Revista Dataprev Resultados - N.º 14

 

Embed or link this publication

Description

A Revista Dataprev Resultados é um dos principais instrumentos de divulgação da empresa. Tem como foco a apresentação das ações realizadas pela Dataprev.

Popular Pages


p. 1

CIDADANIA NA PALMA DA MÃO Aplicativos desenvolvidos pela Dataprev reduzem filas e dão agilidade à busca por informações ResultadosRevista Dataprev Ano 8 • nº 14

[close]

p. 2

2 Revista Dataprev Resultados Ano 8 • Nº 14

[close]

p. 3

EDITORIAL Há tempos o celular deixou para trás o estigma de item acessório e passou a desempenhar papel relevante nas transações cotidianas. Em 2017, com o lançamento do Sine Fácil e da CTPS Digital, foi promovido e ganhou status de protagonista no acesso a serviços públicos do Governo Federal. Os aplicativos desenvolvidos pela Dataprev para o Ministério do Trabalho permitem hoje que o trabalhador consulte seu histórico laboral, busque novas oportunidades de trabalho e se candidate a uma vaga de emprego sem precisar se deslocar até um posto de atendimento. No mesmo sentido, são disponibilizados esses e outros recursos no portal Emprega Brasil, como a solicitação do seguro-desemprego. Plataformas semelhantes – Meu INSS e INSS Digital – foram pensadas para aprimorar o relacionamento entre o Instituto Nacional do Seguro Social e o cidadão. Levam o atendimento das agências para o computador ou smartphone, oferecendo mais comodidade e agilidade na requisição de benefícios e no encaminhamento de documentação, e sem a necessidade de enfrentar filas. A oferta de serviços remotos e on-line é uma nova filosofia de trabalho, que tem o objetivo de promover mudanças de paradigma para melhorar o fluxo de atendimento e, consequentemente, facilitar a vida do usuário. É a tecnologia a serviço do cidadão e, por que não dizer, ao alcance de todos. Pensando nisso, a Dataprev tem se empenhado, cada vez mais, em oferecer soluções que visem a prestação de serviços públicos de qualidade. Mais do que contribuir, esta é a nossa missão. Em paralelo, a empresa tem concentrado esforços em diversificar seu campo de atuação, com tecnologias que estão transformando o mundo e impactando a vida de milhares de pessoas, como Inteligência Artificial, Analytics, Nuvem, Internet das Coisas, Blockchain e Computação Cognitiva. Chamadas de disruptivas, elas ajudam na construção de um mundo novo, onde a inovação é o core business. É o caso das soluções analíticas, já desenvolvidas pela empresa e que permitem a análise de grandes volumes de dados. Auxiliam na redução de inconsistências e no combate a irregularidades, fazendo com que o dinheiro público seja bem empregado. Evolução técnica é o que a sociedade espera de uma empresa pública de tecnologia. Ações relacionadas à governança corporativa é o que nós, gestores, buscamos permanentemente. É nesse caminho que também seguimos e estamos nos aprofundando. Propostas de reorganização de métodos e processos, implantação de metodologias de análise de custos e de investimentos, reestruturação do modelo de negócios e adequação à Lei das Estatais são prioritárias e devem trazer nova dinâmica à Dataprev. Além disso, novas estratégias digitais são hoje uma realidade das políticas públicas e do Brasil e contam com o apoio da Dataprev. Iniciativas no sentido de integrar nossas bases de dados com outros sistemas do governo, como GovData, se multiplicam e permitirão o reúso de informações, a ampliação da oferta de serviço e a racionalização do gasto público. E claro, tornam mais eficiente a gestão pública. Nesta edição da Revista Resultados abordamos esses desafios. Celebramos também os 43 anos da Dataprev, com conquistas significativas, como o avanço na certificação internacional Tier III, que atesta a clientes a infraestrutura moderna, eficiente e segura dos nossos data centers. A nossa expectativa é concluir o ciclo de classificação até o primeiro semestre de 2018, quando seremos a única empresa de governo no Brasil a possuir o nível máximo de certificação Tier III. Comemoramos, ainda, os prêmios recebidos em 2017, que reconhecem, perante o mercado, a nossa habilidade em executar tarefas. A Dataprev foi eleita a melhor empresa da indústria digital e também do setor público, segundo publicações da imprensa brasileira. E mais, campeã na categoria Melhor Prestação de Serviço Digital no Setor Público da edição latino-americana do DCD Awards. Certamente, esses são resultados do comprometimento dos nossos empregados, responsáveis pela excelência e pelas vitórias que conquistamos dia após dia. A eles, em nome de toda a Diretoria, o nosso agradecimento. Boa leitura! André Leandro Magalhães Presidente Ano 8 • Nº 14 Revista Dataprev Resultados 3

[close]

p. 4

SUMÁRIO 6CAPA CIDADANIA NA PALMA DA MÃO Novos aplicativos criados pela Dataprev dispensam deslocamentos até postos de atendimento e oferecem mais comodidade e segurança ao usuário 10 Cidadão.Br Plataforma de autenticação facilita acesso a serviços públicos

[close]

p. 5

12 Nuvem de Governo: Credibilidade, garantia do serviço e disponibilidade dos dados são o diferencial da Dataprev 16 Tier III: Dataprev avança rumo ao último nível da certificação internacional 22 Tecnologias disruptivas: Analytics, Inteligência artificial, IoT e Blockchain 26 Hackathon Dataprev 2017: Inovar a TI pública para melhorar a vida dos brasileiros 32 Reconhecimento: A Dataprev mantém posição de destaque nas principais publicações de economia e negócios 34 Novo ciclo de gestão: Novos negócios e reestruturação comercial são apostas da Diretoria Executiva 38 Governança apoia ações estratégicas e promove transparência 42 Redes sociais da Dataprev se consolidam como fonte de informações e canal de diálogo 46 Os serviços prestados pela Dataprev a seus maiores clientes 49 Orgulho Dataprev: depoimentos dos empregados

[close]

p. 6

CAPA 6 Revista Dataprev Resultados Ano 8 • Nº 14

[close]

p. 7

CIDADANIA NA PALMA DA MÃO Aplicativos desenvolvidos pela Dataprev reduzem filas e facilitam a busca por informações do Ministério do Trabalho e do INSS Filas para consultas a informações previdenciárias ou trabalhistas fazem parte do passado. A tecnologia a serviço do cidadão é uma realidade e está na palma da mão. Pelo celular ou tablet é possível acessar hoje dados como extrato previdenciário e histórico laboral, consultar benefícios como o seguro-desemprego, agendar atendimento ou perícia e ir em busca de novas oportunidades de trabalho. Tudo é feito a partir de uma conexão com a internet, sem precisar sair de casa. Desenvolvidos pela Dataprev, os novos sistemas do Ministério do Trabalho (MTb) – Sine Fácil, portal Emprega Brasil e a recém lançada CTPS Digital – e do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) – Meu INSS e INSS Digital – são eficientes, ágeis e econômicos. Dispensam, por exemplo, deslocamentos até os postos de atendimento e permitem inúmeras consultas ao longo do dia. Além disso, trazem mais comodidade e segurança ao usuário. “O principal objetivo desses novos sistemas é garantir mais eficiência na prestação de serviços públicos, reduzir custos e dar mais comodidade ao trabalhador que está em busca de uma recolocação no mercado de trabalho, por exemplo”, explica o presidente da Dataprev, André Leandro Magalhães. É o caso do Sine Fácil, aplicativo de simples utilização, mesmo por aqueles com pouco conhecimento de tecnologia, que permite ao trabalhador encontrar, de forma prática e rápida, vagas adequadas ao seu perfil, acompanhar a situação do seguro-desemprego e acessar informações sobre abono salarial, entre outros serviços. A solução, lançada em maio, leva ao cidadão os serviços do Sistema Nacional de Emprego (Sine) a partir de dispositivos conectados à internet. Além do Sine Fácil, foi lançado ainda o portal Emprega Brasil. O site, também desenvolvido pela Dataprev com o objetivo de ampliar o atendimento virtual, reúne vários serviços do órgão – oferta de vagas e cursos de qualificação profissional, entre outros. A partir de novembro, o requerimento do seguro-desemprego começou a ser feito pelo portal, e a expectativa é ampliar essa funcionalidade também para o celular. Para o ministro Ronaldo Nogueira, aplicativos como o Sine Fácil em números* 20 milhões de buscas de emprego Sine Fácil aproximam cada vez mais o trabalhador do Minis- 700 miltério do Trabalho. “A Dataprev tem um papel fundamental no desenvolvimento de sistemas e soluções que melhoram o atendimento aos cidadãos que buscam os serviços do downloads ministério. Isso só é possível graças ao talento e à capacidade técnica dos empregados do órgão, um dos mais sofisticados centros de tecnologia do país”, destaca o ministro. 700 MIL DOWNLOADS +180 mil encaminhamentos para emprego O aplicativo vem cumprindo seu objetivo inicial de facilitar a interlocução entre empresários e trabalhadores em busca de uma oportunidade: em apenas seis meses foram feitas *dados atualizados até novembro de 2017 mais de 20 milhões de buscas de vagas pelo aplicativo, 700 mil downloads e mais de 180 mil encaminhamentos para emprego. E os números não param de crescer. NOVAS FUNCIONALIDADES O app cruza informações do currículo do trabalhador com características das vagas do Sine. Ao acessar o menu ‘Consultar vagas de emprego’ e a partir de filtros de busca, o trabalhador pode, se preferir, visualizar somente oportunidades adequadas ao seu perfil profissional. Uma das vantagens dos apps é a possibilidade de incluir novos recursos e manter funções atualizadas para o usuário. Entre as novidades mais recentes estão a possibilidade de o trabalhador alterar dados do seu cadastro pelo celular e incluir ou remover pretensões profissio- Ano 8 • Nº 14 Revista Dataprev Resultados 7

[close]

p. 8

CAPA CIDADANIA NA PALMA DA MÃO Sine Fácil: veja como acessar o app O usuário pode e baixar gratuitamente o Sine Fácil na loja de aplicativos do seu celular – nas versões Android e iOS. Para ter acesso a todas as suas funcionalidades é necessário um código de acesso (QR Code), que pode ser obtido pelo portal Emprega Brasil, nos postos da rede de atendimento do Ministério do Trabalho, ou pelo requerimento do seguro-desemprego entregue pelo empregador no momento da rescisão. Ou, ainda, pela plataforma de autenticação Cidadao.Br. Trata-se de um código 2D que, ao ser escaneado pela câmera do celular, permite acesso a determinado conteúdo. Basta apontar a câmera na direção do QR Code para decodificá-lo. O código de acesso é individual, o que garante mais segurança às informações e agilidade no atendimento. Acesse o portal Emprega Brasil: https://empregabrasil.mte.gov.br nais, oferecendo mais flexibilidade na busca por vagas de emprego e sem a necessidade de comparecer a um posto de atendimento. Também é possível conectar-se ao aplicativo pelo Cidadão.Br, plataforma de autenticação para facilitar o acesso a serviços públicos pela internet. Entre as características do Sine Fácil estão tamanho pequeno – 9,5 Megabytes para instalar o app, disponível nas versões Android e iOS –, baixo consumo de dados e facilidade de navegação. A conexão pode ser feita pelo pacote de dados ou por redes wi-fi, e a capacidade de acessos simultâneos é ilimitada, diferentemente dos postos de atendimento. “Antes, o trabalhador precisava ir até um posto do Ministério do Trabalho e enfrentava fila para checar se havia alguma vaga de emprego. E muitas vezes a vaga é uma questão de oportunidade e ocasião, ou seja, da pessoa estar no posto no momento em que surge a vaga. Mas com o Sine Fácil é possível fazer várias consultas sem sair de casa”, explica o gerente de conta da Dataprev Flávio Ronison, responsável pelos serviços prestados ao Ministério do Trabalho. Já para o secretário de Políticas Públicas de Emprego, Leonardo Arantes, os aplicativos trazem vantagens também para a Administração Pública. “Eles desoneram a estrutura de atendimento, principalmente neste momento de contingenciamento de recursos”, ressalta. CTPS DIGITAL Iniciativa semelhante está relacionada à Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), que ganhou uma versão digital, fazendo com que o trabalhador tenha que esperar menos tempo pelo documento. Dados da identificação civil e dos contratos de trabalho podem ser acessados a qualquer momento. O aplicativo tem 8,5 Megabytes e está disponível nas versões Android e iOS. A iniciativa de informatizar a CTPS é antiga, mas até hoje ainda não se concretizou por completo. Em São Paulo, a emissão da carteira, por exemplo, ainda é feita manualmente. Por sua vez, o processo de tornar a CTPS um documento digital é mais recente – tem cerca de 1 ano –, mas saiu do papel somente em 2017, após a Dataprev assumir a sua gestão. A ideia é que a empresa viabilize também o processo de informatização por completo em todo o país. Até 1997, todas as carteiras eram manuais, com fotos em papel e dados escritos à caneta. A partir dessa data, o Ministério do Trabalho lançou a primeira carteira informatizada, com dados biométricos, digitais e assinatura digitalizada. Em 2007, foi lançada uma segunda versão informatizada do documento e, em 2014, a terceira e última. Para que a Dataprev pudesse assumir a gestão e a emissão da CTPS foi preciso dividir o projeto em etapas. A primeira foi a internalização dos sistemas que eram operados pelo Ministério do Trabalho e passaram a ser sustentados pela Dataprev. “O nosso desafio era levar para o mundo digital as funcionalidades da carteira de trabalho física. E para isso precisávamos da base de dados. Estamos falando de algo em torno de 39 milhões de carteiras informatizadas, sem levar em conta todas as manuais que existem”, explica Ronison. A fase seguinte do projeto foi a de qualificação e consolidação dessa base de dados, uma vez que o ministério trabalhava com duas versões informatizadas da carteira que nunca tinham sido integradas. Após essa etapa, todo o processo de emissão e gestão da carteira passou a ser operado pela Dataprev. O documento físico continua existindo, mas com a digitalização será possível acessar também todos os dados pelo aplicativo, a partir dos sistemas que já estão sob guarda da Dataprev, como o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Entre as funcionalidades disponíveis estão o fato de a carteira servir como um documento de identificação civil e o registro trabalhista estar sob guarda do trabalhador. 8 Revista Dataprev Resultados Ano 8 • Nº 14

[close]

p. 9

Além disso, também é possível solicitar tanto a 1ª via como a 2ª via do documento pelo aplicativo. “O trabalhador passa a ser mais um agente de todo o processo e poderá verificar se a empresa informou o vínculo e forneceu as informações corretas. Uma vez estabelecida a plataforma, temos inúmeras possibilidades em estudo para ampliar as funcionalidades”, ressalta Ronison. Quem tem a carteira manual também terá acesso ao aplicativo. O trabalhador poderá verificar vínculos laborais, por exemplo, mas o campo da foto informará que a imagem não está disponível porque não foi informatizada. “Basta levar o documento manual nos postos de atendimento para fazer a digitalização e ter acesso a todas as funcionalidades da versão digital”, completa Ronison. Ainda segundo o gerente, os novos projetos integram o Programa Brasil Eficiente, do Governo Federal, que prevê uma série de ações voltadas à desburocratização e à digitalização dos serviços públicos. MEU INSS: MAIS SEGURANÇA Outra plataforma para facilitar o acesso e dar mais segurança aos serviços previdenciários é o Meu INSS (meu.inss. gov.br). O site, desenvolvido pela Dataprev para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), pode ser acessado pelo computador ou por celular, e permite ao segurado fazer agendamento e realizar consultas sobre a sua vida laboral. Entre as informações disponibilizadas estão extratos de pagamentos, contribuições previdenciárias, períodos trabalhados e histórico de crédito. “Eu aposto muito que, com o avanço dessas tecnologias, com a incorporação de novas funcionalidades por parte do INSS em parceria com a Dataprev, vamos diminuir sensivelmente o tempo de espera, tanto para o um agendamento quanto para a análise do próprio requerimento”, diz o presidente do instituto, Leonardo Gadelha. O Meu INSS integra o INSS Digital, novo modelo de atendimento do instituto com utilização intensiva de tecnologia. “Recentemente, o INSS começou a adotar como sua filosofia de trabalho aquilo que a gente chama de INSS Digital, com serviços de maneira remota, on-line. Isso deve trazer agilidade, segurança e conforto para o usuário. Acredito que a Dataprev também comprou essas ideias, tanto que tem nos ajudado muito no desenvolvimento dessas soluções”, completa Gadelha. Saiba como cadastrar sua senha no Meu INSS Para acessar as informações no Meu INSS, o segurado precisa cadastrar uma senha e um login. Além do CPF, nome completo, data de nascimento, nome da mãe e estado de nascimento, é preciso responder corretamente a quatro das cinco perguntas que são disponibilizadas para conferir a identidade do usuário e dar mais segurança ao processo. Em seguida, é gerado um código de acesso provisório que permite o acesso ao site meu.inss.gov.br. Com o código, o segurado consegue fazer login. Após, uma mensagem de “senha expirada” aparece na tela para que que ele crie sua própria senha no padrão recomendado. Caso o usuário responda incorretamente às perguntas, é preciso entrar em contato com a central 135. Brasileiros que moram no exterior também podem acessar o Meu INSS para visualizar o seu extrato de previdenciário. Desde a implantação dos novos sistemas feitos pela Dataprev, mais de 7 milhões de senhas foram geradas pela plataforma de autenticação Cidadão.Br. Ano 8 • Nº 14 Revista Dataprev Resultados 9

[close]

p. 10

NEGÓCIOS 10 Revista Dataprev Resultados Ano 8 • Nº 14

[close]

p. 11

Cidadão.Br Plataforma de autenticação facilita acesso a serviços públicos Com 4,9 milhões de pessoas cadastradas, e 480 mil acessos por dia, a plataforma de autenticação eletrônica Cidadão.Br — desenvolvida e mantida pela Dataprev — facilita o acesso da população a serviços públicos pela internet. Com uma senha única — gerada a partir de dados pessoais e profissionais presentes nas bases governamentais — é possível acessar diferentes serviços com mais segurança e facilidade, como o extrato de informações previdenciárias, a segunda via da carta de concessão de benefícios e histórico de créditos, assim como informações sobre o seguro-desemprego, intermediação de mão de obra e abono salarial. Desde janeiro de 2017, mais de 8,6 milhões de senhas foram geradas. O código pode ser usado para acesso ao Meu INSS e ao Sine Fácil. O objetivo, agora, é expandir o uso do Cidadão.Br, ofertando uma solução de autenticação ao cidadão que possa ser aplicada a outros serviços de governo de forma simples, segura e de baixo custo. “É um serviço que se propõe a unificar a forma de acesso do cidadão aos serviços digitais do governo. Garante níveis de confiabilidade de que o cidadão é a pessoa que está usando o serviço e com isso permite a implantação das estratégias do Governo Eletrônico. Os clientes da Dataprev podem assim se preocupar com a prestação do serviço em si ao cidadão e não como a pessoa é identificada no ambiente virtual”, ressalta William Veronesi, gerente do Departamento de Gestão de Serviços de TI Corporativos. O gerente de contas de Novos Negócios da Dataprev, Edmar Ferreira Jr., ressalta ainda que o Cidadão.Br é um dos principais mecanismos de inclusão digital para os cidadãos: “A plataforma permitirá diversos benefícios como a desburocratização do acesso a serviços governo, agilidade na resposta do Estado a requerimentos dos cidadãos e a desoneração das redes presenciais de atendimento”. A autenticação do cidadão é realizada a partir da confirmação de dados, como sua vida laboral. Para isso, é realizado um cruzamento com o Cadastro Nacional de Informações Sociais e plataformas do Ministério do Trabalho, sob guarda da empresa. O nível de checagem irá determinar que serviços poderão ser acessados. “No primeiro nível de autenticação pode ser prestado, por exemplo, o serviço de intermediação de mão de obra. Já para solicitar um seguro-desemprego, que vai gerar um custo financeiro, é necessária mais uma camada de validação. Essas camadas são checagens, que podem ser virtuais, por meio do cruzamento de dados, ou físicas, por meio do comparecimento do cidadão à rede de atendimento presencial”, explica Flavio Ronison, gerente de conta da Dataprev que atende o Ministério do Trabalho. O código também poderá ser gerado a partir de instituições financeiras. Desenvolvido pela Dataprev, o Núcleo de Autenticação Interbancária (NAI) permite que os bancos passem a gerar a senha aos clientes em suas redes de atendimento. O código é submetido à Dataprev, que processa as informações e autoriza o acesso aos serviços do governo, evitando que o cidadão tenha que se deslocar até um posto de atendimento. O primeiro a implantar a solução foi o Banco Mercantil. Segundo o diretor de Relacionamento, Desenvolvimento e Informações da Dataprev, Ricardo Junqueira, os demais bancos pagadores de benefícios estão em processo de implantação. Uma senha em três passos Passo 1 Para criar sua senha, basta acessar o Cidadão.Br e preencher os campos com seus dados pessoais, que serão checados nas bases governamentais. http://cidadao.dataprev.gov.br/ Passo 2 São feitas perguntas para as quais só o cidadão sabe a resposta, como onde trabalhou e benefícios que recebeu. Passo 3 Por fim, é só cadastrar a nova senha e começar a usar. É possível cadastrar uma nova senha quando quiser. 11Ano 8 • Nº 14 Revista Dataprev Resultados

[close]

p. 12

NEGÓCIOS 12 Revista Dataprev Resultados Ano 8 • Nº 14

[close]

p. 13

NUVEM DE GOVERNO Credibilidade, garantia do serviço e disponibilidade dos dados são o diferencial da Dataprev Oferecer a cada cliente a proposta mais adequada para seu uso, com qualidade e credibilidade. É nesse sentido que a Dataprev tem trabalhado para adequar o seu modelo de computação em nuvem à atual realidade do mercado. A meta é que a nuvem de governo esteja pronta no início de 2018. “Estamos analisando o mercado e desenhando modelos de negócios inovadores para o setor público e a realização de parcerias é um caminho natural, tanto com o Serpro em relação aos dados de governo, quanto com as empresas que ofertam nuvem pública na iniciativa privada”, explica o presidente André Leandro Magalhães. A computação em nuvem é uma solução na qual recursos de tecnologia da informação, como hardware, software, rede e armazenamento de dados, são fornecidos aos usuários à medida que eles demandam. A tecnologia substitui, por exemplo, os servidores físicos por máquinas virtuais e diminui o tempo de implementação das soluções. A estratégia da Dataprev abrange a oferta de Infraestrutura (IaaS), Plataforma (Paas) e Software (SaaS) como serviço. A empresa possui três data centers modernos e com certificação internacional Tier III, que garantem 99,98% de funcionamento 24 horas por dia, sete dias por semana. Aliado a isso, dispõe de capacidade instalada suficiente para atender a demanda estimada para os próximos dois anos, além de estar estruturada para crescer o quanto for necessário. “O nosso diferencial é credibilidade, garantia do serviço e disponibilidade dos dados para o cliente. E a Dataprev pode oferecer a melhor infraestrutura e as melhores condições de serviços e bases tecnológicas”, avalia o diretor de Tecnologia e Operações da Dataprev, Matheus Belin. Em paralelo, a Dataprev pretende estabelecer parcerias com provedores de mercado, como Oracle, IBM, VMWare e Microsoft, para a oferta de nuvem pública de mercado para órgãos do governo, conforme previsto na Lei das Estatais. Uma das vantagens desse modelo é que o dado ficará hospedado em território nacional, nos servidores de um data center de governo, como é o caso da Dataprev. “Alguns projetos específicos têm muitos players de mercado. Quando você tem uma instituição de governo hospedando um projeto, existe mais confiabilidade do que se o dado estivesse em uma nuvem pública, por exemplo. Você tem a chancela de governo. E alguns projetos específicos são sensíveis. Às vezes o dado nem é confidencial, mas o fiel depositário é o governo”, diz Belin. REDUÇÃO DE CUSTOS Uma das principais vantagens da computação em nuvem é que o cliente só paga pelo que usa. No modelo de cloud computing, o cliente “aluga” a capacidade de hardware que deseja durante o período que quer, pagando apenas pelos recursos de que precisa. Isso vale também para os softwares. Em vez de comprar uma licença de uso do sistema e adquirir servidores para instalá-lo, o contratante paga apenas uma mensalidade para a empresa que fornece o sistema e já tem tudo funcionando na hora, com custos reduzidos. Outra vantagem é a flexibilidade, ou seja, é possível aumentar ou diminuir a infraestrutura de tecnologia quando quiser, de forma extremamente rápida e ágil. O cliente não precisa fazer grandes investimentos e perder tempo planejando a compra de um novo servidor. Ele simplesmente solicita e terá mais recursos à disposição, automaticamente. Essa possibilidade é muito útil para os negócios que sofrem efeitos sazonais, com picos e quedas de movimento. 13Ano 8 • Nº 14 Revista Dataprev Resultados

[close]

p. 14

NEGÓCIOS PRESERVAÇÃO DIGITAL Atransição do papel para o digital é uma realidade e o crescente acúmulo de informações em formato digital em todas as áreas demandam um serviço que permita a perpetuidade das informações, sejam elas jurídicas, científicas, culturais ou de outro segmento. Com o objetivo de expandir o seu portfólio de serviços, a Dataprev vem desenvolvendo um conjunto de soluções em nuvem privada de governo em que será possível preservar as informações por longo prazo, sem risco e com migração de suportes ou sistemas. Além de guardar os dados de forma segura e confiável, o serviço de preser- Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos Uma das soluções prontas e já comercializada pela Dataprev é o e-Doc, Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos, que substitui a tramitação de papel e processos físicos. Por meio da ferramenta é possível agilizar processos e reduzir o consumo de papel, garantindo economia e ganhos socioambientais. A consulta às informações é imediata. A ferramenta, que também é utilizada pela Dataprev, está aderente às normas e portarias do Governo Federal relacionadas à gestão de documentos. Possibilita a digitalização, o arquivamento e recuperação de documentos em formato padronizado e controle e acompanhamento da sua tramitação com garantia de segurança em todo o processo. Outra vantagem é a redução da incidência de perdas e extravios de documentos. Entre as características, destaca-se a possibilidade de importação dos mais variados documentos para dentro do sistema, como PDF, DOCX, ODT, e também de mídias contendo áudio e vídeo. vação digital garante a perpetuidade de informações digitais e a autenticidade de documentos digitais, e elimina o risco de obsolescência de tecnologias e de dependência de sistemas proprietários. “Mesmo documentos digitais natos têm vulnerabilidade. A orientação, nesse sentido, é que esses dados não sejam mantidos em infraestrutura própria, mas que a guarda seja feita por especialistas, que estão preparados para esse tipo de atendimento, como a Dataprev”, explica o presidente da empresa, André Leandro Magalhães. Investimentos feitos nos últimos anos aumentaram a segurança, a capacidade energética e a disponibilidade dos data centers da Dataprev, levando à empresa a mais do que dobrar a sua infraestrutura tecnológica. Dois dos três ambientes já têm hoje a classificação internacional Tier III. “O parque computacional da Dataprev está equipado para garantir não só a preservação de dados por longos períodos de tempo, mas principalmente as características de integridade, autenticidade e confidencialidade das informações da sociedade brasileira e do cidadão, seja no setor público ou privado”, afirma o diretor de Tecnologia e Operações, Matheus Belin. As soluções podem ser configuradas conforme a necessidade de cada cliente e o acesso, por meio de nuvem privada de governo, garante a segurança do dado e alta disponibilidade. Elas englobam serviços de armazenamento de dados e utilizam as tecnologias dos data centers da Dataprev para operações de Repositório Arquivístico Digital Confiável (RDC-Arq), por meio do armazenamento em disco de metadados e dados para curto prazo, e de preservação de dados em formato digital e visual por longo prazo. Cópias dos dados ficarão armazenadas nos data centers da Dataprev, e outra, de segurança, estará disponível aos clientes para armazenamento em seu próprio ambiente de preservação. 14 Revista Dataprev Resultados Ano 8 • Nº 14

[close]

p. 15

GOVERNANÇA DIGITAL Novas estratégias para aprimorar a eficiência dos serviços Ouso da tecnologia com foco no cidadão e na eficiência dos serviços públicos está na pauta do governo e da Dataprev, e faz parte da construção de uma agenda digital. O assunto tem sido tratado pelo presidente da empresa, André Leandro Magalhães, em conjunto com representantes dos ministérios da Fazenda, do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações. “As inúmeras possibilidades oferecidas pelos novos dispositivos e canais digitais permitem a simplificação e a oferta de serviços públicos mais alinhados com o ambiente digital em que vivemos”, avalia André Leandro. Além de soluções que suportam principalmente as atividades da Previdência e do Trabalho, a Dataprev tem investido em infraestrutura e segurança da informação para executar as ações e projetos da Estratégia de Governança Digital (EGD), do Governo Federal, que tem como objetivo simplificar e agilizar a prestação dos serviços públicos, além de melhorar o ambiente de negócios e tornar mais eficiente a gestão pública. “A EGD é um marco na forma como a Administração Pública se organiza para fazer uso das TICs. Assim como vários países que passaram a adotar um planejamento digital estratégico, ela possui foco nas necessidades do cidadão, inspira gestores públicos, além de promover a transparência e criar mecanismos de participação social”, ressalta o secretário de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Marcelo Pagotti. Uma das ações que dará apoio à implantação da EGD é a Plataforma de Reconhecimento Digital do Cidadão (Predic). “Em resumo, trata-se de uma sistemática que visa melhorar o processo de identificação do cidadão nos cadastros administrativos do governo. Permite, por exemplo, quando houver conflito ou duplicidade de informações, que seja eleito o dado-mestre mais confiável a partir de critérios definidos pelo cliente”, explica a assessora da Dataprev, Beatriz Garrido. Entre as bases de dados que integrarão a Predic estão o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) e o Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc), ambos sob guarda e gestão da Dataprev. ACESSO RÁPIDO A INFORMAÇÕES Outra iniciativa nesse sentido foi lançada em maio pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG). A GovData é uma plataforma tecnológica que reúne as principais bases de dados do governo e permite aos gestores ter acesso, em um único ambiente digital, a soluções para cruzamento e análise de informações. A Dataprev é uma das provedoras da plataforma. O novo recurso possibilita e auxilia o monitoramento e desenvolvimento de políticas públicas, permite o reúso das informações, racionaliza o gasto público e amplia a oferta de serviços públicos digitais aos cidadãos. Com o emprego de ferramentas de inteligência de negócio e descoberta de dados será possível, por exemplo, fazer o cruzamento de dados de programas sociais com a renda de cidadãos de forma mais rápida e descobrir se uma pessoa que já morreu continua recebendo um benefício social. Também em maio, a Dataprev foi convidada pela Secretaria de Política de Informática do Ministério da Ciência Tecnologia (MCTIC), Inovações e Comunicações a participar da elaboração da Estratégia Digital Brasileira (EDB), que tem como objetivo promover o avanço da digitalização dos processos produtivos e a capacitação do país para o ambiente digital. A estratégia foi submetida à consulta pública ampla para se tornar uma política pública para o setor digital. “Sempre que a Dataprev puder ser instrumento de trabalho, de integração, de sustentação tecnológica e de inovação para o governo, ela tem que estar presente. Não só como braço operacional, mas também envolvendo inteligência nos processos”, enfatiza André Leandro. Segundo o secretário Pagotti, os dois ministérios – Cência e Tecnologia e Planejamento – trabalham completamente alinhados nessa questão e, na prática, o governo trabalha em uma única estratégia. O presidente André Leandro Magalhães falou, na 15ª edição do CIO Brasil Gov, sobre novas soluções como GovData e Predic. Evento aconteceu em maio, em Florianópolis (SC) 15Ano 8 • Nº 14 Revista Dataprev Resultados

[close]

Comments

no comments yet