Transporte.LOG 61

 

Embed or link this publication

Description

TRANSPORTE.LOG 61

Popular Pages


p. 1

Informativo do SISTEMA FETRANSPORTES e SEST SENAT-ES Edição nº 61 • Setembro/Outubro 2017 Mergulhando fundo no conhecimento I Jornada Pedagógica do Sest Senat-ES reúne instrutores, técnicos de formação profissional e coordenadores do Senat para três dias de palestras voltadas à capacitação pedagógica, motivacional e de desenvolvimento Vitória, segunda-feira, 9 de outubro, 8h30. Naquele momento, instrutores, técnicos de formação profissional e coordenadores do Senat das cinco unidades capixabas do Sest Senat estavam no auditório do Setpes, em Vitória, participando da abertura da I Jornada Pedagógica da entidade. E em poucas palavras, o presidente da Fetransportes e do Conselho Regional do Sest Senat, Jerson Picoli, deixou clara a relevância do que estava prestes a começar: “Somos os maiores formadores de mão de obra qualificada do setor de transportes. Somos multiplicadores e estamos aqui para mergulhar em três dias de treinamento, nos atualizar, nos preparar e atender melhor nossos clientes. A construção do novo está nas mãos de vocês”. A jornada pedagógica foi um marco em termos de informação! Integramos as equipes, trabalhamos temas direcionados à Missão e Visão do Sest Senat, alinhamos objetivos estratégicos e agora vamos linkar esse conhecimento à qualidade do ensino que oferecemos, com o objetivo de gerar maior satisfação do nosso público. André Caprini, Coordenador de Desenvolvimento Profissional do Sest Senat de Cachoeiro e representante capixaba no Núcleo Pedagógico Nacional do Senat O treinamento, realizado de 9 a 11 de outubro, em Vitória, permitiu a integração das equipes capixabas e o alinhamento dos objetivos estratégicos do Sest Senat A Jornada Pedagógica tem como objetivos a padronização das atividades e alcance de objetivos estratégicos, desenvolvimento técnico e profissional, conhecimento de temas relevantes ao desempenho de uma educação de qualidade, e debate sobre a necessidade de trabalhar as tecnologias na educação profissional. O curso nasceu de uma demanda do Núcleo Pedagógico Nacional do Senat, grupo que agrega representantes de cada Conselho Regional e cujo representante capixaba é André Caprini, Coordenador de Desenvolvimento Profissional do Sest Senat Camilo Cola, de Cachoeiro de Itapemirim. As reuniões do núcleo acontecem em Brasília e delas foi decidido que cada Conselho deveria realizar, ainda este ano, sua Jornada Pedagógica. No Espírito Santo, o treinamento foi realizado de 9 a 11 de outubro, e o conteúdo programático foi elaborado por oito profissionais que vestem a camisa do Sest Senat-ES. Além de André, participaram da equipe de desenvolvimento a gerente da Serra, Simone Monte de Oliveira, os Coordenadores de Desenvolvimento Profissional das unidades de Cariacica, Colatina e São Mateus, Marcus Campagnaro Martins, Helzio Soncini e Rafael Andrade, respectivamente, os Técnicos de Formação Profissional Renan Bermudes, da Serra, e Carolina Torezani, de Colatina, e o instrutor de Cariacica Evanilto Martins. Durante os três dias, foram trabalhados os seguintes temas: Ensino x Aprendizagem e as Teorias Pedagógicas – Andragogia e Heutagogia na Educação Profissional; Fundamentos da Didática, Metodologias e Técnicas de Ensino na Educação Profissional; Ética Profissional; Tecnologias Aplicadas à Educação Profissional; Planos de Curso – Construção de Objetivos e Organização Curricular; Planejamento Educacional – Plano de Aula; Gestão Escolar – Diário de Classe, Conteúdo de Frequência; e Gestão de Conflitos. Toda a parte técnica da jornada pedagógica ficou sob responsabilidade do professor Daltro Monteiro, do Rio Grande de Sul, e dos profissionais que auxiliaram na montagem. E o encerramento ficou a cargo do capixaba Juliano Malta, que apresentou uma palestra motivacional. “Abordamos temas pedagógicos que passarão a ser usados em sala de aula e, certamente, ampliarão ainda mais a qualidade do serviço que prestamos. As informações passadas vão melhorar a didática, permitirão a aplicação de novas tecnologias, e houve ainda uma parte de padronização e organização de documentos escolares que farão toda a diferença para nossa rotina. Saímos daqui muito melhores do que chegamos”, garante o representante capixaba no Núcleo Pedagógico Nacional do Senat, André Caprini. Continua nas páginas 2 e 3.

[close]

p. 2

PALAVRA DO PRESIDENTE Somos todos Sest Senat! Voltamos a investir pesado no tema capacitação nesta edição do “Transporte.Log” porque realizamos no início de outubro nossa I Jornada Pedagógica. Reunimos em Vitória, entre os dias 9 e 11, 63 profissionais do Senat das cinco unidades capixabas – coordenadores, instrutores e técnicos de formação profissional – para uma grande imersão em técnicas educacionais, novas tecnologias, padronização e alinhamento de objetivos estratégicos da entidade. E tenho absoluta certeza que essa capacitação continuada do corpo técnico vai escrever novos capítulos de nossa história com a qualificação profissional do trabalhador em transporte. Estive presente na abertura do treinamento e fiz questão de deixar como mensagem nosso compromisso com o setor. Temos, hoje, mais de 140 unidades operacionais distribuídas por todo Brasil e somos os maiores formadores de mão de obra qualificada para a atividade transportadora. Tudo muda muito rapidamente no mundo atual e nós, como agentes de conhecimento, não podemos perder o tempo das coisas. Então, mais do que receber conhecimento, precisamos compartilhar, multiplicar. Precisamos ser agentes multiplicadores! E ao multiplicar o conhecimento, estaremos aprimorando ainda mais o serviço oferecido aos trabalhadores do transporte. E por falar em aprimoramento de serviços, outro ponto que entendo como crucial neste momento de Jornada Pedagógica, que terá de ser feita por todos os estados, diz respeito à manutenção da unicidade do Sest Senat. Sim, este é um evento específico do Senat, mas um não existe sem o outro. Juntos, por meio de capacitação, serviços de saúde, cultura e bem-estar, eles oferecem meios que proporcionam a melhoria da qualidade de vida do nosso trabalhador. E isso não se divide, jamais! Somos e seremos sempre Sest Senat! Jerson Antonio Picoli Presidente da Fetransportes e do Sest Senat - ES F EFTERTAR NA SNPSOPROTRETSE S Novidades estão a caminho Sandro Perovano (o sexto da esquerda para a direita) ao lado da equipe de desenvolvimento da jornada – Renan Bermudes, Rafael Andrade, Helzio Soncini, Carolina Torezani, Evanilto Martins, Marcos Campagnaro Martins e André Caprinini: muito trabalho e desafios pela frente Além da gama de informações educacionais, pedagógicas e tecnológicas, e da possibilidade de alinhamento dos objetivos estratégicos da entidade, a I Jornada Pedagógica do Sest Senat-ES proporcionou aos coordenadores, instrutores e técnicos de formação profissional conhecimento acerca de algumas novidades que chegarão já em 2018. Uma delas, como adiantou o superintendente da Fetransportes e Supervisor do Conselho Regional do Sest Senat, Sandro Perovano, é o início da operação do Sistema de Gestão Operacional (Sigop), que será implementado primeiro no Senat. “Em janeiro, iniciaremos um projeto piloto e no mais tardar em março ele já estará liberado para utilização. A implantação do Sigop é mais um passo para a padronização de nossas atividades”, explicou. Outras novidades elencadas por Perovano são a modernização das salas de aulas, com a chegada das novas cadeiras e as lousas interativas. E tantas novidades com pegada tecnológica reforçam ainda mais a rele- vância do Simulador de Direção neste momento do Sest Senat. Perovano lembrou que embora o equipamento esteja disponível apenas em Cariacica e Cachoeiro de Itapemirim, logo ele chegará a outras unidades capixabas. “Temos a nosso dispor uma tecnologia de ponta que precisa ser usada. O Simulador de Direção abre um novo capítulo na história da qualificação de nossa entidade, está totalmente de acordo com as novas demandas do mercado. Precisamos mostrar ao setor o quanto ele é importante para nossos motoristas e, consequentemente, para o setor de transportes”. Antes oferecido em 10 cursos com prática de direção simulada, ele já está sendo usado em outros 20 treinamentos. Ou seja, o número foi triplicado! E o novo portfólio contempla 15 cursos voltados para o segmento de cargas e outros 15 no de passageiros. Outra novidade que facilita a agenda das empresas é que a carga horária foi reduzida. Quando lançados, os cursos oferecidos tinham carga horária de 20, 28 e 32 horas. Agora, eles duram oito, 18 ou 22 horas. PUBLICAÇÃO MENSAL DO SISTEMA FETRANSPORTES E SEST SENAT-ES Rua Constante Sodré, 265 - Santa Lúcia - Vitória - ES - CEP 29055-420 SUPERINTENDENTE FETRANSPORTES: Sandro Perovano Tel: (27) 2125-7642 EDITORA: Anna Carolina Passos Tel: (27) 2125-7618 imprensa@fetransportes.org.br / imprensa@transcares.com.br PRODUÇÃO EDITORIAL: Anna Carolina Passos - Gestão e Assessoria em Comunicação TEXTOS: Anna Carolina Passos • Imprensa@gvbus.org.br (Assessoria de Imprensa GVBus) FOTOGRAFIAS: Divulgação, Sest Senat e Anna Carolina Passos PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO: Bios Tel.: (27) 3222-0645 IMPRESSÃO: Grafitusa 2 | TRANSPORTE.LOG | SETEMBRO/OUTUBRO 2017

[close]

p. 3

FETRANSPORTES I Jornada Pedagógica quebra paradigmas Olhos brilhantes, animação, motivação a mil por hora. Os coordenadores, técnicos de formação profissional e instrutores das cinco unidades capixabas que participaram da I Jornada Pedagógica do Sest Senat aproveitaram cada minuto dos três dias de treinamento realizados em Vitória, de 9 a 11 de outubro. Profissional com 12 anos de Sest Senat, o instrutor Gilmar Zamperlini já passou por vários outros treinamentos, mas admite que esse ganhou em dinamismo. Além disso, destacou, as discussões acerca de ética, novas ferramentas tecnológicas e ensino à distância foram bastante pertinentes. “Precisamos nos enquadrar nas novas exigências do mercado, repensar nossas aulas, nossos alunos, sem nunca perder de vista nossa formação pedagógica e a qualidade da capacitação que oferecemos aos profissionais do transporte”, considerou ele, que trabalha na unidade de Cachoeiro de Itapemirim. Também instrutor, mas do Sest Senat Aylmer Chieppe, de Cariacica, o professor de Português Jorge Luiz Elias elegeu como ponto forte da jornada a inserção da pedagogia junto As palestras de João Daltro foram muito elogiadas aos cursos técnicos, que até então não era valorizada. “A associação da pedagogia ao ensino técnico, dando alicerce ao que ensinamos em sala de aula, fazia falta. Vejo esse avanço de forma muito positiva”, defendeu ele. Fernanda Maria da Silva Pinto, instrutora de Colatina, completou. “Estamos diante de uma nova teoria, novas práticas e motivação a mais”. Estreantes em jornadas do Sest Senat, a instrutora da Serra Renata Carolina Ferreira Borini e a técnica de formação profissional de São Mateus Josiani Malverdi da Silva elogiaram a proposta, o formato e os temas abordados. E também sobraram elogios para o gaúcho Daltro Monteiro, responsável pelo conteúdo técnico da capacitação. Mesmo com tantos anos de trabalho e experiência, estou me sentindo um aprendiz Jorge Luiz Elias, instrutor do Sest Senat de Cariacica Sou ‘esponja’ e absorvi dessa jornada tudo o que consegui Josiani Malverdi da Silva “A integração e as dinâmicas propostas pelo Daltro foram interessantíssimas e tudo o que ele trouxe ajudará em nossa reconstrução profissional”, ressaltou Josiani. Renata Carolina não tem a menor dúvida: até os colegas mais experientes saíram fortalecidos e qualificados. “O curso estava absolutamente conectado às principais demandas do mercado. Falamos de ética profissional, tecnologia, postura, diversidade. Quebrou paradigmas”, enumerou. E ela também chamou a atenção para a “pedagogia da incomodação” que prevaleceu no curso e colocou todo mundo para refletir. “Voltaremos às nossas unidades com um olhar diferenciado. Precisávamos desse fortalecimento, dessa ‘cutucada’ que a jornada pedagógica nos proporcionou”, concluiu. O time do Senat aprovou tudo do curso: os temas abordados, as discussões levantadas. E se dizem prontos para fazer diferente

[close]

p. 4

GVBUS Passe Fácil Transcol: passageiros podem fazer recarga do Cartão Cidadão fora dos terminais O projeto está instalado em farmácias, mas a ideia é expandir o serviço para outros estabelecimentos da Grande Vitória, como lojas e bancas O Cartão Cidadão pode ser adquirido por qualquer passageiro para dispensar o pagamento em dinheiro nos ônibus e dá o direito à tarifa reduzida aos domingos 4 | TRANSPORTE.LOG | SETEMBRO/OUTUBRO 2017 Ficou mais fácil e prático recarregar o Cartão Cidadão do Sistema Transcol. O Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) lançou no dia seis de novembro, em evento no Terminal de Campo Grande, Cariacica, o Passe Fácil Transcol, que irá disponibilizar locais de compra de créditos em pontos estratégicos nas cidades por onde os ônibus passam. Ele vai beneficiar os mais de 85 mil usuários que utilizam essa forma de pagar a passagem. Ao todo, 75 farmácias da Rede Farmes estão cadastradas e já contam com o sistema funcionando. Antes, a única forma de colocar créditos no cartão era indo até um dos postos dentro dos ter- minais, na Loja Central ou na Ufes. “Essa modalidade mais dinâmica de compra de passagens veio para facilitar a vida dos passageiros que usam o Cartão Cidadão e é uma novidade no sistema de transporte capixaba. Nesse primeiro momento, estamos implantando dentro de farmácias, mas a ideia é expandir o serviço com a adesão de novos parceiros, como lojas e bancas”, destaca o membro do comitê executivo do GVBus Murilo Soares de Andrade Lara. No Brasil, cidades como Rio de Janeiro, Goiânia e Campo Grande já trabalham dessa forma. Segundo Murilo, o GVBus estudou a experiência desses municípios para trazer a ideia para o Espírito Santo. “O resultado obtido por nossos vizinhos tem sido muito positivo. O que nos encorajou a investir em um sistema moderno e rápido, que vai facilitar a vida dos passageiros e tornar o uso do transporte público mais dinâmico. Até agora já investimos R$ 330 mil reais no projeto. E com a adesão de novos parceiros, a expectativa é aumentar esse valor e movimentar a economia da Região Metropolitana”, pondera. Murilo lembra ainda que essa é mais uma vantagem para o usuário do Transcol, único sistema metropolitano do País em que é possível percorrer até 100 km pagando apenas uma tarifa. A máquina de recarga é semelhante às usadas pelos cartões de crédito e a transação é feita em menos de um minuto. O usuário apresentará o cartão e colocará a recarga pagando em dinheiro. Além de recarregar, também será possível emitir o Cartão Cidadão. É rápido e sai na hora. A carga mínima para um novo cartão é de 10 tarifas vigentes, o que corresponde hoje a R$ 32,00, e a máxima, de R$ 650. Segurança O Cartão Cidadão pode ser adquirido por qualquer passageiro para dispensar o pagamento em dinheiro nos ônibus e dá o direito à tarifa reduzida aos domingos. Além de prático, ele facilita o troco e traz mais segurança. A aposentada Naila Furtado só parou de usá-lo depois que completou 65 anos e mudou de categoria. Ela esteve no ponto de vendas do Terminal de Vila Velha para saber como fazer um desses para o sobrinho. “O Cartão Cidadão é muito bom. Ele adianta nossa vida dentro do ônibus e não precisamos nos preocupar com o troco. Sem contar a segurança, né? Assim evitamos ficar com o dinheiro na mão esperando o coletivo”, argumenta. Os cartões são magnéticos e possuem um chip de memória que armazena os créditos equivalentes ao valor que o usuário inseriu. Conforme ele passa nas catracas, os créditos são debitados. Acesse o link a seguir e veja a lista de farmácias credenciadas! http://bit. ly/credenciadasPF.

[close]

p. 5

TRANSCARES Transcares e Sindirochas juntos pelo setor Para evitar novas tragédias, sindicatos se unem para levar mais informação aos responsáveis pelo transporte de rochas ornamentais no Estado A corda já estava esticada... Em junho, quando 23 pessoas morreram depois que um caminhão com bloco de granito atingiu um ônibus na BR 101, em Guarapari, o sinal vermelho começou a piscar para o segmento de rochas ornamentais. Na época, foi confirmado que o bloco estava com peso acima do limite permitido. Menos de três meses depois, outro acidente grave e 11 pessoas morreram. As vítimas eram de um grupo de dança de Domingos Martins e voltavam de uma apresentação em Minas Gerais. Elas estavam num micro-ônibus que foi atingido por chapas de granito. Mais uma vez, a perícia apontou irregularidades no caminhão. A situação era grave e chegara ao limite. A Polícia Rodoviária Federal apertou o cerco na rodovia, dirigentes do segmento se movimentaram para evitar novas tragédias e esse movimento chegou ao Transcares. Tudo começou com um contato do presidente do Sindirochas (Sindicato das Empresas de Rochas Ornamentais do Espírito Santo), Tales Machado, que pedia ajuda técnica para explicar aos seus associados a regulamentação do transporte de rochas. O assessor jurídico do Transcares, Marcos Alexandre Alves Dias, entrou em cena. Profundo conhecedor da Resolução 354/2010, do Contran (Conselho Nacional do Trânsito), que trata de questões de amarração e segurança no transporte, ele foi convidado para ministrar três palestras técnicas. A primeira foi realizada dia 21 de setembro, em Cachoeiro de Itapemirim, o polo As questões de falta de segurança que envolvem o transporte de rochas não são motivadas por uma causa apenas. Temos falta de informação, de regulamentação adequada e de fiscalização Marcos Alexandre Alves Dias, assessor jurídico do Transcares e especialista na Resolução 354/2010 do transporte de rochas ornamentais no Estado, e reuniu mais de 400 pessoas. A segunda no dia 28, em Barra de São Francisco, norte do Estado. E a terceira, em 4 de outubro, na Findes, em Vitória. No total, mais de 700 pessoas, entre empresários, transportadores, embarcadores, representantes da PRF e do Ministério Público participaram dos eventos. “Existe uma dificuldade no entendimento da regulamentação do transporte de rochas ornamentais e o objetivo desse trabalho em parceria do Sindirochas com o Transcares foi justamente municiar toda a cadeia logística – do profissional responsável pela extração e beneficiamento até o motorista –, de informação”, resumiu Marcos Alexandre, completando em seguida. “A primeira resolução que adequa o setor, a 264, foi feita em 2007 e construída pelo Contran dentro da Fetransportes (Federação das Empresas de Transporte do Estado). Ela, no entanto, era muito incipiente e em julho de 2010 foi feita a alteração. Nascia ali a Resolução 354, que neste momento também já precisa de uma atualização”. Nas palestras ministradas em Cachoeiro de Itapemirim, Barra de São Francisco e Vitória, Marcos Alexandre Alves Dias teve duas certezas: a de que a parceria entre as entidades fortalecerá os segmentos de cargas e de rochas, e a de que o público que movimenta o transporte de rochas ornamentais carece de informação. Em todas elas, ele esteve acompanhado pelo superintendente, Mario Natali A presença nas três palestras deu ao advogado duas certezas. A primeira é a que a atuação em conjunto das duas entidades fortalecerá os segmentos de cargas e de rochas. E a segunda é que faltavam informações ao público que movimenta o transporte de rochas ornamentais. “Senti o público carente das informações mais básicas. Muitos, inclusive, desconheciam até a existência da norma. E dessa desinformação vem a precariedade e as irregularidades no transporte”, ressaltou, destacando que os maiores problemas detectados no segmento são o excesso de peso transportado e a ausência de amarração adequada das pedras. Segundo Dias, quando foi editada, em 2007, a Resolução 264 movimentou o segmento e todos buscaram se adequar. No entanto, reconhece, como naquela época não houve nenhum acidente grave envolvendo o transporte de rochas, todo mundo relaxou, principalmente na fiscalização. E o trabalho continua A série de palestras foi o primeiro passo em direção a um transporte de rochas mais seguro e profissional. Mas como Marcos destacou, o trabalho continua. O Transcares, através do próprio assessor jurídico e do superintendente, Mario Natali, está participando de reuniões de um Grupo de Trabalho envolvendo governo, entidades, instituições, polícia e Ministério Público, para estudar ações de melhorias para o segmento. Até agora foram quatro encontros e o último aconteceu dia 8 de novembro. Das ações que estão sendo estudadas, a primeira, como informou o advogado, é adequar as normas, principalmente a Resolução 354/10, e a segunda é aumentar a fiscalização. Dessas reuniões, saiu a informação que há uma quantidade enorme de minas irregulares, o que significa perda de arrecadação para o Estado. “Essa é uma cadeia produtiva muito importante para nossa economia capixaba. Daí a necessidade desse trabalho em conjunto. Estamos todos com um dever de casa”, finalizou Marcos.

[close]

p. 6

SEST SENAT Histórias que se encontram na fisioterapia O aposentado Osvaldo Reis e o motorista Edmar Mareto encontraram nas sessões de Fisioterapia do Sest Senat de Cachoeiro de Itapemirim o caminho para ganhar saúde e qualidade de vida O motorista da Viação Real Ita Edmar Mareto e o aposentado da Viação Itapemirim Osvaldo Reis são personagens de uma matéria que tem um ponto de encontro comum, a sala de fisioterapia do Sest Senat de Cachoeiro de Itapemirim. Eles são pacientes de Myla Cipriano e Mariana Ciciliotti, chegaram à unidade Camilo Cola por motivos totalmente opostos, mas hoje em dia a saúde de ambos vai bem, obrigada, graças ao tratamento. A história mais antiga é a de Osvaldo Reis. Há cinco anos, ele chegou à unidade para tratar uma hérnia de disco. O tratamento seguia normalmente quando, da noite para o dia, literalmente, ele chegou à unidade de cadeira de rodas devido a uma grave crise. Iniciava-se ali a luta do motorista aposentado para retomar os movimentos e a vida de antes. Edmar, por sua vez, passou a integrar a lista de pacien- O aposentado Osvaldo Reis conseguiu voltar a andar graças à fé e ao tratamento com Mariana Ciciliotti tes em julho deste ano, depois de participar de uma ação de saúde da equipe do Sest Senat na empresa. Sedentário nato, ele começou a fazer pilates e embora nunca tivesse sentido dor reconhece que está vivendo melhor e mais bem disposto. “Senhor Osvaldo já estava em tratamento conosco há algum tempo quando retornou na cadeira de rodas. Ele chegou a ser encaminhado à cirurgia, para fazer descompressão na coluna, mas teve uma parada cardíaca e diante da gravidade do caso a cirurgia não foi realizada. Voltou, então, para a unidade e iniciamos um tratamento mais intensivo, com reabilitação, fortalecimento dos membros e bastante alongamento”, lembrou Mariana, a fisioterapeuta que o acompanha. Foram, aproximadamente, seis meses de cadeira de rodas. Com a evolução do tratamento, ele trocou a cadeira pela bengala. E atualmente já anda sem a ajuda de recurso algum. “Tinha muita fé na minha cura, sabia que voltaria a andar. E consegui, graças à minha fé e ao trabalho do Sest Senat”, destaca ele, que faz três sessões semanais na unidade, está realizando pequenas caminhadas e mantendo a rotina de alongamentos em casa. Diferente do colega de setor, Edmar nunca fez uma atividade física sequer na Myla Cipriano e Edmar Mareto: as sessões de pilates deram mais disposição ao motorista da Viação Real Ita vida e também nunca sofreu por isso, mesmo sendo motorista. Mas... “Quando ele chegou aqui, estava com encurtamento de músculos, sem flexibilidade, sem postura e sem força”, enumerou a fisioterapeuta Myla Cipriano. Quatro meses depois, o diagnóstico da especialista é outro. “Ele está bem melhor, ganhou qualidade de vida”. Natural de Conceição do Castelo, localizado a 73 quilômetros de Cachoeiro, Edmar sai cedo de sua cidade, faz a rota para Cachoeiro, chega à Real Ita por volta das 9 horas e fica livre até as 14, seu horário de retorno. Antes de iniciar o tratamento no Sest Senat, ele aproveitava esse tempo para dormir e ficar à toa. Mas tudo mudou desde que participou do evento de saúde que contou com a presença da equipe de saúde da unidade e conheceu o pilates. “Pilates é bom demais! Nunca senti dor em lugar nenhum, mas admito que sentia um certo desconforto físico e não fazia ideia de que isso era causado pelo sedentarismo. Aproveitei a ação na Real, vim para a fisioterapia e já me sinto muito mais disposto para fazer minhas coisas. Até então, durante meu intervalo, sentia preguiça de fazer o que quer que fosse. Hoje em dia isso mudou, estou muito bem e posso garantir que essa foi uma das melhores coisas que já fiz em minha vida”, finaliza. Passeio ciclístico toma conta das ruas de São Mateus As ruas de São Mateus ficaram coloridas de azul e amarelo domingo, 29 de outubro, durante a segunda edição do Circuito Ciclístico Sest Senat – Etapa São Mateus. Ao todo, 700 pessoas, entre trabalhadores do transporte e familiares, e a comunidade local, colocaram sua bike na rua para completar o trajeto, que passou pelas principais avenidas da cidade. Lançado com o objetivo de promover momentos de lazer para o público que veste a camisa do setor e incentivar a prática da atividade física, o Circuito Ciclístico é composto por 17 etapas, com passeios de 8 km e 10 km, em diferentes cidades do Brasil. Além de São Mateus, as outras cidades escolhidas para sediar o evento foram Santarém (PA), Brasília (DF), Rio Claro (SP), Petrolina (PE), Itabaiana (SE), Natal (RN), Vitória da Conquista (BA), Lages (SC), Ponta Grossa (PR), Bento Gonçalves (RS), Rondonópolis (MT), Três Lagoas (MS), Resende (RJ), Três Pontas (MG), Boa Vista (RR), Teresina (PI). Todos os participantes ganharam um kit com camiseta, boné, bolsa para usar na bicicleta, número de peito personalizado com adesivo, e após o evento, uma medalha de participação. Além disso, foram sorteados brindes como bicicletas e acessórios para bike. O diretor da unidade, Nelson Hespanha Borges Filho, ficou satisfeito com a participação do público. “Mais uma vez, lotamos as ruas da cidade com o Passeio Ciclístico. E se as pessoas compareceram é porque reconhecem nossa ação diferenciada de promoção de lazer e qualidade de vida”, destacou. Trabalhadores de transportes, seus familiares e a comunidade do município lotaram as ruas com suas bikes 6 | TRANSPORTE.LOG | SETEMBRO/OUTUBRO 2017

[close]

p. 7

SEST SENAT Laços de amor, amizade e capacitação Mãe e filha estão aproveitando os cursos gratuitos para os trabalhadores do setor no Sest Senat de Cachoeiro de Itapemirim. A mãe faz para agregar mais valor à sua profissão de cobradora e a filha está de olho no fortalecimento de seu currículo profissional Alessandra Teixeira Firmino tem 38 anos e é cobradora do Grupo Flecha Branca/ Santa Luzia, de Cachoeiro de Itapemirim. Milena Teixeira Firmino tem 18, está cursando o 3º Ano do Ensino Médio e se preparando para o Enem e para o Vestibular. Ambas têm sido figurinhas fáceis em A equipe da unidade e os colegas da turma já se acostumaram a ver Alessandra e Milena sempre juntas. A mãe estuda para ser uma “cobradora diferenciada” e a filha quer fortalecer seu currículo vários cursos de capacitação oferecidos pela unidade Camilo Cola, voltados para a área administrativa e estão chamando a atenção dos colegas. O motivo? Elas são mãe e filha, e não fazem nenhum treinamento separadas! Nos últimos meses, a dupla dinâmica marcou presença nos cursos de Postura e Ética Profissional, Gestão Financeira, Gestão Familiar, Gestão do Tempo, Motivação, Monitor Escolar. Questionada se está se qualificando em busca de outra colocação profissional, Alessandra é muito direta. “Não! Adoro ser cobradora, receber os passageiros, dar bom dia! Mas também adoro aprender! E se me capacito, me torno uma cobradora diferenciada. Os cursos do Sest Senat me transformaram numa pessoa mais experiente, mais preparada e levo esses ensinamentos não apenas para meu ambiente profissional, mas para dentro da minha casa”, explica. Diferente da mãe, que tem uma rotina diária mais puxada, Milena está aguardando o momento de fazer a prova do Enem e prestar Vestibular para Direito. E enquanto espera, argumenta, investe em conhecimentos gerais para fortalecer seu currículo. “Tenho certeza que o aprendizado desses treinamentos vão agregar em meu crescimento e meu currículo”, aposta a moça, que já se acostumou com a surpresa dos colegas de turmas quando as duas chegam juntas. “Eles se surpreendem, mas é positivamente. Até o André (Caprini, Coordenador de Desenvolvimento Profissional), quando nos viu juntas pela primeira vez, disse: ‘Nossa, mas que legal... Mãe e filha aprendendo juntas!”. Fico toda boba, pois amo ter minha mãe junto de mim”, derrete-se a filha coruja, que se diz preparada para enfrentar as duas batalhas que tem pela frente: a prova do Exame Nacional do Ensino Médio e a disputa por uma vaga na faculdade. Mais um talento capixaba saindo das piscinas do Sest Senat O Projeto Polo Olímpico do Sest Senat de Colatina continua rendendo nomes promissores à natação capixaba e a mais nova revelação da unidade se chama João Paulo Rigo, atleta da categoria mirim (9 e 10 anos). No dia 7 de outubro, ele e outros 11 atletas da unidade participaram do Troféu Rodrigo Médice, que reuniu mais de 100 nadadores no parque aquático do clube Álvares Cabral, em Vitória. João voltou para casa com duas medalhas de ouro no peito: uma nos 50m livre, com o tempo de 34s70, e outra nos 50m borboleta, com 42s13. E se não bastasse o ótimo desempenho na competição, os resultados lhe valeram o terceiro melhor tempo da categoria no ranking brasileiro dos 50m livre e o oitavo melhor tempo no ranking brasileiro nos 50m borboleta. Promotor de Esporte e Lazer do Sest Senat Arthur Picoli e treinador da equipe, Daniel Bada destaca a força de João Paulo Rigo. “Ele é muito dedicado e essa é uma característica que identificamos em atletas de alto rendimento. Além disso, João tem força, potência de nado e técnica ímpar”, elogiou Bada. O Coordenador de Promoção Social, Ronaldo de Faria, lembrou que a unidade tem sido referência na natação desde 2014, ano em que o projeto foi implantado no Sest Senat de Colatina. “Há três anos, comemoramos ótimos resultados nas provas, tanto as locais quanto as realizadas fora do Estado, e 2017 não está sendo diferente. João Paulo está nos dando muitas alegrias, mas toda nossa equipe está de parabéns!”, comemora o coordenador. João Paulo Rigo, no lugar mais alto do pódio: “Exemplo de força, potência e técnica”, elogia o técnico, Daniel Bada Cursos no fim de semana? O Sest Senat da Serra tem! O mês de dezembro vai chegar com uma novidade para os usuários do Sest Senat da Serra. A partir do próximo dia 1º, a unidade funcionará também aos finais de semana, oferecendo cursos regulamentados do setor de transportes e também treinamentos que constituem o portfólio nacional do Sest Senat. A abertura aos sábados e domingos, segundo o Técnico de Formação Profissional, Renan Bermudes, atende a uma indicação do próprio público da unidade, que já vinha solicitando ofertas de capacitação fora dos dias da semana. “Já tínhamos a demanda e definimos que este é o momento ideal, pois nossa equipe está preparada e organizada para proporcionar um atendimento especial aos trabalhadores”. As informações a respeito dos cursos oferecidos podem ser obtidas na própria unidade, de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17:30, pelo telefone (27) 3246-2300 ou pelo site www.sestsenat.org.br/unidade/serra. SETEMBRO/OUTUBRO 2017 | TRANSPORTE.LOG | 7

[close]

p. 8

SEST SENAT Janela de oportunidades Sucesso na procura pelo curso de Redação Dissertativa, com foco no Enem, faz Sest Senat pensar em novos cursos de reforço para serem lançados em janeiro do ano que vem As provas do Enem 2017, marcadas para os dias 5 e 12 de novembro, em todo o Brasil, abriram uma baita janela de oportunidade no Sest Senat de Cariacica. De olho da preparação de jovens aprendizes, trabalhadores do setor e seus filhos, o Coordenador de Desenvolvimento Profissional da unidade Aylmer Chieppe, Marcus Campagnaro Martins, e o professor de Português Jorge Luiz Elias lançaram o Curso de Redação Dissertativa. Detalhe: para não atrapalhar a rotina dos alunos, o treinamento gratuito foi realizado aos sábados, no período entre 30 de setembro e 28 de outubro, totalizando 20 horas/aulas. E a novidade agradou tanto que, como diz o ditado, “não deu pra quem quis”. Segundo o coordenador, a ideia, a princípio, era fazer o curso voltado para o Enem e para concursos públicos. Mas diante da procura gigante dos jovens e de profissionais do transporte, o foco das aulas foi somente no Enem. “Decidimos Mãos à obra! A produção textual marcou todos os dias do treinamento Depois de cinco sábados de trabalho duro, pose para foto. A turma que fez o curso na unidade Aylmer Chieppe está mais preparada para provas de Redação centralizá-lo na preparação para o Enem e temos a pretensão de fazer um curso maior, de 60 horas, ano que vem, englobando os dois”, adiantou o professor Jorge. Foram cinco sábados de estudo, com aula das 7 às 12 horas. Neste período Jorge não deixou a teoria de lado, mas confessa ter priorizado a prática, “pois aprender Redação sem produzir texto não existe”, garante. Em cada encontro, portanto, a turma recebia um tema e dissertava sobre ele. O professor corrigia as redações, fazia um apanhado geral das principais falhas e a seguir apresentava para a turma, que tinha a chance de reconhecer seus erros e evitar novos tropeços, sobretudo na hora da prova. Jorge Elias trabalhou cerca de 20 temas com a turma e apostou em alguns para o Enem. Na sua opinião, mobilidade urbana, acidentes de trânsito, bullying, internet x formação dos jovens, inclusão social, diversidade sexual, homofobia e consumismo são fortes candidatos. A grande maioria dos jovens que se inscreveu para o curso preparatório prestou Enem. Mas havia também quem estava aproveitando já pensando no futuro. Esse foi o caso de Thaís Valin, de 15 anos. Em- bora só vá fazer a prova nacional ano que vem, ela não quis perder a chance de se aperfeiçoar numa das disciplinas que mais metem medo nos futuros universitários. “Eu só vou fazer Enem ano que vem, mas o curso me coloca numa situação diferenciada. O professor Jorge deu atenção especial a todas as nossas dificuldades e quando comparo minha produção textual do primeiro dia e as subsequentes noto como valeu a pena e como aprendi a escrever melhor. Minha meta daqui pra frente é ler mais, me inteirar bastante sobre os principais temas que estão sendo tratados na mídia e melhorar!”, planeja. Mais novidades vindo por aí! O sucesso do curso de Redação Dissertativa levou a equipe de Sest Senat de Cariacica a pensar em novos treinamentos de reforço, que serão implantados no início do ano que vem. Marcus Campagnaro Martins adiantou que em janeiro, aproveitando as férias escolares, a unidade vai realizar um Curso de Reforço de Inglês. E ao longo de 2018, estão previstos outros, de Matemática e Português. Você quer falar com as unidades capixabas do Sest Senat? Fique ligado em nossos contatos: Acompanhe nossas notícias no site www.sestsenates.org.br e em nossa fanpage www.facebook.com/sestsenates Sest Senat de Cariacica_________________(27) 2123-3450 Sest Senat de Serra____________________(27) 3246-2300 Sest Senat de Cachoeiro de Itapemirim___(28) 2101-0100 Sest Senat de Colatina__________________(27) 2101-8000 Sest Senat de São Mateus_______________(27) 3767-6100 8 | TRANSPORTE.LOG | SETEMBRO/OUTUBRO 2017

[close]

Comments

no comments yet