Revista A Voz da Paróquia Edição de Dezembro de 2017

 

Embed or link this publication

Description

Noticias da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso de Guaratuba-Pr.

Popular Pages


p. 1

Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 Ano Nacional do Laicato Feliz Natal DEZEMBRO - Natal Programa Voz da Paróquia FM 87,9 de segunda a sexta feira das 17:30 as 18:00 hs

[close]

p. 2

E ditorial Dezembro “ Ao verem de novo a estrela, os Magos ficaram radiantes de alegria.” (Mt,2,10) Queridos paroquianos e devotos de Nossa Senhora do Bom Sucesso, estamos iniciando o ú ltimo mês do ano de 2017. Dezembro, nos lembra: festa, encontro, alegria, final de ano, amigos, presentes, Natal. Mas também, um ano novo Litú rgico catequético, espiritual, o tempo do Advento. Sã o quatro semanas de preparaçã o para o Natal, esse memorial histó rico do nascimento do Menino Deus em nosso meio. O Deus Menino que vem renascer em cada pessoa, lar, famıĺ ia. Que abramos as portas do coraçã o e da casa, para acolher o amor que vem do nosso Deus. “Como posso merecer que a Mãe do meu Senhor venha me visitar” (Lc,1,43) Estamos vivendo o Tempo do Advento, isto é surpreendente e milagroso! Aquilo que está por vir e que é capaz de produzir em nó s um autêntico estado de metanó ia, isto é mudança de mentalidade, de autentica conversã o. Cada semana uma expectativa nova atraente e eficaz em nossa vida: A primeira semana da Vigilâ ncia, da espera atento. “Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos”. (Is,63,4ª). Segunda semana, vem da Esperança, coisas novas acontecendo em nosso meio. Endireitai as estradas do Senhor... “Eis o vosso Deus, eis que o Senhor Deus vem com poder, seu braço tudo domina: eis, com ele, sua conquista, eis à sua frente a vitória.” (Is,40,10). A terceira semana, vem com Alegria pelo encontro com o Salvador: “Exulto de alegria no Senhor e minh,alma regozija-se em meu Deus; ele me vestiu com as vestes de salvação”. (Is,61,10ª) A quarta semana, o “Sim” de Maria, é també m o nosso sim. “Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor!” “Eu firmei uma aliança com meu servo, meu eleito, e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor”. (Sl,88,). Feliz Natal a todos! Boa Leitura! Padre Roque Sutil Gabriel Índice 03 Mês de Dezembro... 03 Pastoral da Comunicação 04 Imaculada Conceição 04 Curiosidades Bíblicas 05 Abençoados/ Amaldiçoados 06 Pastoral da Pessoa Idosa 07 Feliz Natal! 08 Notícias do Vaticano 08 Mensagem de Natal do Papa Francisco 09 Ano do Laicato 12 O Advento 13 São Francisco de Assis e o Natal 14 O que é ser coroinha? 15 Cuidar do Meio Ambiente 16 Mariologia 17 Melhores Momentos do Ano... 18 Pastoral da Criança 19 Página Infantil 20 Curiosidades sobre Saúde... 21 Diarréia 22 Agradecimentos Ano IV - Nº 43 - Dezembro 2017 02 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43

[close]

p. 3

Mês de Dezembro... Mês do Advento e do Natal Mê s do Advento e do Natal. Sã o quatro semanas de preparaçã o para a vinda de Cristo no Natal. Arma-se a “coroa do Advento”, com uma vela acessa a cada domingo, meditando esse tempo de graça. E um tempo propıć io para preparaçã o espiritual e piedosa para celebrar o Natal e també m a segunda e definitiva vinda do Senhor. E o tempo do Presé pio, que nos ajuda a meditar este grande misté rio da Encarnaçã o do Verbo, que “se fez pobre para nos enriquecer”, como disse Sã o Paulo. Prof. Felipe Aquino Pastoral da Comunicação (Pascom) São Nicolau Sã o Nicolau de Mira, també m conhecido por Sã o Nicolau de Bari, nasceu a 15 de março de 270 d. C. em Patara, na Turquia. Filho de pais muito ricos, herdou uma fortuna com a morte deles, mas nã o ficou com a riqueza. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira, onde com amor, evangelizou os pagã os, mesmo no clima de perseguição que os cristãos viviam. Sagrado Bispo de Mira, Nicolau conquistou a todos com sua caridade, zelo, espıŕ ito de oração e carisma. Historiadores relatam que ao ser preso por causa da perseguiçã o dos cristã os, foi torturado e condenado à morte, mas, felizmente, se salvou em 313, pois foi publicado o é dito de Milã o que concedia a liberdade religiosa. Mesmo com a escassez de informaçõ es confiá veis, pois muitas sã o as lendas a seu respeito, Nicolau se tornou rapidamente um dos santos mais venerados da cristandade. A devoçã o se espalhou ainda mais no ocidente a partir de 1087, quando suas relıq́ uias foram trasladadas para Bari, no sul da Itá lia. Nenhum outro santo foi tã o retratado por artistas medievais quanto ele, à exceçã o de Maria. Justiniano lhe dedicou, no séulo VI, uma igreja em Constantinopla. Morreu em 6 de dezembro, dia que lhe é consagrado. Ele é o padroeiro da Rú ssia, da Grécia, da Noruega e das cidades de Amsterdã e Moscou. Suas relıq́ uias encontram-se na Basıĺ ica de Bari, na Itá lia. Ido Hepp Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 03

[close]

p. 4

Imaculada Conceição 8 de dezembro O Dia da Imaculada Conceiçã o de Maria é comemorado anualmente em 8 de dezembro. Oração a Imaculada Conceição de Maria E considerada como a comemoraçã o de um dos dogmas mais importantes do cristianismo: a fé e a pureza de Virgem Maria e a preparaçã o para “Virgem Santíssima, que fostes concebida sem o pecado original e por isto merecestes o título de o nascimento do Filho de Deus. Nossa Senhora da Imaculada Conceição e por A Virgem Maria é venerada como uma santa terdes evitado todos os outros pecados, o Anjo imaculada e livre de pecados desde os primó rdios Gabriel vos saudou com as belas palavras: Ave do cristianismo. Maria, cheia de graça; nós vos pedimos que nos Maria foi abençoada com a pureza e livre do pecado original da humanidade para conseguir cumprir a sua vocaçã o na Terra: ser a mã e de Jesus Cristo.. O Dia da Imaculada Conceiçã o ganhou cará ter obrigató rio no século XVIII, através da decisã o do Papa Clemente XI. alcanceis do vosso divino Filho o auxílio necessário para vencermos as tentações e evitarmos os pecados e, já que vós chamamos de Mãe, atendei-nos com carinho maternal e ajudai-nos a viver como dignos filhos vossos. Porém, só recebeu o tıt́ ulo de um dogma cató lico em 8 de dezembro 1854, pelo Papa Pio IX, Nossa Senhora da Imaculada sendo este o motivo da escolha do dia 8 de Conceição, rogai por nós. dezembro para celebrar a festa litú rgica. Em Portugal, o Dia da Imaculada Conceiçã o é Amém”. considerado feriado nacional. Curiosidades Bíblicas A partir desta ediçã o estaremos trazendo até você, leitor, algumas curiosidades relacionadas com a Bı́blia Sagrada. Hoje, mostraremos 05 curiosidades: Ÿ No ano de 1250 o Cardeal Caro dividiu a Bıb́ lia em capıt́ ulos, que foram divididos em versı́culos no ano de 1550, por Robert Stevens. Ÿ A Bıb́ lia inteira foi escrita num perıó do que abrange mais de 1600 anos. Ÿ E uma obra de cerca de 40 autores, das mais variadas profissõ es: de humildes agricultores, pescadores até renomados reis. Ÿ O Antigo Testamento foi escrito em hebraico, com exceçã o de algumas passagens em Esdras, Jeremias e Daniel, que foram escritas em aramaico. Ÿ O Novo Testamento foi escrito em grego. Continua... Enéas Marcondes 04 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43

[close]

p. 5

Abençoados/ Amaldiçoados Qualquer semelhança é mera coincidência... Há mais de 2.000, nasceu algué m que amou e acreditou em todos os homens. Todos os homens, sem exceçã o. Acreditou em bandidos, corruptos, bandoleiros, ladrõ es. Muitos se converteram, mudaram o “modus vivend” e nã o precisou de delaçã o premiada... Nos Evangelhos há algumas citaçõ es em que Jesus trata pessoalmente com esse tipo de gente, nesse caso especialmente ladrõ es, trê s casos tıṕ icos se destacam: Judas Scariotes, Zaqueu e Dimas. Judas havia sido escolhido para ser um dos apó stolos. Era avarento, fingido, mentiroso, sem vergonha, mal cará cter, ladrã o perigoso, inserido no sistema e na má quina pú blica, com cara de beinfeitor, populista, que nã o perdia a chance de passar os cinco dedos no patrimô nio pú blico. Cuidava do caixa comum do grupo de Jesus com os apó stolos, e roubava o que se punha na bolsa. No chapé u do cego, na porta da sinagoga, ele fingia colocar cinco e tirava dez. Sua ganâ ncia nã o encontrou limites e acabou negociando na calada da noite com os inimigos de Jesus a traiçã o ao Mestre, por algumas m o e d a s d e p r a t a . (Mateus 26, 14-16). O infeliz, quando desprezado pelos comparsas e abandonado à solidã o da pró pria consciência, entrou em desespero e se enforcou. Zaqueu era funcioná rio pú blico e recolhia os impostos para os romanos. Era odiado pelos seus compatriotas e nem podia frequentar a sinagoga, sendo considerado pecador pú blico. De pequena estatura, estando atrá s da multidã o e querendo ver Jesus que ia passar, trepou numa á rvore e se escondeu no meio das folhagens. Jesus ao passar localizou-o e disse a Zaqueu: Hoje vou hospedarme na sua casa. Zaqueu sentiu-se valorizado, alegrou-se e recebeu Jesus com festa, e o corrupto Zaqueu foi logo fazendo sua auto-delaçã o: “darei a metade dos meus bens aos pobres”, etc, etc, etc (Lucas 19-8). Sua vida mudou porque alguém tocou na sua consciê ncia. Nem precisava de processos em vá rias instâ ncias, Zaqueu parou de roubar e reparou a justiça lesada. Bom exemplo a ser seguido! Sobre bons exemplos, o terceiro ladrã o, Sã o Dimas, ou Rayh, leproso de famıĺ ia de ladrõ es, como diz a lenda popular, pode representar uma esperança aos viciados e incorrigıv́ eis amigos do alheio. Conhecido como o “bom” ladrã o, nã o por sua esperteza na roubalheira, mas porque teve uma ideia sensata no extremo da vida. Condenado a morte ele reconheceu que suas falcatruas de nada valeram, arrependeu-se e pediu misericó rdia a Deus. Jesus viu que sua confissã o era sincera e lhe prometeu o Paraiso naquela mesma hora (Lucas 23, 39-43). Sempre é tempo de arrependimento e nã o precisa esperar até o fim da vida. Quan- to mais cedo melhor. Deus pode conceder a vida da Graça, també m ao ladrã o arrependido, sinceramente arrependido e bem confessado! Deus está permanentemente derramando chuvas de Graças e Bençã os como uma Névoa. Se quisermos ser abençoados, teremos que desarmar o guarda-chuva, que é o pecado, que nã o deixa as bênçã os penetrarem no templo do Espıŕ ito Santo. Dos três ladrõ es ou foram abençoados pela Misericó rdia de Deus, ou foram auto amaldiçoados! No caso da maldiçã o... por nã o crer e nã o confessar os seus pecados. Que Deus em sua Infinita Bondade derrame copiosas Bençãos em nós e Livrai-nos do Mal. Amém! Jair José Woitchy Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 05

[close]

p. 6

Pastoral da Pessoa Idosa Pastoral da PessoaIdosa CNBB “Dai ao nosso coração sabedoria” (SL 90) Pastoral da Pessoa Idosa, uma maravilhosa obra de Deus A Pastoral da Pessoa Idosa é uma maravilhosa obra de Deus, da qual participar como Voluntá ria fazendo nossas visitas a cada pessoa acamada, ou em algum estado de vulnerabilidade é um enorme privilé gio. Na PPI seguimos o exemplo de Maria Santıś sima, que viajou quase 150 Km para visitar Zacarias e Izabel, ambos Idosos, temos oportunidade de tocar a carne do pró prio Jesus, atravé s do Idoso visitado. Acompanhamos com uma compreensã o amorosa aquele que envelhece, aprendemos a envelhecer com dignidade e lidar com a velhice. O final de ano está chegando e nó s da PPI, queremos agradecer a cada um que se fez presente colaborando de alguma forma para que fizéssemos nosso trabalho com amor, dedicaçã o, levando o conforto necessá rio a cada famı́lia visitada. Muitas bê nçã os a todos os lı́deres, a coordenadora Maria Muraro, aos nossos assessores Padre Roque Sutil no inıć io do ano e Padre Pedro que hoje nos acompanha. Agradecimento especial ao pessoal das secretarias, a Silvana Baitala que edita nossas matérias enfim... Agradecemos a Deus por nos dar força e sabedoria para ter chegado até aqui, e pedir que no pró ximo ano possamos continuar a caminhada juntos na missã o de servir. A todos que fazem de Deus o centro de suas ocupaçõ es na vida, no seu dia a dia, atravé s dessa ou de outra pastoral, Feliz Natal!!!Muito Obrigada e um Líder: Maricléia Dris lachóvski Aconteceu... Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 A Pastoral da Pessoa Idosa em visita à s Comunidades. 06

[close]

p. 7

Feliz Natal! Natal está chegando. Para nó s, IDOSOS, o que pode significar esta data? As propagandas do comé rcio misturam brinquedos para as crianças, com bebidas alcoó licas. Chegam até a perturbar. Nossos netinhos, com certeza, já ficam imaginando o que querem ganhar, afinal o Papai Noel aparece uma só vez ao ano, justamente para trazer presentes. E quem paga os esperados presentes? Até que um dinheirinho extra, para contentar os netinhos, nã o vai fazer falta. Lembro-me bem do meu tempo de criança, quando eu e meus irmã os tıń hamos passado o dia anterior enfeitando o pinheirinho (real), apanhado na roça, inventando um presé pio. E ao acordar, logo pela manhã , nossa alegria em encontrar um pacotinho com balas, uma gaitinha de boca, uma peteca ou uma bola de borracha, de cor vermelha. E HOJE? De Nascimento de Jesus, nem se fala. Mas, fica a pergunta: o AMOR de pai, de mamã e, de vovô ou de vovó , aquele clima de famıĺ ia unida? Os presentes caros, atribuıd́ os a Papai Noel, serviriam para “comprar” o carinho de algué m? Existe, sim, grandes empenhos em comemorar o NATAL no seu verdadeiro significado, sobretudo nas comunidades cristã s, com as Novenas de Natal e com o “amigo secreto”, entre os adultos. Mesmo assim, tenho ouvido: “meus filhos estã o longe, nã o tenho ninguém, sinto-me só”. A nossa Terceira Idade pode, sim, ter um Natal alegre, tranquilo, sorridente. Exatamente: nosso sorriso pode fazer a diferença. Mesmo que ningué m esteja ao nosso lado, comemorando seja lá o que for, abrir um sorriso por ver tanta criança que acredita em Papai Noel, que adora ganhar presentes, que tem a alegria de estar de “férias” e, quem sabe, sente que está recebendo algum carinho, faz a diferença. Se ningué m aparecer ou telefonar para dizer FELIZ NATAL, faça como os passarinhos: Comece o dia cantando. A mú sica é o alimento do espıŕ ito. Nó s somos o que pensamos. Será um Natal sorridente se a mú sica ocupar nossa alma. Desejo a todos a conquista da arte de sorrir. Antonio Mucelin Aniversariantes do mês de Dezembro A você dizimista, o nosso reconhecimento pela participaçã o consciente e generosa. Deus te abençoe! Pastoral do Dıź imo Feliz Aniversário Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 07

[close]

p. 8

Notícias do Vaticano . Dia Mundial dos Pobres Cidade do Vaticano (RV) - A omissã o é també m o grande pecado contra os pobres. Esta assume um nome preciso: indiferença. E dizer: “Nã o me diz respeito, nã o é problema meu, é culpa da sociedade”. E també m indignar-se com o mal mas sem fazer nada. Foi o que disse, incisivo, o Santo Padre na missa de Domingo,dia 19 de novembro, 1º Dia Mundial dos Pobres, celebrada na Basıĺ ica de Sã o Pedro com a participaçã o de 4 mil pessoas entre pobres e necessitados, acompanhados por associaçõ es de voluntá rios provenientes nã o somente de Roma e da regiã o do Lá cio, mas també m de vá rias dioceses do mundo. Não fazer nada de mal, não basta “Somos chamados a estender a mã o aos pobres” diante do ampliar-se da pobreza no mundo de hoje. “Nã o podemos ficar inertes e muito menos resignados”. Francisco chama a atençã o para o fato que se “desejamos oferecer a nossa contribuiçã o eficaz para a mudança da histó ria, gerando um verdadeiro desenvolvimento, é necessá rio que e s c u t e m o s o grito dos pobres e nos comprometamos a tirá los da sua condiçã o de marginalizaçã o”. Ao mesmo tempo, “aos pobres que vivem nas nossas cidades e nas nossas comunidades” Francisco recorda de nã o perderem o sentido da pobreza evangélica que eles trazem imprimido em sua vida. Os pobres nã o sã o um problema, sã o um recurso a quem buscar para acolher e viver a essê ncia do Evangelho. Rádio Vaticano - Silvonei José Protz Mensagem de Natal do Papa Francisco O Natal costuma ser sempre uma ruidosa Você será os Reis Magos festa; entretanto se faz necessá rio o silêncio, para quando conseguir dar, de pre- que se consiga ouvir a voz do Amor. sente, o melhor de si, indistintamente a Natal é você, quando se dispõ e, todos os dias, t o dos. a renascer e deixar que Deus penetre em sua A mú sica de Natal é você, quando consegue alma. també m sua harmonia interior. O pinheiro de Natal é você, quando com sua O presente de Natal é você , quando consegue força, resiste aos ventos e dificuldades da vida. comportar-se como verdadeiro amigo e irmã o de Você é a decoraçã o de Natal, quando suas qualquer ser humano. virtudes sã o cores que enfeitam sua vida. O cartã o de Natal é você, quando a bondade Você é o sino de Natal, quando chama, con- está escrita no gesto de amor, de suas mã os. grega, reú ne. Você será os “votos de Feliz Natal” quando A luz de Natal é você quando com uma vida de perdoar, restabelecendo de novo, a paz, mesmo a bondade, paciê ncia, alegria e generosidade custo de seu pró prio sacrifı́cio. consegue ser luz a iluminar o caminho dos outros. A ceia de Natal é você, quando sacia de pã o e Você é o anjo do Natal quando consegue entoar esperança, qualquer carente ao seu lado. e cantar sua mensagem de paz, justiça e de amor. Você é a noite de Natal quando consciente, A estrela-guia do Natal é você, quando con- humilde, longe de ruıd́ os e de grandes celebra- segue levar algué m, ao encontro do Senhor. çõ es, em silêncio recebe o Salvador do Mundo. 08 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43

[close]

p. 9

Ano do Laicato "Sal da Terra e Luz do Mundo" Mt 5,13-4 Os Bispos do Brasil, por ocasião da 54ª. Assembléia Geral, em Aparecida-SP, nos dias 6 a 15 de 2016 aprovaram o texto do Documento 105, com o tema: “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade” e com o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-14). Diz o documento: “os cristã os leigos e leigas receberam pelo batismo e crisma, a graça de serem Igreja e, por isso a graça de serem Sal da terra e Luz do mundo. Nesse contexto de espiritualidade laical, a Igreja no Brasil, a partir do Documento 105, nos propõ e a celebrar o Ano do Laicato, a partir do dia 26 de novembro de 2017, quando celebramos a Solenidade de Cristo Rei do Universo e se estenderá até o dia 25 de novembro de 2018, também Solenidade de Cristo Rei do Universo. Portanto, o tema para animar a mıś tica do Ano do Laicato é: “Cristãos Leigos e Leigas, sujeitos na Igreja em saída”, a serviço do Reino. E o Lema: “Sal da terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-14). O assessor da comissã o para o Laicato, o leigo Laudelino Augusto dos Santos Azevedo aponta que é preciso em primeiro lugar a abertura do coraçã o, presença e participaçã o de todos. “E participando que a gente vai adquirir conhecimentos, experiê ncias, vai entendendo melhor a nossa identidade como cristã o leigo e leiga, a nossa vocaçã o, espiritualidade e missã o” ( fontecnbb. Net).Laudelino faz ainda um apelo para que todos contribuam com o sucesso do Ano do Laicato: “Você que é um cristã o Leigo ou leiga, ou você que tem algum Ministério na Igreja, você pode com sua presença, com sua participaçã o, levar a bom ê xito do Ano do Laicato” (fonte cnbb.net). Em breve, as Dioceses receberã o as orientaçõ es metodoló gicas de como preparar e celebrar nas paró quias, comunidades. Segundo a presidente do Conselho Nacional do Laicato no Brasil e integrante da comissã o, Marilza Lopes Schuina, as dioceses receberã o uma proposta a partir da qual, recomenda, tenham toda a liberdade para usar a criatividade ao planejar e vivenciar as açõ es locais. Com o Ano do Laicato a Igreja pretende dinamizar o estudo e a prá tica do documento 105 e demais documentos do Magisté rio, em especial do Papa Francisco, sobre o Laicato; e estimular a presença e a atuaçã o dos cristã os leigos e leigas, verdadeiros sujeitos da missã o na vida da Igreja e também na busca da transformaçã o da sociedade. Pe. Pedro Hélio de Oliveira, C.Ss.R. Missionário Redentorista Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 09

[close]

p. 10

Missas com Bênção do Santíssimo 1ª Quarta-feira do Mês: Nossa Senhora do Perpé tuo Socorro 1ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o da Saú de - Traga remé dios, receitas, roupas (Matriz) 2ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o das Chaves da Casa, dos Carros, das Motos, da Bicicletas (Matriz) 3ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Alimentos - Traga alimentos para serem abençoados, e um quilo de alimento para partilhar com os pobres (Matriz) 4ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Trabalhadores e dos Desempregados (Matriz) 5ª Quinta-feira do Mês: Bênçã o dos Artigos Religiosos, Aguas (Matriz) HORÁRIO DAS MISSAS/NOVENAS HORÁRIOS DE ATENDIMENTOS E ASSESSORIAS DAS Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso (Missionários Redentoristas) COMUNIDADES E PASTORAIS DOS COMUNIDADE DIA HORA CELEBRAÇÃO MISSIONÁRIOS REDENTORISTAS EM GUARATUBA quarta quinta 19h30 19h30 Missa/Novena Missa COMUNIDADE PASTORAIS, GRUPOS DIAS DE PLANTÃO Pe. Roque Sutil Gabriel, C.Ss.R. N.S. Bom Sucesso Matriz sexta 19h30 sábado somente na temporada 19h30 domingo 10h00 domingo 19h30 Missa Missa Missa Missa - Matriz N. Sra. Bom Sucesso (Centro) - Santo Antonio - Catequese; Liturgia e - quarta e sábado Canto; - Juventude; Coroinhas - P. Humanizante 4º domingo 10h00 Missa/Batizados (Coroados) N. S. Perpétuo Socorro Brejatuba quarta domingo 3º domingo 1ª sexta 19h30 08h00 08h00 07h30 N. S. Navegantes Barra do Saí quarta sábado 1ª sábado 18h00 19h30 19h30 N. S. Aparecida Caieiras quarta sábado 3º sábado 19h30 19h30 19h30 Santo Antonio Coroados quarta domingo 1º domingo 19h30 08h00 08h00 São Luiz Gonzaga Nereidas quarta domingo 2º domingo 19h30 10h00 10h00 São Joaquim Cubatão 1º , 2º e 3º domingo 10h00 N. S. Aparecida Banaze 1º , 2º e 3º domingo 08h30 Missa/Novena Missa Missa/Batizados Missa Sagrado Cor. Jesus Novena Missa Missa/Batizados Novena Missa Missa/Batizados Novena Missa Missa/Batizados Novena Missa Missa/Batizados Missa Missa - São Joaquim (Cubatão) Pe. Pedro Hélio de Oliveira C.Ss.R - N. Sra. Aparecida (Caieiras) - N. Sra. navegantes (Barra do Saí) - P.P.I.; Criança; Dízimo; R.C.C.; - Leigos - segunda e sexta Pe. Donald R. Roth C.Ss.R. - N. Sra. Perpétuo Socorro (Brejatuba) - São Luiz Gonzaga (Nereidas) - N. Sra. Aparecida (banaze) - Ministros; Batismo; Familiar - Social - terça e quinta Comunhão, Participação e Missão São Luís de Franca Padroeiro de Guaratuba N. Sra. Fátima Riozinho 1ª e última quinta 19h00 Missa Obs.: Última segunda-feira do mês, não há atendimento, encontro dos padres. 10 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43

[close]

p. 11

Datas e Eventos Paroquiais de Dezembro HORA SANTA COM JESUS Local: Matriz Nossa Sra. do Bom Sucesso Data: 01/12 Horário: 18:30h. Toda primeira sexta feira de cada mê s. Participe conosco! MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS PARA OS TRABALHADORES E COMERCIANTES DE GUARATUBA Local: Sorveteria Big Center (Av. 29 de Abril) Horário: 7h30 Data: 01/12 Toda primeira sexta feira de cada mê s. HORA SANTA COM JESUS Local: N. Sra. do Perpé tuo Socorro (Brejatuba) Data: 01/12 Horário: 17:30h. Participe conosco! SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS HORA SANTA Data: 01/12 Toda primeira sexta feira do mê s As 15h junto com o Terço da Misericó rdia. INFORMAÇÕES NA SECRETARIA PAROQUIAL Curso de Pais e Padrinhos Sempre no primeiro sá bado de cada mês das 13h30 à s 17h30 nos meses de março a dezembro, exceto julho, janeiro e fevereiro. Inscriçõ es durante a semana na Secretaria Paroquial Visite o site da Paróquia - ww.paroquiaguaratuba.com.br Aconteceu... Primeira Eucaristia celebrada pelo Padre Roque, na Comunidade de Nossa Senhora do Perpé tuo Socorro Fotos: Pollyana Shaich Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 11

[close]

p. 12

O Advento O Advento em minha vida Maranatha! Vem Senhor Jesus! (Ap.22,20), temos como definiçã o de Advento tempo de espera, vigilâ ncia. O advento pode ser ampliado, temos vá rios exemplos de quanto é necessá rio o tempo de espera no que há de vir. Começamos com o germinar da semente, ela precisa de tempo embaixo da terra, para apó s, poder mostrar-se ao sol, a gestaçã o da criança gera na mã e a expectativa de conhecer esta nova vida e somente apó s a espera, neste tempo quantos sentimentos e pensamentos , acompanhado pelo pai bem de perto. O advento está presente na vida da famıĺ ia, como esteve na famıĺ ia de Nazaré , pensemos como José e Maria que viveram a espera do nascimento do filho de Deus, quanta responsabilidade, perguntas: Como será o rosto de Deus? Nascerá com quais caracterıś ticas fıś icas, será saudável? Tudo isso nó s vivemos també m, a intensidade de sentimentos gerados pela responsabilidade de gerar e criar O Filho e um filho de Deus. Temos o inı́cio do Advento. Os tempos litú rgicos e cronoló gicos encaixam-se em nosso cotidiano quando a espera do pró ximo ano fica centrada na esperança no que há de vir. Ficamos sempre a esperar mais de tudo. Os alunos; as notas tã o desejadas o passar de ano. Os professores: as maravilhosas fé rias; as crianças: o presente de natal; as vovó s: a famıĺ ia reunida para poder cozinhar à vontade. Podemos “ver” o advento presente em nosso cotidiano. Atençã o, fiquemos atentos para aquilo que o comé rcio espera: o consumismo exagerado, aquele que acaba com o sentido do advento litú rgico. Pois nã o tem como você e eu nã o pensarmos no 13º salá rio, férias e pagamentos extras para podermos ir à s compras natalinas, a tentaçã o do consumismo. Como Cristã o devemos afirmar profeticamente a esperança. Como individuos intensificar o desejo do coraçã o e retomar o sentido da vida. Na sociedade, as esperanças sã o também coletivas: é o sonho do povo por justiça e paz “as espadas transformadas em arado e as lanças em podadeiras” (Is2,4). Ficar esperando parado, nã o faz o advento acontecer. E necessá rio caminhar, correr para, executar nossa missã o na certeza de que o melhor há de vir pelo caminho, vem ao nosso encontro e como pedimos no inicio: Maranatha! Vem Senhor Jesus! E Ele que vem ao nosso encontro. Nossa atitude de fé , que gera esperança, que gera amor. Deus abençoe o nosso tempo de espera. Fonte: João Fábio Savelli 12 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43

[close]

p. 13

São Francisco de Assis e o Natal “Oh! o Natal! Oh! o Natal!" Pronunciando essas palavras a alma de Francisco ficou profundamente comovida. "Essa é a festa de Assis esperava o começo da liturgia. A Missa começou. Quando chegou o momento, anunciou, com voz sonora, a "boa nova" do Nascimento do das festas, dia de alegria e de regozijo porque Senhor. Fechou o missal. Saiu do altar. Aproximou- um Menino muito amado e muito santo nos foi se do povo. Começou a falar. O Irmã o ficou dado, nasceu por nó s, no caminho, e foi posto em completamente sereno, começou a dirigir a um presépio, pois nã o havia lugar para ele na palavra a alguém que, supostamente encontrava- hospedaria." se em cima do presépio, como se nã o existisse "Gostaria de celebrar o Nascimento do ningué m mais no mundo. Inclinava-se para o Senhor de uma forma especialıś sima. Por isso, presépio, como se fosse beijar alguém ou tomá -lo Irmã o Joã o vai preparar para mim, naquela gruta nos braços, como se fizesse as carıć ias que as grande, ali em frente, um presépio verdadeiro, mã es fazem para com seus filhinhos. para termos a impressã o exata de como acon- Foi uma noite, inesquecı́vel. teceram as coisas na gruta de Belém. Anuncia “Todos os habitantes de Grecio esse acontecimento aos habitantes de Grécio e tiveram a impressã o de que sua convoca-os solenemente para a noite feliz." gruta tinha sido transformada Chegou o grande dia. Francisco nã o parecia numa nova Belém, e conta- cidadã o deste mundo. vam milagres.” Caıŕ a a noite. Poucas horas depois os Irmã os Era o ano de 1223. contemplavam, na gruta, um espetá culo nunca visto. A montanha estava em chamas. Os habitantes de Grécio, homens, mulheres e crianças, Feliz Natal a empunhando tochas desciam a montanha, entre câ nticos de alegria. todos! Tinham preparado na entrada da gruta, um enorme presé pio com feno e palha. De um lado, em pé , um burrinho comia o tempo todo. De outro (Texto pesquisado no Livro O Irmão lado, um boi nã o menos manso. Junto ao presépio, de pé, repleto de consolaçã o e felicidade, o Pobre de Assis do autor Inácio Larrañaga) Margarida Miranda Correa Programa Voz da Paróquia Radio Alternativa FM 87,9 Segunda a sexta das 17:30 as 18:00hs Missas das 10:00hs de domingo da Igreja Matriz transmitida pela Radio Alternativa FM 87,9 e também pelo site da paróquia. Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 13

[close]

p. 14

O que é ser coroinha? Desde jovem, o menino ou menina sã o Ÿ convidados a doar um pouco de seu tempo para as coisas de Deus. Doar o Ÿ seu tempo para servir o altar do Senhor nas celebraçõ es eucarıś ticas. Mas nã o é só isso, ser Ÿ coroinha é dar testemunho de vida, mesmo que Ÿ você seja um jovenzinho, você tem muito a ensinar a quem nã o teve a oportunidade de conhecer Jesus. Ÿ Ÿ Ser coroinha é servir a Deus, à Comunidade e à famıĺ ia. Ÿ Trabalhar como coroinha implica em algumas responsabilidades. Participar das reuniõ es, missas e demais compromissos assumidos. Ÿ Ser pontual; Ÿ Chegar sempre a tempo para as reuniõ es e celebraçõ es; Ÿ Ser organizado; Ÿ Ser cuidadoso com as coisas da Igreja e do altar; Ÿ Ser humilde e observador; Ÿ Ser respeitoso e obediente à s normas da Igreja. Ÿ Ter gosto pelas oraçõ es e nas Escrituras Sagradas. Ÿ Ser estudioso da matéria (liturgia); O primeiro item necessá rio para ser coroinha é ter boa vontade. Ter disponibilidade para Deus e para a comunidade. Ser bondoso e viver o que Jesus viveu. Se você já foi um coroinha, com certeza, terá boas lembranças e isso ficará na sua histó ria de vida. Se você sente em seu coraçã o vontade de servir a Deus, como coroinha, venha nos procurar nas celebraçõ es, fale com os padres, ministros ou algué m que esteja a serviço da Igreja. Enéas Marcondes Aconteceu Formaçã o de Acó litos e coroinhas da comunidade Nossa Senhora do Perpé tuo Socorro. Formador, seminarista Lessandro Lima. 14 Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43

[close]

p. 15

Cuidar do Meio Ambiente Cada vez mais se faz necessá rio o cuidado e a atençã o com o meio ambiente. O desequilı́brio provocado pela devastaçã o de recursos naturais está colocando em risco, nã o só espé cies animais e vegetais, mas a sobrevivê ncia do pró prio homem no planeta. Uma das formas de revertermos esta situaçã o é o reaproveitamento de materiais reciclá veis, evitando uma maior extraçã o de recursos e diminuindo o acú mulo de lixo nas á reas urbanas. Como deve ser a separação do lixo? Passo a Passo Para que o lixo domé stico produzido possa ser reciclado ele precisa ser, primeiramente, separado em casa. A tarefa de separar o lixo na pró pria residência é bem simples e pode trazer uma sé rie de vantagens para os moradores, para a vizinhança e para o meio ambiente, principalmente. Veja a seguir como é fá cil: Separação do lixo 1º passo: Devemos separar todo o material que pode ser reciclado do que nã o pode, ou seja, vidros, papéis, plá sticos e metais devem ser colocados em outro saco ou container de lixo. E importante lembrar que o lixo orgâ nico nã o deve ser colocado junto do lixo reciclável apesar de també m pode ser reutilizado. 2º passo: Todo o material reciclá vel, anteriormente separado, deve ser lavado e estar seco para que possa ser reciclado. 3º passo: Com o material reciclável limpo e separado, basta depositá -lo em um local estraté gico e diferente do local onde se deposita o lixo comum, para que seja fá cil o recolhimento. Vale lembrar que fica muito mais prá tico colocar o lixo reciclável em um saco plá stico transparente, tanto para quem recolhe quanto para quem separa o lixo. Eu não queria que essa imagem existisse, mas como ela existe, quero que todos a vejam! reciclagem é uma daquelas contas gigantescas de que um dia mais tarde, havemos de pagar diretamente. Os residentes de Naic Cative, acordaram numa quinta feira, com uma visã o horrenda na praia, uma baleia azul em decomposiçã o na costa, a montanha de resıd́ uos que estava em sua boca era tã o grande, que ninguém pode ficar indiferente! Autor: Silvana Baitala Poluiçã o é um dos grandes problemas atuais, embora tenhamos evoluı́do baste, enquanto humanidade, ainda temos imensas falhas. Os erros de hoje serã o pagos amanhã ! A falta de Revista Voz da Paróquia | Comunhão, Participação e Missão |Ano IV | Dezembro 2017 | Nº 43 1505

[close]

Comments

no comments yet