Jornal do Sinpol 247

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Sinpol 247

Popular Pages


p. 1

Setembro de 2017 O jornal mais lido e aguardado entre os policiais civis - Ano XXIII - Setembro de 2.017 - nº 247 TUDO PARA A PM, NADA PARA A POLÍCIA CIVIL Foto: SSP/SP Policiais civis reclamam de tratamento diferenciado dado pelo governador às Polícias Civil e Militar. No final de agosto, Alckmin esteve em Ribeirão Preto, entregou 39 viaturas para a PM e nenhuma para a Polícia Civil. Para o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, o governador quer extinguir a Polícia Civil, não se importando com a população. Veja na página 02. DISE DESMONTA “CONSÓRCIO” DE TRAFICANTES Especializada de Ribeirão Preto realizou grande apreensão de drogas, possivelmente comprada em conjunto por vários pequenos e médios traficantes para fazer frente aos grandes traficantes. Saiba mais na página 09. MEGAOPERAÇÃO EM RINCÃO Policiais civis de Rincão e de outras cidades da Seccional de Araraquara realizaram uma grande operação e prenderam 11 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas na região. Leia na página 05. Foto: Polícia Civil E MAIS 4 DIG de Franca prende assaltantes de banco; 4 Saiba o que foi destaque na região em Radar e Parabólica; 4 DISE Bebedouro desarticula traficantes de Monte Azul Paulista; 4 Policiais civis de Taiaçu prendem mulher acusada de matar marido; 4 Em Pradópolis, operação conjunta rende duas prisões; 4 Jurídico do Sinpol obtém três novas vitórias; 4 DIG Ribeirão descobre cassino em clube tradicional. Impresso Especial 9912250402 - DR/SPI Sinpol CORREIOS SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto Rua Goiás, 1.697 - Campos Elíseos - Ribeirão Preto - SP CEP: 14085-460 - Fone: (16) 3612-9008 Fone Jornal: (16) 3610-2886 - jornaldosinpol@uol.com.br

[close]

p. 2

02 ESPECIAL Setembro de 2017 “PRA POLÍCIA CIVIL TUDO? NADA” Como se o desfecho do canto de feliz aniversário fosse ao contrário, enquanto a PM ainda recebe algo, a Polícia Civil segue à míngua Quem já não participou de uma festa de aniversário, onde na hora de cantar os parabéns, alguns “amigos do alheio” fazem a saudação ao contrário no desfecho do canto de feliz aniversário? Para alguns convidados, trata-se de uma brincadeira de mal gosto, onde ao invés de desejar tudo para o aniversariante, desejam nada em tom de brincadeira. Pois para o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, a brincadeira de mal gosto deixou de ser brincadeira, mas manteve-se de extremo mal gosto, orquestrada pelo governo do Estado. “O governo vive reclamando que o Estado sentiu a crise. Mas para a Polícia Militar é tudo e para a Polícia Civil é nada. Em campanha, ele está percorrendo o Estado, entregando viaturas, anunciando medidas que interessam e favorecem os policiais militares, abrindo concursos públicos. Já para a Polícia Civil, nem sequer contrata os policiais civis remanescentes do concurso de 2013, apesar dos desesperados pedidos que fizemos junto à equipe deAlckmin e a diversas autoridades - hoje cobrando conosco uma mudança de posição para rever essa situação”, lamenta Eumauri. Em pesquisa realizada no site da SSP (Secretaria da Segurança Pública), a última vez que o Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) recebeu novas viaturas foi em janeiro de 2016. Naquela ocasião, já houve um sensível favorecimento no número de viaturas destinadas para a Polícia Militar, em relação ao recebido pela Polícia Civil. O então secretário da Segurança Pública Alexandre de Moraes - hoje, Ministro do Supremo -, esteve em Colina e fez a entrega simbólica de 69 viaturas para a Polícia Militar e 48 viaturas para a Polícia Civil. A outra entrega para os policiais civis antes disso havia ocorrido em março de 2015, quando o governo adquiriu 708 novos veículos e destinou 53 viaturas para o Deinter-3, que coordena a Polícia Civil em 93 cidades da região. Além de ter recebido mais viaturas que a Polícia Civil nas duas ocasiões relatadas, a PM também recebeu viaturas em outras duas datas - em ambas, sem que nenhum veículo fosse destinado à Polícia Judiciária. Em janeiro deste ano, 42 novas viaturas foram entregues ao CPI-3 (Comando de Policiamento do Interior), com sede em Ribeirão Preto e que coordena as ações da PM em 93 cidades da região. No dia 30 de agosto, já em campanha declarada à presidência da República, Geraldo Alckmin esteve em Ribeirão Preto, onde anunciou a entrega de 39 novas viaturas para a Polícia Militar. Nenhuma viatura foi anunciada para a Polícia Civil. Em seguida, o governador, que estava acompanhado do secretário da Segurança Pública em exercício, Sérgio Turra Sobrane, foi para as cidades de Boa Esperança do Sul e Santa Lúcia, ambas na região de Araraquara, onde anunciou que, desde 2011, o governo estadual já entregou 767 viaturas para a PM da região de Ribeirão Preto, como resultado de um investimento de R$ 36,9 milhões. Alckmin se esquiva em falar sobre a falta de policiais civis e, apesar de questionado na ocasião, anunciou que dentro de alguns meses 1895 novos policiais civis e militares estarão concluindo seus cursos de formação e serão integrados, sem especificar quantos virão para a Polícia Civil, muito menos O site Flit Paralisante parece concordar com a quantos deverão seguir para a região do Deinter-3. posição de Eumauri em relação ao tratamento dife- No dia 25 de agosto, em São Paulo, o governa- renciado dado pelo governo Alckmin à Polícia Civil. dor anunciou a contratação de 2.421 policiais milita- No dia 24 de Julho, o site publicou a Nota de Fale- res e uma medida que irá reduzir o prazo para que cimento da Polícia Civil. De forma crítica, o site refe- aspirantes da PM sejam promovidos a oficiais. ria-se ao anúncio das medidas que favoreciam ex- “Pode até ser que o governador não esteja aten- clusivamente aos policiais militares. dendo também às reais necessidades da PM, mas Outros setores também começam a se manifes- neste momento, Alckmin fechou as portas para os tar. O advogado e repórter criminal Eduardo Velozo policiais civis e para a população. Fechou literal- Fuccia teve um texto de sua autoria que viralizou mente, porque muitas delegacias foram fechadas em nas redes sociais e foi parcialmente publicado no todo o Estado”, dispara Eumauri. editorial do Jornal do Sinpol em sua edição 246. A Para o presidente do Sinpol, Alckmin está apos- pedidos, transcrevemos o texto na íntegra. tando na visibilidade da Polícia Militar. Ele explica “As duas Filhas que, por não ser uma atividade fardada, muitas ve- O homem tem duas filhas: uma em colégio par- zes o trabalho do policial civil passa despercebido, ticular, a outra na escola pública. O nome do pai é enquanto que o trabalho realizado pela Polícia, de Governo do Estado.Aprimeira filha chama-se Polí- forma ostensiva e preventiva, é sempre visto pela cia Militar. Aoutra, Polícia Civil. população, uma vez que são Foto: SSP/SP viaturas caracterizadas e poli- ciais devidamente fardados. “Ele está em campanha para tentar ser o futuro presi- dente da República. Só espe- ro que o Brasil não tenha a mesma sorte que teve o Esta- do de São Paulo, governado há tantos anos pelo PSDB, que teve o senhor GeraldoAlckmin à frente do governo em cinco ocasiões. Ele e seus pares simplesmente acabaram com a Polícia Civil”, criticou Eumauri. Tratamento diferenciado 39 novas viaturas foram entregues à PM em agosto

[close]

p. 3

Setembro de 2017 03 A comparação pode parecer exagerada, mas na unidade mais rica da federação, a discrepância de tratamento dispensado pelo Executivo estadual às polícias Civil e Militar é flagrante. Em comparação com a Civil, a PM ainda recebe alguns recursos materiais e humanos para a reposição e ampliação de seus quadros, o que demonstra pretensa preocupação do Estado para com a segurança pública. Preocupação pretensa porque o mesmo não se verifica em relação à Polícia Civil, cada vez mais sucateada com a diminuição acentuada de seu efetivo ao longo de mais de duas décadas. Isto sem enveredar nas carências de ordem material, evidenciadas nesta semana no e-mail do delegado geral adjunto aos delegados diretores de departamento, solicitando-lhes propostas para o contingenciamento de despesas. A falta de pessoal na Polícia Civil é tamanha que unidades estão fechando e outras funcionando de teimosas. Delegacias e distritos abertos sem o contingente mínimo para realizar um trabalho à altura das necessidades da população. O crime cada vez mais organizado só é combatido com eficácia por meio de investigações robustas de provas. Este é o papel da polícia judiciária, a Civil. Porém, com ela enfraquecida, até é possível o Governo se vangloriar de alguns números relacionados a prisões. No entanto, as prisões devem vir acompanhadas de inquéritos policiais sólidos, ou seja, não basta a quantidade, sendo primordial a qualidade das capturas. Do contrário, quem é preso hoje, amanhã tem a grande probabilidade de ser absolvido e retornar a delinquir, devido a uma investigação sem a solidez necessária para um decreto condenatório. Começamos com uma comparação e terminamos com outra. A Polícia Civil de São Paulo é um doente na Unidade de Terapia Intensiva e respira por aparelhos. Mas a vontade política do médico ainda é capaz de salvá-la com um choque de gestão. Só é necessário querer e agir antes que ela acabe.” 2017 para esquecer Se sobreviver ao ano de 2017, a Polícia Civil terá poucos motivos para comemorar. Na verdade, 2017 será um ano a ser esquecido na história da Instituição, que por muitos anos foi a melhor Polícia Civil em atividade no Brasil. “Hoje recebemos os piores salários. Sem contar que estamos sem reposição salarial há mais de três anos e o governador já sinalizou que não vai dar nenhum centavo de aumento. Não temos sequer direito a fazer greve, diante da determinação do Supremo Tribunal Federal. Cada policial civil da ativa faz o trabalho de, no mínimo, três policiais civis, ou seja, está sobrecarregado. Não há contratações, não há investimentos, não há reposição de perdas salariais. Estamos à míngua”, lamenta Eumauri. Em 2017, inclusive, há de se destacar outra grande derrota para a população, segundo o Sinpol. “Foi o ano da famigerada Reengenharia, que junta nada com coisa nenhuma. Essa Reengenharia chegou ao Deinter-3 com força. Só em Ribeirão Preto, fecharam cinco delegacias. Ou seja, a população, nosso verdadeiro patrão, ficou à míngua. Além de não ter garantia de que o crime do qual foi vítima será solucionado ou ao menos investigado, o cidadão tem que andar muito mais se quiser ser atendido em uma Delegacia de Polícia. Hoje, como policial civil que sou, que viveu uma história de muita glória da Polícia Civil, me sinto como uma tartaruga sozinha numa praia, com o casco virado, sendo morto aos poucos pelo sol escaldante que representa o governo do Estado. Só não enxerga quem não quer. Alckmin já decretou o fim da Polícia Civil. Está apenas postergando a publicação do Decreto.Afinal, do jeito que a situação está, é impossível mesmo manter as portas dos setores de Polícia Judiciária abertas. Logo mais não vai ter quem feche as portas e apa- gue sequer as luzes dos prédios. Um crime o que vem sendo cometido porAlckmin”, lamenta lacônico o presidente do Sinpol. Enquanto isso, a Polícia Civil sobrevive com viaturas muito usadas e outras sem nenhuma condição de uso

[close]

p. 4

04 EDITORIAL NOTA DE FALECIMENTO Setembro de 2017 EXPEDIENTE Faleceu em 2017 a gloriosa instituição Polícia Civil do Estado de São Paulo. Após ser covardemente mantida refém do governador Geraldo Alckmin, sofrendo todo o tipo de tortura, a Polícia Civil não resistiu e entrou em óbito. Deixa uma população superior a 45 milhões de pessoas sem o direito à Polícia Judiciária. Alguns até poderão ficar chocados com tal nota de falecimento. Mas contestar duvido que alguém consiga. Nem mesmo o principal algoz da Polícia Civil, o governador Geraldo Alckmin, já em campanha para disputar a presidência da República em 2018. O tratamento totalmente favorável dado à Polícia Militar é prova de queAlckmin pode estar planejando o fim da Polícia Civil no Estado. Em reportagem desta edição, mostramos que apenas a nossa coirmã, Polícia Militar, tem recebido atenção do governoAlckmin. Recebe viaturas, novos policiais militares, além de outros benefícios. Para a Polícia Civil tem fechamento de delegacia, remanejamentodeflagrantesetodaasortedemudançasquesó aborrecem nossos verdadeiros patrões, os 45 milhões de cidadãos do Estado. Mas Alckmin parece não estar preocupado. E não há motivos, sob sua ótica. Afinal, seu partido, o PSDB, governa o Estado já há 22 anos e ele próprio esteve cinco vezesàfrentedaprincipalcadeiradoPaláciodosBandeirantes. Diante disso, está em plena campanha para a presidência da República. E no que tange à Segurança Pública, contempla somente os policiais militares. Você já parou para pensar quem será seu próximo governador? Bem, se tudo sair como planeja Alckmin, o próximo governador de São Paulo será Márcio França. Ele ficará à frente do Palácio dos Bandeirantes quandoAlckmin se licenciar paraconcorreràpresidência,casoconsigaserindicadoporseu partido. Entãoémelhorconheceraqueleque,possivelmente,pode vir a decretar o fim da Polícia Civil. Márcio França é o vicegovernador eleito na chapa de Geraldo Alckmin. É advogado, foi vereador em São Vicente duas vezes e também prefeito da cidade. Foi secretário de Turismo do Estado e presidente do Conselho de Desenvolvimento Metropolitano da Baixada Santista.Deputadofederalporduaslegislaturas,trabalhoucomo assessor na Finep, no Ministério de Ciência e Tecnologia na área federal. Também ocupa a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, de acordo com o site oficial do governo do Estado. A nós, só cabe continuar lutando. A Nota de Falecimento nãocontemplouque,porcontadadeterminaçãodecadaumde nós policiais civis, que nos orgulhamos em trilhar carreira na Instituição, não será tarefa tão simples matar a Polícia Civil. Enquanto houver esperança, vamos lutar para que isso não aconteça. Vamos lutar pelo direito de prestarmos sempre o melhor serviço à população. Vamos lutar por nossa dignidade, nossa história, nosso orgulho em servir a Polícia Civil do Estado de São Paulo. Portanto, senhor governador, é melhor repensar suas estratégias, pois de nossa parte vamos levar aos quatro cantos a faltaderespeitoqueosenhortemparaaquestãodaSegurança Pública. Vamos tentar levar a todos os brasileiros o risco que é para a integridade da sociedade levá-lo ao cargo mais elevado na República. Queremos que todos saibam quem foi o responsável pelo declínio vertiginoso da Polícia Civil. O senhor não pode fugir de suas responsabilidades. O senhor nos deve respeito, afinal, é apenas um mandatário com autorização renovável a cada quatro anos, ou seja, um político. Uma hora a vontade do eleitor pode mudar. E no que depender de nós, policiais civis, vai mudar o mais rápido possível, já nas próximas eleições para presidente,governador,deputadosfederaleestadualesenador. Pense nisso. Quem sabe ainda dá tempo de fazer algo pela Polícia Civil. EUMAURI LÚCIO DA MATA Presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto) Aposentados Associados do Sinpol que ingressaram no quadro de aposentados em agosto: - Maria Elizabet Ribola, escrivã; - Otaviano dos Santos Boemia, agente policial; - Edmir Valera, investigador; - Eunice de Amorim Ferreira, auxiliar de papiloscopista; - Ana Palmira Belini de Oliveira, escrivã. A diretoria do Sinpol felicita os policiais civis por suas brilhantes carreiras, desejando-lhes poderem usufruir seus merecidos descansos com muita saúde e alegria. Novos Associados Associaram-se ao Sinpol em agosto os seguintes policiais civis: - Thamires Zarotti Machado, escrivã em Ribeirão Preto; - Natália de Souza Nunes, perita criminal em Ribeirão Preto. A diretoria do Sinpol dá boas vindas aos novos associados e está à disposição de todos os policiais civis que quiserem integrar o quadro associativo do sindicato. Notas Falecimentos Plano de Saúde 1 Atenção associados. Verifiquem a data de validade no cartão magnético do convênio São Francisco Saúde, especialmente dos dependentes que cursam faculdade. Para que não ocorra carência, a declaração escolar deverá ser enviada, impreterivelmente, 20 dias antes da data limite de validade. Na dúvida, confira o verso da carteira do plano de saúde, onde consta a data do término da validade. Não deixe para a última hora. Maiores informações na Central de Atendimento Sinpol, telefones (16) 3625-3890 / 3612-9008 / 3979-2627. Cantina para o Associado A Cantina da Chácara do Sinpol, sob o comando de Paulo e Cristina, tem agradado bastante aos associados. Além de porções, aos sábados e domingos estão sendo servidos pratos feitos.Acerveja, o suco e o refrigerante estão sempre na temperatura ideal e constantemente há muitas novidades para os associados. Maiores informações e reservas nos telefones (16) 99398-6912, com Paulo ou (16) 99398-8820 com Cristina. Atualização de dados Sinpol Para atualização de dados e de situação profissional, principalmente dos recém-aposentados, o Sinpol está promovendo um recadastramento de todos os associados. Participe da atualização e garanta o recebimento de toda correspondência que enviamos, procurando a Secretaria do Sinpol, ou enviando e-mail para secretaria@sinpolrp.com.br. Plano de Saúde 2 Devido a reclamações recebidas junto à Secretaria do Sinpol, a diretoria do Sindicato pede aos associados usuários do Plano de Saúde que confiram suas cobranças de coparticipação em consultas e exames relativos ao uso do convênio médico. Qualquer dúvida, entrar em contato com a Central deAtendimento do Sinpol, pelos telefones (16) 3612-9008 / 3625-3890. Atenção policiais civis O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, comunica aos associados que, caso necessitem de amparo na área jurídica relacionado à aposentadoria, assim como para acompanhar o andamento de ação já ajuizada, primeiramente entrem em contado com os diretores do Sindicato, através de nossa Central deAtendimento Sinpol, fones (16) 3612-9008 / 3625-3890 / 3977-3850 para oportuno agendamento com o dr. Ricardo Ibelli. Parceria O Sinpol firmou uma parceria com duas universidades. Em Ribeirão Preto, foi firmada parceria com o Centro Universitário Estácio. Já em Araraquara, a parceria foi com a Uniara (Universidade deAraraquara). Maiores informações na Secretaria do Sinpol. Promoções em todas as carreiras O governo do Estado publicou na edição de 05/09/2017 do Diário Oficial listas com diversas promoções para policiais civis em atividade, de todas as carreiras. As listas, de acordo com cada carreira, foram disponibilizadas no site do Sinpol: www.sinpolrp.com.br. Consulte no campo Notícias. Adiretoria do Sinpol comunica, com pesar, os seguintes falecimentos: + Milton Fabrício Lázaro da Silva, ex-esposo da carcereira aposentada Maria Izabel de Castro, ocorrido em 05/08; + Maria dos Reis Santiago, esposa do vice-presidente do Sinpol e investigador aposentado CélioAntonio Santiago, ocorrido em 31/08; + Marcílio Garcia, PM aposentado, pai do agente policial Marcos Ivan Garcia, ocorrido em 05/09. O Sinpol manifesta seus sentimentos aos familiares. O Jornal do Sinpol é uma publicação oficial, de circulação mensal, do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto. Rua Goiás, 1697 - Campos Elíseos CEP: 14085-460 - Ribeirão Preto - SP e-mail: secretaria@sinpolrp.com.br O JORNAL DO SINPOL É UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DO LABORATÓRIO DE NOTÍCIAS REDAÇÃO: R. Paschoal Bardaro, 633-A - Jd. Irajá Ribeirão Preto - SP Fone/fax: (16) 3610-2886 DIRETOR DE JORNALISMO: Adalberto Luque - MTb 19.218 EDITOR FOTOGRÁFICO: Júlio Castro REPORTAGENS: Mariana Luque O Jornal do Sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade AS COBRANÇAS SERÃO FEITAS EXCLUSIVAMENTE POR: Boleto bancário emitido pelo Laboratório de Notícias DEPARTAMENTO COMERCIAL: CONTATOS EXCLUSIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS: Fernando Mendonça investigador Antonio Pereira Alvin Aparecido Donizete Tremura Vanderlei Costa MarcosAntonio Fernandes EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Laboratório de Notícias Fone: (16) 3610-2886 e-mail: jornaldosinpol@uol.com.br Os artigos assinados não refletem, necessariamente, o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores.

[close]

p. 5

Setembro de 2017 RINCÃO MEGAOPERAÇÃO RENDE ONZE PRISÕES 05 Policiais civis de Araraquara e região efetuaram ação para coibir tráfico de drogas e nove pessoas envolvidas acabaram detidas Após minucioso trabalho de investigação, policiais civis de Araraquara e Rincão realizaram uma Megaoperação com o objetivo de desmantelar uma quadrilha que atuava no tráfico de drogas em toda a região. Esta foi a segunda ação de grande porte na cidade de Rincão, nos últimos anos. Em 2015, graças ao trabalho dos policiais civis, 18 pessoas acabaram detidas, acusadas de envolvimento com o tráfico de drogas. A ação foi minuciosamente planejada e contou com a participação de policiais civis de Araraquara, Américo Brasiliense, Santa Lúcia, Matão e Rincão. Cerca de 30 homens iniciaram as ações para cumprir mandados de busca e apreensão nas cidades de Rincão e Guariba, coordenados pelo dr. Edmar Benedito Piccolo Júnior. Em entrevista à imprensa, o delegado informou que o grupo vinha sendo investigado há pelo menos três meses. Durante monitoramento das ações dos criminosos, foram flagradas conversas com traficantes comprando e vendendo drogas, sobretudo maconha e cocaína. As escutas, com autorização judicial, prosseguiram até que todos os envolvidos pudessem ser identificados. Ao longo das investigações, duas pessoas acabaram sendo presas por tráfico de entorpecentes e encaminhadas ao ADP (Anexo de Detenção Provisória) de Araraquara. Outros suspeitos presos anteriormente acabaram liberados pela Justiça, mas seguiram sendo investigados. Na casa do homem apontado como líder do grupo os policiais civis apreenderam três quilos de maconha, além de 35 pinos contendo cocaína e uma quantia em dinheiro. O homem recebeu voz de prisão em flagrante e será indiciado por tráfico e associação para o tráfico. Ele era o fornecedor da droga para os traficantes que atuavam na cidade de Rincão e foi preso em sua residência, na cidade de Guariba. As outras prisões ocorreram na cidade de Rincão. Boa parte das buscas ficou concentrada em residências localizadas na Vila Paulista, naquela cidade. Segundo os policiais civis, assim que um dos suspeitos percebeu a chegada dos policiais civis, tentou fugir pelos fundos da residência, mas acabou sendo frustrado em sua intenção e acabou detido. Os policiais civis apreenderam ainda três telefones celulares que serão periciados, mas possivelmente todos teriam sido alvo das escutas telefônicas autorizadas pela Justiça. Os policiais civis informaram que parte da quadrilha já tinha envolvimento anterior com o tráfico de drogas. Graças ao trabalho investigativo realizado ao longo de três meses, os policiais civis conseguiram reunir evidências contra todos os suspeitos que acabaram sendo deditos no cumprimento dos onze mandados de prisão e de busca e apreensão. Foram presos três mulheres e oito homens na ação dos policiais civis.As mulheres foram encaminhadas para a cadeia feminina em Ribeirão Bonito. Já os homens seguiram para o Anexo de Detenção Provisória de Araraquara, onde irão aguardar o pronunciamento da Justiça. As investigações prosseguem para verificar se há mais envolvidos com o tráfico naquela cidade. Mais prisões Ainda no mês de agosto, mais exatamente no dia 15, os policiais civis de Rincão prenderam naquela cidade um casal pelo crime de receptação. Investigações apontaram, que os investigados armazenavam em sua residência, mercadorias furta- Acima, material apreendido durante operação que levou 11 pessoas à prisão; ao lado, material apreendido junto a casal detido por crime de receptação das de estabelecimentos comerciais da região. No local foram apreendidas diversas peças de roupas, que foram reconhecidas e entregues às empresas vítimas. Fotos: Seccional de Araraquara

[close]

p. 6

06 RADAR Setembro de 2017 Franca gular de arma de fogo, naquele município. Investi- Um adolescente de 16 anos foi apreendido em gações apontaram que o suspeito mantinha uma 15 de agosto, por tráfico de drogas. Ele era inves- arma ilegal em sua residência. No imóvel, os agen- tigado por envolvimentos em roubos e furtos na tes apreenderam uma espingarda calibre 12 e mu- região do Jardim Ângela Rosa, mas foi flagrado nições. com porções de maconha e cocaína. Os policiais Ituverava civis do 4º DP (Distrito Policial) receberam denúnci- Policiais civis da Delegacia de Polícia de as de que o jovem trocava produtos furtados e rou- Ituverava, Seccional de Franca (Deinter 3 de Ribei- bados por drogas. Depois de duas semanas de rão Preto), prenderam naquela cidade dois irmãos investigação, a Justiça expediu um mandado de por tráfico de drogas, na manhã de 10 de agosto, busca e apreensão para a casa do adolescente. no Jardim Santa Cecília. Após investigações, os Durante a vistoria na residência, os investigadores policiais deram cumprimento ao mandado de bus- encontraram 54 porções de maconha, 16 papelotes ca e apreensão na residência dos suspeitos, onde de cocaína e 100 gramas de pasta base da mesma apreenderam 80 pinos de cocaína, porções de droga – utilizada em misturas com outras substân- maconha e crack, bem como anotações alusivas a cias para ser comercializada –, além de uma balan- contabilidade do tráfico. A dupla foi presa em fla- ça de precisão e celulares. grante por tráfico de drogas. Porto Ferreira São Carlos Policiais Civis da Delegacia de Polícia de Porto Policiais civis da Delegacia de Polícia de Inves- Ferreira, que integra a Delegacia Seccional de São tigações sobre Entorpecentes de São Carlos (Deinter Carlos (Deinter 3 - Ribeirão Preto) prenderam, na 3), com apoio do 2º Distrito Policial, prenderam na- manhã de 11 de agosto, um homem por posse irre- quela cidade um traficante, na tarde de 04 de agos- to, no bairro Jardim Gonzaga. Após investigações, os policiais deram cumprimento ao mandado de busca e apreensão na residência do sus- peito, onde apreenderam 23 por- ções de maconha, 1 porção de co- caína, 1 chave mixa, 5 aparelhos de telefonia celular, 1 rádio HT, mu- nições e diversas chaves de veícu- los e motos. O investigado foi preso em flagrante por tráfico de drogas. Rincão Na tarde de 08 de agosto, a Fotos: Polícia Civil Polícia Civil de Rincão, Seccional de Araraquara (Deinter 3 - Ribeirão Homem foi preso com arma de fogo em Porto Ferreira Preto) prendeu naquele município, Policiais civis da DISE de Franca fizeram uma farta apreensão de drogas e levaram três traficantes à prisão um homem por tentativa de homicídio, incêndio e dano.Após um desentendimento familiar, o suspeito tentou matar o irmão com um golpe de facão, além de tentar incendiar e danificar a casa da própria mãe. O facão foi apreendido e o acusado preso em flagrante. Santa Rita do Passa Quatro Policiais Civis de Santa Rita do Passa Quatro (Deinter 3) prenderam, na manhã de 04 de agosto, um rapaz por posse irregular de arma de fogo, na área rural do município. Durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, os agentes localizaram dentro de uma churrasqueira uma espingarda artesanal, calibre 22 e diversas munições. A arma foi apreendida e o investigado preso em flagrante. Araraquara Policiais civis da Delegacia de Polícia de Investigações Gerais de Araraquara (Deinter 3 - Ribeirão Preto) prenderam naquela cidade, em 10 de agosto, dois homens por furtarem estabelecimentos comerciais da região. A atuação de campo de polícia judiciária resultou na apreensão de todos os objetos furtados dos estabelecimentos, que posteriormente foram entregues as vítimas. Foram ainda apreendidas pistolas, carabinas e um fuzil, todas de pressão. A dupla foi presa em flagrante por furto, um dos investigados, que portava uma cédula de identidade falsa, irá responder por falsificação de documento. DISE Franca Em 18 de agosto policiais civis da DISE (Delegacia de Polícia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Franca (Deinter 3) prenderam, naquela cidade, três homens por tráfico de drogas e associação ao tráfico, na área rural. Através de investigações, os agentes identificaram o trio, bem como o local usado como depósito e comercialização de entorpecentes.Aatuação de campo de polícia judiciária resultou no cumprimento de mandado de busca e apreensão, onde foram localizados 2,6 kg de cocaína, além de 106 porções da mesma droga, já embalada para venda. Foi apurado que o proprietário do imóvel era o chefe da associação criminosa, responsável pela distribuição da cocaína às cidades de Pedregulho, Patrocínio Paulista, Restinga, Ribeirão Corrente e zona oeste de Franca. Na ação foram apreendidos aproximadamente cerca de R$ 30 mil, o total de 3,1 Kg de cocaína, um jet ski de origem duvidosa, dois veículos e três motocicletas, maquinários e diversos apetrechos para o preparo das drogas.

[close]

p. 7

Setembro de 2017 DISE DESARTICULA AÇÃO DE TRAFICANTES EM MONTE AZUL PAULISTA SECCIONAL BEBEDOURO 07 POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADA DE HOMICÍDIO EM TAIAÇU Foto: Polícia Civil Uma ação conjunta realizada pela Delegacia de Polícia de MonteAzul Paulista e pela DISE (Delegacia de Investigações Gerais) de Bebedouro resultou na prisão de um grupo que comercializava drogas e medicamentos proibidos naquela região. O trabalho foi executado após minucioso trabalho de investigação, que foi realizado há algum tempo, levantando a forma de operação dos acusados de tráfico. No dia 03 de agosto, os policiais civis da DISE e da Delegacia de Polícia Civil de Monte Azul Paulista realizaram a operação para cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão, que foram previamente expedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Monte Azul Paulista, que por sua vez foram solicitados pelo delegado titular da DISE Bebedouro, dr. Maurício Vieira Silva. Por volta das 6h45 do dia 03, os policiais civis passaram a cumprir, simultaneamente, os quatro mandados, evitando que alguém fosse avisado previamente da ação. A operação obteve grande êxito, inclusive com a apreensão de diversos itens no interior de dois imóveis residenciais. Desta forma, os policiais civis conseguiram apreender insumos para o preparo de entorpecentes e medicamentos de uso Armas, drogas, dinheiro e outros objetos apreendidos durante ação da DISE Bebedouro em Monte Azul Paulista controlado. Foram apreendidos quatro frascos de sedativo anaseada, 61 ampolas do anestésico articaine 100, quatro ampolas de morfina, uma ampola de cloridrato de dopamina, duas ampolas de lidocaína, 118 ampolas de epinefrina, quatro rádios comunicadores portáteis, um simulacro de submetralhadora, um simulacro de pistola automática e R$ 11.853 em dinheiro, além de outros itens. Os policiais civis prenderam em flagrante duas pessoas, que foram indiciadas pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Foram presos na ação o marceneiro C.A.R.M. de 33 anos e o lavrador J.F.S. de 37 anos. Segundo o dr. Maurício, a operação contou com a participação e apoio logístico de policiais civis da DIG de Bebedouro e da própria Delegacia de Polícia de MonteAzul Paulista. Ele também fez questão de relatar que o trabalho não se encerrou com a prisão dos envolvidos. O delegado disse que as investigações devem prosseguir e não descarta a possibilidade de novas prisões. Com informações da Assessoria de Comuni- cação Social da Delegacia Seccional de Bebedouro Crime foi cometido no dia 20 de agosto e, poucas horas depois caso estava esclarecido e suspeita presa em flagrante Graças a um eficiente trabalho realizado por po- seu corpo ter sido encontrado. Quando foram até a liciais civis da cidade de Taiaçu, região da Seccional residência da vítima, os policiais civis encontraram de Bebedouro, que integra o Deinter-3 de Ribeirão vestígios de sangue e de disparos de arma de fogo, Preto, mais um homicídio foi esclarecido e a autora levando-os a presumir que o homem teria sido mor- foi presa em questão de horas. to em casa e o corpo desovado às margens da Na noite de 20 de agosto, policiais civis de rodovia. Tambaú foram acionados após receberem o relato Ao ser interrogada pelos policiais civis, na pre- de que um corpo havia sido encontrado às margens sença do dr. Renato Coelho de Melo, delegado de da Rodovia Benedito Sanches, altura do quilômetro Taiaçu, a mulher acabou confessando a autoria do 03. Logo que chegaram ao local, os policiais consta- crime, alegando legítima defesa. Contudo, como es- taram tratar-se de Osmar Aparecido de Almeida, 31 tava em estado de flagrante delito, acabou sendo anos, que teve seu corpo atingido por vários disparos encaminhada para a Cadeia Pública de Viradouro, de arma de fogo que lhe tiraram a vida. onde vai permanecer à disposição da Justiça. “Esse Inicialmente o caso foi tratado como um crime de rápido esclarecimento do crime se deu em razão do autoria desconhecida. Todavia, com apoio de policiais pronto e incessante empenho da pequena, mas efi- militares, os policiais civis de Taiaçu passaram a reali- ciente, equipe de policiais civis da Delegacia de zar diversas diligências e, no final da manhã de 21 de Polícia de Taiaçu”, informou o delegado, através de agosto, horas após encontrar o corpo, conseguiram nota oficial. localizar S.C.A., de 23 anos, esposa da vítima. Com informações da Assessoria de Comuni- Ela passou a ser considerada suspeita após cação Social - Delegacia Seccional de Polícia uma busca feita na casa de Osmar, pouco depois de de Bebedouro

[close]

p. 8

08 AÇÃO Setembro de 2017 DIG FECHA BINGO CLANDESTINO NA RECRA Administradores da casa de jogos também atuavam em outro bingo clandestino desmantelado pelos policiais civis No dia 4 de agosto, os policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto se depararam com a criminalidade em uma versão luxuosa: uma operação da Polícia Civil fechou um bingo clandestino em um salão nas dependências do Clube Recreativa, na Avenida Nove de Julho, no centro da cidade, um dos mais conhecidos da região. O clube é tradicionalmente frequentado por famílias mais abastadas da cidade. A ampla estrutura instalada no local, que contava inclusive com vários funcionários dedicados ao atendimento dos jogadores, indicava a grande proporção dos jogos clandestinos. A operação policial ocorreu na tarde daquele dia, pouco antes das atividades ilícitas serem iniciadas. O salão já se encontrava a postos para receber os jogadores com mesas e cadeiras dispostas num local com capacidade para acomodar 200 pessoas. Da mesma forma já estavam instalados 45 computadores que seriam utilizados para jogos de cartela. Nesse cenário, a equipe da DIG, sob as ordens dos delegados dr. Alexandre Daur e dr. Ricardo Turra, surpreenderam os presentes, impedindo a ocorrência dos jogos naquele dia. No local estavam presentes funcionários do bingo, que assustados tentaram fugir. Contudo, os policiais civis abordaram-nos na calçada do clube com o intuito de obter mais informações. Diante da situação caótica para o grupo que organizava o bingo, o advogado de um dos administradores, Júlio Mossin, compareceu ao local durante a apreensão para averiguar a situação. O suspeito de gerir o esquema, contudo, não esteve presente porque, segundo informações, reside na cidade de São Paulo. A Polícia ainda desconhece qualquer vínculo direto que possa haver entre essa atividade e a direção da Recreativa. Por essas razões, não foi realizada nenhuma prisão na ocasião. O delegado dr. Alexandre Daur explica que os administradores do bingo ilegal já haviam se envolvido com essa atividade anteriormente. Os policiais civis haviam identificado prática semelhante por parte do mesmo grupo pouco tempo antes. Outro caso, mesma empresa No dia 12 de julho, outro bingo clandestino foi fechado em Ribeirão Preto, desta vez na Avenida Barão do Bananal, zona leste da cidade. O local era gerido pelos mesmos envolvidos das dependências do clube Recreativa. Nesse bingo foram apreendidos 50 computadores utilizados com a mesma finalidade do maquinário encontrado em agosto na Recra: promover jogos de cartela. Na apreensão do mês de julho também foram encontradas cartelas destinadas a jogos de azar, confirmando a atividade ilícita realizada no local. Na ocasião, um gerente e outros funcionários do bingo foram conduzidos à delegacia para depor. Ambos os bingos eram administrados por duas empresas do mesmo proprietário, uma com sede em Ribeirão Preto e a outra em Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul. Seu representante é compreendido pelas Alexandre Daur, que ressalta que a prática de investigações como principal suspeito. As jogos de azar é considerada ilegal no Brasil. investigações seguem sob comando do dr. Por: Mariana Luque Foto: Júlio Castro Foto: DIG Ribeirão Acima, parte da equipe da DIG Ribeirão que atuou no fechamento da casa de jogos; ao lado, as instalações do bingo clandestino que funcionava nas dependências do Clube Recreativa

[close]

p. 9

Setembro de 2017 DISE RIBEIRÃO: APREENSÃO MILIONÁRIA E 09 “CONSÓRCIO” DE DROGAS Policiais civis da especializada solucionam dois casos peculiares ao longo do mês de agosto, reprimindo a audácia dos criminosos Em operação no dia 8 de agosto, os policias da DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Ribeirão Preto efetuaram uma apreensão imensa. Ao realizarem busca em uma casa no Jardim Piratininga, zona oeste de Ribeirão Preto, os policiais encontraram pasta de cocaína e crack distribuídos em uma impressionante quantidade de 94 tijolos de drogas. As substâncias ilícitas pertenciam a um casal que residia no local.Ao aproximarem-se desta casa, os policiais notaram o homem aparentemente preocupado, observando a rua com frequência. Adentrando a residência, a equipe da DISE logo compreendeu a atitude do rapaz, pois devido à extensa quantidade de drogas, os tijolos estavam dispostos abertamente pelos cômodos da casa, sem a possibilidade de ocultação. Diante do flagrante dos policiais, o suspeito tentou assumir a responsabilidade sobre a mercadoria ilícita, alegando que sua companheira não tinha relação nenhuma com os entorpecentes. Mas isso não foi possível porque as drogas estavam muito evidentes e em quantidade anômala. Sendo assim, a operação terminou com ambos recebendo voz de prisão: o rapaz foi encaminhado ao CDP (Centro de Detenção Provisória)de Ribeirão Preto e a moça à Cadeia Pública de Cajuru. A ação da DISE, coordenada pelo delegado Dr. Eduardo Rodrigues Martinez possibilitou a apreensão de quase 100 quilos de drogas. As investigações apontam que o destino desses entorpecentes seria a distribuição em grande escala para diversas localidades da região da cidade de Ribeirão Preto. O casal, portanto, é suspeito de gerenciar um polo de abastecimento de drogas para laboratórios clandestinos e pontos de tráfico a partir de seu próprio lar. O aspecto mais surpreendente desse caso, no entanto, é o elevado montante de dinheiro envolvido. Estima-se que cada tijolo de entorpecente seria vendido a R$ 15 mil. Isso totaliza R$ 1,5 milhão convertidos em mercadoria ilícita. Esta grande apreensão, contudo, não é a única cifra elevada, tampouco a única circunstância peculiar com que os policiais da DISE se depararam durante o mês de agosto. “Consórcio” de drogas Na cidade de Ribeirão Preto, as apreensões de entorpecentes são frequentemente caracterizadas por situações pouco usuais e pelas grandes cifras que demonstram organização semelhante à dos ramos legalizados da economia. Um exemplo disso foi uma apreensão realizada pelos policiais civis. Na ocasião, uma carga de 270 quilos de maconha foi apreendida. Apesar da elevada quantidade de entorpecentes encontrados, o que há de mais atípico nesse caso é a proveniência dessa maconha. Segundo as investigações, os 256 tabletes encontrados podem ser de uma organização de traficantes da cidade que se assemelha a um consórcio. O delegado à frente da equipe que realizou a apreensão, dr. Cláudio Salles, explica que os participantes aplicariam seu dinheiro para a compra da carga, retirando parcelas da mercadoria ilícita quando ela chegasse a seu destino. O perfil dos envolvidos, portanto, é provavelmente de traficantes menores da cidade, que têm o intuito de apresentar maior competitividade com os maiores, em situação semelhante às atividades comerciais legalizadas, demonstrando grande organização. A droga foi apreendida em uma casa no bairro Ipiranga, zona norte de Ribeirão Preto. Na residência havia sacos de farinha vazios na sala, que provavelmente armazenavam drogas já removidas do local. A precisão dos envolvidos estendeu-se à escolha do lugar para armazenar a carga, uma casa no bairro Ipiranga, locada especificamente para essa finalidade. Os policiais suspeitam que o carregamento tenha chegado a essa casa vindo desde o estado do Paraná em um caminhão. As investigações seguem no encalço de um homem suspeito de ser o proprietário da droga, já identificado pela Polícia Civil. Contudo, tamanhas apreensões representam um desfalque bastante significativo para o tráfico de drogas na região de Ribeirão Preto, além de uma importante conquista profissional para a equipe da DISE. Por: Mariana Luque Parte da equipe da DISE que atuou nos dois casos: o consórcio de drogas e a grande quantidade apreendida com casal

[close]

p. 10

10 Setembro de 2017 DOIS SÃO PRESOS EM PRADÓPOLIS POLÍCIA CIVIL DE FRANCA APREENDE TÊNIS FALSIFICADOS Foto: Polícia Civil de Pradópolis As Polícias Civil e Militar detiveram, em ação conjunta, duas pessoas por tráfico de drogas. As ocorrências aconteceram na manhã de 21 de agosto, na cidade de Pradópolis, região de Ribeirão Preto. Policiais civis da Delegacia de Pradópolis e militares do 43º Batalhão do Interior (BPM/I) foram até um imóvel na Rua Slavo Crukovic, no Jardim Paulista, para cumprir um mandado por tráfico de drogas e roubo. O suspeito, um estudante de 17 anos, foi localizado. Em sua casa, foram encontrados 12 pinos de cocaína, que estavam escondidos no forro do telhado. Quatro celulares de origem suspeita, bem como Celulares, simulacro de arma de fogo e drogas foram apreendidos com dupla acusada de tráfico de drogas um simulacro de arma de fogo, também foram encontrados. As substâncias e os objetos foram apreendidos e periciados no Instituto de Criminalística (IC). O adolescente foi apreendido e levado à delegacia do município, onde ficou à disposição da Justiça. Já no centro da cidade, os policiais cumpriram outro mandado de prisão contra um homem, de 20 anos, por roubo. O criminoso foi localizado em sua casa, na Rua SantoAntônio, e assumiu a autoria de três assaltos. O homem também foi detido e levado à delegacia de Pradópolis, onde o caso foi registrado. Por: SSP/SP Equipe do 2º DP conseguiu localizar tênis falsificados que imitavam marcas famosas e estavam sendo vendidos em duas lojas da cidade Mais um caso de produtos falsificados foi qualquer envolvimento e falsificação. Em de- esclarecido ontem pela Polícia Civil. Graças a poimento na delegacia, disseram que outras uma denúncia anônima para representantes pessoas deixaram os produtos lá”, disse das marcas Osklen e Nike, agentes do 2º Dis- Bazalha. trito Policial apreenderam quase 300 pares A um dos advogados das empresas, um de tênis das marcas e solas da Osklen. Os dos acusados teria dado outra versão. Teria dois estabelecimentos, localizados no Jardim alegado que comprou os pares em Nova Ser- Petráglia e na Vila Rezende, foram “estoura- rana (MG). “Ele negou que produz algo em dos” pela polícia e os proprietários responde- Franca. Disse que apenas distribuiria esses rão por violação de direito autoral. calçados”, detalhou o advogado representante, De acordo com o delegado Alan Bazalha Murilo Rezende. Lopes, os advogados das empresas foram até Após serem ouvidos, os dois suspeitos fo- a delegacia na manhã de ontem e indicaram ram liberados. Os casos foram registrados os endereços onde os objetos poderiam ser como violação de direito autoral e já estão sob encontrados. Primeiro, os investigadores fo- investigação no 2º DP. Os pares de tênis e as ram até um dos pontos, na Rua Major Moura solas foram apreendidos e serão submetidos Matos, na Vila Rezende. Lá, eles localizaram à perícia nos próximos dias. 1.200 solas da Osklen e 69 pares de tênis da Por: gcn.net.br mesma marca, com numeração diver- sa. O outro local indicado foi um es- tabelecimento da Rua Sargento Aldrovander Bueno Marques, no Jar- dim Petráglia. Logo que chegaram, os representantes e os policiais civis se depararam com 84 pares de tênis e 270 acessórios da Osklen, além de 177 tênis da Nike. Questionados, os proprietários de Foto: Polícia Civil ambos os locais, que trabalham como sapateiro e empresário, negaram que Alguns dos produtos falsificados apreendidos falsificam os produtos. “Eles negaram pela equipe do 2º DP de Franca

[close]

p. 11

Setembro de 2017 PRESTAÇÃO DE CONTAS 11

[close]

p. 12

12 ANIVERSARIANTES DE OUTUBRO 1 Sebastião Signei de Moraes Ana Maria Correa dos Santos Luiz Antonio Rozelli Fernando José Sartore Newton Tolentino de Sousa 2 Luiz Roberto Stringhetta Edson de Toledo Balsabino Roseli Souza Bastos José Magalini Filho João Henrique Santello José Francisco Inácio 3 Paulo Sérgio de Souza Simões Valter Almagro Paulo Roberto Castanheiro da Silva José Eduardo Vasconcelos Luiz Fernando Miskulin Ferracin Aldrovando Brandão de Souza 4 Idaberto das Neves Fernando Cezar Gurtler Izeppi Francisco Carlos Mango Marcos Vinícius Remiro Fernando Antonio Correa Marques de Souza Lenita Ramos Fabrício de Ávila 5 Paulo de Castro Cervantes Sumie Kanemaru Palombo Udelson Canova Simionato 6 Sônio de Assis Borges Cristina Moroti Félix José Roberto de Moraes Sandra Piraí de Oliveira Dal Farra Rogério José Mello Tiago Risoleo José Roberto Mendonça Márcia Helena Silva de Amaral Gandini 7 José Roberto Pereira Carlos Henrique Ferreira da Silva Waldir Gonzaga 8 Deodalto Alves de Melo Edimar Alberto Félix José Geraldo Triques Sérgio Ferreira do Carmo José Donizeti de Lima 9 José Carlos Rosa Mário Marques de Oliveira Neto 10 Luiz Henrique Batista José Carlos de Farias 11 Marcos Felipe Fantini 12 Élvio Gomes Roseli Aparecida Ananias Moreira Santos 13 José Rubens Vieira Carlos Alberto Campi Cláudio Expedito Martins Marco Antonio da Silva 14 Leonice Rodrigues dos Reis Pereira 15 Marister Teresa Miziara Nogueira Rubens Antonio da Silva Filho Antonio Paulo Bacan Rogério Ferreira de Morais Oswaldo Daguano Josabeth Mendonça Pereira 16 Cláudio Lotufo Antonio José Carlos Santini Maria Cristina de Moura Coribelli José Manoel de Oliveira Carlos Alberto C. Pereira José Cassiano da Fonseca Rinaldo André da Silva Hélio Rodrigo de Almeida Costa Wilson dos Santos Pio 17 Orlando da Silva Erivaldo Kleber Giora 18 Antonio Pereira Alvim Ronaldo Narciso do Val Karina dos Santos Moraes de Oliveira Maurício César Montechi Vitor José Padulli 19 Adailton José Pereira da Silva Marco Aurélio Machado Ruy Leme Sílvia Elisa Ruivo Valério Mendonça Benedito Antônio Noronha Júnior José Roberto de Azevedo 20 Luís Rafael Paloni Luís Carlos Ribeiro Ari Aparecido Gomes Pedro Lessi 21 Ismael Dias Pereira Saulo Azael David 23 Geraldo Donizete Teodorio Cristiano Miguelassi Squarize Edson Tadeu Rodrigues de Souza 24 Heber Lunardelo de Souza Paulo Tosta João Roberto Saloio 25 Antonio Bruno da Silva Mariza Noronha Magdalena 26 Teresinha Pereira Lage Pimenta 27 Gilmar Padilha Izilda Cleuza Mansin Tânia Ratsuko Nakao Marcos Antonio Ortêncio Gerson Greany Eduardo Henrique Palmeira Campos 28 Doracy Alves da Silva 29 Benedito Gabriel Fernandes Pereira Andrea Palmeira Beordo João Baptistussi Neto Anderson Fonseca da Costa 30 Aristides Fernandes Wanderson Clayton de A. Perseguin Daniella Ribeiro de Andrade Rosas 31 Amarildo Luís Rocha Donizeti Batista de Oliveira Eumauri Lúcio da Mata O Sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto ao Banco do Brasil, em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou, em caso de portabilidade, no banco em que o beneficiário optou. Quem não se recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos. MEMÓRIA Setembro de 2017 O INÍCIO DA REALIZAÇÃO DO SONHO Desde os tempos de APOCIRP (Associação dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto), que antecedeu o Sinpol, a categoria ansiava por um local onde pudesse passar momentos de lazer, com qualidade. E a partir de 1996 esse sonho passou a se tornar realidade. Iniciavam-se as obras de construção da sede de campo, a chamada Chácara do Sinpol, numa área com várias chácaras, próximas ao Rio Pardo. Na foto, diretores do sindicato acompanhavam o início das obras ao lado do empreiteiro responsável. A partir da esquerda, os diretores Carlos Henrique Pischiotini, Darci Gonzales, Sebastião Signei de Moraes, Eumauri Lúcio da Mata e o empreiteito Antonio Boleli Neto. DO FUNDO DO BAÚ O Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto está mantendo um acervo de imagens relacionadas à Polícia Civil. Para tanto, a Diretoria está incentivando a participação de associados que tenham em seus arquivos fotografias que possam ilustrar diferentes aspectos da história da Instituição. “Temos certeza que muitos colegas guardam várias fotos com lembranças de reuniões, eventos e de situações cotidianas dentro da Instituição, com um valor inestimável pelas lembranças que representam”, ressalta o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. Os interessados em colaborar com esse resgate da memória da Polícia Civil da região podem entrar em contato com a Secretaria do Sinpol, através dos telefones (16) 36129008, 3625-3890 e 3979-2627, ou do e-mail sinpolrp@sinpolrp.com.br. “As fotografias serão digitalizadas e prontamente devolvidas aos seus proprietários”, garante Eumauri. O material reunido pelo Sinpol será publicado no Jornal do Sinpol e no site da entidade (www.sinpolrp.com.br).

[close]

p. 13

Setembro de 2017 JURÍDICO 13 MAIS VITÓRIAS PARA ASSOCIADOS Graças à atuação dos advogados do Sinpol, duas ações de reversão e uma de aposentadoria obtiveram êxito no Judiciário O departamento jurídico do Sinpol, do qual integram os advogados Ricardo Ibelli e Viviane Cristina Ibelli Pinheiro, obteve mais três importantes vitórias em favor dos associados. Segundo a dra. Viviane Ibelli, foram vitórias importantes, pois uma delas garante o direito a um policial civil se aposentar com direito à paridade e integralidade. As outras duas revertem a aposentadoria para especial, garantindo também aos beneficiados o direito à paridade e integralidade. De acordo com o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, muitas outras ações nas duas linhas de atuação devem obter vitória nos próximos meses. “Durante vários anos, o governo do estado de São Paulo insistiu em não aposentar os policiais civis com direito à paridade e integralidade nos salários. Ele justificava que a Lei em uso, a LCF (Lei Complementar Federal) 51/ 1985 não havia sido recepcionada pela Constituição Federal de 1988, razão pela qual aposentava os policiais civis pela LCE (Lei Complementar Estadual) 1062/2008, tirando-lhes o direito à paridade e integralidade. Fomos o único estado da Federação a não reconhecer o legítimo direito do policial civil à aposentadoria especial”, lamenta Eumauri. Desta forma, muitos policiais acabaram recorrendo ao sindicato, que através de seu departamento jurídico, passou a pleitear mandado de segurança garantindo o direito à paridade e integralidade nos salários. Os resultados passaram a ser imediatos. Pouco tempo após as primeiras vitórias, dezenas de associados procuraram o jurídico do sindicato para buscar o direito ao mandado de segurança que lhes garantisse a aposentadoria com paridade - ou seja, ganhar o mesmo que ganha um policial civil da ativa - e integralidade - que mantêm no salário todos os adicionais recebidos até o momento da aposentadoria. Em questão de meses diversos associados começaram a se beneficiar. Uns em primeira instância, com o governo recorrendo ao TJ (Tribunal de Justiça), tentando barrar a conquista. Aos poucos os méritos foram sendo julgados e favoráveis aos policiais civis. Quando a questão chegava à instância máxima, a vitória do associado era garantida. Em agosto, quem se beneficiou da estratégia tão bem aplicada pelo Sinpol foi a agente de telecomunicações policial de Ribeirão Preto, Regina Célia Tonhão de Abreu. Ela obteve no Tribunal mandado de segurança visando a aposentadoria especial após perder em primeira instância. Ainda cabe recurso. Reversão Com as constantes vitórias em mandados de segurança, o Sinpol passou a analisar então a situação daqueles que acabaram se aposentando pela LCE 1062/ 2008, que tolhia o direito à paridade e integralidade. Foi então que o sindicato passou a ingressar com ações de reversão de aposentadoria. Assim que os primeiros resultados apareceram, garantindo ao policial civil já aposentado não apenas o direito à aposentadoria especial, como também a todos os atrasados que houvesse deixado de receber, vários outros policiais civis procuraram o sindicato e ingressaram com ação de reversão. Em agosto, dois policiais civis aposentados obtiveram vitórias, embora em ambos os casos ainda caiba recurso para o governo do Estado. O fotógrafo pericial aposentado, Walter Lodi Júnior, de Ribeirão Preto, obteve sentença procedente. O mesmo ocorreu com o escrivão aposentado de Ribeirão Preto, Marcos Antonio Ortêncio. Confirmando a vitória em instâncias superiores, os dois terão direito aos benefícios da aposentadoria especial e também receberão os atrasados, deixados de serem pagos por conta da LCE 1062/2008. “Para piorar de vez o lado do governo, em 2014 a LCF 51/85 foi atualizada pela LCF 144/2014. Com isso, a justificativa de que a lei da aposentadoria especial era anterior à Constituição Federal, portanto, não havendo sido recepcionada, caiu por terra. Ainda assim, o governo insiste em não querer pagar a paridade e integralidade. Nossa orientação aos colegas em condições de se aposentar é que não se curvem. Procurem o sindicato que estamos sempre prontos para atendê-los, garantindo seu legítimo direito à aposentadoria especial. Aliás, nosso jurídico está sempre pronto a atender o policial civil em questões além das aposentadorias. Qualquer dúvida, é só entrar em contato com a diretoria do Sindicato”, finaliza Eumauri. A partir da esquerda: Eumauri, Fátima, Viviane, Célio e Ricardo: diretoria e jurídico unidos em favor do associado do Sinpol

[close]

p. 14

14 Setembro de 2017

[close]

p. 15

Setembro de 2017 15 DIG FRANCA PRENDE ASSALTANTES DE BANCO Os três homens detidos são acusados e envolvimento em explosões de caixas eletrônicos nas cidades da região Três integrantes de uma quadrilha es- evitar que as cédulas fossem danificadas du- pecializada em explodir caixas eletrônicos rante as explosões. Dois revólveres e duas em cidades da região foram detidos no dia pistolas também foram apreendidos durante 16 de agosto, durante uma operação da as buscas, além de dois veículos utilizados DIG (Delegacia de Investigações Gerais de pelos criminosos. Franca) com apoio da Delegacia Seccional O grupo atacava caixas eletrônicos de através do GOE (Grupo de Operações Es- cidades pequenas da região, mas também peciais) agia em Franca. “Eles roubavam caminho- Os agentes da Polícia Civil cumpriram netes aqui que eram utilizadas na prática mandados de busca e apreensão em bair- dos outros crimes”, disse. ros da zona Sul e da zona Norte. Os três Foi através de denúncias relacionadas suspeitos foram detidos e levados para a a roubos de veículos que a investigação sede da DIG para prestar depoimento. teve início. Depois de monitorar a quadri- Um deles foi liberado depois de prestar lha e conseguir permissão para intercep- depoimento, enquanto os outros dois foram tar conversas, os policiais descobriram que autuados em flagrante pelos crimes de or- os criminosos foram responsáveis por um ganização criminosa e porte ilegal de arma ataque a caixas eletrônicos de Nuporanga de fogo de uso restrito. em junho. Durante as buscas, os policiais encon- A investigação também acredita que os traram diversos equipamentos e roupas uti- bandidos estavam envolvidos em explosões lizados durante os ataques às agências ban- parecidas em cidades de Minas Gerais. cárias. Segundo o delegado Márcio Murari, Depois que soube dos novos planos do responsável pela operação, até agora seis grupo, o delegado decidiu que era hora membros da quadrilha foram identificados. de agir. Eles usavam ímãs e fitas isolantes para Por: www.diariodafranca.com.br Armas, coletes à prova de balas, intercomunicadores e outros equipamentos utilizados pela quadrilha, que é bastante organizada e violenta em suas ações Fotos: Polícia Civil

[close]

Comments

no comments yet