Ciência e Valores Absolutos

 

Embed or link this publication

Description

Discursos do Fundador Rev. Dr. Sun Myung Moon em Conferências Internacionais para a Unidade das Ciências desde sua fundação em 1972

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

Ciência e Valores Absolutos, 10 Discursos de Sun Myung Moon ICF Press Copyright © 1982 by the International Cultural Foundation, Inc. Todos os direitos reservados. Exceto para uso em comentários ou pelos autores ou após obter permissão por escrito do editor, nenhuma parte deste livro com direitos autorais do editor pode ser publicada ou utilizada de qualquer forma ou por quaisquer meios, incluindo fotocópias, gravações ou por qualquer sistema de armazenamento e recuperação. The International Cultural Foundation Press, New York 10116 The International Cultural Foundation, Inc. (ICE Inc.) International Headquarters: G.P.O. Box 1311 New York, New York 10116, U.S.A. 1

[close]

p. 4

2

[close]

p. 5

Ciência e Valores Absolutos, 10 Discursos de Sun Myung Moon Índice Prefácio ........................................................................................................................................ 5 Introdução ao Fundador ............................................................................................................ 7 O Papel da Ciência Unificada na Orientação Moral do Mundo........................................... 9 Visão da Ciência Moderna e do Homem sobre Valores Morais ....................................... 15 Ciência e Valores Absolutos................................................................................................... 19 A Centralidade de Ciência e Valores Absolutos.................................................................. 23 A Busca por Valores Absolutos: Harmonia Entre as Ciências.......................................... 27 A Busca por Valores Absolutos em um Mundo em Mudança ........................................... 33 A Reavaliação de Valores Existentes e a Busca por Valores Absolutos ........................ 37 Deus e o Limite da Ciência ..................................................................................................... 41 Valores Absolutos e a Busca pela Paz da Humanidade.................................................... 45 A Busca por Valores Absolutos e a Criação do Novo Mundo ........................................... 49 Unidade Entre as Classes Superiores e Inferiores da Sociedade Humana................ 49 A Posição da Península Coreana a partir do Ponto de Vista da Civilização .............. 51 O Futuro da Ásia Centrando na Coreia ............................................................................ 53 Amor de Deus – O Valor Absoluto..................................................................................... 54 Minha Proposta..................................................................................................................... 55 Proposta................................................................................................................................. 56 Resolução dos Participantes e Observadores................................................................. 58 Perspectiva de Valor Absoluto ............................................................................................... 61 1. Mundo atual ...................................................................................................................... 61 2. Conflito na perspectiva de valor, e sua causa............................................................. 61 3. Restaurando a confusão................................................................................................. 62 4. Religião e perspectiva de valor absoluto...................................................................... 62 5. O colapso da perspectiva religiosa de valor, e sua causa ........................................ 63 6. Ontologia e Ensinamentos Religiosos .......................................................................... 63 7 Ontologia e o Conflito de Religiões ................................................................................ 64 3

[close]

p. 6

8. Surgimento da nova religião e o estabelecimento da perspectiva absoluta de valor ................................................................................................................................................. 65 9. Nova ontologia e a unidade de todas as religiões ...................................................... 65 Fotos........................................................................................................................................... 67 4

[close]

p. 7

Prefácio O Reverendo Sun Myung Moon é, eu acredito, o detentor do recorde mundial pelo número e duração de sermões, conferências e discursos proferidos em uma vida. Desde os primeiros tempos de seu ministério público na Coreia, ele falaria continuamente por horas para pequenos grupos de discípulos. Muitas vezes, ele levaria seus seguidores à beira do mar ou ao pico de uma montanha, para inspirá-los com palavras de orientação espiritual e ensinamentos do Princípio Divino. Com o tempo, seus sermões públicos regulares atraíram centenas e milhares de pessoas, desde os mais humildes agricultores, pescadores e trabalhadores comuns, até os mais distintos clérigos, estudiosos, funcionários públicos e profissionais. Em 1975, o Reverendo Moon culminou com seu surpreendente recorde com um discurso diante de 1,2 milhões de pessoas! Na verdade, hoje não há lugar na terra onde suas palavras são tenham alcançado. A incansável dedicação do Reverendo Moon tem sido o ensinamento do Ideal de Deus e sua prática. Em sua visão, a Esperança de Deus e da religião é a salvação do mundo do mal pernicioso na história e na sociedade, além disso, na própria substância da existência humana. Ele tem enfatizado repetidamente que o caminho da recuperação deve ser encontrado em uma revolução da consciência humana, muito mais fundamental do que uma revolução industrial ou tecnológica. Significativamente, ele se esforçou ao máximo para divulgar seus pontos de vista entre os cientistas, estudiosos e líderes religiosos, e para assumir a liderança na realização da missão histórica da restauração do homem. No início da década de 1960 quando a Igreja de Unificação era financeiramente muito pobre, o Reverendo Moon ainda foi capaz de iniciar um significante Movimento Interreligioso. Em 1968, ele fundou a Fundação Cultural Internacional, para apoiar várias atividades acadêmicas e culturais. Nos últimos dez anos, cientistas e estudiosos renomados mundialmente se reuniram na Conferência Anual Internacional para a Unidade das Ciências, também fundada pelo Reverendo Moon, para trazer harmonia entre as ciências e buscar um futuro brilhante para toda a humanidade pelo estabelecimento da verdadeira base de valor. Estendendo meus cumprimentos pessoais a você, é meu desejo sincero que através da seleção de Discursos do Fundador da ICUS, o pensamento e Ideal do Reverendo Sun Myung Moon sejam amplamente disseminados e praticados. 8 de novembro de 1982 Chung Hwan Kwak Vice-Presidente da International Cultural Foundation, Inc. 5

[close]

p. 8

6

[close]

p. 9

Introdução ao Fundador por Richard L. Rubenstein Robert O. Lawton Professor de Religião Universidade do Estado da Flórida Tallahassee, USA Saudações e boas vindas aos nossos honrados convidados de todas as partes do mundo! Tenho o privilégio de apresentar o fundador da ICUS, o Reverendo Sun Myung Moon, aos participantes e observadores da Décima ICUS, a primeira a ser realizada em sua terra natal. Eu sou por vocação um teólogo e um historiador da religião. Como vocês entenderão, minha vocação me dá uma razão especial para um grande interesse no fundador e sua igreja. Espero, portanto, que vocês me permitam compartilhar alguns dos meus pensamentos referentes a este homem. Como estudiosos da sociedade entenderam há muito tempo, é impossível para os seres humanos transformarem suas ferramentas sem mudar a forma que eles educam seus jovens, a forma que vivem e trabalham juntos, e as formas nas quais encontram significado em sua existência. Além disso, em nossa própria época, houve apenas uma revolução realmente permanente: não me refiro às revoluções políticas de direita ou de esquerda, mas à revolução em âmbito mundial de ciência e tecnologia, com todas as surpreendentes transformações sociais e culturais que essa revolução trouxe. Esta reunião em si mesma se tornou possível através dessa revolução. E, não é por acaso que esta reunião á patrocinada por uma instituição religiosa, a Igreja de Unificação, que tem se destacado por sua preocupação pelas consequências humanas da revolução tecnológica, pois os grandes repositórios do significado da humanidade através do tempo, tanto da estabilidade quanto da descontinuidade, tem sido historicamente as tradições religiosas. Além disso, a Igreja de Unificação é uma nova religião, algo que pode surpreender e perturbar muitos dos estudiosos e cientistas treinados pelo ocidente. Há no ocidente uma certa dualidade de consciência que pode conceder honra à figuras religiosamente inspiradas somente enquanto elas permanecem seguramente separadas de nós por longos períodos de tempo. Entretanto, quando somos confrontados por pessoas de intensa e autêntica inspiração religiosa no presente, tendemos a utilizar categorias psicológicas e até mesmo éticas para reduzir o significado, ou até mesmo negar sua inspiração. Temos repúdio pela ordem e previsibilidade, ao menos em assuntos religiosos. Ficamos assustados quando confrontamos com alguém cujo espírito perturba a ordem que almejamos. Não obstante, nosso repúdio pela ordem está destinado a se provar ilusório se não levarmos a sério e nos atentarmos aos líderes religiosos inspirados de nossa época, pois, como temos notado, não vivemos mais em um mundo ordenado e seguro, mas em um tempo de descontinuidade e revolução. Além disso, é interessante notar que os dois países asiáticos que têm sido mais afetados pela revolução tecnológica, Japão e Coreia, têm testemunhado uma extraordinária proliferação de novas religiões em resposta à crise da modernização e da tecnologia. Felizmente, o espírito de radical secularização não tem corroído as origens da inspiração religiosa na Ásia, como tem ocorrido no ocidente. 7

[close]

p. 10

É de crucial importância que entendamos que o nosso fundador, o Reverendo Sun Myung Moon, veio de uma terra na qual as fontes de inspirações religiosas não secaram. Contudo, a inspiração religiosa por si mesma não é suficiente. O que a nossa época requer são homens e mulheres de genuína visão religiosa, e até mesmo ousados, que sejam capazes de inspirar e energizar os outros, e que, ao mesmo tempo, sejam capazes de confrontar construtivamente e com grande alcance o significado mundial de nossa revolução permanente. É nesta perspectiva que vejo o Reverendo Moon como um líder religioso de significado proeminente. Devo confessar que muitos em minha geração, por exemplo, estudiosos dos últimos grandes teólogos do ocidente, Karl Barth e Paul Johannes Tillich, aspiravam ser o tipo de líderes religiosos que a civilização tecnológica exigia, como estudiosos treinados nos métodos do racionalismo ocidental, o melhor que conseguimos realizar foi nos tornarmos intérpretes da inspiração de outros homens. Nunca pudemos nos tornar o que o Reverendo Moon é, um homem de genuína inspiração capaz de infundir os outros com sua inspiração. Com seus dons únicos, ele reuniu as dimensões privada e pública da vida e preocupação religiosa, enquanto tem utilizado de forma audaz e imaginativa o grande poder da tecnologia para servir como uma força para curar as rupturas no indivíduo e no corpo público criadas por essa revolução. Ao invés de se retirar na história e na tradição de sua nação diante da revolução tecnológica, ele tem buscado utilizar as histórias, tradições e experiências de todos os povos de oriente e ocidente, para promover uma nova visão da unidade espiritual da humanidade. Isto também está de acordo com a visão do nosso tempo, pois tecnologia está destinada certamente a unificar a humanidade de uma forma ou de outra; seja pela aniquilação total do oposto ou pela realização de uma unidade mundial baseada em uma nova base de valores e inspiração compartilhados. Essa base somente pode ser religiosa, e é para esse fim que nosso fundador se empenhou. Enquanto nos reunimos como convidados do nosso fundador em sua terra natal para ouvir sua mensagem, é minha grande honra apresentá-lo para vocês, o mais honrado e reverenciado mestre, o Reverendo Sun Myung Moon. 9 de novembro de 1981 Sejong Cultural Center Seoul, Coreia 8

[close]

p. 11

O Papel da Ciência Unificada na Orientação Moral do Mundo Sun Myung Moon Orientação Moral das Ciências A Primeira Conferência Internacional para a Unidade das Ciências 23 a 26 de novembro de 1972 Waldorf Astoria Hotel Nova York, Nova York Ser feliz é o desejo e o ideal irreprimíveis do homem. Durante os vários milhares de anos da história cultural do homem no passado, não houve nenhum homem que não tivesse este ideal de felicidade. O ideal nunca correspondeu à realidade, mas o homem tem constantemente tentado alcançar este ideal em sua vida. Desta forma, grandes progressos foram feitos em várias áreas humanas da cultura, política, economia, sociedade, ciência e assim por diante. Como vocês sabem, o homem estabeleceu uma sociedade altamente desenvolvida e afluente que nem sequer pode ser comparada com aquela da época antiga ou medieval, e não há nenhuma dúvida que a ciência tem sido o fator decisivo neste desenvolvimento. Se a ciência não tivesse se desenvolvido, prosperidade econômica tal como temos atualmente não poderia ter ocorrido. Este fato demonstra que a maioria dos cientistas tem feito da realização de uma sociedade feliz e ideal a sua missão, ou seja, os cientistas desenvolveram a ciência e a tecnologia com um forte senso de missão para realizar os sonhos da humanidade. Às vezes os resultados da pesquisa científica foram mal utilizados por homens de poder para propósitos injustos, mas ainda o espírito fundamental dos cientistas apontava para a realização de uma sociedade ideal para o homem. Desta forma, o propósito da ciência é realizar os sonhos do homem. Mas no passado, mesmo quando a ciência deu grandes passos, estes nem sempre puderam ser imediatamente utilizados para melhorar a humanidade, por causa de barreiras nacionais e raciais. Isto indica que algumas pessoas insistiam em barreiras nacionais para a ciência. Mas na verdade, a ciência deve pertencer a toda a humanidade e não ser monopolizada por qualquer nação ou bloco específico. Isto nos lembra, no entanto, que muitos cientistas com um forte senso de missão lutaram com as forças injustas que ignoravam seu propósito original e impediam a realização da verdadeira sociedade ideal. 9

[close]

p. 12

Entre todos os cientistas também houve alguns que esqueceram o espírito de servir a humanidade porque se tornaram muito envolvidos em seus próprios interesses imediatos. Não obstante, a atitude básica da maioria dos cientistas era contribuir com a paz e a prosperidade de toda a humanidade. Na ciência há muitas áreas, mas não há uma única área que não vise a realização da felicidade humana. Física, química, medicina, biologia, geologia, astronomia, e todas as outras áreas científicas têm o mesmo propósito. Naturalmente, nos últimos séculos a ciência tem se dividido e especializado em muitas pequenas áreas por seu método analítico, mas recentemente uma nova e esperançosa tendência está aparecendo para consolidar e unificar todos estes conhecimentos fragmentados pelo método sintético. O surgimento da Ciência Unificada é um exemplo conspícuo desta tendência. A despeito de suas muitas divisões, até o presente a ciência tem trabalhado na direção de um único objetivo, uma única direção. Cada área especializada tem trabalhado para a realização de um mundo feliz de sua forma específica, e não há nenhuma dúvida que ela continuará na direção do mesmo objetivo no futuro. No entanto, quando olhamos para a situação atual do mundo, há muitas condições deploráveis. A despeito do desenvolvimento da ciência e da prosperidade da economia, ainda existem muitas situações trágicas por todo o mundo. Apesar dos profundos desejos e diligentes esforços dos cientistas, pobreza, analfabetismo e doença ainda prevalecem nos países avançados; tensões, guerras e hostilidades continuam entre as nações. Assim, a humanidade continua a sofrer de tristeza, angústia e dor mesmo no meio dos nossos países luxuosamente desenvolvidos. Muitos líderes estão tentando eliminar esta miséria e estabelecer verdadeira paz e estabilidade, e a humanidade está afundando cada vez mais na agitação, ansiedade e medo. Como isto aconteceu? A principal razão é que o padrão de valor que regula o comportamento do homem está prejudicado. À medida que ética e moralidade perderam seu poder, o padrão do bem quase desapareceu. Agora eu vou explicar o motivo. Ninguém pode negar que toda criatura, incluindo o homem, é um ser unificado com duas naturezas – uma natureza material e uma natureza semelhante à mente. O homem é o ser unificado de corpo e mente; animais são seres unificados de corpo e instinto; plantas são seres unificados de matéria e vida diretiva; e corpos inorgânicos são seres unificados de matéria e energia diretiva. Do ponto de vista da ontologia, o cosmos é um mundo de efeito e, portanto, deve ter uma causa definitiva. O materialismo diz que a causa definitiva é a matéria e o idealismo insiste que é o espírito. Entretanto, porque o mundo do efeito é feito de seres unificados com duas naturezas, a causa também deve ser uma entidade monista com o potencial das duas naturezas de matéria e mente unificadas em uma única. Agora afirmei que o mundo que ambos, Deus e o homem desejam é o mundo unificado no qual criatividade e amor são praticados. Neste mundo, o desejo de Deus e do homem será realizado, mas para praticar amor o homem deve primeiramente encontrar o centro do amor. 10

[close]

p. 13

Para praticar o amor, uma norma deve ser estabelecida porque uma vida verdadeira de amor requer ordem. Em uma sociedade onde a ordem tenha sido destruída, uma vida de amor não pode ser praticada em harmonia. Isso quer dizer que uma vida de amor precisa de ordem, e para haver ordem, uma norma é necessária. “Norma” significa leis e princípios que regulam o comportamento humano, e estes são moral e ética. Portanto, para ter uma boa vida centrada no amor, o homem deve estabelecer boa moral e ética, e praticá-las. A moral e a ética que se aplicam ao mundo unificado devem ser claras e aplicáveis ao homem moderno. A razão pela qual a moral e a ética do passado foram enfraquecidas reside em parte na tendência do homem moderno na direção ao materialismo, mas isto também vem do fato que os padrões de valor não satisfazem mais a capacidade de raciocínio do homem. A partir disto, o estabelecimento de nova moral e ética baseadas no novo padrão de valor é inevitável. Então como este novo padrão de valor pode ser estabelecido? Ele somente pode vir a partir de um elevado e unificado sistema de pensamento que possa unificar todas as filosofias e doutrinas religiosas do passado. Todas as filosofias e religiões do passado possuem suas próprias visões de valor com pontos fortes que ainda são benéficos. Mas as pessoas recentemente as deixaram para trás porque estas visões não podiam se ajustar à nova era. Portanto, para estabelecer a nova visão de valor, devemos absorver todos os pontos fortes das visões de valor do passado, e desenvolver novos valores que possam atender as necessidades do homem moderno. Assim, um novo sistema unificado de pensamento deve aparecer para unificar todas as filosofias e religiões do passado em suas respectivas épocas. Quando emergem novas moral e ética a partir do sistema unificado de pensamento, o mundo unificado de bondade será criado pela primeira vez. A orientação moral do mundo, também o tema desta conferência, significa espalhar esta nova visão de valor em âmbito mundial a fim de edificar o novo mundo unificado. Em conclusão, gostaria de falar mais sobre o papel da Ciência Unificada. Primeiramente, sou muito grato aos organizadores desta conferência por seus esforços para sintetizar as áreas subdivididas do conhecimento científico. A especialização divisória da ciência, assim como o desmantelamento de uma máquina, paralisa definitivamente o funcionamento unitário do todo, e impede a ciência de cumprir sua missão. Mas aqui, hoje, alguns cientistas pioneiros estão tentando integrar e unificar sistematicamente as verdades das descobertas científicas do passado em um novo sistema de ciência filosófica. Eu penso que este seja um evento notável merecedor de grande elogio. Ele corresponde ao surgimento histórico do novo sistema de pensamento unificado que unifica todas as filosofias e religiões do passado e estabelece uma nova visão de valor para a época moderna. Como mencionei anteriormente, a missão principal da ciência é aprimorar a vida material do homem. Espero que a Ciência Unificada contribua com uma nova eficácia para esse fim. 11

[close]

p. 14

No entanto, assim como o homem original é um ser unificado de espírito e corpo, verdadeira vida social une ambos, espiritual e material, e o mundo ideal une amor e ação criativa. Portanto, o verdadeiro mundo de felicidade não pode ser realizado pelo aprimoramento somente da vida material. Por isso podemos chegar à conclusão que a Ciência Unificada deve se unir com o Pensamento Unificado a fim de cumprir sua missão. Quando esta unificação é realizada, o problema de longa data de unir Ciência e Religião será resolvido, e finalmente o mundo unificado de prosperidade, felicidade e bondade será estabelecido. “Os velhos sistemas de pensamento” vão passar, e o mundo unificado ideal com novos sistemas e pensamentos da época serão estabelecidos na terra. Em outras palavras, a causa definitiva deve ser um ser unificado absoluto com duas naturezas que podem criar os atributos de mente e matéria respectivamente. Somente a partir de uma causa unificada e monística que um mundo unificado do efeito pode ser gerado, ou seja, o efeito unificado deve ter um ser unificado monístico como sua causa. Portanto, devemos dizer que materialismo, o qual assume a matéria como a causa fundamental do universo, é incorreto. A causa não pode ser matéria, pois matéria é apenas a expressão de um dos atributos da causa. Esta causa existiu como não-matéria antes de sua expressão na matéria. O homem também é um ser unificado gerado pela causa unificada. Consequentemente, o homem não pode ser considerado somente ser material ou somente ser espiritual. Portanto, o aprimoramento somente da vida física não pode criar felicidade. Somente através do aprimoramento da vida espiritual e da vida física ao mesmo tempo, a verdadeira felicidade pode ser gerada. A ciência tem colocado seus esforços em aprimorar a vida material porque seu domínio estava limitado ao mundo material. Portanto, a despeito do árduo trabalho e profundo desejo dos cientistas, a humanidade não tem sido capaz de escapar do sofrimento e do caos. Aqui podemos concluir que os cientistas devem participar na reforma da vida espiritual a fim de assegurar a verdadeira felicidade da humanidade e proteger a obra preciosa realizada até agora pelos cientistas. A reforma da vida espiritual significa criar um mundo de bondade, ou seja, uma sociedade de nova moralidade, pelo estabelecimento de um novo padrão de valor. Então como podemos criar a reforma espiritual? Para isto devemos estabelecer um padrão de bondade, e para determinar o bem, devemos decidir o centro do amor. Isto é porque bondade é a prática do amor. Então o que pode ser o centro do amor? Deve ser Deus, que é um ser único, eterno e imutável existindo antes da formação do cosmos. Amor é o fluxo do coração – o derramamento do mais profundo coração. Portanto, a essência de Deus é coração. Deus é o ser unificado que é a causa fundamental do cosmos tratado em ontologia. A formação do cosmos por esta causa fundamental é simplesmente a criação do cosmos por Deus. 12

[close]

p. 15

Então como Deus pôde criar o cosmos e o homem? Deus pôde fazê-lo porque Ele tem coração. E onde há coração, vida aparece; onde há vida, desenvolvimento e criação podem ocorrer. Para a criação, sempre deve haver propósito. Isto é porque coração segue na direção do propósito. O propósito de criação poderia ser somente alegria, que cumpre o desejo do coração. Esta alegria vem quando a criação, especialmente o homem, passa a se assemelhar a Deus. O objetivo de criação de Deus é ter o homem e o mundo de felicidade – o Reino do Céu – refletindo o amor e a criatividade de Deus. O amor e criatividade de Deus se relacionam com a mente e a matéria, respectivamente. Sabemos que isto é verdade a partir do fato que o ideal do homem é realmente buscar esse homem e esse mundo. O ideal é o mundo que foi originalmente concedido ao homem como seu lar. O fato que o homem busca um mundo de alegria como seu ideal significa que um mundo alegre é o único que Deus planejou para o homem. Esse mundo reflete o amor e criatividade de Deus, e assim, se torna alegre. Através do nosso surpreendente progresso científico começamos a assumir o poder criativo de Deus, mas ainda não o Seu amor. A fim de assumir o Seu amor, devemos praticar o amor, e conduzir uma vida de bondade. O homem deve colocar Deus, que é o sujeito de amor, no centro de seu padrão de bondade. Sendo que Deus é tanto o centro como também a essência de todas as coisas, Seu amor é imutável e duradouro embora sua criação, o mundo fenomenal, seja transitória. Portanto, quando assumimos Deus como nosso padrão do bem, valor absoluto pode ser estabelecido, e então o mundo eterno de paz e felicidade será realizado. Sendo que o mundo ideal é a realização do propósito de criação de Deus e é o mundo que reflete Deus, o homem sempre busca ter uma vida harmoniosa e pacífica preenchida com amor de Deus e também aprimorar seu ambiente pela criação contínua de novas coisas. Aqui, criação não significa mera produção, mas ao invés todas as ações criativas tais como criação de novas ideias, planejamento, aprimoramento e produção. Sendo que Deus é um ser unificado, homem e vida social devem também ser unificados. Isto significa que o homem deve amar enquanto vive uma vida criativa, e deve viver uma vida criativa enquanto ama. Esse homem é o ser unificado, e o mundo no qual vive é o mundo unificado. Como mencionado repetidamente, o homem deve refletir a criatividade de Deus através de excelente progresso científico, mas até agora não aprendeu Seu amor. Por isso este mundo ainda está cheio de tristeza, dor e sofrimento. Sendo que harmonia é a natureza essencial do amor, harmonia não pode existir onde não há amor; da mesma forma, paz e felicidade não podem existir onde não há harmonia. Assim, o atual sofrimento da humanidade continua por causa da ausência de amor. Portanto, é natural que tanto Deus quanto o homem desejem a vida e o mundo ideais que se assemelham a Deus. Em outras palavras, o homem ideal que Deus e a mente original do homem buscam é um homem criativo e bom que pratica amor centrado em Deus. O mundo ideal é o mundo criado com ações criativas para aprimorar o ambiente e ser preenchido com amor entre indivíduos e entre nações. 13

[close]

Comments

no comments yet