Revista CEARH 2018

 

Embed or link this publication

Description

Revista do Congresso Estadual de Gestão de Pessoas do Espírito Santo

Popular Pages


p. 1

CEARH 2018 29º CONGRESSO ESTADUAL DE GESTÃO DE PESSOAS JUNHO DE 2018

[close]

p. 2

AS PESSOAS MOVEM O MUNDO. NÓS MOVEMOS AS PESSOAS. H á mais de 30 anos no Espírito Santo, a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-ES), contribui para o desenvolvimento das organizações e atua na profissionalização da gestão de pessoas no mercado capixaba. A ABRH-ES promove ações com o objetivo de disseminar o conhecimento do mundo do trabalho para profissionais e organizações privadas e públicas. É uma instituição não-governamental, sem fins lucrativos, que reúne pessoas físicas e jurídicas de diversos segmentos em seu quadro social. CONHECIMENTO EXPERIÊNCIA PESSOAS PRODUTOS E SERVIÇOS Congresso Fóruns Palestras Visitas técnicas Workshops Grupos de estudos SEJA UM ASSOCIADO, PATROCINADOR OU VOLUNTÁRIO DA ABRH-ES! Telefone: 27 3324-8326 / 3225-0886 / 98836-0250 (WhatsApp) E-mail: administrativo@abrhes.org.br Site: www.abrhes.org.br Acompanhe-nos nas redes sociais: /abrhes Prêmio Ser Humano

[close]

p. 3

Sumário 4 6 9 10 SEJA BEM-VINDO KATIA VASCONCELOS TUDO PREPARADO PARA VOCÊ ALESSANDRA ZANOTTI E NEIDY CHRISTO ERROS NO CAMINHO DO SUCESSO MÁRCIO VALERIANO ERRO, APRENDO E, LOGO, TRANSFORMO EUGENIO MUSSAK 12 14 17 20 O PODER DO ERRO CAIO KUSTER 22 INOVAÇÃO COMPETITIVA NA ERA DO CONHECIMENTO FERNANDO BERTOLUCCI INOVAÇÃO NÃO VEM DA TECNOLOGIA, VEM DAS PESSOAS JANC LAGE 24 28 SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA? SOLANGE MATA 31 JOGANDO, ERRANDO, APRENDENDO E TRANSFORMANDO! SILVIA ANDREO POR QUE A EXECUÇÃO FALHA? BILL MORAES CARREIRAS RESILIENTES: A ARTE DE USAR A ADVERSIDADE NO ALCANCE DO SUCESSO MARCELO SATTIN “ERRAR, APRENDER E TRANSFORMAR” ARTHUR DINIZ 33 36 40 42 NEM ESPECIALISTA NEM GENERALISTA, NEXIALISTA! ANDERSON, ALBERTO, DANIEL E AMANDA 45 O NOVO MUNDO CORPORATIVO EXIGE VERSATILIDADE MARCELO NÓBREGA O DESAFIO GERENCIAL NO SETOR PÚBLICO SÉRGIO ABOUDIB O EFEITO “GERAÇÃO MILLENNIALS” – FIM DO PENSAMENTO COMPLEXO SIDNEI OLIVEIRA 48 O SIM, O NÃO E AS MUITAS POSSIBILIDADES ENTRE UM E OUTRO RENATA QUINTELLA DESIGN THINKING E INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PESSOAS ANA LÍGIA FINAMOR Expediente Publicação: Associação Brasileira de Recursos Humanos - Espírito Santo – ABRH-ES | www.abrhes.org.br Projeto gráfico, revisão, diagramação e edição: P6 Comunicação | www.p6comunicacao.com.br Impressão: Grafitusa | www.grafitusa.com.br

[close]

p. 4

Seja bem-vindo C hegamos à 29ª edição do Congresso Estadual de Gestão de Pessoas (CEARH 2018) e é com muito orgulho que recebemos você para compartilhar experiências e enriquecer ainda mais nosso conhecimento em gestão de pessoas. Esperamos que você desfrute de cada momento do Congresso que foi pensado e desenvolvido com muita dedicação a fim de que essa experiência amplie o seu conhecimento. O CEARH é referência no Estado quando se fala em gestão de pessoas. Sua fortaleza é fruto da credibilidade, construída e conquistada ao longo de todas as edições. A cada ano são novos contornos que enobrecem o Congresso e levam a você o que há de mais moderno neste mercado. Pensar o CEARH é uma tarefa que exige compreender as mudanças que o mundo e as organizações vivem no momento e as influências de todas essas mudanças no comportamento das pessoas e no resultado das organizações. Especialmente para essa edição decidimos discutir a tão necessária competência do aprender. Adiciona-se a isso a discussão se o erro é permitido. Se sim, em que medida? Ou seja, por que não discutir as possibilidades de que os erros se transformem em oportunidades para crescimento e aprendizado? Convidamos você a fazer esta reflexão no CEARH 2018. O Congresso traz um time de palestrantes de peso que vão nos ajudar a refletir sobre como podemos transformar aprendizado em inovação e, ainda, sobre como (e se) o erro pode levar ao sucesso. Nossa programação foi desenvolvida com base nas tendências apresentadas pelo mercado nacional e internacional para proporcionar a você novos e mais elementos para seu universo de trabalho. Este ano temos novidades que tornam o Congresso ainda mais convidativo. Estamos em um espaço novo, mais aconchegante e amplo, que oferece serviços para facilitar seus dias por aqui. Temos também a EXPOCEARH. A feira de negócios é uma oportunidade para você conhecer serviços e produtos que podem auxiliar a sua gestão. Este também é um local ideal para você fazer networking, conhecer pessoas e ficar por dentro do que está acontecendo em outras empresas. Esta área também será movimentada com autores que farão lançamentos de seus livros, assim como palestras e rodas de conversas abertas e gratuitas. Esperamos que você tenha a melhor experiência

[close]

p. 5

neste CEARH 2018. Que sejam dias de muita reflexão, conexões e conhecimento, de investimento em você que, com certeza, serão transformados em ações práticas no dia a dia de cada um e das organizações. Este é o nosso propósito: que você faça conexões entre o que for experimentado no Congresso e suas vivências no trabalho. Desejamos que o CEARH seja um ponto de partida das transformações, gerando bons resultados e novos significados para a prática no mundo da gestão. Este ano temos novidades que tornam o Congresso ainda mais convidativo. Estamos em um espaço novo, mais aconchegante e amplo, que oferece serviços para facilitar seus dias por aqui.” KATIA VASCONCELOS Presidente da diretoria executiva da ABRH-ES KÁTIA VASCONCELOS Presidente da ABRH-ES 5

[close]

p. 6

Tudo preparado para você 6 P lanejar o maior Congresso de Gestão de Pessoas do Espírito Santo (CEARH) é uma missão que envolve identificar as principais tendências neste segmento. Em busca desta convergência do que tem sido discutido e apresentado, participamos dos maiores fóruns na área de gestão de pessoas ao longo de 2017. O benchmarking nos possibilitou chegar ao tema do CEARH 2018: “Errar, Aprender e Transformar” e construir um evento com o que há de mais inovador e importante nesta área em âmbito nacional. Iniciamos a preparação da 29ª edição do Congresso tão logo terminamos a edição anterior. Diante da grandiosidade desse evento, não podíamos perder tempo. A primeira fase de organização envolveu a diretoria executiva da Associação Brasileira de Recursos Humanos, seccional Espírito Santo (ABRH-ES), que também é voluntária, assim como todos os outros integrantes da Associação. Na primeira etapa definimos as principais estratégias, tais como comissões de trabalho, políticas de comercialização, contato com palestrantes e, então, a divulgação do evento. Toda a primeira fase foi concluída em dezembro de 2017. Desde o primeiro momento, desejamos alcançar sucesso e nos esforçamos para atingir esse objetivo ao oferecer aos participantes uma programação atrativa e rica em conteúdo, com temas atuais, relevantes e replicáveis no dia a dia dos profissionais e das empresas. Por isso,fizemos questão de trazer palestrantes de renome, que fazem a diferença quando o assunto é gestão de pessoas. Fomos ousados também em promover o CEARH 2018 em um novo espaço. Mais agradável, acessível e linear, o que gera maior conexão e favorece o networking entre os participantes. 29º CEARH – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas

[close]

p. 7

São muitos os desafios e oportunidades na construção do congresso. Durante praticamente um ano, atuamos na preparação do CEARH 2018, buscando oferecer o melhor e, acima de tudo, manter a credibilidade e a atratividade de um evento que já acontece há 28 anos. Desejamos que você aproveite cada instante do Congresso e, ao final, entenda que Errar, Aprender e Transformar faz parte do processo de todos nós.” Com tanta informação de qualidade, queremos que você leve do CEARH boas ideias, reflexões e muito aprendizado, conforme propõe o tema Errar, Aprender e Transformar. Agradecemos a você, participante, por estar aqui. Pode estar certo de que cada atividade deste CEARH 2018 foi pensada para oferecer o melhor a você em termos de aprendizado e de relacionamento. Agradecemos aos nossos parceiros, apoiadores e patrocinadores por caminharem conosco, confiando na realização de nosso trabalho. ALESSANDRA ZANOTTI Vice-presidente da diretoria executiva da ABRH-ES NEIDY CHRISTO Diretora executiva de conhecimento e desenvolvimento da ABRH-ES 7

[close]

p. 8

APRENDIZES E ESTAGIÁRIOS Contratar estagiários e aprendizes além de ser uma grande oportunidade para que jovens qualificados possam desenvolver, é um investimento produtivo para empresas, órgãos públicos e profissionais liberais. No futuro, poderão contar com profissionais diferenciados, capazes de contribuir muito para o sucesso de qualquer organização. Todos os serviços do CIEE são gratuitos para as Instituições de Ensino e estudantes. IEMTDPPAENEUAMLSOLRECPSVANUIROOTSBESNOUSREAASA Empresário: Conte com o CIEE para administrar e assessorar todas as fases dos Programas de Estágio e Aprendizagem exigidas pela legislação. Sede CIEE ES Av. Princesa Isabel, 629, Edifício Vitória Center, 2ª andar, Centro, Vitória/ES - CEP: 29.010-904 Telefone do Estudante (27) 3232.3200 Atendimento às Empresas (27) 3232.3235 | 3232.3245 relacionamento@ciee-es.org.br www.ciee-es.org.br

[close]

p. 9

ERROS NO CAMINHO DO SUCESSO O tema deste Congresso de Gestão de Pessoas (CEARH 2018) – Errar, Aprender e Transformar – nos leva à reflexão. Não raro, é do erro que nasce o aprendizado que leva às melhores soluções. Abordar o erro, portanto, é fundamental ao processo de aprendizado, pois é preciso discutir, avaliar o que deu errado e apontar o que pode ser feito para corrigir o rumo. Empresas mais modernas, e há algumas delas no Vale do Silício, por exemplo, tratam esse tema em reuniões estruturadas, algumas com nomes sugestivos e impublicáveis aqui, como é o caso do Google, que criou uma reunião para avaliar o que deu errado. Essa postura tem a ver com transparência, tem a ver com admitir que há erros e que se pode aprender com eles. Jeff Bezos, CEO da Amazon e uma das pessoas mais bem-sucedidas do mundo dos negócios, atribui boa parte do crescimento e da inovação de sua empresa a falhas. “Se você vai fazer apostas corajosas, serão experimentos. E, se são experimentos, você não saberá previamente se vão mesmo funcionar, pois são por natureza propensos ao fracasso. Mas o fato é que alguns grandes sucessos compensam dezenas e dezenas de coisas que não funcionaram”, declara ele em matéria do site Época Negócios. Mas o que isso tem a ver com o universo da comunicação corporativa, que é a área em que nós, da P6 Comunicação, atuamos? Muito. Admitir e tratar os erros tem a ver com uma postura de transparência, autenticidade, compromisso com a verdade. Tudo isso requer engajamento, comprometimento, credibilidade. É isso que uma comunicação bem-feita ajuda a construir. Organizações com credibilidade e reputação ilibada vêm tratando o erro como oportunidade de aprendizado, em vez de escondê-lo ou ignorá-lo. E a comunicação pode ser fundamental nesse processo. Ao tratar o erro com naturalidade as organizações estimulam suas equipes a arriscarem mais e a serem mais propositivas. Numa época em que fake news espalham-se ao sabor do vento nas redes sociais e em toda parte, construir reputação positiva é imprescindível para acender a dúvida naquele que lê algo duvidoso sobre a sua organização antes de tomar aquilo como verdade. Não é preciso ser entendido em comunicação para saber que uma boa imagem é difícil de construir, mas muito fácil de destruir. Analisar e tratar os erros, portanto, é um caminho para o aprendizado. E construir boa reputação ajuda a organização a trilhar esse caminho.” MÁRCIO VALERIANO Diretor da P6 Comunicação 9

[close]

p. 10

Erro, aprendo e, logo, transformo J ean Piaget, o psicólogo e filósofo suíço, que viveu de 1896 a 1980, nos explicou que a aprendizagem é induzida pela experiência. Disse Piaget que ao longo do processo de desenvolvimento, cada ser humano constrói seu conhecimento e, que neste processo o erro é um componente importante. Errar é próprio da condição humana. Aprender também. Infelizmente algumas pessoas não estabelecem conexão entre essas duas qualidades. Este sim é um grande erro. Na verdade, o erro só é erro quando não é percebido; quando é, tornase aprendizado. Sem essa percepção, você corre dois riscos: o de continuar repetindo seus erros sem aproveitá-los para evoluir, ou o de parar de tentar por medo de errar. Nesse cenário, que se aplica à vida em todas as suas esferas, encontramos as empresas. Corporações que lidam com a necessidade de inovar para se manterem competitivas, buscando o que se chama de “cultura da inovação”, por meio da qual todos os colaboradores são estimulados a apresentar ideias, sugestões de melhoria, de novos processos e produtos. Entretanto, não existe uma cultura de inovação que seja imune ao erro. A única forma de não errar é fazer sempre a mesma coisa, de modo repetitivo.É conhecido o exemplo de Thomas Edison, que após ter sido intimado pelo seu patrocinador a interromper suas experiências disse: “por que desistir agora, se já sabemos muitos modos de como não fazer uma 10 29º CEARH – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas

[close]

p. 11

lâmpada?”. Isto é: errar é a possibilidade de acertar na próxima tentativa. Portanto, se a inovação é fator-chave para o crescimento e reposicionamento da empresa e de seus negócios, desenvolver um método de “gestão do erro” deve ser extremamente necessário nesse processo. E isso significa permitir o erro, desde que ele não prejudique o resultado nem a segurança, e que seja proveniente da tentativa de fazer diferente, e não do desleixo, da desatenção ou da incompetência. A ideia é errar rápido para corrigir rapidamente, também. Certa vez, em uma empresa da organizada e próspera cidade de Joinville (SC), eu vi na porta de entrada uma mensagem que dizia: “aqui é permitido errar”. Trata-se de uma empresa adulta, atenta e, claro, competitiva e rica. A moderna administração reconhece a importância do erro! Isso tudo porque o erro não nos afasta da virtude. A maneira como lidamos com ele, sim. Duas qualidades devem acompanhar o erro: a responsabilidade e o aprendizado. . Ser responsável significa responder por seus erros, o que é próprio dos adultos. . Aprender significa incorporar o que é certo e o que é errado, o que é próprio dos atentos. . Ser adulto e estar atento são qualidades dos que acertam mais, apesar de terem errado muito. Errou? Não faz mal. Desde que você seja lúcido para admitir que errou, seja humilde para assumir a responsabilidade, seja esperto para consertar o resultado e seja sábio para incorporar o aprendizado. Errou? Não faz mal. Desde que você seja lúcido para admitir que errou; seja humilde para assumir a responsabilidade, seja esperto para consertar o resultado e seja sábio para incorporar o aprendizado.” EUGENIO MUSSAK Professor, palestrante e empresário. Especialista em Gestão do Comportamento e Educação Corporativa 11

[close]

p. 12

O PODER DO ERRO Deixemos a dependência, assumamos o leme de nossas vidas e, transformados, vamos ajudar outras pessoas a junto conosco, criar uma sociedade muito melhor. Essa é a essência do que produzimos em nossas vidas e no nosso escritório de Advocacia: aceitar que erramos, aprender com estes erros e nos desafiar todos os dias para sermos melhores naquilo que nos propomos!” 12 CAIO KUSTER Kuster & De Angeli Advogados E rrar, Aprender e Transformar é uma capacidade que nos diferencia dos demais seres vivos. Permite que possamos despertar autoconsciência e alterar até mesmo o nosso padrão de raciocínio. A aprendizagem com erros é sem dúvida alguma a essência da grandiosidade, do fazer diferença, presentes nos maiores empreendimentos da humanidade, nas melhores descobertas e nas maiores transformações. Tudo gira em torno do erro e da aprendizagem, até mesmo o planejamento, a organização e a estratégia só fazem sentido porque há, inerente a qualquer objetivo, uma possibilidade de erro, um erro pretérito e uma aprendizagem para o futuro. Errar, Aprender e Transformar é desenvolver, evoluir, alcançar o que hoje é inatingível, mas que no amanhã será factível. Em tudo que pensarmos é aplicável e atual este conceito. No momento em que vivemos uma profunda discussão política e social em nosso país, nosso futuro tende a ser muito mais promissor se tivermos a capacidade de aprender com os erros para transformar. Assim acontece dentro de nossas empresas e de nossa vida privada. Errar é necessário, aprender é uma oportunidade e transformar é uma missão para as pessoas que querem construir um legado, uma vida de realizações e deixar cravada a sua essência na vida de outras pessoas. E se houver capacidade de reflexão e humildade para reconhecer o erro, dedicação e comprometimento para trilhar o caminho da aprendizagem, com visão, foco e disciplina para transformar, nós teremos uma sociedade melhor: porque toda mudança começa de dentro para fora. No final, a batalha é da gente com a gente mesmo! Culpar terceiros (mercado, governo, colaborador, chefe, empresário etc) pelos erros e pelas suas consequências é perder a maior possibilidade que há para evoluirmos e ter como resultado o sucesso e a realização. Por isso, errar e ser humilde para reconhecer o erro é a chave que permite aprender. E o aprender é dolorido porque envolve mudança, rompimento de crenças que nos limitam subconscientemente e estão enraizados em nós, em processo automático como o simples ato de respirar. Mas o transformar é lindo: faz tudo valer a pena, sobretudo quando olhamos o que passou e o que somos no agora, por vezes tão diferente do que éramos no passado. 29º CEARH – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas

[close]

p. 13



[close]

p. 14

INOVAÇÃO COMPETITIVA NA ERA DO CONHECIMENTO 14 A inovação sempre esteve presente na vida da Fibria, empresa brasileira, líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas. No setor de celulose a empresa está entre as que mais investem em inovação, aplicando cerca de 0,7% da receita líquida anual, buscando inovar em todas as áreas, da floresta aos produtos finais. Para isso, a Fibria conta atualmente com 45 cientistas trabalhando em tecnologia de ponta, em três centros de pesquisa, no Brasil e no Canadá. A atuação da área de inovação é norteada por três pilares fundamentais: • Sustentabilidade: contribuir para a sobrevivência do negócio, por meio do cuidado com os recursos naturais e do desenvolvimento de florestas adaptadas ao meio ambiente, a fim de aumentar a produtividade e reduzir os custos. Produzir mais, com menos. • Diferenciação: agregar valor aos nossos produtos, visando nos afastar do tradicional conceito de celulose commodity, e assim aumentar a competitividade da Fibria e dos nossos clientes. • Diversificação: consolidar a floresta plantada como fonte de novos “bioprodutos”, além da celulose, a fim de gerar valor econômico e novas soluções para a sociedade. 29º CEARH – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas

[close]

p. 15

Nossas equipes são inquietas e atentas, buscando aumentar continuamente a nossa competitividade, um trabalho que começou há algumas décadas. Desde então, tivemos inúmeros avanços em diferentes áreas e, ultimamente, nossa maior inquietação está em buscar novos negócios a partir da floresta plantada, em complemento à celulose. Nesta linha, inauguramos em 2017 uma planta-piloto de celulose microfibrilar (MFC) em nossa unidade localizada em Aracruz (ES). Altamente resistente, o produto vai agregar valor e qualidade à nossa celulose, além de ser utilizado em novas aplicações, como em cimentos, tintas, plásticos e cosméticos. Para inovar de verdade, na era do conhecimento e da interconexão em tempo real, as parcerias são fundamentais. Nesse sentido, no ano passado a empresa lançou a Fibria Insight, plataforma de inovação aberta, cujo objetivo é estimular o trabalho e a parceria com startups, empresas, universidades e centros de pesquisa de todo o mundo, na busca de novas ideias e tecnologias que tragam outros usos para a nossa matéria-prima ou que ofereçam soluções inovadoras para nossos desafios. No primeiro ciclo do programa foram lançados dois desafios: aplicações inovadoras para a celulose microfibrilar e melhorias no processo de amarração dos fardos de celulose. Recebemos 46 propostas de projetos, das quais sete foram selecionadas após um processo de imersão com os técnicos da Fibria. A partir dessas novas parcerias, esperamos potencializar a inovação na empresa, a partir da construção conjunta e do diálogo aberto. O mundo está mudando depressa e entendemos que é preciso acompanhar essa velocidade. Por isso a inovação está no nosso DNA.” FERNANDO BERTOLUCCI Diretor de Tecnologia e Inovação da Fibria 15

[close]

Comments

no comments yet