Il Girasole On-Line - Dicembre 2017

 

Embed or link this publication

Description

Il Girasole On-Line - Dicembre 2017

Popular Pages


p. 1

ISSN 2448-1254 Ainda nesta edição: O Cérebro e a Transformação

[close]

p. 2

Sumário Editorial...................................................................................... 2 Parênteses – Regato, Deserto, Vento......................……………….. 4 Palavra da Escola – Escola e vida............................................... 6 Acontece – La vita en plein air................................................... 8 Acontece – Se essa praça, essa praça fosse minha................... 10 Acontece – Otium letterario...................................................... 12 Acontece – Momento da Escolha Profissional.......................... 14 Acontece – Afriche..................................................................... 16 Acontece – La mostra culturale alla Scuola dell’Infanzia........... 18 Acontece – In bocca ai lupi!....................................................... 24 Nossa gente – Eduardo Souza.................................................... 26 Da sala de aula – Asante sana - Projeto Áfricas na Infância...... 28 Da sala de aula – Tornando eternos os bons momentos!......... 30 Pedagogicamente Falando – Ninguém nasce pronto............... 32 Pedagogicamente Falando – O cérebro, o homem e uma sociedade em constante transformação.................................... 34 Parênteses – Sempre nos resta a Esperança...........……………….. 38 Você sabia que – Le Metamorfosi in Natura……........................ 39 Você sabia que – La Metamorfosi nella Letteratura.................. 42 Você sabia que – As transformações de uma Grande Cidade... 44 Acontece – Prima Comunione................................................... 48 De onde viemos – L’Italia e il Brasile......................................... 50 De onde viemos – La mia storia………………………........................ 52 De onde viemos – Dagli USA fino in Brasile………...................... 54 Meninos de Ouro – Scuola d’oro, ragazzi d’oro......................... 56 Meninos de Ouro – Come il capitano di una nave……............... 58 Meninos de Ouro – So, che alla fine, me la caverò!.................. 60 Mural dos pais – La nostra esperienza in Brasile…………………… 62 Mural dos pais – ...una bellissima esperienza sudamericana... 64 Parêntese Artístico – Michelangelo…........................................ 66 Parênteses – Testimonianze di un intercambio......................... 70 A última palavra – Il mito di Clizia……………………………….………… 72 Bollettino informativo e culturale On-line della Scuola Italiana “Eugenio Montale” N. 12 – Dicembre 2017 ISSN 2448-1254 Direzione: Victor Vallerini Revisione dell’italiano: Victor Vallerini Revisione del portoghese: Fabiana Infante Composizione grafica: Fabiana Infante Contatti: victor@montale.com.br / fabiana.infante@montale.com.br Websites: www.girasoleonline.com.br / www.montale.com.br IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 2 Editorial di Victor Vallerini La leggenda indiana dell’Aquila Cari Lettori, siamo giunti all’ultima edizione di questo anno scolastico. Siamo grati per quanto abbiamo fatto insieme e, con speranza, ci rivolgiamo al nuovo anno con rinnovato entusiasmo. Come diceva un antico filosofo greco di nome Eraclito: “Panta rei”, cioè, “Tutto scorre!”. Nella vita, tutto passa e tutto si trasforma. Arrivare alla fine di un ciclo significa anche aprirne un altro, ed è per questo che abbiamo voluto dedicare a questo numero delle riflessioni sul tema della Metamorfosi (Trasformazione). Una leggenda indiana dice che l’aquila viva fino a 70 anni, ma perché ciò accada, intorno ai 40 anni, dovrà prendere una decisione difficile.

[close]

p. 3

A questa età i suoi artigli sono lunghi e flessibili, e non riescono più ad afferrare le prede di cui si nutre. Il suo becco, allungato e appuntito, si incurva. Le ali, invecchiate e appesantite dalle penne assai ingrossate, puntano contro il petto. Volare è ormai difficile. L’aquila ha solo due alternative: lasciarsi morire, o affrontare un doloroso processo di rinnovamento, lungo ben 150 giorni. Volerà allora in cima a una montagna, si ritirerà su un nido inaccessibile, addossato a una parete rocciosa, un luogo da cui potrà fare ritorno con un volo piano e sicuro. Trovato questo luogo, l’aquila comincerà a sbattere il becco sulla parete fino a staccarlo, affrontando con coraggio il dolore di tale operazione. Passate alcune settimane, le ricrescerà un nuovo becco. Con questo, strapperà uno a uno, incurante del dolore, i vecchi artigli. Quando ricresceranno i nuovi artigli, con questi e con il becco, strapperà dal suo corpo tutte le penne, una ad una. E quando rinasceranno le nuove penne la nuova aquila si lancerà sicura nel volo di rinnovamento e ricomincerà a vivere per altri 30 anni. La leggenda dell’Aquila ha molte attinenze con la nostra vita. Anche noi, molto spesso, nel corso della nostra vita ci troviamo a dover affrontare dure ma necessarie decisioni che ci guidano alla necessità di fare un processo di rinascita. Intraprendere sfide e cambiamenti non è mai un compito facile. La transizione, da uno stato all’altro, è raramente privo di sforzi ed alcune volte è molto doloroso. Ma senza questo cambiamento, noi non potremmo crescere e diventare ciò che intendiamo essere. “Tutto scorre” – πάντα ῥεῖ (panta rei), Eraclito di Efeso “Nessun uomo entra mai due volte nello stesso fiume, perché il fiume non è mai lo stesso, ed egli non è mai lo stesso uomo. Io stesso muto nell’istante in cui dico che le cose mutano. Per quanto tu cammini, e anche percorrendo ogni strada, non potrai raggiungere i confini dell’anima: tanto è profonda la sua vera essenza.” (Eraclito di Efeso, 535 a.C. – 475 a.C.) IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 3

[close]

p. 4

CopPaadrêonmteusensdo por Victor Vallerini Um regato, vindo de sua fonte nas longínquas montanhas, passando por todos os tipos e espécies de regiões, finalmente alcançou as areias do deserto. Da mesma forma como atravessou todas as outras barreiras, tentou atravessar esta também, mas se deu conta de que ao entrar em contato com a areia, suas águas desapareciam. Estava convencido, contudo, que seu destino era atravessar este deserto, mas não havia como. Uma voz oculta, vinda do próprio deserto, sussurrou: "O vento atravessa o deserto, e da mesma maneira o regato pode fazê-lo". O regato objetou que estava investindo contra a areia, e tudo que obtinha era ser absorvido; que vento podia voar e por isso podia atravessar um deserto. "Você não pode atravessar abrindo caminho de sua maneira costumeira. Você ou desaparecerá ou se tornará um pântano. Você precisa permitir que o vento o carregue a seu destino“. "Mas como isso pode acontecer?" "Permitindo-se ser absorvido no vento”. Regato, Des Uma história de Esta ideia não era aceitável para o regato. Afinal de contas, ele jamais fora absorvido antes. Ele não queria perder sua individualidade e, uma vez perdida, como saber se ela poderia um dia ser readquirida? "O vento", disse a areia, "executa esta função. Ele ergue a água, carrega-a sobre o deserto e então a deixa cair novamente. Caindo como chuva, a água de novo se torna um rio“. "Como posso saber que isso é verdade“? "É assim, e se não acreditar, você não poderá passar de um lamaçal, e mesmo isso poderia levar muitos e muitos anos; e certamente um lamaçal não é o mesmo que um regato“. "Mas não posso permanecer o mesmo regato que sou hoje”? "Em nenhum dos casos você pode permanecer assim", disse o sussurro. "Sua parte essencial é levada para longe e novamente forma um regato. Você se chama pelo que você é hoje porque não conhece qual é sua parte essencial“. Quando ele ouviu isso, certos ecos começaram a surgir em seus pensamentos. “Nós, as areias, nos estendemos da margem do rio até a montanha”. E o regato disse: "Sim, agora descobri minha verdadeira identidade”. IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 4

[close]

p. 5

serto, Vento e Transformação Vagamente, se lembrou de um estado no qual ele - ou seria uma parte dele? - foi erguido nos braços de um vento. Lembrou-se também - será mesmo? - que esta era a coisa real, mas não necessariamente o óbvio a ser feito. E o regato ergueu seu vapor, nos receptivos braços do vento, que gentil e facilmente o transportaram para cima e adiante, deixando-o cair suavemente tão logo eles alcançaram o topo de uma montanha, muitos quilômetros além. E porque teve suas dúvidas, o regato foi capaz de lembrar e gravar mais fortemente em sua mente os detalhes da experiência. Ele refletiu: "Sim, agora descobri minha verdadeira identidade". O regato estava aprendendo. Mas as areias sussurraram: "Sabemos, pois vemos isto acontecer todos os dias; nós, as areias, nos estendemos da margem do rio até a montanha". E é por isso que se diz estar escrito nas areias o caminho pelo qual o curso da vida deve continuar sua jornada. “E o regato ergueu seu vapor, nos receptivos braços do vento, que gentil e facilmente o transportaram para cima e adiante”. " Mas não posso permanecer o mesmo regato que sou hoje”? "Em nenhum dos casos você pode permanecer assim", disse o sussurro. "Sua parte essencial é levada para longe e novamente forma um regato. Você se chama pelo que você é hoje porque não conhece qual é sua parte essencial“. IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 5

[close]

p. 6

CPoalpaavrdaodma Eusncdoola A escola é propriamente a vida. Algumas concepções de escola vinculam a vida escolar como um preparo para a vida, porém, preferimos nos apoiar nas concepções que defendem que a escola é a própria vida que vai acontecendo, dia após dia, ano após ano, como um tecido que se borda, detalhe por detalhe, a cada minuto. A criança chega à escola, ainda pequena, cheia de curiosidades e potencialidades e, na Escola da Infância, esta magia e encantamento pelo mundo ganha cores e formas através dos projetos desenvolvidos. Nesta etapa, a criança também vive a ampliação do seu mundo social através do contato com outras crianças e adultos, que até o momento, eram apenas os da sua própria família. Este enorme salto no mundo social é talvez uma das maiores contribuições que a escola, nos dia de hoje, pode dar a uma criança e ao jovem. Os conhecimentos e as informações estão cada vez mais acessíveis, ao toque de uma tecla, mas o saber viver em grupo, o saber se reconhecer num grupo, numa sociedade, esta vivência e aprendizagem não seriam possíveis sem espaços que privilegiam a troca. Conforme o bordado da vida segue seu detalhe, a criança chega ao Ensino Fundamental. Escola e processos de consta por Silvia Sua passagem para o 1º ano é sempre uma grande alegria. As crianças continuam plenas de curiosidades e o currículo escolar, que ganha forma mais delineada, vai, gradualmente, promovendo o contato com os saberes e conhecimentos que a humanidade nos reservou, sem nunca perder o ideal de que há ainda muito para ser criado e aprimorado neste mundo. A sistematização da escrita e a consolidação da leitura são uma das maiores conquistas das crianças nesta passagem. Para nossa escola, alia-se ainda o desenvolvimento do italiano e, também gradualmente, o inglês. Aprender outra língua e aprender através de outra língua é uma transformação enriquecedora, que certamente contribui para uma formação mais ampla e única em cada indivíduo. O Ensino Fundamental é um percurso longo e complexo, que vai ampliando e aprofundando o currículo e acompanhando o crescimento social, cognitivo, emocional e até físico de cada criança. É a vida, mais uma vez, que se faz viva e plena com o passar dos anos escolares. As responsabilidades e as exigências vão crescendo com as crianças, na medida em que se tornam cada vez mais autônomas. Vale um destaque aqui para esta questão da autonomia: esta transformação que segue o indivíduo e que o acompanhará para a vida adulta de forma tão determinante. A autonomia real, a verdadeira emancipação responsável de cada um, não é algo simples ou meramente aplicável. É um processo de construção completo e muito gradativo. “Escola e vida, uma única roda” IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 6

[close]

p. 7

e vida, ante transformação ia Adrião E na escola este processo ganha ainda mais importância. Paulatinamente a criança vai saindo de uma heteronomia acompanhada para uma autonomia relativa, até atingir sua maior consistência, já no Ensino Médio, onde é esperado, dos jovens, total autonomia e responsabilidade. Este processo, que é fundamental, passa por diversos desafios, não como metáfora, mas como a própria vida que se molda a cada experiência. Os pequenos conflitos, numa disputa por um brinquedo, os entraves da convivência em grupo, as dificuldades e superações para conhecer e reconhecer as diversidades, a descoberta das afinidades e também dos primeiros amores, enfim, todas estas etapas são parte estrutural da conquista da autonomia e estão presentes no cotidiano escolar. O conhecimento, que é uma ferramenta libertadora, é também instrumento de extrema relevância para a aquisição da autonomia responsável. Mais uma vez, se faz determinante o papel da escola neste caminhar. Onde mais, senão na escola, o outro deixa de ser um estranho e passa a ser um indivíduo também reconhecido como alguém de direitos e deveres, assim como eu? “Onde mais, senão na escola, o outro deixa de ser um estranho e passa a ser um indivíduo também reconhecido como alguém de direitos e deveres, assim como eu?” E voltando ao tecido da vida que se borda nos anos da escola, pode sonhar. Se na escola a vida se fez viva, o jovem está pronto chegamos ao Ensino Médio. O período de maior para seguir vivendo sua jornada, agora com passos próprios. aprofundamento da reflexão. E para nós da escola, que aqui Nesta fase, a escola consolida escolhemos fazer a nossa seu projeto, mas para o aluno é própria vida, é sempre uma apenas o começo de uma vida enorme satisfação reencontrar que desejamos ser longa e nossos ex-alunos, homens e muito transformadora. Nesta mulheres feitos, que nos etapa o aluno é convidado a reportam a nostalgia dos bons escavar o conhecimento em tempos de escola, onde a vida todas as suas dimensões e se fazia complexa, mas, para os alcances, até o limite de onde os olhos de meninos, mais doce e olhos possam ver e a mente mais suave. “A escola é a própria vida que vai acontecendo, dia após dia, ano após ano, como um tecido que se borda, detalhe por detalhe, a cada minuto.” “Para nossa escola, alia-se ainda o desenvolvimento do italiano e, também gradualmente, o inglês. Aprender outra língua, e aprender através de outra língua é uma transformação enriquecedora, que certamente contribui para uma formação mais ampla e única em cada indivíduo.” IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 7

[close]

p. 8

CopAacdoontmecuendo Gli alunni della Montale sono stati invitati a fare una presentazione di musica il giorno 6 agosto 2017, in occasione dell’inaugurazioni della Piazza “Imigrante Italiano”. L’evento faceva parte del progetto “ITALIA PER SAN PAOLO - Monumentando e Restaurando a Cidade” ideato dal Consolato Generale d’Italia a San Paolo e dall’ITA – Italian Trade Agency, con l’appoggio dalla Prefettura di San Paolo e degli sponsors - ventiquattro aziende italiane e rappresentanti della comunità italo-brasiliana a San Paolo. La vita en La piazza, come luogo fondamentale dell’incontro e dello scambio, in cui si intrecciano cultura e storia, simboli e tradizioni, ha trovato soprattutto in Italia una realizzazione eminente e privilegiata. Infatti, la storia italiana indica con tutta evidenza l’importanza della piazza quale centro vitale della città, sorta di palcoscenico dell’identità e del senso di appartenenza di una comunità, che permette la manifestazione quotidiana della collettività e del potere cittadino. La piazza italiana, dunque, si propone come una inesauribile rappresentazione della vita A cura di Vic en plein air, una messa in scena “teatrale” concepita per accogliere la folla delle feste, dei mercati, delle celebrazioni religiose. Va sottolineata la matrice originaria della piazza italiana, risalente al Foro romano: in quel “sontuoso interno a cielo scoperto” che era a Roma il Foro, si entrava come in uno spazio protetto, circondati dalle colonne e dalle mura dei templi, per essere cittadino e uomo devoto, per conversare e trattare gli affari, per incontrare gli altri e farsi vedere. IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 8 San Paolo, Piazza dell’Immigrato (dettaglio)

[close]

p. 9

n plein air ctor Vallerini Piazza dell’Immigrato Italiano Il coro composto dagli alunni della Montale durante l’inaugurazione della Piazza dell’Immigrato Italiano L’Ambasciatore, Antonio Bernardini, e il Conosole Generale, Michele Pala, presenti all’inaugurazione della Piazza dell’Immigrato Italiano Il Sig. Paolo Papaiz, uno dei responsabili del progetto, durante l’inaugurazione IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 Il Sindaco della città di San Paolo, João Doria, l’Ambasciatore, Antonio Bernardini e Paolo Papaiz al momento del taglio della fascia che inaugura la Piazza 9

[close]

p. 10

CopAacdoontmecuendo Se essa praça, essa p de Karine Ly Brincar na praça é liberdade! A Scuola Media também foi à praça! Dias diferentes e divertidos IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 10

[close]

p. 11

praça fosse minha... yziane Freitas Era um dia de sol intenso e a escola fervilhava com a novidade do recreio na praça. A turma que iria inaugurar o projeto não conseguia disfarçar a ansiedade e já se amontoava em torno da porta que a levaria ao paraíso! Nome por nome se enfileiraram. Os professores passaram as regras do passeio. Coraçõezinhos batendo acelerados. Começou a aventura. “Andem pela calçada!”, alertavam os professores. A chegada à praça foi comemorada com gritos e gargalhadas! Correria, pega- pega, esconde-esconde, “Maestro, me ajuda a subir na árvore”?, pula corda, “Maestra, encontrei um pé de amora!”, “Daí a gente corria e se escondia na floresta”, “Dá dois nós no meu tênis pra eu correr?”, “Pega mais amora, Maestra! Tem uma ali em cima bem roxinha!!” “Bambini, torniamo!” Levar a galerinha de volta para a escola foi uma tarefa hercúlea: “Maestra, posso levar minha espada?” (mostrando um galho de árvore), “Maestro, tô levando um buquê para minha mãe!” (florezinhas silvestres), “Guardei essa amora para minha irmã!” (uma minúscula amora em uma mãozinha em concha), “Maestra, você me viu lá em cimão da árvore?”. Nome por nome se enfileiraram, mais uma vez, agora rumo à escola. Exaustos, a caminhada ficou mais lenta… Durante o percurso da volta se faziam ouvir os planos para o próximo recreio na praça: “Na próxima vez, a gente traz a bola!” Ao chegarem à escola, a turminha teve uma recepção digna de exploradores de outro mundo! Foram cercados pelos outros alunos que, embevecidos, escutavam atentamente e não perdiam nenhum detalhe das peripécias e reinações da aventura na praça. Se gostaram da experiência? “Maestra, eu AMO a praça!” “Esperamos poder voltar a brincar na praça em breve”! A maestra Karine com as crianças da Seconda Primaria IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 11

[close]

p. 12

CopAacdoontmecuendo Otium le A cura di Adriana Gra Anche quest’anno, gli alunni del III e IV anno della Sc. Secondaria di II grado hanno partecipato all’Otium letterario: l’esperienza di appartarsi dalla vita pratica quotidiana per dedicarsi all’attività intellettuale, all’aria aperta e a contatto con la natura. Per lo studio della letteratura, la serenità e l’armonia del contesto naturale consentono una maggiore introspezione e una comprensione più profonda del messaggio poetico. Per queste ragioni, si è proposto agli alunni di uscire dalle aule canoniche per trascorrere una mattinata outdoor, passeggiando, leggendo e interpretando testi di letteratura italiana, latina ed inglese. Quest’anno è stato scelto il Parco Burle Marx per la sua esuberante vegetazione e per il suo valore astistico, ma soprattutto per la possibilità di godersi e di appropriarsi di uno spazio che appartiene al quartiere della nostra comunità scolastica. L’esperienza dal punto di vista degli alunni: Parque Burle Marx (Morumbi) “In my opinion, the otium letterario was a good way to escape from the mundaneness of school life and learn in a new, fresh and relaxing way. It is something that I am sure will stay in our memories for a long time. I can say that I greatly enjoyed the experience.” Breno Pinho – III Liceo Gli alunni del Liceo durante l’attività al Parco Burle Marx IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 12

[close]

p. 13

etterario asso e Claudia Affonso “The proximity to nature and culture amidst such a stressful time delighted me. I’m very glad to have been part of it.” Beatriz Toro – IV Liceo “From the pleasure of leaving the classroom to the many great readings that we did, the otium letterario was a delightful experience in our school time.” Gianluca Allodi – IV Liceo “L’otium letterario è stata un’esperienza unica. Leggere e discutere fuori dalle aule scolastiche consente di imparare di più e da una prospettiva diversa.” Carolina Bugelli – IV Liceo “L’otium letterario l’ho trovato interessante e rilassante. Studiare in mezzo alla natura mi ha dato un certo effetto di pace e concentrazione che non ho mai provato prima d’ora.” Matteo Russo – IV Liceo Gli alunni delle classi Terza e Quarta del Liceo Scientifico IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 13

[close]

p. 14

CoApacdoontmecuendo Momento da Esco por Claudi Normalmente, a escolha de uma carreira profissional é um momento de muita dúvida e ansiedade. Esta escolha pode ter como influências a família, amigos, professores, a escola, vocação, ganhos financeiros, status social ou ainda porque certa profissão é aquela que “está na moda”. Não é tarefa fácil para o estudante que está neste momento de decisão de vida tão importante, afinal, após a escolha de uma carreira, ele terá sua identidade profissional. Trata-se de um momento em que a razão e a emoção se misturam. Algumas atitudes podem fazer com que este estudante possa se definir melhor. Teste vocacional e orientação profissional com especialistas contribuem muito para definir melhor a escolha. Neste momento, avaliar aspectos como satisfação do trabalho e remuneração financeira tornam-se fatores de decisão. Há pessoas que se sentem indecisas por conta da diversidade de opções como também há aquelas que não demonstram vontade por nenhuma carreira. Por isso, antes da escolha, recomenda- se procurar conhecer a profissão. Isto pode ser feito a partir de uma conversa com um profissional da área desejada ou mesmo assistindo a uma aula em uma faculdade que ofereça o curso pretendido. Há pessoas que já sabem, desde criança, o que querem ser “quando crescer”. É natural que à medida que o tempo passa, as escolhas vão se alterando de acordo com a experiência de cada momento. Outra dica importante é saber separar o que será hobby do que será, efetivamente, a carreira profissional. Para ajudar nesta escolha, os alunos do III e IV Liceo foram visitar a “Feira de Profissões” da USP no dia 24 de agosto. A feira tinha como objetivo apresentar os cursos que a USP oferece e estimular os alunos a seguir os estudos naquela universidade. Na feira haviam dois pavilhões. Um dedicado à área de humanas e outro dedicado às áreas de exatas e biológicas. Além das profissões tradicionais como Engenharia, Direito ou Administração, havia a oferta de novas carreiras como a de “Ciências Moleculares”. Ao final da visita, os alunos apresentaram suas impressões sobre a feira: As alunas Martina Ferri (à equerda) e Mariana Funari IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 14 Os alunos Percario (à esquerda), Belatto, Tonon e Santos na Feira das Profissões (USP)

[close]

p. 15

olha Profissional io Bezerra “ A Feira foi motivadora para sabermos o que queremos fazer. Eu, pessoalmente, gosto de exatas e biológicas. Vou fazer algo nesta área.” Breno Pinho, III Liceo Amanda Tonon e Maria Luiza Piergallini “ Tenho quase certeza que vou para a Poli. Talvez eu faça Computação.” Gianluca Alodi, IV Liceo “ Eu estava pensando em fazer Jogos Digitais, mas me interessei por Arquitetura porque gosto de desenhos e História da Arte.” Vinicius Torres, IV Liceo Tive uma explicação melhor sobre o curso de Psicologia e essa deverá ser minha opção. Eu “ “acho que trabalharia com RH porque gosto de Eu me interesso muito por Economia e Relações Internacionais. Visitei o estande e falei com algumas pessoas. Deverei grande empresa e também quero fazer trabalho voluntário.” fazer Relações Internacionais.” Marco Rimoldi, III Liceo Maria Luiza Piergallini, IV Liceo “ Tive explicação sobre o curso de Publicidade e Propaganda e isso me estimulou, mas acho que vou continuar preferindo Direito ou Psicologia.” Amanda Tonon, IV Liceo “ As minhas opções, junto com Letras, são Artes e Música.” Helena Toro, IV Liceo “ O que mais me surpreendeu foi Letras e Geologia. Eu não esperava que fosse curtir tanto Geologia. Quando eu era criança, queria ser paleontólogo ou astronauta.” Niccoló Zunino, IV Liceo IL GIRASOLE ON-LINE DICEMBRE 2017 15

[close]

Comments

no comments yet