Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

Bacia do Piracicaba, Setembro de 2018 / Edição 243 – Ano XXV / Distribuição Dirigida Gratuita / Nas bancas: R$ 2,00 senhoras da terra Página 3 e 4 Preservando o patrimônio Comunidade , poder público e iniciativa privada dão exemplo de parceria para proteger a Lagoa do Teobaldo Páginas 6 e 7 Aves do Piracicaba Nesta edição apresentamos o beija-flor-magnífico, encontrado na Serra do Gandarela e Serra do Caraça. Página 12

[close]

p. 2

2Setembro de 2018 “Questão ambiental nem sempre está no debate eleitoral”, diz especialista do WWF-Brasil “Especialista fala sobre a campanha, aponta os desafios das cidades brasileiras quando o assunto é meio ambiente e sugere soluções para resolver os problemas ambientais no país” Geral - Saúde e educação costumam dominar os debates eleitorais. Já meio ambiente, tema não menos importante, acaba ficando em segundo plano. A constatação é da coordenadora do Programa de Ciências do WWF-Brasil, Mariana Napolitano Ferreira. Para ganhar destaque no pleito deste ano, o WWF lançou, em parceria com a Aliança pela Água, a campanha #votepelaagua, que estimula os eleitores a escolher candidatos comprometidos com a questão. Mariana fala sobre a campanha, aponta os desafios das cidades brasileiras quando o assunto é meio ambiente e sugere soluções para resolver os problemas ambientais no país. Segundo Mariana os principais desafios estão ligados à questão de água e do saneamento. “Tem muito a ver com a questão de poluição também o transporte. Todo esse modal de transporte, transporte público, carro, tudo isso gera poluição do ar muito forte, muita emissão de carbono. E eu traria também a questão ligada a abastecimento: de onde vem a comida da cidade? Ela vem de perto? Ela vem de produtor local? Como é produzida? E, por último, traria a questão das áreas verdes, dos parques, que é importante tanto para a qualidade do ar quanto para a fauna que ainda existe nas cidades quanto para o lazer das populações”, pontuou.. Para enfrentar esses desafios, Mariana diz que a primeira coisa é que existam, de fato, planos claros para esses temas, que eles sejam prioridades para os governos: “Geralmente, quando a gente acompanha os debates eleitorais, a gente vê muita coisa relacionada à saúde e educação, que são temas importantíssimos, mas igualmente importante é a questão ambiental, e nem sempre esse tema é tão presente no debate e no compromisso dos candidatos”, diz a especialista. Ainda de acordo com Mariana, fala-se muito que questão ambiental depende de educação, a educação ambiental é importante, é um tema cada vez mais presente na educação escolar: “mas pode ser melhor explorado. Às vezes, as pessoas falam de educação ambiental e vão falar de coisas muito distantes. Para uma pessoa da cidade, educação ambiental é proteger a Amazônia, coisas assim que as pessoas não conseguem aplicar no seu dia a dia. A educação ambiental tem que trazer os temas de como a pessoa pode viver de uma forma mais sustentável, seja na sua alimentação, no seu consumo de água, no que ela faz com o lixo. Quanto a ser uma questão mais da sociedade ou do poder público, difícil diferenciar, porque, primeiro, quem escolhe nossos representantes políticos são as pessoas. Quanto mais as pessoas estiverem conscientes de que esse é um tema importante na pauta dos seus candidatos, elas vão votar melhor. A outra coisa é que a sociedade é agente de transformação, de monitoramento e de cobrança do poder público. Então, o poder público está a serviço da sociedade. Acho que quando os temas afetam as pessoas, elas se manifestam, elas cobram. É muito difícil separar as duas esferas, elas estão muito ligadas”, completa. Expediente: • Diretor Responsável: Geraldo Magela Gonçalves • Comercial: dindao@bomdiaonline.com (31) 9 9965-4503 • Diagramação/Arte: Sérgio Henrique Braga • Impressão: Gráfica Bom Dia • Representante Comercial: Super Mídia Brasil - BH Redação e Administração Rua Lucindo Caldeira, nº 159, Sl. 301, Alvorada, CEP.: 35930-028 João Monlevade / MG / Brasil (31) 3851.3024 • A Voz do Rio Online: www.tribunadopiracicaba.com Circulação: Bacia Hidrográfica do rio Piracicaba FUNDADO EM FEVEREIRO DE 1994 Razão Social : Geraldo Magela Gonçalves MEI CNPJ 27.776.573/0001-68 Inscrição Estadual : Isenta Inscrição Municipal 123470CNPJ.: 24538633/0001-16 Todos os Direitos Reservados dindao@bomdiaonline.com

[close]

p. 3

3Setembro de 2018 Dia da Árvore – senhoras da terra e da vida Geral – É sempre bom chamar a atenção para o que muitas vezes parece o óbvio, mas de tanto o ser, acaba passando despercebido. No dia 21 de setembro, comemora-se o Dia da Árvore. A data é celebrada no mundo todo, mas em dias diferentes. No Brasil o dia 21 de setembro foi escolhido por ser véspera da primavera, estação em que as plantas florescem em abundância. A data é considerada uma ocasião especial para tratar de assuntos ligados à ecologia junto a públicos diversos, leigos ou especialistas. Convida também para a reflexão sobre o respeito ao meio-ambiente, a preservação das florestas, o equilíbrio do ecossistema, o combate à poluição, entre outros temas. Vale ressaltar que as árvores são as senhoras da vida e, assim como a água, sem elas, estaria comprometida toda a vida na terra. Origem da data A data foi instituída pelo decreto 55.795, assinado em 1965, pelo então presidente Humberto Castelo Branco. Nesse decreto foi definida a celebração da Festa Anual das Árvores, em substituição ao Dia da Árvore. De acordo com o decreto, o objetivo da comemo- ração é “difundir ensinamentos sobre a conservação das florestas e estimular a prática de tais ensinamentos, além de divulgar a importância das árvores para o progresso do País e para o bem-estar dos cidadãos”. O artigo 3° define que a Festa Anual das Árvores deve ser comemorada durante a última semana do mês de março nas regiões Norte e Nordeste; e na semana com início no dia 21 de setembro nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Essa alternância de datas foi definida em função das diferenças climáticas entre as regiões. A árvore mais velha do Brasil A árvore mais antiga do Brasil é um jequitibá rosa de mais de três mil anos, localizado no interior do Estado de São Paulo, em Santa Rita do Passa Quatro. Sua copa mede 36 metros de diâmetro e serve de abrigo para diversas espécies de animais, como insetos, aves e macacos. Quando sua semente germinou no solo de onde hoje fica a cidade de Santa Rita do Passa Quatro, interior de São Paulo, o mundo estava a um milênio do início da era cristã; as civilizações grega e romana, pilares da cultura ocidental, ainda não haviam se consolidado, e levaria 2500 anos até que as naus portuguesas aportassem no Brasil. Da tal semente brotou por volta do ano 1000 antes de Cristo o jequitibá-rosa que hoje é carinhosamente chamado de Patriarca, devido à sua imponência e por ser a árvore brasileira mais antiga de que se tem registro. As proporções do vegetal ancião impressionam: depois de três mil anos de vida, ele atingiu uma altura de 40 metros, o equivalente a um prédio de 13 andares. Com um diâmetro de 3,6 metros e circunferência medindo 11,3 metros, são necessários cerca de dez homens para conseguir abraçar o tronco inteiro. De acordo com um site de turismo do município paulista, as raízes da árvore chegam a uma profundidade de 18 metros e seu peso bruto foi calculado em 264 toneladas, o equivalente a 53 elefantes com peso médio de cinco toneladas. Especialistas estimaram que, sozinho, o Patriarca tenha sequestrado mais de 132 toneladas de CO2 ao longo de sua existência. Segundo a prefeitura local, o jequitibá-rosa reúne aproximadamente 190 metros cúbicos de madeira, montante que possibilitaria construir em torno de 15000 cadeiras. Para assegurar que este último dado permaneça sendo apenas uma curiosidade e que ninguém danifique este valioso patrimônio natural brasileiro, o governo de São Paulo mantém no local uma reserva chamada Parque Estadual de Vassununga, que abriga uma das maiores quantidades de jequitibás-rosa do mundo. A área protegida foi criada em 1970 e atualmente é gerida pela Fundação Florestal, vinculada à secretaria estadual do meio ambiente. A árvore mais antiga do Brasil, um jequitibá rosa (FOTO) tem mais de três mil anos Saiba mais: Você já parou para pensar no tamanho da importância que as árvores têm para o nosso Planeta? Então vamos lá! Além de reter o dióxido de carbono (CO2), que em excesso contribui para o aquecimento global, elas fornecem a maior parte do oxigênio de que precisamos para sobreviver. Assim, contribuem para diminuir a poluição e ajudam a reduzir casos de asma, de câncer de pele e até de doenças relacionadas ao estresse. E tem outra coisa. Quem não gosta de aproveitar a sombra de uma árvore para brincar, ler um bom livro ou fazer um picnic? Achou muito? Pois fique sabendo que ainda tem mais: _ As árvores ajudam a reduzir em até 10% o consumo de energia porque as folhas e as raízes contribuem para o controle do clima. As folhas ajudam a reduzir a temperatura. Elas liberam umidade no ar. Tudo isso acontece sem que a gente consiga ver, mas uma árvore, sozinha pode liberar 150 mil litros de água no meio ambiente por ano! Isso faz com que o clima fique mais agradável e diminua o uso de ventiladores e ar condicionado. _Desenvolvem um papel importantíssimo no ecossistema, pois são responsáveis por manter mais de 50% da biodiversidade, variedade de formas de vida que podemos encontrar na terra como plantas, aves, mamíferos, insetos, etc. _Diminuem a poluição sonora e os ventos, mantendo a umidade do ar e a regularidade das chuvas. _Suas folhas podem ser usadas em medicamentos e chás. _Produzem frutas, flores, sementes, fibras, madeira, látex, resinas e pigmentos. _Geram saúde dos solos e evitam erosão com suas raízes. _Reduzem o impacto das águas da chuva, amortecendo os pingos, fazendo com que toda água infiltre suavemente pelo solo, evitando o carreamento de resíduos sólidos para os cursos de água e contribuindo para abastecimento do lençol freático.

[close]

p. 4

4Setembro de 2018 São Gonçalo comemora Semana da Árvore com diversas atividades Distribuição de sabão ecológico é uma das ações para comemorar o Dia da Árvore Distribuição de mudas também é parte da programação do Dia da Árvore em São Gonçalo São Gonçalo do Rio Abaixo - Para comemorar o Dia da Árvore, celebrado na sexta-feira, dia 21, a Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, está organizando uma extensa programação. Na quinta-feira (13), foi promovida uma palestra sobre reciclagem na Câmara Municipal e visita ao Aterro Sanitário. Nos dias 17 e 18, os estudantes das escolas municipais de São José, Pacas, Manoel Gonçalves Moreira, de Tempo Integral do Centro e de Var- gem Alegre e do Centro Educacional São Gonçalo do Rio Abaixo (Cesgra) participam da peça de teatro “Reciclar”, no Centro Cultural. Serão realizadas sessões às 8h30 e às 13h. Para a quarta-feira (19), às 13h, está programada uma trilha no Viveiro de Mudas com os alunos da Educação Infantil da Escola Municipal Manoel Gonçalves Moreira. No dia seguinte (20), os alunos do 7º ano do Cesgra farão plantio e plantio e limpeza da Avenida Central a partir das 13h. Encerrando as atividades, na sexta-feira (21), das 9h às 16h, serão realizadas diversas atividades simultâneas na Praça Central. Haverá distribuição de mudas e sabão ecológico, demonstração da composteira, dinâmica do solo, aferição de pressão e medição de glicose, rua de lazer e oficinas de vaso irrigável, sa- bão ecológico, confecção de pipa, brinquedo recicláveis, jogo ambiental e desenho. A Semana da Árvore de São Gonçalo do Rio Abaixo tem a parceria da Casa do Aprender, Polícia Militar do Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Saúde, Senai, Sotreq e Vale. Catas Altas organiza atividades para comemorar Dia da Árvore Catas Altas - A Prefeitura de Catas Altas está preparando diversas atividades para celebrar o Dia da Árvore, comemorado nacionalmente em 21 de setembro. A programação começou na segunda-feira, 17 de setembro, com concurso de poesia e desenhos com alunos das escolas Agnes Pereira Machado e João XXII, no Morro D’Água Quente (de 17 a 21 de setembro). Durante a semana, ainda acontece a limpeza no Rio Maquiné (entre os dias 17 e 20) e plantio de mudas nativas no Rio Maquiné (dia 21). Por fim, no dia 28 de setembro, acontecerão oficinas (das 14 às 17 horas) e teatro (às 19 horas) em frente à igreja Matriz. Rio Maquiné receberá mudas em suas margens

[close]

p. 5

5Setembro de 2018 Vereador busca recuperação da lagoa do Fidalgo quentes de verão. Devido ao descaso tanto do poder público quanto da população a lagoa foi tomada pela vegetação e sendo assoreada por resíduos sólidos se encontrando hoje em estado crítico de degradação. Transformação O vereador Hugo promete lutar pela recuperação do que chamou de Cartão Postal da cidade Rio Piracicaba – Durante a reunião ordinária do dia 12 de setembro, o vereador Hugo Pessoa de Almeida, através da indicação número 134/2018, solicitou do poder executivo que promova o desassoreamento e a recuperação da “Lagoa do Fidalgo”. Durante sua justificativa o vereador falou que em um passado recente a mesma se apresentava como um cartão postal da região: “Infelizmente hoje ela está totalmente tomado pelo mato, estando toda assoreada, por isso essa minha solicitação”, defendeu. Vale lembrar que a represa do fidalgo é tombada para fins de preservação e declarada monumento natural e histórico da cidade conforme Lei Orgânica Municipal em sua Seção V – Da Cultura conforme segue: Lei Orgânica do Município de Rio Piracicaba SEÇÃO V / DA CULTURA Parágrafo único - Ficam tombados para o fim de preservação e declarados monumentos naturais, paisagísticos, artísticos ou históricos em prejuízo de outros que venham a ser tombados pelo Município. III - área da represa da Usina Elétrica de Fidalgo. Saiba mais: A Represa do Fidalgo foi construída juntamente com uma usina com objetivo de gerar energia para a cidade e seus distritos, função que cumpriu durante longos anos até o final da década de 50, sendo desativada logo quando entrou em funcionamento o sistema das Centrais Elétricas de Minas Gerais, antiga Cemig, que foi fundada em 1952. Após desativada, a usina foi literalmente abandonada, ficando geradores e imóveis a mercê do tempo. Ainda hoje existem a casa de máquinas, a casa do responsável pelo comando da usina, a rede de dutos que conduzia a água até as turbinas, a barragem e o lago – formando o complexo da Lagoa do Fidalgo. Depois de deixar de gerar energia a “Lagoa do Fidalgo” continuou atender a população oferecendo lazer através da pesca e uso para o banho durante os dias mais Assim como a comunidade do entorno da Lagoa do Teobaldo (páginas 6 e 7), abraçaram a ideia de salvar aquele patrimônio natural, as comunidades do entorno da Lagoa do Fidalgo podem tomar como exemplo e fazer o mesmo com o patrimônio histórico de Rio Piracicaba, criando uma associação em prol daquele espaço. A Lagoa do Fidalgo, além de ser parte importante da história de Rio Piracicaba, quando forneceu energia para par- A barragem sobreviveu aos anos e até a tentativas de demolição de sua estrutura te da cidade, acabou se transformando em um reservatório de água, um espaço ecologicamente equilibrado, contribuindo com a manutenção do córrego do Fidalgo, que desagua no rio Piracicaba. Com união e planejamento pode-se desassorear a lagoa, conforme indicação do vereador Hugo Pessoa, a associação poderia transformar a lagoa em uma área de lazer e entretenimento, além de promover um ambiente ecologicamente saudável, inclusive valorizando todas as propriedades em seu entorno. Em primeiro plano a casa do responsável pela usina, quando a mesma funcionava, ao fundo a casa das máquinas O lago, outrora formava um grande espelho d´água, hoje se encontra totalmente assoreado

[close]

p. 6

6Setembro de 2018 Comunidade e Cenibra celebram parceria pelas águas Encontro Anual pelas Águas da Lagoa do Teobaldo comemora “Dia da Árvore” partindo para 20 anos do movimento A comunidade, como em anos anteriores, compareceu em massa Antônio Dias - O Encontro Anual pelas Águas da Lagoa do Teobaldo, evento que parte para sua vigésima edição em 2019, se revelando uma experiência de parcerias de sucesso, mais uma vez atinge seu objetivo com a participação efetiva da comunidade, poder público e iniciativa privada. A marca explícita do evento que aconteceu esse ano no dia 15 de setembro, antecipando a comemoração do Dia da Árvore, foi, assim como em edições anteriores, a comunidade envolvida emocionalmente com a lagoa, a empresa Cenibra, reconhecendo a luta e percebendo a necessidade de preservação daquele importante lago natural e o poder público cumprindo seu papel de atender os anseios da população bem como proteger seu patrimônio natural. Vale destacar o empenho do funcionário da Cenibra, Júlio Madeira, responsável pela estrutura do evento, que cuidando de todos os detalhes, conseguiu superar as expectativas apesar da pouca estrutura que o local oferece. Prestigiaram o evento o prefeito de Antônio Dias, Benedito de Assis Lima, o Ditinho, atento ao potencial turístico que o local oferece,o engenheiro ambiental Cláudio Guerra, mentor de todo o movimento que deu início ao “Encontro das Águas”, o presidente e o vice-presidente da AALT, Alessandro Oliveira e José Martins de Barros (Zé de Xéo) respectivamente, funcionários da Cenibra, Aloísio de Castro da Rádio Integração e policiais do 2º Pelotão PM Mamb de Ipatinga. Atividades marcaram o evento Várias atividades contaram com o envolvimento das crianças de escolas rurais do entorno da lagoa e do Centro de Edu- cação Ambiental e Popular (CEAP) e da zona urbana de Antônio Dias. Houve também estandes apresentando soluções ecológicas para destinação de lixo, reciclagem, educação ambiental com apresentação da “Bola de semente” e demonstração sobre a reutilização do lixo, transformando caixinhas suco em carrinhos transportando mudas de girassol. O Tribuna do Piracicaba – A Voz do Rio apresentou um “Varal” exibindo inúmeras edições do jornal – mostrando a situação da bacia do Piracicaba. Além das manifestações artísticas, aconteceu ainda plantio de mudas às margens da lagoa, café comunitário, abraço à lagoa e distribuição de mudas aos moradores das comunidades envolvidas no projeto. Ao final do evento uma nova cartilha sobre a Lagoa do Teobaldo foi distribuída aos presentes juntamente com um boné promocional da Cenibra. Na oportunidade Júlio Madeira comemorou o sucesso do evento informando que, para o ano de 2019 quando se comemora os 20 anos do encontro, muitas novidades poderão acontecer. Saiba mais: A Lagoa do Teobaldo, localizada a uma altitude 1000 metros fica no município de Antônio Dias e ocupa uma área aproximada de 10 hectares. A lagoa do Teobaldo é considerada o maior reservatório natural de água em região montanhosa de toda a bacia do rio Piracicaba. Uma de suas características interessantes é que ela, diferente de muitas, não é abastecida por um curso d´água e sim, mesmo na altitude que se encontra, nasce no próprio local.

[close]

p. 7

7Setembro de 2018 Associação apresentará anteprojeto de Centro de Convivência e Mirantes à Cenibra Geral - A Associação de Amigos da Lagoa do Teobaldo (AALT) já iniciou os trabalhos visando comemorar 20 anos de existência do movimento de preservação da Lagoa do Teobaldo, em junho de 2019. Cabe lembrar que este movimento ganhou uma conotação social importantea partir do envolvimento das comunidades daquela microrregião, especialmente das crianças das escolas rurais. A história deste movimento socioambiental exitoso é contada na cartilha da AALT: Lagoa do Teobaldo : Conhecer para preservar, que foi recentemente reeditada pela Cenibra, num formato mais moderno. Diante da necessidade de se valorizar mais as belezas naturais daquela região, ampliar suas potencialidades para o ecoturismo (de inverno e verão) e facilitar o desen- volvimento de atividades de educação ambiental, a AALT apresentará à Cenibra um anteprojeto para a construção e montagem de uma estrutura fixa composta de: um Centro de Convivência (onde hoje ocorrem os encontros anuais, na Praça do Cruzeiro); 2 mirantes (um próximo à Lagoa e outro a 3 Km); 1 pier de madeira, para facilitar o acesso de banhistas, pescadores amadores e de barcos de passeio(Ver figuras 1, 2 e 3 ). É muito importante ressaltar que a ideia central do Projeto é fazer todas as construções utilizando eucalipto tratado e montar o píer sobre tambores reciclados, além de usar areia, brita, tijolos e outros materiais da própria região. Outro aspecto a enfatizar é que a comunidade local do entorno da Lagoa é que vai cuidar dos equipamentos e benfeitorias realizadas no Centro de Convivência, retirando esses equipamentos móveis para sua guarda, após o término dos eventos. O anteprojeto foi realizado pelo arquiteto Marco Antônio Fernandez, membro da AALT. Ponto onde seria construido um dos mirantes do Teobaldo

[close]

p. 8

8Setembro de 2018 Conheça o Portal do Código Florestal Brasileiro e sua atualização Geral - O Portal do Código Florestal lançado em outubro 2017 é uma plataforma online desenvolvida por BVRio para o Observatório do Código Florestal, com o objetivo de ampliar a transparência referente às informações sobre o cumprimento do Código Florestal brasileiro. As ferramentas e recursos no Portal do Código Florestal podem ser utilizados por diferentes usuários. Os produtores rurais podem acompanhar a evolução das políticas públicas relacionadas ao cumprimento do Código Florestal. As empresas que utilizam ou comercializam commodities e produtos agropecuários brasileiros têm no portal uma importante fonte de dados sobre a situação atual nos estados de onde obtém sua matéria-prima. Organizações da sociedade civil e órgãos de controle, como o Ministério Público, utilizam o Portal para monitoramento do cumprimento da lei. E os consumidores podem obter informações sobre o compromisso das empresas com o cumprimento da mais importante legislação de proteção da vegetação nativa brasileira. Programas de Regularização Ambiental – PRA Os programas estaduais de regularização ambiental (PRAs) são essenciais para viabilizar o correto cumprimento do Código Florestal. Para que o proprietário ou posseiro possa regularizar seu imóvel e sua produção, ele precisa aderir ao PRA do estado onde se localiza. É no PRA que se definem as diretrizes e requisitos para a restauração ou compensação da vegetação nati- va, no caso dos imóveis que têm déficit de cobertura vegetal, e os incentivos para os imóveis que possuem vegetação acima do mínimo exigido por lei. O Portal do Código Florestal disponibiliza informação sobre quais estados já possuem PRAs – permitindo consultar e baixar toda a legislação pertinente para cada estado – , quais estados estão elaborando seus planos e quais ainda não iniciaram este processo. Esta ferramenta favorece o monitoramento por parte da sociedade, que pode pressionar os governantes para que se empenhem na implementação do Código Florestal. Monitoramento de compromissos Global Canopy Programme (GCP) desenvolveu o Forest 500, a primeira agência de classificação de florestas tropicais do mundo. Ele identifica e classifica as empresas, instituições financeiras e governos mais influentes à medida que estes avançam na direção de uma economia global livre de desmatamento. O Scorecard Forest 500, desenvolvido por GCP para o Portal do Código Florestal, ajuda compradores a identificar quais das empresas que fornecem commodities produzidas no Brasil para suas cadeias de produção cumprem com o Código Florestal. São acessados produtores, indústrias, fabricantes, comerciantes e varejistas. O portal do Código Florestal concentra num só espaço todas as informações necessárias para que o Código Florestal brasileiro seja cumprido da melhor forma. Utilize-o! http://www.portaldocodigo.org/ Queimadas prejudicam 20 mil consumidores da Cemig Geral - Levantamento realizado pela Cemig apontou que 20 mil clientes ficaram sem energia elétrica no primeiro semestre de 2018, após incêndios atingirem a rede elétrica. No período, foram registradas 77 interrupções na área de concessão da empresa. No primeiro semestre de 2017, foram registradas 95 ocorrências, afetando mais de 41 mil usuários. Apesar da queda no número de interrupções em relação ao ano anterior, é preciso ficar atento, já que no segundo semestre as queimadas se intensificam, devido ao clima seco e às altas temperaturas. Para minimizar os possíveis danos provocados pelo fogo, a Cemig realiza anualmente ações preventivas, investindo na limpeza de faixas de servidão, com a poda de árvores e arbustos, remoção da vegetação ao redor das torres e aplicação de pintura antichamas nos postes de madeira em locais de risco. Contudo, de acordo com o engenheiro eletricista Demétrio Aguiar, da Cemig, essas ações não são suficientes, uma vez que a maioria dos incêndios é decorrente de práticas humanas impróprias ou imprudentes. “A principal causa de incêndios florestais em Minas Gerais são as queimadas preparatórias de pastos e de terrenos para plantio, que acabam fugindo do controle dos agricultores e se espalham rapidamente, especialmente em dias de altas temperaturas e baixa umidade do ar. Além disso, o abrasamento de lixo e o descarte de cigarros acesos na beira das estradas também ocasionam queimadas em nosso estado”, explica o especialista. Ainda segundo Demétrio, ao atingir redes de distribuição de energia, os incêndios podem provocar danos aos postes e, consequentemente, destruição dessas estruturas e de cabos condutores. Nessas situações, é necessário substituir os equipamentos, atividade que demanda tempo e provoca a demora na religação dos circuitos atingidos. “Há também o risco de curtos-circuitos em linhas de transmissão e de distri- No primeiro semestre de 2017, foram registradas 95 ocorrências, afetando mais de 41 mil usuários buição de energia elétrica, causados pelo aquecimento das proximidades dos cabos condutores”, ressalta o engenheiro. Além dos danos ao setor elétrico, as queimadas prejudicam a segurança dos motoristas, que têm a visibilidade das pistas comprometida devido à fumaça e, no ambiente rural, reduzem a produtividade nas áreas de cultivo atingidas pelo fogo. Entre os diversos problemas ambientais, vale destacar o impacto na fauna, já que as queimadas florestais destroem o habitat natural e, muitas vezes, matam os animais impossibilitados de fuga Em caso de incêndios, o Corpo de Bombeiros (193) ou as Brigadas Voluntárias de Combate a Incêndios Florestais devem ser avisados o mais depressa possível.

[close]

p. 9

9Setembro de 2018 Iniciando incêndios: Pinheiros as margens de ferrovia são suspeitos grupo registraram esses pequenos focos após a passagem de composições. O Tribuna, após receber a denúncia, percorreu alguns trechos sendo registrados focos junto a ferrovia – onde existem as citadas árvores – em Rio Piracicaba, Monlevade e Nova Era. Diante da situação o Tribuna entrou em contato com a assessoria da Vale Ferrovias questionando se a empresa já tinha conhecimento desses fatos e, após verificar o caso quais medidas seriam tomadas. que realiza monitoramento constante nas áreas de maior incidência de queimadas, trabalho que é reforçado no período de seca, além de disponibilizar o telefone 0800 285 7000 (Alô Ferrovias) para que a comunidade possa avisar sobre incêndios próximos. “A Vale promove ainda, todos os anos, campanhas internas e externas de conscientização sobre os riscos das queimadas ao longo da Estrada de Ferro Vitória a Minas”, informou. Pinheiros ao longo da ferrovia vem produzindo combustível responsável pelo início de grandes incêndios Catas Altas – Pinheiros plantados pela Vale ás margens das ferrovias podem ser um dos motivos da grande incidência de incêndios nesses locais e em seu entorno. O Tribuna recebeu informações sobre um trabalho interessante desenvolvido por um grupo de ambientalistas de Catas Altas, onde eles detectaram uma situação inusitada. Segundo eles, em toda temporada da seca – de maio a outubro, acontecem inúmeros focos de incêndios ao longo da ferrovia que corta a cidade de Catas Altas. Diante desse fato eles passaram a observar os locais onde acontecem esses focos, já que a princípio achavam que haveria um incendiário agindo nessas áreas, diante a constante dos casos. Para surpresa descobriram de onde vem ou são iniciados esses focos. Eles perceberam que quando uma composição passa pela ferrovia, o atrito das rodas com os trilhos muitas vezes geram fagulhas. A Vale promoveu o plantio de pinheiros, ao longo da ferrovia. Essa espécie com sua folhas em forma de acúleos, caem na ferrovia e os mesmos, quando secas, se tornam altamente inflamáveis. Elas vão acumulando ao longo do tempo junto aos trilhos e quando entra a temporada da seca, em alguns momentos, quando as composições passam, são produzidas fagulhas que caem nesse acumulado de acúleos secos – dai se inicia um pequeno braseiro que com o vento incendeiam gerando faíscas que são lançadas até às margens da ferrovia, onde geralmente outro tipo de vegetação é comum – capim colonião, que por sua vez também quando seco é altamente inflamável - iniciando as- sim um incêndio de grandes proporções. Para confirmar e tirar prova da situação, o grupo percorreu grandes trechos onde existem os pinheiro sendo em 90% delas detectadas áreas queimadas. Em vigília, membros desse Vale responde Segundo a assessoria informou, a Vale desconhece estudos ou comprovações técnicas que demonstrem que faíscas produzidas pela passagem das composições possam provocar incêndios florestais. Ainda segundo a assessoria a empresa ressalta Levantamento O Tribuna irá promover junto a Ong´s da região, levantamento e registros dessa situação, somadas aos já existentes e irá reapresentar à empresa e ao Ministério Público Curador do Meio ambiente do estado de Minas Gerais. Inúmeros focos de ncêndios foram registrados após passagem de composição da Vale

[close]

p. 10

10Setembro de 2018 Mirante de São Miguel permanece inacabado Padre Ricardo, prefeito Antônio Cota, Sady Pinto Coelho e deputado Nozinho durante inauguração do Mirante Mirante de São Miguel foi inagurado há 9 meses, mas encontra-se inacabado Rio Piracicaba - Dia 29 de setembro Rio Piracicaba comemora o dia de seu padroeiro, São Miguel e o aniversário de fundação do arraial que deu origem à cidade, 305 anos (há controvérsias – Livro Bastão de Ouro de Raimundo Fonseca). Visando homenagear o padroeiro São Miguel, em 2017 dezenas de populares e inúmeras autoridades prestigiaram a inauguração do Mirante de São Miguel, um sonho do piracicabense Sady Brandão Pinto Coelho, erguido na estrada que liga a cidade à localidade da Estiva. A inauguração oficial contou com a participação do idealizador do projeto Sady Pinto Coelho e de seus familiares, do deputado estadual Nozinho, do prefeito Antônio Cota, do presidente da Câmara Municipal, Tarcísio Bertoldo, do padre Ricardo Caricati entre outras autoridades, secretários municipais e inúmeros cidadãos piracicabenses. Na ocasião Sady Pinto Coelho discursou agradecendo o apoio de todas as pessoas que voluntariamente contribuíram para a aquisição da imagem de São Miguel e às pessoas que o auxiliaram na missão, que seria uma promessa. O prefeito Antônio Cota elogiou o idealizador do projeto, Sady Pinto Coelho e ao deputado que alocou recursos para a execução do mesmo: “Que São Miguel nos proteja”, disse durante ainauguração. Ainda durante o ato de inauguração, o Padre Ricardo Caricati, devoto do Arcanjo, promoveu uma rápida celebração a fez a bênção da imagem borrifando água benta aos pés da escultura de São Miguel. Entretanto, passados nove meses da inauguração, a obra não foi concluída. Obra inacabada Em contato com o jornal, Sady questionou sobre quando os responsáveis pela conclusão do mirante irão concluir a obra. Segundo ele falta iluminação e colocação do corrimão na parte do lado da estrada, entre outros detalhes: “já está quase fazendo 1 ano que inauguramos a obra, (23-12-2017) e a a prefeitura de Rio Piracicaba já tem verba de R$ 13,800,00, já aprovada pela câmara para este fim, ou outros que forem necessários”, comentou. O vereador Tarcísio Bertoldo informou ao Tribuna que vem solicitando o empenho da prefeitura para que esse acabamento seja feito, tornando o local mais apropriado à visitação pelos piracicabenses e visitantes. Saiba mais: Os recursos para construção do mirante veio através de emenda parlamentar do deputado Nozinho e a aquisição da imagem de São Miguel, que custou R$ 15 mil, não contemplada na verba parlamentar, aconteceu graças a doação voluntária de inúmeras pessoas. A escultura do Arcanjo pesa cerca de 900 kg e mede aproximadamente 2 metros de altura, sendo esculpida em pedra sabão pelo artesão Reginaldo Novais, morador do distrito de Cachoeira do Campo, município de Ouro Preto. A pedido de Ester Sanches, Santa Casa de BH doa dezenas de camas para hospital de Rio Casca Rio Casca foi assunto nos principais noticiários do Estado no final de 2017 e início de 2018, devido à tempestade que destruiu grande número de casas e danificou outras centenas, além de ter arrasado boa parte da Cidade. Na ocasião, a empresária e líder social Ester Sanches arrecadou cestas básicas e roupas, que foram doadas às famílias prejudicadas. Ester, na ocasião, também começou um movimento com o propósito de arrecadar materiais para reconstrução das moradias. Ela chegou a acionar nos Estados Unidos alguns fortes empresários, na tentativa de conseguir recursos. “Também cheguei a participar de algumas reuniões em Rio Casca, a convite do advogado Dr. Leonardo Mouro, e cheguei a traçar uns planos que, sem dúvida, trariam muitos recursos para a reconstrução da casas e do Município. Mas, infelizmente, comecei a perceber que uns rio-casquenses estavam levando aquele movimento para o lado político. E, como entendo que não devemos fazer política quando ao assunto é o sofrimento das pessoas, acabei desistindo de prosseguir com a minha participação”, comentou Ester. Entretanto, a empresária resolveu ajudar por conta própria e comprou dois caminhões com cimento, que foram doados a um grande número de vítimas das chuvas no início deste ano. “Outra coisa eu fiz, foi pedir à Diretoria do hospital Santa Casa de Misericórdia, de BH, que doasse camas para o hospital de Rio Casca. A solicitação foi atendida entregues no hospital há alguns meses”, ressaltou a líder social. Provavelmente por questões políticas, segundo Ester, quem recebeu as camas ficou em silêncio para não lhe deu crédito. “E, por isso, só fiquei sabendo das camas recentemente, pelo próprio pessoal do Santa Casa. Mas, não me incomodo com isso. O importante é ajudarmos sem saber a quem”, concluiu a empresária, que retornou a BH para agradecer à diretoria da entidade a doação. Ester Sanches (na foto, sentada à esquerda), quando esteve reunida, há alguns meses, com a Diretoria da Santa Casa para solicitar a doação das camas.

[close]

p. 11

11Setembro de 2018 Legislativo piracicabense promove cultura no aniversário da cidade Em 2017 a praça permaneceu lotada durante os dias do evento. Em 2018 a população não terá o que comemorar Rio Piracicaba - Há 13 anos promovendo cultura durante a semana do aniversário da cidade, esse ano a “Semana Cultural do Legislativo Municipal” trará alterações significativas. Essa edição, a ser realizada na última de setembro, 24 a 29, em Rio Piracicaba, vem com uma série de mudanças idealizadas pelo presidente do Legislativo, vereador Tarcísio Bertoldo. Entre as mudanças estão a inclusão dos distritos de Conceição de Piracicaba (Jorge) e Padre Pinto (Caxambu) na programação. Pela primeira vez os distritos irão sediar, durante um dia, as apresentações. De acordo com o presidente Tarcísio Bertoldo, a mudança visa inserir estas comunidades na programação da festa possibilitando a participação de um número máximo de munícipes nas festividades. Anteriormente as ações eram realizadas exclusivamente na sede do município. As apresentações noturnas serão realizadas em Caxambu e Jorge, com shows de artistas locais em palco a ser montado em pontos centrais das comunidades. A mobilização para os distritos se fez possível graças ao envolvimento dos setores público e privado. A Prefeitura Municipal dará o apoio necessário e a Vale o patrocínio. Outra mudança é quanto ao local das apresentações noturnas que agora serão realizadas na Praça Maria do Rosário Caldeira. Anteriormente todas as edições da Semana Cultural foram realizadas em palcos montados na área externa em frente à sede do legislativo. A exposição de peças e criações de artesãos locais também foi transferida para a Praça. Da redação 2018 – Sem cultura, sem lazer, sem memória Até o ano de 2004 o aniversário de fundação de Rio Piracicaba passava sempre em “brancas nuvens”, sem nenhuma programação de destaque que desse espaço tanto para apresentações da arte e cultura do piracicabense bem como lazer para a cidade. A partir do ano de 2004, a Câmara Municipal, percebendo esse vazio, resolveu promover a cultura, dando espaço para todos e promovendo a cidade. Foram 13 anos de sucesso e aprovação de toda comunidade. Após a edição de 2017, que mais uma vez repetiu o sucesso das versões anteriores – não se sabe quem e o porquê – denunciou o evento ao Ministério Público e este, por sua vez, acatando a denuncia – notificou a Câmara, proibindo a mesma de continuar com a promoção. Diante disso, esse ano a cidade ficará vazia – a semana do aniversário, assim como a 13 anos atrás, passará em brancas nuvens – e o cidadão, por obra de um espírito maligno, mai9s uma vez – perde. Pela programação acima apresentada – referente ao ano passado, quantas pessoas foram prejudicadas? Em tempo – No dia 29 de setembro acontecerá a tradicional Rústica de São Miguel e um Festival Gastronômico na Praça Maria do Rosário Caldeira, a partir das 9 horas. Programação Dia 24 – Segunda-feira / Auditório 8 horas - Escola Municipal Pré-Escolar Pingo de Gente / Teatro: Emengarda “A Barata” / Musical: Sonho que sonhei / Escola Municipal Deputado João Nogueira de Rezende - Musical: A bruxinha / Associação Comunitária de Padre Pinto – Creche Dona Rita / Musical com tambores / Cinema: Pets – A vida secreta dos bichos 13h30min - Escola Municipal Murillo Garcia Moreira / Teatro: Chapeuzinho Vermelho / Escola Municipal Bernardo Ferreira Guimarães / Dança Afro do Grupo Boi Fogueira de Caxambu / Escola Municipal Córrego São Miguel / Musical: Tributo a Vinicius de Moraes / Cinema: Os Smurfs 3 19 horas – PRAÇA MARIA DO ROSÁRIO CALDEIRA Encontro das Bandas de Músicas Santa Cecília, Pio XII e Nossa Senhora Auxiliadora / apresentação de dança com Filipe Félix / Desfile Mostra de Modas Kids / Show Musical: Mike Santos e Banda / Show Musical: Amanda Garcias e Banda Dia 19 – Terça-feira - Auditório 8 horas – APAE - Musical da APAE / Presídio de Rio Piracicaba - Musical: A voz da liberdade / Banda de Música da Escola Estadual Professor Antônio Fernandes Pinto. 13h30min - Centro de Educação Infantil Criança Feliz - Dança: Lá na Fazendinha / Declamação: Poema para o Papai - Escola Municipal de Pré Escolar Dona Rita Martins - Musical: A dança das caveiras / Cinema: Moana – Um Mar de Aventuras 19 horas – PRAÇA MARIA DO ROSÁRIO CALDEIRA Escola Municipal Murillo Garcia Moreira - Mashup: Voices / Projeto Meninos de Minas – Itabira / Show Musical: Vanderly Nascimento / Show Musical: Silvano Havanz By Laércio Silvano Dia 20– Quarta-feira - Auditório 8horas - Escola Municipal de Pré- Escolar Mickey - Declamação: As Borboletas / Escola Estadual Conselheiro José Joaquim da Rocha - Teatro: Pretinho, meu boneco querido / Cinema: As Aventuras de Robinson Crusoé 13h30min - Creche Eunice Lelis Santiago - Musical: O pano encantado / Escola Estadual Marinho Silva - Dança: Ai Menina / Escola Estadual Conselheiro José Joaquim da Rocha - Musical com dança: Ninguém é igual a ninguém / Cinema: O Poderoso Chefinho 19 horas – EM FRENTE A IGREJA DO DISTRITO DE PADRE PINTO (CAXAMBU) Encontro de Congadeiros com a Associação Cultural de Congado de Padre Pinto, Guarda Nossa Senhora do Rosário, Guarda São Jorge de Conceição de Piracicaba e Folia Mirim da Escola Bernardo Ferreira Guimarães / Desfile Mostra de Modas / Show Musical: Alan Martins / Show Musical: Ricardo e Claudinei Godoy Dia 21 – Quinta-feira - Auditório 8 horas - Escola Estadual Marinho Silva - Teatro: O “rio Piracicaba” / Escola Municipal Sebastião Araújo - Desfile: Semeando e reciclando consciências / Escola Municipal Córrego São Miguel - Dança: Rap da água / Cinema: Moana – Um Mar de Aventuras 13h30min - APAC - Associação de Proteção e Assistência aos Condenados / Musical: Somos todos recuperandos / CESEC Martinha de Oliveira Araújo / Projeto Música na Escola / Escola Estadual Antonino Ferreira Mendes - Musical: Pais e Filhos / Cinema: Os Smurfs 3 19 horas – PRAÇA DE CONCEIÇÃO DE PIRACICABA (JORGE) Encontro das bandas de Músicas Santa Cecília, Pio XII e Nossa Senhora Auxiliadora. / Desfile Mostra de Modas / Show Musical: Dudu Nunes – Rei do Bailão e Adão Sabarú / Show Musical: Helton Nunes / Show Musical: Pedro Augusto e Banda Dia 22– Sexta-feira PRAÇA MARIA DO ROSÁRIO CALDEIRA: EXPOSIÇÕES de 9 às 15 horas Adir Martins Ferreira: Peças artesanais; Alice Martins Mendes: Peças artesanais; Alessandra Cristina Silva Souza – “Lê Presentes”: Peças artesanais; Aline Penna: Delicias artesanais; APAC: Peças artesanais; Associação dos Moradores/Clube de Mães de Conceição de Rio Piracicaba: Peças artesanais; Conceição Sales Ângelo Santos: Peças artesanais; Divisão de Meio Ambiente: Exposição e distribuição de mudas de árvores; Emater/MG – Escritório Local de Rio Piracicaba: Folders, banners, cartazes e produtos da agricultura familiar; Escola Estadual Antonino Ferreira Mendes: Arte Mosaica; Fazenda Preservar: Peças Artesanais; Grillo: Caricaturas ao vivo; Grupo PET/ Conexão de Saberes em Física e Popularização da Ciência; UNIFEI – Itabira: Projeto Planetário Itinerante; Itaci Emília das Dores Pinto: Peças artesanais; Jeferson Caldeira Abrant (Tio veio brinquedos): Peças artesanais em madeira; Kariene Lage Souza Valentim: Peças artesanais; Luzia Marques Ferreira: Peças artesanais; Maria da Páscoa Silva: Peças artesanais; Marly Martins Mendes: Peças artesanais; Mônica Pereira da Silva: Bordados Computadorizados; Presídio Regional de Rio Piracicaba: Peças artesanais; Rosângela de Barros Machado Cunha: Peças artesanais e pintura a óleo; Rozane Maria dos Santos: Delícias artesanais; San Fest: Paisagens urbanas; Secretaria Municipal de Saúde: Panfletos e cartilhas educativos. 19 horas – PRAÇA MARIA DO ROSÁRIO CALDEIRA Rose Machado Escola de Dança de João Monlevade / Desfile Mostra de Modas / Show Musical: Gabriel Santos / Show Musical: Banda Sonora Hits Dia 23 – Sábado 20 horas – PRAÇA MARIA DO ROSÁRIO CALDEIRA Show Musical: Manossamba / Show Musica: Roanny e Augusto / Show Musical: Ricardo e Daniel

[close]

p. 12

12Setembro de 2018 Aves do Piracicaba - Beija-flor-magnífico *Por João Sérgio Souza Bacia do Piracicaba - Conhecido também como topetinho-vermelho e topetinho-magnífico, o beija-flor-magnífico faz jus tanto ao seu nome popular, como também ao científico: Lophornis magnificus, que em latim significa pássaro com topete magnífico. Aliás, como veremos, não é só o topete que é magnífico nessa espécie. O beija-flor-magnífico é endêmico do Brasil, ou seja, ocorre somente em nosso país e geralmente ocorre na borda de florestas, em regiões montanhosas. Apesar de não estar ameaçado de extinção, é uma espécie rara em grande parte de sua área de ocorrência, encontrá-lo é sempre motivo de festejo por parte de observadores de todo mundo. Interessante ressaltar que a observação de aves é uma atividade muito comum em países desenvolvidos, só nos EUA são mais de 40 milhões de observadores que movimentam bilhões de dólares com o birdwatching. Pesando somente 3 gra- mas e medindo 6,8 centímetros da ponta do bico à ponta da cauda, é a menor espécie de beija-flor do Brasil e uma das menores do mundo! A fêmea dessa espécie também tem lá sua beleza, mas como é de praxe no mundo das aves, a Natureza é bem mais generosa com o macho, afinal ele tem a missão de conquistar a fêmea. Além do magnífico topete, o macho possui extraordinários leques de penas que saem da face, e que, quando excitado, se eriçam de forma espetacular. Outra proeza desse pequeno notável é produzir um som muito forte, tipo um choque elétrico, algo parecido com um “rrreep”, enquanto voa a toda velocidade. Já tive o privilégio de escutar tal som na Natureza e foi muito interessante porque não conseguia detectar sua origem (encontrar esse diminuto beija-flor pousado no mato já não é tarefa fácil, imaginem voando em alta velocidade...). Era um lugar onde havia muitos beija-flores (inclusive um magnífico), então imaginei que fosse ele, pois para escutar o som e não ver quem produziu, só podia ser coisa daquela minúscula ave ou de algum duende querendo pregar uma peça. Depois, pesquisando no site Wikiaves, pude confirmar: era realmente mais um dos truques do magnífico beija-flor. Aliás, descobri que ele usa normalmente esse som em seu complexo display de reprodução, espécie de apresentação rebuscada em que ele tenta seduzir a fêmea. Infelizmente caros leitores, muito provavelmente devido ao desmatamento secular em nossa região, é muito raro observarmos essa incrível ave. Nesses quase 9 anos fo- tografando nossa natureza, encontrei somente uma fêmea na parte santabarbarense da serra da Gandarela. Mariana e Serra do Caraça são outros lugares onde também já foi visto na bacia do rio Piracicaba. Reflexão Despeço-me deixando uma reflexão: O Homem, quando destrói árvores nativas, florestas, talvez não saiba o alcance de tal destruição. Não é simplesmente mato que ele mata, mas muitos seres magníficos que, uma vez “sem teto”, estão fadados ao desaparecimento. PRESTADOR: CNPJ 27.776.573/0001-68 – VALOR DA INSERÇÃO R$496,00 FORMATO – 1/8 – CONFORME NA ARTE AI – 12 X 9

[close]

Comments

no comments yet