Show da Fé - Outubro 2017

 

Embed or link this publication

Description

Show da Fé - Outubro 2017

Popular Pages


p. 1

O poder que a Palavra tem para salvar PÁGINA 22 Jornal Show da Fé SHOWda FÉ Faça do Senhor o seu Escudo PÁGINA 24 ANO 4 - Nº 45 - OUTUBRO DE 2017 O JORNAL DA PALAVRA DE DEUS Alegria queSOLMARGARCIA vem da fé Rita de Cássia Santos dependia da cadeira de rodas para se locomover, mas foi curada na reunião em Salvador É possível evitar que as dificuldades da vida, como doenças, vícios, problemas financeiros ou familiares, levem tristeza ao coração? No feriado de 7 de setembro, diante de milhares de pessoas, na Praça Cairu, em Salvador (Bahia), o Missionário R. R. Soares ensinou: “Jesus não quer ver ninguém triste, e, quando determinamos com fé que a Palavra de Deus se cumpra em nossa vida, Ele nos atende, e temos alegria”. Páginas 8 e 9 Surdo ouve pela primeira vez Durante um dos encontros de fé realizados em todo o Brasil, José Aparecido Rodrigues foi visitado pelo poder de Deus. Após mais de seis décadas sem ouvir, ele ficou são e conseguiu repetir as primeiras palavras de sua vida, ditas pelo Missionário. Página B7 SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA Porque andamos por fé e não por vista (2 Coríntios 5.7).

[close]

p. 2

2 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 Expediente O poder que a Palavra tem para salvar PÁGINA 22 Jornal Show da Fé SHOWda FÉ Faça do Senhor o seu Escudo PÁGINA 24 ANO 4 - Nº 45 - OUTUBRO DE 2017 O JORNAL DA PALAVRA DE DEUS Alegria queSOLMARGARCIA vem da fé Rita de Cássia Santos dependia da cadeira de rodas para se locomover, mas foi curada na reunião em Salvador É possível evitar que as dificuldades da vida, como doenças, vícios, problemas financeiros ou familiares, levem tristeza ao coração? No feriado de 7 de setembro, diante de milhares de pessoas, na Praça do Cairu, em Salvador (Bahia), o Missionário R. R. Soares ensinou: “Jesus não quer ver ninguém triste, e, quando determinamos com fé que a Palavra de Deus se cumpra em nossa vida, Ele nos atende, e temos alegria”. Páginas 8 e 9 Surdo ouve pela primeira vez Durante um dos encontros de fé realizados em todo o Brasil, José Aparecido Rodrigues foi visitado pelo poder de Deus. Após mais de seis décadas sem ouvir, ele ficou são e conseguiu repetir as primeiras palavras de sua vida, ditas pelo Missionário. Página B7 SOLMAR GARCIA Porque andamos por fé e não por vista (2 Coríntios 5.7). Diretor executivo R. R. Soares SOLMAR GARCIA Conselheiro editorial Eber Cocareli Editora Elaine Monteiro Repórteres Amanda Pieranti Claudia Santos O’hara Santos Repórteres colaboradores Isabel Querino e Marcos Couto Fotografia Marcos AC Luiz Fernando e Solmar Garcia Revisão Célia Cândido (Direção) Joseane Cabral (Supervisão) Magdalena Soares (Prova) Jorge Guimarães e Marcella Peçanha (Originais) Direção de arte Kleber Ribeiro Diagramação e Arte-final Bruno Moraes e Leandro Alves Site www.ongrace.com/ jornalshowdafe E-mail jornalshowdafe@ongrace.com Redação Estrada dos Bandeirantes, 1.000 - Taquara - Rio de Janeiro RJ - CEP 22.710-113 Telefone: (0xx21) 3077-5168 É expressamente proibida a reprodução total ou parcial de matérias, entrevistas, artigos, fotos e ilustrações sem prévia autorização dos titulares dos direitos autorais. O Jornal Show da Fé é uma publicação da Graça Artes Gráficas e Editora LTDA. Editorial - Não perca a bênção Você não precisa fazer muita coisa para se livrar do Juízo eterno; basta receber Jesus como Salvador e permanecer firme na fé. Quem crê em Cristo tem os seus pecados perdoados, sua vida transformada e ainda recebe o poder para ser feito filho de Deus. Se você ainda não é salvo, tome a sua decisão agora. Deus vê o que se passa em seu coração; portanto, entregue a sua vida a Cristo e seja salvo. Sara-me, SENHOR, e sararei; salva-me, e serei salvo (Jeremias 17.14). Caso de leucemia foi dado como perdido Claudia Santos nas. “Só deram o diagnós- Uclaudia.jornalshowdafe@gmail.com tico sete meses depois do ma febre alta e ocorrido: Emylly tinha leu- persistente levou cemia. A essa altura, ela já Thaís dos Santos gritava de dor e delirava. Oliveira a procurar aten- Minha filha precisou até dimento para a pequena de transfusão de sangue”. Emylly Clarah. “O diagnós- Em um ano, a criança tico era virose. Insatisfeita, foi submetida a 12 sessões percorri três hospitais, e de quimioterapia, mas o a conclusão foi a mesma”, tratamento não surtiu o re- destaca a mãe. sultado esperado. O sofri- A situação se agravou mento de Thaís continuou. quando a menina, na épo- “Pararam o tratamento e ca com um ano e três me- adotaram uma nova medi- ses, parou de andar e ficou cação. Especialistas deram internada por duas sema- o caso como perdido”. Uma decisão mudou a sentença Sem conhecer Jesus, Thaís achou, na caixinha do correio, um panfleto contendo os horários de culto e o endereço da IIGD. “Resolvi procurar ajuda, pois foram três anos de tristeza”. Nesse período, a jovem aceitou Cristo e viu o milagre acontecer. “Aprendi a buscar em Deus a cura e, assim, vi o restabelecimento da minha filha”, diz a mãe, ao lado da pequena Emylly, hoje com quatro anos. SHOWda FÉ SOLMAR GARCIA

[close]

p. 3

SHOWda FÉ 3 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 Milagres pela TV O Show da Fé, programa de TV que alcança diariamente milhões de brasileiros, está levando os sofredores a receberem as mais fantásticas bênçãos em suas casas. SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA Determinação e cura O marido de Elza da Encarnação Macêdo da Silva tomava remédio controlado para o sistema nervoso havia 18 anos. Um dia, quando assistiu ao Show da Fé, a esposa determinou a cura dele. “Você não está doente. É o inimigo que coloca coisas na sua mente. Você precisa é disto aqui”, falou, mostrando a Bíblia. O esposo de Elza já tinha comprado medicamentos para mais três meses, porém não precisou utilizá-los. “No dia seguinte, ele pegou as caixas e as apresentou ao Senhor, dizendo que não tomaria os remédios porque estava curado. E foi isso mesmo que aconteceu”. Dor e nódulo se foram Rosinete Oliveira Paula foi curada de dor de cabeça durante o programa de R. R. Soares. No entanto, essa não foi a primeira bênção que ela recebeu pela TV. “Há um tempo, notei um nódulo de, aproximadamente, 2cm na altura do meu estômago. Ele não doía, mas incomodava bastante. Uni a minha fé à do Missionário e, após a oração, percebi o desaparecimento do mal”. SOLMAR GARCIA Cheia de bênçãos Percilia Fontes Borges padecia devido a uma hérnia de hiato – uma parte do estômago se projeta para dentro do tórax, por meio de uma abertura no diafragma. Em função disso, vivia de dieta. “Tinha de me alimentar à base de líquidos. O sofrimento já durava uma década. Medicamento algum dava resultado. As dores iam e voltavam. Até o dia em que assisti ao Show da Fé. Clamava a Deus para que Ele me curasse e, em uma dessas orações, coloquei as mãos sobre o local da enfermidade e senti um fogo queimar o meu corpo. Após a intercessão, fui curada”. Hoje, ela garante: come de tudo. As bênçãos igualmente alcançaram uma neta de Percilia. Formada havia um ano, não conseguia trabalho. “Clamei com os pastores que partipam do programa e apresentei os documentos da minha neta, e, em pouco tempo, ela conseguiu um emprego. Essas reuniões só me trazem vitória”, afirma Percilia. Ela também foi curada de esporões nos calcanhares, que a impediam de andar com tranquilidade. “Isso é viver!” Essa exclamação costuma ser dita por quem confia em Deus.

[close]

p. 4

Fotonovela 4 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SHOWda FÉ Vitória contra o autismo Aos quatro anos de idade, Eduarda Caroline deu sinais de que algo não ia bem. “Notei que ela não desenvolvia a fala e possuía uns tiques neurológicos nas mãos, nos pés e na face”, diz a mãe, Rosemary Querin. Mais adiante, foi constatado: a menina era portadora de autismo. Alguns problemas enfrentados pela família eram a exclusão e a dificuldade de socialização. Porém, Eduarda ganhou uma nova história. Eduarda tem um comportamento diferente das demais crianças. Fala com dificuldade e não interage com os colegas, sendo alvo de deboche. Aconselhada pela diretora, a mãe procura ajuda médica. O diagnóstico é autismo. Com esse laudo, a menina é excluída dos colégios, e a mãe aciona a Justiça para a filha ter o direito de estudar. Ela vence a ação, e a escola disponibiliza uma monitora para auxiliar a criança. Rejeitada, Eduarda cresce triste e dependente. Ao conhecer a Igreja da Graça, Rosemary aceita Jesus e busca uma solução para o caso. ARQUIVO PESSOAL Rosemary escreve o nome da filha no Projeto de Vida, e Deus reescreve a história da menina. Eduarda começa a desenvolver a fala, os tiques neurológicos desaparecem, e ela recebe alta médica. Hoje, a criança canta, evangeliza, toca piano e violino e estuda normalmente. PROTAGONISTAS: PARTICIPAÇÃO: ASSISTENTE: ROTEIRO E PRODUÇÃO: FOTOS: ARTE: EDITORA: Felizes, as duas vivem na presença do Pai e são membros da IIGD.

[close]

p. 5

MILAGRESSHOWdaFÉ OUTUBRO DE 2017 B1 TUDO QUANTO PEDIRES A DEUS, DEUS TO CONCEDERÁ (João 11.22 – parte b). Foram 20 anos de agonia Missionário R. R. Soares O que o inimigo pode fazer na vida de quem é de Jesus? Nada. Por que tanta gente se deixa levar pelas mentiras do maligno e, com isso, sem saber, faz outras pessoas terem medo dele? Cristãos, acordem! Temos de dar testemunho da ressurreição do Senhor com grande poder. A sua fé nunca crescerá fora da Palavra do Senhor, e sim na sua confissão da Verdade. Seja ousado e faça a obra que o Mestre faria, se estivesse em seu lugar. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo (Atos 2.21). Artrose comprometia cada dia mais os joelhos de Antonia, que parou até de trabalhar O’hara Santos oharasantos.showdafe@gmail.com Os joelhos de Antonia Ferreira de Souza inchavam e doíam demais, impedindo-a de andar normalmente. O problema começou há mais de 20 anos, quando sentiu as primeiras fisgadas enquanto trabalhava. “As dores surgiram pelo fato de me ajoelhar para limpar a casa dos meus clientes”, revela a diarista. Diagnosticada com artrose, conforme o tempo passava, a enfermidade comprometia ainda mais os movimentos de Antonia. Com isso, ela deixou de trabalhar e deu início a um tratamento. “Tomava medicamentos, mas continuava na mesma situação. O alívio era passageiro, e as dores logo voltavam. A dificuldade de caminhar aumentava a cada dia, e precisei largar a faxina”. vSpaealncerauifíacio SOLMAR GARCIA No entanto, como Antonia necessitava de uma renda para ajudar no orçamento familiar, decidiu passar roupa para fora. “Achava que, assim, não movimentaria tanto as pernas. Porém, a minha situação só piorava”. Cansada de sofrer, Antonia buscou o socorro de Deus na reunião do Missionário R. R. Soares. “Levei uma hora e meia de ônibus para chegar à Igreja, mas o sacrifício valeu a pena. No momento da oração, supliquei pela cura ao Senhor e comecei a sentir um ca- lor nos joelhos. Depois, a dor cessou. Hoje, an- do sem limitação e traba- Acabou a agonia. Devo is- lho com tranquilidade. so a Jesus”.

[close]

p. 6

B2 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 Joelho “queimava” como pimenta Para se livrar de um problema no joelho esquerdo, o qual o atormentava havia mais de seis meses, Vicente Luiz Duarte decidiu participar do culto na Igreja da Graça. “Já estava difícil sair de casa, pois, muitas vezes, não conseguia firmar o passo e andar direito. Além disso, à noite, quando ia dormir, meu joelho queimava igual à pimenta”. Com sacrifício, ele foi para o encontro de fé ministrado pelo Missionário, crendo que o tormento chegaria ao fim. “Fui decidido a mudar a minha história. Ao determinar a cura durante o clamor, as dores acabaram. Ando normalmente e trabalho em paz, graças a Deus”. Escada não é mais problema Recentemente, Maria Zezilha Dias sofreu uma queda perto de sua residência, atingindo, em cheio, os joelhos. “Fui ao mercado comprar alguns ingredientes para o almoço e, na pressa, acabei tropeçando na calçada. Chorei de dor”. Desde então, Maria tinha dificuldades de subir as escadas do prédio onde reside, além de sentir dor. “Tomava vários medicamentos, mas continuava na mesma situação. Diante disso, aceitei o convite da minha filha para participar do culto do Missionário”. Quando o pregador perguntou quem estava com problemas nos membros inferiores e disposto a receber uma oração, ela foi à frente do altar e uniu a sua fé à do líder da IIGD. “Após a intercessão, fiquei curada. Subo e desço as escadas de onde moro várias vezes, sem meus joelhos doerem. Agora, eles estão fortalecidos”. SHOWda FÉ SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA Vitória começou pelo celular SOLMAR GARCIA Maria José da Silva é portadora de poliomielite e, há três anos, tentava combater uma extrema agonia nos joelhos. “Sentia uma dor terrível, e, geralmente, eles ficavam inchados. Por causa do enfraquecimento do local, também caía com facilidade. Segundo um especialista, eu estava com artrose e artrite”. Maria afirma ter feito vários tratamentos, mas sem êxito. A esperança da cura veio quando ela recebeu, pelo celular, um convite para participar da reunião de R. R. Soares. “Fiquei radiante. Chamei meu esposo, e fomos juntos, crendo no milagre de Deus”. O Altíssimo moveu Suas mãos sobre a vida de Maria e a livrou das dores. “Participei até da marcha da vitória. Foi um alívio. Devido à paralisia que tive na infância, não ando como as demais pessoas, mas meus joelhos pararam de doer. Estão resistentes, e não caio mais”.

[close]

p. 7

SHOWda FÉ Andava com dificuldade O’hara Santos oharasantos.showdafe@gmail.com H elio Alves Ferreira padecia de dor na coluna havia seis anos. O sintoma era proveniente do grave acidente sofrido em dezembro de 2011. “Estava trabalhando em um prédio quando me desequilibrei e despenquei de uma altura de 11 metros. Acredito que só estou vivo porque Deus me amparou, amortecendo a minha queda”. Ele credita ao Senhor a posição inexplicável como caiu (nem em pé nem deitado) e o fato de ter ficado lúcido o tempo todo. “Chegaram a me dizer que, se eu tivesse caído em pé, certamente teria fraturado todos os ossos ou, até mesmo, morrido”, lembra-se Helio, cuja recuperação surpreendeu quem viu o acidente e os especialistas. A Chave da vitória Porém, as marcas na coluna, resultado da queda, permaneceram. “Os tratamentos e os medicamentos eram incapazes de acabar com a dor. Ela se intensificava e me deixava andando com dificuldade quando eu fazia algum esforço intenso”. Cansado desse sofrimento e convicto de que o Altíssimo é a Chave da vitória, Helio foi à reunião do Missionário buscar o mila- gre. “Assim como o Senhor me livrou da morte naquele acidente, Ele daria fim a essa sequela. Ao orar, senti uma queimação nos ossos, e a dor sumiu. Hoje, faço qualquer atividade”. B3 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA Sofrimento de três décadas chega ao fim Durante mais de 30 anos, Cleuza Alves Viana conviveu com terrível dor na coluna, tendo problemas ao se abaixar e fazer os serviços domésticos. “Os medicamentos funcionavam apenas como paliativos. Nada resolvia essa situação, mesmo eu seguindo à risca todas as recomendações médicas”. Na esperança de acabar com aquele sofrimento, Cleuza buscou socorro no Senhor, o Médico dos médicos, na reunião de R. R. Soares. Ela diz ter sido sacrificante chegar ao encontro, pois a coluna doía bastante no dia. “Consegui alcançar a cura almejada. Após a oração, eu me senti maravilhosa. Consigo me abaixar normalmente e levantar os braços, movimentos impossíveis antes. O segredo para receber o milagre é crer, pois Deus está vivo e faz tudo no tempo dEle. Só posso louvá-Lo pelo que fez na minha vida”. ENTRADA GRÁTIS Missionário R. R. Soares Venha receber a sua bênção IIGD Newark, New Jersey – 416 New York Ave Newark, NJ – Igreja: (973) 494-5544 Pr. Moises Peres – newark@iigdusa.com Reuniões: Quartas e sextas-feiras – 8 pm Domingos – 10am

[close]

p. 8

B4 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SHOWda FÉ “O Senhor lhe dará o escape” Além de fazer essa afirmação, R. R. Soares também ensinou o caminho da vitória SOLMAR GARCIA “Estamos atingindo 173 nações. Você nunca deve ter ouvido falar o nome de muitas delas”, disse o Missionário, referindo-se ao trabalho evangelístico da Igreja Internacional da Graça de Deus. Como demonstração desse resultado positivo, convidou o Pr. Isaque Hattu para falar sobre a evangelização na Indonésia (localizada entre a Ásia e a Oceania). “Pelas redes sociais, esse ministério tem alcançado e abençoado milhares de vidas, e os testemunhos brasileiros têm sido exemplos da grandeza de Deus para os indonésios”, disse o pastor, destacando o fato de o país ter mais de 17.500 ilhas, embora apenas seis mil delas estejam habitadas. Após os comentários sobre as maravilhas de Deus mundo afora, R. R. Soares ensinou aos participantes das reuniões como alcançar as bênçãos. “O Senhor tem muita coisa boa para você. Ele estenderá as mãos e o abençoará. Fique atento ao que o Espírito Santo lhe falar neste momento. Se você está em um beco sem saída, ore com fé, porque o Senhor lhe dará o escape e a libertação”. SOLMAR GARCIA Lençol não é mais problema O ensinamento levou diversas pessoas a lançarem sua confiança em Jesus, recebendo o milagre esperado. Antônio Radatz é uma delas. Ele ficou livre de um problema na coluna. “Eu sofria de fortes dores havia três meses e tinha dificuldade de caminhar e movimentar os braços. Era complicado até tirar um simples lençol de cima de mim. Nem conseguia dormir direito. Passei noites em claro”. Como os tratamentos não lhe proporcionavam o resultado desejado, Antônio recorreu à fé. Pela televisão, soube da reunião e decidiu ir ao culto. O filho o levou de carro, pois Antônio não podia pegar condução. “No momento da oração, usei a fé e fiquei livre das dores. Andei perfeitamente, levantei os braços e bati palmas, algo impossível de fazer antes de Jesus me curar”. Hoje, Antônio se considera outra pessoa e pratica as atividades deixadas de lado em razão da enfermidade. “Voltei a cuidar das minhas chácaras. Inclusive, carreguei madeira sem sentir dor alguma. Também estou dormindo bem e não tenho mais dificuldade de retirar o lençol”. Eliana Maria Gomes de Almeida padecia de insuportáveis dores na coluna. O problema irradiava para as pernas, impossibilitando-a de andar normalmen- “Eu corria risco de perder os movimentos” te. “Isso começou há cinco anos e era consequência de um desvio. Nem conseguia cuidar da casa e quase não dormia, principalmente durante as crises”. A enfermidade era crônica, e seu médico recomendou-lhe uma cirurgia. “Segundo ele, eu corria risco de perder os movimentos. Porém, antes de fazer a operação, decidi recorrer ao poder do Senhor”. Colocando a fé em ação, Eliana anulou o prognóstico e recuperou a saúde. “O Deus vivo me curou. A dor desapareceu, e recuperei os movimentos das pernas. Ando bem, já lavo e passo roupa e cuido de toda a casa. Minhas noites de sono são tranquilas”.

[close]

p. 9

SHOWda FÉ B5 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SOLMAR GARCIA Coluna parou de torturá-la SOLMAR GARCIA “Sentia minhas articulações queimarem” O problema na perna de Risalva Feitosa era causado pela artrite, e isso a deixou praticamente sem mobilidade por uma década AClaudia Santos claudia.jornalshowdafe@gmail.com Quando não aguentava ficar em pé, Risalva se sen- intensa dor na perna tava em qualquer lugar na esquerda, em virtu- rua. “Esperava a perna pa- de da artrite no joe- rar de doer. As tarefas do- lho, tirava a paz de Risalva mésticas eram feitas lenta- Feitosa da Silva. “Segundo mente. Se fizesse esforço a o médico, eu teria de con- mais, sentia minhas articu- viver com esse sintoma, lações queimarem”. que se estendia até o qua- Foram dez anos de sofri- dril. Meus movimentos pa- mento, até Risalva desco- reciam presos. Eu andava brir, no poder do Altíssimo, devagar e parava frequente- a solução não encontra- mente para descansar”. da na Medicina. Durante a reunião do Missionário R. R. Soares, ela clamou pelo milagre. “Apesar de chegar ao culto me arrastando, mancando e com os joelhos ardendo, eu estava com muita fé. E, ao participar da oração, Jesus me curou. Agora, ando na rua tranquilamente e com firmeza. Também pego ônibus e subo escada, ações difíceis de realizar no passado”. Maria Solimar Lima Silva conviveu dez anos com dor na coluna, tendo de caminhar escorada nas paredes ou em alguém. “Era uma tortura. Às vezes, nem conseguia ficar sentada ou em pé. Os medicamentos receitados pelo médico de nada adiantavam”. Por isso, quando soube do culto de R. R. Soares, decidiu aproveitar a oportunidade de ser abençoada pelo Altíssimo. No entanto, no dia, quase desistiu de ir ao encontro de fé. “Minha filha estava prestes a ganhar bebê e precisava da minha companhia, pois ela não podia ficar sozinha. Porém, meu genro resolveu faltar ao trabalho para que eu fosse à Igreja, de onde saí vitoriosa”. Após o clamor, Maria relata: a coluna parou de doer milagrosamente. “Agora, ando sem transtorno algum. Acabou a tortura. Faço de tudo dentro de casa e com bastante disposição. Estou até passeando, atividade interrompida há muito tempo”. O mundo precisa ver cada cristão agindo com destemor, firme nas promessas e exigindo seus direitos em Cristo. É mau testemunho ficar contando seus problemas não só aos perdidos, mas também aos salvos. O Senhor nunca está ocupado para deixar de dar ouvidos a quem clama a Ele. Levante-se agora, na sua posição de filho de Deus, e repreenda toda ação do diabo, exigindo que saiam da sua vida doença, dor, enfermidade, problemas, opressões e demais obras do mal. SENHOR, meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste (Salmo 30.2).

[close]

p. 10

B6 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SHOWda FÉ Recuperou a independência MARCOS AC MARCOS AC Claudia Santos claudia.jornalshowdafe@gmail.com Um acidente ocorrido há 12 anos modificou a vida de Ilma Aparecida Soares. Na época, ela quebrou a tíbia, necessitando de nove pinos na perna esquerda, mas, ainda assim, não se recuperou completamente. “Fiquei, durante dois anos, me locomovendo com a ajuda de uma cadeira de rodas. Depois, passei a usar muletas. Sentia muita dor. Precisava de auxílio para cozinhar, cuidar da casa e até tomar banho”. Depender dos outros a deixava triste e revoltada. “Tomava vários medicamentos na esperança de ficar boa e voltar a ser independente, mas em vão. Às vezes, nem sequer conseguia colocar o pé no chão. Quando tive uma pequena melhora, larguei as muletas”. Porém, as dores continuaram prejudicando sua locomoção, e ela andava se escorando nas paredes, nos móveis ou em alguém. “Fiquei mais de três anos sem poder ir à rua sozinha”. Ilma só conseguiu recuperar a autonomia após usar a fé. “A minha perna parou de doer. Agora, caminho normalmente, sem me escorar, graças a Jesus”. Pernas leves como plumas MARCOS AC Raimundo Calisto da Silva sentia dor nas pernas havia quatro anos. Esse sintoma o obrigou a parar de trabalhar como motorista. “Tinha a sensação de carregar pesos sobre elas, pois viviam pesadas, atrapalhando qualquer movimento, principalmente andar”. Em virtude dessa enfermidade, ele deixou de praticar suas atividades físicas. “Fiquei impossibilitado de jogar a minha bolinha e fazer caminhadas. Apesar dos meus 75 anos, sou bastante ativo. Porém, as dores tiravam a minha disposição. Também era difícil encontrar uma posição para dormir sossegado”. Como os tratamentos eram ineficazes, o moto- rista apelou para a fé em Jesus, alcançando a vitória. “Voltei a jogar bola, caminhar e correr como se nunca tivesse parado. Minhas pernas estão leves como plumas, e já estou trabalhando novamente”. Acabou o sofrimento “Minhas pernas eram travadas, e a coluna doía incessantemente. Usava boa parte do meu dinheiro em medicamentos e sessões de fisioterapia, porém sem resultados satisfatórios. Dependia da ajuda do meu esposo para tudo, pois nem sequer conseguia varrer a casa”. Essa declaração de Julia Coelho de Paula mostra como os últimos tempos foram complicados. Segundo ela, quando insistia em lavar louça ou cozinhar, o sofrimento aumentava. “Demorava fazendo qualquer serviço, pois parava a toda hora para descansar. Resolver as coisas na rua era outro martírio. Às vezes, a dor era tão forte, que eu ia correndo para o hospital”. Ao ver pela televisão que o Missionário realizaria um culto próximo à residência dela, Julia decidiu participar do encontro e tomar posse da bênção. “Fui uma das primeiras a chegar e saí curada. Já cozinho e cuido da casa sozinha. Cristo acabou com aquele sofrimento”. Somente Deus pode livrar alguém da capacidade do inimigo de oprimir. ENTRADA GRÁTIS Missionário R. R. Soares Venha receber a sua bênção IIGD POMPANO BEACH – 1261 East Sample Road Pompano Beach, FL 33064 – Igreja: (954) 785-3699 Pr. Willian Sodré – pompano@iigdusa.com Reuniões: segundas, quartas e sextas-feiras – 7:30pm Domingos – 10am e 7pm

[close]

p. 11

SHOWda FÉ OUTUBRO DE 2017 B7 CAMPANHAS DE FÉ E LOGO SE LHE ABRIRAM OS OUVIDOS (Marcos 7.35 – parte a). SOLMAR GARCIA Missionário R. R. Soares Jesus ofereceu um único sacrifício pelos pecados de todos, por isso você não tem de se sacrificar para se livrar do seu erro. Depois de ter feito a obra redentora, Cristo Se assentou à direita do Pai. Para se livrar de qualquer erro, basta confessar os seus pecados, pois o Senhor é fiel e justo para lhe perdoar e purificá-lo de toda iniquidade. Aproveite este momento, acerte- -se com Deus e creia que nada mais pode separá-lo dEle. Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar- -te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes (Jeremias 33.3). Surdo de nascença, agora, ouve O’hara Santos oharasantos.showdafe@gmail.com José Aparecido Rodrigues ficou extremamente emocionado ao ouvir pela primeira vez. “Tomei um susto quando ele começou a me cutucar e falar que seus ouvidos estavam abertos. Fomos surpreendidos pelo poder de Deus”, diz seu irmão, Paulo Rodrigues. José era surdo de nascença e levou mais de seis décadas pa- ra descobrir que o mundo é um lugar barulhento. O milagre aconteceu no culto do Missionário R. R. Soares. Paulo levou José para a reunião. “Há alguns meses, eu o convidei para outro evento da Igreja da Graça, mas ele não quis ir, pois era em outro estado. No entanto, agora, perto de casa, aceitou participar, foi abençoado e está tremendamente alegre”, afirma Paulo, feliz. A prova da cura Ao conversar com o Missionário, ficou comprovado que José estava ouvindo perfeitamente. “Se você está me escutando bem, repita: um, dois, três e quatro”. Apesar da dificuldade na fala, devido aos anos de surdez, ele repetiu todas as pala- vras, sem titubear. Além disso, pronunciou papai e mamãe, também a pedido do líder da Igreja da Graça. No final do bate-papo, ele falou “aleluia”, agradecendo a Jesus pela bênção alcançada. “Se eu levar José para os Estados Unidos, em seis meses, ele estará falando inglês igual ao norte-americano. Se for para a China, falará mandarim fluentemente. Ele é como um bebê recém-nascido que está aprendendo a pronunciar cada palavra”, ressaltou R. R. Soares após a conversa. De acordo com Paulo, a falta de audição deixava o irmão nervoso. Ele está mais calmo e se adaptando a essa nova vida de sons aos 67 anos. “José escuta qualquer barulho dentro de casa e tudo o que falamos. Devo isso ao Senhor Jesus, que fez o impossível acontecer”.

[close]

p. 12

B8 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SHOWda FÉ SOLMAR GARCIA Dia da independência espiritual No dia 7 de setembro, milhares de pessoas lotaram a Praça Cairu, em Salvador, com o propósito de serem libertas dos males que as assolavam O’hara Santos Ooharasantos.showdafe@gmail.com feriado do Dia da Independência do Brasil foi marcante para os milhares de baianos, participantes do evento Vencer, Vencer e Vencer. A reunião, ministrada pelo Missionário R. R. Soares, aconteceu na Praça Cairu, próxima ao Elevador Lacerda, um dos mais conhecidos cartões-postais de Salvador. Nem mesmo a chuva conseguiu atrapalhar a chegada das pessoas ao encontro de fé. Nele, elas aprenderam a decretar sua independência frente às forças do mal, causadoras de doenças, dificuldades financeiras, vícios e conflitos na família. Na ocasião, o pregador ensinou como ficar livre das dificuldades. Para isso, utilizou a passagem de Isaías, capítulo 61, versículo 3:  A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, veste de louvor por espírito angustiado, a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do SENHOR, para que ele seja glorificado. “Sião simboliza a Igreja, e Jesus não quer ninguém triste nela. A tristeza citada em Isaías é do coração. Ela se instala quando alguém não consegue a cura da enfermidade nem saída para a situação financeira desfavorável, que o impede de cumprir seus compromissos. Em alguns casos, o lar está dissolvido, devido à entrada de outra pessoa, deixando o cônjuge triste e sem saber a forma de agir”. De acordo com o Missionário, tais situações não são vencidas orando e murmurando dia e noite, como fazem os religiosos, desconhecedores da Palavra. “Nós, que a enten- demos, temos de ordenar, determinar, estabelecer, decretar, fazê-la se cumprir em nossa vida. Assim, enfermidades, miséria e demais problemas desaparecerão, e teremos alegria”. “Dependia da cadeira de rodas para me locomover” SOLMAR GARCIA Após a mensagem, R. R. Soares realizou um clamor com aqueles que desejavam se arrepender de seus pecados e aceitar Jesus como Senhor e Salvador. Em seguida, ministrou a oração da fé, e muitos deram seu “grito de independência” sobre todo o mal. Esse som ecoou nos Céus, fazendo o Todo-Poderoso os abençoar. Uma das pessoas alcançadas pelo poder divino foi Rita de Cássia Santos. No ano passado, um acidente vascular cerebral a fez perder alguns movimentos do corpo, principalmente dos membros superiores e inferiores. “Com os tratamentos, voltei a mexer os braços. Porém, ainda precisava da cadeira de rodas para me locomover”. Segundo Rita, embora tenha sido um sacrifício chegar à reunião, ela mantinha a esperança de ser curada. “Fui decidida a dar uma basta na situação e, graças a Deus, voltei a andar normalmente”. Além de caminhar com desenvoltura pelo palco do evento, ela subiu e desceu as escadas do local, sem limitação. “Foi um milagre. Vou estacionar a cadeira de rodas para sempre, em Nome de Jesus”, garantiu, feliz ao deixar o encontro de fé.

[close]

p. 13

SHOWda FÉ B9 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA “Ele está ótimo” Em novembro de 2012, Hinoan Silva das Mercês foi atropelado, e as marcas do acidente ficaram por todo o corpo dele. “Tive perda de memória e andei de cadeira de rodas durante um tempo. Depois, usei andador e muleta. Ultimamente, eu me apoiava nas paredes ou nas pessoas”, diz. Hinoan também teve a fala comprometida. Sem obter respostas positivas na Medicina, mas con- fiando no poder divino para curá-lo, Hinoan pediu à sua irmã Eliana Silva que o levasse à reunião na Praça Cairu. “Cheguei ao evento mancando, totalmente dependente da minha irmã, ruim mesmo. Porém, depois da oração, fiquei bem e pude andar sem apoio algum. A Palavra de Deus é transformadora”. Eliana, testemunha ocular da milagrosa recuperação do irmão, confessa ter fica- do surpresa com a mudança do irmão. “O estado de saúde do Hinoan era bem crítico. No entanto, agora, ele anda sem apoio nenhum. No dia seguinte ao evento, até subiu ladeira. Também se levanta sozinho da cama; antes, precisava da nossa ajuda. É outra pessoa, inclusive a voz dele melhorou. Ele está ótimo. Estamos comemorando muito o que Deus fez por ele”. SOLMAR GARCIA Andando sem mancar Cristina Carrilho Carvalho de Argolo também proclamou o fim do tormento, sendo abençoada na Praça Cairu. “Estava certa de que este feriado entraria para a minha história, pois seria curada das dores que me impediam de andar direito”. Há três anos, ela torceu o tornozelo. A sequela a fazia mancar. “Minhas pernas viviam inchadas. Eu estava me sentindo péssima no dia do evento. Foi um sacrifício chegar à praça, mas Jesus ouviu a minha oração. Ele me curou”, afirma, após ser abençoada, caminhando no meio da multidão. Não precisa mais da bengala Entre uma viagem e outra no transporte público da cidade onde mora, Edna Maria de Jesus caiu dentro do ônibus, quando o veículo passava em alta velocidade, em um quebra-molas. “Bati com as costas no banco e, desde esse dia, tive dor na coluna e na perna direita. Fiz vários tratamentos, mas o problema persistiu”, diz ela. Edna chegou à praça mancando e de bengala. “Foi difícil, porém Jesus me tirou daquele sofrimento. Quando o Missionário disse: ‘Quem tem fé em Deus vai ser curado’, determinei o fim das dores, e o Senhor me atendeu”. Após o milagre, Edna caminhou tranquilamente e foi até o palanque contar seu testemunho. “Minha perna parecia presa, mas, agora, está solta”, afirmou ao líder da Igreja da Graça, andando com a bengala nos ombros. Tranquila e feliz Desde 2014, um problema na perna esquerda deixava Rita de Cássia Martins infeliz. “Após uma cirurgia, fiquei com uma dor crônica. Esse sintoma me impedia de cuidar da minha casa direito. Eu estava no meio da multidão com aquela agonia na perna. No entanto, ao invocar o poder do Senhor, fui curada”. Hoje, Rita está bem. “Alcancei o socorro divino e ando perfeitamente. Eu me sinto leve, tranquila e feliz, graças a Jesus”. Em todas as provas, não se esqueça de que nada pode separá-lo do amor de Deus.

[close]

p. 14

B10 ANO 4 - Nº 45 - USA - Outubro de 2017 SHOWda FÉ SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA Agora, tem colo para o filho Não poder segurar seu menino era a maior tristeza de Ana Carla, que sofria de forte dor na mão Com formigamento, inchaço e dor na mão direita, Ana Carla dos Santos tinha dificuldade para segurar qualquer objeto. “O que eu pegava escapulia, pois me faltava força. Perdi a conta das panelas de comida caídas. O problema começou de repente. E, apesar de fazer os tratamentos recomendados pelo especialista, inclusive fisioterapia, eu não melhorava”. Nem o celular ela conseguia segurar. Só usava o aparelho no viva-voz. “Sentia-me angustiada com aquela si- tuação. Porém, estar impossibilitada de brincar e pegar o meu filho de seis anos no colo era a minha maior tristeza”. Sem resultados positivos pela Medicina, Ana apelou para a fé em Jesus. Ao saber pela televisão que o Missionário R. R. Soares faria um culto próximo a sua residência, ela resolveu buscar a cura. “Fui confiante e fiquei livre daquela enfermidade. Minha mão está ótima. Tenho força para segurar objetos e colocar meu filho no colo. Ele é a minha maior alegria”. SOLMAR GARCIA SOLMAR GARCIA “Parecia ter uma orquestra de grilos no meu ouvido” Há 38 anos, Teresinha de Jesus de Aguiar Lemos sofreu um acidente, e isso afetou seu ouvido direito. “Ele doía demais. Segundo o otorrino, em razão da pancada, meu tímpano estourou. Além de alguns tratamentos, ele recomendou evitar friagem e tomar cuidado ao lavar o cabelo, para a água não cair no ouvido. Seguia à risca tais recomendações, mas o problema persistiu durante todos esses anos”. Além da dor, Teresinha ficava transtornada com os zumbidos na cabeça. “Parecia ter uma orquestra de grilos no ouvido, em eterna sinfonia, principalmente à noite. Isso prejudicava o sono”. Hoje, no entanto, as noites de Teresinha são de sono tranquilo, pois Jesus a curou. “Louvado seja o Nome do Senhor. Ele demitiu aquela orquestra, sarou o meu ouvido e me concedeu qualidade de vida”. SOLMAR GARCIA Faxinando e cozinhando As mãos de Carminda Alves Souza Lopes doíam havia mais de 20 anos. O problema teve início quando ela estava terminando a obra de casa e precisava pegar vários baldes de água todo dia. “Começou nos dedos e atingiu rapidamente as mãos. Tinha a sensação de levar constantes ferroadas. Era impossí- vel lavar louça, pegar alguma panela ou cozinhar”. Limpar a casa também era difícil. Tal situação a deixava triste. “Os tratamentos eram incapazes de acabar com meu sofrimento, então recorri ao Todo-Poderoso, e Ele me curou. Hoje, cozinho, lavo roupa e louça e faço faxinas pesadas sem dor alguma”. Convite da irmã mudou a vida dela Ivonete Monteiro Mota aceitou o convite da irmã para participar do culto do Missionário e se livrou das sequelas da chikungunya, com as quais sofria havia um ano. “Sentia forte dor no meu braço direito, e esse problema me impedia de pentear o cabelo, tomar banho e cuidar da casa”. Até no momento de se alimentar Ivonete tinha dificuldade. “Precisava de ajuda para colocar a comida na boca. Minha rotina era um constante sofrimento, pois meus movimentos estavam limitados. Gastava dinheiro com medicamentos, mas sem êxito. No entanto, encontrei a solução. Jesus me curou. Sou outra pessoa. Estou fazendo tudo o que não podia”. Tornou-se ajudante de pedreiro após a cura O braço esquerdo de Eliete Maria Ramalho da Silva doía havia mais de oito anos em razão da artrite e artrose. “A dor ia até o cotovelo e voltava para as juntas. Era difícil fazer qualquer atividade”, diz ela, que orou com fé, determinando a cura, e foi abençoada. “Boazinha”, como se considera atualmente, Eliete voltou às tarefas cotidianas. “Já limpei a vidraça da cozinha. Também ajudo meu marido a encher os baldes de massa para finalizar mais um quarto que ele está fazendo em nossa casa”. ENTRADA GRÁTIS Venha receber a sua bênção IIGD BOSTON – 85 Washington Street Somerville, MA 02143 Igreja: (617) 996 9194 Pr. Glauber Morare – somerville@iigdusa.com MISSIONÁRIO R. R. SOARES Segundas, quartas e sextas-feiras – 8pm Domingos – 10am e 7pm

[close]

p. 15

SHOWda FÉ OUTUBRO DE 2017 B11 LIBERTAÇÃO SOLMAR GARCIA EIS QUE DEUS NÃO REJEITARÁ AO RETO; NEM TOMA PELA MÃO AOS MALFEITORES (Jó 8.20). O passado o condenava Missionário R. R. Soares Missionário R. R. Soares Deus não pode restaurar a sua comunhão com Ele, levando-o a agir como despenseiro de Suas bênçãos, se você não Lhe permitir. A sua palavra deve sempre ser sim, sim ou não, não; o que passa disso vem do maligno. Somente quem fala a verdade manifesta a justiça. Mesmo que a sua confissão lhe traga vergonha e prejuízo, faça-a. Busquei ao SENHOR, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores (Salmo 34.4). Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com Você saberia dizer como foi o passado de Ângelo Colli? O olhar cândido e a fala mansa definiriam o perfil de um homem praticante de bastante coisa errada? Alguém seria capaz de dizer que, até os 42 anos, ele vivia de forma libertina, sendo paquerador, fumante, consumidor de bebida alcoólica e fã de programas eróticos? “Consumia quase três maços de cigarros por dia. Além disso, ficava desesperado quando o bar estava fechado. Às vezes, bebia demais, a ponto de perder a noção e fazer vergonha”, diz ele, que destinava as madrugadas para ver programas eróticos na TV. “Aquilo me dava prazer. Porém, em uma dessas noites, tudo mudou, e, no lugar daquele tipo de programação, entrou um pastor pregando. Era o Missionário R. R. Soares. Troquei de canal, mas ele estava lá também”. Avesso aos crentes, Ângelo se irritou. “Tirei o som do aparelho, mas fiquei vendo a imagem”. A vida errada continuou, até que, dois anos depois, viu o anúncio da estreia do programa do Missionário em uma emissora e o reconheceu. No dia marcado, lá estava ele assistindo à TV. “Quando ouvi a Palavra, meu coração se alegrou”. Dali em diante, Ângelo que era diferente e quis continuou acompanhando permanecer”. a programação. “Era disso No entanto, para que que eu precisava, pois ninguém soubesse de seus vinha questionando minhas novos hábitos, ele apagava antigas práticas religiosas. as luzes de casa, deixava Nunca percebi mudança, o som bem baixinho e mas, dessa vez, senti fechava as cortinas. A cada programa, o Missionário falava algo semelhante à vida de Ângelo. “Em um deles, o pregador revelou: ‘Você, que fechou a cortina, apagou as luzes e baixou o som da televisão para seu vizinho não ouvir o canal’. Eu fiquei com os olhos arregalados, coloquei a mão no queixo, e ele continuou: ‘Você mesmo, que colocou a mão no queixo: levantese, rapaz, tome uma atitude!’. Então, percebi ser coisa de Deus”. A mudança – No dia seguinte, Ângelo procurou uma Igreja da Graça. “A essa altura, eu já estava convicto da minha conversão ao Senhor. Isso aconteceu durante o programa do Missionário. Parei de beber e fumar e nunca mais levei uma vida promíscua. Aliás, parece que nada disso existiu. Quando Deus dá a direção usando a Sua Palavra, é só colocá-la em prática”, finaliza ele, pastor auxiliar na Igreja da Graça.

[close]

Comments

no comments yet