Guia Turístico Alagoas - 8 roteiros para conhecer e nunca mais esquercer

 

Embed or link this publication

Description

Esta publicação, que arrola um grupo de especialistas de elevado calibre intelectual e de grande experiência em suas áreas de conhecimento, é um indicativo do quanto nossa história e seus ícones e territórios são singulares.

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

Expediente Diretor Executivo Luis Amorim Presidente Carlos Alberto Mendonça Instituto Arnon de Mello (82) 3326-1604 Alagoas A CHAVE DE TUDO 8 roteiros para conhecer e nunca mais esquecer Os Autores Alex Nazário Geógrafo, mestre em Geografia pela Universidade Federal de Alagoas. Professor-substituto no Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio-ambiente - Igdema, da UFAL, e consultor técnico no Instituto do Meio Ambiente de Alagoas - IMA. Cármen Lúcia Dantas Museóloga, mestra em Literatura e pesquisadora nas áreas de Patrimônio Histórico e Cultura Popular. Cícero Péricles de Carvalho Doutor em Economia, professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Alagoas; autor de vários livros sobre a economia alagoana. Douglas Apratto Tenório Doutor em História pela Universidade Federal de Pernambuco, pesquisador sênior, autor dos livros Capitalismo e Ferrovias no Brasil, A Tragédia do Populismo e Metamorfose das Oligarquias, dentre outros. Membro da Academia Alagoana de Letras, da Academia Brasileira de História, do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas e do Instituto Histórico Brasileiro. Nide Lins Há mais de 20 anos, escreve sobre turismo e gastronomia alagoana através de seu blog e site, onde registra suas viagens e sabores da terra dos Caetés. A sua experiência resultou em três livros editados pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, dois Guias da Gastronomia Popular Alagoana e Receitas das Alagoas, originárias das cozinhas de chefs, de botecos e de receitas tradicionais. Ricardo Lêdo Jornalista de formação, fotógrafo e pesquisador, com trabalhos premiados em Alagoas e no Brasil Projeto Gráfico / Diagramação: Wellington Charles | Revisão: Patrícia Barros Produção: Instituto Arnon de Mello - Tiragem: 7 mil exemplares

[close]

p. 3

Editorial Estes 8 Roteiros mostram o que há de melhor para os que querem conhecer os segredos de Alagoas. Trata-se de um guia especial que contempla restaurantes e bares conhecidos do grande público, outros, de públicos menores, estes mais sofisticados, cujas cozinhas falam em espanhol, francês, italiano e outras variantes idiomáticas, e uma diversidade de locais – restaurantes, bares e botecos – de cozinhas de sabores populares, conhecimentos advindos de uma culinária antiga, com a marca das melhores caçarolas alagoanas e nordestinas. Mas não só de pão se vive. Aqui o leitor vai encontrar uma diversidade que o levará tanto às belezas incomparáveis do litoral alagoano como às rotas interioranas, fora dos guias tradicionais, abrindo-se uma gama de oportunidades até então reservadas aos conhecedores dos segredos da terrinha. Para isso, temos dicas de passeios, contendo paraísos isolados, de incontáveis belezas, como a Praia dos Morros, na Rota Ecológica dos Milagres; as trilhas das reservas de Mata Atlântica; a Várzea da Marituba, o chamado Pantanal Alagoano, no litoral Sul do estado; as trilhas do Sertão e os imponentes cânions do Rio São Francisco. Enfim, estes Roteiros contêm também a História, a Cultura e a Economia dessas áreas, tudo para situar seus usuários nos segredos dos lugares a visitar. Para sua comodidade e praticidade, está assim dividido: Geografia, com mapas de estradas e detalhadas informações dessas vias (como chegar) e outros dados desses caminhos; Gastronomia – uma viagem diversificada pelo sofisticado e popular, de quem conhece e pode ensinar; Hotéis e Pousadas – Para vários gostos, uma gama de opções; Usufruam deste guia que traz o melhor desta terra que tanto atrai brasileiros e estrangeiros de todos os quadrantes. Stefani Lins Maceió | 2018 | 3

[close]

p. 4

A 316 a esquecer/ Alagoas guia turístico – 8 roteiros para conhecer e nunca mais Nazário, Alex. ET al. – Maceió: Instituto Arnon de Mello, 2018. 248p. : Il.;color. Inclui bibliografia ISBN: 978-85-99408-7 1 Alagoas – Roteiros turísticos. 2 Turismo - Alagoas. 4 Alagoas Municípios- Turismo. Alagoas. I Alex Nazário. II Dantas, Cármen Lucia. III Carvalho, Cícero Péricles de. IV Tenório, Douglas Apratto. V Lins, Nide. VI Lêdo, Ricardo.-Fotografia. CDU: 918(813.5)

[close]

p. 5

Índice Caminhos do Litoral Norte Paripueira Barra de Santo Antônio Passo de Camaragibe Barra do Camaragibe Rota Ecológica dos Milagres São Miguel dos Milagres Porto de Pedras Japaratinga Maragogi Caminhos do São Francisco Penedo Pão de Açúcar Piranhas Caminhos do Vale do Mundaú e Quilombo dos Palmares Murici União dos Palmares São José da Laje Caminhos do Vale do Paraíba/do Açúcar e do Agreste Viçosa Mar Vermelho Boca da Mata Campo Alegre Arapiraca Palmeira dos Índios Caminhos do Complexo Lagunar/Alagoas Colonial Marechal Deodoro Pilar Coqueiro Seco Caminhos do Litoral Sul Barra de São Miguel Coruripe Roteiro Jequiá da Praia Caminhos do Alto Sertão/Bacia Leiteira Delmiro Gouveia Olho D´Àgua do Casado Água Branca São José da Tapera Caminhos de Maceió Maceió litoral Norte Jatiúca Ponta Verde Pajuçara Jaraguá Farol Santo Eduardo Mercado do Artesanato Bebedouro Comércio & Serviços 7 12 14 18 19 20 22 25 29 31 43 49 54 59 70 76 78 80 89 96 98 100 101 102 105 117 121 129 130 138 143 148 151 152 162 170 174 176 178 188 192 200 210 219 224 227 230 231 232 246

[close]

p. 6

Roteiros de novas experiências turísticas Vinicius Lages - Diretor do Sebrae Nacional O movimento de turistas internacionais no mundo atingiu recordes em 2017, quando 1,322 bilhão de pessoas cruzaram fronteiras de seus países em busca de experiências ou com objetivo de realizar negócios. No Brasil, esse movimento é bastante limitado, mantendo-se na faixa de 6,6 milhões de chegadas de turistas internacionais, em que pese o enorme potencial que o país dispõe. Alagoas, um dos menores estados brasileiros, é um desses destinos que apesar de ver um crescente número de turistas, também apresenta um enorme potencial de crescimento, especialmente no fluxo turístico internacional. Evidentemente, um maior fluxo, sobretudo internacional, dependerá dos esforços integrados do setor público e privado para construir uma oferta turística competitiva que envolva tanto uma infraestrutura adequada, especialmente uma logística de acesso facilitada, a qualificação de pessoas e produtos turísticos inovadores e diferenciados. Um esforço de ampliação dessa oferta turística, no caso de Alagoas, requer, em especial, um esforço de diversificação e qualificação da oferta existente, migrando da histórica dependência do sol e praia, com forte ancoragem no turismo de laser e sazonalidade que limita a rentabilidade dos investimentos necessários. Urge, portanto, um esforço integrado que amplie a oferta através da diversificação de produtos, interiorizando a oferta turística onde Alagoas tem ativos turísticos com potencial de oferecer experiências inesquecíveis a quem nos visita. Temos empreendedores para tanto. Esta publicação, que arrola um grupo de especialistas de elevado calibre intelectual e de grande experiência em suas áreas de conhecimento, é um indicativo do quanto nossa história e seus ícones e territórios, com sua geografia singular, nos brinda com os cânions do São Francisco e a Serra da Barriga, com as falésias vivas do litoral Sul e as piscinas naturais do litoral Norte. A herança açucareira e a economia regional, que apresenta grande diversidade de oportunidades ligadas às atividades produtivas, a dinâmica cultural, tanto a do passado, que nos brindou com poetas e artistas plásticos, músicos e festejos populares, quanto a do presente, cultura viva dos mestres e artesãos. A gastronomia premiada, tanto com base no litoral e nos ecossistemas lagunares, quanto a do Sertão e Agreste, que tão bem simboliza a memória gustativa daqueles que nos visitam. Quem saboreia um desses pratos nunca mais esquece. Cada vez mais o desenvolvimento do turismo está associado à proteção ambiental e ao convívio respeitoso com as populações locais, razão pela qual nosso território pode ser palco de experiências indeléveis na memória de quem nos visita. O encontro com o velho Chico, com a lagoa Mundaú e seus manguezais e vida ribeirinha, com os remanescentes de Mata Atlântica, com a pescaria de sururu, com os ícones de nossa herança afro, indígena, ibérica, é substrato profícuo para uma verdadeira viagem. Ao projetarmos as experiências arroladas nesta publicação, sabemos o quanto de apelo pode ter para o mundo. Por esta razão, diversificar, interiorizar e integrar nossa oferta turística tem que ser pensada nesta perspectiva de internacionalização, considerando o vasto repertório aqui apresentado. Seguramente estes roteiros representam uma mostra viva do que ainda temos a valorizar turisticamente nesta terra tão abençoada.

[close]

p. 7

GEOGRAFIA ALEX NAZÁRIO CAMINHOS DO Litoral Norte Caracterização Geográfica e Ambiental Municípios: Paripueira, Barra de Santo Antônio, Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras, Japaratinga, Maragogi, Porto Calvo, Matriz de Camaragibe e São Luis do Quitunde. MMaacceeióió | | 22001188 | | 77

[close]

p. 8

Praia de Carro Quebrado (Barra de Santo Antônio) O roteiro Litoral Norte apresenta duas opções de trajeto partindo da capital Maceió: O primeiro roteiro (“dos Tabuleiros Costeiros”) é recomendado para quem desembarcou no Aeroporto Zumbi dos Palmares ou reside na parte alta da cidade de Maceió. Consiste em tomar a Avenida Menino Marcelo (rodovia BR 316) no sentido do Conjunto Residencial Benedito Bentes e seguir pela Rodovia Cachoeira do Meirim (ao lado do Supermercado G Barbosa) na rodovia AL 105. A estrada se encontra toda pavimentada e compreende uma distância de aproximadamente 43 km desde o início da AL 105, nas imediações do Shopping Pátio, até seu encontro com a AL 413 na área urbana de São Luís do Quitunde. No trajeto será possível atravessar o Rio Pratagy, que nasce no município de Messias e abastece parte da cidade de Maceió. Além disso, é uma Área de Proteção Ambiental (APA) desde 1998 com aproximadamente 20.900 hectares. Aqui ainda existem muitos fragmentos de Mata Atlântica preservados, em sua maioria, em terras de usinas da região como a Cachoeira, a Santa Clotilde e a Santo Antônio. O segundo roteiro (“da Planície Litorânea”) segue pelo litoral, a partir da rodovia AL 101 Norte, sentido Maceió – Paripueira, com aproximadamente 30km entre suas áreas urbanas. A divisão municipal é traçada pelo Rio Sauaçuhy. Paripueira possui praia de águas calmas na sua enseada, onde o visitante pode tomar embarcações e conhecer os famosos recifes de coral localizados no Parque Municipal Marinho de Paripueira, criado em 1993, com uma área aproximada de 3.240 hectares, de rara beleza e rica biodiversidade. 8 | Maceió | 2018

[close]

p. 9

É interessante destacar que desde a foz do Rio Meirim, em Maceió, até a foz do Rio Formoso, no litoral sul de Pernambuco, todo o litoral norte alagoano compreende a APA Costa dos Corais, que tem como objetivo a conservação dos ecossistemas costeiros e marinhos, com destaque na preservação dos recifes de coral existentes. Foi criada no ano de 1997 e possui uma área de pouco mais de 400 hectares. Ela busca disciplinar a atividade pesqueira, turística e os demais usos que possuem influência nessa área protegida. Partindo do centro de Paripueira, ainda pela AL 101 Norte, em aproximados 4km, chegaremos ao município da Barra de Santo Antônio após a travessia do Rio Tabuba, cuja foz é muito procurada por banhistas. Na cidade, um dos grandes destaques é a foz do Rio Santo Antônio, que divide a área urbana da cidade da conhecida Ilha da Crôa que, na verdade, não é uma ilha, mas sim, uma restinga. Restingas são formações arenosas costeiras de forma alongada, geralmente separando o mar de algum rio ou laguna. O ambiente possui um vasto manguezal que atua como berçário e proteção para a vida aquática e terrestre. O manguezal é um ecossitema de transição, com importante função de proteção da costa, retém sedimentos dos rios, promove a manutenção da vida no ambiente aquático, servindo de berçário e refúgio para diversas espécies animais. São consideradas áreas de preservação permanente (APPs), devendo ser protegidos em toda a sua integridade. Ainda na Barra de Santo Antônio, o visitante tem a possibilidade de seguir pela AL 101, atravessando a ponte do Rio São Miguel em direção a Ilha da Crôa, via litoral até as falésias de Carro Quebrado, um belíssimo trecho do litoral alagoano marcado pelo encontro das belas falésias e dos recifes de coral. Ainda neste município, temos a praia de Morros do Camaragibe, com areias brancas singulares consideradas das mais belas do litoral de Alagoas. As falésias podem ser classificadas em “Vivas” ou “Mortas”. As Falésias Vivas são aquelas em que a atividade do mar incide diretamente sobre elas, erodindo e moldando sua estrutura. As mortas não possuem mais a interferência direta do mar e lentamente são cobertas pela vegetação nativa. Saindo da cidade da Barra de Santo Antônio, via rodovia AL 413, chegaremos a cidade de São Luis do Quitunde, com distância aproximada de 16 km Aqui, após a área urbana, seguindo a mesma rodovia, ocorre a confluência com o roteiro que sai de Maceió pela Avenida Cachoeira do Meirim pela AL 105. Seguindo em sentido norte, após a sede da Usina Santo Antônio, às margens da AL 105 está o receptivo da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Garabu, pertencente a mesma Usina. Lá existe uma produção de mudas e espaço para comercialização de artesanato produzido na região que merece ser visitado. RPPNs são áreas protegidas de caráter privado. São averbadas com perpetuidade, o que garante que caso seu atual proprietário decida vender as suas terras, a área da RPPN não poderá sofrer interferências negativas pelo novo dono. Após a sede da Usina, existem 2 opções de trajeto: O primeiro trajeto é a partir do trevo que se localiza após a sede da Usina Santo Antônio, confluência com as rodovias AL 105 e AL 430. Desse ponto, temos aproximadamente 17 km, seguindo a AL 105 em direção a cidade de Matriz do Camaragibe. A paisagem compreende a região dos grandes canaviais do norte alagoano, que cobrem um relevo típico MMaacceeióió | | 22001188 | | 99

[close]

p. 10

dessa região conhecido como “Mares de Morros”, que foram esculpidos pela ação erosiva dos rios e outros agentes do clima por milhares de anos. Aqui é possível ver o grande contraste na paisagem entre a monocultura da cana-de-açúcar e os remanescentes de mata atlântica que antigamente cobriam toda essa formação que é comum em quase todo o leste brasileiro. A partir da cidade de Matriz do Camaragibe, continuando na AL 105, em direção norte, em 23 km, chegando a cidade de Porto Calvo, um dos primeiros núcleos de povoamento do estado de Alagoas. Encravada em um morro elevado e banhada pelo Rio Manguaba, podem ser tomadas duas rotas a partir de sua área urbana: seguindo a AL 460 (23 km) com destino a cidade de Porto de Pedras ou a AL 465 (20 km) com destino a Japaratinga. Devido a esta região ser marcada pela ocupação primordial do nosso território, os remanescentes de mata atlântica foram reduzidos e quase completamente dizimados. A cultura da cana necessitava cada vez mais de áreas de expansão e cobriu desde as várzeas dos rios até os topos dos tabuleiros, modificando a paisagem e alavancando a economia da antiga capitania de Pernambuco, a qual as terras alagoanas pertenciam. O segundo trajeto parte do trevo que se localiza após a sede da Usina Santo Antônio, confluência com as rodovias AL 105 e AL 430, seguindo a AL 430 e logo após a AL 101, em direção a cidade de Passo de Camaragibe (aproximadamente 14 km), às margens do Rio Camaragibe. Desse ponto, seguir pela AL 101 em direção ao litoral, para o povoado da Barra do Camaragibe, numa distância de 14 km, iniciando um belo roteiro litorâneo de praias compridas e mornas, exuberantes manguezais e rios cheios de vida que deságuam nas praias complementando a sua beleza. A partir do povoado de Barra do Camaragibe, com seu belíssimo manguezal, seguindo pela AL 101 Norte, o visitante seguirá em direção a São Miguel dos Milagres, numa rota de aproximadamente 7 km, passando pela bela praia de Marceneiro e iniciando o famoso “Roteiro de Charme”, de hotéis e pousadas dotados de instalações e atendimento diferenciado, mesclando a paisagem com sua estrutura. Este trecho é agraciado pelas belas praias de Porto da Rua, Lages, Patacho, consideradas das mais bonitas do Brasil. O trecho que abrange o litoral de Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras é conhecido como “Rota Ecológica” e especialmente direcionado a ações de proteção ao simpático peixe-boi (Trichechus manatus), que no Brasil, é a espécie de mamífero aquático mais ameaçada de extinção, classificada como “em perigo crítico” desde 1989. Aqui, a Associação Peixe-Boi atua em conjunto com os municípios, o Conselho Gestor da APA Costa dos Corais e Associações de Pescadores e outras que atuam na região na proteção do mamífero, além de fomentar o turismo ecológico e científico com visitas no Rio Tatuamunha, onde é possível ver o peixe-boi no seu habitat natural. Saindo da cidade de São Miguel dos Milagres em direção a cidade de Porto de Pedras (aproximadamente 15 km), na foz do Rio Manguaba, temos outro importante e extenso manguezal que, em alguns trechos, possui indivíduos de até 25m de altura. Aqui, o visitante pode atravessar o Rio pelas tradicionais balsas que levam os turistas até a outra margem, seguindo pela AL 101 Norte, já pertencente ao município de Japaratinga. 1100| |MMacaecieóió | | 20210818

[close]

p. 11

Seguindo pela AL 101 Norte, após a travessia da Balsa de Porto de Pedras até a cidade de Japaratinga, com aproximados 9 km, é possível aproveitar um trecho de alta beleza cêni- ca, onde este acesso compreende diversas pousadas e residências próximas a praia. Aqui o relevo acidentado das barreiras quase toca o mar em diversos pontos, com destaque para as Barreiras do Boqueirão, onde se localizam restaurantes e pousadas de alto padrão. As praias apresentam diversos trechos cobertos pelos recifes, complementando um visual paradisía- co e rústico até a chegada a cidade de Japaratinga. Em Japaratinga é possível acessar alguns mirantes localizados no alto dos tabuleiros costeiros e ter um belo visual da região. Aqui, devido a irregularidade do terreno, que difi- culta o acesso, é possível verificar muitos remanescentes de vegetação nativa em bom esta- do de conservação com características de transição, com vegetação de porte médio, galhos retorcidos e adaptada a um solo pobre em nutrientes. Saindo da área urbana de Japaratinga rumo norte pela AL 101, antes da ponte do Rio São Bento, (2 km) temos um belíssimo trecho de rodovia considerado dos mais belos do estado pela beleza e proximidade da rodovia com a praia. Aqui, águas rasas e mornas anunciam a chegada em um dos maiores destinos turísticos de Alagoas e do Nordeste do Brasil. De Japaratinga (foto) até Maragogi, temos uma distância de 10 km. Maragogi é marcada por uma extensa planície cos- teira e águas calmas, além de diversos rios que deságuam em seu litoral promovendo belos manguezais e áreas alagadas. O seu maior atrativo são as piscinas naturais for- madas pelos recifes de coral conhecidas como Galés de Maragogi, intensamente Litoral Norte visitados por turistas o ano inteiro, condu- zidos até lá por catamarãs e outras embarcações. As mais visitadas são as Galés principais, Taocas e Barra Grande, onde os visitantes podem mergulhar com os peixes que habitam os recifes e explorar as belezas de suas águas calmas. Além do belo litoral, Maragogi ainda detém interessantes trechos de Mata Atlântica no interior, onde existem propriedades que realizam trilhas e passeios guiados pela mata, che- gando a belas nascentes de águas cristalinas. De acordo com dados do IMA/AL (2010), o município de Maragogi possui o maior número de fragmentos de vegetação nativa da microrregião do Litoral Norte Alagoano (161), que abrange a maioria dos municípios deste roteiro. Devido ao fato, a exploração de outros atrativos como o turismo rural e das trilhas nas matas detém alto potencial para atrair o visitante que, além das praias, pode explorar e conhecer a Mata Atlântica local. Maceió | 2018 | 11

[close]

p. 12

VIVER BEM NIDE LINS PARIPUEIRA Na divisa com Maceió, Paripueira é conhecida carinhosamente como “Parispueira”. A cidade é lembrada na letra do sambista, cantor e compositor, Martinho da Vila: “Teka, rendeira/ Eliane, praieira/ Vamos pra Paripueira...”. Esse Éden do Litoral Norte tem muitos encantos e sabores, como os famosos camarões crocantes e o camarão jangadeiro, além da possibilidade de navegar em um catamarã pelas piscinas naturais ou saborear os doces vendidos na praia. Mas, o impagável, é o banho de mar de água morninha no final de tarde na praia de Paripueira. Nessa cidade no norte de Alagoas, o aroma do campo também é compartilhado com o mar. Uma das praias mais badaladas de Paripueira é a de Sonho Verde, com seus condomínios e casas de veraneio. É o lugar ideal para quem curte uma praia tranquila, peixe frito, água de coco e cerveja gelada, longe do burburinho e sem luxo. Aliás, quer luxo melhor do que uma praia bonita, brisa e paz? 12 | Maceió | 2018

[close]

p. 13

Piscinas naturais Para quem quer ver a natureza em todo o seu esplendor, a dica é embarcar a bordo de um catamarã e seguir até as piscinas naturais, consideradas uma das mais preservadas do litoral alagoano. Para curtir esse paraíso, só precisa de maré baixa, sol, protetor solar, e no mais, vivenciar a natureza com direito a um mergulho para ver os corais e todas as belezas do mar. As piscinas naturais de Paripueira são de águas cristalinas e mornas. O legal é que somos recebidos por peixes conhecidos como soldadinhos, que são mais uma atração. Mas a grata surpresa são as agulhinhas, estas sim, um espetáculo à parte. Passeio às piscinas naturais: duração de 2h e só acontece na maré baixa. Quem faz: Restaurante Mar & Cia Náutico e Receptivo - Rua Projetada 23, s/n - Praia de Costabrava, Paripueira - Telefone: (82) 3293-2031 Passeio de lancha Quer conhecer melhor o litoral Norte? Então aproveite, porque o Restaurante Mar & Cia, além do passeio às piscinas naturais oferece aventura por terra, com saída de ônibus até a cidade de Barra de Santo Antônio, e de lá numa lancha o visitante navega até a Praia de Carro Quebrado, no mesmo município de Barra de Santo Antônio. Vale a pena ver as exuberantes falésias. Passeio de lancha de Paripueira até Carro Quebrado: duração de 3h / Horário de saída: de 9h até 10h. Quem faz: Restaurante Mar & Cia Náutico e Receptivo Rua Projetada 23, s/n - Praia de Costa Brava, Paripueira - Telefone: (82) 3293-2031 Restaurantes Restaurante Anauê, localizado na Praia de Sonho Verde. Além da gastronomia regional é também um receptivo que oferece passeios para o município de Barra de Santo Antônio até a praia de Carro Quebrado. R. Projetada Sv Oito, 266-468, Paripueira / Telefone: (82) 99841-4405 / www.anauepraia.com.br Hospedagem Fazenda Fiore O Resort Fazenda Fiore é o refúgio para viver os ares do campo. Com seus chalés temáticos, abriga sonhos dos casais apaixonados e das famílias. Mas não é necessário estar hospedado para curtir tudo isso. O resort oferece a modalidade “Day Use” e os visitantes podem dispor da área comum e utilizar todos os espaços, como piscinas, parques infantis e restaurantes com três diferentes ambientes gastronômicos: o Bistrô, o Restaurante Regional Sabor da Fazenda e a Pizzaria Fazenda Fiore. Rodovia Al-101 Norte - Sonho Verde, Paripueira – /Telefone: (82) 3293-2515 / www.fazenda-fiore.com Pousada Vila dos Corais. Rua Eugenio Costa, 1162, Loteam. Karina, Praia de Costa Brava, Paripueira / Telefone: (82) 3293-1362/ www.pousadaviladoscorais.com.br/pt Pousada dos Cajueiros R. Projetada Vinte, s/n - Centro, Paripueira - Telefone: (82) 3293-1615 / www.pousadadoscajueiros.com.br MMaacceeiióó || 22001188 || 1133

[close]

p. 14

Dica da Nide Camarão jangadeiro - O Restaurante Mar & Cia Náutico e Receptivo é de gastronomia regional com ênfase no cardápio de frutos do mar, como o tradicional camarão jangadeiro (empanado com queijo) e que vem escoltado com arroz e batatas fritas. Também merecem atenção os lagostins grelhados e as agulhinhas. Ensinar o turista a dançar forró é o ponto alto da casa. Restaurante Mar & Cia Náutico e Receptivo - Rua Projetada 23, s/n - Praia de Costa Brava, Paripueira - Telefone: (82) 3293-2031. Camarão crocante -A barraca do Osvaldo, escondida entre coqueiros, oferece uma sombra muito aconchegante. Chega a dar preguiça tomar banho de mar. O sucesso do bar é o camarão crocante, criação do próprio alagoano Osvaldo. É sequinho por fora e macio por dentro. Come-se brincando. R. Eugênio da Costa, 730, Paripueira - Telefone: (82) 3293-1100. BARRA DE SANTO ANTÔNIO Alagoas é conhecida pelos sítios de coqueirais, mas no município de Barra de Santo Antônio são as imensas falésias, em várias tonalidades, que desenham outras belezas na famosa praia de Carro Quebrado, considerada entre as dez mais desertas e bonitas do Brasil. Neste destino do litoral Norte, ainda tem as praias de Tabuba, Ilha da Croa e Ponta de Gamela. O melhor roteiro é passear de bugre, caminhar, saborear uma peixada, bolinhos de macaxeira e curtir o sol nas águas tranquilas do litoral desse paraíso banhado pelo Rio Santo Antônio, que deu origem ao nome da cidade. Passeios A Praia de Carro Quebrado está entre as dez mais desertas e bonitas do Brasil. Localizada no município de Barra de Santo Antônio, só é possível chegar até a praia de bugre, pela estrada de barro, ou de lancha, pelo mar. Cada caminho tem suas belezas, mas o resultado final é o cenário exótico, encravado em vastos coqueirais e esculturais falésias. 14 | Maceió | 2018

[close]

p. 15

Pelo mar - O passeio de lancha até a Praia de Carro Quebrado é veloz, mas tem paradas para os visitantes apreciarem as águas cristalinas, o azul do mar e os corais preservados. O tempo de duração é em torno de 20minutos. O tempo de permanência na praia é de 45 minutos, porque quando a maré começa subir é tempo de voltar, pois água chega às falésias. Pela terra – Para chegar lá, tem aventura pela estrada, a bordo de um bugre, apreciando a vida da comunidade e a beleza do canavial. Nesse passeio tem a parada obrigatória no mirante natural no alto das falésias para assistir ao espetáculo do litoral de belezas raras da Barra Santo Antônio. Areia colorida - Os paredões de argila e arenito da Praia de Carro Quebrado foram formados pela força do mar, e apresentam sedimentos coloridos que ficam ainda mais evidentes no contato com a água. Vermelhos, amarelos, azuis e roxos, de várias tonalidades, encantam turistas e geram renda para a população, que extrai o material para confeccionar lembrancinhas e comercializá-las em barracas improvisadas – as únicas encontradas em toda a praia. Lendas - O cenário encanta, e se não for suficiente para satisfazer aos olhos e a curiosidade do visitante, ainda há histórias contadas pelos guias e vendedores locais sobre a origem do nome Carro Quebrado. As versões são muitas, diferentes, e vão desde o azar de um casal de namorados que foi visitar o local e ficou preso depois de um problema no carro, até brigas de família. Como em décadas passadas, o trajeto era percorrido em carros de boi, que quebravam ou atolavam na areia fofa da praia, a lenda também inclui essa história. Curiosidade – As falésias têm uma cavidade conhecida pelos guias como “toca do amor”. Aberta no paredão pela fúria do mar, ela já serviu de ponto de encontro para muitos namorados interessados em conhecer as belezas que a praia oferece. Na praia tem barzinhos simples para petiscar pescados e tomar água de coco. Duração: 1h30 a 2h/ Não aceita cartões. Telefones: 82 996365118/ 9911-1273/ Saída da Praia de Tabuba. Da Praia de Tabuba até às falésias de Carro Quebrado são 16km de belezas naturais. Piscina natural Na Praia de Tabuba também tem passeio às piscinas naturais. Elas são menos conhecidas, porém donas de grande beleza, permitindo mergulhar nas águas transparentes, tirar fotos e compartilhá-las com o mundo. O passeio é realizado pelos pescadores em jangada. Normalmente os pescadores oferecem os passeios nas pousadas. Passeio de jangada: Paulinho (82) 99303.5028/ Roberto (61) 8140.6699 MMaacceeiióó || 22001188 || 1155

[close]

Comments

no comments yet