Revista Voz da Paróquia

 

Embed or link this publication

Description

Noticias da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso de Guaratuba

Popular Pages


p. 1

Ano V | Fevereiro 2019 | Nº 57 Nossa Senhora do Bom Sucesso Padroeira de Guaratuba FEVEREIRO - Nossa Senhora do Bom Sucesso Programa Voz da Paróquia FM 87,9 de segunda a sexta feira das 17:30 as 18:00 hs

[close]

p. 2

E ditorial Fevereiro Com a Mãe, continuamos missionários Neste dia 03 de fevereiro, a Paró quia, a comunidade de Guaratuba, celebra a sua Padroeira, sob o tıt́ ulo de Nossa Senhora do Bom Sucesso. A novena para este grande momento espiritual em nossa Paró quia iniciou no dia 25 de janeiro, com o Tema: “Com a Mãe do Bom Sucesso, somos enviados como missionários de Cristo”. Celebrar, comemorar, festejar é um motivo de alegria, jú bilo, pois Nossa Senhora está sempre presente na vida e no coraçã o do povo e isto nos inspira, anima e encoraja a exemplo de Nossa Senhora a nos tornar discı́pulos e missioná rios de seu Filho Jesus Cristo. Maria é Mã e e Mestra, que nos mostra a missã o de batizados que devemos seguir. Por sinal, neste dia 02 de fevereiro, a Igreja celebra a Apresentaçã o do Senhor, o menino Jesus. O menino Jesus é apresentado no Templo de Jerusalé m por seus pais. Apresentaçã o no templo nã o é um mistério gozoso, mas doloroso. Maria “apresenta” a Deus o Filho Jesus, “oferece-o” a Deus. Toda oferta é uma renú ncia. Começa o mistério do sofrimento de Jesus, que atingirá o seu á pice na cruz. O gesto de Maria que “oferece” se traduz em gesto litú rgico em cada eucaristia que se celebra. Quando o pã o e o vinho, frutos da terra e do trabalho humano, sã o ofertados como o corpo e o sangue de Cristo, nó s também fazemos a nossa apresentaçã o de Jesus e vivemos e contemplamos a sua salvaçã o. Nã o pode passar despercebido que neste dia 11 de fevereiro, a Igreja celebra Nossa Senhora de Lurdes, como també m o Dia Mundial do Enfermo. Nossa Senhora apareceu em Lurdes, França, onde se tornou lugar de oraçã o, espiritualidade, peregrinaçõ es, conversõ es e curas. A Paró quia de Nossa Senhora do Bom Sucesso acolhe com muita alegria Pe. Alvaro Cavazzani, missioná rio redentorista como pá roco. O mesmo assume neste dia 01 de fevereiro. Lembrando que, Pe. Alvaro já foi pá roco desta Paró quia. Que a Mã e do Bom Sucesso fortaleça e abençoe a nossa Comunidade Paroquial na caminhada de Comunhã o e Participaçã o. Pe. Pedro Hélio de Oliveira, C.Ss.R. Missionário Redentorista 03 03 04 05 05 06 06 07 08 08 09 12 12 13 14 14 15 16 16 17 17 18 19 20 21 22 Índice Mês de Fevereiro Aconteceu... Marias de Fevereiro Nossa Senhora do Bom Sucesso Oração à Sagrada Família Pastoral da Catequese Missa Sagrado Coração de Jesus São Bras Pastoral do Dízimo Aconteceu... Santa Josefina Bakhita Pastoral da Liturgia Aconteceu... Dia da Amizade Pastoral da Pessoa Idosa Notícias do Vaticano Dia Nacional do Surdo-Mudo Adolescência e Saúde A importância da boa alimentação no verão A Cátedra e São Pedro Nas asas do Mistério Campanha da Fraternidade Férias!!! O que fazer nelas? Pastoral da Criança Dom Edmar Peron PASCOM - Pastoral da Comunicação Ano V - Nº 57 - Fevereiro 2019 02 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 3

Mês de Fevereiro FEVEREIRO é o mê s da Sagrada Famı́lia porque apó s as celebraçõ es do Natal, a Igreja a venera. Foi na Sagrada Famıĺ ia que Jesus viveu toda a sua vida antes de começar a sua vida pú blica para a salvaçã o a humanidade. Ali ele aprendeu as coisas santas, trabalhou com mã os humanas, obedeceu a Seus pais e se preparou para a grande missã o. Olhando para a Sagrada Famıĺ ia a Igreja deseja que os casais e filhos aprendam a viver segundo a vontade de Deus. “O mundo seria bem melhor se o Natal nã o fosse um dia, se as mã es fossem Maria e os pais fossem José”. Nesse mês lembramos Nossa Senhora como a porta do céu, e pedimos a Nossa Senhora do Bom Sucesso, a Padroeira de Guaratuba, por nossas famıĺ ias! Feliz fevereiro Silvana Baitala Aconteceu... Membros da comunidade sã o Luıś Gonzaga, trabalhando no binguinho da temporada! DEUS abençoe você s! Foi uma semana de trabalho contribuindo com paró quia Nossa Senhora do Bom Sucesso!!! Todas as noites temos binguinho dinheiro paga dinheiro. No salão paroquial a partir das 20h00 03Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 4

Marias de Fevereiro "Alegra-te Maria! O Senhor está com você!" “Alegra-te Maria! O Senhor está com você !” Com essa saudaçã o, o Anjo Gabriel dá a Maria, uma missã o grandiosa: conceber e dar à luz ao filho de Deus. Nã o imaginava ela que um dia choraria pelo sofrimento de seu filho que foi condenado a morrer como criminoso e carregar a pró pria cruz. Nã o imaginava ela também que quatrocentos anos depois, seria venerada nas mais longıń quas terras por milhares de pessoas que a evocarã o como intercessora daqueles que clamam por curas e milagres. Ningué m imaginava també m em quantas Marias ela irá se multiplicar ao receber o tıt́ ulo de Nossa Senhora e começar a ser cultuada por meio de imagens e enorme veneraçã o que se disseminaram pelos quatro cantos do mundo. Antes porém, Maria, sofreu acusaçõ es duras, foi vı́tima de ataques furiosos e motivou embates – alguns muito violentos – entre teó logos, religiosos e até imperadores. Dois Concıĺ ios que duraram muito tempo, como de Efeso (sobre sua virgindade) realizado em 431 e o Concıĺ io de Trento 1545-1563 (sobre a natureza divina de seu filho Jesus). A mã e de Jesus, chamada Mã e de Deus, passou a ser vista cada vez mais como mediadora e as comemoraçõ es à s suas vá rias evocaçõ es acontecem durante o ano todo: 02/02- Nossa Senhora de Belém A devoçã o a Nossa Senhora de Belé m chegou no Brasil por meio dos portugueses. Antes de começar sua viagem rumo ao Brasil, Pedro Alvares Cabral esteve na igreja de Santa Maria de Belém, onde assistiu a Santa Missa e participou de uma procissã o com o rei rumo ao cais, de onde iria zarpar. Na ocasiã o, havia uma imagem de Nossa Senhora de Belé m no navio. 02/02 - A fé e a designaçã o: Nossa Senhora dos Navegantes tem inicio no século XV, quando das Grandes Navegaçõ es pelos portugueses e espanhó is em busca de novas terras e novas riquezas. Nesta época, a primeira está tua foi trazida para o Brasil retratando Maria protetora das tempestades e demais perigos que o mar e os rios ofereciam. 02/02 - Nossa Senhora do Bom Sucesso - o tıt́ ulo sob o qual a invocaram inicialmente, se ligava fortemente à morte feliz. No Brasil, especialmente em Minas Gerais na é poca do Bandeirantes, Ela era considerada como a “padroeira das felicidades terrenas”. 02/02 - Nossa Senhora das Dores - tıt́ ulo este correspondente aos fundamentos bıb́ licos pois é na Palavra de Deus que encontramos as sete dores de Maria já anunciada por Simeã o na época da Apresentaçã o de Jesus no Templo. 11/02 - Nossa Senhora de Lourdes - A menina BernardeMarie Soubirous, popularmente conhecida como Bernadette considerada como louca e mentirosa, apó s dezoito vezes de apariçõ es da Virgem, na gruta de Massabielle – França, teve finalmente o reconhecimento da veracidade das apariçõ es, em 1862 quando o Monsenhor Laurence, bispo de Tarbes oficializou a devoçã o a Nossa Senhora de Lourdes. Nossa Senhora, rogai por nó s. Margarida Miranda Correa 0148 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 5

Nossa Senhora do Bom Sucesso "Sou Rainha das vitórias...sou a Mãe do Bom Sucesso!" Chegou à terra dos Guará s trazida pelas mã os do devoto fundador da cidade de Guaratuba, Cel. Afonso Botelho de Sã o Payo e Souza, que desde os seus 10 anos de idade, acompanhava seus genitores para a prá tica de oraçõ es na riquıś sima Capela de Nossa Senhora do Bom Sucesso, localizada pró xima de Vila Real e capital da antiga Provıń cia de Trá s os Montes, do Reino de Portugal. A sua devoçã o pela Virgem fazia com que a preferisse, e aos Santos como oragos, e assim aconteceu quando Guaratuba começou a ser gerada no ano de 1765. Em 1º de junho de 1767 a Vila começou a ser construıd́ a e a Capela foi levantada, pois a feitura de uma Igreja era considerada por Afonso Botelho o primeiro passo para a criaçã o de uma povoaçã o. Em 1770 solicitou ordem para erigir a povoaçã o em Vila e em 27 de abril de 1771 o entã o Coronel Afonso Botelho elegeu solenemente a Vila de Sã o Luiz de Guaratuba da Marinha. Aportou ele no marco zero - a Baia de Guaratuba e em comitiva acompanhado também pelos Indios Carijó s, trazia em seus braços uma pequena imagem da Virgem do Bom Sucesso. Em 29 de abril do mesmo ano, apó s celebraçã o da primeira Missa, a pequena imagem foi introduzida ao seu nicho artisticamente trabalhado, no Altar Mor da Igrejinha bicentená ria. Ali permaneceu até a data de 11 de abril de 1994, quando na madrugada a Igreja foi arrombada e a belıś sima e histó rica imagem foi roubada. A pergunta que se fazia era a mesma por todos os devotos: "Quem poderia ter cometido tal crime?" - A resposta com toda certeza nã o foi alcançada até hoje. Guaratuba ficou sem a imagem da sua Padroeira até 22 de julho de 1995, quando comovido pela ausência da Santa e tristeza dos devotos, Candido Chagas(in memoriam) mandou confeccionar em Treze Tillias uma réplica da Mã e do Bom Sucesso, e com uma cerimô nia belıś sima e inesquecıv́ el o nicho vazio foi preenchido com a nova obra Divina. A Rainha das Vitó rias e Mã e do Bom Sucesso marcou solenemente sua volta abençoando e protegendo o povo desta cidade que aqui reside e aos turistas que evocam a proteçã o da Santa. Festejamos a sua data em 02 de fevereiro, visto sua primeira apariçã o (02/02/1634), e a festa em louvor a Santa tem inı́cio em 25 de janeiro de 2019 com novenas, praça de alimentaçã o, apresentaçõ es artıś ticas e culturais. Contamos com a sua presença! Rocio Bevervanso Agente Cultural (Paróquia de Nossa Senhora do Bom Sucesso) Oração à Sagrada Família 'Ó Maria, Mãe de Jesus, a vós dirijo com profunda fé e grande devoção a minha súplica: Abençoai meu marido, minha esposa, meus filhos, e alcançai para eles a proteção dos Santos. Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós. São José pai adotivo de Jesus, rogai por nós. Jesus, Filho, ouvi-nos. Jesus, filho, atendeinos.Virgem Santíssima, dai a toda a minha família a paz, harmonia, amizade, amor, alegria e saúde e coragem nas provações. De coração vos peço esta graça, (fazer o pedido), e tenho a certeza de ser atendido, por vossa intercessão e pelo poder de vosso Divino filho Jesus Cristo. Amém.' Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57 05

[close]

p. 6

Pastoral da Catequese Ser Feliz A felicidade tem uma certa relaçã o com uma vida organizada em todos os sentidos. E necessá rio colocarmos metas na nossa vida e fazer tudo para executá -las. Nã o adianta nada, dizermos para todo mundo que estamos gordos, fora de forma e que vamos começar a fazer exercıć ios e nã o começarmos. Os outros nã o podem resolver os nossos problemas (terceirizar nossa responsabilidade.) No má ximo eles podem nos apoiar, dar conselhos, mas a atitude tem que partir de nó s mesmos. Seja feliz! Sermos positivos vai nos ajudar muito nesta busca da felicidade. Se você se auto-analisar, elogiar ou criticar, mantendo a perseverança, vai encarar as dificuldades com maior facilidade. Para de procurar inimigos nas outras pessoas, seu maior inimigo pode ser você mesmo! Nã o tenha preguiça de procurar os caminhos certos para conduzir sua vida, mesmo que, à s vezes, eles sejam cheios de curvas, subidas e descidas. Tenha sempre uma meta a ser alcançada e preste atençã o nos sinais que o mundo dá . Aproveitar os momentos de solidã o para um auto-desenvolvimento. Por fim, pá ra de arranjar desculpas; se você quer, queira para valer. Se você deve fazer, faça e...se você pode, nada deverá impedi-lo! Fonte: www.somostodosum.com.br Colaboração: Vera L. Leomil/Catequista Missa do Sagrado Coração de Jesus acontece no comércio de Guaratuba A iniciativa vem de um movimento mariano, onde 3 integrantes (Cá ssia, Eliane e Angela), encontraram-se no comércio em seus afazeres e pararam para conversar. Devotas do Sagrado Coraçã o, e cientes do pedido do Papa Francisco em visita ao Brasil, para que a Devoçã o ao Sagrado Coraçã o de Jesus expandisse além celebraçõ es, mas també m seja lembrada nas visitas, terços em famıĺ ia e encontros, as devotas marianas optaram em começar ali, no pró prio comércio a propagaçã o do Sagrado Coraçã o de Jesus. Nã o tendo uma capela dedicada ao Sagrado, elas realizam visitas no comé rcio , e convidam para a Santa Missa que é celebrada por um padre da Diocese de Guaratuba toda 1ª sexta-feira do mê s no restaurante e sorveteria em frente à praia central, e já conta com a participaçã o de muitos empresá rios, moradores e turistas, todos devotos do Sagrado Coraçã o de Jesus. Contam as integrantes do movimento, que o sonho é a construçã o de uma capela destinada a devoçã o do Sagrado Coraçã o e que o projeto de construçã o já foi doado por um arquiteto, dando assim um passo a mais na realizaçã o deste sonho. 06 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 7

São Bras São Brás protetor contra os males da garganta e dos animais Em minha infância, ouvia muito uma frase quando alguém se afogava tomando á gua; “Sã o Brá s que no copo tem mais”. E sempre que acontecia um engasgo com qualquer tipo de alimento, lá vinham as palmadas nas costas e o pedido a Sã o Brá s. Nã o sei o que era mais alto, o som dos tapas ou os gritos a Sã o Brá s. E quando, na refeiçã o, aparecia o temıv́ el peixe com muitas espinhas, ora comia já rezando. E todas as vezes que lhe era clamado o auxilio, a graça acontecia. E nã o è de hoje que o “padroeiro das gargantas” é chamado diante de situaçõ es com engasgos. A sua fama nasceu quando uma mã e desesperada o procurou porque seu filho estava quase morrendo com um espinho encravado na garganta. Sã o Brá s olhou para o cé u, rezou e, em seguida, fez o sinal da cruz na garganta do menino. No mesmo instante, ele ficou milagrosamente curado. Por este milagre, até os dias de hoje Sã o Brá s é invocado para curar os males da garganta. E necessá rio frisar que este milagre aconteceu quando Sã o Brá s estava preso devido a perseguiçã o do governador que nã o aceitava os cristã os. Sã o Brá s era médico de profissã o, mas o desejo em seguir a Deus era mais forte, entã o se refugiou em uma gruta nas montanhas e apó s anos fazendo oraçõ es ao povo que lhe procurava, veio o pedido para ser Bispo e assumir a igreja loca já que o titular havia falecido. Ele aceitou, estudou e foi ordenado padre e apó s bispo. Construiu uma igreja aos pé s da montanha onde estava a gruta que morou. Sã o Brá s foi decapitado a espada a pedido do Governador no dia 03 de fevereiro do ano 316. Nas Igrejas de todo o mundo essa bençã o é feita especialmente no seu dia, 03 de fevereiro, com duas velas cruzadas sobre a garganta dos fiéis, que recebem a bençã o de Sã o Brá s. A bênção de São Brás "Por intercessão de São Brás, Bispo e Mártir, livrete Deus do mal na gargan- ta e de qualquer outra doença. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. São Brás rogai por nós. Amém." João Fábio Missa do Sagrado Coraçã o de Jesus acontece no comércio de Guaratuba Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57 07

[close]

p. 8

Pastoral do Dízimo Dízimo ou Oferta? Existe uma grande diferença entre dıź imo e oferta, embora ambos sejam frutos de nossa fé , do nosso reconhecimento, da nossa gratidã o para com Deus, da generosidade de nosso coraçã o: Dízimo - E devolver a Deus com fidelidade, uma parte de tudo aquilo que Ele pró prio nos dá como primıć ias da nossa renda. Se a nossa renda é a colheita, nó s daremos o nosso dıź imo quando realizarmos nossa colheita no campo. Se a nossa renda é o nosso salá rio, devolvemos nosso dıź imo como primeiro gesto de gratidã o a Deus, logo que recebemos nosso salá rio. Se a nossa renda for o fruto da renda de algum bem, daremos o dıź imo da nossa renda ao receber o que ganhamos, com a venda daquele bem. A Oferta - E livre, nã o tem momento certo. Depende da necessidade de quem solicita e da disponibilidade de quem oferece. E o dıź imo que deve sustentar o plano pastoral da igreja, para a realizaçã o da obra de Deus! As ofertas se destinam geralmente para a realizaçã o das obras complementares, ou para alguma emergê ncia pessoal ou comunitá ria, ou ajudar o plano pastoral da igreja, mas como acréscimo ao dıź imo, que constitui a pastoral de sustentaçã o da vida paroquial. Dizimistas, que bom tê -los fié is ao nosso lado e sentir que vocês nã o sã o dizimistas por acaso, mas por amor! Obrigado porque vocês têm um coraçã o sensıv́ el à bondade de Deus, que se abre a Ele em açã o de graças. Obrigado pela sua perseverança na devoluçã o do dıź imo e enfim, obrigado porque sabemos que podemos contar com você s, do nosso lado, nesta obra que o Senhor nos confiou. Perseverem sempre... Se você ainda não é dizimista Não deixe para depois. Faça a experiência. Procure a Pastoral do Dízimo de sua comunidade. Colaboração: Nice Pereira/Coordenação da Pastoral do Dízimo/Paróquia N. Sra. Bom Sucesso Aconteceu... Apó s a Santa Missa celebrada pelo Padre Roque, aconteceu no salã o paroquial da Matriz, um churrasco despedida ao padre, com a participaçã o dos amigos integrantes de pastorais e funcioná rios. 08 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 9

Santa Josefina Bakhita Santa irmã morena, como era conhecida, viveu a dureza da escravidã o. Bakhita, que significa “afortunada”, nã o foi o nome dado a ela pelos pais, mas por uma das pessoas que, certa vez a comprou. Por intermédio de um cô nsul italiano que a comprou, ela foi entregue a uma famıĺ ia amiga deste de Veneza. Ali, ela tornou-se amiga e também babá da filha mais nova deles que estava nascendo. Porque essa famıĺ ia de Veneza teve de voltar para a Africa, em vista de negó cios, tanto a filha pequena quanto a babá foram entregues aos cuidados de irmã s religiosas de Santa Madalena de Canossa. Ali, Santa Bakhita conheceu o Evangelho; conhecendo a pessoa de Jesus, foi se apaixonando cada vez mais por Ele. Com 21 anos, recebeu a graça do sacramento do batismo. Livremente, ela O acolheu e foi crescendo na vida de oraçã o, experimentando o amor de Deus e se abrindo à açã o do Espıŕ ito Santo. Quando aqueles amigos voltaram para pegar Bakhita e a criança, foi o momento em que ela expressou o seu desejo de permanecer no local, porque queria ser religiosa, sempre com um sorri- A primeira santa africana so nos lá bios, foi uma mulher de trabalho. Carinhosamente, ela chamava a Deus como seu patrã o, “o meu Patrã o”, ela dizia. Conhecida por muitos pela alegria e pela paz que comunicava, ela, com o passar dos anos, foi acometida por uma grave enfermidade. Sofreu por muito tempo, mas na sua devoçã o a Santıś sima Virgem, na sua vida de oraçã o, sacramental, de entrega total ao Senhor, ela pô de se deixar trabalhar por Deus, seu verdadeiro libertador. Nascimento: 1869, Darfur Falecimento: 8 de fevereiro de 1947, Schio, Itá lia Nome completo: Josephine Margaret Bakhita Padroeiro: Sudã o Canonização: 1 de outubro de 2000, Vaticano por Papa Joã o Paulo II Fonte: Google Sergio Justichechen Ministro da Eucaristia Despedida ao padre, com a participaçã o dos amigos integrantes de pastorais e funcioná rios. Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 48 09

[close]

p. 10

Missas com Bênção do Santíssimo 1ª Quarta-feira do Mês: Nossa Senhora do Perpé tuo Socorro 1ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o da Saú de - Traga remé dios, receitas, roupas (Matriz) 2ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o das Chaves da Casa, dos Carros, das Motos, da Bicicletas (Matriz) 3ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Alimentos - Traga alimentos para serem abençoados, e um quilo de alimento para partilhar com os pobres (Matriz) 4ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Trabalhadores e dos Desempregados (Matriz) 5ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Artigos Religiosos, Aguas (Matriz) HORÁRIO DAS MISSAS/NOVENAS HORÁRIO DE MISSAS Matriz N. Sra. Bom Sucesso/Centro 19h30 - Quarta, Quinta e Sexta 10h00 e 19h30 - Domingo N. Sra. Perpétuo Socorro/Brejatuba 19h30 - Quarta 08h00 - Domingo N. Sra. Navegantes/ Barra do Saí 18h00 - Quarta (Novena) 19h30 - Sábado N. Sra. Aparecida/Caieiras 19h30 - Quarta (Novena) 19h30 - Sábado Santo Antônio/Coroados 19h30 Quarta 08h00 - Domingo São Luis Gonzaga/Nereidas 19H30 - Quarta (Novena) 10h00 - Domingo N. Sra. Aparecida/Banaze 08h30 - 2° e 4° Domingo São Joaquim/Cubatão 10h00 - 2° e 4° Domingo N. Sra. Fátima/Riozinho 09h00 - 1° e 3° Domingo BATIZADOS NAS COMUNIDADES N. Sra. Navegantes 1° Sábado às 19h30 Santo Antônio 1° Domingo às 08h00 São Luis Gonzaga 2° Domingo às 10h00 N. Sra. Perpétuo Socorro 3° Dom. às 08h00 N. Sra. Aparecida 3° Sábado às 19h30 N. Sra. Bom Sucesso 4° Domingo às 10h00 HORÁRIOS DE ATENDIMENTOS E ASSESSORIAS DAS COMUNIDADES E PASTORAIS DOS MISSIONÁRIOS REDENTORISTAS EM GUARATUBA COMUNIDADE PASTORAIS, GRUPOS DIAS DE PLANTÃO Pe. Roque Sutil Gabriel, C.Ss.R. - Matriz N. Sra. Bom Sucesso (Centro) - Santo Antonio (Coroados) - São Joaquim (Cubatão) - Catequese; Liturgia e - quarta e sábado Canto; - Juventude; Coroinhas - P. Humanizante Pe. Pedro Hélio de Oliveira C.Ss.R - N. Sra. Aparecida (Caieiras) - N. Sra. navegantes (Barra do Saí) - P.P.I.; Criança; Dízimo; R.C.C.; - Leigos - segunda e sexta Pe. Donald R. Roth C.Ss.R. - N. Sra. Perpétuo Socorro (Brejatuba) - São Luiz Gonzaga (Nereidas) - N. Sra. Aparecida (banaze) - Ministros; Batismo; Familiar - Social - terça e quinta Comunhão, Participação e Missão São Luís de Franca Padroeiro de Guaratuba Obs.: Última segunda-feira do mês, não há atendimento, encontro dos padres. 10 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 11

Datas e Eventos Paroquiais de Fevereiro HORA SANTA COM JESUS Local: Matriz Nossa Sra. do Bom Sucesso Data: 01/02 Horário: 18:30h. Toda primeira sexta feira de cada mê s. Participe conosco! SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS HORA SANTA Local: Comunidade Perpétuo Socorro Brejatuba Data: 01/02 Toda primeira sexta feira do mê s As 15h junto com o Terço da Misericó rdia. INFORMAÇÕES NA SECRETARIA PAROQUIAL Visite o site da Paróquia ww.paroquiaguaratuba.com.br Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57 11

[close]

p. 12

Pastoral da Liturgia Apresentação do Senhor A festa da Apresentaçã o celebra uma chegada e um encontro; a chegada do Salvador esperado, nú cleo da vida religiosa do povo, e as boas-vindas concedida a Ele por dois representantes dignos da raça eleita, Simeã o e Ana. Por sua avançada idade, estes dois personagens simbolizam os sé culos de espera e de fervoroso anseio dos homens e mulheres devotos da antiga aliança. Na realidade, representam a esperança e o anseio da raça humana. Ao reviver este misté rio na fé, a Igreja dá novamente as boas-vindas a Cristo. Esse é o verdadeiro sentido da festa. E a "Festa do Encontro", o encontro de Cristo e sua Igreja. Isto vale para qualquer celebraçã o litú rgica, mas especialmente para esta festa. A liturgia nos convida a dar as boas-vindas a Cristo e a sua mã e, como o fez seu pró prio povo de entã o: "O Siã o, enfeita teu quarto nupcial e dá boas-vindas a Cristo Rei; abraça a Maria, porque ela é a verdadeira porta do cé u e traz o glorioso Rei da luz nova" Ao dramatizar desta maneira a lembrança deste encontro de Cristo com Simeã o, a Igreja nos pede que professemos publicamente nossa fé na Luz do mundo, luz de revelaçã o para todo povo e pessoa. Funçã o de Maria. A festa da apresentaçã o é, como dissemos, uma festa de Cristo antes do que qualquer outra coisa. E um mistério de salvaçã o. O nome "apresentaçã o" tem um conteú do muito rico. Fala de oferecimento, sacrifı́cio. Recorda a auto-oblaçã o inicial de Cristo, palavra encarnada, quando entrou no mundo: “Eis-me aqui para fazer tua vontade". Aponta à vida de sacrifı́cio e à perfeiçã o final dessa auto-oblaçã o na colina do Calvá rio. Dito isto; temos que passar a considerar o papel de Maria neste acontecimentos salvıf́ icos. Depois de tudo, ela é a que apresenta a Jesus no templo; ou, mais corretamente, ela e seu esposo José, pois ambos pais sã o mencionados. Há um novo simbolismo no fato de que Maria coloca a seu filho nos braços de Simeã o. Ao agir desta maneira, ela não o oferece exclusivamente ao Pai, mas também ao mundo, representado por aquele ancião. Dessa maneira, ela representa seu papel de mã e da humanidade, e nos lembra que o dom da vida em atravé s de Maria. Devemos também como cristã os batizados e exercendo a fé cató lica fazer apresentaçã o de nossos filhos à comunidade que participamos. Esta deve ser a primeira visita de nossos bebê s tornando-os cristã os. E o primeiro passo da caminhada cristã . Fonte: Acidigital Colaboração: Irene de O. Ayres Pastoral da Liturgia Aconteceu... A pastoral da Catequese visitou idoso levando carinho, atençã o e ajuda alimentar 12 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 13

Os amigos são como a nossa famıĺ ia, estão sempre ao nosso lado para o que der e vier. Amigos sã o irmã os que a vida nos deu para caminhar conosco ao longo da nossa jornada espiritual, extrapolando os limites do tempo, continuando quando e onde Deus assim o quis. Vá rios artistas fizeram obras homenageando amigos e amigas. O cantor Milton Nascimento por exemplo, fez a famosa Cançã o da América. Veja que bela e emocionante cançã o! Não deixe de lembrar de seus amigos em 14 de fevereiro! Patrícia KlosterBassil www.smartkids.com.br Dia da Amizade Dia 14 de fevereiro Canção da América Milton Nascimento Amigo é coisa pra se guardar Debaixo de sete chaves Dentro do coraçã o Assim falava a cançã o Que na Amé rica ouvi Mas quem cantava chorou Ao ver seu amigo partir Mas quem ficou No pensamento voou Com seu canto que o outro lembrou E quem voou No pensamento ficou Com a lembrança que o outro trancou Amigo é coisa pra se guardar No lado esquerdo do peito Mesmo que o tempo e a Distâ ncia digam nã o Mesmo esquecendo a cançã o O que importa é ouvir A voz que vem do coraçã o Pois seja o que vier Venha o que vier Qualquer dia amigo eu volto Pra te encontrar Qualquer dia amigo A gente vai se encontrar A Comunidade Paroquial N. Sra. Bom Sucesso acolhe com muito carinho o Missionário Redentorista, Padre Álvaro Cavazzani C.Ss.R. como novo Pároco da Paróquia. Sua posse será no dia 01.02.2019, domingo, às 19:30, na Igreja Matriz N. Sra. Bom Sucesso. Seja bem vindo!!!! Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57 13

[close]

p. 14

Pastoral da Pessoa Idosa A diferença entre “ser amado” e “ser útil” Pastoral da PessoaIdosa CNBB “Dai ao nosso coração sabedoria” (SL 90) Ter que ser ú til para alguém é uma coisa muito cansativa. E interessante você saber fazer as coisas, mas acredito que a utilidade é um territó rio muito perigoso porque, muitas vezes, a gente acha que o outro gosta da gente, mas nã o. Ele está interessado naquilo que a gente faz por ele. E é por isso que a velhice é esse tempo em que passa a utilidade e aı́ fica só o seu significado como pessoa. Eu acho que é um momento em que a gente se purifica, nã o é? E o momento em que a gente vai ter a oportunidade de saber quem nos ama de verdade. Porque só nos ama, só vai ficar até o fim, aquele que, depois da nossa utilidade, descobrir o nosso significado. Por isso eu sempre peço a Deus para envelhecer ao lado das pessoas que me amem. Aquelas pessoas que possam me proporcionar a tranquilidade de ser inú til, mas ao mesmo tempo, sem perder o valor. Quero ter ao meu lado algué m que saiba acolher a minha inutilidade. Algué m que olhe para mim assim, que possa saber que eu não servirei para muita coisa, mas que continuarei com meu valor. Porque a vida é assim, fique esperto, viu? Se você quiser saber se o outro te ama de verdade é só identificar se ele seria capaz de tolerar a sua inutilidade. Quer saber se você ama algué m? Pergunte a si mesmo: quem nessa vida já pode ficar inú til para você sem que você sinta o desejo de jogá -lo fora? E assim que descobrimos o sig- nificado do amor. Só o amor nos dá condiçõ es de cuidar do outro até o fim. Por isso eu digo: feliz aquele que tem ao final da vida, a graça de ser olhado nos olhos e ouvir do outro: “Você nã o serve para nada, mas eu nã o sei viver sem você ”. Por Padre Fábio de Mello Notícias do Vaticano Migrantes e do Tráfico de Seres Humanos A questão dos migrantes e do tráfico de seres humanos está no centro das preocupaçõ es pastorais e das orientaçõ es magisteriais do Papa Francisco. Prova disso sã o os dois novos documentos realizados pela Seçã o Migrantes e Refugiados do Dicasté rio para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral, uma Seçã o que é presidida diretamente pelo Santo Padre. Os dois textos foram apresentados na ú ltima quinta-feira (17/01) aqui no Vaticano e tê m como tı́tulos "Diretrizes Pastorais sobre o Trá fico de Pessoas" e "Luzes nos Caminhos da Esperança - Ensinamentos do Papa Francisco sobre Migrantes, Refugiados e Trá fico de Pessoas". O Papa nunca escondeu a sua profunda preocupaçã o para com esse fenô meno, que envolve milhõ es de pessoas - homens, mulheres e crianças - que podem ser contadas entre as pessoas mais desumanizadas e descartadas no mundo de hoje. Francisco chama o trá fico de pessoas de ‘flagelo terrıv́ el’, uma ‘chaga abominável’ e uma ferida ‘no corpo da humanidade contemporâ nea’. O objetivo das orientaçõ es publicadas esta semana é precisamente fornecer uma chave de leitura do trá fico e uma compreensã o que deem razã o e apoio a uma luta necessá ria e duradoura para erradicá -lo. Silvonei José - Cidade do Vaticano 14 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57

[close]

p. 15

Dia Nacional do Surdo-Mudo Hoje em dia se ouve falar muito em inclusã o. Mas, por acaso você sabe o que isso representa e como essa tal “inclusã o” pode ser aplicada na prá tica? Segundo o dicioná rio Aurélio da Lıń gua Portuguesa, inclusã o é o ato ou efeito de incluir indistintamente pessoas portadoras de necessidades especiais no processo educacional, laboral, lazer, entre outros. Nesse sentido, pensando em evidenciar cada vez mais essa prá tica no dia-a-dia das pessoas, o dia 23 de fevereiro foi escolhido no calendá rio anual para marcar o Dia Nacional do Surdo-mudo. E importante destacar que iniciativas como essas servem para educar as novas geraçõ es a lidar com as diferenças, fazendo com que essas pessoas, que sã o portadoras de necessidades especiais, sejam tratadas de igual maneira. Nas escolas e entre as crianças de menor idade, a inclusã o nã o é uma barreira. De fato, o preconceito aparece com o passar dos anos e a partir da falta de incentivo dos pais em relaçã o a essas diferenças. E importante lembrar que, nem todos os deficientes auditivos sã o mudos, visto que muitos têm voz e conseguem falar se forem estimulados por fonoaudió logos. Desde os primeiros anos de vida, é bom que os pais fiquem sempre atentos ao desenvolvimento dos filhos, pois, se uma criança nasce com problemas de audiçã o, é preciso estimulá -la desde cedo para que aprenda a falar. A Comunicação Pode parecer um pouco complicado para quem nã o está habituado com a comunicaçã o entre essas pessoas. Porém, existe uma forma fá cil e objetiva para isso, conhecida a partir da Lıń gua Brasileira de Sinais. Os sinais surgem da combinaçã o de configuraçõ es de mã o, movimentos e de pontos de articulaçã o — locais no espaço ou no corpo onde os sinais sã o feitos também de expressõ es faciais e corporais Essa é uma das formas mais usadas no processo de inclusã o, que vai desde a comunicaçã o em casa, com a famıĺ ia, até o ambiente escolar. També m é importante ressaltar que todo o conte- Dia 23 de Fevereiro ú do trabalhado em sala de aula tem de estar acessıv́ el a essas pessoas portadoras de necessidades especiais. Alé m do mais, nã o é só de surdosmudos que sã o formadas essas classes de pessoas. Para cada uma delas, por exemplo, exige um tipo diferente de adaptaçã o. Outra data O dia 26 de setembro també m é conhecido por fazer mençã o a Comunidade Surda Brasileira. Poré m, diferente do dia 23 de fevereiro, este outro relembra as lutas histó ricas por melhores condiçõ es de vida, trabalho, educaçã o, saú de, dignidade e cidadania. Autor: Robson Merieverton Fonte: Pesquisa Google Cabe-nos aqui ressaltar que a terminologia surdo - mudo nã o é mais utilizada. A maioria dos surdos faz uso da segunda lıń gua oficial brasileira a LIBRAS.LEI Nº 10.436, DE 24 DE ABRIL DE 2002. A todos os surdos, assim como a todos aqueles que de alguma forma a eles se dedicam, nosso respeito. Parabéns pelo nosso dia. Pesquisa: Monica Mathoso Instrutora de Libras Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano V| Fevereiro 2019| Nº 57 1505

[close]

Comments

no comments yet