Boletim Cristo Rei - Ano II - 18

 

Embed or link this publication

Description

Boletim Mensal da Paróquia

Popular Pages


p. 1

BOLETIM Ano II – Edição 18 Dezembro/2017 Nesta Edição: 2 Acontece - Preparando o Natal - Iniciação Cristã (II) 3 Nossa Paróquia - Paróquia a caminho - Igreja em saída - A presença do leigo no mundo Calendário Paroquial 4 Vida Cristã - A Catequese e a Liturgia Mensagem do Papa Palavra do Pároco A grande proposta e sugestão para este final de ano é fazer uma grande “Faxina”, conforme nos sugere o psicoterapeuta Leo Fraiman. Não se trata de preparar festas e confraternizações, comprar presentes e alimentos para Natal, ou fazer grandes doações para agradar o nosso Ego. Segundo Fraiman, é preciso fazer uma limpeza geral na casa, no guarda roupa, no coração, Parar, Perdoar, Abraçar e praticar a Gratidão. A preparação para o Natal deve começar dentro de cada um de nós. Muitas vezes fugimos de nós mesmos, saindo, atrás de compras, arrumações, festas e atividades superficiais e passageiras. É preciso voltar às fontes, a partir de nossa vida pessoal, nossos conflitos, nossos medos e nossas limitações. É com fé que temos que batalhar, redescobrir nossa identidade cristã, nosso modo de praticar a missão de discípulos missionários. É voltando às fontes que percebemos quem somos e, sobretudo, percebemos que não estamos sozinhos, mas estamos nas mãos de Deus e Ele conta conosco para terminar sua Obra. O mesmo é preciso fazer em relação à Pastoral. Não se trata de multiplicar as atividades, mas colocar o espírito do “Plano de Pastoral” em todas as ações que realizamos. Pedimos muitas vezes para abençoar as coisas que nós fazemos, mas pedimos poucas vezes para Ele abençoar a nós mesmos e para sermos melhores colaboradores naquilo que Ele quer que nós façamos. São perspectivas diferentes. Lá em Fátima dizia-me um sacerdote que ele tinha uma “filosofia pastoral”: “É preciso aproveitar todos os momentos, cada momento para acolher, construir um bom relacionamento e Criar comunidade, despertando e conscientizando a todos que precisam colaborar com Jesus. Neste Ano do Laicato, os cristãos são chamados a tomar consciência de sua missão. Perder o medo de se arriscar, de experimentar coisas novas, de ir ao encontro dos que estão distantes ou adormecidos. Leigos cristãos: não se preocupem em multiplicar as atividades, as ações e os programas. O objetivo principal é anunciar Jesus, ajudar cada ser humano a encontrar Jesus. Em tudo o que fazem, perguntem antes: “Isto ajuda-me a encontrar Jesus?” Do contrário, diz o Papa Francisco, seremos apenas uma ONG. É a partir do contato com Jesus e do conhecimento das escrituras que vocês irão conseguir a renovação das estruturas do mundo, e também da Igreja, da Paróquia, dos Servidores do Reino. Cônego Luiz Carlos F. Magalhães

[close]

p. 2

PG 2 Boletim - Paróquia C r i s t o R e i Acontece PREPARANDO O NATAL Mais uma vez é Natal. Parece que esta festa se repete todos os anos para ver se o povo aprende as lições que o nascimento de Jesus nos traz. Lições de humildade, de pobreza, de simplicidade e de testemunho de solidariedade. Mas, o que vemos na realidade? A imagem do Papai Noel com suas fantasias externas e internas encobre toda a beleza do Natal. A superficialidade toma conta de muitas pessoas que insistem em esconder a verdadeira lição do Natal. Infelizmente a figura do Papai Noel e dos demais símbolos do comércio competitivo e excludente tomou conta dos altares das Catedrais de nossos Shoppings Centers. Perdemos a sensibilidade de ver além das aparências, perceber o invisível nas coisas visíveis. A mensagem do presépio não pode ficar despercebida por nós. O presépio que Francisco descobriu em seu coração, ele desejava que todo mundo conhecesse, tal qual ele sentiu e viveu. Vamos contemplar o presépio. Aprender com essa “parábola” a melhor maneira de viver e ser feliz. Vamos preparar o Natal. Em meio à correria do cotidiano precisamos aprender a “parar”: “ser uma mãe menos perfeita, um filho menos legal, um professor menos exigente, um chefe menos crítico. Fazer o que é importante, fazer bem feito e fazer com gosto”. É preciso aprender também a “perdoar”: “o perdão liberta; o perdão nos permite, a nós e ao outro, ser humanos, imperfeitos...”. É preciso valorizar mais o “abraçar”: “o abraço libera a citosina que é o hormônio do amor; abraçar é receber o outro no seu coração”. Enfim, é preciso não se esquecer de “agradecer”: “repetir esse pensamento e esse gesto todos os dias faz com que sua própria felicidade possa aumentar”. (dicas de Leo Fraiman, Youtube). INICIAÇÃO CRISTÃ (II) A Comunidade de fé é a primeira responsável pela iniciação cristã. "O iniciante no caminho da Iniciação à Vida Cristã precisa sentir-se bem na comunidade e descobrir nela o exemplo concreto do tipo de vida com o qual ele quer se comprometer" O Diretório Nacional de Catequese destaca a responsabilidade da comunidade, mas da comunidade de fieis. Sem o compromisso da comunidade, como sujeito responsável pela catequese, os catequistas pouco podem realizar. Quando o Documento de Aparecida pediu a conversão pastoral também sugeriu a iniciação à vida cristã como urgência e resposta a esta conversão. Neste sentido, o Documento 107 afirma o seguinte: "diante do pluralismo religioso e cultural, muitas pessoas procuram viver a fé cristã de modo privatizado, multiplicando devoções pessoais e espiritualidades intimistas. Contudo, mesmo que cada um possa ter um jeito pessoal de ser religioso. É impossível crer sozinho. Deve haver uma unidade no meio da diversidade dos sentimentos e estilos de cada um. Tal unidade é encontrada sobretudo na liturgia, ponto comum de chegada e de partida da fé e da vida cristã". A Comunidade tem a contribuição fundamental no processo de educação da fé porque anuncia com palavras e com a própria vida a Boa Nova de Jesus Cristo. Portanto, ao ser organizado o Projeto diocesano de Iniciação à Vida Cristã, é preciso levar em conta o envolvimento da comunidade, de modo especial, nas celebrações que marcam os Tempos e Etapas da catequese de inspiração catecumenal.

[close]

p. 3

Boletim - Paróquia C r i s t o R e i PG 3 Nossa Paróquia PARÓQUIA A CAMINHO Calendário Paroquial Com alegria percebemos a caminhada da Paróquia, Cristo Rei que, à luz do Evangelho de Jesus Cristo e aliada aos pedidos do Papa Francisco, busca ser uma Igreja em saída, de mudança nas suas estruturas, com novos desafios, sendo Igreja fora do templo e protagonizando o anúncio de Jesus Cristo nos tempos de hoje. Como um grande exemplo desta caminhada, temos os GRUPOS DE VIVÊNCIA CRISTÃ, que alguns, já com um longo tempo de existência, vão ganhando forma e semelhança das primeiras comunidades dos Atos dos Apóstolos, se reunindo em suas casas, para falar e celebrar a vida em Jesus Cristo, sempre com a ajuda e reflexões do nosso cônego Luiz Carlos da Fonseca Magalhães. Neste ano litúrgico que começou, a Igreja Católica promove o ANO DO LAICATO, incentivando e orientando para que os cristãos sejam discípulos missionários na sociedade. Os GRUPOS são diversificados, sendo três em condomínio de casas, um em condomínio vertical, quatro em casas fora de condomínio. Procurem o banner no átrio do templo para sua participação. Feliz 2018 para todos. E que novos grupos nasçam com a Graça de Deus. Gilson Marcos Cucatti IGREJA EM SAÍDA 01 Missa Sagrado Coração Jesus - 17h00 Confraternização Contadores História - 11h00 02 Confraternização Catequese e Perseverança - 15h30 Tirinhas Alimentos – Solidariedade Vinda Crianças CEPROMM e Sta. M. Eufrásia - Missa 11h 03 Início Novena Natal - Jovens 17h00 Tirinhas Alimentos – Solidariedade 06 Missa dos Enfermos - 17h00 Final Novena Natal - Jovens 17h00 07 Hora Santa - Adoração ao Santíssimo Sacramento - 19h45 Atentos às orientações do Papa Francisco e dos nossos Bispos (CNBB), a nossa Paróquia de Cristo Rei vem se preparando, estudando e vivendo, se esforçando e agarrando esta oportunidade histórica de participação como “Igreja em saída”, indo ao encontro dos irmãos, levando a proposta do ”Reino de Deus” que é de justiça amor e paz. Sabendo que Jesus, “O Bom Pastor”, nos guia, vamos com fé, como discípulos missionários seguros e confiantes nesta empreitada, onde o Senhor nos colocou: na nossa família, trabalho,no lazer, no convívio das pessoas, etc. Vivendo o amor, plantando, ouvindo, falando sorrindo, enfim como sal, fermento e luz, nos esforçando colocando as pessoas em nossos corações e menos em nossos julgamentos. Neste tempo do advento, atentos digamos... Eis-nos aqui Senhor! TUCA, Diácono Antonio Maria S. de Miranda 08 NOSSA SENHORA FERIADO DA CONCEIÇÃO - Preparação Batismo - 16h00 09 Início da Vigília de Natal Catequese - 18h30 Batismo - 9h00 10 Término da Vigília de Natal Catequese - 9h30 12 Reunião Mensal CONSEG - 19h00 16 Ofertas da Partilha A PRESENÇA DO LEIGO NO MUNDO Desde o vaticano II, a nossa santa Igreja já havia dito que o leigo é a figura mais importante na Igreja, seja pelo fato de tudo o que o mestre Jesus fez diretamente para os leigos, tanto pelo fato de ser o leigo a pessoa que faz com que a Igreja funcione. Por esse motivo a Igreja deu e dá essa importância a todos nós que não fazemos parte do clero, mas, sabedora de que somos o objetivo fundamental da evangelização, também somos chamados a Ser Presença no Mundo, conforme afirma o Documento do Concílio, “Alegria e Esperança”. E também pelo fato, conforme citei de que o leigo é o “braço direito” da igreja, principalmente a católica, onde somos chamados a ser ministros, catequistas e muitas outras formas de animar a própria comunidade em todos os trabalhos da nossa igreja. Estamos comemorando esse ano, o Ano do Laicato, onde deveremos ser lembrados como instrumento fundamental para os objetivos da evangelização pregado por nosso mestre Jesus. Oreste Bianchi Junior Encerramento Confraternização 17 Jovens Ofertas da Partilha 20 Confraternização futebol - 18h00 23 Missa casais aniversariantes - 19h00 24 Vigília do - 19h00 Natal – Missas: 8h00 - 11h00 25 Natal do Senhor Jesus - Missa - 11h00 Eventos, notícias, fotos Acesse nosso site www.paroquiacristorei.com.br

[close]

p. 4

PG 4 Boletim - Paróquia C r i s t o R e i Vida Cristã A CATEQUESE E A LITURGIA A Liturgia formou a Igreja nos primeiros séculos. Era ela a escola da fé da comunidade cristã que testemunhava o Mistério Pascal no cotidiano da vida. “Não há razão para o catequista se colocar tão longe dos ministros e agentes de liturgia da comunidade. Todos têm a mesma finalidade de ajudar os batizados a celebrar, com maior consciência e compromisso, os mistérios da fé”. Catequese e Liturgia são os dois pés que conduzem os candidatos que percorrem o itinerário de formação dos discípulos missionários. A Catequese está para educar e aprofundar o conhecimento sobre a pessoa de Jesus e de seu projeto de vida. A Liturgia celebra e festeja o encontro pessoal com Cristo, alimentando a fé e provocando a partilha de experiências de vida. A unidade entre Liturgia e Catequese estará assegurada quando o itinerário de iniciação à vida for organizado segundo a dinâmica do Ano Litúrgico que “é o desdobramento dos diversos aspectos do único mistério pascal”. “O Ano Litúrgico é a celebração da fé no tempo, em sua dinâmica de passado, presente e futuro, na continuidade da tradição judaica que reconhece o tempo (história) como lugar da manifestação de Deus. O povo judeu construiu uma verdadeira arquitetura do tempo para fazer a memória dos momentos em que Deus irrompeu na sua trajetória, reconhecendo o sentido dos eventos passados e apontando para a eternidade presente no agora da liturgia”. Os itinerários de iniciação à vida cristã precisam propor a vivência da espiritualidade do Ano Litúrgico, acompanhando a educação da fé por meio das celebrações litúrgicas próprias da inspiração Catecumenal. Mensagem do Papa “Quanto a Maria, conservava todas estas coisas, ponderando-as no seu coração” (Lc 2, 19). Assim descreve Lucas a atitude com que Maria acolhe tudo aquilo que estava a viver naqueles dias. Maria é a mulher que sabe conservar, proteger, guardar no seu coração a passagem de Deus na vida do seu povo... As mães são o antídoto mais forte contra as nossas tendências individualistas e egoístas. Uma sociedade sem mães seria não apenas uma sociedade fria, mas também uma sociedade que perdeu o coração, que perdeu o «sabor de família». No momento do dom maior de sua vida na cruz, Jesus disse a Maria: Eis o teu filho, eis os teus filhos. Nós queremos acolhê-La nas nossas casas, nas nossas famílias, nas nossas comunidades, nos nossos países. Queremos encontrar o seu olhar materno: aquele olhar que nos liberta da orfandade; aquele olhar que nos lembra que somos irmãos, que somos da mesma carne; aquele olhar que nos ensina que devemos aprender a cuidar da vida da mesma maneira e com a mesma ternura com que Ela o fez, ou seja, semeando esperança, semeando pertença, semeando fraternidade. Boletim da Paróquia Cristo Rei Distribuição gratuita  Period.: mensal  Tiragem: 400 exemplares Respons.: Pe. Luiz Carlos F. Magalhães - fogodaterra@terra.com.br Projeto gráfico e diagramação: PASCOM (Pastoral da Comunicação) Paróquia Cristo Rei Rua Elisiário Pires de Camargo, 210 Jd. Chapadão  Campinas, SP  CEP 13070-099 Tel: (19) 3242-0500  secretariacristorei@terra.com.br

[close]

Comments

no comments yet