Jornal Eco da Tradição Outubro 2017

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Eco da Tradição outubro 2017 - 194

Popular Pages


p. 1

ECO DA TRADIÇÃO - ANO XVI - Nº 194 - OUTUBRO DE 2017 EVENTOS OFICIAIS Tchêncontro, Acampamento e Inter-regional de Canoas Página 03 EMPREENDEDORISMO Santana do Livramento aposta na Ferradura dos Vinhedos Página 16 EDITORIAL DA PRESIDÊNCIA Ao comemorar 51 anos, a luta por um MTG sempre jovem Página 02 SEMANA FARROUPILHA FESTIVAIS DE FOLCLORE Comemorações no Rio Grande O sucesso do CTG Aldeia dos do Sul, no Brasil e no mundo Anjos na Coreia do Sul Páginas 08, 09 e 17 Página 14 Foto: TV Tradição Foto: Arquivo Facebook DESTAQUE Eduardo Rocha e Gujo Teixeira na mostra “Interiores” Página 15 Foto: Eduardo Rocha Juventude gaúcha no acendimento da Chama Crioula, em Porto Alegre Depois de fazer sucesso na Coréia, Aldeia já embarcou para o Qatar Mostra “Interiores”, de Eduardo Rocha e Gujo Teixeira SEMANA FARROUPILHA 2017 RENOVA O SENTIMENTO DE ORGULHO DO POVO GAÚCHO O gaúcho, em sua essência, que sempre buscou a liberdade, que cantou as belezas de sua terra, que foi hospitaleiro, que foi descrito por Elias Regules, José Hernandez, Simões Lopes Neto, Apolinário Porto Alegre, ou Aureliano de Figueiredo Pinto é rea�irmado por um povo que preserva a sua história. Foto: TV Tradição Todas as cidades do estado realizaram seus festejos farroupilhas conforme as condições financeiras locais. Na capital, o MTG implantou um novo conceito para poder enfrentar a crise e realizar o Acampamento Farroupilha e o desfile. O apoio das Leis de Incentivo à Cultura amenizou o impacto financeiro, permitindo a captação de recursos em muitos eventos pelo Rio Grande do Sul, inclusive em Porto Alegre.

[close]

p. 2

2 Rua Guilherme Schell, 60 Porto Alegre / RS CEP: 90640-040 Email para sugestão de pautas: conselhoeditorialeco@mtg.org.br www.mtg.org.br mtg-rs.blogspot.com Contato: 51. 3223-5194 EXPEDIENTE: SUPERVISÃO E DIREÇÃO: Nairioli Callegaro DIREÇÃO DE REDAÇÃO: Rogério Bastos DIAGRAMAÇÃO E DESIGN: Liliane Pappen CONSELHO EDITORIAL: Elenir Winck, Sandra Veroneze, Odila Savaris, Anijane Varela, José Roberto Fischborn, Vitor Pochmann e Bruno Mendonça. JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rogério Bastos (16.834) Liliane Pappen (16.835) Fúlvio Lopes (16.200) COLABORAÇÃO: Andressa Motter IMPRESSÃO: Zero Hora TIRAGEM: 3 mil exemplares Atendimento De segunda a quinta-feira 09 às 12h e das 13 às 18h Sexta-feira 09 às 12h e das 13 às 17h Valores da Anuidade Outubro Valor Plena Parcial Especial Estudantis R$ 1.203,80 R$ 1.032,23 R$ 631,90 R$ 174,38 40% do valor retorna às RTs. MTG: PRESIDENTE: Nairioli Antunes Callegaro VICE-PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS: Elenir Fátima Dill Winck VICE-PRESIDENTE DE CULTURA: Anijane dos Santos Varela VICE-PRESIDENTE ARTÍSTICO: José Roberto Fischborn VICE-PRESIDENTE CAMPEIRO: José A. Araújo VICE-PRESIDENTE ESPORTES: Martim Guterres Damasco Não nos responsabilizamos pelas opiniões publicadas no jornal Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 EDITORIAL OPINIÃO Por: Jarbas Lima Conselheiro Benemérito do MTG POR UM SEMPRE JOVEM MTG Todos os eventos realizados pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho são especiais, mas um, em particular, tem um brilho diferente. É quando outubro chega que comemoramos o aniversário do MTG. No dia 28 serão 51 anos dedicados à causa tradicionalista. É um momento de festa, alegria e confraternização entre gaúchos de nascimento e de coração de todos os pagos, mas é sobretudo um tempo de reflexão. Fazemos assim também em nossas vidas. Costumamos analisar o que de bom aconteceu no último ciclo, o que poderia ter sido melhor ou diferente, e tecemos os melhores planos para o ciclo que chega. Temos, enquanto instituição, motivos para comemorar? Certamente. Temos melhorias a serem implementadas? Sempre, pois também é assim a vida: contínua. O MTG, como um organismo vivo, renova-se constantemente e nisso talvez resida o segredo de sua longevidade e vigor. É inquestionável, portanto, a importância dos jovens entre nós. Tal qual a primavera, que no ciclo anual traz à vida um novo sopro, um novo impulso, renovando não somente a paisagem, mas também as intenções, os jovens dão novo ânimo para o MTG. O brilho nos olhos, a energia, a vontade de fazer mais e melhor, a disposição para o que der e vier, o compromisso e o capricho em todos os detalhes são elementos impulsionadores. Mais: são elementos inspiradores, para todos aqueles que compõem as fundamentais raízes desse movimento, as gerações anteriores, mais experientes, que já viram muito desta vida e que constituem o tronco sólido da instituição. É possível conciliar tradição com juventude? O MTG tem demonstrado que sim. Conseguimos unir o antigo com o novo, o sábio com o aprendiz... E aqui estamos falando não da idade física, mas sim de estado e presença de espírito... Neste dia 28 de outubro, vamos comemorar. Venha para festa de aniversário do MTG. Mas se você não puder, comemore onde estiver. Diretoria do MTG Foto: Rogério Bastos Diretoria do MTG PENSAMENTO POSITIVO O presidente do MTG, Nairo Callegaro, teve alta na manhã do dia 7 de outubro. Ele havia sido hospitalizado em Porto Alegre, na quinta-feira, dia 28 de setembro, em decorrência de uma intercorrência cardíaca. Aos amigos e familiares, ele agradece por todo apoio e carinho. HONESTIDADE Quando vivemos em um país onde tantos escândalos de corrupção envolvem os representantes do povo, faz-se necessária uma reflexão para que na próxima eleição sejamos conscientes ao eleger nossos políticos. A pessoa honesta tem direito de buscar a felicidade. Merece fazê-lo. Persegui-la, sem que isto implique a necessidade de passar por cima da própria honestidade, como se esta fosse causa impeditiva de alcançá-la. Honestidade e felicidade ou coexistem ou não existem. Desonestidade e felicidade são conceitos que se repelem, realidades que se excluem, caminhos que não se encontram. Pessoas honestas são padrões para boas pessoas. Desenvolvem talentos reconhecíveis facilmente. Ao contrário dos desonestos que se protegem na sombra, fogem da luz. Os bons respiram a solidariedade, comovem-se com o sofrimento do próximo, não conhecem a solidão. Tem ligações sólidas. Honestidade é bondade, é certeza. Honestidade é desenvolvimento de virtudes. A aura da pessoa honesta é o caráter. É confiável. Quer que a vida seja boa para todos. A honestidade é o objetivo do justo. É o norte da felicidade. A bondade é a identidade dos honestos. O honesto sabe e aceita que toda a rosa tem espinhos. Respeita a lei, orgulha-se dos bons costumes. Os honestos compreendem que a vida não é obra apenas do prazer, mas do trabalho, do sofrimento, da resignação e da esperança. Pessoas honestas sonham com um mundo feliz. E para todos. As pessoas honestas adotam o discurso do valor, da justiça, da cidadania. O honesto responde à convocação do dever. Tem atitude. É movido pela razão prática. Aceita sua realidade social. Luta sem ódios por seus sonhos e esperanças. O honesto não precisa jurar. Sua vida é o compromisso. Tem caráter. O honesto mede seus direitos pelos seus deveres. É correto sem precisar de elogios. Sua felicidade é ser justo. O honesto não teme a suspeita de ser considerado imbecil. Para ele, sem honestidade nada mais teria sentido. Não tem vergonha de ser honesto. A sociedade é um organis- mo vivo. Tem vontade própria. O indivíduo é parte do todo. Quando desonesto contami- na a sociedade. O voto con- cretiza a cidadania, exerce a democracia, diz a vontade geral. Como a democracia di- reta é impossível, impõe-se a representação. Votar é esco- lher um igual. Com os mes- mos valores. Com os mesmos princípios. Votar é sentir or- gulho do representante. É ter satisfação em identificá-lo. É propalar suas ações. Por isso, honesto vota em honesto. Es- tas são reflexões necessárias quando se aproxima mais um ano eleitoral. “Impunidade de corrup- tores e corruptos tem sido a resposta social e legal ao cri- me organizado da política e de políticos. Os bandidos perde- ram o respeito, entregando-se a ações cada vez mais ousa- das e descaradas. O decoro e a decência abandonaram de vez a vida política do país, au- sentando-se das mais nobres ações cívicas e institucionais. Em todas as sociedades, crimes são cometidos. Não é exclusividade do Brasil con- viver com políticos corruptos. A diferença é que os outros punem, nós ignoramos. Lá, diante da prova, os políticos renunciam, suicidam-se pela vergonha experimentada. Aqui, são arrogantes. Anun- ciam processos. Até que as coisas se acalmem e todos esqueçam. Com bons advo- gados, protelam, fazem pres- crever os crimes. A abundân- cia recursal favorece. Nosso sistema judicial é ‘convoluto’. Os acusados voltam reeleitos, absolvidos pelo povo, dizem. Será isso uma identificação com os representantes ou de- sânimo do povo, que perdeu a confiança nas instituições? Afi- nal, o que está acontecendo? Rui Barbosa, senador de ver- dade, homem digno, libelou que as pessoas “têm vergonha de ser honestas”, diante dos que riem da honra, debocham da Justiça, zombam da virtu- de. Que saudade de Pinheiro Machado, Armando Câmara, Mem de Sá!”

[close]

p. 3

Ano XVI - Edição 194 EVENTOS Outubro de 2017 3 27º Tchêncontro e 16º Acampamento Estadual da Juventude Gaúcha serão em Giruá, na 3ª RT HISTÓRIA DO TCHÊNCONTRO O Tchêncontro foi idealizado com os objetivos de reunir a juventude tradicionalista para debater sobre a sua participação no Movimento e de apresentar as Prendas Juvenis Regionais à sociedade gaúcha. Ele visa, ainda, a divulgação do Projeto Sarau de Prendas, o preparo da Prenda Jovem para o ingresso no meio tradicionalista, a confraternização entre as Regiões Tradicionalistas, o incentivo à cultura e ao civismo no estado e a valorização da mulher no culto às tradições. O evento foi criado no ano de 1992, em Passo Fundo, onde ocorreram as três primeiras edições. A partir de 1995 tornou-se itinerante: no início, na cidade da Primeira Prenda Juvenil do RS, e mais tarde, em outros locais, com a participação do Departamento Jovem. A oficialização do evento ocorreu no Congresso Tradicionalista de 2001, realizado em São Gabriel. XXVII Estadual da Juventude Gaúcha TCHÊNCONTRO ACAMPAMENTO PROGRAMAÇÃO PROGRAMAÇÃO 07 de outubro de 2017 Sábado 07 de outubro de 2017 Sábado 08h - Recepção e credenciamento 09h - Abertura Oficial 9h30 - Início das atividades 12h - Intervalo para o almoço 13h30 - Reinício das atividades 16h30 - Encerramento 16h30 - Recepção e confirmação de credenciamento 17h - Deslocamento para São Miguel das Missões para assistir espetáculo Som e Luz 19h - Espetáculo Som e Luz 20h15 - Retorno a Giruá - Jantar - ao retorno a Giruá. 21h30 - Baile de Candeeiro (Confraternização em forma de baile a moda antiga entre os participantes do evento, sendo esta atividade coordenada pela gestão de prendas e peões estaduais). 24h - Encerramento das atividades do dia. “Resgatando e Homenageando os Legados de 47 e do Grupo dos 8” 07 de outubro PARQUE MUNICIPAL DE EXPOSIÇÕES OLMIRO CALAI RUA PADRE DIONÍSIO BASSO, BAIRRO HORTÊNCIO - GIRUÁ/RS “O Jovem Tradicionalista na caminhada rumo aos próximos 50 anos do Movimento” 07 e 08 de outubro PARQUE MUNICIPAL DE EXPOSIÇÕES OLMIRO CALAI RUA PADRE DIONÍSIO BASSO, BAIRRO HORTÊNCIO - GIRUÁ/RS 08 de outubro de 2017 Domingo 8h30 - Abertura Oficial 9h - Momento de Reflexão 10h30 - Atividades Culturais 12h - Almoço 13h30 - Reinício Atividades Culturais 15h30 - Encerramento e retorno das caravanas. Passo Fundo recebe tradicionalistas para o Aniversário do MTG O Movimento Tradicionalista Gaúcho, a 7ª Região Tradicionalista e o município de Passo Fundo têm a honra de convidar para o evento de comemoração do 51º Aniversário do MTG. Evento que marca o início de um novo Cinquentenário da entidade e recebe tradicionalistas dos quatro cantos do Rio Grande. Participe e ajude a construir a história de um movimento ainda mais forte e perene. Tchê esperamos de braços abertos! COMISSÃO EXECUTIVA Presidente: Airto G. T. Timm Coordenadora da 7ª RT: Gilda Galeazzi Tesoureiro: Marlene Guntzel Coord. Cavalgadas 7ª RT: Deoclécio Wolf e Varlei Catto CONTATOS/INFORMAÇÕES Airto Timm - 54 99922 1415 Gilda Galeazzi: 54 99916 6480 Verceli Oliveira: 054 99178-6756 ou 54 99655-8915 PROGRAMAÇÃO 27/10 - Sexta-feira 17h - Chegada da Chama da Paz - Fazenda da Bgd Militar - BR 285 19h - Sessão Solene alusiva aos 51 anos do MTG, na Câmara Municipal de Vereadores; 21h - Jantar por adesão no CTG Lalau Miranda. 28/10 - Sábado 8h - Saída da Cavalgada da Fazenda da Brigada Militar; 8h30 - Ato Solene no túmulo de Fagundes dos Reis; 12h - Almoço na sede dos Cavaleiros do Planalto Médio, junto ao Parque da Roselândia; 15h - Saída da cavagalda para o CTG Tropel de Caudilhos; 17h - Chegada no CTG Tropel de Caudilhos e entrega da Chama da Paz ao presidente do MTG e presidente da ORCAV 17h30 - Entrega das Outorgas da ORCAV - Título de Conselheiro Honorário - Título de Conselheiro Benemérito - Medalha Barbosa Lessa - Comenda João de Barro 21h - Jantar seguido de Fandango c/ Grupo Sul Balanço (R$50,00) Aniversário do MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO 51 Anos 28 OUTUBRO CTG TROPEL DE CAUDILHOS Av. João Catapan - Santa Marta PASSO FUNDO - RS - 7ª RT Promoção: Realização: Apoio:

[close]

p. 4

4 Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 PROSEANDO COM TENÊNCIA Por Rogério Bastos CASOS & ACASOS Chimarrão na Globo Na manhã do dia 29 de setembro a presidente do Instituto Escola do Chimarrão, de Venâncio Aires, Liliane Pappen, ensinou o Brasil a fazer chimarrão de uma forma simples, fácil, gastando menos erva, não sujando a mão e nem o local - “O Chimarrão de 11 segundos”. Foram minutos preciosos, em rede nacional, falando sobre bebidas típicas de alguns estados, onde ela, pilchada, mostrou por que apreciamos a nossa bebida símbolo. 13º Congresso da CITG, em Montevidéu Teremos em Montevidéu, no Uruguai , dia 28 de outubro, o 13º Congresso da Confederação Internacional da Tradição Gaúcha (CITG), e fica nosso convite a todos. Propostas do Congresso: – “El Gaucho y sus tradiciones” - Informe de situación del tema en cada país. - Propuestas de actividades de la Confederación, para su permanencia y fortificación. - Elección de nuevas autoridades para el próximo período – Presidente Paixãozinho nos deixou Darcy Pereira da Paixão. Ele partiu, mas nos deixou... Sim, deixou um legado de ensinamentos, dois filhos e um neto, os quais que preparou para ocuparem espaços no Movimento Tradicionalista Gaúcho. Dilmar e Dinara desde cedo acompanhavam o pai por suas andanças. Um homem que, apesar do peso da idade, era um jovem de espírito, sempre remoçado, e que sempre apoiou os jovens. Partiram, além do Paixãozinho, Nelson Cardoso, Adelar Bertussi, tio Beno e a esposa do Coronel Alberto Rosa, de Pelotas. Fica o registro de nossa tristeza. 2018 - um ano cheio de comemorações Em recente levantamento que fiz, 2018 será um ano para grandes comemorações. Veja algumas: • 20 anos da inauguração oficial da sede do MTG e do Hino Tradicionalista e 50 anos da 1ª Convenção Tradicionalista, que aconteceu em Jaguari; • 70 anos do Pioneiro 35 CTG e da Comissão Gaúcha de Folclore e 80 anos da criação da Sociedade Gaúcha de Lombagrandense; • 120 anos da criação do Grêmio Gaúcho, por Cezimbra Jacques e 150 anos da criação da Sociedade Pathenon Literário; • 170 anos do lançamento de “O Corsário” de Caldre e Fião e 180 anos do Jornal “O Povo” e da criação do hino farroupilha. Gaúcho: Senhor do seu destino Quando passam os Festejos Farroupilhas, no mês de setembro, refletimos: que “Gaúcho” é esse que reverenciamos? Ou reverenciamos os feitos “Farroupilhas”? Talvez se promova acampamentos, mistos, meio reverenciando os farroupilhas, meio resgatando a história gaúcha. Seria a ideia de relembrar um gaúcho em sua plenitude de liberdade e senhor do seu destino? Seria o gaúcho de Ricardo Guiraldes, José Hernandez, Elias Regules, Simões Lopes Neto, José de Alencar, Apolinário Porto Alegre, ou cantado por nossos mais variados poetas? Quem é esse gaúcho? Semana Farroupilha é reflexão! CTG Maragatos 60 anos Foi no grande CTG Maragatos que conheci pessoas que me deram um grande impulso no meio tradicionalista. A dona Ligia e sua família, a Lara Cilene, que foi 1ª Prenda da Região, o Nelson Mileski, Rangel... Uma história que, agora, nas mãos do patrão Paulo, tem tudo para chegar ao seu centenário. Feliz aniversário! MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO Calendário do MTG - 2017 1 7 7e8 14 e 15 21 e 22 27 e 28 1 04 e 05 11 17 a 19 7 9 13 OUTUBRO DE 2017 2ª INTER-REGIONAL DO ENART TCHENCONTRO ACAMPAMENTO DA JUVENTUDE FEGADAN 3ª INTER-REGIONAL ENART 51º ANIVERSÁRIO DO MTG / ORCAV NOVEMBRO DE 2017 SORTEIO DA ORDEM DE APRESENTAÇÃO DA FINAL DO ENART 2017 ABERTO DE ESPORTES - 2º ENECAMP 6ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR FINAL ENART 2017 DEZEMBRO DE 2017 PRAZO FINAL - ELEIÇÕES COORDENADORIAS REGIONAIS REUNIÃO DE ENCERRAMENTO - CONFRATERNIZAÇÃO NATALINA PRAZO FINAL - APRESENTAÇÃO PROPOSIÇÕES PARA O 66º CONGRESSO TRADICIONALISTA GAÚCHO MTG MTG MTG MTG + ª RT MTG MTG + 5ª RT MTG MTG URUGUAIANA GIRUÁ GIRUÁ ANTÔNIO PRADO CANOAS PORTO ALEGRE PORTO ALEGRE TRAMANDAÍ PORTO ALEGRE STA CRUZ DO SUL RTs RTs CURSOS do MTG - 2017 DATA 14 13 a 15 24 a 26 2 EVENTO PROMOÇÃO OUTUBRO DE 2017 CFOR BÁSICO MTG+15ª RT CFOR AVANÇADO MTG + 4ª RT NOVEMBRO DE 2017 CFOR AVANÇADO MTG + 3ª RT DEZEMBRO DE 2017 CFOR BÁSICO MTG + 6ª, 21ª e 26ª RT. CIDADE SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ ALEGRETE SANTO ÂNGELO PELOTAS Canoas sedia 3ª inter-regional do Enart Por: Sandra Veroneze O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, nos dias 21 e 22 de outubro, a terceira inter-regional do Enart – Encontro de Artes e Tradição. As regiões 7, 12, 16, 20, 23, 24, 26, 27, 29 e 30 se encontrarão em Canoas para disputar as vagas para a final do evento, prevista para novembro, em Santa Cruz do Sul. No total, no Clube dos Empregados da Petrobrás, serão sete palcos paralelos, abrigando oito modalidades artísticas: danças tradicionais, declamação, intérprete solista vocal, danças gaúchas de salão, chula, gaita piano, violão e causo. São realizadores da inter-regional, junto com o MTG, a Prefeitura Municipal de Canoas, a 12ª Região Tradicionalista, o Clube dos Empregados da Petrobrás e o DTG Tropeiros do Ouro Negro. O Enart é o maior evento de arte amadora da América Latina e reúne as 30 regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul. Programação 21 DE OUTUBRO - SÁBADO 22 DE OUTUBRO - DOMINGO 08h30 - Palco A - Danças Tradicionais FORÇA B 08h30 - Palco B - Declamação Feminina 08h30 - Palco C - Declamação Masculina 08h30 - Palco E - Intérprete Solista Vocal Feminino 08h30 - Palco E - Intérprete Solista Vocal Masculino 08h30 - Palco F - Danças Gaúchas de Salão 13h30 - Abertura Oficial - Palco A 15h - Palco G - Chula 08h - Palco A - Final Danças Tradicionais FORÇA B 08h - Palco F - Final Danças Gaúchas de Salão 08h - Palco B – Final Declamação Feminina 09h - Palco C - Final Declamação Masculina 09h - Palco D - Final intérprete Solista Vocal 09h - Palco E - Final Intérprete Solista Vocal Masculino 09h - Palco G - Final Gaita Piano e violão 14h - Palco B - Final Causo *** No domingo, ao final das Danças Tradicionais Força B, inicia-se, imediatamente, as Danças Tradicionais Força A.

[close]

p. 5

Ano XVI - Edição 194 DEPARTAMENTO JOVEM Por: Eduardo Gusmão Bittencourt Vice-diretor Dpto Jovem do MTG Um ENART muito além do tablado, a todos! Outubro se aproxima, e com ele de festa. uma ponta de saudade da melhor É necessário que dançarinos e semana do ano... Mas nem dá bem ensaiadores lembrem-se que são o tempo de sentir saudade e nossos grande cartão de visita das entida- olhos se voltam ao maior festival de des tradicionalistas, e que é neste arte e tradição da América Latina: o momento que os olhares das re- nosso tão esperado Enart. giões e cidades se voltam para seus Chega a hora de os grupos mos- grupos locais, independente de ban- trarem seu trabalho de um ano in- deira, pois nesse momento a única tenso, e dos individuais buscarem bandeira levantada e defendida com um destaque no cenário artístico do orgulho é a do tradicionalismo e o Movimento Tradicionalista Gaúcho. Rio Grande do Sul que só ganham Mas para que isso seja alcançado com essa grande festa. não se deve esquecer jamais de va- É claro que não podemos ne- lores como a amizade e o compa- gar que o sonho de todo dançarino nheirismo. O Rio Grande se encontra é levantar aquele troféu, mas de um em Santa Cruz do Sul para respirar festival como este, o troféu é apenas o amor pelas artes de nosso estado, uma das premiações das tantas que todos com o mesmo objetivo: difun- se recebe. O povo vibrando, grupos dir e divulgar o amor pela nossa cul- dividindo indumentária por algum tura. Esse objetivo jamais deve ser problema, o choro de alívio por uma esquecido ou trocado pela gana de boa apresentação ou o abraço de sair campeão, pois só de estarem consolo por uma falha, o sorriso das vivendo aqueles momentos nos três crianças dentro do ginásio, a emo- dias de festa, todos já saem cam- ção que se divide... Isso sim, esta é peões, e quando se fala em todos, a verdadeira premiação de um cam- engloba-se os grupos, a organiza- peão. ção e o público que faz essa grande E se não deu? Não tem proble- festa. ma. O amor e a paixão pela arte É necessário que dançarinos e do Rio Grande do Sul não deixarão ensaiadores lembrem-se que são o nunca o ritmo morrer. Amanhã, no grande cartão de visita das entida- mais tardar em uma semana, é hora des tradicionalistas, e que é neste de começar tudo de novo; ensaios, momento que os olhares das re- noites mal dormidas e em claro, giões e cidades se voltam para seus avaliações, rodeios, acordar cedo grupos locais, independentemente aos domingos para que em novem- de bandeira – pois nesse momento bro de 2018, em mais um Encontro as únicas bandeiras levantadas e de Arte e Tradição, possamos com- defendidas com orgulho são a do partilhar dessa energia novamente. tradicionalismo e a do Rio Grande do Pois o Enart é o sonho de muitos, a Sul, que só ganham com essa gran- realização de poucos, mas a grande Foto: Rogério Bastos vitória é de todos. Vamos valorizar cada momento dessa confraternização e fazer uma grande festa rega- da de muito amor, ami- zade e companheirismo, e que aproveitemos es- ses dias para mostrar- mos nossa honra e or- Etdrouiaanr.dpodfB1itt0e7n/0c3o/u20r1t7e 2K2e:4l1v:2y5n Krug gulho de sermos todos os gaúchos Outubro de 2017 CEVANDO O MATE 5 Por Sandra Veroneze MONITORAMENTO Curso de Assessoria de Imprensa - Outubro 2017 O monitoramento é fundamental no trabalho do assessor de imprensa de uma entidade tradicionalista. É importante que o profissional reserve um tempo todos os dias para ler jornais, ouvir rádios, pesquisar em sites. Esse trabalho tem basicamente dois objetivos. O primeiro deles é vislumbrar possibilidades de mídia espontânea e o outro é controlar o que está sendo publicado sobre sua entidade. Em se tratando de mídia eletrônica, um importante recurso que pode ser utilizado é o Google Alerts. Trata-se de um serviço do Google, gratuito, onde você cadastra determinadas palavras e ao final do dia o Google envia para seu email o relatório de matérias onde a palavra foi citada. Na Assessoria de Imprensa do MTG temos vários alertas ativos. Exemplos: MTG, Movimento Tradicionalista, Enart, Fecars, Congresso Tradicionalista, Acampamento Farroupilha. Também habilitamos os nomes das pessoas que estão na diretoria e outras fontes de informações. A partir do monitoramento você pode ir construindo o Clipping. Você pode separar as matérias e tirar um tempo ao final da semana ou do mês para essa tarefa ou pode ir desenvolvendo todos os dias um pouco. Essa é uma escolha pessoal do assessor e da entidade. Na assessoria do MTG optamos por desenvolver diariamente a captação de notícias, pelo volume de trabalho. Para terem uma ideia, somente o acampamento farroupilha de 2016 gerou um documento com mais de 550 matérias. No cabeçalho identifique o veículo de comunicação e o link. Também poderá anexar outras informações, como Editoria, município onde o veículo tem sede e tamanho (centímetros ou minutos). Dê um print da matéria e cole abaixo. Em termos de organização, fica melhor visível uma matéria por página. A partir do clipping você poderá avançar para a Taxação, que nada mais é do que o cálculo da mídia espontânea. Em outras palavras, o cálculo do valor que a entidade precisaria pagar caso fosse ocupado um espaço pago, e não editorial. Para isso, solicite as tabelas de publicidade dos veículos de comunicação. Em muitos casos elas estão disponíveis no site. Caso não estejam, os profissionais costumam fornecer de bom grado. Alguns assessores de imprensa aplicam o dobro do preço, por considerarem o espaço editorial mais crível, com mais credibilidade, que o de anúncios. No MTG optamos por aplicar a tabela em seus valores exatos. Em 2016 conseguimos uma mídia espontânea de mais de R$ 15 milhões, com grande destaque para o Acampamento Farroupilha, que, sozinho, somou mais de R$ 12 milhões em mídia espontânea. São valores que, efetivamente, a entidade não disporia para investir em publicidade. Realizado o monitoramento, você poderá iniciar as análises quantitativa e qualitativa. Na análise quantitativa você identifica quantas matérias foram publicadas, qual o espaço ocupado, quanto de taxação rendeu, número de jornalistas envolvidos. Pode dividir por veículo, por pauta, por editoria. A análise qualitativa pode considerar, por exemplo, se o jornalista usou seu texto ou não, se tem informações exclusivas, se a pauta é integralmente positiva ou se gerou alguma crítica, quais os veículos mais participativos e atuantes... À medida que o tempo for passando, compare esses dados. Isso possibilitará saber se estão acontecendo avanços ou retrocessos. A taxação do Enart de 2015, por exemplo, foi de R$ 1,1 milhão, enquanto que a de 2016 foi de R$ 2,8 milhões. Ou seja, um crescimento substancial. Analise os números, os fatores que levaram a eles e o que pode ser melhorado para conseguir resultados ainda mais expressivos. Continua no próximo mês. Em caso de dúvida, escreva para mim: imprensa@mtg.org.br. C M Hámaisde 15anosDandovozÀnossa tradição! Y CM MY Entre em contato, temos a estrutura completa para o seu evento. CY CMY K 5499112.1085 troiansonorizacao@gmail.com

[close]

p. 6

6 Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 ESPAÇO DA CBTG Colaboração: Aline Jasper 2ª Prenda da CBTG e Mestre em Jornalismo CTG Maragatos completa 60 anos de fundação No ano de 1957, um grupo de gaúchos formado por Alaor Penella Martins, Adão Alves Dorneles e Seu Moreno, foram convidados pelo patrão Cyro Rivaldo a participar de uma festa gaúcha no CTG Estância da Saudade, um departamento do Glória Tênis Clube de Porto Alegre. Todos estavam devidamente pilchados e, dentro de uma prosa acalorada, trataram sobre o tradicionalismo. Foi então sugerido que fosse criado um CTG na Vila Floresta, já que o bairro não contava com uma entidade do gênero, e o próprio Alaor possuía condições de formar e dirigir com habilidade uma Associação Tradicionalista. A nova entidade precisava de um nome. Esse nome deveria refletir o ideal gaúcho. Lembrou Alaor da Revolução e, por motivos históricos, ficou decidido que a entidade se chamaria Centro de Tradições Gaúchas MARAGATOS. Decidiu-fazer uma carreteada, que saiu de São Gabriel, utilizou 36 juntas de bois, durou 83 dias e recebeu muitas adesões durante o percurso – uma delas, de Zenum Andrade que, com seu cavalo, acompanhou todo o trajeto e terminou por fixar sua residência junto ao CTG. Curiosa foi a chegada a Porto Alegre, onde no momento realizava-se a solenidade de inauguração do Monumento ao Laçador, no final da av. Farrapos. O grupo encostou a carreta com a Invernada Artística e a Patronagem do CTG Maragatos, marcando assim o final da sua primeira grande jornada. Nesse aspecto, ressalte-se que este CTG tem, permanentemente, contribuído com seus quadros para as Administrações da Primeira Região Tradicionalista, Movimento Tradicionalista Gaúcho/RS, Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul e do Brasil, Conselho Municipal de Cultura, entre outras. Além disso, também tem contribuído com seus Peões e Prendas nos Concursos Regionais, chegando, por várias vezes, ao estadual, onde já conquistou os principais títulos de Primeira Prenda do Rio Grande do Sul, na categoria adulta, com Patrícia Ludwig; Primeira Prenda na categoria juvenil, com Faúsa Alves de Souza; segundas prendas: Beatriz Reichack Dias e Simone de Souza Alves; 3ª Prenda: Ana Paula Ludwig, e 3ª Prenda Mirim, Carla Trindade. Para comemorar seus 60 anos de história, o CTG Maragatos estará promovendo um jantar baile no dia 28 de outubro, com o Grupo Pealo Campeiro. O CTG fica na Rua Ouro Preto, 408, bairro Floresta, em Porto Alegre. Foz do Iguaçu (PR) sediará 20º Congresso Brasileiro da Tradição Gaúcha e 17º Concurso Nacional de Prendas e Peões Nos dias 24 a 26 de novembro de 2017, a Confederação Brasileira da Tradição se reunirá na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná, para realizar a eleição da nova Diretoria e escolher a nova gestão de Prendas e Peões que representarão os tradicionalistas de todo o Brasil. O Congresso Brasileiro da Tradição Gaúcha, que será presidido por Francisco Fighera, deve contar com a presença dos Membros do Conselho de Vaqueanos, Conselho Diretor, Junta Fiscal e Conselho de Ética da CBTG, além dos Delegados dos MTGs, cuja quantidade é determinada pela proporção do número de filiados. Vale lembrar que o Congresso Brasileiro é a maior instância de poder da CBTG, e tem o objetivo principal de traçar e ordenar as diretrizes, rumo e princípios do Tradicionalismo Gaúcho do Brasil, além de eleger a Diretoria da entidade, apreciar e deliberar sobre o Relatório Final do Conselho Diretor e pareceres da Junta Fiscal. O Concurso Nacional de Prendas e Peões, por sua vez, reunirá os representantes dos MTGs de todo o Brasil para escolher as Prendas e os Peões Tradicionalistas da CBTG nas categorias Mirim, Juvenil, Adulto e Veterano. Com a realização de provas escritas, orais, artísticas e campeiras, prendas e peões devem demonstrar seu preparo, conhecimento e vivência na tradição gaúcha. Dados complementares, como a programação detalhada dos eventos, as inscrições para o Concurso, sugestões de hotéis e demais informações, serão divulgados nos canais oficiais de comunicação da CBTG, o site www.cbtg.com.br e a página no Facebook “CBTG – Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha”. Yangos é o RS no Grammy Foi em Caxias do Sul, terra da uva e do vinho que surgiu YANGOS, banda instrumental que carrega forte influência da música de raiz sul-americana, com a maioria de seus integrantes oriundos de CTGs. Formado pelos músicos César Casara (piano), Cristiano Klein (percussão - cajón e bombo leguero), Rafael Scopel (acordeon ) e Tomás Savaris (violão), YANGOS faz da união do piano, percussão, acordeon e violão um encontro potente, adicionando pitadas jazzísticas a milongas, chamamés e chacareras. O quarteto soma quatro discos e um dvd. Seu mais recente trabalho, CHAMAMÉ, é finalista da 18.ª Entrega Anual do Latin GRAMMY® - Melhor Álbum de Música de Raízes Brasileiras. Pela primeira vez na história, uma banda da Serra Gaúcha é indicada ao GRAMMY LATINO (o mais importante prêmio da música da América Latina). YANGOS é finalistas com o disco “Chamamé” (realizado com financiamento coletivo) sem dúvida nenhuma uma grande conquista para a produção cultural caxiense. A cerimônia acontecerá dia 16 de novembro, em Las Vegas. Paraná promove seu 2º CFor, em 2017 O MTG do Paraná estará realizando seu segundo Curso de Formação Tradicionalista neste ano. Cascavel sediou o anterior. Em 2012, o MTG do Paraná realizou seu primeiro Curso de Formação Tradicionalista (CFor), na cidade de Francisco Beltrão. Depois de um tempo sem realizar o curso, o Departamento Cultural voltou a promovê-lo em setembro de 2016, na cidade de Maringá. Neste ano, Cascavel sediou a terceira edição e agora, o MTG realiza seu 4º CFor, no dia 21 de outubro, em Pontal do Paraná. Palestrará, pelo MTG-PR, o Diretor Artístico, Marcelo Francos. As inscrições já estão abertas.

[close]

p. 7

Ano XVI - Edição 194 FESTIVAIS Por Vinicius Brum ESQUILADOR A mazurca defendida por Edson Otto e os Cantores dos Sete Povos, sétima concorrente a se apresentar na terceira noite eliminatória, em 15 de dezembro de 1979, foi a grande vencedora da 9a. Califórnia da Canção Nativa. O compositor de “Prece ao Minuano” - premiada em segundo lugar na primeira edição do festival - Telmo de Lima Freitas, que participara de todas as edições anteriores, consagraria “Esquilador” ao conquistar a Calhandra de Ouro. Essa talvez seja a mais emblemática de suas criações. Atrevo-me a dizer que uma boa antologia de canções surgidas a partir dos festivais nativistas deverá contemplar “quando é tempo de tosquia já clareia o dia com outro sabor...”. E, falando no autor, permitam que eu valha de um texto aqui já publicado. Quero fazer minha reverência, nestes tempos áridos, a essa figura tão maravilhosamente (des)importante na vida de todos, posto que imagino não haver aquele que não tenha sido tocado por uma bela canção popular. Essas que nos fazem chorar, sorrir, amar, refletir, doer, partir, ficar... Dentro do espectro da música regional produzida no Rio Grande do Sul, gostaria de destacar um compositor para, em seu nome, homenagear a todos que emprestam seu engenho e sua arte para construir este cenário de belas e marcantes canções que compõe o nosso cancioneiro. Ele é o grande referencial deste estilo que de forma simples convencionou-se chamar de música campeira: Telmo de Lima Freitas! Um compositor popular com letras maiúsculas, pois gigante é sua obra que é do tamanho de sua alma. O velho Telmo beira de fogo, galpão de abrigo, viola sempre pronta para chorar, oito baixos que embala bailes de ramada e sonho, o “capim rasteiro que do nada se criou” e nos deu de presente, entre tantas, Prece ao minuano, Esquilador, Cantiga de ronda, Defumando ausências, Lembranças, Alma de galpão, Morena Rosa, Pago Santo e Prenda Minha. O “Telmo de Lima dos versos Freitas” - como já cantei junto com Luiz Carlos Borges - sempre ouvindo a alma de sua gente e com mãos de mago tirando sons do coração. ‘O Lobo’ vence a Sesmaria Foto: Divulgação da Poesia Jairo Lambari Fernandes. Ao final, os jurados Joseti Gomes, Jairo Lambari Fernandes e Paulo de Freitas Mendonça definiram o seguinte resultado: A nata petica do Rio Grande do Sul A Sesmaria da Poesia Gaúcha, que nasceu no ano de 1996, é um concurso de poesia e declamação, cuja temática deve estar identificada com o contexto sócio cultural do Rio Grande do Sul, abordando as várias nuanças poéticas que caracterizam a produção literária de nosso estado. Ela integra um projeto cultural desenvolvido pela Associação Cultural Sesmaria, tendo por principais objetivos integrar, através da poesia, a comunidade de Osório ao Movimento Tradicionalista e Nativista do Rio Grande do Sul e abrir novos espaços para poetas e declamadores, partindo-se do princípio que estes são muitos restritos nos palcos gaúchos. A 22° Quadra da Sesmaria da Poesia Gaúcha aconteceu na noite de sábado, 30 de setembro, no plenário da Câmara de Vereadores de Osório, e teve como homenageado o poeta Don Arabi Rodrigues. A comissão organizadora também homenageou o poeta e tradicionalista osoriense Airton Ferreira, recentemente falecido. O espetáculo de intervalo ficou por conta de POESIA: 1º LUGAR: O LOBO, de Rodrigo Bauer Declamador: Pedro Junior da Fontoura Amadrinhador: Geraldo Trindade 2º LUGAR: LÍRICA, de Carlos Omar Vil- lela Gomes Declamador: Giovani Primieri Amadrinhador: Geraldo Trindade 3º LUGAR: MEU GALPÃO AO MEIO-DIA, de Matheus Neves da Fontoura Declamador: Francisco Azambuja Amadrinhador: Clênio Bibiano da Rosa INTÉRPRETE: 1º LUGAR: FRANCISCO AZAMBUJA Poema: Meu Galpão ao Meio-Dia (Ma- theus Neves da Fontoura) 2º LUGAR: LUIZ HENRIQUE FONTANA Poema: Romance de um Despeonado (Sebastião Teixeira Correa) 3º LUGAR: JAIR SILVEIRA Poema: Remorsos (Caine Teixeira) AMADRINHADOR: 1º LUGAR: CLÊNIO BIBIANO DA ROSA Poema: Meu Galpão ao Meio-Dia 2º LUGAR: WILLIAN ANDRADES Poema: Romance de um Despeonado 3º LUGAR: ZULMAR BENITEZ Poema: Remorso Outubro de 2017 7 ESPAÇO CGF/FSH Por: Paula Simon - Folclorista Folclore Mágico AMULETOS Figa - um dos mais tradicionais amuletos conhecidos em todos os tempos é oriundo das crenças pagãs, dos velhos cultos fálicos da Ásia e da África. Representa também o símbolo da fertilidade e pode se apresentar em diferentes materiais, entretanto a mais cobiçada é a de madeira chamada Figa da Guiné. As primeiras figas das quais se têm notícias foram fabricadas com madeira da figueira (entre os caldeus, esta árvore é símbolo da vida, da fecundidade e da proteção, já que foi com folhas da figueira que Adão e Eva recobriram sua nudez ao serem expulsos do Paraíso). Tradicionalmente ao nascer uma criança a madrinha deve oferecer uma pequena figa de ouro para proteção da criança contra mau olhado, quebranto e outros males. Ferradura - é um dos mais populares objetos de crença supersticiosa e a opinião geral é que atrai boa sorte encontrar na rua e trazer para casa colocando-a sobre a porta de entrada da residência, com as pontas viradas para cima. Outros creem que as pontas devem ficar para baixo, com a curva formando um céu ou uma casa, abrigo para o homem. O poder da ferradura é atribuído por a mesma ter sido criada no fogo sagrado e ser feita de ferro, metal igualmente sagrado. Patuá ou Breve - saquinho de pano ou couro contendo uma oração forte ou “ponto riscado” que deve ser levado ao pescoço e, segundo a crença popular, imuniza de qualquer mal tornando invulnerável o seu portador. Guia de Santo - Colar feito de coninhas (missangas) com as cores dos Orixás, de contas ou de sementes que os iniciados em religiões de Matriz Africana usam ao pescoço ou atravessadas no corpo. Devem ser “trabalhadas” no pegi e cada tipo tem um significado ritual, além de atuarem como ponto de fixação de forças. A cada “obrigação cumprida” o filho de santo recebe uma guia correspondente. Este texto não esgota o assunto. A imaginação e as crenças do ser humano são infinitas e muito ainda se poderia falar sobre a ânsia que o homem tem de dominar as forças sobrenaturais. 13º Congresso da CITG em Montevidéu A capital uruguaia receberá os representantes das Confederações nacionais do Brasil, da Argentina e a sua, para discutir a declaração do “gaucho” como patrimônio da humanidade ACOMPANHE O PROGRAMA - DIA 27/10/2017 Hora 9.00 - Recepción y acreditaciones Hora 9 y 30 - Palabras de apertura a cargo del Presidente de la Confederación Sr. Manuel Rodríguez Marghieri. Hora 9 y 45 - Situación de las Confederaciones Argentina, Brasil e Uruguay Hora 10 y 30 - Declaratoria de “El Gaucho y sus Tradiciones” como Patrimonio Cultural Inmaterial de la Humanidad, disertación a cargo del Dr. Carlos Arezo. A continuación, los señores representantes de la Confederación Gaucha Argentina (CGA) y de la Confederación Brasileña de la Tradición Gaucha (CBTG) podrán informar sobre la situación del trámite en sus respectivos países. Hora 12 a 14 - Almuerzo y descanso Hora 14 a 15 - Propuestas concretas de cada delegación, para el fortalecimiento de la CITG. Hora 15.00 - Sugerir posible lugar y fecha, en la Argentina, para designar las nuevas autoridades de la CITG. Hora 16.00 - Visita al museo de la Sociedad Criolla Dr. Elías Regules. Hora 20.00 - Cena

[close]

p. 8

8 Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 Semana Farroupilha homenageou Cônsules e Embaixadores honorários da cultura gaúcha Foto: Rogério Bastos Fotos: Rogério Bastos Presidente da CBTG, João Mello, discursou orgulhoso Tradicional registro histórico, nas escadarias do Palácio Piratini. Reconhecimento do governo do estado. Nas comemorações da Semana Farroupilha de 2017, o governo do Estado reconheceu os tradicionalistas que levaram os usos, costumes e a cultura gaúcha para além das fronteiras do Rio Grande do Sul. No dia 15 de setembro, o governador José Ivo Sartori entregou diplomas de embaixadores e cônsules honorários para lideranças do Movimento Tradicionalista de outros estados da federação e do exterior. Para Sartori, o agraciamento é um momento oportuno em reconhecimento àqueles que levam o exemplo do ‘povo aguerrido e trabalhador’ para os demais povos e culturas nacionais e internacionais. “O Rio Grande do Sul vive tempos de travessia e vocês representam aquilo que temos de mais valioso: as pessoas. Continuem levando consigo o amor ao Rio Grande e espalhando o orgulho da nossa terra por onde passam”, almejou. Conforme o presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, João Ermelino de Mello, são mais de 20 milhões de tradicionalistas por todo o Brasil. “São mais de 3 mil CTGs pelo Brasil, sem contar os piquetes. Por isso, a nossa tradição está de parabéns. Devemos o nosso muito obrigado a essas prendas e peões que trabalham no RS pela nossa tradição. São vocês que fazem com que nos espelhemos e que as gerações futuras sintam e transmitam essa essência com orgulho”, reforçou. O antropólogo e folclorista Nico Fagundes, falecido em 2015, foi lembrado durante a cerimônia como um dos grandes expoentes da cultura gaúcha, reconhecido aqui e fora do estado. A cerimônia citou também de Paixão Cortes e teve declamação de Liliana Cardoso, amadrinhada pelo peão Jean Carlo Bastos. A banda da Brigada Militar deu início e fim à comemoração. Novos embaixadores e cônsules da tradição gaúcha Os títulos e diplomas são uma honraria entregue pelo governo do Estado do Rio Grande do Sul, desde 2005. Entre os novos embaixadores diplomados está o fundador do primeiro Centro de Tradições Gaúchas nos Estados Unidos e primeiro presidente da Confederação Norte-americana do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, Jatir Cosme Delazeri. Conforme o tradicionalista, a instalação do centro cultural deu-se em 1992, em Los Angeles, onde segue até hoje com festividades que atraem a curiosidade dos norte-americanos. Os eventos ocorridos durante a Semana Farroupilha chegam a receber cerca de 800 pessoas e contam com apresentações de danças e comidas típicas. “O estadunidense quando vê a prenda gaúcha se lembra da avó e relembra também do passado, porque a cultura é muito parecida com a nossa”, conta Delazari. O diploma de embaixador honorário também foi entregue a Luiz Lauro Klaus, representante do vice-coordenador da 40ª Região Tradicionalista, que foi patrão do Piquete de Tradições Gaúchas China Veia, de Donnguan, na China, Crodoaldo Batista de Araújo e ao vice-presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho de São Paulo, Eduardo Larsen. Foram agraciados com os diplomas de cônsules - Ângelo Porfírio e Marcileia Capilania de Souza, Mato Grosso; - Alberi de Abreu, Darlan de Souza e Dalton Castro de Camargo, Mato Grosso do Sul; - Mário Cesar Dalpont Silvério e Renato Mendes, Santa Catarina; - Douglas Ferreira Schlichting e Elias Vizzotto, Paraná; - Edson Flores e Paulo Toscano, Distrito Federal; - Irany Varella e José Pereira, São Paulo. Jatir Delazeri (D) recebendo o Diploma de Embaixador Edson Flores(C) de Brasília, recebendo o Diploma de Cônsul Douglas Ferreira(D) do Paraná, recebendo o Diploma de Cônsul Salão Negrinho do Pastoreio recebeu um grande público PTG China Véia, de Dongguan recebe reconhecimento TEMA SEMANA FARROUPILHA 2017: “FARROUPILHAS: IDEALISTAS, REVOLUCIONÁRIOS E FAZEDORES DE HISTÓRIA”

[close]

p. 9

Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 9 MTG e ONG Parceiros Voluntários no Acampamento Farroupilha No ano em que se trabalha intensamente a questão do voluntariado no Rio Grande do Sul, o Movimento Tradicionalista Gaúcho e a ONG Parceiros Voluntários deram-se as mãos por esta causa Com 20 anos de atuação, a Parceiros Voluntários conta cerca de 400 mil voluntários que ajudam mais de duas mil instituições espalhadas por muitos lugares. No Acampamento Farroupilha de Porto Alegre, no dia 17, depois de a chuva dar uma trégua, a ONG idealizou a primeira edição do encontro Invernada Voluntária, que teve como principal atração a apresentação dos irmãos Neto e Ernesto Fagundes. Em um ambiente com muita música e dança, a plateia foi convidada a apoiar a causa do voluntariado. Neto Fagundes, que exerce trabalho voluntário há 20 anos, subiu ao palco para dividir com o público um pouco da sua experiência como membro do projeto. Em um discurso emocionado, o artista garantiu que se engajar com esse tipo de causa é fundamental no aprendizado da própria vida. Ao lado de seu irmão, Ernesto, cantou Céu, Sol, Sul, Terra e Cor, do saudoso Jader Moreci Teixeira, o Leonardo. Ao termino do espetáculo Neto convidou a plateia para balançar lenços brancos, símbolo da mobilização voluntária. Ainda se apresentaram no palco dois membros da ONG “Chimarrão da Amizade”, da cidade de Canoas, cujo atendimento é voltado para pessoas com deficiência. Leandro Quadros mostrou que não há limitações para levar adiante as tradições gaúchas, mesmo estando em uma cadeira de rodas. Provocou aplausos do público ao fazer passos de chula, com a ajuda de Sandro Moraes, que Fotos: TV Tradição Autoridades prestigiaram o desfile farroupilha no dia 20 de setembro ‘Os Monarcas’ animaram um baile no Parque Cirandas Escolares atenderam as crianças Artistas fizeram o “Caminho da Vanera”, que terminou na “Casa de Garibaldi”, da Schin também é integrante da ONG. O presidente do Movimento Tra- dicionalista Gaúcho, Nairioli Callegaro, achou positiva a experiência para se aprender uma forma diferente de fazer o voluntariado, não ficando somente nas trincheiras do Movimento, mas de uma forma mais incisiva dentro da sociedade. O Desfile de 20 de setembro A cerimônia de encerramento dos Festejos Farroupilhas, com a extinção da Chama Crioula, aconteceu por volta das 19h30min do dia 20, no palco principal do Parque da Harmonia, em Porto Alegre. Também foi realizado o desfile cívico-militar em comemoração aos 182 anos da Revolução Farroupilha. Mais de 1,5 mil cavalarianos, representantes de 73 entidades tradicionalistas, Polícia Civil, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros, IGP, Susepe e alunos do Colégio Tiradentes, da Brigada Militar, participaram do desfile. Para Callegaro, o evento “é algo que nos engrandece mais ainda, porque estamos mantendo viva a tradição do 20 de Setembro, pois desfilamos aqui o nosso orgulho de ser gaúcho, o pertencimento que temos de nossa identidade regional, nossa cultura, nossa tradição, a identificação que todos os gaúchos têm com o seu Estado, e com seus costumes”, destacou. Os Festejos Farroupilhas além das fronteiras do RS O CTG Rancho Rio Grande, do patrão Fabio Brazeiro, organizou a semana farroupilha, em Perris, na Califórnia, comemoraram a independência do Brasil e a Revolução Farroupilha com um baita churrasco e com danças tradicionais. No caminho para a Califórnia, onde participou da Semana Farroupilha, do CTG Rancho Rio Grande, o grupo folclórico Arte Nativa, de Viamão, fez uma parada em Las Vegas para cantar o Hino Rio-grandense na rua. No dia 9 de setembro foi realizado o IV futebol de bombachas no Clube Portugues, em Dunbury, evento que acontece desde 2014 e este ano teve a presença de Ricardo Vidarte e do Guri de Uruguaiana. Foto: Divulgação Patrão Fábio Brazeiro Em Curitiba, o CTG Vinte de Setembro, organizou uma semana pra lá de especial. Palestras, baile com os Serranos, boi no rolete, tertúlia, café tropeiro, encontro de gaiteiros e torneio de truco. Além de tudo isso, ainda buscaram a Chama Crioula no Parque da Harmonia, em Porto Alegre. No dia do gaúcho, o CTG Vinte de Setembro, em apoio a Prefeitura Municipal, participou do “plantio da araucária”, planta símbolo de Curitiba. O Patrão José Carlos Pinhatti, o capataz Ademir de Paula e o Coordenador da invernada juvenil, Anderson Rutz, representaram o CTG. Foto: Divulgação Patrão Pinhatti (C), do Vinte de Setembro TEMA QUINQUENAL: “PROJETO SOCIAL MTG - VOLUNTARIADO”

[close]

p. 10

10 Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 Inter-regional de Uruguaiana carimba passa Em mais uma inter-regional realizada, desta feita, em Uruguaiana, centenas de jovens classi�icados já começam a preparação para a grand Depois da inter-regional de Santo Ângelo, Uruguaiana sediou no final de semana dos dias 30 de setembro e 1º de outubro, a segunda etapa classificatória para a final de Santa Cruz, em novembro. Participaram desta fase as regiões: 2ª, 4ª, 8ª, 9ª, 11ª, 13ª, 18ª, 19ª, 21ª e 28ª RTs. Nas danças tradicionais força “A” o DT Querência das Dores, de Santa Maria, classificou-se em 1º lugar. Já na força “B”, o Centro Farroupilha de Tradições Gaúchas, de Alegrete, foi o primeiro colocado. O evento aconteceu no Ginásio Municipal, mas ocupou outros locais como a Câmara de Vereadores, Teatro Municipal e a Biblioteca, mostrando a dedicação da cidade em oferecer boas condições para os artistas concorrentes nesta etapa. Com duas classificatórias inter-regionais realizadas, o MTG se prepara para a última, em Canoas, dias 21 e 22 de outubro, no Clube dos Empregados da Petrobrás – sede do DTG Tropeiros do Ouro Negro – 12ª RT. No quadro ao lado, conheça os classificados na 2ª inter-regional: Fotos: Mauro Heinrich e Ivar Soares Segunda inter-regional do ENART, em Uruguaiana William Cantareli no seu passo de chula A beleza da dança do “Pau de Fitas” DT Querência das Dores, 1º lugar na força “A” Modalidade: DANÇAS TRADICIONAIS - FORÇA A 1 DT QUERÊNCIA DAS DORES Santa Maria 2 CPF PIÁ DO SUL Santa Maria 3 DTG PONCHO VERDE Panambi 4 CTG PATRULHA DO OESTE Uruguaiana 5 CTG TROPEIRO VELHO Panambi 6 GN IBIRAPUITÃ Alegrete 7 CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA Erechim 8 CTG ESTIRPE GAÚCHA Guaporé 9 CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA Santa Maria 10 CTG GALPÃO CAMPEIRO Erechim Modalidade: DANÇAS TRADICIONAIS - FORÇA B 1 CENTRO FARROUPILHA (CFTG) Alegrete 2 CTG TURIBIO VERISSIMO Cruz Alta 3 CTG FRONTEIRA ABERTA Santana do Livramento 4 CTG ÚLTIMA TROPEADA Guaporé 5 CTG RINCÃO DA CAROLINA Santana do Livramento 6 CTG SENTINELA DO FORTE Caçapava do Sul 7 DTG LENÇO BRANCO Santana do Livramento 8 PTG RANCHO DA AMIZADE São Gabriel 9 DT QUERÊNCIA DA MEDIANEIRA Santa Maria 10 GR CAAMI FOLC. E ARTE NATIVA São Sepé Modalidade: CHULA 1 Leonardo Brizola de Mello GF Chaleira Preta 2 Bruno Schenatto Rodrigues GAN Lagoa Vermelha 3 Luidy Oliveira da Silva AT Zeferino Ruy T. de Freitas 4 Henrique Soares Zanin GAN Lagoa Vermelha 5 William Cantareli Arrivabene CTG Sentinela Da Querência 6 Marcelo Lovato Brum CTG Sentinela Da Querência 7 Jhony da Silva Barbosa CTG Sentinela Do Forte 8 Vinicius Marcelo de Oliveira Maicá CCN Piazito Carreteiro 9 Vagner Martins de Vargas CTG Caiboaté 10 Edson da Luz Borsatto CTG Estirpe Gaúcha Modalidade: INTÉRPRETE SOLISTA VOCAL MASCULINO 1 Igor Tadielo Cezar DT Querência das Dores 2 Alexandre Dantas Pinto Brose CTG Sentinela da Fronteira 3 Pablo Machado Cardoso DT Querência das Dores 4 Jonathan Luis Begotto CTG Sentinela da Querência 5 Guilherme Taschetto Tavares CPF Piá do Sul 6 João Vitor Menezes de Oliveira DT Querência das Dores 7 Vitor Vianna Caprioli CTG Sentinela da Querência 8 Fabiano Dias CTG Pousada do Imigrante 9 Kristopher Pires da Silva CTG Rincão da Carolina 10 Renan Carlos Begotto CTG Sentinela da Querência 13ª RT 13ª RT 9ª RT 4ª RT 9ª RT 4ª RT 19ª RT 11ª RT 13ª RT 19ª RT 4ª RT 9ª RT 18ª RT 11ª RT 18ª RT 18ª RT 18ª RT 18ª RT 13ª RT 13ª RT 9ª RT 8ª RT 18ª RT 8ª RT 13ª RT 13ª RT 18ª RT 9ª RT 18ª RT 11ª RT 13ª RT 18ª RT 13ª RT 19ª RT 13ª RT 13ª RT 13ª RT 11ª RT 18ª RT 19ª RT Ginásio sempre lotado Modalidade: INTÉRPRETE SOLISTA VOC 1 Layra Terezinha Rodrigues Souza 2 Nicole Carrion da Costa 3 Hellen Sarila Ribeiro Gomes da Rosa 4 Eliana Torres Freitas Larruscain 5 Caroline de Oliveira Barboza 6 Virginia Gonçalves Madrid 7 Luane Rodrigues do Nascimento 8 Mariana Guedes Alves Pereira 9 Kesia Isli Milder Braga 10 Danielly Steinbrenner Droppa Modalidade: DECLAMAÇÃO MASCULIN 1 Abayuba Reckel Mendoza 2 Nairo André de Freitas Coutinho 3 João Batista de Oliveira 4 Claudio Rossano Trindade Trindade 5 Rodrigo Machado da Silveira 6 Wagner Gomes Müller 7 Sergio Melgarejo Guedes da Luz 8 Gustavo Ribeiro Pedroso 9 Rauny Geald Lima 10 Angelo Pacheco da Silva Oliveira Modalidade: DECLAMAÇÃO FEMININA 1 Franciele Brasil Fabis 2 Aléxia de Oliveira Barreto 3 Bruna Mello De Souza 4 Giullia Almeida Ercolani 5 Victória Brondani de Oliveira 6 Laura Schmitt Schlotfeldt 7 Laiz Dutra Soares 8 Nathália Mota de Oliveira 9 Milena Taliza Cazzonato 10 Bárbara Stieler Bohrer Modalidade: VIOLÃO 1 Pablo Machado Cardoso 2 Felipe Leal Rodrigues 3 Anderson Rafael Machado da Veiga 4 Leonardo Erikson Cruz Madrid 5 Everton Pessoa de Bairros 6 Maicon Balbinot 7 Gabriel Borba Cordero 8 Carlos Eurico da Silva Dos Santos 9 Pedro Luiz dos Santos Farias 10 Vitor Vianna Caprioli

[close]

p. 11

Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 11 aportes para a final em Santa Cruz do Sul de �inal em novembro. Resta apenas mais uma etapa classi�icatória, que será na cidade de Canoas, dias 21 e 22 de outubro. Foto Panorâmica: Mauro Heinrich Fotos: Mauro Heinrich e Ivar Soares Santa Maria classificou 5 grupos para a final do ENART para assistir as danças CAL FEMININO CTG Caiboaté CTG Rincão da Carolina a CTG Sentinela da Querência DTG Noel Guarany GDF Chão Batido CTG Sentinela do Forte CTG Sentinela da Querência CTG Sentinela da Querência CTG Martim Fierro CTG Turibio Verissimo NA CTG Fronteira Aberta CTG Bento Gonçalves CTG Sinuelo da Serra CTG Rincão da Carolina CTG Sentinela dos Cerros DTG Alma Gaúcha CTG Sentinela da Querência CTG Porteira do Rio Grande CTG Fogo de Chão DTG Alma Gaúcha 18ª RT 18ª RT 19ª RT 13ª RT 9ª RT 18ª RT 13ª RT 13ª RT 4ª RT 9ª RT 18ª RT 13ª RT 11ª RT 18ª RT 18ª RT 18ª RT 13ª RT 8ª RT 21ª RT 18ª RT AT Poncho Branco CTG Prenda Minha CTG Porteira do Rio Grande CTG Sentinela da Querência AT Poncho Branco AT Poncho Branco PTG Rancho da Amizade CTG Sentinela do Forte CTG Getúlio Vargas CTG Sentinela da Querência 13ª RT 18ª RT 8ª RT 13ª RT 13ª RT 13ª RT 18ª RT 18ª RT 19ª RT 13ª RT DT Querência das Dores CTG Sentinela da Querência CTG Sentinela da Querência DTG Noel Guarany CTG Laço Velho CTG Getúlio Vargas DTG Alma Gaúcha DTG Noel Guarany CTG Fronteira Aberta CTG Sentinela da Querência 13ª RT 13ª RT 13ª RT 13ª RT 11ª RT 19ª RT 18ª RT 13ª RT 18ª RT 13ª RT Modalidade: DANÇAS DE SALÃO Jean Leonardo Huber 1 Andrieli Battú da Silveira Rangel Rottoli 2 Aline De Borba Spadini Diego de Oliveira 3 Ana Emilia da Rosa Kessler Luis Felipe Pereira Arruda 4 Jéssica Maria Bresolin Bernardo de Melo Rodrigues 5 Paula Meira de Oliveira Da Silva Felipe Tarragô da Rosa 6 Alice de Rosso Alves Anderson Ghiggi da Costa 7 Talya Xavier Nervis 8 Everton Moreira Machado Luane Rodrigues Do Nascimento 9 Jhony da Silva Barbosa Danilea Luz Paixão 10 Mateus Manica Luana Piepzke Modalidade: GAITA PIANO Nº Nome 1 Gilyell Adolfo Souza 2 Lucas Biazus 3 Fabiano Fonseca Soares 4 Victor Hugo Muniz Barreto da Silveira 5 Yuri Della Costa 6 Hiago Defendi 7 Rubne Rieth Catapan 8 Guilherme Taschetto Tavares 9 Leonardo Gustavo Rossatto 10 Gabriel Machado Seminoti Modalidade: CAUSO 1 Elheovandro José dos Santos 2 Claudir Schulz 3 Juliano da Silva Gomes 4 Claudemir Bresolin 5 Cleinner Da Silva Teixeira 6 Everton Douglas Machado 7 Maurício Marques Gomes 8 Ramão Pedroso do Prado 9 Jorge Alberto M. dos Santos Junior DTG Poncho Verde CTG Trilha Serrana DTG Noel Guarany CTG Galpão Campeiro DTG Poncho Verde CPF Piá do Sul CTG Última Tropeada CTG Sentinela da Querência CTG Sentinela do Forte CTG Galpão Campeiro Entidade CTG Sentinela da Querência CTG Ronda Crioula CTG Patrulha do Oeste CTG Martim Fierro CTG Sentinela da Querência CTG Pousada do Imigrante GAN Lagoa Vermelha CPF Piá do Sul CTG Laço Velho CTG Getúlio Vargas DTG Noel Guarany CTG Paisanos da Tradição CTG Raul Silveira CTG Galpão Campeiro CTG Tropeiros da Querência CTG Galpão Campeiro CTG Raul Silveira CTG Getúlio Vargas CTG Rincão de São Pedro 9ª RT 11ª RT 13ª RT 19ª RT 9ª RT 13ª RT 11ª RT 13ª RT 18ª RT 19ª RT RT 13ª RT 19ª RT 4ª RT 4ª RT 19ª RT 11ª RT 8ª RT 13ª RT 11ª RT 19ª RT 13ª RT 11ª RT 21ª RT 19ª RT 21ª RT 19ª RT 21ª RT 19ª RT 13ª RT Leonardo Brizolla de Mello, 1º lugar na inter-regional Equipe de trabalho das comissões avaliadoras CPF Piá do Sul classificado para mais uma final Fronteira Aberta, classificado em terceiro na força “B” CTG Turibio Veríssimo, de Cruz Alta, rumo à final

[close]

p. 12

12 Ano XVI - Edição 194 TROPEANDO VERSOS Por: Luis Afonso Orvalhe Diretor Departamento de Manifestações Poéticas Outubro de 2017 FÓRUM DA DANÇA Por: Madeline Zancanaro Diretora do Dpto de Danças do MTG A poesia habita os silêncios... A partir da matéria postada por Léo Ribeiro de Souza em seu blog, no dia 13 de setembro, ao citar que a poesia precisa de hora e local apropriados para ser recitada, a poeta, declamadora e membro da equipe de Avaliação do ENART 2017, Joseti Gomes, complementou a referida matéria com esta reflexão, de grande importância para todos nós declamadores e poetas: “Embora participemos de concursos dos mais variados, e isso, certamente com diferentes intenções, sejam coletivas ou individuais, sabemos, desde que a poesia se derrama em nós, que ela não se manifesta aos olhos das multidões. Não quer aplausos, não precisa de regras ou ensaios. A poesia é introspectiva, nasce do silêncio dos exteriores e dos gritos das almas. Se interpretada, ela precisa desse silêncio “externo” para botar a cara na janela e se mostrar inteira. Caso contrário, continuará escondida entre linhas e espaços em branco, de folhas de papel amassado. É da alma que nasce um verso. O verso é a tradução das vozes da alma, diante da Poesia que há em todos os cantos do universo. Se alguém ousar “declamar” um poema, que respeite a timidez da poesia, que perceba a sensibilidade de sua forma e que expresse quando também estiver embebido da introspecção do poeta. Realmente trato a poesia como um ser sublime e tímido, que não precisa de plateia, embora a coloquemos muitas vezes, num palco”. A poesia está em tudo. Apenas alguns, loucos, ousam descrevê-la e outros, recita-la, mas ela não quer nada disso, apenas existe. Está na leitura e entendimento pessoal, individual. Pode não brilhar, no palco, por conta da interpretação de um declamador, mas este mesmo poema, em outra oportunidade, pode se agigantar e emocionar a todos que estiverem dispostos a ouvir. A poesia não pode ser punida por conta da hora, local ou momento pessoal de quem a interpreta, assim como sua falta de sensibilidade em identificar essas condições. É preciso que a respeitemos. A poesia habita os silêncios, ela nasce da entrega e do saber ouvir... São os egos que pedem aplausos... E por sermos de carne e osso, ainda cultivamos esses valores que se colocam lado a lado, diminuindo a verdadeira essência do “verso”. Então, no fim das contas, que nos perdoemos e nos calemos para que possa seguir o baile... Farroupilha Bem Gaúcha A cidade de Farroupilha, na serra gaúcha, montou uma estrutura no Largo Carlos Fetter, onde teve Festival de Cinema (cinco sessões) de filmes que retrataram a cultura do Rio Grande. “A Quadrilha do Perna Dura” (1976), estrelado por Teixeirinha, e o documentário “Adelar Bertussi – O Tropeiro da Música Gaúcha” (2014), foram alguns destes filmes. Outro destaque foi a produção local “Um Certo Capitão Rodrigo”, baseada na obra de Érico Verissimo, assinada por um grupo de estudantes do ensino médio. Neste ano o tema foi “Revivendo a Califórnia da Canção Nativa”. Os Festejos Farroupilhas enalteceram a retomada do principal festival musical do Rio Grande do Sul. Realizado em Uruguaiana desde 1971, depois de algumas interrupções, a Califórnia retorna no mês de dezembro. O artista homenageado em 2017 foi o músico, cantor, compositor e acordeonista Luiz Carlos Borges. Com 64 anos de idade, ele esteve entre as grandes atrações do Farroupilha Bem Gaúcha. Nascido em Santo Ângelo e criado pelas regiões da Fronteira e Missões, Borges começou na música com sete anos de idade e tem mais de 30 discos gravados, sendo destaque na 9ª Califórnia, em 1979, quando interpretou a canção Tropa de Osso, grande sucesso de sua autoria. Foto: Divulgação Dançar melhora as habilidades sensoriais Dançar... um dos maiores prazeres que o ser humano pode desfrutar. Uma ação que traz uma sensação de alegria, de poder e de euforia interna e, principalmente de superação dos limites dos seus movimentos. [...] Dançar é expressar emoções por meio do corpo. É esculpir no ar figuras harmoniosas que nascem de um pulsar da música (BARRETO, 2008, p. 01 e p. 125) Com esses dizeres de Barreto nota-se que a dança proporciona muitos benefícios aos adeptos a sua prática, um deles é a melhora nas habilidades sensoriais. Essas habilidades ditas como naturais do ser humano e por vezes até automáticas são um conjunto de sentidos que se tem, porém a prática da dança melhora a audição, a visão e o tato, e permite uma conexão com si e com o mundo, dando a possibilidade de que se adquira autonomia, liberdade, independência, equilíbrio mental, entre outros. Ainda, perante a concretização de gestos e movimentos, o indivíduo é capaz de experimentar sentimentos os quais podem traduzir os mais diferentes estados emocionais enquanto dança, oportunizando assim o aprimoramento e/ou a descoberta de novas habilidades. 20ª RT celebra o Dia do Jovem Tradicionalista O Departamento Jovem da 20ª Região Tradicionalista, representando pela sua diretora, Vitória Rolim Lampert e os jovens do CTG Missioneiro dos Pampas, comemoram o “Dia do Jovem Tradicionalista” no Asilo São José, da cidade de Três Passos. Buscando sempre a promover a solidariedade e voluntariado, prendas e peões puderem, no dia 05 de setembro, reafirmar os preceitos básicos do Movimento Tradicionalis- Foto: Divulgação ta Gaúcho, valores éticos, morais e principalmente respeito mútuo entre as várias gerações. No Hino Tradicionalista, que em 2018 completará 20 anos, Barbosa Lessa escreveu: “coisa linda é ver gerações convivendo na santa paz”, forma que os jovens tradicionalistas encontraram de animar os vovôs e vovós, que cantaram, dançaram e trocaram conhecimentos: “Foram momentos de cumplicidade, de carinho e afeto” conta, emocionada, Vitória Lampert. Foto: Divulgação Jovens fazendo a alegria daqueles que também são jovens, só que há mais tempo “Tibica” (E) e o vice-prefeito, Pedro Pedrozo (C), parte desta “Farroupilha Bem Gaúcha” “Sucesso é um esporte coletivo. Demonstre gratidão a todos os que colaboram com suas vitórias.” (Carlos Hilsdorf) TEMA SEMANA FARROUPILHA 2017: “FARROUPILHAS: IDEALISTAS, REVOLUCIONÁRIOS E FAZEDORES DE HISTÓRIA”

[close]

p. 13

Ano XVI - Edição 194 NOTÍCIAS Outubro de 2017 SAÚDE EM FOCO 13 Por: Mauro Gimenez Médico Prêmio Tradicionalista João ALIMENTAÇÃO Palma da Silva Os produtos industrializados ocu- tório e são sabidamente carcinogênipam uma parcela cada vez maior do cas, e outras afetam rins e fígado. Por: Voz Nativa - Cauê Nascimento mercado de alimentos. Por serem de Obviamente que o consumo es- mento, o homenageado falou sobre fácil manuseio e preparo, nos dias porádico de alimentos desta linha A Câmara Municipal de Canoas realizou a entrega do Prêmio Tradicionalista João Palma da Silva. O homenageado desta edição foi Alexandre Heida, integrante do CTG Seiva Nativa. A cerimônia ocorreu em sessão ordinária realizada no Parque Eduardo Gomes, integrando as comemorações da 25ª Semana Farroupilha de Canoas, no dia 14. Conhecido como Xirú do Chimarrão, Alexandre Heida, natural de Santo Ângelo, nasceu em 16 de julho de 1935. Participa do Acampamento Farroupilha de Canoas, desde a primeira edição do evento, na década de 1990. Memória viva dos 25 anos de festejos farroupilhas no município, é reconhecido pela história ligada à preservação das tradições e valores do Rio Grande do Sul, seja na sua forma de vestir, pensar ou viver. Morador de Canoas desde 1961, tendo morado inicialmente no Bairro São Luís e, após, no Bairro São José, onde residente até hoje. Exerceu a o seu envolvimento com a cultura gaúcha e a busca em manter vivas as tradições do Estado. A premiação O Prêmio Tradicionalista João Palma da Silva é entregue anualmente durante a Semana Farroupilha de Canoas e busca reconhecer personalidades que se destacam na divulgação e culto das tradições gaúchas. Integraram a mesa dos trabalhos, o vice-presidente do MTG, Martin Guterres Damasco; o coordenador da 12ª Região Tradicionalista, Fabiano Vencato; o presidente da Associação das Entidades Tradicionalistas de Canoas (AETC), Gilson Alves; o capitão Cristiano Martins da Silva, representando o 15º BPM; e o delegado Cristiano Alvarez, diretor da 2ª DRM. de hoje facilita nossas vidas o uso de alimentos deste tipo. Para conseguir a praticidade e durabilidade dos produtos, os fabricantes se utilizam de milhares de aditivos químicos, que, na grande maioria das vezes, não fazem bem à saúde de quem os consome com frequência. Os produtos químicos encontrados com maior frequência nos alimentos industrializados são: Corantes, Aromatizantes, Conservantes, Antioxidantes, Estabilizantes, Acidulantes. Estes produtos apresentam varias características que sabidamente causam danos à saúde da pessoa. O problema é o efeito colateral de tanta química. Os acidulantes, por exemplo, podem levar a descalcificação de ossos e dentes. Os conservantes e antioxidantes costumam afetar as funções gastrointestinais, podem causar alergias e aumentar o nível de colesterol no sangue. Algumas substâncias produziram câncer em animais durante testes de labora- talvez não proporcione danos severos à saúde. O grande problema que vemos é o uso corriqueiro dos famosos “fast food”. Por exemplo, antigamente nos rodeios e festivais tradicionalistas encontrávamos inúmeros acampamentos com pessoas assando carne, fazendo um arroz, saladas, enfim, alimentos saudáveis. Hoje, infelizmente, temos a modernidade, prejudicial, que nos oferece alimentos com os produtos citados acima e inclusive amplas estruturas e praças de alimentação até com os já famosos “food truck”. Também percebemos o consumo exagerado de doces e sorvetes industrializados, com uma quantidade muitas vezes exagerada de produtos químicos no seu preparo. Portanto minha gente, saudável mesmo são os alimentos naturais. E se possível devemos consumir este tipo de alimentos. Mais churrasco, mandioca, arroz, salada e menos Xis, sorvetes, churros, etc!!! Até a próxima!! profissão de mecânico de manuten- ção durante 30 anos, até a aposentadoria. Casado com Maria Luiza dos Santos Heida, ingressou no movi- Martins Livreiro lança livro mento tradicionalista no CTG Alma Crioula, onde foi membro do Conselho de Vaqueanos, participou do G.N Veteranos e há dez anos integra o CTG Seiva Nativa. sobre a mulher Com autoria de Marcia Cristina Márcia Borges fez com Cyra Dutra Borges, a primeira mulher a presidir Ferreira sobre a inserção da mulher Heida recebeu o prêmio do presidente da Câmara, vereador Juarez Hoy (PTB), e do prefeito Luiz Carlos Busato. Ao agradecer o reconheci- Alexandre Heida(C) o homenageado o 35 CTG, a Martins Livreiro Editora no tradicionalismo a partir do ano de lançou, durante os Festejos Farrou- 1949. O livro está nas livrarias e na pilhas de Porto Alegre, loja da Fundação Cultu- “A Evolução Histórica da Márcia Cristina Borges da Silva ral Gaúcha ao preço de Mulher Gaúcha” – na so- Paulo Roberto de Fraga Cirne R$30,00. A EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA MULHER GAÚCHA 1º Encanto Xirú A 18ª Região Tradicionalista realizou no dia 26 de setembro, na sede do CTG Querência do General Abreu, na cidade de Rosário do Sul, o 1º Encanto Xirú, onde jovens senhoras foram conduzidas ao salão de baile para desfilar a graça e beleza da maturidade. O evento vem de encontro à valorização da mulher, que em sua maioria não participou dos bailes de “debutantes” na sua juventude e é, também, uma forma de homenagem às Foto: Divulgação 1º Encanto Xirú na 18ª RT na 18ª RT Paulo Roberto de FRAGA CIRNE, nasceu a 18.11.1951 em P. Alegre e foi criado em Itapuã, interior de Viamão-RS. É militar do Exército mães de prendas, as diretorasaposentado, escritor, poeta, radialista, tradicionalista e historiador. Pós-graduado em História Contemporânea e em Metodologia de Ensino de História. Como escritor, é autor da culturais, as mulheres que ficampesquisaedotextobase,dolivroMTG40Anos– Raíz, tradição e futuro – 1966 – 2006, publicado em 2006; Ser Patrão e Administração de CTG, 1ª edição em 2007 e 2ª edição ampliada em 2013; da retaguarda dos concursosUm pouco de Itapuã, sobre a história do 2º distrito de Viamão-RS, em 2008; O Canto de Improviso – Trova Literária – Repentismo – Trova Galponeira – Pajada, em 2008. Foi um dos de prendas e eventos. “Nesteorganizadores e integrante do livro Um olhar sobre a África, trabalho de pós-graduação sobre História Contemporânea. É um dos autores do livro Releituras da História do Rio Grande do primeiro tivemos a participaçãoSul, publicado pela Secretaria de Estado da Cultura, através da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, em parceria com a Faculdade Porto-Alegrense (FAPA), lançado em maio de de 18 mulheres 2012. O trabalho mais recente, Tradicionalismo que, emocio-Gaúcho Organizado – 70 anos de História (1947 – 2017). Por 6 anos, integrou o Conselho Estadual de Cultura e duas vezes o Conselho Municipal de Cultura de Viamão-RS. Faz parte de várias nadas, desfilaram pelos salões,entidades culturais e tradicionalistas. Reside em Porto Alegre. E-mail: fragacirne@bol.com.br recepcionadas pelos padrinhosMARTINSLIVREIROEDITORA e ainda dançaram a valsa com seus peões” – conta Andrea Ro-livrocirnecapa sexta-feira, 25 de agosto de 2017 08:26:46 drigues, patroa do CTG Presilha do Pago, de Livramento. A 18ª RT quer manter o evento anualmente que, oficial- mente, será o Baile da Prima- vera. O “Encanto Xirú” foi uma iniciativa da patroa Andréa Ro- drigues que foi aceita pela di- retora cultural da 18ª RT, Paula Oliva. Mais um evento de su- cesso da 18ª RT. ciedade, na Revolução Farroupilha e no tradicionalismo gaúcho.O LIVRO Pery de Castro* A obra conta aindaTodo livro é uma centelha, com a parceria e expe-divina, volatizada, e tem rubor de alvorada e o despertar do universo! riência de Paulo RobertoÉ algo que vem do berço para o segredo da vida, é a semente prometida de Fraga Cirne,que vem na prosa ou no verso! o “Cha(*Foi Patrão do “35” CTG em 1953/1954. péu Preto” (pseudôni-Um dos fundadores da Estância da Poesia Crioula, e Presidente em 1966/1970). mo literário) e com en- A EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA MULHER GAÚCHA NA SOCIEDADE GAÚCHA, NA REVOLUÇÃO FARROUPILHA E INSERÇÃO NO TRADICIONALISMO (ORIGEM DO VESTIDO DE PRENDA) A autora Márcia Cristina Bor- ges da Silva é naturalMárcia Cristina Borges da Silva, nasceu a 22.02.1974 em P. Alegre, filha de Glauecir Pereira da Silva e Marlene Borges da Silva. Filha mais velha de cinco irmãos, são eles: Marcos, de Porto Alegre,Marcelo, Glaucenir e a irmã Gleicimary, atual Patroa do “35” CTG. Márcia é casada com Andersom Souza da Rosa e mãe da Rafaela Silva da Rosa. É Policial Militar, Historiadora, casada com Anderson Souza daPedagoga e Tradicionalista. No tradicionalismo desempenhou os seguintes cargos: Segunda Prenda “35” CTG, gestão 1992/1993; Primeira Prendas do “35” CTG, gestão 1993/1994 e 1996/1997; Diretora do Departamento Jovem da Rosa e mãe1ª Região Tradicionalista em 1995; Capataz Cultural “35” CTG de 2000 à 2011; Patroa “35” CTG, gestão 2012/2015; Terceira Vice- da Rafaela Coordenadora da 1ª Região Tradicionalista em Silva da Rosa. Márcia é2016.ÉConselheiraBenemérita“35”CTG. MARTINS LIVREIRO EDITORA Policial Militar, historia- Márcia Cristina Borges da Silva - Paulo Roberto de Fraga Cirne trevistas exclusivas que ISBN 85-7537-264-7 Foto: Divulgação dora, pedagoga e tradicionalista. No tradicionalis- mo já foi 2ª Prenda “35” CTG, gestão 1992/93; 1ª Prenda do pioneiro, gestões 1993/94 e 1996/97; Diretora do Departamento Jovem da 1ª Região Tradicionalis- ta em 1995; Capataz Cultu- ral “35” CTG de 2000 à 2011; Primeira mulher patroa do “35” CTG, gestão 2012/2015; 3ª Vice Coordenadora da 1ª Fraga Cirne (E) e Márcia Borges - Autores da obra RT, em 2016. É Conselheira Benemérita “35” CTG. TEMA ANUAL: “RESGATANDO OS LEGADOS DE 47 - 70 ANOS DA CHAMA CRIOULA E DO GRUPO DOS OITO”

[close]

p. 14

14 NOTÍCIAS Ano XVI - Edição 194 Outubro de 2017 AMPLIANDOHORIZONTES Por: Ana Paula Vieira Labres Coordenadora da Equipe de Indumentária do MTG CTG Aldeia dos Anjos é premiado na Coreia e já ruma para o Qatar O CTG Aldeia dos Anjos, conquistou no domingo, dia 17 de setembro, o Grand Prize (prêmio principal) do Cheonan World Dance Festival, disputado na Coreia do Sul. Com a premiação, a entidade torna-se uma das poucas no planeta a obter a “tríplice coroa” dos festivais de dança folclórica – em 2014, venceu o International Büyükçekmece Culture and Art Festival, na Turquia, e, em 2016, a Sagra del Mandorlo in Fiore, na Itália. O Cheonan World Dance Festival reuniu doze companhias de dança de países diferentes. As apresentações foram avaliadas por nove delegados da Federação Internacional de Festivais de Dança (Fidaf). Segundo o professor, Marco Ávila, a comitiva aldeiana, formada por trinta (30) pessoas apresentou-se durante cinco minutos, divididos em duas coreografias próprias. “Fomos premiados no Street Dance Parede (Desfile de Rua), que contou com a participação de 33 grupos entre os internacionais e os coreanos. Pela primeira vez em 4 edições o Brasil foi premiado. Conseguimos o Encouragement Prize, que foi um 4° lugar, dançando cana verde, tatu com volta no meio e balaio, numa monta- gem coreográfica de Lúcia Brunelli em dois minutos” - conta Marco Ávila. Lucia Brunelli, coreógrafa do CTG, destaca a grande infraestrutura do evento e o “público imenso” na rua. Ela relata que os demais grupos também levaram danças típicas de seus países. Aldeia no Qatar O CTG Aldeia dos Anjos de Gravataí/RS representará o Brasil no Cultural Diversity Festival que incia em Doha no Qatar em 4 de Outubro. Ao longo de 36 dias, companhias de dança folclórica de 21 diferentes nações atuarão no Anfiteatro da Katara Cultural Village, tido como o maior complexo cultural de todo Oriente Médio. Parte do elenco adulto será atração no festival durante os dias 7 e 8 de outubro, quando leva ao palco um espetáculo de 40 minutos, composto de danças folclóricas e criações coreográficas com temas do sul do Brasil. O Cultural Diversity Festival é uma realização da Katara Cultural Village Foundation em cooperação com a UNESCO Qatar. Foto: Divulgação Marco Aurelio Àvila, Cármen Lúcia Müller Avila e Lúcia Brunelli, um time vitorioso O chiripá na visão de diversos autores Olá, pessoal! É muito bom participar desta edição do Eco para falar um pouco do chiripá, uma peça histórica da nossa indumentária e retratada por diversos autores. Destacamos aqui as explicações da Nota de Instrução 03/2017 que fala sobre a confecção do chiripá. O Livro de Indumentária Gaúcha do MTG, de Ilva Maria Borba Goulart, Maria Izabel T. de Moura, Sonia S. de Campos Abreu e Lílian Argentina B. Marques, de 2003, destaca na página 68: “Conforme Tito Saubidet (1952) in “Vocabulario y Refranero Criollo”, a palavra chiripa procede do quíchua (chiri = frio; pac = para). “Roupa característica do gaúcho. Consiste de um pano “burdo” (espesso) e leve, geralmente de baeta, passado entre as pernas...”. Página 69: “Quanto à dimensão do chiripá, nos informa Roque Callage: “vestimenta rústica, sem costuras, usadas pelos campeiros, constituída de metro e meio de fazenda, a qual passando por entre as pernas é apertada na cintura, sem duas extremidades, por uma cinta de couro...”. Em O Gaúcho, de João Carlos Paixão Côrtes - página 139: “... Ao encontro dessa nossa opinião é a anotação de João Mendes da Silva, em 1884, já citada anteriormente por nós. Romagueira Corrêa (1892) ao dicionarizar chiripa, o descreve como “vestimenta usada pelos peões de estância ou camponeses, que consta de uma peça quadrilonga de fazenda (metro e meio) a qual, passando por entre as pernas e apertada à cintura em suas extremidades por uma cinta de couro ou por meio de tirados. Para fazer o chiripa pode-se empregar e usa-se geralmente, um poncho de pala”. Já na página 140, Paixão fala: “Eram confeccionadas com tecido de boa caída e geralmente de uma só tonalidade. Listras, com barras na borda do comprimento maior, eram de tecido, segundo alguns, de apala, como chamam na Argentina”. Em Mão Gaúcha, de 1996, Barbosa Lessa diz na página 87: “Lã tecida – a fiação doméstica é exercida pelas mulheres utilizando teares rústicos. Com fios grossos fazem-se xergões, cobertores e ponchos bicharás; em casas mais requintadas usam-se tapetes de lã, inclusive sob a forma de trilhos para corredores longos”. Página 88: “O tecido de tricô se faz com duas agulhas grandes de madeira. É a técnica mais utilizada para casacos femininos, capuzes, luvas, etc. Permite desenhos e relevos mais rebuscados. O tear é utilizado para a confecção de xergões, cobertores, ponchos masculinos. Permitem um tecido mais fechado, que propicia abrigo”. Em Viagem ao Rio Grande do Sul, de 1999, Saint Hilaire fala na página 87: “Essa mulher achava-se a fazer a fiar lã para fazer ponchos grosseiros, para os negros, e que se empregam também à guisa de cheripá. Mostrou-me um pano de linho muito bem feito.” Para concluir é importante destacar que devemos manter a autenticidade das peças que compõem a nossa indumentária, para preservarmos a nossa história, o nosso valor. SOLICITE SUA PROPOSTA CONOSCO! Rua Demétrio Ribeiro, 990 - CJ 305 Centro Histórico - Porto Alegre/RS (51) 3028.0364 / 3023.2364 (51) 98175.1058 / 98128.9328 executivodecontas2@crmachadoseguros.com.br www.crmachadoseguros.com.br SEGURO DE RODEIO E CAVALGADA SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS Faça seu seguro por muito menos que você imagina, tenha um evento com segurança e tranquilidade conforme regulamenta as Leis Federais 10.220/2001 e 10.519/2002. Os organizadores de rodeio ficam obrigados, ainda, a contratar seguro pessoal de vida das pessoas envolvidas diretamente com as provas campeiras. União Seguradora Fone: 51 3061.9606 www.uniaoseguradora.com.br TEMA SEMANA FARROUPILHA 2017: “FARROUPILHAS: IDEALISTAS, REVOLUCIONÁRIOS E FAZEDORES DE HISTÓRIA”

[close]

p. 15

Ano XVI - Edição 194 NOTÍCIAS Outubro de 2017 15 Essência da Tradição conta a história em peças teatrais Por: Samanta Ritter Neste ano, o CTG Essência da Tradição foi palco de duas apresentações teatrais. As peças foram escritas e dirigidas pela Diretora do Departamento Cultural da Entidade, Sra. Lisete Ritter, e realizadas com o apoio da Patronagem e com a dedicação do prendado 2016/2017 e 2017/2018, que atuou nas encenações. A primeira apresentação ocorreu no dia 23 de março e homenageou os 20 anos da Entidade com a peça intitulada A História continua... 20 anos do CTG Essência da Tradição. Naquela noite, os sócios-fundadores estavam presentes e puderam recordar a história de criação do CTG. Emocionados, alguns dos fundadores narraram saudosos suas experiências e memórias dos momentos iniciais do Essência. A força e a determinação dos jovens de 47, título da segunda peça, foi encenada no dia 22/09/2017 como um dos eventos do Piá Farroupilha, Bruno Bohrer Strack, e prendado 2017/2018. Aproveitando-se da proximidade com os festejos da Semana Farroupilha, a representação rememorou os 70 anos da Chama Crioula e Grupos dos Oito. Após, uma reflexão foi conduzida pelo convidado Gelson Descovi Vargas, que fez considerações relacionadas com a valorização da cultura gaúcha e participação do jovem no tradicionalismo. As peças teatrais contagiaram os tradicionalistas do CTG Essência da Tradição: na segunda apresentação, os pais também participaram como atores, contribuindo ainda mais a interação entre as gerações. O teatro também proporcionou perspectivas diferenciadas sobre a história do CTG e do Movimento, aproximando-as, de forma mais interativa, aos integrantes da Entidade. Além disso, os dois momentos fortaleceram os laços entre a família Essência e demais CTGs que participaram das atividades, enaltecendo a nossa cultura gaúcha. Foto: Divulgação Diversas atividades movimentam a 8ª RT Setembro é um mês agitado no Rio Grande do Sul. Nos Campos de Cima da Serra não é diferente. Nos dias 02 e 03 de setembro, foi realizada a 4ª edição da Festa Campeira da 8ª RT, no Parque Hugo Teixeira de Lemos, em Muitos Capões, onde 68 equipes disputaram o Troféu Rotativo Alfredo José dos Santos (o pioneiro do tiro de laço). Na oportunidade, sagrou-se vencedor o PL Negrinho do Pastoreio, de Esmeralda. . Além das modalidades de laço previstas no Regulamento, aconteceu a seletiva de laço para o Rodeio Internacional de Vacaria, sendo que a 8ª RT será representada pelos seguintes laçadores: 1 - Vitalino Padilha - PL Cabanha do Ipê - Lagoa Vermelha 2 - José Eder Moreira Borges- PL União da Serra- Esmeralda 3 - Ivo Barbosa Fernandes Neto CTG Porteira do Rio Grande - Vacaria 4 - Valdinei Zanin Vieira - CTG Planalto Capoense - Muitos Capões 5 - Carlos Alexandre F. Silveira - CTG Lenço Colorado - Pinhal da Serra 6 - Arlindo Rodrigues Macedo - CTG Potreiro de Guachos - Esmeralda 7 - Carlos A. de Moraes - PL Porteira do Posto - Capão Bonito do Sul 8 - Davi Cavalheiro Ferreira - PL Negrinho do Pastoreio - Esmeralda 9 - Daniel Paim Furtado - CTG Planalto Capoense - Muitos Capões 10 - Daniel Paim Furtado Filho - CTG Planalto Capoense - Muitos Capões Ainda no dia 03, realizou-se o 1º Encontro Cultural e Artístico, que contou com a participação de várias invernadas de dança e chuleadores da região. Durante o evento, a Coordenadora da 8ª Região Tradicionalista homenageou os chuleadores Bruno Schenatto e Felipi de Lorenzo de Souza, campeões da 14ª edição do Festival Nacional de Arte e Tradição (Fenart). A Coordenadora Regional, Lauri Almeida comemorou o sucesso do evento: “Quero aproveitar para agradecer o empenho dos organizadores, ao CTG Planalto Capoense e a Prefeitura Municipal, pelo apoio e ajuda na organização do evento” – enfatizou Lauri. Foto: Divulgação Forma de arte em que atores interpretam uma história e que atrai a atenção do público Coordenadora Lauri Almeida, homenageia chuleadores Bruno Schenatto e Felipi de Lorenzo Eduardo Rocha apresenta: “Interiores” Um dos maiores fotógrafos do Brasil, em parceria com Gujo Teixeira, realizou a exposição “Interiores” no Memorial do Rio Grande do Sul. Depois do sucesso de suas fotogra�ias nas latas da cerveja Schin, Rocha apostou em uma mostra patrocinada pela cervejaria. Como misturar poesia e imagem? Quem sabe juntando um dos maiores poetas e compositores da atualidade com o olhar sensível do pedritense Eduardo Rocha seja possível. “Gujo Teixeira e Eduardo Rocha nos trazem uma exposição que mistura palavra e imagem. Gentes e vazios luminosos. Evocando um pampa de solidões reunidas e de silêncios retumbantes” – disse a escritora Letícia Wierzchowski, da Exposição ‘Interiores’. O Memorial do Rio Grande do Sul foi palco da exposição da série fotográfica ‘Interiores’, de Eduardo Rocha, entre os dias 6 e 30 de setembro. Composta por 28 painéis, a mostra incluiu poemas de Gujo Teixeira, que descrevem de forma poética as cenas retratadas pelo fotógrafo gaúcho, e textos de apresentação foram da escritora Letícia Wierzchowski. A exposição contou com trilha sonora assinada pelos músicos Ernesto Fagundes e Paulinho Fagundes. Segundo Rocha, a série expressa a sua visão sobre o Rio Grande do Sul e é uma forma de homenagear suas origens. “Meu olhar sempre foi mais voltado às coisas do campo e essa série é um reflexo disso”, enfatizou. Créditos: Rafael Portela Rocha Elton Saldanha, Eduardo Rocha e Gujo Teixeira

[close]

Comments

no comments yet