Revista Conviva NOVEMBRO 2017

 

Embed or link this publication

Description

Conviva Conviva NOVEMBRO 2017

Popular Pages


p. 1

O papel da escola na caminhada pela tão sonhada SUSTENTABILIDADE Nº 71 / ANO XXI / NOVEMBRO 2017 O colégio da minha VIDA Sentimentos eternizados entre o Colégio Catarinense e as gerações de famílias que estudaram no CC ao longo de 112 anos de história. As novidades do CC para 2018 A reorganização de tempos e espaços escolares, as novas perspectivas de aprendizagem e o aluno no centro do processo educativo.

[close]

p. 2



[close]

p. 3

10 18 ÍNDICE 3 06 EXPERIÊNCIAS NO EXTERIOR Ex-alunos do CC contam experiências em universidades estrangeiras. 08 ENSINO MÉDIO Tecendo ideias... Projetando o Futuro! Alunos autografam livro e se unem para refletir sobre questões ambientais. 10 FESTIVAL DA CANÇÃO Talento e criatividade no palco. 06 12 ENSINO FUNDAMENTAL II Dia de Integração e Ação Social União pelo voluntariado. 14 FEIRA DO LIVRO Um mergulho na arte e na literatura 16 CAMINHADA DE RENOVAÇÃO Conheça as novidades do CC para 2018. 12 18 SUSTENTABILIDADE A mobilização pela sobrevivência das próximas gerações. 21 NOVAS OBRAS Conheça os novos espaços para 2018 no CC. 22 MISSÃO A Companhia de Jesus e a missão de reconciliação e justiça. 22 24 HISTÓRIA DE VIDA As gerações que vivenciaram a história do CC. 28 MOMENTOS INESQUECÍVEIS Os terceirões do CC. Um registro do último ano de Colégio. 32 GIRO DA NOTÍCIA Conheça os fatos e projetos que foram notícia no semestre. 35 EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 24 As novas tecnologias digitais na escola.

[close]

p. 4

4 ÍNDICE 32 36 LÍDERES DE VALOR Cursos focam na formação de lideranças juvenis. 40 REPÓRTER CONVIVA Um espaço aberto para a experiência da reportagem. 42 GIRO DO ESPORTE Conheça os atletas que foram destaque no CC. 44 UNIDADE DE ENSINO I Olimpíada da Unidade de Ensino I. Tema motivador: “Biomas brasileiros e defesa da vida”. 46 UNISINOS Mais qualidade na agricultura familiar. 48 APP/CC Um resumo das conquistas do ano de 2017. 50 DICA DE LEITURA A Bibliotecária de Auschwitz. 36 42 44 EXPEDIENTE DIRETOR-GERAL Afonso Luiz Silva DIRETOR ACADÊMICO Elton Frias Zanoni DIRETOR ADMINISTRATIVO Fábio Luiz Marian Pedro CONSELHO EDITORIAL Afonso Luiz Silva Danieli Galvani Elton Frias Zanoni Fábio Luiz Marian Pedro Louisa Carla Farina Schröter Luiz Henrique Neves Marcos Lacau da Silveira Márcia Carvalho Pe. Nereu Fank, SJ Rozangela Kons Martendal PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Edson Francisco Schweitzer Rozangela Kons Martendal FOTOGRAFIAS Acervo Colégio Catarinense Edson Francisco Schweitzer José Renato Duarte Yuri Sehnen Mallmann Rossetto REVISÃO DE TEXTOS Danieli Galvani João Júlio Freitas de Oliveira CONTATO Setor de Comunicação - (48)3251-1593 R. Esteves Júnior, 711 – Centro – Florianópolis / SC CEP: 88015-130 – (48)3251-1500 www.colegiocatarinense.g12.br JORNALISTA RESPONSÁVEL Márcia Carvalho – SC – 00469JP /colegiocatarinense /colegiocatarinense

[close]

p. 5

EDITORIAL 5 O sonho pela humanização é sempre processo, é sempre devir, passa pela ruptura das amarras reais, concretas, de ordem econômica, política, social, ideológica etc., que nos estão condenando à desumanização. O sonho é, assim, uma exigência ou uma condição que se vem fazendo permanente na história que fazemos e que nos faz e refaz. (FREIRE, 2001, p. 99) ESTIMADA COMUNIDADE EDUCATIVA! Nesta edição da revista Conviva, apresentamos as principais atividades e os projetos pedagógicos de destaque, trabalhados com nossos alunos no decorrer do segundo semestre. São artigos e fotos que revelam nossas reflexões e trabalhos, ações voluntárias e atividades esportivas, estudos de campo, eventos como o Festival da Canção e a Feira do Livro, iniciativas de promoção à liderança juvenil, entre outros momentos e vivências que enriquecem nosso projeto educativo, a formação cidadã e o protagonismo dos nossos alunos em diferentes espaços e tempos de aprendizagem. Como escola de identidade confessional, pautada na Pedagogia Inaciana e no Projeto Educativo Comum da Rede Jesuíta de Educação (PEC), trabalhamos a proposta pedagógica e curricular com foco no aluno, na sua formação integral e permanente. Buscamos, pois, uma educação de excelência, baseada no conhecimento científico, artístico, cultural e na formação em valores, para que nossos alunos sejam sempre mais pessoas autônomas, cidadãos conscientes, competentes, compassivos e comprometidos, que participem e interajam permanentemente em seu contexto, com foco na justiça, na alteridade, na tolerância e no cuidado com a nossa casa comum. (PEC, n. 25). Nesse contexto, projetamos o CC como um centro de aprendizagem onde nossos alunos encontram os meios mais eficazes para a preparação e realização dos seus projetos de vida, tendo a qualidade de ensino como elemento essencial à formação intelectual, relacional, espiritual, profissional e moral. Sem formação de qualidade, o educando pode ver seus projetos frustrados no futuro. Por isso, educamos na certeza de humanizar, socializar, conhecer, integrar e realizar o desenvolvimento integral do aluno na e pela aprendizagem.  O tema principal que apresentamos nesta edição, que é uma proposta transversal em nosso projeto educativo, é a educação socioambiental e sustentável como nossa missão e responsabilidade. Estamos comprometidos com o cuidado da nossa casa comum, com os valores da justiça e da equidade na promoção da vida e no desenvolvimento sustentável; buscamos sensibilizar o educando e demais membros da nossa comunidade educativa a partir desse contexto, que exige o resgate da visão sistêmica do mundo, a partir de uma ecologia integral,  que possa combater o consumismo e o descarte através de  novas alternativas e estilos de vida, como nos interpela o Papa Francisco, em sua Encíclica Laudato Si’. A temática socioambiental desta edição está evidenciada desde a realização das nossas Olimpíadas, nas Unidades de Ensino I e II, e perpassa a construção do projeto Tecendo Ideias... Projetando o Futuro!. Interpelados pelo tema gerador da Campanha da Fraternidade 2017 – “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, cujo lema nos motiva a cultivar e guardar a criação, tanto as Olimpíadas quanto a confecção dos textos para o projeto Tecendo Ideias ecoaram nosso desconforto frente aos problemas socioambientais, às fragilidades dos nossos biomas e à falta de sustentabilidade que acometem nosso planeta, nossa casa comum. Para nós, trabalhar com educação é sempre instigante, é um privilégio permanente de aprendizagem, inovação e criatividade que projeta investimentos, mudanças e projeções estratégicas em nossa proposta educativa, visando sempre à maior sinergia entre escola e família, aluno e professor, currículo e vida em sociedade.  Por isso, nossa gratidão a todos os membros da comunidade educativa, aos nossos benfeitores e demais leitores da revista, pela convivência e parceria efetiva e afetiva em nossos trabalhos. Agradecemos pela confiança que depositam em nosso compromisso educativo e aproveitamos para desejar um excelente final de ano letivo, com um novo ano rico em graças e bênçãos do Menino Deus, que celebramos em família na festa do Natal que se aproxima. Paz e Bem! Afonso Luiz Silva Diretor-geral do Colégio Catarinense

[close]

p. 6

6 EXPERIÊNCIAS NO EXTERIOR EX- ALUNOS DO CC CONTAM SUAS EXPERIÊNCIAS EM UNIVERSIDADES NOS EUA E NO VELHO MUNDO A rotina de estudo, a realização dos sonhos e a lembrança dos bons tempos de colégio... ANA MARIA STUART GENTIL North Central College Eu me formei no Colégio Catarinense em 2015. Na época da minha formatura, eu já havia recebido uma bolsa de estudos na minha faculdade, a North Central College, em Naperville, uma cidade pequena ao lado de Chicago. Até então, eu nunca tinha visitado Chicago, muito menos a cidade onde moro atualmente, mas hoje vejo que ganhei na loteria escolhendo vir para cá, pois, além de Naperville ser uma cidade muito rica, calma e organizada, Chicago é uma das maiores cidades nos Estados Unidos, situada a apenas 30 minutos da minha faculdade. Aqui no College onde estou estudando, a maioria dos alunos mora no campus, em apartamentos ou quartos compartilhados. Eu divido um apartamento com uma amiga do Azerbaijão, também dentro do campus. Temos nossa própria cozinha, banheiro, sala e quartos individuais, mas isso não é comum para alunos no meu ano, já que estou apenas começando meu segundo ano letivo. Em universidades americanas, os alunos não precisam saber em qual curso eles querem se formar, e é possível mudar de curso, o que chamamos de majors, durante toda a vida estudantil. Eu, por exemplo, entrei como estudante de Ciências Sociais, e atualmente curso Psicologia, ciência pela qual eu estou apaixonada. É muito comum que os alunos daqui mudem de major ou entrem como “indefinido”; neste caso, há dois anos para decidir a área de formação. Durante esse período, os alunos que ainda não definiram a preferência acadêmica cursarão matérias abrangentes, necessárias para a formato em universidades americanas e comuns a todos os alunos. Também é possível se formar em mais de uma major no mesmo tempo em que um estudante normal cumpre o currículo estudantil. Outra coisa muito comum em universidades americanas são os clubes. No momento, faço parte da presidência do Clube de Alunos Internacionais, o clube que se tornou a minha segunda família. Apesar de estudar em um College relativamente pequeno, com aproximadamente 3.000 alunos, temos um número expressivo de alunos estrangeiros aqui. Ambas as características motivaram a minha opção pela North Central College: ela é pequena e congrega uma grande diversidade cultural. Estudar nos Estados Unidos era um sonho de criança, passei anos montando o currículo necessário para ganhar a bolsa de estudos que tenho hoje. Agora, vejo que essa realidade é ainda melhor do que nos meus sonhos de criança. A cada dia eu aprendo uma lição nova e me apaixono mais pelas aulas que tenho aqui. Meus professores são muito bem treinados e apaixonados pelo que fazem. É gratificante estudar em uma instituição onde todos se empenham ao máximo para formar profissionais capacitados e nos dar a experiência necessária para a vida. Não vou mentir, morar longe da família e de onde eu sempre chamei de lar é difícil. Mas aqui eu encontrei uma família nova, gente com rostos e costumes diversos. Hoje, tenho prazer em dizer que, ao lado deles, estou em casa, uma casa colorida e de portas abertas para quem quiser entrar.

[close]

p. 7

EXPERIÊNCIAS NO EXTERIOR 7 ANA CAROLINA MEYER Universidade de Birmingham Estudar fora sempre foi um sonho para mim! Mesmo após o fim do “Ciências Sem Fronteiras”, as parcerias que a Universidade Federal de Santa Catarina tem com diversas instituições no mundo inteiro puderam me proporcionar essa oportunidade. O programa chamado Outgoing permite o intercâmbio de estudantes de todas as áreas de conhecimento, tanto na graduação como na pós-graduação. A escolha da universidade foi uma tarefa muito difícil. Dentre as pesquisas sobre rankings e a análise das matérias oferecidas, a Universidade de Birmingham foi a finalista. Com um ótimo currículo escolar e todos os documentos exigidos em mãos, eu não tinha muito com o que me preocupar. A aceitação veio logo em seguida! Logo na chegada à Universidade de Birmingham já fiquei impressionada. O contraste da estrutura histórica com a tecnologia presente nas salas de aula e nos laboratórios refletia as características de uma universidade que se destaca por seu ensino de excelência e pelos grandes investimentos em pesquisa e inovação. Durante esse tempo em Birmingham, escolhi estudar matérias completamente diferentes daquelas que a UFSC me ofereceria, sendo assim, este ano fora será um diferencial na minha formação profissional e acadêmica. Além do mais, a experiência de morar em outro país, vivenciar outra cultura e conhecer pessoas dos mais diversos lugares pode ensinar valores únicos, que contribuirão para o meu crescimento como pessoa! CAMILA FERREIRA DOS SANTOS Universidade de Coimbra Meu nome é Camila Ferreira dos Santos, formei-me em 2014 no Colégio Catarinense, e atualmente sou estudante de Direito na Universidade de Coimbra. Logo após a terceira série do Ensino Médio, ingressei na UDESC, para cursar Administração Pública. Minha decisão de estudar no exterior começou a descortinar-se depois de quatro semestres, quando refleti que não estava satisfeita com o meu curso e nunca seria totalmente realizada seguindo uma carreira na área. Depois de analisar muito e debater com a minha família, resolvi alçar voos mais altos e vir estudar no exterior. Minha primeira opção era a graduação nos Estados Unidos, que além de ter faculdades de excelência, ótimas instalações e um ensino de ponta, abririam muitas portas e me tornariam uma profissional mais valorizada no mercado. Porém, o grande problema era que, se eu optasse pela área jurídica, para que eu pudesse praticar o Direito, eu teria que morar definitivamente lá. Diante disso, percebi que não me encontrava pronta, aos 19 anos, para tomar uma decisão definitiva dessa magnitude. Dividida entre muitos pensamentos, descobri que Portugal e Brasil tinham um acordo de permissão para o ingresso de brasileiros nas faculdades portuguesas mediante a realização da prova do ENEM. Na lista dessas faculdades estava a Universidade de Coimbra, que é mundialmente reconhecida pelo seu curso de Direito, onde estudaram Gonçalves Dias e Luiz Vaz de Camões. Para ingressar na faculdade de Direito, a nota exigida pelo ENEM contabilizava 50% da nota da redação, 40% da nota de Ciências Humanas e suas tecnologias e 10% de sua média total. Nesse caso, utilizei o ENEM que fiz em 2014, quando ainda era aluna do Colégio, o que facilitou muito o meu ingresso, pois eu sempre tivera facilidades com tais matérias. Paguei a taxa de matrícula, mandei meus documentos e fui aprovada com êxito na vigésima sétima colocação; em setembro do mesmo ano, viajei para Portugal e dei início aos meus estudos. Aqui, há alunos de todas as nacionalidades e uma variedade enorme de cursos. A universidade tem tradições, assim como nos filmes da série Harry Potter: quando você termina o primeiro ano de estudos, deve trajar a capa e a batina e ouvir um bom fado. A cidade, por sua vez, é sensacional, totalmente universitária, pois a universidade é o centro de tudo, uma vez que dispõe de uma estrutura fantástica, considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO, abriga uma das mais famosas bibliotecas do mundo, a Joanina, além de muitas histórias curiosas em cada uma de suas paredes. Há turistas por toda a parte, registrando tudo, chega a ser engraçado... Por tudo isso e muito mais, sei que estou vivendo uma oportunidade incrível e recomendo-a a todos que têm interesse em estudar no exterior. Tomar essa decisão, sem dúvidas, desde já está valendo muito a pena!

[close]

p. 8

8 ENSINO MÉDIO TECENDO IDEIAS... PROJETANDO O FUTURO! Alunos do CC autografam o livro Tecendo Ideias… Projetando o Futuro! e celebram a união pela preservação do planeta No último mês de setembro, os alunos que participaram da elaboração do livro Tecendo Ideias…Projetando o Futuro! receberam familiares e amigos para uma manhã de autógrafos, recheada de muita reflexão e revelação de novos talentos. Como acontece há nove anos,  o livro é produzido pelos alunos do Ensino Médio, a partir de um tema previamente desenvolvido em sala de aula, como a Campanha da Fraternidade ou fatos sociais, políticos e econômicos que remetam a uma discussão ética e social. O objetivo é incentivar o gosto pela leitura e valorizar o processo de autoria, aprimorando a produção escrita do educando. Em 2017, o projeto foi desenvolvido a partir da Campanha da Fraternidade, cujo tema ensejava uma reflexão sobre “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, enquanto o lema convidava a “Cultivar a guardar a criação”. Professores de Produção Textual do Ensino Médio trabalharam com os alunos durante o ano letivo, por meio de leituras reflexivas, debates e construção de textos. Os alunos participaram com textos e desenhos sobre a degradação do meio ambiente e fizeram um alerta para a urgência das ações de preservação. O poeta, escritor e compositor Alberto Jacques de Souza Trindade, o “Beto Trindade”, foi convidado para escrever a orelha do livro, devido ao trabalho que realiza em defesa do meio ambiente, em especial na utilização de energia solar. O diretor acadêmico do CC, professor Elton Frias Zanoni, diz que “o trabalho se volta sempre à reflexão por uma sociedade mais justa, que possibilite o exercício da liberdade e dignidade para todos. Nosso desejo, como educadores, é efetivamente despertar em cada jovem escritor o compromisso ativo de lutar por um mundo mais humano. É momento de compreender o impacto das grandes concentrações populacionais, de pensar a construção de um novo paradigma econômico e de articulação para a preservação das riquezas naturais e o bem-estar das populações que mais necessitam de proteção e apoio”, conclui o diretor.

[close]

p. 9



[close]

p. 10

10 FESTIVAL DA CANÇÃO FESTIVAL DA CANÇÃO 2017 A 4ª edição do Festival da Canção contagiou o público com músicas autorais e cover, interpretadas por muitos alunos do CC, que subiram ao palco com talento e criatividade. A cada ano, mais emoção, ritmo e alegria enriquecem o Festival, porque a música não pode parar! O diretor-geral do Colégio Catarinense, Afonso Luiz Silva, disse que o Festival da Canção é um momento muito especial, de alegria, revelação de talentos, promoção das nossas sensibilidades, criatividade e aprendizagens, por meio da arte musical. “A música, como toda arte, é universal, não tem fronteiras e não é preconceituosa; a música agrega, valoriza e enaltece as pessoas e as culturas; ela não segrega, não julga, não condena, ao contrário: acolhe, aceita e valoriza as diferenças e as pluralidades da vida”, ressaltou o diretor. CONFIRA OS RESULTADOS: Melhor Canção: Banda Rota Norte Melhor Intérprete: Thalyssa Rodrigues (Rota Norte) PedroMAellahnoTroInmsatzrudme eSnotuizsatae: Silva (Banda Alpha) Melhor Arranjo: Banda Mangue Urbano Cantor(a) Revelação: Mariah Alves Pereira

[close]

p. 11

MOVIDOS PELA MÚSICA

[close]

p. 12

12 ENSINO FUNDAMENTAL II DIA DE INTEGRAÇÃO E AÇÃO SOCIAL A celebração do Voluntariado O Dia de Integração e Ação Social dos alunos do Fundamental II é uma gincana do bem para celebrar o Voluntariado e a alegria. As equipes jogam, brincam e arrecadam alimentos para instituições de caridade. Tudo em prol da solidariedade e do amor ao próximo. Acompanhe a tabela de arrecadação das turmas. Classificação 1º 2º 3º 6º e 7º ano Turma(s) 6F/7D 7B/6B 6C/6D/7C Pontuação 5.840 5.592 5.520 Classificação 1º 2º 3º 8º e 9º ano Turma(s) 8D/9D 8C/9C 8E/9E Pontuação 5.012 4.550 4.521 TOTAL ARRECADADO Higiene Pessoal: 199 kits Alimentos: 842 kg Óleo: 203 litros Brinquedos: 252 unidades

[close]

p. 13



[close]

p. 14

14 FEIRA DO LIVRO FEIRA DO LIVRO A VI Feira do Livro do Colégio Catarinense reuniu a comunidade educativa nos dias 29 e 30 de setembro, para um mergulho na arte da literatura e da cultura em geral. Além das editoras e livrarias presentes na Feira, dos estandes com a apresentação de trabalhos e projetos, a exposição contou com a participação de palestrantes, grupos circenses e teatrais. Também houve workshops, aulões com autores sobre os livros selecionados para o vestibular e oficinas diversas. O diretor-geral do Colégio Catarinense, Afonso Luiz Silva, reforçou, durante a Feira, três ideias fundamentais que um bom livro proporciona ao indivíduo: ser um grande amigo e companheiro de jornada, pois boas leituras são excelentes companhias; ser um excelente professor, porque instiga a aprendizagem, a imaginação; e um excelente conselheiro, já que, com o livro, aprendemos lições de vida, valores e virtudes para toda a vida. “Quem lê muito conversa sobre qualquer coisa, expressa-se com vocabulário amplo e consegue formar opiniões bem fundamentadas. Ademais, os livros são importantes veículos de transformação das pessoas e do mundo, pois quem lê compreende melhor e sente com mais intensidade o que acontece à sua volta”, disse o diretor.

[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet