Gazeta Valeparaibana

 

Embed or link this publication

Description

Novembro de 2018

Popular Pages


p. 1

Ano XI - Edição 132 - Novembro 2018 Distribuição Gratuita Cadê a flor? É preciso humanizar nossa Saúde Ainda que caminhe por décadas, séculos, verás presente o ontem Na história da Medicina Ocidental dissecou- neste corpo que insiste - só Deus dimensiona como - em ser, ain- se o corpo humano e o estudou por partes, tal da, um enorme ontem mesmo na presença do hoje. Ainda que bra- como uma máquina. As doenças ou desequilíbrios que o afetam dem outros tempos, alguém tem guardado numa caixa no peito o foram tratadas observando-se os sintomas e medicando-os. jeito truculento e feroz de falar e ser. Leia mais > Página 5 Leia mais > Página 4 “Trumpismo” x “Bolsonarismo” Língua Portuguesa “Última flor do Lácio, inculta e bela, És, a um tempo, esplendor e sepultura: Ouro nativo, que na ganga impura A bruta mina entre os cascalhos vela Amo-se assim, desconhecida e obscura Tuba de algo clangor, lira singela, Que tens o trom e o silvo da procela, E o arrolo da saudade e da ternura! Amo o teu viço agreste e o teu aroma De virgens selvas e de oceano largo! Amo-te, ó rude e doloroso idioma, Em que da voz materna ouvi: "meu filho!", E em que Camões chorou, no exílio amargo, O gênio sem ventura e o amor sem brilho!” (Olavo Bilac) ses que têm a Língua Portuguesa como idioma oficial, compondo, assim, a- O que mais preocupa são certas semelhanças que não parecem mera coincidência. Comunidade dos Países de Língua Por- Mas o problema é a petezada. tuguesa. A Língua Portuguesa também é Nos dois casos, políticos de extrema-direita um dos idiomas oficiais da Guiné Equatori- têm explorado, de maneira oportuna, para al e da região administrativa especi- fins eleitorais, as expectativas frustradas de al chinesa de Macau. milhões de pessoas em situações crescentes Este foi escolhido em homenagem ao ani- de vulnerabilidade social e econômica. Nos versário de nascimento de Ruy Barbosa, EUA, o “sonho americano” está cada vez membro fundador da Academia Brasileira mais distante para a maioria da população, de Letras e importante intelectual da sua num contexto de efeitos perversos de um ca- época, além de um grande estudioso do pitalismo cada vez mais globalizado associa- nosso idioma. A data comemorativa foi ins- dos a políticas neoliberais promovidas tanto tituída no Brasil através da Lei nº 11.310, por governos democratas como republicanos. de 12 de junho de 2006, quando o presi- dente Luís Inácio Lula da Silva sancionou o Leia mais > Página 6 projeto de lei do Senado n. 149/04, de auto- Com a Lei nº 11.310, de 12 de junho de ria do Senador Papaléo Paes, do Amapá. 2006, o presidente Luiz Inácio Lula da Propriedade coletiva de um povo e a maior O deputado eleito com fake Silva sancionou o projeto de lei do das construções humanas, a língua é a ex- news que abriu caminho para o Senado n. 149/04, de autoria do Senador pressão da identidade e da cultura de um Papaléo Paes (AP) que institui o dia 5 de povo; em nosso caso, o português foi trazinovembro como Dia Nacional da Língua do para o Brasil durante a colonização e nazismo Portuguesa no Brasil. aqui se misturou com as palavras dos diale- tos indígenas e, principalmente, africanos; O sétimo idioma mais falado no mundo por esta razão, alguns estudiosos da Líncom, aproximadamente, 178 milhões falan- gua Portuguesa, no Brasil, defendem a ideido Português. Angola, Brasil, Cabo Verde, a de que nós, brasileiros, falamos uma esGuiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São pécie de Português Africano. Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os paí- Por: Filipe de Sousa CULTURAonline BRASIL - Boa música Brasileira - Cultura - Educação - Cidadania - Palestras O Direito a Alimentação O direito humano à alimentação está entre os direitos sociais no "Art. 6º da Constituição Federal - São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma da constituição. Leia mais > Página 8 Hermann Ahlwardt era um diretor de escola alemão de origem simples. Em 1889, desesperado com as dívidas que só aumentavam, cometeu um crime que parecia feito sob encomenda para chocar: afanou o dinheiro do cofrinho reservado para a festa de Natal das crianças da escola. Não deu certo, ele foi descoberto e demitido. Leia mais > Página 7 Baixe o aplicativo no site www.culturaonlinebr.org RADUAN NASSAR SE LEVANTA CONTRA O FASCISMO BOLSONARISTA O escritor Raduan Nassar, um dos maiores escritores brasileiros da atualidade, em entrevista ao jornal português Público, avaliou com incredulidade a situação política do Brasil, que vive uma ascensão do fascismo na candidatura de Jair Bolsonaro; ele acredita que a vitória de Bolsonaro irá trazer "perseguição" a quem pensa de forma diferente, mas não pretende desviar-se do seu ativismo; "Vou continuar com as minhas posições. Dê no que der" Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 2

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 2 Desde algum tempo, especialmente depois do golpe de 2016, que nos deparamos com as diversas manifestações que se espalham pelas capitais e cidades do país. Todas elas demonstram a insatisfação dos brasileiros com a política, economia e os problemas sociais no geral. O que mais ouvimos no café, no supermercado, nas paragens de ônibus ou mesmo no trânsito são frases do tipo: “Aonde vamos parar”, “Isso é culpa do PT”, “Estamos afundando” “O preço das coisas aumentam e nosso salário nunca”. Essa frases proferidas pelos mais diversos tipos de brasileiros nos indicam que a insatisfação e a crise econômica cresce cada vez mais no país, e os que tem possibilidades (mínima parcela) estão deixando o Brasil para terem vidas melhores longe da nação verde e amarelo e acreditem muitos escolhem Portugal, um País atualmente administrado por um regime socialista. Mas será que essa é a solução? Vale ressaltar que muitos dos que deixam o país têm conhecimentos superficiais sobre a política e a economia e, na maioria das vezes, são os mais preconceituosos com os nortistas e nordestinos. Sabemos que a chave para a solução dos problemas instaurados no país, de ordem social, política e econômica tem somente uma alternativa: o investimento em políticas públicas voltadas para o desenvolvimento educativo no país, sobretudo da implementação de disciplinas que abordem as questões sobre diversidade, pluralidade e gênero, além de termos uma educação que faça do individuo uma criatura pensante. Mas isso é somente a ponta do iceberg. Ou seja, a solução não é deixar o país, mas lutar para a melhoria do nosso Brasil, que se deparou com o iceberg e quer mudar o curso. A frase “salve-se quem puder” deve ser mudada para “salvemos o nosso país todos juntos”. Por: Filipe de Sousa ALGUMAS DATAS COMEMORATIVAS 04 - Início do Horário de Verão 05 - Dia Nacional da Língua Portuguesa 07 - Dia do Radialista 12 - Dia do Diretor de Escola 14 - Dia do Bandeirante 14 - Dia Nacional da Alfabetização 15 - Proclamação da República 16 - Dia Internacional da Tolerância 17 - Dia da Criatividade 17 - Dia Internacional dos Estudantes 19 - Dia da Bandeira 19 - Dia Internacional do Homem 20 - Dia Nacional da Consciência Negra 25 - Dia do Doador Voluntário de Sangue 28 - Dia do Soldado Desconhecido 19 - Dia Internacional do Homem nho do seu dia para doar sangue, também serve para informar e conscientizar a população sobre a importância de ser um doador de O Dia Internacional do Homem é celebrado em vários países sangue. no dia 19 de novembro, data conhecida por International Men's Doar sangue é um ato de solidariedade humana, que ajuda a sal- Day. var milhares de vidas todos os dias, através das transfusões de O Dia do Homem começou a ser comemorado em 1999, em Trini- sangue. Atualmente no Brasil, são doadas cerca de 3,6 milhões de dad e Tobago, pelo Dr. Jerome Teelucksingh, que com o apoio da bolsas de sangue por ano, segundo dados do Pró-Sangue. Organização das Nações Unidas (ONU), criou a data com o intuito No Dia Nacional do Doador de Sangue, os Bancos de Sangue de de conscientizar as pessoas sobre os cuidados da saúde e igualda- todo o país realizam atividades lúdicas e mutirões de coleta em es- de de gênero masculino. colas, hospitais, shoppings, praças e demais espaços de acesso Durante todo o mês de novembro é celebrado a nível internacional público. o chamado "Novembro Azul" ou "Movember" (uma combinação de Origem do Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue “Moustache”, que significa “bigode”, e “November” que quer dizer O Dia do Doador Voluntário de Sangue foi estabelecido através “novembro”), uma iniciativa que também busca reforçar a consciên- do Decreto de Lei nº 53.988, de 30 de junho de 1964, assinado pe- cia da preservação da saúde do indivíduo do sexo masculino. lo presidente Castello Branco, definindo o dia 25 de novembro - da- ta do aniversário da fundação da Associação Brasileira de Doado- 20 - Dia Nacional da Consciência Negra res Voluntários de Sangue - como a data oficial do doador de san- O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novem- gue no Brasil. bro em todo o país. Os doadores também podem celebrar o digno ato de doar sangue A data homenageia Zumbi, um africanos que nasceu livre, mas foi no dia 14 de junho, o Dia Mundial do Doador de Sangue. escravizado aos seis anos de idade. 28 - Dia do Soldado Desconhecido Mais tarde ele voltaria para sua terra natal e seria líder do Quilom- bo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695. O Dia do Soldado Desconhecido é celebrado no dia 28 de Novem- O objetivo do Dia da Consciência Negra é fazer uma reflexão sobre bro. a importância do povo e da cultura africana no Brasil. Também ser- Esta data tem como propósito de honrar a memória dos solda- ve para analisarmos o impacto que tiveram no desenvolvimento da dos que perderam as suas vidas lutando pelas suas pátrias mas identidade cultural brasileira. cujos corpos não foram identificados. Na ocorrência de uma guerra, A música, a política, a religião e a gastronomia entre várias outras é comum que alguns soldados que morrem em combate não sejam áreas foram profundamente influenciadas pela cultura negra. Este é transportados para a sua terra natal para que seja organizado um um dia de comemorar e valorizar a cultura afro-brasileira. funeral. Desta forma, muitos países prestam homenagem a estes heróis 25 - Dia do Doador Voluntário de Sangue anônimos através da construção de monumentos, que são muitas O Dia do Doador Voluntário de Sangue é comemorado anual- vezes conhecidos como "Túmulo do Soldado Desconhecido". Mui- mente em 25 de novembro no Brasil. tos desses monumentos são simbólicos, porém alguns guardam os A data, além de homenagear as pessoas que reservam um tempi- restos mortais de alguns desses soldados. Fonte: Callendar. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 3

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 3 Qual o nosso limite? DO LAMENTÁVEL episódio em que cinco rapazes de classe média, moradores da Barra da Tijuca, roubaram e espancaram brutalmente uma empregada doméstica, vale destacar a atitude do pai de um deles, que correu imediatamente em defesa do filhinho de 19 anos. Alegou que aqueles rapagões, sarados e violentos, eram "crianças que estudam" e por isso não deviam ficar presos, uma vez que, na prisão, seriam misturados com bandidos. Deve-se concluir que, embora sendo capazes de roubar e espancar mulheres, rapazes que moram em condomínio da Barra da Tijuca não são bandidos, já que bandido é quem mora em favela. Isso ajuda a entender o filho que ele tem. Se não é justo atribuir essa atitude a todos os pais de classe média, é impossível não ver nela o sinal de uma visão que se generalizou e que, de certo modo, explica o grau de impunidade que caracteriza a sociedade brasileira. Na frase daquele "paizão", está implícita a noção de que o respeito às normas sociais é coisa secundária e mesmo condenável, porque, no fundo, encobre o ranço repressivo que herdamos do passado e a vontade de vingança contra os criminosos. Isso é uma coisa que estou cansado de ouvir da boca de advogados e até de ministros da Justiça, muitos deles herdeiros da lição rebelde dos anos 60-70: "É proibido proibir", "Não acredito em ninguém que tenha mais de 30 anos". Tudo isso era muito divertido, mas a verdade é que contribuiu para minar o princípio de que a sociedade necessita de normas, já que, sem elas, mergulharíamos no arbítrio, na violência e no caos. Ainda não chegamos lá, nem chegaremos, porque a maioria das pessoas sabe, sem ter lido os juristas, que o respeito às normas é condição básica do convívio social. A Justiça não nasce no fundo do quintal, ela foi inventada pelo homem que necessita dela como do ar que respira. Mas isso não impede que, como no caso do Brasil, o respeito à Justiça e a aplicação das leis sejam vistos como expressão de intolerância e repressão. Isso se percebe a cada momento e às vezes na boca daqueles que deveriam defender a aplicação rigorosa do princípio de justiça. Não consigo me esquecer das declarações do então ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos defendendo o abrandamento da punição dos crimes hediondos, sob a alegação de que seu agravamento não fizera diminuir esse tipo de crime. Ao ler tais declarações de um jurista, pensei comigo: se esse argumento é válido, então deveríamos revogar o Código Penal, já que sua vigência não impede que se pratiquem crimes no país. Como se sabe, o condenado por crime hediondo, que até então não usufruía do direito de cumprir apenas um sexto da pena, agora usufrui, graças a uma decisão do Supremo Tribunal Federal. Ou seja, bandidos queimam vivas dezenove pessoas dentro de um ônibus, são condenados a 400 anos mas, como a pena máxima no Brasil é de 30 anos, poderão estar soltos depois de cumprir apenas cinco anos, isto é, um sexto da pena. Noutras palavras: em muitos casos, a pena máxima, no Brasil, é de cinco anos. Parece brincadeira. E isso tudo é decidido apoiado em argumentos de difícil compreensão para nós, leigos, que não gozamos da sapiência jurídica. O fraseado estrambótico escapa à nossa compreensão, enquanto sua conclusão nos deixa indignados. Dá a impressão de que o aparelho jurídico que montamos e que nos custa tão caro existe para dificultar a aplicação da Justiça e beneficiar os criminosos. Certamente não é assim, já que a maioria dos juízes defende a vigência da Justiça. Não obstante, na prática, prevalece a impunidade. A garantia da impunidade conta com todo um aparato, que vai desde a falta de escrúpulos do advogado de defesa -cuja função parece ser impedir que se faça justiça- até as minudências jurídicas que, na hora H, anulam o processo. - Mas por quê, meritíssimo? - Ele pôs vírgula entre o sujeito e o verbo! Dura lex sed lex. Isso sem falar naquele juiz que adulterou o parecer do colega para permitir que se libertasse um dos maiores traficantes internacionais. Condenado a 20 anos por tráfico de drogas e respondendo a processos por evasão de divisas, contrabando, falsificação e apropriação indébita, foi solto por ter, segundo o referido juiz, bons antecedentes. Bons? Pois eu diria ótimos antecedentes, levando-se em conta a noção de ética que vai tomando conta do país. Autor: Ferreira Gullar Colaboraram nesta edição IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não corresponderem à opinião deste Jornal. Genha Auga Mariene Hildebrando Loryel Rocha João Paulo E. Barros Filipe de Sousa Guigo Ribeiro Rod Oliveir Martonio Mont’Alverne Lenio Luiz Streck Clarissa Tonini Martin Cristina Moreno de Castro Evânia E. Reich Felipe van Deursen Ferreira Gullar Guilherme Ribeiro de Santana Luciana Ferro Boaventura de Sousa Santos PRECISA-SE de voluntário para revisar textos A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web Diretor, Editor e Jornalista responsável Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 4

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 4 Cadê a flor? be, mas nós não estamos bem. E é neste período que não estamos bem que surgem pessoas oportunistas para nos lembrar que não Ainda que caminhe por décadas, séculos, verás presente o estamos bem e apontar um culpado. Dessa forma, nossa fragilida- ontem neste corpo que insiste - só Deus dimensiona como - em de nos abre para alguma solução. Entendo a necessidade de Mes- ser, ainda, um enorme ontem mesmo na presença do hoje. Ainda sias, mas ele não. Ele não é. Ele bebe da fonte do ódio. Ele come a que bradem outros tempos, alguém tem guardado numa caixa no carne da tragédia e se banha nas águas do descaso. Ele propaga peito o jeito truculento e feroz de falar e ser. Ainda que as cores to- seu desprezo e dorme em paz. Quando quem quer algo pra seu mem as ruas e muros, a predominância do vermelho se fará pre- povo expõe uma criança, a ensina a arma como saída? Como sente no chão, no pedaço de pau ou na bala que rasga o peito e a quem se dispõe ao posto máximo da nação não consegue elabo- alma. Talvez as flores foram uma miragem em meio ao cinza do rar, falar sobre o que pretende fazer? Como se sente tranquilo em mundo que chuta as cores para alguma caixa de lápis de cor es- dizer todas as barbaridades que diz? Como dizem claramente que condida numa mochila infantil. Vai ver que o mundo fez na explo- as minorias devem se curvar e conquistam apreço? Estamos tão são um ser errante de passado e futuro igual. Confuso quanto ao atordoados assim? Como é aceito (e aplaudido) que seus compar- que se entende como progresso. Confuso quanto ao que se aplica sas (covardes) rasguem a placa com o nome de Marielle? Como o como novas formas. Confuso quanto ao que se põe como intenção. silêncio sobre isso ainda é predominante? Cadê as respostas? Co- Confuso? mo é aceito que rasguem as regras, que desconsiderem o suor de Os fatos nos ensinam algo? Quando se detêm à imagem de quem lutou?Que façam o que bem entendem? Como? um tempo em que barbas jogavam seus braços para o alto e lá É tempo de decisão! De escolha por trilhar caminhos de es- mantinham em sinal de ser superior, o sangue lavava o chão como colhas, de mudanças e liberdade. Ou a opção de se permitir ser limpeza. Essa é a tal da purificação? Os fatos nos ensinam algo? agarrado pelas mãos do horror. É tempo de entender que as mu- Quando nos apresentam pequenos correndo em choro e a guerra danças são sim pra bem. É tempo de plantar. De aproveitar que a que queimava. Quando a lágrima alivia não só um peito que grita, terra convida ao melhor e plantar. Pegar suas sementes boas, as mas também a pele do rosto que arde. Quando se caça gente co- que darão frutos, as que darão sombra e colocar na terra melhor mo bicho na mata e rasga a carne da gente como se pra matar fo- preparada. De cuidar de toda semente como se cuida de uma cri- me, como se pra exterminar homem e alma. ança. De dedicar o tempo para essa semente como se dedica ao As fotos nos ensinam algo? Quando é mostrado em porões pequeno ou pequena. Que entre na terra mais vidas e não corpos. ratos colocando homens e mulheres para falar enquanto caminham Que jardins sejam mais frequentes do que cemitérios. Que cada sorrindo por métodos pra fazer falar. Quando há um homem pessoa de cada casa e canto faça seu próprio jardim. Um jardim “enforcado” numa janela. Quando um homem é enforcado numa regado pelo amor, um jardim que exala a vida. Que os homens que janela. Quando bombas explodem países. Quando o afeto é decidi- entendem o mundo como um campo de negócio passem logo. Pra do na moral, nas palavras de um Cristo que não é o Cristo que fala longe e rápido! Rápido! Peguem seu ódio e voltem para o canto es- e falou do amor. Quando o livro sagrado pune, joga para o inferno curo em que estavam antes. Que sumam. Sumam porque as mino- e não estende a mão para caminhos plenos. Quando se mostra rias não vão se curvar como nunca se curvaram! Sumam porque o que sempre, e desde sempre, a arma nunca trouxe silêncio e cal- país não precisa de pessoas quem pensem em metralhar, e sim, de ma. Só estourou e pólvora. Só tiro, tiro e tiro. O som te agrada? pessoas que pensem e se dediquem a cuidar, construir, abrir possi- Os livros se fazem claros? Essas linhas que te contam tan- bilidades. Sumam porque o povo não quer mentiras! O povo não tas coisas de um dia em que homens falavam grosso pela ordem e concorda com alguém que se presta aos esforços de espalhar notí- usaram das próprias mãos para a dor na justificativa de ordem. Ordem? Ordem pra quem? Ordem não é o bem? Os livros contam. cias falsas e vergonhosas. Que o país não precisa de alguém que fale o absurdo, que “não estupra uma mulher porque ela não mere- Contam que, por poder e pra poder, usam de tudo que puderem. A ce”. Porque o país não precisa de alguém que apresenta uma frus- força bruta quer mandar e a pele rasgada tem que obedecer. Assim tração pela quantidade de mortes abaixo do que queria e faria na é a lógica que usam. Sabia? ditadura. O país não precisa de um candidato que tem um vice cujo diz que um lar sem pai é fábrica de desajustados. Desajustada é Me fala um pouco dessa escuridão que está. Preciso enten- sua intenção pelo país. Desajustada é a maneira que olha o mun- der. Preciso saber o que te faz aplaudir a arma em punho, sabe? do. Aqui não! Ele não! Ele nunca! Porque de tudo que quer, não se Quantas e quais esperanças suas caíram pelos cantos de uma rua faz presente o futuro. De tudo que quer e pretende plantar, tudo se vazia. Quero saber o porquê que tanto é dito no momento em que resume à violência. De tudo que quer plantar, me diz, cadê a flor? você insiste em tapar os ouvidos. Quero te contar o que li, vi e vejo de pessoas que usam dessa mesma estratégia. Não sei se perce- Autor: Guilherme Ribeiro de Santana 14 - Dia do Bandeirante O Dia do Bandeirante é comemorado anualmente em 14 de Novembro, no Brasil. em busca de ouro e pedras preciosas. Foram responsáveis pela expansão do território nacional, mas ao mesmo tempo, um dos principais inimigos dos indígenas da época. Os bandeirantes caçavam os índios e negros e escravizavam-os durante as expedições. Foram um dos grandes protagonistas do sistema escravocrata no período do Brasil Colonial. As expedições organizadas por grupos particulares (senhores do engenho, fazendeiros, comerciantes) eram chamadas de Bandeiras, já os grupos de desbravadores enviados pelo governo recebiam o nome de Entradas. Origem do Dia do Bandeirante O Dia do Bandeirante é celebrado em 14 de Novembro, no entanto não há um registro que oficialize a data ou que explique o motivo para a sua escolha. Mas, as comemorações acontecem em todo o país, principalmente A data homenageia os personagens responsáveis por desbravar e nas escolas. Os alunos realizam atividades que lembram a impor- ajudar a conquistar e proteger grande parte do território brasileiro tância que estes personagens tiveram para a construção da história durante o período da colonização portuguesa: os bandeirantes. do Brasil. Bandeirantes eram chamados os exploradores que saiam do litoral em direção ao interior do Brasil, uma região até então inexplorada, Fonte: Callendar Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 5

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 5 É preciso humanizar nossa Saúde Aromaterapia – Prática terapêutica que tração e/ou foco, induz a pessoa a alcançar junto de métodos e recursos naturais no utiliza as propriedades dos óleos essenci- um estado de consciência aumentado que cuidado e na atenção à saúde. ais, concentrados voláteis extraídos de ve- permita alterar uma ampla gama de condi- Osteopatia – Prática terapêutica que adota getais, para recuperar o equilíbrio e a har- ções ou comportamentos indesejados, co- uma abordagem integral no cuidado em monia do organismo visando à promoção mo medos, fobias, insônia, depressão, an- saúde e utiliza várias técnicas manuais para da saúde física e mental, ao bem-estar e à gústia, estresse, dores crônicas. Pode favo- auxiliar no tratamento de doenças, entre higiene. recer o autoconhecimento e, em combina- elas a da manipulação do sistema musculo- Arteterapia – Prática expressiva artística, ção com outras formas de terapia, auxilia na esquelético, do stretching, dos tratamentos visual, que atua como elemento terapêutico condução de uma série de problemas. para a disfunção da articulação temporo- na análise do consciente e do inconsciente Homeopatia- Envolve tratamentos com ba- mandibular (ATM), e da mobilidade para Foto: Maurício dos Santos e busca interligar os universos interno e se em sintomas específicos de cada indiví- vísceras. externo do indivíduo, por meio da sua sim- duo e utiliza substâncias altamente diluídas Ozonioterapia – Prática que utiliza a apli- Na história da Medicina Ocidental dissecou- bologia, favorecendo a saúde física e men- que buscam desencadear o sistema de cura cação de uma mistura dos gases oxigênio e se o corpo humano e o estudou por partes, tal. natural do corpo ozônio, por diversas vias de administração, tal como uma máquina. As doenças ou desequilíbrios que o afetam foram tratadas observando-se os sintomas e medicandoos. Ayurveda – De origem indiana, é considerado uma das mais antigas abordagens de cuidado do mundo e significa Ciência ou Conhecimento da Vida. Os tratamentos Imposição de mãos – Prática terapêutica secular que implica um esforço meditativo para a transferência de energia vital (Qi, prana) por meio das mãos com intuito de com finalidade terapêutica, e promove melhoria de diversas doenças. Plantas medicinais – fitoterapia – É um tratamento terapêutico caracterizado pelo uso Mas, de acordo com estudos cada vez mais ayurvédicos consideram a singularidade de reestabelecer o equilíbrio do campo energé- de plantas medicinais em suas diferentes frequentes, levando em consideração cada pessoa, e utilizam técnicas de relaxa- tico humano, auxiliando no processo saúde- formas farmacêuticas, sem a utilização de a visão holística e quântica, temos que mento, massagens, plantas medicinais, doença. substâncias ativas isoladas, ainda que de levar em conta os sentimentos, pensamen- minerais, posturas corporais (ásanas), pra- Medicina antroposófica/antroposofia origem vegetal. tos e as emoções que influenciam a saúde e o corpo mesmo sem poder ser vistos. nayamas (técnicas respiratórias), mudras (posições e exercícios) e cuidados dietéti- aplicada à saúde – Abordagem terapêutica que integra as teorias e práticas da medici- Quiropraxia – Prática que atua no diagnóstico, tratamento e prevenção das disfunções Este novo paradigma holístico é aceito pela cos. na moderna com conceitos específicos an- mecânicas do sistema neuromusculoesque- OMS (Organização Mundial da Saúde), que Biodança – Prática expressiva corporal que troposóficos. Fundamenta-se em um enten- lético e seus efeitos na função normal do recomenda o Reiki e outras práticas ener- promove vivências integradoras por meio da dimento espiritual-científico do ser humano sistema nervoso e na saúde geral. géticas como complementares à medicina tradicional. Cada uma delas atua em diferentes campos unindo forças para melhorar as condições de vida dos seres humanos. Essas terapias não substituem a medicina convencional e vice-versa. A OMS reconhece que 85% das doenças conhecidas poderiam ser tratadas sem o uso de medicamentos alopáticos, principalmente com a mudança de hábitos, de posturas e de atitudes. No Brasil, desde 2006, o Ministério da Saú- música, do canto, da dança e de atividades em grupo, visando restabelecer o equilíbrio afetivo e a renovação orgânica, necessários ao desenvolvimento humano. Bioenergética – Visão diagnóstica que, aliada a uma compreensão etiológica do sofrimento/adoecimento, adota a psicoterapia corporal e os exercícios terapêuticos em grupos, por exemplo, os movimentos sincronizados com a respiração. Trabalha o conteúdo emocional por meio da verbalização, da educação corporal e da respiração, utili- que considera bem-estar e doença como eventos ligados ao corpo, mente e espírito do indivíduo, realizando abordagem holística com foco em fatores que sustentam a saúde por meio de reforço da fisiologia do paciente e da individualidade, ao invés de apenas tratar os fatores que causam a doença. Medicina Tradicional Chinesa – acupuntura – A MTC é uma abordagem terapêutica milenar que utiliza como procedimentos terapêuticos, acupuntura, ventosaterapia, Reflexoterapia – Prática terapêutica que utiliza estímulos em áreas reflexas – pés, mãos e orelhas – para auxiliar na eliminação de toxinas, na sedação da dor e no relaxamento. Reiki – Prática terapêutica que utiliza a imposição das mãos para canalização da energia vital visando promover o equilíbrio energético, necessário ao bem-estar físico e mental. Shantala – Prática terapêutica que consis- de vem implantando no Sistema Único de zando exercícios direcionados a liberar as moxabustão, plantas medicinais, práticas te na manipulação (massagem) para Saúde (SUS) o atendimento gratuito em tensões do corpo e facilitar a expressão dos corporais e mentais, dietoterapia chinesa. A bebês e crianças pelos pais, composta Terapias Complementares e Integrativas. sentimentos. acupuntura é uma tecnologia de interven- por uma série de movimentos que favo- Ao todo, já são 29 práticas (confira logo Constelação familiar – Método psicotera- ção em saúde que faz parte dos recursos recem o vínculo entre estes e proporcio- abaixo), focadas na prevenção, cuidando do pêutico de abordagem sistêmica, energética terapêuticos da medicina tradicional chinesa nam uma série de benefícios decorren- paciente para que este faça mudanças sau- e fenomenológica, que busca reconhecer a (MTC) e estimula pontos espalhados por tes do alongamento dos membros e da dáveis em seu estilo de vida e também atu- origem dos problemas e/ou alterações trazi- todo o corpo, ao longo dos meridianos, por ativação da circulação. ando junto a formas tradicionais de tratamento, complementando o processo de cura, de modo mais natural. Por seus baixos custos de implementação e toda a gama de tratamentos naturais, estas técnicas trazem ganhos amplos à população, aos profissionais de saúde e ao governo. O Reiki entrou em 2018 nesta lista como terapia complementar. É uma técnica japonesa baseada na canalização de energias curativas, através da imposição de mãos, do sopro, do toque sutil e do olhar. O Reiki das pelo usuário, bem como o que está encoberto nas relações familiares para, por meio do conhecimento das forças que atuam no inconsciente familiar e das leis do relacionamento humano, encontrar a ordem, o pertencimento e o equilíbrio, criando condições para que a pessoa reoriente o seu movimento em direção à cura e ao crescimento. Cromoterapia – Prática terapêutica que utiliza as cores do espectro solar para restaurar o equilíbrio físico e energético do corpo. meio da inserção de finas agulhas, visando à promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como a prevenção de agravos e doenças. A auriculoterapia é uma técnica terapêutica que promove a regulação psíquico-orgânica do indivíduo por meio de estímulos nos pontos energéticos localizados na orelha por meio de agulhas, esferas de aço, ouro, prata, plástico, ou sementes de mostarda, previamente preparadas para esse fim. Meditação – Prática mental individual milenar, que consiste em treinar a focalização da atenção de modo não analítico ou discri- Terapia Comunitária Integrativa – Prática terapêutica coletiva que atua em espaço aberto e envolve os membros da comunidade numa atividade de construção de redes sociais solidárias para promoção da vida e mobilização dos recursos e competências dos indivíduos, famílias e comunidades. Terapia de florais – Prática terapêutica que utiliza essências derivadas de flores para atuar nos estados mentais e emocionais. transforma-se num instrumento de autoco- Dança circular – Prática expressiva corpo- minativo, a diminuição do pensamento repe- Termalismo social/crenoterapia – nhecimento, autocura e equilíbrio, resgatan- ral, ancestral e profunda, geralmente reali- titivo e a reorientação cognitiva, promoven- Prática terapêutica que consiste no uso do a essência, acalmando a mente e as emoções. Tem por objetivo restabelecer o equilíbrio energético vital de quem o recebe, restaurando o estado de equilíbrio natural (emocional, físico e espiritual). Atua na complementaridade de outras formas convencionais de tratamento, ajudando a eliminar doenças e promover saúde integral. zada em grupos, que utiliza a dança de roda – tradicional e contemporânea –, o canto e o ritmo para favorecer a aprendizagem e a interconexão harmoniosa e promover a integração humana, o auxílio mútuo e a igualdade visando o bem-estar físico, mental, emocional e social. Geoterapia – Terapêutica natural que consiste na utilização de argila, barro e lamas do alterações favoráveis no humor e melhora no desempenho cognitivo, além de proporcionar maior integração entre mente, corpo e mundo exterior Musicoterapia – Prática conduzida em grupo ou de forma individualizada, que utiliza a música e/ou seus elementos num processo facilitador e promotor da comunicação, da relação, da aprendizagem, da mobi- da água com propriedades físicas, térmicas, radioativas e outras como agente em tratamentos de saúde. Yoga – Prática corporal e mental de origem oriental utilizada como técnica para controlar corpo e mente, associada à meditação. Trabalha os aspectos físico, mental, emocional, energético e es- Confira abaixo as lista de terapias e verifi- medicinais, assim como pedras e cristais lização, da expressão, da organização, en- piritual do praticante com vistas à unifi- que na sua cidade quais já são oferecidas (frutos da terra), com objetivo de amenizar e tre outros objetivos terapêuticos relevantes, cação do ser humano em si e por si pelo SUS*: cuidar de desequilíbrios físicos e emocio- no sentido de atender necessidades físicas, mesmo. Apiterapia – Prática terapêutica que consiste em usar produtos derivados de abelhas – como apitoxinas, mel, pólen, geleia nais por meio dos diferentes tipos de energia e propriedades químicas desses elementos. emocionais, mentais, espirituais, sociais e cognitivas do indivíduo ou do grupo. Naturopatia – Prática terapêutica que adota *As descrições foram retiradas site do Ministério da Saúde. do real, própolis – para promoção da saúde e Hipnoterapia – Conjunto de técnicas que, visão ampliada e multidimensional do pro- fins terapêuticos. por meio de intenso relaxamento, concen- cesso vida-saúde-doença e utiliza um con- Autora: Luciana Ferro Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 6

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 6 O naufrágio de um belo sonho vam na faculdade e porque as empregadas estavam nas filas de aeroportos com as patroas. E nem a imprensa criticar severamente o PT, também. Não foram só O militante petista típico é apaixonado pelo PT, vê o seu Partido como se fosse isso. Não há unanimidade de opiniões por parte da população brasileira, mas há uma “linda namorada” sem defeitos, só presta atenção nos seus aspectos agradá- uma tendência conservadora quanto a costumes e crenças profundas. Muita gen- veis. O militante petista dá de si pelo seu Partido, principalmente aquele militante te tem o entendimento de que criminosos devem ser severamente punidos e trata- que dedicou anos de sua vida pelos ideais petistas, acaba não querendo acreditar dos sem misericórdia, que a norma das relações sexuais é a norma heterossexu- que tenha algo de errado com o PT, principalmente com a hipótese do Lula ser al, que se baseia em suas convicções religiosas e espirituais, não admite e não culpado. E há poucos que não são desse grupo conseguem compreender a rela- introjeta leis que afrontem o que elas entendem como moralmente correto por se ção sentimental do petista com o PT e o Lula. E é claro que esse tipo de senti- tratar de crenças profundas. E qualquer político que vier a criar leis divergentes mento existe em outros partidos também. Um Partido fundado por um grupo de dos costumes e crenças dessa gente, essa gente não vai admitir tais leis e vai se pessoas corajosas em São Paulo. Uma consequência da aproximação de vários rebelar contra tal político e apoiar outro com quem se identifica. O que explica a sindicatos na região do ABC paulista cuja finalidade é lutar para que os trabalha- alta popularidade de um homem que diz coisas aterrorizantes que assustam a dores empregados assalariados viessem a ter dias melhores, o PT está tendo um qualquer pessoa civilizada e realmente democrática, mas que parece ser o anseio fim melancólico. É evidente na sociedade o sentimento de cansaço em relação da maioria. Mas por que uma pessoa tão rude, tão truculenta tem tanta populari- ao Partido dos Trabalhadores. dade? Porque o voto infelizmente é passional. O eleitor vota se baseando em sen- Na política há necessidade de empatia com o eleitorado e, de não deixar transpa- timentos, e não na razão, e vota no candidato com quem ele se identifica. Para recer perturbação ou comoção, principalmente quando o Partido tem muitos desa- muitos brasileiros, segurança pública contra criminalidade, a defesa da família fetos. O Lula teve a oportunidade de ser o maior líder político da história do conti- tradicional e sociedade de modelo patriarcal com valores judaico-cristãos têm prinente americano, e ao lado de Mandela, um dos dois maiores líderes do hemisfé- mazia sobre pautas sociais defendidas pela Esquerda política e, sobre direitos rio sul da Terra. O Lula podia ter sido o primeiro brasileiro a ganhar um prêmio humanos. Há mudanças que a maioria ainda não aceita. O verdadeiro desafio Nobel. O Lula teve os ventos da economia a seu favor. Houve um grande cresci- para a Esquerda no Brasil é convencer a população a concordar com as mudanmento econômico devido à valorização das commodities, a crise econômica muito ças que a Esquerda política deseja. Para conseguir ser eleito em 2002, o Lula forte nos países desenvolvidos, e o Lula conseguiu reduzir a desigualdade social, teve que publicar uma carta aos brasileiros com a finalidade de acalmar o mercaconseguiu ajudar a melhorar a vida dos menos favorecidos, e preservou a sua do financeiro. O Brasil já provou que não é um país para principiantes. É uma sopopularidade. Mesmo em política externa, Lula conseguiu fazer do Brasil um im- ciedade muito difícil de se transformar. E para complicar mais ainda, tem um sisteportante ator geopolítico e a ele mesmo ser tido como um estadista. Tudo indicava ma político-eleitoral-partidário plenamente desfavorável para quem quer mudar o que o PT finalmente iria cumprir o seu desígnio existencial, que é reduzir a desi- Brasil para melhor. gualdade social e trazer dias muito melhores aos empregados. Talvez seja exagero afirmar que o PT está morrendo. Talvez só esteja diminuindo Contudo, membros do partido cometeram um erro terrível e desastroso, cujas con- de tamanho. Mas o sonho petista já naufragou! O PT tomou uma posição, defensequências políticas ainda impactam para o Partido. Permitiram que o nome do deu aquilo que acreditava ser o certo e não ficou em cima do muro. Mas muito dos PT fosse associado a escândalos de corrupção. E o Lula escolheu para sucedê-lo ideais do PT e da Esquerda não são os ideais da maioria dos brasileiros, e o PT uma pessoa que não tem perfil político. Uma pessoa que não soube dialogar e também pisou em falso e torceu o tornozelo. nem teve habilidade o suficiente na presidência. Mas não foi só o nome do PT estar relacionado à corrupção que deu motivação para aquelas patroas que fica- Autor: João Paulo E. Barros ram raivosamente revoltadas e indignadas porque os filhos das empregadas esta- “Trumpismo” e do “Bolsonarismo” O que mais preocupa são certas semelhanças que não parecem mera coincidência. Mas o problema é a petezada. ra militar no Brasil. Um pilar das estratégias do trumpismo e do bolsonarismo é o incentivo ao medo, à raiva e ao ódio, com apologia à violência e a escolha de indivíduos e grupos minoritários para transformá-los em inimigos, que passam a ser culpados por todo Nos dois casos, políticos de extrema-direita têm explorado, de maneira oportuna, mal que aflige a sociedade. Para o trumpismo, os alvos prediletos têm sido, entre para fins eleitorais, as expectativas frustradas de milhões de pessoas em situa- outros, populações de novos imigrantes — caracterizando mexicanos como ções crescentes de vulnerabilidade social e econômica. Nos EUA, o “sonho ameri- “estupradores” e mulçumanos como “terroristas” —, negros e, claro, adversários cano” está cada vez mais distante para a maioria da população, num contexto de democratas, especialmente lideranças como Hillary Clinton e Barack Obama. efeitos perversos de um capitalismo cada vez mais globalizado associados a polí- Para o bolsonarismo, a extensa lista de inimigos da nação inclui, além de petistas ticas neoliberais promovidas tanto por governos democratas como republicanos. e “comunistas”, os povos indígenas, quilombolas, movimentos LGBT, ambientalisApesar de importantes avanços do governo de Barack Obama, a campanha de tas, movimentos sociais como o MST, defensores dos direitos humanos, instituiHillary sofreu com a herança de políticas neoliberais como o Nafta, lançado no ções como Ibama, ICMBio, “ativistas” em geral e por aí vai. Tanto no trumpismo governo do marido, que acirraram desigualdades sociais e econômicas. Para pio- como no bolsonarismo destacam-se também comportamentos sexistas, propaganrar a situação, quando candidata à presidência, a ex-senadora, deu relativamente do desrespeito e violência contra mulheres. pouca atenção ao eleitorado de estados como Michigan, antigo polo da indústria Outra semelhança marcante entre os dois é o antagonismo dirigido a veículos da automobilística que tem sofrido com o agravamento do desemprego e os baixos grande imprensa que assumem posturas independentes (CNN , The New York salários provocados pela desindustrialização. (As ligações dos Clinton com Wall Times , Folha de S.Paulo etc.). Acusações raivosas de fake news aparecem quan- Street tampouco ajudaram a combater a pecha de elite política do establishment do notícias veiculadas revelam verdades inconvenientes, contrariando seus intede Washington). Nessas condições, abriu-se espaço para que um bilionário popu- resses político-eleitorais. Enquanto isso, informações distorcidas e falsas, apelan- lista de direita se caracterizasse como campeão entre os trabalhadores do para o medo, o preconceito e a raiva contra adversários, são disseminadas em “esquecidos” pelo partido democrata. massa via mídias sociais. No Brasil, a grave crise econômica e os megaescândalos de corrupção envolven- No Brasil, já começaram a aparecer atos graves de violência praticados por corre- do partidos tradicionais como o DEM, PP, MDB, PSDB e PT revelados pela Ope- ligionários de Bolsonaro, como a morte do mestre capoeira Moa do Katendê, asração Lava Jato geraram nos eleitores, inclusive nos mais pobres, uma revolta sassinado a facadas por um partidário do capitão reformado. Enquanto isso, sur- generalizada contra a classe política, o que prejudicou não apenas a candidatura gem ameaças à imprensa brasileira, como no caso da Folha de S. Paulo após a de Fernando Haddad, mas também de outros políticos com perfil de centro- publicação de matéria sobre a contratação milionária, por empresários ligados ao esquerda que no passado tiveram vínculos com o PT, como Ciro Gomes e Marina bolsonarismo, de serviços para a divulgação em massa, via aplicativo WhatsApp, Silva. Assim como nos Estados Unidos, uma candidatura da extrema-direita no de notícias falsas sobre a candidatura de Haddad — o que resultou num pedido Brasil soube explorar espaços abertos pelo crescimento de desigualdades e erros de proteção policial para seus jornalistas. cometidos por partidos tradicionais da social-democracia. Outra semelhança entre os dois é flerte com de igrejas evangélicas conservadoras Uma tática comum entre o trumpismo e o bolsonarismo é a pregação da nostalgia com discursos moralistas sobre temas como a proibição do aborto e do casamen- de um passado idealizado que o “candidato-herói” promete trazer milagrosamente to gay. Ambos acenam com vantagens econômicas para as igrejas e seus líderes de volta. A campanha de Trump adotou como lema “Make America great again”, (quase sempre homens brancos). desconsiderando alguns detalhes da história norte-americana, como o genocídio de povos indígenas, a escravidão e os longos períodos de discriminação contra Mas o problema mesmo é o PT né não? mulheres, negros e imigrantes. Por sua vez, o “mito” Bolsonaro revela uma nostalgia dos anos de chumbo, inclusive das práticas de tortura que marcaram a ditadu- Por: Filipe de Sousa Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 7

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 7 O deputado eleito com fake news em Berlim, cidade que, em 1873, sofreu feio nômicas pelas quais os camponeses passa- que abriu caminho para o nazismo com uma crise econômica mundial, provoca- vam foram causadas por uma queda mundi- da pela falência dos investimentos nas ferro- al dos preços de produtos agrícolas, mas ele vias americanas. Muitas pequenas empre- jogou a culpa toda nos judeus, e a lorota pe- sas foram atingidas e fecharam as portas gou. Era muito mais fácil “explicar” um pro- em Berlim, e pregadores começaram a es- blema complexo concentrando a culpa em palhar o boato de que a culpa era de finan- um grupo específico de pessoas do que em cistas judeus. conceitos etéreos, intelectualizados e con- traintuitivos (o que não mudou muito de lá Ao longo da década de 1880, diversos líde- para cá, convenhamos). Se o grupo aponta- res antissemitas saíram do armário. Era o do fosse uma minoria religiosa distante, que caso de Adolf Stöcker, que fundou o Partido habita os grandes centros financeiros e havi- Social Cristão (nada a ver com a contempo- a séculos já era alvo de preconceito, mais Hermann Ahlwardt era um diretor de escola alemão de origem simples. Em 1889, desesperado com as dívidas que só aumentavam, cometeu um crime que parecia feito sob en- rânea União Democrata-Cristã, de Angela Merkel), legenda de plataforma explicitamente contra os judeus, e de Ernst Henrici, que tinha um discurso tão virulento que seus seguidores provocaram um incêndio em u- fácil ainda. Um antissemitismo embalado especialmente para aqueles que se sentiam desamparados pelo governo e se viam como a alma da cultura germânica. comenda para chocar: afanou o dinheiro do ma sinagoga na Pomerânia. A plataforma racista e mentirosa garantiu o cofrinho reservado para a festa de Natal das assento a Hermann no Parlamento e, de crianças da escola. Não deu certo, ele foi Com essa laia Hermann começou a se en- quebra, a imunidade parlamentar (que ainda descoberto e demitido. volver. Ele publicou um livro que dizia que o existe na Alemanha). A ele se juntaram ou- Hermann não parou por aí. Buscou alguém para culpar por tudo de ruim que acontecera a ele e aos seus. Sobrou para os judeus. No fim do século 19 e começo do 20, a comunidade judaica do Império Alemão era uma minoria que se misturava cada vez mais à população, graças à eliminação de leis que suprimiam seus direitos. O casamento civil havia sido introduzido e o número de matri- banqueiro judeu Gerson von Bleichröder comprara o governo alemão. A publicação continha uma série de documentos que comprovariam o envolvimento ilícito. Comprovariam, caso os documentos não tivessem a veracidade de um “É verdade esse bilete”. O próprio Hermann escreveu as supostas provas, foi desmascarado mais uma vez e acabou condenado a quatro meses de prisão. tros congressistas outsiders que se pautavam pelo antissemitismo. Na década de 1890, essa bancada chacoalhou a estrutura dos partidos tradicionais. A hegemonia do Partido Conservador nas zonas rurais estava ameaçada, e a legenda acabou por aprovar o combate “à influência judaica amplamente desagregadora e importuna em nossa vida popular”. mônios entre judeus e cristãos aumentava Após a virada do século, os desentendimen- ano a ano. Uma grande mudança após sé- Caricatura de Hermann Ahlwardt, em 1892. tos entre os deputados independentes antis- culos de isolamento. “De minoria religiosa O texto escrito no instrumento é uma refe- semitas e a reação dos partidos tradicionais em ostracismo, a comunidade judaica lenta- rência aos motins Hep-Hep, em que houve acabaram por jogá-los de escanteio no jogo mente transformava-se em um dentre muitos ataques a judeus em muitas cidades, em político. As legendas nanicas desaparece- grupos étnicos de uma sociedade cada vez 1819. ram, mas sua pauta não. O Partido de Cen- mais multicultural, ao lado de minorias como Caricatura de Hermann Ahlwardt, em 1892. tro, uma das mais influentes agremiações poloneses, dinamarqueses, alsacianos, so- O texto escrito no instrumento é uma refe- políticas do império, se engajou em uma re- rábios e outras”, escreveu o historiador britâ- rência aos motins Hep-Hep, em que houve tórica antissemita parecida. Conforme os ju- nico Richard J. Evans em A Chegada do ataques a judeus em muitas cidades, em deus se misturavam mais à sociedade, o an- Terceiro Reich, primeira parte de sua trilogia 1819. (Reprodução/Domínio Público) tissemitismo ganhou nova forma. O precon- sobre o nazismo. “Entretanto, diferente da ceito religioso estava fora de moda e dava maioria dos outros grupos, em geral a comu- Ao sair do xadrez, ele armou mais uma. Cri- lugar ao racial. Não é que os judeus, “que nidade judaica era bem-sucedida economi- ou um arsenal de informações falsas e sen- deixaram Jesus morrer”, tinham que ser to- camente”. sacionalistas que dizia que um fabricante de talmente assimilados pela cultura alemã. A- Judeus estavam no lado mais progressista armas judeu forneceu ao governo rifles deliberadamente danificados, o que ajudaria u- gora eles deveriam ser exterminados. da economia, da sociedade e da cultura, o ma conspiração franco-judaica a derrubar as Hermann seguiu uma vida turbulenta. Brigou que os tornou um alvo fácil para apontado- Forças Armadas alemãs. Mais uma vez, com colegas antissemitas, foi viver nos Esta- res de dedos. Pessoas inescrupulosas como Hermann foi desmascarado e condenado. dos Unidos, voltou para combater a maçona- Hermann se aproveitavam da situação e de- Agora, a cinco meses. Mas ele nunca cum- ria. Os constantes problemas financeiros o dicavam seu discurso àqueles mais fragiliza- priu a pena. levavam a tramoias e mais tramoias até que dos pelos novos tempos, desempregados ou ele morreu em um acidente de trânsito em pessoas em situação econômica frágil. Eram Em vez disso, virou deputado e ganhou imu- 1914. Um racista patético que ajudou a levar pessoas que desejavam o retorno a um mo- nidade. a semente do mal para o centro do poder na do de vida mais regrado, seguro, ordenado e hierarquizado – “como imaginavam ter e- Ao longo do processo, Hermann fez discur- Alemanha. O resultado todos conhecemos. Veio das urnas, em 1933, com a ascensão xistido no passado”, frisa Evans. A comunidade judaica representava o oposto disso. sos em um distrito rural de Brandemburgo, bastante marcado pela crise. Acabou eleito de outra legenda Partido Nazista. até então inexpressiva: o Ela simbolizava a modernidade cultural e para o Reischstag graças a uma campanha social, o que ficava ainda mais em evidência baseada em mentiras. As dificuldades eco- Autor: Felipe van Deursen RADUAN NASSAR SE LEVANTA CONTRA O FASCISMO BOLSONARISTA O escritor Raduan Nassar, um dos maiores escritores brasileiros da atualidade, em entrevista ao jornal português Público, avaliou com incredulidade a situação política do Brasil, que vive uma ascensão do fascismo na candidatura de Jair Bolsonaro; ele acredita que a vitória de Bolsonaro irá trazer "perseguição" a quem pensa de forma diferente, mas não pretende desviar-se do seu ativismo; "Vou continuar com as minhas posições. Dê no que der" Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 8

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 8 O Direito a Alimentação aumento do número de desempregados, e, consequentemente is- so afeta o investimento em programas sociais, o que pode nos fa- O direito humano à alimentação está entre os direitos sociais no zer voltar a fazer parte do mapa da fome da ONU( Organização das "Art. 6º da Constituição Federal - São direitos sociais a educação, Nações Unidas) do qual conseguimos sair em 2013, onde menos a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a seguran- de 5% da população sofria com a fome. Infelizmente a grave crise ça, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a que atravessamos fez esse número aumentar de maneira conside- assistência aos desamparados, na forma da constituição. rável, e a miséria dificulta o acesso ao alimento, junto com outros O direito à alimentação também está no artigo 25 da Declaração fatores. Aumenta a pobreza, consequentemente outros problemas Universal dos Direitos Humanos e se encontra em vários outros do- surgem em razão disso, como vários tipos de doenças, desnutrição, cumentos internacionais. distúrbios e doenças causados pela falta de vitaminas, aumento da O direito a alimentação deve ser garantido a todas as pessoas, e mortalidade infantil, baixo desempenho escolar e outros. O proble- para que isso seja possível é necessário que elas tenham como se ma não é que não haja alimentos suficientes, são vários os motivos sustentar por seus próprios meios. Ao Estado cabe garantir e pro- pelos quais algumas pessoas não conseguem ter acesso ao ali- mover os meios para que isso aconteça, através de políticas públi- mento, um deles é a má distribuição dos recursos básicos para que cas que sejam direcionadas principalmente para a população mais as pessoas consigam ter acesso aos alimentos, à infraestrutura in- carente. No direito a alimentação está incluído o direito de acesso a suficiente dificulta o contato com os centros urbanos. Outro proble- água, sendo que o direito a alimentação deve estar adequado ao ma é a enorme desigualdade social, que faz com que algumas pes- contexto de cada pessoa. Ter direito a uma alimentação digna, não soas não tenham uma renda que lhes permita comprar alimentos. passar fome é um direito do ser humano essencial à dignidade hu- A Fome no Brasil e no mundo é uma realidade, são milhões de pes- mana, ao desenvolvimento e à sobrevivência da pessoa. Passar soas no mundo que se encontram na faixa dos subnutridos. O pro- fome é uma violação dos Direitos Humanos. Esses interesses cha- blema aqui não é apenas a saúde, mas a desigualdade que faz mados de difusos ou coletivos são de todos, e são protegidos pelo com que esse problema seja de difícil solução. È necessário apli- direito. car mais em políticas públicas para evitar o avanço desse mal. Pro- Junto com o direito à alimentação estão garantidos outros direitos gramas sociais, inclusão, geração de empregos, metas viáveis atra- importantes, por isso dizemos que ele é pluridimensional, como o vés de um esforço conjunto, em que a prioridade seja a dignidade direito à vida, a moradia, etc. É um direito indispensável que ratifica da pessoa humana. outros direitos fundamentais, como a dignidade humana, a liberda- Combater à fome, a miséria, promover o acesso aos alimentos de de, a igualdade, sendo o direito à vida imprescindível para que pos- maneira mais igualitária é questão prioritária que envolve a ética, o samos usufruir de todos os demais direitos. Cabe ao Estado promo- exercício da cidadania, a saúde pública. O Estado democrático de ver a consumação desses direitos básicos e a nós, cidadãos cobrar Direito deve salvaguardar e garantir a todo ser humano igualdade do Estado o seu cumprimento. de condições e uma existência digna. A pobreza e a fome são uma realidade brasileira e mundial. Mais Uma sociedade mais igualitária em todos os sentidos, e que se prede 13 milhões de brasileiros estão em situação de vulnerabilidade ocupa com o outro, que preza a igualdade como um direito precioso em relação à fome. As classes mais atingidas são as populações do qual não podemos prescindir, é o caminho para a concretização que vivem na periferia das grandes cidades, mulheres, negros e do sonho de um Estado verdadeiramente democrático. pardos,e a população nordestina, estão entre os mais necessitados de alimentos. Esse número se origina de várias causas, entre elas, Autora: Mariene Hildebrando a grave crise econômica que o país atravessa nos últimos anos, o e-mail: marihfreitas@hotmail.com A fábula do menino de 10 anos que aprendeu a andar nhas? de bicicleta Foi até o carro, buscou umas ferramentas, tirou as rodinhas e co- Luiz está com 2 anos e meçou a ensinar o filho a andar de bike também, a exemplo do Lu10 meses. Há uns seis iz, 7 anos mais novo. meses, começou a ir Não precisou de muito tempo: logo o garoto tinha aprendido. para a pracinha com o A história acima é real, foi relatada pelo meu marido. Mas é das pai, pela manhã, levan- histórias reais que podemos tirar as melhores reflexões. Qual é a do uma bicicleta de e- "moral da história"? Pensei de imediato em três: quilíbrio que ganhou no aniversário de 2 anos. As pessoas podem até não ter nascido com um dom ou talento esA bicicleta de equilíbrio pecial, mas tudo é aprendido com a prática e a persistência. é sem pedal e dizem Se ninguém ensinar algo ao seu filho, vai ser bem mais difícil de ele os entendidos que as aprender sozinho. crianças que aprendem a andar com ela pegam o jeito rapidinho, Nunca é tarde demais para se aprender algo novo, por mais difícil passando direto para a bike tradicional, sem precisar usar rodinhas. que pareça. Nas primeiras duas vezes que o Luiz andou, foi quase arrastando. Não é nem que ele caía, simplesmente saía pouco do lugar. É como se estivesse tentando caminhar com uma bicicleta no meio. E isso vale para tudo. Ensine seu filho, desde cedo, a interpretar textos corretamente. Isso será fundamental para ele na vida toda. Ensine seu filho, desde cedo, a ter empatia. Ensine seu filho, desde Na terceira vez, já estava desenvolvendo mais, colocando menos o cedo, a respeitar quem é diferente dele. Ensine seu filho, desde ce- pé no chão. do, que a violência não é a melhor resposta nunca. Ensine seu fi- E assim foi: a cada ida à pracinha, a evolução era maior. Começou lho, desde cedo, que mulheres têm os mesmos direitos que os hoa descer morrinhos, ganhando mais agilidade e autoconfiança. Ho- mens. je, ele anda pra lá e pra cá, na maior felicidade. Se você não ensinar, ele pode até aprender de outras formas, mas No começo desta semana, num desses passeios, um pai que esta- sempre haverá pessoas tentando ensinar o contrário também. Lemva com seu filho de 10 anos observou o Luiz e ficou impressionado: bre-se disso. como um garotinho de menos de 3 anos estava andando tão bem Autora: Cristina Moreno de Castro de bicicleta e o filho dele, de 10 anos, ainda estava usando rodi- Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 9

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 9 As democracias também morrem democraticamente O vírus plutocrata de mentiras a que dificilmente sobreviverá a de- O modo como o dinheiro tem vindo a descarac- mocracia brasileira. terizar os processos eleitorais e as deliberações Este efeito destrutivo é potenciado por outro ins- democráticas é alarmante. Ao ponto de se dever trumento: o algoritmo. Este termo, de origem questionar se, em muitas situações, as eleições árabe, designa o cálculo matemático que permi- são livres e limpas e se os decisores políticos te definir prioridades e tomar decisões rápidas a são movidos por convicções ou pelo dinheiro partir de grandes séries da dados (big data) e de que recebem. A democracia liberal assenta na variáveis tendo em vista certos resultados (o su- ideia de que os cidadãos têm condições de ace- cesso numa empresa ou numa eleição). Apesar der a uma opinião pública informada e, com ba- da sua aparência neutra e objetiva, o algoritmo se nela, eleger livremente os governantes e ava- contem opiniões subjetivas (o que é ter êxito? liar o seu desempenho. Para que isso seja mini- Como se define o melhor candidato?) que per- mamente possível, é necessário que o mercado manecem ocultas nos cálculos. Quando as em- das ideias políticas (ou seja, dos valores que presas são intimadas a revelar os critérios, de- Habituamo-nos a pensar que os regimes políti- não têm preço, porque são convicções) esteja fendem-se com o segredo empresarial. No cam- cos se dividem em dois grandes tipos: democra- totalmente separado do mercado dos bens eco- po político, o algoritmo permite retroalimentar e cia e ditadura. Depois da queda do Muro de Ber- nômicos ( ou seja, dos valores que têm preço e ampliar a divulgação de um tema que está em lim em 1989, a democracia (liberal) passou a ser nessa base se compram e vendem). alta nas redes e que, por isso, o algoritmo consi- quase consensualmente considerada como o Em tempos recentes, estes dois mercados têm- dera ser relevante porque popular. Acontece único regime político legítimo. Pese embora a se vindo a fundir sob a égide do mercado econô- que o que está em alta pode ser produto de uma diversidade interna de cada um, são dois tipos mico, a tal ponto que hoje, em política, tudo se gigantesca manipulação informacional levada a antagônicos, não podem coexistir na mesma compra e tudo se vende. A corrupção tornou-se cabo por redes de robôs e de perfis automatiza- sociedade, e a opção por um ou outro envolve endêmica. O financiamento das campanhas elei- dos que difundem a milhões de pessoas notícias sempre luta política que implica a ruptura com a torais de partidos ou de candidatos, os grupos falsas e comentários a favor ou contra um candi- legalidade existente. de pressão (ou lobbies) junto dos parlamentos e dato tornando o tema artificialmente popular e Ao longo do século passado foi-se consolidando a ideia de que as democracias só colapsavam governos têm hoje em muitos decisivo na vida política. Em países um poder 2010, o Tribunal assim ganhar algoritmo. ainda mais destaque por via do por via da interrupção brusca e quase sempre Supremo dos EUA, na decisão Citizens United Este não tem condições para distinguir o verda- violenta da legalidade constitucional, através de v. Federeal Election Commission, desferiu um deiro do falso e o efeito é tanto mais destrutivo golpes de Estado dirigidos por militares ou civis golpe faltal na democracia norte-americana ao quanto mais vulnerável for a população à menti- com objetivo de impor a ditadura. Esta narrativa, permitir o financiamento irrestrito e privado das ra. Foi assim que em 17 países se manipularam era em grande medida, verdadeira. Não o é eleições e decisões políticas por parte de gran- recentemente as preferências eleitorais, entre mais. Continuam a ser possíveis rupturas violen- des empresas e de super-ricos. Desenvolveu-se eles os EUA (a favor de Trump) e agora, no Bra- tas e golpes de Estado, mas é cada vez mais assim o chamado “Dark Money”, que não é ou- sil (a favor de Bolsonaro) numa proporção que evidente que os perigos que a democracia hoje tra coisa senão corrupção legalizada. É esse pode ser fatal para a democracia. Sobreviverá a corre são outros, e decorrem paradoxalmente do mesmo “dark money” que explica no Brasil uma opinião pública a este tóxico informacional? Terá normal funcionamento das instituições democrá- composição do Congresso dominada pelas ban- a informação verdadeira alguma chance de re- ticas. cadas da bala, da bíblia e do boi, uma caricatura sistir a esta avalanche de falsidades? cruel da sociedade brasileira. As forças políticas antidemocráticas vão-se infil- Tenho defendido que em situações de inunda- trando dentro do regime democrático, vão-no As fake news e os algoritmos ção o que faz mais falta é a água potável. Com capturando, descaracterizando-o, de maneira A internet e as redes sociais que ela tornou pos- a preocupação paralela a respeito da extensão mais ou menos disfarçada e gradual, dentro da sível foram durante algum tempo vistas como da manipulação informática das nossas opinilegalidade e sem alterações constitucionais, até possibilitando uma expansão sem precedentes ões, gostos e decisões, a cientista de computaque em dado momento o regime político vigente, da participação cidadã na democracia. Hoje, à ção Cathy O’Neil designa os big data e os algosem ter formalmente deixado de ser uma demo- luz do que se passa nos EUA e no Brasil, pode- ritmos como armas de destruição matemática cracia, surge como totalmente esvaziado de mos dizer que elas serão as coveiras da demo- (Weapons of Math Destruction, 2016). conteúdo democrático, tanto no que respeita à cracia, se entretanto não forem reguladas. Refi- A captura das instituições vida das pessoas como das organizações políti- ro-me em especial a dois instrumentos. As notí- O impacto das práticas autoritárias e antidemo- cas. Umas e outras passam a comportar-se co- cias falsas sempre existiram em sociedades a- cráticas nas instituições ocorre paulatinamente. mo se vivessem em ditadura. Menciono a seguir travessadas por fortes clivagens e, sobretudo, Presidentes e parlamentos eleitos pelos novos os quatro principais componentes deste proces- em períodos de rivalidade política. Hoje, porém, tipos de fraude (fraude 2.0) a que acabo de alu- so. é alarmante o seu potencial destrutivo através dir têm o caminho aberto para instrumentalizar A eleição de autocratas da desinformação e da mentira que espalham. as instituições democráticas, e podem fazê-lo Isto é sobretudo grave em países como a Índia e supostamente dentro da legalidade, por mais Dos EUA às Filipinas, da Turquia à Rússia, da o Brasil, em que as redes sociais, sobretudo o evidentes que sejam os atropelos e interpreta- Hungria à Polônia têm vindo a ser eleitos demo- Whatsapp (o conteúdo menos controlável por ções enviesadas da lei ou da Constituição. Em craticamente políticos autoritários que, embora ser encriptado), são amplamente usadas, a pon- tempos recentes, o Brasil tornou-se um laborató- sejam produto do establisment político e econô- to de serem a grande, ou mesmo a única, fonte rio imenso de manipulação autoritária da legali- mico, se apresentam, como anti-sistema e antipolítica, insultam os adversários que consideram corruptos e vêem como inimigos a eliminar, rejeitam as regras de jogo democrático, fazem apelos intimidatórios à resolução dos problemas sociais por via da violência, mostram desprezo pela liberdade de imprensa e propõem-se revogar as leis que garantem os direitos sociais dos trabalhadores e das populações discriminadas de informação dos cidadãos (no Brasil, 120 milhões usam o Whatsapp). Grupos de investigação brasileiros denunciaram no New York Times (17 de Outubro) que das 50 imagens mais divulgadas (virais) dos 347 grupos públicos do Whatsapp em apoio de Bolsonaro só 4 eram verdadeiras. Uma delas era uma foto da Dilma Rousseff, candidata ao Senado, com o Fidel Castro na Revolução Cubana. Tratava-se, de fato, de dade. Foi esta captura que tornou possível a chegada ao segundo turno do neo-fascista Bolsonaro e a sua eventual eleição. Tal como tem acontecido noutros países, a primeira instituição a ser capturada é o sistema judicial. Por duas razões: por ser a instituição com poder político mais distante da política eleitoral e por constitucionalmente ser o órgão de soberania concebido como “árbitro neutro”. Noutra ocasião analisarei este processo de captura. O que será a demo- por via etno-racial, sexual, ou religião. uma montagem feita a partir do registo de John cracia brasileira se esta captura se concretizar, Em suma, apresentam-se a eleições com uma Duprey para o jornal NY Daily News em 1959. seguida das outras que ela tornará possível? ideologia anti-democrática e, mesmo assim, Nesse ano Dilma Rousseff era uma criança de Será ainda uma democracia? conseguem obter a maioria dos votos. Políticos 11 anos. Apoiado por grandes empresas inter- Autor: Boaventura de Sousa Santos autocráticos sempre existiram. O que é nova é a nacionais e por serviços de contra-inteligência Sociólogo, diretor do Centro de Estudos Sociais frequência com que estão a chegar ao poder. militar nacionais e estrangeiros, a campanha de da Universidade de Coimbra. Bolsonaro constitui uma monstruosa montagem Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 10

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 10 A corrupção no cenário brasileiro so à justiça, já aqueles que não contribuem mar a ação dos mais “poderosos” na prática para a reprodução do capital têm pouco ou da corrupção, subjugando os menos podero- nenhum acesso à justiça e menos ainda di- sos a sorte da lei que para eles não é aplica- reito de requerer participação política. da com o ideal de justiça, qual seja dar aqui- Faz se mister aqui ressaltar a importância de lo que cada um merece. separar dois significados de acesso à justi- Logo, diante da crescente diferença entre as ça: primeiramente como acesso ao poder classes abarcadas pelo modelo capitalista judiciário e em segundo como acesso à justi- infiltrado na sociedade, o grande marco foi a ça como valor. Logo, conforme os ensina- busca desenfreada por mais e mais lucros. mentos de Mauro Cappelletti, acesso à Jus- E por que não lucrar em cima dos mais fra- Exercício da cidadania e apatia tiça é (1988, p.8) cos? política [...] o sistema pelo qual as pessoas podem A sociedade brasileira sofre os abusos das Introdução reivindicar seus direitos e ou resolver seus classes altas que geralmente são aquelas litígios sob os auspícios do Estado. [...] deve que representam a maior parte dos mem- Dentre as inúmeras variáveis que favorecem ser igualmente acessível a todos [...]. bros do Congresso Nacional. Ao contrário do a perpetuação da corrupção no Brasil está a enorme distância entre a lei e realidade da população brasileira. De fato, a realidade da efetivação das garantias constitucionais está bem distante para aqueles que até possuem cidadania "política", mas sequer estão próximos de atingir de fato a cidadania "civil". Pa- Por conseguinte, conforme visto ao longo da história do Brasil, desde os primórdios, sempre existiram aqueles que têm "verdadeiro" acesso à justiça e aqueles que não sabem sequer seus direitos, muito distantes de ter efetivo acesso à justiça. que vislumbrava Rousseau, "uma democracia como ideal que protege a política dos usurpadores e incentiva a participação popular", é instalada na sociedade brasileira, a apatia política. Neste contexto segundo Rousseau (1983): ra estes que estão à margem da sociedade brasileira, a lei é uma realidade distante. O presente artigo tem como finalidade expor os fatos que levaram a inserção e a legitima- Carvalho (2009, p.2) destaca a distorção da semântica de “agente da lei” em diferentes âmbitos da sociedade, "Há uma sociedade desigual cuja igualdade vai se concretizar no Estado, local onde os elementos desiguais acordam entre si para a criação de um Estado da natureza capaz de ção da corrupção no Brasil tendo como am- "Nas grandes cidades, sobretudo em suas suprimir os elementos limitativos da desi- paro o modelo desigual de acesso à justiça periferias, o agente da lei próximo à popula- gualdade reinante entre os homens". aos menos favorecidos. O papel da apatia política da sociedade ção era, e ainda é, o policial militar ou civil, cujo arbítrio e violência são conhecidos". Originariamente, o brasileiro sempre foi considerado por muitos como politicamente apá- como forma de legitimação da corrupção A luz disso pode-se concluir que nas periferi- tico, e neste sentido parecia não se importar no Brasil as, ao contrário do que acontece nos bairros com o crescimento desenfreado da corrupnobres, há uma inversão do papel de agente ção. Entretanto, o que se espera diante dos A corrupção decididamente não é um fato da lei, não como aquele que protege e dá últimos acontecimentos no cenário da políti- que surgiu nos últimos anos, na verdade es- segurança, e sim, como aquele que repreen- ca brasileira, é um verdadeiro despertar so- tá presente no Brasil há muitos séculos e de e aplica a violência. Para este povo aces- cial no sentido de cobrarmos verdadeira- acompanha desde então as discussões em so ao poder judiciário é uma utopia. mente uma democracia participativa que se todos os âmbitos do país. Segundo Emerson Garcia, a corrupção, em seus aspectos No texto de Boaventura de Souza Santos, dê de forma consciente e atuante. mais basilares, reflete a infração de um de- isto é bem evidenciado quando perguntado Os laços sociais precisam ser definitivamen- ver jurídico posicional e a correlata obtenção aos moradores de “Pasárgada” por qual mo- te reestabelecidos e acabar de vez com a de uma vantagem indevida (Garcia, 2011, tivo eles não chamam a polícia quando tem institucionalização do individualismo, com o p.1). problemas. Este relato é observado no tre- interesse privado ou individual se sobrepon- cho de "Notas sobre a história jurídico social do ao interesse coletivo. De fato, os repre- Portanto, a corrupção é uma velha conheci- de Pasárgada" (1980, p. 111), sentantes do povo brasileiro no Congresso da da sociedade brasileira, desde a época do império passando pela República e Era Getúlio até os dias atuais, conforme descrito por Carvalho no seguinte fragmento de texto, [...] "a polícia continua a desempenhar um papel mínimo na prevenção e na resolução de conflitos. Não obstante os seus esforços no sentido de uma aceitação mais positiva por parte da comunidade, continua a ser vis- Nacional defendem os interesses de uma minoria, eles próprios. É claramente o oposto do que Durkheim (1893) esperaria visto que o coletivismo deveria sobrepor os interesses individuais. No século XIX, os republicanos acusavam o ta por esta como uma força hostil investida Por conseguinte, é árduo o caminho que le- sistema imperial de corrupto e despótico. de funções estritamente repressivas". va a efetivação do acesso à justiça e à e- Em 1930, a primeira república e seus políticos foram chamados de carcomidos. Getúlio Vargas foi derrubado em 1954 sob acusação de ter criado um mar de lama no Catete. [...] (Carvalho, 2009, p.1) Para os moradores da favela do Rio de Janeiro, a polícia não está lá para protegê-los, ao contrário do que pensaria, por exemplo, um morador do Leblon. Na verdade, a polícia cumpre o papel de repreendê-los e está mancipação política para a maioria da população brasileira. Entretanto somente quando esse marco for atingido, será possível pensar no fim da corrupção, pois sem a participação efetiva de toda sociedade brasileira, Logo, desde sempre a corrupção vagueia ali para vigiá-los, além disso, eles próprios especialmente daqueles que não tem aces- pelos meandros da nossa sociedade, atin- se sentem distanciados e se vêem como so nenhum à justiça, o sistema político cor- gindo todos os tipos de classes sociais, so- marginalizados. rupto continuará esmagando as velhas en- bretudo as menos favorecidas. tranhas apáticas do povo brasileiro. Logo, fica claro que a eficácia da norma jurí- Infelizmente existe um abismo muito grande dica alcança somente determinada classe Considerações finais entre a lei, ou seja, aquela que está positiva- social. Esse problema tem raízes profundas, Independente de nossas raízes, o problema da na Constituição da Republica Federativa ou seja, são frutos da herança colonial como da corrupção é um mal que pode ser comba- do Brasil e a realidade das classes sociais cita José Murilo de Carvalho em Cidadania tido se houver uma mudança de atitude da menos favorecidas, que sobremaneira não no Brasil – um longo caminho, população brasileira no sentido de tem acesso a cidadania e justiça na prática. "A herança colonial pesou mais na área dos “descapitalizar” os ideais, ou seja, nunca Este também é um problema que permeia a direitos civis. O novo país herdou a escravi- conseguiremos uma democracia de fato se história do Brasil, conforme citado por Car- dão, que negava a condição humana do es- continuarmos apáticos politicamente. A nor- valho: cravo, herdou a grande propriedade rural, ma jurídica deve ter o alcance equivalente Até a metade do século XX, para quase toda a população rural, que era majoritária, a lei do Estado era algo distante e obscuro. O que essa população conhecia bem era a lei do proprietário. (Carvalho, 2009, p.2) fechada à ação da lei, e herdou um Estado comprometido com o poder privado" (Carvalho, p.45, 2004). Percebe-se que a negação dos direitos fundamentais, principalmente os civis, encontra para todas classes sociais sem fazer distinção de cor, raça, sexo, conforme os direitos fundamentais da Carta Constitucional, proporcionando desta forma acesso à justiça com efetividade a todos. Na verdade, sempre foi assim, aqueles que seu fundamento de validade nas raízes po- Autora: Clarissa Tonini Martin têm maior poder de troca, a favor da maqui- dres da herança colonial e da escravidão, Colaborador: Dr. Miguel Ângelo Martin naria capitalista são favorecidos e tem aces- que se dissipou ao longo dos anos até legiti- Advogado e Administrador de Empresas. Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 11

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 11 2+2=22, KKK é de esquerda e temas como "galera, onde tem blitz?" na verdade! Acreditar na possibilidade da “letra fria” [sic] da lei é coisa ainda do século XIX. Não se trata disso. Da ideia de que estamos condenados a interpretar não se segue Resumo: “Clarinha está lá atrás, esperando as outras malas. Sabe que vale tudo, e que o intérprete seja livre pra atribuir ao texto o como é, trouxemos muitas coisas de Maiame e vamos passar sepa- sentido que quiser. Interpretar autenticamente significa respeitar a rados na alfândega; assim é mais difícil de nos pegarem”. Binguís- autoridade da tradição a partir da qual se pode chegar na resposta simo! correta. As redes sociais revelam a ambiguidade fundamental de nossa A quem interessa essa ideia de que se pode dizer qualquer coisa? condição. Democratizam o acesso à informação, mas também per- É simples. Àqueles a quem cabe dizer essa coisa, seja ela qual for. mitem a disseminação de todo tipo de boato e notícia falsa; aumen- Engana-se quem acha que o relativismo é uma arma da democraci- tam muito a possibilidade de diálogo e troca intersubjetiva, mas a, que permite a pluralidade de ideias; é justamente o contrário: é o também reduzem a linguagem, em sua sagrada complexidade, a relativismo que autoriza que, aquele que detém o poder, diga o que emojis (repristinando os acadêmicos de Lagado d’As Viagens de bem entender, o que bem quiser, e o azar é todo nosso. Porque Gulliver, que pretendiam trocar as palavras por objetos); facilitam a dissemos que tudo era relativo. pesquisa e incitam a curiosidade, mas simplificam tanto o caminho Quem diz o que quer e atribui o significado que deseja a qualquer de forma a promover a idiotização e o emburrecimento coletivo. É a coisa é Humpty Dumpty, de Alice Através do Espelho. Pior: Humpti- nesciontologia que assume lugar dominante. es Dumpties segurando a concha de O Senhor das Moscas. Para A culpa, é óbvio, não é das redes sociais em si. Felizmente, ainda quem não sabe, no livro de Golding, os meninos que sobrevivem a — ainda — é possível compartilhar coisas úteis, interessantes, e um desastre aéreo e passam a habitar uma ilha instituem — ao me- não só fake news de candidato. Recebi, dia desses, um interessan- nos enquanto sua pequena democracia resiste — que só pode falar tíssimo vídeo que, depois, descobri tratar-se do curta Alternative aquele que tiver a concha nas mãos. Math — Matemática Alternativa. Pois é. Humpty Dumpty, no Brasil, segura a concha. De forma insti- Recomendo que assistam, de forma que não pretendo transcrever tucionalizada. 2 + 2 = 22, e ai de quem disser o contrário. Este país o vídeo todo aqui — o final é hilário e vale a pena. Em vez de per- é incrível. Vamos ganhar o prêmio Ignóbil. Um deputado entrou der tempo em uatiszap da família, brigando com o primo imbecil ou com projeto, em 2018, para permitir que as pessoas andem arma- a tia que acha que Darwin era um charlatão, assista ao vídeo. das a bordo de aviões (aqui). Poxa. Se o mundo soubesse disso, já Mas, resumindo (mas não contarei o final), para chegar em meu de há muito não haveria sequestros e atos terroristas. Si vis pacem ponto, é o seguinte: na escola, um menino é repreendido pela pro- parabellum. E eu vou estocar alimentos. Ou vou abrir uma loja de fessora ao escrever que 2 + 2 = 22. Nada mais normal, certo? Um armas. aluno ou aluna em idade escolar chega na resposta errada, o pro- Vejam em que pé estamos no 2+2=22: já há quem diga — li isso na fessor ou professora corrige. grande mídia (e não na deep internet) — que a proteção de direitos Pois é. Acontece que, talvez, já não mais seja bem assim. Os pais humanos é inimiga da polícia. Incrível ou crível? E um vereador de do aluno perguntam à professora: “Ora, quem é você pra dizer que São Paulo afirma que a KKK — Ku Klux Klan — é de esquerda (ver sua resposta é certa, e a dele, errada?” O caso chega na direção aqui). A comunidade negra norte-americana deve ficar feliz com es- da escola, nos outros professores, na mídia local, enfim... Long se “achado histórico” do vereador paulista, por sinal, negro como os story short, a professora é demitida e a mídia repercute a demissão perseguidos — e mortos — pela KKK. Como a gente aprende coi- de uma “professora ativista que reprime o aluno por suas visões sas... Bom já sabíamos que os negros foram os culpados por sua pessoais”. escravidão (os portugueses, disse-se, “nem pisaram na África”), a- A distopia do vídeo é genial porque mostra precisamente o estado gora sabemos mais um capítulo da história oficial (além do fato de da arte do direito brasileiro. “Ora, quem é você pra dizer que sua já termos admoestado — e humilhado — os alemães por estes não resposta é certa, e a dele, errada?” entenderem nada de nazismo!). O vereador paulista deve ter estu- Nem preciso dizer que o motivo central de estarmos mergulhados dado isso na Bullshit University II, no livro How to Offend the US Black Community, da Extreme Right Press. Da mesma editora, o nessa crise judiciária é o relativismo semelhante ao 2+2=22-e-essaé-a-minha-opinião. Os pais dos alunos venceram aqui no Brasil. mais recente livro How to teach the art of white supremacy to KKK? And KKK is not laughing emoji. Taí a explicação: o “grande historia- “Ora, quem é você pra dizer que sua resposta é certa, e a dele, er- dor contemporâneo” — nosso preclaro vereador paulista — achou rada?” Não é o aluno que está errado. Errada está a professora que que KKK era um emoji. Bingo. Meu Deus. enche o saco. Por que 2 + 2 não pode ser 22? Por que é errado sustentar interpretar é um ato de vontade? Por que é errado sus- E competindo para o Prêmio Ignobil, um delegado de polícia do afirma, de pés-juntos, que a suástica é um símbolo hindu. Vai RS ver tentar pois. que direitos humanos são só para humanos direitos? Ora, que também pensou que era um emoji. E, pior: nada disso news. Creiam. Ah: a terra é redonda, sim. Não é plana. é fake Como chegamos a isso? Como chegamos a esse sushi jurídico? Post scriptum: Arquétipo do brasileiro médio 1: 23h59 min — “Eu Nós engendramos esse tipo de imaginário em nossa prática jurídica a partir do momento em que aceitamos a tese de que, bem, “tudo é prefiro ser revistado a cada esquina do que ser assaltado”. Um minuto depois: “Galera, onde tem blitz?”. Bingo. Arquétipo do brasilei- relativo”. “Não há verdades”. “É questão de opinião”. Como no caso do menino, seus pais e a pobre da professora. ro 2: Fila de espera de bagagem no aeroporto internacional. O sujeito classe média critica veemente o Brasil. “Assim não dá. Espe- Acontece que nem tudo é relativo. Há verdades, e, mais do que is- rando faz 20 minutos as malas. Só no Brasil, mesmo. Falta lei e or- so, há critérios a partir dos quais se pode dizer qual é a verdade. dem”, e outras sandices. E o sujeito ao lado, interlocutor do Direitos humanos, direitos fundamentais, devido processo legal são “indignado”: “Onde está sua esposa, a Clarinha”?”. E o “indignado”: conquistas civilizatórias. Se eu digo que não há verdades, como “Clarinha está lá atrás, esperando as outras malas. Sabe como é, posso sustentar que é verdade que não há verdades? Se digo que trouxemos muitas coisas de Maiame e vamos passar separados na todos mentem, sou um mentiroso; se digo que se pode dizer qual- alfândega; assim é mais difícil de nos pegarem”. Binguíssimo! quer coisa sobre qualquer coisa, estou dizendo aos leitores que o E 2+2 dá..., mesmo, 22! E, na livraria, um best seller: "Como assar que digo nada significa. melhor o bacon". O prefácio é da lavra de um porco gordinho. Chegamos nessa estupidez institucionalizada porque permitimos que se deflagrasse, no Direito, a ideia de que respeitar o texto da lei significa uma aplicação mecânica, que proíbe a interpretação. Autor: Lenio Luiz Streck Ora, é justamente e somente a partir da interpretação que se chega Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 12

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 12 A Constituição Federal e seus 30 Anos Se nossos atores políticos democráticos tiveram capacidade de realizar uma assembleia constituinte, de promulgar a Constituição, parece que não tiveram a mesma capacidade diante de inimigos tão poderosos como os que terminaram por relativizar os pontos centrais de nossa Constituição. A dilatação da atuação do Poder Judiciário, amparada num apoio nunca visto da grande mídia, esvaziou o sentido democrático da política em tal alcance, que membros do STF não hesitam em falar abertamente de que ao Poder Judiciário cabe a vanguarda “iluminista”, ou “a refundação da República e da Nação”. Igualmente, o mesmo Judiciário e os órgãos de investigação como o Ministério Público tornam-se os primeiros a defenderem a relativização do sentido de garantias constitucionais como aquela do art. 5º, LVII – a presunção da inocência – exatamente num ponto em que a Constituição definiu de forma inequívoca esta garantia como cláusula eterna. Exemplo do constitucionalismo da modernidade, a Constituição Fe- O STF também permitiu que uma Presidente da República fosse deral de 1988 resultou influenciada pelo chamado constitucionalis- destituída do cargo sem crime de responsabilidade, enquanto pomo dirigente, egresso da Segunda Guerra e que teve sua inspira- deria intervir, pelo menos para figurar perante a história noutro pação ainda no período entre as duas guerras mundiais: a Constitui- tamar, a que nunca havia chegado. ção Mexicana de 1917 e a de Weimar de 1919. Porque a melhor das Constituições que tivemos não foi capaz de Ambas procuraram dirigir o Estado e seu papel no desenvolvimento impedir o regresso? Talvez ainda seja cedo para organizar a com- econômico, na ampliação de direitos a todos, na defesa das rique- plexa explicação. Porém, parece-me possível que reflita sobre o zas nacionais, num compromisso mínimo capaz de oferecer digni- papel de nossa sociedade. E vem do maior representante do pen- dade a trabalhadores e ao povo em geral. Com forte intervenção no samento conservador autoritário brasileiro, Oliveira Vianna, o olhar direito de propriedade – “terrível, não era necessário que fosse um sobre a sociedade; não sobre o Estado. Somos escravocratas; oli- direito” – a Constituição de Weimar, por exemplo, sucumbiu, no que garcas, preferimos o privilégio dos estamentos sociais; gostamos pese o reconhecimento dos grupos e partidos políticos democráti- de ser servidos; nossas elites econômicas são incapazes de abdi- cos em sua defesa. carem de sua posição subalterna ao capitalismo internacional. Te- mos enormes dificuldades com a igualdade de todos perante a lei. Comunistas, democratas, socialistas e sociais-democratas viram- Como almejar uma República? me impotentes ante um inimigo tão poderoso e que contou com amplo apoio de atores institucionais como conglomerados financei- O desgaste da Constituição Federal de 1988 não foi obra do povo ros e da imprensa, militares, judiciário, que permitiram o sucesso brasileiro: foi o resultado de políticas antidemocráticas e antipovo. do nazismo e sua tragédia, apesar de todas as advertências. Quando se viram os primeiros resultados de políticas concretas de inclusão e diminuição de desigualdade entre os brasileiros, a rea- O compromisso mínimo de 1988 previu o Estado social, onde a so- ção não tardou e deixou-se fantasiar de discursos, como o da meriberania econômica teria destaque, o que se materializou pelo art. tocracia, na vã tentativa de disfarçar o desprezo de uma elite que 170 de nossa Constituição. Um extenso rol de direitos e garantias tem vergonha de seu povo; ao contrário da benfazeja falta de verfundamentais, com determinação evidente de que o Brasil estraria gonha que Constituição de 1988 exibiu neste sentido. Decorridos inserido no panorama internacional de defesa dos direitos huma- 30 anos, nossa tarefa é dura, pois consiste em resgatá-la, o que nos, terminava por fechar um arco de objetivas pretensões da significa o enfrentamento decisivo contra o passado. Constituição que não deixava dúvidas sobre sua opção. Autor: Martonio Mont’Alverne Resumo sobre a Proclamação da República Brasileira, causas, liderança, crise da monarquia, movimento republicano Introdução O regime monárquico existiu no Brasil entre os anos de 1822 a 1889. Neste período o país teve dois imperadores: D. Pedro I e D. Pedro II. Causas - Crise e desgaste da Monarquia - o sistema monárquico não correspondia mais aos anseios da população e às necessidades sociais que estava em processo. Um sistema em que houvesse mais liberdades econômicas, mais democracia e menos autoritarismo era desejado por grande parte da população urbana do país. - Forte interferência de D. Pedro II nas questões religiosas, que provocou atritos com a Igreja Católica. - Censura imposta pelo regime monárquico aos militares. O descontentamento dos militares brasileiros também ocorria em função dos rumores de corrupção existentes na corte. - Classe média e profissionais liberais desejavam mais liberdade política, por isso muitos aderiram ao movimento republicano, que defendia o fim da Monarquia e implantação da República. - Falta de apoio da elite agrária ao regime monárquico, pois seus integrantes queriam mais poder político. - Fortalecimento do movimento republicano, principalmente nas grandes cidades do Sudeste. A Proclamação Na capital brasileira (cidade do Rio de Janeiro) em 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca liderou um golpe militar que derrubou a Monarquia e instaurou a República Federativa e Presidencialista no Brasil. No mesmo dia foi instaurado o governo provisório em que o Marechal Deodoro da Fonseca assumiu a presidência da República. Por: Filipe de Sousa Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 13

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 13 04 - Início do Horário de Verão um grupo de militares liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca, que deu um golpe de estado no Império. O Horário Brasileiro de Verão 2018-2019 começa às00h do dia 04 de novembro de 2018. A partir da meia-noite do dia 04 de novembro, os relógios brasilei- 16 - Dia Internacional da Tolerância O Dia ros serão ADIANTADOS em 1 horanos estados em que o Horário Internacional da Tolerância é comemorado anualmente em 16 de Verão é válido. de Novembro. Este ano o Horário de Verão começa mais tarde por conta das Elei- A data tem o objetivo de promover o bem estar, o progresso e a li- ções 2018. Embora tenha sido cogitado um segundo adiamento do berdade de todos os cidadãos, assim como fomentar a tolerância, o início do horário de verão para o dia 18 de novembro (com o objeti- respeito, o diálogo e cooperação entre diferentes culturas, religiões, vo de não interferir com o Exame Nacional do Ensino Médio), este povos e civilizações. não se concretizou. O Dia Internacional da Tolerância combate qualquer tipo de intole- 05 - Dia Nacional da Língua Portuguesa rância e preconceito, seja ele religioso, sexual, econômico ou cultural. O Dia Nacional da Língua Portuguesa é celebrado anualmente Com a globalização, a pluralidade cultural que existe no mundo se em 5 de novembro no Brasil. tornou ainda mais interligada, exigindo uma maior compreensão Atualmente, a língua portuguesa é o 5º (quinto) idioma mais falado das pessoas em respeitar os diferentes modos de viver de cada ci- do planeta. dadão. Isso, no entanto, não significa que devemos aceitar as idei- Origem do Dia Nacional da Língua Portuguesa as ou doutrinas de todas as sociedades, mas apenas aprender a No Brasil, o Dia Nacional da Língua Portuguesa foi criado a partir respeitá-las e conviver com as diferenças. do decreto de lei nº 11.310, de 12 de junho de 2006, estipulando a 17 - Dia da Criatividade celebração para o dia 5 de novembro. A escolha desta data é uma homenagem ao escritor e político bra- O Dia da Criatividade é celebrado no dia 17 de novembro. sileiro Ruy Barbosa, que nasceu em 5 de novembro de 1849, e é A criatividade é considerada como uma aptidão para inventar ou considerado um grande estudioso da língua portuguesa. criar coisas novas. Uma pessoa criativa é uma pessoa inovadora, 07 - Dia do Radialista que tem ideias originais. Esta característica pode se revelar em várias áreas diferentes, co- O Dia do Radialista é comemorado oficialmente no Brasil em 7 mo a música, poesia, pintura, etc. Em algumas profissões a criativi- de novembro. dade é um elemento essencial, como nas agências de publicidade Na verdade, em 21 de setembro também se comemora o Dia do e design. Radialista. Além disso, a criatividade também pode estar relacionadas com á- Isso acontece porque o dia já era comemorado em setembro até reas como a engenharia (nas suas várias vertentes). Isto porque a que a lei nº 11.327, de 27 de julho de 2006, instituiu a nova data. criatividade é uma atitude de alguém que cria soluções para resol- Esta data homenageia o profissional responsável em apresentar os ver um determinado problema. programas e informativos radiofônicos, que entretêm os ouvintes A criatividade está relacionada com a capacidade de fazer pergun- com suas características vozes marcantes. tas e procurar respostas para essas perguntas, usando para isso a Parabéns aos professores da CULTURAonline BRASIL que volun- capacidade de imaginação. tariamente democratizam o seu conhecimento. Uma pessoa criativa é uma pessoa pioneira, que tenta fazer coisas que nunca foram feitas antes. A criatividade faz o mundo avançar, 12 - Dia do Diretor de Escola o pensamento criativo do ser humano foi o motor que capacitou O Dia do Diretor de Escola, ou simplesmente Dia do Diretor, é grandes invenções e descobertas. comemorado em 12 de novembro. 17 - Dia Internacional dos Estudantes Esta data celebra o profissional responsável em gerir e administrar as decisões da escola, colaborando para construir um bom ambien- O Dia Internacional dos Estudantes é celebrado anualmente te para os professores, alunos e demais colaboradores dos colé- em 17 de novembro. gios. Esta data é uma homenagem a memória e bravura de um grupo de Em alguns estados brasileiros, o Dia do Diretor Escolar é comemo- estudantes da antiga Tchecoslováquia, que lutaram corajosamente rado em 18 de outubro. Em São Paulo, por exemplo, a Lei nº contra as tropas nazistas que invadiram o país durante a Segunda 10.927, de 11 de outubro de 2001, declara o dia 18 de outubro co- Guerra Mundial. mo o dia oficial do Diretor de Escola no estado. Em 17 de novembro de 1939, a Federação Central de Estudantes Tchescolovacos foi invadida pelos nazistas. Vários dirigentes estu- 14 - Dia Nacional da Alfabetização dantis foram assassinados e outros levados para campos de con- O Dia Nacional da Alfabetização é comemorado anualmente centração, onde sofreram com as cruéis torturas do Holocausto. em 14 de Novembro, no Brasil. 19 - Dia da Bandeira A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre a impor- tância da implantação de melhores condições de ensino e aprendi- zagem no país. A alfabetização não se baseia unicamente no ato de aprender a ler e a escrever, mas também no desenvolvimento da capacidade de compreensão, interpretação e produção de conhecimento. 15 - Proclamação da República No dia 19 de novembro de 1889, o recém-instalado governo republicano do Brasil trocou a antiga bandeira imperial pela bandeira da República. A nova bandeira, desenhada por Décio Vilares, foi adotada pelo decreto nº 4 no dia 19 de novembro de 1889. O Dia da Proclamação da República do Brasil é comemorado No dia 11 de maio de 1992 a bandeira anualmente dia 15 de novembro e é considerado um feriado nacio- brasileira passou a ter 27 estrelas, no lugar de 22, de forma a inclu- nal. ir os novos estados da federação. A Proclamação da República do Brasil foi realizada em 15 de no- A Bandeira do Brasil simboliza a pátria e a união entre os estados e vembro de 1889. desde o início serviu para aumentar o sentimento de união entre O evento aconteceu no Rio de Janeiro, a então capital do país, por todos os brasileiros. Fonte: Callendar Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 14

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 14 CONHECIMENTO COMO ARMA DE DEFESA CONTRA A DESINFORMAÇÃO. A ILUSÃO POLÍTICA DA CLASSE MÉDIA. Uma pessoa não pode obter as respostas certas se não souber fazer as perguntas certas. Enquanto jornalistas da mídia são agentes da desinformação nos meios de comunicação de massa, também estão na folha de pagamentos de um poder maior para propagar informações erradas que distanciam as pessoas da realidade dos fatos. Esse poder nunca noticiado, cujas intenções, práticas, e identidade nunca é divulgada, permanece sem ser pego pela verdade à medida que o conhecimento da realidade é negado ao público. Sendo assim, não é surpreendente muitos governos já terem sido arrancados à força do poder, por meio de uma revolução ou golpe jurídicomidiático, tendo já isso antecipadamente decidido no círculo do poder dominante. A ilusão política das classes média e baixa. Já foi dito que o conhecimento é a arma mais poderosa que existe. Logo, podemos perceber que foi dito conhecimento ao invés de in- Uma ferramenta a muito empregada com sucesso tem sido a polariformação. É que o conhecimento trata da compreensão da realida- zação da política, em dois lados, sob a ótica míope de que alguma de, já a informação, constituída sobre significado transitório e atre- escolha é feita a partir do suposto antagonismo de direita x esquerlada a finalidade, perde sua função quando consumada a finalida- da. A esse fenômeno denomino a grande ilusão política dos consude. É tal qual um meio para um fim, se atualiza e desatualiza e po- midores de mídia, em exposição aqui, a classe média e baixa. de ser manipulada a partir da fonte. Numa explicação simplificada, A polarização da sociedade para travar seus debates sobre proje- o conhecimento fica na fonte, mas a informação transcorre dela. tos opostos serve para minar as forças de união dessas classes e O problema com a informação está em que pode ser distorcida a impedir que poucos governem sobre muitos. fim de se desviar a exatidão da realidade dos fatos, a isso se cha- ma desinformação. É disso que trata, por exemplo, a manipulação do entendimento político das pessoas. E a desinformação é prática comum empreendida pela mídia que assistimos e lemos. Essa mí- dia funciona como agente de desinformação da sociedade condu- zindo à in- É uma engenharia social empregada com êxito sobre as pessoas fazendo a ditadura de poucos ter a aparência da democracia de muitos. E quem governa de fato mantêm o poder vitalício para si sem ser visto. compreensão da real política uma vez que damos legalidade a ela para nos informar. Todo governo visível é averiguável numa democracia real, ou pelos cidadãos que acompanham os atos do poder executivo, juntamente Em geral, o distanciamento da realidade causado pelo hábito de com a mídia, ou pelos poderes legislativo e judiciário segundo a sermos consumidores de mídia nos permitiu o vivenciamento auto- constituição. Mas quando o governo eleito é governado pela ditadu- mático da expectação de dias melhores. Sem nos importarmos com ra de poucos, esta ditadura usa aquele governo para fazer seu tra- a sazonalidade bipolar típica do tratamento político oferecido ao e- balho, tirando o poder do público enquanto corrompe os outros po- leitorado. Tendo a mídia como anestésico para as mentes fomos deres constituídos. impedidos da compreensão política contextualizada que hoje não nos convida para a reflexão mas nos distancia dela. Para não provocar a oposição da sociedade, o governo eleito assu- me as aparências de um governo democrático e se algo ocorrer de E esse distanciamento da realidade política permitiu a derrocada a errado durante o processo de obediência às ordens ou escapar do conta gotas da sociedade. Tivéssemos levantado a nossa voz em sistemático aparato de controle do sistema, o governo é tido como uníssono quando nos restava poder, quando corporações empresa- falho e é trocado. riais ainda dependiam do indispensável trabalhador, quando a nos- sa força de trabalho foi essencial e ignorar esse clamor teria sido A cada crise econômica ocorre por imposição o enfraquecimento de grande transtorno para o sistema, estaríamos a vivenciar um país empresas atraentes para o mercado. Assim uma gradativa transfe- diferente. rência do poder do Estado acontece para a iniciativa privada e suas grandes corporações. Investidores de risco e grandes acionistas se Estaríamos libertos totalmente do complexo brasileiro potencializa- aproveitam da situação favorável e compram a preço muito baixo do pela TV, de que o que vem de fora é melhor. Pagamos por essa ou através de leilões facilitados pelo governo visível. Isso acontece atrofia do entendimento político. a cada crise econômica, com a desculpa de desonerar o poder pú- Para resolver essa e outras questões e sermos protagonistas da blico, a cada governo que sobe ou cai. E quando ocorrem mudannossa história precisamos entender a necessidade do conhecimen- ças na conjuntura política esse cenário é propício para sair às comto. Estar consciente para depois fazer escolhas, essa é a atitude de pras, de parlamentares a juízes e ONGs, conforme já disse David maior eficiência nas tomadas de decisão em qualquer situação. A Rockefeller: “Dá-me o controle sobre a economia e não importará esse saber inseparável dos acontecimentos, num determinado mei- quem faz as leis.” o, e inescapável ao entendimento mais amplo, a isso chamo conhecimento da realidade. Autor: Rod Oliveir Informar para educar - Educar para formar - Formar para transformar

[close]

p. 15

Novembro de 2018 Gazeta Valeparaibana Página 15 O QUE É UMA MONARQUIA PARLAMENTARISTA? À guisa de exemplo histórico da relação entre as instituições da COROA com o MONARCA cito. Em 10 de dezembro de 1936, Eduardo VIII, rei da Inglaterra e da Irlanda do Norte e imperador da Índia, "abdicou" do trono para se casar com a plebeia americana, duas vezes divorciada, Wallis Warfield Simpson. Ele comunicou sua "decisão" à nação depois de ter o seu pedido de casamento negado pelo Conselho Britânico. Esse episódio abriu uma crise na linha de sucessão, muito embora seu irmão George fosse o imediato na linha de sucessão. O que está em pauta aqui? A relação da COROA com o MONAR- CA. ACOROA tem regras, leis específicas internas que não são ne- cessariamente as leis da Nação e nas quais se inclui o direito e as regras de e para a sucessão ao Trono. O Trono NÃO é a COROA, está submetido à ela; do mesmo modo, o Monarca serve à Coroa, à Nação, ao povo. A "escolha" do rei Eduardo VIII infringiu a COROA e portanto, ele foi DEPOSTO pela própria COROA e pelo Conselho Britânico (espécie de CÔRTES). Na verdade, sua deposi- O PAPEL DA COROA, DAS CORTES, DO MONARCA E DA ção foi em razão dele ser nazista, nazista mesmo. O caso com FAMÍLIA REAL Simpson foi um belo e elegante arranjo para dar volta numa situa- Uma Monarquia de verdade tem 3 Instituições independentes que ção espinhosa para a Coroa. se interrelacionam: a COROA, o MONARCA + a FAMÍLIA REAL e as CÔRTES. Nesta estrutura, tudo, gira em torno da COROA. NENHUMA Monarquia de verdade está centrada na pessoa do Mo- narca. Há uma coisa muitíssimo mais importante do que o Monar- Este modelo de Monarquia onde o poder político estava diretamen- ca: a instituição da COROA. Todo o discurso no Brasil sobre o re- te conectado com e ao poder religioso e, jamais pode ser entendido torno da Monarquia é uma bizarrice sem fim porque está integral- ou faz sentido sem essa conexão, no Brasil vigorou até 1822. No mente focado na pessoa do MONARCA, e não na COROA. Se o resto do mundo, varia de acordo com os movimentos revolucioná- Monarca for doido quem protegerá o país da sua loucura? Dizem rios. Este modelo é chamado inapropriadamente pela historiografia que o Parlamento. BULUFAS que é o Parlamento! Este papel con- de "absolutista" passando a falsa impressão que o Monarca é um cerne às CORTES e à COROA em si. Imaginem o Renam Calhei- ditador e que reina sozinho. No caso então da Coroa Portuguesa, ros, a Vanessa Graziotine, o Fufuca, etc cuidando da preservação essa bizarrice atinge escalas cósmicas, sobretudo porque o Monar- da Coroa, das Côrtes e do Monarca? Eis a continuidade da mesma ca português nunca ADMINISTROU o Reino, isso ficava à encargo FRAUDE histórica que está sendo imputada, mais uma vez, ao po- das Côrtes compostas pela nobreza civil, eclesiástica, militar e por vo brasileiro. representantes do POVO, isso mesmo, do POVO. O projeto de Império proposto atualmente no Brasil pela Família Im- Pois bem, depois que os movimentos revolucionários explodiram perial é um re-nascimento do mesmo projeto maçônico de 1822. mundo afora a partir de 1717, as Monarquias tradicionais foram Se vai ser proposto um modelo de Monarquia que ela NÃO seja derrubadas e substituídas por Monarquias Parlamentaristas. O que maçônica, nem liberal, nem materialista, nem anti-cristã. Que so- é isso? É um modelo de Estado e de governação onde existe o Mo- bretudo tenha COROA e CORTES e fora das garras do Parlamen- narca e o Parlamento. A Instituição da COROA e das CÔRTES foi to. O Império do Brasil (1822) é uma CONSTRUÇÃO MAÇÔNICA para as calendas da história. No mundo moderno a única Monarqui- anti-cristã. É uma Monarquia FAKE, autoritária, centrada na pessoa a que conseguiu manter-se de modo tradicional foi a Inglesa onde do MONARCA, onde inexiste a instituição da COROA existem as 3 Instituições independentes (a COROA, o MONARCA e das CÔRTES. + a FAMÍLIA REAL e as CÔRTES) conjugadas com o Parlamento inglês. Esse modelo existiu em Portugal até 1910 e, NUNCA existiu Portugal teve 34 monarcas ao longo de 4 Dinastias: Borgonha, A- no Brasil pós 1822, ou seja, o Império do Brasil é uma Monarquia vis, Filipina (Coroa Espanhola) e Bragança. Desde o início da na- MAÇÔNICA, um dos modelos de Estado previsto dentro do concei- cionalidade com o primeiro rei de Portugal D. Afonso Henriques to de República Maçônica Universal. as CÔRTES DE LAMEGO estabeleceram as leis de herança, su- cessão e administração do Reino. Sempre que havia uma crise As Monarquias da Comunidade Européia de hoje são, todas, exce- na Coroa eram convocadas CÔRTES. A própria Dinastia de Bra- to a Inglesa, Monarquias fake, ou seja, elas tem Monarca e Parla- gança foi entronizada pelas CÔRTES. mento. O Monarca é um fantoche, um símbolo vazio. Quem reina absoluto é o Parlamento Europeu, que obedece à Senhores do D. Pedro I e José Bonifácio mandaram para os quintos dos Infernos Mundo que ninguém sabe quem são. Veja o que aconteceu com a as CÔRTES e o papel que desempenham junto à salvaguar- Europa pós segunda guerra mundial e os tipos de Monarquias que da e manutenção da instituição da COROA. Em 1822 o que se cri- foram criadas. Com uma dose mínima de bom senso se pode cons- ou foi uma Monarquia com IMPERADOR sem COROA, sem FAMÍ- tatar o que é de verdade uma Monarquia Parlamentarista, com CO- LIA REAL e sem CORTES. A história do Império do Brasil é um ROA e sem CÔRTES. Olhe para a Europa de hoje e veja o multi- EMBUSTE, uma FRAUDE maçônica de proporções monumentais. culturalismo que foi enfiado goela abaixo das Monarquias, pelos metacapitalistas, os verdadeiros donos do Parlamento.Top of Form Autor: Loryel Rocha REGIMES POLÍTICOS cas para o povo, com a suposição de que verno incluem monarquias, emirados e im- Um regime político é um conjunto de estru- suas decisões refletirão a vontade geral da périos dinásticos, como o da China Imperi- turas políticas que compõem um estado. Um república. Isso pode ser comparado a uma al. regime político também pode ser conhecido democracia direta, na qual os cidadãos vo- Regimes autoritários e totalitários como uma forma de governo, um sistema tam diretamente sobre todas as questões de Em regimes políticos autoritários e totalitá- estadual ou um sistema político. O termo importância. rios, uma pessoa, entidade ou partido tem regime político também pode, por vezes, re- Repúblicas controle total sobre os assuntos do Estado, ferir-se a um governante específico ou con- A república é um dos sistemas de governo sem o contribuição ou consentimento da po- junto de governantes dentro de um sistema mais comuns do mundo, embora tenha mui- pulação. Às vezes, eles são acompanhados político. tas formas diferentes. Por exemplo, uma re- por um culto de personalidade em torno do Um sistema político é a forma como um país pública pode ser associada a uma religião, líder ou líderes, como no caso de Adolf Hi- é governado, como o governo está organiza- como no caso de uma república islâmica; tler, o líder da Alemanha nazista. do e como o governo faz suas políticas. um sistema econômico, como em uma repú- As formas comuns de regimes autoritários Democracias blica socialista; ou um procedimento político, ou totalitários incluem juntas militares. . Um dos sistemas políticos mais falados é como uma república parlamentar. Outra forma é uma ditadura, em que uma uma democracia representativa. Este é um Governos dinásticos pessoa governa o país sem ser responsável sistema em que os representantes são elei- Os sistemas dinásticos de governo consis- perante qualquer um e depois passa seus tos diretamente pelos cidadãos, e esses re- tem em todos os líderes do país provenien- poderes para outra pessoa após a morte. presentantes então tomam decisões políti- tes de uma família. Tipos comuns deste go- Fonte: Web

[close]

Comments

no comments yet