Revista Secovi Rio 110

 

Embed or link this publication

Description

Revista Secovi Rio 110

Popular Pages


p. 1

JANEIRO/FEVEREIRO/MARÇO 2018 - venda proibida nº110 CURTINHAS pág. 5 » 8 ENTREVISTA pág. 9 » 18 JURÍDICO pág. 23 » 31 CAPA pág. 32 » 39 www.secovirio.com.br É O BICHO! Serviços e espaços em condomínios conquistam cães e humanos

[close]

p. 2



[close]

p. 3

JANEIRO•FEVEREIRO•MARÇO 2018 / nº 110 SUMÁRIO CURTINHAS ENTREVISTA CONDOMÍNIOS VERDES JURÍDICO 59 CONSULTAS JURÍDICAS CAPA 20 23 30 32 MATÉRIA ESPECIAL NOSSOS LUGARES INSTITUCIONAL 42 45 52 INDICADORES HABITACIONAIS OUTROS OLHARES SERVIÇOS E PRODUTOS 57 60 61 RESOLUÇÕES O foco é claro. Desta vez não dá pra adiar. Vou começar com o pé direito. Aliás, este ano o pé-de-meia vira realidade. Nada de chegar ao fim do salário faltando mês. As dívidas vão embora de vez. Muito obrigado pelo companheirismo, mas não volte. Até nunca mais, cheque especial! Este é o meu momento de dar boas-vindas à saúde financeira. Aproveitando o embalo, chegou a hora de fazer aquele check-up e cuidar da saúde do corpo também. Minha alimentação será mais equilibrada e, claro, vou me dedicar a alguma atividade física. Quem sabe o treino novo que todo mundo está fazendo? Talvez assim consiga perder aqueles três quilinhos que insistem em permanecer no mesmo lugar, a despeito do desejo antigo de me ver livre deles. Outra vontade que precisa se realizar é aquela viagem. Este ano ela precisa sair do papel. Destino dos sonhos, aí vou eu! Antes disso preciso aprimorar o idioma, claro. Falta pouco, apenas uma ou outra construção verbal, além de alguma prática e, claro, vocabulário. Mas nada que algum estudo não resolva. E tem os livros, que se aglomeram na estante a cada visita a uma livraria. Nada de comprar nenhum enquanto não terminar todos aqueles que me aguardam. Será que um cronograma de leitura ajuda a zerar a fila? O primeiro fica para depois do Carnaval, claro, em respeito às tradições. O ruim de dar o primeiro passo lá no meio de fevereiro é pensar no tempo que já ficou pra trás. Antes de começar a colocar as grandes resoluções em prática, talvez dê para organizar algumas coisas em casa. É isso. Em 2018, a infiltração na parede vai embora. O taco solto vai voltar para o lugar de onde nunca deveria ter saído. Aquela goteira do banheiro também está com os dias contados. Quem sabe, colocando tudo no lugar, dê para fechar um pouquinho as torneiras do tempo. EQUIPE SECOVI RIO

[close]

p. 4

DIRETORIA/EXPEDIENTE DIRETORIA SECOVI RIO Efetivos Presidente: Pedro José Maria Fernandes Wähmann Vice-Presidente: Leonardo Conde Villar Schneider Vice-Presidente Financeira e de Desenvolvimento: Maria Teresa Mendonça Dias Vice-Presidente Administrativo: Ronaldo Coelho Netto Vice-Presidente de Marketing: João Augusto Pessôa Vice-Presidente Jurídico: Rômulo Cavalcante Mota Vice-Presidente de Assuntos Condominiais: Alexandre Hermes Rodrigues Corrêa Vice-Presidente de Locações: Antonio Paulo de Garcia Monnerat Vice-Presidente de Relações do Trabalho: Dennys Abdalla Muniz Teles Suplentes Aldo Fernando Villar Hecht da Fonte; Antonio Carlos Ferreira; Antonio Henrique Lopes da Cunha; Frederico Honorato Rodrigues Moreira; Germana Aragão de Mesquita Aguiar; Luiz Alberto Queiroz Conceição; Luis Carlos Bulhões Carvalho da Fonseca Filho; Pedro Carlos Carsalade CONSELHO FISCAL Efetivos Dorzila Irigon Tavares; Marco Antonio Moreira Barbosa Suplentes Antonio José Fernandes Costa Neto; Marco Antonio Valente Tibúrcio; Marco Antonio Vieira de Mello DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Efetivos Pedro José Maria Fernandes Wähmann; Manoel da Silveira Maia Suplentes João Augusto Pessôa; Ronaldo Coelho Netto CONSELHO DE RELAÇÕES DO TRABALHO Dennys Abdalla Muniz Teles (presidente); Alexandre Hermes Rodrigues Corrêa; Fernando Schneider; Maria Teresa Mendonça Dias REGIONAIS SECOVI RIO Regional Baixada Fluminense Av. Governador Roberto Silveira, 470, sala 412, Centro, Nova Iguaçu - RJ (Edifício Top Commerce) CEP: 26210-210 Telefone: (21) 2667-3397 E-mail: baixadafluminense@secovirio.com.br Regional Lagos Avenida Júlia Kubitschek, 16, loja 19, Bloco B, Parque Rivera, Cabo Frio - RJ (Edifício Premier Center) CEP: 28905-000 Telefone: (22) 2647-6807 E-mail: lagos@secovirio.com.br Regional Litorânea Avenida Almirante Barroso, 52, 9º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ CEP: 20031-918 Telefone: (21) 2272-8000 E-mail: litoranea@secovirio.com.br Regional Noroeste Fluminense Avenida Rui Barbosa, 1.043, sala 201, Centro, Macaé - RJ CEP: 27910-362 Telefone: (22) 2772-3714 E-mail: noroestefluminense@secovirio.com.br Regional Norte Fluminense Avenida Rui Barbosa, 1.043, sala 201, Centro, Macaé - RJ CEP: 27910-362 Telefone: (22) 2772-3714 E-mail: nortefluminense@secovirio.com.br Regional Costa Verde Avenida Almirante Barroso, 52, 9º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ CEP: 20031-918 Telefone: (21) 2272-8000 E-mail: costaverde@secovirio.com.br Regional Serra Imperial Rua Dr. Nelson de Sá Earp, 95, sala 406, Centro, Petrópolis - RJ CEP: 25680-195 Telefone: (24) 2237-5413 E-mail: serraimperial@secovirio.com.br Representante: José Roberto Bittencourt Sauer Regional Serra Norte Rua Doutor Ernesto Brasílio, 45, sala 205, Centro, Nova Friburgo - RJ CEP: 28610-120 Telefone: (22) 2523-7513 E-mail: serranorte@secovirio.com.br Representante: Gabriel de Freitas Ruiz Regional Serra Verde Av. Feliciano Sodré, 460, loja 3, Várzea, Teresópolis - RJ CEP: 25963-082 Telefone: (21) 2742-2102 E-mail: serraverde@secovirio.com.br Representante: Henrique Luiz Rodrigues Regional Sul Fluminense Avenida Almirante Barroso, 52, 9º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ CEP: 20031-918 Telefone: (21) 2272-8000 E-mail: sulfluminense@secovirio.com.br SEDE Av. Almirante Barroso, 52/9º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ CEP: 20031-918 Telefone: (21) 2272-8000 - Fax: (21) 2272-8001 E-mail: secovi@secovirio.com.br A Revista Secovi Rio é uma publicação institucional, trimestral, do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Residenciais e Comerciais em todo o Estado do Rio de Janeiro. EXPEDIENTE Conselho Editorial: Pedro Wähmann e João Augusto Pessôa Coordenadora de Marketing e Comunicação: Edmara Carvalho REDAÇÃO imprensa@secovirio.com.br Jornalistas responsáveis: Gustavo Monteiro (25.140 MTE/RJ) e Igor Augusto Pereira (2.629 MTE/GO) Redação: Carla Neiva, Gustavo Monteiro e Igor Augusto Pereira Projeto gráfico e diagramação: Henrique Vasconcellos Revisão: Sandra Paiva PUBLICIDADE Elcias Teodoro (21) 2272-8009 - (21) 99789-6454 teodoro@secovirio.com.br parcerias@secovirio.com.br A revista reserva-se o direito de não aceitar publicidade sem fundamentar motivação de recusa. Os anúncios veiculados são de responsabilidade dos anunciantes. Tiragem: 25.000 exemplares. Distribuição gratuita. Auditada pela: BKR Lopes, Machado Auditors, Consultants & Business Advisers. Distribuição nacional: Treelog S.A. Logística e Distribuição. SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 2

[close]

p. 5



[close]

p. 6

PALAVRA DO PRESIDENTE Estamos iniciando mais um ano em nossa longa trajetória, que já conta com mais de sete décadas, e, durante todo esse tempo, nossa atividade vem sendo influenciada pelos mais variados cenários políticos e econômicos. A última diretoria do Sindicato, que atuou de 2014 a 2017, teve a difícil missão de conduzir a entidade num momento delicado, que afetou de maneira bastante forte o setor da habitação e, consequentemente, a vida das pessoas. Agora os índices econômicos dão sinais de melhora, mas os desafios são outros. Com a reforma trabalhista, que entrou em vigor em novembro de 2017, o pagamento da contribuição sindical deixa de ser obrigatório. Mas a diretoria eleita para o biênio de 2018 a 2020 permanece com a mesma diretriz: continuar trabalhando com transparência e disposição para defender os interesses dos condomínios e das empresas do segmento imobiliário. E o pagamento da contribuição sindical é imprescindível para que sigamos batalhando pelo bem-estar de milhões de pessoas que vivem e trabalham em condomínios, imobiliárias, administradoras de imóveis e incorporadoras. Por meio dela conseguimos oferecer uma série de serviços que são fundamentais para o bom funcionamento do setor: • Representação legislativa: monitoramos os projetos de lei que possam afetar direta ou indiretamente condomínios e empresas do setor da habitação, trocando ideias com representantes do poder público para assegurar que os custos e obrigações para os nossos representados não se tornem ainda mais pesados do que já são. • Consultoria jurídica: esclarecemos dúvidas sobre assuntos legais relacionados à gestão condominial e ao mercado imobiliário, por meio de atendimento personalizado. A Câmara de Mediação tem como missão mediar conflitos no setor. • Qualificação profissional: oferecemos cursos, workshops e palestras da UniSecovi Rio, promovendo a qualificação de empregos de condomínios e imobiliárias, bem como de síndicos, com o objetivo de que essas pequenas comunidades sejam cada vez mais harmônicas, sustentáveis, seguras e equilibradas financeiramente. • Pesquisas de mercado: produzimos estatísticas sobre preços de imóveis residenciais e comerciais, além de dados sobre condomínios, contribuindo para que empresários, compradores, inquilinos e proprietários de imóveis possam fechar negócios de maneira segura e eficiente. Tudo isso é decorrente de um trabalho bastante sério e ético, realizado por pessoas qualificadas e treinadas para pensar nas melhores soluções para o desenvolvimento do mercado imobiliário. Em 2018 esperamos trabalhar mais – e melhor! – para proporcionar um ambiente ainda mais esperançoso. Contamos com a sua parceria! Pedro Wähmann Presidente do SECOVI RIO Sua opinião é muito importante Quer mandar um comentário sobre esta edição ou sugerir uma pauta? Envie um e-mail para imprensa@secovirio.com.br SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 4

[close]

p. 7

Shutterstock CURTINHAS Aluguel em debate A Lei nº 12.122, que altera a Lei do Inquilinato, chega aos nove anos de vigência no mês de janeiro e foi um dos assuntos do Encontro Nacional de Inquilinos e Locadores e do Encontro de Síndicos, realizados simultaneamente pela Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (Abadi) no fim de novembro do ano passado. Convidado para a abertura dos eventos, o vice-presidente administrativo do Secovi Rio, Ronaldo Coelho Netto, aproveitou a ocasião para reconhecer os avanços da lei e tecer algumas considerações a respeito de iniciativas que podem prejudicar a atividade locatícia. “Apesar de sua contribuição estratégica, a locação tem sofrido recorrentes investidas, sobretudo do Poder Legislativo, trazendo insegurança jurídica para a atividade”, afirmou o dirigente. Um dos exemplos era um projeto de lei federal que visava proibir proprietários de exigir informações como a declaração de imposto de renda dos locatários e seus fiadores. “Para esclarecer o autor da proposta sobre os efeitos que ela teria, uma rede de entidades representativas do setor da habitação, incluindo o Secovi Rio e a Abadi, entrou em contato com o parlamentar, que em seguida retirou o projeto”, salientou. Outro projeto, dessa vez na esfera municipal, pretendia vedar o repasse ao locatário da cobrança de IPTU no Rio de Janeiro. “Além de o tema já estar pacificado nos tribunais, trata-se de uma matéria que deve ser discutida exclusivamente no âmbito federal. O Secovi Rio apresentou razões técnicas ao presidente da Câmara, que concordou em arquivar o projeto de lei”, explicou Coelho Neto. Pode testar Uma construtora brasileira desenvolveu uma solução para quem fica indeciso na hora de comprar um imóvel. A ideia é que o interessado viva durante um ano na unidade, localizada em um condomínio na Freguesia, Rio de Janeiro. Se, depois desse tempo, ele decidir pela compra, o valor pago como aluguel será descontado da entrada do imóvel. A expectativa da empresa é fazer com que a decisão de compra fique mais assertiva. Casa de pano Aço, pedra, concreto e madeira são os materiais básicos da construção civil. Ou eram, até agora. É que uma nova tendência arquitetônica tem incorporado os tecidos tensionados aos empreendimentos. Chamado de “arquitetura têxtil”, o método busca viabilizar uma alternativa contra ventos, raios ultravioleta e chuvas, criando estruturas leves, flexíveis, customizáveis e de baixo custo. No geral, essas soluções são utilizadas em coberturas de estádios esportivos e estruturas desmontáveis para eventos, mas algumas experiências em construções permanentes de grande porte vêm chamando a atenção. Shutterstock Shutterstock

[close]

p. 8

Borboletas na parede Haja luz Uma tecnologia bastante utilizada nas telas de televisores e smartphones está chegando ao setor da iluminação. O resultado das lâmpadas OLED são fitas flexíveis, que podem ser torcidas em qualquer formato e – o melhor – têm durabilidade de até 13 anos. O produto ainda não está disponível no mercado, mas a LG já convocou designers do mundo todo para transformar suas ideias em realidade. Reprodução Shutterstock Um artista francês decidiu levar suas obras para empenas de prédios de cidades europeias. Mantra tem usado os paredões para pintar grandes quadros de borboletas com efeitos 3-D, que criam uma ilusão de profundidade. Os desenhos hiper-realistas podem ser vistos na página do artista no Instagram (@mantrarea). Encaixotado Já pensou em viver em um contêiner? Essa solução de moradia ainda é pouco conhecida no Brasil, mas gradativamente o tabu tem ficado para trás, muito em função do baixo custo de tais construções – até 25% menos do que uma casa de alvenaria. Uma obra desse tipo pode ficar pronta em aproximadamente cinco meses, considerando terraplenagem, isolamento térmico, os recortes para janelas e aparelhos de ar-condicionado, e aprovação da Prefeitura. Sono limpo Sabia que as fronhas dos travesseiros devem ser trocadas, pelo menos, a cada dois dias? É o que garante a especialista em limpeza Shannon Lush, da Austrália. Segundo a expert, a troca de fronhas deve ocorrer com uma frequência menor que a dos lençóis porque o rosto e o cabelo acumulam mais sujeira que o resto do corpo. Mantê-las por mais tempo, garante Lush, pode colaborar para o aparecimento de cravos e outros problemas de pele. Shutterstock Shutterstock

[close]

p. 9

Shutterstock Sem calor Sabe aqueles vidros coloridos, muito comuns nas janelas de prédios comerciais? Eles podem colaborar muito pouco para o conforto térmico. É o que garante Lamartiny Gomes, da Guardian Vidros Brasil, no canal da empresa no YouTube. Os vidros coloridos, explica o especialista, podem até ajudar a reduzir a luz no ambiente, mas bloqueiam apenas 40% do calor, enquanto os refletivos chegam a impedir a passagem de até 75% do calor. Isso é muito “Black Mirror” Sabe aquela tecnologia muito utilizada nas cobranças de pedágio, que dispensa que o motorista precise interromper sua viagem para realizar o pagamento no guichê (o famoso Sem Parar)? É a mesma empregada no acesso ao condomínio por quem tem um chaveiro de proximidade. São os chamados sistemas de identificação por radiofrequência, que registram e monitoram a entrada de moradores ou visitantes. Em Estocolmo, na Suécia, um edifício comercial chegou – veja só – a utilizar essa tecnologia em um chip implantado nas mãos dos trabalhadores. Por lá, o dispositivo não apenas abre portas, mas libera a máquina copiadora e outros aparelhos. Qualquer semelhança com os recursos utilizados na série britânica de ficção científica “Black Mirror” não é mera coincidência. Não jorrou Cidades com abundância de recursos naturais não renováveis têm um índice de crescimento menor que regiões com escassez delas – um fenômeno conhecido como “maldição dos recursos naturais”. Foi o que ocorreu com os municípios do Rio de Janeiro beneficiados pelos royalties do petróleo no período de 2007 a 2012, segundo um estudo da USP. De acordo com os pesquisadores, o pagamento de royalties gera oportunidades de investimentos nas regiões, mas acaba tendo efeitos negativos na economia local. Esforço contínuo Eleita no fim de novembro, a nova diretoria do Secovi Rio toma posse em 21 de janeiro. O grupo, que irá atuar no biênio 2018-2020, inclui Pedro Wähmann (presidente), Leonardo Schneider (vice-presidente), Ronaldo Coelho Netto (vice-presidente administrativo e financeiro), João Augusto Pessôa (vice-presidente de comunicação e marketing), Alexandre Corrêa (vice-presidente jurídico e de assuntos legislativos) e Dennys Teles (vice-presidente de relações do trabalho e gestão imobiliária). Assumem como suplentes Aldo Fernando Villar Hecht da Fonte, Antônio Carlos Ferreira, Antônio Henrique Lopes da Cunha, Luiz Alberto Queiroz Conceição, Luís Carlos Bulhões Carvalho da Fonseca Filho e Pedro Carlos Carsalade. Atuarão à frente do conselho fiscal da Entidade: Marco Antônio Moreira Barbosa, Antônio Jose Fernandes Costa Neto e Marco Antônio Valente Tibúrcio Rodrigues. O órgão terá, ainda, os suplentes Marco Antônio Vieira de Mello, Frederico Honorato Rodrigues Moreira e Jorge Ronaldo Ferreira Santos. O Secovi Rio terá Pedro Wähmann e Manoel Maia como delegados representantes junto à Fecomércio-RJ. João Augusto Pessôa e Ronaldo Coelho Netto assumem como suplentes. SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 7 Shutterstock

[close]

p. 10

Shutterstock Sob nova direção O Sindicato dos Condomínios de Petrópolis elegeu uma nova diretoria no fim de setembro de 2017. A equipe, que vai ficar até 2019, também conta com o representante do Secovi Rio na Regional Serra Imperial, José Roberto Sauer, no cargo de segundo-secretário. “A missão dessa diretoria é oferecer mais subsídios para uma boa gestão dos condomínios”, conta Sauer. “Estamos, inclusive, estudando um convênio para levar aos síndicos de Petrópolis alguns dos serviços do Secovi Rio, que atua na região, mas não no município”, acrescenta. Oportunidade O Encontro Anual de Investidores Globais, organizado pela LinkBridge Investors, acontece em 16 e 17 de maio, em Nova York (EUA). Essa é uma oportunidade de participar de um seleto programa que reúne alguns dos principais gestores de fundos no mundo, além de discutir oportunidades e tendências para o mercado. O Secovi Rio é parceiro de mídia do evento, e associados têm 15% de desconto no valor das inscrições, disponíveis no site www.linkbridgeinvestors.com. Só tipão SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 8 Voluntários se reuniram, na sede do Secovi Rio, em 5 de dezembro, para mais uma edição da campanha #compartilheavida. Realizada em parceria com o Hemorio, a ação resultou na coleta de dezenas de bolsas de sangue, que ajudaram a abastecer o estoque do hemocentro no fim do ano. Dessa vez, o mote da campanha foi a frase “Alguém é o seu tipão”, uma maneira bem-humorada de dizer que todos os tipos de sangue são importantes para quem precisa.

[close]

p. 11

ENTREVISTA • LEANDRO VIEIRA Leo Queiroz QIgor Augusto Pereira uando colocou os pés no Sambódromo pela primeira vez como carnavalesco do Grupo Especial das escolas de samba do Rio de Janeiro, Leandro Vieira vinha de um período de meses se equilibrando entre a expectativa e a incredulidade. A tradicionalíssima Estação Primeira de Mangueira amargava um jejum de 13 anos sem o título de campeã e escalara o profissional, estreante no desfile das principais agremiações, para a tarefa de desenvolver o enredo de seu Carnaval de 2016. A primeira vez de Leandro no posto de carnavalesco havia sido no ano anterior, quando a Caprichosos de Pilares desfilou na Série A (antigo grupo de acesso) com o enredo “Na Minha Mão É + Barato”, levando o 7º lugar. A desconfiança com o recém-chegado era tão grande na Verde e Rosa que Leandro passou o ano todo sendo chamado de “esse menino” na quadra. “Não tinha nem nome”, brinca. No fim das contas, quando a escola chegou à Sapucaí, o “menino” ganhou nome e sobrenome. Em uma apresentação que retratava de forma poética a trajetória da cantora Maria Bethânia, a Mangueira cantou – curiosamente – a “menina de Oyá” e saiu vitoriosa da disputa. Na apuração, foram validadas 25 notas máximas (das 27 possíveis) e Leandro virou um carnavalesco nota dez. A plasticidade na criação de fantasias, alegorias e adereços, que encantou público e jurados, surgiu da paixão de Leandro pelo desenho e foi aprimorada na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Sua primeira opção de carreira, inclusive, foi no universo das artes plásticas. Os “tropeços” da vida, porém, jogaram o artista carioca no Carnaval. Pouco mais de uma década depois, ele se consolida como uma das figuras mais aclamadas da festa popular. Para 2018, quando a escola completa 90 anos, a Mangueira pretende levar à avenida um desfile com forte posicionamento político, que busca atacar por meio da “galhofa” aquilo que Leandro define como “uma onda de conservadorismo”. Os cortes de 50% das verbas públicas para o Carnaval foram o motor do enredo “Com Dinheiro Ou Sem Dinheiro, Eu Brinco”. Para deixar a mensagem ainda mais clara, a escola chegou a cogitar a alteração de um verso do samba-enredo, de “Eu sou Mangueira, meu senhor/ Não me leve a mal”, para “Eu sou Mangueira, meu senhor/ Sou universal”, em alusão à Igreja Universal do Reino de Deus, da qual o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, é bispo licenciado. No fim, a Mangueira decidiu voltar atrás e manter o texto original da canção. Ainda assim, garante Leandro, o tom de sátira se mantém em tintas fortes, com um Carnaval que busca, antes de tudo, dialogar com suas raízes nas ruas do Rio de Janeiro. O convite agora é para que todo folião se una e siga o desfile, afinal, como lembra a canção, atrás da Verde e Rosa só não vai quem já morreu. SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 9

[close]

p. 12

Leandro ENTREVISTA • LEANDRO VIEIRA Como você se tornou carnavalesco? Cheguei ao Carnaval por uma questão de tropeços. Sempre me senti artista, mas meu projeto de carreira era ser pintor. Foi para isso que entrei para a Escola de Belas Artes. As dificuldades de me inserir no mercado me levaram a fazer um estágio num barracão que precisava de alguém que desenhasse. Comecei em 2005 como desenhista na Portela, e meu primeiro desfile oficial foi em 2015, na Caprichosos, onde eu já era figurinista. No ano seguinte, veio a Mangueira. PUBLICIDADE Não deixe sua vida e suas conquistas acabarem em cinzas. Shutterstock Proteja aquilo que importa! SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 10 SerTelRJ http://ser-tel.com.br 21 2102-4000 / 21 2501-4000

[close]

p. 13

Leandro Leandro ENTREVISTA • LEANDRO VIEIRA Era aí que você queria chegar? Eu nem tinha essa pretensão! Nunca pensei que, com 30 e poucos anos, seria carnavalesco da Mangueira. Só aceitei porque... Acho que sou muito louco mesmo. Quando o convite chegou, nem dimensionei o tamanho daquilo que estava aceitando. Tudo que se vê na avenida nasce, antes, da imaginação do carnavalesco. No seu caso, de onde parte o conceito de um desfile? Basicamente, todos os meus carnavais nascem de um tipo de inquietação. Tenho necessidades artísticas, que tento traduzir no Carnaval que faço. Então, o primeiro passo é dar voz às coisas em que eu acredito e organizar um discurso das minhas visões de mundo – sejam visões críticas, políticas, estéticas... Formar o conceito é decidir o que quero defender. Todos os meus carnavais nascem de um tipo de inquietação PUBLICIDADE SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 11 Alexandre Macieira/Riotur

[close]

p. 14

ENTREVISTA • LEANDRO VIEIRA Shutterstock Leandro E, na hora de apresentar isso para a escola, como você se prepara? Olha, eu tenho tido a felicidade de tudo que propus para a Mangueira ter sido bem recebido. Em 2016, quando levamos o enredo sobre a Maria Bethânia para a avenida, queria falar do Brasil, da cultura regional, do candomblé, e ela foi a personagem que direcionou essa abordagem. No ano seguinte (“Só Com a Ajuda do Santo”), a proposta era mostrar como o caráter religioso e festivo do Brasil se relaciona de uma maneira muito controversa. PUBLICIDADE Esperar o mês inteiro para receber a pasta do condomínio? Isso é coisa do passado! Conheça o Quality Controle: Todos os documentos digitalizados Atualização dos documentos em tempo real Pasta disponível 24h por dia Transparência nas contas do condomínio Segurança contra danos ou perdas DAigPaisttaal Do Condomínio 3816 5000}- Copacabana Matriz 3266 0800}- Barra da Tijuca Filial www.qualityhouse.com.br CRECI J-4198 | ABADI 925 | SECOVI 382 SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 12 fb.com/qualityadm @qualityhouseadm

[close]

p. 15

Leandro Leandro ENTREVISTA • LEANDRO VIEIRA Dessa vez, a ideia é levar um tom mais político à Sapucaí. Por que isso é importante? Todos esses enredos são afinados à minha visão de mundo. Este ano, a partir do corte de verba e dos caminhos da festa, propus esse enredo mais crítico (o título, “Com Dinheiro ou sem Dinheiro, Eu Brinco”, é uma alusão aos cortes impostos pela Prefeitura do Rio às escolas de samba). A decisão do prefeito do Rio de Janeiro, que é um cara que claramente não gosta do Carnaval, é política. A minha também não poderia deixar de ser. Você não teme reações negativas? Não, não tenho receio nenhum. A matéria-prima do trabalho que faço é a subversão. Faço do Carnaval um manifesto, é exatamente essa a matéria que uso. Então não posso ter medo do prefeito. Trabalho na escola mais popular do Carnaval brasileiro, e ela sempre esteve associada ao povo, à multidão. Para uma escola que tem esse DNA, ser porta-voz de um discurso desses é muito natural. O Carnaval tem um viés de festa, mas é um ato político, é posicionamento. Carnaval tem um viés de festa, mas é um ato político PUBLICIDADE Av. Presidente Vargas, 583 / Sala 401 - Centro / RJ - CEP: 20.071-003 SECOVI RIO / 2018 / nº 110 / 13 Raphael David/Riotur

[close]

Comments

no comments yet