Abranews 01

 

Embed or link this publication

Description

Revista Abranews nº1

Popular Pages


p. 1

AbraNews O Canal de Notícias da Rede Case IH Ano I, nº 1, setembro/outubro 2012 ABRACASE Conectada com a rede Pronta para novos desafios

[close]

p. 2

Opinião Revista da Abracase é boa iniciativa para o desenvolvimento da rede da Case IH no Brasil Foi com muita satisfação que recebi a informação de que a Associação Brasileira dos Distribuidores Case IH (Abracase) está lançando uma revista bimestral que será distribuída entre os revendedores da nossa marca em todo o território brasileiro. A Abracase é um importante mecanismo de integração dos concessionários da marca, que juntos podem colaborar de forma objetiva para o desenvolvimento da Case IH e contribuir de forma eficaz para o crescimento do nosso negócio. O concessionário Case IH é responsável pelo contato direto com nossos clientes, é o elo que une nossos produtos e soluções com o produtor rural, representando a porta de entrada da nossa casa para quem trabalha no campo. Pensando assim, manter o profissional que atua na revenda da marca bem informado e ciente de que está representado através da Associação é fundamental para o sucesso de toda a cadeia produtiva e comercial da Case IH. A criação deste veículo de comunicação torna as ações da Abracase ainda mais transparentes e eficazes, aproxima toda a rede de concessionários da marca no Brasil, levando iniciativas isoladas a todos os representantes da marca, além de manter ativo mais um canal de comunicação entre a fábrica e a crescente rede de concessionários Case IH. Além disso, considero também que o lançamento da revista demonstra o amadurecimento da Abracase como entidade representativa das revendas da marca no Brasil, seja como instrumento democrático de divulgação de iniciativas ou elo entre os diversos setores que formam nosso negócio, a nova publicação vem de encontro ao espírito de união e esforço conjunto para garantir nossa liderança na oferta de uma solução completa de mecanização agrícola. Por isso, saúdo esse novo veículo de comunicação, que vem se somar a outras iniciativas da nossa marca, como a revista da fábrica, a Farm Forum, no trabalho de construção da identidade corporativa da Case IH. Como todos da Abracase já sabem, podem contar comigo e com todo o time Case IH, daqui do Brasil e de todo o mundo. Mirco Romagnoli Vice-presidente da Case IH para a América Latina AbraNews Informativo da Associação Brasileira dos Distribuidores Case IH Rua Luiz Pessutti, 183 - Jardim Portal da Colina Sorocaba, CEP 18047-350 - Fone 15 3233-7387 E-mail: abracase@abracase.com.br - site: www. abracase.com.br Coordenação editorial e Jornalista reponsável: Valéria Ribeiro Isola - MTb 15.626 Projeto Gráfico: MOT Comunicação Integral Editoração: Fernando Braga Impressão: São Francisco Gráfica (Ribeirão Preto) Tiragem: 3 mil exemplares 2 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 3

Editorial Em conexão com o crescimento É com a certeza de que temos muito a compartilhar, a aprender, a ensinar e a desenvolver que a Abracase encara o desafio de apostar na comunicação em favor de seu fortalecimento enquanto instituição representativa. O amadurecimento de nossa Associação nos impõe a busca de canais eficientes para integrar toda a rede e buscar maior participação dos concessionários nos assuntos que dizem respeito ao fortalecimento da marca Case IH e, por consequência, de seus próprios negócios. Ao buscar um canal de comunicação da rede para a própria rede, a Abracase mostra a confiança no crescimento da marca e de todos concessionários já constituídos e dos novos, que ano a ano, se juntam ao grupo aproximando cada vez mais a marca vermelha das regiões produtivas de todo o Brasil. O desafio é ter uma expansão regular para que as oportunidades sejam plenamente aproveitadas. A Abracase é o principal elo para aproximar os diversos atores que promovem a busca por este sucesso: a indústria, a rede, e, principalmente, o cliente. Sua participação sempre proativa tem significado agilidade, proximidade e eficácia. Perto de completar 12 anos a Associação aprendeu com os acertos e muito mais com os erros. E aproveita a edição desta revista para salientar o trabalho daqueles que já fizeram, fazem e ainda farão parte desta história. Homens que, em favor de todos, despendem horas e horas de seu dia, semana, mês pela satisfação de ver a marca Case IH ocupar cada vez mais espaço no mercado brasileiro. A aposta da marca no Brasil é proporcional ao potencial de crescimento de nossa agricultura, a única no mundo com capacidade de crescer forte e sustentavelmente, com a peculiaridade de ainda não aplicar toda tecnologia disponível no mercado. Uma agricultura feita por homens competentes com capacidade para garantir que este seja mesmo o celeiro do mundo.É por isto que a Case IH apostou no Brasil, é por isto que sua rede se espalha pelo país e a Abracase se fortalece e se renova a cada ano. Seja bem vindo a este mundo de possibilidades que se abre agora com a AbraNews, o canal de notícias da Associação Brasileira dos Distribuidores Case IH. Artur Monassi Presidente ABRACASE Artur Eduardo Monassi, Presidente Darci Luiz Ciarini, Vice Presidente Comunicações Walter Van Halst, Vice Presidente Adm. Financeiro César Campanha, Diretor Pós Vendas Roberto Grossi, Diretor Comercial Setembro / Outubro | Abranews 3

[close]

p. 4

História ABRACASE – a força da Rede A história da Case IH na agricultura brasileira começou a ser contada no Brasil pelos tratores da linha Farmall nos anos 1950. Alguns ainda estão em atividade nas pequenas propriedades brasileiras, ou expostos como relíquias em museus ou coleções particulares. Eram tratores importados que chegavam pelas mãos de visionários agricultores, que cientes dos benefícios da mecanização, escolhiam a marca líder mundial para suas lavouras. Em meados dos anos 1970 a importação aumentou e a própria Case tratou de instalar lojas no Brasil para vender seus tratores. Em 1979 a tão sonhada nacionalização da marca aconteceu. Em Sorocaba passou a ser fabricado o trator modelo 2470, um trator de grande por- te, o primeiro do Brasil com tração nas 4 rodas. A própria Case fabricava, comercializava e dava assistência técnica. Os primeiros concessionários independentes começaram a surgir nesta época. A fabricação continuou até 1984 quando a Case comprou a International Harvest. Foi uma boa e uma má notícia, a empresa cresceu, mas o modelo fabricado no Brasil saiu de linha. Em 1996 a Case IH retornou ao país com tratores importados e o conceito de colhedora axial, revolucionário até os dias de hoje. Os tratores, em sua maioria, eram de grande porte, voltados aos grandes produtores agrícolas. Já havia a intenção da nacionalização dos produtos, o que se efetivou com o investimento na planta de Sorocaba. Na época foram convidados autoridades e clientes, que mesmo com a saída da marca do Brasil continuaram comprando produtos importados Case IH acreditando na sua nacionalização. Mas a fábrica nem chegou a funcionar. Com a compra das operações da Case IH pelo Grupo Fiat, em 1999, o que seria produzido em Sorocaba migrou para Contagem, e os tratores passaram a ser produzidos na fábrica da CNH, em Curitiba. Esta longa história foi só para situar o nascimento da ABRACASE, Associação Brasileira dos Distribuidores Case IH, no final dos anos 90, época em que os concessionários, uma rede ainda pequena ficou sem rumo. O que aconteceria a partir daquele momento? 4 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 5

Foi então, que um grupo de 12 concessionários se uniu e em 4 de dezembro de 1999 nascia a ABRACASE, com o forte objetivo de estimular a união e fortalecer as relações entre os concessionários Case IH e a própria marca. Visando não só o crescimento dos mesmos, mas também marcar posição junto à indústria e cultivar um relacionamento mais próximo e estreito entre as partes. A Associação passou a representar legalmente toda a Rede junto às entidades públicas e privadas. Seu trabalho e sua representatividade são plenamente reconhecidos, tanto, que a entidade é a representante da Rede Case IH junto à Fenabrave - Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores. Entre os objetivos da Associação estão: orientar técnica e juridicamente os associados, promover e incentivar estudos relacionados às suas atividades para o desenvolvimento, o aprimoramento e a melhoria de suas operações. Um trabalho que só vem crescendo graças ao constante sinal dado pela Case IH de sua aposta na agricultura brasileira, com a reabertura e modernização das fábricas, ampliação da linha de modelos produzidos no Brasil, investimento constante em treinamentos e pós-vendas, construção do moderno Centro de Distribuição de Peças de Reposição. Foi a partir da reabertura da fábrica de Sorocaba, em 2006, que a Rede de Distribuidores Case IH tomou fôlego, cresceu para estar mais perto das regiões produtoras e conseguir também maior participação no mercado. Se no passado as máquinas Case IH eram um sonho de consumo para poucos, hoje este conceito está superado. A ampliação da linha permite que o pequeno produtor, aquele que só sonhava em possuir um Case IH, tenha agora todas as condições de possuir o objeto dos seus sonhos, pelo Banco CNH Capital, parceiro da Rede Case IH, através dos programas oficiais de crédito, por toda rede bancária e o Consórcio Case IH. Para os grandes produtores as inovações são constantes, inovações que permeiam toda linha de produtos, afinal a agricultura é feita por produtores rurais de todos os tamanhos, e a competitividade do agronegócio brasileiro só existe pela soma desse todo. A força da marca Case IH, sinônimo de qualidade e produtividade, somada à força de sua Rede garantem um futuro promissor, uma história que continua sendo “plantada” a cada dia. Uma história de grandes colheitas, de realizações e sucesso! Presidentes ABRACASE Como não é possível construir o futuro sem lembrar dos que fizeram a história, e para deixar aqui registrado o nome daqueles que ajudaram a fazer da ABRACASE o que ela é hoje, uma associação forte e representativa, destacamos seus presidentes, que a cada mandato sobrepõe o coletivo ao individual, assumindo responsabilidades que se revertem sempre no melhor para todos. Jorge Luiz de Almeida dez 1999/2000 Artur Eduardo Monassi 2001/02 - 2003/04 - 2011/12 Michel Mekdessi Neto 2005/06 César Campanha 2007/08 - 2009/10 Setembro / Outubro | Abranews 5

[close]

p. 6

Comissões Comissões ABRACASE busca constante pela melhoria, pelo entendimento, pela participação A concepção das “comissões” aconteceu para facilitar o canal de comunicação entre a rede e a companhia, o que significa também uma aproximação com o produtor e seu trabalho no campo, afinal é para ele que toda esta engrenagem existe, é por ele que se busca sempre o melhor. Criadas com o objetivo de discutir sugestões de melhores práticas para, além de promover a marca Case IH, elaborar estudos e emitir pareceres para melhorias nos produtos, serviços e métodos de trabalho, as comissões da ABRACASE procuram envolver toda a rede no seu trabalho, pois só com a participação de todos é que as máquinas atenderão aos anseios da maioria. As reuniões são trimestrais e envolvem, além da rede, representantes da fábrica. São 11 comissões, sendo que uma delas, a de grãos, engloba outras 3: plantadeira, pulverizadores e colheitadeira. As reuniões acontecem normalmente na sede própria da ABRACASE, em Sorocaba, que desde 2006 abriga as comissões, a diretoria e, claro, toda a rede. Mas as reuniões não se limitam a quatro paredes, muitas delas acontecem em clientes, em feiras, no campo e até nas fábricas. Comissão de Cana-de-Açúcar A comissão de cana-de-açúcar desempenhou um papel relevante durante o ano de 2011 quando teve a oportunidade de debater vários assuntos relacionados com a performance no campo da colhedora da linha A-8000. Houve um envolvimento profundo de todas as partes nesta comissão no sentido de melhorar a disponibilidade mecânica das máquinas no campo, baixar o consumo de combustível, assim como outros pontos que, aos olhos da comissão, teriam necessidade de serem aperfeiçoados na máquina. Os resultados destas ações já foram percebidos no campo com a safra que se iniciou em abril/12, onde os clientes têm se beneficiado com o alto desempenho das colhedoras. “O trabalho de nossa comissão tem como objetivo principal, em conjunto com a Case IH, melhorar ainda mais as colhedoras que são disponibilizadas para uso de nosso cliente final”, resume seu coordenador, Carlos Alberto Rosa. Comissão de Café A primeira reunião da Comissão de Café aconteceu na Expocafé, em Minas Gerais, onde, juntamente com representantes da fábrica, foram ouvidos produtores e agrônomos que deram depoimentos importantes. Foram levantados os pontos positivos e negativos do equipamento e traçadas as prioridades para se trabalhar. Outras duas reuniões já aconteceram, e alguns experimentos estão em teste nas áreas dos concessionários mineiros Cerrado e Pimenta, de onde se espera que saiam propostas concretas para serem aplicadas nas colhedoras. “Atender aos anseios do produtor de café e buscar sua confiança, será o melhor resultado do trabalho dessa comissão, o que virá, será com certeza um produto melhor, com operadores mais bem treinados e as colhedoras Case IH ocupando um espaço ainda maior no mercado”, disse o coordenador da comissão, Homero Duarte Júnior, que com pouco mais de dois anos de atividade como concessionário assumiu a responsabilidade pelo trabalho. Comissão de Grãos A Comissão de Grãos na verdade engloba três subcomissões: plantadeira, pulverizadores e colheitadeira. A mais antiga delas é a de colheitadeira, que foi a primeira criada pela ABRACASE em 2003, da qual o atual coordenador, Michel Mekdessi Neto e Amauri Salviano Junior fazem parte desde o início dos trabalhos. Uma comissão com missão, visão e valor muito bem definidos, segundo seu coordenador Michel Mekdessi Neto: “Nossa missão é somar nossos conhecimentos de mercado, aplicação e desempenho de campo destes equipamentos ao grupo de profissionais da fábrica no objetivo comum de seu contínuo aprimoramento. Nossa visão está calcada no pleno cumprimento da expectativa que o mercado agrícola tem na marca Case IH como instrumento de eficiência operacional e a consequente prosperidade econômica oferecida. Nosso valor é a busca incansável da qualidade do produto, quesito inerente à marca e inquestionável pelo mercado.” 6 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 7

Comissão de Peças A Comissão de Peças tem como objetivo levar até a fábrica as dificuldades encontradas no dia a dia: problemas de atendimento, logística, embalagens, falta de componentes em estoque, competitividade comercial, entre outros. Ao longo do tempo o relacionamento da Comissão com a fábrica se estreitou e hoje as atividades são feitas em conjunto. Vale a pena citar o planejamento e adequação de estoques de várias linhas como peças para colhedoras de cana, motores Cursor 9 e peças das colheitadeiras Axial Flow e também a nova política comercial. de agricultura de precisão embarcados e via peças. No seu bojo a comissão é responsável pelo “link” entre o cliente e a Case IH, tanto para identificar problemas e ajudar nas soluções, quanto para propor novos equipamentos e novas tecnologias que venham de encontro às necessidades dos clientes no campo. Comissão de Treinamentos A Comissão de Treinamento possui oito integrantes, sendo três integrantes da rede de concessionários e cinco integrantes da Case IH. Pela rede de concessionários a com- mentos de 2011 e 2012 e dos índices de satisfação com os treinamentos; certificação de operadores e dos participantes dos cursos de peças e serviços e o programa de desenvolvimento de sucessores. Comissão de Consórcio O consórcio é um produto novo para toda a rede Case IH que ainda está aprendendo trabalhar com este tipo de venda juntamente com a fábrica e a Agraben. A Comissão de Consórcio tem trabalhado no sentido de criar condições favoráveis para consolidar os grupos já em funcionamento e lançar novos grupos usando A Comissão se reúne três vezes ao ano. São reuniões previamente agendadas com a presença de vários gerentes do departamento de peças da fábrica responsáveis por vários setores. Segundo seu coordenador, Ricardo Gregorin, o trabalho na comissão depende diretamente da rede: “A participação da rede no envio de problemas e sugestões é muito importante para que possamos continuar a desempenhar o nosso papel junto à Comissão, é dela que saem as demandas e é para ela que buscamos as soluções”. Comissão de Agricultura de Precisão A Comissão de Agricultura de Precisão surgiu em 2011, devido à necessidade de implementação dessa tecnologia nos portfólios de produtos. Com isto, a Case IH passou a oferecer itens posição é bem pluralizada na qual os níveis de especialidade dos seus integrantes abrangem as principais atividades de uma concessionária: comercial, peças, serviços e gestão do negócio. Os integrantes da comissão, representantes da Case IH, também atuam em áreas diversas, como treinamento técnico, gestão nas áreas de peças e serviços, comercial, entre outros. A primeira reunião da comissão ocorreu em setembro de 2011. Entre os temas discutidos, atendidos e em andamento destacam-se: projeto para formação de multiplicadores através de parcerias com Senar/Senai e outros parceiros; plano para disponibilização de simuladores de operação da colhedora de cana para rede de concessionários; desenvolvimento de programa para retenção de talentos nos concessionários; apresentação de Relatórios de Treina- a experiência já adquirida no trabalho direto com este produto. A comissão tem desenvolvido um trabalho de melhoria constante no processo de implantação do consórcio, buscando opiniões junto à rede de concessionários sobre pontos de melhorias. Eles são discutidos, e levados para dentro da comissão onde, com todas as partes envolvidas no processo, se buscam as implementações das sugestões. Comissão de TI A Comissão de Tecnologia da Informação, TI, foi criada no primeiro semestre de 2012, para atender uma demanda dos concessionários: identificou-se a dificuldade de parte da rede com a informatização de sua gestão e com o fluxo de informação com a montadora. A comissão tem como objetivo ajudar na melhoria do fluxo dessas informações e Setembro / Outubro | Abranews 7

[close]

p. 8

pesquisar programas de gestão disponíveis no mercado, para futura homologação junto com a montadora. O trabalho acontece em conjunto com o Departamento de Desenvolvimento de Rede Case IH para encontrar soluções viáveis que possam melhorar a eficiência gerencial do negócio. A busca é por um software que facilite a gestão, a apuração de resultados e que faça a interface com o software utilizado pela Case IH. Comissão de Tratores e Comissão de Algodão Estas duas comissões têm o mesmo coordenador, Luis Gotardo, um atuante concessionário que não se furta a emprestar sua experiência em favor de toda a rede e dos clientes. Em 2011 tanto a comissão de Trator, quanto a de Algodão, foram reativadas depois de um período de adequação: “Nossa experiência em outras comissões no passado, serviu de baga- gem para a formatação de uma comissão bastante produtiva, com foco em solução de problemas técnicos e/ou operacionais, e melhoria dos produtos, com ênfase na qualidade das máquinas”, conta Gotardo. O êxito da “missão” assumida por ele já pode ser sentido, pois a comissão conseguiu o envolvimento e o comprometimento de todos os departamentos da Case IH: Produção, Marketing de Produtos, Engenharia, Comercial, Field Service, Qualidade, Suport, Produto e Peças. Dos dois lados os objetivos são comuns: a satisfação do cliente, através de produtos de qualidade que ofereçam eficácia no pós-vendas. O otimismo com os resultados pode ser medido nas reuniões, pois seus participantes não medem esforços para alcançar as melhorias necessárias, que tragam alta performance com o melhor custo/ beneficio do mercado. Comissões da ABRACASE 8 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 9

Nossa Gente Angélica Bianchini com Elisabete Zampieri, Heloísa Monassi e Michele Fulco Tracan, crescendo e fazendo crescer Este espaço denominado Nossa Gente vai falar daqueles que constroem, junto com o produtor rural, o sucesso e a consolidação da marca Case IH no Brasil. O espaço será reservado para que cada concessionário possa contar sua história, suas vitórias, seus planos, falar de suas expectativas. Neste número vamos mostrar a Tracan Máquinas e Sistemas para a Agricultura Ltda., com sede em Ribeirão Preto, SP. Quem fez com que a Tracan fosse a escolhida para começar está série foi Angélica Caldonha Bianchini, colaboradora desde 2009, hoje exercendo o cargo de analista de custos. No concurso que a ABRACASE realizou entre toda a Rede para a escolha do nome do seu veículo de comunicação, foi dela a sugestão vencedora. Entre os 39 nomes sugeridos para a revista o escolhido foi: ABRANEWS – O CANAL DE NOTÍCIAS DA REDE CASE IH. Angélica entendeu a proposta e a importância da rede falar para a própria rede: pensou sobre a proposta e procurou um nome que remetesse à Associação e ao propósito da revista. Recebeu o prêmio no dia 8 de agosto, uma boa surpresa. Angélica levou para casa um Ipad 3G. O Grupo Tracan começou sua história como concessionário Case IH em 1997, hoje é formado por sete concessionárias. Sua sede é Ribeirão Preto, no estado de São Paulo, onde ainda estão as filiais de Araçatuba e Barretos. Em Minas Gerais são mais quatro lojas: Patrocínio, Uberaba, Iturama e Uberlândia. Localizações nobres da produção agrícola brasileira. Se em São Paulo o carro chefe da Tracan é a venda de produtos para canade-açúcar, em Minas Gerais a cana ganha a companhia do café, dos grãos e dos tubérculos. Por isto o Grupo Tracan tem forte participação das vendas Case IH no Brasil, uma parceria tão frutífera que dá ao Grupo o status de grau máximo no programa de avaliação de qualidade das concessionárias no quesito serviços. Com o negócio focado em oferecer soluções inteligentes, com confiabilidade e excelência, para a mecanização do agronegócio, outras oportunidades surgiram e resultaram na criação, em 2007, da indústria Tracan, hoje TMA. A Indústria que nasceu para complementar o sistema mecanizado de plantio e colheita da cana-de-açúcar, agora alça novos voos lançando um transbordo para a colheita de grãos. Outra empresa do grupo é a ATX Pneus, uma empresa que oferece pneus, para todos os usos fora de estrada. A Tracan Service fecha esse grupo, é o braço especializado na prestação de serviços mecanizados que vão do preparo de solo ao cultivo da cana-deaçúcar. O fruto de todo este trabalho pode ser medido pelo crescimento que a empresa alcançou nestes quase 15 anos de existência: passou de 12 funcionários para 480, com a visão de fortalecer o pós-vendas como diferencial competitivo e crescer como concessionário e Grupo. A empresa cresce e seus funcionários crescem com ela. O investimento nas pessoas é o que tem surtido o maior resultado. O recrutamento interno tem sido uma prioridade na hora das contratações. Mas como é preciso estar pronto para crescer, bolsas de estudo, de até 70%, são disponibilizadas para todos os funcionários de todas as áreas. O plano de carreira é uma realidade no Grupo Tracan e o Programa de Participação nos Lucros e Resultados, também. Tudo o que foi realizado até hoje é fruto de um trabalho calcado nos princípios que regem a empresa: transparência, rentabilidade, agilidade, comprometimento, atitude e novidade. Setembro / Outubro | Abranews 9

[close]

p. 10

O Banco que entende de Agricultura Existe um representante do Banco CNH em cada região do País, atendendo a todos os concessionários da Case IH. Sediados e atuando perto dos clientes, conhecendo todas as peculiaridades e necessidades de cada região e cultura, os representantes do Banco CNH estão sempre presentes para orientar e treinar os analistas e vendedores, agilizando as propostas e promovendo aprovações e liberações de recursos de forma muito ágil e rápida, afinal o plantio e colheita não podem esperar pela burocracia. Em 1997 foi criado o Banco CNH Capital, visando maior agilidade, melhor atendimento e menores custos para atender toda a rede de concessionários. Em menos de um ano de funcionamento, o Banco CNH assumiu a liderança nacional de repasses de recursos do Finame Agrícola do BNDES, deixando para trás todos os gigantes do segmento. Desde o início o Banco utiliza ferramentas modernas de análise financeira aliada à contratação de profissionais altamente capacitados para, além de fomentar a venda de máquinas, oferecer o melhor serviço ao cliente, seja em linhas “finamizáveis” ou não. Considerado um dos Bancos mais atuantes em repasse de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento – BNDES, a maioria das operações financiadas pelo BCNH advém de recursos subsidiados pelo Tesouro Nacional, através de programas cujos encargos são reduzidos. Finame e Moderfrota são os programas mais importantes no momento. Fortemente capitalizado, apresentan- do excelentes resultados de balanço, o Banco CNH possui um limite operacional no BNDES que compreende plenamente sua demanda. Em função disso está capacitado, com recursos próprios, para atender operações específicas, que não se enquadram no perfil de financiamentos subsidiados. Para tanto, disponibiliza para toda a Rede opções de Leasing e CDCs especiais. A exemplo da linha para máquinas importadas de baixíssimo custo para atender os agricultores que desejam adquirir equipamentos produzidos fora do Brasil. Emir Rutsatz, Diretor Comercial do BCNH enfatiza: “o BCNH, através de suas diretrizes, tem uma gestão moderna e pretende cada vez mais estar próximo ao seu cliente. Por isso promove atualização permanente junto ao seu corpo funcional, acompanha movimentos de mercado e está focado no desenvolvimento sustentável e perene. Cuida do relacionamento direto com os concessionários, a grande vitrine e motor do negócio do qual faz parte.” Sendo o braço financeiro do Grupo FIAT Industrial, o Banco CNH, cuja sede fica em Curitiba, tem como principal objetivo prestar suporte à comercialização dos produtos fabricados pelo grupo. Atuando com flexibilidade e conhecimento das necessidades de cada concessionário, a área de Wholasale financia o estoque de peças e equipamentos de todos os distribuidores da marca. O CNH CAPITAL atua com unidades em 17 países: Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Polônia, Holanda, Portugal, Irlanda, Espanha, Inglaterra, Canadá, Estados Unidos, Brasil, Austrália, Argentina. 10 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 11

Setembro / Outubro | Abranews 11

[close]

p. 12

Big Case Pequenos produtores – grandes negócios O Big Case será o espaço dentro da Revista AbraNews reservado para falar dos bons negócios realizados pela Rede Case IH, sejam eles uma grande venda de máquinas, um meta alcançada, um tabu quebrado, um cliente conquistado. Neste primeiro número vamos relembrar uma história que marcou a agricultura gaúcha, o concessionário Meta Comércio de Produtos Agrícolas e a própria Case IH. No Brasil a marca Case IH esteve até muito pouco tempo associada às grandes máquinas, voltadas para o grande produtor rural. Uma história que vem sendo reescrita com o investimento da fábrica em produtos que atendem a agricultura como um todo, levando a tecnologia Case IH para produtores de todos os tamanhos. A nacionalização dos tratores Farmall, um projeto com mais de 80 anos de história no mundo, que tem até clube de usuários e fãs nos Estados Unidos, com o início da fabricação do Farmall 80 e 95 no Brasil, em 2010, disponibilizou para o produtor brasileiro a melhor tecnologia, aliada a facilidade de operação e baixo custo de manutenção. Além disso, este trator multitarefa que atende o pequeno, o médio e o grande produtor, entrou no Programa Mais Alimentos, do Governo Federal. O Farmall 80 é o mais potente do Programa, e conquistou com sua alta produtividade e baixo custo operacional, aquele produtor que apenas sonhava em ter um trator Case IH. A Meta Comércio de Produtos Agrícolas, com suas 3 lojas no norte do Rio Grande do Sul: Tupanciretã, Passo Fundo e Vacaria, e a loja no sul de Santa Catarina, em Campos Novos, já vendeu 387 tratores Farmall 80 desde 2010. A grande festa da Meta aconteceu no início de 2011, quando até o secretário de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), Laudemir André Müller, foi prestigiar a entrega de 50 tratores comprados, através do Programa Mais alimentos, por agricultores de 40 municípios gaúchos. À época o secretário do MDA salientou a importância do Programa Mais Alimentos, uma linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) destinada a modernizar as unidades produtivas da agricultura familiar do país, e a necessidade de disponibilizar tecnologia aos pequenos agricultores do Brasil: “O Mais Alimentos é, antes de qualquer coisa, a confiança na capacidade do povo brasileiro de saber aonde quer chegar, e foi criado para mostrar que é possível enfrentar e superar crises. Além disso, recupera a autoestima do nosso agricultor familiar, promovendo o crescimento acelerado no campo com distribuição de renda”. Um dos compradores do Farmall 80, que recebeu seu trator durante a solenidade em Passo Fundo, foi o agricultor Fernando Zailat, de 33 anos, da cidade de Mato Castelhano, a 20 km de Passo Fundo. Juntamente com a família ele trabalha na propriedade de 42 hectares no cultivo de soja, milho e trigo. Segundo Fernando, o novo trator iria mudar o trabalho garantindo mais produtividade na propriedade. Ele utilizava um trator antigo, do ano de 1970, que muitas vezes não funcionava. As vendas pela Meta do Farmall 80 continuam a todo vapor, só em 2012 já foram vendidas 95 unidades. É o agricultor brasileiro acreditando no seu potencial, acreditando na agricultura, comprando máquinas com tecnologias antes inacessíveis, e agora, com o preço atraente e juros baixos, vê mudar seu trabalho no dia-a-dia no campo. Bom para o agricultor, bom para o setor de máquinas. Afinal a agricultura familiar, segundo o MDA, responde pela ocupação de 31% da área rural do Brasil e representa quase 70% da produção nacional de feijão, arroz, milho, mandioca, trigo, hortifruti e ovinocaprinocultura. São 14 milhões de trabalhadores que representam 77% das pessoas que trabalham na agricultura. 12 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 13

Ação Social Associação Beneficente Lua Nova No Brasil, as empresas do agro mantêm uma tradição de proximidade com a comunidade do seu entorno desde os tempos do surgimento das primeiras fazendas, quando as cidades nasciam por causa da agricultura. Estas ações em prol das comunidades terão espaço nas páginas da revista AbraNews, que vai contar um pouco destas histórias que, além de construir vínculos, mudam os rumos de muitas vidas. Começamos falando do trabalho desenvolvido pela Tratorcase, de Ponta Grossa, no Paraná, que desde 2006 ajuda a manter a Associação Beneficente Lua Nova, uma entidade filantrópica que realiza um amplo trabalho de assistência à criança e à família em situação de vulnerabilidade. Atua com crianças e mulheres da comunidade, oferecendo educação infantil, atividades arteeducativas, oficinas de bonecas e brinquedos pedagógicos. A sede da Associação fica na comunidade do bairro Boa Vista, periferia de Ponta Grossa, e surgiu por iniciativa de empresas da região, dentre elas a Tratorcase, que mantém os programas: “Toca das Corujinhas”, “Mulheres Bonequeiras”, “Tocar-te” e “Saúde Integral”. O CEI Toca das Corujinhas oferece educação infantil para crianças de 6 meses a 5 anos, em período integral, das 8h às 17h. A rotina da Toca permite que a criança desperte para o conhecimento através do brincar, criar e experimentar o mundo a sua volta com vivências significativas. Tudo isso somado a um ambiente familiar onde ela sente carinho, aconchego e proteção, elementos necessários para o seu desenvolvimento integral e harmônico. O “Tocar-te” foi criado em 2011, a partir da necessidade de atendimento a crianças acima de 6 anos, em período de contraturno, como alternativa para as mães que trabalham e não têm com quem deixar seus filhos. O teatro, a dramatização, a livre expressão (através da aquarela, da massa de modelar e outros materiais) são parte integrante do currículo, como forma de desenvolvimento integral do ser e de todas as suas potencialidades. Contação de histórias, musicalização, culinária, recreação, além da rotina diária com alimentação e orientação nas tarefas escolares, também fazem parte do trabalho. Essas experiências fortalecem a auto-estima, o bem-estar e o bom relacionamento. A “Oficina de bonecas e brinquedos pedagógicos” surgiu da ideia de oferecer brinquedos artesanais às crianças da creche, como material diferenciado e rico para o brincar. Ao contrário das bonecas de plástico e borracha, essas bonecas artesanais apresentam textura suave e aquecem em contato com o corpo. Elas estimulam a criatividade da criança, além de propiciar grande interação com vários aspectos dos órgãos dos sentidos. Dois fatores - mulheres sem emprego e necessidade de brinquedos - convergiram para a criação do Programa. Mas os resultados têm superado o objetivo inicial, pois o trabalho tem despertado nelas seu potencial criativo, sua auto-estima, tornando-as mais conscientes do seu papel de mulher. O programa “Saúde Integral” complementa os demais com o objetivo de proporcionar bem-estar e qualidade de vida a toda a comunidade assistida pela entidade. Para isso, o trabalho de voluntários é bem vindo e necessário. O programa engloba 3 outros: o Saúde Escolar, com avaliação geral das crianças por médico voluntário, que pode encaminhar para tratamento homeopático, realização de exames laboratoriais gratuitos ou para especialistas. O Saúde Bucal é desenvolvido por dentista voluntária que trabalha através de ações com enfoque na educação. Faz parte desse enfoque o tratamento preventivo, visando a manutenção da saúde bucal, bem como procedimentos curativos que buscam o restabelecimento da saúde dos dentes já comprometidos pela cárie. E o Programa de Assistência Nutricional fornece cardápio semanal, orienta a comunidade escolar nos hábitos de alimentação saudável e acompanha crianças com carências nutricionais específicas através de controle de peso e altura. Setembro / Outubro | Abranews 13

[close]

p. 14

Original do Brasil Consórcio Nacional CaseIH Muito popular no Brasil o consórcio costumava sempre ser ligado à aquisição de automóveis. Aliás, foi por causa dele que surgiu essa modalidade de financiamento, o consórcio é uma criação genuinamente brasileira. Nos anos 60, um grupo de bancários criou um fundo capaz de gerar renda para viabilizar a compra. Era época de crédito escasso, o que popularizou rapidamente esse sistema que não cobra juros, mas apenas a taxa de administração. Hoje a oferta de crédito é imensa, mas o consórcio se mantém como uma boa opção pelas condições que oferece e principalmente pelo que representa: uma compra programada. Já foi o tempo em que consórcio era sinônimo de “automóvel”. Essa compra com objetivo definido hoje realiza o sonho da casa própria, do caminhão, motocicleta, lazer, eletrônicos, e mais recentemente de máquinas e equipamentos agrícolas. Foi o consórcio que realizou o sonho dos irmãos Sérgio e Luiz Carlos Marcusso de possuir um trator Case IH, aliás, eles agora têm 2 tratores Maxxum cabinados, um 125cv e um 180cv. Moradores de Palmital, interior de São Paulo, são produtores de soja, milho, mandioca e aveia, em áreas diferentes que somam aproximadamente 1.000 ha. Os irmãos Marcusso são grandes investidores em consórcio por motivos bem definidos: pela facilidade de contemplação, pela baixa taxa de administração e entrega garantida do bem, que acaba sendo a própria garantia na hora da documentação. Os irmãos, que são Irmãos Marcusso e seu Maxxum cabinado tirado em consórcio clientes da Central Máquinas Agrícolas, em Assis, SP, já têm um objetivo para a próxima cota a ser comprada do Consórcio Nacional Case IH, uma colheitadeira Axial AF 2566. Uma parceria de sucesso O Consórcio Nacional Case IH nasceu em 2008 da parceria entre a Agraben Administradora de Consórcios e a Case IH. A indústria precisava de uma empresa com expertise no ramo de consórcio para atender a demanda dos produtores por esta modalidade de compra. Hoje, através da rede de concessionários o Consórcio está espalhado pelo Brasil atendendo produtores de todos os perfis, do pequeno ao grande, igualmente interessados em programar sua compra, manter seu capital intacto, não pagar juros e não limitar seu crédito junto ao agente financeiro. Toda linha de produtos Case IH é comercializada pelo consórcio, com prazo de até 120 meses e taxa de administração de 14%, uma das menores do mercado agrícola. Atualmente 4 grupos estão em andamento e está sendo lançando um novo grupo, o CASE 07, com características diferenciadas e alinhado ao mercado atual. No grupo CASE 07 foi incluído um novo produto, o trator Farmall 60, que terá lances fixos e limitados. O lançamento deve acontecer na Expointer 2012, no final agosto, onde, já na 1ª assembleia serão contempladas 5 cotas: 1 por sorteio, 2 por lances fixos de 30% e 2 por lances livres, limitados a 50%. 14 Abranews | Setembro / Outubro

[close]

p. 15

Setembro / Outubro | Abranews 15

[close]

Comments

no comments yet