Cemara Informa - Ano 11 - Edição nº23 - Dezembro 2017

 

Embed or link this publication

Description

Cemara Informa - Ano 11 - Edição nº23 - Dezembro 2017

Popular Pages


p. 1

Informativo Semestral da Cemara Loteamentos Com mercado imobiliário se reaquecendo, loteamento é alternativa para realizar sonho da casa própria Confira a matéria nas páginas 8 a 11 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 Toque de Especialista Dicas de como arrumar as malas da família para as férias. Pág. 05 É Bom Saber Materiais alternativos estão sendo usados na construção civil. Pág. 13 Empreendimento em Foco Cemara prepara lançamentos para o interior do Estado em 2018. Pág. 16

[close]

p. 2

2 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 EDITORIAL 2018 vem aí com boas perspectivas para o mercado imobiliário! Com certeza, 2017 foi um ano surpreendente. Os desajustes na política não causaram tantos estragos na economia. Pelo contrário. Depois de 8 trimestres de retração, estamos crescendo (mesmo que lentamente). E as projeções para 2018 são bem promissoras e melhoram ainda mais em 2019. Para o nosso segmento, as notícias não poderiam ser melhores. O mercado imobiliário está reaquecido e o loteamento passou a ser uma alternativa interessante para quem quer construir a casa própria. É exatamente esse o tema da nossa Matéria de Capa, que mostra como 2017 esta sendo importante nessa recuperação do setor. Para completar nossa Matéria de Capa, um artigo assinado por Adriano Gomes, sócio-diretor da Méthode Consultoria e professor de finanças da ESPM, fala sobre o porquê os brasileiros gostam de comprar imóveis, mesmo em tempos de crise. Nós aqui da Cemara temos muito que comemorar esse ano. O sucesso do Loteamento Bella Ville em Hortolândia e todos os resultados positivos que superaram nossas expectativas. Em 2018, estamos preparando novos lançamentos para o interior do Estado. E tem mais. Por 3 anos consecutivos, a nossa empresa faz parte do TOP 5 das melhores empresas para trabalhar na Região, prêmio concedido pelo GPTW. Agradecemos o reconhecimento dos nossos colaboradores. O evento está na seção Fique por Dentro, que ainda destaca a realização da 11ª edição do Cemara Open de Raquetinha. Preparamos também uma matéria especial na editoria Toque de Especialista, com a personal organizer Flávia Benetton que ensina como arrumar as malas para as viagens de férias com a família e as crianças. A seção Planejar é Crescer vem com informações interessantes sobre como economizar nos presentes, na ceia ou nas férias usando seus pontos nos programas de fidelidade. Os jardins verticais, também conhecidos como jardins suspensos, são a estrela da seção De Bem Com o Planeta. Mostramos algumas sugestões de plantas que podem ser usadas e estruturas para levar o verde para dentro de casa. No Giro Regional, destaque para Nova Odessa/SP, cidade em que a Cemara realizou seu primeiro loteamento, com seus pontos turísticos que são ótimas opções para passeios e que apostam na ecologia e educação, como o Jardim Botânico Plantarum. Aproveitem a leitura! Boas festas e Feliz 2018! Marcos Dei Santi Diretor da Cemara Loteamentos GESTÃO E DESENVOLVIMENTO Comitês de trabalho auxiliam na gestão da empresa e trazem resultados efetivos Ferramenta com participação ativa de gestores e, recentemente, dos colaboradores, integra equipes, treina novos líderes e oferece conhecimento global da Cemara A Cemara Loteamentos tem investido constantemente em inovações e no uso de ferramentas de gestão no seu ambiente corporativo. Práticas baseadas em condutas que envolvem a transparência, equidade, prestação de contas e consequentemente o aumento da produtividade. Uma das mais importantes iniciativas implantadas na Cemara são os Comitês de Trabalho que são responsáveis pela definição das estratégias e execução dos projetos da empresa. Eles começaram a ser implantados em abril de 2010 e desde então os resultados vêm sendo muito positivos. Comitê de Gestão e Pessoas Resultados Segundo Marcos Dei Santi, vice-presidente da Cemara, o primeiro Comitê implantado na empresa foi o de Inadimplência, em 2010, reunindo gestores das áreas de Relacionamento com o Cliente, Comercial, Jurídico, Financeiro e Diretoria. “No primeiro ano de atuação do Comitê, conseguimos reduzir a inadimplência em um terço se comparado ao período anterior do começo do trabalho”, disse. tam resultados no dia a dia da corporação como evitar desperdícios e ganhar tempo na execução das tarefas. “Aumentamos a nossa produtividade, integramos nossas equipes, treinamos novas lideranças e demos a possibilidade de todos os nossos colaboradores terem uma visão holística do nosso negócio”, comentou. Outro resultado importante, citado pelo executivo, foi o trabalho realizado pelo Comitê de Lançamentos para o lançamento do Jardim Girassol, em 2015. “Conseguimos em 14 dias preparar todo o processo do lançamento, que antes do Comitê demorava cerca de 4 meses. Antecipamos todo o trabalho e envolvemos várias áreas. Isso acontece hoje em todos os nossos lançamentos”, destacou Dei Santi. Funcionamento Os Comitês de Trabalho da Cemara possuem caráter técnico e consultivo e tomam decisões de acordo com as diretrizes de referência de cada setor. Cada comitê tem suas regras próprias, como a periodicidade das reuniões, eleição de seus gestores e integrantes e os objetivos a serem alcançados. A partir desse resultado expressivo, a empresa foi criando novos comitês. Hoje, são 12 em atuação que abrangem todas as áreas da Cemara. A atuação dos Comitês de Trabalho também apresen- O gestor de cada comitê é responsável por marcar as reuniões, envolver os integrantes nas atividades, conduzir a elaboração dos planos de ação e definir com todos os envolvidos quais as ativida-

[close]

p. 3

Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 3 des que serão desenvolvidas e quem serão os responsáveis por cada uma das tarefas. Celso Ramos da Silva - TI Celso Ramos, Supervisor de TI, é membro do Comitê de Tecnologia da Informação. Ele destacou a importância da ferramenta na empresa. “O Comitê auxilia a tomada de decisão nas atividades e define ações estratégicas referentes aos assuntos discutidos nas reuniões. Já foram implantadas diversas melhorias que otimizaram tempo, reduziram custos e evitaram erros. Em cada assunto discutido, definimos uma diretriz para ver a viabilidade, prazo e os responsáveis até execução da melhoria. São nessas reuniões que definimos as ações e também apresentamos os resultados obtidos”, disse. Colaboradores No início do ano, a diretoria abriu a oportunidade para que colaboradores também pudessem participar das equipes dos Comitês. “Tivemos uma alta adesão de nossos colaboradores que já começaram a participar das reuniões. Eles vivenciam a experiência e saem com atividades para cumprir”, destacou Dei Santi. Bruna Vaz Gallão Marconi - Relacionamento com o Cliente Bruna Vaz Gallão Marconi, que trabalha no setor de Relacionamento com o Cliente, participou de uma das reuniões do Comitê de Pesquisa e Desenvolvimento. Segundo ela, participar do Comitê a ajudou a entender a atividade de outra área diferente da que ela atua. “Pude ver, por exemplo, onde começa o planejamento de um bairro. Agora sei que posso ter ideias, ajudar no trabalho do próximo e contribuir com outras áreas. No Comitê que acompanhei, tive abertura para dar sugestões e opinar sobre os assuntos discutidos. Foi uma ótima experiência”, analisou. Economize no presente de Natal com os programas de fidelidade Com o Natal chegando, fim de ano e férias, é hora daquela correria para comprar presentes, produtos para ceia e escolher o destino das férias. Hora também de pensar em economizar aproveitando as diversas promoções de resgate oferecidas pelos programas de fidelidade. Em tempos de orçamento apertado, as milhões de ofertas de produtos, serviços e itens de viagens são mais uma oportunidade de agradar os diferentes estilos, sem a necessidade de colocar a mão no bolso. Podem ser milhas, pontos, dotz, bônus. Seja qual for o nome, a pontuação acumulada em programas de fidelidade tornou-se uma moeda com amplas possibilidades de troca. Que tal programar suas férias e trocar seus pontos por passagens aéreas que são os itens mais resgatados por participantes de programas de fidelidade? As passagens respondem por 70% das trocas. Além das passagens aéreas, as empresas oferecem outros tipos de produtos e serviços para trocar seus pontos/milhas. Pode ser por passeios, aluguel de carros, hospedagem e ainda descontos em restaurantes, shows, entre outros. Se a ideia é presentear, os programas de fidelidade oferecem várias opções com itens de moda, perfumes e acessórios. Dá também para fazer a troca com produtos de alimentação e bebidas para comemorar com economia no Natal e Ano Novo. E tem mais vantagens. A pontuação acumulada em programas de fidelidade tornou-se uma moeda com amplas possibilidades de troca. Ou seja, além de presentear e viajar, alguns cartões de crédito já oferecem descontos na fatura em troca dos pontos, a possibilidade de pagar as contas da casa, para abastecer o carro e ainda usar o resgate para fazer caridade ou apoiar projetos ambientais. Gostou das dicas? Talvez essa seja a hora de começar! Para isso, a Multiplus preparou dez dicas superúteis na hora de acumular e resgatar pontos: 1. A primeira recomendação é descobrir onde é possível acumular pontos, ou seja, quais empresas têm programas de fidelidade. Vários segmentos do dia a dia já aderiram: farmácias, postos de gasolina, escolas de idiomas, lojas de vestuário etc. 2. Concentre suas compras em empresas que tenham programas de fidelidade. Cada uma delas possui um regulamento específico. Consulte periodicamente as regras para acúmulo e resgate de pontos. É muito importante conhecer bem os benefícios oferecidos para melhor aproveitá-los. 3. Compare as mecânicas de pontuação, bem como as regras de cada programa: pontuação mínima para resgate, prazo de validade dos pontos, relação do valor gasto com a quantidade de pontos acumulada etc. 4. Participe de uma rede que reúna pontos de várias empresas em uma única conta, assim você acumula mais em menos tempo. Ao concentrar todos os pontos, é possível conquistar prêmios de maior valor. As redes possuem inúmeras opções, como passagens aéreas, hospedagens, experiências, produtos eletrônicos, assinatura de TV, entre outros. Sempre haverá algum prêmio do seu interesse. 5. Peça sempre ao atendente do estabelecimento que credite os seus pontos na hora da compra. Confira se todas as pontuações foram creditadas. 6. Consulte sempre o prazo de validade dos pontos, para não deixar que expirem. 7. Cartão de crédito: em quase todos é possível ganhar pontos. Confira seu saldo na fatura do cartão mensalmente, para saber quantos pontos têm à disposição. 8. Faça todas as compras (da farmácia à viagem internacional) com o cartão de crédito. Assim você pontua duas vezes: pelo estabelecimento e pelo cartão de crédito. 9. Transfira outras contas rotineiras para a fatura do seu cartão. Assim você passa a ganhar mais pontos pelo cartão de crédito. 10. Você ainda pode utilizar seus pontos para presentear alguém: com passagens, produtos eletrônicos, livros etc. Cesar Dei Santi Diretor da Cemara Loteamentos

[close]

p. 4

4 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 FIQUE POR DENTRO Cemara está no TOP 5 das melhores empresas para trabalhar na Região Pesquisa que define a premiação avalia a percepção do colaborador em relação à empresa quanto a credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho e camaradagem Marcos Dei Santi, vice-presidente da Cemara, recebe o prêmio Top 5 do GPTW A Cemara Loteamentos ficou no TOP 5 entre as “Melhores Empresas Para Trabalhar” de Piracicaba e Região, ranking organizado pelo Great Place to Work (GPTW), na categoria “Pequenas Empresas”, voltada para lugares com até 99 funcionários. Este é o terceiro ano consecutivo que a empresa participa da avaliação e fica entre os cinco primeiros lugares. “Participar desse tipo de avaliação é muito importante para ações que proporcionem melhorias no ambiente de trabalho e no desenvolvimento profissional de nossos colaboradores”, disse Marcos Dei Santi, vice-presidente da Cemara. Para garantir a satisfação de seus funcionários, a loteadora está sempre adotando novas práticas. Para o próximo ano, Dei Santi afirma que já está em planejamento a criação do “Comitê de Pessoas” (veja matéria sobre os comitês de Trabalho da empresa nas páginas 2 e 3), para gerenciar o desenvolvimento profissional dos colaboradores da empresa. “Temos o objetivo de convergir o dire- cionamento da carreira à aptidão pessoal de cada um”, explicou. Em 2016, por exemplo, foi incorporado o “Bate-papo com a diretoria”, que consiste em uma reunião entre os diretores da Cemara e seus colaboradores para abordar detalhes do planejamento estratégico e do clima organizacional. Foi criado também o “Roda-Viva Cemara”, no qual os funcionários, uma vez por mês, podem fazer perguntas diretamente ao vice-presidente. A Cemara também manteve diversas ferramentas organizacionais, como um manual que reúne todas as ações de comuni- Equipe Cemara na premiação do GPTW 2017 cação interna, a elaboração de informativos e a realização de programas de incentivo à inovação. “Estamos muito orgulhosos com o reconhecimento de nossa empresa, que disputa o prêmio ao lado de grandes companhias. Não temos o objetivo de ser a primeira, a segunda ou terceira, mas sim de melhorar a cada dia. Sabemos que esse prêmio valoriza a carreira de cada um de nossos colaboradores”, finalizou Dei Santi sobre o ranking do GPTW.

[close]

p. 5

Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 5 TOQUE DE ESPECIALISTA Como fazer as malas: dicas incríveis para as viagens de férias O fim de ano e as férias de janeiro estão aí. Esse é o momento ideal para viajar com a família, se divertir e descansar. Mas antes disso, é preciso se organizar para arrumar as malas, principalmente se a viagem é longa e se tem crianças entre os passageiros. Parece difícil, mas na verdade não é. É preciso planejamento. Para facilitar a sua vida, o Cemara Informa convidou a personal organizer Flávia Benetton, que está há mais de 10 anos no mercado, para dar dicas de como arrumar sua bagagem, o que não pode faltar na mala das crianças e outras ideias importantes para evitar o estresse antes e durante a viagem. Veja as dicas a seguir: Dica 1 Antes de começar, faça um checklist Você deve sempre planejar com antecedência, fazer uma lista de tudo o que será necessário e antes de colocar na mala, checar item por item desta lista. Coloque tudo em cima da cama. Após isso, comece a fazer combinações de roupas, veja com quantas blusas você consegue usar com aquela calça e assim por diante. Lembre que as peças têm que combinar entre si. Para as mulheres, vale o truque dos acessórios, leve muitos, eles mudam o look da mesma roupa. Dica 2 O que não pode faltar na mala A roupa que não pode faltar é aquela adequada a ser usada no local para onde você está indo. Por isso, você precisa saber sobre o local da hospedagem, o transporte e as atividades que esta viagem contemplará. E ainda temperatura e previsão do clima. Então, se for para um local muito frio com neve, as meias grossas de lã, luvas, echarpes e segunda pele não podem faltar. Se for para um resort no Nordeste, leve cangas, biquínis, maiôs, sandálias, chinelos, além, claro, das peças básicas: lingerie, roupas para dormir, tênis etc. Você deve optar também por roupas que não amassem muito (ou que não amassem nada), fáceis de lavar, secar, dobrar e peças que combinem entre si e que façam várias combinações. Outra dica importante: não leve nada de muito valor e peças que você ama, para você não sofrer com um possível extravio de malas. Dica 3 Sapatos e roupas íntimas em sacos de tecido Sapatos e roupas íntimas devem ser armazenados dentro de sacos de tecido que hoje em dia, praticamente, todas as lojas de sapato fornecem. Se não tiver, fronhas são ótimas ou simplesmente enrole em algum tecido limpo e macio. Sapatos sempre no fundo da mala. As meias podem ir muito bem acondicionadas dentro dos sapatos, é uma boa forma para os sapatos não deformarem. As roupas íntimas também podem ser guardadas em sacos de tecido, é bom separar do resto, são peças mais delicadas. Um nécessaire também vale. Dica 4 Cosméticos e remédios na mochila O ideal sempre é o mínimo de bagagem possível, ocupando o menor espaço possível, mesmo para sua comodidade na hora de ficar indo de um lado para outro carregando as malas. Uma mochila é a melhor forma de carregar o que quer que seja em uma viagem, é prática, você fica com os braços livres e cabe muita coisa. Esta mochila tem que estar sempre à mão, no caso de viagem de avião será bagagem de mão, claro! No caso dos cosméti- cos, existem miniembalagens para levar shampoos, cremes, pasta de dentes etc. Para os remédios, o ideal é um nécessaire que deverá ir na mochila para estar sempre por perto em caso de emergências. Quando houver um remédio com agulhas, ou algo diferenciado, o ideal é levar junto a receita médica para não haver problemas em alfândegas, postos da polícia federal etc. Um aviso: no exterior você não compra medicamentos sem receita médica, nenhum, nem para dor de cabeça. Então leve! Dica 5 Muitas roupas para as crianças A mala das crianças deve ter muitas trocas de roupas. Exemplo: um adulto levaria 2 pijamas para 2 semanas. Uma criança levaria 6 pijamas. Criança suja muita roupa. Aqui, mais do que nunca, as roupas precisam ser confortáveis e fáceis de lavar e secar para você conseguir lavar no banheiro do hotel por exemplo. E mais, todos os objetos e produtos que você utiliza no dia a dia para as crianças, que devem ser colocados em uma mochila. Mas lembre: tudo sem exageros. Dica 6 Bagagens diferentes para viajar de carro, ônibus ou avião Tem diferenças. O avião tem limites de peso e dimensão (nunca esqueça de checar antes com a cia aérea). Então temos que nos adaptar se não quisermos pagar excesso. E agora com esta nova modalidade de o valor do despacho das bagagens não estar incluído nas passagens, quanto mais leve e menor melhor. Viagem de ônibus você não paga o excesso, mas deve também não exagerar. De carro, depende se você vai com o seu carro ou não e em quantas pessoas irão neste carro, não seja indelicado de fazer uma mala gigante que ocupará todo o porta-malas. Agora, se for sozinho de carro, deita e rola! Boa viagem! Flávia Benetton: Assistente Pessoal / Especialista em Organização, (19) 3304 4862, WhatsApp 99209.7933 www.flaviabenetton.com.br

[close]

p. 6

6 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 É BOM SABER Você conhece as etapas de uma obra de infraestrutura antes do início das construções das residências? Quando compramos um terreno para construir a tão sonhada casa própria, muitas vezes não paramos para pensar nos bastidores do bairro, ou seja, por quantas etapas de construção o espaço terá de passar antes dos primeiros tijolos serem posicionados. Essas obras são fundamentais para a perenidade do bairro e para o bem-estar de toda a vizinhança. Na Cemara Loteamentos a equipe interna de Engenharia acompanha e supervisiona todas as etapas da Obra para oferecer segurança e comodidade aos habitantes. Confira todas as etapas: ETAPA 1 Sistema viário e terraplanagem A camada vegetal é removida para abertura do sistema viário. Depois disso, a terraplanagem torna o terreno compacto e regular, deixando as ruas prontas para receber toda a infraestrutura, além do pavimento asfáltico. ETAPA 2 Redes pluviais, de esgoto e de abastecimento de água São realizadas valas independentes no terreno para as tubulações de concreto atenderem cada rede com eficiência. ETAPA 3 Guias, sarjetas e pavimentação O terreno é nivelado, o concreto aplicado e o calçamento das guias e sarjetas realizado. Esta etapa determina o limite das calçadas e das ruas. Já a pavimentação envolve a construção de camadas de asfalto, rocha e solo para que a estrutura das ruas possa suportar o trânsito de veículos e oferecer segurança aos moradores. ETAPA 4 Energia e sinalização Novas valas são escavadas para a instalação e ancoração de postes, além da colocação de transformadores, cabeamentos, luminárias e a interligação de redes de energia. Após concluir a iluminação, é preciso instalar as sinalizações horizontais, como faixas de pedestres, e as verticais, como placas de orientação de trânsito. ETAPA 5 Arborização e revegetação A arborização dos passeios públicos é feita através da implantação de mudas de espécies escolhidas para o loteamento seguindo critérios técnicos estabelecidos na lei de arborização urbana do município. O plantio de árvores nativas garante a recuperação de toda a Área de Preservação Permanente (APP), ajudando na redução da poluição sonora, nos impactos causados pelas chuvas e na temperatura da região. Ficou mais claro agora cada etapa da obra? Acompanhe em nosso site www.cemara.com.br o cronograma que é atualizado mês a mês e fique por dentro.

[close]

p. 7

Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 7 FIQUE POR DENTRO Como o urbanismo garante qualidade de vida para os moradores de uma região Antes mesmo da construção dos imóveis, o urbanista é o profissional encarregado de garantir um projeto que atenda as diferentes necessidades da população “Desde a primeira década dos anos 2000, a maioria das pessoas passou a praticar atividades físicas regularmente como forma de cuidar da saúde física e mental. Por isso, as praças públicas voltaram a ganhar o status de espaço de convivência social, mas com algumas releituras das antigas praças. É o antigo em formato de novo, onde as pessoas podem praticar atividade física, lúdica ou hobby, cuidando da saúde mental ou até mesmo aproveitar o tempo com a família, sem pagar por isso. Como arquiteta e urbanista há mais de 15 anos, noto que as praças voltam com toda força, oferecendo um convívio social que gera melhor qualidade de vida, além de bem-estar físico e psíquico. Na loteadora fundada pelo meu pai, adotamos o modelo em nossos empreendimentos há 4 anos. No mais recente, localizado em Hortolândia, no interior do estado de São Paulo, uma das praças que estamos desenvolvendo é a “Inspire-se”, que promove maior interação com os nossos cinco sentidos. Ao passear pelo jardim de temperos, por exemplo, o morador terá o olfato e o paladar estimulados com aromas e sabores. Já o espaço tato será em formato de “mão”, composto por diferentes tipos de pisos como: borracha, areia, cimento, dentre outros, para proporcionar diversas sensações ao toque. Haverá também uma cortina de bambus que estará disposta em formato de uma “orelha” para percepção dos sons. Praça Movimente-se, Jardim Esplanada O desenvolvimento destes espaços não é uma tarefa fácil. Diversos fatores devem ser considerados ao montar um projeto desse tipo. Levamos em consideração aspectos como público – desde sua faixa etária até sua classe social –, clima da região, decli- Vista aérea do Residencial Jaguari vidade do terreno e costumes regionais, já e sistema viário concêntrico – que dá a per- que cada lugar tem suas particularidades e cepção de infinito. carências. Há oportunidades para o desenvolvimento Para buscar inspiração, viajo para diferen- destas áreas em diversas regiões do Brasil. tes lugares sempre que posso. É enriquece- O público pede, cada vez mais, por melho- dor viajar com o olhar de arquiteto, já que ria na qualidade de vida em locais próximos consigo observar detalhes que, de outra de casa, sem pagar pelas horas de lazer. As forma, passariam praças, portanto, despercebidos. são mais do que Presto atenção em uma fonte de res- como os espaços piro para os centros estão sendo usados, urbanos, ao mostrar o  público frequen- seu potencial como tador, além de ver espaço democrá- as cores dos equi- tico para convivên- pamentos, o design cia entre famílias e dos mobiliários e os amigos. As árvores tipos de vegetação. Projeto Praça Tranquilize-se e as plantas dividem espaço com uma Há praças muito bem empregadas em inúme- infraestrutura que visa também ao conforto ros lugares, mas principalmente na Europa, e tranquilidade da população em meio à onde os espaços são reduzidos e trazem o correria do dia a dia.” projeto para uma escala humana. São nos sim- ples desenhos que se tem mais sucesso, como rampas gramadas para as crianças escorrega- rem, pisos de diferentes texturas, espaços para piqueniques, hortas e pomares comunitários. Em outro empreendimento localizado em Americana, me inspirei em Paris para criação de uma ampla praça com ruas circulares Raquel Dei Santi Arquiteta e Urbanista da Cemara Loteamentos

[close]

p. 8

8 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 MATÉRIA DE CAPA Com mercado imobiliário se reaquecendo, loteamento é alternativa para realizar sonho da casa própria Pesquisa realizada pelo Secovi aponta crescimento de 73% nas unidades vendidas em agosto Alguns indicadores econômicos apontam um cenário mais positivo para a economia do País. Enquanto os últimos dois anos foram embalados por recessões, a expectativa é que o PIB (Produto Interno Bruto) cresça 0,72%, em 2017. E um dos setores que vem sendo impactado por este período mais animador é o imobiliário. Pesquisa realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), mostra que em agosto foram comercializadas 1.865 unidades residenciais novas. O resultado representa crescimento de 73%, em relação as 1.078 unidades vendidas no mesmo mês de 2016. Crescimento A Cemara Loteamentos tem sentido esse crescimento e registrou um avanço expressivo na quantidade de lotes vendidos. Em 2016, a empresa vendeu menos unidades do que havia planejado, já em 2017, até o mês de setembro, as unidades vendidas superaram as expectativas. “O brasileiro está mais otimista em relação ao emprego e à renda, fatores que o motivam a pensar novamente no sonho da casa própria”, explicou Marcos Dei Santi, vice-presidente da empresa.

[close]

p. 9

Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 9 Em um dos empreendimentos lançados em março, o Parque Bella Ville, localizado em Hortolândia, a 110 quilômetros da cidade de São Paulo, a empresa notou a primeira grande mudança no ritmo de consumo. A meta era vender 45% dos terrenos no dia do lançamento e o restante em até 8 meses. Porém, os resultados foram ainda melhores. Em três dias, foram comercializados 85% dos lotes. “O brasileiro está mais otimista em relação ao emprego e à renda, fatores que o motivam a pensar novamente no sonho da casa própria.” “Além do momento econômico mais promissor, o loteamento é uma excelente opção para quem tem pouco dinheiro dis- Vista aérea do Residencial Ipês Amarelos ponível. O consumidor pode financiar diretamente com a loteadora, sem a intermediação de uma instituição financeira. Outra vantagem é a possibilidade de construir de acordo com as preferências e não ter a preocupação de desembolsar uma quantia em dinheiro de uma só vez para fazer as obras”, concluiu Dei Santi. A economia brasileira deve sair da recessão este ano e deve aumentar o ritmo de crescimento em 2018 e 2019. As projeções são da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Para o ano que vem, a projeção de crescimento subiu de 1,6% para 1,9%, levando em conta a expansão do PIB (Produto Interno Bruto), que este ano deverá permanecer em 0,72%. Para 2019, a economia deve crescer 2,3%. Em 2016, a taxa foi de retração de 3,6%. Os estudos destacam que depois de 8 trimestres consecutivos de queda houve finalmente retomada do crescimento, inicialmente impulsionada pela agricultura. Agora o setor de serviços é que vem se destacando, assim como a produção industrial. A expectativa dos especialistas é que o crescimento se intensifique apesar das eleições do ano que vem e mais desdobramentos das operações da Polícia Federal, como a Lava Jato. Os mesmos estudos destacam também que a inflação está abaixo da meta, que tem centro em 4,5%. Os resultados são juros mais baixos que dão suporte à recuperação dos investimentos e o desemprego que está diminuindo, ainda que lentamente. Outro ponto importante dos estudos da OCDE e da Ibre/FGV é o fortalecimento da economia mundial com estímulos monetários e fiscais que sustentam uma melhoria ampla e sincronizada das taxas de crescimento na maioria dos países.

[close]

p. 10

10 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 MATÉRIA DE CAPA Por que o brasileiro gosta de comprar imóveis? Com anos de recessão e um crescimento lento da economia, o investidor brasileiro sempre busca a segurança para não perder. Um dos investimentos mais garantidos, e preferência nacional, é investir em imóveis. Nesse caso, a compra de lotes é uma boa opção (veja mais sobre o assunto nas páginas 08 e 09). Esse é o tema do artigo de Adriano Gomes, sócio-diretor da Méthode Consultoria e professor de finanças da ESPM, especial para o Cemara Informa: “Todo investimento, quer financeiro ou em ativos reais, tem um tripé formado por segurança, liquidez e rentabilidade. A sequência não precisa ser rigorosamente nesta ordem, mas a coloquei de forma proposital e, a rigor, não há uma sequência correta. Também é certo que nenhum investimento consegue carregar os 3 elementos no seu ponto máximo. Portanto, é comum que um determinado investimento ofereça alta rentabilidade e baixa segurança ou excelente liquidez com baixa rentabilidade. O histórico de crises no Brasil é recorrente. Há um recall na mente de cada um de nós que, talvez, já tenha sido desenvolvida uma certa característica no investidor nacional: a busca contínua por segurança. Em outras palavras, o investidor admite abrir mão de rentabilidade, mas possuir o bem como garantia e não o perder. Ou como normalmente se escuta em reuniões com investidores: quero um bem de raiz, o imóvel está lá, ninguém poderá tirar de mim. Segurança Creio que uma boa parte da explicação do porquê o brasileiro, e de forma geral os povos latinos, preferem imóveis a outros tipos de investimentos. A segurança fala mais alto em suas mentes e consegue proporcionar o conforto desejado. Já escutei, de forma errônea, alguns colegas consultores afirmarem que os investidores “Boa parte da explicação do porquê o brasileiro prefere imóveis a outros tipos de investimentos é que a segurança fala mais alto em suas mentes e consegue proporcionar o conforto desejado.” brasileiros não sabem fazer contas. Bem, tal frase beira ao ridículo, posto que, invariavelmente, tais investidores têm uma renda superior àqueles que supostamente estão orientando ou que “sabem fazer contas”. A orientação é sempre útil, necessária e bem-vinda e se bem conduzida colabora e contribui para que o investidor mude de posição, altere investimentos e administre um portfólio que “também” inclua imóveis. Por que não? Qual a razão objetiva de desconsiderar a segurança como um elemento indispensável e fundamental na carteira de investimentos? Entendo perfeitamente as razões e as respeito. Considerando o investimento em imóveis como absolutamente normal, como outro qualquer, o investidor qualificado ou potencial deve levar em conta algumas características deste tipo de aplicação, a saber:

[close]

p. 11

Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 11 1 PLANEJAMENTO SOCIETÁRIO E TRIBUTÁRIO 4 DEDICAÇÃO É A CHAVE DO SUCESSO Este deveria ser o “passo zero”, ou seja, uma vez decidido que imóveis serão parte do portfólio, pelas suas características, faz-se necessário um plano societário a fim de proteger de forma legal este ativo em futuros e bem prováveis de problemas de sucessão, bem como, buscar todos os benefícios legais para rentabilizar os lucros advindos da operação. Um alerta: muito cuidado com promessas miraculosas e espetaculares de alguns “especialistas” no tema; 2 CUSTO DE VACÂNCIA, TRANSAÇÃO E MANUTENÇÃO O imóvel é um investimento que pressupõe permanecer um determinado período de tempo (indeterminado) sem que ofereça rendimento. Este é o chamado custo de vacância, quando o proprietário do bem não recebe aluguel da operação. Quer esteja alugado ou não, o contrato rezará as condições, pode ocorrer custos ligados à manutenção do prédio. Por último, em caso de compra e venda ou mesmo para confeccionar contratos de locação, administração ou no limite de ações de despejo, surgem os custos de transação; 3 CORREÇÃO DE VALORES A lei 12.112/09 deixou a relação entre locador e locatário mais flexível e proporcionou mais segurança jurídica aos contratos firmados. Dentre os pontos, destaco a correção de valores por índice de comum acordo entre as partes. Neste ponto, vale a boa e saudável negociação entre as partes e a irrevogável Lei da oferta e procura; Sim, para variar, novamente mais uma obviedade sempre esquecida. Ao invés de comprar um imóvel pronto e buscar uma administradora para realizar a outra ponta do processo, investidores de sucesso nesta área têm um traço em comum: não deixam parte do lucro com as construtoras e incorporadoras e administram a compra, venda e locação; 5 FINANCIAMENTO Uma característica fundamental dos imóveis é que eles também estão no topo dos desejos das famílias. Por se tratar de um bem de alto valor agregado, normalmente são adquiridos via financiamento imobiliário. Mas, por que não financiar diretamente? Da mesma forma que o item acima tratou da dedicação, este chama a atenção em não deixar uma parte significativa de ganhos para instituições financeiras; 6 ASSOCIAR-SE A OUTROS POTENCIAIS INVESTIDORES Com um bom desenho jurídico, o que poderia ser uma proposta tímida, pode se transformar num empreendimento mais parrudo e rentável; 7 GESTÃO PROFISSIONAL Deve ser o mantra pronunciado toda manhã. Processos definidos, responsabilidade e autoridade às pessoas, cronograma, indicadores, orçamento. Enfim, as ferramentas são conhecidas. Resta colocar em prática. Os sete pontos acima podem ser um guia mínimo a ser seguido por investidores já maduros que estão repensando suas estratégias ou mesmo para aqueles que já amadureceram a ideia e seguirão esta trajetória. Desnecessário dizer que é inerente à atividade humana e investir faz parte da atividade humana. Mas somos providos de inteligência e razão e conhecidos e mensurados os riscos, realizado um planejamento, vamos juntos produzir mais riqueza. É da riqueza que nasce a prosperidade, empregos e justiça e não às avessas.” Adriano Gomes Sócio-diretor da Méthode Consultoria e professor de finanças da ESPM

[close]

p. 12

12 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 FIQUE POR DENTRO 11º Cemara Open de Raquetinha reúne duplas masculinas e femininas da Região A 11ª edição do Cemara Open de Raquetinha reuniu as principais duplas da modalidade da Região. Neste ano, o torneio foi realizado entre os dias 9 e 12 de novembro, no ATC (Americana Tennis Center) e reuniu 124 duplas. Organizado pela Cemara Loteamentos, o evento, que já se tornou tradição na Região, reuniu competidores de todas as idades e ofereceu aos participantes: sorteios de brindes, degustação de comidas funcionais, testes glicêmicos, aferição de pressão, playground para as crianças e muito mais. Neste ano, o destaque foi, mais uma vez, para as duplas femininas, que disputaram o torneio pelo segundo ano consecutivo. Na categoria A, as vencedoras foram Debora Costa e Flavia Borges, de Campinas; na B, Ana Belluci e Maria Victória Zanaga, de Americana; e na C, Carmen Goes e Isabela Naufal, de Capivari. Na categoria masculina, os vencedores foram: na categoria A, Gabriel Pitta, de Mogi Mirim e Henrique Silva, de São Paulo; na B, Luiz Santos e Luiz Filho, de Americana; na C, Rafael Beraldo e Ulisses Fornazari, de Americana; e na D, Luciano Godoy e Pedro Neves, de Americana. Finalistas da Categoria A Jogo Raquetinha 2017 César Dei Santi Filho e César Dei Santi Rafael, César e Henrique Primeira Assembleia do Residencial Pau-Brasil No dia 07 de novembro, a Cemara Loteamentos reuniu os futuros moradores do Residencial Pau-Brasil, localizado em Americana/ SP, para a 1ª Assembleia dos Proprietários. Durante o encontro, coordenado pela equipe técnica da Cemara, foram apresentados os cronogramas e evolução dos trabalhos no local. Futuros moradores se reuniram na Assembleia

[close]

p. 13

É BOM SABER Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 13 custo da fundação da obra, de até 50% de ferragem usada na própria laje e de 35% no consumo de concreto, já que o produto preenche os espaços que seriam tradicionalmente ocupados pelo cimento, além de utilizar uma menor quantidade de água se comparado com outras opções que substituem o EPS. Para quem vai construir, o melhor custo benefício fica por conta da rapidez da obra e pelo EPS ser um isolante térmico, que dificulta a dissipação de calor e permite manter a temperatura ambiente sem precisar utilizar ar-condicionado ou aquecedor, além do EPS proteger os empreendimentos de ruídos indesejados. Tendência sustentável na construção civil inova com materiais alternativos Além dos benefícios ecológicos, a utilização desses materiais traz novas alternativas e economia para quem quer construir a casa própria Ser sustentável deixou de ser unicamente a preocupação com o meio ambiente, é se preocupar com o futuro de todos nós. A partir dessa tendência, muitas pessoas buscam atitudes mais saudáveis ao meio ambiente e começam da própria casa, optando, na hora de construir, por materiais alternativos, como o EPS, tijolos e cimento ecológico, tintas minerais e bambu (veja quadro ao lado). Uma dessas opções de materiais alternativos é o EPS (poliestireno expandido), o popular isopor. O sistema construtivo com isopor utiliza painéis compostos por duas grelhas aramadas recheadas com chapas de EPS e que substituem as paredes de tijolos tradicionais. Segundo especialistas, o produto consegue aliar tecnologia com sustentabilidade com diversos benefícios, entre eles a economia na obra e ainda tem como vantagens ser leve, substituto da argamassa e ser livre de CmOa2i.s Além disso, barato. o EPS é 100% reciclável e Dúvidas Por ser pouco usado no Brasil, o EPS ainda levanta muitas dúvidas e até resistência tanto dos profissionais como de quem vai construir. Será que o material é resistente? Aguenta chuva? Pega fogo? A casa vai ficar firme? Posso colocar azulejo? O EPS é muito utilizado nos Estados Unidos e Europa por ser resistente a terremotos e furacões. Com os avanços tecnológicos, o produto não gera combustão, além de ser capaz de atuar na construção civil por meio da definição de densidades mais altas, que determinam um produto mais rígido, que não compromete a segurança da construção. Por isso, pode ser usado em casa de dois andares e em prédios. Segundo informações das empresas que trabalham com o produto no Brasil, com a utilização dos blocos de EPS, a obra pode ficar mais barata a começar com a economia na mão de obra, que deve ser especializada. Há ainda uma redução de 20% no Dicas de materiais alternativos para construção civil TIJOLO ECOLÓGICO: feito de terra e cimento, sua cura não envolve energia e não vai para o forno deixando de utilizar lenha e emitir gases que causam o efeito estufa. Seu uso economiza cerca de 70% do concreto e argamassa de assentamento e 50% de ferro, além de diminuir o tempo de construção. CIMENTO ECOLÓGICO: conhecido como CPIII, o produto reaproveita 70% do resíduo gerado pelas siderúrgicas e é isso que confere a ele uma função ecológica. É considerado uma opção mais estável para as construções por ser mais durável que os demais. TINTAS MINERAIS: elas são feitas geralmente à base de terra crua e emulsão aquosa e não têm derivação de petróleo. Possuem baixa concentração de compostos orgânicos voláteis que evaporam e danificam a camada de ozônio. São vendidas em embalagens reutilizáveis ou recicláveis. TELHAS ECOLÓGICAS: são telhas fabricadas com resíduos sólidos e possuem em sua composição predominante papel, plástico e metal. Por ser aluminizada, além da durabilidade e resistência, ela atua na reflexão da luz solar, deixando o ambiente mais fresco e agradável. BAMBU: o bambu é uma matéria-prima altamente sustentável, pois é abundante e renovável. É muito resistente sendo uma opção ao aço, ao concreto e principalmente à madeira, devido ao seu baixo custo, à rapidez no processo de construção e manejo, além de aspectos estéticos.

[close]

p. 14

14 Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 Situação das obras em dezembro de 2017 De olho nas obras de infraestrutura Jardim Piazza Itália Terraplanagem Drenagem Água Esgoto Guia / Sarjeta Pavimentação Rede Elétrica Arborização Residencial Parque Bella Ville Jardim Girassol Terraplanagem Drenagem Água Esgoto Guia / Sarjeta Pavimentação Rede Elétrica Arborização Terraplanagem Drenagem Água Esgoto Guia / Sarjeta Pavimentação Rede Elétrica Arborização 100% 96% 95% 96% 86% 45% 12% 30% 13% 0% 5% 8% 0% 0% 0% 0% 20% 95% 18% 95% 0% 0% 0% 0%

[close]

p. 15

Ano 11 • Edição nº 23 • Dezembro 2017 15 Residencial Vila-Lobos Terraplanagem Drenagem Água Esgoto Guia / Sarjeta Pavimentação Rede Elétrica Arborização Centro Empresarial e Industrial Nove de Julho Liberado para construção Módulos I e II Terraplanagem Drenagem Água Esgoto Guia / Sarjeta Pavimentação Rede Elétrica Arborização Módulos III e IV Terraplanagem Drenagem Água Esgoto Guia / Sarjeta Pavimentação Rede Elétrica Arborização 100% 96% 96% 95% 89% 25% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 80% 100% 93% 97% 91% 0% 0% 0% 80%

[close]

Comments

no comments yet