O Farmacêutico em revista

 

Embed or link this publication

Description

edição nº 119

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

2 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119

[close]

p. 3

NESTA EDIÇÃO 12 18 27 5 Bicentenário de Augusto Stellfeld 12 Farmácia do Paraná comemora 200 mil atendimentos este ano 16 ARTIGO: O Farmacêutico e os Cuidados Paliativos - Dr. Arnaldo Zubioli 18 CFF amplia incentivo ao Cuidado Farmacêutico no SUS 20 Células Farmacêuticas 21 Programa de TV será disponibilizado gratuitamente às emissoras interessadas 24 Nova Ficha de Fiscalização e Legislação Farmacêutica 27 Grupo de estudos em Citologia promove crescimento da atuação farmacêutica no Paraná 31 CRF-PR em Ação ::: EXPEDIENTE ::: O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição nº 119 - 2017 Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná Rua Presidente Rodrigo Otávio, 1.296, Hugo Lange Curitiba/PR | 80040-452 DIRETORIA CRF-PR PRESIDENTE Dr. Arnaldo Zubioli VICE-PRESIDENTE Dr. Emyr Franceschi DIRETORA TESOUREIRA Dra. Mirian Ramos Fiorentin DIRETORA SECRETÁRIA-GERAL Dra. Marina Gimenes CONSELHEIROS REGIONAIS Dra. Cynthia França Wolanski Bordin Dr. Edmar Miyoshi Dr. José dos Passos Neto Dra. Karen Janaina Galina Dr. Márcio Augusto Antoniassi Dra. Maria do Carmo M. Baraldo Dra. Marina Sayuri Mizutani Hashimoto Dra. Mônica Holtz Cavichiolo Grochocki Dra. Sandra Iara Sterza CONSELHEIROS REGIONAIS SUPLENTES Dr. José Antônio Zarate Elias Dra. Mauren Isfer Anghebem Dr. Maurício Portella CONSELHEIRO FEDERAL Dr. Valmir de Santi Dr. Dennis Armando Bertolini (Suplente) ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Ana C. Bruno | MTB 2973 DRT/PR Dayane Carvalho | MTB 6990 DRT/PR Gustavo Lavorato | MTB 10797 DRT/PR Michelly M. T. Lemes Trevisan - Designer Artigos e entrevistas não manifestam necessariamente a opinião de “O Farmacêutico em revista”, e são de inteira responsabilidade dos seus autores. CAPA Michelly Trevisan IMPRESSÃO LunaGraf - Gráfica e Editora Ltda. 2 mil exemplares FOTOS Assessoria de Comunicação | CRF-PR iStock - Banco de Imagens SESA-PR CFF COLABORAÇÃO Maria Isabel Lopes - CFF www.crf-pr.org.br facebook.com/crfpr twitter.com/crf_parana youtube.com/crfparana instagram.com/crfpr

[close]

p. 4

EDITORIAL DIRETORIA CRF-PR Mandato 2016 -2017 Dr. Arnaldo Zubioli - Presidente, Dr. Emyr Franceschi - Vice-Presidente, Dra. Mirian Ramos Fiorentin - Diretora Tesoureira, Dra. Marina Gimenes - Diretora Secretária-Geral EDIÇÕES ANTERIORES Para acessar todas as revistas, visite: www.crf-pr.org.br Esta edição tem como matéria especial a comemoração do bicentenário de nascimento do primeiro Farmacêutico diplomado do Paraná, Dr. Augusto Stellfeld. Através de um profundo resgate histórico, a Farmacêutico em Revista apresenta a extraordinária contribuição da família Stellfeld para o desenvolvimento da profissão farmacêutica no Estado. Esse legado deve ser relembrado, reconhecido e comemorado (como foi feito pelo CRF-PR) e, ainda, registrado para conhecimento dos atuais e futuros Farmacêuticos paranaenses e brasileiros. Esta edição ainda aborda, no artigo “O Farmacêutico e os Cuidados Paliativos” e na reportagem sobre a Farmácia do Paraná, a importância da atuação clínica do Farmacêutico; tema que está em plena expansão. Projetos novos como o Células Farmacêuticas e o programa de TV Farmacêutico + Saúde também mostram o trabalho do CRF-PR pela valorização da profissão e pela atuação do Farmacêutico em prol da saúde pública. Confira esses e outros tantos assuntos que preparamos especialmente para você. Boa leitura!

[close]

p. 5

bicentenário Bicentenário de Augusto Stellfeld 200 anos de um legado que transformou a história da Farmácia brasileira Em 2017 é comemorado o Bicentenário - 200 anos de nascimento - de Carlos Augusto Stellfeld, primeiro Farmacêutico diplomado do Paraná. O Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná - CRF-PR, prestou uma homenagem, no último dia 17 de agosto, pelos anos de dedicação da Família Stellfeld que mudaram a história da farmácia brasileira. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 5

[close]

p. 6

bicentenário Emocionados, familiares e profissionais participaram da comemoração alusiva a sua vida e o legado que deixou. Foram quatro gerações dedicadas ao empreendimento e à profissão farmacêutica. Um dos últimos familiares a trabalhar no negócio antes da venda ao grupo Morifarma foi o Farmacêutico Lauro Stellfeld Filho, bisneto de Augusto Stellfeld, presente na comemoração. “Tenho orgulho de pertencer à família Stellfeld e de alguma forma ter contribuído para a história da Farmácia”, declarou Dr. Lauro em seu discurso. Ele ainda agradeceu ao CRF-PR pela homenagem. O presidente do Conselho, Dr. Arnaldo Zubioli, na abertura do evento, ressaltou a importância de valorizar a história da profissão. “Uma entidade só prospera se conhecermos o seu passado. Temos que lembrar dos grandes personagens que trilharam, muitas vezes, um árduo caminho para chegarmos até aqui”, disse. Na ocasião a diretoria do CRF-PR entregou uma placa ao Dr. Lauro Stellfeld e no final da cerimônia a tataraneta de Augusto Stellfeld, Luciana Stellfeld, doou ao Conselho alguns exemplares da publicação “Tribuna Farmacêutica”, um jornal publicado pela UFPR. Dr. Arnaldo Zubioli, Presidente do CRF-PR, e Dr. Lauro Stellfeld durante a homenagem. A tataraneta de Augusto Stellfeld, Luciana Stellfeld, e Dr. Jackson Rapkiewicz, Gerente Técnico-Científico do CRF-PR, recebendo a “Tribuna Farmacêutica”. Familiares de Augusto Stellfeld durante homenagem. 6 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 Vídeo exibido durante Reunião Plenária do CRF-PR.

[close]

p. 7

bicentenário sua história Primeira Geração: 1817 - 1894 Filho de João Henrique Stellfeld e de Sophia Conradina Herold, Carlos Augusto Stellfeld nasceu no dia 31 de agosto de 1817, na Alemanha. Antes de se tornar um profissional de saúde, Stellfeld participou de forma ativa no exército local. Até o ano de 1873, na Alemanha era facultativo o estudo superior de Farmácia para o exercício da profissão. Podia, sem ter frequentado uma universidade, comparecer perante uma banca examinadora oficial e prestar o exame que concedia ao candidato os direitos de atuar como Farmacêutico proprietário. Em 1848, Augusto Stellfeld foi aprovado nesse exame. Aos 34 anos, no dia 1º de maio de 1851, parte do porto de Hamburgo rumo à cidade de Nossa Senhora da Graça do Rio São Francisco Xavier do Sul, atualmente São Francisco do Sul, na Província de Santa Catarina, integrando a segunda expedição colonizadora e povoadora pertencente ao príncipe de Joinville. Junto com sua mudança da Alemanha, Stellfeld levou uma pequena oficina farmacêutica, para continuar exercendo suas atividades. Em terras brasileiras, casou-se com Carlota Sofia Dorotea Kalckmann. Entre 1853 e 1854, a família Stellfeld muda-se para Paranaguá, nova província do Paraná. A situação da Farmácia em Paranaguá nessa época pouco se sabe, porém, supõe-se sua grande importância. De seu casamento com Carlota, Augusto Stellfeld, teve dois filhos, Camilo e Edgar Stellfeld. Com diploma para exercer a Farmácia em sua terra natal, Augusto Stellfeld presta exame de revalidação, na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Em maio de 1855, adquire os direitos para exercer as funções de Farmacêutico em todo o Império. Depois de causar milhares de vítimas pela Europa, chegou ao Brasil no ano de 1855, a pandemia da cólera. Na época, Paranaguá era uma província mais desenvolvida que Curitiba, que possuía pouca infraestrutura, um único médico, o Dr. José Cândido da Silva Murici, e nenhuma Farmácia. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 7

[close]

p. 8

BICENTENÁRIO Desesperado com a situação, Dr. Murici, enviou um relatório ao Governo Provincial solicitando a vinda de seis médicos e dois farmacêuticos, com urgência. Solicitou também a remessa de medicamentos e utensílios próprios para o combate da cólera. Atendendo a esse apelo do Dr. Murici, Carlos Augusto Stellfeld muda-se para Curitiba, no dia 8 de abril de 1857. E então cria a sede definitiva da Farmácia Stellfeld, na Praça Tiradentes, localizada em frente à Igreja Matriz, hoje Catedral Metropolitana de Curitiba. Desde o começo, Stellfeld se entrega de corpo e alma pela comunidade, incentivando sempre o progresso moral e intelectual dos habitantes do Paraná. Segunda Geração: 1861 - 1922 Durante a Guerra do Paraguai, Augusto Stellfeld foi nomeado sargento-quartel mestre do 1º batalhão de reserva da Guarda Nacional. Ofereceu o fornecimento gratuito de medicamentos durante a guerra às famílias dos soldados voluntários e visitava diariamente a farmácia da enfermaria militar. Este gesto de desprendimento foi prova do seu respeito e consideração pelo Brasil. Como prova de reconhecimento público aos relevantes serviços prestados ao Brasil, D. Pedro II confere a Augusto Stellfeld a comenda da Ordem da Rosa, no grau de cavaleiro, em 1880. Em 1882, Augusto Stellfeld é eleito vereador de Curitiba com o maior número de votos. Nos próximos anos, ocupa cargos importantes como Presidente da Câmara Municipal e Prefeito Interino do município. Após anos voltados à política, estreitando relações em busca da valorização dos cidadãos curitibanos, em 1894, Augusto Stellfeld falece, deixando um legado para sua família e para a história da Farmácia brasileira. Camillo Stellfeld nasceu em 8 de fevereiro de 1861, em Curitiba. Conquistou o diploma de Farmacêutico pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1892. Em sua cidade natal, passou a exercer as atividades profissionais na Farmácia Stellfeld, dando início a uma pequena fábrica de especialidades farmacêuticas. Com a prematura morte de Camillo, em 9 de outubro de 1900, vítima de uma infecção bacilar na laringe, tratamento que não havia recursos na época, seu irmão Edgard assume a direção e responsabilidade da farmácia da família. Nascido em 6 de fevereiro de 1873, Edgar Stellfeld, após terminar os estudos, passa a praticar o exercício farmacêutico intensamente com seu pai e depois com seu irmão, tendo obtido em 1894 na forma da Lei Estadual em vigor, o título de Farmacêutico Prático Licenciado. Sob administração de Edgar, a Farmácia Stellfeld tinha dois empregados contratados, um encarre- 8 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119

[close]

p. 9

BICENTENÁRIO Edgar Stellfeld Carlos, Edgar Filho e Camilo Stellfeld gado da dispensação de medicamentos e da manipulação e outro da pequena fábrica de especialidades farmacêuticas. De 1901 até 1914, Edgar Stellfeld se envolve com a política. Em 1910, viaja acompanhado de sua esposa para Europa, onde permanece cerca de 8 meses, percorrendo os principais países e visitando organizações e indústrias farmacêuticas da Alemanha. Volta da Europa entusiasmado, não somente com o lançamento de novos produtos, mas com novas ideias de propaganda popular. Terceira Geração: 1922 -1957 Foram árduos os primeiros anos após o falecimento inesperado de Edgar Stellfeld, que deixou cinco filhos: Edgar, Carlos, Camillo, Lauro e Izolde. Carlos Stellfeld assume a responsabilidade da farmácia, integrando sua mãe, Dona Alvina, e seus irmãos Camillo e Edgar, à nova firma registrada sob o nome de Stellfeld, Irmão & Cia. Carlos concluiu o curso de Farmácia na Universidade Federal do Paraná em 1919, quando já trabalhava ativamente, cuidando tanto do balcão, como da pequena seção industrial da Farmácia Stellfeld. Edgar lança no mercado brasileiro o creme dental DONTIPHAINOS, que se apresentava sob forma de elixir, pó e pasta, fabricado com material importado, algo revolucionário para a época. Edgar também funda a primeira drogaria de Curitiba, em sociedade com seu cunhado e primo Ludolfo Kalckmann, que assume a direção e gerência do estabelecimento. Carlos fundou a Associação Paranaense de Farmacêuticos, foi Vice-Presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná de 1961 a 1963 e foi o 1º Diretor da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Paraná, além de ser professor da disciplina de Farmacognosia. Dedicou anos pela valorização da profissão, como escritor foi um dos fundadores da Academia Paranaense de Letras do Paraná. Em 1922, Edgar falece vítima de um colapso car- Já Camillo Stellfeld recebeu o diploma de Farma- díaco. cêutico, pela Universidade Federal do Paraná, em O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 9

[close]

p. 10

BICENTENÁRIO 1923, cuidando da parte comercial e administrativa da Farmácia Stellfeld. Foi deputado, professor da UFPR, 1º Presidente da Federação do Comércio no Estado do Paraná e instalou o SESC e SENAC no Estado. O estabelecimento passa a se chamar Farmácia e Drogaria Stellfeld e a seção industrial é, alguns anos mais tarde, incorporada aos laboratórios das Drogarias Suíça, Minerva e ao Laboratório Paulo Soares. Nessa época, com o sucesso do creme dental DONTIPHAINOS, a fabricação de especialidades é intensificada, continuando a preparação de oficinas no próprio laboratório de manipulação, considerado, na época, moderno e eficiente. Com o crescimento da Farmácia, foi instalada a primeira filial, na Rua Comendador Araújo, esquina com a Avenida Visconde de Nacar. Em 1935, a Farmácia é completamente remodelada, abrindo mais uma porta, ampliando a frente e aumentando os balcões. Em um dos pontos mais interessantes da cidade, a Praça Zacarias, é instalada em 1956, a nova filial FARMASTEL, em estilo moderno, com ampla seção de perfumarias. Outras duas filiais foram implantadas na Rua Riachuelo e na Farmácia Cooperativa dos Ferroviários. E assim, com 35 anos de direção da Farmácia Stellfeld pelos netos de Augusto Stellfeld, é comemorado o primeiro centenário da botica alemã/ curitibana. 10 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119

[close]

p. 11

BICENTENÁRIO Quarta Geração: 1957 - Presente Dos bisnetos, apenas Lauro Stellfeld Filho continuou sua trajetória na Farmácia. Lauro trabalhou na Farmácia Stellfeld até 1970, quando, por decisão da família, a Farmácia foi vendida para o Grupo Morifarma. Lauro se transferiu para o Grupo Minerva, atuando como gerente e diretor. Em 1978, tonou-se proprietário da Farmácia Londres, localizada no bairro de Santa Quitéria, em Curitiba. Em paralelo, foi Diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Paraná; Vice-Presidente da Federação do Comércio; Presidente da Associação Paranaense de Farmacêuticos; Presidente do Sindicato dos Farmacêuticos no Estado do Paraná; Diretor e Conselheiro do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná, entre 1970 e 1978, e Membro da Comissão de Farmácia Pública do Conselho Federal de Farmácia – CFF. Por muitos anos, Lauro lutou pela valorização da profissão farmacêutica. Até então, essa é a última geração de Augusto Stellfeld que atuou na área da Farmácia. Sede da Farmácia Stellfeld na Praça Tiradentes nos dias atuais: O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 11

[close]

p. 12

FARMÁCIA DO PARANÁ Farmácia do Paraná comemora 200 mil atendimentos apenas este ano Programa é referência em Farmácia Clínica no Brasil Fotos: Venilton Küchler / SESA-PR A sede da Farmácia do Paraná em Curitiba comemorou no mês de agosto o atendimento número 200 mil deste ano. O local, inaugurado em 2015, atende 29.462 pessoas por mês e funciona na Avenida Marechal Floriano Peixoto, no Centro. Mais de 20 mil usuários são da capital e o restante dos 28 municípios da região metropolitana. O número aumenta todos os meses: em média 1100 novos pacientes. Atualmente, o local funciona com 24 guichês para o atendimento de 1300 a 1600 pacientes diariamente, mas, em alguns dias, já chegou a 2 mil. Para suprir a demanda, a unidade conta com o apoio de 106 colaboradores, entre servidores, estagiários e terceirizados. Com o concurso da Secretaria da Saúde, o local ganhou 15 novos servidores, sendo seis Farmacêuticos. A unidade é responsável por distribuir 232 tipos de medicamentos para o tratamento de 82 doenças, como diabetes tipo 1, hepatites, Alzheimer, Parkinson, doenças renais, entre outras. “Temos aqui uma das maiores farmácias públicas do país. O Governo do Estado investiu R$ 4,6 milhões para tornar o atendimento mais qualificado e em um espaço maior e muito mais organizado”, 12 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119

[close]

p. 13

FARMÁCIA DO PARANÁ destaca o Farmacêutico e Secretário de Estado da Saúde, Dr. Michele Caputo Neto. Para o Presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná (CRF-PR), Dr. Arnaldo Zubioli, “a Farmácia do Paraná coloca o Estado na vanguarda do desenvolvimento da Farmácia Clínica no país ao atender às expectativas, necessidades e preocupações dos usuários de medicamentos, contribuindo para realçar a função do Farmacêutico como especialista em terapêutica farmacológica. O CRF-PR congratula os Farmacêuticos atuantes nesse grandioso projeto que abre perspectivas para o exercício da atividade profissional”. “As equipes também estão muito mais qualificadas. Os Farmacêuticos passam por treinamentos mensais, os estagiários têm funções rotativas para que ganhem experiência em diversas áreas. Investir na qualificação dos profissionais é um ganho para todos – para o próprio colaborador, para os pacientes e também para o Estado”, comenta o diretor da 2ª Regional de Saúde, Guilherme Graziani. Estratégias Outra estratégia para agilizar o atendimento foi a entrega de tratamento para até três meses. “Conseguimos liberar medicamentos para 60 e até 90 dias de tratamento. Isso faz com que os pacientes não precisem vir todos os meses”, conta a Coordenadora da unidade de Curitiba, Dra. Kelly Braga. Mais de 1500 pacientes que retiravam medicamentos relacionados à saúde mental, como esquizofrenia ou epilepsia, foram transferidos para o Centro Psiquiátrico Metropolitano, especializado na área. A entrega de medicamentos para pacientes de 11 municípios da Região Metropolitana foi descentralizada e o atendimento ocorre na própria cidade de residência. Novas parcerias com outros municípios da 2ª Regional estão sendo firmadas para que mais pacientes possam retirar o medicamento próximo de onde vivem. O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 13

[close]

p. 14

FARMÁCIA DO PARANÁ “As mudanças foram inúmeras e sempre para melhor. Percebemos que os elogios estão cada vez mais frequentes. Mesmo com o grande volume de pacientes, conseguimos dar um atendimento de qualidade para quem frequenta nossa unidade”, completa Dra. Kelly. A paciente Karin dos Santos há cinco meses retira medicamentos para tratar a dor causada pela fibromialgia e diz não ter do que reclamar. “Desde que fui diagnosticada e precisei dos medicamentos, fui muito bem atendida aqui. Os profissionais são muito atenciosos e nunca gastei muito tempo esperando. É sempre rápido, o máximo que fiquei foi 45 minutos”, conta. ‘‘AS mudanças foram inúmeras e sempre para melhor. Mesmo com o grande volume de pacientes, conseguimos dar um atendimento de qualidade para quem frequenta nossa unidade. Dra. Kelly Braga - Coordenadora da Farmácia do Paraná - Curitiba ‘‘ Pacientes recebem atendimento personalizado antes de retirarem medicamentos na Farmácia do Paraná A unidade de Curitiba da Farmácia do Paraná também conta com os serviços de consultórios farmacêuticos. São três salas para atender os usuários e repassar orientações quanto à administração do medicamento, possíveis reações adversas e interações medicamentosas, que podem prejudicar o tratamento. O Farmacêutico também avalia se o tratamento está alcançando os resultados esperados e faz contato com o médico ou outro profissional de saúde caso detecte algum problema, ou seja necessária alguma mudança no tratamento. Elaine Andrade vai começar a retirar o hormônio do crescimento para a filha, Heloisa. Para isso, passou pelo serviço. 14 O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119

[close]

p. 15

“Eu, como mãe, me preocupo em saber se o medicamento que minha filha passará a usar tem alguma contraindicação ou se pode causar algum tipo de efeito colateral. Não posso apenas aplicar uma injeção nela sem nenhum tipo de orientação e essa consulta personalizada vai ser importante para ter esses esclarecimentos”, afirma Elaine. Além dos consultórios farmacêuticos, a unidade também tem duas salas para atendimento pelo serviço social. O objetivo é esclarecer dúvidas, dar apoio e facilitar o acesso da população aos medicamentos. Para utilizar o serviço não é necessário agendamento prévio, o atendimento é feito durante o funcionamento da Farmácia, de segunda a sexta-feira das 8 às 17 horas, exceto no último dia útil do mês, quando a Farmácia fica fechada para atendimento ao público. FARMÁCIA DO PARANÁ O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição 119 15

[close]

Comments

no comments yet