Revista Voz da Paróquia

 

Embed or link this publication

Description

Noticias da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso de Guaratuba

Popular Pages


p. 1

Ano V | Março 2019 | Nº 58 MARÇO - Campanha da Fraternidade Programa Voz da Paróquia FM 87,9 de segunda a sexta feira das 17:30 as 18:00 hs

[close]

p. 2

E ditorial Março “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27) Mergulhados na espiritualidade do tempo da quaresma, tempo de penitê ncia e conversã o. A Quaresma é nossa preparaçã o para celebrar bem a Pá scoa. Para vivenciar este tempo quaresmal, a Igreja propõ e a Campanha da Fraternidade com o tema: “FRATERNIDADE E POLITICAS PUBLICAS”,com o lema: “Será s libertado pelo direito e pela justiça.” (Isaıá s 1,27),nos recorda que somos todos irmã os. Com este tema, a igreja no Brasil quer incentivar os fié is, das demais comunidades eclesiais, a refletir sobre a importâ ncia da participaçã o integral da populaçã o na elaboraçã o, execuçã o e avaliaçã o de polıt́ icas pú blicas, a luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja. Os Missioná rios Redentoristas com alegria, fazem memó ria no dia 15, de Sã o Clemente Maria Hofbauer, que foi um grande propagador da Congregaçã o Redentorista fora da Itá lia. Nasceu em 1751 e faleceu em1820. No dia 19, a Igreja celebra a Solenidade de Sã o José, Esposo da Virgem Maria e Padroeiro da Igreja Cató lica e das famıĺ ias. Homem justo e fiel à vontade de Deus. Os Evangelhos, porém, nã o trazem nenhuma informaçã o sobre a sua idade ou morte. Ele teria morrido enquanto Jesus ainda vivia em Nazaré, razã o pela qual é venerado como “patrono da boa morte”. Dia 08 de março, celebra-se o dia Internacional da Mulher, criado em 1910. Sendo que a primeira comemoraçã o do Dia da Mulher ocorreu em 1911. Motivo: no dia 08 de dezembro de 1857, trabalhadoras de Nova York foram mortas quando exigiram melhores condiçõ es de trabalho e direito de voto. Dia 21 Dia Internacional da Eliminaçã o da Discriminaçã o Racial, pensemos na vida de comunhã o para a qual o Senhor nos chama. Dia 22 celebramos o dia Mundial da Agua, quando elevamos uma prece de louvor à criatura bendita de Deus que nos faz viver. Como percebemos, temos muitas datas importantes e especiais para celebrar neste mê s de março. Pe. Pedro Hélio de Oliveira, C.Ss.R. Missionário Redentorista Índice 03 Março 03 Quarta-feira de Cinzas 04 Campanha da Fraternidade 05 Pastoral da Catequese 05 Aconteceu... 06 Dia Internacional da Mulher 06 Aconteceu... 07 Dia Nacional da Luta Contra as Barragens 08 Pastoral do Dízimo 09 São Clemente 09 Aconteceu... 10 Pastoral Social 11 Datas e Eventos Paroquiais de Março 11 São José 12 Festa da Padroeira 2019 14 Pastoral da Pessoa Idosa 14 Aconteceu... 15 São Longuinho 15 São Gregório de Nissa 16 Dicas de Saúde 16 Aconteceu... 17 PASCOM - Pastoral da Comunicação 18 Aconteceu... 19 Eliminação da Discriminação Racial 20 Pastoral da Criança 21 Anunciação do Senhor 21 Posse do novo Pároco 22 Missas Ano V - Nº 58 - Março 2019 02 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 3

Março Março é o mês da poesia. No dia 14 é comemorado o Dia Nacional da Poesia, em homenagem ao nascimento de Castro Alves. No dia 21, celebra-se o Dia Mundial da Poesia, instituıd́ o pela UNESCO, em 1999, para promover a leitura, escrita, publicaçã o e ensino da poesia atravé s do mundo. E é em forma de poesia que iniciamos o mê s dedicando nosso apreço ao “sim” de Nossa Senhora, ao respeito de José, à determinaçã o de Jesus nos 40 dias de deserto e ao Amor de Deus. O Nosso “sim” aceitando as tribulaçõ es, nosso respeito com o pró ximo e com a natureza, determinaçã o para alcançar nossos objetivos, e que nã o nos falte,sobretudo, o amor! Sã o as á guas de março fechando o verã o, é a promessa de vida no teu coraçã o! Feliz Mê s de março Silvana Baitala Quarta-feira de Cinzas 5 de março Cinzas - sıḿ bolo bıb́ lico que aparece inú meras vezes no Antigo Testamento. Vá rias citaçõ es se referem a se cobrir de cinzas para remissã o dos pecados, ou reaçã o a uma situaçã o de infâ mia, tortura e humilhaçã o. Também como penitência, ou como prece e sú plica a uma profecia estarrecedora. No Novo Testamento, Jesus fez referê ncia ao uso das cinzas como arrependimento e redençã o, quando se dirigiu aos povos de Corazin, Betsaida e Cafarnaum, exemplo de auto-suficiê ncia e orgulho que nã o reconhecem a presença do Reino nas açõ es realizadas por Jesus. As cinzas, no ritual de quarta feira de cinzas, nos recordam, dentro de uma alegria Pascal, pois ela antecede quarenta dias da Pá scoa, justamente isso: que podemos esperar em Deus, que estamos sob o Seu olhar uma vez que somos frá geis, que somos pó , que somos pecadores. As cinzas colocadas em nossa fronte na missa do inicio da Quaresma, nos recorda aquilo que é um convite do Evangelho: somos levados por Jesus a crermos em Suas palavras, a olharmos e vermos em nossa vida o que precisa ser mudado para que a Pá scoa que virá , na sequência, seja realmente um tempo de renascimento. Muito mais referências sobre cinzas estã o na Bıb́ lia como forma de pedir perdã o pelos pecados cometidos, mas somos humanos, erramos. Agora o ponto: somos filhos de Deus e Ele ,no seu infinito amor e bondade nos perdoa quando, sinceramente, nos arrependemos e nos voltamos a Ele clamando pela sua misericó rdia. Que Jesus nos acompanhe sempre neste tempo de conversã o. Amém. Margarida Miranda Corrêa 03Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 4

Campanha da Fraternidade Um pouco da história da Campanha da Fraternidade A Campanha da Fraternidade teve inıć io em 1962 com D. Eugênio Sales – bispo na arquidiocese de Natal/RN. A nıv́ el de Brasil teve inıć io em 1964 com o Tema: “Igreja e Renovaçã o”. Tem como objetivo principal a comunhã o como busca para construir a fraternidade, a conversã o que é a transformaçã o pela vida fecunda do Evangelho e a partilha, que é a viabilizaçã o do Reino atravé s da fé , do amor e da solidariedade. Podemos dizer que há 03 fases na Campanha da Fraternidade. 1ª fase: Renovaçã o da Igreja e dos cristã os de 1964 a 1972. 2ª fase: A Igreja preocupada com as questõ es sociais “Pecado Social” de 1973 a 1984. 3ª fase: A igreja se volta a situaçã o existencial do povo brasileiro de 1985 até nossos dias. A Campanha da Fraternidade 2019 vai dedicar-se a refletir sobre o tema das Polıt́ icas Pú blicas inspirada no texto do profeta Isaıá s 1, 27 “Será s libertado pelo direito e a justiça”. A Igreja quer estimular à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja a questã o das polıt́ icas pú blicas, para fortalecer a cidadania e o bem comum. Falar de polıt́ ica pú blica nã o é falar de “polı́tica” ou “eleiçã o” mas sim, de um conjunto de açõ es a serem implementadas pelas gestores pú blicos com vista a promover o bem comum, na perspectiva dos mais pobres da sociedade. 06|Março - Quarta-feira de Cinzas Celebrações às 19h30 Matriz N. Sra. do Bom Sucesso - Centro N. Sra. do Perpé tuo Socorro - Brejatuba Santo Antô nio - Coroados Polıt́ ica pú blica nã o é só açã o do governo mas relaçã o de todas as instituiçõ es em vista do bem comum. A Campanha da Fraternidade tem inıć io 4ª feira de cinzas e vai até 5ª feira Santa. Boa Quaresma a todos!!! Padre Alvaro Programa Evangelizar é Preciso Padre Reginaldo Manzotti Novo horá rio do programa Evangelizar na rá dio Guaratuba, de segunda a sexta as 11horas da manhã . 0148 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 5

Pastoral da Catequese A Campanha da Fraternidade e a Catequese A quaresma representa, um momento de reflexã o a ser bem vivido nos provocando a conversã o verdadeira ponto ela desperta em nó s a necessidade da partilha e o comprometimento fraterno com o bem-estar do pró ximo. Bem verdade que nã o podemos fazer tudo para resolver os problemas do mundo, mas se fizermos o que está ao nosso alcance estaremos praticando para o bem como ponto nã o conseguimos fazer tudo, nã o é motivo para ficarmos indiferentes. Trabalhando pela paz, justiça e pelos direitos humanos estaremos atendendo ao pedido de Deus Esta é a visã o das C.F. que apresenta a necessidade da participaçã o em polıt́ icas pú blicas sob a luz da palavra de Deus. Este ano, a campanha vai tratar de fraternidade e polıt́ icas pú blicas Polıt́ icas sã o as atitudes vıŕ gulas lei e comportamento que tem a ver com o jeito de organizar e governar o paıś ponto sã o pú blicas por que se destinam a populaçã o em geral. O catequisando será orientado a perceber: quais os tipos de injustiças prejudicam o povo? Como e onde acontece a exploraçã o do ser humano? Como construir a fraternidade em casa? Deus nos criou para termos "vida inteligente". Mas nos deu liberdade para agir e muita gente usa mal esta liberdade, ele nos criou para sermos uma grande famı́lia e nos cuidarmos uns dos outros! A melhor maneira de agradar mas é amando uns aos outros como ele nos ama. Deus nã o aceita oraçõ es de quem nã o cuida dos irmã os pobres e sofredores. Amó s já dizia ( Am 6.24) "quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que nã o seca". Jesus nã o fica só nas palavras, eles ocorrem e cura pessoas que estã o sem nada, gente que os outros desvalorizam. ao curar um cego, um paralıt́ ico, um leproso, ele está dando essas pessoas oportunidades de viver melhor, de ter direitos respeitados. O cego hoje, seria os analfabetos que nã o podem abrir "enxergar" o que já deveriam ter aprendido; o paralıt́ ico seria os que hoje tem emprego e nã o podem " ir adiante" por falta de oportunidade; e o leproso era separado do povo, excluı́do, porque ninguém queria se contagiar, ficar igual a ele. Quem seriam os excluıd́ os de quem todos se afastam? As crianças (catequizandos) tem o futuro pela frente conto vã o escolher profissõ es que devem ser vividas como serviço de que o povo precisa e eles vã o poder mudar a vida de muita gente ponto deverã o ser bons exemplos. O respeito pelo coleguinha humilhado, como mostram a sua honestidade ponto de interrogaçã o e como ela está cuidando do meio ambiente? Se cada um fizer a sua parte, será mais fá cil corrigir o que está errado. mas se cada um achar que nã o tem que fazer nada, que os outros é que devem ser envolver... Entã o nada se resolverá ! Catequizandos, vamos fazer a diferença ou melhor, vamos ser a diferença? Vera leomil Pastoral da Catequese Aconteceu... Bingo temporada 2019 Equipe Sto Antô nio - Coroados Equipe Pastoral da Criança Equipe Com. Sã o Luiz Gonzaga / Nereiras Equipe Nossa Senhora dos Navegantes / Barra do Saı́ Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58 05

[close]

p. 6

Dia Internacional da Mulher Dia 08 de Março Mulher: Pode-se dar nota 10 a você , que tem tanta coragem, força e otimismo.Seu coraçã o é um grande abrigo! quanto carinho e dedicaçã o se aloja neste â mago grandioso e admirável.Faz de seus braços o porto seguro, para a famıĺ ia, com um sorriso da felicidade. Como é que você consegue estar sempre de bom-humor, sempre em paz consigo mesma e com o mundo à sua volta? Como você consegue ser gentil 24 horas por dia? Como consegue se apresentar elegante em qualquer circunstâ ncia, revelando esta sua saudável e discreta vaidade? Você mulher tã o especial e tã o preocupada com a felicidade de todos os que a cercam, tã o empenhada em proporcionar um ambiente de harmonia em seu trabalho e em seu lar. Parabé ns a você mulher maravilhosa! O Dia Internacional da Mulher é comemorado anualmente em 8 de março, e nã o é considerado um feriado nacional. E a celebraçã o das conquistas sociais, polıt́ icas e econô micas das mulheres ao longo dos anos. Um dia marcado, muitas vezes por presentes simbó licos: como flores, em especial rosas, poemas ou frases, por exemplo. No entanto, o 8 de março o Dia Internacional da Mulher ainda continua servindo como conscientizaçã o para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades. Quando a mulher busca a direçã o de Deus ela: - Encontra sua singularidade; - Consegue aproveitar as oportunidades que Deus lhe dá ; - Se sujeita ao plano de Deus para sua vida; - Aprende a perdoar e se torna mais sensıv́ el à s adversidades; - Atravessa os obstá culos e os mitos apresen- tados à sua frente; - Consegue ser auxiliadora e serva onde quer que se encontre; - Se torna uma esposa sá bia; - Se contenta em estar exatamente onde Ele projetou que estivesse; - Tem maturidade; E mais do que isso, consegue ser uma MULHER DE DEUS. Patrícia KlosterBassil (Educadora Física) www.calendarr.com/www.udf.org.br-mulher Grupo do Sagrado Coraçã o de Jesus avante e com determinaçã o, E uma uniã o de fiéis que se oferecem, de forma cotidiana, para a continuidade da obra de nossa redençã o. Toda primeira sexta feira do mê s, acontece no comé rcio de Guaratuba a missa ao Sagrado Coraçã o de Jesus. O local tem sido em frente a praia central, na lanchonete ao lado do terminal da Caixa, as 7:30 hs. 06 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 7

Dia Nacional da Luta Contra as Barragens Dia 14 de Março "Dia Mundial de luta contra as Barragens e em defesa dos rios, das águas e da vida - 14 de Março (Lei Nº 12.334 de 20/09/2010) - e - Dia Mundial da Água - 22 de Março (Instituída pela ONU em 22/02/1992)» Você sabe o que é uma Barragem e qual a utilidade dela? Resposta: Barragem é uma barreira artificial construı́da em cursos d'á gua que serve para reter um grande volume de á gua, que pode ser usado para o abastecimento de zonas agrıć olas e á reas urbanas, a geraçã o de energia elé trica, de rejeitos de mineraçã o, dentre outras finalidades. De acordo com a Polıt́ ica Nacional de Segurança de Barragens, a responsabilidade pela fiscalizaçã o dos barramentos de rejeitos de mineraçã o é do Departamento Nacional de Produtos Minerais (DNPM), do Ministé rio de Minas e Energia. A responsabilidade de fiscalizar se divide entre quatro grupos, de acordo com a finalidade da Barragem: 1) Barragem para geraçã o de energia, fiscalizadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL); 2) Barragem para contençã o de rejeitos minerais, fiscalizadas pelo Departamento Nacional de Produçã o Mineral (DNPM); 3) Barragem para contençã o de rejeitos industriais, sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e Orgã o Ambientais Estaduais; 4) Barragens de usos mú ltiplos, sob a fiscalizaçã o da Agência Nacional de Aguas (ANA) ou de ó rgã os gestores estaduais de recursos hıd́ ricos. A preocupaçã o central da ANA, é com os impactos sobre a qualidade da á gua, que é um bem comum, ou seja, todos os seres vivos deste planeta têm direito a ela. Sem á gua nã o há vida, e, lembrando, nã o é só o homem que necessita dela. Porém cabe ao homem a sua preservaçã o, por motivos ó bvios. O movimento dos atingidos por Barragens (MAB) convocou todas as entidades, organizaçõ es, pastorais, redes, ativistas e movimentos sociais a inserirem-se a realizar mobilizaçõ es que marcaram o Dia Internacional de Lutas contra as Barragens em defesa dos Rios, das Aguas e da Vida na jornada do dia 14 de março. A tragé dia provocada pelo rompimento da Barragem em Brumadinho (MG) ainda mobiliza uma intensa operaçã o de buscas pelos desaparecidos. Balanço divulgado em 07 de fevereiro de 2019, pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil de Minas Gerais aponta que foram encontrados 157 corpos (134 deles já identificados), mas 182 pessoas continuam desaparecidas. Cada vez mais nosso compromisso é de nos organizarmos e de nos inserirmos nas lutas contra as transnacionais, pelos direitos dos trabalhadores, na defesa dos rios, da á gua e da vida. Rocio Bevervanso - Agente Cultural Paróquia de Nossa Senhora do Bom Sucesso Programa Voz da Paróquia Radio Alternativa FM 87,9 Segunda a sexta das 17:30 as 18:00hs Missas das 10:00hs de domingo da Igreja Matriz transmitida pela Radio Alternativa FM 87,9 e também pelo site da paróquia. Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58 07

[close]

p. 8

Pastoral do Dízimo Dízimo Sacrificar é tornar algo sagrado, ou seja, santificar alguma coisa oferecendo-a a Deus. Isso se aplica perfeitamente ao Dıź imo praticado na Igreja Cató lica. Por que falar em Dıź imo se o assunto principal deveria ser a Quaresma e seu sentido de penitê ncia e preparaçã o pascal? Porque o Dıź imo tem uma dimensã o sacrifical, na medida em que nos educa a separar uma parte para Deus e, com isso, nos leva ao despojamento e à capacidade da partilha – algo somente possıv́ el para quem é liberto da tendê ncia egoı́stica na qual jaz toda a natureza humana. E claro que encontramos a dimensã o sacrifical em muitas outras realidades da Igreja, especialmente no santo sacrifı́cio eucarı́stico; – mas també m a encontramos no jejum, na oraçã o e na esmola conforme se ouvirá nas leituras e pregaçõ es do perıó do quaresmal – mas o verdadeiro sentido do Dıź imo só pode ser alcançado quando contempla estas realidades. entregar o Dıź imo só tem valor autê ntico quando o dizimista o entrega procurando corresponder ao chamado a uma generosa solidariedade cristã . A oraçã o é a forma excelsa de diá logo com Deus e, se o dıź imo nã o for visto em uma dimensã o de relacionamento e gratidã o a Deus de quem tudo recebemos, será um ato vazio e sem expressã o. A esmola é o socorro que se presta ao irmã o necessitado e se o dıź imo nã o contemplar a dimensã o social – ou seja – se nã o visar também a caridade fraterna que atende aos irmã os desprovidos de recursos na comunidade entã o será também um dıź imo sem raıź es na caridade. A Quaresma é um perıó do rico de reflexõ es que devem nos levar a uma consciência de nossos atos para que nã o sejam meras repetiçõ es automá ticas sobre as quais, com o passar do tempo, acabamos por esquecer o verdadeiro sentido. Na quaresma refletimos sobre a nossa vida – quem somos e o que fazemos, como nos relacionamos com Deus, com o irmã o, com a natureza e conosco mesmos. Podemos incluir o Dı́zimo em nossa reflexã o para que sejamos dizimistas conscientes sobre a nossa corresponsabilidade fraterna na comunidade, na famı-́ lia, na sociedade. Fonte: www. catolicoonline Colaboração: Nice Pereira Coordenação da Pastoral do Dízimo Ganhadores dos Prêmios da Festa da Padroeira Resultado do Festival de Prê mios na Festa de Nossa Senhora do Bom Sucesso 2019 1º Prêmio - R$ 2.000,00, cartela nº 1305 de Maikon Lucas de Lima e, cartela nº 1510 de Rozeno de Lima 2º Prêmio - R$ 1.000,00, cartela nº 1326 de Maria leite Semann e, cartela nº 1453 de Ana Paula Hitkoten 3º Prêmio - R$ 500,00, cartela nº 0875 de Alessandro Gureski 4º Prêmio - R$ 300,00, cartela nº0923 de Fernanda Miranda Gomes, e cartela nº 0987 de Jair (Camarã o) 5º Prêmio - R$ 200,00, cartela nº 1112 de Zuleide F. C. do Amaral 08 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 9

São Clemente Um Missionário Redentorista movido pela fé!!! Clemente Maria Hofbauer nasceu em Tasswitz, na Moravia, em 26 de dezembro de 1751. Seu pai era um açougueiro. Clemente frequentou muito pouco a escola nos anos juvenis por causa das dificuldades financeiras. Foi servente no mosteiro dos Premonstratenses, onde desempenhou o ofıć io de padeiro e fez estudos para padre. Durante algum tempo viveu como eremita, primeiro na Austria e, depois, com a permissã o do bispo de Tivoli, pró ximo à capela de Quintilio, na Itá lia. Tempos depois, de volta para Viena, e graças à generosidade de três senhoras piedosas e ricas, pô de estudar na universidade. Em 1784, insatisfeito com o clima josefinista da universidade de Viena, viajou novamente para Roma junto com um estudante e amigo: Thaddeus Hü bl. Junto com os redentoristas, recentemente estabelecidos em Sã o Juliã o, no Monte Esquilino, eles foram recebidos como candidatos. Depois de um noviciado breve, fizeram a profissã o religiosa no dia 19 de março de 1785 e, dez dias depois, em 29 de março de 1785, foram ordenados padres na catedral de Alatri (Itá lia). Depois, com o Padre Hü bl, voltou a Viena, onde quiseram estabelecer a Congregaçã o Redentorista, o que nã o foi possıv́ el. Foram entã o para Varsó via, onde, em 1787, se encarregou da igreja alemã de San Bennó n. Começou uma intensa atividade pastoral e lá atraiu numerosos candidatos desejosos de se unirem a ele e ao Pe. Hü bl. A igreja de San Bennó n se tornou sede de uma missã o contıń ua com um programa diá rio de pregaçõ es, instruçõ es, confissõ es e devoçõ es. Fundou, também, um orfanato para os meninos e meninas. Esta atividade ele a continuou até 1808, quando Napoleã o Bonaparte fechou a igreja e dispersou a comunidade. Clemente voltou para Viena com um companheiro, onde atuou como capelã o do convento e da igreja das Ursulinas. Recebeu o tıt́ ulo e a responsabilidade de Vigário-Geral Redentorista fora da Itá lia, principalmente para o sul da Alemanha e Suıḉ a. Quando foram mudadas as circunstâncias, estas comunidades, sob a direção do Venerável Padre Passerat, tornaram-se, depois da morte de Sã o Clemente, a base da renovaçã o da vida redentorista na Europa do Norte. Sã o Clemente morreu em Viena, no dia 15 de março de 1820. Foi beatificado por Leã o XIII, no dia 29 de janeiro de 1888 e foi canonizado no dia 20 de maio de 1909. Em 1914, Sã o Pio X proclamouo patrono de Viena. E venerado como o principal propagador da Congregaçã o Redentorista. E o padroeiro da Provıń cia Redentorista de Goiá s. Fonte: Redentoristas Colaboração: Irene de Oliveira Ayres Aconteceu... Entrega de cestas bá sicas à famıĺ ias cadastradas na Pastoral Social Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 48 09

[close]

p. 10

Missas com Bênção do Santíssimo 1ª Quarta-feira do Mês: Nossa Senhora do Perpé tuo Socorro 1ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o da Saú de - Traga remé dios, receitas, roupas (Matriz) 2ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o das Chaves da Casa, dos Carros, das Motos, da Bicicletas (Matriz) 3ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Alimentos - Traga alimentos para serem abençoados, e um quilo de alimento para partilhar com os pobres (Matriz) 4ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Trabalhadores e dos Desempregados (Matriz) 5ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Artigos Religiosos, Aguas (Matriz) HORÁRIO DAS MISSAS/NOVENAS HORÁRIO DE MISSAS Matriz N. Sra. Bom Sucesso/Centro 19h30 - Quarta, Quinta e Sexta 10h00 e 19h30 - Domingo N. Sra. Perpétuo Socorro/Brejatuba 19h30 - Quarta 08h00 - Domingo N. Sra. Navegantes/ Barra do Saí 19h30 - Quarta (Novena) 19h30 - Sábado N. Sra. Aparecida/Caieiras 19h30 - Quarta (Novena) 19h30 - Sábado Santo Antônio/Coroados 19h30 Quarta 08h00 - Domingo São Joaquim/Cubatão 10h00 - 2° e 4° Domingo N. Sra. Fátima/Riozinho 09h00 - 1° e 3° Domingo Nossa Sra. Rosário/Limeira 15h00 - 4º Domingo BATIZADOS NAS COMUNIDADES N. Sra. Navegantes 1° Sábado às 19h30 Santo Antônio 1° Domingo às 08h00 São Luis Gonzaga 2° Domingo às 10h00 N. Sra. Perpétuo Socorro 3° Dom. às 08h00 São Luis Gonzaga/Nereidas 19h30 - Quarta (Novena) 10h00 - Domingo N. Sra. Aparecida/Banaze 08h30 - 2° e 4° Domingo N. Sra. Aparecida 3° Sábado às 19h30 N. Sra. Bom Sucesso 4° Domingo às 10h00 Pastoral Social Pastoral social cuida das famıĺ ias carentes da nossa comunidade; que realmente vivem em situaçã o de extrema miséria, cadastramos as famıĺ ias, analisamos o caso e de acordo com a necessidade, procuramos atender com alimentos ( cesta bá sica)roupas e acompanhamentos com outras pastorais (se for o caso) com os idosos (pedimos ajuda para a PPI); com as crianças (a Pastoral da Criança é acionada) procuramos fazer visitas mensais as famıĺ ias cadastradas. Essa pastoral só existe porque temos o apoio e a credibilidade das pessoas da comunidade; que nos dã o alimentos na Missa do Quilo de Amor! (Que serã o abençoados durante a celebraçã o e apó s montarmos as cestas que serã o entregues as famıĺ ias cadastradas pela Pastoral Social!). Nos... Membros atuantes dessa linda Pastoral, tomamos o maior cuidado na hora do cadastramento das famıĺ ias que serã o atendidas (somente) no má ximo 4 meses, (com raras exceçõ es esse tempo é estendido, por mais alguns meses). També m procuramos encaminhar para agê ncia de emprego e tentar reintegrá -los a sociedade, pois acreditamos que todos tê m que ter a sua dignidade garantida através do seu pró prio sustento (trabalho digno!). Seja também um missioná rio da nossa Pastoral, doando 1kg de alimento nã o perecıv́ el na Missa do Quilo de Amor, que acontece em toda a paró quia no primeiro domingo de cada mê s. "As mã os que ajudam sã o mais sagradas que os lá bios que rezam!!" Madre Teresa de Calcutá Márcia Henrique Comunidade Santo Antônio - Coroados 10 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 11

Datas e Eventos Paroquiais de Março HORA SANTA COM JESUS Local: Matriz Nossa Sra. do Bom Sucesso Data: 01/03 Horário: 18:30h. Toda primeira sexta feira de cada mê s. Participe conosco! SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS HORA SANTA Local: Comunidade Perpétuo Socorro Brejatuba Data: 01/03 Toda primeira sexta feira do mê s As 15h junto com o Terço da Misericó rdia. INFORMAÇÕES NA SECRETARIA PAROQUIAL Visite o site da Paróquia ww.paroquiaguaratuba.com.br Aconteceu... Doaçã o da Pastoral da Catequese à s Famıĺ ias. São José Dia 19 de Março Nã o há palavras suas nas Sagradas Escrituras. Ele protegeu a Imaculada Mã e de Deus e ajudou a cuidar do Senhor do Universo! Muito pelo contrá rio, ele foi um silencioso e humilde servidor de Deus que desempenhou seu papel cabalmente. Foi pouco mencionado no Novo Testamento, sua saıd́ a da histó ria dos Evangelhos nã o é explicada na Bıb́ lia. E uma figura importante nos relatos do Nascimento do Senhor em Sã o Mateus e Sã o Lucas e mencionado nas passagens que relatam o momento em que Jesus se perdeu aos 12 anos e foi encontrado no templo. Mas este é o ú ltimo momento que falam dele. Maria aparece vá rias vezes durante o ministério de Jesus, mas José desapareceu, sem deixar rastro. Entã o, o que aconteceu? Vá rias tradiçõ es explicam esta diferença dizendo que José morreu, aproximadamente, quando Jesus tinha 20 anos. A Escri- tura nã o diz a idade de Sã o José quando se casou com Maria ou sobre seu passado. Entretanto, por muito tempo foi representado como um homem de idade avançada. Segundo essa tradiçã o, Sã o José sabia que Maria havia feito voto de virgindade e foi eleito para se casar com ela para protegê la, de certo modo, porque ele era idoso e nã o estaria interessado em formar uma nova famıĺ ia. Esta idéia foi contraposta ao longo da histó ria por grandes Santos como Santo Agostinho. A solenidade de Sã o José é comemorada no dia 19 de março. Na dé cada de 1950, abriram trê s centros dedicados ao estudo de Sã o José: na Espanha, na Itá lia e no Canadá . Sã o José, Rogai por nó s! IliaraKlosterBassil http://www.acidigital.com Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58 11

[close]

p. 12

Festa da Padroeira 2019 12 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 13

Melhores Momentos da festa da Padroeira Nossa Senhora do Bom Sucesso! Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58 13

[close]

p. 14

Pastoral da Pessoa Idosa Pastoral da PessoaIdosa CNBB “Dai ao nosso coração sabedoria” (SL 90) Pastoral da pessoa Idosa, uma obra maravilhosa de Deus A Pastoral da Pessoa Idosa é uma obra inspirada por Deus, da qual participar como voluntaria fazendo as nossas visitas a cada pessoa idosa acamada, ou em algum estado de vulnerabilidade, é um enorme privilé gio. Na P.P.I seguimos o exemplo de Maria Santıś sima, que viajou quase 150 quilô metros para visitar Zacarias e Isabel, ambas pessoas idosas temos a oportunidade de tocar a carne do pró prio Jesus atravé s da pessoa idosa visitada. Acompanhamos com uma compreensã o amorosa aquela que envelhece, apreendemos a envelhecer com dignidade e a lidar com a velhice. Mais um ano se inicia e os trabalhos voluntá rios também. E com muito amor e carinho que iniciamos as nossas visitas à s pessoas idosas de nossas comunidades, da nossa Paró quia Nossa Senhora do Bom Sucesso. Queremos agradecer a cada lıd́ er de comunidade de nossa paró quia que sempre faz um trabalho voluntario com muito carinho e atençã o a todas as pessoas idosas visitadas e ao nosso assessor padre Pedro que sempre está pronto para nos ajudar em nossas visitas. A P.P.I deseja boas-vindas ao nosso pá roco padre Alvaro, seja bem-vindo. A todos que fazem de Deus o centro de suas ocupaçõ es na vida, no seu dia a dia, através de dessa ou de outra pastoral, sejam todos bemvindo ao ano de 2019. Pedimos a Deus sabedoria e perseverança nessa luta pelo bem estar de nossos idosos. Coordenadora Maria Muraro Aconteceu... Catequese da matriz em açã o, campanha da fraternidade! A Pastoral da Catequese entregou à equipe da empresa de reciclagem produtos de limpeza para ajudar na limpeza de suas casas afetadas pela enchente que aconteceu em Guaratuba. 14 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58

[close]

p. 15

São Longuinho São Gregório de Nissa Dia 15 de Março Conheça o motivo pelo qual o santo costuma ser invocado por quem precisa encontrar objetos Fperdidos (Dia 15 de março) oi Longuinho que atravessou o lado do corpo de Jesus com uma lança, ao invé s de quebrar as pernas dele, como acontecia com outros crucificados. A passagem está narrada no Evangelho de Sã o Joã o: “Como o vissem já morto, nã o lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e, imediatamente, saiu sangue e á gua” (Jo 19,33-34). Há também uma tradiçã o que diz que ele tinha sérios problemas de visã o e estava ficando cego. Entretanto, apó s perfurar o Senhor, uma gota de sangue caiu nos seus olhos e ele passou a enxergar perfeitamente. Esta e outras manifestaçõ es da natureza que aconteceram depois da crucificaçã o o fizeram reconhecer: “Verdadeiramente, este Homem [Jesus] era Filho de Deus”. Depois disso, ele converteu-se e abandonou o exército. Refugiou-se na Capadó cia, onde se tornou monge. Poré m, sua identidade foi descoberta e ele foi perseguido. Como nã o quis abandonar sua fé cristã , foi torturado até a morte, tendo a lıń gua e os olhos arrancados. Mil anos depois, em 999, Longuinho foi canonizado pelo Papa Silvestre II. A tradiçã o dos três pulinhos Até hoje, Sã o Longuinho é invocado por quem precisa encontrar algum objeto perdido. Diz-se que ele era um homem baixinho e que, servindo na corte de Roma, vivia nas festas. Nesses ambientes, por sua pequena estatura, conseguia ver o que se passava por baixo das mesas e sempre encontrava pertences de pessoas. Os objetos achados eram devolvidos aos seus donos. Assim, teria surgido o costume de pedir-lhe ajuda para encontrar o que se perdeu. Em agradecimento, segundo a tradiçã o, sã o oferecidos três pulinhos e uma oraçã o. Diz-se també m que essa forma de agradecimento seria pelo fato de o soldado ser manco. Outra explicaçã o afirma que os pulinhos remetem à Santıś sima Trindade. Colaboração: Silvana Baitala texto retirado do site PT.aleteia.org Dia 12 de Março São Gregó rio de Nissa nasceu por volta do ano 332, no Ponto, Mar Negro, e passou toda a vida na Capadó cia (Armênia Turca). Foi um dos homens de maior conhecimento de seu tempo. Taxado por alguns de ingênuo, visto por outros como indivıd́ uo de má fé, ele foi julgado, deposto e mandado para o exıĺ io. Dois anos depois, porém, ficou provado que nã o tinham qualquer fundamento as acusaçõ es feitas contra ele pelos partidá rios do arianismo, heresia que pregava que em Jesus só havia a natureza humana e que tinha em Sã o Gregó rio um de seus mais fortes opositores. Sã o Gregó rio de Nissa foi sem a menor dú vida um dos que mais contribuiu para extirpar o arianismo das Igrejas orientais. Apó s ter sua inocência reconhecida, ele voltou à sua diocese sob a aclamaçã o do povo. Ele deixou um imenso acervo cultural e por causa de sua profundidade doutriná ria foi apelidado de “coluna da ortodoxia”. Morreu no ano 395. Hoje Sã o Gregó rio de Nissa, que foi vıt́ ima do mau juı́zo e má fé dos que pretendiam destrui-lo, por nã o concordarem com suas idéias e açõ es, nos adverte que nã o basta termos idé ias, mas precisamos marcar o mundo com nossas posiçõ es, precisamos lutar por aquilo em que acreditamos, ainda que para isso tenhamos que pagar um alto preço, a exemplo de Jesus que pagou, com a morte, o preço de permanecer fiel ao projeto do Pai. Colaboração: Silvana Baitala Revista Voz da05 Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Março 2019| Nº 58 15

[close]

Comments

no comments yet