Poder de prevenção

 

Embed or link this publication

Description

Paraná ganha novos equipamentos para monitoramento e detecção de Influenza Aviária

Popular Pages


p. 1

Ano XI | Nº 62 | Jan/Fev 2018 PAavrai2Acnnu0uaárle1iotnu8serada PODER DE PREVENÇÃO Paraná ganha novos equipamentos para monitoramento e detecção de Influenza Aviária

[close]

p. 2

Sumário 12 Asumsbteienntátevel Vinicio Bruni, da Sema-PR, fala sobre ações do Estado voltadas para o desenvolvimento da Logística Reversa 24 Aminoddaermnoais Sindiavipar e Adapar fecham parceria para compra de novos equipamentos para o Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti 30 O que esperar Setor avícola alcança crescimento em 2017 e se prepara para conquistas neste ano Sindiavipar 04 Observatório 05 Agenda 06 Sindiavipar 08 Radar 10 Na mídia 12 Entrevista 14 Tecnologia 16 Inovação 18 Sanidade 18 Aditivos 20 Nova portaria 22 Bem-estar 24 Capa 30 Mercado 34 Mercado de ovos 36 Legislação 38 Avicultor 40 Meio ambiente 42 Associados 46 Notas e Registros

[close]

p. 3

Diretoria Presidente: Domingos Martins Vice-presidente: Claudio de Oliveira Secretário: Olavio Lepper Tesoureiro: Roberto Pelle Suplentes: Paulo Cesar da Silva, Renato Braga Fortes, Valter Pitol, e Roberto Kaefer Conselheiros fiscais efetivos: Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro, Dilvo Grolli e Ciliomar Tortola Suplentes: Rogerio Wagner Martini Gonçalves, Sérgio Rodrigo Ruiz Guimarães e Marcos Aparecido Batista Delegados representantes efetivos: Domingos Martins e Claudio de Oliveira Suplentes: Ciliomar Tortola e Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná Av. Cândido de Abreu, 140 - Salas 303/304 - Curitiba/PR - CEP: 80.530-901 Tel.: 41 3224-8737 | sindiavipar.com.br | sindiavipar@sindiavipar.com.br Fale conosco Se você tem alguma sugestão, crítica, dúvida ou deseja anunciar na Revista Sindiavipar, escreva para nós: revista@sindiavipar.com.br. Expediente Produção Centro de Comunicação centrodecomunicacao.com.br Jornalista responsável Guilherme Vieira (MTB-PR: 1794) Colaboração Brenda Iung, Bruna Robassa, Camila Castro, Jonas Filho, Jorge de Sousa, Maria Stefani, Karina Becker, Laura Espada e Paulinne Giffhorn Design e diagramação Cleber Brito Comunicação e Marketing Mônica Fukuoka Impressão Optagraf Anuncie na Revista Sindiavipar Mônica Fukuoka Comunicação e Marketing marketing@sindiavipar.com.br (41) 3224-8737 Editorial Chegou a hora de dar boas vindas a mais um ano, que nos traz motivação e expectativas de novas conquistas para o setor. Além disso, começamos 2018 com uma notícia muito marcante para avicultura paranaense e brasileira: o Sindiavipar e a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) firmaram parceria para a modernização do Laboratório Marcos Enrietti. O importante centro de diagnóstico do estado, segundo do Brasil a alcançar capacidade para identificar a influenza aviária, doença de Newcastle, entre outras, contará com novos equipamentos extremamente fundamentais para manter nosso status referência em sanidade. As melhorias serão financiadas pelo Fundo de Assistência Sanitária para a Avicultura (Funasavi-PR) que tem entre seus principais objetivos a manutenção da atividade avícola do estado, priorizando ações preventivas e emergenciais com foco em sanidade. Todos os benefícios da parceria, você poderá conferir em nossa matéria de capa da Revista Sindiavipar nº 62. Informações sobre mercado, tecnologia, indústria e meio ambiente também contemplam a primeira edição do ano. Gostaria de aproveitar e desejar os nossos mais sinceros votos de sucesso e prosperidade aos nossos associados, parceiros e leitores para o 2018 que se inicia. Um abraço e boa leitura! Foto: Hamilton Zambiancki selo SFC As matérias desta publicação podem ser reproduzidas, desde que citadas as fontes. Domingos Martins Presidente do Sindiavipar Sindiavipar

[close]

p. 4

Observatório Pauta de embarques O setor do agronegócio lidera de forma destacada a pauta exportadora brasileira em 2017. Entre os dez principais produtos embarcados para o exterior até o mês de novembro, sete foram produzidos pela agroindústria. O líder em exportação é a soja, seguido pelo minério de ferro, petróleo bruto, carne de frango, farelo de soja, carne bovina, café em grão, açúcar e celulose. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Casa da Indústria No dia 27 de novembro, a Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) inaugurou a Casa da Indústria. O local conta com um espaço compartilhado, que tem como intuito estimular a representatividade dos sindicatos, o fortalecimento e o desenvolvimento das indústrias da região. Em conjunto, a Fiep e os sindicatos sediados na Casa da Indústria trabalham para a maior visibilidade de suas categorias, o estímulo ao associativismos e o crescimento da indústria local. Agro+ integridade Em dezembro, foi lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em cerimônia no Palácio do Planalto, o selo Agro Mais Integridade. Na ocasião, o Mapa firmou o Pacto pela Integridade com empresas e entidades do agronegócio representadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). O selo é um prêmio de reconhecimento às empresas e entidades do setor que adotam práticas de gestão a fim de evitar desvios de conduta. Grupo Vibra é premiado Resultado de dois anos de pesquisa e de investimentos em tecnologia e desenvolvimento, a linha nat. Verde, do Grupo Vibra, conquistou cinco reconhecimentos com o case no segundo semestre de 2017. Com diferenciais que aliam saudabilidade e sustentabilidade, a linha venceu o Prêmio Eco Amcham 2017, na categoria Sustentabilidade em Produtos ou Serviços, o Prêmio da Associação Brasileira de Embalagens (ABRE), nas categorias design e inovação como solução sustentável, e o Prêmio Top de Marketing da ADVB/RS, no Setor de Mercado: Categoria Indústria e a categoria Prata da Premiação Especial. 4 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 5

Bons números A economia do Paraná cresceu 2,9% no terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. Com a evolução, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado alcançou R$ 101,675 bilhões. Os dados foram divulgados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes). O crescimento do PIB do Paraná foi mais do que o dobro do Brasil, que cresceu 1,4%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Exportações do agronegócio Importante segmento para a economia, o agronegócio registrou mais um recorde neste ano. De janeiro a novembro, as exportações do setor somaram US$ 89 bilhões, resultado 13% maior que o obtido no mesmo período do ano passado. Os dados são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Show Rural Data 05 a 09 de fevereiro de 2018 Local Cascavel (PR) Realização Coopavel Telefone (45) 3225-6885 Site showrural.com.br Simpósio Brasil Sul de Avicultura Data 10 a 12 de Abril de 2018 Local Chapecó (SC) Realização Nucleovet Telefone (49) 3329-1640 Site nucleovet.com.br 10ª Tecnofrigorífico Data 09 a 11 de maio de 2018 Local São Paulo (SP) Realização Tecnofrigorífico Telefone (85) 3469-9276 Site feverton.com.br Sindiavipar sindiavipar.com.br 5

[close]

p. 6

Associe-se! Porque juntos somos mais fortes! Assembleia Geral O presidente do Sindiavipar, Domingos Martins, esteve em Foz do Iguaçu (PR) a convite da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) participando nos dias 23 e 24 novembro da Assembleia Geral do Conselho de Representantes para Assembleia Geral ordinária e extraordinária. Laboratório Marcos Enrietti No dia 30 de novembro, Icaro Fiechter (Sindiavipar), Roberto Pelle (Integra) e Rosária Richartz (Adapar) visitaram o Laboratório Marcos Enrietti para acompanhar o pedido da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). O laboratório será reformado e contemplará a preparação de uma sala para receber os equipamentos que serão doados pelo Sindiavipar com a verba do Fundo de Assistência Sanitária para a Avicultura (Funasavi-PR). Saiba mais na página 24. Projeto Panorama Setorial Aconteceu no dia 21 de novembro, na sede do Sindiavipar, uma reunião para o planejamento e estruturação do Projeto Panorama Setorial. Estiveram presentes representantes do setor de gerência econômica e desenvolvimento da Fiep, Marcelo Percicotti e Marcelo Alves, além dos representantes do Sindiavipar Icaro Fiechter, Valdecir Bertoncello e Mônica Fukuoka. O projeto fará o levantamento de dados do setor. A sua entrega está prevista para novembro de 2018. Será muito importante a participação de todos os associados nesse processo de pesquisa. Mais informações: sindiavipar.com.br | (41) 3224-8737 6 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 7



[close]

p. 8

Radar A nossa perspectiva é que o setor agropecuário impulsione uma nova postura no combate à corrupção Eumar Novacki, secretário-executivo do Mapa Queremos expandir nossa pauta de exportações e atingir 10% do market share internacional, o que é um grande desafio Gustavo Cupertino Domingues, diretor do Departamento de Acesso a Mercados do Mapa Nós temos muitas coisas boas para mostrar. Essa questão, mesmo, das reservas legais, faz com que o país abra mão de um capital gigante. São custos para a sociedade brasileira e um ativo importante para o mundo Blairo Maggi, ministro da agricultura, pecuária e abastecimento 8 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Na mídia Comunicação sólida Informações sobre qualidade e sanidade da produção avícola apoiam expansão do setor Retorno de mídia - Acumulado 2017 TV 66% J9o,r7n%al 2O1n,l1in%e R3e,v2is%ta Cada percentual de crescimento da avicultura em 2017 foi comemorado com muita alegria. Com desafios ao longo dos meses, foi a qualidade e sanidade já reconhecidas mundialmente que mantiveram o setor no caminho da prosperidade. As características positivas foram reforçadas por meio de materiais de assessoria de imprensa e entrevistas, que contaram com o Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (­Sindiavipar) como fonte. De acordo com o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins "os avanços do ano só foram alcançados devido à uma indústria planejada e versátil, com força para superar adversidades, além de um setor extremamente focado em buscar o interesse em comum de todos: a melhor produtividade e qualidade do que colocamos no mercado", explica. Ao todo foram mais de 400 matérias relacionadas à avicultura do estado, somando um retorno de mídia espontânea de aproximadamente 6,5 milhões de reais. Entre os principais destaques estão publicações no programa Globo Rural, Revista do Campo, rádios como CBN Londrina, Webcom Brasil, além das revistas Avisite e Feed & Food. Entre os jornais que também deram espaço para a avicultura paranaense estão Folha de S. Paulo, Folha de Londrina, O Presente Rural e O Diário do Norte do Paraná, além de portais importantes do segmento como Dinheiro Rural, IstoÉ, Estadão Conteúdo, Agrolink, Portal Terraviva e Avicultura Industrial. 10 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 11



[close]

p. 12

Entrevista Raeanvoivcaunltduora Logística reversa auxilia na preservação do meio ambiente e gera renda ao Paraná Fabricantes, importadores, dis­tribuidores, comerciantes e consumidores – todos são responsáveis por colocar em prática o Sistema de Logística Reversa de produtos e embalagens. O conjunto de atividades tem como objetivo reinserir os resíduos de pós-consumo em novos ciclos produtivos e favorece não só o meio ambiente, como também proporciona a geração de renda e emprego. Para entender melhor o funcionamento da atividade na avicultura a Revista Sindiavipar conversou com o coordenador de resíduos sólidos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema), Vinicio Bruni. Confira a seguir: Como você avalia a reciclagem na cadeia avícola paranaense? Considerando que o setor está iniciando sua participação num programa que pode ser considerado maior que a reciclagem, isto é, a Logística Reversa; que já está em andamento, com uma série de reuniões, termos de compromisso assinados, organização em conjunto com o Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR), entre outros, é possível dizer que foi a decisão adequada e mais coerente possível. O Paraná está à frente nesse programa, e assim como outras cadeias produtivas, a avicultura só tem a ganhar. Qual a importância da criação do Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR)? No Brasil não existem institutos preparados para realizar ações estaduais, de um modo geral, tudo é feito em âmbito nacional ou ações isoladas. O caso do InPAR é uma inovação. Podemos trazer uma discussão mais real e próxima, dados regionalizados, uma participação efetiva do setor produtivo unido e conjunto com a iniciativa pública. É preciso elogiar e agradecer as ações do InPAR e também da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) pela participação, pela iniciativa e pela busca de solução dos problemas ligados aos produtos pós-consumo. Quais atividades da Sema em 2017 merecem destaque no Programa de Logística Reversa e as expectativas e metas para 2018? Uma das ações que temos feito é a integração de cadeias produtivas – na qual uma pode utilizar a estrutura de outra, como, por exemplo, a indústria farmacêutica que tem trabalhado em conjunto com o sindicato de papel e celulose. Recentemente realizamos o 1° Seminário Paranaense de Logística Reversa, com o objetivo de apresentar boas práticas e avaliar dificuldades. O próximo passo é estudar a criação de um incentivo ou instrumentos econômicos, que favoreçam e motivem a participação das empresas nos planos existentes. Existem vários termos de compromisso, com metas diferentes. A Sema busca conversar com os responsáveis para analisar como estão trabalhando com suas metas. Até então, o termo de compromisso do InPAR com a Secretaria estava envolvendo ações de educação ambiental, planejamentos e concluiu com o seminário. 12 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 13

Vinicio Bruni Engenheiro Civil formado pela Universidade Federal do Paraná Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Paraná Ex-secretário de Planejamento e Urbanismo e membro do Conselho de Meio Ambiente do Município de Itapema (SC) Coordenador de Resíduos Sólidos da SEMA-PR (desde 2015) Vai e volta Mercado Leva uma possibilidade de novos negócios, com o retorno das embalagens pós-consumo até a origem ou algum local indicado pelo fabricante, a transformação de resíduos em nova matéria-prima. Sanidade Deve ser relacionada com a limpeza do meio ambiente. Ao encaminhar a embalagem pós-consumo para o local adequado, evita-se problemas de degradação do meio ambiente e de saúde pública. Avicultura O Estado está à frente nesse programa, e assim como outras cadeias produtivas, a avicultura só tem a ganhar. Insumos Está relacionado com o mercado. A embalagem pós-consumo passa a ser insumo para o novo produto. O Paraná é um estado que está à frente nesse projeto Sindiavipar sindiavipar.com.br 13

[close]

p. 14

Tecnologia Ambiência animal Protótipos capazes de simular a ambiência garantem bem-estar e produtividade nas granjas Agestão e o controle de dados é um dos grandes desafios na produção de proteína animal. Por isso, o investimento em inovação e tecnologia tem sido requisito obrigatório no setor para reduzir perdas no processo, aumentar a produtividade e promover o ­bem-estar animal. Na avicultura, a administração da ambiência, temperatura, luminosidade, consumo animal e quantidade de CO2 impactam diretamente na produção. Para diminuir índices de mortalidade e desvios no processo, sistemas têm sido utilizados para auxiliar na gestão do produtor rural ou agroindústria. Este é o caso da solução desenvolvida pela empresa de tecnologia Tau Flow, que criou uma prototipagem virtual 3D para controle de ambiência animal para a avicultura e suinocultura. O sistema foi desenvolvido através do CFD, ciência que estuda o comportamento de gases e/ou líquidos em diferentes ambientes, como no caso dos criadouros. Ela demonstra de forma 3D o comportamento, características e desequilíbrios térmicos e de fluxos de ar. Tendência da indústria 4.0 (que engloba tecnologias para automação e troca de dados), a solução permite, na avicultura, por meio das informações geométricas do ambiente - características mecânicas, físico-químicas, motores, sistemas de ventilação, temperatura e dados zootécnicos do animal – o desenvolvimento de uma modelagem matemática computacional para simulação do ambiente da granja. “Criamos uma modelagem tridimensional do criadouro e a partir da simulação, é possível visualizar os campos de temperatura, velocidade, pressão, concentração e fluxos de ar”, explicaum dos sócios fundadores da Tau Flow, Muriel dos Santos. O modelo criado também permite a visualização da concentração de gás carbônico e amônia – que são prejudiciais aos animais – indicando a ambiência ideal para o bem-estar das aves. “Os protótipos são capazes de refletir a realidade, ou seja, com as informações da granja ele consegue mostrar os desvios e diagnosticá-los de forma assertiva”, afirma. Na prática A solução, já utilizada em algumas granjas, tem apresentado resultados expressivos. “Com a aplicação, as empresas alcançaram uma melhoria de 40% na qualidade e homogeneidade do ambiente, o que 14 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 15

reflete diretamente na conversão alimentar, redução da mortalidade, aumento da produtividade e eficiência energética”, conta Santos. Os ganhos demonstrados pela simulação podem resultar em melhorias de procedimentos operacionais da granja ou propor alterações na infraestrutura e/ou equipamentos, sempre com foco no menor custo e maior eficiência. A tecnologia pode ser aplicada em qualquer tipo de aviário, desde os modelos mais antigos até projetos ainda em desenvolvimento, independentemente do sistema de ventilação ou dimensões. Além de sistemas para os aviários, a Tau Flow desenvolve protótipos para a agroindústria, o que engloba frigoríficos, ambientes de atmosfera 40% foi a melhoria alcançada na granja após a utilização do protótipo controlada, salas de desossa e câmaras de armazenamento, por exemplo. A aplicação da solução também pode ser feita em outros setores, desde climatização até processos industriais para beneficiamento de alimentos. Futuro O projeto será levado ao “Leaders in Innovation Fellowships”, na Royal Academy of Engineering em Londres, para apresentar a novidade ao mercado europeu. Segundo Santos, trata-se de uma oportunidade de mostrar ao mundo a tecnologia brasileira capaz de gerar resultados em alta p er for ma nce. O próximo passo será um sistema de monitoramento de ambiência em tempo real, previsto já para 2018. “O setor já tem mostrado bastante evolução quanto à genética e nutrição animal. O grande passo para o futuro será esse controle em relação à ambiência”, explica. 19.08.10 14:42:15 Fotos: César Machado fotos.indd 2 fotos.indd 2 www.agrostoCk.CoM.br 19.08.10 14:42:15 19.08.10 14:42:15 fotos.indd 2 19.08.10 14:42:15 UMa Foto perfeita CaUsa UMa ótima impressão o melhor e mais completo banco de imagens do agronegócio. suínos, aves, bovinos, culturas, alimentos, carnes, maquinário, etc. fotos.indd 2

[close]

Comments

no comments yet