Revista-Comercio-Industria-Novembro-2017

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Novembro-2017

Popular Pages


p. 1

1|

[close]

p. 2

|2

[close]

p. 3

3|

[close]

p. 4

|4

[close]

p. 5

5|

[close]

p. 6

ÍNDICE EDIÇÃO N°148 - NOVEMBRO/2017 CAPA Tecnologia e acessibilidade ECONOMIA Araraquara em baixa COMÉRCIO Produtos alternativos INOVAÇÃO Direitos trabalhistas 180 Sicoob da Avenida Barroso apresenta ampliação da agência e o novo aplicativo para celular que permite operações rápidas. 14 18 Araraquara despenca no ranking de desenvolvimento no Estado de São Paulo e ocupa, atualmente, a 53ª posição. Feira do Meio e Feirinha do Parque aparecem como boas opções para novos empreendedores da cidade. 22 Diretoria das Guerreiras Grenás assina carteira de atletas do elenco; atitude pioneira, quer fomentar o esporte. CIESP 16 | Saiba quem são os vencedores da Etapa Araraquara do 17º Concurso Acelera Startup. A polêmica do IPTU 25| Engenheiro Elias Chediek Neto escreve artigo exclusivo sobre a Planta Genérica de Valores. Loyola no Jabuti 26| Escritor local está, pela terceira vez, na final do mais importante prêmio literário do Brasil. Casa Cairbar Schutel 30| Casa Cairbar Schutel faz aniversário com novos mecanismos de atendimento. Primeira mulher na presidência do PSDB Edna Martins Num período em que a classe política anda em baixa, o PSDB de Araraquara busca mudar sua cara e elege presidente do partido, Edna Martins, que foi candidata nas eleições municipais de 2016 e perdeu para Edinho Silva. Após a derrota, teve o apoio dos deputados tucanos Roberto Massafera (estadual) e Lobbe Neto (federal) para assumir a diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (DRADS) e deverá apoiar os dois nas eleições do ano que vem, pois já antecipou que não será candidata. “Precisamos ampliar o PSDB, ir para os bairros, para as associações”, disse ela. O adeus de Cyro Após trocar desde janeiro cerca de 10.500 hidrômetros e ficar exposto às críticas dos donos dos imóveis, o DAAE decidiu mudar a regra do jogo: criou uma comissão que analisará a necessidade da substituição. A enxurrada de trocas gerou uma enorme confusão na vida do prefeito e levou o superintendente do DAAE, Wellington Cyro de Almeida Leite, a pedir demissão do cargo. Na verdade, a saída de Cyro causou estranheza nos meios políticos, pois era ele homem de extrema confiança junto ao prefeito. |6

[close]

p. 7

COMPORTAMENTO Dia Mundial do Veganismo SAUDADES Partiu Chico Nigro 28 64 Ativista araraquarense Flávia Antunes nos conta detalhes deste universo, cujo respeito aos animais é a principal lei. Um dos mais conceituados empresários da cidade, Francisco Nigro, deixa um enorme legado para a nossa história . Sindicato Rural 45| Com preços baixos e qualidade, Feira do Produtor Rural cai no gosto do público araraquarense. Canasol 58| Associação integra grupo que regulamentará Protocolo Agroambiental. O famoso Trem de Milho Durante a 1ª Semana do Patrimônio Histórico de Araraquara, foi ministrada em outubro a palestra “A relevância e importância dos bens tombados” pelo arquiteto José Antonio Chinelato Zagato, da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico, do departamento técnico do Condephaat. Na ocasião, Zagato para surpresa de todos, destacou o prato típico premiado Trem de Milho, como referência de bem imaterial representativo de comidas à base de milho verde ao registro de tombamento de saberes rurais e modos de fazer, a serem atribuídos ao distrito de Bueno de Andrada em Araraquara. Concluiu-se que política pública para preservação e conservação do patrimônio cultural começa pelo tombamento de bens materiais e o registro de bens imateriais em âmbito municipal por espontaneidade e com critérios administrativos previstos pelo Conselho Municipal para preservação do patrimônio. José Antonio Chinelato Zagato, com o presidente da Associação de Bueno de Andrada para Cultura e Turismo Rural, Théo Bratfisch e o arqueólogo Robson Rodrigues da Fundação Araporã. DA REDAÇÃO por: Sônia Maria Marques Novos tempos alteram hábitos: cães e gatos passarelam pelo Jaraguá Em setembro o Jaraguá Araraquara, sempre empenhado em oferecer serviços que geram cada vez mais conforto, praticidade e tranquilidade aos seus clientes, promoveu uma revitalização do Espaço Família, num projeto que ganhou novas funcionalidades e decoração para atender as famílias que cada vez mais utilizam os serviços do shopping. A revitalização, dizia Cleiton Martins, superintendente do Shopping Jaraguá Araraquara, faz parte de uma parceria com a Unimed Araraquara e o projeto é assinado pela arquiteta Carolina Haddad, que deu preferência para uma decoração clean e aconchegante. Cleiton foi até mais incisivo: “A ideia é oferecer às famílias um ambiente que lembre o conforto de suas casas”. Podemos dizer que tem sido essa iniciativa de tantos outros shoppings pelo país, buscando a familiaridade como ponto de partida para a transformação que o mundo moderno proporciona. Assim, seguindo essa nova revitalização, o Jaraguá entrou em outubro anunciando que cães e gatos, considerados animais de pequeno porte, agora podem passear com seus donos pelo shopping desde que sejam verificados alguns critérios, um deles, a não frequência na área da alimentação. Mas, passear pelos corredores do centro de compras de forma permanente, no chão, com coleira e guia e ganhando do shopping o selo ‘Pet Friendly’ já é um grande avanço dentro deste processo de proximidade, ou seja, a extensão familiar para dentro do maior centro de compras que temos na cidade. Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Editor: Matheus Vieira (MTB 67.923/SP) Design: Bete Campos e Érica Menezes PARA ANUNCIAR: (16) 3336 4433 Tiragem: 5 mil exemplares A RCIA é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Falar com a RCIA: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br 7|

[close]

p. 8

|8

[close]

p. 9

EDITORIAL por: Ivan Roberto Peroni IPTU: Prefeito perde na Câmara e dá peso à trajetória de quem teve bom senso A reavalição da Planta Genérica de Valores que calcula o IPTU, levou Araraquara, a viver em outubro um período conturbado no qual podemos ver claramente que política e economia andam juntas. Rejeitado pela Câmara, pois a maioria dos vereadores usou o bom senso, criou-se um verdadeiro Palmeiras x Corinthians entre governo e oposição e logo Edinho Silva utilizou recursos públicos em veículos de comunicação claramente seletivos, para propagar uma absurda divisão entre miseráveis e abastados, prática pouco recomendável para quem sempre falou em cidadania. Em 2001, quando assumiu pela primeira vez a Prefeitura de Araraquara o então prefeito Edinho dizia que “as medidas de combate às desigualdades para terem resultados positivos começam na cidade” e em nome da pobreza existente em uma grande parte da população, usou a casa do João de Barro para impor o óbvio quem tem mais, paga mais; quem tem menos, paga menos. Passados 16 anos, dos quais 8 dele e outros 8 anos de Marcelo Barbieri, Edinho ressurge com o mesmo discurso, pregando a necessidade de uma revisão na Planta Genérica de Valores - da qual somos plenamente favoráveis - só que ele utiliza regras envolvidas por cálculos bem distantes do que o PT denomina de justiça social. E para sensibilizar a cidade de uma forma geral, usa demagogicamente a população mais humilde, estabelecendo um confronto de classes, deixando transparecer que os considerados melhores de vida são ‘bandidos’. Ora, se desde 2011 não se reavalia a PGV não é por culpa do contribuinte, mas dos gestores públicos e dos vereadores que nos representavam, dentre os quais os do próprio PT que em momento algum alertaram Marcelo Barbieri para proceder estudos sobre a expansão urbanística da cidade. Entre os vereadores omissos estava o atual Secretário de Gestão e Finanças, Donizeti Simioni, que tem o dever de promover o controle dos recursos que entram e saem dos cofres da prefeitura. Aliás, o que era feito com o dinheiro do IPTU, o saudoso prefeito Waldemar De Santi mostrava na capa do carnê até 2001, esclarecendo: Neste carnê estão inclusos os seguintes tributos: CÓDIGOS: IPT - Imposto Predial Territorial; IT - Imposto Territorial; IL - Taxa de Iluminação Pública; LP - Taxa de Limpeza Pública; CP - Taxa de Conservação de Pavimentação; PI - Taxa de Prevenção contra incêndio; TL - Taxa de Remoção de Lixo e EX - Expediente. Ao assumir a prefeitura em 2001 (foi eleito em 2000), Edinho retirou da capa do carnê o descritivo sobre o direcionamento dos recursos provenientes do IPTU e passou a anunciar que “com os impostos, ela (prefeitura) paga os servidores municipais, constrói creches, escolas, postos de saúde e asfalta rua”. Tudo isso outra vez é óbvio; e os que não pagam corretamente seus impostos devem ser penalizados, também de maneira justa, pois a lei concede ao devedor este tipo de benefício. E como disse o jornalista Geraldo Polezze, em seu Jornal de Araraquara, na edição de 28 de outubro: “Edinho Silva gasta mundo e fundo na televisão, mas, não consegue esconder aumento do IPTU. Numa época de crise, população fica com pé atrás: falta verba e prefeito tenta ressuscitar Facira, coloca monte de assessores (até via PT de outros centros) e vai patrocinar carnaval? Prefeito pensa que ainda é ministro, com o calor de Dilma e Lula. Humilde como vereador, hoje, assumindo cargos petistas, não consegue segurar a imagem de “otoridade” e mancha sua biografia. Edinho é um político profissional. Isso ninguém nega”. 9|

[close]

p. 10

REPORTAGEM DE CAPA Sicoob da Avenida Barroso Sua cooperativa na palma da mão Com o aplicativo mobile banking todas as operações podem ser realizadas rapidamente, até mesmo a abertura de conta para pessoas jurídicas e físicas A democratização do acesso à internet, somada ao aumento das vendas de smartphones, transformou a relação das pessoas com as instituições financeiras. Nesse contexto, o Sicoob Araraquara participa ativamente da mudança chamada mobile banking e se consolida pela proximidade com seu associado. “O mobile banking é o termo aplicado ao uso do celular para a realização de tarefas bancárias e recentemente foi apontado como o canal preferido dos brasileiros para se chegar até a uma instituição financeira”. A frase é do presidente do Sicoob da Avenida Barroso em Araraquara, Antonio Tomazelli Gaban, orgulhoso com o desempenho da agência que está pronta para atender a chamada geração do futuro, que movimenta o seu dinheiro sem ir à instituição financeira. Para Gaban, a interação com a tecnologia vai mais além: a pessoa associa-se ao Sicoob (abre conta) utilizando o aplicativo e a funcionali- dade que faz parte do premiado time de soluções tecnológicas da cooperativa. Este processo evolutivo da entidade é sentido em seus 34 anos de existência como uma doce lembrança, pois o Sicoob foi criado numa das salas de treinamento da Villares. Era 21 de novembro de 1983, uma segunda-feira, logo após o expediente, quando os funcionários da indústria transformaram em realidade um sonho: eles estavam constituindo naquela noite, uma cooperativa de crédito. Walter Francisco Orloski, um dos organizadores do movimento na ocasião já dizia que as cooperativas de crédito são fundamentais na inclusão financeira. Elas trabalham com juros mais baixos que a maioria dos bancos e ainda fortalecem a união dos cooperados. Porém, ele não sabia que a instituição prosperaria tanto em tão curto espaço de tempo. No Sicoob não se estabelece o habitual conflito entre o querer cobrar mais e o desejar pagar menos. O preço será aquele suficiente para dar sustentabilidade e longevidade ao empreendimento comum. Mas este sucesso no seu entendimento tem uma explicação: a cooperativa é o resultado da associação de pequenos empresários e empreendedores, bem como das suas MPE (inclusive as MEIs), na forma de instituição financeira e sem fins lucrativos. Atualmente o sistema de captação de cooperados está tão flexível que o Sicoob também recebe pessoas físicas em seu quadro associativo, completa o dirigente. Diretoria responsável pelo crescimento do Sicoob em nossa cidade e região: Sidnei Oltremare, Antônio Tomazelli Gaban e Walter Francisco Orloski (sentados, membros da Diretoria Executiva); Aparecido Luís dos Santos, José Antônio Fragali, Ademar Ramos da Silva, Mário Thuyosi Hokama, Luís Henrique Alfonsetti e Eduardo Antonialli Del’Acqua (em pé, membros do Conselho de Administração) |10

[close]

p. 11

, Hoje o Sicoob da Avenida Barroso faz a ,conversão da cultura bancária para os canais digitais, amplia seu quadro de colaboradores e humaniza o atendimento aos associados. Gaban justifica juros mais baixos e serviços bem mais em conta que os bancos tradicionais de maneira bem simples: no empreendedorismo cooperativo não há oponentes e os envolvidos jogam no mesmo time. O dono é também o cliente; o anfitrião, ao mesmo tempo o convidado. É um convívio sem intermediários, sistema bem diferente dos bancos. Assim, além da garantia e dos bons serviços, não se estabelece o habitual conflito entre o querer cobrar mais e o desejar pagar menos. O preço será aquele suficiente para dar sustentabilidade e longevidade ao empreendimento comum. Ele lembra que as cooperativas são reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central do Brasil e promovem o acesso de pequenos negócios a serviços financeiros, as- Futura agência do Sicoob em Matão sistência creditícia e a prestação de serviços bancários acessórios. O objetivo é fomentar o desenvolvimento empresarial, a geração de emprego e renda na região onde está inserida. Seguindo essa premissa, o Sicoob da Avenida Barroso hoje mantém uma afinada parceria com o Sincomercio, a ACIA, Sebrae e CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Araraquara). O vínculo com os em- preendedores, segundo Walter Francisco Orloski, possibilitará que até janeiro seja instalado um Posto de Atendimento do Sicoob no prédio da ACIA, representando mais um avanço no relacionamento com a classe empresarial. Os serviços se completam com a maquininha SIPAG aceitando ticket/ vale refeição. Outro avanço dentro da linha de atendimento Sicoob. SEGUE À esquerda a sede do Sicoob Araraquara, na Avenida Barroso, 350; acima a agência em Dobrada, inaugurada no ano passado 11|

[close]

p. 12

Agência do Sicoob na Avenida Barroso, 350, ganha segundo piso no prédio da antiga Welmar Confecções. Agora são ao todo 460m² de área construída, conforto e qualidade no atendimento, além dos excelentes serviços. PISO SUPERIOR Do projeto, consta a instalação de elevador na ligação do primeiro com o segundo andar para facilitar o acesso dos associados a todos os serviços disponibilizados pela cooperativa financeira. Presidência - Antonio Tomazelli Gaban Diretoria Administrativa Walter Francisco Orloski Auditório PISO INFERIOR Atendimento aos associados Novos caixas Por ser uma cooperativa e onde os associados são donos do seu próprio banco, o Sicoob da Barroso passa a disponibilizar gratuitamente seu auditório para reuniões e palestras. Sala de Espera Contabilidade Sicoob SICOOB ARARAQUARA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO José Antônio Fragali Presidente Luís Henrique Alfonsetti Vice-Presidente MEMBROS Antônio Tomazelli Gaban Ademar Ramos da Silva Eduardo Antonialli Del’Acqua Aparecido Luís dos Santos Mário Thuyosi Hokama DIRETORIA EXECUTIVA Antônio Tomazetti Gaban Presidente Walter Francisco Orloski Diretor Administrativo Sidnei Oltremare Diretor Operacional CONSELHO FISCAL José Zambo Migliatti Júlio Fernando Pascoal Basso Marcos Roberto Cumpri André Castro Rizo José Mauro Gracindo Caixas |12 Sala de Reuniões SERVIÇOS SICOOB Agência 4434 - Araraquara Avenida Barroso, n° 350 - centro Fone: (16) 3331-2170

[close]

p. 13

13|

[close]

p. 14

ANOS DE CHUMBO Emprego e renda vêm caindo em Araraquara Embora já tenha vivido dias de euforia econômica, a recente pesquisa da Firjan mostra que Araraquara vem despencando no ranking de desenvolvimento no Estado de São Paulo, ocupando o 53° lugar, uma posição atrás de Itápolis. Não era bem essa colocação que Araraquara esperava estar, mas terá que se contentar pelo menos por enquanto com a média de 0,7491 anunciada pelo Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), calculado e divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjam) com base em dados de 2013 (último estudo divulgado). Desde o início da série disponibilizada que analisa o comportamento dos municípios desde 2005, Araraquara a partir de 2009 entrou num período de retração, baixando ainda mais os seus índices de desenvolvimento em 2010 (0,7384) e 2011 (0,7384), para ter um ligeiro acrésci- mo em 2012 (0,7899) e outra queda em 2013 (0,7491). Ainda assim foi forte a publicidade anunciando que seria uma das melhores cidades do Brasil para se investir. De acordo com a Firjan, trata-se de um crescimento apenas moderado, embora passe a ser considerado um alto desenvolvimento o município que venha a atingir a marca de 0,8 pontos. Neste caso, apenas seis municípios do Estado de São Paulo aparecem no ranking com média superior a 0,8 pontos: Itupeva (0,8396), Boituva (0,8360), Paraguaçu Paulista (0,8069), Regente Feijó (0,8065), Moji Mirim (0,8018) e Indaiatuba (0,8008). Emprego e renda andam em baixa em Araraquara COMO É FEITO O IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – é um estudo do Sistema FIRJAN que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego & Renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde. EVOLUÇÃO ANUAL - DE 2005 A 2013 EMPREGO & RENDA: ARARAQUARA - SP 1 0,8 0.7262 0.8142 0.8227 0.7721 0.8077 0.7656 0.7384 0.7899 0,7491 0,6 0,4 0,2 0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Gráfico criado pela Firjan focando o município de Araraquara: emprego e renda 2013 No ranking nacional Araraquara se apresenta em 222° lugar de acordo com o quadro apresentado pela federação. O que se observa é que os melhores picos de desenvolvimento aconteceram em 2006 e 2007, dentro do segundo mandato do prefeito Edinho Silva. Em 2008, quando ele deixou a prefeitura, a cidade não conseguiu alcançar a média de desenvolvimento desejada, retomando o índice satisfatório no primeiro ano da administração de Marcelo Barbieri. De 2010 para cá, o desenvolvimento foi abaixo da média proposta pela Firjan tendo apenas a marca de ‘moderado’. |14

[close]

p. 15

MÁXIMO, MÍNIMO E MEDIANA EMPREGO & RENDA: 2013 SITUAÇÃO RELATIVA DO MUNICÍPIO 1,0 0,9 I-Mt-a-áb-xi-rimi-to-a----M-G---------------------------------------- 0,8 0,8962 0,7 --------------------0A-,r-7a-4r-a-9q-1-u-a-r-a----S-P--- 0,6 Para mostrar o desempenho de Araraquara, a Firjan elaborou este gráfico apontando a cidade mineira de Itabirito como a segunda colocada no ranking do Estado de Minas e a 47ª na classificação nacional, mantendo média superior a 8 em 2012 e 2013 0,5 M--e-d--ia-n--a---------------------------- 0,4677 0,4 0,3 0,2 Mínima 0,1 T-o--n-a-t-in-s----A--M------------------------ 0,0 0,1033 Alto desenvolvimento (superiores a 0,8 pontos) Desenvolvimento moderado (entre 0,6 e 0,8 pontos) Araraquara - SP Fonte: Firjan Desenvolvimento regular (entre 0,4 e 0,6 pontos) Baixo desenvolvimento (inferiores a 0,4 pontos) 15|

[close]

Comments

no comments yet