Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

Outubro de 2017 Foto: ALESP O jornal mais lido e aguardado entre os policiais civis - Ano XXIII - Outubro de 2.017 - nº 248 SAIA JUSTA NA ALESP Deputado Delegado Olim fez duro discurso durante sessão solene alusiva ao Dia da Polícia Civil na Assembleia Legislativa do Estado. Diante do secretário da Segurança Pública e do DGP, ele não poupou críticas aos gestores da Polícia Civil. Enquanto isso, em campanha, Alckmin anuncia mais 588 novos policiais civis, porém apenas 249 virão para 605 cidades do interior. O presidente do Sinpol acusa o governo de politicagem e descaso. Leia na página 09. MORRE DR. ANTONIO CHAVES MARTINS FONTES Foto: Arquivo E MAIS 4 Jurídico do Sinpol obtém mandado de segurança coletivo contra mensagem de Seccional; 4 Jarim Lopes Roseira é homenageado na ALESP; 4 DISE São Carlos apreende drogas e prende traficantes; 4 Em Radar e Parabólica, saiba como foi o trabalho de policiais civis da região; 4 DISE Franca apreende drogas avaliadas em R$ 50 mil; 4 Policiais civis de Bebedouro prendem 10 durante Operação Primavera; 4 Operação da DISE de Araraquara resulta em apreensão de 175 quilos de drogas; 4 DIG de São Carlos esclarece homicídio de adolescente. POLICIAIS CIVIS DE SÃO SIMÃO SOLUCIONAM HOMICÍDIO Em mês bastante movimentado, equipe da Polícia Civil de São Simão concluiu investigação de homicídio cometido em 2015. Em outra ação, flagraram e prenderam grupo especializado em furto de combustível. Também esclareceram autoria de tentativa de homicídio. Saiba mais nas páginas 10 e 11. Foto: Arquivo Ex-delegado Seccional e Regional de Ribeirão Preto e ex-diretor do Decap, dr. Tonhão, como era conhecido, faleceu no dia 30 de setembro. Relembre a trajetória de um dos mais renomados policiais civis da região na página 08. Impresso Especial 9912250402 - DR/SPI Sinpol CORREIOS SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto Rua Goiás, 1.697 - Campos Elíseos - Ribeirão Preto - SP CEP: 14085-460 - Fone: (16) 3612-9008 Fone Jornal: (16) 3610-2886 - jornaldosinpol@uol.com.br

[close]

p. 2

02 FRANCA Outubro de 2017 DISE APREENDE 50 MIL EM DROGAS Trabalho investigativo da especializada resultou na prisão de duas pessoas envolvidas com o tráfico na região do bairro Santa Hilda A DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Franca realizou uma ação que culminou com a prisão de dois homens envolvidos com o tráfico na periferia da cidade. A ação foi deflagrada após um intenso trabalho de investigação. A equipe, comandada pelo dr. Djalma Donizete Batista, já vinha monitorando os suspeitos há algum tempo, por manter uma biqueira em atividade no bairro Santa Hilda, periferia de Franca. Após levantamento da área, a equipe foi a campo no dia 21 de setembro. Os investigadores estiveram no local onde os traficantes eram vistos todas as tardes comercializando drogas. Assim que os dois foram identificados e localizados, os policiais civis realizaram a abordagem. Eles foram flagrados no momento em que saiam de um terreno baldio. Os policiais civis suspeitaram de que, no local, eles estariam escondendo a droga, para portar pequenas porções caso fossem abordados pela Polícia Civil. Ao notarem a presença das viaturas da DISE de Franca, os suspeitos iniciarm uma tentativa de fuga, mas foram imediatamente frustrados graças à agilidade dos policiais civis, que imobilizaram os suspeitos. Com a dupla, os policiais civis retornaram até o terreno baldio, onde fizeram uma busca pelo local. Não demorou e a equipe da especializada encontrou pedras de crack, porções de maconha e cocaína, além de dois tijolos de crack. Toda a droga foi apreendida e a equipe regressou à sede da DISE Franca com a dupla e o material encontrado. Após a pesagem, foi evidenciado que os policiais civis apreenderam cerca de dois quilos de crack. No terreno, os policiais civis também encontraram uma balança de precisão. Diante do dr. Djalma, os dois homens receberam voz de prisão em flagrante e foram encaminhados para uma unidade prisional, onde ficarão à disposição da Justiça. A droga apreen- dida foi avaliada pelos policiais civis em cerca de precisão. As drogas e objetos ligados ao encontrando o desempregado com cerca de de R$ 50 mil reais, o que representa um gran- tráfico foram apreendidos e o jovem foi preso 1.000 porções de cocaína, 153 pedras de de prejuízo ao tráfico na cidade de Franca, em flagrante, encaminhado para unidade crack, maconha e material para embalar dro- impingido pelos policiais civis da DISE. prisional, onde ficará à disposição da Justiça. ga. Mais um traficante preso 4º DP Os policiais civis do 4º DP de Franca en- No dia 19 de setembro, os agentes da DISE Em mais uma ação no combate ao tráfico de contraram também no guarda roupa do sus- de Franca já haviam realizado outra operação drogas, policiais civis do 4º DP (Distrito Polici- peito um tijolo de maconha, balança de preci- que resultou na prisão de um traficante. Logo al) de Franca realizaram uma importante apre- são, material para embalar e dinheiro oriundo pela manhã os agentes da especializada ensão, no dia 26 de setembro. Os policiais civis do narcotráfico. Ao ser interrogado, ele assu- flagraram um jovem de 20 anos que estava investigavam um homem de 32 anos, acusado miu ser o dono da droga. Foi levado então à comercializando porções de cocaína, maconha de tráfico na região do Jardim Aeroporto III, sede do 4º DP, onde recebeu voz de prisão e pedras de crack no Jardim Palmeiras, perife- periferia de Franca. em flagrante e foi encaminhado à Penitenciá- ria de Franca. Diante das evidências, obtiveram manda- ria de Franca, onde ficará à disposição da A equipe, coordenada pelo dr. Djalma, re- do de busca e apreensão e foram até o local, Justiça. cebeu denúncias sobre a existência de uma possível biqueira no bairro e, imedi- atamente, começaram a le- vantar informações. Com evidências indicando que a denúncia era procedente, os policiais obtiveram mandado de busca e apreensão e fo- ram até o local na manhã de 19 de setembro. Ao perceber a chegada dos policiais civis, o jovem traficante tentou fugir. Durante o pequeno trajeto da fuga, ele tentou desovar uma pe- quena sacola sobre o telha- do de uma residência. O ra- paz acabou detido e a saco- la foi recuperada. Nela, os policiais civis encontraram várias porções de cocaína, além de um tijolo de maco- nha. Em vistoria no local, em cumprimento ao mandado, os policiais encontraram mais porções de cocaína, pedras Foto: Polícia Civil de crack, tijolo de maconha, além de dinheiro e balança Droga apreendida pela equipe do 4º DP de Franca, que resultou na prisão de acusado de tráfico

[close]

p. 3

Outubro de 2017 BEBEDOURO POLÍCIA CIVIL PRENDE 10 Em ação conjunta, policiais civis realizaram Operação Primavera para combater tráfico de drogas na área da Seccional 03 Policiais civis que integram a DISE (Delegacia caso, o Juiz pode deliberar pela libertação de al- de Investigações Sobre Entorpecentes) de Bebe- guns ou de todos os investigados, ou pela conver- douro, com apoio de policiais civis de diversas dele- são de prisões em flagrante, decretando desta for- gacias da região, além de guarnições da Força ma as prisões preventivas dos suspeitos. Tática da Polícia Militar, realizaram no dia 28 de O oitavo preso na operação deverá permane- setembro uma operação com o objetivo de coibir o cer detido, uma vez que contra ele versava um tráfico de drogas e associação para o tráfico na área mandado de prisão temporária. Desta forma, ele da Seccional. Denominada Operação Primavera, a está dispensado da audiência de custódia. ação foi planejada para cumprir nove mandados de De acordo com a Assessoria de Comunicação busca e apreensão, além de um mandado de prisão Social, o nome escolhido para a operação é uma temporária expedidos pelo Juiz da 2ª Vara Criminal. alusão ao período em que foi realizada a mesma, De acordo com informações da Assessoria de qual seja o início da estação climática primavera, em Comunicação Social da Delegacia Seccional de Be- vigor desde o dia 22 de setembro. bedouro, as investigações começaram há mais de Em nota, a Assessoria informou também que o três meses e, desde então, em duas incursões dis- dr. Maurício Vieira da Silva, responsável pelo caso tintas, sendo uma realizada pela Polícia Civil no dia e titular da DISE Bebedouro explicou que as inves- 01 de setembro e a outra pela PM em 11 de setem- tigações apontaram e evidenciaram que estas 10 bro, ocasião em que policiais civis e militares apre- pessoas se vinculariam a três células criminosas dis- enderam cerca de 2,6 quilos de cocaína, 18 gramas tintas, que vinham atuando sistematicamente no trá- de crack e um quilo de maconha. fico de drogas em Bebedouro e região. Na manhã de 28 de setembro, com as investi- Com informações da Assessoria de Comuni- gações apontando no envolvimento de várias pes- cação Social da Delegacia Seccional de soas, o titular da DISE, dr. Maurício Vieira Silva re- Bebedouro alizou a Operação Primavera, contando com deze- nas de policiais civis e militares, que saíram às ruas e prenderam oito pessoas - seis homens e duas mulheres - que já vinham sendo monitorados e in- vestigados. Outros dois homens já haviam sido pre- sos anteriormente, na ação de 01 de setembro, re- alizada por policiais civis. De acordo com a Assessoria de Comunicação Social, além de diversos objetos e documentos, fo- ram apreendidos R$ 2.972 em dinheiro, que esta- vam em poder dos investigados. Os policiais civis também apreenderam um cartucho de munição ca- libre .50 e quatro veículos utilizados pelos acusados de envolvimento com o tráfico. Dos oito presos na Operação Primavera, sete deles seriam submetidos à chamada audiência de custódia junto ao Poder Judiciário da Comarca de Bebedouro, após serem autuados em flagrante. Neste Foto: Arquivo Acima, o titular da DISE Bebedouro, dr. Maurício Vieira Silva; abaixo, veículos apreendidos em poder de integrantes da quadrilha de traficantes

[close]

p. 4

04 EDITORIAL SOCORRO! Não dá mais. Só nos resta implorar por socorro. para concorrer à presidência da República - Deus nocauteado moralmente. Beijando a lona no seu O governo, definitivamente, largou mão dos policiais tenha piedade do Brasil. Sempre sorridente, mos- cotidiano estressante de realizar o trabalho seu e de civis. O desrespeito é visto por qualquer um. Dele- trando as mesmas viaturas novas de sempre em mais dois, no mínimo. Recebendo cada vez menos. gacias fechando, outras se amontoando para aten- cada lugar que vai. A hora de fazermos algo é agora. Vamos fazer der uma região cada vez maior, com menos recur- Agora está anunciando a formatura de 588 po- barulho em cada cerimônia onde nosso carrasco sos humanos. liciais civis. Mas, deste total, apenas 249 virão para Alckmin estiver presente. Vamos denunciar para Reajuste salarial? Há quatro anos não sabe- as 606 cidades do interior. O restante vai ficar na amigos, parentes, para a sociedade em geral. Va- mos o que é isso. Desolação. Essa é a palavra que Capital e Grande São Paulo. mos lutar por espaço na mídia, denunciando nossa define a Polícia Civil, dia após dia. Houve um tempo Ele só pode estar de brincadeira, dirão os dis- situação e mostrando que, apesar dos pesares, em que nossa insígnia era respeitada e temida. Hoje traídos. Não está não. Esse é o jeito PSDB de aca- estamos trabalhando em favor da população. temos que evitar mostrar nosso distintivo, pois pode bar com uma Instituição que, por décadas, figurou Vamos lutar contra a eleição deAlckmin à presi- ser motivo de risada ou de ataques gratuitos, pois como a melhor Polícia Judiciária do País. E, porque dência da República. Vamos lutar para que o PSDB até destituídos da autoridade fomos por um governo não dizer, da América do Sul. Atualmente somos a seja, de uma vez por todas, defenestrado do Palá- despótico. que pior remunera seu servidor. cio dos Bandeirantes. Precisamos de novos ares, Nem mesmo como protestar temos mais, afinal, Estamos sucateados, com viaturas sem manu- precisamos de vida. E só teremos isso com a união graças ao Supremo, a greve nos foi definitivamente tenção, armamentos que constantemente picotam de todos. A luta é nossa. proibida. Temos sim que nos manter unidos para durante ações. Coletes vencidos. Delegacias fecha- EUMAURI LÚCIO DA MATA combater essa situação. das por falta de pessoal. Outras juntadas para se Presidente do Sinpol (Sindicato dos Alckmin está, descaradamente, em campanha manter funcionando. E, o pior de tudo: policial civil Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto) Novos associados Associaram-se ao Sinpol em setembro os seguintes policiais civis: - Elizeu Pigossi, carcereiro de Bariri; - Assis José Aparecido Tasca, investigador de Sales Oliveira; - Rodrigo Sertório Rosas, escrivão de Ribeirão Preto; - Thamires Zarotti Machado, escrivão de Ribeirão Preto; - Natália de Souza Nunes, perita criminal de Ribeirão Preto; - José Orlando Ziani Júnior, agente polical de Aguaí; - Fabiana Andrea Tonon Camargo, investigadora de São João da Boa Vista; - Humberto Aparecido Alexandre da Silva, investigador de Aguaí; - Maria Ester Cruz, fotógrafa pericial de Casa Branca; - Gustavo Caiani Sales, escrivão de Ribeirão Preto; - Nelson José Alves Júnior, escrivão de Ribeirão Preto; - Américo Martinelli Júnior, escrivão de Cândido Rodrigues; - Vinícius Franca Monteiro, escrivão de Ribeirão Preto; - Claudemir Alberto Cruz, escrivão de Taquaritinga. A diretoria do Sinpol dá boas vindas aos novos associados e está à disposição de todos os policiais civis que quiserem integrar o quadro associativo do sindicato. Aposentados Associados do Sinpol que ingressaram no quadro de aposentados em setembro: - Ana Cláudia Lopes da Cunha Ulian, agente de telecomunicações de Classe Especial; - Antonio Benedito Ferreira, investigador de 2ª Classe; - Antonio Luís Carossi, carcereiro de Classe Especial; - Renato Fernandes, investigador de 1ª Classe; - Marcos Leandro Vendrúsculo, investigador de 1ª Classe. A diretoria do Sinpol felicita os policiais civis por suas brilhantes carreiras, desejando-lhes poderem usufruir seus merecidos descansos com muita saúde e alegria. Falecimento A diretoria do Sinpol comunica, com pesar, o seguinte falecimento: + Dr. Antonio Chaves Martins Fontes, delegado, ocorrido em 30/09. O Sinpol manifesta seus sentimentos aos familiares. Notas Plano de Saúde 1 Atenção associados. Verifiquem a data de validade no cartão magnético do convênio São Francisco Saúde, especialmente dos dependentes que cursam faculdade. Para que não ocorra carência, a declaração escolar deverá ser enviada, impreterivelmente, 20 dias antes da data limite de validade. Na dúvida, confira o verso da carteira do plano de saúde, onde consta a data do término da validade. Não deixe para a última hora. Maiores informações na Central de Atendimento Sinpol, telefones (16) 3625-3890 / 3612-9008 / 3979-2627. Cantina para o Associado A Cantina da Chácara do Sinpol, sob o comando de Paulo e Cristina, tem agradado bastante aos associados. Além de porções, aos sábados e domingos estão sendo servidos pratos feitos.Acerveja, o suco e o refrigerante estão sempre na temperatura ideal e constantemente há muitas novidades para os associados. Maiores informações e reservas nos telefones (16) 99398-6912, com Paulo ou (16) 99398-8820 com Cristina. Atualização de dados Sinpol Para atualização de dados e de situação profissional, principalmente dos recém-aposentados, o Sinpol está promovendo um recadastramento de todos os associados. Participe da atualização e garanta o recebimento de toda correspondência que enviamos, procurando a Secretaria do Sinpol, ou enviando e-mail para secretaria@sinpolrp.com.br. Plano de Saúde 2 Devido a reclamações recebidas junto à Secretaria do Sinpol, a diretoria do Sindicato pede aos associados usuários do Plano de Saúde que confiram suas cobranças de coparticipação em consultas e exames relativos ao uso do convênio médico. Qualquer dúvida, entrar em contato com a Central de Atendimento do Sinpol, pelos telefones (16) 3612-9008 / 3625-3890. Atenção policiais civis O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, comunica aos associados que, caso necessitem de amparo na área jurídica relacionado à aposentadoria, assim como para acompanhar o andamento de ação já ajuizada, primeiramente entrem em contado com os diretores do Sindicato, através de nossa Central de Atendimento Sinpol, fones (16) 3612-9008 / 3625-3890 / 3977-3850 para oportuno agendamento com o dr. Ricardo Ibelli. Parceria O Sinpol firmou uma parceria com duas universidades. Em Ribeirão Preto, foi firmada parceria com o Centro Universitário Estácio. Já emAraraquara, a parceria foi com a Uniara (Universidade de Araraquara). Maiores informações na Secretaria do Sinpol. Promoções em todas as carreiras O governo do Estado publicou na edição de 05/09/2017 do Diário Oficial listas com diversas promoções para policiais civis em atividade, de todas as carreiras. As listas, de acordo com cada carreira, foram disponibilizadas no site do Sinpol: www.sinpolrp.com.br. Consulte no campo Notícias. Outubro de 2017 EXPEDIENTE O Jornal do Sinpol é uma publicação oficial, de circulação mensal, do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto. Rua Goiás, 1697 - Campos Elíseos CEP: 14085-460 - Ribeirão Preto - SP e-mail: secretaria@sinpolrp.com.br Diretoria: Presidente: Eumauri Lúcio da Mata Vice-Presidência: Célio Antonio Santiago, Darci Gonzales, João Gonçalo Palaretti, Dorlei Morales, Luís Henrique Maringolli de Lima e José Gonçalves Neto; Suplentes: Adilson Massei, Sérgio Ribeiro dos Santos, Luiz Henrique Batista, Carlos Henrique Carneiro Scarparo, Targino Donizete Osório,Adhemar Pereira da Costa e Cláudio Expedito Martins; Secretários: Fátima Aparecida Silva e Doracy Alves da Silva; Suplentes: José Álvaro Ament Júnior e Luís Henrique Zanoello. Diretores Financeiros: Júlio Cesar Machado e Carlos Henrique Pischiotini; Suplentes: José Angelo Marques e Josiane Kátia P. do Nascimento. Patrimônio: Arnaldo Vaz Ferreira; Suplente: Olavo Elias dos Santos. Conselho Fiscal: Prisclia Yoshi S. Hashimoto, Clévis Samuel Lors de Faria e Diva Rodrigues dos Santos; Suplentes: Robert Schmengler Guilhaume, Marisa Lelis Takata e Jefferson Pessoti; Delegados Sindicais: Antonio Carlos Schivo e Josiane K. P. de Souza; Suplentes: Décio Kury Marques e Hélio Augusto da Silva. O JORNAL DO SINPOL É UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DO LABORATÓRIO DE NOTÍCIAS R. Paschoal Bardaro, 633-A - Jd. Irajá Ribeirão Preto - SP Fone/fax: (16) 3610-2886 DIRETOR DE JORNALISMO: Adalberto Luque - MTb 19.218 EDITOR FOTOGRÁFICO: Júlio Castro REPORTAGENS: Mariana Luque O Jornal do Sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade AS COBRANÇAS SERÃO FEITAS EXCLUSIVAMENTE POR: Boleto bancário emitido pelo Laboratório de Notícias DEPARTAMENTO COMERCIAL: CONTATOS EXCLUSIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS: Fernando Mendonça investigador Antonio Pereira Alvin Aparecido Donizete Tremura Vanderlei Costa MarcosAntonio Fernandes EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Laboratório de Notícias Fone: (16) 3610-2886 e-mail: jornaldosinpol@uol.com.br Os artigos assinados não refletem, necessariamente, o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores.

[close]

p. 5

Outubro de 2017 AÇÃO 05 DIG SÃO CARLOS ESCLARECE ASSASSINATO DE ADOLESCENTE Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), sob comando do Delegado de Polícia Gilberto deAquino, esclareceram mais um crime de homicídio ocorrido na cidade de São Carlos, onde na ocasião, um adolescente de 15 anos, identificado como Felipe Aparecido da Silva, foi executado à tiros na rua Luiz Paulino dos Santos no bairroAntenor Garcia. De acordo com a autoridade policial responsável pela especializada que atuou na investigação do caso, o motivo da morte do menor foi uma rivalidade entre gangues que atuam no bairro onde ocorreu a execução. Na noite em que aconteceu o crime, a vítima caminhava pela referida via na companhia de seu irmão, também menor de idade, quando uma motocicleta, ocupada por três homens se aproximou do mesmo, e ambos os indivíduos que ocupavam a garupa da motocicleta, desembarcaram do veículo quando um dos acusados cumprimentou Felipe, onde em ato continuo, sacou de uma arma de fogo e desferiu alguns disparos que alvejaram o adolescente. Em seguida, o outro indivíduo que estava na garupa tomou posse do armamento e novamente alvejou a vítima que caiu com ferimentos na via pública, e o trio empreendeu fuga do local. Populares e a mãe do menor que presenciaram o fato, rapidamente socorreram a vítima com um carro particular até a Unidade de ProntoAtendimento (UPA) da Vila Prado, porém Felipe acabou não resistindo aos ferimentos e morreu na unidade hospitalar. Durante os trabalhos investigativos, a equipe da especializada conseguiu identificar o piloto da motocicleta utilizada no crime, sendo ele A.H.F., 20 anos, vulgo Nana, que está sendo procurado pela Justiça devido a prática de outro homicídio, ocorrido no ano de 2015 na cidade de São Carlos. Na ocasião, o acusado chegou a ser preso segundo a autoridade policial, porém recorreu ao processo em liberdade. Os dois adolescente de 17 anos que são os acusados por alvejar e executar Felipe, também foram identificados durante os trabalhos investigativos e acabaram sendo apreendidos pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG), onde em depoimentos ao delegado da unidade policial, ambos confessaram a autoria do homicídio e afirmaram que foram atrás da vítima, a fim de tirar satisfações com o mesmo, devido a ele ter sido namorado de uma garota na qual estaria se envolvendo com um dos menores, alegando que só efetuaram os disparos contra a vítima, porque o mesmo também estaria armado, versão esta que foi contestada pelo delegado. O dr.Aquino informou que Felipe não possuía nenhum tipo de arma em seu poder no momento da execução. Felipe Aparecido da Silva, não seria usuário de entorpecentes e nem teria qualquer tipo de envolvimento com drogas, porém tinha um circulo de amizade com uma gangue do bairro, que seria rival do grupo em que os infratores fazem parte. Nas investigações, os policiais civis constataram que uma discussão entre ambos os grupos na semana anterior ao crime, teria sido o principal fato que ocasionou a morte do menor, segundo o dr. Gilberto de Aquino. Os dois infratores foram encaminhados até o Núcleo de Atendimento Integrado (NAI) após o registro de Boletim de Ocorrência, e segundo a autoridade policial, a dupla deve ser encaminhada à Fundação Casa nos próximos dias. O piloto da motocicleta utilizada na execução, A.H.F., ainda se encontra foragido. Por: Jean Guilherme - Jornal Primeira Página, com adaptações Foto: Divulgação Equipe da DIG de São Carlos, que elucidou mais um homicídio de autoria desconhecida

[close]

p. 6

06 ARARAQUARA Outubro de 2017 DISE APREENDE 175 KG DE MACONHA Em ação que foi executada após um mês de investigações, policiais civis encontraram a droga em área rural e efetuaram uma prisão Policiais civis da DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Araraquara realizaram uma vultosa apreensão de drogas, no dia 27 de setembro, na zona rural da cidade. A apreensão foi fruto de um minucioso trabalho investigativo, iniciado após cerca de um mês. Os policiais civis receberam uma denúncia de que haveria um homem vendendo dois tipos de maconha nos bairros Jardim Del Rey e Jardim Diamante, periferia de Araraquara. Imediatamente os policiais civis da especializada iniciaram os trabalhos investigativos para ver se a denúncia era procedente. Ao constatar que, de fato, poderia haver um homem praticando o tráfico de drogas na região, os policiais civis passaram então a fazer campanas e monitoramento, até que identificaram o suspeito. Durante as investigações, os policiais monitoravam a rotina do homem e descobriram que ele eventualmente apanhava sua caminhonete e seguia para uma propriedade na zona rural de Araraquara, onde criava alguns animais. A ação foi planejada e a equipe da DISE de Araraquara executou-a no dia 27 de setembro. Os policiais civis foram até a chácara onde o homem criava os animais e fizeram uma rigorosa busca. No local, conseguiram encontrar a droga escondida em um barracão, construído ao lado de um estábulo. Foram encontrados diversos tijolos de maconha, que estavam envoltos em lona plástica. Ao realizarem as buscas, os policiais civis também encontraram diversos pacotes plásticos fechados à vácuo. Estavam escondidos em uma caixa d’água existente na propriedade rural. Nos plásticos hermeticamente fechados, os policiais civis descobriram que se tratava de buchas de maconha, conhecidas também como flores da planta que apresentam maior concentração da droga. Na página da DISE Araraquara na rede social Facebook, junto com um vídeo mostrando a ação dos policiais civis da especializada, havia o seguinte relato da ação: “Policiais Civis da DISE de Araraquara apreendem grande quantidade de maconha em zona rural da cidade. A droga estava depositada em uma chácara. Além da droga comum, foram apreendidos também pacotes plásticos fechados à vácuo, que continham em seu interior, apenas as flores da cannabis, que por apresentarem um teor de THC maior, custam também no mercado, o dobro do preço da maconha comum”. Todo o material foi devidamente relacionado, apreendido e encaminhado à sede da DISE de Araraquara. O suspeito, investigado e monitorado pelos policiais civis durante os últimos dias, também foi levado à DISE, onde recebeu voz de prisão em flagrante. Em depoimento, o homem, de 34 anos, negou ter qualquer envolvimento com o tráfico. Ele disse que a maconha teria sido deixada por outro homem, que ele não soube dizer quem seria. Ao verificar os antecedentes criminais do suspeito, os policiais civis constataram que ele já havia sido autuado anterior- mente por tráfico de drogas e também por uso de documento falso. Após o flagrante, ele foi encaminhado à Cadeia Pública de Santa Ernestina, onde permanece à disposição da Justiça. Foto acidadeon.com/araraquara DISE de Araraquara apreendeu grande quantidade de maconha, parte dela com maior teor de concentração da droga e, consequentemente, maior valor no tráfico

[close]

p. 7

Outubro de 2017 Descalvado Policiais civis de Descalvado (Deinter 3 - Ribeirão Preto) recuperaram, em 18 de setembro, no município de Pirassununga, um caminhão Mercedes Benz, produto de furto. Durante investigações, os policiais levantaram a informação sobre um automóvel subtraído, que era utilizado para o transporte de cargas de uma usina, em Pirassununga. No endereço, foi apreendido o veículo, furtado no Paraná. O proprietário, alega que adquiriu o caminhão de boafé no Pará, e desconhecia sua origem ilícita. Ele foi indiciado por receptação. Receptação e tráfico A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto (Deinter 3) realizou, na manhã de 21 de setembro, uma atuação de campo de polícia judiciária, onde prendeu em flagrante naquela cidade, um homem por receptação e tráfico de drogas, no bairro de Campos Elíseos. Os policiais civis deram cumprimento ao mandado de busca e apreensão, no imóvel do investigado, lá foram encontrados diversos objetos, produtos de crime, além de drogas. Foram apreendidas, 20 pedras de crack, 33 pares de sapatos, 5 moto serras, 1 roçadeira, Equipe da DIG Ribeirão encontrou diversos objetos roubados e furtados com receptador, que acabou detido Fotos: Polícia Civil além da quantia de R$ 381. Violência Policiais Civis de Descalvado (Deinter 3) prenderam, no início de setembro, um homem por violência doméstica. O agressor, após desentendimento, ameaçou e agrediu sua companheira com um soco na região ocular. A Polícia Civil localizou e prendeu o homem em flagrante. Maconha Policiais civis da DISE (Delegacia de Polícia de Investigações sobre Entorpecentes) de Ribeirão Preto (Deinter 3) prenderam naquela cidade, em 15 de setembro, um rapaz por tráfico de drogas. O suspeito foi abordado na Comunidade da Mangueira, na revista pessoal foram apreendidas 20 pedras de crack. Nas proximidades do local, ainda foram encontradas 31 porções de maconha. Pitangueiras Policiais civis da Delegacia de Polícia de Pitangueiras (Deinter 3) prenderam, naquela cidade, uma mulher por tráfico de drogas, na manhã de 15 de setembro. Os agentes investigavam um casal que praticava o comércio de entorpecentes, numa região conhecida como "Pé de Limão", no bairro Jardim Santa Vitória. No imóvel da dupla foram apreendidos 62 pinos e 1 saco de cocaína, 1 porção de maconha, 115 eppendorfs, 1 simulacro de calibre 12, além da quantia de R$ 587 em dinheiro proveniente do tráfico. O companheiro da indiciada não estava no local. As diligências prosseguiram com o objetivo de prendê-lo. Boa Esperança do Sul Na manhã de 19 de setembro, policiais civis de Boa Esperança do Sul (Deinter 3) prenderam naquela cidade, uma dupla acusada pelo latrocínio de um homem. Enquanto familiares realizavam o registro de desaparecimento, os agentes localizaram o veículo da vítima, na posse de um dos suspeitos, que é adolescente. O interior do automóvel apresentava manchas de sangue, nos fundos da casa do investigado, foram localizados restos de roupas, parcialmente queimadas, também com sinais de sangue. Em prosseguimento a atuação de campo de polícia judiciária, os agentes identificaram o segundo suspeito, que é tio do adolescente infrator, bem como localizaram o corpo da vítima, que apresentava diversas perfurações de faca. O homem foi preso por latrocínio e corrupção de menores e o adolescente por crime análogo ao latrocínio. Casa Branca Uma operação da Polícia Civil de Casa Branca (Deinter 9 - Piracicaba) em oito cidades terminou, em 21 de setembro, com 26 pessoas presas. Segundo o Delegado Seccional de Polícia de Casa Branca, Carlos Alberto de Braga Fiuza, desde 19 de setembro a polícia cumpre mandados de prisão, pelos crimes de roubos, furtos e lesão corporal dolosa. Policiais civis da Delegacia de Polícia de São José do Rio Pardo, também prenderam um suspeito de assaltar fazendas. Na oficina dele foram apreendidas oito motos que eram usadas para a prática de crimes. A atuação de campo de polícia RADAR 07 Operação realizada pela Delegacia Seccional de Casa Branca resultou na prisão de 26 pessoas judiciária, ocorrida nos oito municípios, contou com 40 policiais civis e dez delegados. Itápolis Policiais civis da Delegacia de Polícia de Itápolis (Deinter 3), na manhã de 11 de setembro, prenderam naquela cidade, um homem por tráfico de entorpecentes. Os agentes levantaram informações, sobre um imóvel, localizado na Rua Teresina, que era utilizado para armazenar drogas. As atuações de campo de polícia judiciária resultaram na prisão do investigado, na apreensão de meio quilo de cocaína, de porções de maconha, além de R$ 500 em dinheiro proveniente do tráfico. A Polícia Civil prossegue nas investigações, para localizar o segundo suspeito, já identificado que fugiu da ação policial.

[close]

p. 8

08 LUTO Outubro de 2017 ANTONIO CHAVES MARTINS FONTES Ex-delegado Seccional e Regional de Ribeirão Preto, ex-diretor do Demacro, dr. Tonhão faleceu no dia 30 de setembro A Polícia Civil está de luto. Faleceu no dia 30 de setembro o dr. Antonio Chaves Martins Fontes, um dos nomes mais conhecidos da Polícia Civil na região de Ribeirão Preto. E não foi à toa. Natural de São Paulo, dr. Antonio, chamado carinhosamente pelos amigos de dr. Tonhão, iniciou as atividades como delegado de Polícia trabalhando na região de Franca. Por nove anos, trabalhou em Ituverava - onde chegou a conhecer pessoalmente o Rei Roberto Carlos -, uma época classificada por ele mesmo como “muito feliz”. Promovido à 3ª Classe, transferiu-se para Ribeirão Preto, onde respondeu pela titularidade do 2º DP (Distrito Policial), do SIG (Setor de Investigações Gerais) e da DIG (Delegacia de Investigações Gerais. Foi na DIG, aliás, que o dr. Tonhão ganhou destaque no cenário estadual, como ele lembrou, em entrevista ao Jornal do Sinpol em Junho de 2001: “formamos uma equipe com mais 12 policiais, além do dr. José Manoel [ex-delegado Seccional de Ribeirão Preto], que era meu assistente. Conseguimos formar, naquela ocasião, a que era considerada até pelo Secretário da Segurança Pública da época, como a melhor DIG do interior de São Paulo”. De Ribeirão Preto, dr. Martins Fontes seguiu para Franca e rumou para São Paulo, passando por diversos setores, como Depatri, Denarc, DHPP e DIRD, até chegar ao DEMACRO. O último setor, antes de se aposentar, foi o DECAP. O delegado concedeu várias entrevistas ao Jornal do Sinpol nos 22 anos de existência do informativo. Numa delas ele resumiu sua carreira: “Na Secretaria da Segurança eu entrei em 1965, em carreira administrativa. Como delegado, trabalhei de 1973 e saí em 2010. Ao todo, na área de segurança, eu fiquei por 45 anos”, disse o delegado à época. De personalidade forte, dr. Antonio Chaves Martins Fontes não se esquivava e respondia tudo. Leia a seguir, algumas de suas posições em entrevistas publicadas no Jornal do Sinpol. O começo como delegado Em 1973, tinha uma grande amizade com o delegado Seccional de Franca na época, dr. Fábio Homem de Mello, que me convidou para trabalhar com ele em Franca. Eu aceitei e logo em seguida fui para Ituverava onde permaneci durante 9 anos. Eu fui muito feliz em Ituverava, fui para lá como delegado 5ª classe, e sai promovido a 3ª classe, então vim para Ribeirão Preto. Tenho muita honra de ser cidadão honorário de Ituverava. Em Ribeirão Preto Tenho muitas lembranças, constantemente eu me recordo, conversando com o Célio [Antonio Santiago, vice-presidente do Sinpol], que foi chefe dos investigadores das delegacias onde eu passei. Recordamos de grandes investigações, inclusive algumas famosas no território nacional, como um sequestro de um garotinho em Orlândia, esclarecido por nós; o famoso crime do marroquino, um latrocínio. Uma outra série de crimes que foram esclarecido pela DIG na ocasião, dada a divulgação que teve na época, me deu o impulso na minha carreira, eu consegui passar de 3ª classe, quando eu vim para Ribeirão a classe especial em menos de 10 anos. Me lembro do famoso crime da japonesa, trabalho meu e do Célio. O crime envolvia uma senhora de origem japonesa que foi assassinada com um tiro na cabeça, na Rua Piracicaba, e não existia nenhum motivo aparente. Ela estava saindo de manhã para comprar pão e a única pista que tínhamos era que havia duas pessoas, uma moça loira e um rapaz claro, dentro de um Corcel branco que, depois de uma longa investigação, o Célio, conversando com outro colega nosso aqui da região, perguntou se poderia ser tal pessoa. Na ocasião, através de um informante, eu fiquei sabendo que a pessoa, dormindo, teria falado na japonesa, Então em conversa com a esposa dessa pessoa, que já se encontrava presa, usei da tarimba policial e ela acabou confessando o crime com um detalhe. Orgulho Depois da DIG de Ribeirão, eu fui chamado para assumir a Delegacia Seccional de Ribeirão Preto, onde permaneci durante um ano. Posteriormente assumi a delegacia Regional de Ribeirão Preto onde fiquei por quase quatro anos. E fui chamado para ser delegado Regional de Franca. Lá, havia sido delegado de 5ª classe e voltei como delegado Regional. De Franca fui para São Paulo, como delegado chefe daAssistência Policial do antigo DEPATRI, hoje DEIC. Passei também pelo DENARC, DHPP, DIRD, DEMACRO, DECAP. O Sinpol Tem um papel importantíssimo! Inclusive quando o Sinpol começou a funcionar, já era delegado em Ribeirão Preto. Ele presta um serviço fantástico para as carreiras policiais.Além do serviço da frente trabalhista, de reivindicações de vantagens, ele presta um serviço de assistência social, plano de saúde, assistência jurídica, dentária, tudo muito bom. E se paga uma quantia irrisória por mês, por esse serviço. Meu relacionamento é excelente! Vário diretores e exdiretores do Sinpol trabalharam comigo, Célio, Eumauri, Júlio, MariaAlzira e outros. Conheço todos bem e sei do potencial de cada um aqui no sindicato. Foto: Arquivo Recordando: em visita à Chácara do Sinpol, dr. Antonio conheceu o local acompanhado pelo presidente do sindicato, Eumauri

[close]

p. 9

Outubro de 2017 CRISE 09 DELEGADO OLIM CRITICA DURAMENTE PSDB Durante sessão solene na ALESP pelo Dia da Polícia Civil, deputado não poupou nem mesmo a cúpula da Instituição, presente ao evento AALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) realizou no dia 02 de outubro a sessão solene pelo Dia da Polícia Civil, comemorado em 30 de setembro. Mas como tudo na Polícia Civil, o que era para ser uma homenagem festiva transformouse num desabafo contundente do deputado Delegado Olim, que compunha a mesa diretora, ao lado do secretário da Segurança Pública, dr. Mágino Alves Barbosa Filho; do delegado Geral de Polícia, dr. Youssef Abou Chahin, entre outras autoridades. Ao discursar, o Delegado Olim não poupou críticas aAlckmin, ao PSDB e à cúpula da Polícia Civil. Dirigindo-se ao dr. Mágino, a quem chamou de amigo, dr. Olim foi direto: “Eu vou falar algumas coisas aqui e o senhor vai ter que me ouvir. O senhor faz parte do governo, o senhor é secretário, então vai ter que me ouvir. Ninguém aguenta mais o que está acontecendo. Dr. Youssef, não fica bravo, o senhor vai ter a palavra, mas vou ter que falar”, advertiu o deputado. Entre outras coisas, dr. Olim denunciou que a Polícia Civil está sucateada por conta da ação do governo. Ele afirmou que nas cidades do interior as delegacias estão fechadas ou só funcionam porque os prefeitos estão colocando funcionários para trabalhar, senão não teria ninguém na delegacia. Ele também disse queAlckmin vive dizendo que está dando viatura nova para a Polícia. Viatura de primeiro mundo, enfatizou o deputado. “Mas não tem dinheiro para manutenção”, vociferou. “Estamos com o saco cheio de ganhar pouco, de fazer o que fizeram com a gente. E vão nos usar nas eleições de novo. Vamos nos unir para impedir isso, vamos eleger mais gente. Se não nos mobilizarmos, vão pisar ainda mais na gente”, disse o deputado, sob os olhares do SSP, do DGP e demais autoridades presentes, sendo ovacionado por policiais civis que lotavam a galeria. Gota d’água no oceano O governo do Estado anunciou o reforço no quadro de funcionários da Polícia Civil. Em nota, a assessoria de imprensa da SSP divulgou a contratação de 588 novos policiais civis. São 169 investigadores, 346 escrivães e 73 delegados. Escrivães e investigadores formaram-se em 22 de setembro e os novos delegados no dia 28. De acordo com a nota, a Capital receberá 203 policiais civis, dos quais 26 delegados, 37 investigadores e 140 escrivães. Para a Grande São Paulo seguem 136 novos policiais, sendo 14 delegados, 28 investigadores e 94 escrivães. Para o interior, 249 policiais civis, dos quais 33 delegados, 104 investigadores e 112 escrivães. A SSP divulgou também que estão em formação na Acadepol mais 117 escrivães e 28 investigadores. Na opinião do presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, a situação seria cômica, não fosse trágica. “Isso é uma gota d’água no oceano. O governador alardeia estar contratando? Só pode estar de brincadeira. Primeiro porque, dos 588 novos policiais, apenas 249 vão para o interior. O estado de São Paulo tem 645 municípios. A Grande São Paulo é composta por 39 cidades. Restam outros 606 municípios. Esses 249, que são delegados, investigadores e escrivães, se divididos, não chega meio policial para cada cidade. Se é piada, foi de muito mal gosto, senhor governador”, disparou Eumauri. Ele também colocou que, mesmo que os demais policiais civis em formação venham todos para o interior, ainda assim seriam 361 novos policiais civis para 606 cidades. “Aí sim, talvez chegue a meio policial civil novo para cada cidade”, ironizou. O presidente do Sinpol também elogiou a postura do deputado Delegado Olim. “Sempre criticamos essa situação. Sempre defendemos nos unir para ter uma representação à altura. Estamos há quatro anos sem receber um centavo de reposição salarial. Estamos há mais de uma década sofrendo com a falta de recursos humanos. Há 23 anos sofremos com o PSDB à frente do governo do Estado. Não aguentamos mais essa situação”, acrescentou Eumauri. Ele diz já ter perdido as esperanças de conse- guir algo no atual governo. Para o presidente do Sinpol, o ideal é que os policiais civis se mobilizem para não mais votar em Alckmin e no PSDB. Ele acredita que, havendo mobilização, isso será fundamental para sacramentar o fim do sofrimento imposto pelo partido ao servidor público, em especial ao da Polícia Civil. “Foram anos de desprezo, descaso, desrespeito. Hoje seria necessário contratar Em solenidade realizada na ALESP alusiva ao Dia da Polícia Civil, deputado Delegado Olim não economizou críticas ao SSP, DGP e equipe de governo pelo descaso com a Instituição mais de 10 mil policiais civis para todo o Estado, para que a Polícia Civil possa responder minimamente à população. E de uma vez, porque a cada mês, mais policiais civis se aposentam, se exoneram, se afastam por problemas de saúde. E o buraco cresce ainda mais. Só mesmo a intervenção divina para salvar a Instituição do fim decretado por GeraldoAlckmin”, finalizou Eumauri. Foto: ALESP Eumauri criticou com veemência Geraldo Alckmin, acusando-o de praticar politicagem ao fazer tamanho alarde por tão poucas contratações de policiais civis

[close]

p. 10

10 Outubro de 2017 DISE SÃO CARLOS PRENDE DOIS POR TRÁFICO Homens foram flagrados com diversas porções de crack, maconha e cocaína no Residencial Romeu Tortoreli A DISE (Delegacia de Investigações Sobre En- crack, um tablete de maconha, 101 papelotes com torpecentes) de São Carlos realizou uma importante maconha, 46 pinos de cocaína, diversas embalagens apreensão, que resultou em duas prisões na periferia para serem utilizadas no fracionamento de drogas, da cidade. O fato ocorreu no dia 22 de setembro e os além de caderno com anotações relativas ao tráfico policiais civis realizaram uma rigorosa investigação da biqueira e cerca de R$ 700 em dinheiro. até chegar a dois suspeitos de tráfico de drogas. Em informações à imprensa, dr. Edmundo expli- A ação começou a ser investigada após a DISE cou como o trabalho foi realizado. “A gente recebeu a ter recebido uma denúncia de uma biqueira que ven- informação e, após o trabalho de investigação, fomos dia drogas, localizada no Residencial Monsenhor até a casa hoje à tarde [sexta-feira, 22 de setembro] Romeu Tortorelli. Imediatamente o delegado titular da com um mandado de busca e apreensão e, com o DISE, dr. Edmundo Ferreira Gomes, determinou a apoio da Guarda Municipal, conseguimos encontrar investigação e, após contatar que a denúncia tinha os entorpecentes e prender duas pessoas que esta- fundamento, planejou uma ação conjunta com a equi- vam no local”, explicou o delegado. pe do Canil da Guarda Municipal de São Carlos. Além do farto material apreendido, os policiais Com as informações obtidas durante as investi- civis também surpreenderam dois homens no imóvel, gações, policiais civis e guardas municipais se dirigi- de 37 e 24 anos. Eles foram conduzidos até a sede da ram até uma casa localizada na Rua HermelinAltieri. DISE, onde a ocorrência foi lavrada e receberam do Lá chegando, com o auxilio de cães farejadores do dr. Edmundo voz de prisão em flagrante pelo tráfico Canil da GM, realizaram uma minuciosa busca para de drogas. Eles foram encaminhados ao Centro de detectar a presença de drogas. Triagem de São Carlos e, posteriormente a um CDP Graças a este trabalho, os policiais civis e GMs (Centro de Detenção Provisória) na região, onde conseguiram localizar e apreender 252 pedras de permanecerão à disposição da Justiça. Dr. Edmundo Ferreira Gomes, titular da DISE de São Carlos POLÍCIA CIVIL ESCLARECE TENTATIVA DE HOMICÍDIO EM SÃO SIMÃO Os policiais civis de São Simão esclareceram mais um crime registrado naquela cidade. Trata-se de uma tentativa de homicídio, que ocorreu no Recreasta Club, local onde estava ocorrendo um baile. Um homem teria tentado entrar no local sem convite e foi barrado por um segurança. Indignado com a negativa do segurança, o homem foi até seu carro, apanhou uma arma e atirou uma vez contra a vítima. O tiro acertou apenas a parece. Ele tentou atirar novamente, mas a arma falhou.Antes que o segurança tentasse desarmá-lo, ele fugiu do local. Segundo o titular de São Simão, dr. Jorge Miguel Koury Neto, os policiais civis apuraram que o autor da tentativa de homicídio veio de Ribeirão Preto com o DJ contratado para animar a festa. Aprofundando nas investigações, eles descobriram que o suspeito havia alugado um carro para ir até São Simão. Conseguiram então identificar o autor da tentativa de homicídio. Contudo, A.A.S. não pode ser preso, pois havia sido morto em confronto com policiais militares após uma tentativa de assalto em Ribeirão Preto. Segundo o dr. Jorge, o autor foi reconhecido graças a um minucioso trabalho dos investigadores, que utilizaram até mesmo a rede social Facebook para obter dados do rapaz que seria acusado. Ele foi morto com outro comparsa. Um terceiro homem que participou do assalto acabou detido. A vítima fez o reconhecimento do autor da tentativa de homicídio e reconheceu a arma do crime praticado em São Simão em poder de investigadores do 4º DP (Distrito Policial) de Ribeirão Preto, que atuaram no caso do assalto à residência daquela cidade. Desta forma, mais um crime foi elucidado pela equipe do dr. Jorge. O caso foi encerrado no dia 20 de setembro.

[close]

p. 11

Outubro de 2017 SÃO SIMÃO 11 POLÍCIA CIVIL DESVENDA ASSASSINATO E FURTO DE COMBUSTÍVEL Duas ações pontuais marcaram os trabalhos dos policiais civis de São Simão, que têm obtido excelentes resultados no combate ao crime Os policiais civis de São Simão conseguiram realizar dois importantes trabalhos durante o mês de setembro. Num deles, foi possível esclarecer um homicídio, cuja autoria era desconhecida desde que ocorreu, em 2015. O corpo da vítima foi encontrado apresentando diversas lesões indicando atropelamento no dia posterior à localização de seu automóvel, que se encontrava na cidade vizinha, Luiz Antônio. No local estava também a carteira do mesmo. Devido a esses fatores, a viúva pode reconhecer o falecido marido e a cidade se comoveu com o caso. Contudo, foi necessário um extenso trabalho dos policiais civis da cidade para descobrir o que passou com a vítima. Na noite de sua morte, o homem esteve com dois conhecidos em um bar de São Simão. Precisar a localização de cada um dos três foi o que permitiu desvendar o assassinato. Após extenso tempo de lazer no bar, os três se retiraram. O indiciado e a vítima se dirigiram ao carro encontrado em Luiz Antonio enquanto o terceiro integrante se separou do grupo. Nesse ínterim ocorreu o assassinato, realizado através de brutais atropelamentos sucessivos que evidenciavam a intenção de matar. A noite terminou em uma fervorosa discussão entre o indiciado e o terceiro integrante. Ambos retornaram ao bar e este segundo acusou o primeiro de ter cometido assassinato. Dr. Jorge Miguel Koury Neto, delegado atualmente à frente da equipe que investiga esse caso, explica que os depoimentos de diversas testemunhas confirmaram o panorama traçado pelos policiais para aquela noite. O discurso do indiciado, por outro lado, se contradiz em vários aspectos. O mesmo alega não ter estado por muito tempo no bar, procurando se desvencilhar de qualquer ligação com a vítima, e mentiu sobre ter ido à cidade de Ribeirão Preto comprar entorpecentes. Essa alegação, contudo, é um dos indicativos de que o grupo era envolvido com drogas ilícitas, fator que teria motivado o crime. Dr. Jorge explica que um dos objetivos do assassinato foi roubar dinheiro da vítima com o intuito de comprar entorpecentes e saciar um vício pré-existente nessas substâncias. Outra motivação para o crime pode ter sido a alegação de que o falecido havia desrespeitado a companheira do indiciado. O processo de investigação foi extenso e bastante aprofundado, tendo sido trabalhoso devido à não colaboração do indiciado, que inicialmente se retirou da cidade e, posteriormente, mediante declaração de prisão temporária para desvendar o crime, apresentou um depoimento desconexo. No presente momento, os policiais civis conseguiram descobrir os detalhes sobre o ocorrido unindo diversos depoimentos e atualmente o indiciado encontra-se detido. Esse antigo caso não foi o único a movimentar a equipe de policiais civis da cidade de São Simão no mês de setembro. Outro caso A Polícia Civil realizou operação para impedir furto de combustível que vinha sendo discretamente administrado em uma borracharia de uma estrada vicinal em São Simão, a caminho da cidade vizinha, Luiz Antônio. Trata-se da “Operação Combustível Limpo”, fruto do trabalho de dois meses de investigações realizados pelo delegado Dr. Jorge Miguel Koury Neto e sua equipe, num intenso e minucioso trabalho investigativo. A atividade criminosa ocorria com o auxílio de um suspeito que trabalhava em uma empresa responsável pelo transporte de combustíveis. O mesmo dirigia um caminhão-tanque da transportadora para levar combustível de Paulínia, onde o produto era adquirido, até Descalvado e Ribeirão Preto, em que havia estabelecimentos da empresa. O rapaz percebeu uma oportunidade de lucro ao desviar o caminhão para a borracharia onde ocorria a atividade criminosa. Nesse local, os suspeitos removiam parte do combustível e acondicionavam em galões. Essa parcela desviada era dividida, de modo que alguns galões eram transportados na cabine do caminhão e o restante permanecia na borracharia. Tanto o motorista quanto os outros envolvidos foram presos e encontram-se à disposição da justiça. Os policiais civis seguem suas investigações com o intuito de descobrir outros possíveis envolvidos. Por: Mariana Luque Fotos: Polícia Civil de São Simão O delegado titular de São Simão, dr. Jorge, coordenou as ações dos policiais civis que flagraram quadrilha furtando combustível de caminhão tanque

[close]

p. 12

12 ANIVERSARIANTES DE NOVEMBRO 1 Luciana Carmargo Renesto Ruivo Rosivaldo Fernandes Cunha Matilde Nori Tosta de Oliveira 2 Priscilla Yoshi Serapião Hashimoto João Fernando Baptista Francisco Lopes Neto 3 Célio Antonio Santiago Sílvia Helena da Silva Milani Guidalberto Marques de Mello José Carlos da Silva João Batista Sérgio Neto Kennedy Santos Bittencourt Sílvia Helena A. de Souza Carlos César Bueno Antonio Carlos Sampaio Cloves Alves 4 Roberto Lazinho Danilo Ávila Luiz Henrique Rossi Jorge Ferreira Seridonio 5 Valmério Francisco da Silva 6 Sebastião Vicente Picinato Geraldo Augusto Mazaron Amir Pessoa Vicente Paulo Gonçalves Nilson Lopes da Silva 7 Benedito Grillo Chiyoko Matsui Minamisava Orlando Posca João Santino Silvério Ana Paula Rodrigues Nucci José Luiz de Lima Maria Helena Borotto 8 José Carlos Marcucci Lucimara Rocha Gomes Armando Nelcidio Gonçalves Isaura Lemos Cora Walter Moraes Braga Júnior Cândida Ribeiro da Silva 9 Moysés José Cocito Tânia Maria Leite Ribeiro Lima Marcos Aparecido Ferreira do Carmo Maria Aparecida Donizete D. Oliveira Aparecido Donizeti Alexandre 10 Baltazar Padilha Iracema Aparecida da Silva Antonio Flávio Martins Andrea Alessandra Moretti Claudemir Aparecido Pereira da Silva 11 Evandro Estadeu Rezende Veima Chelli Raimundo de Oliveira Sílvio Carlos de Menezes 12 Celso Garcia Oliveira Altair Lopes dos Santos Saladino Daer El Khatib 13 Roberto de Souza P. Filho Alexandro Gomes Angulo Raquel Maria Ferreira Motta 14 Sandro Luís Ruivo Eliana Aparecida de Faria Diniz 15 Antonio Fernando Garcia Nilva Sueli Lucindo Pistori Osvair José da Silva João Francisco Alves Filho Maria Aparecida David Bigotto 16 Tereza Garcia Franco Ricardo Contin Cláudio José Ottoboni Fernando Luiz Rohrig Zaqueos Rodrigues da Silva 17 Joel Dias da Mota Luís Augusto da Silva 18 Telma Cristina do Carmo Débora Caldo Pinheiro Adilson Roberto de Souza Mariangela Faraldo Myr Santos Marley Regina Vigiolli 19 Geraldo Souza Filho Alexandre do Carmo Lopes Ferraz 20 José Mário Zanoello Afonso Bibanco Wagner Queiroz de Brito 21 Francisco Renato Tortorelli Costa Marcelo Rodrigues Alves Caleiro 22 Assis José Aparecido Tasca Marcos Cesar Borges Regina Neves Guerra Glaucon Bonette Marcos André Flausino Senne 23 Maria de Fátima de Luca Reginaldo Guicardi Maria Aparecida Benta Luiz Antonio Giora 24 Carlos Osvaldo Russo Érico Fabrício de Oliveira Seixas Santos 25 Valdir Delfino Paulo Fernando do Nascimento Bittar Ana Cláudia Augusto Ferreira Orneida Vicente Lopes Spolaor 26 Sueli Aparecida Francisco Marco Antonio Maciel Ana Beatriz de Almeida Matos Dias 27 Sílvia Helena Polaqui Adalberto de Oliveira Gonçalves Paulo Rogério Marcussi 28 Marco Antonio G. da Silva 29 Antonio Carlos Sampaio I Sirtes da Silva Casemiro de Castro Júnior José Luis de Meirelles Júnior Renata Cassiano 30 Adilson Massei Ademir Gomes O Sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto ao Banco do Brasil, em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou, em caso de portabilidade, no banco em que o beneficiário optou. Quem não se recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos. MEMÓRIA Outubro de 2017 TEMPOS DE OURO No site e na página de facebook Memória da Polícia Civil de São Paulo, do delegado Paulo Roberto de Queiroz Motta, muitas imagens eternizaram os tempos de ouro da Polícia Civil em todo o Estado. Uma delas é a que publicamos nesta edição, dos anos 1970. Uma equipe muito eficiente e entrosada de Ribeirão Preto. Em pé, a partir da direita, Neide Paranhos Ribeiro (falecida), Adail Filete Nogueira, Neusa Aparecida Pian da Mata, Cristina Júlia Ikeda (falecida), Catarina Pane e Liliane Garcia. Embaixo: João Ipólito, Afonso Nascimento e Sr. Orsi. DO FUNDO DO BAÚ O Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto está mantendo um acervo de imagens relacionadas à Polícia Civil. Para tanto, a Diretoria está incentivando a participação de associados que tenham em seus arquivos fotografias que possam ilustrar diferentes aspectos da história da Instituição. “Temos certeza que muitos colegas guardam várias fotos com lembranças de reuniões, eventos e de situações cotidianas dentro da Instituição, com um valor inestimável pelas lembranças que representam”, ressalta o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. Os interessados em colaborar com esse resgate da memória da Polícia Civil da região podem entrar em contato com a Secretaria do Sinpol, através dos telefones (16) 36129008, 3625-3890 e 3979-2627, ou do e-mail sinpolrp@sinpolrp.com.br. “As fotografias serão digitalizadas e prontamente devolvidas aos seus proprietários”, garante Eumauri. O material reunido pelo Sinpol será publicado no Jornal do Sinpol e no site da entidade (www.sinpolrp.com.br).

[close]

p. 13

Outubro de 2017 RECONHECIMENTO JARIM É HOMENAGEADO 13 Escrivão que preside IPA Brasil e é associado do Sinpol recebe Diploma de Honra ao Mérito do Projeto “Reféns da Violência” O presidente da IPA (International Police Association) Brasil, Jarim Lopes Roseira, foi homenageado, no dia 14 de setembro, no Auditório Teotônio Vilela da ALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). No lançamento do Projeto “Reféns da Violência”, evento “Diversidades Jurídicas”, os inspetores que representam aAPF (Auxiliary Police Federation) Brasil, Fábio Lacerda e James Makino, concederam ao presidente da IPA o Diploma de Honra ao Mérito por sua cooperação às atividades de interesses acadêmicos e culturais no combate à violência. Segundo Jarim, projeto “Reféns da Violência” foi posto em prática por um grupo de entidades e pessoas que, sensibilizados com a questão da violência, criou uma entidade multidisciplinar que se reúne com o objetivo de abordar a questão da violência pública e como administrar esta questão. Jarim foi indicado no evento “Diversidades Jurídicas” por conta de sua longa história de atuação nos meios policiais e por se destacar em artigos publicados em diversos jornais e revistas da grande imprensa. Jarim é participativo e sempre externa sua opinião em veículos como Folha de São Paulo, por exemplo, no Painel do Leitor. Por sua posição objetiva no combate ao crime, Jarim acabou tendo seu nome indicado para ser homenageado e disse estar muito orgulhoso por poder receber tão importante comenda. Escrivão de Polícia aposentado, Jarim tem uma história de praticamente meio século na Polícia Civil. Além de ter atuado como escrivão por 31 anos, ele também foi professor da Acadepol até completar 70 anos, ocasião em que, por questões estatutárias, não mais pode lecionar - o que para a grande maioria dos policiais civis, é um desperdício, pois a experiência de grandes professores acaba preterida por conta de um detalhe cronológico. Também é associado do Sinpol e sempre se pautou pela vida participativa, em busca dos direitos dos policiais civis e na luta por melhores condições de trabalho e salário para a categoria. Atuando em diversas frentes, inclusive chegando a ser presidente daAssociação dos Escrivães de Polícia, Jarim acabou engajando-se na IPA e, há oito anos, é presidente da entidade. A International Police Association – IPA, entidade sem fins econômicos, congrega em seu quadro associativo servidores policiais, civis, militares, federais, estaduais, rodoviários e ferroviários federais e guardas civis municipais em atividades ou aposentados. Como organização não governamental, a IPA não é controlada nem subsidiada por qualquer governo. Foi fundada em Londres, na Inglaterra, em 1º de janeiro de 1950, pelo policial Inglês Mr. Arthur Troop, para promover o sentimento de amizade e o intercâmbio cultural entre seus filiados. Adota o lema “Servo per Amikeco”, que em Esperanto significa: “Servir pelaAmizade” e tem por objetivos principais, estreitar as relações entre a Polícia e o público através de todos os meios de comunicação, propiciando a mútua compreensão do respeito à lei, à ordem e à segurança coletiva; criar elos de amizade, promover a cooperação internacional, a ampliação do conhecimento geral e a troca de experiência profissional; promover ajuda na es- fera social, contribuir dentro dos limites de suas pos- membro e ajudar a melhorar as relações entre essa sibilidades para a coexistência pacífica dos diferen- Instituição e o público. tes povos e a preservação da natureza e da paz Jarim fez questão de agradecer o Diploma de mundial; estimular a correspondência e o intercâm- Honra ao Mérito recebido e destacou a importância bio de programas de férias, viagens de estudo, visi- da conscientização da sociedade que se mobiliza. tas de ilustração, competições esportivas e artísticas; “É importante valorizar a Polícia, apoiar. Exatamenrealizar cursos, conferências e grupos de estudos te como nos países evoluídos. Quanto mais envolvijurídico-policiais; organizar reuniões periódicas e da é a sociedade, menor é a criminalidade e maior é participar dos Congressos (trienais) e das Confe- o prestígio e participação da Polícia. No Brasil, inferências Internacionais (anuais) previstos no Calen- lizmente, falta conscientização da sociedade e da dário Oficial da IPA; contribuir para o enaltecimento própria Polícia na formação de seus integrantes e da imagem da Polícia nos países de suas seções- na má remuneração praticada”, conclui Jarim. Foto: Divulgação O presidente da IPA Brasil, Jarim Lopes Roseira (primeiro à direita), durante homenagem recebida no lançamento do Projeto Reféns da Vida

[close]

p. 14

14 PIRASSUNUNGA Outubro de 2017 POLICIAIS CIVIS REALIZAM DIVERSAS AÇÕES Prisão de acusados de tráfico, apreensão de veículo clonado e captura de foragidos da justiça estão entre os registros na cidade Os policiais civis de Pirassununga tiveram um mês de setembro bastante movimentado, mas os resultados foram positivos. Em quase todas as ações de destaque, houve o trabalho conjunto entre policiais civis e integrantes da Guarda Civil Municipal de Pirassununga. No dia 06 de setembro, os policiais civis e GCMs conseguiram efetuar a prisão de dois homens que estavam foragidos da Justiça. Por determinação do delegado titular, dr. Francisco Paulo Oliveira Lima, a equipe saiu à busca de um caminhoneiro de 47 anos, foragido desde março, condenado a dois anos e dois meses no regime semi aberto por crimes praticados no trânsito e outra condenação de dois anos e quatro meses por furto. As buscas começaram na noite de 05 de setembro e, horas depois, policiais civis e GCMs conseguiram localizar o caminhoneiro e efetuaram a prisão, dando cumprimento à ordem judicial. No dia seguinte, eles saíram em busca de um homem de 28 anos, que foi encontrado no centro da cidade. Ele acabou preso por determinação judicial. Veículo clonado No dia 12 de setembro, os policiais civis Domingos e Arlei apreenderam um veículo dublê que circulava pela cidade. Dois autônomos teriam comprado o veículo na cidade de São Paulo em 04 de setembro e pagaram R$ 33 mil. Eles vieram com carro para Pirassununga, mas o recibo de compra e venda ficou de ser encaminhado poste- riormente. Desde então, não conseguiram mais contato com o suposto vendedor. O titular de Pirassununga, dr. Francisco, pediu aos investigadores que realizassem a apuração do caso e, em pouco tempo, descobriram que trata-se de um dublê de outro veículo da mesma marca e modelo que foi comprado direto da fábrica pelo único dono até o momento. O carro comprado pelos autônomos de Pirassununga acabou apreendido e os investigadores estão realizando diligências para tentar identificar o autor da fraude e do estelionato. Três prisões No dia 15 de setembro, policiais civis de Pirassununga e integrantes da GCM, com o apoio do Canil da GCM de Leme, realizaram uma ação conjunta com o objetivo de combater o tráfico de drogas. A operação foi resultado de investigação policial conduzida pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) da Delegacia de Polícia de Pirassununga, sob coordenação do dr. Francisco. Diante das evidências levantadas durante as investigações, o delegado solicitou mandado de busca e apreensão e, após ser atendido pela Justiça, a ação foi realizada com apoio das GCMs de Pirassununga e Leme. Na primeira das duas residências visitadas pela equipe, na Vila Rina, os policiais constataram ser ponto de venda de drogas e cercaram o local, para evitar a fuga dos envolvidos. Passaram então a efetuar busca com a ajuda do cão farejador Luck, da GCM de Leme, num terreno ao lado da residência. Com um desempregado de 27 anos foram encontrados quase 400 gramas de maconha separadas em porções grandes, escondidas em meio ao colchão da cama, dentro do sofá, no guarda roupas da casa, dentro de um tênis, além de anotações de tráfico, balança de precisão e mais 21,76 gramas de cocaína. Na outra residência, com uma dona de casa de 36 anos, foram encontradas mais porções de maconha escondidas no botijão de gás e sob o telhado, além de apetrechos para triturar a droga, popularmente conhecidos por dichavadores. Finalmente num casebre próximo ao local, encontraram ainda mais porções de maconha sobre o guarda roupas. A dona de casa de 31 anos assumiu ser usuária, foi encaminhada ao Plantão e vai responder em liberdade. Os outros suspeitos foram conduzidos com a droga apreendida, onde foram autuados em flagrante e encaminhados para unidades prisionais, onde vão aguardar à disposição da Justiça. Participaram da operação o investigador Domingos, os GCMs de Pirassununga Edmilton, Cesar, Magalini e Da Silva e os GCMs de Leme Munari e Rompato, conduzindo o cão farejador Luck. Foto: Polícia Civil Drogas apreendidas com a ajuda do cão farejador Luck, à direita na foto

[close]

p. 15

Outubro de 2017 JURÍDICO 15 SINPOL OBTÉM MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO Decisão judicial garante segurança aos policiais civis e considera que determinação da Seccional de Ribeirão Preto contraria lei vigente; outras três vitórias ocorreram em setembro O departamento jurídico do Sinpol obteve quatro importantes vitórias no mês de setembro. Uma delas foi um Mandado de Segurança Coletivo proposto pelo Sinpol. Nos outros três casos, o sindicato obteve mandados se segurança em favor de seus filiados, garantindo-lhes o direito à aposentadoria especial, com paridade e integralidade. De acordo com os advogados Ricardo Ibelli e Viviane Cristina Ibelli Pinheiro, que integram o departamento jurídico do Sinpol, o sindicato propôs um Mandado de Segurança Coletivo, com o objetivo de suspender uma determinação da Delegacia Secional de Ribeirão Preto, a mensagem 1118/2015, assinada pelo delegado Seccional, dr. Marcus Lacerda. Segundo os advogados, a determinação contraria Lei vigente, reduzindo o tempo de descanso dos policiais civis de 36 horas contínuas para apenas 12 horas. “Isso reflete muito bem a gravíssima falta de recursos humanos que estamos enfrentando e que não cansamos de denunciar”, observa o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. “O Seccional de Ribeirão Preto reduziu o tempo de descanso em razão das jornadas de Plantão em escalas extras. Em primeiro lugar, isso é um evidente abuso de poder ao ignorar a legislação pertinente e criar condições de trabalho prejudiciais aos policiais civis, contrariando o que determina a lei. Mas é como disse: não aconteceria se o governo do Estado não estivesse empenhado em acabar com a Polícia Civil, sem contratar e sem dar um centavo sequer de aumento nos últimos quatro anos”, dispara Eumauri. Na sentença, o magistrado justificou: “...considerando o mais que consta dos autos, concedo a segurança para o fim de declarar nula a Mensagem nº 1.118/15, por ofensa ao art. 5º do Decreto Estadual nº 52.054/07, e ao princípio de isonomia consagrado no art. 5º, caput, Constituição Federal, cessando-se todos os seus efeitos. Julgo extinto o processo, com resolução de mérito, nos termos do art. 487, I, do Código de Processo Civil (Lei nº 13.105/ 15)”. Ainda cabe recurso. Mais vitórias Na questão da longeva briga travada entre Sinpol e governo do Estado envolvendo a questão da aposentadoria especial, mais um capítulo transcorreu durante o mês de setembro - como de costume, amplamente favorável ao sindicato e seus filiados. De acordo com os advogados Ricardo e Viviane Ibelli, o governo insiste em não respeitar o direito à paridade e integralidade, quando da aposentadoria do policial civil, nos moldes da LCF (Lei Complementar Federal) 51/1985 e da 144/2014. Diante da resistência do governo do Estado em cumprir o que o jurídico do sindicato entende ser um legítimo direito do policial civil, diversas ações pleiteando mandado de segurança foram movidas e as vitórias se sucedem mês a mês. Em setembro, foram mais três policiais civis os favorecidos pelos mandados de segurança. Em todos os casos ainda cabe recurso. O investigador de Ribeirão Preto, Carlos Roberto Cardozo, ingressou com a ação pleiteando o mandado de segurança. Ele perdeu em primeira instância, mas o jurídico do Sinpol recorreu e obteve provimento no Tribunal. Outro beneficiado foi o escrivão de Américo Brasiliense, Sérgio Luís Anello. Ele também ingres- sou com mandado de segurança pleiteando a aposentadoria especial e perdeu em primeira instância. No Tribunal, após recurso, o jurídico do Sinpol obteve sentença favorável. A escrivã de Ribeirão Preto, Rita de Cássia Vieta, perdeu em primeira instância a ação visando mandado de segurança que lhe garanta o direito à paridade e integralidade. Mas graças ao recurso do Sinpol obteve vitória no Tribunal. “Estamos sempre atentos. Não vamos nos omitir quando o assunto em questão é defender os direitos legítimos dos policiais civis. Essa é a principal razão para o Sinpol existir. Estamos sempre na luta. Por melhores salários, por mais recursos humanos e, sobretudo, para coibir injustiças como as que o governo e a chefia insistem em praticar contra a categoria”, concluiu Eumauri. Diretoria do Sinpol e advogados que compõem o departamento jurídico comemoraram os resultados positivos

[close]

Comments

no comments yet