Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

Ano XI - Edição 123 - Fevereiro 2018 Distribuição Gratuita SEJA ENGRENAGEM A intolerância Sentados em uma Não se torne uma pessoa frustrada quando algo não der certo. Busque respostas para fazer acontecer o que pretendia. Somos uma engrenagem e quando nos deixamos levar pelo inconformismo e paramos a engrenagem não ao diverso A diversidade é causa de intolerância e preconceito. Aceitar o diverso é lanchonete conversávamos tranquilamente sobre diversos assuntos e eis que chega a oposi- anda. Juntos fazemos a roda girar, se você complicado para a tora de opiniões, quiser seguir sozinho e parando, ficará para maioria das pesso- que rejeita qualquer um que possa divergir de- trás. Não seja conformado, seja descontente as, as diferenças culturais ou raciais por exem- la. Filomena, Filomena dos Santos! para que surjam novas ideias, reinvente-se, fa- plo, excluem e não reconhecem o outro. ça acontecer, transforme. Senta-se à mesa, crente que está abafando, ou melhor, agradando... Leia mais: Página 3 Leia mais: Página 4 Leia mais: Página 6 A única possibilidade de nos eternizamos nessa frágil vida, é plantando boas sementes. É a melhor herança que deixamos! Samba, axé, batuque e frevo... A alegria é geral Não existe uma certeza histórica sobre a origem do carnaval, porque, inicialmente, os egípcios, os romanos, os gregos e até mesmo os hebreus faziam várias festas pagãs, já que esses povos eram politeístas. O objetivo dessas festas era celebrar as colheitas, agradecer e louvar as divindades e os ancestrais, dependendo da religião. Mas tudo isso mudou com o fim da Idade Antiga e início da Idade Média. A Igreja Católica decidiu incorporar essas festas pagãs que marcavam os últimos dias de liberdade, quando as pessoas podiam extrapolar, antes do início da quaresma. 17 e é um dos mais puros representantes da cultura nacional. Foi assim que surgiu a prática de comemorar os últimos dias antes da quaresma, batizada como carnaval. A festa pagã se tornou um símbolo para os religiosos e, a partir disso, foi ganhando forma. No Brasil, o carnaval surgiu no século As primeiras festas carnavalescas brasileiras iniciaram-se no século 17, mas somente no século 20 as alegorias invadiram as ruas do Rio de Janeiro. A partir disso, o carnaval se tornou um símbolo nacional, não que todo o Brasil seja caracterizado apenas por ele, mas é uma das festas que caracterizam a identidade da cultura brasileira e é uma das coisas que nos diferenciam do restante dos povos pelo mundo. Então, mesmo não tendo nascido no Brasil, na contemporaneidade, ele é muito associado ao nosso país. Por ser um país de dimensões continentais, cada região do Brasil assumiu um carnaval com características diferentes. Seja nos ritmos, seja nas apresentações. Em algumas regiões, vemos as marchinhas, desfiles de alegorias, blocos de rua, trios elétricos, cada um tem a sua peculiaridade. Todos juntos, no entanto, formam a grandiosa festa que é celebrada todos os anos. Cada região, cada estado e cada cidade tem um detalhe diferente, uma tradição e, mais recentemente, uma produção específica, geralmente baseada nas influências que tiveram no período da colonização. Em comum, as festas têm a animação CULTURAonline BRASIL Os principais polos do carnaval no Brasil são Salvador, Rio de Janeiro e Recife. Cada um é diferente do outro, - Boa música Brasileira mas todos esbanjam alegria para seus foliões. - Cultura - Educação - Cidadania - Sustentabilidade Social Identidade própria Toda grande nação tem a sua identidade própria, que foi formada Homo sapiens deixaram a África muito antes do que se pensava REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA QUE ACABA DE VENCER CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 Agora também no seu Baixe o aplicativo IOS NO SITE através dos séculos ou milênios. A Fóssil encontrado em caverna de PARTICIPANTES identidade nacional é um conceito Israel tem entre 177 mil e 194 mil Tema: “Como vencer a pobreza e que tenta unificar critérios de iden- anos e indica que migração huma- a desigualdade” tificação e pertencimento comuns entre os cidadãos do país em questão. Uma língua comum, um na para fora do continente africano ocorreu ao menos 50 mil anos antes do estimado. Autora: Clarice Zeitel Vianna Silva “PÁTRIA MADRASTA VIL" passado em comum, os gêneros Um fóssil encontrado numa caver- Onde já se viu tanto excesso de musicais, as tradições religiosas e na de Israel indica que os Homo falta? a gastronomia são exemplos de sapiens deixaram a África cerca Abundância de inexistência... pontos em comum que demonstra de 50 mil anos antes do que se Exagero de escassez... a identidade em comum de um po- pensava, vo. Contraditórios? www.culturaonlinebr.org Página 7 Página 8 Página 13 AJUDE-NOS a manter estes projetos de educação (Rádio e Jornal)- www.gazetavaleparaibana.com/apoiadores.htm

[close]

p. 2

Fevereiro 2018 Editorial DENTRO DE MIM Gazeta Valeparaibana Página 2 Debruçado na amurada de meu navio, vejo a brancura das águas revoltas a rondar os abismos da popa. Estendo meu olhar e sigo a esteira de espumas, o rastro que se afasta do navio até desmanchar-se junto ao céu deitado sobre o mar, no horizonte, à beira do infinito. Ao contrário do ilusório movimento das águas, é o navio que se movimenta, tal qual eu me movo a navegar no tempo que permanece parado enquanto eu passo. Todos nós passamos. No movimento de minha vida o tempo vivido aparenta seguir para trás, o chão parece andar debaixo do meu corpo, e os cenários à minha frente ilusoriamente vêm em minha direção. Passado, presente e futuro são momentos imaginários do tempo que, em verdade, permanece inerte e estático, e se limita, imóvel, a contemplar a breve viagem de minha vida, fitando-me com seus olhos postados em três dimensões. Os olhos parados, do tempo, observam minhas contínuas aproximações ao futuro, assistem às minhas chegadas fugidias ao presente, e, finalmente, descortinam as imagens de meus distanciamentos do passado. Às vezes, meus pensamentos entram em conflito, e contrapõem certezas e dúvidas em minha mente. Por isso, já cheguei a acreditar que carrego o tempo comigo, como na verdade/mentira de Carlos Drummond de Andrade, em verso sobre a transposição dos Anos: “É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera, desde sempre”. Não aguento suportar sobre meus ombros o peso de tão grave responsabilidade. Rejeito carregar em meu restrito e frágil peito a ampla dimensão de cada misterioso, imprevisível e incerto Ano Novo, pronto para despertar de seus cochilos e esperas, num berço invadido dentro de mim. Já tentei, é verdade, mudar o mundo e, segundo minha ingênua crença, para melhor. Mas, o mundo não melhorou, e eu certamente piorei, não apenas por ter sido impotente quando me dispus a mudá-lo, mas, também, pela degeneração natural de meus atributos mentais, morais e intelectuais. Não. Não me converti à devassidão, à vadiagem ideológica, à doutrinação dos diabos, nem ao ócio, paterno de todos os vícios. Apenas cansei de tentar promover mudanças que nem mesmo o Criador anima-se a realizar, salvo quando cada um resolve enfrentar a difícil tarefa de mudar-se a si mesmo, e nesse caso, a ajuda deve ser negociada nas intimidades espirituais. Os votos de um bom Ano Novo, proferidos pelo coração dos seres, ou apenas ditos da boca pra fora, quase sempre têm como tema a satisfação de necessidades ou conveniências individuais, como na estrofe da musiquinha onde desponta a importância de haver “muito dinheiro no bolso, saúde pra dar... e vender(!)”. Amor, paz, saúde, felicidade, prosperidade, sucesso, riqueza, e outras tantas coisas, podem estar ali, no pulo sobre as ondas, nas preces contritas, na porção de lentilhas, na explosão dos rojões, nos nacos de suínos que fuçam pra frente, nada de peru que cisca pra trás, e em tudo quanto a fé, a tradição, a superstição, ou as manias levam nas asas das esperanças que ainda não morreram. Mas esses votos ou intenções endereçados, ou recebidos, não podem resumir-se num palavrório rotineiro diante do próximo calendário, com um sentido individualista, muitas vezes egoísta e egocêntrico. O verdadeiro ano novo pode, sim, iniciar-se num dia qualquer, de qualquer mês, ontem, agora, amanhã, ou sei lá quando, desde que, em cada minuto, que pode ser fatal, eu desperte um sadio Ano Novo adormecido, que cochila e espera, desde sempre, dentro de mim. Vicente Cascione Elefante branco A expressão vem de um costume do antigo reino de Sião, situado na atual Tailândia, que consistia no gesto do rei de dar um elefante branco aos cortesões que caíam em desgraça. Sendo um animal sagrado, não podia ser posto a trabalhar. Como presente do próprio rei, não podia ser vendido. Matá-lo, então, nem pensar. Não podendo também ser recusado, restava ao infeliz agraciado alimentá-lo, acomodá-lo e criá-lo com luxo, sem nada obter de todos esses cuidados e despesas. Daí o ditado significar algo que se tem ou que se construiu, mas que não serva para nada. Comer com os olhos Soberanos da África Ocidental não consentiam testemunhas às suas refeições. Comiam sozinhos. Na Roma Antiga, uma cerimônia religiosa fúnebre consistia num banquete oferecido aos deuses em que ninguém tocava na comida. Apenas olhavam, “comendo com os olhos”. A propósito, o pesquisador Câmara Cascudo diz que certos olhares absorvem a substância vital dos alimentos. Hoje o ditado significa apreciar de longe, sem tocar. Amigo da onça Segundo estudiosos da língua portuguesa, este termo surgiu a partir de uma história curiosa. Conta-se que um caçador mentiroso, ao ser surpreendido, sem armas, por uma onça, deu um grito tão forte que o animal fugiu apavorado. Como quem o ouvia não acreditou, dizendo que , se assim fosse, ele teria sido devorado, o caçador, indignado, perguntou se, afinal, o interlocutor era seu amigo ou amigo da onça. Atualmente, o ditado significa amigo falso, hipócrita. A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não corresponderem à opinião deste proje- to nem deste Jornal. Diretor, Editor e Jornalista responsável: Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J Ajude-nos a manter este projeto por apenas R$ 15,00 mensal Email: assinaturas@gazetavaleparaibana.com Gazeta Valeparaibana e CULTURAonline BRASIL Juntas, a serviço da Educação e da divulgação da CULTURA Nacional

[close]

p. 3

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 3 Crônica do mês SEJA ENGRENAGEM Calendário Não se torne uma pessoa frustrada quando algo não der certo. Busque respostas para fazer acontecer o que pretendia. Somos uma engrenagem e quando nos deixamos levar pelo inconformismo e paramos a engrenagem não anda. Juntos fazemos a roda girar, se você quiser seguir sozinho e parando, ficará para trás. Não seja conformado, seja descontente para que surjam novas ideias, reinvente-se, faça acontecer, transforme. Busque causas para ampliar sua sabedoria e se expor ao mundo, parado você não sairá do lugar ou ficará a espera de alguém que faça por você e, não se conformará com o sucesso dos outros e sentirá a insignificância da inveja. Jogue-se no futuro, resolva problemas, saia do lado romântico, potencialize seu lado emocional com a razão. Essa é a arte de fazer a vida funcionar por você mesmo. Questione os dogmas. Quando fizer o que gosta, se entregue por inteiro a isso: sem horários e nem bloqueie a qualidade do que irá fazer, dependa somente da sua caminhada, se entregue por excelência no que fizer e não pare nos pontos negativos que por ventura surgirem. Mesmo que contente, nunca se satisfaça, pois vencer é estratégia e se fizer sempre um pouco mais, se for cem por cento no que realizar, tornar-se-á sua melhor versão e com poder de transformação. Não tenha sempre uma única opção, não siga regras, faça descobertas e o que for correto, mas descubra o que é o melhor e prossiga para o próximo nível. No mundo, não somos uma família e sim um time que quer ganhar e para isso estratégias serão usadas para se defender e sem ninguém para te proteger; idade não tem que ser o limite para realizações, apenas sua vontade. Seu sucesso não dependerá apenas do seu dom, talento ou genialidade, mas muito do seu autoconhecimento para praticar com vontade quase obsessiva o que pretender conquistar. Tudo dependerá do quanto você se dedicar para tornar-se extremamente bom no que fizer. Desenvolva seu potencial através da prática diária e incansável e não pelo imediatismo; em longo prazo conquistará o que almeja. Veja pelos gênios, através dos tempos, que mesmo com dom e talento custou muito tempo para se consagrarem. Nós não precisamos ser consagrados, mas estamos aqui para realizar algo de bom, contribuir para melhorar o que pudermos através de nossas habilidades. Não seja profissional apenas de formação, e sim do que sabe fazer e bem. Mude sempre, pois atualmente, não basta ser, temos que “estar” e saber construir um caminho próprio. Escolha o que fazer com seu coração e siga de mãos dadas com a razão nas tuas jornadas, seja incansável, mas feliz... Somos ansiosos, sobrecarregados de informações e acontecimentos a cada minuto e isso tem invadido nossos pensamentos potencializando nosso dia a dia com intercorrências que nem nos pertencem e, para impedir isso e não perder o foco e metas não devemos concretizar nossos pensamentos com essas invasões. Nada é fácil com essa enxurrada de negatividades que está à nossa volta que nos impede de seguir sem os julgamentos que fazemos e sofremos diariamente. Coloque à frente dos pensamentos ou de pessoas negativas toda força do seu propósito para manter a calma e manter a harmonia. Esse é um desafio mais do que necessário enfrentar, pois nossos pensamentos não param e, precisaremos criar hábitos que nos acalmem antes que a velocidade dos tempos nos impeça de nos transformar em pessoas melhores e assim contribuir com nossa “melhor versão” para um mundo melhor. Não fomos educados para lidar com as incertezas e hoje as coisas que não esperávamos acontecem em grande velocidade e sem o tempo daquela versão em que fomos criados e facilmente nos desestabilizamos sem saber o que fazer, assim como o tsunami que quando vem, apenas saber nadar não irá adiantar, mas se tivermos preparo e treino para nos agarrar naquilo que pode nos salvar teremos chance e, nessas situações é que podemos nos ajudar e juntos fazer a engrenagem continuar a rodar. Ter metas e planos faz toda diferença, mostra que você tomou alguma iniciativa, e isso servirá para se organizar na vida. Escolher uma direção sem ter um plano te levará a qualquer caminho, até mesmo para aquele que não te servirá pra nada e, seguir com planos é bem mais certo do que seguir apenas com esperança. Mesmo que no caminhar levar um susto, aconteça o que acontecer, com propósitos firmes, agirá e reagirá encaixando tudo nos seus planos como quem aprendeu e treinou para enfrentar o tsunami. Se mesmo assim perder algo, é porque aquilo era pra acabar, não fique pensando. Vire a página! Algumas datas 02 - Dia de Iemanjá 04 - Dia do Amigo do Facebook 13 - Dia Mundial do Rádio 13 - Carnaval 14 - Quarta-Feira de Cinzas 19 - Término do Horário de Verão 20 - Dia Mundial da Justiça Social 21 - Dia Internacional da Língua Materna 24 - Promulgação Primeira Constituição Republicana 25 - Criação do Ministério das Comunicações Ver mais sobre na Página 12 Mas nós dançamos no silencio, Choramos no carnaval, Não vemos graça nas gracinhas da TV Morremos de rir no horário eleitoral... Engenheiros do Hawaii Genha Auga Jornalista MTB: 15.320 www.culturaonlinebr.org /// CULTURAonline BRASIL /// www.gazetavaleparaibana.com

[close]

p. 4

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 4 Direitos Humanos A intolerância ao diverso culturais, identitárias. A diversidade faz parte mos direito a ser o que somos. Trazer o diver- da nossa natureza, então como podemos di- so para a luz do direito nos faz aprimorar a zer o que é normal? Como podemos em no- nossa capacidade de compreensão enquanto me da “normalidade” classificar pessoas, en- sociedade, tem o potencial de nos tornar me- quadrá-las em algum tipo de conceito ou perfil nos bairristas e mais tolerantes.É preciso pra- que achamos ser o ideal. Repito: Somos dife- ticar a alteridade,e para isso temos mesmo é rentes, cada qual com seus sonhos, quereres, que nos colocarmos no lugar do outro. Cofor- gostos, amores, cada qual com sua vida, suas me a Carta da Terra, é responsabilidade uni- crenças. Devemos entender que somos to- versal Promover uma cultura de tolerância, dos iguais em direitos, mas diferentes na nos- não violência e paz, e também “ assegurar sa essência, diferentes como seres humanos que as comunidades em todos níveis garan- que somos. Quando destoamos do que a mai- tam os direitos humanos e as liberdades fun- oria considera como normal, nos sentimos fra- damentais e proporcionem a cada um a opor- gilizados e nos tornamos um alvo fácil para tunidade de realizar seu pleno potencial”. A diversidade é causa de intolerância e preconceito. Aceitar o diverso é complicado para a maioria das pessoas, as diferenças culturais ou raciais por exemplo, excluem e não reconhecem o outro. Aceitar as diferenças no pessoas preconceituosas, nos tornando vítimas daqueles que se arvoram o direito de julgar e condenar. Quem faz isso é aquele que compara. Para que a paz possa existir, todos devem se sentir parte da sociedade, devem se sentir inseridos nela, sem preconceitos e sem discriminação. mesmo espaço de convivência nos remete ao Quando fazemos comparações estamos valo- Estamos cada vez mais centrados em nós reconhecimento de que essas diferenças exis- rizando a diferença. E essa comparação vem mesmos, sem percebermos que nossas a- tem. carregada de poder sobre o outro. Somos di- ções são determinadas nas relações com os Os valores de cada pessoa já estão estabelecidos em suas crenças, naquilo em que se acredita. Percebemos e atribuímos um valor a algo, e, ao fazer isso, imprimimos um significado para aquilo, e nossa conduta já está estabelecida. É necessário fazer um esforço pa- ferentes, apenas isso, coexistimos na diversidade. Ser igual ou não ser igual, não deveria ser aplicado a pessoas. Tentamos nos resguardar contra o diverso, porque aquilo que foge ao padrão que consideramos correto, nos causa medo. outros. Só nos completamos nessa relação com o outro. O conflito acaba ocorrendo na medida em que me distancio do outro, achando que me basto sozinho. Os conflitos sociais são maiores a medida que ocorre menos alteridade nas relações sociais. Através da alteri- ra que isso não ocorra. A discriminação do Na diversidade reside o respeito a você mes- dade conseguimos construir uma relação com outro se dá pela ignorância de não sabermos mo e ao outro. Os Direitos Humanos são prin- os diferentes e conseguimos aprender com o aceitar o diferente, a verdade absoluta sobre cípios que servem para garantir nossa liberda- contrário, isso é fundamental para evitarmos o outro não pode ser apreendida. Se reconhe- de e nossa dignidade. O respeito ao ser hu- muitos conflitos. É necessário esse olhar so- cermos que a diversidade humana existe, a- mano e ao diverso é fundamental para termos bre o outro, nos colocar no lugar do outro, dia- cabamos com a violência e a intolerância. Is- uma sociedade com igualdade para todos. O logar. so é algo tão óbvio, somos diferentes, mas diverso acrescenta, enriquece, é uma troca Esse é o desafio. Pararmos de nos preocupar iguais em um ponto, que é , sermos humanos. benéfica para todo mundo. Temos que estar apenas com nós mesmos. Pensarmos em fa- Como diz L. Boff: O ponto de vista é a vista a atentos ao que converte as diferenças em de- zer ao outro o que gostaríamos que fizessem partir de um ponto. sigualdades, e cobrar ações e políticas públi- a nós, por nós. Para sobreviver é preciso a- O preconceito está ligado ao que sentimos. A diferença é sentida e percebida por cada um de uma maneira. Tentar racionalizar com con- cas de combate a discriminação de qualquer tipo, e de combate a violência causada pela intolerância. ceitar as mudanças. Para continuarmos a evoluir como seres humanos inseridos em uma sociedade que ainda deixa a desejar quanto ceitos pré-estabelecidos não nos leva ao re- No Brasil predomina um pluralismo étnico i- aos direitos básicos do homem, temos que conhecimento do valor do outro. É preciso menso, o país é marcado pela diversidade, continuar insistindo e lutando por um mundo sentir afetivamente. As sociedades estão en- alguns poderiam achar que o preconceito e a mais justo, com mais dignidade e igualdade quadradas em formatos culturais sobre a qual intolerância deveriam ser menores, mas não é de oportunidade a todos. É como diz Albert foram construídas, que envolvem preconceito assim. A diversidade não é um privilégio nos- Camus: “Se o homem falhar em conciliar a e discriminação. so. Está presente no mundo todo, faz parte de justiça e a liberdade, então falha em tudo”. sermos humanos A intolerância reproduz a . Somos bilhões de pessoas habitando esse planeta, cada qual com suas características, com suas peculiaridades, físicas, genéticas, violência, e essa violência resulta da nossa incapacidade para lidar com o que é diferente. A intolerância em si já é um preconceito. Te- Mariene Hildebrando e-mail: marihfreitas@hotmail.com A Liberdade e a Justiça A revolução do século XX separou arbitrariamente, para fins desmesurados de conquista, duas noções inseparáveis. A liberdade absoluta mete a justiça a ridículo. A justiça absoluta nega a liberdade. Para serem fecundas, as duas noções devem descobrir os seus limites uma dentro da outra. Nenhum homem considera livre a sua condição se ela não for ao mesmo tempo justa, nem justa se não for livre. Precisamente, não pode conceber-se a liberdade sem o poder de clarificar o justo e o injusto, de reivindicar todo o ser em nome de uma parcela de ser que se recusa a extinguir-se. Finalmente, tem de haver uma justiça, embora bem diferente, para se restaurar a liberdade, único valor impere- cível da história. Os homens só morrem bem quando o fizeram pela liberdade: pois, nessa altura, não acreditavam que morressem por completo. Albert Camus, in "O Mito de Sísifo" www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 5

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 5 Política A batalha na política feitos sobre os problemas, suas causas e institucional é maior ainda e mais forte que o A guerra é política. A guerra é a continuação como aplicar soluções, e não recorrer ao da mídia. É verdade que as instituições da política por meios da imposição via força “quem pode mais, chora menos” ou ao religiosas buscam cada vez mais poder sobre bruta. Citando um especialista em guerras, o “manda quem pode, obedece quem tem a sociedade civil, que promovem inação e o chinês Sun Tzu, “a suprema arte da guerra é juízo”. E esse tipo de trabalho de tribalismo, mas o “terreno” no Brasil é muito subjugar o inimigo sem lutar”, “se você conscientização tende a levar décadas. mais favorável à fé religiosa cristã do que à conhece o inimigo e a si mesmo, você não Outra recomendação à muita gente de ideologia política de esquerda. Uma vez precisa temer o resultado de cem batalhas”, ideologia de Esquerda, principalmente os aconteceu um atentado terrorista envolvendo “somente quando você conhece todos os mais exaltados, aos extremistas, povo não é fundamentalistas muçulmanos, lá na França, detalhes da condição do terreno que você só o proletariado e os camponeses, não é só e um deputado esquerdista aqui aproveitou a pode manobrar e lutar”, “a oportunidade de os trabalhadores assalariados, o burguês oportunidade para criticar os evangélicos no assegurar contra a derrota está nas nossas industrial, o empresário, o banqueiro, Brasil, os fundamentalistas daqui. A maioria próprias mãos, mas a oportunidade de também são partes integrantes do povo. Não dos brasileiros não aceita críticas contra a derrotar o inimigo é fornecida pela mesma”. funciona desconsiderá-los como parte do Bíblia e contra os princípios do Cristianismo. Na política do regime oficialmente tido como democrático, a guerra não é com armas de fogo e nem com armas brancas, e não se recorre a violência física, a golpes. Nesse tipo de situação, as batalhas são entre ideias diferentes e opostas, entre valores diferentes, entre conceitos de “certo e errado” diferentes e até antagônicos. O poder da boa argumentação, de convencer o público de que a proposta defendida é a preferível, é o que faz vencer as batalhas na democracia. povo e se recusar a entender o lado dos ricos. Não concordar com eles, é uma coisa. Mas demonizá-los furiosamente dentro das casas legislativas e publicamente, é outra coisa. Outro ponto, alguns mandatários esquerdistas insistem em se expressar furiosamente, raivosamente, a berrar na tribuna do Parlamento e diante das câmeras de televisão. Parece que esses representantes da classe menos favorecida da sociedade querem extravasar as mágoas, os ressentimentos, os rancores. É verdade O deputado em questão desfavoreceu politicamente a própria Esquerda. Ter ideologia sim, mas é necessário também ser pragmático e ter bom senso, pés no chão, não inventar de querer nadar contra a correnteza forte. Para a Esquerda, será menos prejudicial se esta concordar em não criticar as religiões em geral, entender que fé, crença, e mesmo não-crença, é algo individual, pessoal, íntimo, deixar as pessoas crerem no que quiserem. Defender a laicidade do Estado é outra coisa! Defender o Parece que o eleitorado mundial está que o Lulinha paz e amor tomou muita Estado laico e liberdade religiosa sim, bater guinando para a Direita, nas Américas porrada depois, mas foi o discurso de paz e de frente com o Cristianismo enquanto fé, principalmente. É perceptível um sentimento amor dele que convenceu a maioria do não vai funcionar uma vez que o voto dos de decepção com a Esquerda no ar. eleitorado a lhe dar uma oportunidade em evangélicos tem muito peso no Brasil, assim Referente ao nosso Brasil, em linguagem 2002. Antes, o discurso de braveza dele como o poder econômico e financeiro das figurada, a condição do “terreno” é assustava a maioria. Ao menos ele Igrejas. O voto dos católicos também. Ser amplamente favorável à Direita, e reconhece que não pode ser mais radical. neutro e não tomar partido contra nenhuma desfavorável à Esquerda. E sempre foi Bom para ele! Não significa que a Esquerda religião é mais seguro. assim. Afinal, onde a Esquerda tem errado e tem que apertar a mão da Direita ou do A Esquerda política necessita reiniciar, de um onde ainda erra? Centro. Nada disso! Pegou mal o Lula apertar recomeço, e rever alguns conceitos, mudar a Antes de seguir, há erros que não são a mão do Maluf. Mas a Esquerda tem a forma como se apresenta para a sociedade exclusivos da Esquerda. Há erros que são necessidade de esfriar a cabeça e o sangue, civil. Mas essa decisão compete à própria comuns a Direita, ao Centro e à Esquerda no acalmar os ânimos. Seguir o exemplo de Esquerda, pois o interesse em se levantar Brasil. Há erros que são costumes, hábitos, “fogo e fúria” do Trump não vai funcionar em novamente é dela mesma. Ninguém nasce são culturais. Um desses erros é a atitude de favor da Esquerda brasileira. sabendo de tudo, as pessoas costumam errar querer resolver problemas fazendo leis e No Brasil, nos últimos anos, muita gente com a intenção de acertar. Mas persistir no mais leis. No Brasil, se faz tantas, mas tantas bradou “a nossa bandeira jamais será erro é falta de sabedoria. A realidade é que o leis que algumas elas até se contradizem e vermelha”. O que isso significa? Significa mundo não é justo nem quer ser justo. O se anulam umas às outras. Há pessoas em que, no imaginário popular, principalmente no mundo é interesseiro e egoísta. A população posição de poder que não sabem lidar com pessoal da classe média, ainda paira a que consome não se interessa em abrir mão certos problemas e não têm paciência para “ameaça comunista soviética”, propaganda do consumismo, das conquistas materiais, do procurar uma solução realmente inteligente, e muito bem-feita durante o Regime Militar, que conforto, do entretenimento e do lazer em daí fazem uma lei proibindo algo ou não deixa de dar prejuízos para a Esquerda. favor da responsabilidade socioambiental, obrigando algo referente ao problema. Há As coisas ficariam menos difíceis para a muito menos por compaixão aos pobres e muitas leis que a população não introjeta. Esquerda se esta parasse de usar a cor miseráveis excluídos. O correto é as pessoas Esse método de querer resolver problemas vermelha, estrela e principalmente foice e terem senso de responsabilidade social e criando leis uma atrás da outra é martelo como símbolo. Por questões ambiental, mas não é assim que as coisas autoritarismo. Para se conseguir que a psicológicas, o público brasileiro não aceita. são. Deve-se esforçar, empenhar para que o população concorde, por exemplo, com os direitos humanos e discorde da pena de morte, que tenha consciência cívica, que a classe média apoie programas de governo de transferência de renda para os mais pobres como o Bolsa Família, é necessário um persistente trabalho de conscientização, com muita paciência, “a conta-gotas”, boas argumentações frequentes, estudos bem- No mundo há uma diversidade de religiões. Mas no contexto do Brasil, a religião mais poderosa é o Cristianismo, tanto o Católico Romano quanto o Evangélico. A religião, através da história, tem tido enorme influência na vida das diversas sociedades, em seu modo de pensar e de agir. O poder de manipulação das massas da religião mundo melhore, mas sem fantasiar a realidade com idealismos. A Esquerda tem a liberdade de decidir o que quer para si. Se quer continuar sendo sempre a mesma, vai ter sempre os mesmos resultados. Se concordar em aceitar mudanças, aí poderá ter outros resultados. João Paulo E. Barros www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 6

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 6 Contos e Poemas da Genha TOLERÂNCIA “por cima”, significa que amanhã estará na mesma posição e isso não permite nos manter embaixo do Sentados em uma que não é certo ou o melhor. lanchonete conversá- - Eu não estou nem aí, responde minha “amiga”, não vamos tranquilamen- me afeta... te sobre diversos as- - Afeta sim, querida Filó. Temos que tomar atitudes suntos e eis que che- mais rígidas como cidadãos. Você que contesta tudo ga a opositora de que não lhe agrada ou não lhe convém, porque não opiniões, que rejeita intervém quando vê alguém jogar lixo nas ruas, pes- qualquer um que soas que vê sair do restaurante bebendo e que entra possa divergir dela. Filomena, Filomena dos Santos! no carro e sai dirigindo, denunciar quem desrespeita Senta-se à mesa, crente que está abafando, ou me- as leis do trânsito, aqueles que furam filas. Não te lhor, agradando... incomodam? Chegou porque sabia que é um lugar que geralmente - Acontece, ela retruca, que nesse país não há fiscais frequentamos para descontrair depois do trabalho e suficientes para atender a demanda e, eu não ganho perto do metrô, o que facilitava na hora de irmos em- pra me incomodar com essas pessoas, isso é proble- bora. ma de fiscalização. Porém sempre resmungava do lugar por ser difícil - Então, disse eu; sejamos nós os fiscais, pois paga- para estacionar e acabava parando em lugar proibido, mos impostos e não temos a contrapartida e, o cida- porém, fácil para nós que só dependíamos do metrô. dão tem sim que fiscalizar aquele que não usa o bem Constantemente, insistia em nos levar para outros público de maneira adequada e assim como posso lugares do interesse dela, mas acabávamos indo para reclamar de quem governa, posso fiscalizar o que o mesmo lugar porque era nosso point preferido e na reclama e não cumpre sua parte como cidadão, pois, esperança dela não comparecer... esses, também nos prejudicam. Eis que nesse dia... Certamente, não acostumada com minhas interven- Depois de resmungar como sempre, começou a im- ções em cima do que ela sempre me fala, negligen- plicar comigo. ciou a conversa mudando de assunto e, obviamente - Nossa Suzana, parece que você engordou, anda se sentiu-se afetada com o que falei, pois uma pessoa alimentando melhor, aumentou a cesta básica? Ironi- que diz não estar preocupada com o que de errado os zou Filomena, ou melhor, Filó! outros fazem com nossa cidade e bens e essa persona Com bem pouco humor respondi que não, mas que não grata, que vive “politicamente correta” nos basti- estava com uma ameba estagiária na minha barriga e dores e não se preocupa com o que está à sua volta que me aconselhava o cardápio todos os dias. (risos desde que não lhe afete, decidiu ir embora e creio entre os amigos). que dificilmente entrará nas minhas conversas sem - Bem melhor assim, continuou retrucando Da. Filó! ouvir meu ponto de vista. Daqui pra frente vou pon- Antes você era muito magrela, precisava de umas tuar o que não concordar. gordurinhas, pois uma mulher sequinha não é nada Não somos obrigados a ser tolerantes a tudo e pode- atraente. mos manifestar nossas - Com certeza Filó, respondi. Meu propósito agora é opiniões livremente. Creio que devemos sim conferir ser como você e ainda desfilar como modelo plus, a conta, apontar o dedo sobre cada item que estiver enquanto é moda. errado, exigir respeito do motorista, do cobrador, da Na verdade, realmente eu engordara uns dois quilos recepcionista... por conta de mudar o horário do trabalho o que me O brasileiro não respeita pontualidade, nunca chega permitia fazer as refeições com mais tranquilidade e no horário marcado e, no entanto, reclama do atraso de 58 fui para 60 quilos. Claro que para uma do funcionário, da entrega, nos shows, do médico, “amiga”, não passaria despercebido, principalmente mas ele mesmo não é pontual; como se só o seu tem- mulher, pois os homens nem sequer notaram. En- po fosse precioso. Aliás, um exemplo desse compor- quanto ela segurava fielmente a boca, porém não e- tamento é a Filó. magrecia nenhuma grama e se esforçava muito para Por que precisamos de tantas regras, placas, fiscali- não passar dos seus 69 quilinhos. zações, multas, bafômetros, testemunhas? Tenho pensado: “o que fazer com pessoas indesejá- O que somos? veis como essa”? Somos incapazes de discernir o certo do errado, não Se me manifesto em não gostar de alguma coisa, sou temos disciplina coletiva e nem medimos as conse- logo atacada e, por muitas vezes, “ao optar pelo ver- quências de nossas atitudes e, por isso, somos vigia- de e a outra insistir que deveria escolher o amarelo, dos, enganados. Passamos adiante o que nós mesmos acabo ficando com o azul” para não entrar em polê- reclamamos e isso se repetirá nas próximas gerações. mica e nem mostrar intolerância. E assim tenho feito Somos espelho! insatisfeita e incomodada. Infelizmente, como dona Filomena, interferir na vi- Bem, cheguei à conclusão de que tolerar nem sem- da do próximo, reclamar do que não funciona, olhar pre é virtude e sim um defeito então: Chega! somente para seu próprio umbigo, saturar a paciência Por que tolerar tudo que me “enfiam” goela abaixo? daquele que tolera é quase que uma cartilha seguida Filomena, numa dessas conversas e retrucando sobre pela maioria. esse meu ponto de vista disse: A negligência é a parceira do brasileiro e nosso am- - Você nem sempre pode contestar, pois recebemos biente social é simplesmente deseducador. determinações do alto escalão e de quem tem o poder Pra mim chega! Tolerância e intolerância devem ser nas mãos, seja na esfera política ou profissional. usadas na hora e na medida certa. - Então, respondi, tenho que aceitar a maioria desses irresponsáveis que ferem meu direito de conviver Genha Auga com a disciplina e a ética e, nem sempre quem está Jornalista MTB:15.320 O MUNDO E A MORTE PARTIR E SENTIR A AUSÊNCIA DE TUDO E DAQUI, DEIXAR A SAUDADE CORROER O CORAÇÃO DE QUEM FICOU E ME AMOU. IR E NÃO PODER LEVAR NADA DO QUE FIZ, DEIXAR SOMENTE NÚMEROS DE DIAS QUE VIVI E NÃO LEVAR UM POUCO DE TI E TU, FICAR SEM MIM. FICAR COM O PADECER DA ESPERA DO TEU PARTIR. RESTA-ME TUA MORTE ESSA SERÁ MINHA ÚLTIMA SORTE. MESMO MORTO, NÃO SUPORTAREI TE DIVIDIR. NOS FUNERAIS NINGUÉM FALA A VERDADE PORQUE OS FUNERAIS NÃO SÃO PARA OS MORTOS SÃO PARA OS VIVOS. LEMBRARÃO-SE DO BEM QUE FIZ E DO MAL CERTAMENTE, NO FUNERAL NÃO. AS ORAÇÕES CHEGARÃO ATÉ MIM AS PIADAS TAMBÉM, TUAS LÁGRIMAS E DOR, MEU PRÓPRIO CHEIRO DISFARÇADO EM FLOR. O MUNDO É UM CONTADOR DE DATAS E NÃO DE ANSEIOS, AS COISAS ACONTECEM POR QUE TERÃO QUE ACONTECER, NÃO PORQUE DESEJAMOS. ALGUÉM NOS COMANDA NOS DÁ E NOS TIRA. EU ME FUI, VOCÊ NÃO. FOI JUSTO, MERECEMOS? QUEM É QUE SABE... QUEM COMANDA QUIS ASSIM! Genha Auga AJUDE-NOS a manter estes projetos de educação (Rádio e Jornal)- www.culturaonlinebr.org/apoiadores.htm

[close]

p. 7

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 7 Opinião Identidade própria Ibérica foi concluída em 1249. O Portugal da personagens de origem estrangeira como o Idade Média era certamente bem diferente da Lobisomem e a Sereia (Mãe-D'água no folclo- Lusitânia pré-romana. E contatos com outros re brasileiro), o brasileiro é um povo muito cri- Toda grande nação tem a sua identidade pró- continentes com as grandes navegações e o ativo, com um grande imaginário popular. pria, que foi formada através dos séculos ou milênios. A identidade nacional é um conceito que tenta unificar critérios de identificação e colonialismo também modificaram a de portuguesa através dos séculos. identida- É natural que na formação da identidade de uma nação haja elementos de origem estran- pertencimento comuns entre os cidadãos do A grande maioria dos países receberam influ- geira, não é necessário que seja hermetica- país em questão. Uma língua comum, um ência externa na sua formação cultural, eles mente autóctone. Até o nosso idioma nacional passado em comum, os gêneros musicais, as não se formaram hermeticamente fechados veio de fora, mas temos uma ortografia nossa, tradições religiosas e a gastronomia são e- do restante dos países. Um exemplo, o carna- regionalismos linguísticos nossos, e ao mes- xemplos de pontos em comum que demonstra val tem origem na Europa, mas o Brasil tem o mo tempo estrangeirismos linguísticos como a identidade em comum de um povo. seu próprio modelo de carnaval, que é um anglicismos, francesismos, hispanismos... não concurso anual de escolas de Samba. Outro destroem a identidade nacional de um povo. Referente ao Brasil, é um país novo no mun- exemplo, o gênero musical rock, surgiu nos São transformações naturais conforme as é- do. Ainda não está totalmente formado. Co- EUA, mas o Brasil tem o seu rock nacional em pocas, o passar do tempo. meçou a ser formado no início do século XVI, mas se tornou um Estado independente no século XIX. Muitos afirmam que o Brasil é um país sem identidade própria. A composição do povo brasileiro é multiétnica, tendo em vista a variedade de grupos que tem constituído a nossa população. Além do nativo indígena, o africano e o europeu colonizador, imigrações importantes, como a italiana, japonesa e árabe, contribuíram e muito, para ampliar ainda mais a enorme diversidade histórico-cultural brasileira. língua portuguesa, como exemplos, a Jovem Guarda, Os Mutantes, Raul Seixas, Legião Urbana, Titãs, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Paulo Ricardo & RPM, Engenheiros do Hawaii, Skank, Sepultura, Angra, Pitty, entre outros exemplos, o rock não descaracterizou a identidade brasileira. Mas gêneros musicais nacionais também fortalecem a identidade nacional, como a MPB, Sertanejo, Forró, Pagode, o já citado Samba, o Axé, o Frevo, a Lambada, entre outros, são manifestações da diversidade brasileira. A questão política, se o Brasil ainda tem problemas, é porque ainda não encontrou o seu modelo de sistema político realmente adequado. Já que a intenção e a prioridade são solucionar problemas, é válido o Brasil experimentar outro sistema que funciona bem em outro país assim como acabar criando o seu próprio sistema político, segundo as suas características culturais, desde que o sistema funcione bem, em favor da maioria da população. O que é fato incontestável, é que o atual método político não serve. Só vamos descobrir qual é O próprio ex-colonizador do Brasil, Portugal, Há religiões que são transnacionais, como o o método que vai realmente funcionar se abri- levou muito tempo para ser formado como é Cristianismo, o Islã e o Budismo, mas o Brasil mos as nossas mentes para novidades e ex- hoje. No passado, a região era habitada por tem as suas manifestações próprias de cren- perimentarmos métodos diferentes, mesmo celtas lusitanos e galaicos, cônios, iberos, que ça espiritual como a Umbanda, o Candomblé, que acabemos por criar um método político não falavam latim, até que os romanos, após o Babaçuê, Santo Daime, o Xamanismo Ca- novo genuinamente brasileiro, ou adotemos dois séculos tentando, conquistaram a região timbó, a Jurema Sagrada, a mitologia Tupi- um Parlamentarismo europeu, ou asiático, ou em 140 a.C. e dominaram até 411 d.C., de- Guarani, são manifestações da diversidade africano, o importante é que seja um sistema pois vieram os visigodos entre 415 e 417 e brasileira. Ah, o Espiritismo de Allan Kardec é político que funcione bem. suevos em 409, ambos povos de origem germânica, e depois os árabes muçulmanos em 711, e a reconquista cristã na Península Ibéri- de origem francesa lá no século XIX, mas está mais presente no Brasil do que na França. A identidade nacional brasileira ainda está em processo de formação e desenvolvimento. ca começou em 722, o Condado Portucalense O folclore brasileiro é interessante, persona- Não está finalizado ainda. se tornou independente de Leão em 1135 e a gens como o Saci Pererê, o Boitatá, o Curupi- formação do território português na Península ra, a Pisadera, o Boto, a Mula-sem-cabeça, e João Paulo E. Barros O exemplo na História mo econômico, políticos brasileiros que de- prias empresas comunitárias, cooperativas? fendem interesses de grupos estrangeiros e Os seus próprios bancos comerciais e de in- do mercado impõem ditatorialmente que as vestimentos? O petróleo do pré-sal foi privati- A milênios atrás, na Roma antiga, no ano 494 empresas construídas com capital público, zado e vendido “a preço de banana” para gru- a.C., houve a Revolta do Monte Sagrado. Tal com dinheiro público, sejam privatizadas sem pos estrangeiros pelo governo entreguista. revolta ocorreu porque a plebe não tinha direito às magistraturas da República Romana, não tinha cidadania, e os plebeus decidiram sair de Roma e fundar a sua própria cidadeEstado, deixando Roma sem mão-de-obra e sem contingente para o exército. Os patrícios de Roma se desesperaram e fizeram concessões aos plebeus, que concordaram em vol- ao menos consultar a opinião do povo em plebiscito ou referendo, se as oligarquias dominantes exigem privatizações, então é melhor o proletariado pensar em alternativas às novas estatais. Porque se novas estatais forem criadas, os liberais vão querer impor privatizações de novo. Mas, os hidrocarbonetos são as únicas fontes de energia da natureza? Será que não há outras? O proletariado ainda não aprendeu que é preferível ter maioria absoluta em todas das casas legislativas do que ter uma pessoa proletária na presidência da república? Se o mercado serve aos interesses da burguesia, por tar. Quando o proletariado vai libertar a mente que o proletariado não constrói o seu próprio das crendices do atual sistema? Quando o mercado alternativo? Os antigos plebeus de Empresas estatais brasileiras não existiram proletariado vai acordar e perceber que não Roma já provaram que a união faz a força. desde sempre. Elas foram fundadas no sécu- precisa de emprego, e sim de trabalho e de Por que o proletariado não segue o exemplo lo XX por governos brasileiros. Bancos esta- ativos? Quando o proletariado vai tomar a ini- deles e não vira as costas para a burguesia e tais também foram fundados por governantes ciativa de parar de trabalhar para a burguesia para a aristocracia de uma vez por todas? nacionais. Isto significa que a privatização do e passar trabalhar para si mesmo, deixando a patrimônio público não é o fim de tudo, outras burguesia sem mão-de-obra? Quando o proestatais podem ser fundadas no futuro. No letariado vai começar a fundar as suas pró- João Paulo E. Barros entanto, os políticos defensores do liberalis- www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 8

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 8 Evolução humana Homo sapiens deixaram a África muito antes do que se pensava FRASES SOBRE PROGRESSO Fóssil encontrado em caverna de Israel tem entre 177 mil e 194 mil anos e indica que migração humana para fora do continente africano ocorreu ao menos 50 mil anos antes do estimado. Indira Gandhi: “O poder de questionar é a base de todo progresso humano”. *** Aldous Huxley: “Devemos o progresso aos insatisfeitos”. *** George Bernard Shaw: “O homem razoável se adapta ao mundo; o irascível tenta adaptar o mundo a si próprio. Assim, o progresso de- pende do homem irascível’. *** Shaw, de novo: “O progresso é impossível sem mudanças; e aqueles que não conseguem mudar as suas mentes não conseguem mudar nada”. *** Fóssil de mandíbula traz nova luz sobre migração humana Um fóssil encontrado numa caverna de Israel indica que os Homo sapiens deixaram a África cerca de 50 mil anos antes do que se pensava, revelou um estudo publicado nesta quintafeira (25/01) pela revista especializada Science. Fragmentos faciais, incluindo a parte mandíbula e vários dentes, foram encontrados no sítio arqueológico Caverna Misliya, localizada no Monte Carmel. Os ossos têm entre 177 mil e 194 mil anos. Até agora, os fósseis mais antigos de Homo sapiens encontrados fora da África tinham entre 90 mil e 120 mil anos e também foram descobertos em Israel. "Misliya é uma descoberta emocionante. Ela fornece a clara evidência que nossos ancestrais migraram da África muito tempo antes do que acreditávamos", afirmou o coautor do estudo Rolf Quam, paleoantropologista da Universidade de Binghamton. Desde quando o ser humano existe? Segundo o estudo, o fóssil chamado de Misliya-1 possui dentes semelhantes aos dos humanos modernos, além de mostrar padrões e características da espécie humana. Outras evidências encontradas na caverna revelaram que seus habitantes caçavam animais grandes e usavam o fogo. Ferramentas de pedra e lâminas sofisticadas para a época também foram descobertas no local. Thomas Edison: “A insatisfação é a principal motivadora do progresso”. *** Oscar Wilde: “A desobediência é, aos olhos de qualquer estudioso da História, a virtude original do homem. É através da desobediência que se faz o progresso, através da desobe- diência e da rebelião”. *** Wilde, de novo: “Para um homem ou para uma nação, o descontentamento é o primeiro passo para o progresso”. *** Wilde, mais uma vez: “O progresso não é senão a realização das utopias”. *** Robert A. Heinlein: “Progresso é feito por homens preguiçosos que procuram modos mais fáceis para fazer as coisas”. Após a localização de fósseis no Marrocos recentemente, pesquisadores anunciaram que os Homo sapiens apareceram na África há cerca de 300 mil anos. A descoberta representou um marco nas pesquisas sobre as rotas migratórias dos humanos. Com o achado em Israel, uma nova luz é lançada nesta área de pesquisa e em estudos sobre a evolução da espécie humana. A descoberta em Israel reforça a ideia de que os humanos migraram da África por uma rota ao norte, ao longo do vale do Nilo e da costa leste do Mar Mediterrâneo, e não por uma rota ao sul através do estreito Bab al-Mandeb, costa da Árabia Saudita, subcontinente indiano e leste da Ásia, argumentou o paleoantropologista autor do estudo, Israel Hershkovitz, da Universidade de Tel Aviv. Hershkovitz disse ainda que acredita que o Homo sapiens pode ter surgido há 500 mil anos. Os humanos de Misliya eram provavelmente nômades e migravam pela região no decorrer das estações do ano ou em busca de alimentos, acrescentou Quam. *** Millôr Fernandes: “Há os que acreditam sinceramente que o progresso é uma máquina trabalhando feito louca, no meio de operários miseráveis, para fazer bugigangas para crian- ças ricas”. *** Marquês de Maricá: “Todos reclamam reformas, mas ninguém quer se reformar”. *** John Clapham: “Avanço econômico não é a mesma coisa que progresso humano”. Porque precisamos fazer a Reforma o país, toda a sociedade precisa colaborar para que eles possam nascer e terem su- Política Popular no Brasil? cesso. É preciso um sistema eleitoral moderno para melhorar a qualidade da política. Os Seus impostos merecem boa administração. Bons políticos não políticos "tradicionais" tem horror à reforma política, porque ela pode mudar a situa- vem do nada. Para que existam bons políticos para administrar ção atual onde eles usam e manipulam o eleitor e são pouco cobrados !

[close]

p. 9

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 9 Justiça x Poder SENSO INCOMUM ao Direito. Embora a moral seja uma questão sive no caso das nulidades contra Temer, de da modernidade, é possível dizer que o Direi- Aécio e dos indevidos pedidos de prisão do ex De 458 a.C. a 2018 d.C.: da derrota da vin- to, nesse julgamento, venceu a moral. Não a- -presidente Sarney. Bueno: é só acessar mi- gança à vitória da moral! prendemos nada com isso. nhas mais de 300 colunas neste site. E meus Coincidentemente, no dia do julgamento do Como falei alhures, o julgamento de Lula não mais de 40 livros. E 300 artigos. Todas as se- recurso do ex-presidente Lula no TRF-4 me é o Armagedom jurídico. Mas que o Direito já manas denuncio, aqui na ConJur, a predação encontro na Grécia. E visitei o templo da deu- não será o mesmo, ah, isso não será. Na ver- do Direito pelos seus predadores naturais — a sa Palas Atena. Fiquei pensando sobre a his- dade, o Direito foi substituído por uma TPP moral, a política e a economia. E me permito tória. Eu estava ali, no berço da civilização. E (teoria política do poder). O PCJ (privilégio repetir o poeta T. S. Eliot: numa terra de fugiti- vendo o “lugar” em que a mitologia coloca o cognitivo do juiz) vale mais do que as garanti- vos, aquele que anda na direção contrária pa- primeiro julgamento da história. as processuais e toda a teoria da prova que já rece que está fugindo. Mais: faz escuro, mas Os gregos inventaram a democracia. E, acre- foi escrita até hoje. eu canto, diria Thiago de Mello, eternizado pe- ditem, também inventaram a autonomia do Di- O mundo apreendeu muito com a Oresteia. la voz de Nara Leão. reito. O primeiro tribunal está lá na trilogia de Depois do segundo pós-guerra, aprendemos Por tudo isso, fazendo minha oração à deusa Ésquilo, Oresteia, nas Eumênides, peça repre- que a democracia só se faz pelo Direito e com Palas Atena ao cair da tarde do dia 24 — com sentada pela primeira vez em 458 a.C. Aga- o Direito. E o Direito vale mais que a moral. E, o peso de mais de mais de 2.500 anos de his- menon, no retorno da guerra de Troia, é as- se for necessário, vale mais do que a política. tória e mitologia —, fico pensando no que vai sassinado na banheira de sua casa por sua Sim, quem não entender isso deve fazer qual- acontecer com o Direito brasileiro depois disso mulher, Clintemestra, e seu amante, Egisto. quer coisa — como Sociologia, Ciência Políti- tudo. Se a moral e os subjetivismos valem Orestes, o filho desterrado de Agamenon, ati- ca, Filosofia, religião, moral etc. —, menos mais do que o Direito, o que os professores çado pelo deus Apolo, é induzido à vingança. praticar ou estudar Direito. ensinarão aos alunos? Teoria Política do Po- Até então, essa era a lei. Era a tradição. Orestes deveria matar sua mãe (Clintemestra) e seu amante, Egisto. E ele mata os dois. Aí vem a culpa. É assaltado pela anoia, a loucura que acomete quem mata sua própria gente. Ao assassinar sua mãe, Orestes desencadeia a fúria das Eríneas, que eram divindades das profundezas crônicas (eram três: Alepho, Tisífone e Megera). As Eríneas são as deusas da Temos um milhão de advogados, parcela dos quais se comporta como as Eríneas das Eumênides. Vi, entristecido, aqui da Grécia, nas redes sociais brasileiras, pessoas formadas em Direito — muitas delas com pedigree — torcendo por coisas como “domínio do fato”, “ato de ofício indeterminado” e quejandos. Parece que esquecemos que o Direito é/foi feito exatamente para impedir o triunfo das Erí- der? Mas de quem? A favor e contra quem? Por isso, de forma ortodoxa, mantenho-me nas trincheiras do Direito. É mais seguro. Aliás, foi o que fez a diferença para a modernidade: a interdição entre a civilização e a barbárie se faz pelo Direito. Até porque, se hoje você gosta do gol de mão, amanhã seu time pode perder com gol de mão. E aí não me venha com churumelas. fúria, da raiva, da vingança (hoje todas as Erí- neas. Post Scriptum: Há um momento do julga- neas e seus descendentes estão morando nos mento de Lula em que o presidente da turma confins das redes sociais). Apavorado, Ores- Meus 28 anos de Ministério Público e quase diz: "Terminamos a primeira fase — a das sus- tes implora o apoio de Apolo. Pede um julga- 40 de magistério mostraram-me que, por mais tentações orais. Faremos um intervalo de 5 mento, que é aceito pela deusa da Justiça, que um discurso moral, político ou econômico minutos e, na volta, o relator lerá seu voto". Palas Atena. seja tentador, ele deve pedágio ao Direito. Al- Ups. Ato falho? O relator lerá seu voto? E as Constitui-se, assim, o primeiro tribunal, cuja função era parar com as mortes de vingança. Antes, não havia tribunais. A vingança era “de ofício”. As Eríneas berram na acusação. É o corifeu, o Coro que acusa. Não quer saber de nada, a não ser da condenação. E da entrega de Orestes à vingança. Apolo foi o defensor. Orestes reconheceu a autoria, mas invoca a determinação de Apolo. E este faz uma defesa candente de Orestes. Os votos dos jurados, depositados em uma urna, dão empate. guém pode até confessar que matou alguém, mas, se essa confissão for produto de uma intercepção telefônica ilícita, deve ser absolvido, porque a prova foi ilícita. Esse é o custo da democracia. Você pode pensar o que quiser sobre o réu; mas, como autoridade, só pode agir com responsabilidade política. Dworkin, para mim o jurista do século XX, sempre disse que juiz decide por princípio, e não política ou moral. Simples assim. E, assim, o custo da democracia é que a acusação, o Estado, deve ter o ônus da prova. Não é o juiz que faz a sustentações? Lembro que, no julgamento mitológico de Orestes, os jurados não tinham o voto pronto. Cada um votou depois de ouvirem a defesa e a acusação. É incrível como, no Brasil, 2.500 anos depois, os votos vêm prontos e não levam em conta nada do que foi dito nas sustentações orais. Nem disfarçam. Afinal, por que manter, então, esse teatro? Se a decisão está tomada? Isso não é um desrespeito a quem sustenta? Insisto: o ensino jurídico no Brasil tem futuro? Ficções da realidade e realidade das ficções! E pior: há milhares de Palas Atena absolve Orestes, face ao empate. prova nem é o juiz que intui provas. A teoria professores que, por aí afora, não protestam O primeiro in dubio pro reo. Moral da história: da prova é condição de possibilidade. Ou va- contra isso tudo. Aliás, de quem é a culpa do rompe-se um ciclo. Acabam as vinganças. É mos apagar centenas de anos de teoria da livre convencimento? Os professores são co- uma antevisão da modernidade. prova. autores. Artigo 29 do CP na veia. Mesmo as- Em pleno século XXI, autoridades não escon- Isso quer dizer, de novo — e minha chatice é sim, resisto. dem e acham normal que o Direito valha me- produto de minha LEER (Lesão Por Esforço Autor: Lenio Luiz Streck nos que seus desejos morais e políticos. Na Epistêmico Repetitivo) —, Direito não pode ser Jurista, professor de Direito Constitucional e Oresteia, os desejos de vingança sucumbiram corrigido pela moral. Isso tem me conduzido. pós-doutor em Direito. Disse isso nos momentos mais difíceis, inclu- Este foi um dos mais provocativos e originais debates que ocorreram entre filósofos contemporâneos e serve de introdução sucinta a suas respectivas teorias filosóficas. Embora o debate tenha se iniciado ancorado na linguística e na teoria do conhecimento (interesses centrais dos dois filósofos, que, pode-se dizer, são as mentes acadêmicas que definem o final do século XX), ele acabou se tornando uma discussão muito mais ampla, abrangendo temas da história e do comportamentalismo, até a criatividade, a liberdade e a luta pela legitimidade política.

[close]

p. 10

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 10 Politizando E SE A DIREITA VENCER? Vem de longe... Vejamos... americanos). Talvez tenha a ilusão burlesca de que pos- “E se 2018? a E direita se ela vencer todos os pleitos eleitorais de conseguisse colocar Lula na cadeia e Caso singular na História, a elite brasileira é a única que se envergonha de seu país e tem ódio do seu próprio sa vir a ganhar a cidadania americana, se leiloar todas as nossas riquezas… criminalizasse o PT e todos os partidos de esquerda? povo. E essa elite se representa por uma direita que quer ex- Não é esse o sonho do mercado e da elite tupiniquim? Sempre foi assim… terminar - com todas as forças - um povo que, de secu- lar tradição, ela sempre detestou. Pois então, façamos um pequeno passeio pelo sonho do Até o século XVIII, as elites se envergonhavam de sua mercado e das elites que comandam hoje o país e vejamos o que ele teria para oferecer ao povo brasileiro… origem negra e indígena. Seu sonho era voltar para Portugal… Mas em Portugal eram consideradas mestiças e Por isso a vitória da direita é a derrota do povo brasileiro. Por isso o nosso judiciário precisa tratar as lideran- Em primeiro lugar, teríamos uma radical reforma previdenciária para “modernizar” o país. Afinal, o que são - desterradas… em endinheirados"… Lisboa eram vistas como "dejetos ças da esquerda como bandidos... Como gente imprestável… Uma gente que ousou um dia tentar vangloriar o Brasil com o slogan, “Sou brasileiro, não desisto nun- para a direita - aqueles que não conseguem os benefí- E por isso eram cuspidas de volta para o Brasil… ca!”. cios da aposentadoria privada? São vagabundos que não tiveram o mérito de poupar dinheiro ou ex-parasitas oriundos do funcionalismo público e que mamavam nas tetas do Estado... Aqui possuíam suas terras e tiravam sua renda. Para além disso, aqui podiam expurgar sua frustração de serem rejeitadas na metrópole… Tinham a mão pesada com os negros e os índios. E dessa violência uma multi- Sim. O Brasil viveu uma época singular em que o povo tentou se olhar com um pouco mais de dignidade e amor próprio. E essa felicidade tinha que ser violentada por uma elite que quer provar que somos os piores em Os direitos trabalhistas virariam uma miragem e apenas dão de mulheres negras e indígenas pariu uma nação tudo. Que precisa mostrar a todos nós que não há no a livre negociação reinaria. “Nada mais justo”, pensari- de filhos bastardos, indesejados e desvalidos. mundo um povo tão corrupto e imprestável. am os liberais seguidores de Dória e companhia. Sindicatos, considerados um insulto ao espírito empreendedor, morreriam de inanição. Por isso, a negação da brasilidade das elites é mais que um gesto de anti-patriotismo, é uma negação de paternidade… Uma tentativa de se eximir das responsabilida- Obviamente que o ódio é semeado também para que a miséria imposta ao povo seja considerada justa. O sistema político e o poder judiciário estão nas mãos da direi- E assim iniciaríamos o país onde os justos patrões dão des dos filhos que elas mesmos geraram, fora do casa- ta para criar um verdadeiro estado de terra arrasada. o justo salário aos bons trabalhadores. mento, “na cozinha”, “no mato”, “no cabaré”, quase sem- Querem matar qualquer esperança de cada brasileiro de Serviço público? Para que e para quem? Para que ter pre pelo uso da força… um dia viver em um país melhor, pois isso é inconcebí- saúde pública se a privada é melhor? Teríamos o fim da No século XIX, a elite brasileira quis se tornar france- vel para a elite brasileira. “injustiça” de se cobrar impostos daqueles que cuidam sa… E isso durou até o início da República… Trazia E qual seria o fim disso? Simples: o fim do próprio Bra- de sua saúde em benefício dos ignóbeis que se estropi- pesados casacos do rigoroso inverno europeu para exibí sil. A vitória da direita é, em síntese, a decretação de am devido aos vícios e maus hábitos... -los no verão carioca… nossa fragmentação territorial, a total perda de nossa E a mesma lógica seria aplicada para a educação, para E ainda naquele século, promoveram a primeira grande soberania e a instauração da barbárie a níveis estratoso transporte e para qualquer outra coisa que hoje é pú- tentativa de exterminar com a nossa brasilidade, dando féricos. blica e que a direita deseja colocar nas mãos do merca- generosos incentivos para os europeus trabalharem e Ela vence, o país acaba. do privado… conseguirem terras no país. Por isso é importante alertar que uma batalha decisiva Aqueles que querem estudar, que paguem. Aqueles que A nossa grande onda imigratória foi o reverso daquela está por vir em 2018. Com Lula ou sem Lula, é preciso querem mais conforto, que poupe dinheiro para comprar ocorrida nos EUA. Ali os imigrantes receberam cidadani- defender - nas urnas e nas ruas - o Brasil do perigo de um carro. E aqueles que não tem dinheiro, que traba- a com a contrapartida de lutarem contra a escravidão e seu próprio extermínio. lhem mais! pela unificação de um país dividido pela guerra civil. A direita tem apenas o ódio. Mas o ódio ganha votos até Afinal, para a elite o pobre só é pobre porque é pobre de Aqui os imigrantes receberam a cidadania para consoli- certo ponto. Pois o povo não consegue compartilhar um espírito. É porco, é vagabundo, é sujo, é irresponsável, dar a exclusão social da maioria dos trabalhadores bra- ódio tão grande, com raízes tão profundas e contra ele é ignorante, é devasso, é bebum… Sua família é um sileiros (ex- escravos negros) e dividir o país entre os próprio... bando... uma verdadeira “ninhada” fruto da irresponsabi- “civilizados” europeus e os “incorrigíveis” brasileiros… lidade sexual de pais e mães que se reproduzem como os bichos… E por fim chegamos nos dias atuais quando a nossa elite brasileira sonha em virar norte-americana… Conti- Por isso, com medo de que o povo a rejeite novamente nas urnas, a direita quer liquidar com a democracia e com o presidencialismo no Brasil antes de 2018… Se a direita ganhasse, teríamos finalmente um país sem nua se rebaixando a um país estrangeiro em detrimento aquilo que a elite mais detesta nesse mundo - o povo do seu próprio país, como sempre fez... Saber o que está em jogo é a condição fundamental brasileiro. para vencê-lo. E cabe a cada um de nós, que estamos Não se importa em ficar - feito gado - horas a fio numa do lado do Brasil, lutarmos contra as hordas da direita, Que se encerrem as cotas que beneficiam apenas a imensa fila para tirar um “visto” de turista para visitar a financiada por uma elite que odeia o nosso país, mais escória! Que se acabe com a bolsa família que estimula Disneylândia… E já no aeroporto descobre que não é do que qualquer estrangeiro. a vagabundagem! E o que é esse programa “Minha Ca- bem vinda… pois é latina americana… sa, Minha Vida” senão um grande cortiço, dado praticamente de graça, para essa gente feia e pequena? Novamente ela é cuspida de volta para o Brasil… E aos prantos se despede do Mickey e do Pateta… Entra rai- Não podemos duvidar, enfim, que a solução para o Brasil está e surgirá das mãos do seu próprio povo. Por mais que o concreto de ódio das elites tente sufocar O Brasil seria finalmente uma “casa limpa e arrumada”. vosa na nossa pátria, lamentando ser brasileira... toda uma nação, sempre teremos a força para vencê-lo. A ordem e a moral acabariam com a “devassidão esquerdista”. “Cura gay para homossexuais!” “Censura para tudo o que é indecente!” “Paulada nos insatisfei- Ela sempre quis ser de outro país, mas nunca se esforçou em criar um país melhor… Como já disse um dia nosso maior poeta, “Mas eis que o labirinto - razão e mistério - presto se desata: Em ver- tos!” “Fogueira para os criminosos!” Pois a rigor, nossa elite nunca teve um plano de gover- de, sozinha, anti-euclidiana, uma orquídea forma-se.” E Pois é… a direita é sobretudo o ódio que se alimenta de seu próprio ódio… no, um plano de país... apenas se limitou a ter um plano para a sua família. E o plano sempre foi deixar o país... ela nasce... vencendo o ódio, o medo e o concreto...” E de onde vem tanto ódio? Na impossibilidade de deixá-lo, quer vendê-lo barato para os estrangeiros (preferencialmente os norte- Carlos D’Incão O espectro político esquerda-direita é um conceito geral de enquadramento de ideologias e partidos. Esquerda e direita são muitas vezes apresentados como opostos, embora um indivíduo ou grupo em particular possa eventualmente assumir uma posição mais à esquerda numa matéria e uma postura de direita ou até de extrema-direita noutras. Na França, onde os termos se originaram, a esquerda tem sido chamada de "o partido do movimento" e a direita de "o partido da ordem." AJUDE-NOS a manter estes projetos de educação (Rádio e Jornal)- www.culturaonlinebr.org/apoiadores.htm

[close]

p. 11

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 11 Fome x Justiça O abismo da fome e a fome de em que discutimos sobre a alimentação. Pedi- fome resulta na necessidade do faminto pos- Justiça am os detentos por uma cota maior de ali- tar-se a frente de outra pessoa e pedir por comentos no jantar, pois estavam passando fo- mida. – Alguém, por favor, atenda, estão batendo me, uma vez que ele era servido às 17h e de- Diferente do caso do bolo de Natal, a fome de palma na frente de casa novamente. pois disso apenas às 7h da manhã do dia se- boa parte da população carcerária do Brasil e – Deixa que eu atendo desta vez. guinte é que recebiam novo alimento, no café a fome das pessoas abaixo da linha da pobre- Estávamos na primeira semana de janeiro de 2018. Junto de minha família eu passava a temporada de verão na praia, como era tradi- da manhã. Além disso, a reclamação também envolvia o café, que estava chegando nas celas frio e fraco, com resíduos. za – e aqui não pretendo traçar algum paralelo entre pessoas presas e pessoas economicamente vulneráveis, porque o que gera vio- ção desde os tempos dos meus avós. Nessa Disse aos detentos que exigiria da empresa lência não é a pobreza, a violência segue a época era comum pessoas, buscando ganhar contratada pelo estado para o serviço que linha da riqueza, o jovem pobre e sem refe- o pão de cada dia, passarem de casa em ca- melhorasse a qualidade do produto e que ofi- rências familiares e institucionais é mais sus- sa oferecendo produtos e serviços. Mas nós ciaria ao Promotor de Justiça, pois era a pes- cetível de ingresso na marginalidade, de se já não necessitávamos de mais nada e ape- soa competente para fiscalizar a situação. A tornar violento e de ser vítima dessa mesma nas atendíamos e dispensávamos os merca- partir dali a conversa, que sempre se manteve violência – essa fome é muito maior, ela sai dores. Naquela ocasião, eu me ofereci ao a- cordial e respeitosa, ficou mais amena. Retor- do vazio e dolorido estômago do faminto e tendimento. nei ao Fórum no início da tarde e sem tempo acerta em cheio a alma do saciado, que só para me sentir cansado, porque esse era um não fica com mais compaixão porque em fren- – Pois não, o que desejam? – perguntei a um capricho que numa Vara de Execução Penal te a esse flagelo sente que não tem esse di- casal postado em frente ao portão, abaixo de em final de ano não é apropriado, encaminhei reito. um impávido sol do meio dia. as diretrizes resultantes da inspeção prisional. Vivemos em terras onde o ditado “no lugar de – Gostaríamos de saber se tem algum resto No final do expediente, outro fato envolvendo dar o peixe, ensine a pescar” não tem muita de comida para levarmos para casa – disse o alimentação ocorreu. Entre as várias decisões eficácia. Ninguém aprende a pescar com a homem com humildade, ao lado da mulher e despachos do dia, mandei soltar oito apena- barriga vazia. que envergonhadamente dos. olhava para os la- dos com direito à progressão ao regime aberto ou regime domiciliar. Quando é um número E é essa a realidade que tenho visto por esse vasto Brasil, tão rico em sua diversidade ali- – Sim, tem sim, e não é resto. desses eu sempre peço que os tragam ao Fó- mentar e produtiva que em muitos lugares é Ao tempo em que respondia, surpreso com rum ao mesmo tempo e os reúnam na sala de tido como o celeiro do mundo, porém tão in- um pedido assim tão direto, eu olhava para os audiências. Então, antes da soltura eu explico justo e concentrado em sua riqueza que o nú- dois, que não aparentavam ser pessoas em a decisão de cada um, o que eles precisam mero de pessoas abaixo da linha da miséria, situação de rua. Porém, eram claramente vul- fazer, como se reportar com dúvidas e como que vive com menos de 6 reais por dia, chega neráveis. Entregamos todas as sobras de co- sempre devem seguir o que a justiça mandar aos milhões. Obviamente isso resulta em uma midas da geladeira e do freezer, mais alguns etc. Também dou alguns conselhos, mas sem massa de excluídos, a maioria de crianças e alimentos frescos. Alguns o casal saboreou ali ar professoral. Apenas tento explicar sobre a adolescentes cujas oportunidades de cresci- mesmo, levando a maior parte embora como vida fora da prisão, coisa que muitos já não mento com dignidade não se apresentarão. planejado. sabem mais como é. Temos a obrigação de lutar pela superação Mais tarde, conversando sobre o episódio, Naquela ocasião, um pouco antes eu havia de toda essa tragédia social. lembrei duma situação que havia vivido no trabalho pouco antes do recesso de final de ano. Num dia da semana qualquer tinha estado pela manhã no Presídio. Lá, depois de adentrar nas galerias como sempre fazia e perceber que a superlotação ainda estava grave, que a falta de estrutura perdurava e que problemas sérios de saneamento continuavam a existir, reuni-me com representantes dos detentos e com a direção prisional para outra ganhado um bolo de natal de um estabelecimento comercial que frequento o ano todo. Era um bolo daqueles com cobertura de suspiro e frutas cristalizadas, bem bonito e gostoso. Eu mais a assessoria saboreamos a metade da iguaria. Quando então fui falar com os detentos, todos eles estavam sentados ao redor da mesa, olhando para aquele bolo ao centro, que não tinha sido retirado da mesa depois do lanche. Imediatamente mandei bus- Essa ação deve ser imediata, pois parece que quanto mais dizemos que queremos e que somos, não somos, não queremos tanto assim, não agimos. Corremos o risco de olhar tanto para o abismo que nos acostumaremos a isso. Até que um dia seremos surpreendidos com ele, o abismo, olhando para nós, com fome. Não podemos chegar a esse ponto. vez, mais uma vez, numa teimosia que não car uma faca e guardanapos e disse: Fome por justiça, amor e felicidade é a única me deixa desistir, tratarmos das condições de – Vocês hoje além de serem soltos, ainda te- fome que traz evolução humana. Pessoas i- vida no complexo. rão direito a um pedaço de bolo de Natal – dealistas, que agem na vida com a alma fa- Entre muitas questões, de visita familiar, trabalho e estudo (os 800 detentos do Presídio, ao contrário dos da Penitenciária, nada obs- Todos sorriram e agradeceram. Alguns mais envergonhados declinaram, outros degustaram seu pedaço com satisfação. minta de seus ideais, vivem e se movimentam na busca incessante de um mundo mais digno. É dessa busca, dessa fome que devemos nos alimentar. tante cumprirem penas às centenas, não tem É da natureza humana de qualquer ser vivo a acesso a trabalho algum e tampouco a estu- necessidade de alimentar-se, isso é óbvio. E João Marcos Buch do) a atendimento à saúde, houve o momento fome todos sentem. Mas há casos em que a Juiz de direito da Vara de Execuções Penais de Joinville/SC. Você sabia que o desperdício de alimentos atinge um terço de toda comida produzida no mundo? Pois é, a produção em excesso e o transporte são fatores significativos para esse problema. Mas além disso, há desperdício de alimentos na cozinha da nossa casa. Vamos dar uma olhada mais profunda nessa questão. De acordo com a FAO (agência das Nações Unidas preocupada em erradicar a fome), 54% do desperdício de alimentos no mundo ocorre na fase inicial da produção, que são a manipulação pós-colheita e a armazenagem. Os outros 46% do desperdício, de acordo com a mesma fonte, ocorrem nas etapas de processamento, distribuição e consumo. Quando lembramos que todos os dias 870 milhões de pessoas passam fome, esses dados sobre desperdício se tornam aterrorizantes.

[close]

p. 12

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Algumas datas comemorativas Página 12 02 - Dia de Iemanjá baram sendo todos assassinados por forças policiais, que atearam fogo em seus corpos. Iemanjá, também conhecida como "Rainha do Mar" é um orixá africano, e faz parte Este movimento em prol da inclusão do bengalês começou quando Muhammad Ali da religião do candomblé e de outras religiões afro-brasileiras. O Dia de Iemanjá é a Jinnah, general paquistanês, declarou que o idioma Urdu passaria a valer como línmaior festa de Iemanjá, onde milhares de pessoas se vestem de branco e vão às gua oficial tanto no Paquistão do Oeste, como no Leste (local que tinha como língua praias depositar oferendas, como espelhos, joias, comidas, perfumes e outras obje- principal o bengali). tos. Origem do Dia de Iemanjá 24 - Primeira Constituição Republicana Inicialmente, o Dia de Iemanjá era comemorado em conjunto com a Igreja Católica, porque o 2 de fevereiro também é dia de Nossa Senhora da Conceição. Porém, nos Esta data marca a Constituição de 1891, a primeira do Brasil como uma República. anos 60, houve uma reação da Igreja, que começou a considerar a celebração um A Primeira Constituição Monárquica do país havia sido outorgada por D. Pedro I em culto pagão. Atualmente, a data conta com devotos do candomblé e da umbanda, 1824. em sua maioria. A Constituição de 1891 foi criada a partir da assembleia constituinte, a qual foi con- No dia de Iemanjá também é celebrado o Dia de Nossa Senhora dos Navegantes, vocada na Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. uma santa católica. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina ainda existe esse Entre os principais destaques desta Constituição está a definição da escolha da figu- sincretismo entre Iemanjá e Nossa Senhora dos Navegantes (por isso que algumas ra do presidente da República através de votos diretos, sendo que as eleições para imagens de Iemanjá são representadas por uma mulher branca, uma referência a este cargo deveriam ocorrer a cada intervalo de 4 anos. santa católica). No Rio de Janeiro Iemanjá é sincretizada com Nossa Senhora da A partir desta Constituição o Brasil passou a ser um país oficialmente "democrático", Glória. visto que as principais decisões políticas passaram a estar nas mãos dos cidadãos. História de Iemanjá No entanto, mesmo o voto passando a ser direto e universal, ainda existiam muitas Iemanjá é também conhecida por Yemanjá, Iyemanjá, Yemaya, Yemoja ou Iemoja. segregações entre quem podia participar das eleições. Por exemplo, mendigos, aO nome Iemanjá é derivado da expressão Iorubá, que quer dizer "mãe cujos filhos nalfabetos e mulheres não tinham direito a votar. são peixes". Além disso, destaca-se a criação dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, Iemanjá era a orixá de uma nação iorubá, os Egba, que viviam inicialmente em um bem como a separação entre Estado e Igreja. Acresce a liberdade de culto para as local no sudoeste da Nigéria, entre Ifé e Ibadan, onde há um rio chamado Yemanjá. outras religiões além da católica. No século XIX, por causa das guerras entre povos iorubás, os Egba foram obrigados A constituição de 1891 foi alterada em 1926. a se afastar do rio Iemanjá e passaram a viver em Abeokuta. No entanto, continua- ram cultuando a divindade, que segundo a tradição, passou a viver em um novo rio, 19 - Término do Horário de Verão o Ògùn. 13 - Dia Mundial do Rádio O horário de verão foi instituído com o objetivo economizar energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar. A medida foi utilizada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem re- O Dia Mundial da Rádio celebra-se anualmente a 13de fevereiro. A data foi escolhi- gularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro do- da pois foi neste dia que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez, em 1946, mingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. um programa em simultâneo para um grupo de seis países. A data foi declarada em 2011 pela UNESCO e o primeiro Dia Mundial da Rádio foi celebrado em 2012. 25 - Dia da Criação do Ministério das Comunicações 20 - Dia Mundial da Justiça Social Em 25 de Fevereiro de 1967, foi criado o Ministério das Comunicações no Brasil. Este órgão é uma das esferas do poder executivo federal. Ele é o responsável pela Dia Mundial da Justiça Social. O Dia Mundial da Justiça Social é comemorado anual- criação e cumprimento das normas e leis que regem as políticas públicas das comumente em 20 de fevereiro. Esta data é de extrema importância para ajudar a fortale- nicações. cer a luta contra a pobreza, exclusão, preconceito e desemprego, em busca do de- Suas principais atividades se dividem em três áreas de atuação: a radiodifusão, os senvolvimento social dos países. serviços postais e as telecomunicações. A radiodifusão é um ministério que coordena as concessões de emissoras de rádio e 21 - Dia Internacional da Língua Materna televisão, em canal aberto. Os serviços postais formulam e propõe políticas e novos serviços para o setor, efetu- Criada pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciên- a a técnica e controla as tarifas, além de fiscalizar os serviços postais existentes, cia e a Cultura, em 17 de novembro de 1999, o Dia Internacional da Língua Materna monitorando a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. tem o objetivo de promover a diversidade linguística e cultura entre as diferentes Nas comunicações, a quebra do modelo monopolista, em 1995, abriu o mercado nações. brasileiro para a oportunidade de serviços de telefonia a um baixo custo, seriam eles Além disso, esta data também convida a todos os países membros da UNESCO e o, móvel banda B, serviços via satélite, redes corporativas, etc. suas matrizes a refletirem sobre a preservação das particularidades linguísticas e “Em 16 de julho de 1997 foi aprovada a LGT, Lei Geral de Telecomunicações, que culturais de cada sociedade. definiu as linhas e ternos gerais de um novo modelo institucional e criou um órgão Origem do Dia Internacional da Língua Materna regulador independente, a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL)”. A ideia para proclamar um dia dedicado à língua materna surgiu a partir do Dia do Movimento da Língua, criado em 1952 e celebrado desde então em Bangladesh. Fonte: Um grupo de estudantes organizaram uma campanha para incluir o bengalês como uma das línguas oficiais do Paquistão, em 21 de fevereiro de 1952. No entanto, aca- www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 13

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 13 Parabéns Clarice! REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA A mudança que nada muda é só mais uma QUE ACABA DE VENCER CONCURSO DA contradição. UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES Os governantes (às vezes) dão uns peixi- nhos, mas não ensinam a pescar. Tema: “Como vencer a pobreza e a desigual- E a educação libertadora entra aí. dade” O povo está tão paralisado pela ignorância Autora: Clarice Zeitel Vianna Silva que não sabe a que tem direito. “PÁTRIA MADRASTA VIL" Não aprendeu o que é ser cidadão. Onde já se viu tanto excesso de falta? Porém, ainda nos falta um fator fundamental Abundância de inexistência... para o alcance da igualdade: nossa participa- Exagero de escassez... ção efetiva; as mudanças dentro do corpo Contraditórios? burocrático do Estado não modificam a estru- Então aí está! tura. O novo nome do nosso país! As classes média e alta - tão confortavelmen- te situadas na pirâmide social - terão que fa- Não pode haver sinônimo melhor para BRA- zer mais do que reclamar (o que só serve SIL. mesmo para aliviar nossa culpa)... Porque o Brasil nada mais é do que o exces- Mas estão elas preparadas para isso? so de falta de caráter, a abundância de ine- xistência de solidariedade, o exagero de es- Eu acredito profundamente que só uma revo- cassez de responsabilidade. lução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efei- O Brasil nada mais é do que uma combina- tos, possa acabar com a pobreza e desigual- ção mal engendrada - e friamente sistemati- dade no Brasil. zada - de contradições. Afinal, de que serve um governo que não ad- Há quem diga que 'dos filhos deste solo és ministra? mãe gentil', mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. De que serve uma mãe que não afaga? Pela definição que eu conheço de MÃE, o E, finalmente, de que serve um Homem que Brasil, está mais para madrasta vil. não se posiciona? A minha mãe não 'tapa o sol com a peneira.' Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posiciona- Não me daria, por exemplo, um lugar na uni- mento perante o mundo como um todo. Sem versidade sem ter-me dado uma bela forma- egoísmo. ção básica. Cada um por todos. E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a Algumas perguntas, quando auto-indagadas, liberdade apenas para morrer de fome. Por- se tornam elucidativas. que a minha mãe não iria querer me enga- Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? nar, iludir. Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse vil? efetivo na resolução do problema, e que con- Ser tratado como cidadão ou excluído? tivesse educação + liberdade + igualdade. Como gente... Ou como bicho? Ela sabe que de nada me adianta ter educa- Premiada pela UNESCO, Clarice Zeitel Vi- ção pela metade, ou tê-la aprisionada pela anna Silva, 26 , estudante que termina Fa- falta de oportunidade, pela falta de escolha, culdade de Direito da UFRJ em julho, concor- acorrentada pela minha voz-nada-ativa. reu com outros 50 mil estudantes universitá- A minha mãe sabe que eu só vou crescer se rios. Ela acaba de voltar de Paris, onde rece- a minha educação gerar liberdade e esta, por beu um prêmio da Organização das Nações fim, igualdade. Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultu- Uma segue a outra... ra (UNESCO) por uma redação sobre 'Como Sem nenhuma contradição! vencer a pobreza e a desigualdade.' A reda- É disso que o Brasil precisa: mudanças es- ção de Clarice intitulada 'Pátria Madrasta truturais, revolucionárias, que quebrem esse Vil',foi incluída num livro, com outros cem tex- sistema-esquema social montado; mudanças tos selecionados no concurso. A publicação que não sejam hipócritas, mudanças que está disponível no site da Biblioteca Virtual transformem! da UNESCO. Agradeço ao destino por ter-me feito nascer pobre. A pobreza foi-me uma amiga benfazeja; ensinou-me o preço verdadeiro dos bens úteis à vida, que sem ela não teria conhecido. Evitando -me o peso do luxo, devotou-me à arte e à beleza... Anatole France Agradeço todas as dificuldades que enfrentei; não fosse por elas, eu não teria saído do lugar. As facilidades nos impedem de caminhar. Mesmo as críticas nos auxiliam muito. Chico Xavier A gratidão é o único tesouro dos humildes. William Shakespeare A gratidão da maioria dos homens não passa de um desejo secreto de receber maiores favores. François La Rochefoucauld Os homens apressam-se mais a retribuir um dano do que um benefício, porque a gratidão é um peso e a vingança, um prazer. Tácito Não cobres tributos de gratidão. Chico Xavier Expresse gratidão com palavras e atitudes. Sua vida mudará muito de modo positivo. Masaharu Taniguchi Agradeço pela crítica mais severa apenas se ela permanecer imparcial. Otto Bismarck Agradeço a todas as pessoas que me quiseram mal. Aprendi, com elas, a perdoar e a precaver-me contra as intempéries do mundo. Augusto Branco Agradeço todas as dificuldades que enfrentei; não fosse por elas, eu não teria saído do lugar. As facilidades nos impedem de caminhar. Mesmo as críticas nos auxiliam muito. Chico Xavier Sou muito grato às adversidades que apareceram na minha vida, pois elas me ensinaram a tolerância, a simpatia, o auto-controle,a perseverança e outras qualidades que, sem essas adversidades eu jamais conheceria. Napoleon Hill www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 14

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 14 Socializando Só acredito em você se você disser o que eu quero ouvir convencido de que o primeiro presidente afro- corrigir as percepções equivocadas, estas se americano dos EUA era um socialista empe- reforçam no grupo”. Por quê? “Porque colonhado em destruir seu país. Os defensores cam em perigo sua visão de mundo ou de si dessas teorias têm em comum a convicção de mesmos.” Quando os dados contradizem nossas convic- que seus adversários céticos colocam em ris- Por exemplo, os participantes do estudo fo- ções, tendemos a ignorá-los ou manipulá-los. co sua visão de mundo. E rejeitam os dados ram apresentados a falsos artigos de impren- Assim fazem criacionistas, ativistas antivacina contrários às suas posturas por considerarem sa que confirmavam ideias errôneas, porém e ‘conspiranoicos’ do 11 de setembro. que provêm do lado inimigo. muito difundidas, como a de que havia armas Só acredito em você se você disser o que eu O fato de as convicções serem mais fortes de destruição em massa no Iraque antes da quero ouvir 18 teorias conspiratórias que o que as provas se deve a dois fatores: a disso- invasão norte-americana de 2003. Quando farão enxergar a televisão com outros olhos nância cognitiva e o chamado efeito contra- confrontados posteriormente com um artigo producente. No clássico When Prophecy Fails que explicava que na verdade essas armas Já reparou como as pessoas sempre mudam (“quando a profecia falha”), o psicólogo Leon nunca haviam sido encontradas, os que se de opinião quando confrontadas com dados Festinger e seus coautores escreviam, já em opunham à guerra aceitaram o novo artigo e que contradizem suas convicções mais pro- 1956, a respeito da reação dos membros de rejeitaram o anterior. Entretanto, os partidá- fundas? Pois é, eu também nunca vi isso uma seita que acreditava em OVNIs quando a rios do conflito bélico argumentaram que o acontecer. E tem mais: a impressão que dá é espaçonave que esperavam não chegou na novo artigo os deixava ainda mais convictos que, ao ouvir provas esmagadoras contra hora prevista. Em vez de reconhecerem seu da existência das armas de destruição em aquilo que acredita, o indivíduo reafirma as erro, “continuaram tentando convencer o mun- massa, pois seria uma prova de que o ex- suas opiniões. O motivo é que esses dados do inteiro” e, “numa tentativa desesperada de ditador Saddam Hussein havia escondido ou colocam em risco sua visão de mundo. eliminar sua dissonância, dedicaram-se a fa- destruído seu arsenal. Na verdade, dizem Os criacionistas, por exemplo, rejeitam as pro- zer uma previsão atrás da outra, na esperan- Nyhan e Reifler, entre muitos destes últimos vas da evolução oferecidas por fósseis e pelo ça de acertar alguma delas”. Festinger cha- participantes “a ideia de que o Iraque tinha DNA, porque temem que os poderes laicos mou de dissonância cognitiva a incômoda ten- armas de destruição em massa antes da inva- estejam avançando sobre o terreno da fé reli- são que surge quando duas coisas contraditó- são encabeçada pelos Estados Unidos persis- giosa. Os inimigos das vacinas desconfiam rias são pensadas ao mesmo tempo. tiu até bem depois de que o próprio Governo dos grandes laboratórios farmacêuticos e Em seu livro Mistakes Were Made, But Not By de George W. Bush chegasse à conclusão de acham que o dinheiro corrompe a medicina. Me (“foram cometidos erros, mas não fui eu”, que não era assim”. Isso os leva a defender que as vacinas cau- 2007), dois psicólogos sociais, Carol Tavris e Se os dados que deveriam corrigir uma opini- sam autismo, embora o único estudo que rela- Elliot Aronson (aluno de Festinger), documen- ão só servem para piorar as coisas, o que po- cionava essas duas coisas tenha sido des- tam milhares de experimentos que demons- demos fazer para convencer o público sobre mentido há bastante tempo, e seu autor tenha tram que as pessoas manipulam os fatos para seus equívocos? Pela minha experiência, sido acusado de fraude. Quem defende as adaptá-los às suas ideias preconcebidas a fim aconselho manter as emoções à margem; dis- teorias da conspiração em torno dos atenta- de reduzirem a dissonância. Sua metáfora da cutir sem criticar (nada de ataques pessoais e dos de 11 de setembro de 2001 nos Estados “pirâmide da escolha” situa dois indivíduos nada de citar Hitler); ouvir com atenção e ten- Unidos se fixam em minúcias como o ponto juntos no vértice da pirâmide e mostra como, tar expressar detalhadamente a outra postura; de fusão do aço nos edifícios do World Trade ao adotarem e defenderem posições diferen- mostrar respeito; reconhecer que é compreen- Center, porque acreditam que o Governo tes, começam a se distanciar rapidamente, sível que alguém possa pensar dessa forma; mentia e realizou operações secretas a fim de até que acabam em extremos opostos da ba- tentar demonstrar que, embora os fatos sejam criar uma nova ordem mundial. Os negacio- se da pirâmide. diferentes do que seu interlocutor imaginava, nistas da mudança climática estudam os anéis das árvores, os núcleos do gelo e as ppm (partes por milhão) dos gases de efeito estufa Corrigir uma falsidade pode reforçar as percepções equivocadas do grupo, porque colo- isso não significa necessariamente ração da sua visão de mundo. uma alte- porque defendem com paixão a liberdade, em ca em risco a sua visão de mundo Talvez essas estratégias nem sempre sirvam especial a dos mercados e empresas, de agi- Em outras experiências, os professores Bren- para levar as pessoas a mudarem de opinião, rem sem precisar se ater às rigorosas normas dan Nyhan, do Dartmouth College (EUA), e mas é possível que ajudem a que não haja governamentais. Quem jurava que Barack O- Jason Reifler, da Universidade de Exeter tantas divisões desnecessárias. bama não nasceu nos Estados Unidos disse- (Reino Unido), identificaram um fator relacio- cava desesperadamente sua certidão de nas- nado a essa situação: o que chamaram de cimento em busca de mentiras, porque estava efeito contraproducente, “pelo qual, ao tentar MICHAEL SHERMER Ouvir mais e falar menos fala e o tempo que passa se expressando e Quem escolhe as próprias palavras com crité- trabalhe para reduzir seu tempo de fala. Em rio costuma ter mais atenção das pessoas. Já Ouvir mais do que falar é extremamente ele- seguida, você terá que trabalhar sua habilida- aqueles que insistem em ficar repetindo suas gante, além de ser um meio para conseguir de em escutar o que os outros dizem. opiniões em cada oportunidade, ou quem informações e conhecer melhor as pessoas. Preste atenção quando alguém estiver falan- sempre tem uma história chata para contar, Muitos que querem aprender essa habilidade do com você, faça contato visual, sorria, mos- costuma não ser interessante e perde o inte- acabam descobrindo também como se ex- tre que está acompanhando a conversa. So- resse do interlocutor. pressar sucintamente, outra característica for- mente depois dessas medidas você consegui- Além disso, esse comportamento acaba por midável em momentos de socialização. Para rá falar menos e ouvir mais. divulgar muito mais informações do que deve- começar a mudança, pense em quando você ria. www.culturaonlinebr.org /// CULTURAonline BRASIL /// www.gazetavaleparaibana.com

[close]

p. 15

Fevereiro 2018 Gazeta Valeparaibana Página 15 Voluntariado Alguns sabem exatamente onde ou com interior de uma instituição – como uma esco- des. Por vezes é uma instituição inteira que quem querem trabalhar. Outros estão prontos la, uma biblioteca ou um hospital – a contribu- se mobiliza, seja ela um clube, uma igreja, a ajudar no que for preciso, onde a necessi- ição do voluntário deve estar bem articulada uma entidade beneficente ou uma empresa. dade é mais urgente. Cada compromisso com as necessidades e procedimentos da en- No voluntariado é assim: não há fórmulas assumido, no entanto, é para ser cumprido. ... tidade que o recebe. nem receitas a serem seguidas. O voluntariado não compete com o trabalho 5. Voluntariado é escolha 8. Voluntariado é uma ação duradoura e remunerado nem com a ação do Estado. As formas de ação voluntária são tão variadas com qualidade Os Mandamentos do Voluntário quanto as necessidades da comunidade e a O voluntariado não compete com o trabalho 1. Todos podem ser voluntários criatividade do voluntário. Durante muito tem- remunerado nem com a ação do Estado. Sua po o voluntariado no Brasil se concentrou na função não é tapar buracos nem apenas com- Não é só quem é “especialista” em alguma área de saúde e no atendimento a pessoas pensar carências. Uma sociedade participante coisa que pode ser voluntário. Todos podem carentes. A ajuda a pessoas em dificuldade é e responsável, capaz de agir por si mesma, participar e contribuir: o que cada um faz bem fundamental, mas, hoje em dia, abrem-se não espera tudo do Estado. Assume também pode fazer bem a alguém. O que conta é a também novas oportunidades nas áreas de a sua parte sem abrir mão de cobrar dos go- motivação solidária, o desejo de ajudar, o pra- educação, atividades esportivas e culturais, vernos aquilo que só eles podem fazer. zer de se sentir útil. proteção do meio ambiente, luta contra a vio- 9. Voluntariado é uma ferramenta de inte- 2. Voluntariado é uma relação humana, ri- lência etc. Cada necessidade é uma oportuni- gração social ca e solidária dade de ação voluntária. Basta olhar em volta Trabalho voluntário não é uma atividade fria, e dar o primeiro passo. Compartir alegria e aliviar o sofrimento de ou- tros, melhorar a qualidade de vida em comum racional e impessoal. É contato humano, é 6. Voluntariado é compromisso é um direito de todos. Todos têm o direito de relação de pessoa a pessoa, oportunidade Cada um contribui, na medida de suas possi- ser voluntários. Os jovens, as pessoas porta- para se fazer novos amigos, intercâmbio e bilidades, com aquilo que sabe e quer fazer. doras de necessidades especiais, os aposen- aprendizado. Uns têm mais tempo livre, outros só dispõem tados e os idosos têm muito a contribuir com 3. Trabalho voluntário é uma via de mão de algumas poucas horas por semana. Al- seus valores, experiência e criatividade. Asse- dupla: o voluntário doa e recebe guns sabem exatamente onde ou com quem gurar a todos o direito de ser voluntário signifi- Voluntariado não tem nada a ver com obriga- querem trabalhar. Outros estão prontos a aju- ca construir uma sociedade mais tolerante ção, com coisa chata, triste, motivada por dar no que for preciso, onde a necessidade é com as diferenças, mais solidária e unida. sentimento de culpa. Voluntariado é uma ex- mais urgente. Cada compromisso assumido, 10. No voluntariado todos ganham: o vo- periência espontânea, alegre, prazerosa, gra- no entanto, é para ser cumprido. Uma peque- luntário, aquele com quem o voluntário tra- tificante. O voluntário doa sua energia e criati- na ação bem feita tem muito valor. Nada é balha, a comunidade. vidade mas ganha em troca contato humano, mais decepcionante do que prometer e não convivência com pessoas diferentes, oportuni- ser capaz de realizar. Ao mobilizar energias, recursos e competên- cias em prol de ações de interesse comum, o dade de viver outras situações, aprender coi- 7. Cada um é voluntário a seu modo voluntariado combate a indiferença, a discri- sas novas, satisfação de se sentir útil. Alguns são capazes individualmente de iden- minação e a exclusão social, fortalece a soli- 4. Voluntariado é ação tificar um problema, arregaçar as mangas e dariedade e a cidadania, reforça o pertenci- O voluntário é uma pessoa criativa, decidida, agir. Outros preferem atuar em grupo. Grupos mento de todos a uma mesma sociedade. Asolidária. Não é preciso pedir licença a nin- de vizinhos, de amigos, de estudantes ou a- judando aos outros, ajudamos a nós mesmos guém antes de começar a agir. Quem quer, posentados, de colegas de trabalho que se e a todos. vai e faz. Claro que quando a ação se dá no mobilizam para ajudar pessoas e comunida- Podemos mudar o Brasil, os mente escolhido por um grupo de especialis- encaminhadas também para a equipe que cidadãos não aceitam mais o papel tas da instituição. vai contabilizar o tema mais votado. Ou os te- de agentes passivos da política. Este ano, a ONU decidiu fazer uma consulta à mas. sociedade para escolher qual é a questão pri- "O primeiro impacto positivo disso é que obri- Todo ano, o Programa das Nações Unidas oritária para o país. O programa começou ga as pessoas a estabelecer prioridades para para o Desenvolvimento (o Pnud da ONU) e- com reuniões para consultas públicas em seis o país", diz Flavio Comim, coordenador do labora um relatório que analisa um grande capitais. Depois, a ONU organizou encontros relatório. "Isso é um amadurecimento do pú- problema nacional, apontando sugestões de com grupos de moradores das 10 cidades blico, que começa a pensar com a cabeça do solução. Esse documento, publicado junto com pior IDH do país. Também mandou um gestor, que precisa escolher entre uma ação com a divulgação dos índices de desenvolvi- questionário para os 4.009 cursos de pós- e outra". Para ele, o segundo efeito positivo é mento humano (IDH), têm grande impacto po- graduação em desenvolvimento no país. E aumentar a participação do público nas solu- lítico. Ele ajuda prefeitos, governadores, mi- agora ampliou para a população. A ONU está ções. nistros e empresários a definirem suas estratégias. E também aumenta a cobrança pública para resolver determinado problema. No entanto, o tema central da ONU é tradicional- fazendo uma consulta na internet. Qualquer um pode opinar. As sugestões que os leitores de ÉPOCA deixarem nos comentários serão Assim, estamos lhe perguntando: O que mudar no Brasil? contato@gazetavaleparaibana.com www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

Comments

no comments yet