Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

Ano XI - Edição 137 - Abril de 2019 Distribuição Gratuita Intolerância e ódio até quando? MUDEM DE ATITUDE Neste mês de Março, houve mais um atentado terrorista para ficar O ano de 2019 iniciou-se com turbulências para a Nação, mas de- registrado na história da humanidade. Mas dessa vez, houve uma veríamos considerar também que será de muito aprendizado e tal- diferença. vez se usarmos nossas forças, quem sabe seremos capazes de Antes, os terroristas eram associados ao Islamismo, que estereoti- recuperar o que é nosso por direito e encarando nossa atual reali- pou os muçulmanos de forma negativa pelo mundo. Dessa vez, os dade, mais do que nunca, muçulmanos são as vítimas do atentado terrorista , Página 2 Página 3 Por que o Brasil deveria Onze sinais do fascismo, se importar com a morte segundo Umberto Eco de abelhas. Segundo pensador italiano, o culto Somente nos últimos 3 meses, à tradição; a repulsa ao moderno; agrotóxicos mataram cerca de o machismo; o racismo; a guerra 500 milhões de abelhas no permanente são típicos do Brasil. “fascismo eterno”. Ou seja, a ame- País enfrenta mortandade de aça já está implantada entre nós, mesmo que não siga seu nome. colmeias em vários estados. Tenho refletido e escrito sobre a perda de vitalidade da democraci- Diminuição das espécies tem a. Mas acho que agora já entramos num perigoso caminho de des- impactos na agricultura, meio construção da democracia, uma ameaça que vem na esteira do ambiente e economia. golpe do impeachment e se expressa hoje no nosso governo híbri- do, civil-militar, com sua agenda antidireitos. UM COELHO CHATO Deseducar para controlar Intoxicações agudas por causa de agrotóxicos triplicam em Minas Existia no meio da floresta um condomínio Nestes dias tão conturbados em que pre- onde viviam vários animais, alguns órfãos, outros já velhos e os que se perderam da família e, juntos, construíram essa morada de amigos que se ajudavam. senciamos e vivemos cataclismos políticos e sociais tão evidentes, a figura do autômato descrita pelo Filósofo e Historiador Alemão Walter Benjamin me veem a cabeça. Novos registros podem trazer avanços nológicos e produtos com a toxicidade nor. tecme- CULTURAonline BRASIL Palestras e boa música Palestras: - Cultura - Educação - Meio Ambiente - Cidadania Baixe o aplicativo Google Play no site www.culturaonlinebr.org O FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO E A PROFANAÇÃO O SAGRADO A história tem mostrado que o crescimento do conservadorismo sempre está associado ao fundamentalismo religioso. Comemorando a lusofonia Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 2

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Deixe-os nus Página 3 Intolerância e ódio até quando? Neste mês de Março, houve mais um atentado terrorista para ficar registrado na história da humanidade. Mas dessa vez, houve uma diferença. Antes, os terroristas eram associados ao Islamismo, que estereotipou os muçulmanos de forma negativa pelo mundo. Dessa vez, os muçulmanos são as vítimas do atentado terrorista e o autor não é muçulmano. O australiano de extrema-direita Breton Tarrant é responsável pela morte de 49 pessoas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia. A Austrália e a Nova Zelândia são dois países distintos, e o Breton Tarrant foi querer impor a sua opinião política em outro país que não é o seu. Em um manifesto de 73 páginas publicado na internet, ele fez menção ao Brasil de forma negativa, criticado a diversidade racial brasileira. Um possível perdedor sociopata com ideologia de extrema-direita, que põe a culpa dos seus possíveis fracassos pessoais nos imigrantes que buscam vida melhor em países mais desenvolvidos. Para começo de conversa, os habitantes humanos originais da Austrália são os aborígenes e os da Nova Zelândia são os polinésios maoris. Os brancos são imigrantes ou descendentes de imigrantes e colonos europeus. E a própria Grã-Bretanha, colonizadora da Austrália e da Nova Zelândia, recebeu imigrantes a mais de mil anos atrás. Os habitantes originais eram celtas. Até que vieram os romanos, depois vieram os saxões, anglos, jutos e vikings. Ou seja, os próprios anglo-saxões são descendentes de imigrantes, na atual Inglaterra. Também a questão da religião e fé, por que as pessoas não podem ter a suas crenças e poderem ficar sossegadas? Por que o cristão não pode ser cristão em paz? Por que o muçulmano não pode ser muçulmano em paz? O mesmo para os adeptos das demais formas de crenças em entes espirituais ou sobrenaturais. Por que os ateus não podem ser ateus em paz? Por que a religião é usada como pretexto para conflitos? Por que as pessoas não conseguem ter divergências de opiniões e conviverem em paz entre si? Por que optar pela agressividade, pela violência? Por que tanta dificuldade para resolver divergências através de diálogo e respeito? É desanimador testemunhar tanta má vontade por parte de pessoas de se relacionarem em paz. João Paulo E. Barros 21 - Tiradentes transformar a data em que ele foi executado, 21 de abril, em uma festa cívica a ser Esta data homenageia a figura do herói na- celebrada nos quartéis. cional Joaquim José da Silva Xavier, popu- Tiradentes é considerado um grande líder larmente conhecido por Tiradentes , refe- por ter lutado por seu povo e seus ideais, rência ao seu ofício de dentista. apesar de ser o mais humilde entre todos A celebração desta data é importante por- os membros do movimento, Tiradentes foi que Tiradentes é considerado um brasileiro quem assumiu as maiores responsabilida- que lutou pela independência de Minas Ge- des. rais do domínio dos portugueses. Como morreu? História de Tiradentes Tiradentes foi enforcado e posteriormente Quem foi? esquartejado, no Rio de Janeiro, em 21 de Tiradentes foi um dentista, comerciante, mi- abril de 1792. nerador, militar e ativista político brasileiro, Partes de seu corpo foram expostos nos e atuava na época do Brasil Colonial nas principais centros urbanos do Rio de Janei- capitanias de Minas Gerais e Rio de Janei- ro e Minas Gerais. A sua casa foi queima- ro. da, o terreno salgado e todos os seus bens Tiradentes foi reconhecido como herói na- confiscados. cional e um mártir daInconfidência Mineira, A prisão onde foi encarcerado é a atual se- quando a República brasileira foi instalada de da Assembleia estadual do Rio de Janei- através de um golpe em 15 de novembro ro e recebe o nome de Palácio Tiradentes. de 1889. Igualmente, a cidade onde nasceu mudou Um dos primeiros atos do novo governo foi de nome e passou a se chamar Tiradentes. Deixe-os deitados nas redes No aconchego das ocas Sonhando com as verdes Folhas de mandioca Deixe-os correr pelados Com os pés enlameados Com o húmus da floresta Deixe-os caçar e pescar E com destemor se armar Com seus arcos e flechas. Deixe-os exercer a fé Com seus místicos rituais E acreditar que o pajé Tem poderes sobrenaturais Para que irmanados fiquem Ligados ao grande cacique Que criou todas as tribos Deixe-os sempre isolados Para não serem transformados Em civilizados indignos. Deixe-os ser o que são Donos da terra onde todos Compartilham o pão E fazem do corpo A única vestimenta Que orgulhosa ostenta Cocares, braceletes e brincos Eles são herdeiros da salvação Por viverem em comunhão Por isso deixe-os ser índios. Eduardo de Paula Barreto. Colaboraram nesta edição Mariene Hildebrando Genha Auga Filipe de Sousa João Paulo E. Barros Roberto Ravagnani Clarissa Neher Cândido Grzybowski Gilvandro Filho Guilherme Lima Boaventura de Sousa Santos Sandro Ari Andrade de Miranda Ludmila Pizarro ilusionviajera Eduardo de Paula Barreto PRECISA-SE de voluntário revisor de textos - Contato: gazetavaleparaibana@gmail.com IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não corresponderem à opinião deste Jornal. A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web Diretor, Editor e Jornalista responsável Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 3

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 2 MUDEM DE ATITUDE O ano de 2019 iniciou-se com turbulências para a Nação, mas deveríamos considerar também que será de muito aprendizado e talvez se usarmos nossas forças, quem sabe seremos capazes de recuperar o que é nosso por direito e encarando nossa atual realidade, mais do que nunca, adotar a postura de resiliência para seguir em frente nos moldes que desejamos. Afinal, são os momentos de crises e dificuldade que nos colocam à prova para trazer à tona o nosso melhor e, adotando posturas, seremos capazes de aprender com os erros, ficar mais fortes e preparados para enfrentar novos desafios e, ao invés de nos acomodar, irmos de encontro aos propósitos de nossas vidas. ALGUMAS DATAS COMEMORATIVAS (+ Datas? Visite nosso site) Com a convicção de que temos possibilidades para não sucumbir aos impactos que recebemos a cada dia e para não sermos derrubados, temos que ter raízes fortes como as árvores que resistem aos tornados e furacões e, assim como a luz está presente em nossos dias, perceber a luz que habita em nosso interior e fazê-la desabrochar com força, energia e sabedoria. A política em nosso país tem sido até agora o passaporte para o cidadão ser transportado à carência de educação e falência social sendo que deveríamos nos sentir apoiados na força política para acreditar num futuro melhor. No entanto, nos deparamos com um sistema governamental que corrompe a dignidade humana dos que aqui, vivem, e a indignação por tanta corrupção hoje é a indignação de nossas vidas. Com a compra de votos, enriquecimento ilícito, falsidade ideológica, propaganda enganosa e inversão de valores, vivemos na amoralidade e condenados pelos desonestos que usam de suborno e falcatruas para se promoverem e se elegerem através da fragilidade dos eleitores. Essa prática evidencia o nepotismo, nomeações fantasmas, superfaturamento, caixa 2, sonegação, abuso de autoridade e isso tudo denegriu a administração pública e social. Além de que, o infrator quando se sente ameaçado, correndo o risco de ser cassado, nega seus atos, defende a ética e moral, elimina as provas que o condena, unese e se fortalece a outros corruptores e continuam contemplados com benefícios que deveriam ser do povo. 02 - Dia Internacional do Livro Infantil 08 - Dia Nacional do Sistema Braille 09 - Dia Nacional da Biblioteca 13 - Dia do Hino Nacional Brasileiro 13 - Dia do Jovem 13 - Dia da Carta Régia 15 - Dia do Desarmamento Infantil 16 - Dia Mundial da Voz 18 - Dia de Monteiro Lobato 18 - Dia do Amigo 19 - Dia do Índio 19 - Dia do Exército Brasileiro 20 - Dia do Diplomata 21 - Tiradentes 21 - Páscoa 22 - Descobrimento do Brasil pelos portugueses 22 - Dia da Terra 22 - Dia da Comunidade Luso-Brasileira 23 - Dia Mundial do Livro 24 - Dia Internacional do Jovem Trabalhador 28 - Dia da Educação 29 - Dia Internacional da Dança Assim, seguem a céu aberto, num mar de lama com altos salários debochando da justiça e de nós e é comum essa prática em todos os níveis do governo que iludindo a falta de raciocínio do eleitor pelo tempo que foi privado do seu direito de estudar, ter saúde, segurança e uma vida digna acabou confiando muito e alienado demais. Mas quando se fala em postura resiliente, significa que poderemos intervir e impedir a continuação da formação desses grupos de conluio e quadrilhas. Precisamos deixar que “eles” se sintam ameaçados e inquietos com o poder de nossa força e, que não temam somente as delações premiadas e sim a nós que podemos ser os fiscais e delatores daqui pra frente para que nesse período de crise econômica e moral; mudemos de atitude para que nosso futuro não continue obscuro. Avaliar projetos, adquirir conhecimentos, inteirar-se de tudo que se refere às nossas causas e necessidades e não só as imediatas, mas, também com propostas a longo prazo e que nos garantam lá na frente não ter novas surpresas desagradáveis e nocivas. Não podemos hoje, repetir o que foi feito ontem, afinal, quem decide e escolhe ainda somos nós. Com resiliência e mudança de atitudes retomaremos a condição de observar e decidir quem poderá continuar ao nosso lado, porém, sem acreditar demais, vigiando essa liberdade e cobrando nossos direitos com rigor. A forma inteligente de manter as pessoas passivas e obedientes é limitar estritamente o espectro da opinião aceitável, mas permitir um debate intenso dentro daquele espectro. Noam Chomsky Sou muito grato às adversidades que apareceram na minha vida, pois elas me ensinaram a tolerância, a simpatia, o autocontrole, a perseverança e outras qualidades que, sem essas adversidades, eu jamais conheceria. Napoleon Hill A dor do brasileiro não passa porque se acostumou a conviver com ela. Essa dor é consequência da nossa falta de expressão e da falta de consciência dos nossos votos. Fomos e somos governados por desinteressados pelo povo. Sim, isso é verdade, mas, tomemos mais cuidado, pois os desinteressados nem sempre foram e são somente “eles”. Genha Auga – Jornalista – MTB: 15.320 Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência. Augusto Cury Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 4

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 4 Por que o Brasil deveria os agrotóxicos são um dos fatores que desencadeia essa mortan- se importar com a morte dade. de abelhas. Além da toxidade elevada de alguns defensivos agrícolas, contribui Somente nos últimos 3 para esse cenário o uso incorreto destas substâncias. Elas são a- meses, agrotóxicos mata- plicadas durante o dia, quando as abelhas estão fora das colmeias, ram cerca de 500 milhões sem seguir parâmetros de segurança e sem comunicar apicultores de abelhas no Brasil. para que possam deixar as caixas fechadas. País enfrenta mortandade No atual caso brasileiro, pesticidas à base de neonicotinoiedes e de colmeias em vários es- de fipronil foram os principais agentes causadores das mortes. "O tados. Diminuição das es- histórico da mortandades agudas que temos constatado deixa mui- pécies tem impactos na to claro a sua relação com o uso de agrotóxicos", ressalta Sattler, agricultura, meio ambiente especialista em apicultura. e economia. Mas tema No Rio Grande do Sul, onde mais de 400 milhões de abelhas mor- ainda é negligenciado. reram só no primeiro trimestre, 80% das mortes foi causada pelo A morte de abelhas não é fipronil, inseticida usado amplamente em lavouras de monoculturas, um fenômeno recente: é mas também em pequenas propriedades rurais. A substancia é ain- observada por pesquisadores ao menos desde a década passada. da muito popular no extermínio de formigas e em remédios veteri- No entanto, nos últimos meses a mortandade alcançou números nários para controle de insetos, como pulgas. Em Santa Catarina, alarmantes no Brasil. resquícios do pesticida foram detectados em colmeias mortas entre "A morte de abelhas não é só um risco para o Brasil, mas para o o fim do ano passado e início deste. mundo todo. Quando se pensa em abelhas, se pensa em mel. O "Precisamos começar a questionar o modelo agrícola atual. Os e- principal produtos delas, porém, é a polinização", afirma Fábia Pe- feitos da expansão do monocultivo baseados em agrotóxicos estão reira, pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuá- comprovados. Os Estados Unidos tinham 6 milhões de colmeias na ria (Embrapa) na área de Apicultura. década de 1940, e hoje estão com cerca de 2,5 milhões", destaca Apenas nos últimos três meses, 500 milhões de abelhas foram en- Sattler. contradas mortas por apicultores no país, segundo um levantamen- Pressão popular to feito pela ONG Repórter Brasil em parceria com a Agência Públi- Na Europa, a morte abelhas é há alguns anos um tema presente na ca. A grande maioria dos casos foi registrada no Rio Grande Sul, mídia e na política. Em 2017, um estudo chamou atenção da opini- seguido por Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e São Paulo. ão pública alemã ao revelar que as populações de insetos voado- Além da morte em massa de colmeias em apiários, cinco espécies res haviam recuado 75% ao longo de 25 anos no país. A pesquisa nativas de abelhas estão ameaçadas de extinção – três delas habi- desencadeou um debate sobre a questão. tam a Mata Atlântica, uma o Cerrado e outra o pampa gaúcho. Não Atualmente na Alemanha, a iniciativa popular "Salvem as abelhas" há dados, porém, sobre a mortandade em comunidades selvagens. que forçar o governo da Baviera a buscar soluções para a diminui- As abelhas são responsáveis pela polinização de cerca de 70% ção da biodiversidade. A proposta prevê o incentivo à agricultura das plantas cultivadas para alimentação, principalmente frutas e orgânica, proteção de matas ciliares, a ampliação da ligação de ha- verduras. Sua morte coloca em risco a agricultura e, consequente- bitats naturais e o banimento de agrotóxicos. mente, a própria a segurança alimentar. Sem elas, o ser humano A pressão popular e de ativistas ambientais foi fundamental para a enfrentaria uma mudança drástica na sua dieta, que ficaria restrita União Europeia (UE) aprovar no ano passado a proibição de três apenas a culturas autopolinizáveis, como feijão, arroz, soja, milho, substâncias neonicotinoides – clotianidina, imidacloprida e tiameto- batata e espécies de cereais. xam, que danificam o sistema nervoso central de insetos, incluindo Além da agricultura, as abelhas são ainda agentes fundamentais as abelhas. Já a França foi mais além e baniu cinco inseticidas para a polinização de florestas nativas. Seu desaparecimento pode- desta categoria de derivados da nicotina. ria desencadear a morte de ecossistemas inteiros. "Se o homem Já o fipronil teve seu uso restrito na Europa. Proibida completamen- parasse de fazer qualquer outra intervenção ambiental, e as abe- te na França desde 2004 e, posteriormente, em vários países euro- lhas apenas sumissem, haveria um desaparecimento da mata cor- peus, a aplicação do pesticida na União Europeia foi limitada em respondente a entre 30% e 90% do que temos hoje, provocando 2013 a cultivos em estufas e de alho-poró, cebola, cebolinha e cou- um processo de extinção em cadeia até chegar em nós que esta- ve. A substância também é banida da indústria alimentícia do blo- mos no topo", ressalta Pereira. co, podendo ser usada apenas para combater pulgas, piolhos e Essa mortandade tem ainda potencial para impactar a economia carrapatos de animais domésticos. brasileira. O país é o oitavo produtor mundial de mel e, em 2017, as A Europa patina, porém, ainda no banimento do glifosato, outro de- exportações totalizaram 121 milhões de dólares. A diminuição na fensivo agrícola que, segundo uma pesquisa divulgada no ano pas- produção diante da redução do número de colmeias resultaria nu- sado, é prejudicial às abelhas. ma queda nas vendas. Além disso, em caso de mortes causadas Enquanto países europeus estão reavaliando e restringindo o uso por agrotóxicos, resíduos destas substâncias possivelmente poderi- de agrotóxicos, o Brasil nos últimos meses tem incentivado a libera- am ser encontrados no mel, o que levaria compradores estrangei- ção de defensivos agrícolas. Em relação às abelhas, o tema ainda ros a rejeitarem o produto brasileiro. é negligenciado, ainda mais diante do impacto que a extinção des- "A exportação para a Europa é muito exigente, e qualquer resíduo tas espécies pode ter. é detectado. O mel que foi produzido nos últimos meses está con- "Apesar de todos os esforços, ainda não conseguimos sensibilizar taminado. No exterior, ninguém vai querê-lo, e não há um mercado suficientemente o público em geral e o próprio governo sobre a im- interno suficiente para a quantidade produzida. Isso vai desestimu- portância de trabalharmos na proteção das abelhas. Já foram reali- lar a apicultura", afirma o engenheiro agrônomo Aroni Sattler, da zados eventos sobre o assunto, reuniões explicando a importância Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). das abelhas e com sugestões de políticas públicas, mas ainda pre- Números alarmantes cisamos avançar nas ações efetivas", ressalta Pereira. A morte de abelhas começou a chamar a atenção mundial a partir Satller tem opinião semelhante. "A situação é bastante grave, mas da identificação do Distúrbio do Colapso das Colônias (CCD), em ainda dá para reverter", afirma o pesquisador, que defende o ques- 2006 nos Estados Unidos, quando um forte surto dizimou milhares tionamento do atual modelo do agronegócio no país e a restrição de colmeias. Na Europa, fenômenos semelhantes estão sendo ob- do uso indiscriminado de agrotóxicos. servados desde o fim da década de 1990. Pesquisadores descobriram que, além das doenças e da redução do habitat das espécies, Clarissa Neher Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 5

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 5 Responsabilidade Já deve ser conhecido do público uma propaganda da Empiricus Research, uma empresa que atua no ramo de conteúdo financeiro e ideias de investimentos, ou seja, presta serviço de assessoria financeira, na qual uma jovem mulher afirma ter conseguido transformar mil quinhentos e vinte reais em um milhão e quarenta dois mil reais de patrimônio acumulado. Tal propaganda virou motivo de chacota nas redes sociais. Antônio de Oliveira Salazar: “Autoridade absoluta pode existir, liberdade absoluta não e- xiste nunca”. E qual é o problema nisso? O problema está nos excessos em propagandas como essa. O autor deste artigo aqui acredita que os ricos, principalmente aquelas famílias que são ricas a várias gerações, têm conhecimento sobre economia, sobre mercados e sobre finanças que a maioria das pessoas não tem. E para se ter esse tipo de dedução, não é necessário ser formado em qualquer faculdade. É obvio que algumas pessoas têm muito mais habilidades de lidar com mercados do que outras. Ninguém dorme pobre e acorda rico no dia seguinte. Enriquecimento precoce não existe. Ninguém fica rico através de milagres ou de encantamentos mágicos. Dinheiro não nasce em árvore e nem cai do céu. Para que todos os seres humanos da Terra vivam como magnatas, seriam necessários talvez dez planetas similares ao nosso ou uma redução populacional humana para menos de um bilhão de pessoas e, inteligências sintéticas fazerem o trabalho que o proletariado faz atualmente, para que os seres humanos vivam uma vida de luxo e de lazer. Na vida real, não temos nenhuma das duas opções. Portanto, não existe isso de “só não é rico quem não quer”. Muita gente é sim excluída da prosperidade pelo status quo. O básico para todo e qualquer ser humano é se tornar próspero, é ter uma boa educação, o que no Brasil pode até ser considerado privilégio, já que muitos não têm uma boa educação básica. Para aqueles que querem realmente melhorar de vida, uma recomendação com “pés no chão”. Não é necessário estarem de acordo entre si sobre tudo o tempo todo. Independente de viés de esquerda, direita ou centro, no que se refere a interesses em comum, façam uma trégua e unam-se entre si pelas causas em comum. Por exemplo, um grupo de três pessoas, a primeira apoia o PT, a segunda apoia o PSDB e a terceira apoia o PSL, mas as três precisam de aumento salarial, então o sensato é as três pessoas fazerem uma trégua e se unirem para conseguir o aumento salarial que as três necessitam. Uma sociedade composta por maioria egocêntrica não consegue grandes mudanças para melhor. O primeiro grande salto para uma vida melhor é a união entre as pessoas. *** Salazar, de novo: “Autoridade e liberdade são dois conceitos incompatíveis… Onde e- xiste uma não pode existir a outra”. *** Aristóteles: “A autoridade e a obediência não constituem coisas necessárias, apenas, mas são também coisas úteis. Alguns seres, quando nascem, estão destinados a obedecer; ou- tros, a mandar”. *** Marie Jean Antoine Nicolas Caritat: “Julgamos exercer uma pequena vingança contra a autoridade fazendo secretamente o que ela proíbe”. *** Thomas Jefferson: “Quando as pessoas temem o governo, isso é tirania. Quando o go- verno teme as pessoas, isso é liberdade”. *** Paul Valéry: “O poder sem abuso perde o encanto”. *** Galileu Galilei: “A verdade é filha do tempo, e não da autoridade”. *** Muitas pessoas têm crenças sobre vários assuntos, inclusive assuntos econômicos e financeiros. E por isso, tem gente que faz confusão e trata o seu próprio ponto de vista sobre economia, mercado e finanças como dogma, ou seja, como verdade absoluta e incontestável. Infelizmente alguns realmente acreditam em frases como “só não é rico quem não quer”, “se eu consegui ficar milionário então qualquer um consegue”, “os pobres são pobres por culpa somente deles mesmos”. Será que os moradores de rua vivem como vivem, por hobby? Será que os empregados que ganham salários baixos, fazem isso por puritanismo religioso? Por acharem que ser rico é pecado e imoral? Será que milhões de pessoas não consumiriam muito mais do que conseguem consumir atualmente, se pudessem? Será que a maioria das pessoas não prefeririam ter mais lazer do que têm atualmente? Será que a maioria da população, se tivesse opção e soubesse como proceder, não deixaria de trabalhar duro para se tornar rentista? O mundo não estaria transbordando de banqueiros ricos? Não é ser contra serviços de assessoria financeira, e sim não aprovar marketing agressivo e nem propagandas sensacionalistas. Pode acontecer de uma determinada pessoa, mesmo ainda jovem, adotar uma estratégia e ficar rica num curto período. Pode! Mas não há garantia nenhuma que tal estratégia vá funcionar com todas as pessoas sem exceção. Propagandas devem ser feitas com senso de responsabilidade e “pés no chão”, sem estimular os consumidores a se aventurarem perigosamente e correrem riscos de terem resultados desastrosos. É regra no sistema capitalista visar lucro. Só que prudência é essencial e indispensável. Thomas Hobbes: “É a autoridade, não a verdade, que faz a lei”. *** Louis Bonald: “A razão é a primeira autoridade; a autoridade é a última razão”. *** Ludwig Feuerbach: “Quando a moral se baseia na teologia, quando o direito depende da autoridade divina, as coisas mais imorais e injustas podem ser justificadas e impostas”. *** Golda Meir: “A autoridade envenena todo aquele que a toma para si”. *** Textos bíblicos: “Aquele que se arroga autoridade será odiado”. *** Textos judaicos: “O homem que não sabe controlar-se a si mesmo torna-se absurdo quando quer controlar os outros”. João Paulo E. Barros *** Capitalismo enron: Você tem duas vacas. Vende três para a sua companhia de capital aberto usando garantias de crédito emitidas por seu cunhado. Depois faz uma troca de dívidas por ações por meio de uma oferta geral associada, de forma que você consegue todas as quatro vacas de volta, com isenção fiscal para cinco vacas. Os direitos do leite das seis vacas são transferidos para uma companhia das Ilhas Cayman, da qual o sócio majoritário é secretamente o dono. Ele vende os direitos das sete vacas novamente para a sua companhia. O relatório anual diz que a companhia possui oito vacas, com uma opção para mais uma. Você vende uma vaca para comprar um novo presidente dos Estados Unidos e fica com nove vacas. Ninguém fornece balanço das operações e público compra o seu esterco. John Ruskin: “Não manda bem quem tem a ânsia de mandar”. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 6

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 6 .Onze sinais do fascismo, empenho dos intelectuais fascistas oficiais consistia em acusar a segundo Umberto Eco cultura moderna e a intelligentsia liberal de ter abandonado os valo- res tradicionais”. Segundo pensador italiano, o culto à tradição; a repulsa ao moder- Não aceitação do pensamento crítico – pensar criticamente é fazer no; o machismo; o racismo; a distinções e isto é sinal de modernidade, pois o desacordo é base guerra permanente são típicos do do avanço do conhecimento científico. O fascismo eterno considera “fascismo eterno”. Ou seja, a ameaça já está implantada entre nós, a divergência como traição. Deve-se aceitar a verdade da ordem mesmo que não siga seu nome. estabelecida. Daí, “escola sem partido”, sem iniciação ao pensa- mento crítico e a liberdade de expressão e ação. Tenho refletido e escrito sobre a perda de vitalidade da democraci- a. Mas acho que agora já entramos num perigoso caminho de des- O racismo na essência – segundo Eco, com medo da diferença, o construção da democracia, uma ameaça que vem na esteira do fascismo a explora e potencializa em nome da busca e da imposi- golpe do impeachment e se expressa hoje no nosso governo híbri- ção do consenso. Os e as diferentes não são bem vindos. Por isso, do, civil-militar, com sua agenda antidireitos. Claro, a institucionali- o fascismo eterno é essencialmente racista e xenofóbico. Daí a i- dade democrática formal está mantida até aqui, mas algo por den- dentificar os diferentes como criminosos a linha é reta. tro vem corroendo os princípios e valores éticos e políticos vitais da O apelo aos precarizados e frustrados – todos os fascismos históri- democracia: o respeito incondicional da liberdade de ser, pensar e cos fizeram apelo aos grupos sociais que sofrem frustração e se agir, a busca da maior igualdade possível, com direito à diversida- sentem desleixados pela política. As mudanças no mundo do traba- de, convivendo em solidariedade coletiva e baseando tudo em ativa lho, promovidas pela globalização econômica e financeira, são ter- participação cidadã. Tais princípios constituem o substrato de qual- reno fértil para o fascismo. quer democracia com potencial de transformar contradições e di- O nacionalismo como identidade social – nação como lugar de ori- vergências, de potencial destrutivo, em forças construtivas de soci- gem, com os seus símbolos. Os e as que não se identificam com edades mais livres e justas. isso são inimigos da nação. Portanto, devem ser excluídos. Podem Hoje reconheço um vírus implantado em nosso seio que pode aca- ser os nascidos fora da nação, como os imigrantes, ou por se arti- bar com a democracia e nos levar ao fascismo como regime políti- cularem com forças externas – o tal “comunismo internacional” – co. Estamos diante de sinais inequívocos de tal vírus no campo de ou, ainda, por não se enquadrarem no padrão “normal” de naciona- ideias e valores que foram se revelando e se condensaram na vitó- lidade. O nacionalismo vulgar é o cimento agregador de qualquer ria eleitoral e nas falas do presidente e de integrantes do governo fascismo. empossado. A leitura de um discurso de Umberto Eco, de 24 de A vida como guerra permanente – no fascismo, a gente não luta abril de 1995, na Universidade de Columbia, Nova York, publicado pela vida, liberdade, bem viver, mas vive para lutar. A violência é em espanhol por Bitacora, sob o título Los 14 síntomas del fascis- aceita como regra e a busca de paz uma balela. Vencem os mais mo eterno, me inspirou. Segundo Eco, as características típicas do fortes, armados. Há um culto pela morte na luta. “Ur-Fascismo” ou “fascismo eterno” não se enquadram num sistema, “…mas basta com que uma delas esteja presente para fazer O heroísmo como norma – o herói, um ser excepcional, sem medo coagular uma nebulosa fascista” (em tradução livre). Vou lembrar da morte, está em todas as mitologias. Aqui basta lembrar a exploaqui apenas alguns dos indícios do eterno fascismo que Eco apon- ração feita daquele atentado em Juiz de Fora. O herói vira mito reta e que deixo aos leitores desta minha crônica identificar as suas al. expressões na realidade brasileira. O machismo como espécie de virtude – em sendo difícil a guerra Culto da tradição – como se toda a verdade já estivesse revelada permanente e a demonstração de heroísmo, o fascismo potencialihá muito tempo e o que precisamos é ser fiéis a ela. O tradicionalis- za as relações de poder na questão sexual, segundo Umberto Eco. mo é uma espécie de cartilha na disputa de hegemonia fascista so- Aqui também não faltam manifestações de patriarcalismo e machisbre corações e mentes. O pensamento do principal guru dos mo, com intolerância com o que é considerado divergente da nor“donos do poder”, a pregação das igrejas pentecostais e as falas – ma em questões sexuais. Não há lugar para a liberdade de opção quando dizem algo – são impregnados de uma veneração da ver- sexual e de gênero. dade já revelada em escritos sagrados e de valores espirituais mais O líder se apresenta como intérprete único da vontade comum – o tradicionais do cristianismo. “Deus, pátria, família e propriedade”, povo é o seu povo, o seu entendimento do que seja o povo e sua com a força que estão de volta como pregação, não deixam dúvida. vontade comum. Como diz Eco, estamos diante de um populismo Fascismo e fundamentalismo sempre vêm juntos. de ficção. Repulsa ao modernismo – que leva a considerar as conquistas hu- Chamei atenção aqui para indícios de fascismo total apontados por manas em termos de direitos e de emancipação social como per- Umberto Eco – não todos, para não ser enfadonho e talvez desvir- versidades da ordem natural. Nega-se, em consequência, a racio- tuar o que o autor quis dizer – com a preocupação de dar atenção nalidade e, com ela, toda a ciência e a tecnologia. Não falta gente a ideias e imaginários que estão adquirindo legitimidade mobiliza- com tal forma de pensar no governo e seus seguidores. Para eles, dora no nosso seio. Inspirado no atualmente renegado Antônio direitos iguais são um absurdo. Mudança climática é uma “invenção Gramsci, exatamente pelo emergente fascismo político e cultural, de comunistas”. E por aí vai. penso que a conquista de hegemonia no sentido de direção intelec- Culto da ação pela ação – fazer e agir, acima de tudo. Como diz tual e moral precede o poder do fascismo pela força estatal. Ou seEco, para fascistas “pensar é uma forma de castração”. Daí a atitu- ja, a ameaça de fascismo já está implantada entre nós, mesmo se de de suspeita à cultura, pois é vista como algo crítico. Em conse- o regime ainda não parece ser fascista. quência, todo mundo intelectual é suspeito. Ainda Eco, “O maior Cândido Grzybowski 08 - Dia Nacional do Sistema Braille O Braille é um sistema de códigos em alto relevo que representam todas as letras do alfabeto, números, símbolos aritméticos e etc. O A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre a impor- sistema é composto por seis pontos, divididos em duas colunas de tância das políticas públicas para inclusão das pessoas cegas no três pontos, formando no total 63 combinações diferentes, sendo sistema educacional do Brasil. A comemoração também visa a re- cada um representante de um número, letra, pontuação e etc. flexão sobre a empregabilidade de mecanismos que favoreçam o O sistema Braille foi criado na França, em 1825, pelo francês Louis desenvolvimento intelectual, profissional e social das pessoas ce- Braille, que perdeu a sua visão quando tinha apenas 3 anos de ida- gas ou com pouca visão. de. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 7

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 7 UM COELHO CHATO Existia no meio da floresta um condomínio onde viviam vários animais, alguns órfãos, outros já velhos e os que se perderam da família e, juntos, construíram essa morada de amigos que se ajudavam. Para se morar lá, cada animal deveria cumprir as regras impostas pela síndica geral dona coruja e a subsíndica dona girafa que priorizavam o respeito, cuidados com o meio ambiente, solidariedade e dedicação pelo coletivo. A cada mês, um animal era homenageado e convidado a preparar alguma atividade para que todos pudessem participar e se divertir. Eis que mês de abril, em virtude da Páscoa, seria a vez do coelho. Acontece que dentre eles, havia um muito peralta, que costumava passar dos limites e enquanto não aborrecia grande parte dos animais, não sossegava. Era malcriado com os mais velhos, insensível com os mais novos e, indolente nas tarefas em prol da comunidade. Aprontava na festa dos outros animais e ficava ansioso para que chegasse abril porque gostava mesmo era de aparecer para os demais, e como ninguém aprontava com ele, a festa dele acabava sempre sendo eleita a melhor. Esse coelhinho era bonitinho, de pelos macios e só perdia de ser querido por todos pelo que aprontava com os animais que viviam no bosque verde e bonito. Mentia para todos e provocava intrigas entre os amigos, fazia caretas para todos, escondia os brinquedos dos mais novos e sempre dava um jeito de esconder alguma coisa importante nas festas para estragar o evento dos outros bichos. Porém, dessa vez, os animais reuniram-se e resolveram dar uma lição no coelho chato e combinaram de estragar sua festa. A véspera da Páscoa chegou e o coelhinho preparou caminhos de cenouras, frutas, sementes, peixes para que todos seguissem a trilha até encontrarem os ovos de chocolate que embrulhara em papéis coloridos e fitas douradas que providenciara para que achassem o prêmio e dessa forma, seria o destaque do ano já que, como sempre, ele aprontava nos eventos dos amigos estragando a festa deles. Dessa vez, todos se reuniram e resolveram fazer um complô contra ele e, pelos caminhos, colocaram explosivos de festa junina para dificultar a trilha que levaria aos ovos, o elefante fez uma chuvarada de água com sua tromba molhando todos os enfeites, colocaram placas com desenho do coelho fazendo as caretas que distribuía para todos só para irritar e, dentro das embalagens foi posto pedregulhos e nada de chocolate. Foi um trabalhão para a comunidade fazer isso sem que ele notasse, mas valeu a pena só de olhar a cara dele espantado e sem fala com tanto abuso dos animais em estragar sua festa. Ele tentou esbravejar, mas como combinado, todos fizeram de conta que nada havia acontecido e se puseram a reclamar da falta de organização do coelho para com a festa o que lhe rendeu muitas broncas da síndica além de obrigá-lo a limpar toda sujeira e bagunça que ficara na floresta. No dia seguinte todos ignoraram o “aprontão” que percorreu a floresta, cabisbaixo, envergonhado pelo fiasco de sua festa. Tanto sentiu a desfeita que decidiu ir embora constrangido e de orelhas baixas. Apesar de todos terem-se divertido com a lição que deram a ele, ficaram com pena e decidiram convidá-lo a ficar e fazer sua festa de verdade, mas com a promessa de que nunca mais iria fazer tolices e provocações aos animas do “Condomínio Verde”. O coelho, muito feliz, prometeu que jamais faria isso de novo e preparou a melhor festa que ele pode para retribuir a atenção e desculpar-se com todos. Divertiram-se muito e o coelho aprendeu que para ser querido é preciso ser educado e saber respeitar o espaço e direitos de cada um. Hoje ele vive bem entre todos e até foi convidado para dar palestras sobre o mal que faz debochar dos outros e que hoje entre os humanos chama-se bullying. Moral da história: o silêncio da solidão não é bom e aquele que não trair, terá a melhor fama e os melhores amigos. Genha Auga – jornalista MTB: 15.320 21 DE ABRIL - PARA NÃO ESQUECER. Genha Auga PELO PAÍS E PELO POVO BRADOU! E A LAMA DE HOJE É SANGUE DERRAMADO DE QUEM SE ENTREGOU, SACRIFICOU-SE. COMO TIRADENTES, MORRERAM EM VÃO. QUANTOS TIRADENTES AINDA MORRERÃO POR DESCASO E POR INJUSTIÇAS? A ÁGUA NÃO MATA NOSSA SEDE, DESTRÓI TUDO QUE VEM À SUA FRENTE. QUANTAS TRAGÉDIAS AINDA VIRÃO OS QUE DEVERIAM MOSTRAR UM GRANDE FEITO... TRIBUTAM A SOCIEDADE COM ALTOS IMPOSTOS ESQUARTEJANDO-NOS O ANO TODO. COMO FORTALECER IDEIAS SE O POVO FEZ-SE NOVO TIRADENTES. ENFORCADO POR SOFRIMENTOS, REBELDE COM CAUSA, DE TANTAS DORES, TORNOU-SE INDOLENTE. PARA QUE MESMO O FERIADO? PARA LEMBRAR O QUE DIZIA NOSSO INCONFIDENTE, - QUE PENA! SE QUISESSEMOS, O BRASIL SERIA UMA GRANDE NAÇÃO – PARA NÃO ESQUECER O LEMA. - LIBERDADE, AINDA QUE TARDIA - QUE PENA! TIRADENTES, SUA MORTE FOI EM VÃO... Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 8

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 8 Deseducar para controlar: a enquanto cidadão sejam supridos. Indo por este caminho, ocorre a ignorantização como projeto cegueira geral de que o bem-estar e a empatia pelo outro é desne- de poder cessária. Onde todos têm o mínimo de suas necessidades de vida, Nestes dias tão conturbados em consumo, lazer, segurança, saúde e educação, a existência da soque presenciamos e vivemos ciedade e seu desenvolvimento atinge todas as expectativas e escataclismos políticos e sociais tabilidade para que aqueles pertencentes a ela se sintam aplacatão evidentes, a figura do autô- dos e satisfeitos em sua condição existencial. mato descrita pelo Filósofo e Historiador Alemão Walter Benjamin E então fica a pergunta de por que aqueles que detêm o poder não me veem a cabeça. Em seu texto Conceitos Sobre História, assim fazem as mudanças preconizando e dando prioridade a estas ques- ele descreve este ser: “Conhecemos a história de um autômato tões? Oras, pelo mesmo motivo que muitos tentam fraudar a bolsa construído de tal modo que podia responder a cada lance de um de valores, enganar o arbitro em alguma competição esportiva, pra- jogador de xadrez com um contra lance, que lhe assegurava a vitó- ticar bullying, e por aí vai; a resposta final é o ganho individual em ria. Um fantoche vestido à turca, com um narguilé na boca, sentava detrimento do interesse coletivo. -se diante do tabuleiro, colocado numa grande mesa. Um sistema É nisto que reside a realidade concreta do Brasil, uma população a de espelhos criava a ilusão de que a mesa era totalmente visível, mercê de ilusões criadas por uma política que mesmo mudando em todos os seus pormenores. Na realidade, um anão corcunda se suas jogadas e modelo, consegue perpetuar processos e atingir os escondia nela, um mestre no xadrez, que dirigia com cordéis a mão mesmíssimos resultados, não importando se a partida e o sistema do fantoche.” forem diferentes. O resultado sempre será o mesmo, ludibriando e O que de certa forma exprime a ideia contida no detalhamento da dando a falsa ilusão daqueles que estão envolvidos no jogo, que figura de um autômato fantoche, deixa mais do que claro as nuan- podem conseguir uma vitória quando uma nova partida se inicia. ces da situação brasileira atual. Vivemos como uma população ro- Ardilosa armadilha criada pelo Estabilishment desde os primórdios botizada, passando por falsas transformações que ocultam uma da nação brasileira, ele é tão eficiente por não depender de modelo continuidade de engrenagens de poder que se perpetuam desde a político, econômico ou social: ele se mantém entranhado nos hábiformação do país enquanto nação. Tal qual o jogo de xadrez evi- tos culturais bem como nos mecanismos da indução de pensamendenciada pelo pensador alemão, nossas jogadas são de cartas to e influência dos costumes. É a arma perfeita nas mãos do Status marcadas. Embora as peças sejam diferentes ao longo dos anos, Quo, pois venceu e vence suas batalhas sem dar sequer um tiro. nossa política, graças aos mecanismos de continuísmos, garante a perpetuação de uma série de privilégios, meandros e costumes ar- Para que as mudanças que não mudem tenham sua continuidade, raigados no seu cerne. ocorre então a necessidade de ferramentas visando manter toda esta penúria, e o meio de alcançar estas metas é o sucateamento Passando pelo período colonial, ao grito do Ipiranga dado por um da educação brasileira. Vamos sendo criados de modo que a imenNobre Português com Disenteria proclamando a independência; da sa maioria não perceba que está sendo iludida nos joguetes do popompa do Período Imperial, vicejando a república velha e seu voto der, e aqueles que sabem como funciona isso tudo entram num de cabresto; do (velho) Estado novo de Getúlio Vargas; da ditadura processo de conformismo com a situação. de uma noite sombria que durou 21 anos; até estes dias de treslou- cada de uma incongruente democracia republicana empedernida: Não existiu até hoje um verdadeiro plano de reforma educacional mudaram-se sistemas de governo, pessoas, políticos, economia e esclarecedora, primando pelo efetivo ensino que consiga quebrar os pormenores do tempo, mas algo conseguiu manter-se como per- com estas correntes de um nocivo controle das vontades do in- manência em todas estas épocas. consciente e subconsciente brasileiro, não precisando aqui descre- ver o tenebroso projeto do Escola sem partido(sic). Hábitos e costuHábitos, costumes e uma certa cultura política e educacional calca- mes tão profundamente incrustados no consciente nacional só são da no uso do estado, da nação e de todos os seus dispositivos pa- passíveis de mudança através da educação. Por isto, a educação ra perpetuação de um Modus Operandi voltada para o ego individu- brasileira permanece arcaica, pois vai de encontro aos interesses alista, onde poucos se beneficiam com as mazelas da maioria, on- daqueles que, como o corcunda anão mestre no xadrez relatado de se deveria existir ações e pensamentos voltados para o bem- por Walter Benjamin, tem nos políticos os fantoches de suas vontaestar de todos, há o movimento contrário. Pelo sucesso individual, des. baseado na desgraça geral. Sendo assim, cada vez mais dou razão a afirmativa de Darcy RibeiInstituições, empresas, órgãos públicos e privados, e a própria po- ro: “A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto”. pulação são imbuídas de uma crença onde apenas o seu interesse deve ser o primordial para que seus objetivos, metas e satisfação Guilherme Lima 22 - Descobrimento do Brasil pelos portugueses Esta data marca a chegada dos navegadores portugueses ao terri- O Brasil foi descoberto acidentalmente em 22 de abril de 1500, pela tório brasileiro pela primeira vez no ano de 1500. frota do navegador português Pedro Álvares Cabral. No entanto, Oficialmente, o descobridor do Brasil foiPedro Álvares Cabral, mas alguns historiadores defendem que Cabral não teria sido o primeiro o termo é usado apenas como referência, pois quando os portu- navegador a pôr os pés nas futuras terras brasileiras. gueses chegaram o país já era habitado por várias comunidades Supostamente, em 1498, o comandante Duarte Pacheco Pereira indígenas. Estima-se que existiam no Brasil aproximadamente cin- teria atingido o litoral brasileiro na atual região norte, explorando co milhões de índios naquela época. parte das terras que pertencem aos estados do Pará e do Mara- O encontro entre os portugueses e os índios foi um verdadeiro cho- nhão. que cultural. Eles ficaram curiosos com os objetos, animais, metais Porém, essa descoberta teria sido guardada em segredo. Dois a- e com as roupas. nos depois, Cabral partia em direção às Índias quando foi surpreen- No início, o objetivo dos portugueses era catequizar os índios, mas dido com o litoral daquilo que futuramente seria o estado da Bahia. depois iniciou-se o processo de colonização do Brasil e extração Carta de Pêro Vaz de Caminha das matérias-primas do país, como o pau-brasil, por exemplo, fa- Pêro Vaz de Caminha era o escrivão da frota de Pedro Álvares Ca- zendo com que a comunidade indígena fosse fortemente escraviza- bral, e foi ele quem escreveu uma carta ao rei de Portugal, D. Ma- da. nuel I, contando à Corte Portuguesa as belezas das terras de Vera Origem do Descobrimento do Brasil Cruz, o nome que inicialmente deram ao Brasil. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 9

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 9 As três ignorâncias contra a democracia conflito como (menos frequentemente) ao seu término. Em alguns Numa fase dramática da crise civilizatória, enfrentamos simultaneamente a arrogância do colonialismo, a indolência das transformações inconclusas e a perversão das fake news. Será possível mudar o mundo, ainda assim? poucos casos houve um vencedor e um vencido inequívocos. Foi esse o caso do conflito entre o nazismo e os países democráticos. Na maioria dos casos, porém, tende a ser questionável se houve ou não vencedores e vencidos, sobretudo quando a parte supostamente vencida impôs condições mais ou menos drásticas para a- POR: Boaventura de Sousa Santos ceitar o fim do conflito (veja-se o caso da ditadura brasileira que do- Escrevi há muito que qualquer sistema de conhecimentos é igual- minou o país entre 1964 e 1985). mente um sistema de desconhecimentos. Para onde quer que se Em ambos os casos, terminado o conflito, inicia-se o pós-conflito, orientem os objetivos, os instrumentos e as metodologias para co- um período que visa reconstruir o país e consolidar a paz. Nesse nhecer uma dada realidade, nunca se conhece tudo a respeito dela processo participam com destaque as comissões de verdade, justi- e fica igualmente por conhecer qualquer outra realidade distinta da ça e reconciliação, muitas vezes como componentes de um siste- que tivemos por objetivo conhecer. Por isso, e como bem viu Nico- ma mais amplo que inclui a justiça transicional e a identificação e lau de Cusa, quanto mais sabemos mais sabemos que não sabe- apoio às vítimas. São disso exemplo a Coreia do Sul, Argentina, mos. Mas mesmo o conhecimento que temos da realidade que jul- Guatemala, África do Sul, ex-Iugoslávia, Timor-Leste, Peru, Ruan- gamos conhecer não é o único existente e pode rivalizar com mui- da, Serra Leoa, Colômbia, Chile, Guatemala, Brasil. Na maioria dos tos outros, eventualmente mais correntes ou difundidos. Dois e- processos pós-conflito, forças diferentes militaram por razões dife- xemplos ajudam. Numa escola diversa em termos étnico-culturais, rentes para que a verdade não fosse plenamente conhecida. Quer o professor ensina que a terra urbana ou rural é um bem imóvel porque a verdade era demasiado dolorosa, quer porque obrigaria a que pertence ao seu proprietário e que este, em geral, pode dispor uma profunda mudança do sistema econômico ou político (desde a dela como quiser. redistribuição de terra ao reconhecimento da autonomia territorial e Uma jovem indígena levanta o braço, perplexa, e exclama: a um novo sistema jurídico-administrativo e político). Por qualquer “professor, na minha comunidade a terra não nos pertence, nós é destas razões, preferiu-se a paz (podre?) à justiça, a amnésia e o que pertencemos à terra”. Para esta jovem, a terra é Mãe Terra, esquecimento à memória, à história e à dignidade. Assim se produ- fonte de vida, origem de tudo o que somos. É, por isso, indisponí- ziu uma ignorância indolente. vel. Durante um processo eleitoral numa dada circunscrição de u- O Modo 3 de produção de ignorância consiste na produção ativa e ma cidade europeia, onde é majoritária a população roma (vulgo, consciente de ignorância por via da produção massiva de conheci- cigana), as seções de voto identificam individualmente os eleitores mentos de cuja falsidade os produtores estão plenamente consci- recenseados. No dia das eleições, a comunidade roma apresenta- entes. O Modo 3 produz conhecimento falso para bloquear a emer- se em bloco nos lugares de votação reivindicando que o seu voto é gência do conhecimento verdadeiro a partir do qual seria possível coletivo porque coletiva foi a deliberação de votar num certo senti- superar a ignorância. É este o domínio das fake news. Ao contrário do ou candidato. Para os roma não existem vontades políticas indi- dos Modos 1 e 2, a ignorância não é aqui um subproduto da produ- viduais autônomas em relação às do clã ou família. Estes dois e- ção. É o produto principal e a sua razão de ser. Os exemplos, infe- xemplos mostram que estamos em presença de duas concepções lizmente, não faltam: a negação do aquecimento global; os imigran- de natureza (e propriedade), num caso, e de duas concepções de tes e refugiados como agentes de crime organizado e ameaça à democracia, no outro. segurança da Europa ou dos EUA; a distribuição de armas à popu- O primeiro modo de produção de ignorância (chamemos-lhe Modo lação civil como o melhor meio de combater a criminalidade; as po- 1) reside precisamente em atribuir exclusivamente a um modo de líticas de proteção social das classes mais vulneráveis como forma conhecimento o monopólio do conhecimento verdadeiro e rigoroso de comunismo; a conspiração gay para destruir os bons costumes; e desprezar todos os outros como variantes de ignorância, quer se a Venezuela ou Cuba como ameaças à segurança dos EUA; etc., trate de opiniões subjetivas, superstições ou atavismos. Este modo etc. de produção de ignorância continua a ser o mais importante, sobre- Os três modos de produção produzem três tipos diferentes de igno- tudo desde que a cultura eurocêntrica (um certo entendimento dela) rância, estão articulados e acarretam consequências distintas para tomou contato aprofundado com culturas extra-europeias, especial- a democracias. O Modo 1 produz uma ignorância arrogante, abis- mente a partir da expansão colonial moderna. A partir do século sal, que é simultaneamente radical e invisível na medida em que o XVII, a ciência moderna consolidou-se como tendo o monopólio do monopólio do conhecimento dominante é generalizadamente acei- conhecimento rigoroso. Tudo o que está para além ou fora dele é to. As verdades que não cabem na verdade monopolista não exis- ignorância. Não é este o lugar para voltar a um tema que tanto me tem e tão-pouco existem as populações que as subscrevem. Abre- tem ocupado. Direi apenas que o Modo 1 produz um tipo de igno- se assim um campo imenso para a sociologia das ausências. Foi rância: a ignorância arrogante, a ignorância de quem não sabe que por isso que o genocídio dos povos indígenas e o epistemicídio dos há outros modos de conhecimento com outros critérios de rigor e seus conhecimentos (passe o pleonasmo) andaram de mãos da- tem poder para impor a sua ignorância como a única verdade. das. O Modo 2 produz a ignorância indolente que se satisfaz super- O segundo modo de produção de ignorância (Modo 2) consiste na ficialmente e que, por isso, permanece como ferida que arde sem produção coletiva de amnésia, de esquecimento. Este modo de se ver. É a ignorância-frustração que sucede à verdade- produção tem sido frequentemente ativado nos últimos cinquenta expectativa. Uma ignorância que bloqueia uma possibilidade e uma anos, sobretudo em países que passaram por longos períodos de oportunidade emancipadoras que estiveram próximas, que eram conflito social violento. Esses conflitos tiveram causas profundas: realistas e, que, além disso, eram merecidas, pelo menos na opini- gravíssima desigualdade socioeconômica; apartheid baseado em ão de vastos setores da população. Esta ignorância sugere uma discriminação étnico-racial, cultural, religiosa; concentração de terra sociologia das emergências, da emergência de uma sociedade que e consequente luta pela reforma agrária; reivindicação do direito à se afirma reconciliada consigo mesma, com base em justiça social, autodeterminação de territórios ancestrais ou com forte identidade histórica, étnico-cultural, sexual. O Modo 3 cria uma ignorância ma- social e cultural, etc. Estes conflitos, que muitas vezes se traduziri- lévola, corrosiva e, tal como um cancro, dificilmente controlável, na am em guerras prolongadas, civis ou outras, produziram milhões de medida em que as redes sociais têm um papel crucial na sua proli- vítimas – entre mortos, desaparecidos, exilados e internamente feração. Esta ignorância está para além da ausência e da emergên- deslocados. Para além das partes em conflito, houve sempre ou- cia. Esta ignorância é a prefiguração da estase, a imobilidade que tros atores internacionais presentes e interessados no desenrolar estrutura a vertigem do tempo imediato. do conflito; a sua intervenção tanto conduziu ao agravamento do CONTINUA NA PÁGINA 14 Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 10

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 10 19 - Dia do Exército Brasileiro Existem cinco principais divisões dentro do Exército Brasileiro: a infantaria, a cavalaria, a artilharia, a engenharia e as comunica- Esta data homenageia a força e presença do exército nacional bra- ções. sileiro como entidade de proteção do território e nação brasileira. Canção do Exército Brasileiro O Dia do Exército é celebrado em 19 de abril em memória Nós somos da Pátria a guarda, / Fiéis soldados, / Por ela amados. / da Batalha dos Guararapes, que ocorreu em 19 de abril de 1648, Nas cores de nossa farda Rebrilha a glória, / Fulge a vitória. / Em no estado de Pernambuco. nosso valor se encerra / Toda a esperança / Que um povo alcan- Neste episódio, um grupo de brasileiros, de diferentes etnias, mas ça. / Quando altiva for a / Terra Rebrilha a glória, / Fulge a vitória. / com o mesmo sentido patriótico, se reuniu pela primeira vez para A paz queremos com fervor, / A guerra só nos causa dor. / Porém, combater a dominação holandesa. se a Pátria amada / For um dia ultrajada / Lutaremos sem temor. / Oficialmente, o Exército Brasileiro foi criado em 1822, como um ór- Como é sublime / Saber amar, / Com a alma adorar / A terra onde gão subordinado ao Ministério da Defesa. se nasce! / Amor febril / Pelo Brasil / No coração / Nosso que pas- Atualmente o Dia do Exército Brasileiro serve para comemorar essa se. / E quando a nação querida, / Frente ao inimigo, / Correr peri- vitória, enaltecer o espírito patriótico brasileiro e para divulgar a im- go, / Se dermos por ela a vida / Rebrilha a glória, / Fulge a vitória. / portância dessa Força Armada. Assim ao Brasil faremos / Oferta igual / De amor filial. / E a ti, Pá- tria, salvaremos! / Rebrilha a glória, / Fulge a vitória. / A paz quere- O Exército Brasileiro é um dos três braços das Forças Armadas mos com fervor, / A guerra só nos causa dor. / Porém, se a Pátria Brasileiras, assim como a Marinha e a Aeronáutica. amada / For um dia ultrajada / Lutaremos sem temor. Ver também: Dia do Soldado. 20 - Dia do Diplomata Esta data homenageia a importante função do diplomata, que tem a responsabilidade de informar, representar e negociar variados assuntos e discussões entre os interesses de diferentes países. Para garantir as várias oportunidades de viagens e o bom salário, o diplomata têm em mãos uma grande responsabilidade de representar a nação fora do país. Dedicação, bons conhecimentos gerais, articulação e organização são componentes essenciais para um bom profissional. Um diplomata representa o seu país em um território estrangeiro, Origem do Dia do Diplomata portanto deve ser um ótimo articulador na hora de debater sobre os O Dia do Diplomata no Brasil se comemora em 20 de abril em hoassuntos internos de seu país com um representante de outra na- menagem ao "Patrono da Diplomacia Brasileira", José Maria da Silção. va Paranhos, mais conhecido como Barão de Rio Branco. No Brasil, para se tornar diplomata o interessado deve prestar uma O Barão de Rio Branco nasceu em 20 de abril de 1850 e já coman- prova de concurso, caso seja aprovado, ainda deverá se submeter dou o Ministério de Relações Exteriores brasileiro, participando em a um estágio probatório de dois anos. Após essa primeira fase, o missões de paz no Paraguai (durante a guerra) e cônsul-geral na diplomata vai progredindo em sua carreira, passando pelos cargos cidade de Liverpool, na Inglaterra. de Terceiro, Segundo e Primeiro Secretário consecutivamente; Conselheiro; Ministro de Segunda Classe e, por fim, Ministro de Pri- Devido a grande contribuição que o Barão do Rio Branco trouxe meira Classe (Embaixador). para a Chanceleria Brasileira, o Dia do Diplomata é comemorado no dia de seu aniversário. 16 - Dia Mundial da Voz res, atores, e etc) podem estar mais atentos aos cuidados básicos com a saúde vocal, no entanto, o restante da população negligenci- A data tem como principal objetivo chamar a atenção da população a ou desconhece a dimensão dos efeitos negativos que os exces- em geral para os cuidados de preservação da voz, ficando alerta às sos com a voz podem causar para a sua qualidade de vida. alterações da voz, que podem ser um sinal de doenças. O câncer A primeira celebração em homenagem à voz surgiu no Brasil em de laringe é um exemplo preocupante de como a falta de importân- 1999, porém só ganhou destaque mundial a partir de 2003, quando cia com a voz pode se manifestar. passou a ser comemorada nos Estados Unidos, Europa e Ásia. Profissionais que utilizam a sua voz diariamente (jornalistas, canto- .Nasce um exemplar Luque está localizado a 15 quilômetros da capital paraguaia, As- de arara azul e salva sunção, o que indica que esta espécie estaria segura e poderia sua espécie da permanecer viva. Deve-se notar que “Última Hora”, uma agência de extinção notícias no Paraguai, mencionou que a ave havia nascido em cati- A arara-azul-grande ou veiro. simplesmente arara a- O responsável pela oficina de aves mencionada acima, Gustavo zul, foi declarada extinta Espínola, acrescentou que cada um desses nascimentos em cati- por motivos desumanos, veiro é um grande passo quando se quer salvar uma espécie. No como tráfico e comércio caso desta arara azul, o filhote já mostra suas penas azuis iniciais e ilegal dessas aves. está em ótimo estado de saúde. Uma notícia que se tor- Ele também disse que não se deveria permitir que as aves nascinou oficial, o papagaio das no Paraguai, e de imensa beleza, permaneça por tanto tempo ou a arara azul havia em perigo de desaparecer. É uma das razões pelas quais precausido extinta. Mas outra obra da natureza deu uma luz de esperança ções são tomadas no cuidado desta espécie. para esta espécie, nos deu uma segunda chance com o nascimento de uma arara azul.Na semana passada, esta grande notícia foi Como este belo pássaro há muitas espécies em perigo de desapaanunciada, o nascimento desta bela ave foi gravado em uma ofici- recer, e nós somos os únicos que devem dar o grande passo, conna de aves da ONG “Associação de Ornitófilos e Aliados” na cidade tribuindo para tentar preservar a beleza natural que nos rodeia. de Luque, no Paraguai. Fonte: ilusionviajera Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 11

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 11 Intoxicações agudas por causa de agrotóxicos Economia regional. A agropecuária, segundo dados da Fundação triplicam em Minas João Pinheiro (FJP), é responsável por cerca de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais. Em 2010, esse percentual era Novos registros po- de 5,6%. Para o pesquisador da FJP e professor de economia do dem trazer avanços Ibmec-BH Glauber Silveira, existe uma correlação entre produtivi- tecnológicos e pro- dade e agrotóxico. “O uso da substância afeta diretamente a produ- dutos com a toxici- tividade, então é possível fazer essa correlação”, diz. Wânia lembra dade menor que Minas Gerais está entre os Estados que mais utilizam agrotóxi- Entre as consequên- cos no país. “Para a agricultura, existe um ganho na produtividade cias do uso de agro- com agrotóxicos. Muitos desses produtos são eficientes no controtóxicos no Brasil e le, mas, quando se olha pelo lado do bem-estar social, se perde em Minas Gerais es- quando se coloca em risco a saúde humana e os danos ao meio tão as intoxicações ambiente”, conclui. agudas. Em 2008, foram registrados pelo Sistema Único de Saúde Sustentação. Para o pesquisador da Fundação João Pinheiro (FJP) (SUS) 181 casos de intoxicação aguda por agrotóxico agrícola em e professor do Ibmec-BH Glauber Silveira, a agropecuária Minas Gerais. Em 2017, esse número foi de 625 casos, um cresci- “segurou” a economia mineira nos anos de recessão, de 2014 a mento de 245%. “É uma preocupação que produtores e trabalhado- 2016. “Quando o crescimento econômico estava perto de zero, foi res rurais sejam capacitados no manejo dos defensivos agrícolas e por causa da agropecuária que a queda não foi maior”, avalia Sil- usem os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) de maneira veira. A agropecuária era responsável por 5,6% do PIB mineiro em adequada. Até porque (o agrotóxico) se trata de um fator de custo, 2010 e chegou a 6,9% em 2016, último dado da FJP. Na mesma que impacta o lucro do produtor rural”, explica a coordenadora da comparação, a indústria passou de 33,2% em 2010 para 24,8% em assessoria técnica da Federação da Agricultura e Pecuária de Mi- 2016. nas Gerais (Faemg), Aline Veloso. A entidade, segundo ela, ofere- Faltam produtos para controle das pragas nos orgânicos ce cursos com essa finalidade. Opção ao modelo convencional de agricultura, que se baseia em A pesquisadora explica, porém, que o aumento do registro de agro- maquinários, fertilizantes, agrotóxicos e sementes produtivas, a a- tóxicos no país não é necessariamente ruim. “Novos registros po- gricultura orgânica e agroecológica padece de falta de produtos de dem trazer avanços tecnológicos e produtos com a toxicidade me- controle de pragas. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e nor. Além disso, o país não conta hoje com defensivos para alguns Abastecimento (Mapa), em 2018, foram 450 produtos aprovados, produtos agrícolas”, afirma. Ela cita o exemplo da palma-forrageira, só 17 permitidos para a produção orgânica, 3,7% do total. “Não é uma planta usada na alimentação do gado produzida no Norte do possível encontrar no país defensivos biológicos para a produção Estado e no Vale do Jequitinhonha que não conta com agrotóxico agroecológica. Minha plantação de repolho foi atacada por lesmas, próprio para esse tipo de plantação. e perdi a produção”, critica a advogada e pequena produtora Adria- Para o pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp), na Alves do Valle. da Fiocruz, Luiz Cláudio Meirelles, a toxicidade dos pesticidas apro- Ela conta que não conseguiu crédito para iniciar sua produção. vados nos últimos registros no país pode estar relacionada com o “Busquei dois bancos, e ambos solicitavam que eu já tivesse renda aumento de casos de intoxicação. “Não temos estudos comprovan- com o negócio. Uma delas pediu R$ 200 mil de renda anual. Isso do, mas o registro de substâncias consideradas altamente tóxicas não é viável para um pequeno produtor”, conta. pode influenciar no aumento de intoxicações. E um aumento, inclu- sive, de intoxicações agudas, de quem tem contato com o produto “Faltam linhas de financiamento para a produção orgânica e agroe- e passa mal no outro dia. Não envolvem os casos de câncer, por cológica no Brasil, enquanto não falta para compra de agrotóxicos”, exemplo, que são outro problema grave”, diz. No Brasil, o número afirma o pesquisador e nutricionista do Instituto Brasileiro de Defe- de intoxicações agudas por agrotóxico mais que dobrou em uma sa do Consumidor (Idec) Rafael Arantes. “Em alguns bancos, o cré- década. Passou de 2.500 em 2008 para 5.238 em 2017. dito é liberado mais facilmente quando envolve compra de agrotóxi- cos”, diz o pesquisador da Associação Brasileira de Saúde Coletiva “O uso de agrotóxicos na agricultura brasileira é um problema de (Abrasco) André Burigo. saúde pública, dadas as contaminações no ambiente, em alimentos e as intoxicações na saúde humana. Se utilizadas de forma errada, Com uma propriedade de seis hectares e quatro deles preservados as substâncias ficam como resíduos nos alimentos e podem causar de Mata Atlântica, Adriana iniciou em 2018 a produção sem ne- sérios danos. As hortaliças estão entre os alimentos em que mais nhum agrotóxico, no sítio Guatambu do Salgado, em Carandaí, re- se encontram resíduos de agrotóxicos”, afirma a pesquisadora da gião Central do Estado, e vende sua produção por Facebook e InsEmpresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e tagram. doutora em fitopatologia, Wânia dos Santos Neves. Ludmila Pizarro 15 - Dia do Desarmamento Infantil me, por exemplo, são alguns dos tópicos que provocam debates sobre até quando podem influenciar negativamente as crianças ao O principal objeti- mundo do crime e banalizar a violência. vo desta data é Durante esta data, a prefeitura de diversas cidades brasileiras, asdebater as con- sim como escolas, centros e institutos de edução e outras instituisequências que ções promovem palestras e espaços de discussão para conscientios incentivos ao zar as pessoas sobre os reais perigos que as crianças são exposuso de armas de tas ao utilizarem simuladores de armas de fogo. fogo por crianças podem provocar Neste sentido, são programadas atividades esportivas, artísticas, na vida destes culturais, entre outras, com o intuito de mostrar aos jovens as posfuturos adultos. sibilidades que estão disponíveis para eles na vida, ajudando a descobrir possíveis talentos e que não os leve a vida do crime. Replicas de armas de fogo de brinquedo ou nos jogos de vídeo ga- Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 12

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 12 Voluntariado e engajamento social quem, pois não sei mesmo, que começou a utilizar e nem tenho Nos chamados tempos modernos, mais conhecido como o tempo uma pista pela minha experiencia de trabalho. presente, temos “necessidade” de informação e estarmos conecta- Tenho aqui uma teoria que o mundo acadêmico acaba fazendo dos o tempo todo, pelo menos boa parte da população vive assim, muito isso, de tentar traduzir os nomes de muitas atividades para e o trabalho voluntário tem passado por transformações importan- sua funcionalidade dentro da sociedade e sem duvidas é o que faz tes. o trabalho voluntario, engaja as pessoas socialmente. Tem se adaptado, felizmente, a legislação para evitar desvio que Vai mudar alguma coisa? Certamente que não. O importante é con- poderiam atentar contra os voluntários e as organizações, tem se tinuarmos com a importância da filosofia do trabalho voluntário, adaptado as questões tecnológicas, trabalhos à distância, tem se com ou sem tecnologia, com ou sem todas as modernidades, trazer empenhado em ser ético, inclusivo e funcionado como um grande as pessoas para conhecerem este mundo de aprendizado e de co- aliado para diminuir as distancias com as ditas minorias. laboração e de transformação. Portanto vem passando por transformações pouco sentidas para O trabalho voluntário continua sendo uma grande ferramenta e quem pratica o voluntariado, mas muito importantes para a socie- quero muito que você experimente um dia qualquer esta atividade, dade e para nós divulgadores e trabalhadores da causa. o marketing moderno prega que os “clientes” hoje querem uma ex- Chega o momento que o nome começa a passar por esta pequena transformação e adaptação ao tempo presente, começa um movi- periência e o sua criação. trabalho voluntário oferece isso gratuitamente desde mento de ser chamado de Engajamento Social, que sempre foi, na Roberto Ravagnani concepção da palavra, mas hoje cada vez mais começamos a ouvir este novo termo, por isso trago o assunto para nossa coluna, para Venha ter esta experiência... Fale conosco começar por aqui também a difundir esta nova nomenclatura. Por que mudar o nome de voluntariado para Engajamento Social? Excelente pergunta, pena que não tenho uma resposta, nem de (contato gazetavaleparaibana@gmail.com) O FUNDAMENTALISMO tre tantos. Não conheço religião que pregue a violência, a agressão RELIGIOSO E A PROFA- e a perseguição às diferenças. O Sagrado é algo que se encontra NAÇÃO O SAGRADO no íntimo dos indivíduos, é parte da sua existência. É possível ser espiritualizado e não ser vinculado a nenhuma igreja ou religião. É A história tem mostrado que o possível ver deuses e deusas em todos os elementos da vida e da crescimento do conservadoris- natureza ou, não ver nenhum, acreditar exclusivamente na razão e mo sempre está associado ao na ciência. A prisão dogmática, o aprisionamento e a imposição de fundamentalismo religioso. As- crenças representam violências extremas, pois destroem com a i- sim foi na Inquisição, nos fas- dentidade e corroem a alma das pessoas. cismos espanhol, português e italiano e no Nazismo. Se o movimento de Hitler não era católico, como os demais fascismos, o seu alicerce religioso eram o cristianismo fanatizado, que vinha germinando no país desde a unificação, e a mitologia do arianismo. Em todos os casos, a crença acrítica em dogmas favoreceu a construção de hordas armadas, violência e genocídios. O Brasil é um país multiétnico, plurirreligioso e politeísta. As religiões de matriz africana e indígena tem a mesma importância e relevância do que as de origem asiática ou europeia. Deus, Buda, Alá., Tupã, Jaci, Oxalá, Shiva ou a Deusa da Terra estão no mesmo nível de respeito pelo direito e pela nossa ordem constitucional. Quem define as suas crenças são cidadãos e cidadãs. Quem viola O lado contrário do fundamentalismo fanático é a tolerância, o res- ou profana a crença de outrem comete crime de racismo e aquele peito às crenças e às diferenças, que é uma das bases da socieda- tipificado no art. 208 do Código Penal. Propor uma matriz religiosa de democrática. Não existe mundo civilizado sem tolerância e esta em qualquer etapa do ensino é inconstitucional e ato de improbida- deve ser absoluta, abarcar todos os tipos de crenças, sem limita- de administrativa. A liberdade religiosa é plena, como já decidiu o ções por um grupo hegemônico. No mundo civilizado, não existe STF no RE 494.601/RS. um Deus, mas Deuses e Deusas das diversas crenças. O Estado não tem dono, não tem crenças, não segue dogmas, e todos e todas tem o direito de escolher os seus caminhos. Invadir a esfera do sagrado é um abuso totalitário, uma violação da honra, da dignidade e da intimidade dos seres humanos. Uma grave ofensa a direitos fundamentais, motivo pelo qual tais condutas Curiosamente, a tolerância é uma regra defendida pelos profetas devem ser coibidas com rigor. de todas as religiões: Jesus, Maomé, Buda, Kardec, Confúcio, den- Sandro Ari Andrade de Miranda 18 - Dia de Monteiro Lobato - Idas às bibliotecas - Leituras de estórias Nesse dia, diversas homenagens ao escritor acontecem nas esco- - Apresentações teatrais las, bibliotecas e centros culturais. Leituras dramatizadas, teatros de fantoches e apresentações são realizadas em todo o país. A i- - Doação de livros aos alunos deia principal é incentivar a leitura e alertar para sua importância na Quem foi Monteiro Lobato? formação dos seres humanos. Nascido em 18 de abril de 1882 na cidade de Taubaté, Monteiro Segundo Monteiro Lobato: "Um país se faz com homens e livros." Origem da Data A Dia de Monteiro Lobato foi instituído por meio da Lei n.º 10.402, de 8 de janeiro de 2002. A partir daí, essa data promove diversas atividades relacionadas com o literatura infantil e a importância de adquirir o hábito da leitura desde cedo. Atividades para o Dia de Monteiro Lobato Lobato foi um escritor e editor pré-modernista. Considerado um dos maiores escritores brasileiros do século XX, Lobato foi precursor da literatura infantil no Brasil. Sua obras que merecem destaque fazem parte da coleção composta por 23 volumes: "Sítio do Pica Pau Amarelo". O escritor ficou famoso por criar personagens como Dona Benta, Narizinho e Pedrinho, Tia Nastácia, a boneca Emília, o Visconde de Sabugosa, o porco Rabicó e o rinoceronte Quindim. Monteiro Loba- Desde a sanção da lei em 2002, escolas de educação infantil pro- to veio a falecer em 4 de julho de 1948. movem eventos e atividades para esse dia. Algumas delas são: Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 13

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 13 norte-americana. + ALGUMAS DATAS COMEMORATIVAS A população aderiu em força à manifestação e mais de 20 milhões 02 - Dia Internacional do Livro Infantil de americanos manifestaram-se a favor da preservação da terra e do ambiente. .Esta data é destinada ao incentivo e conscientização da importância desde gênero literário para a formação de novos leitores. Ninguém nasce sendo um leitor. Por isso, o incentivo ao hábito da leitura tem que começar desde os primeiros anos de vida da criança, e a literatura infantil é a porta de entrada para isso. 23 - Dia Mundial do Livro Além de homenagear várias obras literárias e seus autores, a data também busca conscientizar as pessoas sobre os prazeres da leitura. Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor A UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a 09 - Dia Nacional da Biblioteca Ciência e a Cultura) criou a data do "Dia Mundial do Livro e dos Di- reitos de Autor" para encorajar as pessoas, especialmente os jo- O principal objetivo desta data é incentivar a leitura como ferramen- vens, a descobrirem os prazeres da leitura, e conhecerem a enor- ta base para a educação e formação dos indivíduos. me contribuição dos autores de livros através dos séculos. A biblioteca é o local onde estão reunidos diferentes tipos de livros, Uma tradição catalã ligada aos livros já existia no dia 23 de abril, e que abrangem os mais variados assuntos. Este é um espaço es- parece ter influenciado a escolha da Unesco. Na tradição catalã, no sencial para a aquisição de conhecimentos e, por norma, procurado dia de São Jorge (23 de abril), é costume dar uma rosa para quem por pessoas que desejam explorar a literatura, estudar ou trabalhar. comprar um livro. Trocar flores por livros já se tornou tradição em No Brasil, esta data surgiu em referência a Semana Nacional do outros países também. Livro e da Biblioteca e o Dia do Bibliotecário, ambos instituídos a Origem do Dia Mundial do Livro partir do decreto nº 84.631, de 9 de abril de 1980. A UNESCO escolheu a data do Dia Mundial do Livro em 1995, em 13 - Dia do Hino Nacional Brasileiro Paris, durante o XXVIII Congresso Geral. O dia 23 de abril foi escolhido por ser a data da morte de três granA música do Hino Nacional do Brasil foi composta por Francisco des escritores da história: William Shakespeare, Miguel de CervanManuel da Silva em 1822. A letra do Hino veio anos mais tarde, em tes, e Inca Garcilaso de la Vega. 1909, escrita por Joaquim Osório Duque Estrada (1870 – 1927). O Hino Nacional Brasileiro – composto por Francisco Manuel da 28 - Dia da Educação Silva – se tornou oficial durante as comemorações do centenário da A data serve para incentivar e conscientizar a população sobre a Independência do Brasil, em 1922. importância da educação, seja escolar, social ou familiar, para a No entanto, a letra e música que é conhecida atualmente – com- construção de valores essenciais na vida em sociedade e do conví- posta por Joaquim Osório Duque Estrada – só foi oficializada em 1º vio saudável com outros indivíduos. de setembro de 1971, através da lei nº 5.700. Muitas pessoas associam a palavra "educação" com o ambiente O Hino Nacional é um dos símbolos da República Federativa do escolar, o que não deixa de ser correto, porém não deve ser ape- Brasil, e desde 2009 é obrigatório que seja cantado pelo menos u- nas a escola o único instrumento importante de educação de uma ma vez por semana em todas as escolas públicas e particulares do criança ou jovem. país. A família é a base da formação educacional de uma pessoa, os O processo de criação de um hino nacional que representasse a pais ou responsáveis devem estar atentos e participar da formação independência do Brasil foi bastante complicado. dos valores sociais, éticos e morais do indivíduo. A escolha do dia 13 de abril para comemorar do Dia do Hino Nacio- Dia da Educação nal é uma referência a uma manifestação que ocorreu nesta data O dever do Estado é garantir condições para a formação educacio- em 1831, quando o ex-imperador do Brasil, D. Pedro I, embarcava nal de todos os cidadãos, com qualidade e gratuitamente. para Portugal O Brasil ainda enfrenta graves problemas com a qualidade do ensi- 19 - Dia do Índio no e educação, no entanto o número de analfabetos caiu bastante nos últimos dez anos, segundo dados do Ministério de Educação e .Esta importante data serve para lembrar e reforçar a identidade do Cultura - MEC. povo indígena brasileiro e americano na história e cultura atual. No Brasil, a educação também é motivo de destaque no dia 25 de Antes da chegada dos primeiros europeus em terras americanas, agosto, quando se comemora o Dia Nacional da Educação Infantil, todos os países que formam este continente eram amplamente po- a partir da Lei nº Lei 12.602/12, sancionada pela presidente Dilma voados por grandes nações indígenas. Infelizmente, a ganância e a Rousseff. crueldade humana fizeram com que muitas tribos fossem totalmen- te dizimadas e grande parte da cultura indígena foi esquecida. 29 - Dia Internacional da Dança Na tentativa de preservar as tradições e identidade dos indígenas, Também conhecido como Dia Mundial da Dança, esta data é desti- o Dia do Índio surgiu para não deixar as novas gerações esquece- nada a homenagear uma das manifestações artísticas mais anima- rem das verdadeiras raízes que formam o povo brasileiro. das e antigas que existem: a dança! A Funai - Fundação Nacional do Índio - é uma das principais institu- Existem diversos estilos de dança diferentes, cada um com a sua ições brasileiras que se dedica a defender a cultura e os direitos própria personalidade. O Dia da Dança busca a valorização dessas dos povos indígenas do país. identidades distintas. Atualmente, ainda está em curso um violento ataque a essas na- O Dia da Dança foi criado em 1982 pelo Comitê Internacional da ções, com tristes e constantes episódios de assassinatos de popu- Dança (CID) da Organização das Nações Unidas para a Educação, lações e líderes indígenas. Ciência e Cultura (UNESCO). 22 - Dia da Terra O 29 de abril foi escolhido como Dia Internacional da Dança em homenagem a data de nascimento de Jean-Georges Noverre (1727- A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord 1810), um mestre do balé francês. Nelson que resolveu realizar um protesto contra a poluição da Ter- Apenas por coincidência, a data está associada a uma personalida- ra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de de brasileira de importância no balé, Marika Gidali, bailarina co- Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969. fundadora do Ballet Stagium em São Paulo, que também nasceu Inspirado pelos protestos dos jovens norte-americanos que contes- no dia 29 de abril. tavam a guerra, Gaylord Nelson, desenvolveu esforços para conse- guir colocar o tema da preservação da Terra na agenda política VISITE NOSSO SITE - Todas as datas comemorativas Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 14

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 14 A OTAN e o Brasil pela defesa e segurança da Europa. Então, é obvio que o Donald Trump tenha considerado a Rússia O Donald Trump trata mal o México, mas trata bem o Brasil? Ou é como um dos parceiros mais interessantes, num passado recente, simpatia do presidente dos EUA pelo presidente do Brasil, especifi- inclusive para contrapor a emergente superpotência China. camente? Só que, a Rússia não é submissa à vontade de nenhuma superpo- Isto é uma discussão sociológica interessante já que muitos brasi- tência estrangeira, e prioriza os seus próprios interesses nacionais leiros têm o entendimento que o Brasil é parte integrante do Oci- em detrimento de interesses estrangeiros. dente cultural. Mas muitos europeus e norte-americanos não têm Então, não é possível aos Estados Unidos ter uma posição de esse mesmo entendimento quanto ao Brasil ser parte do Ocidente “soberano do mundo” e ter a Rússia como sua aliada geopolítica ao cultural. Ocidente cultural seria composto apenas pela Europa Oci- mesmo tempo, não é interessante para a Rússia. dental, Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. Na opi- nião do Netanyahu, Israel também é um país ocidental. Quanto ao Brasil, também é obvio que o Donald Trump fale tão simpaticamente ao Brasil. O Canadá é um país rico, mas está se- A OTAN é a Organização do Tratado Atlântico Norte, nem as cultu- parado da América Latina e do Caribe justamente pelos Estados ralmente ocidentais Austrália e Nova Zelândia fazem parte. Unidos. A OTAM foi constituída para contrapor a União Soviética e inibir o A América Latina andou elegendo governantes progressistas que avanço do bloco socialista no continente europeu. A guerra fria a- resistem às vontades da superpotência do norte. cabou em 1990, mas a OTAN permanece até os dias atuais. Além dos Estados Unidos, quem no continente tem tamanho para A OTAN atacou a Iugoslávia em 1999, atacou a Líbia em 2011, a servir de contrapeso aos opositores dos norte-americanos e de aliança é do interesse dos países europeus que não precisam ter ponto estratégico? De longe, a melhor opção é o Brasil! Logo, o grandes gastos militares pois podem ser apoiar nos EUA, e assim, Trump não é fã do povo brasileiro, o que Trump tem é o interesse direcionar gastos públicos para outras áreas mais interessantes pa- de manter o Brasil submisso, e monitorar o Brasil mais de perto, já ra as sociedades europeias. que o Brasil se opondo geopoliticamente aos Estados Unidos favo- No passado recente, Donald Trump fez várias críticas aos seus ali- recerá a Rússia e a China no continente. ados europeus da OTAN justamente por motivos de poucos gastos Note-se também o quanto o litoral brasileiro entre o Rio Grande do militares por parte de governos europeus. O próprio Donald Trump Norte e o Amapá é ótimo para os Estados Unidos terem uma base desdenha a OTAN, não é lá muito a favor da aliança atlântica. militar para patrulhar o Atlântico, e a base de Alcântara para lançar Nas campanhas de eleição presidencial nos EUA, referente a políti- foguetes da NASA ou de empresas privadas americanas para o es- ca externa, Trump criticava a China e o México, mas demonstrava paço. clara simpatia pela Rússia, até houve suspeitas da Rússia ter aju- Só que essas lisonjas ao Brasil, essa estratégia norte-americana de dado Trump a vencer as eleições. mexer na autoestima brasileira, não é interessante aos membros Se nos colocarmos no ângulo de visão geopolítica dos norte- europeus da OTAN, pois eles não querem ter o trabalho de ter que americanos, primeiramente, o mundo de hoje não é o dos anos 90 proteger um país da América Latina, já que para os europeus, a O- e nem da era Bush. TAN visa garantir a segurança da Europa. Os Estados Unidos perderam parte de sua influência geopolítica, Sendo assim, não faz sentido o Brasil ou outro país latino- até perante alguns de seus aliados tradicionais como a Turquia e a americano ser membro pleno da OTAN. O ângulo de visão geopolí- Filipinas que se afastaram de Washington DC. tica europeia nem sempre está em harmonia com o dos Estados Houve alterações no relacionamento entre as nações, nas décadas Unidos. mais recentes. E quanto ao ângulo de visão daqui? Se deixarmos de lado divergências de princípios e de culturas, real- O Brasil ser membro da OTAN abalará as relações do Brasil com mente a Rússia é uma das melhores opções para os Estados Uni- os seus vizinhos, gerará desconfiança e mal-estar; o Brasil vai per- dos terem como país aliado. der poder de barganha, já que os Estados Unidos têm muitos inimi- A Rússia é herdeira da União Soviética; herdou o poderoso aparato gos que passarão a ser inimigos também do Brasil. militar soviético e o tem o modernizado. O Brasil ainda tem condições de vir a ser, no futuro, um dos prota- Junto com os Estados Unidos a Rússia é pioneira na corrida espa- gonistas geopolíticos. Para isso, basta olhar o futuro como perten- cial, são os dois países mais experientes no assunto da exploração cente a si próprio e não como uma república sul americana coloni- do espaço sideral, astronáutica ou cosmonáutica, enquanto os alia- zada pelo imperialismo. dos europeus querem que os Estados Unidos se responsabilizem João Paulo E. Barros CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 09 que é praticamente impossível de erradicar. Os três modos de produção e as respectivas ignorâncias que pro- O impacto destes três tipos principais de ignorância nas democraci- duzem não existem na sociedade de modo isolado. Articulam-se e as do nosso tempo é convergente, embora diferenciado. Todas es- potenciam-se por via das articulações que os tornam mais eficazes. tas ignorâncias contribuem para produzir democracia de baixa in- Assim, a ignorância arrogante produzida pelo Modo 1 (monopólio tensidade. A ignorância arrogante torna impossível a democracia da verdade) facilita paradoxalmente a proliferação da arrogância intercultural e plurinacional, na medida em que outros saberes e malévola produzida pelo Modo 3 (falsidade como verdade alternati- modos de vida e de deliberação são impedidos de contribuir para o va). É que uma sociedade saturada pela fé no monopólio da verda- aprofundamento democrático; e faz com que vastos setores da po- de científica torna-se mais vulnerável a qualquer falsidade que se pulação não se sintam representados pelos seus representantes e apresente como verdade alternativa usando os mesmos mecanis- nem sequer participem nos processos eleitorais de raiz liberal. A mos da fé. Por sua vez, a ignorância indolente produzida pelo Mo- ignorância indolente retira da deliberação democrática decisões so- do 2 (amnésia, esquecimento) desarma vastos setores da popula- bre justiça social histórica, sexual, e descolonizadora, sem as quais ção para combater a ignorância produzida quer pelo Modo 1, quer a prática democrática é vista por vastas camadas da população co- pelo Modo 3. A ignorância arrogante é uma das principais causas mo um jogo de elites, uma disputa interna entre os vencedores dos da ignorância indolente, ou seja, da facilidade com que se esquece, normaliza e banaliza um passado de morte de inocentes, de sofrimento injusto, de pilhagens convertidas em exercícios de proprie- conflitos históricos. Mas a ignorância malévola é a mais antidemocrática de todas. Sabemos que as deliberações democráticas são tomadas com base em fatos, percepções e opiniões. Ora a ignorância malévola priva a democracia dos fatos e, ao fazê-lo, converte a dade, de corpos de mulheres e de crianças violentados como obje- boa fé dos que dela são vítimas em figurantes ou jogadores ingê- tos de guerra. Quando a ignorância arrogante se complementa com nuos num jogo perverso onde sempre perdem e, mais do que isso, a ignorância malévola, a ignorância indolente torna-se tão invisível se autoinfligem a derrota. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 15

Abril de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 15 Arrependimento? prosperidade mediante um mercado único poderia naturalmente trazer alterações identidade interna de cada país, já que cada país Quem acompanha nos noticiários, as notícias internacionais, sabe estaria se conectando a outros países com diferenças culturais re- que o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte quer sair da levantes. E, tanto a integração entre países quanto a separação União Europeia, o Brexit. A saída britânica do bloco europeu foi de- têm custos, que costumam ser altos. Aí está o motivo do Brexit ser cidida por consulta popular, um plebiscito. Mas o processo de saída um grande transtorno para os britânicos a ponto de muitos terem se do Reino Unido da União Europeia está causando transtornos ao arrependido de ter votado a favor. governo britânico. E muitos cidadãos que votaram a favor, se arre- penderam depois. Tanto a formação da União Europeia quanto o Brexit são ótimos exemplos de aprendizado para todos nós enquanto cidadãos, mes- A Europa é um continente cuja história é repleta de guerras e con- mo do Brasil. Quando as oligarquias de um país tomam uma deci- flitos. Após a Segunda Guerra Mundial, os europeus escolheram são referente a algum tratado internacional, pode estar se aventu- superar os conflitos do passado e em preparar o futuro conjunta- rando a uma experiência que pode não resultar em algo satisfatório mente para a sua civilização comum. Foi feito um projeto audacioso para a população. A Suíça é um país onde muitas decisões são ba- de integrar os países daquele continente, trocar rivalidades por in- seadas em consulta popular e, é um país que é famoso por tradi- teresses comuns. E a ideia em si, não parece ser ruim. Teorica- ção de neutralidade. Qualquer que seja o governante, quando deci- mente, seria maravilhoso os povos deixarem de rivalizar e se junta- dir por uma nova experiência que envolva relações com outro país, rem por causas em comum. sempre ter a certeza de que tem o apoio da maioria da população Só que a crise de 2008, que começou com a bolha imobiliária nos antes de iniciar o procedimento de aliança. Porque o governo de- Estados Unidos, atingiu com força a União Europeia, na forma de mocrático leva em consideração a vontade dos cidadãos. Como crise da dívida pública. A Grécia foi o país mais atingido. A Europa raramente há senso comum, então o governo democrático logica- Unida fez união monetária sem união fiscal. Vários países tomaram mente favorece a maioria. Nem sempre a decisão tomada pela mai- medidas de austeridade e receberam socorro financeiro. A confian- oria é a correta, mas o governante ao menos tem o respaldo de ça na viabilidade da união dos países europeus ficou abalada entre não ter errado sozinho e não ter que assumir a culpa sozinho. E o muitos cidadãos europeus. Mas o Reino Unido não adotou o euro, eleitorado, tendo a experiência de uma decisão política, aprende permaneceu com a sua moeda nacional, a libra esterlina. Desde o com os seus erros e melhora, amadurece para tomar decisões pos- início da União Europeia, o Reino Unido atuou politicamente para teriores. se proteger da ameaça de controle por Bruxelas (e Berlim). Não Ao fazer aliança com outro país, o Brasil estará concordando em esqueçamos que, até meados do século XX, Londres era a sede ceder em pontos importantes, inclusive se tornar desafeto ou susde um império intercontinental imponente, há na nação britânica um peito aos olhos dos países inimigos daquele país com quem o Braforte apego a soberania nacional. Também, a Europa Ocidental é sil quer fazer aliança. Se o pacto é comercial, o Brasil poderá ter um conjunto de países prósperos, o que faz da região um “ímã” de que prejudicar algum setor nacional de sua economia. A unificação imigrantes vindos de regiões menos prósperas. E, como é típico em do mercado europeu parecia ser vantajoso para todos os europeus, épocas de crise em todo o mundo, há surtos de xenofobia na Euro- mas atualmente há quem se sinta prejudicado. É importante os epa. O que os cidadãos europeus devem ter se esquecido é de levar leitores estarem acompanhando o que o governante eleito faz e o em consideração ao concordarem com a união da Europa, é que a que os parlamentares também fazem, quanto a legislar. aliança entre os países europeus para a manutenção da paz e a João Paulo E. Barros Defesa de ditadores é risco à democracia sempre em pleitos fraudados e sob severa censura e movido a truculência. Em 1977, perdeu a paciência com eleições e decidiu a- Ao participar de uma cerimônia oficial internacional, na teórica con- provar uma emenda constitucional que o tornou presidente vitalício. dição de representante maior do Brasil, e abrir a boca para defen- Junto com o Brasil de Ernesto Geisel, com o Chile de Augusto Pi- der ditadores e torturadores, o presidente Jair Bolsonaro manda nochet, a Argentina de George Videla e o Uruguai de Pacheco Are- uma imagem preocupante para fora do país. E pratica o mesmo ti- co, além da colaboração da Bolívia de Hugo Banzer, o Paraguai de po de violência política e institucional que comete aqui dentro. Stroessner participou com entusiasmo do maior crime organizado Aqui, ele não se cansa de saudar e expelir loas a torturadores as- internacional da história do continente, a Operação Condor, logísti- sassinos como o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, único bra- ca mortal que caçava em um país adversários políticos do outro. sileiro, até agora, condenado por tortura. E de apontar como exem- Uma quadrilha sanguinária e muito bem estruturada de chefes de plos de governantes ditadores como o simplório Costa e Silva e o Estado, todos ditadores, formada para caçar, prender, torturar, ma- truculento Emílio Garrastazu Médici. tar e sumir com os corpos dos seus opositores. Se possível sem A bola da vez do presidente brasileiro é o falecido ditador paraguai- deixar rastros. o Alfredo Stroessner, um modelo ser seguido segundo o "mito", que Ao fazer mais esta apologia às ditaduras e à tortura, Bolsonaro o elogiou durante a cerimônia de posse do novo diretor da Itaipu manda para o pau de arara a Constituição brasileira, que, em seu Binacional. Para o "capitão", Stroessner é um modelo, um ser irre- Art. 5º determina: "Todos são iguais perante a lei, sem distinção de tocável, que salvou o Paraguai do comunismo. qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros A série de absurdos verbais foi proferida diante do presidente para- residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à guaio, o conservador Mario Abdo Benítez, outro chefe de Estado igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: da direita cuja hegemonia política ameaça tornar a América Latina XLIV – constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de gru- em um quintal dos Estados Unidos. pos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o O homenageado do dia foi, na verdade, um presidente cruel e san- Estado Democrático. " guinário. E seu governo deixou como saldo mórbido de 3 mil mor- Como presidente da República, cargo que assumiu prometendo o- tos e desaparecidos. O "democrata" enaltecido por Bolsonaro rece- bedecer e zelar pela Constituição, ao defender torturadores como beu financiamento maciço das grandes corporações estrangeiras Ustra e governos ditatoriais latino-americanas dos anos 1960/80, instaladas no Paraguai, especialmente as norte-americanas, e go- entre as quais o Paraguai de Alfredo Stroessner foi uma estrela de vernou para elas. Os governos dos EUA, em várias gestões, foram primeira grandeza, Jair Bolsonaro deixa uma dúvida muito grande o seu grande esteio financeiro e político. sobre o que pensa e o quer em relação à democracia brasileira. Stroessner "reinou" entre 1954 e 1989, maior período de uma única ditadura já existente na América do Sul. Assumiu pela primeira vez na garupa de um golpe de estado. Foi "reeleito" por sete vezes, Gilvandro Filho Jornalista e compositor/letrista Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

Comments

no comments yet