Gazeta de Alagoas - Alagoas Memorável - Fascículo 9

 

Embed or link this publication

Description

Gazeta de Alagoas - Alagoas Memorável - Fascículo 9

Popular Pages


p. 1

09 nono fascículo 21x23.indd 2 08/09/2011 10:48:04

[close]

p. 2

presidente de honra jornalista ana luísa collor de mello presidente do conselho estratégico carlos alberto mendonça diretor executivo luis amorim coordenador editorial Ênio lins presidente de honra jornalista ana luísa collor de mello alagoas memorável pat r i m Ô n i o arquitetÔnico núcleo de projetos especiais coordenação geral leonardo simões coordenação editorial farol editora e marketing ltda textos cármen lúcia dantas douglas apratto tenório josé luiz mota menezes revisão ivone dos santos fotografia ricardo lêdo direção de arte diagramação e desenhos wellington charles tratamento de fotos victor josé santana paiva impressão gráfica moura ramos tiragem 15.000 exemplares instituto arnon de mello 82 3326-1604 capa vista lateral da igreja 104 nossa senhora dos prazeres belo monte alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 3 08/09/2011 10:48:07

[close]

p. 3

alagoas memorável patrimônio arquitetônico 105 08/09/2011 10:48:07 09 nono fascículo 21x23.indd 4

[close]

p. 4

igreja de nossa senhora dos prazeres belo monte 236 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 5 08/09/2011 10:48:09

[close]

p. 5

arquitetura e arte a igreja do belo monte cármen lúcia dantas museóloga q uem sobe o rio são francisco em direção à cachoeira de paulo afonso se depara com um cenário que resulta da fusão entre natureza e patrimônio arquitetônico somadas à influência humana na região essas características situam o visitante entre os marcos da religiosidade imposta pelo colonizador e da fé mantida ao longo dos séculos pelos ribeirinhos antes de chegar a piranhas último ponto navegável no sentido foz-nascente avista-se a igreja de nossa senhora dos prazeres encravada no morro homônimo no povoado de barra do ipanema município de belo monte a construção ocupa uma área coberta pela vegetação de caatinga no meio do delta formado entre os rios ipanema e o velho chico a peculiaridade dessa elevação foi determinante na toponímia do lugar devido à posição privilegiada com o domínio total da paisagem em seu entorno assim como ocorreu na criação de outros povoados do estado o núcleo populacional se formou em torno da área escolhida pelos religiosos para desempenhar suas funções de catequese juntaram-se a eles os criadores de gado que expandiam seus currais para o interior e os comerciantes abrindo caminhos no sentido norte em direção ao atual município de pesqueira em pernambuco desde então a igreja cuja inscrição na fachada data de 1667 permanece como símbolo do tipo de colonização na região alagoas memorável patrimônio arquitetônico 237 08/09/2011 10:48:10 09 nono fascículo 21x23.indd 6

[close]

p. 6

com caixa arquitetônica de sentido horizontal e elementos integrados que denotam sua antiguidade o monumento visto do alto parece estar suspenso entre o céu e o rio e como tantas outras construções históricas de alagoas carece de intervenção oficial que venha a por fim ao avançado estado de degradação em que se encontra os relatos passados de geração em geração dão conta de que era ali no dia da padroeira que rezavam a missa atualmente celebrada na igrejinha do povoado de barra do ipanema local para onde foram enviadas também as imagens do templo seiscentista a primitiva escultura de nossa senhora dos prazeres medindo 78 centímetros foi descaracterizada em sua camada pictórica um criterioso procedimento de restauro é a única alternativa capaz de recompor sua feição primária ou minimizar os danos acumulados ao longo dos anos contudo resta no acervo uma bela imagem de nossa senhora do século xviii com excelente trabalho de talha e rico panejamento ornado em folha de ouro e ramagens policromadas apesar do avançado estado de deterioração em que se encontra a igreja mantém a arquitetura original com a fachada precedida por um cruzeiro que não mais se sustenta fincado e pelo túmulo de um de seus benfeitores a porta é ladeada por duas janelas e encimada por mais duas de tamanho menor na altura do coro todas de ombreira e vergas retas com discreto contorno em pedra o frontão tem recorte circundado por volutas e a cruz também em pedra de arenito está entre dois pináculos piramidais nas empenas beirais de beira seveira e janelas altas completam a integridade do monumento 238 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 7 08/09/2011 10:48:10

[close]

p. 7

o interior sofreu perdas de elementos a partir do altar-mor mas conserva alguns detalhes que muito contribuirão para elucidar sua história a exemplo do piso de madeira em placas retangulares que parecem ter sido preparadas para possível utilização como lápides também as paredes com camadas de tintas sobrepostas mostram em áreas descamadas sombras de pinturas decorativas e barras que são provavelmente vestígios da pintura original sua recuperação e proteção legal além de reativar a tradicional romaria em torno da senhora dos prazeres ampliará o quadro de monumentos seculares tombados no estado e estimulará a implementação do turismo cultural projeto que caminha a passos lentos apesar do potencial da região nossa senhora dos prazeres século xviii alagoas memorável patrimônio arquitetônico 239 08/09/2011 10:48:14 09 nono fascículo 21x23.indd 8

[close]

p. 8

piranhas presépio sertanejo pelo são francisco a colonização chegou a piranhas porto das novidades vindas de penedo o advento da navegação a vapor em 1867 propiciou maior impulso ao comércio local cujas atividades estenderam-se para o sertão nessa época as mercadorias chegavam junto com os jornais e outros impressos trazendo informações sobre fatos ocorridos nos principais centros do país a implantação da linha férrea iniciada em 1881 e concluída três anos depois ligando o sertão de alagoas a pernambuco consolidou o desenvolvimento de piranhas primeira estação daquele trecho da ferrovia a comunicação fluvial prosseguiu sobretudo com penedo no movimento de um porto para o outro o fluxo comercial no entanto intensificou-se com o estado vizinho por meio dos transportes terrestres ganhando fô lego e consolidando novas possibilidades de intercâmbio em 1964 com a desativação da estrada de ferro o município sofreu declínio econômico o aquecimento comercial só foi retomado na década de 80 com a instalação da usina hidrelétrica do são francisco perfil urbano próximo à giratória do trem na área conhecida como piranhas de baixo implantou-se o núcleo central ponto irradiador da malha urbana que ainda conserva arquitetura do século xix e início do xx com casas comerciais e sobrados de janelas altas o espaço permanece sendo o de maior confluência e onde tudo acontece das festas religiosas às profanas as ramificações da praça levam de um lado ao rio e de outro à matriz durante o carnaval a praça é o local de concentração da orquestra responsável por animar os tradicionais blocos que dividem a cidade em dois cordões os trovadores e as borboletas no dia 2 de fevereiro porém o local atende aos apelos religiosos e se transforma em palco da festa da padroeira nossa senhora da saúde dia em que a população sai em cortejo solene concentrando-se em seu entorno centro histórico de piranhas e conjunto arquitetônico 240 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 9 08/09/2011 10:48:15

[close]

p. 9

alagoas memorável patrimônio arquitetônico 241 08/09/2011 10:48:17 09 nono fascículo 21x23.indd 10

[close]

p. 10

a partir do largo a expansão das ruas ocorreu de forma curiosa em variados níveis subindo os blocos de pedras conforme a topografia local acidentada desde a margem do rio com rochedos irregulares e íngremes lindamente comprimida entre pedra e água em alguns casos na própria elevação rochosa existem jardins e varandas criados a partir das condições naturais do terreno vista à distância lembra uma urbe medieval com ruas sobrepostas por entre as pedras e a vegetação essa particularidade reforça a identidade urbana aliada à rusticidade da região que embora banhada pelo são francisco traz impressa a marca da aridez sertaneja no clima no mandacaru da paisagem nos hábitos no jeito forte de ser da sua gente sobrado do século xix 242 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 11 08/09/2011 10:48:22

[close]

p. 11

o típico da arquitetura local é a inspiração nos padrões neoclássicos e ecléticos chegando logo depois o déco tendências que se espalhavam a partir das informações trazidas de salvador e ampliadas através da ferrovia que ligou piranhas a jatobá hoje petrolina em pernambuco abrindo a comunicação na direção norte em piranhas esses estilos ganharam uma característica particular o despojamento da erudição uma simplicidade decorativa que confere ao conjunto uma aparência ao mesmo tempo ingênua e sólida são construções levantadas por mestres locais em sua maioria e o selo regional do conjunto é uma consequência da leitura autodidata e do gosto decorativo de seus executores esse diferencial reforça a importância do sítio histórico da cidade tombada em 2005 como patrimônio nacional preparada para receber o turista a urbe tem um histórico de hospitalidade que transcende os séculos materializado no obelisco levantado nos fins do século xix em um dos seus pontos mais altos expressando as boas-vindas de sua gente às ge rações futuras em 2001 novo monumento foi erguido com o fim de recepcionar o novo século e festejar os 500 anos da conquista do rio são francisco a vista panorâmica em ambos os pontos é uma recompensa aos que se habilitam à subida de centenas de degraus construções multicoloridas da cidade sertaneja alagoas memorável patrimônio arquitetônico 243 08/09/2011 10:48:27 09 nono fascículo 21x23.indd 12

[close]

p. 12

a estação de influência inglesa o conjunto ferroviário obedece ao padrão arquitetônico comum aos construídos no século xix com visível influência inglesa reúne além da estação a torre do relógio a casa das máquinas o galpão de estocagem e a rotatória da locomotiva o prédio da estação o mais importante deles tem a fachada principal voltada para a rua que concentrava o movimento dos passageiros e a outra para o rio que corre estreito e profundo na extensão que margeia a cidade a estrutura horizontal do monumento compreende três corpos conjugados entre si o do centro com pavimento superior e telhado em duas águas é sacado e estabelece a simetria da edificação as portas são em arco pleno e nas duas alas que completam a fachada nas extremidades pórticos com o nome piranhas identificam a estação após a desativação e passado o período de abandono as instalações assumiram funções sociais e culturais atualmente o prédio principal é ocupado pela secretaria de cultura e pelo museu marília rodrigues criado em 1982 que reúne objetos da região e peças que pertenceram ao ciclo do cangaço no nordeste são objetos artesanais de cerâmica trançado de palha madeira couro imagens sacras quadros e fotografias de lampião maria bonita e do bando que os acompanhava a própria comunidade se encarregou de juntar o acervo e a prefeitura instalou e administra o espaço o relógio não só determinava o horário de chegada e de partida do trem como também oficializava a hora da cidade o comércio as igrejas as escolas a saída das embarcações da beira do rio tudo era regulado por ele torre do relógio da estação ferroviária 244 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 13 08/09/2011 10:48:32

[close]

p. 13

estação ferroviária arquitetura funcional alagoas memorável patrimônio arquitetônico 245 08/09/2011 10:48:33 09 nono fascículo 21x23.indd 14

[close]

p. 14

a torre de todas as vistas a torre da igreja pode ser vista de qualquer ângulo da cidade e o badalar de seu sino atrai fiéis de todos os quadrantes o padrão construtivo é simples mas denota uma leve inspiração neoclássica realçada pela singeleza de suas linhas o destaque da torre única e delgada garante a elegância do monumento erguida no centro da fachada dispensa o frontão e divide a igreja em duas partes iguais com aberturas em arco pleno três portas dão acesso ao interior sendo a do centro encimada por um óculo vedado os relatos de antepassados não situam a autoria de sua planta especula-se no entanto que o templo foi levantado pelos engenheiros ingleses responsáveis pela construção do conjunto ferroviário o interior é igualmente simples e no altar encontra-se entronada a imagem de nossa senhora da saúde preservada em suas características do século xix sua invocação teve início no século xvi em portugal por ocasião de uma epidemia de peste que assolou o país não se sabe ao certo como e quando teve início a devoção em piranhas mas não resta dúvida de que foram os portugueses que trouxeram a senhora da saúde para as igrejas e santuários dos sertanejos vista policromática com torre da igreja de nossa senhora da saúde 246 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 09 nono fascículo 21x23.indd 15 08/09/2011 10:48:33

[close]

p. 15

alagoas memorável patrimônio arquitetônico 247 08/09/2011 10:48:34 09 nono fascículo 21x23.indd 16

[close]

Comments

no comments yet