O Farmacêutico em Revista - Ed. 120

 

Embed or link this publication

Description

O Farmacêutico em Revista - Ed. 120

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

FARMACÊUTICOS SUPER-HERÓIS EM DEFESA DA SUA SAÚDE 20 DE JANEIRO DIA NACIONAL DO FARMACÊUTICO CONSULTE SEMPRE O FARMACÊUTICO! Conselho Regional de Farmácia do 2 O FARMEAsCtaÊdUoTIdCoO PEaMraRnEVáISTA Edição 120

[close]

p. 3

NESTA EDIÇÃO 5 16 5 O profissional de saúde mais próximo da população pede respeito 9 Artigo - Plantas medicinais 12 56 anos de história 15 Segunda Opinião 16 Diplomação 21 Artigo - A Genética e o Farmacêutico 25 Foz do Iguaçu recebeu o maior congresso farmacêutico do ano 28 III Seminário Paranaense de Farmacêuticos 30 Artigo - Atuação do Farmacêutico na Pesquisa Clínica 33 CRF-PR em ação 37 Energia Solar: a energia do futuro agora 39 Lançamento - Farmácia: Bioética e Biodireito 25 ::: EXPEDIENTE ::: O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição nº 120 - 2017 Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná Rua Presidente Rodrigo Otávio, 1.296, Hugo Lange Curitiba/PR | 80040-452 DIRETORIA CRF-PR PRESIDENTE Dr. Arnaldo Zubioli VICE-PRESIDENTE Dr. Emyr Franceschi DIRETORA TESOUREIRA Dra. Mirian Ramos Fiorentin DIRETORA SECRETÁRIA-GERAL Dra. Marina Gimenes CONSELHEIROS REGIONAIS Dra. Cynthia França Wolanski Bordin Dr. Edmar Miyoshi Dr. José dos Passos Neto Dra. Karen Janaina Galina Dr. Márcio Augusto Antoniassi Dra. Maria do Carmo M. Baraldo Dra. Marina Sayuri Mizutani Hashimoto Dra. Mônica Holtz Cavichiolo Grochocki Dra. Sandra Iara Sterza CONSELHEIROS REGIONAIS SUPLENTES Dr. José Antônio Zarate Elias Dra. Mauren Isfer Anghebem Dr. Maurício Portella CONSELHEIRO FEDERAL Dr. Valmir de Santi Dr. Dennis Armando Bertolini (Suplente) ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Ana C. Bruno | MTB 2973 DRT/PR Dayane Carvalho | MTB 6990 DRT/PR Gustavo Lavorato | MTB 10797 DRT/PR Michelly M. T. Lemes Trevisan - Designer Artigos e entrevistas não manifestam necessariamente a opinião de “O Farmacêutico em revista”, e são de inteira responsabilidade dos seus autores. CAPA Michelly Trevisan FOTOS Assessoria de Comunicação | CRF-PR iStock - Banco de Imagens Maeda - Fotógrafo CFF www.crf-pr.org.br facebook.com/crfpr twitter.com/crf_parana youtube.com/crfparana instagram.com/crfpr

[close]

p. 4

EDITORIAL DIRETORIA CRF-PR Mandato 2016 -2017 Dr. Arnaldo Zubioli - Presidente, Dr. Emyr Franceschi - Vice-Presidente, Dra. Mirian Ramos Fiorentin - Diretora Tesoureira, Dra. Marina Gimenes - Diretora Secretária-Geral EDIÇÕES ANTERIORES Para acessar todas as revistas, visite: www.crf-pr.org.br Na última edição de 2017, a Farmacêutico em Revista apresenta as principais conquistas do ano para a classe farmacêutica. Sem dúvida, foi um ano de muitas lutas e muitas vitórias. Temos muito a comemorar, mas ainda muito a conquistar. Que no ano que se aproxima, possamos lograr êxito em novas batalhas, ampliando e fortalecendo ainda o poder de atuação do farmacêutico não apenas em âmbito estadual, mas em todo o território nacional. Lembre-se: o CRF-PR é a casa do farmacêutico, conte sempre com o nosso apoio! Desejamos a todos um excelente 2018.

[close]

p. 5

Dia Internacional do Farmacêutico O profissional de saúde mais próximo da população pede respeito Campanha do dia 25 de setembro reforçou que o cuidado oferecido pelo Farmacêutico faz bem, pode salvar vidas e isso merece o reconhecimento da população Interação medicamentosa, uso inadequado e efeitos colaterais são temas importantes para a saúde de quem faz uso de medicamentos e podem ser esclarecidos num simples diálogo entre Farmacêutico e paciente. O destino do ator Heath Ledger (que interpretou o “Coringa” em Batman: O Cavaleiro das Trevas), morto em 2008 em decorrência de uma overdose por medicamentos, poderia ter sido diferente caso tivesse a intervenção de um Farmacêutico. Esse tipo de orientação faz parte do Cuidado Farmacêutico, uma prática profissional em que o paciente é o principal beneficiário das ações do Farmacêutico, pois o propósito final é obter melhores resultados terapêuticos e melhorar sua qualidade de vida. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120 5

[close]

p. 6

Dia Internacional do Farmacêutico O atendimento nas farmácias comunitárias não se limita mais apenas ao balcão, pode se estender ao acompanhamento clínico de um especialista – o Farmacêutico Clínico. Algumas farmácias já oferecem a Consulta Farmacêutica como diferencial para a população e a tendência é que esse serviço seja oferecido por um número cada vez maior em farmácias de todo o Brasil, avançando cada vez mais no que determina a Lei Federal nº 13.021/2014: Farmácia é um Estabelecimento de Saúde! DENÚNCIAS DE VIOLÊNCIA Na contramão do avanço da profissão, o Farmacêutico está cada dia mais vulnerável e sujeito à violência. Dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná mostram que, no Estado, 4.839 farmácias registraram ocorrências relativas a furtos e roubos no ano de 2016, somente em Curitiba foram 2.746 casos. O índice de violência contra Farmacêuticos também vem crescendo no interior, comprometendo a atuação do profissional que está a serviço da saúde pública. Em junho deste ano, em Cianorte, um Farmacêutico foi morto ao se recusar a vender um medicamento controlado sem receita. Pagou com a vida pela segurança do paciente, atendendo à Portaria nº 344/1998 da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde. Dr. Arnaldo Zubioli – Presidente do CRF-PR, diz que este cenário preocupante precisa mudar. “É intolerável que o Farmacêutico, no exercício de sua profissão, esteja tão vulnerável à violência. Sabemos que se trata de um problema de segurança pública, mas o CRF-PR está fazendo a sua parte orientando a população quanto às normativas que regem a profissão.” Dr. Zubioli ainda alerta que “o Farmacêutico é o responsável pelo controle dos medicamentos e responde perante as autoridades caso as normas não sejam observadas”. O Farmacêutico é o responsável pelo controle dos medicamentos e responde perante as autoridades caso as normas não sejam observadas Dr. Arnaldo Zubioli – Presidente do CRF-PR 6 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120

[close]

p. 7

Dia Internacional do Farmacêutico ESCLARECENDO A PROFISSÃO Com o intuito de informar a população acerca das normativas que regem a profissão farmacêutica e dessa forma contribuir com a segurança dos usuários de medicamentos, o CRF-PR disponibiliza e divulga os seguintes materiais informativos: > Folders “Medicamentos Controlados” e “Farmácia não é Supermercado” > Manual para Dispensação de Medicamentos Sujeitos a Controle Especial > Comunicado 6 – Atendimento de Receituários Esses e outros materiais estão disponíveis no menu “Publicações” do site do Conselho: www.crf-pr.org.br. Campanha na Praça Além dos materiais online e impressos, o CRF-PR trabalhou pela valorização e defesa da profissão na campanha do Dia Internacional do Farmacêutico, comemorado em 25 de setembro. Com o tema “Respeito ao Farmacêutico – o profissional de saúde mais próximo da população”, a campanha foi realizada em várias cidades do Estado oferecendo serviços farmacêuticos gratuitos como aferição de pressão arterial, glicemia capilar e orientações à população. Em sua terceira edição, a campanha na praça já atendeu mais de 10 mil pessoas em todo o Paraná. Além da capital, este ano a campanha contemplou as cidades de Londrina, Cascavel, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Umuarama, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu e Maringá. Curitiba/PR O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120 7

[close]

p. 8

Dia Internacional do Farmacêutico Maringá/PR Ponta Grossa/PR 8 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120

[close]

p. 9

ARTIGO - Plantas Medicinais Estudos clínicos de validação de plantas medicinais O farmacêutico e a clínica. Um relato de experiência Dr. Euclides Lara Cardozo Junior Professor Universidade Paranaense Nos últimos anos nós temos observado grandes modificações técnico-cientificas e sócio-políticas que impactam a maneira como enxergamos as plantas medicinais e sua importância para a manutenção da saúde da população. Nas questões técnico-cientificas pesa o avanço das pesquisas sobre química de produtos naturais que permite visualizar com maior detalhamento a riqueza de compostos químicos presentes nos vegetais e a complexidade das ações biológicas derivadas destes compostos. Também a comprovação farmacológica dos mecanismos pelos quais ocorre a ação do fitocomplexo aumentou a compreensão sobre como atuam os medicamentos fitoterápicos, muitas vezes com diferenças significativas em relação à ação de substâncias quimicamente purificadas e derivadas da mesma planta. Dentre as transformações sociais e políticas é importante ressaltar que a sociedade atual tem valorizado cada vez mais conceitos como o de sustentabilidade, uso racional dos recursos naturais, preservação da biodiversidade e respeito ao conhecimento das populações tradicionais, e todos estes conceitos estão dire- tamente relacionados ao uso das plantas medicinais. Além disso, o mercado também tem sofrido transformações com a valorização de produtos para a manutenção da saúde e a criação de uma gama de produtos intermediários entre o alimento e o medicamento que estão ampliando a visão clássica sobre medicamentos fitoterápicos. Cresce cada vez mais o número de produtos fitoterápicos para a prevenção, que devem ser utilizados continuamente a fim de exercerem um efeito benéfico sobre a saúde. Estas transformações contribuíram para que o Brasil valorizasse um pouco mais seus recursos naturais como fonte de medicamentos fitoterápicos. Atualmente há inclusive uma política pública dedicada ao tema (Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos), que completou 10 anos em 2016. Torna-se repetitivo ressaltar neste texto o potencial que o país tem neste mercado, tanto devido à biodiversidade materializada nos extensos biomas como pelo conhecimento tradicional associado, originado da interação entre as diferentes etnias que formaram o povo brasileiro com esta biodiversidade. Apesar deste enorme potencial, durante O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120 9

[close]

p. 10

ARTIGO - Plantas Medicinais quase toda a segunda metade do século XX, o tema plantas medicinais e fitoterápicos foi relegado a um papel secundário nos grandes debates da profissão. Paralelamente observam-se transformações no papel que o farmacêutico desempenha na sociedade, com maior importância para a atuação clínica, e suas funções como gestor de ações de saúde pública. O Farmacêutico tem uma grande responsabilidade na valorização dos medicamentos originados de plantas medicinais. Outra mudança é que diferentes profissionais podem atuar na prescrição de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos de acordo com suas competências. A prescrição de fitoterápicos está aumentando na atuação da enfermagem, nutrição e odontologia. Esta nova realidade traz o desafio de continuamente repensarmos como o tema plantas medicinais é tratado no âmbito do exercício profissional. O objetivo deste artigo é trazer um relato das atividades de nosso grupo de pesquisa sobre uma espécie nativa de grande importância econômica e sociocultural para o estado, e como estas pesquisas evoluíram no contexto destas transformações. A erva-mate (Ilex paraguariensis A.St.-Hil.) que é tão conhecida e consumida pela população, apresenta uma grande importância histórica, pois foi o ciclo da erva-mate que permitiu a emancipação politica e econômica do estado do Paraná. Apesar de sua importância, também foi negligenciada pela pesquisa quanto às suas atividades biológicas. O Curso de Farmácia da UNIPAR - Toledo mantém uma linha de pesquisa sobre esta espécie nativa desde o ano 2000. Nestes 17 anos o grupo de pesquisa da UNIPAR, coordenado pelo Prof. Euclides Lara Cardozo Junior publicou inúmeros trabalhos científicos em parceria com diferentes pesquisadores. Devido ao caráter interdisciplinar participaram destes esforços pesquisadores da EMBRAPA – Florestas, Departamento de Engenharia Química da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Unité Nutrition Humaine- Groupe Micronutriments Métabolisme et Santé (MicroCard) - Institut National de La Recherche Agronomic (INRA), Clermont Fer- O Farmacêutico tem uma grande responsabilidade na valorização dos medicamentos originados de plantas medicinais. rand – França, Departamento de Farmácia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Laboratório de Farmacologia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). O trabalho de pesquisa com erva-mate permitiu criar uma base de informações sobre esta espécie e abrir perspectivas para novas utilizações. Este projeto também está vinculado ao desenvolvimento tecnológico buscando produzir inovações a partir da biodiversidade brasileira. Participam na colaboração empresas do setor ervateiro com interesse no desenvolvimento de novos produtos tecnológicos da erva-mate. A erva-mate é cultivada comercialmente nos países do Cone Sul da América Latina para preparação de bebidas tônicas e estimulantes. O hábito de consumir a erva mate como infusão, na forma de chimarrão ou tererê, foi herdado dos indígenas e está profundamente arraigado nas populações do Cone Sul, sendo um dos hábitos mais característicos desta região. Dentre os compostos químicos de interesse nesta espécie, destacam-se metilxantinas (cafeína, teobromina), compostos fenólicos, saponinas, vitaminas hidrossolúveis e minerais. Quando iniciamos o projeto de pesquisa com esta espécie o foco era a produção de cafeína e seu efeito estimulante, e após quase duas décadas de estudo sabe-se que a planta produz uma variedade de outros compostos químicos em seu metabolismo. Den- 10 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120

[close]

p. 11

ARTIGO - Plantas Medicinais tre estes estão os compostos fenólicos da família dos ácidos clorogênicos (ácidos cafeoilquinicos) e as saponinas triterpenicas derivadas dos ácidos ursólico e oleanólico. São dezenas de compostos químicos que são ingeridos regularmente pelos consumidores da erva-mate demonstrando a riqueza de fitoquímicos presentes nesta espécie. No inicio do projeto o objetivo foi desvendar questões referentes à dinâmica dos compostos químicos responsáveis pelas propriedades da erva mate, para caracterizar o perfil fitoquímico de matrizes utilizadas no cultivo da erva-mate em diferentes regiões do Paraná. Este estudo contribuiu para a diferenciação fitoquímica das matrizes e a correlação com os fatores ambientais, de manejo e de origem de cada matriz. Hoje há um conjunto de informações químicas que permitem selecionar matrizes de erva-mate com perfil químico próprio e que podem ser cultivadas para obter produtos diferenciados para o mercado. Neste período diferentes trabalhos experimentais com animais permitiram associar o consumo de erva-mate com mecanismos de proteção cardiovascular e com efeitos positivos sobre a melhoria na qualidade de vida. Estes benefícios são atribuídos à presença dos compostos fenólicos da erva-mate. Estas evidências nos levaram a elaborar um estudo clinico de nutrigenômica com os objetivos de: (1) Fornecer evidências sobre os efeitos dos polifenóis dietéticos da erva-mate na proteção vascular em humanos; (2) Decifrar seus mecanismos moleculares de ação. A abordagem utilizada envolve a criação de ensaios clínicos em humanos e estudos de intervenção nutricional para demonstrar a eficácia de polifenóis para prevenir doenças cardiovasculares. Por outro lado, também envolve a utilização de abordagem holística transcriptoma, o que permite considerar a ação multi-alvo dos polifenóis para identificar novas hipóteses mecanísticas a nível celular e molecular. Nesta abordagem integrada, os mecanismos de ação dos compostos polifenólicos podem ser avaliados em relação à proteção vascular. Em última análise esta pesquisa com a erva-mate pode fornecer novos conhecimentos fisiológicos altamente relevantes, que devem levar a avanços no desenvolvimento de intervenções dietéticas ou no desenvolvimento de alimentos funcionais para prevenir ou limitar a progressão de doenças cardiovasculares. Novos usos para a erva-mate poderão trazer impactos positivos na cadeia produtiva desta espécie que atualmente tem seu mercado concentrado em poucos produtos de uso tradicional e limitado a países da América Latina. Como espécie nativa e de grande potencial de mercado poderão surgir informações que contribuam para o desenvolvimento de produtos para a saúde, que possuam maior valor agregado do que as bebidas tradicionalmente elaboradas com esta espécie e que possam ser consumidos por populações que não têm o hábito de consumir nosso chimarrão ou tererê. Este é um exemplo de pesquisa que busca valorizar o maior patrimônio do país que é a biodiversidade vegetal, e pode trazer benefícios para toda a cadeia produtiva. Ao mesmo tempo insere o farmacêutico numa linha de trabalho de avaliação clínica, em conjunto com outros profissionais como o nutricionista, que tem como resultado uma abordagem diferente dos problemas de saúde com a busca de estratégias de prevenção através de consumo de produtos para a saúde. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120 11

[close]

p. 12

FARMÁCIA DO PARANÁ O CRF-PR se orgulha de ser referência para outros Conselhos de Farmácia do país Desde a sua fundação em 14 de outubro de 1961, a valorização da profissão farmacêutica é uma das principais bandeiras levantadas pelo Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná. Ao fazer uma retrospectiva dos 56 anos de atuação do CRF-PR, é possível entender a importância do órgão responsável por zelar pela fiel observância dos princípios da ética e da disciplina dos que praticam atividades farmacêuticas no Paraná. O Conselho arcou com responsabilidades e enfrentou desafios para promover a saúde e fazer da Farmácia o que é hoje: uma profissão forte, marcada pela qualificação e reconhecida como imprescindível na saúde brasileira. Os Conselhos Federal e Regional de Farmácia nasceram de uma antiga aspiração dos Farmacêuticos, inspirados na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O primeiro anteprojeto de Lei para criação da OAB foi proposto por volta de 1945. Houve muitas alterações até o projeto final que se transformou na Lei nº. 3.820, de 11 de novembro de 1960, a qual criou os Conselhos de Farmácia, inspirados nos precedentes Conselhos de Engenharia e Contabilidade. O maior entrave para a aprovação do Projeto de Lei (em trâmite durante muitos anos no Congresso Nacional) estava na divergência entre Farmacêuticos e práticos de farmácia – proprietários de farmácias – que buscavam o direito de se tornarem os Responsáveis Técnicos (RTs) de seus estabelecimentos comerciais, conforme já acontecia por conta de leis anteriores de 1931 e 1951. Após muitas discussões, o art. 33 da Lei nº 3820/60 pôs fim ao embate e ambas as partes entraram em um acordo. A partir de então, começaram a surgir os Conselhos Regionais de Farmácia, antes divididos por regiões, hoje, cada estado é representado com sua própria unidade. 12 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120

[close]

p. 13

56 anos do CRF-PR Há 56 anos lutando pela profissão, atualmente, o CRF-PR é referência para outros Conselhos de Farmácia do país, principalmente por ser um dos maiores órgãos fiscalizadores da atividade farmacêutica no Brasil. A fiscalização não existe para punir profissionais, mas sim, para garantir ao Farmacêutico estabilidade no mercado de trabalho, respeito e reconhecimento, resultando em uma assistência de excelência à saúde da população, público que deve ser o maior beneficiado. Muitos têm sido os avanços da classe farmacêutica nos últimos anos, com repercussão positiva na sociedade. Entre as últimas conquistas, resultado de ações desenvolvidas pelo CRF-PR, está a Lei 13.021/14, que fundamenta a Farmácia como estabelecimento de saúde e o papel do Farmacêutico na assistência integral à saúde da população. O CRF-PR tem uma história construída com amor, dedicação e muito esforço, por parte de seus Diretores, Conselheiros, membros de Comissão e Colaboradores, com os olhos no futuro e buscando melhorar, sempre, a profissão farmacêutica. SOLENIDADE No dia 19 de outubro, durante a 871ª Reunião Plenária, aconteceu a sessão solene em comemoração aos 56 anos do CRF-PR. Na ocasião, os Diretores e Conselheiros puderam assistir um vídeo preparado especialmente para a ocasião, relembrando um pouco a história e conquistas do Conselho em pouco mais de meio século de trajetória. Logo após, o evento seguiu com um depoimento do Dr. Carlos Cecy, ex-presidente do CRF-PR, que falou sobre a regulação das profissões e seus propósitos. Juntaram-se a ele, para tratar sobre a criação dos Conselhos Regionais de Farmácia e sua representatividade, os também ex-presidentes Dra. Marisol Dominguez Muro, Dr. José dos Passos Neto e Dr. Airton José Petris. Ao final da solenidade, o Presidente do CRF-PR, Dr. Arnaldo Zubioli, ressaltou a importância de todos saberem sobre a história do Conselho, observarem os desafios superados e definir os próximos objetivos a serem alcançados. “Em breve, estaremos nos registros e outros Farmacêuticos estarão aqui no Plenário. Nosso papel é contar a história, mas não viver o passado. Devemos pensar no futuro, valorizando sempre a profissão farmacêutica e a defendendo como primordial para a saúde da população”, afirmou aos Conselheiros e participantes presentes. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120 13

[close]

p. 14

56 anos do crf-pr Dr. Carlos Cecy ministrou a palestra “Regulação das profissões e seus propósitos: Conselhos”. Dra. Marisol Domingues Muro falou sobre a representividade do CRF-PR perante aos Farmacêuticos. Dr. Airton Petris falou sobre a representividade do CRF-PR perante aos acadêmicos Dr. José dos Passos Neto falou sobre a representividade do CRF-PR perante à sociedade. Dra Célia Fagundes da Cruz e Dr. Yoshio Hashimoto durante solenidade. Ex-presidentes do CRF-PR. 14 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120

[close]

p. 15

Segunda Opinião você pode e deve utilizar esta ferramenta A partir de agora, os profissionais de Saúde do Paraná têm acesso gratuito a um sistema inovador de segunda opinião na área de saúde. A ferramenta tira dúvidas e auxilia na tomada de decisão de casos atendidos diariamente. Organizado em parceria entre a Secretaria da Saúde do Estado do Paraná e a empresa inglesa British Medical Journal, a ferramenta garante suporte técnico online aos farmacêuticos, médicos, enfermeiros e demais profissionais que atuam em unidades de saúde, hospitais e centros de especialidades do Paraná. O vasto banco de dados, com informações que acompanham os avanços da medicina, ajuda a fechar diagnósticos e indicar o tratamento adequado aos pacientes. O sistema já é utilizado por mais de 350 mil pessoas em 60 países. O conteúdo é apresentado totalmente em português. Além disso, a plataforma oferece um recurso de aprendizagem a distância composto por mais de mil módulos sobre as mais variadas doenças e condutas clínicas. No formato de textos, vídeos e áudios, as informações são baseadas em evidências científicas, com tópicos escritos por especialistas reconhecidos internacionalmente. Cadastre-se e tenha acesso a todo o conteúdo! Passo a passo: 1. Acesse http://emails.bmj.com/q/1mjsIxAGNaHw92IpHip9/wv e clique em “Cadastre sua conta agora”. 2. Você será direcionado a uma página para preencher seu endereço de e-mail. Em seguida, clique em “Continuar”. 3. Você será direcionado para um formulário de cadastro. Preencha o formulário. Clique em “Registrar-se”. 4. Após se cadastrar ou realizar o login, você será direcionado para o Hub BMJ. Aproveite! O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 120 15

[close]

Comments

no comments yet