Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

Ano XI - Edição 125 - Abril 2018 Distribuição Gratuita O Hino Nacional Brasileiro é SEM MEDO DE SER VELHO um dos quatro símbolos oficiais da República Federativa do Bra- Os amigos se encontram e conversam sil, conforme estabelece o art. sobre suas dores, riem do catálogo de 13, § 1.º, da Constituição do remédios que se renova a cada visita Brasil. ao médico e gabam-se por estarem Da Pátria o grito bem apesar da idade que cada um Eis que se desata tem. Desde o Amazonas Arnaldo, um jovem que os acompanha- Até o Prata va ouvia a conversa, observava atentamente o jeito deles e faz uma in- Leia mais: Página 5 dagação: Leia mais: Página 6 A única possibilidade de nos eternizamos nessa frágil vida, é plantando boas sementes. É a melhor herança que deixamos! “MIL Brasil” Associação Brasileira para a União Lusófona, Associação Brasileira para a União Lusófona que também usa a denominação de “Movimento Internacional Lusófono – Brasil” ou simplesmente “MIL BRASIL”, é uma associação civil, pessoa jurídica de direito privado, fundada em 10 de Junho de 2013, sem fins lucrativos, de caráter cultural, filosófico, ideológico, filantrópico, promocional da importância da língua portuguesa no mundo, educacional, assistencial e recreativo. O Mil Brasil estará integrado no grande movimento internacional, presente em todos os Países Lusófonos, isto é, todos os Países de Língua Oficial Portuguesa, visando reforçar laços de fraternidade e união entre todos os Estados Lusófonos. É uma Associação multicultural que visa mobilizar a sociedade em geral, instituições civis e governamentais, Regionais, Nacionais e Internacionais, para o fortalecimento das relações institucionais, entre os Países, Regiões e Comunidades de Língua Portuguesa no Mundo. Movimento Internacional Lusófono é um movimento cultural e cívico que visa mobilizar a sociedade civil para repensar, debater e auxiliar a construir amplamente o sentido e o destino da Comunidade de Língua Portuguesa. Lusofonia é, como se sabe, falar Português, mas não só. Lusofonia é bem mais que isso, é um sentir e um estar, é uma vivência única. O Mundo Lusófono é o conjunto de identidades culturais existentes em regiões, países, estados ou cidades falantes da língua portuguesa como Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e por diversas pessoas e comunidades em todo o mundo. Lusofonia é falar em português, no sentido bem estrito da palavra. Como diz Ida Rebelo (Linguista Brasileira), a lusofonia é: a construção de um espaço, o “Espaço Lusófono” porque nele se fala a Língua Portuguesa, e que é um espaço cultural, econômico, político, estratégico... Os milhões de falantes da Língua Portuguesa em todo o mundo constituem uma comunidade histórico-cultural com uma identidade, vocação e potencialidade singular: A de estabelecer pontes, mediações e diálogos entre os diferentes povos, culturas, civilizações e religiões, promovendo uma cultura da paz, da compreensão, da fraternidade e do universalismo à escala planetária. O MIL Brasil visa potencializar a identidade Lusófona entre os diferentes povos, promovendo a fraternidade, a paz e a compreensão, independentemente das suas crenças, ou critérios religiosos e políticos, estabelecer pontes, mediações e diálogos, incrementar a inter-relação cultural com vista a estabelecer uma verdadeira Comunidade Lusófona. Mariene Hildebrando Vice-Presidente do Mil Brasil CULTURAonline BRASIL - Boa música Brasileira - Cultura - Educação - Cidadania - Sustentabilidade Social Agora também no seu Baixe o aplicativo NO SITE www.culturaonlinebr.org Editorial Crônica do mês O Uso do Nome Social UNIDOS PODEMOS VENCER No dia 12 de março de 2015 o Quando desconfiamos de tudo e Conselho Nacional de Combate à de todos e recusamos participar de Discriminação e Promoções dos Di- movimentos contra esse sistema reitos de Lésbicas, Gays, Travestis e falido, significa que não acredita- Transexuais recomendou escolas e universidades a garantir o acesso e a reconhecer esses estudantes em mos em nossa força e dessa forma, fortalecemos os tiranos da pá- suas dependências. Essa recomen- tria. dação vale tanto para a rede pública É preciso reescrever nossa histó- quanto privada. ria, reparar as injustiças, vencer o Dentre as várias mudanças reco- medo e concentrar nossas forças. mendadas esta a que permiti o uso O povo precisa tornar-se visível, do nome social nas chamadas, a arrancar o poder “deles” e nos tor- utilização de banheiros e de vestiários conforme sua identidade de gênero. nar uma potência para rédeas de nossas vidas. tomar as Página 2 Página 3 Educação EMENDA CONSTITUCIONAL QUANDO NÃO PODE SER FEITA? Página 10 AJUDE-NOS a manter estes projetos de educação (Rádio e Jornal)- www.gazetavaleparaibana.com/apoiadores.htm

[close]

p. 2

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 2 Editorial O Uso do Nome Social No dia 12 de março de 2015 o Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoções dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais recomendou escolas e universidades a garantir o acesso e a reconhecer esses estudantes em suas dependências. Essa recomendação vale tanto para a rede pública quanto privada. Dentre as várias mudanças recomendadas esta a que permiti o uso do nome social nas chamadas, a utilização de banheiros e de vestiários conforme sua identidade de gênero. A nova norma que permite a utilização do nome social foi aprovada em setembro de 2017 pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), mas só foi homologada pelo MEC agora em 17 de janeiro de 2018. Para entendermos melhor o que isso significa é preciso dizer que o nome social é aquele com o qual essa população de gays, lésbicas e travestis se identificam, conforme sua identidade de gênero. Permitir o uso do nome social na educação básica (que compreende a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio) nos remete a um princípio fundamental que rege os Direitos Humanos, que é o princípio da dignidade Humana. O respeito ás diferenças é fundamental e temos que nos empenhar em combater o preconceito e em incentivar o respeito a diversidade sexual. É sabido que uma das causas de abandono escolar e de violência nas escolas é causado justamente pelo bullying e preconceito que a população LGBT sofre. A norma não atinge apenas o nome social, mas também dá direito ao uso do banheiro e vestiários de acordo com a identidade de gênero da pessoa. Se houver uniforme, também poderá a pessoa utilizar o que for mais conveniente. Essa norma já deveria ter sido aprovada há muito tempo. É uma reivindicação antiga da população LGBT A norma não possui força de lei, mas tem o respaldo de princípios e preceitos constitucionais. É inegável que a aprovação da norma é um avanço importante para a sociedade, mas aí alguns questionam: Como vamos lidar com isso? Os profissionais da educação estão preparados pra lidar com essa situação? Na verdade as escolas e os profissionais da educação não estão preparados para essa realidade. Qual será o procedimento que as escolas adotarão?Como ficará o uso do banheiro, por exemplo? Fica evidente que tanto a escola como professores e pais não estão preparados para lidar com o tema, apesar de esperarmos que seja no âmbito escolar onde se encontre o meio mais apropriado para a construção do conhecimento.. para discussões de temas tão importantes. Devido à falta de oportunidades de questionar às sexualidades, ficam evidenciados também o desconhecimento e a negligência com que o assunto é tratado, até mesmo como forma de não levantar discussão de algo que gera polêmica e requer um posicionamento, o que, de uma maneira ou de outra, acaba nos deixando vulneráveis.O professor precisa perceber que a sua interferência como educador nas relações escolares deve ser cuidadosa, desde o linguajar às atitudes; enfim, é todo um processo que requer cuidados especiais e conhecimento por parte do educador. A diversidade sexual deve ser explorada pelo professor, ele deve levar o estudante a aprender a respeitar o diferente, através de ações que despertem o desejo do aluno de querer entender e participar de maneira sadia dessa nova percepção. O trabalho de inclusão deve ser realizado, é fundamental que a escola oportunize a esses estudantes condições para que eles se sintam à vontade para se assumirem e se expressarem sem medos e sem constrangimentos. O debate deve ser estimulado, a compreensão das questões de gênero é necessária para que o preconceito deixe de existir, ações de combate ao preconceito e a discriminação devem ser estabelecidas e serem incluídas nos projetos pedagógicos. A abordagem do assunto requer planejamento, o tema deve ser inserido no cotidiano escolar, abordado de forma interdisciplinar, e isso requer entrega dos professores e isenção de opiniões pessoais baseadas em seus valores; a questão deve ser tratada da forma mais natural possível, com respeito e atitudes sadias em relação ao tema sexualidade.A escola continua sendo um lugar que busca formar cidadãos conscientes dos seus direitos, provocar, instigar, favorecer as transformações pessoais e sociais. O respeito ao ser humano e ao diverso é fundamental para termos uma sociedade com igualdade para todos. Mariene Hildebrando Email: marihfreitas@hotmail.com Professora e especialista em Direitos Humanos Casa de mãe Joana Este dito popular tem origem na Itália. Joana, rainha de Nápoles e condessa de Provença (1326-1382), liberou os bordéis em Avignon, onde estava refugiada, e mandou escrever nos estatutos: “Que tenha uma porta por onde todos entrarão”. O lugar ficou conhecido como Paço de Mãe Joana, em Portugal. Ao vir para o Brasil a expressão virou “Casa da Mãe Joana”. A outra expressão envolvendo Mãe Joana, um tanto chula, tem a mesma origem, naturalmente. Onde Judas perdeu as botas Como todos sabem, depois de trair Jesus e receber 30 dinheiros, Judas caiu em depressão e culpa, vindo a se suicidar enforcando-se numa árvore. Acontece que ele se matou sem as botas. E os 30 dinheiros não foram encontrados com ele. Logo os soldados partiram em busca as botas de Judas, onde, provavelmente, estaria o dinheiro. A história é omissa daí pra frente. Nunca saberemos se acharam ou não as botas e o dinheiro. Mas a expressão atravessou vinte séculos. Atualmente, o ditado significa lugar distante, inacessível. De pá virada Um sujeito da pá virada pode tanto ser um aventureiro corajoso como um vadio. A origem da palavra é em relação ao instrumento, a pá. Quando ela está virada para baixo, é inútil não serve para nada. Hoje em dia, “pá virada” tem outro sentido. Refere-se a uma pessoa de maus instintos e criadora de casos ou a um aventureiro. Jurar de pés junto A expressão surgiu das torturas executadas pela Santa Inquisição, nas quais o acusado de heresias tinha as mãos e os pés amarrados (juntos) e era torturado para confessar seus crimes. A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não cor- responderem à opinião deste Jornal. Diretor, Editor e Jornalista responsável: Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J Ajude-nos a manter este projeto por apenas R$ 15,00 mensais Email: assinaturas@gazetavaleparaibana.com Gazeta Valeparaibana e CULTURAonline BRASIL Juntas, a serviço da Educação e da CULTURA Nacional

[close]

p. 3

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 3 Crônica do mês UNIDOS PODEMOS VENCER Quando desconfiamos de tudo e de todos e recusamos participar de movimentos contra esse sistema falido, significa que não acreditamos em nossa força e dessa forma, fortalecemos os tiranos da pátria. Calendário É preciso reescrever nossa história, reparar as injustiças, vencer o medo e concentrar nossas forças. O povo precisa tornar-se visível, arrancar o poder “deles” e nos tornar uma potência para tomar as rédeas de nossas vidas. De que adianta ter carro e não poder sair, ter dinheiro para comprar remédios e permitir que nos tirem a saúde? Ainda temos chance de recomeçar, mas é preciso ação, união, estamos à beira da eleição e talvez de um colapso social sem volta se não lançarmos mão de nossos direitos, exigir que nos devolvam os benefícios conquistados, o futuro de nossas crianças com a educação, a dignidade de nossos jovens com trabalho, o bem estar dos nossos idosos com a saúde e qualidade de vida para os filhos e netos com segurança. Estão nos deixando para trás? Sim estão e a distância está ficando cada vez maior e nos tornando apáticos, mentes fracas, sem líderes bem intencionados. A droga invade nossas casas e a população envolvida num mar de ilusões falsas, assiste a tudo como se estivesse num estado de embriaguez. Nossa gente, não tem onde morar, onde se abrigar, não tem assistência. O chão se abre a cada dia levando a todos para um buraco sem fim. A desigualdade é muito avassaladora, estamos divididos entre os ricos e os miseráveis. O que é isso? Não podemos continuar nessa maré que nem é de azar e sim de safadezas, da falta de caráter e de vergonha cada vez mais despudorada dos nossos políticos. Exigir dos responsáveis pelo país é pouco, “eles” nos devem tudo, tudo que nos foi tirado. Não podemos cair na inércia e deixar que levem nosso fio de esperança, devemos aos nossos filhos e netos uma atitude pra mostrar que valeu à pena nosso trabalho, nossa luta, a conquista pela democracia, a honestidade com que levamos nossas vidas, a fé em nós mesmos para que todos se sintam capazes de derrotar o inimigo. Algumas datas 01 - Dia da Mentira - 1º de Abril 07 - Dia do Jornalista 09 - Dia Nacional da Biblioteca 13 - Dia do Hino Nacional Brasileiro 13 - Dia do Jovem 18 - Dia Nacional do Livro Infantil 19 - Dia do Índio 19 - Dia do Exército Brasileiro 21 - Tiradentes 21 - Dia da Latinidade 21 - Aniversário de Brasília 22 - Descobrimento do Brasil 22 - Dia da Comunidade Luso-Brasileira 23 - Dia Mundial do Livro 24 - Dia Internacional do Milho 28 - Dia da Educação 28 - Dia Nacional da Caatinga 29 - Dia Internacional da Dança 30 - Dia Nacional da Mulher Esperamos mais do que “eles” tinham para nos oferecer, hoje temos apenas a frustração, mas, não vamos nos condenar para sempre a ficar nesse mar de lama e ver nossas cidades cada vez mais destruída, os jovens absortos em seus fones de ouvido alienados de tudo e, parece que só se acorda, quando a chuva leva tudo de todos, o fogo se alastra, os traficantes levam nossos filhos, a prostituição leva nossas meninas, os hospitais acumulam corpos que nem sempre voltam vivos, a violência abarrota os cemitérios e todos os dias nosso povo chora enquanto alimentamos os traficantes e políticos na prisão que mantém suas famílias em suas confortáveis casas enquanto lá fora, os moradores de rua se acumulam pelo chão. Brasil, país de corruptos, de políticos com dólares na cueca, a cada dia um escândalo novo, não existe ética e nem moral em nossa pirâmide social. Enquanto uns irão morrer de trabalhar, outros ganham o que não merecem “mordendo” o nosso. Políticos que não nos representam, se agrupam falando alto, se xingam e se afrontam parecendo gralhas. Palavras fúteis e vazias. A educação de um povo pode ser julgada, antes de mais nada, pelo comportamento que ele mostra na rua. Onde encontrares falta de educação nas ruas, encontrarás o mesmo nas casas. Edmondo Amicis Vamos, povo dessa nação, levantem-se, ergam-se, deem-se as mãos e vamos em frente, seguir adiante e tirar deles o poder e pedir a Deus que volte a ser brasileiro para que “ELE”, assim, tenha orgulho de nós! Genha Auga – jornalista MTB:15.320 “Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.” Bezerra de Menezes www.culturaonlinebr.org /// CULTURAonline BRASIL /// www.gazetavaleparaibana.com

[close]

p. 4

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Notas do João Paulo Barros Página 4 Choque de direitos? go? E o direito à segurança das outras pesso- celar os direitos de outros. As pessoas podem as? Não sejamos ingênuos! A fabricação e o muito bem ter liberdade sem precisar ter pos- A liberdade é um direito natural do ser huma- comércio de armas de fogo não serão banidos se de armas de fogo. Quem tem que portar no. Um direito fundamental, irrenunciável. In- do mundo. Contudo, quem realmente tem a armas de fogo é agente de segurança pública clusive a liberdade de ter posses, de possuir necessidade de portar armas publicamente? e de defesa nacional, subordinados ao gover- bens materiais. A segurança e proteção tam- Será que proibir a compra e a posse de armas no. Vários países não permitem posse de ar- bém são direitos fundamentais do ser huma- de fogo por cidadãos comuns é autoritarismo? mas de fogo por cidadãos comuns e são paí- no, por isso que algumas pessoas compram Será que proibir pessoas comuns de possuir ses seguros para se morar, com baixo índice armas e é por isso que existem polícia e exér- armas de fogo contradiz o conceito de liberda- de criminalidade. cito, por exemplo. de individual? Qual direito é maior? O da liber- Os direitos de liberdade de posse de bens Nos Estados Unidos há, com certa frequên- dade ou o da vida? A nossa liberdade pode materiais e da indústria bélica de lucrar não cia, o problema de alguém pegar uma arma ser tão ampla, a ponto de termos autorização podem cancelar os direitos das pessoas de de fogo e sair atirando contra um grupo de para tirar a vida de outras pessoas? Não! A estarem seguras, preservadas de atentados e pessoas, principalmente em escolas. A liber- liberdade é um direito fundamental, mas a se- assassinatos. dade individual, tão sagrada, justifica o direito gurança e a vida também são direitos funda- de qualquer um poder comprar armas de fo- mentais. Os direitos de uns não podem can- Stephen Hawking de se viessem a ser encontrados. Também já lução da tecnologia. E o Brasil necessita valo- declarou crer que seja possível viagem no rizar muito os seus cientistas nacionais, os O mundo perdeu um grande ícone da ciência. tempo. Era ateu mas, tinha boas relações com seus pesquisadores. A Rússia está se recupe- Ele foi um físico teórico e cosmólogo britânico, a Igreja Católica. rando como potência mundial porque valoriza uma ilustre personalidade como foram Isaac Newton, Albert Einstein, Michael Faraday, Thomas Edson, Nikola Tesla, Max Planck, Werner Heisenberg, Erwin Schrödinger e outros. Alguém que contribuiu para melhorar o Sem dúvida, Stephen Hawking deixou um grande exemplo a ser seguido, como cientista. E desejo que venham a nascer grandes cientistas futuramente. Que já tenham nascido. a ciência, investe em pesquisas científicas. O Japão chegou onde chegou por fazer o mesmo, valorizar a educação escolar e acadêmica, e também a ciência, as pesquisas científicas. A Alemanha, idem! Stephen Hawking mundo, ampliando o conhecimento da huma- O povo brasileiro tem a necessidade de se conseguiu ser quem ele foi porque o país dele nidade. Hawking revolucionou o conhecimento conscientizar de que os países chamados de- valoriza a ciência e outros países também re- científico sobre os buracos negros. senvolvidos ou de primeiro mundo são países conhecem o valor de Hawking como cientista. Nasceu em 1942, era portador de uma doença degenerativa, a esclerose lateral amiotrófica, mesmo assim foi um grandioso físico e também uma celebridade. Escreveu diversos livros, era alguém que considerava os extraterrestres como possível ameaça a humanida- que valorizam tanto a educação escolar e acadêmica quanto as pesquisas científicas. Cientistas como Stephen Hawking e Neil deGrasse Tyson são pessoas fundamentais para ajudar países a se desenvolverem. Porque é o conhecimento científico que impulsiona a evo- Mais do que qualquer político brasileiro, independente de ser de direita ou de esquerda, Stephen Hawking é um verdadeiro exemplo a ser seguido pelos brasileiros que realmente queiram desenvolvimento e progresso. Civilidade recusada? linchamentos, torturas, para pôr para fora a deve fazer em caso de furto, é chamar a polí- raiva que sentem. cia, e não tomar a iniciativa de punir quem fur- No dia 23 de março de 2018, no site do Cocais Notícias, foi publicada uma reportagem sobre dois irmãos açoitarem um homem que havia furtado ovos de galinha. Isso foi um ca- O que muita gente não entende é que justiça só é justiça se, e somente se, a penalização for proporcional ao crime ou infração. Açoitar tou por conta própria. A polícia, o ministério público e a justiça são as instituições especializadas em lidar com criminosos. so isolado, mas circula via redes sociais vá- ou agredir com pauladas alguém que furtou No seio da sociedade civil há uma recusa ter- rios vídeos de homens que surram alguém uma galinha, ou um fraco de palmito, extrapo- minantemente em aceitar os direitos huma- que foi flagrado furtando algo. la o crime cometido, é excesso, é exagero. nos, muita gente é “sedenta de sangue”, ansi- Deixa de ser justiça e o criminoso é transfor- osa para agredir, para causar dor e sofrimento Nota-se que há por aí um grande apoio à mado em vítima pelos justiceiros. Furto é fur- às outras pessoas. Renegação aos princípios “justiça” (vingança) com as próprias mãos. to, mesmo que seja famélico. Mesmo que o de civilidade. O cidadão “de bem” anseia em Nota-se que há um número grande de pesso- código penal não considere furto famélico co- punir o mais severamente possível os outros, as transbordando de ódio e de intolerância, e mo crime, ninguém gosta de ter alguma coisa quando estão na condição de criminosos ou tais pessoas veem-se a si mesmos como sua furtada por outra pessoa. O furto não de- de infratores. Mas quando é, por exemplo, o “pessoas de bem”. Há uma queixa contra o ve ser estimulado. A assistência social existe filho do tal cidadão “de bem” o acusado? A Estado de que este não garante nem justiça e para ajudar as pessoas vulneráveis, justa- multidão não sabe o que realmente é justiça. nem segurança à sociedade. E por causa dis- mente para não haver desculpas para furtos e Justiça não é vingança. so, as pessoas tomam iniciativas e promovem roubos. No entanto, o que o cidadão comum "Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda." Paulo Freire www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 5

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 5 Dia 13 - Dia do Hino Nacional Brasileiro Alberto Nepomuceno e Francisco Braga. de abril em alusão à abdicação de Dom Pe- O vencedor foi Leopoldo Miguez, mas dro I. Já a segunda letra, na época da coroao povo não aceitou o novo hino, já que o de ção de Dom Pedro II, de autoria desconheciJoaquim Osório e Francisco Manuel da Silva da, dizia: havia se tornado extremamente popular des- Negar de Pedro as virtudes de 1831. Através da comoção popular, Deo- Seu talento escurecer doro da Fonseca disse:“Prefiro o hino já exis- É negar como é sublime tente!”. Deodoro, muito estrategista e para Da bela aurora, o romper não contrariar o vencedor do concurso, Leo- poldo Miguez, considerou Da Pátria o grito a nova composição e a denominou co- Eis que se desata mo Hino da Proclamação da República. O Hino Nacional Brasileiro é um dos quatro símbolos oficiais da República Federativa do Deodoro da Fonseca, oficializou como Hino Desde o Amazonas Até o Prata Brasil, conforme estabelece o art. 13, § 1.º, Nacional Brasileiro a composição de Francis- Durante o segundo reinado, o hino nacional da Constituição do Brasil. Os outros símbo- co Manuel da Silva. Durante o centenário da era executado nas solenidades oficiais em los da República são a bandeira nacional, Proclamação da Independência, em 1922, que participasse o imperador, sem qualquer as armas nacionais e oselo nacional. Tem finalmente a letra escrita pelo poeta e jorna- canção. letra de Joaquim Osório Duque Estrada e lista Joaquim Osório Duque Estrada tornou- Após a Proclamação da República, em 1889, música de Francisco Manuel da Silva. se oficial. um concurso foi realizado para escolher um Foi adquirida por 5:000$ (cinco contos A orquestração do hino é de Antônio de As- novo hino nacional. A música vencedora, en- de réis) a propriedade plena e definitiva da sis Republicano e sua instrumentação para tretanto, foi hostilizada pelo público e pelo letra do hino pelo decreto n.º 4.559 de 21 de banda é do tenente Antônio Pinto Júnior. A marechal Deodoro da Fonseca. Esta compo- agosto de 1922 pelo então presiden- adaptação vocal foi feita por Alberto Nepo- sição (Liberdade, liberdade! Abre as asas te Epitácio Pessoa e oficializado pela lei n.º muceno e é proibida a execução de quais- sobre nós!...) seria oficializada como Hino da 5.700, de 1 de setembro de 1971, publicada quer outros arranjos vocais ou artístico- Proclamação da República do Brasil, e a mú- no Diário Oficial (suplemento) de 2 de setem- instrumentais do hino. sica original, de Francisco Manuel da Silva, bro de 1971. A música do hino nacional do Brasil foi com- continuou como hino oficial. Somente em Hino executado em continência à Bandeira Nacional e ao presidente da República, ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal, assim como em outros casos determinados pelos regulamentos de continência ou cortesia internacional. Sua execu- posta em 1822, por Francisco Manuel da Silva, chamada inicialmente de Marcha Triunfal para comemorar a independência do país. Essa música tornou-se bastante popular durante os anos seguintes, e recebeu duas letras. 1906 foi realizado novo concurso para a escolha da melhor letra que se adaptasse ao hino. O poema vencedor foi o de Joaquim Osório Duque Estrada, em 1909, oficializado por decreto do presidente Epitácio Pessoa em 1922, permanecendo assim até hoje. ção é permitida ainda na abertura de ses- A primeira letra, de autoria de Ovídio Saraiva A parte instrumental da introdução do Hino sões cívicas, nas cerimônias religiosas de de Carvalho e Silva, foi cantada pela primeira Nacional Brasileiro possuía uma letra, que caráter patriótico e antes de eventos esporti- vez no cais do Largo do Paço (ex-Cais Pha- acabou excluída da sua versão oficial do hi- vos internacionais. roux, atual Praça 15 de Novembro, no Rio de no. Essa letra é atribuída a Américo de Mou- A partir de 22 de setembro de 2009, o hino nacional brasileiro tornou-se obrigatório em escolas públicas e particulares de todo o Janeiro), a 13 de abril de 1831, em desacato ao ex-imperador, que embarcava para Portugal após abdicação ao trono brasileiro. ra, natural de Pindamonhangaba, presidente da província do Rio de Janeiro nos anos de 1879 e 1880. Em 17 de novembro de 2009, o cantor Eliezer Setton lançou um país. Ao menos uma vez por semana todos 13 de abril ficou como a data em que se é CD intitulado Hinos à Paisana, das quais u- os alunos do ensino fundamental devem can- comemorado o Dia Nacional do Hino Brasi- ma das faixas é do Hino Nacional Brasileiro tá-lo. leiro. com essa introdução cantada.[9][10] A música do hino é de Francisco Manuel da A letra dizia o seguinte: Silva e foi inicialmente composta para banda. Em 1831, tornou-se popular com versos que comemoravam a abdicação de Dom Pedro I. Posteriormente, à época da coroação de Dom Pedro II, sua letra foi trocada e Os bronzes da tirania Já no Brasil não rouquejam; Os monstros que o escravizavam Já entre nós não vicejam. A letra da introdução é a seguinte: Espera o Brasil que todos cumprais com o vosso dever Eia! Avante, brasileiros! Sempre avante Gravai com Buril nos pátrios anais o vos- a composição, devido a sua popularidade, passou a ser considerada como o hino nacional brasileiro, embora não tenha sido oficializada como tal. Com o advento da Proclamação da República do Brasil e por decisão de Deodoro da (estribilho) Da Pátria o grito Eis que se desata Desde o Amazonas Até o Prata Fonseca, que governava de forma provisória Ferrões e grilhões e forcas o Brasil, foi promovido um Gran- D'antemão se preparavam; de Concurso para a composição de outra Mil planos de proscrição versão do Hino. Participaram do concurso, As mãos dos monstros gizavam 36 candidatos; entre eles Leopoldo Miguez, O hino passou assim a se chamar Hino ao 7 so poder Eia! Avante, brasileiros! Sempre avante Servi o Brasil sem esmorecer, com ânimo audaz Cumpri o dever na guerra e na paz À sombra da lei, à brisa gentil O lábaro erguei do belo Brasil, Eia! sus*, oh, sus! A palavra "sus" é uma interjeição que vem do latim sus: "de baixo para cima"; que chama à motivação: erga-se!, ânimo!, coragem! Neste contexto é sinônimo de "em frente, avante" www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 6

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 6 Contos e Poemas da Genha SEM MEDO DE SER VELHO experiências e o aprimoramento da nossa compreensão. - Sim, concorda Luiz Antônio, complementando: com a vantagem desse brilho interior que compensa o desgaste de fora. Apesar, de que muitos preferem mutilar-se com cirurgias, exagerar na maquiagem, usar roupas extravagantes o que denota que essas pessoas velhas, pensam que se escondem atrás desses recursos para não aparentarem idade. Arnaldo insiste no questionamento dizendo. - O ser humano é vaidoso, a tecnologia está aí para favorecer o embelezamento e retardar a Os amigos se encontram e conversam sobre velhice. suas dores, riem do catálogo de remédios que se renova a cada visita ao médico e gabam-se - Meu jovem, retruca Luiz Antônio, o embeleza- por estarem bem apesar da idade que cada um mento é bom, desde que seja o mais natural tem. possível, pois nosso corpo inevitavelmente mostrará que a mágica da tecnologia e dos cos- Arnaldo, um jovem que os acompanhava ouvia méticos e adornos também têm limites, a extra- a conversa, observava atentamente o jeito de- vagância e o exagero denigre qualquer ima- les e faz uma indagação: gem, estamos em declínio, mas em natural - Hoje em dia, todos querem viver mais e mais, transformação, como tudo o mais. esticar ao máximo a longevidade e eu quero - Verdade, concorda o amigo Artur. Se não nos saber: qual a vantagem de se ficar mais velho? tornarmos tolos, gostaremos de nossa aparên- Artur, já com seus 77 anos, tranquilamente res- cia em todas as etapas da vida e olharemos pra ponde ao jovem: nós mesmos e diremos “Esse sou eu. Aceito”, - Nós temos uma vida que sabemos é finita, conservados de acordo com a vida que tivemas isso não significa que a meta deva ser a mos, com a genética e cuidados com a saúde, morte e sim aproveitar a vida ao máximo e ser somos o espelho de nossa própria história. feliz. - E mais ainda Arnaldo, completa Luiz Antônio: Luiz Antônio, um pouco mais novo com seus não somos só nossa aparência, mas temos ela 73, explica: grudada a nós e negá-la é patético. As pessoas ao invés de querer aparentar sempre juventude, - Se não tivéssemos banalizado a vida com de- deveriam também se preocupar em serem cada sejos fúteis, vulgarização das emoções, se ti- vez mais dignas, dóceis, elegantes, de mentes véssemos andado mais devagar nessa corrida brilhantes para mostrar que valeu a pena sua e com menos fast food, micro-ondas, tudo pron- vida, que dentro da “carcaça” nos aprimoramos to e fácil, tantos remédios para pequenas do- e não há outra saída a não ser vivenciar cada res, escolhas erradas na profissão, seríamos estágio, viajar com o tempo em cada fase e menos anêmicos, menos frustrados. E agora sem negligenciar seu todo, continuar e saber ainda corremos contra o tempo para envelhecer que se não estamos extraordinariamente con- com dignidade e bem. servados, também não estamos destruídos. Arnaldo ainda intrigado questiona os amigos. Arnaldo, muito pensativo, abraçou os amigos e - Como se sentem ao ver que os cabelos em- agradeceu pela conversa. Despediram-se e os branquecem, o olhar perde o brilho, a carne tor- dois amigos, sem pressa, foram se afastando, na-se flácida e enrugada, o andar é devagar e felizes por existirem e pela sabedoria de que o perdendo a atração? tempo está os devorando, mas que dele, nin- - Caro Arnaldo, responde-lhe Artur, tornamo- guém escapará. nos a caricatura de nossa juventude, mas, sem - Bem, retrucou Luiz Antônio, abraçado ao ami- perder os traços belos com que nascemos e go Artur: se não soubemos ser felizes aos 20, não é o corpo que nos sobressai e sim o que 40, 60, sejamos felizes aos 70, 80. carregamos dentro de nós através das nossas Genha Auga – Jornalista MTB:15.320 OUTONO O tempo fica ameno, O vento sopra! Seguem com ele as andorinhas, Chegam os pardais inquietos As folhas voam, Forram o chão. Amarelas, castanhas, Crocantes! A folha rodopia, Cai aos seus pés, Tu a apanha Guarda-a no meio da folha de papel. Abandonam-se ao chão, Desprendem-se da árvore amiga Para dar lugar a nova estação. O chão ficou colorido. O romântico outono chegou! Junto chegam as águas, A Páscoa e novas conquistas. Estação do amor! Genha Auga O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã. Leonardo da Vinci AJUDE-NOS a manter estes projetos de educação (Rádio e Jornal)- www.culturaonlinebr.org/apoiadores.htm

[close]

p. 7

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 7 Cidadania O apagamento da ética em tempos to da moral ou construção da subjetividade va e totalmente manipulável, como sabem a- de guerra contra a corrupção voltada ao espírito. queles que trabalham com os meios de produ- Autora: Marcia Tiburi O problema que ainda está em jogo é justa- ção da linguagem. Não será útil aos jogos de mente o que podemos chamar de “mistério da poder em cena que voltemos a falar de ética. É impressionante a facilidade com que a ética literalidade”. Nos momentos históricos em que Milhões de pessoas devem permanecer in- é apagada no contexto das crises políticas e a compreensão coletiva se entrega ao literal, conscientes quanto ao fato de que foram re- econômicas, judiciárias e midiáticas. Há muito como acontece atualmente, quando se leem duzidas a peças de um jogo, cujas regras são tempo deixamos de falar em ética e, justa- as palavras sem que se pense nos jogos de igualmente incapazes de conhecer e, portan- mente no momento em que parece tão neces- linguagem dos quais fazem parte, nossa ca- to, evidentemente incapazes de alterar ou até sária, ela anda completamente sumida. Silen- pacidade de percepção corre riscos – e com mesmo de jogar como participantes ativos. ciamentos demonstram naturalizações. E cer- ela o que somos capazes de formular e de Todos somos vítimas de jogos de linguagem e tamente eles significam mais do que desinte- expor em termos de teorias ou de visões so- o único jeito de escapar deles é pela reflexão resse. bre o mundo. atenta. Mas esta não está na moda. Ética já era um significante vazio há certo Ética, essa palavra abandonada, é um signifi- O espírito de manipulação é próprio da socie- tempo, uma espécie de palavra mágica que cante vazio que tem uma função relacionada dade capitalista em seu estágio atual. Mani- causava efeitos discursivos. Falar em ética ao espírito de uma época. Em tempos de pular é o verbo que se faz carne nas pessoas imediatamente sugeria um “ser” ético do e- construção ou quando a estabilidade é a me- físicas e jurídicas de nosso tempo. Manipular nunciador. É que para o senso comum, acos- ta, usam-se significantes com função positiva. significa agir pelos mais diversos meios, para tumado à literalidade, ou seja, a acreditar no Em tempos em que o espírito é de destruição, reduzir pessoas a objetos. Todas as vezes em nexo entre a palavra e a coisa, ética era ape- usam-se palavras com uma função negativa. que usamos pessoas como meios e não como nas um marcador de lugar do próprio falante Por isso, atualmente, o termo corrupção en- fins – sejam fiéis, sejam eleitores, sejam teles- e, quando muito, uma exigência que se fazia trou em cena substituindo a questão da ética. pectadores ou leitores – estamos transfor- a um outro a quem ela faltasse como postura. Neste momento em que o espírito de destrui- mando as pessoas em coisas. Em tempos de Apenas nos âmbitos especializados se tratava ção próprio ao neoliberalismo entra em cena, naturalização da manipulação, voltar a evocar da ética em seu sentido mais complexo como o papel mágico cabe a um termo negativo. a ética é o ato de inocência que nos falta para ciência do agir humano, como questionamen- alterar o rumo da história. O espírito do tempo é uma construção coleti- E qual país pode preservar suas liberdades, se seus governantes não são avisados de tempos em tempos que o povo preserva o espírito de resistência? A árvore da liberdade deve ser revigorada de tempos em tempos com o sangue de patriotas e tiranos. Thomas Jefferson penas R$ 4 milhões; em 2010, eram R$ 64 A próxima sessão do julgamento está marca- milhões. da para quinta-feira, no STF. Na última, em As normas que dizem a respeito da regula- novembro passado, o ministro Dias Toffoli mentação de comunidades quilombolas, pos- nos deu ganho de causa, mas deixou pairan- suem a função social de preservar o patrimô- do no ar uma ameaça que há anos aflige nos- nio cultural brasileiro. Porém, ainda assim, as sos irmãos indígenas: o “marco temporal”. comunidades quilombolas vêm enfrentando Segundo esta tese, só teria direito à terra problemas de reconhecimento da posse de quem a estivesse ocupando quando da pro- A luta quilombola suas terras, o que por sua vez, ocasiona di- mulgação da Constituição, 5 de outubro de Autora: Alinne Marques* versos conflitos para tais comunidades e tam- 1988. O dispositivo releva casos de expul- bém para sociedade, uma vez que muitas ve- sões violentas. Nossas terras são cobiçadas, A escravidão é um fato social verificável na zes, essas comunidades terminam por migrar e a violência contra nós tem crescido: em história de muitos países através dos séculos, para o meio urbano, onde são profundamente 2017 foram 14 assassinatos, contra oito em sendo que no Brasil a mão de obra escrava hostilizadas, e não possuem o respaldo da 2016 e dois entre 2011 e 2015. foi massivamente constituída por negros trafi- sociedade para que tenham uma vida digna. As comunidades quilombolas são vítimas de cados do continente Africano. Há comunidades que datam do século XVI, interesses de pessoas com um poder econô- A luta de resistência dos escravos é marcada mas só a partir da promulgação da Constitui- mico superior aos seus, que ameaçam a he- pela constituição dos quilombos, comunida- ção de 1988 puderam requerer legalmente rança ancestral mantida pelos quilombos. des organizadas pelos refugiados, onde vivi- sua posse. Esse direito foi regulamentado pe- É dever nosso cobrar atitudes que intensifi- am em liberdade através de uma comunidade lo Decreto 4887/2003, que, seguindo o que quem a celeridade na regulamentação de ter- nos moldes do que existia em sua terra natal. dita a Convenção 169 da Organização Inter- ras quilombolas. A tais pessoas é devido o Segundo um levantamento Global, só 4% dos mais de da ONG Justiça 1.600 processos nacional do Trabalho, estabelece a autoatribuição como único critério para identificação respeito por toda a sua história, ficar à margem da sociedade. não podendo de titulação de terras quilombolas em anda- das comunidades quilombolas. Este decreto mento no Incra foram concluídos. E o horizon- vem sendo questionado por um único partido, *Alinne Marques é advogada popular, espe- te não é nada animador: em sete anos, o or- o DEM, por uma Ação Direta de Inconstitucio- cialista em Direito Agrário, e defensora dos çamento do órgão para o setor teve uma que- nalidade, desde 2004. Direitos Humanos da de 94%. Em 2017, o INCRA dispôs de a- www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 8

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 8 Sustentabilidade Para cultivar a água na natureza FRASES SOBRE PROGRESSO Uso sustentável dos recursos hídricos é essencial para paz e prosperidade no longo prazo, e isso será ainda mais importante com crescimento populacional e a mudança climática. O Brasil apresenta amplos recursos de água doce, mas ainda enfrenta secas, enquanto tempestades tropicais têm um efeito cada vez mais devastador. Qual seria a conexão? A água, e a maneira como nós gerenciamos esse recurso precioso. Ao redor do planeta, rios estão sendo poluídos, florestas estão sendo destruídas, e recursos hídricos estão sobrecarregados — o que significa que, até 2050, quatro bilhões de pessoas poderão ainda estar sem acesso a água potável e saneamento. Por muito tempo, nós confiamos predominantemente em infraestruturas construídas pelo ser humano para a gestão dos recursos hídricos, mas um novo relatório das Nações Unidas propõe uma solução complementar que, de fato, tem milhares de anos: trabalhar com a natureza, e não contra ela. O Relatório Mundial sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos deste ano — um Relatório do UN-Water (ONU-Água) produzido pela UNESCO — propõe combinar a engenhosidade do ser humano com a engenhosidade da natureza para uma abordagem mais sustentável e harmoniosa quanto à gestão da água. O Brasil tem dado seu exemplo há mais de dez anos na Bacia do Paraná, no sul do país. O programa Cultivando Água Boa não apenas melhorou o meio ambiente, como também aumentou a qualidade de vida dos habitantes. Do reflorestamento das florestas ao uso de fertilizantes naturais, da limpeza dos equipamentos agrícolas para que os pesticidas não cheguem aos rios à utilização de técnicas tradicionais de terraceamento para prevenir que solos ricos desapareçam nos rios, o programa mostra de que forma técnicas simples podem fazer uma grande diferença. Vinte e quatro milhões de árvores foram plantadas, vinculando o mundialmente reconhecido Parque Nacional do Iguaçu, um sítio do Patrimônio Mundial Natural da Unesco, a outras florestas, estimulando o desenvolvimento da diversidade local de espécies. O Canal da Piracema agora segue um curso natural, contornando a Represa de Itaipu e permitindo que os peixes migradores desçam pelo rio até comunidades pesqueiras locais. Fazendeiros que usam métodos mais orgânicos têm visto seus meios de subsistência melhorarem, e as crianças que estudam em escolas locais estão tendo refeições mais saudáveis. Tudo isso é o resultado de se posicionar a importância da água no centro das políticas. Ao redor do mundo, ocorre uma mudança nas abordagens: das autoridades da cidade de Nova York que protegem as reservas naturais adjacentes, pelos benefícios tanto econômicos quanto ambientais, às estruturas de captação de água de pequena escala no Rajastão, na Índia, que levam água de volta a mil povoados atingidos pela seca. O uso sustentável dos recursos hídricos é essencial para garantir paz e prosperidade no longo prazo, e esse tema se tornará ainda mais importante com o crescimento populacional e a mudança climática. A UNESCO — como a agência da ONU responsável pela cooperação intelectual nas ciências, na educação e na cultura — tem trabalhado há mais de 50 anos na gestão da água. Nós trabalhamos com os outros membros do UN-Water (ONU-Água) para entender o mundo natural e o nosso lugar nele. Os rios, lagos e oceanos do planeta atravessam fronteiras nacionais, e nós trabalhamos junto aos países para assegurar que tais recursos sejam divididos de forma equitativa. As culturas humanas são profundamente moldadas pelo nosso meio ambiente, e a Unesco trabalha para proteger paisagens de grande importância. Acima de tudo, a educação sobre a mudança climática e o desenvolvimento sustentável são fundamentais. As lições do Cultivando Água Boa no Brasil têm sido reproduzidas por todo o país, assim como em outros locais na América Latina e na África. Agora, é o momento de repensar os nossos recursos hídricos mundialmente, para então equilibrarmos as necessidades humanas com o futuro do nosso planeta. Audrey Azoulay é diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Assim é o Brasil, ame ou odeie. Acabamos de ser chamado atenção pela ONU pelo desperdício de água, estamos entre os 10 países com maior desigualdade social no mundo e agora me vem essa tal de reforma trabalhista que fará as coisas aqui ser ainda mais difíceis Nietzsche: “Os cumes da civilização e do progresso estão distantes um do outro. Não deve- mos deixar-nos enganar pelo antagonismo profundo que separa civilização de progresso”. *** Ogden Nash: “O progresso pode ter sido benéfico, mas agora já foi longe demais”. *** Franz Kafka: “Crer-se no progresso não significa que já tenho tido lugar qualquer progres- so”. *** Arlindo Colaço: “A evolução é uma lei da Natureza, que vence sempre. Mais cedo ou mais tarde, domina”. *** Mahatma Gandhi: “Se queremos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova”. *** Stanislaw J. Lec: “É um progresso quando um canibal passa a comer com garfo?” *** Schopenhauer: “Sem resistência, não há progresso. Sem sombras, não há luz”. *** Charles Baudelaire: “Que há de mais absurdo que o progresso, já que o homem, como está provado pelos fatos de todos os dias, é sempre igual e semelhante ao homem, isto é, sempre em estado selvagem?”. *** John Glenn: “A despeito de todo progresso da medicina, ainda não há cura para um sim- ples aniversário”. *** Woody Allen: “Meu pai trabalhou na mesma empresa durante doze anos. Eles o demitiram e o substituíram por uma maquininha deste tamanho, que faz tudo o que meu pai fazia, só que muito melhor. O deprimente é que minha mãe também comprou uma igual”. *** Thor-Heyerdahl: “Progresso é a habilidade do homem de complicar a simplicidade”. *** Carlito Maia: “Acordem e progresso!”. Roger BeatJesus Mês que vem tem mais... Porque precisamos fazer a Reforma o país, toda a sociedade precisa colaborar para que eles possam nascer e terem su- Política Popular no Brasil? cesso. É preciso um sistema eleitoral moderno para melhorar a qualidade da política. Os po- Seus impostos merecem boa administração. Bons políticos não líticos "tradicionais" tem horror à reforma política, porque ela pode mudar a situação vem do nada. Para que existam bons políticos para administrar atual onde eles usam e manipulam o eleitor e são pouco cobrados !

[close]

p. 9

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 9 Discussões sobre política COMO DISCUTIR POLÍTICA DE FORMA SAUDÁVEL? Atire a primeira pedra quem nunca entrou em uma discussão tição. O importante da conversa passa a ser ganhar a qualcalorosa com um membro da família, chegando até a ficar quer custo, sair de lá se sentindo vitorioso por derrotar o oubrigado com aquela pessoa por um breve período. Atire a tro. A política está presente em boa parte dos aspectos que rondam nossa vida. Por isso, é mais do que necessário nos falarmos sobre ela dentro e fora do período eleitoral. Houve uma época em que discutir esse assunto era um grande tabu, e primeira pedra ainda quem nunca fez isso por causa de política. O que as brigas com a nossa família por causa da política têm a nos ensinar é: saber avaliar quando vale a pena entrar em uma discussão. Portanto, lembre-se sempre que o objetivo de um debate deve ser a troca de conhecimentos e experiências. No lugar de tentar convencer o outro debatedor a concordar com você, exerça sua empatia e tente compreender por quais motivos era muito comum ouvir aquela frase “futebol, política e religi- Existe uma série de fatores que qualificam o que é um bom aquela pessoa pensa daquela forma, quais situações de vida ão não se discutem”. debate político. Quando esses fatores não estão presentes, a fizeram pensar daquela maneira. Com certeza você terá você deve saber perceber que não vale a pena se envolver muito a aprender a partir disso. Hoje, mais do que necessário, falar de política tem sido frequente no nosso dia a dia. No trabalho, no ônibus, nas reuniões de amigos e familiares, durante o happy hour. Nós do na discussão, pois será fácil ela virar uma grande briga. De quais fatores eu estou falando? É o que veremos a seguir. Outra característica bastante frequente nos debates de internet é algo que a gente falou por aqui, as notícias falsas. É, Politize! amamos falar sobre a importância de debater políti- Discutir política no trabalho infelizmente, bastante comum que pessoas apoiem seus ar- ca, mas também sabemos que conforme essa prática vai fi- Você está no trabalho e seus colegas começam a falar sobre gumentos em informações inverídicas ou incompletas. É por cando mais frequente, também vão surgindo situações um política. Você, como entusiasta do assunto, logo participa da isso que antes de incluir uma informação em seus argumen- tanto complicadas sobre ela, já que, muitas vezes, a conversa conversa. A partir de um certo momento, você já não está tos, você precisa seguir os princípios de fact checking e com- segue um caminho não muito saudável. mais prestando atenção nos argumentos dos colegas que provar a confiabilidade delas. Uma notícia verdadeira deixa Não queremos que todos esses obstáculos a um debate saudável desmotive você a falar sobre política no momento em pensam diferente de você, apenas aguarda que eles terminem de falar para começar a sua fala, às vezes nem espera o seu argumento mais forte, enquanto uma Fake News coloca em cheque toda a sua credibilidade como debatedor. que isso é mais importante: as eleições. Vamos ver porquê. outro terminar. Os erros que você está cometendo nessa situ- Sabe como reconhecer uma notícia falsa? Leia: o mundo das ação são os primeiros a serem evitados em um bom debate. fake news e da (des)informação POR QUE DEBATER POLÍTICA NAS ELEIÇÕES? É simples: não saber ouvir os argumentos contrários. As dis- O QUE É UM BOM ARGUMENTO? O resultado das eleições perpassa toda a nossa vida nos anos seguintes a ela. Parece exagero que os 45 dias de campanha possam moldar o nosso futuro durante tanto tempo, mas não é. A qualidade dos candidatos eleitos reflete diretamente na qualidade da administração pública, da transparência e da participação política. Portanto, discutir política nesses 45 dias é mais do que fundamental para garantirmos uma cussões políticas devem ser um meio de trocarmos informações às quais normalmente não temos acesso, principalmente pela “bolha social” em que estamos inseridos (quando temos acesso apenas a pessoas que pensam muito parecido conosco, o que é algo bastante comum nas redes sociais, por exemplo. Quantas pessoas você mantém na sua rede de contatos que pensam completamente o oposto?). É ao debater Por falar em argumentos fortes, existem alguns critérios imprescindíveis que caracterizam uma boa argumentação. O primeiro deles é nunca esquecer de fazer o dever de casa. Muitas vezes gostamos muito de um tema e fica difícil resistir a um debate sobre ele. Mas você tem certeza de que domina realmente o assunto? vida de qualidade para todos. com outra pessoa, de realidade diferente da nossa, que te- 1) Evite achismos e generalizações É ao falar de política com nossos amigos, familiares ou cole- mos a oportunidade de conhecer informações diferentes, que Antes de falar sobre ele, tenha certeza de que pesquisou o gas de trabalho que podemos exercer nosso papel de cida- são muito válidas. suficiente, em diferentes fontes, todas elas bastante confiá- dão ao conscientizar outras pessoas sobre a importância do Por isso, aproveite a oportunidade para aprender algo com os veis. Se você consegue discutir a questão de forma aprofun- voto consciente. argumentos opostos. Não é porque uma pessoa pensa dife- dada e sem recorrer a generalizações ou achismos, está no Infelizmente, muitas pessoas podem dar as costas à política rente de você que ela está necessariamente errada. Aproveite caminho correto. Caso contrário, pense duas vezes antes de durante a maior parte do tempo, mas é nas eleições que elas a chance para ouvir argumentos contrários. Mesmo que para se animar e participar da discussão. Não existe problema se mostram mais abertas a esse tipo de debate. Por isso, criticar, precisamos conhecer a fundo os fatos apresentados algum em assumir que não sabe o suficiente sobre um tema, precisamos aproveitar tal janela de oportunidade para consci- pelo outro lado. todos nós precisamos aprender e às vezes isso leva tempo. entizar o maior número de pessoas. Seja paciente! Lembre-se também de ser educado durante a conversa. É Aproveite as eleições para fazer a sua parte: por que não bastante comum nos deixarmos influenciar pelas emoções do 2) Opinião não é argumento convidar seus amigos para um jantar e apresentar a eles os momento, o que nos leva ao uso de sarcasmo, interromper o Essa frase pode doer em muita gente, mas de fato opiniões caminhos para um voto de qualidade? Que tal aproveitar as outro com frequência ou falar alto. não são argumentos, ainda que nossas crenças possam infe- reuniões de família para mostrar para aquele tio que adora O bom debate é aquele em que tanto você quanto os outros rir sobre nossa argumentação. falar sobre política quais são os requisitos de um bom candidato? Podem parecer ações muito simples, mas elas têm potencial de gerar consequências bastante positivas para a nossa política. debatedores estão em busca de ouvir o outro e aprender algo com isso da forma mais educada possível. Do contrário, são apenas dois monólogos acontecendo ao mesmo tempo, não é mesmo? Se você perceber ao início de uma conversa sobre Nossas opiniões são embasadas em vivências de vida, na forma com que enxergamos o mundo. O problema disso é que podemos esquecer que nem todo mundo vive como a gente. Temos acesso a uma visão bastante limitada da reali- Por melhor que seja nossa intenção, quando se trata de políti- política que esse não é o seu caso ou o da outra pessoa en- dade e isso coloca em cheque o quanto sabemos de algo, ca a conversa pode seguir um rumo que não queremos nem volvida, talvez não seja uma boa ideia participar. quando não recorremos à ciência. Por isso, procure ler o mai- de longe. Considerando isso, e para que você possa exercer Reforma Política: entenda o voto distrital or número de estudos científicos sobre o tema em debate. sua parte levando às pessoas conhecimento sobre o voto consciente nessas eleições, vamos aprender o que fazer e Discutir política no Facebook Evite buscar respostas apenas na sua vivência, pois ela diz respeito somente à sua própria realidade e quase sempre não fazer nesse tipo de debate. Em tempos de internet, discutir política através das redes carregada de muitas emoções. Antes, vamos analisar alguns cenários. Em quais das seguin- sociais já virou um clássico. Quem nunca se deixou levar por E lembre-se, nunca tente mudar a opinião do outro. Você já tes situações você já se viu por causa da política? um debate no Facebook? Talvez você já esteja cansado de viu, em um debate entre candidatos, algum deles mudando Brigar com a família por causa de política saber os problemas que aparecem em uma discussão de de opinião durante a conversa? Então não espere que o des- Facebook, mas vamos relembrar aqui alguns deles. fecho do seu debate seja necessariamente alguém mudando Imagine a seguinte situação: você está em um jantar de famí- O primeiro é a facilidade com que um debate sai dos trilhos e a forma com que pensa. Lembre que existem diversas razões lia, todos os seus tios, tias, primos e primas se reúnem após se torna uma troca de ofensas, principalmente pessoais. Esse para que alguém pense da forma que pensa. Se não somos um longo tempo sem se encontrarem. As conversas são in- é o primeiro sinal de que os argumentos de alguém já chega- capazes de entender quais são elas, cabe a cada um de nós tensas, sobre os mais variados assuntos. Até que alguém faz ram ao fim, por isso a pessoa passa a ofender gratuitamente ao menos respeitar, o famoso “concordar discordando”. um comentário que você julga equivocado, um ponto de vista quem está do outro lado. Por que será que fazemos isso? totalmente oposto de tudo aquilo que você acredita. O que Isabela Souza você faz nesse momento? As razões podem ser muitas, mas a principal delas é que o Estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal de debate deixou de ser uma troca de ideias e virou uma compe- Santa Catarina (UFSC) www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 10

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Constituição Federal Página 10 EMENDA CONSTITUCIONAL: QUANDO A Intervenção Federal ocorre quando a União, vas à deliberação para aprovação da proposta NÃO PODE SER FEITA? de forma excepcional, intervém nos Estados, (art. 60, § 2º), relativas à promulgação da e- Distrito Federal (art. 34 da Constituição) e nos menda (art. 60, § 3º) e, por fim, relativas à ve- Municípios localizados em Territórios Federais dação de reapreciação de proposta rejeitada (art. 35 da Constituição), visando o interesse ou havida por prejudicada (art. 60, § 5º). Va- maior de preservação da própria unidade da mos entender um pouco mais sobre cada ca- Federação (o caso do estado do Rio de Janei- so? ro em 2018, por exemplo). As limitações formais relativas à iniciativa de Os casos de intervenção federal estão previs- apresentação de emenda à Constituição, refe- tos, taxativamente, na Constituição (art. 34), re-se às pessoas que poderão apresentar pro- são eles: manter a integridade nacional, repe- posta de alteração do texto constitucional. No lir invasão estrangeira ou de uma unidade da caso do Brasil, a Constituição Federal somen- Federação em outra, pôr termo grave compro- te poderá ser emendada mediante proposta: A Constituição Federal de 1988, quanto à sua metimento a ordem pública (caso do estado de no mínimo um terço dos membros da Câ- estabilidade (alteração), é classificada como do Rio de Janeiro), garantir o livre exercício mara dos Deputados ou do Senado Federal, rígida, ou seja, para sofrer alteração deverá de qualquer um dos Poderes nas unidades da do Presidente da República ou de mais da passar por um processo legislativo mais difícil Federação, reorganizar as finanças da unida- metade das Assembleias Legislativas das uni- do que aqueles pelos quais se modificam as de da Federação, prover a execução de lei dades da Federação, manifestando-se, cada demais leis, conforme previsto em seu art. 60, federal, ordem ou decisão judicial e, por fim, uma delas, pela maioria relativa de seus §2º. Aí entram as emendas constitucionais. assegurar a observância de certos princípios membros. Para seu melhor entendimento, Emendar a Constituição é alterar o texto cons- constitucionais. Vale lembrar que o ato de in- confira o infográfico abaixo. titucional original, acrescentando, modificando tervenção federal cabe, exclusivamente, ao As limitações formais relativas à deliberação ou suspendendo normas. Exemplo recente foi Presidente da República. para aprovação da proposta nos mostra, mais a emenda do “Teto de Gastos” 95/2016, a Quanto ao Estado de Defesa, a Constituição uma vez, o quão rigoroso é o procedimento qual limita por 20 anos os gastos públicos. (art. 136, caput) também traz de modo taxati- legislativo de aprovação de uma emenda à Mas a qualquer tempo a Constituição poderá vo, as hipóteses em que o Presidente da Re- Constituição. Em seu art. 60, 2º a Constituição ser emendada? Não! Está previsto no texto pública poderá tomar tal medida, são elas: pa- prevê que “a proposta será discutida e votada constitucional em seu art. 60, § 1 que duran- ra preservar ou prontamente restabelecer, em em cada Casa do Congresso Nacional, em te a vigência de intervenção federal, de esta- locais restritos e determinados, a ordem públi- dois turnos, considerando-se aprovada se ob- do de defesa ou de estado de sítio, a Consti- ca ou a paz social ameaçadas por grave e i- tiver, em ambos, três quintos dos votos dos tuição não poderá ser emendada, por exem- minente instabilidade institucional ou atingidas respectivos membros.” Percebeu como não é plo. É o que chamamos de “limitações cir- por calamidades de grandes proporções na simples ter uma proposta de emenda à Cons- cunstanciais”. natureza. tituição aprovada? Percebeu algum termo comum tratado pelos E por fim o Estado de Sítio. Este é mais um As limitações formais ligadas à promulgação principais meios de comunicação nos últimos ato de competência do Presidente da Repúbli- da emenda referem-se a quem deve publicar dias? Isso mesmo: intervenção federal! Com o ca, o qual deverá ser acionado nos seguintes uma eventual emenda aprovada à Constitui- decreto de intervenção federal nº 9.288/2018 casos (art. 137, caput): comoção grave de re- ção. De acordo com o art. 60, § 3º da Consti- assinado em 16 de fevereiro, pelo Presidente presentação nacional ou ocorrência de fatos tuição, a emenda deverá ser promulgada pe- Michel Temer, a Constituição não poderá so- que comprovem a ineficácia de medida toma- las Mesas da Câmara dos Deputados e do frer nenhuma emenda. Isso suspende todas da durante o estado de defesa ou declaração Senado Federal, ou seja, aquelas emendas as propostas de emenda constitucional, inclu- de estado de guerra ou resposta a agressão as quais resultaram do procedimento do art. indo, inclusive, a proposta de Reforma da Pre- estrangeira. 60 da Constituição, não se submetem ao Che- vidência. A seguir, vamos tratar das limitações EMENDA CONSTITUCIONAL E fe do Executivo. em que o texto constitucional não poderá ser AS .LIMITAÇÕES FORMAIS As limitações formais pertinentes à vedação alterado. Vamos lá? Você deve imaginar que o processo de emen- de emenda rejeitada ou havida por prejudica- EMENDA CONSTITUCIONAL E AS da à Constituição não é algo simples, deven- da dizem respeito aos casos em que a pro- LIMITAÇÕES CIRCUNSTANCIAIS do para isso, seguir vários procedimentos. posta de emenda constitucional não é aprova- Como citado anteriormente, umas das limita- Caso contrário, o processo não terá efeito, ou da. Neste caso, o art. 60, § 5º da Constituição ções quanto à alteração do texto constitucio- até mesmo, início. É o que tratam as limita- Federal prevê que “a matéria constante de nal, é a limitação circunstancial. Isso quer di- ções formais. Estas dizem respeito aos proce- proposta de emenda rejeitada ou havida por zer que em determinadas situações anormais dimentos especiais que deverão ser seguidos prejudicada não pode ser objeto de nova proe excepcionais, a Constituição não poderá ser para o início e trâmite do processo de emenda posta na mesma sessão legislativa.” A Sesalterada. Neste caso, tal alteração não poderá da Constituição, diferente do que ocorre na são Legislativa refere-se ao período em que o ocorrer na vigência de estados de exceção elaboração das leis. Congresso Nacional se reúne anualmente (de (art. 60, § 1). A seguir, vamos fazer um breve resumo dos três casos de limitações circunstanciais. Nesse caso, as limitações formais são agrupadas nos seguintes grupos: relativas à iniciativa de apresentação de uma proposta de e- 02 de fevereiro a 22 de dezembro). Ou seja, uma vez rejeita a proposta de emenda, esta só poderá ser apreciada a partir do ano seguinte à sua rejeição. menda à Constituição (art. 60, I, II e III), relati- Fonte: politize.com.br

[close]

p. 11

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 11 A Guerra da Água A ameaça estrangeira aos nossos aquíferos Aquífero Alter do Chão, estima-se que a água rios interessados no processo de privatização contida neste segundo poderia ser suficiente deste recurso natural. para abastecer aproximadamente 100 vezes O World Water Council, centro de pesquisa a população mundial, ou por cerca de 250 a- internacional fundado em 1996, com sede em nos. São mais de 162.520 km³ de água no Marselha, França é um bom exemplo disso. que atualmente é chamado de SAGA, Siste- Seus membros envolvem organizações inter- ma Aquífero Grande Amazônia, localizado governamentais, ONGs e universidades, mas nas bacias do Marajó (PA), Amazonas, Soli- sobretudo empresas do setor privado ligadas mões (AM) e Acre. à exploração mercantilista da água. O Aquífero Guarani, o segundo maior, por sua Este “Conselho Mundial da Água” inclui, por vez possui uma área total de 1,2 milhões de exemplo, a empresa francesa Lyonnaise des No início deste ano, um encontro discreto en- km², sendo que dois terços se localizam em Eaux, pertencente ao grupo Suez, um dos tre Michel Temer e Paul Bulcke, presidente da território brasileiro, nos estados de Goiás, Ma- maiores violadores de direitos humanos na Nestlé representou uma nova fase do golpe to Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, América Latina, principalmente no Brasil. A para o Brasil: a venda de nossos aquíferos. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Suez-Tractebel é acionista majoritária em 10 Segundo o jornal “Correio do Brasil”, embasa- a outra parcela abrange áreas localizadas na barragens brasileiras, caracterizando-se como do por artigos escritos pelo ativista norte- Argentina, Uruguai e Paraguai. É considerado uma das empresas privadas de maior atuação americana Franklin Frederick, o encontro o- um dos mais importantes do ponto de vista do no país, nas usinas de Cana Brava, em Goi- corrido após a participação de Temer no Fó- abastecimento da região, sobretudo para as ás, Estreito, em Tocantins, e Jirau, em Ron- rum Econômico Mundial, na Suiça, acelera as futuras gerações. dônia. Em função desta última, a Suez Tracte- negociações para a apropriação do Aquífero Abaixo do Rio São Francisco, localiza-se ain- bel foi condenada pelo Tribunal Permanente Guarani, segundo maior aquífero do mundo da um terceiro aquífero brasileiro, também de dos Povos, realizado em Madri em 2010, por com 1.200.000 km² localizado em terras brasi- suma importância por seu valor estratégico, “cometer graves, claras e persistentes viola- leiras. sobretudo para o agronegócio: o Aquífero U- ções dos princípios, normas, compromissos e “Ao que tudo indica, decidiram que o presi- rucuia. Responsável por mais da metade das pactos internacionais que protegem os direi- dente Temer e o CEO da Nestlé não deveri- vazões de base do rio São Francisco, o aquí- tos civis, políticos, econômicos, culturais e am aparecer juntos em público. Afinal, a Nes- fero vem sofrendo com todo tipo de degrada- ambientais das pessoas”. Na ocasião, foi con- tlé é bem conhecida pelo seu apoio à privati- ção e ameaças provenientes da grande agri- siderada a “pior empresa do mundo” pelo Pu- zação da água; e que negociações sobre este cultura irrigada, que consome uma enorme blic Eye Awards. tema já existem entre a empresa e o presi- quantidade de água, voltado sobretudo para a A cada três anos, este conselho organiza o dente Temer é de conhecimento público. A exportação em sua maioria de grãos. A situa- chamado Fórum Mundial da Água, maior e- rejeição da maioria da população brasileira à ção se agravou após a implantação do cha- vento internacional no campo. A próxima edi- privatização da água parece ter influído em mado MATOPIBA, nos anos 70, projeto que ção ocorrerá no Brasil, em março deste ano, tornar mais discreto o encontro entre Temer e assolou o cerrado baiano, quando foi definida organizado pelo Governo Federal (do presi- o CEO da Nestlé em Davos”, afirma Frede- a “nova fronteira agrícola” para o país. dente-não-eleito Temer), com patrocínio do rick. AMEAÇA Governo do Estado de São Paulo (Geraldo Segundo o ativista, o presidente-não-eleito do Não é de hoje que estas riquezas tem desper- Alckmin, do PSDB), da SABESP e da Ambev Brasil teria se encontrado ainda com outros tado a cobiça de empresários multinacionais. e certamente representará mais um passo setores importantes da “indústria da água” e De acordo com o Relatório Mundial das Na- para a privatização de nossos recursos hídrioutras bebidas como a Coca-Cola e a Ambev. ções Unidas sobre Desenvolvimento dos Re- cos, como aponta Liciane Andrioli, da coorde- “Temer teve encontros privados com o Presi- cursos Hídricos (2015), até 2050, é previsto nação nacional do FAMA (Fórum Alternativo dente Global da Ambev, Carlos Brito; e com o aumento de 55% na demanda hídrica mundial Mundial da Água), evento que ocorre parale- CEO da Coca-Cola, James Quincey. Temer sobretudo para uso das indústrias, por outro lamente ao fórum das empresas. também encontrou o CEO da Dow Chemical, lado, a estimativa é que cerca de 20% dos “Essa organização a nível internacional das Andrew Liveris. A água é a principal matéria aquíferos do mundo inteiro estejam em situa- empresas de ‘venda da água’ representa uma prima utilizada pela Coca-Cola e pela Ambev. ção de seca, o que explica o grande interesse ameaça direta pra nós. Não é atoa que o Bra- E ‘por coincidência’, Andrew Liveris faz parte de grupos multinacionais nas regiões da Amé- sil sediará a edição deste ano, aqui estão as do ‘Governing Council’ do Water Resources rica Latina. maiores riquezas do segmento. O que está Group –WRG – a iniciativa da Nestlé; Coca- Uma das táticas utilizadas pelas grandes cor- em jogo nessa disputa são nossas riquezas Cola e Pepsi para privatizar a água através de porações é a proposição de melhorias técni- naturais, e num ponto de vista mais amplo, a parcerias público-privadas. No site oficial do cas nas redes de abastecimento, estimulando nossa soberania nacional, o futuro de nossa WRG, Andrew Liveris aparece ao lado do ex- pesquisas e estudos e criando “instituições” nação. Devemos nos defender e lutar contra CEO da Coca-Cola Muhtar Kent – outro mem- de defesa da água, com um caráter quase essa ofensiva do capital internacional”, aponbro do ‘Governing Council’ do WRG”, afirma. filantrópico. Os interesses dos gestores técni- ta. Ponto de vista estratégico cos que se atribuem a tarefa de “melhorar a Por: Comunicação MAB No Brasil, estão localizado os dois maiores eficácia do aproveitamento da água” muitas aquíferos do planeta, o Aquífero Guarani e o vezes oculta os reais objetivos de empresá- www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 12

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 12 + Algumas datas comemorativas 09 - Dia Nacional da Biblioteca das verdadeiras raízes que formam o povo brasileiro. História do Dia do Índio O principal objetivo desta data é incentivar a leitura como ferramenta O dia 19 de abril foi escolhido como data para se comemorar a cultu- base para a educação e formação dos indivíduos. ra indígena em homenagem ao Primeiro Congresso Indigenista Inte- A biblioteca é o local onde estão reunidos diferentes tipos de livros, ramericano, que ocorreu em 19 de abril de 1940. que abrangem os mais variados assuntos. Este é um espaço essen- O objetivo deste congresso era de reunir os líderes indígenas das di- cial para a aquisição de conhecimentos e, por norma, procurado por ferentes regiões do continente americano e zelar pelos seus direitos. pessoas que desejam explorar a literatura, estudar ou trabalhar. No Brasil, esta data foi oficializada através do decreto-lei nº 5.540, de No Brasil, esta data surgiu em referência a Semana Nacional do Livro 2 de junho de 1943, com assinatura do então presidente Getúlio Var- e da Biblioteca e o Dia do Bibliotecário, ambos instituídos a partir do gas. decreto nº 84.631, de 9 de abril de 1980. A nível internacional, a Organização das Nações Unidas (ONU) tam- 13 - Dia do Jovem bém criou o Dia Internacional dos Povos Indígenas (9 de agosto) para conscientizar os governos e população mundial sobre a importân- Dia do Jovem, também conhecido como Dia dos Jovens, esta data cia de preservar e reconhecer os direitos dos indígenas. celebra uma das fases da vida humana de maior descobertas, experi- Atividades para o Dia do Índio ências e aventuras: a juventude. Durante o Dia do Índio, as escolas e demais instituições culturais e De acordo com a Organização das Nações Unidas – ONU, os indiví- de ensino incentivam as crianças e os jovens a conhecerem as dife- duos entre os 15 e 24 anos são considerados jovens. rentes práticas culturais dos indígenas. Durante a juventude tudo é possível! As pessoas ainda têm a possibi- A FUNAI - Fundação Nacional do Índio - é uma das principais institui- lidade de escolher o rumo que quiserem para as suas vidas. Este é o ções brasileiras que se dedica a defender a cultura e os direitos dos momento-chave para começar a construir o futuro que o jovem terá povos indígenas do país. quando for adulto. Para isso, são organizadas algumas atividades, como trabalhos cria- Segundo a ONU, existem no mundo mais de um bilhão de jovens. tivos e palestras informativas, por exemplo. Infelizmente, nem todos têm as mesmas oportunidades na vida. Algumas dicas do que fazer no Dia do Índio: A Constituição Brasileira confere a todos os jovens o direito de rece- Fazer um cocar de índio com penas; ber do Estado Brasileiro: educação, saúde, moradia e oportunidades Fazer colares indígenas; de trabalho, mas nem sempre isso acontece como era suposto. Trabalhar com argila e fazer vasilhas e outros utensílios, pintando-os 18 - Dia Nacional do Livro Infantil com motivos indígenas; Relembrar para as crianças as palavras de origem indígena; Esta data também é conhecida como Dia de Monteiro Lobato, consi- Contar a história dos índios no Brasil; derado um dos mais importantes escritores da literatura brasileira. Consciencializar as crianças para a importância da cultura indígena O dia 18 de abril foi escolhido como Dia Nacional do Livro Infantil por no Brasil; ser a data do nascimento de Monteiro Lobato, um colosso da literatura infantil brasileira. Esta data foi oficializada a partir Lei nº 10.402, de Pintar desenhos alusivos ao dia; 8 de janeiro 2002. Cantar músicas indígenas ou alusivas ao Dia do Índio Atividades para o Dia Nacional do Livro Infantil 28 - Dia da Educação As melhores atividades para o Dia Nacional do Livro Infantil incluem a leitura de obras brasileiras e internacionais da literatura infantil. A data serve para incentivar e conscientizar a população sobre a im- Mas não só. Use a imaginação: portância da educação, seja escolar, social ou familiar, para a cons- - Faça pequenas peças de teatro baseadas nos clássicos da literatu- trução de valores essenciais na vida em sociedade e do convívio ra infantil, como o Soldadinho de Chumbo, por exemplo; saudável com outros indivíduos. - Incentive as crianças a escreverem seus próprios contos infantis, ou Muitas pessoas associam a palavra "educação" com o ambiente es- se não souberem escrever ainda, a contar uma história para os cole- colar, o que não deixa de ser correto, porém não deve ser apenas a guinhas; escola o único instrumento importante de educação de uma criança - Pinte desenhos ou histórias em quadrinhos; ou jovem. - Escreva um conto infantil usando ideias dadas pelas crianças; A família é a base da formação educacional de uma pessoa, os pais ou responsáveis devem estar atentos e participar da formação dos - Conte a história de Monteiro Lobato. valores sociais, éticos e morais do indivíduo. 19 - Dia do Índio O dever do Estado é garantir condições para a formação educacional de todos os cidadãos para o seu futuro profissional e cidadão, com Esta importante data serve para lembrar e reforçar a identidade do qualidade e gratuitamente. povo indígena brasileiro e americano na história e cultura atual. O Brasil ainda enfrenta graves problemas com a qualidade do ensino Antes da chegada dos primeiros europeus em terras americanas, to- e educação, no entanto o número de analfabetos caiu bastante nos dos os países que formam este continente eram amplamente povoa- últimos dez anos graças aos governos de Lula e de Dilma Rousseff, dos por grandes nações indígenas. Infelizmente, a ganância e a cru- segundo dados do Ministério de Educação e Cultura - MEC. No Bra- eldade humana fizeram com que muitas tribos fossem totalmente di- sil, a educação também é motivo de destaque no dia 25 de agosto, zimadas e grande parte da cultura indígena foi esquecida. quando se comemora o Dia Nacional da Educação Infantil, a partir da Na tentativa de preservar as tradições e identidade dos indígenas, o Lei nº Lei 12.602/12, sancionada pela presidente Dilma Rousseff. Dia do Índio surgiu para não deixar as novas gerações esquecerem Fonte: www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 13

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 13 Ser Feliz Dinheiro e felicidade. o grau de instrução: quem estudou mais experi- Quanto você precisa ganhar para ser menta mais satisfação se alcança uma base econômica elevada, provavelmente porque sen- feliz te uma pressão maior ao se confrontar com ou- Dinheiro traz felicidade? A pergunta é antiga e tras pessoas que estão no seu mesmo nível so- já teve várias respostas. Hoje, um novo estudo cial. levado a cabo pelo Departamento de Ciências A pesquisa também mostra que investir para se Psicológicas da Universidade Purdue (EUA) ter mais tempo livre é coisa que traz mais satis- nos fornece a mais recente: em poucas pala- fação, independentemente da soma que temos vras, ela diz que o dinheiro traz felicidade des- à disposição na nossa conta bancária. de que sua quantidade não seja excessiva. Superado um certo limite, a felicidade diminui. Pode até inverter o sinal e tornar-se infelicidade. Daí surge a pergunta: A felicidade pode ser comprada? Essa pergunta tem um quê de eternidade, e hoje ela conta com uma nova e mais Um estudo avaliou quanto dinheiro é preciso recente resposta: sim, se com o dinheiro conse- ganhar para ser feliz. Para surpresa geral, essa guimos adquirir tempo livre que usaremos para pesquisa, publicada na revista Nature Human as coisas que mais nos agradam. Assim, gastar Behaviour, descobriu ser muito importante não dinheiro para adquirir tempo livre dá muito mais ganhar demasiado dinheiro: a partir de um certo satisfação do que empregá-lo para adquirir patamar, a pessoa entra em uma zona crítica bens materiais, independentemente do quanto na qual as chances de ela ser submergida e somos ricos. Tal assertiva foi comprovada em atormentada pela posse do excesso de dinheiro um outro importante estudo levado a cabo pela tornam-se muito grandes. Qual seria, então, a Harvard Business School, e que contou com renda máxima ideal, aquela que nos permite uma amostragem de 6.271 indivíduos estuda- viver com conforto e segurança, sem entrar na dos no Canadá, Estados Unidos, Holanda e Di- zona crítica? Como média mundial, segundo os namarca. autores do estudo, cerca de 95 mil dólares ao ano (cerca de 300 mil reais), com os impostos e Maior nível de satisfação traz bom humor taxas já descontados. Os participantes responderam a questionários Um patamar muito alto, se pensarmos na renda média dos brasileiros. Mas os mesmos estudiosos informam que para nos mantermos emocionalmente serenos e seguros, um patamar bem menor seria suficiente: entre 55 e 65 mil dólares ao anos já bastariam. As variações seriam por conta do custo de vida de cada país, e do poder de compra dos seus habitantes. Assim sendo, o limite é um pouco mais alto em países como a Austrália e a Nova Zelândia, e um pouco mais que perguntavam se tinham tendência a gastar dinheiro para ganhar tempo livre e, no caso de resposta positiva, quanto gastavam por mês. Tinham também de estimar o quanto se sentiam satisfeitos com a própria vida e o quanto era pesada a sua sensação de falta de tempo. Quem se mostrava mais disposto a investir dinheiro em tempo livre mostrou também ser possuidor de um maior nível de satisfação geral, e também de bom humor. baixo nas nações da América Latina e do Cari- Mas o aspecto mais surpreendente do estudo be. diz respeito à predisposição para gastar dinhei- Para definir esses valores, os cientistas lançaram mão de dados coletados por uma das mais importantes empresas de consultoria norteamericanas, a Gallup World, que mapeou mais de 1,7 milhões de pessoas a partir dos 15 anos de idade, em 164 países distintos. ro na aquisição de tempo livre. Quase a metade dos 818 milionários participantes do grupo, e que aceitaram participar da pesquisa, afirmaram não gastar dinheiro em tempo livre para poder dar conta de outros compromissos e tarefas mais trabalhosas e que necessitavam de muito tempo. Uma outra fatia desse mesmo Não superar os limites grupo de entrevistados, composta por 98 traba- O estudo tenta também explicar porque, uma lhadores, foi convidada a pensar sobre como vez atingido o limite, a pessoa faria bem em gastaria uma soma de 40 dólares inesperada- não se esforçar para superá-lo. O dinheiro – mente chegada às suas mãos: apenas 2% des- explicam eles – traz felicidade se satisfaz ne- ses indivíduos afirmaram que gastariam essa cessidades primárias, como ter uma casa, arcar quantia para comprar tempo livre. com as despesas, conduzir uma vida digna e Assim sendo, mesmo se gastar dinheiro para prazerosa. Uma vez satisfeitas essas exigên- adquirir mais tempo livre é coisa que nos torna cias, o risco é entrar-se numa espiral de neces- mais felizes, a verdade é que poucos estão dis- sidades induzidas supérfluas que não apenas postos a fazê-lo, até mesmo entre aqueles que não favorecem a serenidade mas, pior ainda, poderiam facilmente se permitir esse prazer. tendem a criar ansiedade, inquietude e novas Talvez, hipnotizam os pesquisadores, porque angústias. ao fazê-lo tenham a sensação de não serem Pouco importa se se trata de um homem ou de mais senhores do seu próprio tempo… uma mulher: segundo os estudiosos essa dife- rença é irrelevante. Mais que o gênero, importa Autoria: Equipe Oásis Frases sobre religião, fé, etc... Vincent van Gogh: “Quando sinto uma terrível necessidade de religião, saio à noite para pintar as estrelas”. *** Marquês de Maricá: “A religião é como a pátria, sempre nos parece melhor a nossa própria”. *** Bakunin: “Religião é demência coletiva”. *** Karl Marx: “O primeiro requisito da felicidade dos povos é a abolição da religião”. *** Sophie Arnaud: “As mulheres se dão para Deus quando o diabo já não quer mais nada com elas”. *** Padre Manuel Bernardes: “Que é o inferno? Reino da morte viva”. *** Aldous Huxley: “O céu que vá para o diabo”. *** Aldous Huxley de novo: “E se este mundo for o inferno de outro planeta?”. *** Renato Kehl: “Místico é aquele que não consegue manter-se no domínio das realidades, perdendo-se em devaneios sem fim”. *** Dante Alighieri: “No inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise”. *** Gregor Samsa: “O inferno só existe onde existe religião”. *** Clarice Lispector: “Quando de noite ele me chamar para a tração do inferno, irei. Desço como um gato pelos telhados. Ninguém sabe, ninguém vê. Só os cães ladram pressentindo o sobrenatural”. *** Francisco de Bastos Cordeiro: “A oração contemplativa é o monólogo em êxtase. A oração imperativa, uma forma de suborno”. *** Gustave Le Bon: “Se o ateísmo se propagasse, tornar-se-ia uma religião tão intolerável como as antigas”. *** Mês que vem tem mais... www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 14

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 14 Sociedade AS VIDAS NAS FAVELAS usadas por ativistas, por exemplo como cobertura audi- Papo Reto fez da comunicação uma ferramenta para ovisual em locais de conflitos, para que as imagens disputar narrativas e mover ações concretas, foi tema IMPORTAM POR: Raull Santiago capturadas sejam aceitas como prova judicial. Um local em disputa de uma reportagem da revista impressa The New York Times. Na reportagem se destacava a potência da comunicação independente, isto é, de um celular e de O Complexo do Alemão foi muitas vezes apresentado internet nas mãos da juventude da periferia. Ocupamos Ouvir e valorizar a favela, um caminho para reduzir a como símbolo do poder das máfias do país, mas nunca as páginas de um dos grandes veículos da comunica- desigualdade no Brasil. teve a oportunidade de ser apresentado de maneira ção hegemônica do planeta para falar de uma nova O texto é um resumo do ativismo de direitos humanos positiva, mostrando quanto é um local de pessoas po- forma de comunicar, disputar esse imaginário sobre a que usa a comunicação independente como ferramenta tentes e incríveis. A comunicação independente chega nossa realidade e assim, desafiar a cobertura pejorati- para disputar narrativas e construir soluções em reali- para suprir essa lacuna, expondo a mídia hegemônica va que a mídia hegemônica do país faz. dades desiguais e de exploração racial violenta, como as favelas do Rio de Janeiro, em especial o Complexo como um dos grandes responsáveis por construir esse imaginário negativo sobre a realidade das favelas. Também em 2015 a tv Al Jazeera fez um documentário sobre o trabalho do Coletivo Papo Reto em parceria do Alemão, local desde o qual escreve Raull Santiago, Em 2010, o Complexo do Alemão recebeu um novo com a Witness, chamado “A Bigger Brother”.5 integrante do Coletivo Papo Reto. Iniciar esse texto foi bem complicado. Tentei escrever em diferentes momentos e lugares. Escrevi no bloco de notas do celular, por meio da digitação por voz, no computador. Várias tentativas, mas o meu tempo é cur- modelo de segurança pública inspirado na Comuna 13 de Medellín, na Colômbia, onde há um policiamento presente 24h dentro da favela e onde também foi construído um teleférico, equipamento de transporte massivo de pessoas através de cabos. Em 2017, o Coletivo Papo Reto fez parte de uma ação conjunta em favor de moradores e moradoras do Complexo do Alemão que tinham sofrido arbitrariedade por parte de agentes do Estado, a polícia militar do Rio de Janeiro. Desde os primeiros meses do ano, policiais to, assim que o texto foi a junção de tudo isso aí. Porém, na realidade do Brasil, a presença permanente haviam invadido algumas casas e tinham expulsado Meu nome é Raull Santiago, tenho 28 anos e sou mo- da polícia é um verdadeiro problema que alimenta o seus moradores, transformando as moradias daquelas rador do Complexo do Alemão, um conjunto de favelas número de confrontos, mortes e violações sofridas pela pessoas em uma espécie de base militar ilegal. Estas localizado na zona norte da Cidade do Rio de Janeiro. nossa população. O teleférico do complexo do alemão, pessoas que tiveram as casas invadidas procuraram o E é sobre esse lugar que vou falar, onde fui criado e que foi construído em 2011, e custou milhões de reais Coletivo Papo Reto e rapidamente traçamos um plano onde vivo até hoje. Desde o complexo do Alemão faço do dinheiro público, foi fechado há mais de um ano, de ação junto a outras instituições da sociedade civil e uma leitura da situação atual do Brasil, a partir das nos- tornando-se um símbolo mais de corrupção, mostrando do poder público, para tentar resolver este abuso. Fo- sas vivências. a gravidade dos casos de roubos cometidos pelo go- ram meses tentando solucionar essa situação. Apesar vernador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral – atualmen- de graves ameaças, por fim, diante de provas em áu- Favelas são locais humildes, de muitas e ricas experi- te preso por corrupção.1 dio, fotos e vídeos, conseguimos vencer. Conseguimos ências de vida coletiva. Entre várias favelas e periferias do Brasil, o Complexo do Alemão é o meu lugar. Tratase de uma favela muito conhecida, que apesar de ser Por outra parte, em 2007, durante os jogos do Panamericano, mais de uma dezena de pessoas foi assas- que os policiais saíssem das casas e que o major fosse afastado da favela.6 um local incrível, tem sido explorada nos últimos anos sinada no Complexo do Alemão. Infelizmente, não foi a Atualmente, além do Coletivo Papo Reto, integro um na chamada “guerra às drogas”. Com a desculpa do primeira vez que grandes eventos no Brasil significa- projeto nacional chamado #MOVIMENTOS: Drogas, combate ao tráfico de drogas, o governo mobiliza gran- ram sofrimento e violação de direitos para a população Juventude e Favelas, no qual, juventudes de favelas e de parte do seu poder militar contra a população, e das favelas e das periferias. Na Copa do Mundo e nas periferias do país estão discutindo novas políticas de nesse processo, muitas pessoas são levadas à prisão olimpíadas não foi diferente. Remoções e graves viola- drogas a partir da questão da violência racial, da desi- ou à morte. Principalmente a população humilde, o po- ções marcaram esses eventos. gualdade social e de uma guerra que só acontece entre vo preto deste país. Adriano Ferreira - As contradições do Brasil os pobres. Queremos falar amplamente sobre drogas com a sociedade, através de conhecimentos diversos, Assim, a guerra às drogas é uma ferramenta moderna O Brasil é um país incrível e de pessoas incríveis. Mas focando em garantia de direitos, redução de danos e de controle racial e de manutenção da desigualdade é também muito desigual. Apesar de mais de 54% da no fim de uma guerra racista. social, pois acontece de forma desigual e cruel nos espaços mais humildes, nas favelas e periferias do Brasil. Nesse contexto, a polícia é a única política pública que chega de forma permanente. É um cenário de muita violência policial, onde acontecem enormes violações de direitos. Mas alguns políticos assim como a grande imprensa insistem em dizer que as favelas são o problema da sociedade brasileira. É sobre essa grande farsa que é construída uma imagem negativa de nós. população se autodeclarar preta, há pouca representação dessas pessoas nos espaços de influência e de decisão. Além disso, trata-se da população mais assassinada e encarcerada. Atualmente, o Brasil é a terceira maior população carcerária do mundo, com 726.712 pessoas presas em 2016, atrás apenas de Estados Unidos (2.145.100), China (1.649.804), e tendo superado a Rússia (646.085), segundo o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias, o Infopen. Como resultado desse trabalho e no intuito de ampliar a rede de resistência das periferias, tenho participado de diferentes encontros nacionais e internacionais, conhecendo outros movimentos que lutam contra o racismo e contra os efeitos violentos da “guerra às drogas”. Só em 2017 já fui algumas vezes para os Estados Unidos, conheci o movimento negro americano, conversei com grupos como Black lives matter, entre outros. Também fui para Colômbia e Republica Dominicana e Para tentar frear a violência e a desigualdade racial O sistema carcerário é falido e não consegue melhorar. tenho rodado muito dentro do Brasil, falando sobre di- que experimentamos no dia a dia e que se evidencia Há pessoas presas que ainda estão esperando um jul- reitos humanos, racismo e principalmente ensinando e nas narrativas construídas sobre nós, criamos, junto a gamento. Em muitos presídios, por exemplo, falta água aprendendo como usar a comunicação independente e nove amigos e amigas o Coletivo Papo Reto. É um gru- e alimento, sendo um espaço onde predomina a violên- as novas tecnologias para denunciar violação de direi- po que usa a comunicação independente para denunci- cia. Diferente dos países que lideram em relação à tos humanos. Essa experiência tem sido importante ar a violência, disputar narrativas a partir da nossa rea- quantidade de pessoas privadas de liberdade, e que para fortalecer o nosso trabalho em rede e fazer parce- lidade, e propor formas de garantir direitos e fortalecer estão discutindo soluções para tentar reduzir sua popu- rias com outros coletivos e movimentos que estão na a favela como local de potência, através da ideia de lação carcerária, no Brasil a população prisional cres- mesma linha de resistência. Em meio a toda essa cor- “nós por nós”. ce. reria, também continuo usando o rap e a poesia como O Coletivo Papo Reto tem basicamente duas ver- Além da quantidade de prisões, um genocídio racial forma de expressão dessa luta. tentes de atuação: acontece neste país. Em 2016, mais de 60 mil pessoas FAVELA, um aglomerado de resistências e potências. 1) Comunicação de Resistência: usando tecnologias diversas para denunciar as violações de direitos cometidas pelo Estado, o objetivo é mobilizar redes e enca- foram assassinadas, e grande parte dessa população era negra, segundo o Atlas da Violência 2017, lançado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Onde o cenário da sobrevivência, faz querermos ainda mais, minhar denúncias junto a outras instituições públicas e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que tam- VIDA, Que por aqui é de muita luta, mas em conjunto, da sociedade civil, tentando reduzir com que somos tratados diariamente. a forma violenta bém aponta que de cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. Uma energia forte que faz a cada final de frase dizermos, 2) Publicidade Afirmativa: por meio da qual trabalha- Somente em 2017, de janeiro a agosto, 712 pessoas mos a ideia de “nós por nós”, buscando fortalecer a favela e seus moradores, além de disputar narrativas com a mídia hegemônica que insiste em nos criminalizar, disseminando imagens que nos colocam como problema. Usamos a comunicação para mostrar as po- foram assassinadas pela polícia, segundo o ISP – Instituto de Segurança Pública, a maioria com a justificativa da guerra às drogas. Dessa maneira, a guerra às drogas, enquanto ferramenta de manutenção racista e desigual desse país, continua encarcerando e executando ESTAMOS JUNTOS, E estamos mesmo, não tem rotina, Sobreviver entre o racismo e a desigualdade nos aproxima, éo que tências existentes dentro da favela. Através de ações de rua e programas online, buscamos apresentar um outro olhar sobre nossa realidade. uma juventude potente, inteligente, empreendedora. É porque vidas nas favelas importam e no intuito de garantir nossa sobrevivência e mostrar que a favela é E o AMOR por cada beco e viela, Que mantém bombeando o coração chamado favela, ou pelo sorriso de cada criança que vive nela. Atualmente, usando tecnologias como ferramentas pa- potência e solução, que o Coletivo Papo Reto segue ra denunciar violações de direitos e violência racial, temos atuado em parceria com uma instituição americana chamada Witness, com a qual temos aprendido denunciando os abusos, fortalecendo as pessoas e o lugar, além de tentar se conectar com juventudes das periferias do Brasil, América Latina e do mundo. Somos potência e também solução, Para os problemas só existe uma saída. Temos que garantir a qualquer custo, sobre segurança online e planejamento da segurança AVANÇOS EM MEIO AO CAOS A Favela e Periferia VIVA. coletiva, além de estarmos experimentando e ajudando a desenvolver aplicativos e tecnologias que possam ser Em 18 de fevereiro de 2015, a forma como o Coletivo www.culturaonlinebr.org /// CULTURAonline BRASIL /// www.gazetavaleparaibana.com

[close]

p. 15

Abril 2018 Gazeta Valeparaibana Página 15 21 - Dia da Latinidade Saudades de Roma mente Huntington não fala em civilização lati- com a invenção especificamente latina do ana. Tanto quanto posso entender, ele nos dis- blativo absoluto. Para o romano, uma vez lan- A latinidade pode significar coisas diferentes tribui entre quatro civilizações, a ocidental, a çados os dados, o Rubicon não pode mais para diferentes pessoas, mas penso que está latino-americana, a ortodoxa e a africana. ser transposto, o que foi feito não pode mais predominando hoje um conceito identitário. A Mas não precisamos ficar aflitos com isso, co- ser desfeito nem os deuses podem fazer com identidade latina é o que distingue os povos mo almas penadas que não sabem em que que o acontecido tenha deixado de acontecer. latinos dos não-latinos, como a identidade lu- corpo vão encontrar hospitalidade. Mas não se proclama a existência de uma sófona é o que distingue os brasileiros dos Essa condição de ectoplasmas nos dispensa correlação apenas entre o latim e a mentali- seus vizinhos de língua castelhana. Como a de seguir os conselhos que Huntington prodi- dade romana, mas entre o latim e a mentali- germanidade ou a negritude, a latinidade rei- galiza às diferentes civilizações e aos Estados dade dos povos modernos. Para Anatole vindica uma diferença, demarca uma frontei- que as integram. Por exemplo, a Turquia é France, por exemplo, "a parte mais bela do ra. Foi pelo menos assim que a viram, em ge- aconselhada a abandonar a herança secular sangue francês é constituída pelo leite da lo- ral, os participantes do seminário internacio- de Ataturk, se quiser se transformar no país- ba romana. Todos que entre nós pensaram nal "Vozes Universais da Latinidade", convo- núcleo da civilização islâmica, e os Estados com vigor aprenderam a pensar em latim. cado recentemente no Rio pelo professor Unidos são instados a voltarem aos valores Não exagero ao dizer que, se ignorarmos o Cândido Mendes, aberto pelo vice-presidente austeros dos pioneiros, se quiserem manter latim, ignoraremos a soberana clareza do dis- Marco Maciel e parcialmente coordenado pelo seu papel de liderança na civilização ociden- curso. Todas as línguas são obscuras ao lado ex-presidente de Portugal, Mario Soares, e tal. Empalideço um pouco quando imagino o do latim. A literatura latina é mais própria que pelo antigo diretor-geral da UNESCO, Federi- que ele recomendaria aos países latinos, se qualquer outra para formar os espíritos". co Mayor. eles houvessem tido direito a uma civilização É claro que a literatura inglesa e a alemã são Mas o que dá aos mais de 30 países que inte- própria. belas e profundas, prossegue Anatole, mas gram a União Latina, com religiões diferentes, Ou seria uma atitude mental -ou mentalidade- como poderá um colegial compreender as i- com instituições políticas diferentes, em está- inerente à língua latina e às suas herdeiras? déias nebulosas de Shakespeare, que erram gios diferentes de desenvolvimento econômi- Segundo essa teoria, o espírito latino não se- no Hamlet de modo mais espectral que o fan- co, a sensação de partilharem uma identidade ria transmitido nem geneticamente nem pela tasma do rei nas muralhas de Elsinor? E comum? tradição cultural, mas pelo idioma. A estrutura quantas brumas no "Fausto", essa obra-prima Essa identidade pode ser fundada em algo do latim condicionaria estruturas de pensa- do mais luminoso dos gênios teutônicos! como o espírito latino. Graças a ele, os países mento comuns a todos os falantes de idiomas Comparem com as "Décadas" de Tito Lívio, latinos teriam uma inteligência própria, uma românicos. em que tudo está ordenado, que não nos per- sensibilidade própria, uma forma própria de De novo a pista foi dada por um pensador turbam jamais, em que o pensamento é tão ver e de sentir, de dizer e de pensar. Essa de- não-latino, Wilhelm von Humboldt, para quem regular que nos dá lições serenas de patriotis- finição da latinidade deriva de uma idéia mui- cada língua é uma realização do espírito do mo, de dedicação, da religião dos antepassa- to pouco latina, usualmente expressa numa povo, uma tentativa de concretizar, à sua ma- dos! palavra alemã: é a idéia herderiana de neira, as potencialidades desse espírito. Cada Tudo isso é muito subjetivo. Podemos extrair "Volksgeist", fundamento da visão historicista uma delas tem uma unidade, determinada por do poema de Horácio conclusões bem dife- do mundo, segundo a qual todos os povos uma forma que lhe é própria. Humboldt sus- rentes das tiradas por Eco. O "limes" romano têm um repertório específico de crenças e va- tenta que existe uma relação dialética entre não era fixo, mas sim a fronteira móvel de um lores, que não podem ser transferidos a ou- língua e civilização: cada língua é produto de império em expansão permanente. Além dis- tros povos. Basta dar ao conceito de "Volk" uma civilização, cada civilização é produto de so, não seria difícil demonstrar que a irreversi- uma extensão mais ampla e latinizar a ex- uma língua. bilidade temporal pode ser expressa de modo pressão, traduzindo-a para uma fórmula mais A etnolinguística de Sapir e Whorf descende mais rigoroso com as locuções adverbiais de eufônica -por exemplo, "genius populi"-, e terí- em linha reta dessa filosofia da linguagem. uma língua moderna que com os ablativos amos credenciais perfeitamente respeitáveis Baseando-se no estudo de várias línguas in- absolutos de uma frase latina. para falar de um "espírito" latino. Mas o con- dígenas norte-americanas, Sapir afirma que o Quanto a Anatole France, levaríamos mais a ceito de "espírito" parece criar mais proble- homem percebe o mundo por meio de sua sério seu louvor da lucidez latina se não sus- mas do que resolvê-los. língua. Influenciado por Sapir, Whorf estudou peitássemos de que para um intelectual fran- Biologia ou cultura Seria um conceito bioló- o hebraico e as línguas do México e da Amé- cês do final do século 19 enaltecer a "clarté" gico? Nesse caso, tratar-se-ia de uma heran- rica Central, assim como o idioma hopi. latina diante da nebulosidade alemã era um ça racial ou uma predisposição genética, em Suas conclusões são semelhantes às de Sa- gesto de patriotismo, depois da derrota de que os atributos mentais associados à latini- pir: a língua condiciona a cultura. As idéias 1870. dade fariam parte do genoma de certos indiví- que um povo formula derivam dos limites e Sim, o latim é importante, mas não porque duos. Considerando o perfil ideológico de possibilidades de sua gramática e portanto essa língua e os idiomas que dela derivam muitas personalidades que no passado elogi- diferem das concepções formuladas por outro tenham a virtude de gerar em seus usuários aram o espírito latino, essa maneira de enca- povo, regido por outras categorias gramati- uma propensão especial para a clareza ou rar o problema não é inteiramente hipotética. cais. No que diz respeito ao latim, Humboldt uma irresistível vocação para as humanida- Num certo momento, Mussolini viu no fascis- afirmou que seu laconismo e precisão refle- des. Não seria razoável, por exemplo, usar o mo a encarnação mais perfeita da latinidade. tem a austeridade da Roma republicana, em latim como arma de guerra contra os visigo- Maurras acreditava na missão civilizadora da contraste com o grego, cuja gramática expli- dos modernos. Há mil razões válidas para ler latinidade como um todo, cujo valor máximo caria certas características negativas da vida e difundir a "Eneida", mas entre elas não está era o primado da autoridade. "A barbárie faz pública de Atenas, como o facciosismo e a o projeto chauvinista de demolir o pragmatis- círculo em torno da latinidade européia", es- propensão à retórica. mo anglo-saxônico a golpes de hexâmetros. creveu ele. "Ficaremos um pouco mais prote- Estrutura do latim Em nossos dias, Umberto O latim é importante para todos os povos do gidos contra o ataque dos bárbaros quando o Eco escreveu que a estrutura do latim deu mundo devido à riqueza excepcional da cultu- princípio da ordem e da autoridade for reco- aos romanos um estilo próprio de pensar o ra latina. nhecido e saudado pelos homens do Rio e de Buenos Aires, de Bucareste e do Québec." Ou seria um conceito antropológico, no senti- mundo, uma certa maneira de organizar a realidade. Para ele, essa maneira pode ser definida pelos versos de Horácio: "Est modus in A latinidade é mais um dos círculos em que devemos nos inserir, se quisermos fa- do de que o espírito latino estaria presente rebus: sunt certi denique fines/ Quos ultra ci- zer uma síntese do particular e do univer- em certas culturas e não em outras, ou mes- traque nequit consistere recto". É o pensa- sal que corresponda à realidade de nossa mo no sentido de que serviria para definir u- mento do "limes", do limite, que vale num sen- formação histórica. ma totalidade supracultural ou civilização, na tido espacial -as fronteiras do império- e tam- acepção de Samuel H. Huntington? Mas feliz- bém num sentido temporal, o que Eco ilustra Autor: Sergio Paulo Rouanet www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

Comments

no comments yet