O Farmacêutico em revista

 

Embed or link this publication

Description

edição nº 122

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

2 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122

[close]

p. 3

NESTA EDIÇÃO 5 10 30 5 10 CEMEPAR: logística qualificada de medicamentos é exemplo para todo o Brasil Audiência Pública debate ensino a distância na área da saúde 13 15 16 Restrição ao EAD na área da saúde foi discutida entre entidades e parlamentares Nota de pesar Artigo: Poder Judiciário e Acesso a Medicamentos 20 Já acessou o Portal Transparência do CRF-PR? 22 Pacientes em uso de vários medicamentos seguem corretamente o tratamento? 28 33 Capa: Vamos falar sobre Radiofarmácia? CRF-PR em Ação ::: EXPEDIENTE::: O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição nº 122 - 2018 Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná Rua Presidente Rodrigo Otávio, 1.296, Hugo Lange Curitiba/PR | 80040-452 DIRETORIA CRF-PR PRESIDENTE Dra. Mirian Ramos Fiorentin VICE-PRESIDENTE Dr. Márcio Augusto Antoniassi DIRETORA TESOUREIRA Dra. Sandra Iara Sterza DIRETORA SECRETÁRIA-GERAL Dra. Nádia Maria Celuppi Ribeiro CONSELHEIROS REGIONAIS Dr. Arnaldo Zubioli Dr. Edmar Miyoshi Dr. Fabio de Brito Moreira Dr. José dos Passos Neto Dra. Karen Janaina Galina Dra. Leila de Castro Marques Murari Dra. Maria do Carmo M. Baraldo Dra. Marina Gimenes Dra. Marina Sayuri Mizutani Hashimoto Dra. Mônica Holtz Cavichiolo Grochocki CONSELHEIROS REGIONAIS SUPLENTES Dra. Cynthia França Wolanski Bordin Dra. Mauren Isfer Anghebem Dr. Maurício Portella CONSELHEIRO FEDERAL Dr. Valmir de Santi Dr. Dennis Armando Bertolini (Suplente) ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Ana C. Bruno | MTB 2973 DRT/PR Gustavo Lavorato | MTB 10797 DRT/PR Michelly M. T. Lemes Trevisan - Designer Artigos não manifestam necessariamente a opinião de “O Farmacêutico em revista”, e são de inteira responsabilidade dos seus autores. IMPRESSÃO LunaGraf - Gráfica e Editora Ltda 2.000 edições FOTOS Assessoria de Comunicação | CRF-PR iStock - Banco de Imagens ALEP CRF-PR Júnior Cyclopet www.crf-pr.org.br facebook.com/crfpr twitter.com/crf_parana youtube.com/crfparana instagram.com/crfpr

[close]

p. 4

EDITORIAL DIRETORIA CRF-PR Mandato 2018 - 2019 Dra. Mirian Ramos Fiorentin - Presidente, Dr. Márcio Augusto Antoniassi - Vice-Presidente, Dra. Sandra Iara Sterza - Diretora Tesoureira, Dra. Nádia Maria Celuppi Ribeiro - Diretora Secretária-Geral EDIÇÕES ANTERIORES Existe uma área de atuação privativa do farmacêutico que está passando às mãos de outros profissionais da saúde. Sinal de alerta acionado! Por conta disso, esta edição da “O Farmacêutico em Revista” apresenta um panorama sobre a Radiofarmácia, ramo responsável pela produção e distribuição de medicamentos radiativos para terapias e diagnóstico de doenças. Confira entrevista com um dos profissionais mais renomados do Brasil nesta área, entenda a fundamental importância da presença do farmacêutico e saiba mais sobre as inúmeras possibilidades de atuação nesse campo de trabalho. A Diretoria do CRF-PR segue com o seu projeto de gestão participativa, ouvindo farmacêuticos dos mais diversos municípios do Paraná para identificar suas expectativas e necessidades. Além disso, os dirigentes do Conselho estão atentos ao debate sobre graduação em saúde a distância (EAD). Trazemos os resultados dos Encontros das Profissões da Área da Saúde, realizados em Curitiba nos primeiros meses do ano, além da audiência pública ocorrida na Assembleia Legislativa do Paraná - ALEP para defender a qualidade da formação dos profissionais. Você sabia que o Paraná é referência por sua logística qualificada de medicamentos? Entenda como funciona o CEMEPAR e como está organizada a Assistência Farmacêutica no Estado. Confira esses e outros tantos assuntos que preparamos especialmente para você. Boa leitura! Acesse o QR Code e verifique todas as edições da “O Farmacêutico em revista”.

[close]

p. 5

CEMEPAR: logística qualificada de medicamentos é exemplo para todo o Brasil Centro de Medicamentos do Paraná conta com equipe de farmacêuticos responsáveis pela distribuição para todas as Regionais de Saúde do Estado Um dos aspectos essenciais para excelência na Assistência Farmacêutica está diretamente ligado à coordenação de atividades que envolvem critérios no controle de medicamentos no setor público, como: programação, aquisição, recebimento e distribuição realizados de forma efetiva. Através do Centro de Medicamentos do Paraná – CEMEPAR é possível garantir de forma gratuita o acesso aos medicamentos dos programas oferecidos pelo Ministério da Saúde (MS) e pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA-PR), por meio de uma logística qualificada. O Paraná é referência em nível nacional, principalmente pela divisão dos seus se- tores e departamentos na área da saúde. Na Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, o planejamento, a formulação, a implementação e a coordenação da gestão da política de assistência farmacêutica são competência do Departamento de Assistência Farmacêutica (DEAF). O planejamento, a execução e o acompanhamento das atividades relacionadas a seleção, programação, aquisição, armazenamento e distribuição de medicamentos são competências do Centro de Medicamentos do Paraná (CEMEPAR). O Estado do Paraná ainda conta com o Consórcio Paraná Saúde, que é uma estratégia pioneira na aquisição de medicamentos para os municípios e na promoção da assistência farmacêutica na atenção primária. O trabalho conjunto dos departamentos exemplifica uma postura que, infelizmente, não é aplicada em todo o Brasil. “O fundamental seria se os municípios e outros estados seguissem o exemplo do Paraná e passassem a criar departamentos exclusivos de Assistência Farmacêutica e logística de medicamentos”, afirma a Presidente do CRF-PR, Dra. Mirian Ramos Fiorentin. “A melhoria é clara e o benefício para a saúde da população é inquestionável”. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 5

[close]

p. 6

CEMEPAR COMO ESTÁ ORGANIZADA A ASSISTÊNCIA Como está orFgAanRizaMdaAaCAsÊsiUstTênIcCiaAFArNmOacêPutAicRa nAoNPaÁraná CC DEAF Departamento Estadual de Assistência Farmacêutica Fortalecimento do Serviço CEMEPAR Centro de Medicamentos do Paraná Logística qualificada CPS Consórcio Paraná Saúde Recursos Financeiros na Atenção Báscia O CEMEPAR distribui medicamentos às 22 Regionais de Saúde e Hospitais e Unidades Próprias do Estado. São contemplados na operacionalização do ciclo da Assistência Farmacêutica todos os componentes, classificados em: componente básico – que se destina à aquisição dos medicamentos para atendimento dos pacientes no âmbito da atenção primária em saúde; componente estratégico – que contemplam medicamentos utilizados no tratamento de doenças de perfil endêmico e que tenham impacto socioeconômico; e componente especializado – abrangendo medicamentos previstos em Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas, de alto valor financeiro unitário ou que, em caso de uso prolongado, resulte em tratamento de custo elevado além dos medicamentos padronizados nos Componentes da Assistência Farmacêutica, ainda há aqueles ofertados por meio dos Programas Especiais da SESA/ PR. Nos últimos anos, em virtude de uma grande campanha promovida pelo DEAF, munícipios do Paraná começaram a decentralizar o serviço de entrega de medicamentos. Se antes era preciso locomover os moradores até a Regional de Saúde 6 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 mais próxima, hoje, na maioria dos casos, os munícipios contam com sua própria farmácia, responsável pelo gerenciamento desses medicamentos entregues pelo CEMEPAR. Todo o trâmite interno é gerenciado por um sistema unificado, facilitando a logística e fornecendo segurança aos procedimentos. Antes da implantação do sistema informatizado, todo o processo era fragmentado, o que dificultava o acesso às informações. “As farmácias das Regionais não davam conta de atender a alta demanda. Como os municípios já possuíam farmácias para dispensação dos componentes básicos, com um sistema uniformizado ficou

[close]

p. 7

CEMEPAR possível a dispensação de outros componentes, facilitando o acesso aos cidadãos”, afirmou a Dra. Margely Nunes de Souza, Chefe da Divisão Farmacêutica de Medicamentos Básicos e Estratégicos do CEMEPAR. Para ter uma ideia da grandiosidade do trabalho realizado pelo CEMEPAR, em 2017 foram distribuídos aproximadamente 207 milhões de reais em medicamentos no Estado. Todo esse gerenciamento conta com o papel fundamental do farmacêutico. Hoje, a equipe comandada pela Dra. Suzan Mirian do Patrocinio Alves, Diretoria do CEMEPAR, conta com 15 farmacêuticos responsáveis por todos os processos que incluem solicitação, aquisição e compra de medicamentos. Divididos em setores responsáveis pelo Medicamento Básico, Estratégico e Especializado; Demanda Judicial e Almoxarifado, os farmacêuticos são essenciais para organizarem todos esses setores, pois são os profissionais da saúde que possuem o conhecimento necessário sobre o ciclo dos medicamentos. A equipe ainda conta com outros profissionais, como enfermeiros, administradores e economistas. “O CEMEPAR contribui para a efetivação da política de Assistência Farmacêutica, no planejamento e execução das etapas do ciclo logístico, incluindo o trabalho com outras superintendências na implantação das redes de atenção à saúde”, complementou Dra. Suzan. 1 2 Fotos 1 e 2: Almoxarifado do CEMEPAR onde são armazenados os medicamentos FARMÁCIA 2 bilhões de medicamentos, soros, vacinas e insumos em 2017 Distribuídos para 22 Regionais de Saúde Mais de 300 municípios têm a entrega decentralizada O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 7

[close]

p. 8

CEMEPAR O CEMEPAR contribui para a efetivação da política de Assistência Farmacêutica, no planejamento e execução das etapas do ciclo logístico, incluindo o trabalho com outras superintendências na implantação das redes de atenção à saúde Dra. Suzan Mirian, Diretoria do CEMEPAR Demanda judicial Grande parte do orçamento do CEMEPAR é destinada para aquisição de medicamentos provenientes de ações judiciais. Esse é o caminho que o cidadão busca o direito para ter acesso a serviços de saúde pública, definido como uma ação democrática que assegura aos cidadãos o cumprimento do direito sanitário. Em 2017, 190 milhões de reais dos 207 milhões do orçamento anual foram destinados para aquisição desses medicamentos. Os fármacos são os mais diversos possíveis, variando desde colírio a medicamentos de alto custo. Essa Reestruturação No mês de março de 2018 foi entregue o projeto de reestruturação da área administrativa da CAF (Central de Abastecimento Farmacêutico), CEMEPAR, que não passava por reforma há mais de 30 anos. A CAF ocupa uma área térrea de 3.630 metros quadrados com capacidade de armazenamento de 6.142 metros cúbicos – sendo mais da metade destinado ao estoque de medicamentos, soros, vacinas e insumos. Segundo a Dra. Suzan Patrocínio, a reforma trouxe inúmeros benefícios. “A mudança trouxe acessibilidade à unidade, até então inexisten- 8 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 dinâmica, que cresce a cada ano, fez com que toda a logística do CEMEPAR fosse alterada. Foi necessário a criação de uma divisão exclusiva para administração desses medicamentos. te. A adequação da área permitiu a melhor acomodação dos servidores, melhores fluxos de trabalho e maior produtividade”, afirmou.

[close]

p. 9

CEMEPAR CRF-PR: conhecendo o CEMEPAR No dia 19 de abril, os Conselheiros do CRF-PR visitaram o CEMEPAR em Curitiba. Essa foi uma iniciativa da Diretoria do CRF-PR, já que segundo a Dra. Mirian Ramos Fiorentin, “é de extrema importância que os Conselheiros conheçam o funcionamento da Assistência Farmacêutica do Paraná, de forma a encaminhar as demandas de acordo com as normativas definidas para esta área, para melhor debate em plenário”. Participaram da visita: Dra. Mirian Ramos Fiorentin – Presidente; Dra. Sandra Iara Sterza – Diretora Tesoureira; Dra. Nádia Maria Celuppi Ribeiro – Diretora Secretária-Geral; os Conselhei- ros - Dr. José dos Passos Neto, Dra. Marina Hashimoto, Dra. Karen Galina, Dra. Leila de Castro e Dr. Fábio de Brito, além da equipe técnica do CRF-PR, representada pelo Dr. Sérgio Mori – Gerente Geral, Dr. Jackson Rapkiewicz – Gerente Técnico-Científico e Dr. Elias Montin – Assessor Político. Dra. Suzan Mirian do Patrocínio Alves e Dra. Margely Nunes de Souza receberam os respresentantes do CRF-PR. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 9

[close]

p. 10

Audiência pública debate ensino a distância na área da saúde Entidades, preocupadas com o avanço desta modalidade de ensino, buscam apoio das autoridades para tentar frear crescimento indiscriminado do EAD A audiência pública, realizada no dia 8 de maio, foi promovida pelos Conselhos Regionais da área da saúde, Sindicatos e Associações que representam profissionais da Farmácia, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Fonoaudiologia, Educação Física, Fisioterapia, Psicologia e Biomedicina, em parceria com a Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) e Câmara Municipal de Vereadores de Curitiba. O evento é o resultado de duas edições do “Encontro das Profissões da Área da Saúde”, ocorridos em Curitiba, na sede do CRF-PR, entre fevereiro e março de 2018. O objetivo do debate foi defender a qualidade da formação dos profissionais, discutindo sobre a metodologia de ensino a distância (EAD) nos cursos da área da saúde. As doze autarquias e entidades que organizaram a audiência pública entendem que estes cursos exigem habilidades teórico-práticas e relacionais que não podem ser desenvolvidas sem contato real com pacientes, principalmente sem a utilização de equipamentos de saúde. A sessão foi presidida pelo Dr. Batista, Presidente da Comissão de Saúde Pública da ALEP, juntamente com os também Deputados Estaduais, Dr. Tercílio Turini e Dr. Nelton Luersen. Dra. Ester Dalla Costa, membro da Comissão de Educação do CRF-PR, foi a representante dos 10 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122

[close]

p. 11

Conselhos Regionais, Sindicatos e Associações da área da saúde. Em sua apresentação, Dra. Ester elucidou o posicionamento das entidades e alertou aos parlamentares sobre as consequências de uma formação sem prática. “A nossa maior preocupação é justamente a questão da estruturação e da qualificação dos profissionais que vão trabalhar na área, formando novos profissionais futuramente. A instalação dos polos de ensino a distância tem seguido um viés econômico de mercado, e não o propósito de levar a condição de educação para quem não tem acesso”, declarou. A publicação do Decreto Federal nº 9.057/2017 retirando da legislação a obrigação da contratação de professores para ministrar as aulas, utilizando no lugar o termo “profissional de educação”, é um dos pontos apontados pelas entidades que geraram um aumento sem precedentes na oferta de vagas na modalidade de educação a distância. Na comparação de 2016 com 2017, a oferta de vagas a distância na área da saúde praticamente duplicou. Em 2015, o Conselho Federal de Enfermagem realizou a “Operação EAD”, pesquisando 315 polos em todo o Brasil, revelando falhas como a deficiência ou até mesmo a inexistência de laboratórios para a formação profissional e a não indicação do profissional responsável pelo curso. O relatório, apresentado também na audiência pública, serve como exemplo da qualidade do ensino EAD em saúde no Brasil. Para a Presidente do CRF-PR, Dra. Mirian Ramos Fiorentin, a união dos Conselhos da Saúde não é para acabar com a plataforma online, e sim para usá-la da forma adequada. “Utilizar a tecnologia em benefício da educação é de extrema importância, porém, é preciso entender que cursos superiores na área da saúde precisam de experiências de estágio e contato com a população, algo impossível de almejar na esfera virtual”, declarou. EAD “Utilizar a tecnologia em benefício da educação é de extrema importância, porém, é preciso entender que cursos superiores na área da saúde precisam de experiências de estágio e contato com a população, algo impossível de almejar na esfera virtual Dra. Mirian Ramos Fiorentin Presidente do CRF-PR O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 11

[close]

p. 12

EAD “A nossa maior preocupação é justamente a questão da estruturação e da qualificação dos profissionais que vão trabalhar na área, formando novos profissionais futuramente. Dra. Ester Dalla Cosa, membro da Comissão de Educação do CRF-PR Para o especialista em ensino a distância, André Fernando dos Reis Trindade, a qualidade dos cursos na área da saúde depende do cumprimento do que determina a lei, incluindo a aplicação de aulas práticas presenciais. “Os cursos em graduação na área da saúde a distância podem ser ofertados, principalmente para ampliar o número de profissionais no Brasil. Porém, é necessário garantir a qualidade através das aulas práticas”, afirma. De acordo com o especialista, o Ministério da Educação libera hoje cursos de Farmácia, por exemplo, desde que sejam comprovados os atendimentos aos requisitos previstos em lei, como aulas práticas, atividades em laboratórios, simulações e estágios com pacientes. “Existem vários cursos ofertados e para isso o próprio Ministério da Educação faz esta avaliação dos requisitos mínimos e essenciais. Concordamos que é preciso que sejam fiscalizados. Os Conselhos têm um papel importante para garantir a qualidade. Acima de tudo precisamos que os alunos tenham bom ensino, com qualificação que os preparem para o mercado”, afirmou. Para o Presidente da Comissão de Saúde Pública, Deputado Dr. Batista, é preciso uma atuação conjunta de diversos setores para reavaliar a questão, definir critérios rigorosos e garantir a qualidade necessária para a saúde oferecida à população. “Devemos combater que, em todas as profissões, a prática não pode ser a distância. Contamos com o apoio das entidades para gerarmos um debate e posteriormente, apresentarmos os resultados para a Assembleia Legislativa e até mesmo, se for o caso, para a esfera nacional”, finalizou o parlamentar. Também estiveram presentes representando o CRF-PR: Dr. Dennis Armando Bertolini – Conselheiro Federal Suplente; Dra. Mônica Grochoki – Conselheira; os integrantes da Comissão de Educação, Dra. Nilce Nazareno, Dr. Sidney Mella Júnior, Dra. Ligiane de Lourdes e Dr. Giovane Zanin; Dr. Jackson Rapkiewicz – Gerente Técnico-Científico; Dr. Elias Montin – Assessor Político; e Dra. Maria Augusta Marcondes – Assessora Educacional. 12 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122

[close]

p. 13

EAD Entidades reiteram posicionamento contrário ao EAD em Reunião dos Conselhos Profissionais da Área da Saúde Representantes dos Conselhos de todo o Brasil participaram de reunião em Brasília. No último dia 10 de maio, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) e Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF), em parceria com o Fórum dos Conselhos Federais da Área de Saúde (FCFAS), promoveram, em Brasília, a I Reunião dos Conselhos Profissionais da Área da Saúde. As entidades estão preocupadas com o impacto da formação dos profissionais na área da saúde na modalidade EAD. A Presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná, Dra. Mirian Ramos Fiorentin, participou do encontro e reiterou o posicionamento contrário da entidade ao EAD na formação de profissionais da Saúde. A Mesa Diretiva do Fórum, composta pelo presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Dr. Walter Jorge João, e pelo Deputado Federal Luiz Henrique Mandetta (DEM/MS) – que apresentará Projeto de Lei a respeito do EAD – suscitou debate e ideias a respeito da importância do ensino presencial na área da Saúde e possíveis prejuízos resultantes da implantação do EAD. Para Dra. Mirian, a graduação em saúde exige o contato do aluno com a prática profissional, “no caso da Farmácia, essa necessidade torna-se ainda mais premente na medida em que a profissão envereda cada vez mais para o cuidado ao paciente, ou seja, a prática clínica”, avaliou. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122 13

[close]

p. 14

EAD Com relação ao evento, a Presidente ressaltou a importância de mobilizar todas as profissões da área da saúde, “juntos podemos alcançar uma unidade em torno do propósito de impedir o avanço do EAD nas graduações na área da saúde”, ressaltou. “As representações das 14 profissões da saúde finalizaram uma proposta de texto para o substitutivo de Projeto de Lei que será apresentado em Audiência Pública na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF)”, que aconteceu no dia 15 de maio. “Juntos podemos alcançar uma unidade em torno do propósito de impedir o avanço do EAD nas graduações na área da saúde Dra. Mirian Ramos Fiorentin Presidente CRF-PR Restrição ao EAD na área da saúde Foi DISCUTIDA entre entidades e parlamentares Promovida pela Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), a discussão na Câmara dos Deputados, em Brasília, no dia 15 de maio, foi proposta pelos deputados Alice Portugal (PCdoB-BA) e Mandetta (DEM-MS). Alice Portugal é autora do Projeto de Lei nº 5414/16, que veta essa modalidade de ensino na área, e Mandetta, o relator. Ambos defenderam providências urgentes contra os efeitos do Decreto Federal nº 9.057/17 e da Portaria Normativa nº 11/2017, do Ministério da Educação, que flexibilizaram as regras e a fiscalização dos cursos a distância. Os parlamentares anunciaram que não medirão esforços para que a questão seja tratada com a seriedade que ela merece. Dra. Nilce Nazareno da Fonte, membro da Comissão de Educação, esteve presente representando o CRF-PR. 14 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 122

[close]

p. 15

Nota de Pesar LUTO O Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná, em nome de toda a comunidade farmacêutica, expressa seu profundo pesar pelo falecimento de dois ícones da profissão, responsáveis por grandes conquistas, lições de vidas e ensinamentos, que seguem com as próximas gerações de farmacêuticos. Prof. Dr. Amaury Caron dos Anjos Falecido em 19 de março de 2018, docente-livre de Farmácia Galênica, foi professor titular da cadeira de Farmacotécnica da Faculdade de Farmácia e Bioquímica da UFPR e farmacêutico do Hospital de Crianças Cesar Pernetta. Escreveu, junto ao seu pai Octávio Pereira dos Anjos, a quem sucedeu na cadeira de Farmácia Galênica, o primeiro livro de Farmacotécnica do Brasil, com o título “Lições de Farmacotécnica” (1ª edição em 1932 e 2ª edição em 1964). Nesse livro constam os primeiros ensinamentos de farmacotécnica homeopática, farmácia hospitalar e dispensação farmacêutica. Dr. Amaury foi fundador e Presidente da Associação Paranaense de Farmacêuticos em 1936, a primeira entidade farmacêutica do Paraná, núcleo formador da criação do Conselho Federal e Regional de Farmácia do Estado do Paraná. Atuou como Vice-Presidente e Conselheiro do CRF-PR na década de 60. Foi Diretor da APUFPR na década de 1960 e membro da Comissão Permanente de Revisão da Farmacopeia Brasileira da ANVISA, da qual foi relator de várias monografias. Contribuição: Dr. Arnaldo Zubioli - Conselheiro do CRF-PR Prof. Dr. Carlos Cecy Falecido em 28 de abril de 2018, era professor aposentado da UFPR e da PUCPR. Atuou na área de Farmácia, com ênfase em Farmacotécnica e Farmacognosia, contribuindo principalmente nas áreas do reconhecimento do curso de graduação, controle de qualidade e fitoquímica. Com sua luta e imensa colaboração - principalmente como Presidente do CRF-PR (1971 e 1972), do Conselho Federal de Farmácia (1983 e 1984) e da Associação Brasileira de Ensino Farmacêutico e Bioquímico (2011-2015) - Dr. Cecy consolidou a valorização do profissional farmacêutico, almejando a defesa da sociedade. Atualmente continuava com sua trajetória exemplar ao integrar a Comissão de Documentação Histórica da Farmácia do Paraná do CRF-PR. Na 878ª Reunião Plenária, os Conselheiros e Diretores do CRF-PR reservaram um momento para homenagear as inúmeras contribuições feitas pelo Prof. Dr. Carlos Cecy ao longo de sua trajetória. Acesse o QR Code e veja como foi a emocionante homenagem realizada O FARMACÊUTICO EMpRelEoVICSRTFA-PRE.dição 122 15

[close]

Comments

no comments yet