermelha e do crescente vermelho personificam o trabalho e os princípios do movimento em mais de 187 países auxiliares dos poderes públicos no seu respectivo país e no campo humanitário as sociedades nacionais prestam vários serviços que vão da prestação de socorro em caso de desastres a programas de apoio social e de saúde em tempo de guerra assistem os civis afectados e apoiam os serviços médicos das forças armadas 4 actividades cooperação e acção humanitária diplomacia humanitária restabelecimento dos laços familiares direito internacional humanitário 10 retratos de crises humanitárias 12 o movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho rege-se por sete princípios fundamentais humanidade imparcialidade neutralidade independência voluntariado unidade e universalidade perspectiva 2011 da cruz vermelha todas as actividades da cruz vermelha e do crescente vermelho têm um objectivo fundamental ajudar sem discriminação quem sofre contribuindo para manter e promover a paz no mundo.

[close]

p. 3

3 da tanto na cooperação técnica como na cooperação institucional com outras sociedades nacionais da cruz vermelha nomeadamente as de língua portuguesa a cvp reiterou o seu empenhamento e compromisso com essas sociedades nacionais quer através do trabalho que desenvolve na presidência e secretariado executivo do fórum das sociedades nacionais da cruz vermelha de língua portuguesa quer através de cooperação bilateral o fortalecimento institucional do fórum snlp dentro do movimento e nível externo foi um dos grandes objectivos delineados pela cvp em 2011 e que será prosseguido nos próximo anos a cvp manteve também o seu apoio a projectos de recuperação como o do haiti e as actividades que procuram promover a resiliência das comunidades locais como é exemplo a capacitação em primeiros socorros que continuamos a desenvolver em cooperação bilateral dar voz a quem não a tem esse é o trabalho que a cvp tem feito a nível da sua diplomacia humanitária em 2011 chamou a atenção para as questões de desnutrição no mundo e o seu impacto tema do seu relatório mundial sobre desastres assinalámos o dia internacional dos desaparecidos juntando a nossa voz às de milhares de pessoas que continuam à procura dos seus familiares desaparecidos em resultado de crises humanitárias salientámos a importância dos voluntários que actuam em emergência e em todo o mundo o movimento comemorou o ano internacional do voluntariado departamento internacional graças ao apoio da população em geral empresas privadas organismos e instituições a cvp conseguiu responder a desastres construir comunidades mais seguras e assistir as pessoas mais vulneráveis no mundo inteiro agradecemos a confiança que depositaram em nós e que nos responsabiliza a fazer mais fazer melhor chegar mais longe esta publicação abrange as actividades desenvolvidas pelo departamento internacional da cvp em 2011 e procura reflectir de forma abrangente a intervenção humanitária do movimento internacional da cruz vermelha em resposta às crises notas introdutÓrias no ano de 2011 a cruz vermelha portuguesa cvp empenhou-se na resposta aos desafios humanitários colocados a nível nacional e internacional tendo também como pano de fundo uma crise económica e financeira que afecta a europa e que exige mais para ir ao encontro de quem mais precisa nenhuma parte do mundo esteve imune a catástrofes naturais ou crises provocadas pelo homem terramotos que afectaram vários continentes ciclones e inundações na Ásia grave crise humanitária de fome e insegurança alimentar no chamado corno de África e perturbações político-civis no norte de África o movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho foi uma vez mais chamado a intervir activamente contando com os seus voluntários e pessoal para actuarem junto das pessoas e comunidades afectadas se a ajuda em tempo de conflito ou de catástrofe é essencial e urgente a cvp acredita que é indispensável uma acção duradoura para as actividades de prevenção reconstrução e/ou desenvolvimento por isso continuou empenha Índice humanitário 2011 4 número de voluntários do crescente vermelho líbio mortos 30 percentagem da população que sofre de desnutrição nas zonas afectadas pela seca no corno de África 15.000 número de mortos no terramoto tsunami no japão 50.000 número de pessoas que se encontram nos registos de desaparecidos da colômbia 440.000 estimativa da população do campo de refugiados de dabaad no quénia perto da fronteira com a somália.

[close]

p. 4

relatÓrio de actividades 2011 4 cooperaÇÃo e acÇÃo humanitÁria guerras fomes catástrofes naturais em todos os continentes a cruz vermelha portuguesa procura reunir os meios e competências para responder a situações de emergência em coordenação com as instâncias do movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho a cvp empenha-se na reconstrução das regiões devastadas no apoio às populações atingidas e em risco e na promoção do desenvolvimento das comunidades locais a cvp intervém prioritariamente mas não exclusivamente nas zonas geográficas de grande proximidade histórica cultural e linguística e procura prestar assistência às grandes emergências humanitárias internacionais em 2011 a ajuda humanitária da cvp procurou responder a algumas das grandes crises mundiais como por exemplo o terramoto e tsunami no japão e a crise de seca e insegurança alimentar no corno de África ver págs 10 e 11 em termos de desenvolvimento prosseguiu-se com a política de cooperação bilateral técnica na área da saúde nomeadamente em primeiros socorros fortalecendo-se as capacidades das sociedades nacionais da cruz vermelha de língua portuguesa foram ainda doados géneros como medicamentos e manequins de primeiros socorros a cvp recebeu na sua sede em lisboa representações das sociedades nacionais da cruz vermelha da guiné-bissau moçambique e são tomé e príncipe para definir novas áreas e projectos de cooperação e deslocou representantes seus a moçambique e timor-leste para visitas de avaliação de projectos haiti constru Ç Ã o a cvp em parceria com a cruz vermelha suíça continuou a financiar o projecto de reconstrução de 600 casas na aldeia palmiste-à-vin onde se prevê que até ao final do 2012 a comunidade tenha acesso a melhores habitações e a condições de saúde e higiene adequadas graças a melhorias nas áreas de água e saneamento todas as casas serão construídas nas próprias terras dos beneficiários onde têm vivido durante muitos anos e desde o início que a comunidade contribui para a reconstrução das suas próprias casas a maioria dos trabalhadores contratados para a construção das casas é da comunidade local 6 0 0 casasactividades as casas são construídas em estacas para evitar o risco de inundações o telhado é colocado com uma abertura de 60 cm das paredes para deixar passar o ar e as fortes rajadas que se possam vir a sentir na época de furacões paquistÃo inunda Ç Õ esdemon Ç Ã o pela segunda vez num período de um ano semanas de chuvas de monção afectaram severamente a província de sindh no paquistão causando cheias que obrigaram mais de 300 mil pessoas a deslocarem-se das suas casas já em 2010 a cruz vermelha portuguesa tinha apoiado com 25 mil euros as operações das cheias que assolaram este país e que se traduziram na fase de emergência na distribuição de bens de socorro não-alimentares e alimentares os programas de água e saneamento saúde abrigo e meios de subsistência também foram levados a cabo no decorrer de 2011 conforme planeado no apelo de emergência.

[close]

p. 5

5 departamento internacional www.forumsnlp.org top 10 artigos mais lidos 2009-2011 1600 1400 1517 1359 1178 1161 1066 1014 960 958 937 933 o fórum das sociedades nacionais da cruz vermelha de língua portuguesa fórum snlp foi criado em julho de 2003 com o principal objectivo de fortalecer a cooperação entre as sociedades nacionais da cruz vermelha de língua portuguesa o fórum snlp promove também os interesses da lusofonia na estrutura do movimento internacional da cruz vermelha e crescente vermelho em áreas como entre outras a da saúde preparação para a intervenção em catástrofes formação e migração são membros a cv angola cv brasileira cv cabo verde cv guiné-bissau cv macau cv moçambique cv portuguesa cv são tomé e príncipe e cv timor leste a cruz vermelha portuguesa detém desde 2009 a presidência e secretariado executivo do fórum snlp sendo da sua responsabilidade a dinamização da plataforma de intercâmbio de informações experiências e todo o material produzido pelas sociedades nacionais de língua portuguesa bem como a gestão da informação do próprio fórum 2011 foi o ano de balanço das actividades desenvolvidas pelo secretariado executivo assumido pela cvp refira-se em especial o sítio institucional do fórum snlp gerido pela cruz vermelha portuguesa que registou mais de 68.000 visualizações de conteúdos sendo que os artigos mais lidos se referem à campanha mundial da cruz vermelha o nosso mundo a sua acção às convenções de genebra e ao princípio da neutralidade definiu-se ainda o plano de acção para 2012-13 que será impulsionado pelo secretariado executivo tendo os membros do fórum snlp assinado um compromisso conjunto na xxxi conferência internacional para a promoção do direito internacional humanitário 1200 1000 800 600 400 200 0 o nosso mundo a sua ação nr hits as neutralidade brasil sn angola sn mensagem voluntariado humanidade internacional cabo verde convenções princípio presidente princípio princípio sn genebra fórum snlp actividades plano acção fórum snlp 2012-13 em 2011 foi estabelecido o plano de acção do fórum snlp que entre outras actividades define as seguintes · favorecer o intercâmbio de experiências na área da juventude · partilhar documentação em português em especial manuais e documentação produzida pelo movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho · realizar acções de formação em comum com destaque para as áreas do direito internacional humanitário primeiros socorros e a preparação para a emergência · divulgar os instrumentos de comunicação sítio de internet e canal youtube interna e externamente seja através da disseminação alargada nos seus próprios meios comunicacionais seja por voluntários pessoal e parceiros externos.

[close]

p. 6

relatÓrio de actividades 2011 6 diplomacia humanitÁria sob o lema o nosso mundo a sua acção ­ pela humanidade as reuniões estatutárias do movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho que orientam a maior rede humanitária do mundo contaram com a presença de uma delegação da cvp dos vários assuntos tratados cumpre destacar a definição da posição do movimento sobre armas nucleares e a sua difícil reconciliação com o direito internacional humanitário durante a 31ª conferência internacional foram aprovadas 9 resoluções que comprometem os estados signatários e as sociedades nacionais e que vão do reforço da protecção jurídica a vítimas de conflito a um plano de acção para a implementação do dih às desigualdades na saúde ou ao reforço dos quadros normativos e barreiras regulatórias na mitigação resposta e recuperação de desastres para além do resultado formal da conferência internacional que são as resoluções a cvp assinou ainda compromissos solenes individuais e colectivos para o período 2011-2015 1256 ­ tratado de comércio de armas em que se compromete a participar activamente na discussão sobre este novo tratado procurando que a violação do dih com a utilização de armas convencionais seja reduzida 1302 ­ reforço do direito internacional humanitário em que a cvp e o estado português reiteraram o compromisso de continuar a fortalecer a sua parceria na implementação do dih 1414 ­ reforço do direito internacional humanitário em que as cruzes vermelhas de língua portuguesa comprometem-se a um esforço conjunto de respeito e divulgação do dih nos seus países através de campanhas de sensibilização pública 2282 ­ reforço da acção humanitária local ­ assegurar a segurança dignidade e respeito pela diversidade em que a cvp se compromete a fortalecer as suas parcerias e esforços para melhorar o acesso de todos os migrantes a apoio humanitário e protecção o termo diplomacia humanitária só recentemente entrou no léxico das organizações humanitárias internacionais mas a ideia está longe de ser nova pode-se dizer que ela se iniciou após o regresso de henry dunant de solferino itália em 1859 quando os horrores da guerra o inspiraram à criação do que agora chamamos de movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho actividades com o que num certo sentido foi o primeiro relatório de advocacy do movimento o seu livro recordação de solferino dunant tentou influenciar e convencer amigos reis generais primeiros-ministros e outros homens de decisão e de negócios a ajudá-lo a desenvolver um enquadramento para um movimento de voluntários e um sistema de códigos para proteger civis e feridos durante as batalhas desde o seu nascimento a cruz vermelha esteve envolvida na diplomacia humanitária que basicamente significa persuadir os decisores a agir sempre no sentido de aliviar o sofrimento humano hoje mais de 150 anos após solferino as questões que enfrentamos são mais complexas os métodos de persuasão mais diversificados e as mensagens transmitidas são baseadas num corpo de leis humanitárias contudo a mensagem fundamental permanece a mesma proteger os vulneráveis cuidar dos que mais precisam respeitar as regras da guerra neste ano de 2011 a diplomacia humanitária da cruz vermelha esteve particularmente em foco uma vez que se realizaram as reuniões estatutárias do movimento a assembleia geral da federação o conselho de delegados e finalmente a 31ª conferência internacional o órgão deliberativo máximo do movimento e que constitui uma oportunidade para consultar os estados signatários das convenções de genebra.

[close]

p. 7

7 departamento internacional processos rlf 2011 pedidos localização mensagens cruz vermelha © thomas-pizer-icrc-00084 39 121 6 2 1 documentos pessoais certificados reunião familiar actividades pelo movimento tendo-se prosseguido as actividades já anteriormente prestadas aos beneficiários tais actividades incluem pedidos de localização mensagens cruz vermelha envio/recepção de documentos pessoais certificados de prisioneiro e reunião familiar em 2011 o serviço de restabelecimento dos laços familiares da cvp recepcionou 39 novos casos de pedidos de localização 18 originados em portugal e 21 recebidos da rede de restabelecimento de laços familiares foram concluídos 12 casos reportados aos anos de 2008 e 2011 foram ainda tomadas diligências no sentido de tentar localizar as pessoas procuradas nos casos pendentes relativamente aos outros processos de restabelecimento dos laços familiares salientam-se as 121 mensagens cruz vermelha que foram trocadas enviadas 62 e recebidas 59 procedeu-se ainda à obtenção e/ou reencaminhamento de documentos pessoais emissão de certificados de prisioneiro e reunião familiar não interessa o tempo que passou localizar os desaparecidos e familiares e saber do seu paradeiro é um direito do ser humano conflitos desastres e movimentos migratórios podem levar à separação e perda de contacto das famílias a rede de restabelecimento dos laços familiares da cruz vermelha é accionada quando os tradicionais meios de comunicação não funcionam e em consequência as famílias ficam impossibilitadas de se contactarem este trabalho implica tentar localizar pessoas trocar mensagens com a família reunir famílias e procurar clarificar o destino dos desaparecidos em 2011 este serviço prestado pela cruz vermelha portuguesa foi integrado no departamento internacional com vista a melhorar a resposta foram estabelecidos critérios de aceitação de casos com base nas orientações técnicas definidas

[close]

p. 8

relatÓrio de actividades 2011 8 direito internacional humanitÁrio publica Ç Õ esdeinteresse relatório mundial sobre desastres 2011 este ano o enfoque do relatório foi colocado na crescente crise de fome e desnutrição no mundo os 925 milhões de pessoas desnutridas ou os 15 da população mundial que se deita com fome são alguns dos números alarmantes o aumento do índice do preço de alimentos é outro dado preocupante a protecção da vida e dignidade humanas das vítimas de conflitos armados e outras situações de violência é uma das missões da cruz vermelha portuguesa uma das formas de o conseguir é assegurar o respeito pelos direitos das pessoas afectadas o direito internacional humanitário dih protege as pessoas que não participam ou deixaram de participar nas hostilidades combatentes feridos e doentes náufragos civis e prisioneiros de guerra bem como pessoal militar médico voluntários das sociedades nacionais da cruz vermelha e do crescente vermelho e outras sociedades de socorro devidamente autorizadas o dih garante também protecção adicional a categorias de pessoas especialmente vulneráveis como mulheres e crianças a promoção e implementação do dih tem vindo a ser feita através de formações específicas a grupos-alvo como as forças armadas portuguesas universidades escolas organizações e público em geral também se promove o dih a nível de formação interna de voluntários e pessoal da cvp em 2011 a cvp ministrou 14 sessões de formação de dih destacando-se as formações dadas às forças armadas as forças armadas e de segurança têm influencia directa sobre as pessoas afectadas por conflitos e outras situações de violência especialmente os doentes e pessoas privadas da sua liberdade relatório de advocacia sobre voluntários a actuar em emergências a natureza do trabalho de resposta a emergências significa que alguns voluntários colocam as suas vidas em perigo É um grupo que precisa ser cuidado e reconhecido pelo seu trabalho e pelo que dão de si às comunidades revista cruz vermelha crescente vermelho com quatro edições anuais esta revista do movimento analisa os principais assuntos humanitários e a resposta da cruz vermelha pode ser consultada online através do sítio www.redcross.int en/mag/index.html actividadeso valor dos voluntários o questionário e relatório elaborados demonstram claramente o valor económico dos voluntários da cruz vermelha este relatório também analisa o valor social que os nossos voluntários dão às suas comunidades locais e à agenda de desenvolvimento em todo o mundo seca no corno de África a mais severa das secas no corno de África de há décadas trouxe graves e demasiado habituais consequências humanitárias muito do sofrimento poderia ter sido evitado e numa região fustigada por secas recorrentes o maior desafio de hoje é prevenir o próximo desastre © cv portuguesa se que m a ntir ara aplic ra goer com peitam da gue resr ma s o as n

[close]

p. 9

© ficv o trabalho da cruz vermelha portuguesa É orientado pela estratÉgia 2020 que estabelece trÊs objectivos estratÉgicos © cv suíça 1 salvar vidas proteger os meios de subsistÊncia e reforÇar a recuperaÇÃo de desastres e crises 2 promover uma vida saudÁvel e segura 3 promover a inclusÃo social e uma cultura de paz © cv japonesa

[close]

p. 10

relatÓrio de actividades 2011 10 retratodeumacrisehumanit Á r i a japÃo terramotoetsunami local epicentro terramoto de magnitude 9 na escala de richter com o epicentro a 120 km da sua costa nordeste o terramoto originou um tsunami com ondas a chegarem aos 40 metros de altura população 400 mil pessoas deslocadas 15.726 mortos 5.719 feridos 4,593 desaparecidos donativos internacionais a cv japonesa recebeu 2.75 mil milhões de euros em donativos a cruz vermelha portuguesa contribuiu com 59.000 euros actividades construção de um centro médico temporário nocturno construção de hospitais temporários como infra-estruturas de saúde secundárias melhoria das condições de vida da população afectada nos centros de evacuação e abrigos temporários apoio para o bem-estar dos seniores e educação para as crianças fortalecimento institucional da cruz vermelha japonesa programas de subsídios financeiros para as famílias afectadas duração prevista das operações 5 anos a cv japonesa tem planos de acção e programas a serem desenvolvidos para os próximos cinco anos a 11 de março de 2011 o japão foi atingido por um terramoto com o epicentro a 120 km da sua costa nordeste o terramoto originou um tsunami com ondas a chegarem aos 40 metros de altura devastando as comunidades costeiras em 15 distritos ao longo de 700 km com os maiores danos a verificarem-se em 3 distritos iwate miyagi e fukushima a cruz vermelha japonesa teve um papel vital na resposta à emergência e nos esforços de recuperação 800 equipas médicas foram mobilizadas imediatamente após o desastre para gerir clínicas móveis na prestação de cuidados aos sobreviventes a cruz vermelha continua ainda hoje a dar apoio psicossocial às pessoas que permanecem em abrigos de evacuação e nas suas casas sobretudo aos seniores uma das prioridades foi naturalmente o restabelecimento de uma certa normalidade nas vidas das pessoas que perderam familiares casas e meios de subsistência a cv japonesa já providenciou um pacote de utensílios domésticos a 82 mil famílias que se mudaram para casas temporárias e o programa vai ser alargado para chegar a 110 mil famílias masaki kamei cv japonesa

[close]

p. 11

11 departamento internacional retratodeumacrisehumanit Á r i a corno de África inseguran Ç aalimentar local djibouti etiópia quénia somália drásticas condições de seca desde maio pela falta de chuva agravamento das condições sociais e humanitárias jonathan kalan/fficv população 13.3 milhões de pessoas em necessidade urgente de ajuda humanitária 4 milhões de pessoas afectadas na somália com 1/4 da população a deslocarse devido à crise 841.130 refugiados apelo internacional 9.969.351euros a cruz vermelha portuguesa lançou apelo emergência tendo angariado 20.270 mil euros actividades realizar intervenções de emergência de reposição de animais para criar redes de segurança e proteger os meios de subsistência melhorar a produção de alimentos através de formações sobre novas técnicas agrícolas e disponibilização de kits agrícolas e sementes tolerantes a longos períodos de seca dar acesso a água potável promover boas práticas de higiene e saneamento aumentar o acesso a cuidados de saúde e gerir os níveis de desnutrição melhorar a retenção escolar diminuindo o número de desistências através do programa escolar de alimentação duração prevista das operações 12 meses esta resposta procura ajudar no imediato tendo em vista o médio/longo prazo procurando que as comunidades voltem a ter mecanismos próprios de resposta adequada a futuras crises 2011 foi classificado como o mais seco de que se tem memória no leste do continente africano a saúde os meios de subsistência e a segurança alimentar de milhões de pessoas foram colocados em sério risco mais de treze milhões de pessoas sofrem as consequências desta situação no noroeste do quénia leste da etiópia e somália a seca devastou plantações e gado e por isso se declarou uma situação de emergência humanitária na qual a cruz vermelha interveio em resposta imediata e a longo prazo a favor das famílias afectadas ao reconhecer que as secas são cíclicas e que as sociedades nacionais da cruz vermelha e crescente vermelho locais têm um compromisso diário para com as comunidades afectadas a cruz vermelha apoia as intervenções que procuram fortalecer as capacidades locais É preciso perspectivar o que a longo prazo se pretende alcançar tendo em conta o facto de que esta operação de emergência se encontra englobada precisamente nas soluções de desenvolvimento da região.

[close]

p. 12

relatÓrio de actividades 2011 abrilo comité internacional da cruz vermelha cicv lança um apelo para levar ajuda a dezenas de milhares de vítimas na costa do marfim e na libéria por causa do conflito armado entre os apoiantes de facções diferentes 12 a cv norueguesa dá apoio psicológico aos sobreviventes e familiares das vítimas do ataque na noruega 92 pessoas morrem num ataque à bomba e num ataque a tiro no centro de oslo e na ilha de utoeya perspectiva 2011 da cruz vermelha janeiroa cruz vermelha brasileira responde às cheias na região serrana do rio janeiro onde morreram cerca de 600 pessoas a cv brasileira forneceu nas primeiras horas mais de 600 litros de água potável e bens de primeira necessidade como colchões e kits de higiene o movimento cruz vermelha/crescente vermelho responde às necessidades humanitárias na chamada primavera Árabe tunísia e egipto os eventos que começaram na tunísia a 17 de dezembro originaram uma onda de contestação por todo o norte de África sendo necessário um apoio humanitário a nível de saúde deslocados internos e garantir o respeito pelo direito internacional humanitário agostoo crescente vermelho paquistanês continuando as actividades do ano passado enfrenta nova fase de emergência com as cheias na província de sindh no paquistão o movimento internacional assinala o dia internacional dos desaparecidos e a cruz vermelha portuguesa junta-se e relembra o drama dos desaparecidos maioo movimento cruz vermelha/crescente vermelho mobiliza-se para enfrentar as consequências da insegurança alimentar na região do corno de África mais de 12 milhões de pessoas em risco de sobrevivência e obrigadas a deslocarem-se dos seus meios de subsistência os centros de tratamento da cruz vermelha tratam de casos de cólera no haiti e república dominicana o aumento do número de casos que se encontravam circunscritos às zonas rurais atinge a capital as equipas de emergência da cruz vermelha espanhola montam a resposta de emergência ao terramoto em lorca espanha 70 dos edifícios da cidade ficaram destruídos deixando cerca de 15 mil pessoas desalojadas setembro lançamento do relatório mundial sobre desastres 2011 da cruz vermelha sobre a fome e desnutrição outubroo crescente vermelho turco responde imediatamente ao terramoto na província de van turquia 644 pessoas morreram 2500 ficaram feridas e hospitalizadas num total de 650 mil pessoas afectadas o cv turco enviou equipas de emergência aprovisionamento de comida sacos-cama tendas e cobertores bem como casas pré-fabricadas que tinham em stock fevereiroa cruz vermelha da nova zelândia apoia as actividades de recuperação das comunidades mais afectadas pelo terramoto de christchurch nova zelândia um terramoto de 6.3 de magnitude atingiu a área de canterbury tendo causado extensos danos rebentamento de linhas de esgoto e danificado edifícios e casas junhoo cicv e o crescente vermelho iemenita começaram a evacuar os feridos e os mortos fornecendo água à população de sana a no conflito civil iémen 4 meses de ininterruptas perturbações sociais causaram impacto com dezenas de baixas civis e feridos novembro durante as reuniões estatutárias do movimento o crescente vermelho das maldivas é admitido como 187ª sociedade nacional membro da federação internacional m a r Ç o a cv japonesa enviou 19 equipas médicas para os distritos afectados e montou um centro de operações cinco horas após o terramoto e tsunami que afectou o noroeste do japão a cruz vermelha portuguesa também apoia as vítimas japonesas julho surge uma nova sociedade nacional da cruz vermelha ­ a cruz vermelha do sudão do sul após a criação do estado do sudão do sul dezembro cruz vermelha lança primeiro relatório de advocacia sobre voluntários a actuar em emergências.

[close]

p. 13

13 departamento internacional o valor dos voluntÁrios em s inte 2011 abia q rnac com u em e io an o eur nal do orou-s ope v u do olunta e o an volu riado o ntar e iado o haiti paquistão líbia síria egipto japão À medida que o mundo acompanhava estas crises humanitárias voluntários de todo o movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho eram dos primeiros a dar resposta socorrendo doentes e feridos prestando primeiros socorros dando água e alimentos a quem precisa os nossos voluntários colocam a comunidade em primeiro lugar desde há mais de 150 anos em 2011 assinalou-se o 10º aniversário do dia internacional do voluntário e o ano europeu para o voluntariado para a cruz vermelha esta foi uma importante oportunidade de promover e reconhecer o papel dos nossos voluntários que fazem do nosso movimento a maior rede humanitária no mundo hoje uma em cada 2.000 pessoas é voluntária da cruz vermelha esta é uma estatística verdadeiramente reconfortante e inspiradora sem os 13 milhões de voluntários activos em todo o mundo não conseguiríamos ajudar cerca de 150 milhões de pessoas que precisam anualmente da nossa assistência o lema o nosso mundo a sua acção pela humanidade lembra-nos que todos temos um papel a desempenhar para tornar melhor o nosso mundo esta é a essência e o espírito do voluntariado o nosso reconhecimento e agradecimento a todos aqueles que tornam a acção humanitária possível © cicv

[close]

p. 14

pode ajudar as pessoas afectadas pelos desastres como cheias fogos terramotos e furacões que afectam milhões de pessoas em todo o mundo fazendo um donativo a favor da cruz vermelha portuguesa para o seu fundo de emergência o seu donativo permitirá à cruz vermelha portuguesa responder às crises dando abrigo alimentos apoio psicossocial e outros tipos de assistência pode fazer o seu donativo por transferência bancária multibanco entidade 20999 referência 999 999 999 e colocar o montante que deseja através do número 760 20 22 22 o custo da chamada é 0.60 iva ou donativo online ao abrigo do estatuto do mecenato e não importando a forma do donativo a cruz vermelha portuguesa entregará um recibo onde é discriminado o montante doado que poderá ser utilizado para deduções nos seus impostos para saber mais visite a nossa página www.cruzvermelha.pt a presente publicação pode ser fotocopiada em partes ou na sua totalidade desde que a fonte seja indicada a cvp agradece ser informada de toda a utilização relativa a este documento os pedidos de reprodução ou dúvidas relacionadas com o conteúdo devem ser dirigidas à cvp pelo email internacional@cruzvermelha.org.pt os mapas usados não implicam a expressão de qualquer opinião por parte da cruz vermelha portuguesa relativamente aos estatuto jurídico de um território ou das suas autoridades jardim 9 de abril 1 a 5 1249-083 lisboa telf 213913924 fax 213913998 www.cruzvermelha.pt

[close]

Comments

no comments yet