Informativo Ceriluz 38

 

Embed or link this publication

Description

Informativo Ceriluz Além da Energia

Popular Pages


p. 1

Ano XI / Nº 38 / JANEIRO DE 2018 Pg. 3/4 NOVA MARCA, NOVA SEDE, O MESMO COMPROMISSO COM O ASSOCIADO A Ceriluz apresentou no mês de outubro a sua marca atualizada. Já neste mês de janeiro passa a atender seus associados em sua nova sede, em Ijuí. Novidades que têm como objetivo aproximar ainda mais a Cooperativa de seus associados, ampliando o compromisso da Ceriluz em garantir energia de qualidade para o dia a dia dos cooperados. Pg. 12 BOA VISTA DO CADEADO SERÁ CONTEMPLADA COM CENTRAL GERADORA HIDRELÉTRICA As cooperativas Ceriluz e Coprel formaram parceria e irão construir a CGH Igrejinha naquele município. A licença de Instalação da obra, apresentada em 11 de dezembro ao prefeito Fábio Barasuol (foto), foi emitida em novembro pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental, viabilizando início dos trabalhos em meados de junho de 2018. Pg. 5/6/7 PESQUISA REVELA SATISFAÇÃO DE 97,3% DOS ASSOCIADOS Confira os principais índices de satisfação apontados pela Pesquisa da Participação Social, desenvolvida ao longo de 2017, que analisou as diferentes frentes de trabalho da Ceriluz. Pg. 8/9 ENCONTROS DE COMUNIDADE LEVARAM MOTIVAÇÃO PARA MULHERES Palestra “Intensificando a Vida: o valor do Feminino” reuniu expressivo grupo de associadas e esposas de associados em diferentes comunidades. Veja algumas imagens dos encontros. Pg. 10 CERILUZ CONQUISTA CERTIFICAÇÃO ISO 9001 O Certificado, concedido por órgão internacional, garante que a Cooperativa segue rígidas normas de qualidade nos seus procedimentos de trabalho e atendimento. Pg. 11 MENSAGEM DO PRESIDENTE Iloir de Pauli fala do futuro da Ceriluz, que busca adequar-se às novas demandas do mercado energético, cada vez mais complexo e desafiador.

[close]

p. 2

EDITORIAL MANTER O MOVIMENTO PERMANENTE “Talvez seja este o aprendizado mais difícil: manter o movimento permanente, a renovação constante, a vida vivida como caminho de mudança”. Esta frase, da autora e pesquisadora Maria Helena Kuhner, ganhou grande relevância para a Ceriluz neste ano que passou. Após completar cinquenta anos a Cooperativa deparou-se com uma questão: Como queremos que sejam os próximos cinquenta? A resposta: ela terá de ser uma cooperativa jovem, ativa e inserida em sua comunidade. E por isso, optou-se por se fazer algumas adequações. Na verdade a Ceriluz já vinha num caminho de aperfeiçoamento. Por exemplo, a partir desse novo milênio a Ceriluz deixou de ser apenas uma prestadora de serviço e passou a ser um agente de desenvolvimento. Apostou na geração de energia própria o que a preparou para a demanda crescente por energia elétrica, insumo que deixou de ser sinônimo de luz e passou a ser ferramenta de produção de riquezas. Sem a geração própria isso não seria possível, ou, ao menos, andaria a passos mais lentos. Por outro lado, a geração de energia também permitiu a Cooperativa disponibilizar mais que apenas energia elétrica, mas também informação (internet), saúde, educação e segurança, por meio dos seus projetos sociais. Enfim, a Ceriluz e seus associados vivenciaram um crescimento expressivo nestes últimos anos e nada mais necessário do que a Cooperativa moldar-se a essa realidade. Os últimos meses foram um marco dessa transformação. Atitudes foram tomadas que simbolizam esse movimento permanente. No dia 12 de outubro de 2017, na Casa da Ceriluz, durante a Expoijuí, foi lançada a marca renovada da Cooperativa e também sua nova sede administrativa. Uma marca mais contemporânea e que representa ainda melhor a inserção da Ceriluz na comunidade por meio de seus serviços e projetos. Uma nova sede mais apropriada para o tamanho da Cooperativa e mais próxima de seu associado. A marca renovada da Ceriluz e a nova sede são apenas alguns dos temas deste informativo. Destaque também para os resultados da Pesquisa da Participação Social, desenvolvida ao longo de 2017, e que demonstrou que o trabalho duro da atual diretoria e dos colaboradores da Ceriluz vem no caminho certo. Um índice de aprovação geral de 97,38% não pode ser ignorado. Melhor que isso apenas 100%, mas isso não é uma meta, pois sabemos que isso não é possível numa organização do porte da Ceriluz. Sempre haverá onde melhorar e, isso sim, é uma meta. Melhorar, melhorar, melhorar... a vida dos associados. Chegamos ao ano de 2018, período para consolidarmos essas melhorias. A Cooperativa chega com a disposição renovada para atender às demandas da comunidade. Nossa meta inicial é chegarmos aos cem anos jovens e sempre em movimento. Associados, nos acompanhem nessa trajetória e assim cresceremos juntos. Um bom ano de 2018 e uma boa leitura. PROIBIÇÃO DA PESCA EM USINAS Desde o dia primeiro de outubro está em andamento na Bacia Hidrográfica do Rio Uruguai o Período da Piracema, época do ano onde os peixes intensificam sua migração com a finalidade de reprodução. Junto com sua vigência chegam regras mais rígidas para a pesca e prática de atividades náuticas, estabelecidas pela Lei 7.679, de 23 de novembro de 1988, que estabelece o chamado Defeso da Piracema e que inclui o rio Ijuí e seus afluentes. Os lagos das usinas da Ceriluz tem normas específicas definidas pela lei que devem ser respeitadas. Na fase atual, da Piracema, a pesca é proibida em uma distância de 1.500 metros de qualquer estrutura física de usinas, seja das barragens, casas de máquinas ou mecanismos de transposição de peixes (escadas de peixes). No período fora da piracema, de fevereiro a setembro, essa proibição é de 200 metros. A pesca em condições irregulares é considerada crime ambiental e o infrator está sujeito a punições. NÃO NADE EM BARRAGENS A Ceriluz alerta veranistas e moradores próximos às unidades geradoras de energia, como suas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), para os riscos de realizar atividades recreativas nestes locais, já que há o risco da brusca variação do nível das águas, causada pelo desligamento das turbinas, ou mesmo, dependendo do modelo da usina, do seu acionamento. Por isso é expressamente proibido se banhar ou praticar esportes náuticos próximo às estruturas de geração de energia. Além de placas de sinalização alertando para a proibição, no caso da PCH RS-155, a Ceriluz instalou sirene de alerta que avisa quando ocorre o desligamento das máquinas, com consequente elevação do nível do rio. No caso de alguma pessoa se encontrar no rio e ouvir a sirene, deve imediatamente retirar-se. COMITÊ DA BACIA DO RIO IJUÍ A Ceriluz sediou no do dia 16 de novembro reunião do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Ijuí, organismo com atribuições específicas no gerenciamento dos usos e da conservação da água e dos corpos hídricos. O comitê é formado por representantes de empresas e entidades usuárias da água, onde se enquadra a Ceriluz, por ter suas usinas no leito de rios que compõe a bacia do rio Ijuí; da sociedade civil, como vereadores, ONGS, associações; e de órgãos públicos federais, estaduais e municipais. Entre os destaques do encontro esteve a apresentação do livreto “Conhecendo a Bacia Hidrográfica do Rio Ijuí”, que integra um trabalho de educação ambiental que está sendo adotado pela bacia, cujo objetivo é apresentar a orientar sobre a composição de uma bacia hidrográfica, sua importância para a sociedade e os instrumentos de gestão dos recursos hídricos, entre outras informações. Ouça o Informativo Ceriluz/Rádio www.ceriluz.com.br/informativos de rádio Sábado – 6h45 às 7h - Rádio Repórter Domingo - 8h15 às 8h30 - Rádio Progresso Rádio Jornal da Manhã - Rádio Águas Claras Rádio Querência - Rádio Ciranda Rádio Liberdade - Rádio Ativa Mais notícias sobre a Ceriluz em: www.ceriluz.com.br EXPEDIENTE Informativo Ceriluz Além da Energia - Edição 38 Produção: Assessoria de Comunicação Social Jornalista: Vilson Wagner (wagner@ceriluz.com.br) Diagramação/Impressão: ITS Gráfica e Editora Jornalística LTDA Tiragem: 10.500 unidades Distribuição gratuita

[close]

p. 3

ATENDIMENTO AOS ASSOCIADOS JÁ SE DÁ NA NOVA SEDE DA CERILUZ Desde o dia 02 de janeiro os associados já podem se dirigir à nova sede da Ceriluz, localizada na Rua Reinoldo Schindler, nº 100, no Bairro das Chácaras, em Ijuí, próximo ao trevo do Hospital Bom Pastor. Isso porque todos os setores já estão atendendo nesse local, mais propício para as demandas enfrentadas pela Cooperativa. A transferência das equipes dos diferentes setores se deu de forma progressiva, tendo iniciado em julho de 2014 com as equipes técnicas, e finalizado no mês de dezembro de 2017 com o setor administrativo. Com a mudança para a nova sede a Ceriluz fica mais próxima de seus associados, facilitando o acesso destes quando eles vêm a Ijuí para tratar algum assunto presencial. Por outro lado, dá agilidade também ao atendimento das equipes técnicas, que ao serem acionadas, em algum serviço de emergência, conseguem deslocar-se mais rapidamente, uma vez que caminhões e caminhonetes não precisam mais enfrentar o trânsito do centro de Ijuí em seu trajeto. A nova sede dispõe de uma área muito maior e mais adequada para suas necessidades. Trata-se de um terreno de aproximadamente 30 mil m², onde antes ficava localizado o Clube Céu Azul, que, além de estruturas físicas prontas que foram reformadas e modernizadas, oferece muito mais espaço para estacionamento de veículos e armazenagem de materiais e equipamentos. Comparativamente, o espaço que a Ceriluz dispunha no centro de Ijuí era de aproximadamente 4 mil m2, somadas as áreas da sede administrativa e também do estacionamento. Nova sede, localizada na Rua Reinoldo Schindler, nº 100, Bairro das Chácaras, ao lado da BR 285. Em ato simbólico, Ceriluz acolhe colaboradores Na manhã do dia 08 de dezembro, a Ceriluz reuniu diretores e colaboradores em sua nova sede, num Ato de Acolhimento dos trabalhadores. O ato contou com a recepção do presidente Iloir de Pauli e a benção concedida pelo frei Eduardo Canali, da Paróquia São Geraldo, de Ijuí. Após todos confraternizaram em um café da manhã. Na recepção aos colaboradores o presidente Iloir de Pauli falou sobre a motivação da mudança de sede. “Hoje estamos com uma sede do tamanho que a Ceriluz necessita”, comentou. Ele reforçou que a Cooperativa cresceu significativamente e que a sede antiga não comportava mais as demandas dos associados e demais negócios. “Há alguns anos trabalhávamos apenas com distribuição de energia, quando ela representava luz. Hoje a Cooperativa gera sua própria energia, a qual deixou de ser luz e passou a ser força para as mais variadas atividades. Temos ainda o provedor de internet, sem falar nos nossos projetos sociais. Esta estrutura [a nova sede] representa o crescimento da Ceriluz nas últimas décadas”, acrescentou. O presidente também valorizou o trabalho dos colaboradores, responsáveis por esse crescimento. “Cada um aqui presente ajudou a construir essa Cooperativa, com seu trabalho, seu suor, sua dedicação. E eu destaco a segurança como o primordial nesse processo, pois com ela, garantiremos que todos seguirão conosco, no futuro, ajudando a construir uma Ceriluz cada vez maior”, finalizou Iloir. Colaboradores foram recepcionados pelo presidente Iloir no prédio da nova sede administrativa.

[close]

p. 4

REVITALIZAÇÃO DA MARCA REFORÇA OBJETIVOS COMERCIAIS E SOCIAIS DA CERILUZ ACeriluz tomou uma decisão, no início de 2017, de renovar sua marca, com a intenção de reforçar seus conceitos e definir a nova fase na história da Cooperativa, pós-cinquentenário. O novo símbolo da Ceriluz traz como característica a representação do movimento que é o fator primário da geração de energia. Também traduz em suas cores o comprometimento com as atividades que desenvolve: a geração e a distribuição de energia; a oferta do sinal de internet e seu trabalho socioambiental, viabilizado por meio do Programa Além da Energia. A Cooperativa passa no momento pelo período de transição, onde, aos poucos, a marca antiga está sendo substituída. Num primeiro momento a Cooperativa está atualizando seu material institucional, inicialmente integrando a marca ao dia a dia dos colaboradores, passando posteriormente à atualização da comunicação visual, incluindo veículos, uniformes, sedes administrativas e escritórios, até o momento em que a marca antiga será totalmente substituída. A nova sede da Ceriluz, ainda em obras ao lado da BR 285, por exemplo, já estará totalmente identificada com o novo logotipo. Entendendo a marca Apesar de se falar em nova marca, a direção da Cooperativa optou por fazer um redesign da marca CERILUZ, tornando-a mais contemporânea. O que costuma determinar a necessidade do redesign são mudanças de mercado e/ou na própria imagem da empresa. A marca se renova, contudo, mantém as características da antiga. A nova marca CERILUZ é composta por um conjunto gráfico formado por linhas semielípticas, de diferentes tamanhos, assim como era na anterior. Além de elas terem características de um C, de CERILUZ, simbolizam o movimento que é indispensável para a geração de energia, especialmente a hídrica, cujo deslocamento da água é responsável por mover as turbinas. As linhas lembram também as redes de distribuição de energia que se espalham para o horizonte, ligando a Ceriluz aos seus associados. Outro elemento importante da composição são as cores. Cada uma das linhas, diferenciadas em cores (verde escuro, laranja, verde claro e azul) representam um dos principais segmentos onde a CERILUZ atua atualmente: Geração de Energia, Distribuição de Energia, Provedor de Internet e Responsabilidade Socioambiental. A assinatura CERILUZ sofreu alteração na fonte, também com formas mais harmônicas em relação à anterior. A partir dessa nova marca, não haverá mais a distinção entre a Ceriluz Geração, Distribuição e Provedor de Internet, empresas que formam o grupo Ceriluz e que a nova marca representará. Marca antiga Marca nova

[close]

p. 5

ASSOCIADOS DEMONSTRAM ALTO ÍNDICE DE SATISFAÇÃO SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELA CERILUZ ACeriluz apresentou no dia 12 de outubro, durante a Expoijuí/Fenadi, os Índices de Satisfação dos Associados (ISA) obtidos por meio da Pesquisa de Participação Social, realizada ao longo do ano. No geral, 97,38% dos associados se disseram satisfeitos ou totalmente satisfeitos com a qualidade da energia da Ceriluz, enquanto que 2,62% se disseram insatisfeitos ou totalmente insatisfeitos. A pesquisa ainda avaliou pontos específicos como a Infraestrutura da Distribuição; o atendimento das Equipes Técnicas, nos Escritórios e pelo Telefone 0800 51 3130; o Trabalho da Direção e a Tarifa, entre outros. Para a realização da pesquisa, a Ceriluz encaminhou o formulário com o questionário a todos os associados das classes Rural e Residencial da Ceriluz, que tiveram a oportunidade de expressar sua opinião e devolvê-los preenchidos. A pesquisa foi coordenada pela empresa Plus Agência Criativa e a metodologia utilizada garantiu um índice de confiança de 95%, com margem de erro de 3%, para mais ou para menos. Confira nas próximas páginas os índices gerais de aprovação e também os índices por município.

[close]

p. 6



[close]

p. 7

ASSOCIADOS VALIDARAM FORMULÁRIOS DA PESQUISA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL Avalidação dos formulários da Pesquisa da Participação Social aconteceu no dia 09 de agosto, quando foi convocada uma Comissão Validadora, formada por associados de diferentes municípios, que fizeram a verificação dos questionários, analisando seu preenchimento e sua aptidão para integrar a pesquisa. Não estando respondido de forma correta, o formulário foi descartado. No total retornaram 1.370 formulários preenchidos, sendo que destes, 166 foram rejeitados por incoerências no seu preenchimento. Mesmo assim o número foi suficiente para o desenvolvimento da pesquisa, que se caracteriza como uma amostragem, já que, para alcançar um índice de 95% de confiança, com uma margem de três por cento para mais ou para menos, são necessários 952 formulários, considerando a totalidade de associados, conforme cálculos estatísticos. O associado Edemar Colatto, membro da Comissão Validadora, avalia a pesquisa. “Acho essa pesquisa muito importante porque ali as pessoas que usam a energia, conseguem colocar no papel as suas dificuldades e dar um parecer para a Cooperativa sobre seus serviços, o que dá parâmetros para novos investimentos”, afirma. O vice-presidente da Ceriluz, Valmir Elton Seifert, destaca o objetivo da pesquisa. “Estes formulários preenchidos, vão trazer melhor visualização do trabalho feito através de nossas equipes e, a partir disso, poderemos melhorar o que está sendo feito”, garante. Sobre o evento o vice-presidente cita o envolvimento de associados na triagem dos formulários. “É importante essa credibilidade que estes associados trazem para nós, da direção”, finaliza. Os associados tiveram um prazo de três meses - maio a julho - para devolver os formulários que foram encaminhados às Unidades Consumidoras das classes Rural e Residencial. Grupo de associados conferiu preenchimento dos formulários

[close]

p. 8

ENCONTROS DA CERILUZ FOCARAM VALORIZAÇÃO DO PÚBLICO FEMININO ACeriluz realizou neste ano de 2017 um ciclo de palestras na sua área de ação, quando, no mês de setembro visitou sete comunidades onde focou suas ações no público feminino, especialmente associadas e esposas de associados. Ao todo mais de setecentas mulheres prestigiaram a palestra “Intensificando a Vida: o valor do Feminino”, ministrada pela psicóloga Magda Rillo da Silva. O ciclo Nova Ramada de encontros compreendeu as cidades de Nova Ramada, Bozano, Catuípe e Augusto Pestana, além de Ijuí, onde foram visitadas as comunidades de Mauá e Alto da União, nos dias 21, 22, 28 e 29 de setembro. Entre as mulheres que estiveram presentes no encontro no município de Augusto Pestana esteve Márcia Neuberger. Ela reforçou o foco da palestra na valorização da mulher. “A mulher precisa se valorizar, afinal, ela é o elo da família, um círculo de pessoas que a mulher mantém”, ressaltou. Já Rosane Brudna, participante da Vila Mauá, reforçou o papel da palestra para a melhoria da autoestima das mulheres. “Foi uma atividade importante, mexeu com o coração das mulheres e é importante que a Ceriluz continue realizando estes eventos, o mundo está tão complicado, temos a depressão e isso ajuda às mulheres a se soltarem mais e viverem melhor”, analisou. A psicóloga Magda Rillo da Silva explica que o objetivo da sua palestra é despertar na mulher a sua real importância. “O feminino dá a vida, cuida da vida, ele faz a vida transbordar e o que nós temos visto, infelizmente, no decorrer do dia a dia, é que as mulheres estão adoecendo, entristecendo, se enraivecendo, e o objetivo desse trabalho é despertar a alegria e a amorosidade do feminino”. Magda Rillo da Silva é terapeuta de família e está há mais de 15 anos na prática clínica, além de atuar com grupos vivenciais de desenvolvimento pessoal e profissional. Catuípe Nova Ramada Bozano Ijuí - Mauá Nova Ramada Bozano Ijuí - Mauá

[close]

p. 9

Catuípe Ijuí - Alto da União Ijuí - Alto da União Augusto Pestana Augusto Pestana Augusto Pestana Coronel Barros Coronel Barros

[close]

p. 10

CERILUZ ATENDE REQUISITOS E CONQUISTA CERTIFICAÇÃO ISO 9001 ACeriluz – Cooperativa Regional de Energia e Desenvolvimento Ijuí Ltda. - subiu mais um degrau na escala do aperfeiçoamento dos serviços e do atendimento prestados aos associados. A Cooperativa desde o dia 13 de outubro de 2017, está certificada como apta ao Sistema de Gestão ISO 9001, norma de qualidade internacional que rege processos de trabalho. A Cooperativa vivia a expectativa de receber o certificado ainda em outubro, uma vez que nos dias 04 e 05 daquele mês, estiveram na Cooperativa os auditores externos responsáveis pela avaliação dos procedimentos de trabalho adotados pelos diferentes setores da Ceriluz. Marcelo Sebbem e Elias Borba Oschelski, representantes da empresa alemã TÜV NORD GMBH, auditaram todos os setores envolvidos na certificação, visando analisar a evolução da implantação das normas e procedimentos exigidos pela ISO 9001. Acompanhou todo esse trabalho o consultor Renan Guidarini, responsável pela gestão dos processos de implantação da norma de qualidade na Ceriluz. O certificado, que tem validade até 12 de outubro de 2020, garante que a Ceriluz “tem um sistema de gestão implantado de acordo com a norma ISO 9001 para o seguinte escopo: distribuição de energia, coleta de dados e apuração de indicadores de continuidade individuais e coletivos e de qualidade do atendimento comercial e tratamento das reclamações dos associados/consumidores, na área de permissão da Ceriluz”. Com a certificação a Cooperativa não só tem a garantia de que presta serviços de qualidade aos seus associados, como atende a uma exigência da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) para todas as cooperativas permissionárias de serviços públicos. Conforme a direção da Cooperativa, o desafio, mesmo após a certificação, é dar continuidade ao trabalho, aprimorando os processos e procedimentos, até porque, a certificação é temporária, devendo ser reconfirmada periodicamente. Auditores da TÜV NORD GMBH analisaram todos os precedimentos de trabalho das equipes. BÔNUS CERILUZ GERAÇÃO REPASSOU 1,8 MILHÕES AOS ASSOCIADOS Por meio do Bônus Ceriluz Geração a Cooperativa disponibilizou em 2017, a todos os associados Pessoa Física das áreas rurais e urbanas, um desconto de 20% sobre o valor consumido de energia. Esse desconto passou a vigorar no mês de abril e se estendeu até dezembro, conforme aprovado em Assembleia Geral Ordinária realizada no dia 17 de março do corrente ano. Considerando o período vigente em 2017, a Ceriluz distribuiu entre seus associados o valor aproximado de R$1,8 milhões, um valor expressivo injetado na economia regional de outras formas, fomentando o desenvolvimento local, o que é importante principalmente no momento atual, onde se vive em uma economia fragilizada e que aos poucos tenta se recuperar. Não receberam o benefício os associados da Classe Rural – Irrigantes, uma vez que estes já possuem um desconto de 70% no valor da fatura, quando seu consumo é realizado entre 21h30 e 06 horas da manhã, período em que há menor demanda no sistema. No total foram beneficiadas mais de 12,3 mil famílias. O repasse do Bônus Ceriluz Geração foi possível graças ao resultado dos investimentos em usinas feitos pela Ceriluz Geração, que nos últimos anos vêm alcançando expressivos índices de produção de energia. No ano de 2016 a Ceriluz alcançou sua segunda melhor marca, totalizando 133 milhões de quilowatts-hora (kWh) produzidos nas Usinas José Barasuol, RS-155 e Nilo Bonfanti, ficando atrás apenas de 2015, quando produziu 146,2 milhões de kWh. A expectativa para 2017* era de alcançar outro bom índice de geração, algo próximo a 135 milhões de kWh. *Este informativo foi finalizado antes do fechamento do ano, sendo que ainda não tínhamos o resultado final da geração de energia em 2017.

[close]

p. 11

MENSAGEM DO PRESIDENTE Iloir de Pauli Caros associados e associadas da Ceriluz, chegamos ao ano de 2018! Ano em que o milênio completa sua maioridade, dezoito anos. Podemos afirmar que a Ceriluz chega agora também a uma espécie de maioridade, apesar dela estar já com seus 51 anos. Claro, a expectativa de vida de uma empresa é diferente da dos humanos. Enquanto a média de vida de uma pessoa ronda hoje os 75 anos no Brasil, as empresas, se bem administradas, podem ser muito mais longevas. Cinquenta e um anos, para uma empresa, realmente não é tanto assim. Ao longo da história já passamos por muitas transformações na Ceriluz. Uma organização que iniciou pequena, levando luz, hoje se tornou grande, gerando energia e a distribuindo para mais de 14 mil famílias, além de atuar em outros setores, como no provimento de internet. Trabalhar assim exige maturidade. Hoje nos consideramos maduros. Aprendemos a gerenciar a distribuição com base nas regras que temos sobre o setor. Após penarmos construindo usinas, podemos dizer que agora dominamos a técnica. Enfim, estamos mais preparados para o que vem pela frente. Temos menos dúvidas e mais convicções. Não são apenas méritos nossos, mas o próprio setor está se mostrando mais maduro, ou seja, os órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Energia Elétrica, estão entendo melhor as cooperativas e seu papel social. Um exemplo, a Lei 13.360, em vigor desde o final de 2016, que trata de pontos importantes para as cooperativas e seus associados. Um deles diz respeito às tarifas de energia. Com base na legislação anterior, as cooperativas perderiam seus descontos na compra da energia o que oneraria os associados, já que as tarifas se elevariam bruscamente. Com as novas regras, a compra de energia receberá uma subvenção e a elevação das tarifas será gradual, com limitação no índice de reajuste. Uma ótima notícia aos associados e cooperativas, para o ano de 2018 e os próximos que virão. Na geração de energia nossa maturidade também nos permite mudar o foco. Se até então atuávamos num mercado cativo, com um contrato de venda de energia fixo, em 2018 levantaremos novos voos: entraremos no mercado de leilões de energia, a partir do qual se fecham contratos para fornecimento para distribuidoras. Um novo desafio num mercado mais dinâmico, com oportunidades e, às vezes, com algum risco. Mas um mercado onde é necessário as geradoras abrirem espaço, pois é ali que se define a sustentabilidade do setor elétrico nacional e das empresas. Temos hoje uma experiência de 18 anos na geração com quatro usinas construídas. Temos vários projetos em andamento alguns com Licenças de Instalação por sair em breve, e precisamos ter condições de colocar essa energia no mercado. Tudo isso por quê? Para seguirmos dando condições de crescimento aos nossos associados, dando benefícios, como foi feito neste ano que passou, quando a Ceriluz distribuiu mais de R$1,8 milhões entre seus associados por meio do Bônus Ceriluz Geração, que concedeu isenção nas faturas de energia. Isso não seria possível sem nossas usinas. Enfim, 2018 está aí e nos abre portas. Vamos estudar bem todos os caminhos e buscar o melhor para a Cooperativa e, claro, seus associados. Contamos com o apoio de todos. Venham conosco nesse ano e nos próximos que virão. Feliz e abençoado Ano Novo.

[close]

p. 12

CERILUZ E COPREL VIABILIZAM INSTALAÇÃO DE CGH NO MUNICÍPIO DE BOA VISTA DO CADEADO Representantes da Ceriluz e Coprel em visita ao prefeito e vice-prefeita de Boa Vista do Cadeado. Os presidentes das cooperativas Ceriluz, Iloir de Pauli, e Coprel, Jânio Vital Stefanello, acompanhados de assessores, estiveram no município de Boa Vista do Cadeado no dia 11 de dezembro, em reunião com o prefeito Fábio Mayer Barasuol e a vice-prefeita Maria Inês Dalla Costa. O Objetivo foi informá-los da obtenção da Licença de Instalação (LI) da Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Igrejinha - concedida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (FEPAM) – que será instalada no leito do rio Ijuizinho, na comunidade de Ponte Queimada. “Trata-se de um novo investimento que, dessa vez, iremos realizar numa parceria com a Cooperativa Coprel, de Ibirubá, onde vamos compartilhar conhecimentos para garantir a geração de uma energia sustentável que garantirá benefícios para todos os envolvidos, especialmente aos consumidores da região, que terão uma energia mais estável”, explicou o presidente Iloir de Pauli. A Ceriluz é detentora de 61% dos ativos da Boa Vista do Cadeado Energia Ltda., empresa responsável pelo empreendimento, enquanto a Coprel responde por 39%. No total a usina terá 4,85 Megawatts (MW) de potência instalada. “Por terem associados nesse município, tanto Coprel como Ceriluz têm o interesse em construir uma boa aliança nesse projeto. Tenho certeza que ele trará muitos benefícios, não só econômicos e financeiros, mas também para o futuro das duas Cooperativas que vão ampliar sua geração própria de energia”, avaliou o presidente da Coprel, Jânio Stefanello. Para o município de Boa Vista do Cadeado, além do valor adicionado de ICMS que receberá uma vez que sediará a usina, restarão ainda benefícios como o reforço na economia e a utilização de resíduos - como pedras retiradas do local das obras - para manutenção de estradas locais. “Temos muito para comemorar em conjunto com a Ceriluz e a Coprel, porque além do valor adicionado que a nova usina vai gerar, teremos, com certeza, mais qualidade de energia e mais ações e parcerias que serão viabilizadas após a construção da mesma”, comentou o prefeito Fábio Barasuol. A previsão é de iniciar as obras da nova CGH na metade de 2018. Os próximos passos será a busca por recursos para viabilizar o empreendimento e a definição dos detalhes do projeto executivo. ASSINATURA DA LEI MUNICIPAL 6.569 GARANTE AVANÇO DE PROJETO DE USINA DA CERILUZ No dia 04 de outubro de 2017 o prefeito de Ijuí, Valdir Heck, assinou a lei municipal 6.569, que autoriza a desativação da Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Usina da Sede, mais comumente conhecida como “Usina Velha” por parte do Departamento Municipal de Energia de Ijuí – DEMEI. Esta usina fica localizada na calha do Rio Potiribú, próximo à RS 155, Km 02, naquele município. A decisão é favorável à Ceriluz uma vez que a desativação era primordial para a sequência do projeto da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Sede II, pela empresa Ijuí Centenária Geração SPE Ltda, da qual a Ceriluz tem 99% do capital social. Além do prefeito, estiveram presentes no ato de sanção da Lei, secretários, vereadores e diretores do DEMEI. Representando a Ceriluz participaram o presidente Iloir de Pauli, o vice-presidente Valmir Elton Seifert e conselheiros da Ceriluz Geração. Antes da sanção, o projeto de lei já havia passado pela avaliação do Poder Legislativo, onde no dia 25 setembro, os vereadores de Ijuí aprovaram, por unanimidade, a proposta de desativação da Usina Velha. O presidente da Ceriluz explica que esse era um critério fundamental exigido pelos órgãos competentes, especialmente pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (FEPAM), e que agora o projeto poderá tramitar normalmente no órgão estadual - onde ele estava parado há mais de três anos devido a esse impedimento - em busca da Licença de Instalação (LI). A PCH Sede II/Centenária - que ganha esse nome em homenagem a Usina Velha, que completará 100 anos em 2023 - terá uma barragem acima da Cascata Wazlawick, túnel de adução de aproximadamente dois quilômetros e Casa de Máquinas próxima Valdir Heck, Iloir de Pauli e Marildo Kronbauer, na assinatura da lei 6.569. à Associação dos Apicultores de Ijuí, alcançado um declive total de aproximadamente 40 metros, o que possibilitará uma capacidade instalada de 7 Megawatts (MW), superando a potência da Usina Velha, de 380 quilowatts (KW). O presidente Iloir acrescenta que pela parceria entre Ceriluz e o Município, a partir da operação da nova PCH, a Ceriluz repassará o valor da geração atual da usina velha ao município e garantirá o retorno do ICMS. A Cooperativa ainda fornecerá 65 mil metros cúbicos de pedra - retiradas do canteiro de obras – para o uso pelo Poder Executivo na infraestrutura do município e irá recuperar parte da estrutura da Usina velha, que continuará sendo usada como atração turística.

[close]

p. 13

MAIS DE 90% DAS UCS FICARAM SEM ENERGIA ELÉTRICA EM TEMPORAIS DE OUTUBRO Equipes enfrentaram muitas dificuldades no trabalho de manutenção das redes. Osegundo semestre de 2017 voltou a ser desafiador para as equipes da Ceriluz, com o registro de temporais que trouxeram danos às redes de distribuição de energia. As principais dificuldades foram registradas no mês de outubro, mais especificamente nos dias primeiro e 20, quando muitas Unidades Consumidoras (UCs) permaneceram sem energia. No dia primeiro um temporal atingiu praticamente todo o Estado, incluindo a nossa região, quando todo o perímetro onde a Ceriluz fornece energia foi atingido por fortes ventos. Logo após o registro do temporal, às 15 horas, aproximadamente 12,8 mil Unidades Consumidoras (UCs) da Ceriluz estavam sem energia, em torno de 90% de um total de 13,7 mil registradas na Cooperativa. Porém, esse número caiu significativamente até o início da noite com a reposição das primeiras redes alimentadoras e, aproximadamente 10 mil UCs já estavam com o serviço normalizado. As demais permaneceram sem energia, considerando a gravidade dos danos causados, principalmente o rompimento de cabos e a queda de postes. No total foram 23 postes caídos em toda a área de ação da Cooperativa, além de três transformadores queimados. Na madrugada do dia 20 de outubro a região voltou a ser atingida por fortes ventos e aproximadamente 6,3 mil associados ficaram sem energia no momento do sinistro, o que representa em torno de 50% de todos os consumidores de energia da Cooperativa. No total foram contabilizados 34 postes danificados, entre caídos ou abalroados, incluindo redes alimentadoras principais. O município mais atingido foi Coronel Barros, com 13 postes caídos, o que deixou toda a cidade sem energia ao longo do dia 19. Somam-se aos danos causados pelos temporais o rompimento de cabos por queda de galhos e árvores, a queima de transformadores e o desarme de chaves. Em ambas as situações, a prioridade de manutenção sempre foi dada às redes gerais, ou seja, que atingem um maior número de unidades consumidoras. Além da gravidade dos danos, especialmente os postes caídos, o difícil acesso aos locais das ocorrências também dificultou o trabalho das equipes, exigindo o apoio de tratores e retroescavadeiras. CONTROLE DE ÁRVORES PRÓXIMAS ÀS REDES Consumidores de energia devem ter cuidado ao manejar árvores localizadas próximas às redes de distribuição de energia. O alerta é feito pela Ceriluz aos seus associados, considerando o significativo número de casos de queda de árvores ou galhos sobre as linhas de distribuição. O Centro de Operação da Distribuição (COD) registrou situações dessa natureza em vários municípios da sua área de ação nos últimos meses. Quando o associado tiver a necessidade de realizar a derrubada de árvores ou a poda de galhos, precisa verificar a situação da planta em relação às redes de distribuição de energia. Caso haja risco de queda sobre os cabos, deve fazer contato com a Ceriluz pelo telefone 0800 51 3130, que a Cooperativa deslocará uma equipe para o local para fazer uma vistoria. Havendo necessidade, a Cooperativa fará a poda ou mesmo a retirada da árvore. Uma operação de manejo das plantas mal sucedida, além de causar danos à rede, gerando transtornos para um grande grupo de associados, pode causar danos mais específicos no quadro de medição da Unidade Consumidora, sem falar em fatalidades. A Cooperativa recomenda aos associados sempre avisarem a cooperativa quando verificarem uma situação de risco, mesmo que a árvore não esteja próxima a sua residência ou não esteja em seus planos retirá-la. Aquela árvore pode vir a cair sobre a rede em caso de temporal e, até mesmo, oferecer riscos de descarga elétrica em caso dos galhos tocarem a rede, especialmente em dias de maior umidade. Árvores e galhos são responsáveis por um grande número de casos de falta de energia, causando o rompimento de cabos e postes.

[close]

p. 14

SEMANA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES REFORÇA ATITUDE PREVENTIVA ENTRE COLABORADORES Entre os dias 28 de agosto e 01 de setembro, aconteceu na Ceriluz a 16ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT), evento que ocorre anualmente e que foca na segurança dos colaboradores e na preservação da sua saúde, coordenado pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e pelo Setor de Segurança. Todos os colaboradores tiveram a oportunidade de participar de atividades que trouxerem profissionais especializados para tratar de diferentes temas. Na segunda-feira o psicólogo Vladinei Weschenfelder, do Serviço de Atendimento Especializado (SAE) da Secretaria da Saúde de Ijuí, tratou do tema “AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis – prevenção e tratamento”, esclarecendo os colaboradores sobre os riscos de transmissão e as dificuldades para conviver com a doença. Na terça-feira, dia 29, foi a vez dos colaboradores assistirem a palestra “Atitude Preventiva e Cuidado Ativo”, ministrada pelo técnico em segurança no trabalho e palestrante motivacional Alessandro Feuerhamerl, que focou no comprometimento de cada colaborador com uma atitude segura, favorecendo a si e ao colega. Na quarta-feira, dia 30, o instrumento usado para a conscientização dos colaboradores foi o bom humor, através da apresentação de um teatro socioeducativo pela Companhia Circense Burzum, de Santo Ângelo. De forma lúdica e divertida eles trataram da importância do trabalho em equipe, especialmente focando a segurança coletiva, onde a atitude de uma pessoa define consequências para o grupo. Quinta-feira tratou-se das Patologias Osteomusculares de Membros Superiores, especificamente Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e as Doenças Osteoarticulares Relacionadas ao Trabalho (DORT), tema tratado pela médica Angélica Thainara Rohr Bolfoni. Na sexta-feira, dia 01 de setembro, a atenção voltou-se a temas diversos - alimentação saudável, gerenciamento financeiro, ergonomia e trabalho em equipe - tratados por meio de oficinas, apresentações musicais e gincanas, coordenadas por uma equipe do SESI. A 16ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes teve como tema “Eu me cuido! a vida agradece” e conforme a técnica em segurança do trabalho, Andréa Cargnelutti, adotou diferentes estratégias para estimular percepção da prevenção entre os colaboradores. “Trabalhar com a conscientização das pessoas quanto à prevenção é uma tarefa muito difícil, por isso, a utilizamos vários métodos de ensino, através da arte, da música, da visualização, do despertar do riso, para tocar de alguma forma o trabalhador, afinal, a gente não aprende só ouvindo, mas através de todos os sentidos”, afirma. EQUIPE DA CERILUZ RETOMA FUNDAMENTOS PARA ATUAR EM REDES ENERGIZADAS Energia de qualidade se garante com infraestrutura adequada, equipes preparadas e veículos e equipamentos de qualidade. A Ceriluz investe muito nestes fatores. Um exemplo é a Equipe de Linha Viva, que recebeu um novo veículo adaptado para essa função, e cujos membros passaram por curso de qualificação. A Equipe de Linha Viva interage com as redes de distribuição de energia sem a necessidade de interrupções no abastecimento dos associados. Os três eletricistas que atuam nessa equipe - Leandro Luís Gieseler, Daniel Leandro Turra e Isaque Martins – participaram da chamada reciclagem, entre os dias 23 e 27 de outubro, orientados pelo professor Fábio Utzig, capacitado nas principais normativas que regem a atividade e com o conhecimento prático de quem atuou na área por muitos anos. O treinamento foi desenvolvido em parceria com a Cermissões, cooperativa coirmã de Caibaté, sendo que metade ocorreu em Ijuí e outra metade na cidade missioneira, totalizando 40 horas. O curso esteve focado em aulas práticas, desenvolvidas diretamente nas redes aéreas da Ceriluz e da Cermissões, com intervenções teóricas, de acordo com os procedimentos gerais de trabalho em redes energizadas, seguindo o padrão da Federação das Cooperativas de Energia do RS - FECOERGS. Treinamento reuniu equipes da Ceriluz e da Cemissões, de Caibaté.

[close]

p. 15

Dica da Nutricionista A IMPORTÂNCIA DA HIDRATAÇÃO NO VERÃO Overão está chegando e a temperatura já começou a subir, com isso, aumenta a temperatura do corpo. É nesse momento que o corpo elimina o suor, com o objetivo de manter a temperatura adequada do organismo. Com o suor perde-se água e sais minerais que são essenciais para o funcionamento do organismo. Por isso para manter o bom funcionamento do organismo nos dias de calor é importantíssimo se hidratar. A água compõe grande parte do nosso corpo, aproximadamente 60% nos homens e entre 50 a 55% nas mulheres, é importante para a respiração, coração, rins e para todos os outros órgãos funcionarem perfeitamente. Nós eliminamos em média 2,5L de água por dia pela urina, fezes, respiração e transpiração. A deficiência de água pode causar desidratação, que causam sintomas como fraqueza, tontura, dor de cabeça e fadiga. Mas quanto de água devemos beber por dia? Já é um consenso a recomendação da ingestão de 2 litros de água por dia, entretanto, esta quantidade varia de acordo com as características de cada indivíduo, e prática de atividade física, entre outros. A água é o único líquido que além de hidratar, limpa o organismo, e não possui calorias, porém, o suco natural hidrata também, é ótimo em vitaminas e minerais, mas possui o açúcar das frutas. Até mesmo o consumo excessivo de sucos e frutas podem levar ao aumento de peso. Os chás ajudam sim na hidratação e quase não tem calorias se for consumido sem açúcar, mas existe o efeito das ervas. Não devemos tomar mais que 3 xícaras de chá, da mesma erva, por dia, a não ser com orientação e acompanhamento de um profissional da área. Em resumo, podemos sim hidratar o organismo com sucos e chás, mas não podemos esquecer da água. Ela tem que vir em maior quantidade ao longo do dia. Alguns alimentos, principalmente frutas e vegetais tem um papel importantíssimo na hidratação. No verão fica muito mais gostoso ingerir saladas. Aproveite isso para melhorar o consumo de vegetais! E pra quem vai na praia nessa época lembre-se do nosso isotônico natural, a água de coco. Ela é maravilhosa para hidratar e repor sais minerais. Mas cuidado! Quem tem Hipertensão Arterial deve tomar cuidado com a quantidade ingerida. Ela é rica em sais e em excesso, junto com o calor da praia, pode aumentar a pressão arterial. Muitas pessoas não tomam água por não sentirem sede. Mas esse é um grande erro. Quando sentimos sede significa que já estamos desidratando e o organismo está mandando um sinal para buscar água. Se você não atender esse sinal o seu corpo aprende a trabalhar com menos água e diminui o seu metabolismo (energia que gastamos para viver). Isso dificulta o funcionamento do organismo e atrapalha quem quer perder peso. Uma ótima dica para aqueles que rejeitam a água pura é a água aromatizada. Coloque rodelas de limão, laranja, pepino, canela em pau, gengibre, folhas de hortelã e frutas picadas, pois elas acrescentam sabor à água de maneira suave e refrescante, além de contribuir para o visual da bebida, que se torna ainda mais atraente. Agora é levar a sua garrafinha de água e curtir tudo de bom que o verão nos proporciona!!! Receita de ‘‘Suchá’’ de hibisco com Morango • 150 ml de água • 1 colher de chá de hibisco desidratado • 6 morangos • 3 folhas de hortelã fresco Modo de preparo Ferva 50 ml de água, coloque numa caneca e adicione o hibisco, tampe e deixe descansar por 10 minutos. Coe e reserve. No liquidificador, bata o chá, os morangos, o hortelã e os outros 100 ml de água. Se preferir use morangos congelados pra ficar mais refrescante. MWNuaiettrlieeicnlieosPnirsatnazl CRN2 11523D

[close]

Comments

no comments yet