Guia Rio+3

 

Embed or link this publication

Description

6 Roteiros através do Estado do Rio de Janeiro, incluindo regiões de praias e serras.

Popular Pages


p. 1

A 3 horas do Rio tem muito mais Rio pra você Destinos além Do Rio

[close]

p. 2

Índice crie seU roteiro mAPA dO ESTAdO dO RIO dE JANEIRO – ROTEIROS TuRISTICOS [04] deStiNO 1 IlhAS dESluMbRANTES E CONJuNTOS ARquITETôNICOS SECulARES [06] história [08] | 365 ilhas [10] | Ilha Grande [10] | Praias [11] | Mergulho [11] Relíquias históricas [11] | Paraty-Cunha / Estrada Real [12] | Cultura [12] Turismo de vivência [12] | Gastronomia [13] | Compras [13] Parque Nacional da Serra da bocaina [14] | Trindade [14] | Ilha do Tesouro [15] Ruínas de São João Marcos [15] | Serviço [16] | Calendário de eventos [18] deStiNO 2 ECOTuRISMO, TRAdIçõES EuROPEIAS E AlTA GASTRONOMIA [20] Parque Nacional do Itatiaia [23] | Itatiaia [24] | Penedo [25] | Casa do Papai Noel [25] APA Serrinha do Alambari e Capelinha [26] | visconde de Mauá [26] | Cachoeiras [26] vale e Cachoeira da fumaça [27] | Serviço [28] | Calendário de eventos [30] deStiNO 3 uMA vIAGEM NO TEMPO COM AROMA dE CAfé E ClIMA dE MONTANhA [32] história [35] | Gastronomia [35] | vassouras [36] | fazendas Coloniais [36] | valença [37] fazendas históricas [38] | Rio das flores [38] | fazendas Imperiais [39] | Conservatória [39] Outras fazendas [40] | Miguel Pereira [41] | Paracambi [41] | Piraí [41] | barra do Piraí [41] Serviço [42] | Calendário de eventos [46] deStiNO 4 TuRISMO NA SERRA E O lEGAdO hISTóRICO dO bRASIl IMPERIAl [48] história [50] | Natureza [53] | Cultura e Estilo de vida [53] | Gastronomia [54] Artesanato e Compras [54] | Teresópolis [54] | Circuito Tere-fri [55] | Nova friburgo [55] Parque Nacional da Serra dos órgãos [56] | Itaipava [58] | lumiar, São Pedro da Serra e Mury [58] Guapimirim [58] | Cachoeiras de Macacu [59] | Silva Jardim / Reserva biológica Poço das Antas [59] Sumidouro [59] | Serviço [60] | Calendário de eventos [66] deStiNO 5 fORTAlEzAS SECulARES, CAMINhOS CulTuRAIS E RESERvA AMbIENTAl [68] história [70] | Gastronomia e Cultura [72] | Itaboraí [72] | Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba [73] Campos dos Goytacazes [73] | Casimiro de Abreu [74] | Macaé [74] | Sana [74] | quissamã [74] Rio das Ostras [75] | Santa Maria Madalena [75] | Serviço [76] | Calendário de eventos [82] deStiNO 6 PRAIAS E SOl, lAGOAS E RESTINGAS, MOdA E GASTRONOMIA EM lINdAS CIdAdES [84] história [87] | Natureza [88] | Cultura e Estilo de vida [88] | Turismo de vivência [88] | Gastronomia [89] Artesanato e Compras [89] | vida noturna e lazer [89] | Passeios [89] | APA Pau brasil [90] Esportes [90] | Mergulho [90] | Negócios e Eventos [90] | São Pedro da Aldeia [91] | Maricá [91] Araruama [91] | Saquarema [91] | Serviço [92] | Calendário de eventos [96]

[close]

p. 3

MAPA dO ESTAdO dO RIO dE JANEIRO dESTINOS TuRISTICOS Minas Gerais São Paulo

[close]

p. 4

Espírito Santo Oceano Atlântico diStâNciAS A PARtiR dO RiO de JANeiRO destino 1 - até 245Km destino 2 - até 200Km destino 3 - até 180Km destino 4 - até 130Km destino 5 - até 273Km destino 6 - até 140Km

[close]

p. 5

André Azevedo/Sectur Paraty deStiNO 1 ilhas deslumbrantes e conjuntos arquitetônicos seculares 6

[close]

p. 6

luis fernando lara/TurisAngra 7 Acervo Prefeitura de Angra dos Reis/TurisAngra André Azevedo/Sectur Paraty

[close]

p. 7

A natureza exuberante do Rio de Ja- neiro é um encantamento para os turistas. dentre as regiões do Estado que são privilegiadas nesse aspecto está a Costa verde, no litoral sul, que preserva grande área de Mata Atlântica, e conta com cerca de duas mil praias e 365 ilhas, onde despontam as ilhas de Angra dos Reis e o santuário ecológico da Ilha Grande, além dos conjuntos arquitetônicos seculares de Paraty. Nesta região podem ser feitos inúmeros passeios de barco, caminhadas em trilhas ecológicas, mergulhos e pesca esportiva, banhos de mar em águas claríssimas e calmas, assim como banhos em rios e cachoeiras. O turista poderá também percorrer caminhos históricos da Rota do Ouro na Estrada Real, ou ainda visitar engenhos e fazendas. há também um rico folclore de tradições religiosas e uma gastronomia destacada, tendo nos frutos do mar seus principais ingredientes, além da tradição de uma das melhores produções de cachaça artesanal do país. A herança cultural de índios e negros se faz presente na vida local e os passeios no Parque Nacional da Serra da bocaina revelam caminhos históricos, paisagens monumentais nas montanhas, praias de água transparente, piscinas naturais e cachoeiras indescritíveis. 8 Distâncias e acessos a partir Do rio De Janeiro Angra dos reis 150 km - BR-101 (Rio-Santos) ilha Grande 100 km até Mangaratiba - BR-101 (Rio-Santos) até Mangaratiba, mais cerca de 1h30 de barco. paraty 245 km - BR-101 (Rio-Santos) parque Arqueológico e Ambiental de são João Marcos 120 km - BR-101 (Rio-Santos). No trevo de Mangaratiba, acessar a RJ-149 à direita em direção a Serra do Piloto. Seguir subindo a estrada em sentido à Rio Claro por aproximadamente 20 km. A entrada do Parque fica à direita. parque nacional da serra da Bocaina (subsede sul - paraty) 255 km - BR-101 (Rio-Santos) até Paraty. Pegar depois a RJ-165 (Estrada Paraty-Cunha) por cerca de 10 km. trindade 265 km - BR-101 (Rio-Santos), Km 588. Do trevo de Paraty até o trevo do Patrimônio, onde se inicia a estrada que leva a Trindade, a distância é de 16 km. Serão mais 5 km por uma estrada vicinal que tem subida íngreme e atravessa o morro do Deus-me-livre. Após a primeira elevação, há uma bifurcação: mantenha a direita. A primeira praia é a Praia do Cepilho. Atravessando o pequeno riacho à direita e seguindo em frente chega-se à Vila da Trindade. O local também faz parte da área costeira do Parna Serra da Bocaina. HiStóRiA Antiga rota de escoamento da produção das Minas Gerais, as cidades desta região possuem alto valor histórico e cultural, preservando as construções da época. Neste sentido, o destaque é Paraty, que foi um dos principais portos do brasil como ponto final do ‘Caminho velho’ da Estrada Real, rota por onde os tropeiros transportavam ouro e pedras preciosas. No Centro histórico, o turista

[close]

p. 8

André Azevedo/Sectur Paraty Centro Histórico de Paraty, de frente para a baía da cidade André Azevedo/Sectur Paraty Forte Defensor Perpétuo, em Paraty poderá caminhar em ruas de calçamento antigo de pedras irregulares, conhecido como “Pé de moleque”, uma joia urbana do Século 18. dentre as construções históricas, a mais importante é a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, cuja primeira capela data de 1646, e a edificação atual, em estilo neoclássico, de 1873. Já a Igreja de Santa Rita, de 1722, compõe um conjunto de arquitetura jesuítica que inclui o Museu de Arte Sacra. fica diante da baía de Paraty, num cenário bucólico e encantador. destaque ainda para a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São benedito, uma relíquia destinada aos escravos e construída por eles em 1722. E do alto Morro da vila velha impera o imponente forte defensor Perpétuo, de 1703, erguido para proteger a cidade de invasões dos piratas, e de navios franceses e holandeses. Conta com oito canhões de diferentes calibres. Nele funciona o Centro de Artes e Tradições Populares de Paraty, um museu com exposição permanente de artesanato caiçara. Já Angra dos Reis data de 1502, quando os portugueses aportaram justamente numa angra protegida no dia dos Reis Magos. Entre os atrativos históricos se destacam a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade, de 1750; o Museu de Arte Sacra, que reúne mais de duas mil peças e está junto à Igreja de Nossa Senhora da lapa e boa Morte, de 1752; a Ermida de Nosso Senhor do bonfim, de 1780, que fica numa ilhota de 9

[close]

p. 9

luís fernando lara/TurisAngra Ermida de Nosso Senhor do Bonfim, na Baía de Angra dos Reis mesmo nome; a Capela de Santa luzia, de 1632, a primeira da cidade; as ruínas do Convento São bernardino de Sena, de 1763 e a Capela da Ordem Terceira de São francisco da Penitência; o Convento de Nossa Senhora do Carmo, de 1593, uma relíquia do período colonial; o largo do Mercado, onde fica o Mercado Municipal e uma feira de artesanato, além de coreto e a Casa larangeiras; a Rua do Comércio, cujo conjunto arquitetônico é da década de 40 do Século 19; a vila de Mambucaba, povoado que viveu seu apogeu no Século 19 com o comércio de escravos e onde ainda resistem algumas construções, como a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, de 1854; além do imponente Colégio Naval, erguido em 1914. 365 ilHAS Angra dos Reis é o principal município desta região que possui 365 ilhas. O destaque é a Ilha Grande, a principal do litoral fluminense, um verdadeiro paraíso ecológico. dentre as ilhas mais belas, também se destacam botinas, Cataguases Acervo PEIG/INEA e Gipóia, e ainda a lagoa Azul, na freguesia de Santana, que é formada por um colar de ilhas (dos Macacos, Comprida, Redonda e Grande). Os acessos são feitos por barco que podem ser contratados no Centro de Angra, na vila do Abraão (Ilha Grande) ou em agências de turismo. Tanta beleza foi reconhecida pela pesquisa anual “Traveller’s Choice Awards”, divulgada no início de 2015 por um dos principais sites de viagens do mundo – TripAdvisor – que incluiu a praia de lopes Mendes, na Ilha Grande, na 3ª colocação no ranking das dez melhores praias da América do Sul e na 2ª posição entre as melhores praias do brasil. ilHA gRANde é acessada somente por via marítima a partir de Mangaratiba, Conceição de Jacareí ou Angra dos Reis, aportando no cais da vila do Abraão. Tem 106 praias, dentre elas lopes Mendes, Aventureiro, Palmas, Parnaioca, Saco do Céu, dois Rios e Caxadaço. há também cachoeiras, como a da feiticeira, na Enseada da Estrela, com queda d’água de 15 m e onde se pode praticar rapel, e o Poço do lazareto. Este santuário está protegido em duas unidades de conservação: o Parque Estadual da Ilha Grande, que engloba quase toda sua territorialidade, e a Reserva biológica Estadual da Praia do Sul, onde se encontra o Parque Marinho do Aventureiro, que tem praias paradisíacas como a do Aventureiro e seu incomum coqueiro que cresceu na horizontal, e a Sul e a leste, e suas respectivas lagoas. Aquele ecossistema inclui badejos, garoupas, tainhas, golfinhos e tartarugas. Como o número de visitantes é controlado a até 560 pessoas por dia, para ingressar no Parque, o visitante Parque Marinho do Aventureiro, na Ilha Grande 10

[close]

p. 10

Igor Abreu/TurisAngra precisa de autorização que pode ser obtida no CIT da TurisAngra, na Praia do Anil. Não há linha náutica regular para o local, portanto recomenda-se contratar apenas embarcações autorizadas pela Capitania dos Portos a navegar em mar aberto. vizinha à Ilha Grande, a Ilha de Jorge Grego é conhecida como paraíso dos Golfinhos e abriga inclusive diversas espécies de aves. PRAiAS Em Angra dos Reis, a principal praia é a Praia Grande, na Estrada do Contorno. Outras que atraem turistas são a do biscaia e a de Monsuaba. Já em Paraty as praias são ainda mais lindas. A Praia do Sono está na costa leste, no rumo de Trindade. é um lugar extremamente tranquilo, emoldurado por amendoeiras, onde vive uma pequena comunidade. Já a Praia da lula, mais próxima da cidade, com acesso por mar, tem águas incrivelmente transparentes. meRgulHO A baía da Ilha Grande tem uma infinidade de pontos para mergulho, seja livre (snorkel, máscara e pé de pato) ou autônomo (cilindro). Alguns pontos exigem um pouco mais experiência, outros podem ser explorados por mergulhadores amadores, sendo, no entanto, importante contratar os serviços de uma operadora de mergulho legalizada. As Ilhas Cataguases e Ilhas botinas e, as lagoas Azul e verde (Ilha Grande) são ideais para mergulho livre. Para os iniciantes, a Ilha de Jorge Grego e a laje branca, próxima à Praia de Araçatiba, na Ilha Grande são recomendadas. Já os mergulhadores mais experientes podem aproveitar os naufrágios, dentre eles o do navio Pinguino, que está submerso na Enseada do Sítio forte desde 1967, com profundidade que pode Elite dive Center/INEA Aqueduto do Abraão chegar a 20 m. O Califórnia, que afundou em 1866, está na Enseada de Araçatiba, próximo à Praia vermelha. E o encouraçado Aquidabã, que naufragou em 1906, está na Enseada de Jacuacanga. Outra ilha que é perfeita para mergulhos e passeio de barco é a Ilha da Gipoia, cujos destaques são as praias das flechas, de Jurubaíba (do dentista), da Piedade, além da Igreja N. S. da Piedade. RelíquiAS HiStóRicAS Algumas das principais relíquias históricas da Ilha Grande são o Aqueduto, de 1893, com 125 m de extensão; a Igreja de Santana, de 1796, na bela e pacata freguesia de Santana; e o antigo presídio da Colônia Penal de Cândido Mendes, na vila de dois Rios. Este funcionou de 1903 a 1994 e abrigou famosos presos políticos, como Graciliano Ramos, Origenes lessa e fernando Gabeira, revolucionários como flores da Cunha, luiz Carlos Prestes e Nelson Rodrigues, além de criminosos de alta periculosidade como Madame Satã, lucio flávio e José Carlos dos Reis Encina, o Escadinha. Em um dos prédios do complexo, totalmente reformado, funciona hoje o Centro de Estudos Ambientais e desenvolvimento Sustentável da uerj. Já no antigo prédio central, estão o EcoMuseu da Ilha Grande e o Museu do Cárcere. Outra atração histórica são as ruínas do lazareto, na Praia Preta. um prédio fortificado construído em 1871 para abrigar em quarentena viajantes e imigrantes que chegavam doentes ao País, tendo funcionado até 1910. foi transformado em presídio político na década de 1930, sendo implodido em 1954, quando os presos foram transferidos para a Colônia de dois Rios. Lagoa Azul, na Ilha Grande 11

[close]

p. 11

André Azevedo/Sectur Paraty PARAty-cuNHA / eStRAdA ReAl A Mata Atlântica, que permeia a Serra do Mar e a Serra da bocaina, oferece inúmeros atrativos. Com acesso pela Estrada Parque Paraty-Cunha (RJ-165), ou Estrada Real, que está com 1/3 de sua extensão já pavimentada, e depois pela Estrada da Pedra branca, num total de 11 km, chega-se à Cachoeira da Pedra branca, que tem dois saltos de 5 m, formando duchas e piscinas naturais. Já a Cachoeira do Tobogã fica um pouco mais acima, com acesso pela mesma estrada por 8 km. Nela, uma pedra grande e lisa serve como escorrega, terminando em um poço. Acima do escorrega há uma queda d’água onde é possível ficar por de trás da cortina de água, numa pequena gruta. Já a Cachoeira do Iriri, cujo acesso começa no km 548 da bR-101 (entre Angra e Paraty), seguindo por trilha curta que se inicia junto ao ponto de ônibus, é formada por duas quedas d’água e duas piscinas naturais. cultuRA Em Paraty a cultura é ponto forte. vale visitar a Casa de Cultura e o quartel Patitiba, que abriga o Instituto histórico e Artístico e a biblioteca Municipal fábio vilaboim. A cidade também sedia um dos maiores eventos de literatura do país: a festa literária Internacional de Paraty (flip), sempre com presença de grande público e consagrados autores nacionais e internacionais. Outro valioso traço cultural é a Ciranda do povoado de Tarituba, em atividade desde a década de 1970, uma tradição de festa com música e danças como ciranda, cateretê, cana verde, tontinha, caboco véio, arara, caranguejo e chapéu. O patrimônio musical paratiense também inclui outros grupos como os Coroas Cirandeiros, o Grupo de Cirandeiros Sete unidos, o Grupo de Cirandeiros Caiçaras, o Coral de Índios da aldeia Itaxim, ou Paraty-Mirim, e Trilha do Caminho do Ouro na Estrada Real a Sociedade Musical Santa Cecília. O calendário religioso também é muito rico. A tradição católica do município rende a realização de mais de 20 eventos por ano. Os principais são a celebração de Corpus Christi, que remete à tradição dos Séculos 17 e 18, quando são realizadas encenações, como o Auto da Paixão de Cristo e procissões, como a do fogaréu. Imagens e peças sacras de mais de 300 anos são expostas à população e as ruas históricas da cidade são cobertas de tapetes coloridos, feitos de vários materiais, como serragem, cal, flores, pó de café, entre outros. Já a festa do divino, que acontece desde o Século 18, no dia de Pentecostes (50 dias após a Páscoa), é uma grande celebração tradicional que dura dez dias, com missas, ladainhas, leilões, rifas, bingos, barraquinhas de bebidas e comidas, além de danças típicas e shows musicais. Ao longo dos séculos o evento manteve seu espírito comunitário, religioso e folclórico de outrora, com alguns princípios básicos preservados, como a distribuição de carne e comida aos pobres e doces às crianças. Em Angra dos Reis todo dia primeiro de janeiro acontece a Procissão Marítima, reunindo centenas de barcos para comemorar a chegada do Ano Novo. No calendário cultural, também se destacam a folia de Reis luz divina, que acontece no dia de Reis (6 de janeiro) uma das mais tradicionais do município, e a festa do divino Espírito Santo, celebrada desde o século 17. tuRiSmO de ViVêNciA A Costa verde preserva importante herança étnico-cultural e ainda abriga tradicionais comunidades quilombolas, caiçaras e indígenas (Guarani). A Associação dos Moradores do Campinho realiza um projeto de Turismo Social e Cultural com as comunidades, onde o visitante vai encontrar o artesanato feito de taboa, como cestarias, taquara e cipó, além 12

[close]

p. 12

quilombo Campinho da Independência Comunidade Quilombola Campinho da Independência da farinha de mandioca e vai ver de perto como vivem essas comunidades tão originais. A Comunidade quilombola Campinho da Independência, em Paraty, está em um lugar que já foi um quilombo e hoje é um ponto de cultura que busca manter viva a cultura negra, com atividades como capoeira, jongo, percussão e artesanato. é também onde acontece a festa da Consciência Negra. foi ali que, no fim do Século 19, com a abolição da escravatura, os negros de fazendas da região se organizaram em torno de três líderes, as ex-escravas vovó Antonica, Tia Marcelina e Tia luiza, para preservar suas raízes culturais. Conta com um restaurante comunitário que oferece uma variedade de comidas típicas. Já o quilombo Santa Rita do bracuí, em Angra dos Reis, preserva as tradições africanas com atividades culturais e oficinas de capacitação em audiovisual, capoeira, jongo, percussão, musicalização, ecoturismo e artesanato. Cerca de 130 famílias descendentes de escravos vivem no quilombo. Na zona central há uma cachoeira cercada por palmeiras juçara de onde se extrai um saboroso palmito. Outra etnia cujas raízes estão fincadas no litoral da Costa verde é a de caiçaras. Este termo, de origem tupi-guarani, era usado para denominar as estacas feitas de galhos e troncos de árvores que os índios fincavam na água para cercar os peixes. Com o tempo, passou a designar as comunidades presentes no litoral dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. Elementos culturais e sociais são comuns Calçamento Pé de Moleque nas ruas históricas de Paraty em todos os territórios caiçaras, sendo que a canoa esculpida em troncos de madeira nativa é o principal símbolo dessa identidade. Nas comunidades, como a do Saco do Mamanguá, em Paraty, o visitante poderá observar o modo de vida e as atividades de pesca, agricultura e artesanato. Será possível experimentar da culinária com base em peixes, frutos do mar, banana e farinha de mandioca. Ao longo da Rodovia Rio-Santos há alguns pontos de venda de artesanato, peças em barro e cestaria, além de quitutes das comunidades quilombolas e caiçaras. A maior concentração fica em localidades no trecho entre Angra dos Reis e Paraty. gAStRONOmiA Todas as cidades da Costa verde são providas de grande oferta de restaurantes. Como não poderia deixar de ser, predomina a culinária com frutos do mar, acrescida de elementos da agricultura tradicional com base na herança de índios e negros. Também é rica em elementos renováveis, como o palmito de pupunha. Restaurantes internacionais podem ser encontrados em Paraty e Angra dos Reis e nos resorts da região. A cachaça de Paraty é um produto tradicional e com selo de qualidade e procedência. Segundo historiadores, começou a ser produzida na cidade por volta de 1600. de tão importante, ganhou inclusive um festival. Existem diversos alambiques com cachaças de vários tipos, para todos os gostos. cOmPRAS Os shoppings e as pequenas lojinhas nos centros das cidades são os principais pontos de vendas. Predominam a moda praia e o artesanato. O Shopping Piratas, na entrada de Angra dos Reis, é uma ótima opção. Além das compras, os visitantes também encontrarão excelente oferta de restaurantes, além de cinema e área de lazer. Janaína Ercolin/Sectur Paraty 13

[close]

p. 13

ViSite tAmBém daniel Toffoli/Parna Serra da bocaina PARque NAciONAl dA SeRRA dA BOcAiNA Tem acesso através da Estrada Parque Paraty-Cunha (RJ-165). Com 104 mil hectares, é a segunda maior área de preservação do bioma da Mata Atlântica, reconhecido como Reserva Mundial da biosfera pela Organização das Nações unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (unesco), em 1992. Criado em 1971, localiza-se em um trecho da Serra do Mar, na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Os turistas que desejam explorar as trilhas seculares do Caminho de Mambucaba, a mais famosa das “Trilhas do Ouro”, rotas utilizadas pelos tropeiros no início do Século 18 para transportar o ouro de Minas Gerais para os portos de Mambucaba e Paraty, devem contratar o serviço de guias especializados e fazer agendamento prévio pelo telefone do Parque. A rota completa desta trilha acompanha o Rio Mambucaba e pode ser feita em três ou quatro dias de caminhada, percorrendo 46 km. O percurso de descida liga São José do barreiro (SP), na outra entrada do Parque, à baía da Ilha Grande, entre Angra e Paraty. No trecho fluminense, de cerca de 20 km, os turistas vão passar por locais com cal- Cachoeira do Bracuí, no Parque Nacional da Serra da Bocaina çamento de pedra feito pelos escravos, atravessar córregos e poços com água cristalina. A vegetação está bem conservada e protege diversos animais ameaçados de extinção, como a onça pintada, o sagui, o bugio, e o tamanduá-mirim, além do muriqui, o maior macaco das Américas. de acordo com francisco livino, chefe do Parna Serra da bocaina, estão sendo feitos investimentos que vão dotar o local de melhor infraestrutura para os visitantes. As obras deverão ficar prontas em meados de 2016 e incluem um prédio para a sede administrativa fluminense e guarita de controle de acesso de visitantes. Por ano, em média, 500 mil pessoas visitam o Parque. tRiNdAde um dos mais belos recantos de todo o litoral fluminense é Trindade, lugarejo que está dentro do Parque Nacional da Serra da bocaina e que já foi uma típica vila caiçara de pescadores. distante 16 km de Paraty pela bR-101 (Rio-Santos), com acesso por estrada vicinal no Trevo de Patrimônio, está escondida em meio à floresta fechada da Mata Atlântica. Os banhos em rio cristalino ou cachoeira, como a do Pontal e da Pedra que Engole, são ótimas opções de lazer. Possui praias paradisíacas, algumas calmas, como a do Meio, a dos Codós – no estuário do rio de mesmo nome –, a de fora e dos Ranchos, ideais para famílias, e também para a prática de Stand up Paddle, mas também praias de mar bravio, ótimas para o surfe, como Cepilho e Cachadaço. No final desta última está uma belíssima piscina natural marinha, a Piscina do Cachadaço, que fica numa Praia do Meio, em Trindade Acervo Sectur Paraty 14

[close]

p. 14

Acervo Parque São João Marcos Ruínas históricas e relíquias no sitio arqueológico e ambiental de São João Marcos área abrigada por enormes pedras vulcânicas, onde é possível nadar por entre peixes coloridos. O turista deve estar munido de snorkel e máscara para ajudar na observação da fauna marinha, mas não pode levar bolsas e sacolas térmicas ou qualquer tipo de material descartável, uma vez que o local é protegido e sensível à impactos ambientais. Pode ser acessada por uma trilha de 700 m a partir da Praia do Cachadaço, ou por barcos que partem da Praia do Meio. O acesso é controlado pela administração do Parna a 78 pessoas por vez. ilHA dO teSOuRO Em Trindade impera no imaginário popular lendas de tesouros. durante o período colonial, a vila teria sido um refúgio de piratas que atacavam e saqueavam os navios que saíam de Paraty, rumo a Portugal. As histórias dos caiçaras locais falam de tesouros perdidos e baús cheios de ouro, particularmente na Ilha do Tesouro, uma pequena ilhota de fácil acesso entre as praias do Meio e a dos Codós. Esta vila ficou escondida e praticamente intocada por muitos anos até ser descoberta pelos hippies na década de 1960. Aos poucos, sua fama de paraíso se espalhou e, já na década de 1990, o turismo descobriu o lugar. Atualmente é um lugar com boa infraestrutura turística, com pousadas, estalagens e restaurantes. Recebe monitoramento periódico do Instituto Chico Mendes (ICMbio) que está fazendo o ordenamento do Parque, com sinalização e preservação dos atrativos naturais. RuíNAS de SãO JOãO mARcOS O Parque Arqueológico e Ambiental de São João Marcos, com as ruínas daquela que já foi uma antiga e pujante cidade fluminense, pertence ao município de Rio Claro. Seu nome vem de uma capela erguida em 1739, dedicada a São João Marcos. hoje, uma relíquia a céu aberto, esta cidade colonial floresceu com a produção cafeeira e o comércio de escravos, servindo de passagem obrigatória na rota das fazendas de São Paulo e Minas Gerais para o litoral fluminense da Costa verde. Seus primeiros registros datam de 1733, mas viveu o seu auge no final do Século 19, uma vez que a Estrada Imperial (a primeira estrada de rodagem do País) cortava a cidade. Naquela época chegou a ter 20 mil habitantes e uma razoável estrutura urbana, com prefeitura, cadeia, hospital, igreja, colégios, teatro e clubes. Por volta de 1810 tornou-se, como Resende, valença, vassouras e Paraíba do Sul, um dos principais centros cafeeiros do brasil. A decadência veio com o fim destes dois ciclos e, para piorar, na década de 1940, foi assolada por epidemias de malária que dizimaram parte da população. Aqueles que restaram foram deslocados para municípios vizinhos, uma vez que a velha cidade seria inundada pelas águas da Represa de Ribeirão das lajes, o que acabou não acontecendo por completo. O tombamento pelo patrimônio estadual ocorreu em 1990. Em 2011, o Parque Arqueológico foi inaugurado. O circuito de visitação conta com 33 mil m², por onde o visitante poderá caminhar desfrutando da natureza, incluindo um mirante para observação de pássaros e às margens da represa. No circuito arqueológico urbano o visitante percorrerá circuitos delimitados, sem perigo e sem prejuízo para as ruínas que dão uma ideia sobre a vida na antiga cidade, como os muros de contenção da Estrada Imperial, pontes em arco e restos da igreja matriz, entre outros. No Centro de Memória há uma maquete da antiga São João Marcos, como era em 1940, e exposição permanente de artefatos recolhidos dos sítios históricos. uma das mais lindas relíquias é a Ponte bela, construída em 1857 na Estrada Imperial. Periodicamente encoberta pelas águas da represa e cercada por vegetação densa, é uma obra de cantaria que se destaca na paisagem. 15

[close]

p. 15

SeRViçO ANgRA dOS ReiS Fundação de turismo de Angra dos reis – turisAngra Centro de Informações Turísticas - Praia do Anil Av. Ayrton Senna, 580, Praia do Anil Tels.: (24) 3369-7704 / 3367-7826 / 3369-7709 / 33677855 (fax) funcionamento: diariamente, das 8h às 20h. Site: www.angra.rj.gov.br/turisangra E-mail: turisangra@angra.rj.gov.br facebook: Turisangra AtRAtiVOS cAPelA de SANtA luziA Rua do Comércio, s/nº, Centro Telefone: (24) 3367-2220 funcionamento: de segunda a domingo, das 7h30 às 17h30 cOlégiO NAVAl Avenida Marques de leão s/nº, Centro Tel.: (24) 3421-3000 Site: www.mar.mil.br/cn E-mail: relacoespublicas@cn.mar.mil.br cONVeNtO de NOSSA SeNHORA dO cARmO Praça General Osório, Centro Tel.: (24) 3367-3412 funcionamento: segunda, das 12h às 18h; e de terça a sexta, das 8h30 às 18h cONVeNtO SãO BeRNARdiNO de SeNA Morro do Santo Antônio Tel.: (24) 3369-7589 funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h igReJA de NOSSA SeNHORA dO ROSáRiO Rua do Comércio, vila histórica de Mambucaba Tel.: (24) 3362-3044 funcionamento: sábado, das 18h às 19h luís fernando lara/TurisAngra igReJA (eRmidA) de NOSSO SeNHOR dO BONFim Ilha do bonfim, bairro do bonfim Tel.: (24) 3365-2047 lARgO dO meRcAdO / meRcAdO muNiciPAl / cASA lARANgeiRAS Praça zumbi dos Palmares, Centro mAtRiz de NOSSA SeNHORA dA cONceiçãO Praça General Osório, Centro Tel.: (24) 3365-0778 funcionamento: segunda, das 12h às 18h; e de terça a sexta, das 8h30 às 18h muSeu de ARte SAcRA / igReJA de NOSSA SeNHORA dA lAPA e BOA mORte Rua dr. bastos, s/nº, largo da lapa, Centro Tels.: (24) 3369-7693 / 3369-7589 / 3365-4239 funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 12h e das 13h30 às 19h PROciSSãO mARítimA de ANgRA dOS ReiS Site: www.procissaomaritima.com.br quilOmBO SANtA RitA dO BRAcuí Endereço: Estrada Santa Rita, 1 - Sertão do bracuí Tels: (24) 99902-1264 (luciana) / 99259-7888 (Angélica) / 99839-2884 (Emerson) SHOPPiNg PiRAtAS Estrada Municipal, 200, Praia do Jardim Tels.: (24) 3365-2640 / 3365-3546 Site: www.shoppingpiratas.com.br E-mail: sac@shoppingpiratas.com.br PARAty secretaria de turismo de paraty Alameda Princesa Isabel, s/nº, bairro Pontal Tel.: (24)3371-2899 / 3371-3064 Site: http://pmparaty.rj.gov.br facebook: prefeituradeparaty AtRAtiVOS ASSOciAçãO dOS mORAdOReS de cAmPiNHO – AmOc quilombo Campinho da Independência Rodovia Rio-Santos (bR 101), Km 589, Paraty Tel.: (24) 3371-4866 / 4823 E-mail: info@quilombocampinho.org Convento São Bernardino de Sena, em Angra dos Reis 16

[close]

Comments

no comments yet