Boletim Misericórdia 4

 

Embed or link this publication

Description

Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel

Popular Pages


p. 1

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS SANTA CASA DA MISERICÓRDIA São Brás de Alportel BOLETIM INFORMATIVO N.º 4 - Ano 2017 distribuição gratuita pág. 1 Preparando o Natal p.3 Projeto “São Brás para o Mundo” p.6 O Presépio Tradicional p.9

[close]

p. 2

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS pág. 2 SANTA CASA DA MISERICÓRDIA São Brás de Alportel BOLETIM INFORMATIVO N.º 4 - Ano 2017 distribuição gratuita Índice 1. IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS 1.1. DESTAQUE: Preparando o Natal............................................................. 3 1.2. Passeio à Feira de Faro......................................................................... 4 1.3. A Biblioteca Vem ao Lar....................................................................... 4 1.4. São Martinho...................................................................................... 5 1.5. Mercadinho Solidário....................................................................... 5 1.6. Memórias de Uma Vida: Terinho................................................... 5 2. CENTRO INFANTIL ANTÓNIO CALÇADA 2.1. DESTAQUE: Projeto “De São Brás para o Mundo”................................. 6 2.2. Conhecendo São Brás.......................................................................... 7 2.3. Quando a Terra Treme......................................................................... 8 2.4. Simulacro de Incêndio....................................................................... 8 2.5. Formações...................................................................................... 8 2.6. A Importância da Creche.............................................................. 8 3. MUSEU 3.1. DESTAQUE: Natal no Algarve: O Presépio Tradicional......................... 9 3.2. Jardim em Clima Mediterrânico.............................................................. 10 3.3. A Ação Caritativa em São Brás - A Casa da Caridade.......................... 10 3.4. Os Provedores da Santa Casa Francisco de Sousa Correia.............. 11 3.5. Um Projeto de Acessibilidade para o Museu...................................... 11 4. ÚLTIMAS PÁGINAS 4.1. Programação de Natal da Santa Casa.................................................... 12 4.2. Brevemente............................................................................................. 12 FICHA TÉCNICA Propriedade, Edição, Redação e Administração: Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel N.º Contr.: 501461906 Endereço: Praceta da Misericórdia, Nr.º 20, 8150-136 São Brás de Alportel Telefone: 289 842 161 E-mail: geral@misericordiasaobras.pt Direção: Provedor Júlio Pereira Revisão: Emanuel Sancho Imagem da Capa: Roberto Nobre, 1925 Publicação: n.º 4, Dezembro de 2017 Tiragem: 400 Exemplares Impressão: Gráfica Comercial - Loulé Depósito Legal: DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Mensagem do Provedor Em plena Quadra Natalícia e com o ano já a terminar, sentimos que 2017 foi pequeno para concretizar tantos projetos. Ainda assim, foi e está a ser um Grande Ano, pleno de concretizações relevantes, em múltiplas áreas. Em prol da qualidade dos serviços prestados, realizámos alterações na gestão da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, em parceria e com o empenho de todos os colaboradores desta unidade. Os resultados positivos começam a surgir. Retomámos a formação dos nossos colaboradores, em diferentes áreas: Liderança, Gestão de Conflitos, Higiene e Segurança, Primeiros Socorros e Primeiros Socorros Pediátricos, Manuseamento de Extintores, entre outras. Para maior segurança de utentes, famílias e colaboradores realizámos, em colaboração com o Corpo de Bombeiros de São Brás de Alportel, três simulacros de Incêndio nas nossas instalações. É a melhor forma de testar meios, treinar as pessoas e suas capacidades de reação a situações imprevistas. Um bom plano pode salvar vidas! Um Obrigado muito especial à Associação Humanitária dos nossos Bombeiros. No final do mês de outubro, numa sessão bastante participada, reuniu-se em Assembleia Geral a maioria dos Irmãos desta Misericórdia. Durante uma tarde bem longa, prepararam o novo ano de atividades e deliberaram sobre temas de vital importância para o futuro desta Santa Casa. Foi inequívoco o apoio aos Órgãos Sociais em funções. É de realçar e agradecer a maturidade e a perspetiva de futuro. Que a Solidariedade e a Partilha reinem em nossos corações neste Natal e no Ano Novo que se aproxima. Um Santo e Feliz Natal a todos os Utentes, às suas famílias, aos Colaboradores, amigos e fornecedores. Bom Ano Novo para todos. Júlio Pereira

[close]

p. 3

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS pág. 3 ARTIGO DESTAQUE Preparando o Natal Galeria dos Presépios Por mais que se queira ser criativo e cada ano tentar marcar uma diferença em relação ao ano anterior, Natal é sempre Natal…. A época é nostálgica e os sentimentos cruzam-se - uns mais intensos que outros. O amor sai dos nossos corações quase sem se sentir. A nossa forma de o exteriorizar é proporcionar aos nossos utentes e seus familiares, aos nossos colaboradores, bem como a toda a comunidade em geral, um dia diferente. 17 de Dezembro, data da festa do Lar, será de certeza um dia muito especial. O nosso presépio será diferente mas não poderá fugir muito do tema que o caracteriza, sempre feito com criatividade, empenho e entusiasmo. Será com muito gosto que abriremos as portas a todos os que o queiram visitar. Anabela Conceição Exposição de Presépios patentes na Misericórdia de São Brás de Alportel

[close]

p. 4

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS Passeio à Feira de Faro A data da Feira de Faro é tema frequente de conversa entre os nossos utentes. As indecisões começam cedo. Uns querem ir, enquanto outros até bem gostariam de acompanhar o grupo, mas ficam preocupados com a carteira. Outros, mesmo com muitas limitações físicas não deixam de ocupar o seu lugar pois ficou “reservado do ano anterior”. Na feira, tudo é admirado com grande entusiasmo. Tocam-se os produtos, questionam-se os feirantes e no final dá-se a obrigatória paragem junto das filhós. Depois de saboreadas é hora de regressar e contar todas as novidades aos colegas que não foram. Mesmo assim, os que ficaram não foram esquecidos e também tiveram direito à sua guloseima. Para o próximo ano lá estaremos novamente, com certeza. Anabela Conceição A Biblioteca Vem ao Lar Momentos entre Contos e Histórias Visita à Feira de Faro pág. 4 Na última quarta-feira de cada fica um grande obrigado por mês, é aguardada com grande aquele momento mágico e dife- entusiasmo, a chegada da fun- rente, pois foi capaz de os trans- cionária da biblioteca. portar a outra dimensão. Vem sempre com um sorriso e Como o Papa Francisco disse traz consigo a sua colorida mala “Não deixe ninguém tirar a sua de cartão. Dentro dela surgem esperança” mesmo que às vezes então histórias e novidades que os pensamentos o queiram fazer. fazem encantar as duas gerações - crianças e idosos. Os mais velhos ficam radian- Anabela Conceição tes só de verem a criançada esfu- ziante de alegria. A sua atenção fica dividida entre o olhar para os mais pequenos e o ouvir a histó- ria que está a ser contada. A Biblioteca Municipal em Visita à Nossa Instituição Uns mais atentos que outros, todos sorridentes, manifestam expressões de concordância com oconteúdodahistória.No final,

[close]

p. 5

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS pág. 5 Mercadinho Solidário São Martinho Época das Castanhas e da Jeropiga Mensalmente a nossa Câmara O mais importante mesmo Diz-se que São Martinho era Este ano, para além do que já Municipal organiza um Mer- foi estarmos junto da popula- um soldado romano que, com- é habitual, tivemos algumas cadinho Solidário. Trata-se de ção, convivermos com outras padecido com um mendigo que utentes e colaboradoras que uma oportunidade da comu- associações representadas e encontrou à beira da estrada, confecionaram bolinhos de nidade conhecer os projetos deixarmos transparecer o nos- comelepartilhouoseuagasalho. castanha. No final, ficámos que se desenvolvem na nossa so lema de trabalho: ter orgu- orgulhosos, pois o resultado Terra neste campo e o elevado lho no que fazemos. No dia de São Martinho é mereceu a aprovação de uma número de pessoas que dedi- obrigatório haver castanhas pasteleira de renome. cam parte das suas vidas a aju- Denominámos o nosso espaço - sejam assadas ou cozidas - dar quem precisa. de “mimos com amor”. Nem fa- sempre acompanhadas de um Anabela Conceição ria sentido ser de outra forma! copinho de jeropiga. A intera- A Nossa presença no Mercadi- ção com as crianças também é nho Solidário não passou des- Anabela Conceição umpontoassinalávelpoisambas percebida. Conseguimos encan- as partes se divertem imenso. tar os mais atentos com simples miminhos alusivos ao Natal. Memórias de Uma Vida: O Terinho José Eleutério Costa Dias, O Olhanense era e continua mais conhecido por “Terinho”, hoje a ser o seu clube de elei- é uma pessoa muito querida ção. Jávailongeotempoemque por todos os que o conhecem. ía a pé de São Brás de Alportel a Olhão, para assistir aos jogos. Desde há muito tempo que distribui as notícias fresqui- Quando lhe é perguntado se nhas, entregando os jornais teve alguma paixão, dá uma do dia a estabelecimentos co- gargalhada, replicando que merciais e particulares. namorou uma rapariga mas não passou disso. Viveu com a O futebol sempre foi a sua gran- sua mãe até esta falecer no Lar de paixão e uma bola, a sua inse- da Santa Casa. parável companheira. Nesse tem- po ía jogar com os rapazes para a Anabela Conceição ribeira, onde chegou a salvar al- guns de morrerem afogados. “salvei alguns dentro da ribeira” Terinho Um homem muito querido por todos, partilhou connosco algumas das suas memórias.

[close]

p. 6

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | CENTRO INFANTIL ANTÓNIO CALÇADA pág. 6 ARTIGO DESTAQUE Projeto De São Brás para o Mundo O Projecto Educativo da nossa Instituição intitulado “De São Brás para o Mundo”, no que diz respeito às valências de Creche, Jardim de Infância e A.T.L. (Atividades dos Tempos Livres), terá a duração de três anos. Durante este tempo teremos a tarefa de explorar São Brás de Alportel e, sempre que possível, ir mais além do nosso território. O nosso concelho proporciona um leque variado de áreas de interesse: cultura, educação, ciência, indústria, agricultura, etc. Temos por isso um campo de trabalho muito amplo que nos irá permitir envolver as áreas de conteúdo (formação pessoal e social, expressões e comunicação, conhecimento do mundo) e contribuir para o desenvolvimento global das nossas crianças. Como ponto de partida comum às salas do pré-escolar, as crianças desta valência foram visitar o Miradouro do Alto da Arroteia. Aqui, é possível observar a vila de São Brás de Alportel e avistar os seus arredores - a serra e o litoral. Como estava um dia de céu limpo, as crianças conseguiram avistar ao longe o mar da costa algarvia. Esta experiência de contacto com a natureza é benéfica para o desenvolvimento das crianças. Marta Custódio Passeio Miradouro do Alto da Arroteia, Infantário da Misericórdia em São Brás de Alportel “Esta experiência de contacto com a natureza é benéfica para o desenvolvimento das crianças.” Marta Custódio

[close]

p. 7

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | CENTRO INFANTIL ANTÓNIO CALÇADA pág. 7 Conhecendo São Brás Visitas Especiais A interação com o mundo que A visita ao Mercado Muni- nosrodeiaéfundamentalparao cipal proporcionou aprendi- conhecimento e aprendizagem zagens significativas, valo- de todos os seres humanos. Na rizando-se assim também o educação de infância, é dever comércio tradicional. dos educadores proporcionar às crianças experiências ricas O conhecimento do corpo e diversificadas que facilitem a humano e o porquê de deter- apreensão de conhecimentos minadas coisas acontecerem sobre o mundo envolvente. faz parte da curiosidade das crianças. Numa idade em que Indo ao encontro do projeto a dentição se renova é normal educativo “De São Brás para o surgirem questões do género: Mundo” os meninos do pré-es- Porque nos caem os dentes? O colar do Centro Infantil têm que são cáries? O que são den- realizado diversas visitas de in- tes de leite? Daí que uma visita teração com a comunidade. ao dentista se tivesse tornado tão importante e significativa. No âmbito do reconhecimento do meio que nos rodeia, foi orga- É neste surgimento de ques- nizada uma vista aos Bombeiros tões e curiosidades que a ma- MunicipaisdeSãoBrásdeAlpor- gia do conhecimento se soli- tel onde as crianças tiveram con- difica, daí a importância de tacto com profissionais, equipa- levar as crianças a conhecerem mentos e viaturas. Aí, puderam a realidade que as cerca. aperceber-se da sua funciona- lidade e importância. Aproveitamos para agradecer publicamente a todos quantos Olagar“Pecoliva”foioutrodos nos receberam por proporcio- pontos de interesse das crianças narem às nossas crianças mo- que tanto apreciaram a trans- mentos tão ricos para as suas formação da azeitona em azeite. aprendizagens. Célia Ramos Visita aos Bombeiros Municipais de São Brás de Alportel Conhecendo o Corpo Humano Lagar “Pecoliva” Visita ao Cabelereiro

[close]

p. 8

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | CENTRO INFANTIL ANTÓNIO CALÇADA pág. 8 Quando a Terra Treme Simulacro de Incêndio No passado dia 17 de Outubro Assim, às 10h13 m deste dia, No dia 8 de novembro foi rea- Aosomdassirenesprocedeu-se, o Centro Infantil António Cal- soaram as sirenes. Os Bombei- lizado no Centro Infantil um de forma ordenada, à evacuação çada participou no exercício “A ros Voluntários de São Brás de simulacro de incêndio. Com a de todo o edifício e testaram-se TERRA TREME”. Trata-se Alportel,ascriançaseosfuncio- coordenação de uma empresa equipamentos, procedimentos e de uma iniciativa da Autorida- nários da instituição BAIXA- especializada e contando com a planos de emergência. de Nacional de Proteção Civil. RAM-SE, PROTEGERAM- presença dos Bombeiros Volun- -SE e AGUARDARAM. tários, Proteção Civil e GNR, No final foi realizada uma ava- Este simulacro tem o intuito foi simulado um incêndio para liação do exercício realizado. de alertar e sensibilizar - neste A prática deste exercício aju- que fossem testados os proce- caso as crianças e também os dará a conhecer os três gestos dimentos a realizar numa si- adultos que trabalham na Insti- que podem salvar vidas. tuação de emergência real. tuição - sobre como agir antes, durante e depois de um sismo. Ana Pulquério Célia Ramos Formações Formação dos Colaboradores da Misericórdia de São Brás de Alportel Sempre foi e será cada vez Assim, num curto espaço de mais, preocupação da Santa tempo conseguimos gerir servi- Casa, proporcionar formação çoseorganizarváriasformações: aos seus colaboradores. manuseamento de extintores, primeiros socorros de adultos, Tendoemcontaqueasua máxi- primeiros socorros pediátricos, ma é prestar serviços de qualida- ambiente, segurança, higiene de aos nossos utentes, acredita- e saúde no trabalho e formação mos que essa mesma qualidade em controlo de infeção. passa pela formação recorrente. Anabela Fernandes A Importância da Creche A infância é uma etapa funda- Deste modo, torna-se impe- mental da vida das crianças. Os rativo promover um ambiente primeiros 3 anos de vida são acolhedor e confortável para o particularmente importantes desenvolvimento das crianças. para o seu desenvolvimento Precisamente por essa razão, du- físico, afetivo e intelectual. rante o mês de agosto realiza- ram-se remodelações no nosso Atos simples de trocar a fral- berçário de forma a torná-lo mais da, vestir e pentear o cabelo, acolhedor, apelativo e funcional. são gestos de comunicação humana entre o adulto e a criança Disponível em: nos quais há uma troca profun- da de sentimentos e, portanto, de organização mental, de es- Anabela Fernandes Andreia Calisto truturação interior, de forma- Marta Norberto ção da auto-imagem. É nesses Vera Sousa momentos que se estimula a criança a ser autónoma, res- ponsável, ativa. Instalações Remodeladas Simulacro “Quando a Terra Treme” Instalações do Infantário

[close]

p. 9

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | MUSEU ARTIGO DESTAQUE Natal no Algarve O Presépio Tradicional No Algarve do século XIX, nove dias antes do Natal era costume preparar a casa para armar o presépio ou armar o Menino. Em cima da cómoda construía-se uma escadaria, também conhecida por trono, penha ou charola, que imitava o altar das igrejas. Era feita com a ajuda de gavetas retiradas aos móveis da casa. À medida que se elevavam os degraus, estes eram mais estreitos. Este trono, em escadaria, era coberto com um lençol ou toalhas de linho, com uma dobra de lençol de lindas rendas, com panos bordados pela dona da casa ou pelas filhas solteiras. Construído o trono, começava-se a ornar o Menino. As searinhas, símbolo e presságio de abundância, eram feitas com trigo germinado em chávenas ou pires pequenos. As ervilhacas eram abertas e armadas, para se formar uma espécie de cabeça com cabelos compridos – as cabeleiras. Uma característica, muito particular do barrocal, é a de ornamentar o trono com laranjas, costume que se encontra em várias regiões da Europa. Finalmente, colocava-se o Menino, “o encanto das crianças”. A figura é de feitura popular, daí o seu porte ingénuo e simples. À semelhança da imaginária religiosa oficial, apresenta os símbolos de poder: o ceptro ou simples flôr e a “Bola-Mundo”. In Natal no Algarve Raízes Medievais, Lisboa 2002 José da Cunha Duarte Emanuel Sancho pág. 9 Presépio Tradicional

[close]

p. 10

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | MUSEU pág. 10 Jardins em Clima Mediterrânico Feira de Outono no Museu O Museu do Traje acolheu no passado dia 28 de outubro, a Feira de Outono dedicada à temática dos Jardins em Clima Mediterrânico. O evento integrou uma mostra e venda de plantas, exposição de fotografias, feira do livro temático e palestras. A valorização de espécies botânicas do Barrocal com valor ornamental e aromático é, no fundo, um dos objetivos do evento. Os visitantes, em número próximo dos 2 milhares, tiveram uma oportunidade para saber mais sobre este património regional e obter aconselhamento especializado sobre jardinagem em geral. A flora, neste caso as plantas aromáticas, são um património que nos interessa defender e divulgar perante a vulgarização das plantas exóticas. Daí o interesse do nosso Museu em acolher esta iniciativa. Este evento é uma organização da Associação para os Jardins em Clima Mediterrânico, com o apoio do Museu do Traje, dos Amigos do Museu e da Câmara Municipal de São Brás de Alportel. Emanuel Sancho A Ação Caritativa em São Brás de Alportel (II) A Casa da Caridade Feira Mediterrânica no Jardim do Museu Folheto de angariação de fundos em favor da Casa da Caridade , 1926 Proveniência: Arquivo de Júlio Martins Negrão O apoio aos mais desfavorecidos e necessitados contou desde sempre com o papel incontornável da Igreja Católica. Em São Brás de Alportel, destaca-se a Casa da Caridade pela sua persistência no tempo e impacto na comunidade. Fundada em 1864, no tempo do Prior José Pedro da Costa Inglês, a Casa da Caridade tinha por finalidade “sustentar, vestir, calçar, pernoitar e tratar os pobres do sexo feminino”. Com o tempo, passou a ser porto de abrigo de vagabundos, idosos, crianças, orfãos, paralíticos e alienados. tória desta instituição. A precaridade avolumou-se ao longo das primeiras décadas do século XX. Em reunião ocorrida a 10/9/1960, constata-se o seu encerramento. Nesta altura foi proposta a integração da Casa da Caridade na Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel. A decisão foi tomada e concretizada no ano seguinte. In Memórias de São Brás de Alportel I Afonso da Cunha Duarte Emanuel Sancho As dificuldades e carências de meios que tolhiam o espírito de iniciativa dos seus dirigentes é uma constante ao longo da his-

[close]

p. 11

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | MUSEU pág. 11 Os Provedores da Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel Francisco de Sousa Correia Ocupou o cargo de presiden- nimato mas cumprindo diste da Câmara Municipal entre cretamente a sua missão. Era 1972 e 1974 quando esta foi nessa altura seu provedor o dissolvida na sequência da Re- falecido senhor Francisco de volução dos Cravos. A sua de- Sousa Correia, que desemdicação à causa pública já vi- penhou quase vitaliciamente nha pelo menos desde os anos esse cargo, sendo compulsiva50 quando o encontramos no mente afastado das suas funcargo de vereador, em tempo ções no período confuso de dos presidentes Amável de Fa- indisciplina social que o país ria e Júlio Vargues Parreira. atravessou (...)”. Francisco de Sousa Correia Em abril de 1946 era já pro- É no seu tempo que se dá a vedor da Santa Casa da Mise- integração do Centro de As- ricórdia. O período da sua ge- sistência Social Polivalente rência prolongou-se até 1974. (1970). Pouco depois, o espa- Francisco Clara Neves que vi- ço recebeu o Centro de Assis- veu intensamente esse perío- tência de Saúde Mental, hoje do atribulado, recorda que “a convertido no Lar da 3ª Idade. Santa Casa viveu até ao dia 25 de Abril praticamente no ano- Emanuel Sancho Carta circular da Misericórdia de São Brás de Alportel, 1946 Proveniência: Arquivo de Júlio Martins Negrão Projeto de Acessibilidade para o Museu Adequar os espaços e os edifícios às necessidades das pessoas, eliminando os obstáculos existentes, é no fundo a mensagem fundamental de um Projeto de Acessibilidade. Participação e inclusão são assim palavras-chave que, levadas à prática visam incorporar cada um de nós, sem restrições, no convívio social. Do projeto consta a introdução de sinalização por todo o espaço, a criação de várias rampas de acesso e a instalação de dispositivos de segurança. Vários postos informativos em diferentes línguas e braille serão distribuídos pelos espaços do museu. Emanuel Sancho É neste sentido que o nosso Museu irá avançar nos próximos meses com uma série de melhoramentos que visam a integração plena de todos os visitantes independentemente das suas limitações ou especificidades. De todas as intervenções previstas, merece particular destaque o jardim de plantas aromáticas que virá enriquecer a oferta turistico-cultural do nosso museu. Esboço do Arquiteto José Brito, Jardim Sensorial

[close]

p. 12

Boletim Informativo n.º 4 Misericórdia de São Brás de Alportel | IDOSOS E OUTROS CARENCIADOS pág. 12 SANTA CASA DA MISERICÓRDIA São Brás de Alportel BOLETIM INFORMATIVO N.º 4 - Ano 2017 distribuição gratuita Desejamos-lhe um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo! DEZEMBRO 2017 - Programação de Natal Misericórdia de São Brás de Alportel DSTQQSS 12 3 4 5 6 78 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 3 Feirinha de Natal do Museu 4 Exposição de Presépios da Santa Casa 9 Concerto de Natal no Largo de São Sebastião 10 Baile de Natal do Clube do Museu 10 Exposição do Presépio no Museu - até 10 de Janeiro 16 Concerto de Natal do Coro dos Amigos, no Museu pelas 18h 16 Festa de Natal do Centro Infantil António Calçada, pelas 15h 17 Festa dos Utentes e seus Familiares, no Lar pelas 15h Contactos Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel Praceta da Misericórdia, 20 8150-136 São Brás de Alportel Telefone: 289 842 161 Fax: 289 841 985 E-mail: geral@misericordiasaobras.pt Horário da secretaria: De segundas a sextas-feiras Dias 1 a 8 de cada mês: das 9 às 13 horas e das 14 às 19 horas Restantes dias: das 9 às 13 horas e das 14 às 17 horas Brevemente Cantando um Ano Novo Carnaval Infantil Exposição: “Moda em Cortiça”

[close]

Comments

no comments yet