Revista Construir Mais n 15 Novembro de 2011

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

cub setembro 0,666 revista mensal do sindicato da indÚstria da construÇÃo no estado de goiÁs sinduscon-go ano i1 nº 16 novembro/2011 obras publicas orçamentos exequíveis e projetos bem elaborados são fundamentais para cumprir prazos e ter qualidade pág 22 entrevista com o presidente da metrobus transporte coletivo s/a carlos maranhão gomes de sá pág 6

[close]

p. 2



[close]

p. 3

e ditorial mais qualidade nas obras públicas no dia 18 de outubro o sinduscon-go se uniu à associação goiana das empresas de engenharia age para realizar na sede do sindicato mais uma edição de seu encontro empresarial agora o assunto em pauta debateu o tema obras públicas ­ qualidade na execução técnica dos orçamentos e projetos o encontro visou fortalecer o entendimento sobre os principais aspectos que vêm travando o bom andamento das licitações prejudicando assim a execução das obras públicas em todo o país para tratar de tão relevante assunto as entidades promotoras contaram com a exposição de representantes da comissão de obras públicas da câmara brasileira da indústria da construção cop/cbic associação sergipana dos empresários de obras públicas e privadas aseopp universidade federal de goiás caixa econômica federal pini tribunal de contas da união tribunal de contas do estado agência goiana de transporte e obras e controladoria geral do estado na nossa visão um dos principais problemas é o valor básico dos orçamentos com preços de referência inexequíveis o cerne desta questão está em realizar um contrato baseado em um orçamento bem feito exequível com preços realistas alinhados aos custos de mercado ressaltamos que é preciso observar procedimentos licitatórios moralizadores como a existência de um projeto executivo antes mesmo da instauração da licitação mas como se diz popularmente esse tema ainda vai dar pano para manga continuaremos incansavelmente promovendo no sinduscon-go discussões que levem ao consenso e à solução definitiva dos gargalos que afetam a qualidade na execução das obras públicas e para saber mais sobre os resultados do encontro convidamos o leitor a apreciar a matéria de capa desta edição a construir mais também abriu espaço para que os dois candidatos à presidência do crea-go gerson de almeida na nossa visão um dos principais problemas é o valor básico dos orçamentos com preços de referência inexequíveis taguatinga e nélio fleury apresentem suas propostas de trabalho certamente por meio da leitura dos artigos engenheiros e agrônomos terão mais uma opção para analisar qual dos dois engenheiros poderá melhor representá-lo na entidade nas duas páginas de entrevista esta edição apresenta o trabalho do presidente da metrobus transporte coletivo s/a carlos maranhão gomes de sá que fala sobre o sistema de transporte coletivo da região metropolitana de goiânia como em todos os meses a equipe responsável pela edição da construir mais se esmerou para trazer as últimas novidades nas áreas de sustentabilidade inovação tecnológica segurança do trabalho recursos humanos e muito mais boa leitura justo oliveira d´abreu cordeiro presidente do sinduscon-go diretoria executiva do sinduscon-go 2010/2013 presidente justo oliveira d abreu cordeiro 1º vice-presidente carlos alberto de paula moura júnior 2º vice-presidente eduardo bilemjian filho diretor administrativo manoel garcia filho diretor adjunto administrativo daniel jean laperche diretor financeiro e patrimonial josé rodrigues peixoto neto diretor adjunto financeiro e patrimonial rodrigo campos ferreira diretor da comissão de economia e estatística ibsen rosa diretor adjunto da comissão de economia e estatística dinésio pereira rocha diretor da comissão da indústria imobiliária roberto elias de lima fernandes diretor adjunto da comissão da indústria imobiliária mário andrade valois diretora da subcomissão de habitação maria amélia alves e silva diretor da subcomissão de legislação municipal ilézio inácio ferreira diretor de materiais e tecnologia sarkis nabi curi diretor adjunto de materiais e tecnologia renato de sousa correia diretor da comissão de concessão privatização e obras públicas valdivino dias de oliveira diretor adjunto da comissão de concessão privatização e obras públicas josé carlos gilberti diretor de qualidade e produtividade humberto vasconcellos frança diretor adjunto de qualidade e produtividade marcelo alves ferreira diretor de construção pesada carmerindo rodrigues rabelo diretor adjunto de construção pesada jadir matsui diretor da construção metálica cezar valmor mortari diretor adjunto da construção metálica joaquim amazay gomes júnior diretor de assuntos jurídicos ricardo josé roriz pontes diretora adjunta de assuntos jurídicos patrícia garrote carvalho diretor da subcomissão de política e relações trabalhistas e sindicais jorge tadeu abrão diretor de saúde e meio ambiente moacyr soares moreira diretor adjunto de saúde e meio ambiente josé augusto florenzano diretor de setor elétrico e telefonia carlos vicente mendez rodriguez diretor adjunto de setor elétrico e telefonia osney valadão marques júnior diretor social e de comunicação darci moreira de lima diretora adjunta social e de comunicação eliane carvalho lima conselho consultivo josé alves fernandes filho paulo afonso ferreira mário andrade valois joviano teixeira jardim sarkis nabi curi josé rodrigues peixoto neto roberto elias de lima fernandes alan alvarenga menezes marcos alberto luiz de campos e Álvaro castro morais suplentes Élbio braz moreira marco antônio de castro miranda e joão arthur rassi conselho fiscal amós vieira wilson luiz da costa e andré luiz baptista lins rocha suplentes doriel natalício da fonseca célio eustáquio de moura e naldo alves mundim representantes junto À fieg roberto elias de lima fernandes e justo oliveira d abreu cordeiro suplentes marcos alberto luiz de campos e guilherme pinheiro de lima representante junto À cbic justo oliveira d abreu cordeiro suplentes carlos alberto de paula moura júnior e mário andrade valois novembro 2011 · construir mais · sinduscon-go 3

[close]

p. 4

s umÁrio 6 entrevista o presidente da metrobus transporte coletivo s/a carlos maranhão gomes de sá analisa o sistema de transporte coletivo da região metropolitana de goiânia 22 matéria de capa sinduscon-go e age reúnem empresários para debater a qualidade na execução técnica de orçamentos e projetos das obras públicas 9 construção sustentável camila storti aborda como gerir adequadamente os resíduos pode resultar em economia e lucro 32 36 38 registro de eventos acompanhe os últimos acontecimentos ocorridos no sinduscon-go 14 artigos os candidatos à presidência do crea-go gerson de almeida taguatinga e nélio fleury apresentam suas propostas de trabalho viva com saúde eu recomendo saiba como prevenir e cuidar do diabetes 17 28 passado presente seriedade honestidade e qualidade marcam a trajetória da construtora rodrigues jácome aquarismo facilidades no cuidado tornaram o hobby ainda mais prazeroso é o tema abordado por adriano carvalho coordenador de projetos e comunicação da construtora biapó inovar é preciso sistema tilt-up opção para construir com rapidez e em escala 42 indicadores econômicos confira o valor do custo unitário básico cub referente ao mês de setembro revista construir mais revista mensal do sindicato da indústria da construção no estado de goiás sinduscon-go sinduscon-go filiado à cbic e fieg rua joão de abreu n° 427 setor oeste goiânia-goiás cep 74120-110 telefone 62 3095-5155 fax 62 3095-5177 portal www.sinduscongoias.com.br presidente justo oliveira d abreu cordeiro diretor social e de comunicação darci moreira de lima gerente executiva sebastiana santos edição joelma pinheiro reportagem aymés beatriz b gonçalves beatriz@sinduscongoias.com br joelma pinheiro joelma@sinduscongoias.com.br e valdevane rosa valdevane@sinduscongoias.com.br fotografia assessoria de comunicação social do sinduscon-go e sílvio simões projeto gráfico© e diagramação robson duarte publicidade celeiro da criação telefone 62 3289-5257 impressão gráfica art3 tiragem 6.000 exemplares publicação dirigida e distribuição gratuita as opiniões contidas em artigos assinados são de responsabilidade de seus autores consciente das questões ambientais e sociais o sinduscon-go trabalha em parceria com a gráfica art3 que utiliza papéis com certificação fsc forest stewardship council na impressão dos seus materiais espaço empresarial informe-se 62 3289-5257

[close]

p. 5

n ot Í ciasdos pa rcei ro s inovação e sustentabilidade da construção civil goiana são referências nacionais dois projetos goianos na área da construção civil tiveram destaque especial no último mês de setembro no cenário nacional a construtora goiana queiroz silveira foi uma das 18 ganhadoras da 17ª edição do prêmio master imobiliário promovido pela federação internacional das profissões imobiliárias fiabci/brasil e pelo sindicato da habitação do estado de são paulo secovi-sp com o case do maior mixed-use de goiânia o empreendimento lozandes corporate design lançado em 2010 foi escolhido pela ação de marketing diferenciada o projeto investiu em ações de divulgação inteligentes o que refletiu diretamente na velocidade de vendas em um mês a primeira das três torres foi totalmente vendida a premiação foi recebida no dia 21 de setembro no clube atlético monte líbano em são paulo os diretores da empresa e irmãos rogério e rodrigo queiroz silveira foram acompanhados pela equipe de trabalho da construtora É um reconhecimento a trajetória de 12 anos da nossa empresa mas também a criatividade e excelência do mercado imobiliário em goiânia afirma rodrigo queiroz silveira o outro projeto com destaque nacional é o residencial ecoliving da loft construtora que foi finalista do prêmio planeta casa 2011 na categoria empreendimento imobiliário com outros quatro empreendimentos nacionais o concurso é realizado pela editora abril e avaliou projetos de todo o país o ecoliving foi selecionado pelos diferenciais sustentáveis do projeto que prevê a aliança entre as tecnologias sustentáveis e a automação residencial entre as novidades está a manutenção automática com água de reuso das floreiras na fachada de todos os apartamentos a energia solar será implantada para aquecer a água dos chuveiros e lavatórios dos banheiros dos apartamentos permitindo o conforto da água quente por meio de uma fonte de geração limpa na área comum as piscinas também receberão aquecimento por energia solar a premiação do planeta casa 2011 ocorreu no dia 30 de setembro no museu brasileiro de escultura em são paulo a loft construtora foi representada pelo arquiteto bruno veras um dos sócios da empresa mesmo não tendo levado a premiação bruno veras e toda a construtora ficaram satisfeitos com o resultado ser um dos cinco finalistas já foi uma honra para nós ainda mais por representar goiás em um importante concurso da nossa área chegarmos até a final mostra que estamos em pé de igualdade com o brasil inteiro comentou o arquiteto na primeira foto rogÉrio queiroz silveira recebe prêmio na segunda foto gustavo raquel e bruno veras diretores da loft construtora e ao fundo a maquete do ecoliving em goiandira iphan finaliza obras de restauração do patrimônio edificado da extinta estação ferroviária após ter sido realizado o levantamento dos bens imóveis de valor artístico histórico e cultural da extinta rede ferroviária federal s.a indicando a estação de goiandira como a mais antiga do estado de goiás o instituto do patrimônio histórico e artístico nacional por meio da sua superintendência em goiás iphan/go elaborou um projeto de restauração para a estação de goiandira onde foi previsto a recuperação total do edifício antes das ações do iphan o imóvel encontrava-se abandonado com vários pontos de desabamento de sua cobertura e com vegetações oportunistas crescendo sobre suas estruturas a cerimônia de entrega pública do espaço foi realizada no dia 7 de outubro os serviços de restauração da estação ferroviária de goiandira que foram executados pela marsou engenharia teve como objetivo restaurar arquitetonicamente o imóvel garantindo condições seguras de utilização por moradores e visitantes e transformar o local em uma estação cultural o iphan considera a restauração arquitetônica da estação ferroviária de goiandira uma significativa conquista no processo de preservação do patrimônio pois além de realizar a devolução do bem patrimonial devidamente restaurado à comunidade local os serviços executados contribuem para a preservação da memória ferroviária no estado de goiás acervo do iphan-go novembro 2011 · construir mais · sinduscon-go 5

[close]

p. 6

e ntrevis ta carlos maranhÃo gomes de sÁ mobilidade urbana implantação do vlt é opção para solucionar o gargalo em goiânia natural do município brejo ma carlos maranhão gocausa das facilidades tem adquirido seu veículo próprio seja mes de sá é geólogo graduado pela universidade federal carro ou moto pode ser o fator mais relevante no caso da pado rio de janeiro ufrj e desde janeiro deste ano preside a ralisação do crescimento no número de usuário do transporte metrobus transporte coletivo s/a uma sociedade de econocoletivo tradicional ­ goiânia é a cidade do brasil que possui mia mista criada em 1997 que em março de 2011 renovou mais motos e está próxima desta marca no nível de carros a concessão por mais 20 anos atualcançando a média de 1 habitante almente opera o principal corredor e meio por veículo mas outras mudo sistema de transporte coletivo da danças no perfil da nossa sociedao sistema de região metropolitana de goiânia o de também influenciam como por transporte eixo-anhanguera sendo responsável exemplo o fato de que as pessoas público da região pela operação manutenção e contêm procurado morar mais perto do metropolitana de servação das 19 estações de embartrabalho e da escola os meios de que/desembarque ao longo do corcomunicação também têm um papel goiânia é totalmente redor e é também responsável pela muito importante nesta mudança de integrado e hoje gestão dos cinco terminais de intecultura pois atualmente grande paratende 18 cidades gração padre pelágio dergo praça te das coisas que um cidadão precia praça da bíblia e novo mundo sa fazer ele consegue resolver pela para executar este trabalho coninternet como transações bancárias ta com cerca de 1.000 pessoas em seu quadro de funcionáenvio de correspondências foram em grande parte substiturios incluindo os prestadores de serviço carlos maranhão ídas pelo e-mail etc existe também o conceito home office atuou como geólogo da metais de goiás s/a metago por várias pessoas já trabalham em casa 24 anos e iniciou sua carreira pública no governo henrique diante desse crescimento de demanda santillo 1987-1991 como dirigente da companhia de deconstante qual é o plano da metrobus senvolvimento do estado de goiás codeg depois foi direem parceria com o governo do estado tor executivo da fundação da promoção social presidente para atender À necessidade da população da fundec diretor da fundação nacional de saúde em bratodos os meios de transporte são bons de acordo com sília de volta a goiânia em 1997 foi presidente do iplan a dimensão do que ele é capaz de atender por exemplo o secretário de planejamento municipal presidente do dergo ônibus é um excelente meio para atender a demanda localisecretário estadual de infraestrutura e secretário de assuntos zada de bairros mas é inviável que todos os ônibus venham do governo acompanhe a entrevista que ele concedeu a para o centro do município em goiânia a rede é adequada revista construir mais às demandas regionais mas em alguns locais já se começa a quantas pessoas utilizam o transporte exigir algum tipo de transporte com maior capacidade é o público diariamente em goiânia e qual caso do eixo-anhanguera no horário de pico ele atende 12 tem sido a média de crescimento do fluxo mil passageiros por hora/sentido em duas horas precisamos de usuários anualmente tirar 48 mil pessoas nossos ônibus têm o intervalo máximo o sistema de transporte público da região metropolitana de 2 minutos isso significa que estamos no limite perigode goiânia é totalmente integrado e hoje atende 18 cidades so de fazer um comboio ou seja um encostar no outro o com uma única passagem o usuário consegue sair de guapó que acarreta a diminuição da velocidade média atualmente por exemplo e chegar ao seu destino em goiânia todo o sispor conta deste fenômeno a velocidade do eixo-anhanguera tema movimenta a média de 1 milhão a 1.100 milhão de pasgira em torno de 17 km/hora o que aumenta o tempo de sageiros por dia só o eixo-anhanguera atende cerca de 240 viagem e somado à superlotação aumenta o desconforto mil passageiros por dia quase ¼ do total o fluxo de pasdo usuário neste caso precisamos investir em um veículo sageiros de maneira geral tem diminuído se considerarmos com maior capacidade de transporte a opção é o veículo que permanece estável mesmo com o aumento da populaleve sobre trilhos vlt ou o veículo leve sobre pneus vlp ção contudo o contingente de passageiros especificamente o vlt resolveria as duas situações citadas pois cada vagão do eixo-anhanguera tem aumentado nos últimos oito anos tem espaço para 200 pessoas com uma composição de três praticamente triplicou acredito que esse fenômeno se deve vagões transportamos 600 pessoas de uma só vez e não soem parte ao subsídio que é oferecido pelo governo no valor mente 280 como nos ônibus biarticulados poderíamos ter da passagem o aumento da parcela da população que por uma frequência de intervalo de três minutos o que somado 6 sinduscon-go · construir mais · novembro 2011

[close]

p. 7

carlos maranhÃo gomes de sÁ presidente da metrobus transporte coletivo s/a ao fato de trafegarem em uma linha exclusiva e sem interrupções com semáforos possibilitaria o alcance da velocidade média de 25 a 30 km/hora contudo ele trafega em uma única linha não tem flexibilidade sendo assim ele precisará ser alimentado pelos ônibus por isso continuaremos com o sistema integrado no eixo norte-sul a prefeitura instalará o brt que será operado pela rmtc recentemente o governador marconi perillo visitou dublin-irlanda para conhecer o sistema de transporte da cidade que utiliza o veículo leve sobre trilhos vlt quais as novidades neste sentido o que será trazido da experiência europeia para goiânia ele também visitou xangai que possui um vlt da mesma fábrica o governador está analisando alternativas quanto mais opção tiver de veículos para trafegar no corredor mais possibilidades teremos de ter um sistema mais econômico essas viagens são muito produtivas também para a troca de informações e interação a implantação do vlt em goiânia é viável quais serão os benefícios desta mudança de sistema do ponto de vista técnico sim o que falta é condição de investimentos o estado tem outras obrigações com a população e não pode deslocar todos os recursos para uma obra deste porte qual montante deveria ser investido para a execução do vlt e quanto tempo seria necessário para a implementação os estudos estão em fase final o que chamamos de projeto funcional mas temos uma estimativa de que serão necessários recursos da ordem de 800 milhões a 1 bilhão de reais incluindo as obras civis e os materiais como trilhos etc após o período de contratação a obra deve demorar de dois a três anos para ser concluída a obra será executada por meio de alguma parceira com o setor privado sim por orientação do governador marconi perillo estamos buscando um modelo que conjugue recursos estaduais e privados devemos fazer a implantação do vlt no eixo-anhanguera por meio de uma ppp o governo já recebeu manifestação de interesse nesta parceira de um grupo liderado por empresários goianos desde que os estudos que em breve serão concluídos apontem viabilidade econômico-financeira para eles também esperamos que seja positivo o projeto para melhoria do transporte neste eixo inclui quais outras intervenções ele seria instalado na linha onde atualmente fica o eixo-anhanguera e os ônibus serão deslocados para extensões que serão criadas as obras de metrô em geral são muito complexas mesmo que seja desta modalidade mais leve as maiores intervenções serão na pista pois o máximo de inclinação no piso deve ser de 6 a 8 em trechos com elevações maiores do que estas teremos que fazer elevados ou trincheiras na parte central da cidade a previsão é de que entre as avenidas araguaia e a tocantins o vlt trafegue em subsuperfície para liberar a parte superior para o comércio e o tráfego de pedestre seria também uma forma de embelezar a cidade e evitar congestionamentos na região para a integração serão feitas algumas adequações investiremos também uma boa parcela dos recursos na parte de energia elétrica cabeamento aéreo subestações e caixas de energia para abastecer o veículo nos túneis também precisaremos investir na ventilação construiremos também pátios e oficinas o que demandará uma área grande o vlt é uma opção sustentável os impactos ao meio ambiente estão sendo pensados sim em geral podemos dizer que a substituição do sistema de ônibus pelo sistema de metrô é sempre e extremamente favorável ao meio ambiente por algumas razões imediatas como em primeiro lugar o meio propulsor que é a energia elétrica que não queima combustível ou seja não lança resíduos na atmosfera segundo ele não exige impermeabilização do terreno e nem o marca com óleo ou emborrachamento ­ em alguns lugares esta faixa do metrô é gramada justamente para deixar o terreno permeável ­ terceiro ele é muito mais silencioso do que os veículos movidos a diesel portanto ele produz menos poluição sonora ele também tem uma vida útil muito maior sendo de 30 anos para o seu vagão e apenas 10 anos para os ônibus outra vantagem é que o vlt não utiliza pneus então não gera resíduos deste produto e a acessibilidade os ônibus atuais são acessíveis e o novo sistema a ser implantado primará por este conceito a frota de ônibus em geral é acessível com a implantação de uma espécie de elevador nos degraus das portas mas no caso do eixo-anhanguera isso não é necessário pois o embarque é feito em nível e as entradas por rampas já o vlt já nasce com esse conceito com piso baixo embarque em nível e por natureza não dá tantos arrancos o que gera mais conforto na viagem estamos em fase de licitação de uma ampla reforma que vai atingir todas as estações onde priorizaremos a segurança dos usuários com a instalação de câmeras serão seis por estação e contratação de mais vigilantes priorizaremos também o embarque solidário todas as filas nos terminais contarão com atendentes treinados para organizar o embarque cinquenta pessoas já foram treinadas na primeira turma por meio de concurso interno e eles receberão uma gratificação para exercer esta função incluímos na parte da reforma física dos terminais a colocação de faixas de piso tátil para deficientes visuais e equipamentos para descanso de gestantes e idosos novembro 2011 · construir mais · sinduscon-go 7

[close]

p. 8

c omunidade da construÇÃo pavimento permeável à base de cimento portland as calçadas ou passeios públicos desenvolvem um papel É importante ressaltar que para quaisquer tipos de pavide extrema importância para a sociedade uma vez que além mentos é necessário que os mesmos suportem as cargas aos de possibilitar a mobilidade urbana com segurança ela tamquais são solicitados e transmiti-las ao solo de forma que ele bém proporciona o convívio harmônico entre cidadãos de dias suporte no caso dos pavimentos permeáveis é necessário ferentes classes sociais apesar de tão importante no contexto que a estrutura dos pisos seja feita de modo a possibilitar o social e urbano é possível verificar que hoje os passeios não escoamento da água para o solo ou para um sistema de dretêm contribuído para a preservação do meio ambiente por nagem específico serem compostas de materiais impermeáveis que possibilitam segundo a associação brasileira de cimento portland apenas a infiltração de 5 das águas pluviais aumentando o abcp alguns itens devem ser levados em consideração para índice de enchentes nas grandes metrópoles este problema é garantir a viabilidade do pavimento permeável as áreas de agravado pelo efeito das ilhas de calor onde o aumento da contribuição não podem exceder em cinco vezes a área do temperatura em áreas densamente povoadas acaba por intenpavimento e recomenda-se no mínimo 30 cm de distância ensificar a precipitação tre córregos reservatórios de água É neste contexto que os e pântanos recomenda-se também os pavimentos permeáveis materiais que causam meuma declividade no pavimento de nos impacto ambiental gano mínimo 1 e no máximo 5 podem ser definidos como nham força revestimentos nas áreas no entorno do pavimensistema em que há a impermeáveis como asfalto to devem ser evitadas declividades possibilidade de passagem cerâmica rochas ou concreto superiores a 20 o profissional de água e ar através estão sendo substituídos por deve ter conhecimento ainda sobre de espaços livres em sua sistemas drenantes revestidos os dados de precipitação do local e com materiais porosos como sobre o tráfego ao qual o pavimento estrutura placas de concreto poroso será submetido por fim devem ser ou pavimentos com blocos e analisados os dados do subleito para juntas de assentamento que permitam a percolação de água o dimensionamento sendo o tipo de solo a capacidade de susuperficial também conhecido como pavimento intertravado porte e o coeficiente de permeabilidade dados utilizados para permeável dimensionar a camada de pavimento permeável para controlar a crescente impermeabilização das superfía maioria dos pavimentos permeáveis à base de cimento cies as prefeituras exigem que uma porcentagem de área do exige pouca manutenção porém ao longo dos anos os vazios terreno seja livre de pavimentação podendo variar de 15 a vão sendo preenchidos com sedimentos ou até mesmo com 30 como este requisito nem sempre é possível ser atendido vegetação que podem diminuir a capacidade de infiltração da com facilidade os profissionais têm tirado partido deste sistepavimentação para aumentar a vida útil do pavimento recoma para a pavimentação de calçadas estacionamentos e áreas menda-se que o mesmo seja limpo anualmente retirando-se de tráfego leve de forma a tornar possível o atendimento à o acúmulo de sedimentos com equipamentos adequados para legislação e ao mesmo tempo manter a área útil do terreno este tipo de limpeza os pavimentos permeáveis podem ser definidos como sistema em que há a possibilidade de passagem de água e ar através de espaços livres em sua estrutura a camada de revestimento de pavimentos permeáveis podem ser executamantém a área útil do terreno das utilizando concreto poroso moldado in loco ou com peças reduz em até 100 as enxurradas pré-moldadas de concreto que dependendo da sua dimensão reduz a erosão são classificadas como blocos de concreto para pavimentação melhora a qualidade da água intertravada as peças permeáveis não devem ser confundidas com pavers para pavimentação ainda que ocorra uma reduz gastos com recursos porcentagem de infiltração esta tende a tornar-se nula com o de drenagem como os piscinões passar do tempo para a pavimentação permeável é necessáfonte associação brasileira de cimento portland abcp rio que a estrutura do concreto permita a passagem de água características principais 8 sinduscon-go · construir mais · novembro 2011

[close]

p. 9

c onstruÇÃo sustentÁvel gerir adequadamente os resíduos alude à economia e lucro investir no gerenciamento de resíduos da construção civil é uma iniciativa ganha-ganha que os empreendimentos precisam adotar só há benefícios para todos os envolvidos colaboradores das obras comunidade meio ambiente governo empresas de reciclagem consumidores e os próprios investidores além de promover a consciência socioambiental dos trabalhadores camila storti impacta positivamente no meio ambiente já que praticamente elimina o volume de resíduos emitido aos aterros sanitários e ainda reduz o desperdício de materiais e mais gera uma lucratividade importante através da venda do material reciclável classe b papel plástico aço madeira etc e também na fabricação de blocos de agregado reciclado a partir do entulho classe a outro benefício direto é a diminuição do custo de descarte e transporte destes resíduos até o seu local de destinação final podendo chegar a uma redução de mais de 90 do gasto com caçambas ainda tem o fato de ser vantajoso não só para os diversos públicos citados mas também para a gestão da obra em si já que o processo de implantação é simples e didático o que colabora na criação de uma cultura organizacional mais rica e transparente a crv construtora uma das empresas que topou o desafio é um ótimo exemplo do quanto esta iniciativa gera resultados positivos para todos os envolvidos esta empresa obteve grande transformação em seus canteiros através da implantação do pgrc como cita o diretor da crv wênio pimenta de fato fomos surpreendidos pelo quanto pode ser economizado com este processo tanto na redução do desperdício quanto na eliminação de gastos significativos com caçamba e ainda o recurso gerado em cada obra com a venda dos resíduos beneficiou os próprios funcionários através do investimento em melhorias internas para implantação de um programa como esse são necessários alguns simples passos abordados aqui de forma resumida para que o leitor identifique a possibilidade de adotar este processo em seu canteiro vale lembrar que o sucesso deste trabalho está diretamente relacionado ao engajamento da liderança do empreendimento somado ao treinamento de todos os níveis hierárquicos monitoramento e divulgação periódica dos resultados o processo na prática se desenvolve nos seguinte passos 1 caracterização dos resíduos uma volta no canteiro e papel na mão deverá ser observado qual o lixo é gerado e em qual etapa depois esses resíduos deverão ser agrupados em classe a entulho a base de cimento argamassa blocos cerâmica classe b recicláveis como papel plástico metais vidro madeira classe c isopor e gesso classe d resíduos perigosos como tintas solventes óleos etc 2 colocar os dispositivos de coleta baias bag s bombonas contentores latões espeto para saco de cimento etc à disposição dos operários em locais estratégicos observados no passo 1 3 criar um rotina simples para coleta inicial do resíduo no momento exato em que ele é gerado sua segregação e transferência para o local de armazenamento final 4 treinamento de todos os funcionários sobre o processo do pgrc 5 estabelecer as parcerias com as empresas de reciclagem que vão coletar os resíduos devidamente segregados e armazenados nas baias uma boa dica é entrar em contato com a asciclo www.asciclo.org.br pois é a associação das empresas licenciadas de reciclagem de goiás 6 zelar pela documentação do programa como acordos licenças autorizações que legitimem o processo 7 por fim mensurar os resultados e divulgar de maneira sistemática enaltecendo a importância da união de todos para o alcance das metas do pgrc desta forma a sociedade o meio ambiente e o orçamento do seu empreendimento não só vão agradecer como também vão compartilhar de um progresso coletivo e harmonioso atingindo assim o objetivo da sustentabilidade camila storti é administradora de empresas especialista em direito ambiental e desenvolvimento sustentável e diretora da abigail salvador soluções socioambientais novembro 2011 · construir mais · sinduscon-go 9

[close]

p. 10

e s pa Ç ojur Í dico sarah uchôa de carvalho responsável pelo departamento de controladoria da egi construções ltda a assessoria jurídica do sinduscon-go responde a média da remuneração variável do trabalhador tais como horas extras produtividade insalubridade e periculosidade e outros adicionais devem ser apuradas para o pagamento da primeira parcela do 13º salário e quanto às férias coletivas quais são os procedimentos para a sua concessão inexiste previsão legal expressa quanto a empresa estar obrigada ou não a integrar referidas médias por ocasião do pagamento da 1ª parcela do 13º salário dessa forma há entendimentos tanto no sentido de que a empresa não está obrigada a calcular e pagar as referidas médias sarah uchôa juntamente com a 1ª parcela do 13º de carvalho salário bem como no sentido de o pagamento ser devido uma vez que os adicionais fazem parte da remuneração do empregado assim a fim de evitar passivos trabalhistas aconselhamos fazer a integração das médias para pagamento da primeira parcela contudo caberá à empresa adotar o posicionamento que julgar mais acertado e ao poder judiciário definir tal questão se porventura for acionado no entanto na 2ª parcela a quanto às férias apuração da média dos rendimencoletivas a legislação tos variáveis é obrigatório com obriga a empresa a vistas a integrar a base de cálculo por fim esclarecemos que na do pagamento da parcela final do comunicar o órgão hipótese de férias coletivas ine13º salário em consonância com local do ministério xiste a possibilidade de conversão as súmulas nº 45 e 60 do tribunal do trabalho e emprego de 1/3 do período de férias em superior do trabalho tst com antecedência abono pecuniário se porventura quanto às férias coletivas a mínima de 15 dias houver interesse do empregador legislação obriga a empresa a coou do empregado no abono nas municar ao órgão local do minisférias coletivas deverá haver acortério do trabalho e emprego com do coletivo de trabalho com o sindicato dos trabalhadores antecedência mínima de 15 dias avisando sobre a data portanto se o empregador decidir pela concessão do abono inicial e final das férias coletivas inclusive mencionando pecuniário nas férias coletivas deverá obrigatoriamente neos setores abrangidos pela medida e a enviar cópia desgociar com o sindicato não dependendo de requerimento sa comunicação ao sindicato profissional representativo da individual à concessão do abono categoria sob pena de incidência de multa administrativa fonte iob on-line lei nº 4.749/1965 arts 1º e 2º ressalte-se que as férias não poderão ser concedidas em um consolidação das leis do trabalho art 139 §1º §2º e §3º período inferior a 10 dias 10 sinduscon-go · construir mais · novembro 2011

[close]

p. 11

a responsabilidade do empregador quando o empregado optante do vale transporte sofre acidente de trajeto wanderson de oliveira o acidente de trabalho é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa e que provoque lesão que venha a incapacitar permanente ou temporariamente o empregado para o trabalho ou ocorra morte equipara-se a acidente do trabalho aquele ocorrido no deslocamento do empregado para o local de trabalho ou vice-versa chamado acidente de trajeto o acidente de trajeto independe do meio de locomoção utilizado pelo empregado isto significa que mesmo que o empregado utilize transporte público ou meio próprio de locomoção e sofra acidente este será equiparado como de trabalho a legislação sobre vale transporte não tem previsão de punição ao empregado que não o utiliza no entanto a utilização que não seja para o deslocamento residência-trabalho e vice-versa mediante declaração expressa do empregado nesse sentido pode caracterizar falta grave o que se deve proceder após investigação interna e robusta prova com base nessa análise temos condições de responder a alguns questionamentos 1 o acidente de trajeto pode ser descaracterizado se o empregado é optante do vale transporte e utiliza meio próprio para deslocamento residência-trabalho e vice versa não se pode descaracterizar o acidente de trajeto por ser o empregado optante e ter utilizado meio próprio para deslocamento neste caso pode ser caracterizada falta grave punida com dispensa por justa causa por utilização inadequada do benefício 2 o empregador pode ser obrigado a indenizar o empregado optante do vale transporte que sofre acidente de trajeto em meio próprio de descolamento o empregador se exime de responsabilidade já que forneceu o vale transporte para que o empregado se utilize do sistema público de transporte na locomoção residência-trabalho e vice versa por exemplo se o empregado optante do vale transporte resolve por sua conta e risco ir para o trabalho de moto e sofre um acidente a empresa fica desobrigada de indenizá-lo no que pese ter ocorrido um acidente de trabalho equiparado por fim concluímos que para efeitos previdenciários o acidente de trajeto é equiparado ao de trabalho mesmo que o empregado seja optante do benefício de vale transporte e utilize meio próprio para seu deslocamento para efeitos para efeitos previdenciários o acidente de trajeto é equiparado ao de trabalho mesmo que o empregado seja optante do benefício de vale transporte e utilize meio próprio para seu deslocamento trabalhistas o empregado optante do vale transporte que utilizar meio próprio de locomoção poderá ser dispensado por justa causa bem como o empregador não deverá ser responsabilizado civilmente por eventuais prejuízos que o acidente possa ter causado ao empregado wanderson de oliveira é advogado em goiânia coordenador da subcomissão de estudos jurídicos da comissão da advocacia jovem da ordem dos advogados do brasil seccional goiânia go novembro 2011 · construir mais · sinduscon-go 11

[close]

p. 12



[close]

p. 13



[close]

p. 14

a rt igoa valorização profissional continua em 2012 gerson de almeida taguatinga assim como em 2008 contamos com o apoio dos profissionais vinculados ao crea-go para que possamos continuar implantando ações de valorização profissional para os próximos três anos a transparência a integração e principalmente a valorização de cerca de 40 mil profissionais da área tecnológica nortearam nossos trabalhos no primeiro mandato sempre defendemos que a nossa valorização passa pela organização dos profissionais em entidades representativas pois juntos temos mais condições de lutar pela qualidade do ensino superior pelo cumprimento do piso salarial profissional e pelo aperfeiçoamento técnico visando manter nossos profissionais em sintonia com as exigências do mercado de trabalho por isso na nossa gestão instituímos a assessoria de entidades de classe e por meio dela incrementamos o auxílio às associações sediadas na capital e no interior criamos também o condomínio das entidades de classe para abrigar associações sem sede própria em goiânia para oferecer aos profissionais uma assistência respeitosa e eficaz implantamos o sistema de movimentação eletrônica de documentos que integrou a sede e as 47 inspetorias descentralizando a administragerson de almeida ção e acelerando a prestação taguatinga de serviços em todo o estado no programa de realizamos mais de 400 palestrabalho para consumidor do crea-go e revitalizatras e cursos promovendo o 2012/2014 nossas ações remos os programas de acessibilidade aperfeiçoamento técnico dos continuam voltadas e de inspeção preventiva e integrada nossos profissionais incremenpara a valorização como forma de defender os interesses tamos a ação fiscalizadora do da sociedade e abrir novas frentes de crea-go para coibir a atuação e capacitação técnica trabalho para os profissionais da área de leigos e ampliamos nosso dos profissionais que tecnológica leque de atuação abrindo mais atuam em empresas consolidaremos o programa casa inspetorias contratamos mais e órgãos públicos própria em todos os municípios goiafiscais e adquirimos tecnologia nos implementaremos o programa de ponta para garantir a quali calçada acessível e permeável condade dos trabalhos prestados tinuaremos o projeto de interiorização construindo sedes no programa de trabalho para 2012/2014 nossas ações próprias para nossas inspetorias e fortalecendo a atuação continuam voltadas para a valorização do profissional prodos conselhos consultivos junto às autoridades municipais e moveremos juntamente com sindicatos e associações de comunidade vamos também cobrar das autoridades a efetiprofissionais vinculados ao crea-go a capacitação técnica va participação do crea-go na elaboração e implementação dos profissionais que atuam em empresas e órgãos públicos de políticas públicas no estado nas áreas florestal mineral reivindicaremos junto ao governo do estado e às prefeituras agrícola e etc nossa efetiva participação na elaboração dos planos municiprecisamos do seu apoio para continuarmos a caminhada pais de saneamento básico defenderemos o fortalecimento rumo a valorização profissional o sinal positivo de cada proda saneago para que a mesma possa implementar políticas fissional permitirá a continuidade do nosso trabalho conto públicas de universalização do acesso aos serviços de água com o seu voto no dia 8 de novembro até lá e esgoto fortaleceremos a emater levando extensão rural tecnologia e produtividade aos mini e pequenos produtores do estado continuaremos lutando contra a privatização da gerson de almeida taguatinga é engenheiro civil e candidato à presidência do crea-go celg incrementaremos a atuação da comissão de defesa do 14 sinduscon-go · construir mais · novembro 2011

[close]

p. 15

a rt i g o por um crea mais presente nélio fleury muitos conhecem a fábula do pássaro que sozinho tentava apagar um incêndio em sua floresta buscando água em seu próprio bico empreendendo inúmeras viagens ao ser perguntado por que assim procedia a ave argumentou que estava fazendo a sua parte e se todos assim fizessem o incêndio seria debelado esta fábula possui dois focos morais primeiro a ação individual em todos os processos deve ser respeitada o dever de agir ­ ver e fazer em benefício de sua espécie e de sua comunidade é parte do caráter de um cidadão a iniciativa de buscar soluções ao contrário de tornar simples objeto de ações de terceiros resgata o valor do indivíduo diante dos desafios e das adversidades o desejo e a vontade de agir em favor do bem ­ próprio e coletivo torna o indivíduo público visível e finalmente sociável contrapondo a este cenário sabemos que sozinho pouco pode ser feito a maioria das ações que resgatam o bem comum deve ser empreendida com a participação do maior número de agentes quanto maior este número mais compromisso com o sucesso e maiores são as chances de manutenção das conquistas para os grandes desafios as soluções devem ser estudadas e acolhidas pelos envolvidos na síntese destes dois focos encontramos uma sinalização de que devemos agir como indivíduo social mas devemos aglutinar agentes para compartilhar nossas ideias e metas definitivamente sabemos e percebemos que as ameaças que nos cercam não serão eliminadas unicamente pela ação individual mas temos que respeitar esta iniciativa social a ação ideal seria conclamar a todos envolvidos para juntos buscarmos a solução para nossos desafios devemos estabelecer um contrato social coletivo com agentes ações metas objetivos e dotação orçamentária que vise a garantia de nossos bens habitat e familiares esta é a nossa meta hoje percebemos claramente que nosso conselho profissional está afastado das discussões e ações que envolvem nossas profissões a ação individual da presidência do nosso conselho ­ cada dia mais afastado de nossas demandas jamais irá possuir respaldo para interferir e gerir nossos desafios e estes desafios são muitos e complexos e suas soluções exigem uma ativa participação coletiva e permanente o crea-go deve se posicionar claramente diante dos desafios que ameaçam nossas profissões nossas empresas nossas cidades nosso planeta enfim que ameaçam o sucesso de nossas vidas a omissão do crea-go é munição para nossos adversários e desafetos e esta letargia institucional nos expulsa das grandes discussões a expansão urbana de nossas cidades é discutida por leigos apaixonados as nossas obras são embargadas a partir de suspeitas levantadas por leigos politiqueiros a suspeita de o crea-go deve se posicionar claramente diante dos desafios que ameaçam nossas profissões nossas empresas nossas cidades nosso planeta enfim que ameaçam o sucesso de nossas vidas corrupção em nossas obras e serviços que impede o desenvolvimento e nos desmoraliza é bandeira de outros grupos profissionais a expansão de nossas instituições de ensino superior e tecnológico é debatida com empresários as emendas orçamentárias para nossas obras de infraestrutura possuem critérios distintos daqueles que nós defendemos as nossas empresas públicas enfrentam dificuldades e nós estamos ausentes simplesmente não somos consultados mas este erro nasce em nosso conselho falta-nos ouvir os nossos profissionais falta-nos compromisso com a sociedade faltam-nos ações coletivas e públicas devemos estabelecer no crea-go audiências públicas com os profissionais do sistema ­ presenciais e eletrônicas para estabelecer uma ação de diretriz orçamentária atendendo aos anseios e projetos dos profissionais e inspetorias na formulação do orçamento do crea-go estes mecanismos de audiências públicas com os profissionais e a sociedade civil organizada irá também estabelecer o plano de ação institucional do crea-go que mapeará as prioridades de atuação de nosso conselho profissional devemos também discutir com os profissionais do sistema a eficácia da anotação de responsabilidade técnica ­ art estabelecendo diretrizes para transformá-la em instrumento de valorização do exercício profissional e não apenas instrumento de arrecadação punição e acobertamento profissional esta é a nossa meta por um crea mais presente nélio fleury é engenheiro eletricista e candidato à presidência do crea-go novembro 2011 · construir mais · sinduscon-go 15

[close]

Comments

no comments yet