Gazeta Valeparaibana

 

Embed or link this publication

Description

Fevereiro de 2019

Popular Pages


p. 1

Ano XI - Edição 135 - Fevereiro de 2019 Distribuição Gratuita Justiça Social, conceito amplo! DESAPARECIDOS O Dia Mundial da Justiça Social é comemorado em 20 de feverei- Embolada entre lama e água, não sabia onde estava. Perdi-me de ro. Foi criado pelas Nações Unidas em 2007. A justiça social se mim mesma. Quem era eu? fundamenta em princípios morais e éticos, princípios políticos e direitos fundamentais como a igualdade, a solidariedade, a dignidade Anoitecia e eu não sabia o que fazer, nem como me mover, o crepúsculo com uma leve brisa me fez sentir melhor, barulho de folhas e pássaros, estava no meio do nada... da pessoa humana. Mas onde seria esse nada? Página 2 Página 3 Não foi uma tragédia Foi um CRIME!!! A Vale do Rio Doce é, mais uma vez, responsável por um desastre criminoso em Minas Gerais. Não foi uma tragédia. Poderia ter sido evitada com manutenção, investimentos em itens de segurança e fiscalização. Foi um crime. A empresa é reincidente e precisa ser punida com severidade. Tivesse a Vale do Rio Doce sido punida exemplarmente pelo crime de Mariana e seu Presidente preso, não teria existido Brumadinho e suas quase 400 mortes. O que se espera agora é que este crime não passe novamente em vão e que a LEI seja aplicada pelo total de vítimas fatais, danos psicológicos e materiais provocados. Filipe de Sousa No fim, o Brasil elegeu o poste. Durante a campanha presidencial, a grande mídia fez um baita esforço pra que o apelido de “poste” pegasse no então candidato do PT. O apelido nada agradável se referia ao fato de que Haddad seria, supostamente, um mero representante do verdadeiro candidato por trás da campanha: o ex-Presidente Lula, hoje preso em Curitiba. Entre os eleitores de Bolsonaro, o apelido pegou rapidamente e se espalhou pelas redes sociais. Os incautos, porém, mal sabiam que eles mesmos estavam prestes a eleger como Presidente um dos maiores “postes” que o país já viu. E seu Governo ainda nem começou… Página 4 CULTURAonline BRASIL TER FILHOS OU NÃO, Palestras e boa música Palestras: - Cultura - Educação - Meio Ambiente - Cidadania Baixe o aplicativo Google Play no site EIS A QUESTÃO Há poucos anos estavam casados. Apesar de muitas realizações, alegrias, superações e aprendizado, também houve desentendimentos e conflitos, o que é normal em qualquer relacionamento. Sonho de qualquer casal é ter filhos, mas, esse desejo ficou adiado por conta de firmarem-se profissionalmente, aproveitarem mais a vida viajando e assim deixaram essa ideia para depois dessa fase e que no entender dela seria importante. www.culturaonlinebrasil.net Página 5 O Brasil está alvo de um forte ataque. Eugênio Aragão Ex-Ministro Justiça Página 16 Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 2

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 3 Demo DESAPARECIDOS Embolada entre lama e água, não sabia onde estava. Perdi-me de mim mesma. Quem era eu? Anoitecia e eu não sabia o que fazer, nem como me mover, o crepúsculo com uma leve brisa me fez sentir melhor, barulho de folhas e pássaros, estava no meio do nada... Mas onde seria esse nada? Amedrontada e ansiosa esforçava-me para não adormecer. Quanto tempo eu estaria lá ou quanto de tempo iria levar para sair daquele mar de lama. Quantas perguntas eu me fazia o que não ajudava, o fato é que estava ali, não sei aonde e bem perdida, sozinha e sem memória nenhuma. Eis que, finalmente, começava me mexer e uma energia tomou conta de mim que me moveu de encontro a vozes que começara ouvir e, embora uma voz sobrepusesse a de outros, chegava a mim como um eco como se o som se desgastasse até chegar a mim. Agucei os ouvidos e consegui entender o que diziam: - Venha! Tenha força, venha até nós – siga a luz do luar, busque forças e ande, estamos aqui para te ajudar. Não conseguia responder, mas sabia que eu teria que me esforçar para sair dali, que era uma emergência temerosa e, certamente não haveria muito tempo. Não sabia quem eram, nem quem eu era, mas me vinha deles certa confiança e, consegui enxergar uma mão tentando me segurar. - Mas como? Perguntava-me... E antes que me sentisse mais confortável eu os vi; um segurando as mãos do outro tentando se salvarem e me tirar fora dali. Cai então uma chuva torrencial e, apavorados com a água que vinha inundando tudo à nossa volta, seguraram minha mão e pude ver pessoas anônimas, sem face, que faziam o Universo ter um significado diferente e representando aquilo que chamamos humanidade. Bem mais segura e confortada, sem saber ainda onde estava e o que houvera, ficamos todos de mãos dadas, nos esforçando e orando... Começou a queima de estoque Na black fraude Brasil Aqui quem apoia golpe Se elege com fake news E transforma Brasília Numa grande família Que a hipocrisia desfruta E que com a Bíblia na mão Se livra da corrupção Só pedindo desculpa. Instituiu-se no Brasil A Sharia evangélica A Bíblia agora assumiu Uma posição estratégica E a nossa Constituição Se transformará em carvão Numa fogueira santa E lobos disfarçados De políticos teocráticos Cortarão nossa garganta. Tudo isso aconteceu Por causa de um equívoco Quando o povo elegeu O pai dos maus espíritos Que disfarçado de ovelha Demonizou a cor vermelha E levou facada no peritônio Mas confundiram a grafia Era ‘demo’ de democracia E não ‘demo’ de demônio. Eduardo de Paula Barreto Todos nós desaparecemos! Genha Auga Jornalista MTB:15.320 É melhor acender um pequeno fósforo do que ficar amaldiçoando a escuridão! Especialmente nesse tempo de crise, muitas pessoas fazem esta pergunta. O que eu posso fazer para mudar o Brasil? Será que eu, sozinho, posso fazer algo que possa ajudar o país da crise e melhorar sua situação? A resposta é sim. É melhor acender um pequeno fósforo do que ficar amaldiçoando a escuridão, não é mesmo? Madre Teresa de Calcutá disse um dia que ela sabia que tudo o que fazia pelos pobres era apenas como uma gota de água no oceano; mas ela dizia que sem esta gota de água o oceano não seria completo. E com esta “gota de água” de caridade, ela mudou o mundo, tocou muitos corações, ganhou até um Prêmio Nobel da Paz e tornou-se santa. Você já pensou se cada cidadão varresse a frente da sua casa? Certamente toda a cidade ficaria limpa. Assim é com o nosso País. Saiamos de cima do muro e comecemos a mudá-lo; primeiro em nós, depois na nossa rua, na nossa comunidade na nossa cidade, que ai o País mudará também. Colaboraram nesta edição Genha Auga Mariene Hildebrando Loryel Rocha João Paulo E. Barros Filipe de Sousa Almir Felitte Eduardo de Paula Barreto Eduardo Pinho news.un.org/pt/ Paulo Klias revistapazes.com Eugênio Aragão Filipe de Sousa PRECISA-SE de voluntário revisor de textos - Contato: gazetavaleparaibana@gmail.com IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não corresponderem à opinião deste Jornal. A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web Diretor, Editor e Jornalista responsável Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 3

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 2 Justiça Social, conceito amplo! mum, os interesses da humanidade. O Dia Mundial da Justiça Social é comemo- rado em 20 de fevereiro. Foi criado pelas Nações Unidas em 2007. A justiça social se fundamenta em princípios morais e éticos, princípios políticos e direitos fundamentais como a igualdade, a solidariedade, a digni- dade da pessoa humana. Quando falamos em igualdade, estamos falando da igualdade de direitos, e quando falamos em solidarie- dade ligada a justiça social, falamos de uma solidariedade coletiva, daquela que tenta minimizar as diferenças sociais daque- les que vivem em situação delicada de po- breza. A ideia de solidariedade ultrapassa as fronteiras, é global, se prioriza o bem co- A importância de um dia assim nos faz perceber que é preciso fortalecer o empenho para que a exclusão, a pobreza, a discriminação e o preconceito, a falta de oportunidades e a falta de trabalho continuem aumentando. Um dos principais objetivos da Cimeira Mundial sobre Desenvolvimento Social é a eliminação da pobreza e da discriminação seja de que tipo for. Esse dia une a comunidade internacional em torno de objetivos comuns. O conceito de justiça social engloba a igualdade e as oportunidades que todos devem ter. São políticas criadas para solucionar esse cenário de discrepâncias sociais e de exclusão em que se encontram as sociedades. Através da justiça social se procura sair dessa situação de fragilidade instabilidade e insegurança que nos deixa vulneráveis. Cada país sabe o que tem que ser melhorado, o que precisa de sua atenção e assistência constante, cabe a eles promover políticas de inclusão, criar postos de trabalho, só assim o cidadão pode ter dignidade e pode ser livre para planejar seu futuro. O desenvolvimento deve ser para todos, sem distinção de cor, gênero, credo, raça, sexo. O Estado deve procurar o equilíbrio, quando ele não ocorre temos os protestos, as pessoas indo às ruas reivindicarem aquilo que acham que tem direito, mas quando o Estado intervém, podemos dizer que essa intervenção é correta? Ele age de acordo com nossos interesses ou com os seus interesses? Uma questão para refletir. ALGUMAS DATAS COMEMORATIVAS (+ Datas? Visite nosso site) www.gazetavaleparaibana.com 02 - Dia de Iemanjá 04 - Dia do Amigo do Facebook 04 - Dia Mundial do Câncer 05 - Ano Novo Chinês 11 - Dia Mundial do Enfermo 13 - Dia Mundial do Rádio 16 - Dia do Repórter 17 - Término do Horário de Verão 2018-2019 20 - Dia Mundial da Justiça Social 21 - Dia Internacional da Língua Materna 24 - Promulgação da Primeira Constituição Republicana 25 - Dia da Criação do Ministério das Comunicações CODINOME LIQUIDIFICADOR . Pela justiça social o acesso a riqueza seria mais equitativo, não haveria poucas pessoas muito ricas, e nem muitas pessoas muito pobres. Os recursos devem ser compartilhados igualmente, os direitos humanos respeitados. Concordamos que não é fácil atribuir um conceito a justiça social, muito menos concretizar políticas que assegurem direitos iguais para todos, mas esse é o desafio das nações. Existem várias vertentes, cada uma com sua ideia de justiça social, que irá variar de acordo com sua filosofia, religião, ideais políticos. Mas acredito que essa discussão está sempre presente, e que todas as tentativas para que se tenha um mundo mais justo e igualitário são válidas. Platão e Aristóteles já escreviam sobre a importância da igualdade para a felicidade e o bem estar das polis. A nossa constituição de 1988, tem o princípio da igualdade formalizado em seu art. 5º, mas a realidade que se apresenta é totalmente diferente do ideal, as diferenças sociais e econômicas são imensas, a pobreza não diminui, a educação continua não sendo acessível para todos, o acesso a moradia digna, a saúde, ao emprego decente, deve fazer parte das estratégias para reduzir as desigualdades. Quando falamos em igualdade para todos, temos que ter em mente as nossas diferenças. As políticas sociais tem que se ater ao cidadão no seu contexto. A efetivação dos direitos fundamentais, dentre eles o da igualdade e dignidade da pessoa humana passam constantemente por novos desafios, aplicar a justiça social é mais um deles. Uma sociedade mais igualitária em todos os sentidos, e que se preocupa com o outro, que preza a igualdade como um direito precioso do qual não podemos prescindir talvez seja uma utopia, algo difícil de realizar e que adquiri vários contornos conforme o pensamento de cada um. Talvez devamos nós fazer a justiça social, e não deixar tudo nas mãos do Estado. É necessário entender que se queremos uma sociedade mais justa com menos desigualdades sociais devemos ser atuantes e fazer as mudanças que queremos ver, Cada atitude é fundamental nessa luta que é de todos. Mariene Hildebrando E-mail: marihfreitas@hotmail.com Sou um perigo na vida de qualquer um, Se me tocar, não respondo por mim. Na hora do amor e da paz sou completamente esquecida. Nas brigas atinjo quem precisar sem me aborrecer, Levo vidas, solto fogo, entrego morte. Não existo para ficar quietinha num canto, Quem me quer tem fúria no sangue. Meu potencial é atacar mesmo para defender. Se me quer, não me deixe em qualquer lugar, Não subestime o que posso fazer se me segurar. Levo e trago comigo a dor, Não corto dedos e nem trituro coisas Não sou inofensiva, posso causar pânico e horror. E você me quer a seu lado? Então me deixe no cofre, no alto, distante. Não me instigue e nem tampouco Compare-me a um liquidificador. Sou destemida, tenha muita calma. Sou muito diferente disso, Não sou liquidificador, sou uma arma... Genha Auga Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 4

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 4 No fim, o Brasil elegeu o poste mais uma suspeita sobre quem teria a real propriedade do “Poste” na Presidência. Isso porque Tereza é do DEM, partido que já emplacou 3 Ministros Durante a campanha no futuro Governo de Bolsonaro, que veio pra acabar com o “toma presidencial, a grande lá, dá cá” e com o loteamento de cargos por partidos no Brasil. À mídia fez um baita es- nomeação de Tereza, somam-se OnyxLorenzoni (aquele que con- forço pra que o apelido fessou Caixa 2 em vídeo, mas pediu desculpas ao Moro, então tu- de “poste” pegasse no do bem) na Casa Civil e Luiz Henrique Mandetta, ex-presidente da então candidato do PT. Unimed que ficará com o Ministério da Saúde. O apelido nada agradá- vel se referia ao fato de Além das 3 nomeações, há, ainda, o flerte entre Bolsonaro e Maia, que Haddad seria, su- dando pinta de que a Presidência da Câmara pode ficar com o postamente, um mero DEM também. São fortes indícios de que o DEM, antigo PFL, que é representante do verda- uma dissidência do antigo PDS, que nada mais era do que o suces- deiro candidato por trás sor da Arena (partido da Ditadura Militar) possa ser o verdadeiro da campanha: o ex- dono do “Poste” que assumirá em 2019. Mas, falando em Arena, Presidente Lula, hoje preso em Curitiba. lembro que, mesmo com tantos nomes, o DEM ainda não é o grupo político com mais representantes no futuro Governo. Entre os eleitores de Bolsonaro, o apelido pegou rapidamente e se espalhou pelas redes sociais. Os incautos, porém, mal sabiam que Quem parece dar as cartas mesmo e mandar e desmandar no eles mesmos estavam prestes a eleger como Presidente um dos “Poste” são os homens de farda. Já são 4 militares escalados para maiores “postes” que o país já viu. E seu Governo ainda nem co- terem status de Ministro: General Carlos Santos Cruz (Secretaria meçou… do Governo), General Augusto Heleno (GSI), General Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Tenente-Coronel Marcos Pontes A dificuldade só está em saber a quem este atrapalhado “poste” (Ciência e Tecnologia). pertence. Um dos suspeitos de ser dono desse “poste” é, sem dúvi- das, o capital dos EUA, seja na figura de seu governo Trump, seja Fosse apenas um Governo COM militares, a situação já seria pro- na figura da alta elite financeira e empresarial americana. Mas essa blemática, mas, ao que parece, a vontade de Bolsonaro é mesmo suspeita não vem de hoje e é mais antiga do que a própria cena do formar um Governo DE militares. Já tem virado rotina a imprensa “Poste” batendo continência à bandeira americana em Miami. fazer matérias com declarações no mínimo estranhas dos militares que integrarão a cúpula do Governo falando de forma “quase cari- Em sua atuação como parlamentar, Bolsonaro tem um histórico no nhosa” sobre o Golpe de 64 e a Ditadura de 21 anos que se desen- mínimo curioso para alguém que diz ser patriota. Em 2016, por e- rolou dali. xemplo, ele não pensou duas vezes antes de votar a favor do proje- to que entregava de bandeja a exploração do nosso Pré-Sal às in- Os valores da caserna também parecem ter voltado de vez ao Pa- dústrias petrolíferas estrangeiras. O Tio Sam agradece. lácio do Planalto. E um símbolo da expressão desses valores pode ter sido a nomeação do novo Ministro da Educação, o colombiano Foi ainda como parlamentar, também, que Bolsonaro deu uma sé- Ricardo Vélez Rodríguez. Mais um encarnado na luta contra o rie de declarações[1] dizendo que gostaria de abrir caminho para “perigo vermelho”, ele já disse que o golpe de 1964 deveria ser mo- que os americanos explorassem os minérios da nossa Amazônia. tivo de comemoração para o país. Apesar de estrangeiro e não- Uma “parceria” que somente um candidato digno de poste norte- militar, Ricardo tem suas ligações com a caserna, onde é professor americano poderia propor. Fácil de entender os motivos para Bol- emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. sonaro atacar incessantemente os indígenas e os quilombolas, cu- jas terras tradicionais podem ser um entrave no objetivo do “Poste” Adepto de teorias “não lá muito científicas”, é mais um nome indica- em agradar seu dono americano. do pelo também “não muito científico” Olavo de Carvalho, alguém que só poderia ganhar relevância em um país que passa por uma Se bem que seu ódio dirigido a essas comunidades tradicionais le- grave crise de “não se levar a sério”. O outro nome é o de Ernesto vanta fortes suspeitas de que, talvez, o “Poste” tenha um outro do- Araújo, futuro Chanceler que já fez o país virar motivo de piada na no: a grande bancada ruralista. Afinal, a Frente Parlamentar Agro- imprensa mundial pelas teorias conspiratórias estapafúrdias sobre pecuária (FPA), nome chique da bancada, foi uma das primeiras as quais ele costuma escrever em um tosco blog pessoal. grandes forças políticas do “Sistema” brasileiro a declararem apoio ao então candidato Bolsonaro em sua campanha. Questionado sobre Bolsonaro ter aceitado suas indicações, Olavo respondeu: “sou irrestível”, emendando que “eles (família Bolsona- Mas o “Poste” de latifundiário não parou aí. O apoio teve seu preço ro) leem as coisas que eu escrevo e levam a sério”. Nós também e Bolsonaro já está loteando seu futuro Governo com ruralistas que ficamos atônitos em ver que a família “Poste” leva a sério, Olavo. vêm pra combater “tudo isso que taí”. A Nabhan Garcia, Presidente Nós também… da União Democrática Ruralista (UDR), já foi prometida uma futura Secretaria de Assuntos Fundiários, num exemplo clássico de Seria, então, Olavo o dono do “Poste”? Talvez. Ou talvez o “Poste” “raposa cuidando do galinheiro”. Na comemoração pelo carguinho, Bolsonaro tenha mais de um dono. Nabhan já disse que o MST deve tomar cuidado e as promessas de Mas, entre o Governo e a elite dos EUA, os ruralistas, o DEM, os enquadrar o movimento como grupo terrorista mostram que o militares ou o Olavo de Carvalho, uma coisa é certa: o “Poste” Bol- “Poste” vai realmente fazer de tudo pra agradar os ruralistas. sonaro não foi colocado lá pra atender a interesses populares. E Mas os agrados não pararam por aí. Há sempre mais um galinheiro quando o povo brasileiro constatar que os bons resultados de uma aguardando a nomeação de mais uma raposa. Uma das Ministras agenda liberal de austeridade e privataria jamais chegarão, certajá confirmadas para o futuro Governo do “Poste” é Tereza Cristina, mente haverá revolta. E é nessa hora que veremos que nenhum mais conhecida como “Musa do Veneno” por sua atuação na apro- dos donos do “Poste” têm muito apego pela democracia. vação do “PL do Veneno”. Mas a nomeação de Tereza levanta Almir Felitte . Brasil pode se tornar a primeira ditadura militar eleita da América do Sul É preciso que o país assuma: Bolsonaro eleito, as Forças Armadas voltaram a mandar por aqui, e desta vez via voto popular. Ou seja uma ditadura eleita democraticamente. Bolsonaro é o POSTE! Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 5

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 5 TER FILHOS OU NÃO, EIS A QUESTÃO Há poucos anos estavam casados. Apesar de muitas realizações, alegrias, superações e aprendizado, também houve desentendimentos e conflitos, o que é normal em qualquer relacionamento. Sonho de qualquer casal é ter filhos, mas, esse desejo ficou adiado por conta de firmarem-se profissionalmente, aproveitarem mais a vida viajando e assim deixaram essa ideia para depois dessa fase e que no entender dela seria importante. Afinal, quando se tem um filho, abre-se mão de muitas coisas, principalmente a mãe que é a mais requisitada nos deveres e atenção para com o bebê. Ele aceitou a espera mesmo a contragosto, pois acreditava que um filho não iria interferir nas realizações, sonhos e mesmo para aproveitar a vida e seus prazeres, mas entendeu. Passados alguns anos, ela foi promovida no trabalho e decidiu aperfeiçoar-se e se inscreveu em um curso que levaria pelo menos dois anos para ser concluído, assim o plano de engravidar foi novamente adiado. O marido já bem sucedido, não entendia bem a ideia de sua esposa colocar sempre algo na frente desse desejo que ele tinha de ser pai, visto que viviam bem, não lhes faltava nada e estavam na melhor fase e tinham plenas condições de criarem com conforto uma criança. Sua esposa empenhava-se muito no trabalho e o tempo entre os dois já perdera um pouco do romantismo e tornara-se um cotidiano de trabalho e casa. Construir uma vida ao lado de alguém é um grande desafio perante os obstáculos e desencontros e nesse quesito esbarravam na questão de filhos. Além do trabalho saíam por vezes com amigos e o chateava que todos já eram pais e dividiam seus momentos com eles sem nenhum problema. Ele, por sua vez, desfrutava dos filhos dos amigos com certa amargura por não ter o seu. Antes de decidirem casar-se, pensava ele, deveriam ter deixado claro essa questão. Para ele, investir num sonho por anos significava jamais realizá-lo, renunciar em prol do relacionamento, mas a recíproca não estava sendo verdadeira, cada conversa sobre o assunto virava uma discussão. Isso se tornara um dilema para ele, que desejava um herdeiro. Passaram-se vinte anos. No início havia uma grande paixão no ar, filhos parecem desnecessários, mas, depois de tanto tempo juntos e já mais velhos, a necessidade parecia aflorar cada vez mais para o marido. No casamento é assim: um gosta do vermelho o outro do verde, um gosta de levantar cedo o outro dormir até mais tarde e isso tudo, questões que geram pequenas discussões fáceis de resolver. Mas nesse caso a questão é que ele, a partir de quando se tornou marido, ficou aberto à paternidade e esse tema ele iria abordaria com sua esposa, pois não aceitava protelar por mais tempo, preocupava-o a questão da idade, pois pretendia ser pai na maturidade e não na idade de ser avô. Conversaram sobre o assunto, decidiram ter essa experiência e transformar essa nova etapa em um recomeço do relacionamento, e, para evitar mágoas ela convenceu-se de que deveria ser mãe, atendendo os anseios dele, e iniciaram os preparativos para a chegada da criança. Foram nove meses conturbados por ser uma gravidez de risco e isso gerou em alguns conflitos; ele achando que esperaram demais e a idade já não a favorecia, e ela, o culpava por estar passando uma fase tão delicada por conta de um capricho do qual ele injustamente a culpava, pois privava-o de um sonho tão forte, mesmo não sendo o dela. Em um casamento um não deve coagir o outro e a compreensão através de muita conversa é a base para uma decisão e, dar um tempo, como fizeram, pode não ter sido o melhor, pois assim como a passividade, o conflito não deve ser a opção e nem a solução. Nessa crise o casal acabou apenas protelando e não buscaram os verdadeiros anseios das partes e deixaram o tempo passar, o relacionamento desgastar. Como terminou a história? Após o parto viu-se um anúncio na porta da casa: Vende-se um berço de bebê, nunca usado (o bebê nasceu morto)... Passados uns meses viu-se outro anúncio: Vende-se uma cama de casal usada (separam-se)... Genha Auga Jornalista MTB:15.320 Mário Quintana: “Quando guri, eu tinha de me calar à mesa: só os grandes falavam. Agora, depois de adulto, tenho de ficar calado para as crianças falarem”. *** Simone de Beauvoir: “O que é um adulto? Uma criança de idade”. *** Jean Paul Sartre: “Eu era uma criança, esse monstro que os adultos fabricam com suas mágoas”. *** Sartre, de novo: “A família é como a varíola: a gente tem quando criança, e fica marcado”. *** Nelson Mandela: “Não existe revelação mais nítida da alma de uma sociedade do que a forma como esta trata as suas crianças”. *** Maiakovski: “Se a criança é um porquinho, quando adulto não poderá ser outra coisa senão um porco”. *** Nietzsche: “O homem chega à sua maturidade quando encara a vida com a mesma seriedade que uma criança encara uma brincadeira”. *** Júlio Machado: “O coração das crianças tem o seu movimento regulado como o de um relógio, e para, quando a mão de uma mãe se esquece de lhe dar corda”. *** Millôr Fernandes: “Criança é esse ser infeliz que os pais põem para dormir quando ainda está cheio de animação e arrancam da cama quando ainda está estremunhado de sono”. *** Félix Pacheco: “Quem não ama, e é sozinho e sem crianças, não tem consolações nem esperanças”. *** O povo (ditado popular): “A quem Deus não deu filhos, deu o diabo sobrinhos”. *** O povo, de novo: “Filho de pobre não nasce, aparece”. *** Oscar Wilde: “A melhor maneira de tornar as crianças boas é torná-las felizes”. *** Oscar Wilde, de novo: “A infância não mais do que um longo percurso de inocente escuta às portas para se ouvir o que se devia ignorar”. *** Eu: “Qualquer adulto que participar de uma festinha infantil, com aquelas criancinhas alegrinhas e seus gritinhos estridentes, corre o risco de achar que Herodes não estava tão errado assim…”. Mês que vem tema mais... Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 6

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 6 Corrupção está enraizada no Brasil colônia. Ela deveria agir com discrição e respeitar deter- minados limites. Dom Lourenço transgrediu tudo isso e chegou a no Brasil desde o período extrair diamantes sem notificar a Coroa. colonial, revela O que vemos hoje é a multiplicação de políticos como dom historiadora Lourenço? Nem dom Lourenço chegaria a tanto como chegaram Sérgio Cabral Entrevista com Adriana Romeiro: prática é fruto de uma elite que se Filho, Eduardo Cunha, numa indiferença própria da nossa classe perpetua no poder para se enriquecer sem escrúpulos política desde o século 16. "O governador investigado acabava subornando a autoridade É possível identificar um ambiente que favoreça a corrupção? responsável pela devassa no período colonial" A corrupção sempre esteve presente na história do Brasil. Uma das A corrupção que assola a política nacional e indigna os brasileiros razões é a distância de Portugal. Por estar longe do centro político, está atracada no país desde os tempos do Brasil colônia. E os a vigilância era muito frágil e precária. É preciso lembrar que o Bra- mesmos estratagemas usados pela elite colonial persistem até hoje sil sempre foi a terra de oportunidades. No início do século 17, em nas práticas ilícitas daqueles que se dizem representantes do povo. Minas, tem a chegada de milhares de camponeses analfabetos, As constatações integram um trabalho inédito no país, em que a que, em 10 anos, ficam muito ricos. São eles que integram a elite historiadora Adriana Romeiro vasculhou documentos em arquivos e local e mandam na política e na economia. Eles viam o Brasil como bibliotecas do Brasil, Portugal e Espanha para investigar a corrup- uma terra a ser explorada, roubada e espoliada. O Brasil também ção praticada por aqui, entre os séculos 16 e 18. O resultado é o foi até recentemente um país escravocrata. Para manter uma insti- livro Corrupção e poder no Brasil: uma história, séculos XVI a XVIII, tuição como a escravidão por tanto tempo, é preciso que você não que será lançado no próximo dia 26, em Belo Horizonte. tenha o menor escrúpulo moral em relação ao outro. “Dizia-se que era preferível ser roubado por um pirata em alto-mar Quais eram os mecanismos para coibir e punir essas práticas do que aportar no Brasil. A elite colonial é a mesma que está hoje no período colonial? no poder, com a mesma mentalidade, de estar numa terra em que pode enriquecer sem qualquer escrúpulo”, afirma a historiadora, Cada vez que o governador terminava o seu mandato de três anos, que concedeu entrevista exclusiva ao Estado de Minas. Adriana ele tinha que ser auditado, investigado pelo ouvidor local. Esse me- Romeiro é doutora em história pela Universidade Estadual de Cam- canismo chamava juízo de residência e devassava os procedimen- pinas (Unicamp) e professora da Universidade Federal de Minas tos dos governantes e detentores de cargos administrativos. Só Gerais (UFMG). que a gente sabe que, na prática, isso não funcionava. O governa- dor investigado acabava subornando a autoridade responsável pela Numa pesquisa minuciosa iniciada em 2013, quando se dedicava a devassa. um pós-doutorado na Espanha, a autora levantou toda a documentação datada entre os séculos 16 e 18 em que os governadores no Esses crimes se mantinham impunes? Brasil são acusados de alguma prática ilícita. São textos que vão A impunidade estava prevista na lei. Casos em que investigar e pu- desde sátiras, sermões, poemas e ofícios com acusações aos go- nir alguém pudesse ser algo tão catastrófico, que poderia prejudicar vernantes da época. “Descobri coisas assustadoras, desde o envol- o bem comum, era preferível fazer vistas grossas. No Brasil, a im- vimento dos governadores em escândalos sexuais até casos mais punidade era também um privilégio que o rei concedia às elites lo- escabrosos de enriquecimento ilícito”, conta. cais. As elites locais prestavam serviços aos reis, participavam da De que forma a corrupção se manifestava no Brasil colonial? obra de colonização, abriam estradas, faziam o comércio funcionar. Em troca desse serviço, ganharam o direito da impunidade. O con- O conceito de corrupção era muito mais abrangente e também in- trabando foi, de longe, a prática ilícita mais comum no Brasil. O rei cluía questões morais e religiosas. Mas, ao levantar toda a docu- sabia, as autoridades envolvidas na repressão ao contrabando pra- mentação em que os governadores são acusados de alguma práti- ticavam contrabando, as elites lucravam muito e o rei fazia vistas ca ilícita, entre os séculos 16 e 18, descobri que não só já havia o grossas. Havia um abismo entre a norma e a prática. conceito de corrupção como também englobava práticas que hoje associamos a isso, como tráfico de influência, nepotismo, favoreci- Havia, então, um interesse da Coroa portuguesa em manter a mento e abuso de autoridade. As práticas que vemos hoje na políti- corrupção no Brasil? ca brasileira já remontam ao século 16. Pela corrupção, nossas elites puderam de alguma forma garantir os E o que essa documentação aponta? interesses econômicos e políticos e participar do jogo político e do processo de colonização. Através de tretas e manhas, homens co- Descobri o enriquecimento ilícito de governadores, autoridades e muns ascenderam socialmente e adentraram as elites. Foi isso que políticos. Mem de Sá (governador-geral do Brasil entre 1558 e deu flexibilidade ao império português, fazendo com que ele duras- 1572), por exemplo, já era acusado de enriquecimento ilícito. No se tantos anos. Se a política da Coroa fosse implantada de forma Rio de Janeiro, dizia-se que os mercadores de escravos que saíam inflexível, muito rígida, o Império não teria resistido. A corrupção da África e seguiam para o Rio da Prata e tinham que parar no Rio teve efeito benéfico e positivo para Portugal e, por isso, essa tole- para abastecer já sabiam que tinham que pagar propina ao gover- rância da Coroa em relação às práticas ilícitas das nossas elites. nador da capitania. Para que essas embarcações parassem na costa era exigido algum tipo de contribuição ilícita, como o direito Mas não se trata de um fenômeno exclusivo do Brasil... de subir a bordo e escolher os melhores escravos. A corrupção é um problema do mundo todo, mas, no Brasil, em ra- Há outros corruptos que chamam a atenção? zão do nosso passado colonial, isso é mais forte. O contexto colonial exigiu que os brasileiros de modo geral soubessem desenvolver Dedico uma parte do livro a dom Lourenço de Almeida, que gover- estratégias e artifícios para burlar o pacto colonial. As nossas elites nou Minas entre 1720 e 1732. Ele era acusado de ter constituído passaram a perna nos portugueses. Havia esse divórcio entre a so- fortuna a partir do ouro e diamantes por meio de práticas ilícitas. ciedade e o Estado, que só aparecia para cobrar impostos e barrar Em pouco tempo estava riquíssimo, com mais de 100 contos de toda a iniciativa privada. A classe política reflete a mentalidade que réis, que era um valor considerável para a época. Encontrei o testa- está aí desde o século 16. Da mesma forma, no passado, a corrup- mento dele em Portugal e o inventário. Com base na reconstituição ção só pôde existir porque estava disseminada na sociedade. Acre- do patrimônio, consegui identificar o enriquecimento ilícito, dando dito que as pessoas hoje estão muito mais exigentes e vão desen- razão às sátiras que já denunciavam isso. Havia dois tipos de re- volver uma intolerância às práticas corruptas. quisitos para que a pessoa pudesse roubar sem ser importunada em.com.br Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 7

Fevereiro de 2019 Futuro adiado, mais uma vez… Gazeta Valeparaibana Página 7 EU HOJE ESQUECI MEUS VERSOS Três semanas depois de ter tomado posse, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, embarcou na noite de domingo no jato da Força Aérea rumo a Davos, na Suíça. Algumas das figuras mais apresentáveis do seu governo, acompanham-no na missão de marketing político junto de grandes investidores, banqueiros, políticos e, por último, mas não menos importante, junto dos jornalistas que acompanham a 39. Edição do Fórum de Davos, o conclave dos figurões, donos de quase tudo, à escala planetária. Hoje esqueci meus versos. Fui buscar nas palavras de outros as respostas para as minhas dúvidas. Nas insignificâncias de Manoel de Barros, nos heterônimos de Fernando Pessoa, nos desatinos de Florbela Espanca, nas paixões de Pablo Neruda, na rebeldia de Mário Benedetti. Repostas a estas dúvidas que não cessam, destes medos que não calam, Na gélida cidade suíça, onde não faltará o chocolatinho quente, mas também, é claro, as trufas, o whisky e o bom conhaque, lá estarão, na comitiva brasileira, entre outros, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, até há bem pouco tempo o prestigiado juiz responsável pelos processos da Lava Jato, de combate à grande corrupção. Um, o Guedes, para falar das promessas de grandes reformas neoliberais com que conquistou o coração de Bolsonaro; o outro, Moro, para falar, com o tom austero que lhe é peculiar, do combate à corrupção e à criminalidade. Quem não perderia por nada do mundo a ida a Davos? O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do pai-presidente. Bolsonaro-filho já leva assunto estudado: irá falar sobre a imigração venezuelana no estado de Roraima. do desespero ao ver vozes silenciadas, mentes esquecidas, palavras perdidas, corações massacrados em sentimentos superfici- ais. A dureza do amargo remédio da realidade. É tão mais fácil perder-me em metáforas! Talvez, a dor de assistir um mundo em destruição não fosse tão forte, a tristeza dos retrocessos contínuos e da esperan- Ao presidente caberá falar das pequenas, médias e grandes generalidades. Coisas boas para os ouvidos sensíveis de investidores e banqueiros. Promessas de reformas, de redução da dívida pública, menos Estado, menos Estado, menos Estado – o refrão neoliberal que querem impor. Alguns dirão que, afinal, Bolsonaro, ao avançar por esse caminho mais não faz que levar adiante o que prometeu na campanha eleitoral. Esquecem-se, no entanto, é que grande parte dos que acreditaram no “mito”, no “messias” libertador, no pregador de discursos fomentadores de ódios às esquerdas, aos que se dão à liberdade de terem esta ou aquela ideologia, querem o contrário: isto é, uma economia aberta, mas regulada, um Estado interveniente, eficiente, e expurgado da corrupção. Querem saúde pública com qualidade, querem ensino público com qualidade, querem segurança pública eficaz, mas não criminosa. Querem juízes comprometidos com a lei. Não querem cidadãos de arma em punho. Ora, o governo que Bolsonaro conseguiu formar está muito longe de tudo isso. Na sua essência é um governo de representantes de grupos das elites que sempre impuseram as suas vontades ao Brasil e que, hoje, como sempre o fizeram, invocam a pátria, o amor à nação, o interesse nacional. Representantes dos grandes fazendeiros, amigos da banca, generais saudosos do antigamente, construtoras de visões milagrosas, amantes do obscurantismo. Um ou outro talvez crente numa missão divina. O ministro Onyx Lorenzoni, um dos mais importantes da equipe governamental, diz e escreve que ele próprio e Bolsonaro são “instrumentos de Deus”. Não se expressava de forma diferente Torquemada, na distante ( ou não tanto…) Idade Média quando enviava à fogueira os ímpios judeus ou, simplesmente, os adversários. Três semanas depois de subir a rampa do Planalto, o presidente Bolsonaro, imbuído de fé reformista, continua a distinguir-nos com os seus posts nas redes sociais, que alternam entre anúncios de medidas governamentais ou declarações de intenção pela manhã e desmentidos pela tarde. Entre auto-elogios e sibilinas ameaças aos que não comungam das suas ideias. Entre manifestações de oferta de bases militares dos Estados Unidos em território brasileiro e, no dia seguinte, enfática negação decidida pelos comandos militares. Ou seja, uma trapalhada que deixa em apuros os mais leais bolsonaristas. ça trancada, a violência das armas que matam com a chancela da moral, da prisão sem provas, do direito torrado pelas for- nalhas da vaidade cínica, se pudéssemos substituí-las pelos sonhos de poe- sias tétricas. Afinal, mesmo o pior dos pesadelos termina quan- do acordamos. O problema é quando o sonho se torna o refúgio da liberdade, porque perseguidos pela ganância cega somos im- pedidos até de querer. De querer um universo gigante, onde as pessoas não sejam tratadas como pedaços de carne, de querer a complexidade da vida, onde exista diá- logo entre espécies, de querer as virtudes de alma que se encontram com o amor na sua forma mais intensa, de querer livros em vez de armas, brinquedos ao contrário de pedras, flores e não mais tortura. De querer, de sonhar, de amar, desejar, ser infinito e, acima de tudo, viver. Sandro Ari Andrade de Miranda Por tudo isto e o que se pode antever, nas mais diversas áreas, há sérias razões para admitir que o Brasil continuará, por um bom tempo, com o “futuro adiado”. Democraticamente adiado. O governo Bolsonaro não precisa recear as esquerdas ou movimentos progressistas, que, aliás, continuam amarrados a fantasmas e enredados em contradições, ainda incapazes de se renovarem e reunirem vontades. Por enquanto, o principal adversário do governo Bolsonaro é ele próprio, “o coiso”. Alfredo Prado Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 8

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 8 Saiba mais sobre o Fórum Económico Mundial de Davos que o mundo está “a perder a corrida” em relação à mudança climática. O representante apelou aos governos que assumam compromissos mais arrojados, para além do Acordo de Paris. Qual foi a novidade da edição deste ano? Pela primeira vez na sua história, o Fórum de Davos nomeou seis Global Shapers com idade inferior a 30 anos como co-presidentes da reunião - uma decisão que reconhece que os jovens são o grupo demográfico mais afetado pelas perturbações de longo alcance que afetam a população em idade ativa. Qual a contribuição do Unicef? O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, conduziu uma sondagem online com 10 mil jovens de mais de 160 países para escolher a mensagem que a juventude pretende dar aos aos líderes reunidos neste Fórum Econômico Mundial. Todos os anos, cerca de 2.200 participantes reúnem-se para um evento de cinco dias que tem como objetivo debater questões globais. Desenvolvimento econômico A mensagem final foi: “Precisamos de mais empregos e melhor educação”. O que dizem os especialistas da ONU aos líderes presentes em Davos? Secretário-geral e alta comissária dos Direitos Humanos estão entre os representantes da ONU que participarão; encontro reúne representantes das áreas política e económica para debater grandes questões mundiais. Vários especialistas da ONU destacam a importância crucial dos direitos humanos para o tema central da edição deste ano do Fórum: “Globalização 4.0: moldando uma nova arquitetura na era da Quarta Revolução Industrial ”. Quais os temas tratados no Fórum Económico Mundial em Davos? O Fórum Económico Mundial, FEM, promove uma reunião realizada todos os anos, no final de janeiro em Davos, na Suíça. O encontro acontece em um resort nos Alpes Suíços e junta gestores de alto escalão das mil empresas-membro do Fórum, líderes políticos, representantes acadêmicos, organizações não governamentais, líderes religiosos e meios de comunicação. Todos os anos, cerca de 2.2 mil participantes reúnem-se para um evento de cinco dias que tem como objetivo debater questões globais, como conflitos internacionais, pobreza e problemas ambientais, e possíveis soluções. Para eles, "os líderes empresariais e políticos em Davos devem garantir que a Quarta Revolução Industrial trabalha para os indivíduos e comunidades mais desfavorecidas ou marginalizadas. Isso só será possível se os esforços para reformular a globalização forem construídos sobre a base dos direitos humanos para todos ” Os especialistas pediram aos governos e líderes empresariais que trabalhem juntos para aproveitar o potencial das novas tecnologias para alcançar um desenvolvimento sustentável e inclusivo. Todos os anos, cerca de 2.200 participantes reúnem-se para um evento de cinco dias que tem como objetivo debater questões globais. O encontro Anual do Fórum Económico Mundial realiza-se, co- A reunião é aberta ao público? mo é tradição, em Davos, na Suíça. A participação do evento acontece mediante convite. No entanto, é Qual é a participação das Nações Unidas? Altos representantes das Nações Unidas irão participar neste encontro. O secretário-geral da ONU, António Guterres, fará um discurso esta quinta-feira e participará numa transmissão ao vivo no possível acompanhar todo o programa público através dos meios de comunicação. Os mais de 500 jornalistas presentes este ano têm acesso a todas as sessões do programa oficial. Algumas delas têm uma transmissão ao vivo. Facebook no mesmo dia às 9 da manhã, hora suíça. O que é o Fórum Económico Mundial? Também a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Mi- O Fórum Económico Mundial, FEM, é uma organização sem fins chelle Bachelet, e o diretor-geral da Organização Internacional do lucrativos baseada em Genebra. Fundado em 1971 por Klaus M. Trabalho, Guy Rider, estarão em Davos. Schwab, um professor de administração na Suíça, o FEM não tem Como está a ONU representada? vínculos políticos, partidários ou nacionalistas. O secretário-geral da ONU, António Guterres, participou no encon- O fórum tem o estatuto de observador no Conselho Económico e tro. O chefe da ONU aproveitou a ocasião para destacar que a eco- Social das Nações Unidas e está sob a supervisão do Conselho nomia global está marcada pelo “abrandamento, nuvens escuras e Federal suíço. riscos no horizonte” e lembrou que as tensões comerciais estão O Conselho da Fundação é o órgão que gere a atividade do fórum associadas a tensão política. e é atualmente formado por 22 membros que incluem o ex-primeiro Guterres acrescentou ainda que a questão da dívida limita a capa- -ministro do Reino Unido, Tony Blair, e a rainha Rania da Jordânia. cidade dos países de responderem às crises e alcançarem os Ob- A missão do fórum é "o compromisso com a melhoria do estado do jetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs. Ele voltou a alertar Mundo." news.un.org/pt/ Comportamento de manada (Cuide-se!) ção. Você vê que um está vazio e que outro tem três casais. Escolhe Como o comportamento de manada permite manipulação da opinião pública por fakes qual? O que tem gente. Você escolhe porque acredita que, se outros já escolheram, deve ter algum fundamento nisso”, diz Fabrício Benevenuto, A estratégia que vem sendo usada por perfis falsos no Brasil e no mundo professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), sobre a atu- para influenciar a opinião pública nas redes sociais se aproveita de uma característica psicológica conhecida como “comportamento de manada”. O conceito faz referência ao comportamento de animais que se juntam ação de usuários nas redes sociais. Ele estuda desinformação nas redes e testou sua teoria com um experimento: controlou quais comentários apareciam em um vídeo do YouTube para se proteger ou fugir de um predador. Aplicado aos seres humanos, refere-se à tendência das pessoas de seguirem um grande influenciador e monitorou a reação de diferentes pessoas. Quanto mais elas eram expostas só a comentários negativos, mais tendi- ou mesmo um determinado grupo, sem que a decisão passe, necessaria- am a ter uma reação negativa em relação àquele vídeo, e vice-versa. mente, por uma reflexão individual. “Se muitas pessoas compartilham uma ideia, outras tendem a segui-la. É “Um vai com a opinião do outro”, conclui Benevenuto. Em seu experimento, os pesquisadores chegaram à conclusão de que a influência estava semelhante à escolha de um restaurante quando você não tem informa- também ligada a níveis de escolaridade: quanto menor o nível de escolaridade, mais fácil era ser influenciado. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 9

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 9 A Escravidão como base fundamental do Nos períodos posteriores a Revolução, já na época da ascensão das burguesias europeias, os maiores impérios da época disputa- Capitalismo vam entre si: França e Inglaterra. Num plano bem articulado, os pa- Por que não estudamos a história do Haiti? A importância de se es- trões franceses incentivaram e financiaram a independência da co- tudar a história haitiana é nada mais que a importância de se res- lônia americana – maior fonte de recursos da época – não com o gatar nossa própria história, que sofre da alienação por um propósi- intuito da liberdade, mas para atacar os recursos dos patrões britâ- to bem específico, que é de retirar o conhecimento de nossas pró- nicos, o que abriu o caminho para colônia de São Domingos pros- perar como nunca, e conquistar o posto de melhor colônia. A Inglaterra, em desvantagem, mudou sua estratégia a partir da independência dos EUA. A burguesia britânica, que detinha fábricas de tecer algodão nas Índias Orientais, o que fazia com que também lucrasse com a escravidão, iniciou uma arriscada campanha abolicionista, no intuito de atacar o maior posto da França. Os anos de 1780 foram dos acadêmicos e eruditos contra a escravidão, escondendo a sua real intenção com teorias cristãs e humanistas. Com o crescimento da burguesia industrial britânica que clama pelo comércio livre – que inclusive colocou os trabalhadores da Índia em condições desumanas – crescem os ataques ao comércio agrícola. Teóricos como Adam Smith e Arthur Young são os precursores da nova era, sua responsabilidade é convencer os patrões de quão caro é o sistema escravista e da necessidade do trabalho assalaria- prias forças. “Eu não sou um homem e um irmão?” “Eu não sou uma mulher e uma irmã?” do, que possibilita o sistema de mais-valia e trabalhadores com poder de consumo. Dentro dos intelectuais precursores da Revolução Francesa, como Condorcet e Robespierre, se iniciam movimentos abolicionistas ba- Campanha abolicionista britânica do final do século XVIII e início seados nos ideais iluministas – a sociedade Amigos dos Negros – o século XIX. que foi muito bem recebido pela burguesia britânica, que inclusive Gostaria de começar meu texto com um questionamento ao leitor: financiou a campanha antiescravagista dos franceses. William Pitt, Por que não estudamos a história do Haiti? Ao leitor desavisado, um primeiro-ministro e discípulo de Smith, foi quem enviou a profruto da educação nas escolas que enaltece a história “oficial” bran- posta de abolição ao Parlamento, que foi recusada. ca e das classes dominantes – que ainda hoje vigora mais do que Enquanto isso, o Haiti prosperava como nunca na história das colô- nunca com o “Escola Sem Partido” - a minúscula porção de terra nias. Sua população dobrava de tamanho enquanto africanos che- que faz divisa com a República Dominicana na América Central gavam aos montes. Cerca de meio milhão de escravos, sendo dois passa despercebia aos seus olhos, até mesmo dos que se interes- terços nascidos na África, fazendo da pequena ilha uma gigantesca sam pela história do povo negro e das populações africanas. bomba de ódio de classe. Com o aumento dos escravos, crescia o Porém, estamos falando sobre uma das primeiras colônias a rece- medo e os castigos dos patrões, tanto que já nem se obedecia ber a mão de obra escrava e que no seu melhor período econômico mais o Código Negro da época, que regia as leis perante os escraera o país que mais comprava africanos, a principal fonte de recur- vos. Afinal, o que garante a paz social não é a prosperidade do pasos do gigantesco império francês, que depois da emancipação dos ís, mas sim o equilíbrio entre as classes. Estados Unidos, se tornou a principal e mais próspera fonte de re- A monarquia estava falida e era alvo das revoltas camponesas, a cursos para o mercado mundial no Novo Mundo. É o primeiro e úni- aristocracia europeia já bem engordada pela escravidão não se de- co país a efetivar uma revolução negra e abolir a escravidão pelas morou a aproveitar o momento perfeito para o ataque ao Estado próprias mãos dos escravos e sua história ainda se faz recente, francês. Em setembro as notícias chegaram ao porto de Le Cap, com a miséria, a exploração, os imigrantes haitianos vindos ao Bra- em São Domingos. No dia 14 de julho de 1789 a Bastilha havia caí- sil como mão de obra barata e as ocupações militares no país ocor- do, a ordem dos poderes a partir dali, tenderia a agravar a mudan- ridas durante o período de Lula, que vigoram até hoje. ça que já estava ocorrendo. Se antes nobres e camponeses, agora Então por que os historiadores se esforçaram tanto para colocar o patrões e trabalhadores. Mas como ficam os escravos nessa histó- Haiti embaixo do tapete? ria? Para isso precisaremos compreender a ligação entre o Capitalismo Apenas um setor minoritário da Revolução reivindicava a abolição, moderno e a escravidão dos tempos da colônia de São Domingos, principalmente porque o maior setor de sua liderança era a burgueo antigo Haiti. Geralmente alguns setores de estudiosos argumen- sia marítima, que nem podia sonhar com o fim do seu comércio. tarão que o período da escravidão está ligado unicamente a moral Porém, os ideais da Revolução os empurraram pra mais longe do de uma monarquia europeia atrasada, dos feudos e da busca por que eles queriam. Em 1790, um ano após a Revolução, os mulatos novos recursos, algo que morreu com o surgimento do nosso atual – termo utilizado pelo autor CLR James para designar uma classe sistema econômico e que não está nada relacionado com os pa- social de São Domingos de pessoas mestiças e livres – se rebelatrões das fábricas e escritórios ou com os teóricos do liberalismo. ram contra os brancos proprietários. Em 1791, se inicia a revolta “A triste ironia da história humana”, segundo o político francês Jean escrava. Em 1792, os Girondinos foram obrigados a garantir direiLéon Jaurès, era o fato de que a Revolução Francesa foi erguida tos políticos e sociais aos mulatos. somente por causa do comércio de negros e a produção escravista. A partir de 1792 a revolta dos negros eclodiu e só cresceu em São Toda burguesia francesa da época, seja a detentora das fábricas Domingos, sem apoio algum de qualquer outro setor, nem mesmo ou da burguesia marítima – detentora e produtora de barcos, inclu- dos mulatos livres. Uma revolta liderada do começo ao fim apenas sive os negreiros – e até das próprias burguesias latifundiárias e por ex-escravos, que até então não sabiam nem ler ou escrever, comerciais, que lideraram a Revolução, estavam intrinsecamente enfrentaram as tropas que defendiam os senhores que até hoje leligadas a escravidão, sem a qual, não existiriam. A partir do século vam a fama dos mais violentos da história da escravidão africana. XVIII já haviam 16 fábricas na França só para refinar o açúcar bruto vindo do Haiti, os comerciantes prosperavam como nunca. CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 10

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 10 Halal e Kosher Em ambas as religiões, há uma forma específica de abate dos animais para que a carne destes seja considerada apropriada para o As várias religiões da humanidade têm regras de conduta, e algu- consumo. Se tal forma de abate não for obedecida, a carne passa a mas dessas religiões tem regras para alimentação. Duas delas, o ser considerada como impura. O Islã e o Judaísmo proíbem consu- Islã e o Judaísmo, tem regras alimentares muito rígidas. mo de carne de animais encontrados já mortos. No Judaísmo, os alimentos autorizados pela lei religiosa são classi- A importância de se estar informado sobre esse tipo de costume de ficados como kosher ou kasher, e no Islã são classificados como povos e religiões é que somos melhor capacitados para demonstrar halal. Um alimento para ser considerado kasher ou halal não pode respeito às pessoas judias e muçulmanas, evitar gafes e confu- ter ingredientes proibidos. Os ingredientes proibidos são classifica- sões, situações constrangedoras. Respeito não precisa ser impos- dos como haram no Islã e como treif no Judaísmo. to, pode ser conquistado. E a forma mais correta de nós conquistar- As regras alimentares para os judeus, não comem carne de porco, mos respeito é tomarmos a iniciativa de ter respeito, demonstrar- de coelho e lebre, de caninos, de cavalos, símios, felinos, moluscos mos com atitudes que realmente respeitamos às pessoas. Pode- e frutos do mar, também não comem insetos e vermes, não comem mos não compreender com clareza os costumes de alguém adepto répteis e anfíbios, não comem aves de rapina só comem peixes de alguma crença religiosa, mas isso não nos impede de procurar com escamas e barbatanas, e não pode haver mistura de leite e respeitar tal alguém, respeitar os seus sentimentos pessoais. Tam- derivados com carne. Também não consomem sangue, drenam o bém, para quem trabalha no ramo de alimentos, estar informado sangue com sal antes do consumo. A regras islâmicas são muito sobre as regras halal e kosher ou kasher é de extrema importância, parecidas com as judaicas. Os muçulmanos diferem dos judeus em pois ajuda a ampliar a conquista de mercados consumidores pelo alguns detalhes, o Judaísmo autoriza o consumo moderado de be- mundo. bidas alcoólicas e o Islã proíbe o consumo de toda e qualquer bebi- João Paulo E. Barros da alcoólica, o muçulmano é autorizado a comer camarão, e o ju- deu não é. Eclipse há uma profecia escrita que afirma que “O Sol se converterá em trevas, e a Lua em sangue, antes de chegar o grande e terrível dia No dia 21 de Janeiro de 2019, houve mais um eclipse lunar total, do Senhor”, que seria o período final da humanidade na Terra, o do tipo “super lua” e “lua de sangue”. O fenômeno chamado de e- “dia do Senhor”. No Talmude (coletânea de livros da Lei dos ju- clipse é o escurecimento total ou parcial feito por uma interposição deus), está escrito “Quando a Lua estiver em eclipse, é um mau de outro astro. Há dois tipos de eclipses vistos na Terra, o solar e o presságio para Israel. Se a sua face for tão vermelha quanto o san- lunar. gue, a espada (guerra) está vindo ao mundo”. O eclipse solar ocorre quanto a lua interpõe-se entre o Sol e a Ter- Há registros muito antigos a respeito dos eclipses, como o da anti- ra, projetando a sua sombra sobre a Terra. E o eclipse lunar ocorre ga cidade de Ugarit em 1.375 a.C, na China em 1302 a.C., na Assí- quando a Lua entra na região da sombra da Terra, gerada por meio ria em 763 a.C, ou seja, o fenômeno chama a atenção da humani- da luz do Sol, e a sombra da Terra cobre o disco lunar. dade a eras. O fenômeno do eclipse é um dos mais belos espetá- Há também aqueles que têm intepretações religiosas ou supersti- culos da natureza. O cosmos de modo geral, é muito belo e inspiraciosas aos eclipses de Lua de sangue. Por exemplo, os antigos chi- dor. O conjunto dos corpos celestes fazem do céu lindo de se apreneses achavam que a Lua vermelha brilhante era um dragão. Os ciar. O eclipse é um fenômeno que impressiona a muitos e, assusta vikings achavam que se tratava de um lobo-do-céu. Os incas criam a muitos outros também. Como deve ser um eclipse visto de outro que um jaguar mitológico atacava a Lua. Os budistas tibetanos cre- planeta, que tenha mais de um satélite natural? Ou um planeta que em que as boas e más ações que fazemos durante um eclipse lu- orbite em mais de uma estrela que não seja o nosso Sol? Será que nar são multiplicadas por dez. Na Índia, as pessoas evitam cozi- um dia os seres humanos saberão? Definitivamente, a ciência chanhar, comer e beber durante os eclipses lunares e solares. Na Anti- mada Astronomia é muito interessante! ga Mesopotâmia, os eclipses serviam como previsão da morte iminente de monarcas poderosos. Na Bíblia, no livro do profeta Joel, João Paulo E. Barros CONTINUAÇÃO PÁGINA 9 dos políticos e empresários midiáticos, a história da revolução que A ilha de São Domingos foi dividida em duas colônias, uma france- foi o marco de ruptura para o mundo moderno foi construída em sa e outra espanhola – por isso hoje na mesma ilha se encontram larga escala pelas mãos de escravos, e só ousou por mais por cau- Haiti e República Dominicana – e os espanhóis começam a apoiar sa dos trabalhadores do mundo, assalariados ou não. Não apren- a revolta dos negros contra seus senhores franceses por seus pró- demos sobre a história do Haiti nas escolas e universidades porque prios interesses econômicos. ela simboliza de maneira mais precisa a realidade sobre o nasci- Toussaint L’Ouverture, principal líder da revolução escrava, liderou mento do regime dos patrões: A maneira como acumularam suas cerca de 4 mil tropas negras contra os exércitos franceses e britâni- riquezas, de como se industrializaram, de quais eram suas reais cos. Em 1792 a França começava seu triunfo revolucionário contra intenções e qual era sua moral. o antigo regime e agora, as massas que antes eram indiferentes a A história oficial teima em romantizar figuras como da Princesa Isa- causa das colônias, num súbito de solidariedade revolucionária, bel, que como qualquer outro a serviço do mercado mundial, só de- empurraram os dirigentes da revolução para a causa escrava. Com cretou a abolição movida por interesses econômicos e por pressão o apoio dos aristocratas mulatos, das massas francesas e de um das próprias massas revoltadas. Figurões como Luciano Huck, vão setor erudito da burguesia, em 1794, sem discussão, foi decretada romantizar a ação das tropas brasileiras no Haiti, que nada mais a abolição da escravatura em território francês. fazem senão gestionar a miséria que o país sofre desde o período de sua independência, fruto de constantes invasões, embargos e Após a abolição, L’Ouverture rompe sua aliança com os espanhóis tributos aos países maiores, por ser apenas uma ilha ideologica- e se alia com os franceses. As massas negras tomam o controle de mente isolada do resto do mundo. importância de se estudar a his- São Domingos e em 1801 é decretada uma Constituição autônoma, tória haitiana é nada mais que a importância de se resgatar nossa a primeira a decretar o negro enquanto cidadão de uma nação. En- própria história, que sofre da alienação por um propósito bem espe- tretanto, as tropas de Napoleão Bonaparte, na tentativa de manter cífico, que é de retirar o conhecimento de nossas próprias forças. uma colônia francesa, retiram Toussaint L’Ouverture do posto de Somente nós, a classe que é oprimida e explorada no regime de- governador e o deportam pra França. Somente em 1804, sob o co- mocrático da “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, poderemos mando de Dessalines, o Haiti finalmente conquista sua tão sofrida nos salvar das misérias e assédios cotidianos, independente dos independência. patrões e de seus governos. Independente das distorções dos historiadores e acadêmicos, ou Eduardo Pinho Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 11

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 11 Previdência: que significa a tese central do governo? mulher. Agora, Guedes pretende promover uma mudança ainda mais profunda no regime da previdência. A proposta a ser encaminhada pelo governo Bolsonaro deverá con- ter a transformação do regime de repartição em regime de capitali- Trocar o sistema zação. Uma loucura! Na prática, essa operação terá o significado de repartição pelo de destruir o nosso modelo de previdência pública e abrir o cami- de capitalização nho escancarado para sua privatização. Pior ainda, essa mudança devastaria direitos retira a natureza da previdência social como um direito de cidadani- e causaria enor- a universal e a transforma em mais uma mercadoria a ser oferecido me perda ao Te- nas prateleiras do sistema financeiro. souro. Mas abriria para os banquei- O modelo de repartição pressupõe uma característica de solidarieros mercado de dade intergeracional no sistema previdenciário. Os trabalhadores trilhões ao ano. que estão na ativa, a cada geração, contribuem junto com as em- presas e o Estado (o nosso sistema é chamado de tripartite) para Com o transcorrer dos primeiros dias do governo do capitão e dos assegurar o pagamento de benefícios para os que já estão aposen- seus generais, as diferentes opiniões e projetos de sua equipe co- tados. É isso que confere a característica social e coletiva ao mode- meçam a apresentar seus conflitos de forma explícita perante a so- lo. E assim há outras previsões de beneficiários, como os que estão ciedade. Pouco a pouco começa a ficar mais claro que a eleição de doentes ou acidentados. Tudo isso passa longe da ingerência de outubro passado deveu-se muito mais a uma confluência de inte- gestão do sistema financeiro. São mais de 35 milhões de indivíduos resses e descontentamentos do que à concordância afirmativa que recebem algum tipo de benefício mensal, com um fluxo anual quanto a um programa de governo. de recursos movimentados superior a R$ 400 bilhões. Não por aca- As idas e vindas, os recuos e desmentidos, as bateções de cabeça, so o financismo sempre olhou para esses números com um olho enfim a vacilação e a incerteza tem sido a marca permanente até o bem gordo. momento. Esse quadro de indefinição tem sido uma constante em O modelo da capitalização é o oposto disso. A previdência passa a áreas tão distantes como o reconhecimento da capital israelense ser o resultado de uma conta individual de capitalização, onde o em Jerusalém, medidas para ampliar o porte de arma, a saída de trabalhador recolhe mensalmente um valor junto à instituição finan- acordos globais articulados pela ONU, programas na área educa- ceira que seja responsável pela operação de seu plano. Ora, todos cional, demarcação de terras indígenas ou mesmo a política de ali- sabemos como são tratadas as questões de divergências entre anças da base de apoio do novo governo na Câmara dos Deputa- consumidores e bancos em nosso país. Imaginem como seria e- dos e no Senado Federal. ventual pleito de um trabalhador à beira de se aposentar, daqui 30 A indefinição estratégica também se faz presente na área que o ou 35 anos, quando ele perceber que as contas estavam equivocapróprio núcleo econômico do governo tem apresentado, desde ain- das. Vai reclamar com quem? da da época do debate eleitoral, como sendo a mais essencial para Os exemplos que estão mais próximos de nós são do Chile e da o futuro do país. Trata-se da “Reforma” da Previdência. Os grandes Argentina. Ali foi também implementada essa proposta irresponsá- meios de comunicação e os conhecidos “especialistas” do mercado vel de modelo de capitalização. O resultado foi um verdadeiro qua- financeiro não perdem a oportunidade de repetir ad nauseam que dro de desastre social décadas após as mudanças. Sim, pois os nada será conseguido, em termos de recuperação da atividade e- efeitos só são sentidos a partir do momento em que a próxima ge- conômica, caso não sejam aprovadas as mudanças inspiradas na ração começar a bater às portas do sistema para exigir seus direi- Proposta de Emenda Constitucional (PEC) enviadas ainda no início tos de aposentadoria. E o que ocorreu foi a incapacidade de cum- do governo de Michel Temer. prir com os compromissos, pois os bancos não tinham mais recur- As informações falseadas a respeito das dificuldades enfrentadas sos disponíveis para tanto. O quadro de miséria se aprofundou, os pelo Regime Geral da Previdência Social (RGPS) criaram uma a- bancos acumularam vultosos lucros ao longo do processo e o sistebordagem distorcida da situação das contas do INSS, com o objeti- ma teve de ser novamente reestatizado para assegurar a continuivo de desacreditar o modelo aos olhos do conjunto da sociedade. dade de algum tipo de benefício previdenciário. Esse verdadeiro clima de catastrofismo pretende atuar como ele- Por outro lado, o governo finge desconhecer o verdadeiro rombo mento de chantagem e pressão junto aos integrantes do Congresso que tal mudança vai causar no RGPS. Afinal, se todos os novos Nacional, com o intuito de facilitar a aprovação das maldades con- participantes vão ser obrigados a entrar no sistema individual, ha- tra a previdência pública. verá uma queda ainda mais brutal de arrecadação no RGPS. E es- O ponto essencial a reter é que o quadro atual de descompasso se buraco deverá ser custeado com aportes do Tesouro Nacional. entre receitas e despesas no interior do RGPS quase nada tem a Assim, cai por terra o argumento de que a mudança é necessária ver com algum “desequilíbrio estrutural” do modelo previdenciário. para resolver o problema nas contas públicas. E muito menos a ver com a existência de aposentadorias e pen- Na verdade, é uma falácia essa estória de que a Reforma da Previ- sões elevadas ou de privilégios para os ricos. Os números dos pró- dência seja uma condição sine quae non para resolver o déficit das prios documentos oficiais nos informam que por volta de 99% dos contas da União em 2019 ou 2020. O equilíbrio do RGPS só será benefícios dos trabalhadores rurais são de valores inferiores ou i- recuperado com a retomada do crescimento econômico e com a guais a um salário mínimo mensal. No caso do universo total do diminuição expressiva do desemprego. Isso porque nossas receitas INSS, esse percentual é de 70%. E mais de 90% deles são inferio- previdenciárias são ancoradas na folha de pagamento, com o reco- res a 3 salários mínimos. Convenhamos que não se pode dizer que lhimento de contribuição da parte das empresas e dos trabalhado- estejamos diante de aposentadorias e pensões das elites de nossa res. Portanto, sem emprego formal não há receita para o sistema. sociedade. A intenção primeira e não declarada de eventual mudança para o Mas o fato é que a sanha destruidora do ministro Paulo Guedes pa- regime de capitalização é transferir a gestão desse fundo, que mo- rece não ter limites. Não contente em dar sequência à tramitação vimenta quase meio trilhão de reais ao ano, atualmente sob a res- da PEC de autoria de Meirelles & Temer, ele quer ainda mais san- ponsabilidade do INSS, para a banca privada. Uma oferta genero- gue. Assim, ao que tudo indica, não basta apenas a redução de di- sa, de elevadíssima rentabilidade e sem nenhuma exigência de reitos, o aumento de tempo de contribuição, a elevação da idade contrapartida social ou econômica. Um verdadeiro presente de Pa- mínima ou o reconhecimento de especificidades da condição da pai Noel atrasado. Paulo Klias. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 12

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 12 Mortandade de abelhas está ligada a “Os resultados das análises das 38 amostras foram surpreendentes e apresentaram altos índices de frequência de detecção dos agro- agrotóxicos tóxicos fipronil e neonicotinóides”, revelou o pesquisador. Outra constatação é que a carga de agroquímicos suportada pelas abe- A pesquisa realizada no Rio Grande do Sul e mais quatro estados reforça lhas analisadas é alarmante. agrotóxicos nas abelhas têm estimamos”, acrescentou. “As contaminações por resíduos de uma dimensão muito maior do que tese de que os agrotóxi- Para identificar e quantificar os resíduos de agrotóxicos em amos- cos colocaram o Brasil tras de abelhas mortas (extrato líquido dos insetos), os pesquisado- como líder global em ex- res da Universidade utilizaram a cromatografia líquida de alto de- termínio de abelhas sempenho combinada com espectrometria de massa tiplo quadru- Pesquisa realizada pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) com abelhas africanizadas (Apis melífera), reforça a tese de que as abelhas estão morrendo por envenenamento provocado em decorrência do uso dos agrotóxicos na produção agrícola. O estudo revelou uma quantidade muito elevada de pesticidas nas abelhas mortas. Ao todo, a pesquisa detectou, por meio de amos- polo. As análises foram realizadas no Laboratório de Eco-fisiologia Vegetal do Departamento de Ciências Vegetais da Ufersa e no Laboratório EdiLab, em São Paulo. Segundo Dayson, o método utilizado foi o QuEChERS que significa o acrônimo das palavras inglesa: rápido, fácil, barato, eficiente, robusto e seguro. “Confirmar a presença de agrotóxicos nos polinizadores é o melhor bioindicador da saúde do ecossistema. A análise nas abelhas vem comprovar essa contaminação do meio ambiente”, concluiu. tras, 13 tipos de agrotóxicos. A tese defendida por Dayson verificou as concentrações dos agro- O estudo evidencia que a maior parte das denúncias sobre o envenenamento de abelhas por agrotóxicos é real. A pesquisa teve a- tóxicos em namento abelhas africanizadas mortas com suspeita de envene- brangência nacional e contemplou os estados de Mato Grosso do Para o professor Jeferson Dombroski, do Departamento de Ciên- Sul, São Paulo, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Minas cias Vegetais da Ufersa, o trabalho tem a sua importância ao com- Gerais e Santa Catarina. Estudos recentes revelam que o Brasil provar uma informação que já faz parte do imaginário de grande lidera a lista global de perdas de colônias de abelhas. parte da população de que o homem está contaminando o meio A tese “Desaparecimento e morte de abelhas no Brasil, registrado no aplicativo Bee Alert” defendida por Dayson Castilhos, no Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal da Ufersa, objetivou de- ambiente com agrotóxico. “A pesquisa traz o problema para a realidade ao provar cientificamente as denúncias de que colônias de abelhas estão sendo mortas por agrotóxicos”, pontua. terminar as concentrações dos agrotóxicos em abelhas africaniza- O professor acrescenta que esse problema é generalizado no país, das mortas com suspeita de envenenamento. independentemente da região. “Se existe esse descuido, está ha- Das amostras coletadas, 100% apresentaram contaminação por pesticidas. Para a coleta das amostras, 38 no total, o critério utilizado foi à morte maciça de abelhas no interior das colmeias, no chão da entrada dos apiários ou abelhas agonizando perto de uma colmeia. A tese teve a orientação do professor Lionel Gonçalves, um dos maiores pesquisadores de abelhas na América Latina. vendo um problema que temos que pensar com cuidado que é o envenenamento do planeta”, alerta. Ainda segundo Dombroski, os resultados apresentados da pesquisa do Dayson representam uma evidência palpável, analisada em laboratório, do que está acontecendo atualmente com o uso errado e/ou indiscriminado de agrotóxicos culminando na morte das abelhas. “Após a coleta das colmeias, as amostram foram trazidas para o laboratório da Ufersa que dispõe de equipamento espectrometria de massa que quantifica a contaminação nas abelhas”, explicou Dayson Castilhos. Nas amostras, a maior frequência de resíduo de agrotóxico encontrado foi fipronil, com 68,4%. Essa substância é apontada pelos pesquisadores como a principal causa de envenenamento das abelhas. Também foram encontrados resíduos de tiametoxam (42,1%), imidaclopride (28,9%), acetamipride (5,3%), ni- “São resultados científicos que comprovam que o homem está dizimando a biodiversidade”, considerou. Para o professor, o apicultor é o lado fraco dessa história uma vez que, normalmente, é ele que leva as abelhas para polinização das flores. “Se o apicultor perder a colmeia não afeta o fruticultor, nem os grandes produtores de frutas. O prejuízo fica com o apicultor”, afirmou. O professor ressalta que na fruticultura de exportação o controle na aplicação dos agrotóxicos é mais rígido. tenpiram (5,3%) e, tiaclopride (2,6%), dentre outros. Da redação Entre Vales, lamas e mortes vada? Mãe, não sei por quanto tempo a gente vai aguentar. Ontem eu chorei novamente, semana tensa, tantas coisas acontecendo, Mãe é isso, somos descartáveis, nosso suor, tempo, calos nas mãos, orta, casa construída com o dinheirinho escasso, bloco a bloco, financiando 40 anos até depois de morrer pra perder tudo em uma tsunami de lama onde ninguém tem culpa. tantas mortes, tantas renúncias. Tá tudo engasgado mãe, e se a gente falar muito pode desapareHoje precisamos renunciar para cer, vão ligar no nosso telefone, mandar mensagem por internet, e proteger nossa vida, precisamos dizer que vão nos matar! deixar luta, resistir calado, num Pensar diferente virou veredicto de condenação, e o juiz anda por canto amedrontado, não por nós, aí, nas ruas, escondido por detrás das telas, passando pela esqui- mas pelos nossos. na onde podemos nos encontrar, e um joinha do imperador para Mãe, hoje vidas não são nada, o que precisamos é dinheiro, pra baixo, somos ceifados da terra. Então o joinha pra cima dizendo quê vida, pra quê ficar exaltando a natureza? Por que preservá-la? “Dia Feliz” vai aparecer? Será? Temos que enriquecer mãe, sim, deixar o pobres na misérias, e a- Eu tenho medo mãe, minha ansiedade alcança níveis altíssimos ao través de seu trabalho escravo, de sol a sol durante anos, vamos ler os jornais, e a gente vai se perdendo nesse charco imenso que ficar ricos, milionários! E depois abandonamos seus descendentes se tornou a pátria amada, mas estuprada, assassinada, enlamea- em cidades de risco próximas a barragens onde eles vão morrer da, ameaçada de morte, Brasil! soterrados pois a barragem, se rompeu! Ué, mas não tava desati- James Ratiere Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 13

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 13 ALGUMAS DATAS COMEMORATIVAS 21 - Dia Internacional da Língua Materna 02 - Dia de Iemanjá Educação, a Ciência e a Cultura, em 17 de novembro de 1999, o Dia Internacional da Língua Materna tem o objetivo de promover a Iemanjá, também conhecida como "Rainha do Mar" é um orixá diversidade linguística e cultura entre as diferentes nações. africano feminino, e faz parte da religião do candomblé e de outras Além disso, esta data também convida a todos os países membros religiões afro-brasileiras. da UNESCO e suas matrizes a refletirem sobre a preservação das É considerada padroeira dos pescadores, jangadeiros e marinhei- particularidades linguísticas e culturais de cada sociedade. ros. Origem do Dia Internacional da Língua Materna Igualmente, protetora dos lares, das crianças, gestantes e invocada A ideia para proclamar um dia dedicado à língua materna surgiu a na hora do parto e por todos que desejam ser felizes no casamen- partir do Dia do Movimento da Língua, criado em 1952 e celebrado to. desde então em Bangladesh. Iemanjá é também conhecida por r Yemanjá, Iyemanjá, Yema- Um grupo de estudantes organizaram uma campanha para incluir o ya, Yemoja ou Iemoja. O nome Iemanjá é derivado da expressão bengalês como uma das línguas oficiais do Paquistão, em 21 de Iorubá, "yeye ma ajá" que quer dizer "mãe cujos filhos são peixes". fevereiro de 1952. No entanto, acabaram sendo todos assassina- Iemanjá era a orixá de uma nação iorubá, os Egba, que viviam inici- dos por forças policiais, que atearam fogo em seus corpos. almente em um local no sudoeste da Nigéria, entre Ifé e Ibadan, Este movimento em prol da inclusão do bengalês começou quando onde há um rio chamado Yemanjá. Muhammad Ali Jinnah, general paquistanês, declarou que o idioma No século XIX, por causa das guerras entre povos iorubás, os Egba Urdu passaria a valer como língua oficial tanto no Paquistão do O- foram obrigados a se afastar do rio Iemanjá e passaram a viver em este, como no Leste. Abeokuta. No entanto, continuaram cultuando a divindade, que segundo a tradição, passou a viver em um novo rio, o Ògùn. 05 - Ano Novo Chinês 24 - Primeira Constituição Republicana Esta data marca a Constituição de 1891, a primeira do Brasil como uma República. A Primeira Constituição Monárquica do país havia Para a maioria das nações, o Ano Novo é comemorado na virada sido outorgada por D. Pedro I em 1824. do dia 31 de dezembro para o dia 01 de janeiro, segundo o calen- A Constituição de 1891 foi criada a partir da assembleia constituin- dário gregoriano. Já na China, o Ano Novo é comemorado segundo te, a qual foi convocada na Proclamação da República, em 15 de o calendário lunar. Esse período é um dos mais importantes para a novembro de 1889. sociedade chinesa, pois eles fazem uma pausa no trabalho para Entre os principais destaques desta Constituição está a definição festejar com a família. Os primeiros registros sobre a comemoração da escolha da figura do presidente da República através de votos do Ano Novo Chinês têm aproximadamente 2.000 anos. Essa tradi- diretos, sendo que as eleições para este cargo deveriam ocorrer a ção foi sendo moldada através de lendas, histórias e hábitos. O rito cada intervalo de 4 anos. de passagem de ano tem início semanas antes, os chineses costu- A partir desta Constituição o Brasil passou a ser um país oficial- mam limpar seus lares para afastar os maus espíritos. mente "democrático", visto que as principais decisões políticas pas- 13 - Dia Mundial do Rádio saram a estar nas mãos dos cidadãos. No entanto, mesmo o voto passando a ser direto e universal, ainda A data tem o objetivo de conscientizar os grandes grupos radiofôni- existiam muitas segregações entre quem podia participar das elei- cos e as rádios comunitárias da importância do acesso à informa- ções. Por exemplo, mendigos, analfabetos e mulheres não tinham ção, da liberdade de gênero e expressão dentro deste setor da co- direito a votar. municação. Além disso, destaca-se a criação dos poderes Executivo, Legislati- Entre os meios de comunicação tecnológicos que existem na atuali- vo e Judiciário, bem como a separação entre Estado e Igreja. A- dade, o rádio continua a ser o que atinge as maiores audiências, cresce a liberdade de culto para as outras religiões além da católi- continuando a adaptar-se às novas tecnologias e aos novos equi- ca. pamentos. O rádio funciona seja como uma ferramenta de apoio ao A constituição de 1891 foi alterada em 1926. debate e comunicação, na promoção cultural ou em casos de e- 16 - Dia do Repórter mergência social. O Dia Mundial do Rádio é comemorado em 13 de Fevereiro em ho- A data homenageia os profissionais responsáveis por transmitir a- menagem a primeira emissão de um programa da United Nations través dos meios de comunicação fatos e informações de interesse Radio (Rádio das Nações Unidas), em 1946. A transmissão do pro- público. Todo o repórter é jornalista, mas não são todos os jornalis- grama foi em simultâneo para um grupo de seis países. tas obrigatoriamente repórteres. A principal tarefa do repórter é a cobertura de pautas e notícias, Término do Horário de Verão 2018-2019 com investigação profunda dos fatos, entrevistas e produção de um O Horário Brasileiro de Verão 2018-2019 termina em 17 de feve- texto explicativo, imparcial e direto para o leitor ou telespectador. reiro de 2019. A partir das zero horas (00h) do dia 17 de fevereiro A figura do repórter é imprescindível para a produção de conteúdos de 2019, os relógios devem ser atrasados em um hora nos estados apurados e com qualidade profissional. em que o Horário de Verão é válido. 11 - Dia Mundial do Enfermo 20 - Dia Mundial da Justiça Social Esta data, de origem religiosa, tem o objetivo de apelar para a soci- Esta data é de extrema importância para ajudar a fortalecer a luta edade e comunidade mundial por melhores condições de tratamen- contra a pobreza, exclusão, preconceito e desemprego, em busca to e atenção às pessoas doentes, seja nos hospitais, postos de sa- do desenvolvimento social dos países. úde ou mesmo em casa. Alcançar a justiça social significa promover uma convivência pacífi- O Dia Mundial do Enfermo foi criado em 11 de fevereiro de 1992, ca e saudável entre as nações, eliminando barreiras do preconcei- por iniciativa do Papa João Paulo II. Nesta mesma data, comemora to, seja por motivos de raça, etnia, religião, idade ou cultura, por -se o dia de Nossa Senhora de Lourdes, na Igreja Católica. exemplo. Todos os anos, no dia 11 de fevereiro, o Vaticano, sob a represen- Entre as principais ações a serem atingidas com esta iniciativa está tação do Papa, elege um tema que norteará toda a discussão so- a eliminação da pobreza, o bem estar da população e o fim de bre o assunto junto à sociedade, governantes e mídia mundial. qualquer tipo de descriminação dentro da sociedade. Criada pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 14

Fevereiro de 2019 Gazeta Valeparaibana Página 14 O Valor De Ensinar As Crianças A Dizer “Obrigado”, “Por Favor” E “Bom Dia”. necessidades para descobrir a empatia, o sentido de justiça e, obviamente, a reciprocidade. A reciprocidade, um valor social de peso Transmitir às crianças a importância de agradecer, de pedir “por Quando uma criança descobre finalmente o que acontece nos seus favor” ou de dizer “bom dia” ou “boa tarde” vai muito além de um contextos mais próximos quando pede coisas com um ‘por favor‘ e simples gesto de educação. Estamos investindo em emoções, em as conclui com um ‘obrigado’, nada mais será igual. Até o momen- valores sociais, e acima de tudo, em reciprocidade. to, ela o realizava como uma norma social preestabelecida pelos Para criar uma sociedade baseada no respeito mútuo, onde o civis- adultos, uma coisa que lhe trazia incentivos positivos pelo seu bom mo e a consideração façam a diferença, é preciso investir nesses comportamento. pequenos hábitos sociais aos quais às vezes não damos a devida “A educação não muda o mundo, muda as pessoas que irão importância. Porque a convivência se baseia, no fim das contas, na mudar o mundo.” harmonia, nessas interações de qualidade baseadas na tolerância Paulo Freire- onde todas as crianças deveriam ser iniciadas logo cedo. Contudo, cedo ou tarde ela experimentará o autêntico efeito de tra- Sou da geração da gratidão, do por favor e do bom dia, da mesma tar com respeito a um par, e como essa ação se reverte, por sua que não duvida em dizer “sinto muito” quando é necessário. Quali- vez, nela mesma. É uma coisa excepcional, uma conduta que a a- dades, todas estas, que não hesito em transmitir aos meus filhos, companhará para sempre, porque tratar com respeito aos outros é, porque educar com respeito é educar com amor. além disso, respeitar a si mesmo, é agir de acordo com certos valo- Um erro que muitas famílias costumam cometer é iniciar os filhos res e um sentido de convivência baseado em um pilar social e emonestas normas de cortesia quando os pequenos começam a fa- cional de peso: a reciprocidade. lar. Mas é interessante saber que o “cérebro social” de um bebê é Será por volta dos 7 anos de idade que nossos filhos descobrirão extremamente receptivo a qualquer estímulo, ao tom de voz, e plenamente todos estes valores que perfazem a sua inteligência mesmo às expressões faciais de seu pai e sua mãe. social. É nesse instante que começam a dar mais importância à a- Acredite se quiser, podemos educar uma criança nos seus valores mizade, a saber o que implica essa responsabilidade afetiva, a en- desde muito cedo. Suas aptidões são inesperadas e precisamos tender e desfrutar da colaboração, atendendo necessidades alhei- aproveitar essa grande sensibilidade em matéria emocional. as e interesses diferentes dos próprios. Agradecer, uma arma de poder no cérebro das crianças É, sem dúvida, uma idade maravilhosa onde todo adulto precisa ter Os neurocientistas nos lembram que o sistema neurológico de uma criança está programado geneticamente para se “conectar” com os outros. É uma coisa mágica e intensa. Mesmo as atividades mais rotineiras, como alimentá-los, dar banho ou vesti-los, se transfor- em mente um aspecto fundamental: precisamos continuar sendo o melhor exemplo para nossos filhos. Agora, a pergunta mágica é a seguinte… De que forma vamos envolvendo nossos filhos desde cedo nessas normas de convivência, de respeito e de cortesia? mam em informações cerebrais que configuram de um jeito ou de Sugerimos algumas simples estratégias para que você tenha em outro a resposta emocional que essa criança terá no futuro. mente, algumas orientações básicas para apontar às crianças em cada situação: O desenho dos nossos cérebros, por assim dizer, nos faz sentir im- placavelmente atraídos por outros cérebros, pelas interações de Você chegou ou entrou em algum lugar? Cumprimente, diga bom todos aqueles que estão ao nosso redor. Portanto, uma criança dia ou boa tarde. que é tratada com respeito e que desde cedo se acostumou a ouvir Você vai embora? Diga adeus. a palavra “obrigado” rapidamente entenderá que está diante de um Recebeu um favor? Alguém lhe deu alguma coisa? Agradeça. estímulo positivo poderoso e que, sem dúvida, irá desvendando Alguém falou com você? Responda. pouco a pouco. Alguém está falando com você? Ouça. É muito provável que uma criança de 3 anos a quem seu pai e sua Você tem alguma coisa? Compartilhe. mãe ensinaram a dizer obrigado, por favor ou bom dia, não compreenda muito bem ainda o valor da reciprocidade e do respeito Você não tem? Não inveje. que essas palavras impregnam. Mas tudo isso cria uma base apro- Você tem alguma coisa que não é sua? Devolva-a. priada e maravilhosa para que depois as raízes cresçam fortes e Você quer que façam alguma coisa por você? Peça por favor. profundas. No fim das contas, a idade mágica compreendida entre os 2 e 7 a- Você se enganou? Peça desculpas. nos é a que Piaget denominava como “estádio de inteligência intui- São regras simples que, sem sombra de dúvida, serão de grande tiva”. É aqui onde os pequenos, apesar de estarem sujeitos ao ajuda no dia a dia de qualquer família. mundo dos adultos, irão despertando progressivamente o sentido do respeito, intuindo esse universo que vai mais além das próprias revistapazes.com O papel dos pais na educação dos filhos colar deles, mas também seu desenvolvimento pessoal e soci- al.Quando a criança percebe que seus pais estão em uma aliança Fevereiro chegou e trouxe consigo a retomada das atividades em com a escola, ela se sente muito mais protegida, conforme afirma grande parte das escolas brasileiras. É tempo de recomeço e de com propriedade a professora Heloisa Zymanski, da PUC-SP. criação de novos laços entre alunos, professores, diretores e equi- pe pedagógica. E, junto com toda a comunidade escolar, há tam- Há muitas formas práticas de acompanhar o cotidiano escolar dos bém o papel fundamental dos pais, que devem motivar seus filhos filhos, como visitar a escola sempre que possível, conversar com para esse reinício, mostrando-lhes como a escola poderá ser um os professores e comparecer às reuniões. Em casa, é importante grande elemento transformador em suas vidas. conversar com os filhos sobre o que mais gostam nas aulas, enten- der suas dificuldades, saber como anda a relação deles com os Hoje, diversas pesquisas já mostram que escolas em que há parti- professores e colegas, checar se estão fazendo as lições de casa. cipação ativa dos pais tendem a propiciar melhor desempenho es- Além disso, é também importante oferecer um lugar com tranquili- colar dos alunos e a reduzir os níveis de indisciplina e de violência. dade e luminosidade para que possam se concentrar enquanto es- Como pai e educador, diria aos pais que não deixem de participar tiverem fazendo as lições de casa e, sempre que possível, criar o- da vida escolar de seus filhos. É preciso ter a educação como um portunidades de ampliar o repertório cultural e esportivo deles. valor familiar. Demonstrar interesse e acompanhar a vida escolar dos filhos pode contribuir não só para melhorar o desempenho es- Da redação Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 15

Fevereiro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 15 O misterioso destino de cada um vivi. Estou aqui oficialmente velho com 80 anos. Há aí algum destino? Só o Supremo o sabe. Cada um de nós tem a idade do universo que é de 13,7 bilhões de Passei por vários riscos que poderiam ter custado minha vida: um anos. Todos estávamos virtualmente juntos naquele pontozinho, avião DC-10 em chamas rumo a Nova York; um acidente de carro menor que a cabeça de um alfinete, mas repleto de energia e de contra um cavalo morto na pista que me quebrou todo; um enorme materia. Ocorreu a grande explosão e gerou as enormes estrelas prego que caiu na minha frente, quando estudava em Munique e vermelhas dentro das quais se formaram todos os elementos físico- poderia ter-me matado se tivesse caido sobre a minha cabeça; Nos químicos que compõem todos os seres do universo e também o Alpes, a queda num vale profundo coberto de neve e camponeses nosso. Somos filhos e filhas das estrelas e do pó cósmico. Somos bávaros, me vendo com o hábito escuro, me afundado cada vez também a porção da Terra viva que chegou a sentir, a pensar, a mais, me retiraram com uma corda. E outros. amar e a venerar. Por nós a Terra e o universo sentem que formam Norberto Bobbio me concedeu o doutor honoris causa em política um grande Todo. E nós podemos desenvolver a consciência desse pela Universidade de Turim. Entendeu que a teologia da libertação pertencimento. dera uma contribuição importante ao afirmar a força histórica dos Qual é o nosso lugar dentro desse Todo? Mais imediatamente, den- pobres. É insuficiente o assistencialismo clássico ou a mera solidatro do processo de evolução? Dentro da Mãe Terra? Dentro da his- riedade mantendo os pobres sempre dependentes. Eles podem ser tória humana? Não nos é dado saber ainda. Talvez será a grande sujeitos de sua libertação, quando conscientizados e organizados. revelação quando fizermos a passagem alquímica deste para o ou- Superamos o para os pobres, insistimos no caminhar com os potro lado da vida. Ai, espero, tudo fica claro e nos surpreenderemos bres, sendo eles os protagonistas e quem puder e tiver esse carisporque todos somos umbilicalmente inter-relacionados, formando a ma, viver como os pobres como tantos fizeram, como Dom Pedro imensa cadeia dos seres e a teia da vida. Cairemos, assim creio, Casaldáliga. nos braços de Deus-Pai–e-Mãe de infinita misericórdia para quem Lembro-me que comecei meu discurso de agradecimento ao título, precisa dela por causa de suas maldades e um abraço amoroso concedido por essa notável figura que é Norberto Bobbio: “venho eterno para os que se orientaram pelo bem e pelo amor. Depois de da pedra lascada, do fundo da história, quando mal e mal tínhamos passarem pela clínica de Deus-misericórdia, os outros também vi- meios para a sobrevivência. Meus avós italianos e minha família, rão. desbravaram uma região desabitada e coberta de pinheirais, Con- Eu de criança de poucos meses estava condenado a morrer. Conta córdia nos confins de Santa Catarina. Eles tiveram que lutar para minha mãe e as tias sempre o repetiam, que eu tinha “o macaqui- sobreviver. Muitos morreram por falta de médicos. Depois fui subin- nho”, expressão popular para anemia profunda. Tudo que ingeria, do na escala da evolução: os 11 irmãos estudaram, fizeram a uni- vomitava. Todos diziam em dialeto vêneto: ”poareto, va morir”: versidade, eu pude me formar na Alemanha. Agora estou aqui nes- “pobrezinho, vai morrer”. sa famosa universidade”. Minha mãe, desesperada e escondida de meu pai que não acredi- A pedido de Bobbio, fiz um resumo dos propósitos da Teologia da tava em benzimentos, foi à benzedeira, à velha Campanhola. Ela Libertação que tem como eixo central, a opção pelos pobres contra fez as suas rezas e lhe disse: “dê um banho com essas ervas; de- a pobreza e a favor da justiça social. Dei muitos cursos por esse pois de fazer o pão no forno, espere até ficar morno e coloque seu mundo afora, escrevi bastante, enxuguei lágrimas e mantive forte filhinho lá dentro”. Foi o que fez minha mãe Regina. Sobre a pá de esperança de militantes que se frustravam com os rumos de nosso retirar o pão cozido, me colocou lá dentro. Deixou-me, aí por um país. bom tempo. Qual é o meu destino? Não sei. Tomei como lema que era do meu Eis que ocorreu uma transformação. Ao me retirar do forno, come- pai que o vivia:”quem não vive para servir, não serve para viver”. A cei a chorar, diziam, e a procurar logo o seio para sugar o leite ma- Deus a última palavra. terno. Depois, minha mãe, mastigava em sua boca as comidinhas mais fortes e me dava. Comecei a comer e a me fortalecer. Sobre- Leonardo Boff . Feriados nacionais para 2019 1º de janeiro (terça-feira): Ano Novo. 5 de março (terça): Carnaval — a segunda-feira, 4 de março, é ponto facultativo, bem como a quarta-feira de Cinzas (ponto facultativo até as 14h). 19 de abril: Sexta-feira Santa. 21 de abril (Domingo): Páscoa e Tiradentes. 1º de maio (quarta-feira): Dia Mundial do Trabalho. 7 de setembro (sábado): Independência do Brasil. 12 de outubro (sábado): Nossa Senhora Aparecida. 2 de novembro (sábado): Finados. 15 de novembro (sexta-feira): Proclamação da República. 25 de dezembro (quarta-feira): Natal é dia 25. Ponto facultativo 4 de março: segunda-feira de Carnaval é ponto facultativo. 6 de março: quarta-feira de Cinzas é ponto facultativo até as 14h. 20 de junho (quinta-feira): Corpus Christi, embora seja feriado em várias cidades brasileiras. 28 de outubro (segunda-feira): Dia do Servidor Público. 20 de novembro (quarta-feira): Dia da Consciência Negra, feriado em ao menos 1.045 municípios do Brasil. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

Comments

no comments yet