Revista NA MOCHILA - ed. 18 - DEZEMBRO/2011

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

r 5,00 tiragem auditada 12 mil exemplares obesidade ajude seu filho a prevenir e combater esse mal língua presa exercícios podem resolver mas em alguns casos a cirurgia é necessária na mochila mães de uti vaidade infantil obesidade ano 3 ­ 2011 ­ nº 18 mães de histórias emocionantes de mamães que tiveram filhos prematuros uti reoc excessi upação va beleza com a p prejudi ode ca pequen r os os vaidade inf a p antil hora de dormir crianças com sono regulado aprendem mais e melhor

[close]

p. 2

anúncio

[close]

p. 3

editorial morango tomate e uva esta edição está totalmente especial começando pela capa que você vê a produção nas fotos ao lado todo o planejamento durou uns dois meses desde a concepção da ideia até a produção das roupinhas pela loja tóing aliás eles toparam participar desta brincadeira e desenvolveram o modelito exclusivo que você vê na cachorrinha pug angelina que é uma espécie de filha da minha amiga maira ramalho as duas modelos ­ a laura de 5 anos e a angelina de 3 anos ­ fizeram bonito em menos de meia hora já tínhamos várias opções de fotos para a capa o difícil foi escolher a melhor toda edição passamos por essa dúvida gostosa qual a melhor foto para a capa mas esperamos que você também aprove a nossa escolha toda a equipe de redação preparou matérias com muito carinho a das mães de uti mostra a emoção e a garra de mulheres que tiveram filhos prematuros e como foi a experiência de passar dias semanas e até meses no hospital temos ainda as matérias sobre obesidade que é uma série especial com mais sobre o assunto na próxima edição língua presa vaidade excessiva e até um passo-a-passo para montar um móbile de natal mas a grande felicidade foi a notícia de que a luíza filha da jornalista rose araujo que passou o ano inteiro por sessões de quimioterapia recebeu alta médica no mês passado foram meses de muita angústia desde o final do ano passado agulhas mal-estar internações mas essas duas guerreiras junto olha só a equipe que trabalhou na produção dessa capa com as modelos laura e angelina eu à esquerda maira ramalho nathália simão glória maia e a fotógrafa marina zanon com o papai alexandre souberam vencer batalha por batalha o melhor de tudo é que agora a luíza já pode comer seus alimentos favoritos morango tomate e uva essa é a melhor notícia do ano que eu compartilho com todos vocês lucy de miguel editora lucy@editoravetor.com.br conecte-se com participe da nossa comunidade no facebook na mochila vetor comunicação 4 na mochila siga-nos no twitter twitter.com/namochila acompanhe nossas notícias www.namochila.com foto sabrina cantero

[close]

p. 4

Índice 16 vaidade infantil a preocupação excessiva com a beleza pode prejudicar os pequenos conheça essa doença infantil e saiba como preveni-la síndrome mão-pé-boca 22 exercícios podem resolver mas em alguns casos a cirurgia é necessária língua presa 25 damas de honra 28 pintou convite estilista dá as dicas para transformar sua filha em princesa 6 na mochila mães de uti 42 histórias emocionantes de mamães que tiveram filhos prematuros obesidade 46 ajude seu filho a prevenir e combater o excesso de peso hora de dormir 50 crianças com o sono regulado aprendem mais e melhor

[close]

p. 5

sempre aqui curtinhas 8 informações atualizadas sobre o universo infantil a revista na mochila é uma publicação bimestral com distribuição dirigida em parceria com escolas particulares da cidade de sorocaba itu e região tiragem de 12 mil exemplares auditada pela aspr auditores independentes www.aspr.com.br certificado a disposição dos interessados modelo laura spin simão 5 anos e pug angelina 3 anos fotografia marina zanon efeito fotografia agradecimentos tóing que desenvolveu o modelito exclusivo da cachorrinha para esta edição tati rodrigues josy s cabelo e estética e maira ramalho nossa capa ano 3 nº 18 dezembro 2011 diretoria executiva lucy de miguel cassiano ricardo cantero diretoria de novos projetos marcus oliveira 15 7835-8560 comercial celda sanches celda@editoravetor.com.br moda 29 roupas fresquinhas e charmosas dão o look da estação minimercado 56 novidades e lançamentos para o mundo dos pequenos redação marisa sei rose araújo tereza guedes e jeanne margareth editor assitente rafael tadashi editora de arte cristina saito papo de pediatra 38 especialistas respondem às principais dúvidas dos pais bibliotekids 58 livros para você e para as crianças fotos fernando paiva e marina zanon efeito fotografia colaboração carina alves tratamento de imagens cristina saito relacionamento com escolas rosana caruso escola@namochila.com jornalista responsável lucy de miguel mtb 24.662 impressão ibep gráfica vetor comunicação e editora rua braz laino 305 jd emília comercial av antonio carlos comitre 510 sl 113 sorocaba sp para anunciar comercial@editoravetor.com.br bullying 49 conheça a história de uma garota que venceu essa luta Álbum de família 60 fotos das crianças para guardar de recordação blogueiras 53 mães e pais compartilham a experiência de terem filhos escolas 64 relação dos colégios parceiros da revista na mochila cecília 66 planeta melhor 54 aprenda a fazer um móbile com palitos de sorvete você também vai se apaixonar por ela

[close]

p. 6

curtinhas uma pesquisa desenvolvida pela texas a&m international university confirma que a publicidade influencia sim nas escolhas alimentares das crianças mas a intervenção dos pais é determinante no cardápio a pesquisa foi realizada com 75 crianças com idade entre 3 e 5 anos que foram divididas em publicidade influencia hábitos alimentares mas os pais dão a palavra final dois grupos para assistir desenhos animados com diferentes publicidades o primeiro grupo viu um comercial de batatas fritas e ,o segundo um com pedaços de maçã após assistirem aos desenhos cada criança recebia dois cupons um com batatas fritas e outro com maçãs entre as crianças que viram o anúncio das batatas 71 escolheram o cupom referente a esse alimento porém esse número caiu para 55 quando os pais sugeriram a escolha das maçãs o mesmo comportamento foi verificado no outro grupo entre os 46 que escolheram as batatas 33 toparam mudar com o conselho dos pais segundo a organização mundial da saúde oms cerca de 40 das causas de cegueira infantil podem ser evitadas as doenças sistêmicas são prevenidas com as vacinas adequadas enquanto outros males pedem atenção dos pais e cuidados com os animais de estimação disfunções como a toxoplasmose e a toxocariase são transmitidas por falta de higiene adequada e através de alimentos 8 na mochila diagnóstico precoce diminui os riscos de perda de visão em crianças contaminados além disso as doenças que podem causar perda de visão emitem sinais perceptíveis todo quadro febril dores de cabeça ou no pescoço acompanhado de manchas vermelhas na pele tosse coriza ou conjuntivite deve ser considerado suspeito algumas doenças oculares podem ser detectadas quando a criança nasce ainda no berçário com o teste do olhinho realizado em todas as maternidades www.namochila.com dreamstime

[close]

p. 7

curtinhas toda vez que um bebê chora sem parar a primeira suspeita para o motivo do choro é a tão chata e frequente cólica mas como identificar e até mesmo prevenir esse problema cerca de 15 dos recém-nascidos têm cólicas e para ter certeza os pais têm que ficar atento aos movimentos porque nesse caso o bebê costuma mexer bracinhos perninhas tronco e a boca parecendo querer mamar mesmo que tenha sido alimentado há pouco tempo e esteja sem fome as cólicas costumam 10 na mochila choro de bebê saiba decifrar as cólicas acontecer em bebês até os três meses de idade sendo mais comuns naqueles alimentados com leite artificial devido à imaturidade do sistema digestivo do bebê que não absorve o líquido adequadamente o que provoca contrações intestinais a mamadeira por conta do ar que entra durante a sucção também pode causar dores por isso o leite materno é o melhor alimento para seu filho já que impede o crescimento bacteriano evita cólicas e estimula o funcionamento do intestino no entanto a mãe deve ter cuidado com a própria alimentação excesso de açúcar gordura e cafeína por exemplo pode ser prejudicial mas vale ressaltar que a cólica não é a única causa de choro do nenê ele pode chorar também de fome frio calor por incômodo provocado por roupa e insegurança fatores emocionais também podem acarretar choro a mãe que aparenta muita insegurança ansiedade ou medo passa isso para o bebê e pode deixá-lo incomodado www.namochila.com can stock photo inc brebca

[close]

p. 8

curtinhas muitas crianças sentem enjôo e mal-estar quando viajam de carro ônibus ou avião esse problema denominado cinetose ocorre quando o corpo está parado e o ambiente em movimento causando um conflito de informações e perturbação do equilíbrio corporal segundo o médico otoneurologista do hospital das clínicas de são paulo Ítalo roberto torres de medeiros enjôos e vômitos provocados por sensação de movimento são comuns e acometem principalmente as transtorno de movimento pode causar mal-estar duas em cada três mulheres grávidas em são paulo não praticam o tempo mínimo diário recomendado de exercícios físicos aponta um levantamento feito pela secretaria estadual da saúde de são caetano do sul participaram da pesquisa 127 gestantes de 16 a 40 anos elas foram acompanhadas durante a gestação tiveram o número de passos contados e responderam a um questionário sobre a prática de atividades físicas os dados mostraram que 65 das mulheres praticavam menos de 30 minutos diários de exercícios número de tempo mínimo recomendado pela organização mundial da saúde e a tendência foi a frequência da atividade diminuir mais de 30 no segundo trimestre de gestação o sedentarismo durante a gravidez pode causar problemas para a mulher como hipertensão e diabetes e aumenta o risco de o bebê nascer com sobrepeso e desenvolver doenças crônicas grávidas praticam menos exercícios que o indicado crianças porque elas possuem o labirinto ­ centro de equilíbrio localizado no interior do ouvido ­ imaturo no entanto o problema pode também estar relacionado à má alimentação que prejudica o funcionamento do labirinto ao ingerir alimentos ricos em açúcares e gorduras o paciente prejudica o funcionamento do labirinto e consequentemente fica mais vulnerável a esses sintomas explica o especialista para prevenir o mal-estar o ideal é fazer refeições leves antes de viajar e se necessário tomar medicamento à base de dimenidrinato um antiemético com ação anti-histamínica esse princípio ativo é seguro para gestantes e crianças www.namochila.com 12 na mochila dreamstime

[close]

p. 9

curtinhas com a proximidade das festas de fim de ano os pais já se preparam para presentear os filhos como os brinquedos são sempre os mais requisitados é bom relembrar as orientações da secretaria da saúde do estado de são paulo para não adquirir produtos considerados inadequados e que ainda podem trazer riscos à saúde a primeira regra é para que o brinquedo respeite as normas básicas de segurança e seja adequado à idade das crianças por isso atenção às informações nas embalagens principalmente ao prazo de validade e condições de garantia e certifique-se de que o produto tenha o selo do inmetro pais devem ter cuidado ao escolher brinquedos brinquedos com ruídos excessivos podem causar danos à audição e devem ser evitados principalmente por crianças muito pequenas também fique atento aos produtos com formas e cheiros porque as crianças tendem a engoli-los e evite aqueles com partes cortantes ou pontiagudas ou com peças muito pequenas e em hipótese alguma adquira brinquedos compostos por substâncias tóxicas ou de fácil combustão 14 na mochila www.namochila.com fotos dreamstime

[close]

p. 10

comportamento espelho espelho meu texto rose araujo quando a criança se torna extremamente vaidosa o sinal de alerta deve ser acionado 16 na mochila www.namochila.com dreamstime

[close]

p. 11

n o quesito vaidade infantil não tem adultos com baixa autoestima desconecpra ninguém suri cruise filha dos tados de si mesmos em busca de um ideal atores tom cruise e katie holmes é a núinatingível sentimentos de falta e vazio mero um se não for pelo menos é a mais devido à insatisfação dos seus desejos comentada na mídia seus exageros são categoricamente relatados para leitores do exagero e frustrações mundo todo como forma não só de mostrar crianças fofas bem-arrumadas cheirosas suas gracinhas fashionistas como também e limpinhas são o sonho de grande parte de expor o limite entre o fofo e o bizarro das mães e pais no entanto a realidade uma das últimas notícias que aparece nas geralmente é diferente esbaldando-se em revistas de celebridade exibe suri passeando brincadeiras os pequenos rolam no chão ao lado da mãe com um batom vermelho dançam e correm até o cabelo ficar arreescuro de chapéu e echarpe rosa e bolsa lilás piado arrancam enfeites das roupas para a vaidade da menina que tem apenas cinco facilitar as travessuras e não são adeptos anos e já entrou na lista das mulheres mais das roupas engomadinhas bem-vestidas do mundo surpreende ao quando eles fazem questão de se manmesmo tempo em que gera frutos ter impecáveis começa a aparecer de uma maneira geral a uma pulguinha atrás da orelha vaidade vaidade das crianças tem se a dona de casa tatiana silva na medida é manifestado além da conta sabe bem o que é isso a filha fundamental para não é raro notar meninas luiza de 7 anos que teve o a higiene e a saúde de seis sete anos desfilando nome trocado nessa matéria mas quando passa do a pedido da mãe para que a como miniadultas nas escolimite é que começa filha não ficasse brava com ela las e nos parques uma aceleração dos costumes que pode pelas revelações é uma típica o problema trazer consequências negativas na vaidosa acima da média de 0 vida adulta pode haver um desenvola 10 ela é 9,5 muito muito vaidosa vimento precoce da sexualidade e a chegada chora se percebe que algo não está de acorda adolescência antes do tempo natural do não sai de casa enquanto não acerta o esperado além disso podemos pensar nos que não combina durante uma brincadeira transtornos alimentares bulimia anorexia se precisar entrar em casa para adequar a ­ há muitas chances de crianças que sempre roupa à temperatura exterma chega a troviram suas mães valorizando a magreza car até os frufrus pulseiras anéis etc para pararem de comer para seguir este padrão combinarem com a nova roupa entrega alerta a psicóloga vivian cancellara esse comportamento de luiza tem a psicóloga maria cristina martins de rendido algumas frustrações à menina a camargo vai adiante essas crianças futumãe lembra que os amigos da escola já ramente poderão se transformar em adultos perceberam esse exagero dela e usam isso extremante vaidosos insatisfeitos com sua para atingi-la ela fica deprimida porque própria imagem e como a vaidade é ilusória os colegas comentam e fazem brincadeiras e não corresponde ao real encontraremos sobre a vaidade exagerada dela salienta na mochila 17

[close]

p. 12

comportamento como identificar atitudes fora do padrão quando a criança prioriza mais a aparência do que qualquer outra coisa deixa de brincar de estudar de se relacionar com outras crianças gastam a maior parte do seu tempo dinheiro da mesada em cosméticos roupas e acessórios comem menos ou não comem alegando que querem ou precisam perder peso o que pode levar a transtornos alimentares anorexia e ou bulimia vale ressaltar que entre as preocupações com a aparência surgem também aquelas causadas pelas doenças alimentares vitimadoras de um crescente número da população infantil influenciada pela mídia e pela família a criança adere à beleza estética de ser magra como objetivo de obter o corpo ideal preocupam-se exageradamente com sua popularidade na escola criticam ou comentam sobre a aparência de outras crianças com desdém fonte maria cristina martins de camargo psicóloga qual o limite não é fácil diferenciar a linha tênue que divide a vaidade considerada normal daquela mais acentuada mas algumas pistas ajudam a traçar um diagnóstico do limite para a psicóloga vivian cancellara quando a criança deixa de brincar para dar atenção aos cuidados com a estética há indícios de exagero a vaidade de uma criança é considerada excessiva se ela deixa de fazer coisas da sua própria idade brincar correr pular se sujar por causa de preocupações com o corpo exemplo deixar de comer coisas típicas da infância para não engordar para não ter celulite com a roupa deixar de brincar para não amassar sua roupa ou desarrumar o cabelo ou com a pele não brinca no sol para não ter manchas no rosto exemplo e vaidade não podemos esquecer que criança adora imitar adulto e isso faz parte do seu desenvolvimento por isso tem tanto menino querendo usar gel no cabelo e tantas meninas sempre em busca de saltos e maquiagens mas isso não significa necessariamente um comportamento fora dos padrões 18 na mochila a assistente de rh claudia lovison azevedo mãe de sofia azevedo rosa de 7 anos destaca que sua filha ora tende à vaidade exagerada ora se mostra despreocupada acho que a sofia é vaidosa o suficiente como a maioria das meninas da sua idade mas tivemos momentos em que ela estava exagerando como por exemplo quando ficou brava por eu não deixa-la passar rímel um episódio que mostrou que ela não está ultrapassando os limites da vaidade foi um dia que precisei ir ao hospital por conta de uma dor nas costas na hora de se vestir colocou uma roupa velhinha feinha e quando pedi para que trocasse porque não estava bonito ela respondeu `não preciso estar bonita mami a gente só vai ao hospital mas sofia adora estar linda ela ama se maquiar fazer penteados passar perfume colocar acessórios quando vou ao salão ela gosta de ir junto para pintar as unhas lavar e cortar o cabelo e sempre pede para fazer rolinhos na hora de dormir para ir de cachinhos para a aula revela claudia nada que chame a atenção demasiadamente na opinião da mãe ela salienta que a vaidade ajuda na formação da filha acredito www.namochila.com

[close]

p. 13

comportamento que para o resto da vida ela vai precisar se preocupar em estar limpa cheirosa bonita e não vejo problemas em querer ficar assim desde já mesmo porque sinto que não é exagero pois ainda temos que travar algumas batalhas para fazê-la tomar banho escovar os cabelos para não embaraçar a professora janaina paiva ono mãe de lorena 7 anos e olívia 5 anos observa comportamentos bem distintos em casa de um lado a filha mais velha que adora um make-up acessórios e sapatos de salto de outro a mais nova que não liga para nada disso por esse prisma ela acredita que a vaidade seja algo inerente à personalidade a olívia é bem menos vaidosa que a lorena embora seja apaixonada por esmaltes acho que é porque ela é mais criançona do que a lô era com a mesma idade e os penduricalhos vão atrapalhar suas molecagens ela é bem mais levada do que a irmã mas janaina também acredita que a mídia exerça papel fundamental nesse estímulo precoce segundo ela as crianças são bombardeadas por propagandas com apelo à vaidade acho que as empresas estão vendo nas meninas miniadultas É difícil encontrar roupas e sapatos mais infantis nas lojas ressaltar o ser É fato que muitos pais acabam estimulando a vaidade precoce em seus pequenos com o intuito de torná-los ainda mais engraçadinhos e fofos por outro lado isso nem sempre vem de berço tatiana silva mãe da vaidosa luiza declara-se uma antivaidosa ela me chama a atenção É minha consultora de moda e palpita sobre o que uso luiza é muito observadora e desde pequena se encanta com mulheres bem-vestidas 20 na mochila a dona de casa diz que tenta coibir boa parte dos exageros não compra tudo o que a menina pede não coloca tudo à disposição dela e procura explicar o que combina ou não com a idade dela ela tem que aprender que curtir momentos e pessoas é mais importante do que como ela se apresenta o que ela é por dentro a fará a mais bela de todas mesmo totalmente `desarrumada para a psicóloga vivian cancellara o caminho é por aí mesmo se os pais não forem vaidosos em excesso estarão ensinando aos filhos que o mais importante é ser alguém de bons valores ser é mais importante do que ter além disso os pais precisam mostrar que aceitam e amam seus filhos como eles são mesmo que estejam fora dos padrões pregados pela moda pela mídia nossas fontes maria cristina martins de camargo psicóloga clínica e especialista em psicoterapia breve vivian cancellara psicóloga clínica www.namochila.com dreamstime

[close]

p. 14

saúde mão-pé-boca saiba o que é como prevenir e quais os cuidados que se deve ter com essa doença infantil texto rose araujo síndrome você conhece e la é uma ilustre desconhecida poucas pessoas já ouviram falar mas quando ataca os pequenos traz angústia e uma dose cavalar de apreensão estamos falando da síndrome mão-pé-boca uma doença viral que costuma aparecer nas crianças menores de três anos causando dores transtornos e noites em claro muito parecida com um início de catapora a síndrome confunde até médicos experientes quando minha filha teve essa doença só fiquei sabendo que era isso depois que ela sarou isso porque a médica que a atendeu no pronto-socorro me disse que era catapora eu retruquei dizendo que a isa tinha tomado a vacina mas ela me respondeu `xi mãe você deu azar relembra a empresária mônica peres como as bolhas apareceram apenas nas mãos e nos pés ela imaginou que a vacina havia segurado a ruptura de lesões pelo corpo da menina foi aí que comentando com uma amiga sobre o ocorrido ficou sabendo que tratava-se de outra doença o filho dessa minha amiga tinha acabado de ter esse problema e ela identificou os sintomas na hora mônica procurou a pediatra de isa então com 2 anos e 2 meses e só aí recebeu o diagnóstico correto a síndrome mão-pé-boca é uma doença causada pelo vírus coxsackie que acomete principalmente crianças menores de três anos altamente contagiosa ela tem a vantagem de se dissipar rapidamente sem causar maiores consequências dificilmente ela www.namochila.com 22 na mochila dreamstime

[close]

p. 15

evolui para quadros graves e às vezes o diagnóstico é confundido com estomatite ou mesmo com catapora explica a médica joelma gonçalves martin responsável pelo pronto-socorro de pediatria da faculdade de medicina de botucatu unesp feridas na boca e bolhas nas mãos causadas pelo vírus coxsackie na mochila 23

[close]

Comments

no comments yet