DIAGNOSTICO MODERNO

 

Embed or link this publication

Description

Parana tera testes avancados de Influenza Aviaria e Doenca de Newcastle.

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

Sumário 12 Entrevista ABPA desenvolve projeto de divulgação da qualidade da carne brasileira na Rússia 24 Capa Sindiavipar entrega novos equipamentos ao Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti 28 Setorial Avicultura paranaense mostra força e organização durante a greve dos caminhoneiros Sindiavipar 04 Observatório 05 Agenda 06 Sindiavipar 08 Radar 10 Na mídia 12 Entrevista 14 Segurança 16 Sanidade 18 Meio ambiente 20 Avicultor 22 Logística 24 Capa 28 Setorial 30 Nutrição 32 Indústria 34 Mercado de ovos 36 Informação 38 Associado 40 Artigo Técnico 42 Notas e Registros 46 Receita 48 Estatísticas

[close]

p. 3

Diretoria Presidente: Domingos Martins Vice-presidente: Claudio de Oliveira Secretário: Olavio Lepper Tesoureiro: Roberto Pelle Suplentes: Paulo Cesar da Silva, Renato Braga Fortes, Valter Pitol, e Roberto Kaefer Conselheiros fiscais efetivos: Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro, Dilvo Grolli e Ciliomar Tortola Suplentes: Rogerio Wagner Martini Gonçalves, Sérgio Rodrigo Ruiz Guimarães e Marcos Aparecido Batista Delegados representantes efetivos: Domingos Martins e Claudio de Oliveira Suplentes: Ciliomar Tortola e Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná Av. Cândido de Abreu, 140 - Salas 303/304 - Curitiba/PR - CEP: 80.530-901 Tel.: 41 3224-8737 | sindiavipar.com.br | sindiavipar@sindiavipar.com.br Fale conosco Se você tem alguma sugestão, crítica, dúvida ou deseja anunciar na Revista Sindiavipar, escreva para nós: revista@sindiavipar.com.br. Expediente Produção Centro de Comunicação centrodecomunicacao.com.br Jornalista responsável Guilherme Vieira (MTB-PR: 1794) Colaboração Bruna Falce, Bruna Robassa, Camila Castro, Camila Tsubauchi, Giórgia Gschwendtner, Jorge de Sousa, Maria Stefani Aguiar, Laura Espada e Paulinne Giffhorn Design e diagramação Cleber Brito Comunicação e Marketing Mônica Fukuoka Impressão Optagraf Anuncie na Revista Sindiavipar Mônica Fukuoka Comunicação e Marketing marketing@sindiavipar.com.br (41) 3224-8737 Editorial No mês de junho, tivemos o orgulho de formalizar a entrega de novos equipamentos ao Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti (CDME), administrado pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (­Adapar). No evento, contamos com a presença do secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, George Hiraiwa, do diretor presidente da Adapar, Inácio Kroetz, do superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, entre outros amigos. Com a modernização, o laboratório está perto de receber o credenciamento do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), para iniciar testes de patógenos avícolas como Influenza Aviária e Doença de Newcastle. A previsão é que as análises comecem até o primeiro semestre de 2019. Mais informações sobre esta conquista você confere na matéria de capa. Outro tema relevante contemplado na revista foi a mobilização do setor durante a greve dos caminhoneiros, realizada em maio. Neste período, entidades e governo buscaram, por meio do diálogo, minimizar os impactos da paralisação, evitando maiores prejuízos para o setor produtivo, a indústria e o consumidor. Matérias sobre mercado, sanidade, logística e nutrição também estão em pauta nas próximas páginas. Um abraço e boa leitura! Foto: Hamilton Zambiancki selo SFC As matérias desta publicação podem ser reproduzidas, desde que citadas as fontes. Domingos Martins Presidente do Sindiavipar Sindiavipar

[close]

p. 4

Observatório Meio ambiente Entre os dias 5 e 8 de Junho, Curitiba recebeu a semana do Meio Ambiente, organizada pela Associação Paranaense de Imprensa (API). O evento propôs colocar o Paraná para participar dos objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, além de apresentar soluções para questões ligadas ao setor no estado do Paraná. “O meio ambiente diz respeito a todos. Assim, devemos zelar, por questão de sobrevivência nossa e das gerações vindouras, de todos os recursos naturais”, contextualizou Roberto Gava, engenheiro agrônomo e coordenador do Grupo Ambiental do Centro de Estudos Brasileiros do Paraná (CEB). Já o com o apoio do Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR), foi realizada no dia 9 de junho, a 11ª edição do Mutirão de Limpeza da Baía de Guaratuba. O evento, que acontece anualmente, contou com 45 embarcações e cerca de 400 voluntários, entre eles a nadadora Fátima Ribas, que atravessou o canal a nado para ajudar na coleta. Neste ano, foram recolhidas 6 toneladas de resíduos, que tiveram como destino a Associação de Coletores de Guaratuba, responsável pela separação do lixo coletado. Entre os itens encontrados durante a ação estavam objetos plásticos, materiais de pesca e, até mesmo, um fogão e uma geladeira. Novos recursos O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, anunciou no início de Julho, a liberação de uma linha de R$ 1,5 bilhão de capital de giro para o setor de produção de carne suína e frango. O anúncio foi feito no Palácio do Planalto, após reunião com o presidente Michel Temer. A nova linha terá prazo de pagamento de 60 meses, incluindo 24 meses de carência. Segundo o presidente do B­ NDES, a linha já está disponível e as empresas podem entrar diretamente no banco e através de seus agentes financeiros para solicitar a operação. 4 sindiavipar.com.br Exportações No início de Julho, entrou em vigor, para todas as empresas brasileiras, a DU-E, Declaração Única de Exportação. Trata-se da unificação de todos os documentos e informações que precisam ser enviadas para a Receita Federal Brasileira na exportação de mercadorias e outros órgãos anuentes. Este processo é fruto do Acordo de Facilitação de Comércio Internacional, que o Brasil e outros 111 países ratificaram na Organização Mundial do Comércio, firmado em 2013 e válido desde o início do ano passado. Sindiavipar

[close]

p. 5

Dia do Cooperativismo O Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar) parabeniza todos as cooperativas e cooperados, especialmente os seus associados, pelo Dia Internacional do Cooperativismo, comemorado no dia 07 de Julho, data instituída desde o ano de 1923. O trabalho realizado pelas cooperativas é exemplo e orgulho para o estado, refletindo a importância da união e organização dos setores em busca da melhoria coletiva. Importância social De acordo com estimativas da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), cerca de 51,6 milhões de brasileiros são beneficiados direta ou indiretamente pelos diversos ramos do Cooperativismo existentes no país: agropecuário, de crédito, de consumo, habitacional, educacional, de trabalho, de saúde, de transporte (cargas ou passageiros), especiais (para pessoas com deficiências), de infraestrutura (telefonia e eletrificação), de produção, minerais (de garimpeiros), de turismo e lazer, além de setores que estão em crescimento, como o agropecuário, de crédito e de saúde. Anutec Brazil Data 07 a 9 de agosto de 2018 Local Pinhais (PR) Realização Koelnmesse Organização de Feiras Telefone (11) 3874-0030 Site anutecbrazil.com.br Simpósio da ACAV Data 25 a 27 de setembro de 2018 Local Florianópolis (SC) Realização Sindicarne e ACAV Telefone (48) 3222-8734 Site acavsc.org.br VIII CLANA Data 16 a 18 de outubro de 2018 Local Campinas (SP) Realização CBNA Telefone (19) 3232-7518 Site cbna.com.br Sindiavipar sindiavipar.com.br 5

[close]

p. 6

Associe-se! Porque juntos somos mais fortes! Grupo unido O Sindiavipar está entre as entidades integrantes da “Frente Parlamentar para Estudos acerca do Embargo à Exportação de Frango Brasileiro pela União Europeia”, criada pela Assembleia Legislativa do Paraná. No mês de maio, o grupo se reuniu para elencar as iniciativas tomadas até agora em busca de soluções para o problema. Ainda durante o encontro, foi tratado sobre visita técnica feita recentemente por uma comissão de embaixadores da comunidade europeia ao Paraná. Obras O Sindiavipar foi convidado a participar da oficina do Projeto Novo Ferrovia, que tem como objetivo subsidiar os estudos com informações mais precisas quanto a demanda do setor produtivo do Estado, para serem considerados na elaboração dos projetos. O Estado do Paraná está trabalhando no Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) do Projeto Nova Ferrovia, que contará com quase mil quilômetros e ligará Dourados (MS) ao complexo portuário do Litoral do Paraná. Capacitação No dia 24 de maio, foi realizado o Seminário de Divulgação da NR 36, em Curitiba (PR). O Sindiavipar foi representado pelo Sr. Domingos Martins, Valdecir Bertoncello e Icaro Fiechter. Na ocasião, foram discutidos temas como: Anexo II da NR-36 - Máquinas e Equipamentos e Outro temas da NR-36: - Manual de Auxílio na Interpretação e Aplicação da NR-36; - Equipamentos e ferramentas; - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional; - Informações e Treinamentos em Segurança e Saúde no Trabalho. Mais informações: sindiavipar.com.br | (41) 3224-8737 6 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 7



[close]

p. 8

Radar Segurança alimentar é mercado. Sem essa qualidade não conseguimos acessar os principais centros, além de não conseguir realizar mais investimentos e gerar mais empregos George Hiraiwa, secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento Temos que ter uma agência forte, ágil e equipada Porque a sanidade é um dos pontos principais do nosso agronegócio Ronei Volpi, presidente da Comissão Técnica de Leite da Faep Esse trabalho que o Sindiavipar está fazendo junto do Governo do Estado é muito importante, até para conseguirmos abrir mercados, principalmente na avicultura, suinocultura e bovino de corte Robson Mafioletti, superintendente do Sistema Ocepar Foto: Sindiavipar 8 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Na mídia Mais fortes União do setor para reduzir o impacto da greve dos caminhoneiros ganha destaque na imprensa O s meses de maio e junho foram desafiadores para o setor avícola brasileiro. Além da greve dos caminhoneiros, que paralisou as atividades da indústria por 11 dias, foram conf ir mados os embargos da União Europeia a alguns frigoríficos do país. Apesar das dificuldades, o setor avícola permaneceu unido e reforçou sua representatividade na imprensa estadual e também em veículos especializados. Os esforços do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar) para minimizar os impactos da greve ganharam destaque na mídia estadual, na capital e o no interior. As ações foram realizadas em parceria com a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), a Defesa Civil, a Superintendência do Ministério da Agricultura no estado, a Polícia Militar e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Ao longo dos dois meses, mais de 50 notícias foram divulgadas. A repercussão somou retorno de mídia espontânea de R$ 573,1 mil, com inserções em revistas, jornais impressos e portais de notícias. Maio Em maio, a greve dos caminhoneiros foi o principal assunto em pauta na imprensa. As ações do Sindiavipar para liberar cargas vivas e de ração, para alimentar os animais nas granjas, ganharam destaque em veículos como G1 Paraná, Gazeta do Povo, CBN Londrina e Tribuna de Cianorte. Segundo o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins, o sucesso das negociações com os caminhoneiros e a repercussão dessas atividades na imprensa reforçam a importância da integração na busca pelo desenvolvimento da avicultura. “Cada vez mais mostramos que juntos somos mais fortes”, completa. Retorno de mídia - Maio R8ev3i%sta O1n7li%ne 10 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 11

Junho Os impactos da paralisação dos caminhoneiros pautaram as ações do mês de junho. Segundo dados do Sindiavipar, a produção caiu 23,4% em razão da greve. O percentual equivale a 37,1 milhões de cabeças abatidas a menos em maio de 2018, quando o total alcançado foi de 119,9 milhões, em comparação ao mesmo período de 2017,em que o índice chegou a 157 milhões de cabeças. No mês, o material do sindicato foi destaque em jornais impressos como o Bem Paraná e o Diário do Noroeste e em veículos onlines como o Correio do Cidadão, Agrolink, Avisite e Aveworld. A qualidade da carne de frango brasileira, em especial a paranaense, também pautou matéria de capa da Revista Agro & Negócios, intitulada “A carne que conquistou o mundo”. Sindiavipar Retorno de mídia - Junho R2ev8i%sta Jornal 6% O6n6li%ne sindiavipar.com.br 11

[close]

p. 12

Entrevista Frango na Copa ABPA desenvolve projeto de divulgação da qualidade da carne brasileira na Rússia A Copa do Mundo Fifa Rússia 2018 acab ou, mas se o hexa não veio, outros resultados bem positivos foram conquistados pelo Brasil. Durante o evento, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realizou uma ação para promover a qualidade das carnes suína e de frango brasileiras no país europeu. Os materiais informativos, espalhados por diversos pontos de Moscou, veiculavam mensagens que correlacionaram a tradição brasileira no futebol e na produção de proteína animal. Sobre a campanha, o diretor- executivo da ABPA, Ricardo Santin, conversou com a Revista Sindiavipar. Como o projeto foi idealizado? Qual o objetivo? A iniciativa foi idealizada no âmbito da diretoria de mercados e de promoção comercial da ABPA. Nas Copas passadas, havíamos realizado ações de promoção comercial, porém, com menor expressão. Desta vez, investimos em uma ação de maior proporção, com o objetivo claro de buscar interação com o público russo que acompanhou a Copa do Mundo. A Rússia é um relevante importador de carne de frango e se posicionou como principal destino da carne suína brasileira, até a imposição de um embargo ao produto, em dezembro do ano passado. Neste cenário, buscamos reafirmar o total interesse do Brasil em preservar e perseverar nas boas relações com o mercado russo, cumprindo um importante papel no auxílio à segurança alimentar do país do Leste Europeu. Como a campanha foi realizada? Que resultados foram observados? A ação foi realizada ao longo dos meses de junho e julho, com a exposição de anúncios com mensagens-chave em 45 pontos de ônibus, no que podemos chamar de mais importante área de circulação de pessoas de Moscou. A ação foi realizada com o apoio de uma agência internacional de publicidade, que desenvolveu o layout das peças e construiu o mape- amento dos pontos de divulgação. De imediato, recebemos feedback de importadores e representações locais, que elogiaram a iniciativa. O retorno, entretanto, é de longo prazo, com a valorização da percepção do consumidor russo sobre a proteína animal do Brasil. Quais outros projetos estão sendo desenvolvidos para promover a proteína animal brasileira? Realizamos ações em feiras internacionais, workshops, degustações, ações de imagem com jornalistas e formadores de opinião de mercados-alvo e outras incontáveis iniciativas com este objetivo. Nossa próxima grande ação acontecerá em outubro, durante a Sial Paris (uma das maiores feiras de alimentos do mundo), com a participação de dezenas de agroindústrias exportadoras do Paraná e dos outros estados brasileiros, em rodadas de negócios e outras iniciativas com o objetivo de mostrar o que a proteína animal do Brasil tem de melhor: sua qualidade, o status sanitário e o perfil sustentável da produção. 12 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 13

Ricardo João Santin Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Diretor-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) Vice- presidente do International Poultry Council – IPC Presidente do Instituto Ovos Brasil (IOB) Desta vez, investimos em uma ação de maior proporção, com o objetivo claro de buscar interação com o público russo que acompanhou a Copa do Mundo Sindiavipar sindiavipar.com.br 13

[close]

p. 14

Segurança Ações silenciosas CNA realizou levantamento sobre crimes contra produtores rurais para quantificar as ocorrências e notificar autoridades Surgiu a necessidade de expor a situação e buscar solução factível de modo a apoiar e auxiliar o produtor André Sanches, Secretário Executivo do Instituto CNA C almaria e tranquilidade já não são mais sinônimos do ambiente rural. Um levantamento sobre a criminalidade no campo, realizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), por meio do Instituto CNA, apontou que casos como furto e roubo com violência vêm aumentando nessas regiões, colocando em risco a segurança Furto, roubo e depredação foram os líderes em denúncias feitas à CNA do produtor. Além da violência, outro problema identificado pela CNA é a falta de informações do poder público sobre esses crimes, tornando impossível traçar um diagnóstico fiel da situação. Com isso o “Estudo sobre a Criminalidade do Campo” além de mostrar números sobre as ocorrências, também se propõe a elaborar ações e medidas a serem adotadas pelos produtores e autoridades de Segurança Pública para garantir a segurança no campo. “Para nossa surpresa, verificamos que poucos estados tinham estes números de forma consolidada e de fácil acesso. Logo, com essa nova e inesperada informação, para um problema que cresce e persiste no meio rural, surgiu a necessidade de expor a situação e buscar solução factível de modo a apoiar e auxiliar o produtor”, avaliou o Secretário Executivo do Instituto CNA, André Sanches. O Estudo foi iniciado com 14 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 15

a criação do Observatório da Criminalidade no Campo em 2017. Esse sistema permitiu um espaço para os produtores relatarem essas ocorrências, inclusive com vídeos, fotos e outros materiais para a formação desse banco de dados. É possível encaminhar as declarações por um formulário digital no site da CNA (cnabrasil.org.br) ou pelo aplicativo WhatsApp no número (61) 9 9834-7773. A amostragem do Estudo utilizou 158 denúncias recebidas por essas ferramentas. O resultado apontou que o furto (49%), seguido pelo roubo (33%) e depredação (12%) foram os líderes em ocorrência, sendo que as propriedades localizadas a menos de 20 km do meio urbano (37%) foram as mais visadas pelos criminosos. O material ainda contempla 12 propostas para resolver esse cenário de insegurança no campo (ver box). A CNA apresentou os resultados para o ministro Extraordinário de Segurança Pública, Raul Jungmann, e também ao presidente da Câmara dos Deputados, ­Rodrigo Maia (DEM-RJ), em cerimônia no mês de junho, “Realizamos uma parceria entre o Ministério e a CNA, criando um Grupo de Trabalho responsável pela regulamentação da lei nº 13.675/2018, sobre o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), no que concerne ao tema violência contra produtores rurais”, finalizou Sanches. Propostas CNA Conheça algumas sugestões da CNA para combate à criminalidade no ambiente rural: • Programas e ações preventivos e de controle da criminalidade; • Tipologia específica regionalizada das ocorrências; • Criação de metas para redução da violência; • Elaboração de conjunto de leis; • Criação de uma Ouvidoria Nacional; • Destacar boas iniciativas; • Sensibilizar as autoridades; • Inserir nos meios de comunicação a temática.

[close]

Comments

no comments yet